Sunteți pe pagina 1din 1

A dor, o amor de uma saudade

A alma ainda está de luto. Passaram-se dias, semanas, um ano. Dentro de mim, um
dia foi sendo vivido após o outro lentamente, sem a tua presença. Pelo mundo afora,
o tempo passou rápido e hoje é relembrada a data triste que marcou a música.

Por tua ausência, meus sentimentos foram colocados a prova. Pela tua partida, minha
fé foi testada. Pelas tuas mensagens, meus aprendizados foram além. Eu aprendi a
não admirar somente o astro e o músico, mas o pai e ser humano. Aprendi não
somente a ouvir as tuas músicas, mas a escutar o que realmente havia escrito em
cada letra. Aprendi que somente o amor é capaz de vencer qualquer tipo de barreira
e que a esperança no mundo não deve acabar jamais! Aprendi que posso ser melhor,
com Deus no coração, e que posso buscar sempre o melhor pra mim e para quem me
cerca. E que embora eu cometa (muitos) erros, devo me perdoar e recomeçar sem
medo, pois terei o apoio dos que me amam.

Passeiam pela mente inúmeras palavras para este texto. Mas se o que eu vivi neste
último ano não se exprime com algo escrito, seria injusto tentar colocar aqui todas as
palavras lindas que eu já ouvi. Prefiro, então, guardar o profundo da beleza
inexprimível no fundo da alma e deixar aparecerem os reflexos ao redor. Porque
também vi em ti que ações valem mais que as mais belas palavras. O que vem da
alma se expressa no corpo e é visto pelo mundo afora.

Tua ausência ainda dói... Meu coração ainda sente o inconformismo de tão precoce
partida, de tão brutais sofrimentos que tu tiveste antes de partir. Teu nome circula
banalmente pelo mundo que antes te atacou e que agora se compadece. Mas não
precisas de penas não. És digno sim de admiração e eternas lembranças sinceras. Tens
a dignidade que poucos astros visados possuem. E a visibilidade que poucos astros se
dignam a conquistar. Por isso tanta perseguição e afrontas. E por outro lado, tanto
apoio de seus fãs convictos... O teu „exército de amor‟, como gostavas de mencionar.

Com a fé que me mantém, eu sinto no fundo do coração que Deus tem cuidado de ti.
Claramente tenho essa convicção e queria que todos os que gostam de ti sentissem
que estás bem, independente de onde estiveres agora. Apesar da tristeza,
inconformismo, há um pouco de conforto nesse fato.

Sinto-me feliz ao ver que seu legado não acabará. As imagens de teu último show não
acontecido só ratificaram que tua majestade musical prevalecerá. As sementes que
jogastes produzem frutos aos poucos, desde os jovens artistas às crianças que o
imitam, na pureza de quererem ser como eras. Desde amizades verdadeiras a
influências artísticas totalmente técnicas. É assim que eu vejo como ainda ages.

Certa vez eu li a mais bela definição da palavra saudade: “É o amor que fica”. Ah e
quanta saudade, quão maior o amor. E vice-versa.

All for L.O.V.E

Gabriela de Almeida Ribeiro

Em 25/06/2010

Interese conexe