Sunteți pe pagina 1din 3

"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o

civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"

CULTURA
São todas as formas de vida e de expressão de uma sociedade determinada.
Como tal inclui costumes, práticas, códigos, normas e regras da maneira de
ser, vestir-se, religião, rituais, normas de comportamento e sistemas de
crenças. De outro ponto de vista poderíamos dizer que cultura é toda a
informação e habilidade que possui o ser humano que resultam úteis para sua
vida quotidiana.
São práticas e acções sociais que seguem um padrão determinado no
espaço/tempo. Se refere a crenças, comportamentos, valores, instituições,
regras morais que permeiam e "preenchem" a sociedade. Explica e dá sentido
a cosmologia social, é a identidade própria de um grupo humano em um
território e num determinado período.
• Sintetizando simboliza tudo o que é aprendido e partilhado pelos
indivíduos de um determinado grupo e que confere uma identidade
dentro do seu grupo de pertença. A cultura do Brasil não é igual à
cultura portuguesa, por exemplo: diferem na maneira de se vestirem, na
maneira de agirem, têm crenças, valores e normas diferentes... isto é
têm padrões culturais distintos.
• A principal característica da cultura é a capacidade de responder ao
meio de acordo com mudança de hábitos. O homem para viver em
ambientes mais frios e adaptou-se com o uso de roupas, do fogo e de
habitações.
• As modificações trazidas por uma geração passam à geração seguinte,
de modo que a cultura transforma-se perdendo e incorporando aspectos
mais adequados à sobrevivência, reduzindo o esforço das novas
gerações.
• Um exemplo de vantagem obtida através da cultura é o desenvolvimento
do cultivo do solo, a agricultura. Com ela o homem pôde ter maior
controle sobre o fornecimento de alimentos, minimizando os efeitos de
escassez de caça. Também pôde abandonar o nomadismo; daí a fixação
em aldeamentos, cidades e estados.
• A agricultura também permitiu o crescimento populacional de maneira
acentuada, que gerou novo problema: produzir alimento para uma
população maior. Desenvolvimentos técnicos – facilitados pelo maior
número de mentes pensantes – permitem que essa dificuldade seja
superada, mas por sua vez induzem a um novo aumento da população;
o aumento populacional é assim causa e consequência do avanço
cultural.

Identidade cultural
Na percepção individual ou colectiva da identidade, a cultura exerce um papel
principal para delimitar as diversas personalidades, os padrões de conduta e
ainda as características próprias de cada grupo humano.
O conhecimento e o saber se renovam do choque de culturas, sendo a
produção de novos conhecimentos e técnicas, produto directo da interposição
de culturas diferenciadas - com o somatório daquilo que anteriormente existia.
Para ele, a globalização que se verificava já em fins do século XX tenderia a
uniformizar os grupos culturais, e logicamente uma das consequências seria o
fim da produção cultural, enquanto gerador de novas técnicas e sua geração
original. Isto reflectiria, ainda, na perda de identidade, primeiro das
colectividades, podendo ir até ao plano individual.

Mudança cultural
Como mecanismo adaptativo, a cultura sofre mudanças. Traços se perdem,
outros se adicionam, em grandes velocidades variadas nas diferentes
sociedades.
Dois mecanismos básicos permitem a mudança cultural: a invenção ou
introdução de novos conceitos, e a difusão de conceitos a partir de outras
culturas. Há também a descoberta, que é um tipo de mudança cultural
originado pela revelação de algo desconhecido pela própria sociedade e que ela
decide adoptar.
A mudança acarreta normalmente em resistência. Visto que os aspectos da
vida cultural estão ligados entre si, a alteração mínima de somente um deles
pode ocasionar efeitos em todos os outros. Modificações na maneira de
produzir podem, por exemplo, interferir na escolha de membros para o
governo ou na aplicação de leis. A resistência à mudança representa uma
vantagem, no sentido de que somente modificações realmente proveitosas, e
que sejam por isso inevitáveis, serão adoptadas evitando o esforço da
sociedade em adoptar, e depois rejeitar um novo conceito.
O ambiente exerce um papel fundamental sobre as mudanças culturais,
embora não único: os homens mudam sua maneira de encarar o mundo tanto
por contingências ambientais quanto por transformações da consciência
social.

Ciência da Cultura é a ciência que estuda a Cultura como forma de


organização e expressão das sociedades mundiais.
A Ciência da Cultura é de enorme importância para os historiadores, pois ela
auxilia-os a achar algumas evidências de acontecimentos do passado da
humanidade e, desta forma, de estruturas grupais de um determinado tempo
remoto, de uma determinada época. Assim, os historiadores conseguem
analisar os traços culturais de um povo, buscando as causas de muitas
crenças, hábitos, fabricação de objectos, evolução tecnológica e monumentos
históricos, que são basicamente patrimónios culturais. Estes, portanto, devem
ser protegidos de vandalismos e dos problemas ambientais das sociedades de
hoje.

Interese conexe