Sunteți pe pagina 1din 112

Curso de Integraçăo

C urso de I ntegraçăo “E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o

“E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, louvando

a

Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava

o

Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar”.

Atos 2.46-47

à igreja aqueles que se haviam de salvar”. Atos 2.46-47 Agência Ministerial Ágape C urso de

Agência Ministerial Ágape

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

1

Módulo de Ensino Curso de Integração

Módulo de Ensino Curso de Integração Todos os direitos reservados por IGREJA DA COMUNHÃO ÁGAPE Rua

Todos os direitos reservados por IGREJA DA COMUNHÃO ÁGAPE Rua Frei Galvão, 69 Jardim Europa - São Paulo - SP - CEP: 01454-060 Telefones: (11) 3814-9729 e 3816-3409 www.comunhaoagape.org.br

Proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização. Este caderno é uma publicação da Agência Ministerial Ágape e não pode ser vendida por outra instituição.

Impresso no Brasil / Printed in Brazil Todas as citações foram extraídas da Bíblia Almeida, revista e atualizada – RA – 1997, Sociedade Bíblica do Brasil, salvo outra indicação. Gerência Editorial • Colegiado I.C.A. Preparação de Texto • Marcelo Jammal e Marcus Garcia Revisão de Provas Neuza Maciel (in memoriamn), Maria Rodrigues e Mércia De Pieri Spina Produção Gráfica e Editoração Luciano Marzocca Jornalista responsável • Luciano Marzocca MTB 34023

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

2

Introdução Advertência

4

Curso de Integração

5

Metodologia do Curso de Integração

6

Instruções para Ministração

7

Saudações

8

Apresentação do Ministério - Histórico

9

unIdade 1: a HIstórIa da salvação O Começo

12

Conhecendo Jesus

19

Andando com Jesus Cristo

22

Testemunhando de Jesus Cristo

25

Resumindo

28

unIdade 2: estIlo de vIda Vida Cristã (Conduta)

31

Princípios de Vida

32

Moralidade

33

Santificação

33

Família

37

Casamento

40

Namoro

47

Autoridade e Submissão

52

Princípios sobre Finanças

53

Princípios sobre Política

55

unIdade 3: o que somos Igreja de Jesus Cristo

58

Igreja da Comunhão Ágape

59

Definição do Nome

59

Visão Bíblica

60

Visão do Ministério

60

Missão do Ministério

61

unIdade 4: Como andamos Estratégias Ministeriais

64

Estratégias Funcionais

65

Princípios

67

Princípios sobre Batismo nas Águas

67

Princípios sobre a Ceia do Senhor

67

Princípios sobre Liderança

68

Princípios Ministeriais

69

Princípios sobre a Membresia

69

Princípios sobre os Departamentos

70

Princípios Hierárquicos

70

Casa-Luz

72

Trilho de Liderança

75

Servindo a Deus

84

unIdade 5: materIal Complementar Fundamentos da Fé

99

Compromisso de Membresia

111

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

3

Introdução

AdvertênciA!

Este material foi elaborado para o uso exclusivo do discipulado denominado CURSO DE INTEGRA- ÇÃO DO MINISTÉRIO DA IGREJA DA COMUNHÃO ÁGAPE. O conteúdo compreende um estudo dirigido com o propósito de integrar os novos membros na vida e propósito da Igreja, por esta razão, não deve ser usado de forma aleatória.

Para maior compreensão do conteúdo pragmático, os interessados deverão comparecer às minis- trações realizadas nas Igrejas da Comunhão Ágape.

Será um imenso prazer tê-los conosco,

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

O Colegiado

4

Introdução

curso de integrAção

“Jesus, pois, lhes afirmou de novo: Em verdade, em verdade vos digo: Eu sou a porta das ovelhas. Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não lhes deram ouvido. Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem”. João 10:7-9

Nosso propósito neste módulo é orientá-lo a ser um novo membro da Igreja da Comunhão Ágape, com o propósito de integrá-lo à vida do corpo. Você estudará assuntos importantes para sua vida, tais como: o reino de Deus, sã doutrina, princípios de vida cristã, história da salvação, criação, pe- cado, queda e restauração do homem. Estudará também quais são os princípios, procedimentos e andamento da Igreja da Comunhão Ágape.

Os que querem se tornar membros, deverão cursar este módulo, sem o qual, serão indeferidos a admissão e envolvimento no Ministério. Todo membro da Igreja da Comunhão Ágape tem por obri- gação saber seus direitos e deveres, com vistas ao bom funcionamento.*

Concluída esta etapa, tanto a I.C.A. – Igreja da Comunhão Ágape - como os pretendentes poderão decidir o ingresso ou não ao Ministério.

“E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, Até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro. Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, de quem todo o corpo, bem ajustado e consolidado pelo auxílio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor”.

Efésios 4:11-17

Atenciosamente,

O Colegiado

* Direitos e deveres dos membros estão descritos no certificado de membresia, entregue mediante a conclusão do Curso de Integração.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

5

Introdução

MetodoLogiA do curso de integrAção

ProPósIto

O Curso de Integração foi elaborado com finalidade de discipular novos convertidos visando o en- tendimento e valor de seu compromisso pessoal com Cristo, endoutrinamento nos fundamentos da fé cristã e orientação do modus operantis da I.C.A. Da mesma forma, o curso serve como processo

de integração para aqueles irmãos que estão chegando de outros ministérios. Sendo assim, é mister que todo o discipulado do curso e seu acompanhamento venha ser estabelecido metodologicamente

a obter melhores resultados. Por isso, desenvolvemos este planejamento de ministrações, que segui-

das à regra, junto com o material de uso exclusivo do discipulado do Curso de Integração produzirão profundo conhecimento e vivência espiritual do novo membro.

MetodologIa

1. As ministrações deverão ser realizadas em reuniões semanais do Curso de Integração, cujo dia e

horário ficarão a critério da igreja local.

2. A ministração abrange muito mais do que lição da apostila propriamente dita. Ela compreende leitura

bíblica, tirar dúvidas, questionários da apostila, estudo da apostila e o momento da oração.

3. Toda ministração inicia-se com oração, passa pela revisão da leitura de um livro bíblico dado de

forma programada, tira-se as dúvidas desta leitura bíblica, sendo que o aluno terá que anotá-las em caderno próprio durante a semana. Posteriormente, responde as perguntas da apostila e seguindo,

portanto, a lição programada da apostila e por fim, a oração e ministração da unção para determinados propósitos estabelecidos em curso.

4. Quanto à leitura bíblica programada, é recomendada no Módulo 1 a leitura do evangelho de João

dividida em 4 semanas; isto é: Jo 1-5; Jo.6-10; Jo 11-15 e Jo 16-21. Semelhantemente no Módulo 2 é recomendada a leitura da Primeira Epístola de Paulo aos Coríntios da seguinte forma: 1 Co 1-4; 1 Co 5-8; 1 Co 9-12 e 1 Co 13-16. No Módulo 3, quando se estuda acerca da visão da I.C.A. é reco-

mendado Ef 1-3; Ef 4-6; Fp 1-4 e Cl 1-4. E, ao final, no Módulo 4, recomenda-se a leitura da Epístola de Paulo aos Romanos da seguinte forma: Rm 1-4; Rm 5-8; Rm 9-12 e Rm 13-16.

5. O momento “Tira Dúvidas” é o período da ministração onde a pessoa pode fazer qualquer pergunta,

quer extraída da leitura programada ou de cunho pessoal. Se esta pergunta estiver dentro do programa do Curso de Integração, então será esclarecido que isto será respondido mais tarde, dando apenas uma pequena explicação. O aluno terá que anotar todas as dúvidas em caderno próprio, durante a semana, criando, portanto, o hábito de fazer anotações dos estudos e sermões bíblicos.

6. No momento “Tira Dúvidas”, a primeira lição no Módulo 1 começa com: “Como manusear a Bíblia”,

ensinando os alunos a utilizar: Índice; nomes dos livros da Bíblia; números de capítulos em negrito e números de versículo em formato menor. Estimula-se também a aquisição de uma Bíblia.

7. Não se deve esquecer de estimular os alunos a freqüentarem uma Casa-luz e pertencerem ao dis-

cipulado pessoal. Faltando um mês para o término do curso, todo aluno deverá estar numa Casa-Luz

e ter horário marcado para fazer Quebra de Maldições e Cura Interior.

8. O aluno deverá, ao final do Curso de Integração, preencher a Ficha de Compromisso de Membresia para filiar-se no ministério ou não. Se for novo convertido, será encaminhado ao batismo, pois somente após o batismo, compromisso de membresia e aclamação na igreja local que tal se torna membro da I.C.A.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

6

Introdução

instruções pArA MinistrAção

Instruções geraIs

1.

Preparar a sala com antecedência;

2.

Ministrar o momento de oração;

3.

Distribuir ficha cadastral para preenchimento (primeira ministração);

4.

Verificar as tarefas de casa (questionário; durante Casa-Luz do Curso de Integração);

5.

Solução das dúvidas (Casa-Luz do Curso de Integração);

6.

Aplicação da ministração do dia;

7.

Relacionar lição para casa (questionário);

8.

Momento de oração uns pelos outros e pelas necessidades (Casa-Luz do Curso de Integração).

observar

1. Se os integrantes já foram batizados nas águas e com Espírito Santo;

2. Se participam de Casa-Luz;

3. Se foram ministrados sobre Cura Interior e Libertação;

4. Caso contrário, encaminhá-los ao departamento responsável.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

A Direção

7

Introdução

sAudAções

Você está prestes a começar seu estudo do CURSO DE INTEGRAÇÃO. Com certeza sua vida, família e ministério não serão mais os mesmos.

Conhecer a Jesus Cristo e Sua obra descreve uma das maiores aventuras que o homem pode vi- venciar. Saber como você é amado e importante restaurará sua auto-estima e o motivará a tornar-se uma benção nas mãos de Deus, pelo poder do Espírito Santo.

Desejamos, com grande expectativa, que você encontre em nosso meio: amor, abrigo, amizade, encorajamento, ensino e possa ser aquilo que Deus sempre sonhou: UM GRANDE SUCESSO.

“Mas tendes chegado ao monte Sião e à cidade do Deus vivo, a Jerusalém celestial, e a incontáveis hostes de anjos, e à universal assembléia e igreja dos primogênitos arrolados nos céus, e a Deus, o Juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados, e a Jesus, o Mediador da nova aliança, e ao sangue da aspersão que fala coisas superiores ao que fala o próprio Abel”. Hebreus 12:22-24

“Ora, o Deus da paz, que tornou a trazer dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor, o grande Pastor das ovelhas, pelo sangue da eterna aliança, vos aperfeiçoe em todo o bem, para cumprirdes a sua vontade, operando em vós

o

que é agradável diante dele, por Jesus Cristo, a quem seja a glória para todo

o

sempre. Amém!”

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

Hebreus 13:20-21

O Colegiado

8

Introdução

ApresentAção do Ministério - Histórico

O Ministério da Comunhão Ágape é parte da Igreja do Senhor Jesus Cristo. Teve seu início em 30 de

novembro de 1997, no bairro do Socorro, em São Paulo/SP. Seu fundador, Marcelo Jammal, servo do Senhor, casado com Adriana, foi chamado para exercer o ministério Apostólico-Profético.

A Igreja da Comunhão Ágape tem um ministério apostólico com o propósito de plantar igrejas em

cada nação, estado, cidade, bairro, vila e, se possível, em cada casa.

O governo da Igreja é exercido por um ministério plural de dons e pessoas: apóstolos, profetas,

evangelistas, pastores e mestres. Tem como estilo de vida andar fundamentado na Bíblia Sagrada, adorar a Deus em espírito e verdade, evangelizar o mundo perdido, edificar os irmãos, buscar ter vida abundante de oração, mover-se no poder do Espírito Santo e Seus dons, praticar boas obras diante de Deus e dos homens e jamais se esquecer da obra missionária.

O alcance do Ministério nestes anos abrange: São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Ceará, Bahia,

Uruguai, Cuba, África, diversas congregações e várias Casas-Luz espalhados pelo Brasil. Conta também com um seminário totalmente gratuito, visando o aperfeiçoamento dos santos.

Por este motivo, nos sentimos honrados em fazer parte e cooperar com esta família gloriosa, o povo de Deus.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

Graça e Paz,

O Colegiado

9

Introdução

1. Qual o propósIto do módulo Curso de

Integração?

2. responda e entregue ao professor:

a) Foi batizado nas águas?

b) Foi batizado com Espírito Santo, tendo a evidência de falar novas línguas?

c) Participa de Casa-Luz? Qual?

d) Passou por Quebra de Maldição e/ou Cura Interior? Caso não tenha feito isto, é aconselhável marcar uma ministração para tal.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

10

O

COmeçO

12

O

HOmem

12

PeCadO

13

amOr

16

O

que fazer Para ser salvO?

16

OraçãO

17

COnHeCendO Jesus

19

filHO de deus

19

salvadOr

20

andandO COm Jesus CristO

22

testemunHandO de Jesus CristO

25

quatrO leis esPirituais

25

testemunHO PessOal

27

COmO PreParar O testemunHO

28

resumindO

28

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

11

AuLA 1

unIdade 1: hIstórIa da salvação

o CoMeço

Deus é o criador do universo. Tudo foi criado por Ele sejam seres visíveis ou invisíveis, os céus e a terra, os homens ou os animais, de acordo com os ensinamentos da Bíblia Sagrada:

“No princípio, criou Deus os céus e a terra”.

Gênesis 1:1

“Todas as coisas foram feitas por intermédio Dele, e, sem Ele, nada do que foi feito se fez”.

João 1:3

Estas verdades são entendidas por meio da fé em Jesus Cristo:

“Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem. Pois, pela fé, os antigos obtiveram bom testemunho. Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que

o visível veio a existir das coisas que não aparecem”.

Hebreus 11:1-3

o HoMeM

A raça humana diferencia-se de toda criação. Foi a única espécie criada pelas mãos de Deus e a única a possuir Sua natureza.

“E formou o SENHOR Deus o homem do pó da terra e soprou em seus narizes

o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente”.

Gênesis 2:7

O homem é constituído de três partes:

Espírito: fôlego de vida;

Alma: vontade, emoções, sentimentos, pensamentos e inteligência;

Corpo: o estojo do espírito e da alma.

Este homem, perfeição da criação, foi estabelecido em um ambiente de total provisão, com domínio, autoridade e abençoado para cumprir a vontade de Deus.

“Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra. E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento. E a todos os animais da terra, e a todas as aves dos céus, e a todos os répteis da terra, em que há fôlego de vida, toda erva verde lhes será para mantimento. E assim se fez. Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia”.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

Gênesis 1:26-31

12

unIdade 1: hIstórIa da salvação

Cabia ao homem, apenas obedecer às ordens de Deus, para se manter na posição que fora criado.

“E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás”. Gênesis 2:16-17

PeCado

Havia um ser, outrora chamado Lúcifer, anjo de luz. Era o querubim da guarda e estava diante de Deus, até o momento em que pecou, por este motivo, foi lançado fora da presença do Senhor.

“Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de Deus, no brilho das pedras andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado até que se achou iniqüidade em ti. Na multiplicação do teu comércio, se encheu o teu interior de violência, e pecaste; pelo que te lançarei, profanado, fora do monte de Deus e te farei perecer, ó querubim da guarda, em meio ao brilho das pedras”.

Ezequiel 28:14-16

Este ser, outrora esplêndido, tornou-se Satanás, diabo, inimigo e ladrão. Junto com a terça parte dos anjos, foi lançado fora da presença de Deus.

“E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos”.

Apocalipse 12:9

Furioso, entretanto, sem capacidade de qualquer atitude contra Deus, procurou vingar-se, armando uma cilada terrível contra o homem.

“Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o SENHOR Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu-lhe a mulher: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais. Então, a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal”.

Gênesis 3:1-5

Adão e Eva, pais da raça humana, pecaram contra Deus. Duvidaram de Sua Palavra, dando ouvidos à voz do diabo, comeram do fruto proibido.

“Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu”.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

Gênesis 3:6

13

unIdade 1: hIstórIa da salvação

Em decorrência de tal atitude a terra foi amaldiçoada, a humanidade tornou-se mortal e o homem foi destituído da glória de Deus.

“Então, o SENHOR Deus disse à serpente: Visto que isso fizeste, maldita és entre todos os animais domésticos e o és entre todos os animais selváticos; rastejarás sobre o teu ventre e comerás pó todos os dias da tua vida. Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente.

Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. E à mulher disse: Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu desejo será para o teu marido, e ele te governará. E a Adão disse: Visto que atendeste a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te ordenara não comesses, maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida. Ela produzirá também cardos e abrolhos,

e tu comerás a erva do campo. No suor do rosto comerás o teu pão, até que

tornes à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás. E deu o homem o nome de Eva a sua mulher, por ser a mãe de todos os seres humanos. Fez o SENHOR Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu. Então, disse o SENHOR Deus: Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do bem e do mal; assim, que não estenda a mão, e tome

também da árvore da vida, e coma, e viva eternamente. O SENHOR Deus,

por isso, o lançou fora do jardim do Éden, a fim de lavrar a terra de que fora tomado. E, expulso o homem, colocou querubins ao oriente do jardim do Éden

e o refulgir de uma espada que se revolvia, para guardar o caminho da árvore da vida”.

Gênesis 3:14-24

“Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus. Porque o salário do pecado

é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor”.

Romanos 3.23, 6:23

“Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram”.

Romanos 5:12

Dando lugar ao diabo, pecando contra Deus, o homem tornou-se culpado e responsável por sua ruína e de seus descendentes. Na tentativa de reparar seu erro, fez, para si, vestimentas de figueira, com intuito de esconder sua vergonha, contudo, esta iniciativa foi rejeitada por Deus, o qual, providenciou roupas de pele de animais. Com isso, Deus estabeleceu um meio adequado, para o homem reatar sua comunhão com Ele, andar em obediência, como foi estabelecido no princípio.

“Abriram-se, então, os olhos de ambos; e, percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si. Fez o SENHOR Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu”. Gênesis 3:7,21

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

14

unIdade 1: hIstórIa da salvação

Mesmo diante de tais fatos, o homem, em toda sua história, procura reatar sua comunhão com Deus, por métodos não aprovados:

IdolatrIa Compreende em ColoCar algo entre deus e o homem

“Então, falou Deus todas estas palavras: Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem”.

Êxodo 20:1-5

“Portanto, meus amados, fugi da idolatria”.

1 Coríntios 10:14

FeItIçarIa Compreende em Consultar os mortos, demônIos e adIvInhações

“Quando alguém se virar para os necromantes e feiticeiros, para se prostituir com eles, eu me voltarei contra ele e o eliminarei do meio do seu povo”. Levítico 20:6

“Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos,

a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte”.

Apocalipse 21:8

A Bíblia nos indica que a invocação destas entidades espirituais na verdade é invocação de demônios. Esta prática aborrece diretamente o coração de Deus e Sua ira vem sobre os homens por meio delas.

“Antes, digo que as coisas que eles sacrificam, é a demônios que as sacrificam

e não a Deus; e eu não quero que vos torneis associados aos demônios. Não

podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser

participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios”.

1 Coríntios 10.20, 21

Existem muitas religiões que não andam segundo os padrões da Palavra de Deus, tornando-se inúteis na tentativa de restaurar o homem a sua posição original.

“E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos”. Atos 4:12

“Deus deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem”.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

1 Timóteo 2:4-5

15

unIdade 1: hIstórIa da salvação

aMor

Mesmo diante de tal calamidade, Deus não deixou o homem à mercê de seu pecado. Providenciou um meio pelo qual a humanidade pudesse arrepender-se, voltar à comunhão e ser salva. Este plano concretizou-se na morte e ressurreição de Jesus Cristo, o filho de Deus, que por amor, a Si mesmo se entregou, como preço de resgate.

“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. João 3:16

“Então, lhe disse a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana (porque os judeus não se dão com os samaritanos)? Replicou-lhe Jesus: Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva”. João 4:9-10

Caro amIgo

Não desperdice tamanha salvação, receba Jesus Cristo como seu único e suficiente Salvador e Senhor. Arrependa-se do pecado para que venham tempos de refrigério:

“Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos? Respondeu-lhes Pedro:

Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo”. Atos 2:37-38

o Que fazer Para ser salvo?

Crer no senhor Jesus

"e, tirando-os para fora, disse: Senhores, que me é necessário fazer para me salvar? Responderam eles: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e a tua casa”.

Atos 16.30 e 31

Chegar até Jesus CrIsto em oração

"Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora”.

ConFessar seus peCados

João 6.37

"Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”.

arrepender-se

I João 1.9

"Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, de sorte que venham os tempos de refrigério, da presença do Senhor”.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

Atos 3.19

16

InvoCar o nome de Jesus CrIsto

unIdade 1: hIstórIa da salvação

"Porém que se diz? A palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração; isto é, a palavra da fé que pregamos. Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração se crê para a justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação. Porquanto a Escritura diz: Todo aquele que nele crê não será confundido. Pois não há distinção entre judeu e grego, uma vez o mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”. Romanos 10.8 a 13

reCebendo Jesus no Coração

"Respondeu-lhe Jesus: Se alguém me amar, guardará a minha Palavra; e meu Pai o amará, e viremos a ele, e faremos nele morada”.

João 14.23

ore assIM

Pai celestial, eu recebo Jesus Cristo como meu único e suficiente Senhor e Salvador. Arrependo- me dos meus pecados e pelo sangue do Cordeiro que tira o pecado do mundo, rogo-te que me purifiques. Escreva meu nome no livro da vida. Ensina-me a andar em Sua presença, obedecer a Sua Palavra e ser perfeito. Livra-me do poder do maligno e encha-me do Santo Espírito para ser instrumento em Suas mãos. Obrigado, por me perdoar e me receber como filho amado, em nome de Jesus, amem!

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

17

unIdade 1: hIstórIa da salvação

1. o homem foI CrIado por deus Como um

ser trICotômICo. explIQue.

2. QuaIs foram as ConseQüênCIas do peCado?

3. Como voCê tem proCurado reatar sua

Comunhão Com deus?

4. Como deus demonstrou seu amor pelos

homens?

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

18

AuLA 2

unIdade 1: hIstórIa da salvação

ConHeCendo Jesus CrIsto

Jesus Cristo é a pedra angular, sobre a qual, a Igreja está edificada. Todo cristão deve conhecer a respeito de Sua vida e obra, objetivando o crescimento, a obediência e como conseqüência a intimi- dade. No livro de Colossenses 1.12-22, Ele é apresentado como: Filho de Deus, Salvador, Senhor, Remidor, Criador, Sustentador de toda criação, Libertador, Cabeça da Igreja, Primogênito, Eterno, Reconciliador, Imagem do Deus invisível, Vigário da humanidade.

fIlHo de deus

Por toda Bíblia, Jesus é descrito como filho de Deus.

apóstolo pedro

“E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Mateus 16:16

apóstolo João

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai”.

apóstolo paulo

João 1:1,14

“E logo pregava, nas sinagogas, a Jesus, afirmando que este é o Filho de Deus”.

anJos

Atos 9:20

“Respondeu-lhe o anjo: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso, também o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus”.

paI

Lucas 1:35

“E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”.

homens

Mateus 3:17

“O centurião que estava em frente dele, vendo que assim expirara, disse:

Verdadeiramente, este homem era o Filho de Deus”.

demônIos

Marcos 15:39

“Também os espíritos imundos, quando o viam, prostravam-se diante dele e exclamavam: Tu és o Filho de Deus!”

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

Marcos 3:11

19

proFetas

unIdade 1: hIstórIa da salvação

“Pois eu, de fato, vi e tenho testificado que ele é o Filho de Deus”. João 1:34

dIsCípulos

“Então, exclamou Natanael: Mestre, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel!”

João 1:49

salvador

As Escrituras afirmam ser Jesus Cristo o Salvador dos homens.

“é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que Senhor”.

Lucas 2:11

é

Cristo, o

“ao único Deus, nosso Salvador, mediante Jesus Cristo, Senhor nosso, glória, majestade, império e soberania, antes de todas as eras, e agora, e por todos os séculos. Amém!”

Judas 1:25

“E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos”. Atos 4:12

Entender a abrangência da salvação, proposta por Deus pai, por intermédio de Jesus Cristo, me- diante Seu sacrifício vicário - morte substitutiva - fará diferença para a vida cristã vitoriosa. O pecado levantou uma grande barreira entre Deus e o homem. Devido a este erro, o homem, sofreu quatro conseqüências:

1. A ira de Deus: O caráter santo de Deus foi ofendido, despertando Sua ira em relação ao pe-

cado. Jo 3.36

2. A dívida de pecado: O homem contraiu dívida com Deus. Is 59.2, Rm3.9,5.12, I Co 15.56

3. Escravo de Satanás: O pecado tornou o homem escravo de satanás Ef 2.1-3 e escravo da

lei e do pecado. Jo 8.34, Cl 1.13, I Pe 2.9

4. Morte espiritual: A desobediência leva o homem a alienar-se de Deus; no dia em que o homem

pecou, o pecado trouxe a morte espiritual. Gn 2.17, 3.19, Rm 6.23, Ef 2.1

Devido ao pecado, o homem estava apartado de Deus, por esta razão, Jesus Cristo foi enviado pelo Pai, para morrer no lugar da humanidade e reconciliá-la com Deus (II Co 5.21), garantindo, assim, vida eterna a todos os que creem.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

20

unIdade 1: hIstórIa da salvação

Quadro sInótICo da obra de Jesus CrIsto

obra da expIação

 

resultado

 

benefíCIo

Propiciação: É o ato de remover a ira de Deus por meio de derrama- mento de sangue: Lv 16.2, 15, 16, 30. Cristo derramou Seu sangue por nós. Hb 9.14; 10.19,20.

O

resultado da propiciação é a

 

Justificação: ser declarado justo diante de Deus. Rm 3.24,25.

O benefício da justificação é a Paz com Deus. Rm 5.1

Redenção: É o ato de alguém se oferecer em resgate a favor de outro Jo 10.17. Cristo foi o único que preencheu os requisitos para resgatar o homem. Is 59.16; II Co 5.21; Hb 2.14,15.

O

1 º resultado foi que a dívida do

O

1 º benefício desta redenção é a

pecado foi cancelada, produzindo santificação - declarar santo por não haver culpa de pecado. Hb 2.10,11; 10.10-14

santificação, conseqüentemente perdão dos pecados e acesso a Deus. Hb 10.19 -22; 12.4

 

O

2 o resultado foi a libertação da

O 2 o benefício desta redenção é

Redenção: Por causa desta obra, Jesus Cristo trouxe dois resultados e dois benefícios.

escravidão - estar livre de alguém

a liberdade: liberdade em Cris-

ou

de algo a que se esteve preso.

to, livres do poder do diabo, do pecado, da maldição da lei e da carne. Rm 6.5,8,11,14.

Hb 2.14,15; Jo 8.32, 34-36. O

 

homem foi liberto da escravidão

do

diabo.

 

Morte substitutiva: Foi o ato de Jesus morrer em nosso lugar. Ef 2.1; Hb2.9

Regeneração: Restauração da vida de Deus no homem – novo nascimento. II Co 5.17

Novo nascimento: nascemos do Espírito (Jo 3.3) e temos a vida eterna (Jo 3.8)

ConseQuênCIa do peCado

obra da expIação

resultado

benefíCIo

1.Ira

Propiciação

Justificação

Paz com Deus

2. A dívida de pecado

Redenção (1)

Santificação

Perdão

3. Escravos de Satanás

Redenção (2)

Libertação

Liberdade

4.Morte espiritual

Morte Substitutiva

Regeneração

Novo Nascimento

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

21

unIdade 1: hIstórIa da salvação

andando CoM Jesus CrIsto

Nos estudos anteriores, vimos ser o homem uma obra-prima da criação de Deus. Recebeu domínio e autoridade para governar, segundo o padrão celestial. Foi instalado em um ambiente de total pro- visão. Estas condições seriam mantidas por sua obediência às ordens de Deus, entretanto, pecou, dando lugar ao diabo e assumindo uma dívida impagável, tornou-se escravo de satanás. Deus, em Sua infinita misericórdia, não deixou o homem à mercê de seu desastre pecaminoso, providenciando um meio de reconciliação: a encarnação, morte, ressurreição e ascensão de Jesus Cristo. Por este motivo, todo que se aproxima Dele, deve seguir Seu exemplo, diante de Deus e dos homens.

“Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixandovos exemplo para seguirdes os seus passos”.

1 Pedro 2:21

Existem algumas práticas essenciais para que o cristão cresça e chegue à estatura de varão per- feito – Jesus Cristo:

Crente em deus

Jesus Cristo foi um homem cheio de fé. O discípulo deve ter uma fé verdadeira.

“De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam”.

Hebreus 11:6

CheIo do espírIto santo

Jesus Cristo foi um homem cheio do Espírito Santo. O discípulo deve ser cheio do Espírito Santo para ser vencer o mundo e ser usado por Deus.

“E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito”.

Efésios 5:18

“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra”.

Atos 1:8

santo

Jesus Cristo foi um homem santo. O discípulo deve ser santo e rrepreensível diante de Deus e dos homens. A santidade confirma o novo nascimento.

“Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo”.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

1 Pedro 1:14-16

22

unIdade 1: hIstórIa da salvação

homem de oração

Jesus foi um homem de oração. O discípulo precisa revelar dependência e submissão a Deus, por meio da oração.

“Perseverai na oração, vigiando com ações de graças”. Colossenses 4:2 (1Ts 5:17)

leItor da palavra de deus

Jesus foi um homem conhecedor da Palavra de Deus. O discípulo deve dedicar-se ao estudo da Palavra de Deus, pois, Ela é o Livro que rege a conduta cristã, alimenta e alicerça a fé.

“Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim”.

João 5:39

“Tão-somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que sejas bemsucedido por onde quer que andares. Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido”. Josué 1:7-8

Comunhão Com a IgreJa

Jesus Cristo, desde criança, tinha o hábito de estar na sinagoga. O discípulo deve fazer parte de uma igreja local e se submeter a sua liderança.

“Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima”. Hebreus 10:25

CarIdoso

Jesus praticou e deu vários ensinamentos sobre caridade. O discípulo não pode esquecer da obra da caridade.

“Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine. Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé, a ponto de transportar montes, se não tiver amor, nada serei. E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor”.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

1 Coríntios 13:1-3, 13

23

unIdade 1: hIstórIa da salvação

1. Quem desCreveu jesus Como fIlho de

deus?

2. as esCrIturas afIrmam jesus ser

3. explIQue a abrangênCIa da salvação.

4. QuaIs as prÁtICas essenCIaIs do CrIstão?

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

24

AuLA 3

unIdade 1: hIstórIa da salvação

testeMunHando de Jesus CrIsto

Ao se tornar um cristão, o homem recebe um chamado para testemunhar à respeito de Jesus Cristo. Este ministério deve ser entendido como grande privilégio, afinal de contas, a pessoa não estará falando de qualquer um, e sim, do Rei dos reis e do Senhor dos senhores.

A

obra de evangelização não é apenas uma tarefa para os vocacionados ao ministério de evangelista,

e

sim, uma ordem emitida pelo Senhor aos Seus servos. O cumprimento desta ordem estabelecerá

o

reino de Deus na terra e fará com que Jesus venha buscar Sua Igreja.

“Deus deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade”.

1 Timóteo 2:4

Muitos não transmitem sua fé por não se sentirem capacitados, este sentimento é normal para o novo

convertido. A solução para esta questão não é difícil. Existem duas formas eficientes para comunicar

a fé: As quatro leis espirituais; O testemunho pessoal.

Quatro leIs esPIrItuaIs

A eficiência deste método tem sido comprovada ao longo dos anos por diversas pessoas, em diversas culturas.

prImeIro passo: deus é amor

As pessoas precisam saber o quanto são amadas e que Deus tem um plano maravilhoso para elas.

“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. João 3:16

segundo passo: o homem peCou

As pessoas precisam saber que o pecado as afasta de Deus.

“pois todos pecaram e carecem da glória de Deus”.

Romanos 3:23

“porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor”.

Romanos 6:23

terCeIro passo: Jesus é o salvador

As pessoas precisam saber que o homem não ficou a mercê de seu erro, Jesus Cristo resolveu a situação.

“Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele”.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

João 3:17

25

unIdade 1: hIstórIa da salvação

Quarto passo: aCeItar a Jesus Como salvador

As pessoas precisam saber que Jesus está disposto a perdoar todos os que O aceitam como único salvador. Esta etapa se divide em quatro partes:

• Crer

“Depois, trazendo-os para fora, disse: Senhores, que devo fazer para que seja salvo? Responderam-lhe: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa”. Atos 16:30-31

• Confessar os pecados “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”.

1 João 1:9

• Arrepender-se “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados”.

• Invocar

Atos 3:19

“Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação. Porquanto a Escritura diz: Todo aquele que nele crê não será confundido. Pois não há distinção entre judeu e grego, uma vez que o mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

Romanos 10:9-13

26

unIdade 1: hIstórIa da salvação

testeMunHo Pessoal

Testemunho é a declaração, alegação, prova, indício ou comprovação de um fato, feito por uma testemunha. A expectativa de Deus é que todo discípulo de Jesus testemunhe e dê muito fruto:

“Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus discípulos”.

João 15:8

O êxito do testemunho consiste em tomar a iniciativa e deixar os resultados com Deus. O testemunho

e a frutificação exigem cooperação e parceria:

• A exercida pelo crente;

• A exercida por Deus.

O cristão precisa ser ungido para tal tarefa.

“O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados”.

Isaías 61:1

A unção do Espírito quebra o jugo e liberta o pecador do domínio do pecado. Ninguém pode con-

vencer o perdido com o intelecto ou com a força humana. As Escrituras dizem: “o Espírito Santo que convence o homem do pecado, da justiça e do juízo” (Jo 16.8). O cristão é apenas um instrumento nas mãos do Senhor.

O testemunho pessoal pode ser classificado em quatro aspectos: conversão, como você conheceu

a Jesus Cristo; lições de vida as experiências que marcaram sua vida e que se adeqüem ao ouvin-

te; ministério, mover-se segundo os dons recebidos do Senhor; e boas novas, falar sobre as boas novas do evangelho.

Seu testemunho é muito importante para outras pessoas encontrarem a salvação, assim como você

a encontrou um dia. Ganhar almas para Jesus deve ser o maior anseio do servo de Deus.

“Antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós, fazendo-o, todavia, com mansidão e temor, com boa consciência, de modo que, naquilo em que falam contra vós outros, fiquem envergonhados os que difamam o vosso bom procedimento em Cristo”. 1 Pedro 3:15-16

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

27

unIdade 1: hIstórIa da salvação

CoMo PreParar o testeMunHo

Há várias maneiras pelas quais se pode preparar o testemunho. Uma delas é escrevê-lo, depois decorar os pontos principais. A melhor forma para o uso deste método é esboçar o testemunho em quatro partes:

1.

Como era a minha vida

Neste momento você não deve se deter em relação ao seu peca- do para não enfatizar mais o erro do que a solução. Em poucas palavras, comente como você era, agia e como aquele tipo de vida não o levou a nada.

antes de conhecer a Jesus Cristo

2. Como percebi que precisava de Jesus Cristo

Neste ponto, é importante expressar como eram seus sentimen- tos, angústia, insatisfação e seu vazio interior.

3.

Como comprometi minha

Leve o ouvinte a entender, qual foi a forma como teve um compro- metimento com Jesus. Se foi por meio de um voto, uma oração ou confissão diante da Igreja. Muitas vezes o ouvinte quer posiciona- se em relação a Jesus Cristo, porém não sabe como.

vida com Jesus Cristo

4. A diferença que Jesus fez na minha vida

Explique com todo entusiasmo como sua vida melhorou por andar com Jesus Cristo.

Importante:

Faça como tema de casa o seu próprio testemunho; depois apresente ao discipulador, para que o auxilie em suas dificuldades.

outros exemplos de testemunho

• Testemunho de Deus: Sl 19.7; 93.5; 119.99, 129, 144;

• Testemunho de Jesus: Mt 8.4; Jo 5.31; I Tm 6.13;

• Testemunho do Espírito Santo: I Jo 5.7-9;

• Testemunho dos Apóstolos: At 10.38;

• Testemunho dos Profetas: At 10.43.

resuMIndo

Pode-se testemunhar por meio de:

• Palavras: Jo 1.7; Mt 10.18; Mt 24.14;

• Atos: Mt 8.4; Mc 6.11;

• Exemplo de vida: Ap 1.5; I Sm 12.5.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

28

unIdade 1: hIstórIa da salvação

1. QuaIs são as Quatro leIs espIrItuaIs?

2. o Que é testemunho pessoal?

3. Como se prepara um testemunho pessoal?

4. resumIndo, Como se pode testemunhar?

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

29

vida Cristã (COnduta)

31

PrinCíPiOs de vida

32

mOralidade

33

santifiCaçãO

33

família

37

as PriOridades da família

38

aOs CasadOs CasamentO

40

PaPéis dO HOmem e da mulHer

41

sexO nO CasamentO

43

aOs sOlteirOs namOrO

47

COmPOrtamentO nO namOrO

48

atividades durante O namOrO

49

resumO

50

autOridade e submissãO

52

PrinCíPiOs sObre finanças

52

PrinCíPiOs sObre POlítiCa

55

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

30

unIdade 2: estIlo de vIda

AuLA 4

vIda CrIstã (Conduta)

Agostinho disse: “Pregue o Evangelho e se precisar use palavras”.

A melhor pregação do cristão é o seu testemunho de vida diante da sociedade. A maior dificuldade para evangelizar, está na falta de exemplo das pessoas que freqüentam a Igreja. Este problema não foi enfrentado pela Igreja primitiva, que caía na graça do povo, devido ao testemunho irrepreensível.

“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. Em cada alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos. Todos os que criam estavam juntos e tinham tudo em comum. Vendiam suas propriedades e fazendas e repartiam com todos, segundo cada um tinha necessidade. E, perseverando unânimes todos os dias no templo e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar”. Atos 2:42-47

A Bíblia exorta aos cristãos serem imitadores de Deus como filhos amados.

“Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados”.

Efésios 5:1

Todo cristão deve viver aquilo que prega. Suas atitudes devem servir de exemplo, e falarem mais alto do que seus ensinos.

“Porque assim é a vontade de Deus, que, fazendo o bem, tapeis a boca à ignorância dos homens loucos; como livres e não tendo a liberdade por cobertura da malícia, mas como servos de Deus. Honrai a todos. Amai a fraternidade. Temei a Deus. Honrai o rei. Vós, servos, sujeitai-vos com todo o temor ao senhor, não somente ao bom e humano, mas também ao mau”.

1 Pedro 2:15-18

“Finalmente, irmãos, vos rogamos e exortamos no Senhor Jesus que, assim como recebestes de nós, de que maneira convém andar e agradar a Deus, assim andai, para que continueis a progredir cada vez mais; porque vós bem sabeis que mandamentos vos temos dado pelo Senhor Jesus. Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição, que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra, não na paixão de concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus. Ninguém oprima ou engane a seu irmão em negócio algum, porque o Senhor é vingador de todas estas coisas, como também, antes, vo-lo dissemos e testificamos. Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação. Portanto, quem despreza isto não despreza ao homem, mas, sim, a Deus, que nos deu também o seu Espírito Santo”.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

1 Tessalonicenses 4:1-8

31

unIdade 2: estIlo de vIda

PrInCÍPIos de vIda

A vida cristã pode ser resumida em duas fases: novo nascimento e santificação. O novo nascimento ocorre como resposta à fé em Jesus Cristo, e compreende um processo único e imediato à aceita- ção de Jesus como salvador. A santificação, diferente do novo nascimento, descreve um processo progressivo em decorrência do arrependimento. Alguém que aceita, portanto, Jesus como Senhor e Salvador, de imediato recebe uma nova natureza. Os hábitos pecaminosos inerentes à velha natu- reza, deverão ser eliminados segundo o conhecimento e a prática da verdade.

“E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas”.

2 Coríntios 5:17

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”.

andar na palavra

João 8:32

Para o homem gozar da aliança de Deus e de seus benefícios, faz-se necessário o cumprimento integral de Suas prerrogativas estabelecidas na Bíblia Sagrada.

Os dias são difíceis, poucos ministérios preocupam-se com a sã doutrina. Os ensinos são ministrados apenas com propósito de reunir pessoas. Em decorrência disso, o projeto missionário sofre danos ter- ríveis. O conhecimento da Palavra revela a vontade de Deus, sem a qual, o cristão torna-se estéril.

adorar em espírIto e verdade

O homem foi criado para o louvor e glória do Senhor. O chamado mais importante da Igreja é a adoração

ao Deus vivo e verdadeiro. Suas atividades devem objetivar louvor, glória e honra ao Seu nome.

A adoração em espírito compreende um estilo de vida fundamentado no conhecimento do Senhor e

do Seu poder, enquanto adorar em verdade, a santidade.

vIda de oração

Orar compreende uma vida cristã poderosa, frutífera e saudável. Orar não é uma opção, e sim um mandamento. Os pais da Igreja usaram os fundamentos inquestionáveis da oração na realização da obra de Deus. A oração não deve ser negligenciada. Por meio dela, a comunhão com Deus é mantida e a vida se reveste de poder.

A oração move a mão de Deus, libera os anjos, destrói as engendrações do maligno, cativa a alma

em obediência a Deus e alimenta a fé do crente.

“Orai sem cessar”. 1 Tessalonicenses 5:17

andar no poder

A palavra de Deus ensina sobre a necessidade do cristão ser revestido do poder que vem do alto

antes de qualquer atividade, na obra de Deus (Lc 24.49). Para o desempenho de sua missão e o desmascaramento das obras do diabo, a igreja necessita ser revestida de poder.

“Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me- eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.”

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

Atos 1:8

32

unIdade 2: estIlo de vIda

boas obras dIante de deus e dos homens

O cristão deve manifestar sua fé em Deus por meio das obras. O livro de Hebreus relata: “sem fé é

impossível agradar a Deus” (Hb 11.6) e em Tiago: “sem obras, a fé é morta”, portanto, a Igreja, em sua missão de ganhar almas, precisa ajudar os necessitados dentro de suas possibilidades.

A ordem Bíblica, com respeito à obra de caridade, deve seguir este padrão:

• Em primeiro lugar os familiares – I Tm 5.8;

• Depois ou concomitantemente os irmãos de fé – Gl 6.10; Tg 2.15,16;

• E também os não convertidos – Lc 10.27.

“Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça”. Romanos 12:20

obra mIssIonárIa

A obra missionária compreende a evangelização e discipulado de todos, com o objetivo de chegar

aos confins da terra. Toda Igreja, a partir de sua localidade, pode cumprir este propósito. O cristão que não se empenha, indo, orando ou investindo, não ama a obra de Deus.

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura”. Marcos 16:15

MoralIdade

O estilo de vida cristã deve seguir os padrões estabelecidos na Bíblia, com o objetivo de agradar a

Deus e evangelizar o mundo. O temor aos princípios Bíblicos ajudará o cristão a desenvolver sua salvação.

“Assim, pois, amados meus, como sempre obedecestes, não só na minha presença, porém, muito mais agora, na minha ausência, desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade. Fazei tudo sem murmurações nem contendas, para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo”.

Filipenses 2:12-15

santIfICação

Santidade significa estar separado. O cristão deve ter uma vida diferente dos padrões do mundo, tendo em vista agradar a Deus. A santificação compreende a vontade do Pai para seus filhos.

“Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação

1

Tessalonicenses 4:3

Ninguém, que declara ter nascido de novo, deve continuar na prática do pecado. A santidade é a maior expressão do novo nascimento.

“Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus”.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

1 João 3:9

33

unIdade 2: estIlo de vIda

“Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o conheceu”.

1 João 3:6

“Quem comete o pecado é do diabo, porque o diabo peca desde o princípio.

Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo”.

1 João 3:8

“Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca”. João 5:18

Viver em santidade é condição inegociável para um relacionamento íntimo com Deus.

“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”. Hebreus 12:14

O cristão não é escravo do pecado. As obras da carne: prostituição, impureza, lascívia, idolatria,

feitiçaria, inimizades, porfias, ciúmes, iras , discórdias, facções, invejas, bebedices, glutonarias, não devem dominá-lo (Gálatas 5.19-21).

Em cada detalhe e aspecto da vida cristã, a santidade deve ser expressa:

pensamentos

O pensamento cristão deve ser puro, sem malícia ou maldade.

“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai”. Filipenses 4:8

Coração

O cristão deve ter um coração puro, de boa índole e natureza.

“Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus”. Mateus 5:8

ConsCIênCIa

Consciência santa é purificada pelo sangue de Cristo.

“Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência, de que, com simplicidade e sinceridade de Deus, não com sabedoria carnal, mas na graça de Deus, temos vivido no mundo e maiormente convosco”.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

2 Coríntios 1:12

34

unIdade 2: estIlo de vIda

Falar

O falar cristão deve ser puro; sem linguagens obscenas, maliciosas etc.

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem”. Efésios 4:29

atItudes

As atitudes devem ser equilibradas, demonstradas com cortesia.

“Toda amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmias, e toda malícia seja tirada de entre vós. Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo”. Efésios 4:31-32

vestImentas

Todos devem ser santos no modo de vestir; isto é:

• não usar roupas sensuais, como: Mini Saia, Blusas Decotadas, transparente etc;

• nem roupas consagradas, com estampas demoníacas, ou benzida por religião.

“Porque assim se adornavam também antigamente as santas mulheres que esperavam em Deus e estavam sujeitas ao seu próprio marido”. 1 Pedro 3:5

JóIas, pendentes e bIJuterIas

Os jovens são orientados a não usarem piercings, homens não usarem brincos, se tatuarem etc.

“Então, disse Jacó à sua família e a todos os que com ele estavam: Tirai os deuses estranhos que há no meio de vós, e purificai-vos, e mudai as vossas vestes. E levantemo-nos e subamos a Betel; e ali farei um altar ao Deus que me respondeu no dia da minha angústia e que foi comigo no caminho que tenho andado. Então, deram a Jacó todos os deuses estranhos que tinham em suas mãos e as arrecadas que estavam em suas orelhas; e Jacó os escondeu debaixo do carvalho que está junto a Siquém. E partiram; e o terror de Deus foi sobre as cidades que estavam ao redor deles, e não seguiram após os filhos de Jacó”.

Gênesis 35:2-5

“Pelos mortos não dareis golpes na vossa carne; nem fareis marca alguma sobre vós. Eu sou o SENHOR”.

Levítico 19:28

víCIos

O cristão não deve ter algum vício, deve possuir o seu corpo em santidade, pois é o templo do Es-

pírito Santo 1 Co.3.16,17. A Igreja da Comunhão Ágape orienta pessoas a abandonar qualquer tipo de vício (ex:bebidas, drogas, cigarros, jogos de azar etc.).

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

35

unIdade 2: estIlo de vIda

1. o Que dIsse agostInho?

2. Qual é a melhor pregação do CrIstão?

3. QuaIs são as fases da vIda CrIstã?

4. Como deve ser a moralIdade do CrIstão?

5. a santIdade Compreende a vontade de

deus. em Que Áreas o CrIstão deve ser santo?

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

36

unIdade 2: estIlo de vIda

AuLA 5

faMÍlIa

Família, projeto de Deus. O lar foi instituído para expressar os valores do reino de Deus. O universo está fundamentado na autoridade de Divina. Ao criar o mundo, Deus estabeleceu princípios de ordem e decência, de outra forma, seria um caos.

Todas as instituições estão fundamentadas no princípio da autoridade e submissão, principalmente a família, por ser a engrenagem fundamental no governo de Deus: na sociedade, Igreja, e na vida pessoal de cada ser humano.

Devido a importância da família, faz-se necessário, conhecer o padrão de autoridade e submissão para o lar estabelecido por Deus.

“E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou. E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai- vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra”. Gênesis 1:27-28

O padrão de governo, em um lar, deve seguir os seguintes critérios: o homem, como autoridade,

estabelece a ordem, visando o bem estar e a proteção da família. A mulher, auxiliadora do homem, submete-se e promove a ordem familiar conjuntamente com o homem, criando filhos na disciplina do Senhor.

O padrão de Deus para a família é de suma importância para manter a ordem, proteção e o bem

estar. O desvio deste padrão destrói o lar e dá lugar ao diabo.

“Mas quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo varão, e o varão, a cabeça da mulher; e Deus, a cabeça de Cristo”.

1 Coríntios 11:3 (Ef 5.21 - 6.4)

DEUS: fonte suprema de autoridade. O cabeça de Cristo;

DEUS: fonte suprema de autoridade. O cabeça de Cristo; CRISTO: recebeu toda a autoridade. O cabeça

CRISTO: recebeu toda a autoridade. O cabeça do marido;

CRISTO: recebeu toda a autoridade. O cabeça do marido; MARIDO: autoridade principal sobre a família. O

MARIDO: autoridade principal sobre a família. O cabeça da mulher;

autoridade principal sobre a família. O cabeça da mulher; MULHER: auxiliadora do marido. Tem autoridade conjunta

MULHER: auxiliadora do marido. Tem autoridade conjunta com o homem;

auxiliadora do marido. Tem autoridade conjunta com o homem; FILHOS: obedientes aos pais. Os filhos vivem

FILHOS: obedientes aos pais. Os filhos vivem sob a autoridade do pai e da mãe.Todavia a autori- dade sobre os filhos é essencialmente aquela que vem de Deus, delegada ao marido e passada à esposa. A autoridade, assim, vem de Cristo ao marido, e na ausência dele é delegada à mulher.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

37

unIdade 2: estIlo de vIda

as PrIorIdades da faMÍlIa

Por não entenderem as prioridades estabelecidas por Deus, em sua Palavra, para a família, as pessoas pecam no relacionamento familiar.

O marido deve ser influenciado por Deus, que depois influenciará sua mulher e filhos, manifestan- do esta vida no trabalho e no ministério do Corpo de Cristo. O padrão estabelecido por Deus fica assim:

1 0 VIDA COM DEUS Ef 5.17-20; Ec 9.8

Deus quer edificar nossa vida por meio de um relacionamento diário

e pessoal.

2 0 CASAMENTO Ef 5.25-30; Ec 9.9; I Co 7.33

A principal responsabilidade do homem após o casamento é cuidar

de sua mulher.

3 0 FAMÍLIA Ef 6.1-4; Ec. 9.9; I Tm 3.15

Educar os filhos na disciplina do Senhor; I Timóteo 3.5.

4 0 TRABALHO Ef 6.5-9; Ec 9.10

O

trabalho deve vir depois da família.

5 0 MINISTÉRIO Ef 6.11-12; Ec 9.10

Se a vida pessoal, o casamento, a família e a vida profissional forem bem sucedidas, haverá base sólida para edificar um ministério frutífero que glorifique a Deus.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

38

unIdade 2: estIlo de vIda

1. explIQue a ImportânCIa da famílIa

2. Qual o padrão de deus para a famílIa?

3. QuaIs são as prIorIdades para a famílIa?

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

39

unIdade 2: estIlo de vIda

AuLA 6: Aos cAsAdos

CasaMento

Casamento, aliança que deve ser vivenciada e renovada a cada dia pelo casal, na presença de Deus.

O casamento foi estabelecido por Deus, visando três propósitos primordiais:

1. Cumprimento dos Seus planos;

2. Manutenção da raça humana;

3. Bem-estar do homem e da mulher.

Muitas pessoas compreendem o casamento como um contrato, porém, Deus estabeleceu o casamen-

to na base de aliança. O contrato compreende uma responsabilidade limitada, enquanto, a aliança,

uma responsabilidade ilimitada.

Ao se darem em casamento, ambos, homem e mulher, necessitam aprender conceitos e valores que regem o sucesso desta aliança.

deIxar paI e mãe

“Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher,

e serão ambos uma carne”.

Gênesis 2:24 (Mt 19.4-6; Ef 5.31)

A vontade de Deus não é o rompimento com os pais. O relacionamento conjugal exige prioridade

acima de quaisquer outras, inclusive pai e mãe. Há casamentos sendo arruinados e outros que acabaram, por desrespeitarem este princípio.

tornar-se uma só Carne

“Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher,

e serão ambos uma carne”.

Gênesis 2:24 (Mt 19.4-6; Ef 5.31)

Na união de um homem e uma mulher que se dão em casamento existem atitudes que podem edificar e outras arruinarem o relacionamento, por isso, é importante o casal aprender quais são as atitudes destruidoras e quais são as edificadoras, visando um relacionamento estável e maduro.

atItudes edIFICadoras

• Intimidade sexual: Inerente ao casamento, deve ser praticada com liberdade, prazer e regu- laridade, procurando respeitar os padrões de Deus;

• Cumplicidade: Sem ela, o relacionamento torna-se unilateral;

• Respeito: O vínculo de autoridade e submissão no casamento não dá direito para que haja

desrespeito;

• Afeto: As linguagens do amor são essenciais para que a saúde emocional seja mantida e o amor seja crescente.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

40

unIdade 2: estIlo de vIda

atItudes destruIdoras

• Simbiose: Ocorre quando o indivíduo perde a forma e quebra-se a fronteira da individualidade.

A forma de corrigir esta área reside no exercício diário da individualidade. Caminhar até o ponto

em que a comunhão não é quebrada e viver a comunhão até o ponto em que a individualidade não seja anulada;

• Egoísmo: Apenas uma das partes toma a responsabilidade de investimento, um só dá e outro só

recebe. Ambos precisam investir no relacionamento para não incorrerem neste erro;

• Esvaziamento: Muitos, no momento do casamento, não estão suficientemente supridos, portanto,

buscam este suprimento no cônjuge. O remédio para isso é a consciência de que, no relacionamento conjugal, o homem busca os interesses da mulher e a mulher os do homem, assim, ambos serão plenamente supridos.

PaPéIs do HoMeM e da MulHer

homem

1. Liderar: A responsabilidade de liderar está sobre o homem. Deve liderar com amor, promovendo

a estabilidade da família. Diante das circunstâncias adversas, deve expressar sua postura, como

arma protetora e meio de ensino. O homem deve respeitar a autoridade concedida à sua mulher e resistir ao inimigo e não à família, recebendo o conselho e sabedoria.

“Quero, entretanto, que saibais ser Cristo o cabeça de todo homem, e o homem, o cabeça da mulher, e Deus, o cabeça de Cristo”.

1 Coríntios 11.3

2. Prover: O marido deve suprir em tudo sua família, não apenas as necessidades espirituais, mas

também as materiais, emocionais e as que dizem respeito à vida no Reino de Deus. Como veículo principal de ensino do Evangelho ao seu rebanho doméstico, deve interessar-se para que cada membro tenha um encontro pessoal com Jesus Cristo, e venha encontrar seu propósito divino.

“Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente”.

1 Timóteo 5.8

3. Proteger e tranquilizar: O marido deve importar-se com as necessidades da família e, pelo

poder do Espírito Santo e da Palavra de Deus, procurar confortá-la, procurando ser empático, não apenas simpático e nunca antipático. Seu interesse em proteger a família fará com que esta não se

sinta abandonada. A mulher, como parte mais frágil, precisa receber o amor do marido, não só de palavras, mas em atitudes carinhosas. O marido deve amar e honrar sua mulher como a seu próprio corpo, visando o seu sucesso.

“Maridos, vós, igualmente, vivei a vida comum do lar, com discernimento; e, tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil, tratai-a com dignidade, porque sois, juntamente, herdeiros da mesma graça de vida, para que não se interrompam as vossas orações”.

1 Pedro 3.7

4. Exercer o sacerdócio: O sacerdócio do marido, em relação a sua mulher e família compre-

ende servi-los com humildade, alegria e espírito perdoador, com o propósito de cura, reconciliação

e restauração. Ensinar a lutar pela fé cristã, permanecer firme contra o pecado, resistir a Satanás

e seus demônios e a adorar ao Deus vivo e verdadeiro. Encorajá-los a permanecer no centro da vontade de Deus, buscando a salvação dos perdidos.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

41

unIdade 2: estIlo de vIda

mulher

1. Auxiliar e apoiar: Descreve um papel vital e não secundário. A mulher deve cercar o marido

com apoio, exortação e conforto. A crítica inibe, enquanto o apoio encoraja e produz ousadia. Suas qualidades devem estar a serviço da família com propósito de cumprimento do sacerdócio do lar. Respeitar a autoridade imediata, o marido, deve ser inegociável, mesmo quando suas atitudes não

a agradem.

“Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de finas jóias. O coração do seu marido confia nela, e não haverá falta de ganho”. Provérbios 31.10,11

2. Administrar o lar: Deus capacita a mulher com santidade e habilidade para multiplicar as

conquistas do marido, investindo sabiamente as economias da família, com o propósito de bem-estar

e crescimento.

“É ainda noite, e já se levanta, e dá mantimento à sua casa e a tarefa às suas servas. Examina uma propriedade e adquire-a; planta uma vinha com as rendas do seu trabalho. Cinge os lombos de força e fortalece os braços”. Provérbios 31.15-17

3. Corresponder ao amor: O ministério da mulher, como o do homem, é servir seu cônjuge. A

negligência constitui em desobediência a Deus. O cuidado com sua aparência exterior, tanto como

a interior, corresponderá ao amor recebido, conseqüentemente deve satisfazer os desejos lícitos do marido, como quem procura agradar a Deus.

“O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente,

a esposa, ao seu marido. A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo,

e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher”.

1 Coríntios 7.3,4

4. Edificar a casa: A mulher virtuosa cuida bem do seu marido e filhos com alegria, coração

servil e perdoador; suporta as circunstâncias difíceis por meio dos princípios da Palavra de Deus, buscando sempre ministrar cura e integridade à sua família.

“A mulher sábia edifica a sua casa, mas a insensata, com as próprias mãos,

a derriba”.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

Provérbios 14.1

42

unIdade 2: estIlo de vIda

sexo no CasaMento

O sexo foi criado por Deus com a finalidade de procriação e prazer do homem. Ainda que alguns digam: “os acontecidos dentro do quarto do casal não interessa a ninguém, inclusive Deus”, não transmite a verdade da Palavra.

“E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra”.

Gênesis 1:28

“Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade, como cerva amorosa e gazela graciosa; saciem-te os seus seios em todo o tempo; e pelo seu amor sê atraído perpetuamente”.

Provérbios 5:18-19

“Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém aos que se dão à prostituição e aos adúlteros Deus os julgará”.

Hebreus 13:4

O termo leito em Hebreus, capítulo treze, significa coito, retratando a prática sexual. Portanto, existe um padrão de Deus a respeito da relação sexual do casal. A relação sexual sadia é aquela que não foge do padrão natural. O contrário caracteriza imoralidade.

“Pelo que Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. E, como eles se não importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convém; estando cheios de toda iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes ao pai e à mãe; néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia; os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem”.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

Romanos 1:26-32

43

unIdade 2: estIlo de vIda

peCados moraIs

Veja no quadro abaixo alguns dos pecados morais, coisa que Deus condena:

LASCÍVIA

A palavra lascívia significa ser sensual ou sensualidade. O cristão deve ser santo na maneira de vestir, nas gesticulações e nos pensamentos.

IMPUREZA

Impureza é tudo que Deus desaprova, no tocante à área sexual. Mesmo dentro do casamento não pode haver impureza de pensamentos, de atitudes, como a masturbação, uso de materiais eróticos, pornografia. Na impureza encontra-se também o sexo anal e oral; os quais são contrários à vontade de Deus.

INTIMIDADE FÍSICA

Qualquer intimidade física antes do casamento é defraudação.

FORNICAÇÃO

Relacionamento sexual antes do casamento. At 15.29 (VRC).

ADULTÉRIO

Relação sexual de alguém casado com outra pessoa que não é seu cônjuge.

Pv

6.32-33.

PROSTITUIÇÃO

Relação sexual com qualquer pessoa, por meio do comércio do corpo.

Cl

3.5.

INCESTO

Relação sexual com parente; Lv 20.11-12;21

HOMOSSEXUALISMO

Relação sexual de homem com homem; mulher com mulher.

Lv

18.22; Lv 20.13; Rm 1.27.

ORGIAS SEXUAIS

Festim licencioso e sexual com vários integrantes. Lv 20.14

PEDOFILIA;

Relação sexual com crianças, animais ou mortos. Mt 18.6; Lv 20.6,15-16.

ZOOFILIA;

NECROFILIA

 

ESTUPRO

Forçar uma relação sexual com violência. Dt 22.25.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

44

unIdade 2: estIlo de vIda

ContInênCIa e InContInênCIa

O homem e a mulher devem estar dispostos um ao outro à respeito da prática sexual, buscando

saciar-se. A atenção nesta área poupará o casal de muitos transtornos.

Não existe uma regra sobre o quanto, e sim, um princípio a respeito do número de vezes em que se pratica o sexo. O conselho equilibrado concernente a este assunto, deveria ser buscar a satisfação de ambas as partes. À respeito da incontinência, a Bíblia adverte o casal a não cair nesta, para não cair nos ataques do diabo.

“O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher, ao marido. A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também, da mesma maneira, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher. Não vos defraudeis um ao outro, senão por consentimento mútuo, por algum tempo, para vos aplicardes à oração; e, depois, ajuntai-vos outra vez, para que Satanás vos não tente pela vossa incontinência”. 1 Coríntios 7:3-5

Desta maneira nem o homem, nem a mulher, buscarão fora aquilo que possuem em casa.

“Bebe a água da tua cisterna e das correntes do teu poço. Derramar-se-iam por fora as tuas fontes, e pelas ruas, os ribeiros de águas? Sejam para ti só e não para os estranhos contigo. Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade, como cerva amorosa e gazela graciosa; saciem-te os seus seios em todo o tempo; e pelo seu amor sê atraído perpetuamente. E por que, filho meu, andarias atraído pela estranha e abraçarias o seio da estrangeira?” Provérbios 5:15-20

aJustes sexuaIs

O diálogo aberto e sincero entre o casal sempre será o melhor remédio para a solução de possíveis

conflitos. Os acordos em relação de quando e como se dará a prática sexual ocupam espaço de suma importância e respeito entre os dois. Descobrir a propensão de cada um sobre o melhor horário evitará desconfortos. Alguns têm maior disposição sexual à noite, enquanto, outros durante o dia. O importante é encontrar um denominador comum.

A freqüência de relacionamentos fica a critério do casal, buscando sempre a satisfação de ambos. Salientando que o equilíbrio e o bom senso são critérios imprescindíveis. Isso evita o descontrole impulsivo ou a incontinência. Contudo, existem alguns problemas que podem ocorrer:

Ejaculação precoce: quando o homem chega ao ápice ou coito sem satisfazer a mulher; Falta de ereção: quando pênis não fica ereto o suficiente para haver a penetração; Frigidez feminina: quando a mulher não tem apetite sexual ou não chega ao orgasmo.

Na ocorrência destes casos, a autoridade espiritual, que ajudará a encontrar o melhor tratamento, deverá ser procurada. Em sua grande maioria, estes casos são tratáveis pois costumam ter origem emocional ou ser uma sequela de atos imorais praticados no passado. Se for, no entanto, uma condição patológica, a medicina, já tão avançada, deverá ser procurada. Por meio do poder de Deus, ou por intermédio da me- dicina, o casal encontrará soluções, devendo vencer, contudo, a barreira da timidez, procurando ajuda.

métodos ContraCeptIvos

Todo casal precisa ter um planejamento familiar em relação à quantidade de filhos. Não existe uma regra, o casal deve usar de bom senso. Deve-se levar em consideração os cuidados espirituais, emocionais, sociais e materiais antes de planejar ter filhos.

Existem vários métodos contraceptivos, embora alguns não sejam recomendados por serem abor- tivos, à semelhança da pílula do dia seguinte. Outros não são seguros, como a tabelinha. Portanto, desde que não seja um método pecaminoso, fica a critério do casal, o método a ser adotado.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

45

unIdade 2: estIlo de vIda

1. o Que é Casamento?

2. o Que sIgnIfICa deIxar paI e mãe?

3. o Que sIgnIfICa tornar-se uma só Carne?

4. QuaIs são as atItudes edIfICadoras?

5. QuaIs são as atItudes destruIdoras?

6. Como deve ser o sexo no Casamento?

7. o Que sIgnIfICa ContInênCIa e InContI-

nênCIa sexual?

8. Como pode aConteCer o ajuste sexual?

deve ou não deve ter o Controle de na- talIdade? se sIm, Como?

9. aos homens Qual o papel do homem no Casamento?

10. Às mulheres Qual o papel da mulher?

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

46

unIdade 2: estIlo de vIda

AuLA 6: Aos soLteiros

naMoro

Namoro é o relacionamento afetivo declarado, comprometido e abençoado pelos pais e líderes es- pirituais. Os jovens antes de se darem ao namoro devem buscar a aprovação dos pais e dos líderes espirituais, sem aprovação paterna, não devem firmar compromisso, muito menos terem o contato físico, beijos, abraços etc.

“Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa, para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra”. Efésios 6:1-3

Os propensos ao namoro, devem esperar o momento e a idade apropriada. Subentendendo que o namoro não compreende uma aventura descomprometida, e sim, o primeiro passo rumo aos laços matrimoniais, a idade apropriada seria aos dezoito anos para o rapaz e dezesseis anos para moças, seguindo as normas mínimas estabelecidas pelo governo no tocante às leis do matrimônio.

amIzade espeCIal

O princípio da Igreja, com relação ao namoro, segue este determinado padrão: não namorar antes de

um ano de conversão. Não namorar membros transferidos de outro ministério, antes de seis meses de transferência. Não namorar sem a benção dos pais. Só namorar após o discipulado, chamado amizade especial, que dura aproximadamente quarenta dias. A amizade especial compreende um período de tempo em que os proponentes recebem a benção para se conhecerem melhor, contu- do, sem o contato físico, como beijos, abraços, carícias, tendo como propósito, guardar o jovem de possíveis decepções amorosas. O namoro Bíblico. O namoro, acima de tudo, deve expressar a vontade de Deus.

“O que acha uma mulher acha uma coisa boa e alcançou a benevolência do SENHOR”.

Provérbios 18:22

“A casa e a fazenda são a herança dos pais; mas do SENHOR vem a mulher prudente”.

Provérbios 19:14

obJetIvos e propósItos para o namoro

O namoro é o primeiro passo rumo aos laços matrimoniais, não compreende um compromisso obri-

gatório de casamento, porém, aquele que se dá em namoro deve objetivar o casamento, e não olhar o namoro como uma aventura romântica. Nos casos de dissolução, o casal deve ficar sem namorar por um ano (casos especiais serão analisados em particular).

motIvos errados para Começar um namoro

• Competição: todos namoram porque não eu;

• Inveja: porque todos gostam dele(a) e não de mim;

• Auto-afirmação: dúvidas quanto à masculinidade ou feminilidade;

• Rebeldia: rompimento com os laços de autoridade;

• Indução: sugestão de terceiros.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

47

unIdade 2: estIlo de vIda

O propósito fundamental do namoro está em conhecer melhor e cultivar um relacionamento de

companheirismo e afinidades espirituais, bases necessárias para solidificação de um casamento feliz e duradouro.

O jovem cristão, à procura de um relacionamento, precisa estar curado em suas emoções, não se

colocar debaixo de jugo desigual e buscar alguém com os mesmos interesses e maturidade.

CoMPortaMento no naMoro

namoro a três

Jesus deve estar presente dentro e fora do namoro. Todas as ações no namoro devem ser praticadas em Sua na presença.

“E, se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa”.

Eclesiastes 4:12

o Comportamento deve ser Coerente Com a bíblIa

A Bíblia traz instruções claras. O casal de namorados estará seguro quando observar os princípios

da Palavra de Deus.

“Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra. De todo o meu coração te busquei; não me deixes desviar dos teus mandamentos”.

Salmos 119:9-10

Conversas sobre sexo não devem ser exageradas, melhor Que seJam após o noIvado

Falar freqüentemente sobre este assunto desperta emoções e impulsos sexuais, que só podem ser satisfeitos dentro do casamento.

“Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca”.

Marcos 14:38

mantenha aberta a lInha de ComunICação

O diálogo é muito importante no relacionamento. Os jovens devem ter liberdade para comunicar

seus sentimentos. O limite físico deve ser estabelecido, respeitado e obedecido, para que ambos não cedam aos impulsos da carne e caiam em pecado.

Controlar os Impulsos e CaríCIas

Quem deve controlar? Quais são os limites? Estas são as perguntas feitas constantemente. O livro

de primeira Tessalonicenses capítulo quatro versos um a quatro revela que ambos devem ser puros,

responsáveis, por si mesmo e pelo outro, diante de Deus.

“De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus”. Romanos 14:12

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

48

unIdade 2: estIlo de vIda

Coragem de dIzer não

Ao se guardar para o tempo certo, Deus honrará a honestidade. O namoro na carne produz licen- ciosidade e culminará no fracasso.

“Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido”.

Gálatas 6:7-9

não deFraudar

Defraudar significa estimular desejos que não podem ser satisfeitos. O casal de namorados pertence

e deve prestar contas ao Senhor.

“E que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador”.

1 Tessalonicenses 4:6

medIte sobre estes ConCeItos

a) Não adianta começar certas carícias que não poderão ser consumadas;

b) Nossos corpos pertencem ao Senhor, como ousaremos usá-los indevidamente?

c) Deus nos pede para glorificá-Lo em nossos corpos, não podemos decepcioná-Lo.

atIvIdades durante o naMoro

Os namorados podem desenvolver muitas atividades alegres, criativas e edificantes:

orar

Os momentos de oração trazem benefícios reais para a vida. Ajuda nas horas de dificuldades e tentações (Sl 86.7). Se não for desenvolvido o hábito de orar durante o namoro, com certeza não haverá oração no casamento.

Conversar

A conversa pode ocorrer sobre os alvos de vida, família, Igreja, estudos, trabalho etc.

ler

A Bíblia deve guiar as decisões e atitudes. A Palavra de Deus deve ser lida e aplicada no viver diário.

Escolher um livro da Bíblia, estudar a vida de Cristo ou de um dos apóstolos, estudar sobre deter- minado assunto ou outras publicações evangélicas são recomendáveis.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

49

unIdade 2: estIlo de vIda

partICIpar de atIvIdade em grupo e evItar FICar longos períodos a sós

Estar isolado do convívio de pessoas, torna o casal sujeito a situações tentadoras. Devem evitar ficar sozinhos dentro do carro, parar em lugares escuros e desertos, e quando estiverem a sós per- guntarem: podemos fazer isto em nome de Jesus?

ouvIr Cds e assIstIr dvds Com músICas e mensagens evangélICas

Ef 5.19, 20.

Cantar

Momentos de louvor e adoração produzem efeitos positivos na vida do casal.

e outros Como:

• Assistir a filmes bíblicos;

• Fazer exercícios físicos;

• Participar das atividades da Igreja.

resuMo

• Namorar com o propósito de casamento: I Ts 4.4-6;

• Meditar juntos na Bíblia: Fl 2.2; Am 3.3;

• Compartilhar princípios espirituais: Ef 5.19;

• Frequentar juntos a Igreja: Sl 122.1;

• Conhecer os amigos dele (a): Pv 13.20;

• Observar os relacionamentos com pais e irmãos: Cl 3.20;

• Cuidado com os votos: Ec 5.4 e 5;

• Ser transparente um com o outro: Ef 4.15 e 25;

• Procurar saber as necessidades dele(a): I Co 10.24; Mt 7.12;

• Confessar as faltas um ao outro: Ef 4.31; Cl 3.13;

• Ser humilde ao trato: I Pe 5.5;

• Desenvolver amor genuíno - I Co 13.

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

50

unIdade 2: estIlo de vIda

1. o Que é namoro?

2. QuaIs sãos os objetIvos e propósItos do

namoro?

3. Qual deve ser o Comportamento no

namoro?

4. QuaIs são as atIvIdades no namoro?

Curso de Integração • Igreja da Comunhão Ágape

51

unIdade 2: estIlo de vIda

AuLA 7

autorIdade e subMIssão

Deus é a autoridade suprema do universo (Sl 62.11; Mt 28.18). As demais são autoridades delegadas. Na economia universal, Deus estabeleceu princípios de hierarquia. Todo ser vivente está debaixo de autoridade, contrário a esta verdade, caracteriza rebelião.

“Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas. De modo que aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação. Porque os magistrados não são para temor, quando se faz o bem, e sim quando se faz o mal. Queres tu não temer a autoridade? Faze o bem e terás louvor dela, visto que a autoridade é ministro de Deus para teu bem. Entretanto, se fizeres o mal, teme; porque não é sem motivo que ela traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal. É necessário que lhe estejais sujeitos, não somente por causa do temor da punição, mas também por dever de consciência. Por esse motivo, também pagais tributos, porque são ministros de Deus, atendendo, constantemente, a este serviço. Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra”. Romanos 13:1-7

“Dessarte, quem rejeita estas coisas não rejeita o homem, e sim a Deus, que também vos dá o seu Espírito Santo”.

1 Tessalonicenses 4:8

Os atos de Deus emanam de Seu trono e são firmados em Sua autoridade. Tudo foi criado por Deus

e é mantido por Sua autoridade, que representa a Si próprio. Sendo que o próprio Deus se submete

a esta verdade (1Co 15.23-28).

“Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos