Sunteți pe pagina 1din 40
CAPITULO IV A IMIGRAGA DOS CARIOS AO BRASIL — 1100 A 700 A.C. — Os conguistadores europeus encontraram no Brasil ve tings fica “preparada de cal e argila branca”, Mais tarde feriu-se 0 nome tabatinga & argila dessa cor. A io Iinguistica contém a prova de sio os descendentes dos ho- 19) Caru, que se estendeu desde 0 promontério Car- mel até 0 monte Tsuros; a grande metropole desse pais era a cidade ‘Tur (respectivamente iro). Os Gregos denominaram esse pais Fenicia; hoje ¢ chamado Siria.0 com a espléndi Hali- Car-Nassos, cuja situaco geogréfica rivaliza em beleza com a do Rio de Janeiro, onde os Cérios ome pela corruptela iro. Seus habitantes ef B a regizo, Siria, usado at 49) Caramania foi o vasto “hinterland” que se esten- Gia atras de Caru e Cari, até o Eufrates, i tal dessa provincia ‘Nio menos de 72 cidades e vilas foram fundadas com Q nome de Car. Arabia feliz era uma colénia dos Cérios; no Egito nasceu 1 metrépole Carania, e em Tebas (de 100 9 idade santa” com os sun- Nak. Na Frigia, Moesia tha de Creta, nas ilhas e e Ibéria, foram funda- jas de cidades com o no- pairros!) foi dedieada a Car Costas da Grécin, na Sit los sacerdotes de Ca Gas, Delrsnde progenitor. A metropole do Norte da Afri Greta Carthage; os Druidas da Galia denominavam sua tniversidade e a sede da ordem: um, que quer dizer “aqui interpreta Car as leis divinas", @ deram 0 mesmo nome Carnak aquele vasto bosque sagrado da Bretinhe, onde esto hoje ainda colocados 800 altos a6 mens, e onde foram celebrados, na antiguidiade, as festas pacionais e religiosas dos Gauleses. No Brasil foram fun- Gados pelos sacerdotes de Car, respectivamente Piagas, Giversos lugares sagrados, com o nome Carmutum, 0 qual mudou no corzer do tempo para Canudo. {A “Idade éurea” da humanidade terminou, como de- sapareceu 0 lendirio paraiso de Adio. A época’da paz foi substituida pela era das invasbes e guerras conquistado- ras. Saindo da Europa Central, invandiram povos fortes e numerosos, desde 1400 anos &. C., a peninsula baleani- cae se apoderaram progressivamente da Trécia, Macedd- nia, Tessilia e Grécia. De Id eles prepararam seu avango coritra as ilhas e costas da Asia Menor. O primeiro alvo fol a conquista de Trdia, que Ihes vedou a entrada & Asia Seis vezes foi conquistada assa cidade; mas sempre uni- ramse 0s povos vizinhos, reconquistaram Tréia e expul- saram os invasores Finalmente, os povos gregos organizaram uma gran- de alianga, sob 0 comando dos Achajos, convidaram todos es guerrelros de grande nome, e caminharam contra Troia, dispostos a conquistarem e destrufrem definitiva- menté a grande fortaleza, Fol a guerra mundial da anti guidade, ‘Ao lado dos Gregos combateram 54 povos; 05 ‘Troianos tinham como sécios mais de 40 povos. AS valen- tes Amazonas, sob o comando de sua rainha Pentesiléia, nio faltaram. Todas as tribos dos Jonios e Carlos, todos 6s povos do interior da Asia Menor, mandaram tropas au- xiliares, armamentos e viveres, para ajudarem aos Troia- nos. Dez anos ou mais lutaram os Gregos sem resultado. 80 nobres e herdis de ambos os lados. | Aquiles recebeu a flexa mortifera, a epopéia, le Homero nfo nega que os Troianos fe seus sdcios opuseram uma resisténcia herdica aos Gregos ‘Enfim estes venceram, em 1184 a. C. e Tréia ficou em ruinas quase 3000 anos, até que o entusiasta Schlie- mann escavou, com mil trabalhadores, a afamada cidade, ‘com 0 paldcio do rei Priamo e com as outras localidades indicadas na Miada, de Homero. Schliemann provou, pe- Jos documentos indeléveis de pedras lavradas, que a guer- ra de Trdia no foi uma lenda, mas um acontecimento historico de alta relevincia, e hoje sabemos, pelas inscri- Oes nas pedras lavradas do Brasil, que as consegiiéneias da guerra troiana deram 0 impulso para 0 primero descobrimento do Brasil e a primei- ra emigragio de povos brancos a este continente. Os Gregos, senhores da passagem dos estreitos ¢ da entrada para o interior da Asia Menor, ocuparam todo 0 litoral da Tonia e Caria e todas as ilhas do Mar Egeu, in- clusive a grande itha de Creta. A ilha Kopros (no grego Kipros, no latim Cyprus, no portugués Chipre) ficou ainda alguns séculos contestada entre os Fenicios e 0s Gregos. Assim, 0 florescente reinado de Ion com Efeso, Kolofon e muitas outras cidades, e Caria com Halicarnassos, Mean- dro e Rhodo cafram em poder dos Gregos e foram hele-_ nizados, As populagées indigenas foram escravizadas ou expulsas. Isso se deu na época de 1150 a 1000 anos a. C. fe assim comecou a época das emigrages dos povos do Mediterraneo. Encontramos nas narragdes dos antigos escritores muitas informagées de que tribos pelasgas & povos cdrios emigraram da Asia e da Grécia para a Ttélia e Ibéria, e mesmo para as costas do Oceano Atlantico Depois, os Gregos iniciaram sua expanséo colonial para Oeste e ocuparam Sicilia e 0 Sul da Ttélia, desalo- Jando passo a passo’os Fenicios de suas colonias. Por todos esses motivos transferiram estes seu grande movi- mento maritimo as costas e ilhas atlanticas. Informados a1