Sunteți pe pagina 1din 16
Chile Chile, oficialmente República do Chile, é um país da América do Sul que ocupa

Chile

Chile, oficialmente República do Chile, é um país da América do Sul que ocupa uma longa e estreita faixa costeira encravada entre a cordilheira dos Andes e o oceano Pacífico. Faz fronteira ao norte com o Peru,

a nordeste com a Bolívia, a leste

com a Argentina e a Passagem de Drake, a ponta mais meridional do país. É um dos dois únicos países da

América do Sul que não tem uma fronteira comum com o Brasil, além

do Equador. O Pacífico forma toda a fronteira oeste do país, com um litoral que se estende por 6.435 quilômetros.

O território chileno se estende até o

Oceano Pacífico, que inclui os territórios ultramarinos de Arquipélago Juan Fernández, Ilhas

de Sala y Gómez, as Ilhas Desventuradas e a Ilha de Páscoa, localizada na Polinésia. O Chile possui uma reivindicação de 1.250.000 quilômetros quadrados de território na Antártida.

quilômetros quadrados de território na Antártida. O Chile possui um território incomum, com 4.300 km de

O Chile possui um território incomum, com 4.300 km de

comprimento e, em média, 175 quilômetros de largura - o que lhe

dá um clima muito variado, indo do deserto mais seco do mundo -

o Atacama - no norte do país, um clima mediterrâneo no centro,

até um clima alpino propenso a neve ao sul, com geleiras, fiordes

e lagos. O deserto do norte chileno contém uma grande riqueza

mineral, principalmente de cobre. A área relativamente pequena

central domina o país em termos de população e de recursos agrícolas. Esta área também é o centro cultural e político do qual

o Chile se expandiu no final do século XIX, quando integrou as

regiões norte e sul. O sul do Chile é rico em florestas e pastagens

e possui uma cadeia de vulcões e lagos. A costa sul é um labirinto

de penínsulas de fiordes, enseadas, canais e ilhas. A Cordilheira

dos Andes está localizada na fronteira oriental.

dos Andes está localizada na fronteira oriental. Antes da chegada dos espanhóis no século XVI, o

Antes da chegada dos espanhóis no século XVI, o norte do Chile estava sob o domínio Inca, enquanto os índios Mapuches (também conhecidos como Araucanos) habitavam o centro e o sul do Chile. Embora o Chile tenha declarado sua independência em 1817, a vitória decisiva sobre o controle espanhol não foi alcançada até 1818. Na Guerra do Pacífico (1879-83), o Chile venceu o Peru e a Bolívia e

conquistou as regiões do norte. O país, que até então estava relativamente livre de golpes e governos arbitrários que atingiam

o resto do continente sul-americano, suportou 17 anos de uma

ditadura militar (1973-1990), uma das mais sangrentas do século

XX na América Latina, que deixou mais de 3.000 mortos e

desaparecidos.

Atualmente, o Chile é um dos países mais estáveis e prósperos da América do Sul. Dentro do contexto maior da América Latina, é o melhor em termos de desenvolvimento humano, competitividade, qualidade de vida, estabilidade política, globalização, liberdade econômica, baixa percepção de corrupção e índices comparativamente baixos de pobreza.

globalização, liberdade econômica, baixa percepção de corrupção e índices comparativamente baixos de pobreza. 2

Também é elevado o nível regional de liberdade de imprensa e de desenvolvimento democrático. Sua posição como país mais rico da região (empatado com o México), em termos de produto interno bruto per capita (a preço de mercado e paridade do poder de compra), no entanto, é contrariada devido ao seu alto nível de desigualdade de renda, medido pelo coeficiente de Gini. Em maio de 2010 o Chile se tornou o primeiro país sul-americano a aderir à OCDE. O país também é um membro fundador das Nações Unidas e da União de Nações Sul Americanas.

das Nações Unidas e da União de Nações Sul Americanas. Geografia Uma longa e estreita faixa

Geografia

Uma longa e estreita faixa costeira do Cone Sul, no lado oeste da Cordilheira dos Andes, o Chile se estende por 4.630 quilômetros de norte a sul, mas apenas em 430 quilômetros em seu ponto mais largo de leste a oeste. Isto abrange uma notável variedade de paisagens. O país contém 756.950 quilômetros quadrados de área de terra. O norte do Deserto do Atacama contém uma grande riqueza mineral, principalmente de cobre e nitratos. O relativamente pequeno Vale Central, que inclui Santiago, domina o país em termos de população e de recursos agrícolas.

pequeno Vale Central, que inclui Santiago, domina o país em termos de população e de recursos
pequeno Vale Central, que inclui Santiago, domina o país em termos de população e de recursos

Esta área também é o centro histórico do qual o Chile se expandiu no final do século XIX, quando integrou as regiões do norte e do sul. O sul do Chile é rico em florestas, pastagens e apresenta uma série de vulcões e lagos. A costa sul é um labirinto de penínsulas de fiordes, enseadas, canais e ilhas. A Cordilheira dos Andes está localizada na fronteira oriental. O Chile é o maior país Norte Sul do mundo, e também reivindica 1 250 000 km² da Antártida como parte de seu território. No entanto, esta última afirmação é suspensa nos termos do Tratado da Antártida, do qual o Chile é signatário.

O país está localizado no Círculo de fogo do Pacífico, região no

entorno da placa de Nazca, que concentra 90% da sismicidade e vulcanismo do planeta.

O Chile controla a Ilha de

Páscoa e a Ilha Sala y Gómez, as ilhas do leste da Polinésia, que incorporou ao seu território em 1888, e a Ilha Robinson Crusoe, a mais de 600 quilômetros do continente, no Arquipélago Juan Fernández. A Ilha de Páscoa é hoje uma província do Chile. Também controlada, mas apenas temporariamente habitada (por alguns pescadores locais) são as pequenas ilhas de Sala y Gómez, Santo Ambrósio e São Felix. Essas ilhas são notáveis porque estendem as águas territoriais do Chile.

notáveis porque estendem as águas territoriais do Chile. Clima O clima do Chile compreende uma ampla

Clima

O clima do Chile compreende uma ampla gama de condições

climáticas em grande escala geográfica, estendendo se através de 38 graus de latitude, tornando difícil generalizar.

climáticas em grande escala geográfica, estendendo se através de 38 graus de latitude, tornando difícil generalizar.

Segundo o sistema Köppen, o Chile abriga dentro de suas fronteiras, pelo menos, sete subtipos climáticos, que variam do deserto no norte, a tundra alpina e geleiras no leste e sudeste, subtropical úmido na Ilha de Páscoa, Oceânico no sul e Mediterrânico no centro. Há quatro temporadas na maior parte do país, verão (dezembro a fevereiro), outono (março a maio), o inverno (junho a agosto) e primavera (setembro a novembro).

Demografia

O censo de 2002 do Chile relatou uma população de 15.116.435

habitantes. A taxa de crescimento da população do país tem vindo a diminuir desde 1990, devido ao declínio da taxa de natalidade. Em 2050 a população deverá atingir cerca de 20,2 milhões de pessoas. Cerca de 85% da população do país vive em áreas urbanas, com 40% vivendo na Grande Santiago. As maiores aglomerações de acordo com o censo de 2002 são a Grande Santiago, com 5,6 milhões de pessoas, Grande Concepción, com 861.000, e Grande Valparaíso, com 824.000.

Imigração

O Chile recebeu uma grande onda de imigrantes europeus,

principalmente no norte, sul e costa. Ao longo do século XVIII e

início do século XX. Os imigrantes europeus que chegaram ao território do Chile são majoritariamente espanhóis, alemães, ingleses, escoceses,

irlandeses,

italianos,

franceses,

austríacos,

neerlandeses,

suíços,

escandinavos,

portugueses,

croatas.

escoceses, irlandeses, italianos, franceses, austríacos, neerlandeses, suíços, escandinavos, portugueses, croatas. 5
escoceses, irlandeses, italianos, franceses, austríacos, neerlandeses, suíços, escandinavos, portugueses, croatas. 5

História do vinho no Chile

Na segunda viagem de Colombo para a América, em 1493, mudas de parreiras foram trazidas e rapidamente espalhadas pelo continente. Foram levadas para o Peru e depois para o Chile em 1548, pelos monges Bartolomeu de Terrazas e Franciso de Carabantes respectivamente. Do Chile foram introduzidas em Santiago Del Estero e Mendoza, assim iniciando a produção de vinhos na Argentina. As primeiras safras chilenas aconteceram em Santiago e produziram pequenas quantidades de vinho para uso particular e para rituais religiosos. Alguns anos depois, Francisco de Aguirre conduziu a maior colheita em Copiapó, impulsionando uma atividade que perduraria pelos séculos seguintes, gerando um método de produção tradicional e um comércio local. Durante o período colonial, a colheita da uva foi a mais importante atividade agrícola onde homens, mulheres e crianças trabalhavam juntos na produção do vinho.

Três séculos após as uvas terem sido introduzidas no Chile, o verdadeiro potencial vinícola do local foi descoberto. A Independência do país abriu caminhos para novos mercados, que influenciaram a indústria vinícola chilena com novas tecnologias, vinhedos melhorados e maior qualidade na colheita. Uma das grandes mudanças aconteceu em meados do século XIX, com a criação de novas vinícolas como Carmen, Errazuriz Panquehue, San Pedro, Cousiño Macul e Concha y Toro. Durante o processo de modernização as variedades Cabernet Sauvignon, Chardonnay e Pinot Noir foram importadas.

Somente em 1990, quase um século depois, as vinícolas chilenas empreenderam uma nova ênfase na produção, criando vinhos premium aclamados internacionalmente.

as vinícolas chilenas empreenderam uma nova ênfase na produção, criando vinhos premium aclamados internacionalmente. 6
7
7

Valle de Bío Bío

Regiões

Por mais de 250 anos o rio Bió Bió foi a barreira natural entre os colonizadores espanhóis e as tribos Mapouche, fornecendo uma área de constante troca de produtos agrícolas e bebidas alcoólicas, tanto em tempos de guerra como de paz. Ainda se plantam em grande escala as uvas locais País (tinta) e Moscatel de Alejandria (branca) esta última usada na fabricação do destilado Pisco. Recentemente variedades de uvas como a Pinot Noir, Riesling, Chardonnay e Gewürztraminer têm sido cultivadas no vale. O vale de Malleco, que faz parte da bacia do Bió Bió, tem condições similares às encontradas na região nordeste da França, com queda média acumulada de chuvas de mais de 1000 mm por ano e ventos do sul que diminuem a umidade das folhas. Os vinhos exigem um tipo diferente de manejo: baixo rendimento por planta (poucos cachos) para assegurar o bom amadurecimento das frutas e a boa ventilação. Este clima particular aliado ao manejo adequado, é o começo para mostrar o potencial e a qualidade dos vinhos de Chardonnay desta zona. Recentemente vinhos Chardonnay da região receberam alta consideração internacional.

vinhos de Chardonnay desta zona. Recentemente vinhos Chardonnay da região receberam alta consideração internacional. 8
vinhos de Chardonnay desta zona. Recentemente vinhos Chardonnay da região receberam alta consideração internacional. 8

Valle de Casablanca

Casablanca tem experimentado um grande crescimento na vinicultura nos últimos anos, resultado da criação de circuitos turísticos, restaurantes e lojas de vinhos.

O vale, localizado entre Santiago e o maior porto do Chile,

Valparaíso (recentemente declarado Patrimônio da Humanidade) combina todas as condições para tornar se um “must” para todos

que visitam o país.

Casablanca se caracteriza por ser um vale

prelitoral,

localizado na

planície

costeira da região, a apenas 18 km do litoral e rodeado pela serra costeira.

Tem uma clara influência marítima, clima bem mais frio, com neblinas matinais e uma amplitude térmica de até 19º entre o dia e a noite, o que favorece a lenta maturação das uvas.

A temperatura media do verão é de 14,4 ºC, as chuvas se

concentram entre os meses de maio e outubro, com uma média anual de 450 mm.

A influência marítima que o vale recebe faz com que a

temperatura média seja moderada, alcançando não mais do que 20º C durante o período vegetativo. Isso cria excelentes condições para as variedades brancas, como Sauvignon Blanc e Chardonnay, refletindo-se na frescura e no intenso aroma cítrico de seus vinhos. Os meses com riscos de geadas são setembro e outubro, ficando bem mais seco entre novembro e abril, época do crescimento e maturação das uvas.

são setembro e outubro, ficando bem mais seco entre novembro e abril, época do crescimento e
são setembro e outubro, ficando bem mais seco entre novembro e abril, época do crescimento e

A colheita, diferente de outros vales, acontece mais tarde, a partir de 15 de março até final de abril. Essas características climáticas trazem vinhos de qualidade superior, com muita concentração de fruta, acidez muito boa e um final brilhante.

Valle de Colchagua

Colchagua, o coração da tradição huaso no Chile, oferece uma interessante Rota do Vinho que leva o visitante através de suas principais vinícolas, cidades e museus para mostrar a importante herança cultural da região. Com o turismo e o desenvolvimento hoteleiro concentrados na cidade de Santa Cruz, o vale atrai o visitante para a cidade e as regiões em torno. Nas colheitas dos últimos anos, a absoluta ausência de chuvas permitiu um amadurecimento completo das diferentes variedades de uvas. Os períodos de colheita no vale variam de acordo com a localização e a topografia de cada vinhedo. A colheita, conseqüentemente começa na zona mais próxima dos Andes, continua duas semanas depois em torno de Santa Cruz e termina nas áreas de grande influência do mar.

dos Andes, continua duas semanas depois em torno de Santa Cruz e termina nas áreas de
dos Andes, continua duas semanas depois em torno de Santa Cruz e termina nas áreas de

Valle de Curicó

Curicó, que significa “Águas Negras” no idioma mapuche, tem sido um importante centro agrícola da Zona Central do Chile por séculos. Ele corresponde à bacia do Mataquito, formada pelos rios Teno e Lontué. Seu clima, caracterizado por neblina matinal e alta variação de temperatura entre o dia e a noite gera vinhos de grande acidez, o melhores de cada uma das variedades brancas, especialmente, Sauvignon Blanc, Vert e Gris.

As áreas mais quentes do vale, como Lontué, produzem vinhos de Cabernet Sauvignon de alta qualidade, especialmente nos vinhedos mais velhos, alguns dos quais com mais de 80 anos de idade.

Valle de Leyda

O Valle de Leyda é a região mais nova do Chile (reconhecida no ano de 2002) e já se transformou em uma das mais promissoras para plantio de uvas brancas (principalmente Sauvignon Blanc e Chardonnay), além de ser uma excelente zona também para Syrah. Seu comportamento é diferente do Valle de Casablanca, também próximo ao litoral, mas

protegido por trechos da serra costeira.

é diferente do Valle de Casablanca, também próximo ao litoral, mas protegido por trechos da serra
é diferente do Valle de Casablanca, também próximo ao litoral, mas protegido por trechos da serra

Localizado a 14 quilômetros do Oceano Pacífico, sua proximidade do mar e com temperaturas moderadas durante a primavera e verão (devido às brisas marinhas) fazem com que o amadurecimento das uvas seja mais lento, contribuindo para o desenvolvimento de sabores e aromas diferentes e especiais.

Valle de San Antonio

Os vales litorâneos de San Antonio formam a região vinícola mais próxima do oceano. Os vinhedos estão localizados em áreas entre montanhas da área litorânea, parcialmente protegidos da influência do mar.

Essas condições criam um microclima bastante peculiar, propiciando o cultivo de uvas de clima frio como a tinta Pinot Noir e as brancas Chardonnay e Sauvignon Blanc, com excelente tipicidade. A produção de vinhos finos nestes vales foi iniciada pela Viña Leyda em 1998, seguida por outras.

Valle de Aconcagua

Viña Leyda em 1998, seguida por outras. Valle de Aconcagua Aconcagua, batizado com o nome do

Aconcagua, batizado com o nome do mais alto pico dos Andes (6.958m), forma o vale mais ao sul do Chico Norte. Esta zona foi uma importante passagem trans andina chamada Cristo Redentor, que liga o Chile à Mendoza, na Argentina. O clima é estável, com alta insolação e baixo risco de geadas, condições que permitem a elaboração de vinhos de grande qualidade.

com alta insolação e baixo risco de geadas, condições que permitem a elaboração de vinhos de

Maximiano Errázurriz trouxe uma grande inovação para a vinicultura da região quando plantou os primeiros vinhedos na área de Panquehue em 1870.

As variedades tintas predominam neste vale e o Cabernet Sauvignon 2003 produzido no setor de La Campana foi destaque por sua intensa cor e taninos bem definidos, enquanto os de Panchehue alcançaram características de maior maturação.

Valle de Cachapoal

Os vinhedos do Vale Cachapoal aninhados na base da Cordilheira dos Andes têm ótimas condições de desenvolvimento das variedades tintas, especialmente Cabernet Sauvignon, que é uma das melhores na região. As características topográficas do vale criam grandes contrastes climáticos, por exemplo o setor quente de Las Cabras e Peumo, onde alguns dos melhores Carmenères chilenos são produzidos.

Vale de Elqui

O Vale Elqui é uma zona localizada na área conhecida como

“Chico Norte”, que ostenta também o maior centro de observação astronômica e grande charme turístico. Estas terras, que inspiraram os versos de Gabriela Mistral, são largamente dedicadas a produção de uvas Moscatel, tradicionalmente utilizadas na elaboração do pisco.

Entretanto, um crescente interesse pela produção de vinhos finos na área desde 1998, liderado pela Vinícola Falernia, resultou em um crescimento de outras variedades, como a Carmenere, a Syrah e a Zinfandel.

A combinação de solo, clima e um bom suprimento de água da

Bacia do Elqui e do Reservatório Pulclaro, fortaleceram o desenvolvimento da vinicultura nesta área.

de água da Bacia do Elqui e do Reservatório Pulclaro, fortaleceram o desenvolvimento da vinicultura nesta

Valle del Itata

O vale Itata é lar de uma tradição vinícola iniciada há mais de

400 anos no Chile. Esta tradição continua hoje, principalmente

em pequenas fazendas produtoras, cuja produção é direcionada para o consumo familiar.

As variedades predominantes na região, a rústica Moscatel Alexandria e a País estão sendo lentamente substituídas por variedades finas. Novas vinícolas estão demonstrando o potencial das outras variedades, tendo surgido diversos vinhos de qualidade na região.

Valle del Limarí

O Rio Limarí desce das montanhas dos Andes, formando uma

ampla bacia com o maior reservatório do Norte Chico, o que favorece toda a agricultura. Na serra costeira os Altos de Talinay recebem a umidade do mar, gerando uma floresta com espécies vegetais que sobrevivem 1000

km ao norte de seu habitat natural.

As brisas marítimas que entram no vale refrescam possíveis altas temperaturas, permitindo a produção de vinhos finos entre o setor de Socos e a cidade de Ovalle. As variedades tintas predominam no vale, mas alguns excepcionais Chardonnays e Sauvignon Blancs foram recentemente produzidos no vale de Tamaya.

Valle del Maipo

O Vale de Maipo é a única região vinícola do mundo com

vinhedos nos limites urbanos de uma capital de 5,5 milhões de habitantes. O vale abriga o maior número de vinícolas do Chile,

muitas delas com uma longa tradição vinícola e caves do século

XIX.

abriga o maior número de vinícolas do Chile, muitas delas com uma longa tradição vinícola e

Os vinhedos variam desde os sopés dos Andes, onde os melhores Cabernets do país são produzidos, até o planalto central. Seu clima mediterrâneo é estável, com estações bem definidas e baixo risco de chuvas durante o período da colheita, o que garante condições ideais para o plantio de vinhedos e a produção de bons vinhos.

Valle del Maule

O Vale do Maule é a maior região vinícola do Chile. As variações

de microclimas e solos em seu interior geram uma grande variedade de vinhos, sendo encontradas aqui praticamente todas as variedades de uvas cultivadas em todo o Chile.

Nos últimos anos, novas tecnologias introduzidas no vale modificaram as práticas tradicionais de manejo dos vinhedos para favorecer a produção de vinhos finos de maior qualidade, particularmente nas variedades Cabernet Sauvignon e Carmenère.

A região possui os vinhedos mais antigos da emblemática

Carmenère, que recentemente foi testada com enxerto em cavalos da uva País, com excelentes resultados. Esta prática poderá resultar numa rápida conversão de variedades rústicas para mais finas, evitando o replantio de mudas jovens.

poderá resultar numa rápida conversão de variedades rústicas para mais finas, evitando o replantio de mudas

Fontes

Livros

A Bíblia do Vinho Larousse do Vinho Vinhos do Mundo Todo

Na internet

Wikipedia Academia do Vinho

Fotos

Sites das vinícolas

Gilmara Vesolli

sommelier@armazembacco.com.br

Todo Na internet Wikipedia Academia do Vinho Fotos Sites das vinícolas Gilmara Vesolli sommelier@armazembacco.com.br 16