Sunteți pe pagina 1din 2

Tema – Genética

Introdução

Muitas pessoas interrogam-se de que forma a genética intervém


na nossa definição sexual. Grande parte dos progenitores não
aborda esta questão devidamente quando os seus descendentes
questionam o porque de o rapaz não ser rapariga e a rapariga não
ser rapaz. Com o intuito de proteger a inocência do seu filho os
progenitores afirmam que foi tudo obra de Deus quando na
verdade a realidade é bem mais complexa.

De que forma a genética nos ajuda a ser o


que somos?

O ADN, ou seja, o material genético presente em todas as células, que


dirige o desenvolvimento harmónico de um organismo, no ser humano divide-
se em 46 «peças», chamadas cromossomas. Em cada célula, os cromossomas
dividem-se aos pares: 22 pares estão presentes nas células de ambos os
sexos (autossomas) ao passo que os dois restantes cromossomas
(gonossomas), que podem ser iguais ou diferentes, se apresentam em
combinações distintas no homem e na mulher: são os cromossomas sexuais,
indicados pelas letras X e Y. Todas as células da mulher têm dois
cromossomas X e todas as células do homem apresentam um cromossoma X
e um cromossoma Y. É precisamente este o padrão genético no qual todos
nós tivemos origens.
químico da informação genética
cromossoma sendo este o suporte
O ADN é um dos componentes do

46 Cromossomas repartidos em 23
pares
44 Cromossomas não 2 Cromossomas
sexuais – autossomas sexuais – gonossomas

XX XY