Sunteți pe pagina 1din 10

Imunologia

Propriedades gerais das respostas imunológicas

1. Defina Imunologia.

É o estudo dos mecanismos fisiológicos que os seres humanos e outros animais usam para defender os corpos da invasão por outros microrganismos.

2. Qual a função fisiológica do sistema imunológico?

É a defesa contra microrganismos infecciosos. Entretanto, até mesmo,

substâncias estranhas não infecciosas podem desencadear uma resposta imunológica.

3. O que é Imunidade natural ou inata?

É a linha de defesa inicial contra os microrganismos, consistindo em

mecanismos de defesa celulares e bioquímicos que já existiam antes do estabelecimento de uma infecção e que estão programados para responder rapidamente a infecções. Esses mecanismos reagem apenas contra microrganismos (e aos produtos das células lesadas) e respondem essencialmente da mesma maneira a sucessivas infecções.

4. Quais são os principais componentes do sistema imunológico natural? (1). Barreiras físicas e químicas, tais como o epitélio e as substâncias antibacterianas nas superfícies epiteliais.

(2). Células fagocitárias (neutrófilos, macrófagos) e células NK (natural killer). (3). Proteínas do sangue, incluindo frações do sistema complemento* e outros mediadores da inflamação. (4). Proteínas denominadas citocinas, que regulam e coordenam várias atividades da imunidade natural.

5. O que é imunidade adaptativa ou adquirida?

É a resposta imunológica estimulada pela exposição a agentes infecciosos cuja magnitude e as capacidades defensivas aumentam com exposições posteriores

a um microrganismo em particular. Possuem uma especificidade extraordinária

para distinguir as diferentes moléculas e uma habilidade de se “lembrar” e

responder com mais intensidade a exposições subsequentes ao mesmo microrganismo.

6. Quais os principais componentes da imunidade adquirida? Os linfócitos e seus produtos, como os anticorpos.

7. Quais são os tipos de respostas imunológicas adquiridas, defina cada uma delas.

A imunidade humoral e a imunidade adquirida.

Imunidade humoral é mediada pelas moléculas presentes no sangue e nas

secreções das mucosas, chamadas de anticorpos, que são produzidas pelos linfócitos B. Os anticorpos reconhecem os antígenos microbianos, neutralizam

a infecciosidade dos microrganismos e os preparam para serem eliminados por

diversos mecanismos efetores. Ocorre contra microrganismos extracelulares e suas toxinas. A Imunidade celular é mediada pelos linfócitos T, promove a destruição a destruição dos microrganismos localizados em fagócitos ou a destruição das células infectadas para eliminar os reservatórios da infecção. Ocorre contra

microrganismos intracelulares, como vírus e algumas bactérias.

8. O que é imunidade Ativa?

É o tipo de imunidade que é induzida pela exposição a um antígeno estranho,

pois o individuo imunizado desempenha um papel ativo na resposta ao antígeno. Os indivíduos que responderam a um antígeno microbiano e estão protegidos contra exposição posteriores aquele microrganismo são considerados imunes.

9. O que é imunidade Passiva? Quando a pessoa se torna imune pela transferência de plasma ou linfócitos de um individuo imunizado, um processo conhecido como transferência adotiva

em situações experimentais. O recipiente torna-se imune aquele antígeno sem nunca ter sido exposto ou ter apresentado uma resposta a ele.

10. Quais as principais características das respostas imunológicas adquiridas?

Especificidade e diversidade: As respostas imunológicas são especificas

para cada antígeno e até para diferentes porções de uma proteína complexa, um polissacarídeo ou qualquer outra macromolécula. Essa especificidade acentuada ocorre porque os linfócitos expressam em sua superfície receptores de membrana que são capazes de distinguir diferenças discretas na estrutura entre antígenos distintos. Memoria: A exposição do sistema imunológico a um antígeno estranho aumenta a sua habilidade de responder novamente àquele antígeno. Por exemplo, os linfócitos B de memoria produzem anticorpos que se ligam a antígenos com maior afinidade do que células B que não foram estimuladas previamente, enquanto as células T de memoria chegam aos locais de infecção com maior rapidez e força ao antígeno do que as células T naive.

Expansão clonal: Refere-se a um aumento no numero de células que expressam receptores idênticos para o antígeno e assim pertencem a um clone. Especialização: O sistema imunológico responde de maneira distinta e especial a diferentes microrganismos, maximizando a eficiência dos mecanismo de defesas antimicrobianos.

Autolimitação e homeostasia: Todas as respostas imunológicas normais

diminuem com o passar do tempo, fazendo com que o sistema imunológico retorne ao seu estado basal, um processo chamado de homeostasia. A manutenção da homeostasia ocorre porque as respostas imunológicas são desencadeadas por antígenos e a sua função é eliminá-los, terminando, assim, com o estimulo essencial para a ativação e sobrevivência dos linfócitos. Os linfócitos privados desses estímulos morrem por apoptose. Tolerância a antígenos próprios: Ausência de resposta imunológica, também denominada autolerância. 11. Defina os componentes celulares do sistema imunológico adquirido. Os linfócitos, as células apresentadoras de antígenos e as células efetoras são as principais células do sistema imunológico. Linfócitos B são as únicas células capazes de produzir anticorpos. Eles reconhecem antígenos extracelulares (incluindo os que se encontram na superfície celular) e se diferenciam em células secretoras de anticorpos, funcionando, assim, como mediadores da imunidade humoral. Linfócitos T, as células de imunidade celular, reconhecem os antígenos de microrganismos intracelulares, destruindo-os ou destruindo as células infectadas. Seus receptores de antígenos são moléculas presentes na membrana. Células T auxiliares, em resposta a estimulação antigênica, as células T auxiliares secretam proteínas chamadas citocinas, cuja função é estimular a proliferação e a diferenciação das células T, assim como a ativação de outras células, incluindo as células B, os macrófagos e outros leucócitos. Linfócitos T citolíticos ou citotóxicos, os CTLs destroem que produzem antígenos estranhos, como as células infectadas por vírus e outros microrganismos intracelulares. Natural Killer, (NK) esta envolvida na imunidade natural contra os vírus e outros organismos extracelulares.

Imunidade Natural

1. O que é imunidade natural? A primeira linha de defesa contra as infecções. Os mecanismos da imunidade natural existem antes do encontro com os microrganismos e são rapidamente ativados por eles antes do desenvolvimento das respostas imunológicas adquiridas.

A imunidade natural aos microrganismos estimula as respostas

imunológicas adquiridas e pode influenciar na natureza das respostas imunológicas adquiridas para torna-las otimamente eficazes contra os diferentes tipos de microrganismos.

3. Características do reconhecimento na imunidade natural. Os componentes da imunidade natural reconhecem estruturas que são características de patógenos microbianos e não estão presentes nas

células dos mamíferos. (O sistema imunológico natural reconhece apenas

um numero limitado de produtos de microrganismos, enquanto o sistema

imunológico adquirido é capaz de reconhecer um espectro muito maior de substâncias estranhas, sejam ou não produtos de microrganismos.).

estranhas, sejam ou não produtos de microrganismos.). As moléculas reconhecedoras de padrão do sistema

As moléculas reconhecedoras de padrão do sistema imunológico natural incluem receptores de reconhecimento de padrão associados a células, expressos na

superfície de vários tipo s celulares, e proteínas solúveis no san gue e líquidos extracelulares.

Os receptores podem dese mpenhar duas funções importantes:

Traduzir sinais que

ativam funções antimicrobianas e pró-in flamatórias das

células na qual eles são expressos.

Facilitar a captação

dos micróbios para dentro da célula. Rec eptores solúveis

facilitam a remoção dos micróbios do sangue e líquidos extracel ulares.

Ver tabela 2-2 do li vro.

4. Quais os compo nentes do sistema imunológico natural?

Natural

Adq uirida

nentes do sistema imunológico natural? Natural Adq uirida Barreiras epiteliais: Sup erfícies epiteliais intactas

Barreiras epiteliais: Sup erfícies epiteliais intactas formam barr eiras entre os microrganismos no ambie nte externo e os tecidos do hospedeiro. A s três principais interfaces entre o ambien te e o hospedeiro são a pele e as superfíci es mucosas dos tratos gastrointestinal e re spiratório.

Fagócitos e respostas in flamatórias: Os fagócitos, incluindo os n eutrófilos e os

macrófagos, são células microrganismos.

cuja função principal é identificar, ing erir e destruir

Na imunidade mediada pe las células T, as células T estimuladas por a ntígenos podem

ativar macrófagos para s e tornarem mais eficientes na destruição fagocitados.

dos micróbios

Na imunidade humoral,

os

anticorpos

revestem,

ou

opsonizam,

os

micróbios

e

promovem a fagocitose

dos

micróbios

através

de

receptores

da

superfície

dos

macrófagos para os anticor pos.

Passos sequenciais:

Recrutamento ativo das células para os locais de infecção – Quimiotaxia.

Reconhecimento dos micróbios – Receptores.

Ingestão dos micróbios pelo processo de fagocitose – Ingestão.

Destruição dos micróbios ingeridos – Digestão.

• Destruição dos micróbios ingeridos – Digestão. Funções efetoras das células NK. As funções efetoras

Funções efetoras das células NK.

As funções efetoras das células NK são destruir células infectadas e ativar os macrófagos para destruírem microrganismos fagocitados.

das células NK são destruir células infectadas e ativar os macrófagos para destruírem microrganismos fagocitados.

As células NK reconhecem ligantes nas células infectadas ou células sob outros tipos de estresse e destroem as células do hospedeiro. Dessa maneira, as células NK eliminam reservatórios de infecção, bem como as células disfuncionais.

Para fixar estudo

1. Como a especificidade da imunidade inata difere da imunidade adquirida?

2. Dê 3 exemplos de habilidade dos mecanismos da imunidade inata de

reconhecerem os microrganismos, mas não células dos mamíferos ?

3. Quais são os mecanismos pelos quais o epitélio da pele previne a entrada de

microrganismos?

4. Como os fagócitos ingerem e destroem os microrganismos?

5. Qual o papel da molécula do MHC no reconhecimento das células infectadas

pelas células NK e qual o significado fisiológico deste reconhecimento?

Imunidade Adquirida Organização do sistema imune

Em forma de resumo:

Células do sistema imunológico adquirido. As células que estão envolvidas na resposta imunológica adquirida são linfócitos específicos para antígeno, células apresentadoras de antígenos (APCs) especializadas que apresentam os antígenos e ativam os linfócitos e células efetoras que eliminam os antígenos. Os linfócitos são as únicas células do corpo capazes de reconhecer e distinguir de modo especifico diversos determinantes antigênicos, e são, consequentemente responsáveis por duas características definidoras da resposta imunológica adquirida, especificidade e memoria. É importante saber que receptores específicos para os antígenos são produzidos pelos linfócitos, mas não por outras células. Classe dos linfócitos:

Linfócitos B: As células que produzem os anticorpos, os estágios iniciais das células B ocorrem na medula óssea.

Linfócitos T: Os mediadores da imunidade Celular, foram assim chamados porque seus precursores saem da medula óssea e migram para o timo, onde se desenvolvem. Os dois subconjuntos principais das células T são: linfócitos T auxiliares e linfócitos T citolíticos ou citotóxicos (CTLs). Células Natural Killer (NK), possuem funções efetoras semelhantes aos CTLs: Lise de células infectadas por vírus e células tumorais.

Os linfócitos B maturam parcialmente na medula óssea, entram na circulação e povoam os órgãos linfoides periféricos, ondem completam sua maturação. Os linfócitos T completam o seu desenvolvimento no timo, entram na circulação e vão semear os órgãos linfoides periféricos. Essas células que completam o seu desenvolvimento são chamadas linfócitos naives.(virgens). Com ativação por antígeno, os linfócitos passam por alterações sequenciais no fenótipo e na capacidade funcional.

Células efetoras: Depois que os linfócitos naives são ativados, eles se tornam maiores e proliferam, e são chamados linfoblastos. Algumas dessas células se diferenciam em linfócitos efetores que têm a capacidade de eliminar antígenos estranhos; os linfócitos efetores incluem células T auxiliares, CTLs e células B secretoras de anticorpos. As células T efetoras que usualmente são CD4 expressam moléculas de superfície e secretam citocinas que interagem com macrófagos e linfócitos B levando a sua ativação. CTLs diferenciados contem proteínas que destroem por vírus e células tumorais. Tanto as células T efetoras CD4 quanto as CD8 geralmente expressam proteínas de superfície de ativação recente e moléculas do complexo de histocompatibilidade principal.

Células de memoria: As células de memoria podem sobreviver em um estado quiescente ou de clivagem lenta durante muitos anos depois que o antígeno é eliminado.

células que fica m na medula óssea s ão os linfócitos B .
células que fica m na
medula óssea s ão os
linfócitos B .
linfócitos B emer gem da medula óssea p ara os orgãos periférico s, onde são
linfócitos B emer gem da
medula óssea p ara os
orgãos periférico s, onde
são ativados
por
antigenos.
LB + Ag
se diferenciam c omo plasmócitos. Os plasmocitos se desenvolvem nos orgãos linfoides e nos lo
se
diferenciam c omo
plasmócitos. Os
plasmocitos se
desenvolvem nos orgãos
linfoides e nos lo cais em
que ocorrem res postas
Os
plasmocitos secre tam os
As células B
anticorpos
.
Participam da imu nidade Humoral:mediad a pelas moléculas presen tes no sangue e nas sec
Participam da imu nidade
Humoral:mediad a pelas
moléculas presen tes no
sangue e nas sec reções
das mucosas, cha madas
de anticorpos, q ue são
produzidas pe los
linfócitos B .
Células são geradas na medula óssea.
Células são geradas na
medula óssea.
As células que migram para o timo são os linfócitos T, onde se desenvolvem.
As células que migram
para o timo são os
linfócitos T, onde se
desenvolvem.
Linfócitos T emergem do timo e migram para os orgãos periféricos, onde são ativados por
Linfócitos T emergem do
timo e migram para os
orgãos periféricos, onde
são ativados por
antígenos.
LT + Ag
Orgão linfoides primários. Medula óssea e timo. ( células Naives).
Orgão linfoides
primários.
Medula óssea e timo.
( células Naives).
Orgãos linfoides secundários. Baço e linfonodos. ( ativação das células de defesa).
Orgãos linfoides
secundários.
Baço e linfonodos.
( ativação das células
de defesa).
As células se diferenciam em linfócitos efetores, que incluem células T auxiliares e linfócitos T
As células se diferenciam
em linfócitos efetores,
que incluem células T
auxiliares e linfócitos T
citotóxicos CTLs. Células T
auxiliares, as CD4 -
ativação de macrófagos e
CTLS CD8 - destruição de
células infectadas e
tumoral.
Participam da imunidade celular: é mediada pelos linfócitos T, promove a destruição a destruição dos
Participam da imunidade
celular: é mediada pelos
linfócitos T, promove a
destruição a destruição
dos microrganismos
localizados em fagócitos
ou a destruição das
células infectadas para
eliminar os reservatórios
da infecção.

Sistema imunológico cutâneo

A pele contém um sistema imunológico especializado constituído de linfócitos e APCs.

A pele é o maior órgão do corpo e é uma barreira física entre um organismo e seu

ambiente externo. Além disso, a pele participa ativamente na defesa do hospedeiro, com a sua habilidade de gerar e manter reações imunológicas e inflamatórias locais, muitos antígenos estranhos entram no corpo através da pele e muitas respostas

imunológicas são, então, iniciadas nesse tecido.

Os principais tipos de células na epiderme são: melanócitos, queratinócitos, células dentriticas e células T intra-epiteliais.

Sistema imune das mucosas:

As superfícies das mucosas do trato gastrointestinal e respiratório são colonizadas por linfócitos e APCs que iniciam assim as respostas imunológicas contra os antígenos ingeridos e inalados.

A mucosa do trato gastrintestinal contém tecidos linfoides organizados (PLACAS DE PEYER – PAREDE INTESTINAL) que impede as bactérias da microbiota irem para o

sangue. As Amigdalas e o Apêndice também são estruturas linfoides.

Vias de mecanismo de recirculação e alojamento:

Os linfócitos se movem continuamente pela corrente sanguínea, pelos vasos linfáticos, pelos tecidos linfoides secundários e pelos tecidos não linfoides periféricos. Até encontrar um antígeno que eles reconheçam dentro de um linfonodo.

A importância da recirculação com alojamento é de assegurar o combate de linfócitos

específicos com o antígeno.

E subpopulações de linfócitos são levadas para um microambiente em particular onde

eles são necessários para uma resposta imune adquirida, e não, despediçadamente, a lugares onde não serviriam a nenhuma finalidade.