Sunteți pe pagina 1din 127
Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA Reitor Prof. MSc. Pe. José Romualdo Desgaperi Pró-Reitor

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA Reitor Prof. MSc. Pe. José Romualdo Desgaperi Pró-Reitor

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA

Reitor Prof. MSc. Pe. José Romualdo Desgaperi

Pró-Reitor de Graduação Prof. MSc. José Leão

Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa Prof. Dr. Pe. Geraldo Caliman

Pró Reitor de Extensão Prof. Dr. Luiz Síveres

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA VIRTUAL

Diretor Geral Prof. Dr. Francisco Villa Ulhôa Botelho

Diretoria de Pós Graduação e Extensão Prof.ª MSc. Ana Paula Costa e Silva

Diretoria de Graduação Prof.ª MSc. Bernadete Moreira Pessanha Cordeiro

Coordenação de Informática Weslley Rodrigues Sepúlvida

Coordenação de Apoio ao Aluno Prof. Esp. Núbia Rosa

Coordenação de Pólo e Relacionamento Francisco Roberto Ferreira dos Santos

Coordenação de Produção Maria Valéria Jacques de Medeiros da Silva

Equipe de Produção Técnica

Analista Profª Doutoranda Sheila da Costa Oliveira Profª Drª Wilsa Ramos

Editoras de Conteúdo Cynthia Rosa Marilene de Freitas

Conteudistas 1º Semestre Cláudio Sousa Reginaldo Silva Miriam Cembranelli Aliandro Varella Anélio Berti Paulo Mafra

Web Designers Edleide Freitas Marcelo Rodrigues Gonzaga

3

Miriam Cembranelli Aliandro Varella Anélio Berti Paulo Mafra Web Designers Edleide Freitas Marcelo Rodrigues Gonzaga 3
5
5

5

5
Contabilidade Empresarial Sumário Sumário Ementa: 9 Objetivos: 9 Contextua lização 9 Introdução

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Sumário Sumário Ementa: 9 Objetivos: 9 Contextua lização 9 Introdução

Sumário

Sumário

Ementa:

9

Objetivos:

9

Contextualização

9

Introdução

11

Aula 01 - A Contabilidade e sua aplicabilidade nas Organizações

13

1.1. O objeto de estudo da Contabilidade

13

1.2. Técnicas Aplicadas da Contabilidade

14

Aula 02 - Balanço Patrimonial

19

2.1 Conceituando o Balanço Patrimonial

19

2.2 Importância e Apresentação do Balanço

19

2.3 Ativo e Seus Elementos

20

2.4 Passivo e Seus Elementos

24

2.5 Fontes de Patrimônio Líquido

27

2.6 Equação Fundamental do Patrimônio

27

2.7 Balanço Contábil sob a Ótica da Matemática

28

2.8 A Conta na Estrutura do Balanço

33

Aula 03 - Procedimentos de Escrituração Contábil

37

3.1. Escrituração Contábil

37

3.2. Mecanismo do Débito e do Crédito

38

3.3. Demonstração do Resultado do Exercício - DRE

39

Aula 04 - Demonstrativos

45

4.1 Demonstrativo de Origens e Aplicação de Recursos - DOAR

45

4.2 Descrição das Origens

46

4.3 Descrição das Aplicações

46

4.4 Esquema Básico

47

4.5 Forma de Apresentação da DOAR

48

4.6 Fluxo de Caixa

52

Aula 05 - Contabilidade de Custos

59

5.1 Controle de Mercadorias e Operação com Mercadorias

59

5.2 Resultado com Mercadorias (RCM)

59

5.3 Custo das Mercadorias Vendidas (CMV)

61

5.4 Sistemas de Controle

61

5.5 Contabilidade de Custos

62

5.6 Princípios Básicos da Contabilidade de Custos

67

Aula 06 - Contabilidade de Custos II

69

6.1 Classificação dos Custos

69

6.2 Sistemas de Custeamento

72

6.3 Métodos de Custeio

75

Aula 07 - Método de Custeio Direto

79

7.1 Caracterização

79

7.2 Margem de Contribuição

84

7.3 Ponto de Equilíbrio

86

Aula 08 – Custo, meta e análise das demonstrações

97

7

de Contribuição 84 7.3 Ponto de Equilíbrio 86 Aula 08 – Custo, meta e an álise
Contabilidade Empresarial Sumário 8.1 Custeio Meta (Target Cost) 97 8.2 Análise das Demonstrações Financeiras 103
Contabilidade Empresarial
Sumário
8.1 Custeio Meta (Target Cost)
97
8.2 Análise das Demonstrações Financeiras
103
8.3 Avaliação do Desempenho Empresarial e Seus Indicadores
106
Glossário
Referências Bibliográficas
113
125

8

8.3 Avaliação do Desempenho Empresarial e Seus Indicadores 106 Glossário Referências Bibliográficas 113 125 8
Contabilidade Empresarial Ementa e objetivos Ementa: Noções básicas. Patrimônio. Informação contábil. Fato s

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Ementa e objetivos Ementa: Noções básicas. Patrimônio. Informação contábil. Fato s

Ementa e objetivos

Ementa:

Noções básicas. Patrimônio. Informação contábil. Fatos contábeis. Escrituração. Variações do patrimônio. Demonstrações financeiras. Análise gerencial das demonstrações financeiras. Conceitos fundamentais de custos. Análise de custo, volume e lucro. Análise de custo para decisão de preço. Fluxo de caixa. Introdução à análise das demonstrações financeiras: liquidez e endividamento.

Objetivos:

Ao final da disciplina, você deverá ser capaz de:

Identificar os processos inerentes para o processamento contábil.

Analisar o desempenho econômico-financeiro de uma empresa e sua situação patrimonial com ênfase na interpretação e análise dos relatórios contábeis.

Dominar os procedimentos aplicados nas técnicas e métodos da contabilidade que apóiam a gestão empresarial.

Realizar a análise econômica e financeira das demonstrações contábeis possibilitando diagnosticar

a situação da empresa através de evidências e fatos contábeis.

Proceder à análise de custos compreendendo-a como uma ferramenta fundamental na prevenção

e intervenção na gestão empresarial.

Analisar o balanço de uma empresa sobre os problemas de liquidez (incapacidade de satisfação

atenta dos seus compromissos financeiros), bem como sobre o grau de endividamento de uma empresa.

Analisar o balanço financeiro de uma empresa e extrair conclusões sobre os problemas de liquidez (incapacidade de satisfação atentada dos seus compromissos financeiros), bem como sobre o grau de endividamento.

Contextualização

A Contabilidade é compreendida por muitos autores como a alma da empresa, porque nela ficam registrados todos os atos e fatos que são determinantes de sua situação financeira. Em geral, espera-se do administrador que cumpra o seu papel na organização da documentação de forma adequada, nas transações negociais dentro do objeto da empresa, e na transparência dos dados para efeito gerencial. A contabilidade é uma atividade que está presente em todos os segmentos de negócios, incluindo ainda as organizações não empresariais e demais entidades. É uma atividade que repercute na sociedade, principalmente junto aos usuários das informações contábeis, por exemplo, o fisco, os investidores, os acionistas, as instituições financeiras, os trabalhadores, dentre outros. Nesta disciplina, você encontrará a

9

os acionistas, as instituições financeiras, os trabalhadores, dentre outros. Nesta disciplina, você encontrará a 9
Contabilidade Empresarial Ementa e objetivos identificação dos fatos passíveis de registro, assim como as técnicas

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Ementa e objetivos identificação dos fatos passíveis de registro, assim como as técnicas e

Ementa e objetivos

identificação dos fatos passíveis de registro, assim como as técnicas e métodos de escrituração e classificação dos fatos contábeis. Além disso, terá em mãos a exemplificação de registros de várias operações do dia-a-dia. Deste modo espera-se que o gestor desenvolva a habilidade de análise e interpretação dos relatórios contábeis com base no desempenho econômico-financeiro de uma empresa e de sua situação patrimonial.

10

relatórios contábeis com base no desempenho econômico-financeiro de uma empresa e de sua situação patrimonial. 10
Contabilidade Empresarial Introdução Introdução A disciplina Contabilidade Empresarial para gestores envolve um

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Introdução Introdução A disciplina Contabilidade Empresarial para gestores envolve um

Introdução

Introdução

A disciplina Contabilidade Empresarial para gestores envolve um conjunto de informações que abrange campos distintos do sistema contábil, apresentados na seguinte seqüência: (1) contabilidade geral; (2) contabilidade e análise de custos; (3) análise das demonstrações financeiras. Para efeito de estudos trabalhamos estes conceitos e procedimentos distribuídos em 8 (oito) aulas. Antes, porém, reflita um pouco sobre a disciplina, inspirando-se na seguinte constatação:

No início das civilizações o homem habitava as cavernas e na busca da sobrevivência usava
No início das civilizações o homem habitava as cavernas e na busca da sobrevivência usava objetos de
pedra, de madeira etc. e pequenos objetos (pedrinhas, grãos de milho, feijão etc.) para representar e
controlar a quantidade de objetos de caça de sua propriedade. Posteriormente, os pastores para controlar
seu rebanho também usavam esses objetos. Essas práticas antigas poderiam ser denominadas de
contabilidade do patrimônio. A contabilidade surgiu quando o homem aprendeu a contar.
Assim perguntamos:
Qual é o objeto de estudo da contabilidade?
Qual sua ênfase e finalidade nas organizações?
Quais são os recursos que utiliza para gerar uma base de dados confiável e sistematizada que
represente o patrimônio da empresa?

11

recursos que utiliza para gerar uma base de dados confiável e sistematizada que represente o patrimônio
Contabilidade Empresarial Aula 01 Aula 01 - A Contabilidade e sua aplicabilidade nas Organizações É

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 01 Aula 01 - A Contabilidade e sua aplicabilidade nas Organizações É importante

Aula 01

Aula 01 - A Contabilidade e sua aplicabilidade nas Organizações

É importante para todo o profissional que atua na gestão de organizações ter uma base sólida e conhecer o sistema denominado de contabilidade, pois essa fornece subsídios que possibilitam ao gestor tomar decisões visando alcançar os resultados esperados, ou seja, o sucesso de sua empresa.

1.1. O objeto de estudo da Contabilidade

A contabilidade é um sistema que envolve todos os dados e informações de uma organização
A contabilidade é um sistema que envolve todos os dados e informações de uma organização ou
empresa (pública ou privada) e tem como um dos objetivos fundamentais auxiliar os gestores na tomada
de decisão.

O objeto de estudo da Contabilidade deriva de seu conceito, ou seja, o patrimônio da empresa

(entidade). A atividade de contador abrange atividades que visam controlar e fornecer informações sobre o patrimônio da organização. Com base no princípio da entidade, a contabilidade trata da Pessoa Jurídica da empresa como distinta das pessoas físicas dos proprietários da empresa. Assim temos que:

A contabilidade é feita para a entidade e não para os seus proprietários, portanto, é
A contabilidade é feita para a entidade e não para os seus proprietários, portanto, é voltada para os
estudos da empresa pessoa jurídica.

Agora compare esses dois conceitos diferenciados de contabilidade:

I Contabilidade é a ciência que estuda e controla o patrimônio das organizações (empresas) com
I
Contabilidade é a ciência que estuda e controla o patrimônio das organizações (empresas) com ou sem
fins lucrativos (ótica escola européia).
II Contabilidade é um conjunto de técnicas para controlar o patrimônio das organizações (empresas) públicas
II
Contabilidade é um conjunto de técnicas para controlar o patrimônio das organizações (empresas)
públicas ou privadas (ótica escola americana).

Agora, extraia suas próprias conclusões sobre o que difere uma escola de outra. Para aprofundar neste

tema leia o artigo

entre as escolas em termos de conceitos. É que a escola européia dá ênfase na contabilidade como Ciência do Controle Patrimonial, enquanto que na escola americana a ênfase é no conceito de informação

História da Contabilidade. Ao ler esse texto, você notará qual é a principal diferença

conceito de informação História da Contabilidade . Ao ler esse texto, você notará qual é a

13

conceito de informação História da Contabilidade . Ao ler esse texto, você notará qual é a
Contabilidade Empresarial Aula 01 útil para os diversos usuários. Naturalmente, que as opções adotadas pelas

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 01 útil para os diversos usuários. Naturalmente, que as opções adotadas pelas escolas

Aula 01

útil para os diversos usuários. Naturalmente, que as opções adotadas pelas escolas resultam em determinados desdobramentos e conseqüências para a evolução dos estudos na área de contabilidade.

A

função principal da contabilidade é sem dúvida fornecer informações quantitativas e qualitativas sobre

o

estudo patrimonial dos agentes econômicos, constituindo-se de relevante importância no processo de

gestão das empresas. Outra tarefa ou função importante é centralizar todas as informações de natureza econômica, mediante os processos de classificação, quantificação, avaliação, registro, análise e relatório dos fatos ocorridos.

A contabilidade fornece informações necessárias ao bom desempenho da entidade, isto significa,

proporcionar informações que apóiam o alcance de seus objetivos econômicos ou sociais ou ambos.

Mas qual é o campo de aplicação da contabilidade?

As

entidades econômicas com fins lucrativos ou com fins filantrópicos constituem o campo de aplicação

da

contabilidade.

1.2. Técnicas Aplicadas da Contabilidade

São quatro as principais técnicas que a contabilidade utiliza para atingir seus objetivos:

Aplicadas da Contabilidade São quatro as principais técnicas que a contabilidade utiliza para atingir seus objetivos:

14

Aplicadas da Contabilidade São quatro as principais técnicas que a contabilidade utiliza para atingir seus objetivos:
Contabilidade Empresarial Aula 01 Agora vejamos detalhadamente cada uma dessas técnicas: a) Escrituração Contábil -

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 01 Agora vejamos detalhadamente cada uma dessas técnicas: a) Escrituração Contábil -

Aula 01

Agora vejamos detalhadamente cada uma dessas técnicas:

a) Escrituração Contábil - É a técnica de efetuar os registros dos fatos contábeis que afetam o patrimônio da entidade, passiveis de valorização monetária. Deve ser efetuada em ordem cronológica através dos lançamentos em livros próprios.

b) Evidenciação Contábil - É destinada ao repasse das informações aos usuários da contabilidade, no que diz respeito à situação patrimonial e suas variações. Também conhecida como “Técnicas de Demonstrações”, pois de forma sintética as informações são divulgadas mediante demonstrações padronizadas, tais como: Balanço Patrimonial; Demonstração de Resultados do Exercício; Demonstração de Origem e Aplicação dos Recursos; Demonstração de Lucros e Prejuízos ou Mutações do Patrimônio Líquido; Notas Explicativas.

c) Auditoria Contábil - Consiste no exame de livros, documentos, relatórios e no levantamento de informações, para verificar se as demonstrações financeiras representam de fato a situação econômica e patrimonial da empresa e se foram elaboradas de acordo com os princípios fundamentais de contabilidade. Trata-se de uma revisão contábil que pode ser feita pela auditoria interna e auditoria externa.

d) Análise de Balanço - Permite a análise e interpretação das Demonstrações Contábeis visando avaliar o desempenho das entidades em determinados períodos. É o estudo das situações econômico-financeiras das empresas, que visa à elaboração de relatórios detalhados, interpretados e escritos em uma linguagem acessível aos usuários das informações. (BERTI,

2001).

PARA SABER MAIS

Em sua atuação profissional, em uma entidade econômica, com certeza você irá usar algumas das

técnicas contábeis de auxílio na gestão dessa organização, por isso é importante que as conheça e as

domine.

Para aprofundar no tema da análise de balanço, leia o texto

aprofundar no tema da análise de balanço, leia o texto Análise Financeira . Retomemos a seguir

Análise Financeira.

Retomemos a seguir o fluxograma das técnicas contábeis e, observando o esquema, marque a opção correta nas questões que se seguem:

15

o fluxograma das técnicas cont ábeis e, observando o esquema, marque a opção correta nas questões
Contabilidade Empresarial Aula 01 Fluxograma das Técnicas Contábeis Fonte: BERTI, (2001, p. 37). 1. Quem

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 01 Fluxograma das Técnicas Contábeis Fonte: BERTI, (2001, p. 37). 1. Quem são

Aula 01

Fluxograma das Técnicas Contábeis

Empresarial Aula 01 Fluxograma das Técnicas Contábeis Fonte: BERTI, (2001, p. 37). 1. Quem são os

Fonte: BERTI, (2001, p. 37).

1. Quem são os usuários das informações contábeis?

a) Proprietários e administradores

b) Credores

c) Investidores (Bancos, agentes financeiros)

d) Governo

e) Sociedade em geral

f) Todas as opções estão corretas.

Se você escolheu alguma das letras de a até e se equivocou, porque a contabilidade não interessa apenas a um grupo, mas vários são os grupos sociais que têm interesse nas demonstrações contábeis. Assim, a opção correta é a letra f.

2. Agora reflita sobre a utilidade dos dados financeiros e responda: Qual é a utilidade dos

relatórios de contabilidade para cada um desses atores sociais? Correlacione a coluna A com a

B.

16

é a utilidade dos relatórios de contabilidade para cada um desses atores sociais? Correlacione a coluna
Contabilidade Empresarial Aula 01 Coluna A   Coluna B   ( ) Regulação e controle

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 01 Coluna A   Coluna B   ( ) Regulação e controle dos

Aula 01

Coluna A

 

Coluna B

 

(

) Regulação e controle dos impostos.

a) Proprietários e administradores

(

) Subsídios para tomada de decisão interna.

b) Credores

(

) Conhecimento da real situação da empresa.

c) Investidores (Bancos, agentes financeiros)

(

) Acompanhamento da situação econômica do

d) Governo

e) Sociedade em geral

presente e projetar no futuro as decisões sobre investimentos.

) Preocupação com os compromissos derivados de transações a prazo.

(

Agora, veja como cada um dos grupos utiliza os relatórios de contabilidade.

a) Os proprietários e administradores, para saber e acompanhar o desenvolvimento da empresa e

tomar decisões administrativas, utilizam as informações geradas pela contabilidade.

b) Os credores utilizam as informações contábeis para verificar se a empresa terá condições de no

futuro saldar os compromissos derivados de transações a prazo.

c) Os investidores (bancos, agentes financeiros) utilizam a contabilidade na tomada de decisão,

pois para um investidor decidir investir em uma determinada empresa esse analisa a situação

econômica da mesma através dos dados extraídos da contabilidade.

d) O governo deve identificar se o contribuinte (pessoa jurídica) está pagando os tributos ao

Estado. Isto é realizado através da contabilidade da empresa. Essa é a principal razão do governo

ser um dos usuários da contabilidade.

e) Sociedade em geral, ou seja, qualquer pessoa, pode ter interesse em saber a real situação de

determinada empresa ou entidade, e isto é possível por meio das informações contábeis.

Nessa primeira aula você teve a oportunidade de conhecer os conceitos básicos da Contabilidade e as técnicas empregadas. Tomou conhecimento dos principais usuários desta

17

os conceitos básicos da Contabilidade e as técnicas empregadas. Tomou conhecimento dos principais usuários desta 17
Contabilidade Empresarial Aula 01 ciência. Agora vamos discutir na aula 2 os proc edimentos de

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 01 ciência. Agora vamos discutir na aula 2 os proc edimentos de elaboração

Aula 01

ciência. Agora vamos discutir na aula 2 os procedimentos de elaboração do balanço para que você possa chegar posteriormente na fase de análise de balanços.

18

edimentos de elaboração do balanço para que você possa chegar posteriormente na fase de análise de
Contabilidade Empresarial Aula 02 Aula 02 - Balanço Patrimonial Nesta aula, você vai conhecer os

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 Aula 02 - Balanço Patrimonial Nesta aula, você vai conhecer os procedimentos

Aula 02

Aula 02 - Balanço Patrimonial

Nesta aula, você vai conhecer os procedimentos contábeis para a elaboração de um balanço patrimonial, estudando a conceituação, os aspectos funcionais e a importância do balanço patrimonial para as empresas. Por último, você estudará os cálculos matemáticos necessários para a elaboração do balanço.

2.1 Conceituando o Balanço Patrimonial

Balanço Patrimonial É a demonstração financeira que evidencia, resumidamente, o patrimônio da entidade, quantitativa
Balanço Patrimonial
É a demonstração financeira que evidencia, resumidamente, o patrimônio da entidade, quantitativa e
qualitativamente. (RIBEIRO, 1997)

Balanço Patrimonial é uma demonstração contábil que tem por finalidade apresentar a situação patrimonial de uma determinada entidade (empresa) em determinado momento. O balanço representa a situação estática do patrimônio, apesar dessa ser de natureza dinâmica. Trata-se de um mecanismo fundamental para obter dados do Ativo, Passivo, Patrimônio Líquido.

Na elaboração do balanço patrimonial, há necessidade de resumir e apresentar os dados de forma adequada, permitindo às pessoas interessadas conhecer a situação patrimonial da empresa e as variações ocorridas durante certo período de tempo. Também ao fazer o balanço, gestor ou o administrador gera relatórios que permitem analisar tais variações por meio da verificação direta dos registros contábeis.

2.2 Importância e Apresentação do Balanço

A maneira utilizada para apresentar o balanço patrimonial tem base na lei 6.404/76, que regulamenta as sociedades por ações. É importante destacar que o Ministério da Fazenda, pelo Decreto Lei 1.598/77, estendeu as normas e princípios contábeis, introduzidos pela lei 6.404/76, lei das S.A., às demais pessoas jurídicas que se submetem à tributação do imposto de renda com base no lucro real. As contas do balanço patrimonial representam o conjunto de bens, direitos e obrigações de uma empresa e são apresentadas em dois grandes grupos, ativo e passivo e em seus vários subgrupos.

Veja, no quadro a seguir, a disposição destes conceitos e os grupos representativos do balanço que pertencem a cada um:

19

no quadro a seguir, a disposição destes conceitos e os grupos representativos do balanço que pertencem
Contabilidade Empresarial Aula 02 CONTEÚDO DO BALANÇO Ativo Passivo Ativo Circulante Passivo circulante

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 CONTEÚDO DO BALANÇO Ativo Passivo Ativo Circulante Passivo circulante

Aula 02

CONTEÚDO DO BALANÇO

Ativo

Passivo

Ativo Circulante

Passivo circulante Passivo exigível a longo prazo Resultado de exercícios futuros Patrimônio líquido

Ativo Realizável a Longo Prazo Ativo Permanente

- Investimentos

- Imobilizado

- Capital social

- Diferido

- Reservas de capital

- Reservas de reavaliação

- Reservas de lucro

- Lucros (ou prejuízos) acumulados

Para compreender adequadamente a representação dos dados contábeis é fundamental dominar esses dois conceitos: Ativo e Passivo. Vamos, pois, discutir cada um destes elementos.

2.3 Ativo e Seus Elementos

Com o objetivo de auxiliar no entendimento do balanço patrimonial e o ativo, damos um exemplo em que são usados valores aproximados que servem para ilustrar algumas contas e os principais grupos do balanço patrimonial. Veja:

BALANÇO PATRIMONIAL DO EXERCÍCIO

 

ATIVO

PASSIVO

Circulante

Circulante

Caixa

5.000,00

Fornecedores

40.000,00

Banco conta movimento

20.000,00

Contas a Pagar

4.800,00

20

Caixa 5.000,00 Fornecedores 40.000,00 Banco conta movimento 20.000,00 Contas a Pagar 4.800,00 20
Contabilidade Empresarial Aula 02 Mercadorias Estoque 20.000,00 Provisão p/ Imposto Renda 4.530,00

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 Mercadorias Estoque 20.000,00 Provisão p/ Imposto Renda 4.530,00

Aula 02

Mercadorias Estoque

20.000,00

Provisão p/ Imposto Renda

4.530,00

Contribuição Social

2.416,00

Total do Circulante

45.000,00

Total do Circulante

51.746,00

Permanente

Patrimônio Líquido

Imobilizado

Móveis e utensílios

2.000,00

Capital Social

41.000,00

Veículos

12.000,00

Lucro Líquido do Exercício

23.254,00

Imóveis

40.000,00

Terreno

17.000,00

Total do Permanente

71.000,00

Total do Patrimônio Líquido

64.254,00

TOTAL DO ATIVO

116.000,00

TOTAL DO PASSIVO

116.000,00

Agora, observe a coluna da esquerda e faça uma análise dos elementos que compõem o ativo. Como você interpreta esses dados?

O ativo compreende o conjunto de bens e direitos da entidade (empresa), expressos em moeda,

representado pelos valores numerários (dinheiro em caixa e bancos), os direitos junto a terceiros (duplicatas a receber, contas a receber etc.), as mercadorias (estoques – de matéria-prima, material secundário, embalagens, peças de reposição, produtos acabados etc.), móveis e utensílios, terrenos,

máquinas e equipamentos etc. É regra padrão que todos os elementos do ativo sejam discriminados no lado esquerdo do balanço patrimonial. Em síntese, no ativo estão localizadas as aplicações de recursos

da empresa.

21

lado esquerdo do balanço patrimonial. Em síntese, no ativo estão localizadas as aplicações de recursos da
Contabilidade Empresarial Aula 02 O ativo está dividido em três (3) grandes grupos, denominados de

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 O ativo está dividido em três (3) grandes grupos, denominados de ativo

Aula 02

O ativo está dividido em três (3) grandes grupos, denominados de ativo circulante, ativo realizável a longo prazo, ativo permanente.

Vejamos cada um destes conceitos.

a) Ativo circulante - Esse grupo reúne as disponibilidades da empresa (caixa, banco conta movimento, aplicações financeiras de curto prazo ou imediata), reúne também as contas de bens

e direitos de circulação a curto prazo, duplicatas a receber, duplicatas descontadas, essa última

funciona como uma conta redutora, ou seja, reduz a conta de duplicatas. Outra conta que integra

o circulante é a conta de estoques (estoques de produtos acabados, estoques de matéria-prima,

material secundário, produtos em elaboração, estoque de material de reposição etc.). As despesas antecipadas referentes ao exercício seguinte também são contas que integram o ativo circulante. As contas do ativo circulante obedecem a uma ordem de classificação decrescente de liquidez, como demonstramos a seguir:

Disponibilidades

Caixa

Banco conta movimento ou conta corrente

Aplicações financeiras

Depósitos bancários a vista

Clientes

Duplicatas a receber

( - ) duplicatas descontadas

Outras contas a receber

( - ) provisão para crédito de liquidação duvidosa

Estoques

Mercadorias ou produtos acabados

Produtos em elaboração

Material secundário

Embalagens

Material de expediente e almoxarifado

Material de consumo

Peças para reposição

Despesas antecipadas

Seguros de exercício seguinte

Aluguel antecipado

22

consumo • Peças para reposição Despesas antecipadas • Seguros de exercício seguinte • Aluguel antecipado 22
Contabilidade Empresarial Aula 02 • Honorários técnicos antecipados • No ativo circulante as contas são

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 • Honorários técnicos antecipados • No ativo circulante as contas são

Aula 02

Honorários técnicos antecipados

No ativo circulante as contas são realizáveis em até 12 meses

Realizável O termo realizável em contabilidade quer dizer converter, mudar, transformar. O sentido de realizar
Realizável
O termo realizável em contabilidade quer dizer converter, mudar, transformar. O sentido de realizar em
contabilidade tem uma conotação própria, não significa dizer transformar dinheiro em moeda.

Para os valores a receber de clientes (contas a receber ou duplicatas a receber) também devem ser devidamente calculados os prováveis ou possíveis não-recebimentos, que devem ser lançados como contas redutoras.

b) Ativo realizável a longo prazo - Nesse grupo, figuram as contas em que a realização é de longo prazo (bens e direitos). Estão inseridas nesse grupo também as contas de direitos sem prazo de vencimento, ou seja, quando não se determina o prazo de vencimento do direito, em contabilidade, entende-se como de longo prazo.

As principais contas do ativo realizável são:

Créditos

Empréstimos compulsórios

Depósitos para incentivos fiscais

( - ) Provisão para perdas

Empréstimos a sócios

Empréstimos a empresas coligadas

Despesas antecipadas

c)

Ativo permanente - Envolve todas as aplicações da empresa correspondente à estrutura física da empresa, ou seja, os investimentos fixos e de realização de longo prazo. As aplicações normalmente são lançadas no permanente. Por sua vez, o ativo permanente está dividido em três grupos denominados: investimentos, imobilizado e diferido. Você verá os conceitos a seguir.

Grupo 1: Investimentos

São as aplicações da empresa em valores permanentes com o objetivo de gerar renda, renda essa que não faz parte da atividade principal da empresa, tais como:

Ações de empresas coligadas

Outras participações

Grupo 2: Imobilizado

23

principal da empresa, tais como: • Ações de empresas coligadas • Outras participações Grupo 2: Imobilizado
Contabilidade Empresarial Aula 02 No ativo imobilizado estão todos os bens físicos da empresa que

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 No ativo imobilizado estão todos os bens físicos da empresa que servem

Aula 02

No ativo imobilizado estão todos os bens físicos da empresa que servem à estrutura da empresa, ou seja, os bens da empresa destinados a cumprir as atividades objeto desta, tais como:

Terrenos e edificações

Máquinas e equipamentos

Móveis e utensílios

Veículos

Marcas e patentes

Reflorestamento

(-) Depreciação acumulada etc.

Grupo 3: Diferido

Nesse grupo são lançadas todas as despesas pré-operacionais, outros diferidos, as amortizações acumuladas etc.

Outro conceito fundamental, você já sabe, é o de passivo de uma empresa. Vamos a ele.

2.4 Passivo e Seus Elementos

Observe novamente a demonstração do balanço fictício que preparamos para a sua análise.

BALANÇO PATRIMONIAL DO EXERCÍCIO

 

ATIVO

PASSIVO

Circulante

Circulante

Caixa

5.000,00

Fornecedores

40.000,00

Banco conta movimento

20.000,00

Contas a Pagar

4.800,00

Mercadorias Estoque

20.000,00

Provisão p/ Imposto Renda

4.530,00

   

Contribuição Social

2.416,00

24

Estoque 20.000,00 Provisão p/ Imposto Renda 4.530,00     Contribuição Social 2.416,00 24
Contabilidade Empresarial Aula 02 Total do Circulante 45.000,00 Total do Circulante 51.746,00 Permanente

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 Total do Circulante 45.000,00 Total do Circulante 51.746,00 Permanente

Aula 02

Total do Circulante

45.000,00

Total do Circulante

51.746,00

Permanente

Patrimônio Líquido

Imobilizado

Móveis e utensílios

2.000,00

Capital Social

41.000,00

Veículos

12.000,00

Lucro Líquido do Exercício

23.254,00

Imóveis

40.000,00

Terreno

17.000,00

Total do Permanente

71.000,00

Total do Patrimônio Líquido

64.254,00

TOTAL DO ATIVO

116.000,00

TOTAL DO PASSIVO

116.000,00

O passivo compreende as obrigações da empresa (pessoa jurídica) para com terceiros, isto é, os valores

que a empresa deve a terceiros: duplicatas a pagar, contas a pagar, fornecedores, obrigações trabalhistas, obrigações fiscais. Essas são apenas algumas das obrigações da empresa, pois existem

outras. Todos os elementos pertencentes ao passivo estão discriminados no lado direito do balanço patrimonial. No passivo encontramos as origens de recursos de terceiros.

O passivo das empresas divide-se em quatro grandes grupos. São eles: passivo circulante; passivo

exigível a longo prazo; passivo resultado de exercícios futuros; patrimônio líquido.

a)

Passivo circulante - Nesse grupo que é uma das origens de terceiros de curto prazo, estão todas as obrigações da empresa, destacando as seguintes contas:

Conta corrente fornecedores

Obrigações trabalhistas

Salários a pagar

FGTS a depositar

Décimo terceiro salário a pagar

25

trabalhistas • Salários a pagar • FGTS a depositar • Décimo terceiro salário a pagar 25
Contabilidade Empresarial Aula 02 • INSS a recolher • Férias a pagar • Obrigações fiscais

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 • INSS a recolher • Férias a pagar • Obrigações fiscais

Aula 02

INSS a recolher

Férias a pagar

Obrigações fiscais

ICMS a recolher

PIS a recolher

COFINS a recolher

Imposto de renda pessoa jurídica etc.

b)

Passivo Exigível a longo prazo - Nesse grupo figuram todas as obrigações da empresa com terceiros de vencimento de longo prazo, ou seja, superior a 12 (doze) meses ou ainda sem data prevista de vencimento. As principais contas que fazem parte desse grupo são os empréstimos e financiamentos bancários realizados para:

Estrangeiros

Nacionais

Debêntures

Financiamentos de imobilizado superior a 12 meses

Outras obrigações e provisões etc.

c)

Passivo resultado de exercícios futuros - Figuram nesse grupo as receitas referentes a exercícios seguintes em que o recebimento foi antecipado. As despesas referentes a essas receitas que também foram antecipadas devem figurar no grupo como uma conta redutora. Um exemplo comum de operação de resultados futuros está na empresa de construção civil que negocia a venda de apartamentos ou casas, recebe os valores correspondentes, mas os imóveis serão entregues somente ao término da construção, exemplos:

Receitas antecipadas

(-) Despesas antecipadas.

d)

Patrimônio Líquido - Definimos Patrimônio Líquido como sendo a diferença entre os valores do ativo e do passivo de uma entidade, em determinado momento. No patrimônio líquido encontramos as origens de recursos próprios, sendo a mais comum a do capital social, ou capital social integralizado (realizado) pelos sócios.

Exemplificando:

Se a empresa tem um ativo de R$ 100.000,00 e um passivo de R$ 76.000,00
Se a empresa tem um ativo de
R$
100.000,00
e
um passivo de
R$
76.000,00
O
Patrimônio Líquido dessa entidade será
R$
24.000,00
26
Contabilidade Empresarial Aula 02 Esse valor de R$ 24.000,00 corresponde aos valores da empresa, dos

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 Esse valor de R$ 24.000,00 corresponde aos valores da empresa, dos sócios,

Aula 02

Esse valor de R$ 24.000,00 corresponde aos valores da empresa, dos sócios, que estão distribuídos em capital social, reservas, lucros etc.

2.5 Fontes de Patrimônio Líquido

O patrimônio líquido de uma entidade econômica, ou seja, a empresa pode ser proveniente de variadas

fontes. Vejamos duas de maior destaque:

d) Investimentos - Efetuados pelos proprietários na forma de integralização do capital em troca de ações, cotas ou outra participação. O capital social é a principal fonte de recursos próprios destinados aos investimentos da empresa.

e) Lucros - Participação dos lucros acumulados pela empresa em função de suas atividades no tempo. É uma fonte (adicional) de financiamento.

2.6 Equação Fundamental do Patrimônio

A representação quantitativa do patrimônio de uma empresa é conhecida no meio contábil pela

expressão Balanço Patrimonial. Mas afinal o que é o patrimônio?

Patrimônio É o conjunto de bens, direitos e obrigações de uma entidade.
Patrimônio
É o conjunto de bens, direitos e obrigações de uma entidade.

Como você viu anteriormente, sob o aspecto contábil, o patrimônio está dividido em duas partes: uma positiva chamada ativo; e uma negativa chamada passivo.

A diferença entre o Ativo (+) e o Passivo (-) chama-se Patrimônio Líquido que aparece vinculado ao

Passivo. Lembre-se que é necessário haver uma igualdade entre o Ativo e o Passivo, o que é denominado

de Equação Fundamental do Patrimônio ou Equação Patrimonial.

Fundamental do Patrimônio ou Equação Patrimonial. ATIVO PASSIVO Bens 88.000 Obrigações

ATIVO

PASSIVO

Bens

88.000

Obrigações

81.200

27

Fundamental do Patrimônio ou Equação Patrimonial. ATIVO PASSIVO Bens 88.000 Obrigações 81.200 27
Contabilidade Empresarial Aula 02 Direitos 12.000 Patrimônio Líquido 18.800 SOMA 100.000 SOMA

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 Direitos 12.000 Patrimônio Líquido 18.800 SOMA 100.000 SOMA

Aula 02

Direitos

12.000

Patrimônio Líquido

18.800

SOMA

100.000

SOMA

100.000

Líquido 18.800 SOMA 100.000 SOMA 100.000 No entanto, o estado patrimonial poderá apresentar-s e de

No entanto, o estado patrimonial poderá apresentar-se de diferentes maneiras na Equação Patrimonial:

a) Ativo = Passivo + Patrimônio Líquido

Isto, reflete uma situação de normalidade da empresa, uma vez que o conjunto de bens e direitos supera as obrigações.

b) Ativo = Patrimônio

e direitos supera as obrigações. b) Ativo = Patrimônio Líquido Passivo = 0 (zero) Implica na

Líquido Passivo = 0 (zero)

Implica na inexistência de obrigações para com terceiros, como geralmente ocorre na abertura da empresa. Nesse caso o passivo será igual a zero.

c) Ativo = Passivo

Nesse caso o passivo será igual a zero. c) Ativo = Passivo Patrimônio Líquido = 0

Patrimônio Líquido = 0 (zero)

Reflete a inexistência de capital próprio, o que significa que o ativo da empresa foi todo financiado com recursos de terceiros. Constitui um estado de alerta, pois a empresa atravessa por dificuldades financeiras, visto que determinados bens do ativo, como por exemplo, o imobilizado, não possui liquidez imediata além de não se destinar a revenda para saldar os compromissos assumidos. Diz-se que nesse caso o empreendimento está literalmente na corda bamba.

d) Ativo + Patrimônio Líquido = Passivo

Nessa hipótese a empresa se encontra em estado de insolvência, com um patrimônio líquido negativo, tornando-se indispensável a eliminação do Déficit aumentando o Patrimônio Líquido com a injeção de capital por parte dos seus proprietários. É uma situação conhecida no meio contábil como Passivo a Descoberto.

2.7 Balanço Contábil sob a Ótica da Matemática

A Contabilidade é uma ciência que estuda e controla o patrimônio (Escola Européia) e para ser ciência precisa seguir passos em ordem lógica comprovados no tempo. O profissional de contabilidade (contador) aplica esses procedimentos de forma sistematizada e seqüencial. O gestor, por sua vez, precisa saber o

28

(contador) aplica esses procedimentos de forma sistematizada e seqüencial. O gestor, por sua vez, precisa saber
Contabilidade Empresarial Aula 02 mecanismo matemático da contabilidade para poder entender como os fatos contábeis

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 mecanismo matemático da contabilidade para poder entender como os fatos contábeis

Aula 02

mecanismo matemático da contabilidade para poder entender como os fatos contábeis modificam as demonstrações contábeis, principalmente o balanço patrimonial.

Para você prosseguir os estudos, é fundamental compreender o que é o fato contábil.

Fato Contábil Os fatos contábeis são todos os eventos que ocorrem na empresa (entidade econômica)
Fato Contábil
Os fatos contábeis são todos os eventos que ocorrem na empresa (entidade econômica) possíveis de se
determinar valor monetário.

Os fatos contábeis classificam-se em três grupos diferentes, a saber: Fato Permutativo; Fato Modificativo; e Fato Misto.

a) Fato Contábil Permutativo - É aquele fato que apenas permuta valores entre as contas do ativo e passivo. O Permutativo só envolve contas patrimoniais. Exemplo: compra de uma máquina a vista, permuta de um bem (dinheiro) por outro bem (máquina).

b) Fato Contábil Modificativo - É aquele fato que modifica a situação líquida da empresa, ou para mais ou para menos (receitas e despesas). Exemplo: pagamento de despesas com luz (diminui a situação líquida da empresa).

c) Fato Contábil Misto - É aquele fato que tanto permuta valores patrimoniais como também modifica a situação líquida da empresa. O fato misto é aquele que envolve os dois fatos (permutativo e modificativo) simultaneamente.

Agora, que você já conhece o conceito de fato contábil, vamos realizar uma atividade de aplicação deste conceito. Para isso elaboramos um conjunto de operações demonstrativas das alterações provocadas no balanço após a ocorrência de um fato contábil.

Observe que cada fato contábil ocorrido altera a estrutura do balanço da empresa. O nosso objetivo nesta atividade é proporcionar-lhe uma compreensão matemática da contabilidade. Leia e analise as cinco operações contábeis que demonstramos a seguir e depois prepare a sexta operação.

1ª OPERAÇÃO

Vamos admitir que duas pessoas, José Costa e Pedro Lima, resolveram constituir uma empresa no ramo de comércio e prestação de serviços, com o nome (razão social) Costa e Lima Ltda. Cada um deles possuía em dinheiro R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) totalizando R$ 2.000.000,00. A empresa após esse fato contábil de constituição teria o seguinte balanço:

29

reais) totalizando R$ 2.000.000,00. A empresa após esse fato contábil de constituição teria o seguinte balanço:
Contabilidade Empresarial Aula 02 ATIVO PASSIVO Caixa R$ 2.000.000,00 Capital R$ 2.000.000,00 SOMA R$

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 ATIVO PASSIVO Caixa R$ 2.000.000,00 Capital R$ 2.000.000,00 SOMA R$

Aula 02

ATIVO

PASSIVO

Caixa R$ 2.000.000,00

Capital R$ 2.000.000,00

SOMA R$ 2.000.000,00

SOMA R$ 2.000.000,00

Note que do lado esquerdo do balanço está o conjunto de bens, nesse caso apenas o dinheiro. No lado direito o capital, que na verdade é a obrigação da pessoa jurídica Costa e Lima Ltda. para com os seus sócios.

2ª OPERAÇÃO

Como os dois sócios não queriam ficar com o dinheiro na empresa, resolveram abrir uma conta no banco e depositar o correspondente a R$ 1.980.000,00. Após esse fato contábil o balanço da empresa é o seguinte:

ATIVO

PASSIVO

Caixa

20.000,00

Capital

2.000.000,00

Banco c/ movimento

1.980.000,00

SOMA

2.000.000,00

SOMA

2.000.000,00

Como você pode observar, a soma não mudou no balanço; o que alterou foi a composição dos bens (dinheiro) que estava todo no caixa e a parte que foi para o banco.

3ª OPERAÇÃO

Agora, vamos admitir que os empresários resolvam comprar um imóvel para a sede da empresa no valor de R$ 500.000,00, sendo R$ 200.000,00 pagos à vista com um cheque da conta bancária e o restante em três parcelas de R$ 100.000,00 cada uma. Após esse fato contábil o balanço da empresa é o seguinte:

ATIVO

PASSIVO

Caixa

20.000,00

Capital

2.000.000,00

Banco c/movimento

1.780.000,00

Financiamento imóvel

300.000,00

Imóvel (sede)

500.000,00

SOMA

2.300.000,00

SOMA

2.300.000,00

Note que esse fato contábil alterou o balanço nos bens, direitos e obrigações. A empresa aumentou os bens, mas também contraiu obrigações.

30

alterou o balanço nos bens, direitos e obrigações. A empresa aumentou os bens, mas também contraiu
Contabilidade Empresarial Aula 02 4ª OPERAÇÃO A empresa precisa estruturar-se e os diretores efetuaram as

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 4ª OPERAÇÃO A empresa precisa estruturar-se e os diretores efetuaram as seguintes

Aula 02

4ª OPERAÇÃO

A empresa precisa estruturar-se e os diretores efetuaram as seguintes transações:

Compras de mercadorias para revenda no valor de R$ 400.000,00, pagas com um cheque da conta bancária.

Compra de componentes de instalações (prateleiras, balcões, mesas, cadeiras etc.) no valor de R$ 50.000,00, sendo em dinheiro R$ 10.000,00 e o restante a prazo.

Após essa quarta operação o balanço da empresa é o seguinte:

ATIVO

PASSIVO

Caixa

10.000,00

Capital

2.000.000,00

Banco c/ movimento

1.380.000,00

Financiamento imóvel

300.000,00

Mercadorias – estoque

400.000,00

Contas a pagar (instalações)

40.000,00

Instalações

50.000,00

   

Imóvel (sede)

500.000,00

   

SOMA

2.340.000,00

SOMA

2.340.000,00

Observe que cada operação (fato contábil) alterou o balanço da empresa, nesse caso modificou os componentes do ativo e do passivo.

5ª OPERAÇÃO

A empresa também realizou vendas e aquisições, veja quais foram:

Vendas de mercadorias no valor de R$ 15.000,00, sabendo que o custo dessa mercadoria é de R$ R$ 12.000,00, a venda foi efetuada com R$ 2.000,00 de entrada em dinheiro e o restante a prazo.

Compra de um veículo para a empresa no valor de R$ 28.000,00, sendo R$ 8.000,00 de entrada pagos com cheque e o restante a prazo.

Após essa operação o balanço da empresa é:

ATIVO

PASSIVO

Caixa

12.000,00

Capital

2.000.000,00

Banco c/ movimento

1.372.000,00

Financiamento imóvel

300.000,00

Duplicatas a receber

13.000,00

Financiamento Veículos

20.000,00

Mercadorias – estoque

388.000,00

Contas a pagar (instalações)

40.000,00

Instalações

50.000,00

Lucros acumulados

3.000,00

31

Contas a pagar (instalações) 40.000,00 Instalações 50.000,00 Lucros acumulados 3.000,00 31
Contabilidade Empresarial Aula 02 Imóvel (sede) 500.000,00     Veículos 28.000,00 SOMA

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 Imóvel (sede) 500.000,00     Veículos 28.000,00 SOMA

Aula 02

Imóvel (sede)

500.000,00

   

Veículos

28.000,00

SOMA

2.363.000,00

SOMA

2.363.000,00

Observe que cada fato contábil alterou a estrutura do balanço da empresa. Esses exemplos serviram para demonstrar como as alterações advindas de um fato impactam no formato do balanço e como utilizar e aplicar o pensamento matemático na realização do balanço.

Caso pergunte a um contador como elaborar um balanço, este poderá dizer que na contabilidade não se faz dessa forma que realizamos mas sim utilizando um conjunto de passos lógicos de contabilização. Mas, fizemos essas demonstrações para que você, futuro gestor ou administrador, conheça a estruturação do mecanismo contábil.

Dando prosseguimento a este exercício e visando aprimorar o seu conhecimento do mecanismo matemático do balanço de uma empresa, propomos uma atividade. Colocamos um conjunto de fatos contábeis para que a partir da quinta operação você dê continuidade na elaboração do novo balanço, ou seja, elabore a sexta operação.

6ª OPERAÇÃO

Os fatos contábeis são:

a) Vendas de mercadorias a prazo no valor de R$ 20.000,00, sabendo que o custo dessa é de R$

14.000,00.

b) Pagamento com cheque de uma prestação do veículo no valor de R$ 2.000,00.

c) Pagamento com cheque de uma parcela do financiamento do imóvel no valor de R$ 100.000,00.

d) Recebimento de duplicatas referentes à venda de mercadorias no valor de R$ 3.000,00, o valor recebido foi em dinheiro.

e) Pagamento em dinheiro de salários de funcionários da empresa no valor de R$ 3.200,00.

Agora acrescente estes dados e refaça o balanço. Anote as suas operações e compare com a nossa resolução.

Resolução

ATIVO

PASSIVO

Caixa

11.800,00

Financiamento Imóvel

200.000,00

Banco conta movimento

1.270.000,00

Financiamento Veículos

18.000,00

32

Financiamento Imóvel 200.000,00 Banco conta movimento 1.270.000,00 Financiamento Veículos 18.000,00 32
Contabilidade Empresarial Aula 02 Duplicatas a receber 30.000,00 Contas a pg. Instalações 40.000,00

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 Duplicatas a receber 30.000,00 Contas a pg. Instalações 40.000,00

Aula 02

Duplicatas a receber

30.000,00

Contas a pg. Instalações

40.000,00

Mercadorias estoque

374.000,00

   

Instalações

50.000,00

Capital

2.000.000,00

Imóvel Sede Empresa

500.000,00

Lucros acumulados

5.800,00

Veículos

28.000,00

   

Soma

2.263.800,00

Soma

2.263.800,00

2.8 A Conta na Estrutura do Balanço

Pergunta 1: Qual o significado de conta para a formação da estrutura do balanço?

O

e

dinheiro existente é representado pela conta Caixa, as mesas e cadeiras pela conta Móveis e Utensílios

assim por diante, então,

Pergunta 2: Como podemos conceituar conta?

A

bem ou de um direito, uma obrigação, uma receita ou uma despesa. Todo fato mensurável em dinheiro é representado por uma conta.

conta é a representação dos valores de mesma natureza, reunidos sob um título representativo de um

Pergunta 3: Para que serve a conta no balanço patrimonial?

A função da conta é representar a variação patrimonial que um fato promove no Patrimônio da Empresa.

Essa variação pode ser a débito ou a crédito da conta. Assim sendo uma conta pode ser debitada ou

creditada, a diferença entre o débito e o crédito chama-se saldo.

Para obter a perfeita classificação das contas você deverá conhecer a definição da natureza do elemento por ela representado. Mas, tenha clareza que historicamente a classificação das contas não tem se restringido a mera questão classificatória. Ao contrário, ao longo da história da Contabilidade, a classificação tem dividido os doutrinadores entre várias soluções, resultando em formas diferentes de interpretação e classificação das contas. Isto fez com que aparecessem várias escolas defensoras de seus princípios para justificar os critérios adotados para classificação das contas.

Entre estas escolas, destacamos as que se firmaram como as teorias mais importantes: Teoria Personalista; Teoria Materialista; Teoria Patrimonialista.

a) Teoria Personalista - Para esta escola as contas representam pessoas que se relacionam com a entidade em termos de débito e crédito. Como exemplo vejamos o caso de uma empresa que teve o seu capital subscrito e integralizado pelos sócios. No momento de integralização, a pessoa capital, representando os sócios, concedeu um crédito à entidade. Esta por sua vez entregou os

33

a pessoa capital, representando os sócios, concedeu um crédito à entidade. Esta por sua vez entregou
Contabilidade Empresarial Aula 02 recursos recebidos à pessoa caixa. Desta forma, a pessoa capital ficou

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 recursos recebidos à pessoa caixa. Desta forma, a pessoa capital ficou credora

Aula 02

recursos recebidos à pessoa caixa. Desta forma, a pessoa capital ficou credora enquanto a pessoa caixa ficou devedora da entidade. Esta escola classifica as contas em:

contas dos proprietários - Compreendem todas as contas do patrimônio líquido e suas variações como as receitas e despesas;

contas dos agentes consignatários - Compreendem as contas representativas de bens corpóreos; e

contas dos agentes correspondentes - Compreendem aquelas que representam direitos ou obrigações.

b) Teoria Materialista - Para esta escola a relação entre as contas e a entidade é uma relação material e não pessoal. De sorte que a conta só deve existir enquanto existir também o elemento material por ela representado. Por isso as contas são classificadas em dois grupos a saber:

contas integrais - São aquelas representativas de bens, direitos e obrigações;

contas diferenciais - São as que integram o patrimônio líquido, além das receitas e despesas.

c) Teoria Patrimonialista - Segundo a teoria patrimonialista, a contabilidade tem como finalidade controlar o patrimônio e apurar o resultado das entidades. Portanto, esta teoria classifica as contas em:

contas patrimoniais - São aquelas que representam o ativo e o passivo da entidade. Desta forma são contas patrimoniais aquelas que indicam a existência de bens, direitos, obrigações e o patrimônio líquido da entidade, formado pelo capital social, as reservas e os lucros ou prejuízos acumulados.; e

contas de resultado - Compreendem as receitas e as despesas do período, que devem ser encerradas no final do exercício para que se apure o resultado do exercício. Este resultado, lucro ou prejuízo, será incorporado ao patrimônio através da conta de Lucros ou Prejuízos Acumulados.

Exemplificando a classificação das contas segundo as escolas ou teorias apresentadas, tomemos a conta Capital:

conta dos proprietários, segundo a teoria personalista;

conta diferencial pela teoria materialista; e

conta patrimonial de acordo com a teoria patrimonialista.

34

• conta diferencial pela teoria materialista; e • conta patrimonial de acordo com a teoria patrimonialista.
Contabilidade Empresarial Aula 02 2.8.1 Classificação A Teoria Patrimonialista - atualmente a mais usada e

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 2.8.1 Classificação A Teoria Patrimonialista - atualmente a mais usada e aceita

Aula 02

2.8.1 Classificação

A Teoria Patrimonialista - atualmente a mais usada e aceita como a mais adequada entre os contadores - classifica as contas em Patrimoniais e de Resultados.

a) Contas Patrimoniais - Ativo, Passivo, incluindo neste o Patrimônio Líquido.

b) Contas de Resultados - Fenômenos que modificam a situação líquida da empresa (receita e despesa).

2.8.2 Funcionalidades

Quanto a sua funcionalidade, as contas de resultados se dividem em dois grupos:

a) Contas Unilaterais - São aquelas que sofrem variações apenas num sentido. Por isso, o saldo dessa conta aumenta sempre. Estão nesse caso as contas de resultados (receitas e despesas) só creditadas ou só debitadas.

b) Contas bilaterais - São aquelas que sofrem variações nos dois sentidos, ou seja, o seu saldo pode aumentar ou diminuir.

2.8.3 Divisão

Essas contas são divididas em três: ativo, passivo e mista. Vejamos cada um destes grupos:

a) Contas do Ativo - Podem ser debitadas ou creditadas, mas o seu saldo será sempre devedor, com exceção das contas retificadoras do ativo deste. Exemplo: Depreciação acumulada sobre veículos.

b) Contas do Passivo - Podem ser creditadas ou debitadas, mas o seu saldo será sempre credor, também excepcionalmente as retificadoras.

c) Contas Mistas - São debitadas e creditadas, apresentando o saldo ora devedor, ora credor. Exemplo: a conta resultado do exercício.

Observe que as contas retificadoras são contas que tem por finalidade ajustar a expressão patrimonial de determinada conta ou grupo de contas contidos no balanço patrimonial para que este espelhe a verdadeira situação patrimonial da empresa. Exemplo: no grupo do ativo imobilizado as contas desse grupo são apresentadas no balanço pelos seus valores corrigidos menos a depreciação acumulada dos bens tangíveis (conta retificadora).

Assim também a amortização, a exaustão, o capital a integralizar e os prejuízos acumulados são contas que retificam a expressão patrimonial dos grupos a que pertencem, sendo apresentadas no balanço como parcelas retificadoras (-) nos respectivos grupos.

35

dos grupos a que pertencem, sendo apresentadas no balanço como parcelas retificadoras (-) nos respectivos grupos.
Contabilidade Empresarial Aula 02 Nesta aula você pôde compreender a estrut ura de um balanço

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 02 Nesta aula você pôde compreender a estrut ura de um balanço contábil

Aula 02

Nesta aula você pôde compreender a estrutura de um balanço contábil e a estática patrimonial, os fatos contábeis, e, para finalizar, o convidamos a aplicar estes conceitos em atividades práticas.

36

patrimonial, os fatos contábeis, e, para finalizar, o convidamos a aplicar estes conceitos em atividades práticas.
Contabilidade Empresarial Aula 03 Aula 03 - Procedimentos de Escrituração Contábil Você pode imaginar os

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 03 Aula 03 - Procedimentos de Escrituração Contábil Você pode imaginar os procedimentos

Aula 03

Aula 03 - Procedimentos de Escrituração Contábil

Você pode imaginar os procedimentos que devem ser seguidos para realizar o registro sistematizado dos dados preparando-os para dar entrada no balanço? Essa terceira aula pretende demonstrar o funcionamento do processo de escrituração contábil. Mesmo você não sendo um contador, é necessário conhecer essas técnicas. Também estudamos nesta aula a elaboração do balancete de final de exercício.

3.1. Escrituração Contábil

A escrituração segundo BERTI (2001, p.56) “é o registro dos fatos contábeis ocorridos na empresa. Esses

fatos são registrados diariamente em livros especiais, tais como: diário, razão. O lançamento é a maneira, o mecanismo utilizado para efetuar os registros contábeis”.

À medida que os fatos contábeis vão ocorrendo provocam alterações no balanço da empresa, conforme

vimos na aula 2, entretanto, o contador não pode elaborar um balanço a cada fato ocorrido. A escrituração é a técnica que permite o contador registrar os fatos ocorridos durante um determinado

período (dia, semana, mês, ano) e, ao final desse período, elaborar o balanço.

A escrituração contábil se dá através de lançamentos efetuados no diário e na conta razão. O lançamento

compreende sempre uma ou mais contas de débito e uma ou mais contas de crédito.

Lembre-se: A soma dos débitos será sempre igual a soma dos créditos.
Lembre-se:
A soma dos débitos será sempre igual a soma dos créditos.

Todo e qualquer fato contábil deve ser escriturado no diário e no razão através do lançamento, conforme exemplificamos no próximo exercício.

Fato contábil: Pagamento de consumo de energia elétrica no valor de R$ 380,00, sendo esse efetuado em dinheiro.

Diário

HISTÓRICO

DÉBITO

CRÉDITO

1- Energia Elétrica

380,00

 

2- Caixa

 

380,00

Pagamento do talão da conta de energia elétrica, referente ao mês 10, da Cia de Energia Elétrica do Estado.

   

37

do talão da conta de energia elétrica, referente ao mês 10, da Cia de Energia Elétrica
Contabilidade Empresarial Aula 03 Razão CONTA CAIXA CONTA ENERGIA ELÉTRICA Débito Crédito Débito

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 03 Razão CONTA CAIXA CONTA ENERGIA ELÉTRICA Débito Crédito Débito

Aula 03

Razão

CONTA CAIXA

CONTA ENERGIA ELÉTRICA

Débito

Crédito

Débito

Crédito

 

380,00

380,00

 

Neste exercício elaboramos um lançamento de um fato contábil no diário e na conta razão da empresa. A contabilidade registra todos os fatos contábeis em seqüência cronológica de data no diário e no razão e

ao final de um determinado período, elabora-se o balanço da empresa.

3.2. Mecanismo do Débito e do Crédito

Conforme demonstramos acima a coluna do débito é sempre a primeira e conseqüentemente a do crédito

é a segunda. Pela conta no formato de T, no lado esquerdo estão os valores correspondentes ao débito e

no

lado direito os valores do crédito.

O

lançamento é a ferramenta utilizada pelo contador para registrar os fatos contábeis ocorridos na

empresa. Todo lançamento deve possuir valores a débito e valores a crédito, porém a soma dos débitos tem que ser igual à soma dos créditos.

Para saber quando se deve debitar e quando se deve creditar, é só analisar o fato contábil de acordo com

o esquema do quadro a seguir.

 

FATO CONTÁBIL

AUMENTA

DIMINUI

1-

Quando se trata de uma conta patrimonial do ativo (bens e

Debita

Credita

direitos)

 

2- Quando

se

trata de uma conta patrimonial do passivo

Credita

Debita

(obrigação)

3- Quando se trata de uma conta patrimonial do patrimônio líquido (capital, reservas lucros acumulados etc.)

Credita

Debita

4-

Quando se trata de uma conta de resultados despesa

Debita

 

5-

Quando se trata de uma conta de resultados receita

 

Credita

Observação A conta de despesa (item 4) sempre será débito e a conta de receita
Observação
A conta de despesa (item 4) sempre será débito e a conta de receita (item 5) sempre será crédito,
excepcionalmente, em caso de estorno, essas contas poderão ser classificadas, respectivamente, como
crédito e débito.

38

em caso de estorno, essas contas poderão ser classificadas, respectivamente, como crédito e débito. 38
Contabilidade Empresarial Aula 03 O balancete de final de exercício reúne todos os saldos da

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 03 O balancete de final de exercício reúne todos os saldos da contas

Aula 03

O balancete de final de exercício reúne todos os saldos da contas da empresa no exercício, bem como os

ajustes efetuados nas contas de depreciação, exaustão, amortização e provisões para créditos duvidosos.

3.3. Demonstração do Resultado do Exercício - DRE

A demonstração do resultado do exercício é a apresentação resumida das operações realizadas pela

entidade (empresa) durante o exercício social (01-01 a 31-12), destacando o resultado líquido do período.

A demonstração de resultados do exercício elaborada simultaneamente com o Balanço Patrimonial

constitui no demonstrativo que focaliza as operações da empresa no período. Inclusive envolvem as contas de resultados e contas de crédito (receitas e despesas). Essa demonstração mostra o resultado auferido pela empresa no período de duas maneiras:

Lucro ou Prejuízo

a) Lucro - Ocorre o lucro na empresa quando o total das receitas do período for superior às despesas, lembrando que juntamente com as despesas deve incluir os encargos decorrentes do próprio lucro.

b) Prejuízo - Ao contrário do lucro, o prejuízo ocorre quando as despesas do período somarem um valor superior às receitas.

PARA SABER MAIS

Para que compreenda a relação lucro, prejuízo e a importância do planejamento programado, leia o

trecho extraído da dissertação "

no dia 05 de maio de 2006.

extraído da dissertação " no dia 05 de maio de 2006. Análise do Uso da Informação

Análise do Uso da Informação Contábil para Fins Gerenciais", extraído

“O lucro que uma empresa alcança, via de regra, é um resultado programado, fruto do planejamento empresarial e da inteligência das mais diversas áreas do conhecimento humano. Quando resultados empresarias positivos acontecem espontaneamente, busca-se explicações em fatores fora do ambiente de competição e do mercado. Portanto, os resultados apontados nas demonstrações financeiras das empresas refletem algo programado ou um planejamento deficiente, considerando, a princípio, que não se comanda uma companhia na direção do prejuízo. Segundo Catelli e Guerreiro (1993; p. 7), continuidade da empresa é assegurada quando o resultado de suas operações é, no mínimo, suficiente para assegurar a reposição dos ativos empregados no processo de realização das suas atividades”. (Nivaldo, 1999, p.15

A contabilidade pautada nos dois relatórios (balanço patrimonial e demonstração do resultado do

exercício), elaborados de forma complementar, possui a finalidade de mostrar a situação patrimonial

econômico-financeira da empresa. Na elaboração da demonstração de resultados do exercício são

39

patrimonial econômico-financeira da empresa. Na elaboração da demonstração de resultados do exercício são 39
Contabilidade Empresarial Aula 03 utilizadas todas as transações do período envolvendo os fatos contábeis de

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 03 utilizadas todas as transações do período envolvendo os fatos contábeis de receitas

Aula 03

utilizadas todas as transações do período envolvendo os fatos contábeis de receitas e despesas, seguindo uma ordem, conforme demonstramos no modelo simplificado a seguir.

 

MODELO SIMPLIFICADO DE DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS

Item

Conta

Valor em R$

1.

Receita Operacional Bruta

10.000,00

2.

(-) Deduções

-1.065,00

 

(-) Devolução de vendas

x-x

 

(-) ICMS

-800,00

 

(-) PIS

-65,00

 

(-) COFINS

-200,00

3.

Receita Operacional Líquida

8.935,00

4.

(-) CMV ou CPV

-4.035,00

5.

Lucro Bruto

9.900,00

6.

(-) Despesas operacionais

-3.040,00

 

(-) Despesas com vendas

-300,00

 

(-) Despesas financeiras

-140,00

 

(-) Despesas gerais administrativas

-2.600,00

 

(-) Outras despesas operacionais

x-x

7.

Lucro Operacional

1.860,00

8.

Resultado não operacional

x-x

 

+ Receita não operacional

x-x

 

(-) Despesas não operacional

x-x

9.

Lucro antes do Imposto de Renda

1.860,00

10

(-) Contribuição Social

-179,00

11

(-) Provisão para Imposto de Renda

-279,00

12

(-) Participações e Contribuições

x-x

13

Lucros (ou prejuízos) líquidos

1.402,00

3.3.1. Procedimentos de elaboração do Balanço Patrimonial

Na elaboração do balanço patrimonial é importante observar o seguinte:

a) Primeiro - Da mesma forma que o demonstrativo de resultados, o balanço patrimonial parte do balancete, ou seja, nós usamos todas as contas classificadas como patrimoniais.

40

o balanço patrimonial parte do balancete, ou seja, nós usamos todas as contas classificadas como patrimoniais.
Contabilidade Empresarial Aula 03 b) Segundo - As contas patrimoniais com saldo devedor vão direto

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 03 b) Segundo - As contas patrimoniais com saldo devedor vão direto para

Aula 03

b) Segundo - As contas patrimoniais com saldo devedor vão direto para o grupo do ativo, salvo lucros acumulados que é uma conta do patrimônio líquido, e quando o saldo for devedor reduz o patrimônio líquido.

c) Terceiro - Buscar no demonstrativo de resultados os valores das contas a seguir.

O estoque final de mercadorias que aparece no cálculo do CMV e lançar no ativo circulante estoques.

O resultado líquido apurado no demonstrativo e lançar no passivo patrimônio líquido, quando credor soma, quando devedor reduz.

As contas de provisões (IRPJ, contribuição social), obrigações que deverão ser repassadas ao governo no exercício seguinte.

Outras distribuições e participações caso a empresa tenha como obrigação cumprir determinados estatutos.

EXERCÍCIO PARA RESOLUÇÃO

1ª OPERAÇÃO

A empresa Auto Peças e Oficina Pereira Ltda apresenta o balancete de final de exercício, conforme segue:

Caixa

R$

5.000,00

 

Banco conta Movimento

R$

20.000,00

 

Mercadorias-Estoque

R$

15.000,00

 

Imóveis

R$

40.000,00

 

Veículos

R$

12.000,00

 

Terreno

R$

17.000,00

 

Móveis e Utensílios

R$

2.000,00

 

Mercadorias - Vendas

-

R$ 180.000,00

Fornecedores

-

R$

40.000,00

Mercadorias - Compras

R$

130.000,00

 

Capital Social

-

R$

41.000,00

Aluguel

R$

1.000,00

 

Salários

R$

8.000,00

 

Despesas com Telefone

R$

500,00

 

Despesas com Veículos

R$

1.000,00

 

Pró-labore

R$

6.000,00

 

Impostos

R$

2.000,00

 

Contas a Pagar

-

R$

4.800,00

Serviços Prestados

-

R$

1.700,00

Juros Recebidos

-

R$

500,00

41

a Pagar - R$ 4.800,00 Serviços Prestados - R$ 1.700,00 Juros Recebidos - R$ 500,00 41
Contabilidade Empresarial Aula 03 Despesas com Luz R$ 200,00   INSS R$ 2.480,00   ICMS

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 03 Despesas com Luz R$ 200,00   INSS R$ 2.480,00   ICMS R$

Aula 03

Despesas com Luz

R$

200,00

 

INSS

R$

2.480,00

 

ICMS

R$

820,00

 

Despesas com Seguros

R$

1.200,00

 

Comissões sobre vendas

R$

1.600,00

 

Fretes sobre vendas

R$

900,00

 

Juros Pagos

R$

300,00

 

COFINS

R$

350,00

 

PIS

R$

150,00

 

CPMF

R$

200,00

 

Vale Transporte

R$

300,00

 

Total

R$

268.000,00

R$ 268.000,00

2ª OPERAÇÃO

Após o levantamento físico junto ao almoxarifado e às prateleiras, constatou-se um estoque final de mercadorias no valor de R$ 20.000,00. Com base nisso, elabore o demonstrativo de resultados do exercício e depois confira o seu resultado clicando na caixa de Exercício Resolvido.

Exercício Resolvido

Item

Conta

Valor em R$

1.

Receita Operacional Bruta

 
 

- Vendas de mercadorias

180.000,00

- Serviços prestados

1.700,00

Total de vendas e serviços

181.700,00

2.

Deduções da Receita Bruta

 
 

(-) Devolução de vendas

x-x

 

(-) ICMS

-820,00

 

(-) Pis

-150,00

 

(-) COFINS

-350,00

3.

Receita Operacional Líquida

180.380,00

4.

(-) CMV (15.000,+130.000,-20.000,)

-125.000,00

5.

Lucro Bruto

55.380,00

6.

(-) Despesas Operacionais

 

42

-125.000,00 5. Lucro Bruto 55.380,00 6. (-) Despesas Operacionais   42
Contabilidade Empresarial Aula 03   (-) Despesas com vendas -2.500,00   (-) Despesas financeiras

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 03   (-) Despesas com vendas -2.500,00   (-) Despesas financeiras

Aula 03

 

(-) Despesas com vendas

-2.500,00

 

(-) Despesas financeiras

-500,00

 

(-) Despesas gerais administrativas

-22.680,00

 

(-) Outras despesas operacionais

x-x

7.

Lucro Operacional

29.700,00

8.

Resultado não operacional

x-x

 

+ Receita não operacional

500,00

 

(-) Despesas não operacional

x-x

9.

Lucro antes do Imposto de Renda

30.200,00

10.

(-) Contribuição Social (9%)

-2.718,00

11.

(-) Provisão para Imposto de Renda (15%)

-4.530,00

12.

(-) Participações e Contribuições

x-x

13.

Lucros (ou prejuízos) líquidos

22.952,00

Obs.: A empresa Auto Peças e Oficina Pereira Ltda. trabalha com o sistema de inventário periódico, ou seja, o custo da mercadoria vendida só é calculado no final do período.

Importante A alíquota de tributos que incide sobre o lucro antes do Imposto de Renda
Importante
A alíquota de tributos que incide sobre o lucro antes do Imposto de Renda não é constante, ou seja, ela
pode alterar e você precisa estar informado da alíquota correta no momento de cálculo.

Nesta aula, você estudou a forma utilizada para registrar os fatos contábeis, ou seja, o mecanismo do débito e do crédito e as dicas para elaborar o DRE – Demonstrativo de Resultados do Exercício.

43

o mecanismo do débito e do crédito e as dica s para elaborar o DRE –
Contabilidade Empresarial Aula 04 Aula 04 - Demonstrativos Na aula 2, iniciamos a elaboração do

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 04 Aula 04 - Demonstrativos Na aula 2, iniciamos a elaboração do balanço

Aula 04

Aula 04 - Demonstrativos

Na aula 2, iniciamos a elaboração do balanço patrimonial onde enfocamos o balancete e na aula 3 enfocamos a DRE. Nessa aula damos continuidade iniciando com a DOAR – Demonstrativo de Origens e Aplicação de Recursos, mostrando a sua aplicação e importância. Em seguida enfocamos o fluxo de caixa, apresentando a DFC – Demonstração de Fluxo de Caixa. Estude com atenção esses assuntos, pois são muito importantes para a compreensão e análise do Balanço Patrimonial numa perspectiva gerencial.

4.1 Demonstrativo de Origens e Aplicação de Recursos - DOAR

A demonstração das origens e aplicação de recursos (mais conhecida como DOAR), como o seu próprio

nome indica, tem por objetivo apresentar de forma ordenada e sumarizada as informações relativas às operações de financiamento e investimento da empresa durante o exercício e evidenciar as alterações na

posição financeira da empresa.

as alterações na posição financeira da empresa. Os financiamentos estão representados pelas origens dos

Os financiamentos estão representados pelas origens dos recursos, e os investimentos pelas aplicações dos recursos.

Você sabe o que significa recursos na linguagem da contabilidade?

O significado de recursos, aqui, não é simplesmente designar numerários disponíveis, porque abrange um

conceito mais amplo; representa o capital de giro líquido que, na denominação dada pela lei, é Capital Circulante Líquido.

Capital de giro líquido É a diferença entre os Ativos Circulantes (AC) e Passivos Circulantes
Capital de giro líquido
É
a diferença entre os Ativos Circulantes (AC) e Passivos Circulantes (PC)

45

Líquido. Capital de giro líquido É a diferença entre os Ativos Circulantes (AC) e Passivos Circulantes
Contabilidade Empresarial Aula 04 A demonstração das Origens e Aplicação de Recursos é abrangente, pois

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 04 A demonstração das Origens e Aplicação de Recursos é abrangente, pois envolve

Aula 04

A demonstração das Origens e Aplicação de Recursos é abrangente, pois envolve as variações do capital circulante líquido e que representa uma demonstração das mutações na posição financeira como um todo. É por esse motivo que em alguns países é denominada Demonstração das Mutações na Posição Financeira.

4.2 Descrição das Origens

As origens de recursos são representadas pelos aumentos no Capital Circulante Líquido, e as mais comuns são:

a)

Das próprias operações - Quando as receitas (que geram ingressos de capital circulante líquido) do exercício são maiores que as despesas (que geram aplicações ou reduções de capital circulante líquido). Assim, ignorando as despesas ou receitas que não afetam o capital circulante líquido, temos simplesmente que:

Se houver lucro, teremos uma origem de recursos.

Se houver prejuízo, teremos uma aplicação de recursos.

b)

Dos acionistas - Pelos aumentos de capital integralizados pelos mesmos no exercício, já que tais recursos aumentam as disponibilidades da empresa e, conseqüentemente, seu capital circulante líquido.

c)

De terceiros - Por empréstimos obtidos pela empresa, pagáveis a longo prazo em Ativo Circulante. Os empréstimos feitos e pagáveis a curto prazo não são considerados como origens de recursos.

4.3 Descrição das Aplicações

As aplicações de recursos são representadas pelas diminuições do Capital Circulante Líquido, e as mais comuns são:

a) Inversões permanentes - Derivadas de:

Aquisições de ativo Imobilizado.

Investimentos

Diferido

b) Pagamento de empréstimos a longo prazo - Assim como a obtenção de um novo financiamento representa uma origem, a sua liquidação representa uma aplicação.

c) Remuneração de Acionistas - Derivada dos dividendos distribuídos.

46

sua liquidação representa uma aplicação. c) Remuneração de Acionistas - Derivada dos dividendos distribuídos. 46
Contabilidade Empresarial Aula 04 Existem outras origens e aplicações que não afetam o capital circulante,

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 04 Existem outras origens e aplicações que não afetam o capital circulante, mas

Aula 04

Existem outras origens e aplicações que não afetam o capital circulante, mas aparecem na demonstração. Vejamos alguns tipos de transações efetuadas que não afetam o capital circulante líquido,

mas são representadas como origens e aplicações simultaneamente:

a) Aquisição de bens do Ativo Permanente (Imobilizado) pagáveis a longo prazo - Neste caso, há uma aplicação pelo acréscimo do Ativo Permanente e ao mesmo tempo uma origem pelo financiamento obtido pelo acréscimo do exigível a longo prazo, como se houvesse entrado o que fosse imediatamente aplicado.

b) Conversão de Empréstimo a longo prazo em capital - Neste caso, há uma origem pelo aumento de capital e, paralelamente, uma aplicação pela redução do Exigível a longo prazo, como se houvesse ingresso de recursos de capital aplicado na liquidação da dívida.

c) Integralização de capital em bens do ativo permanente - Situação também sem efeito sobre o capital circulante líquido, mas representa uma origem (aumento de capital) e na aplicação (bens do Ativo Permanente recebidos), como se houvesse essa circulação de recursos.

d) Venda de bens do Ativo Permanente recebível a longo prazo - Operação que também deve ser demonstrada na origem, como se fosse recebido o valor da venda, e na aplicação, como se houvesse o empréstimo sido feito para recebimento a longo prazo.

PARA SABER MAIS

A

PARA SABER MAIS A lei nº 6.404/76 tornou a DOAR obrigatória para todas as companhias, conforme

lei nº 6.404/76 tornou a DOAR obrigatória para todas as companhias, conforme disposto no seu

artigo 176, item IV e não obrigatória para companhia de capital aberto, quando o patrimônio líquido for

pequeno.

4.4 Esquema Básico

a) Contas do Ativo - Representam aplicações, quando aumentam de saldo; e origens, caso ocorram diminuições dos respectivos saldos.

 

+ Aplicações

Ativo

{

 

(-) Origens

b) Contas do Passivo (Passivo exigível, resultados de exercícios futuros e patrimônio líquido) - representam origens, quando aumentam de saldo; e aplicações, caso ocorram diminuições dos respectivos saldos.

47

- representam origens, quando aumentam de saldo; e aplicações, caso ocorram diminuições dos respectivos saldos. 47
Contabilidade Empresarial Aula 04 + Origens Passivo { (-) Aplicações
Contabilidade Empresarial
Aula 04
+ Origens
Passivo
{
(-) Aplicações

c) Contas de Resultado - As receitas representam origem de recursos e as despesas, aplicações.

d) Contas em Geral - O esquema acima pode ser, também, aplicado em todas as contas, segundo

a natureza de seu saldo, da seguinte forma:

+ Aplicações

Contas de natureza devedora {

Contas de natureza credora

{

(-) Origens

+ Origens

(-) Aplicações.

4.5 Forma de Apresentação da DOAR

Essa demonstração é apresentada em quatro grandes títulos descritos a seguir:

Origens dos recursos - Onde são discriminadas as origens, por natureza, e apurado o valor total dos recursos obtidos no exercício.

Aplicação dos recursos - Onde são relacionadas às aplicações, também por natureza, e evidenciado o seu valor total.

Aumento ou redução do Capital Circulante Líquido - Representa a diferença entre o total

das origens e o total das aplicações.

Saldo inicial e final do capital circulante líquido e variação - Onde são evidenciados o Ativo

e o Passivo Circulantes do início e do fim do exercício e respectivo aumento ou redução.

Agora, para que você compreenda o processo global, vamos apresentar um exemplo de elaboração passo-a-passo da DOAR para você construir. Vamos lá?

1ª OPERAÇÃO

Preparando as tabelas.

De posse dos balanços, apurar as variações nos saldos das contas, ou seja, a diferença líquida entre os mesmos. Para tanto, elabore uma tabela no computador ou em um papel, com as seguintes colunas:

48

líquida entre os mesmos. Para tanto, elabore uma tabela no computador ou em um papel, com
Contabilidade Empresarial Aula 04 Variação Saldo em Descrição das Contas 31-12-x0 31-12-x1
Contabilidade Empresarial
Aula 04
Variação
Saldo em
Descrição das Contas
31-12-x0
31-12-x1

2ª OPERAÇÃO

Transcrevendo o balanço.

A seguir transcreve-se o balanço de cada um dos anos nas colunas acima, na forma exposta nos itens

seguintes.

3ª OPERAÇÃO

Preparando os dados para obter o Capital Circulante Líquido.

Como você pretende obter as origens e aplicações em relação ao Capital Circulante Líquido, deve transcrever os balanços para a tabela de forma que possa apurar o capital circulante líquido no início e no fim do exercício e também sua variação. Tal variação será o valor final, que deverá constar na demonstração de Origens e Aplicação de Recursos. Por esse motivo, nessa tabela, você colocará:

Variação

31-12-x0 e 31-12-x1

Ativo Circulante (pelo valor Total)

600

1000

400

Passivo Circulante (pelo valor Total)

360

550

190

Capital Circulante Líquido

240

450

210

Não é, portanto, necessária a transcrição de cada uma das contas do ativo e do passivo circulante, ou seja, do disponível, tais como: contas a receber, estoques, fornecedores, contas a pagar, impostos a pagar, ICMS a recolher, salários a pagar etc. É suficiente que você coloque o total como foi indicado.

4ª OPERAÇÃO

Identificando as contas que não integram ativo e passivo circulantes.

A partir destes dados, relacione na sua tabela os totais dos grupos que não são os ativos e passivos

circulantes, por exemplo, os grupos de exigível a longo prazo. Lembre-se que o resultado de exercícios Futuros e Patrimônio Líquido, por serem contas credoras, devem ser indicados como negativas. O total das colunas dos saldos dos dois exercícios deve ser zero, já que aí relacionamos todas as contas devedoras e credoras. Com esta atividade, você terá apurado as variações entre os saldos iniciais e finais na coluna de variações, coluna essa que deve ficar com o total zerado.

Os aumentos nos ativos e as diminuições nos passivos são valores positivos e representam aplicações. Os aumentos nas contas passivas e patrimônio líquido e as diminuições nas contas ativas são valores

49

aplicações. Os aumentos nas contas passivas e patrimônio líquido e as diminuições nas contas ativas são
Contabilidade Empresarial Aula 04 negativos, devendo ser assim indicados, e representam origens. Vamos fazer juntos

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 04 negativos, devendo ser assim indicados, e representam origens. Vamos fazer juntos a

Aula 04

negativos, devendo ser assim indicados, e representam origens. Vamos fazer juntos a DOAR, usando os dados dos Balanços e a tabela inicial de trabalho.

Supomos que os balanços da empresa de 31-12-20x1 e 31-12-20x0 sejam os apresentados a seguir:

BALANÇO PATRIMONIAL

 
 

31-12-20X0

31-12-20X1

 

Ativo

Ativo Circulante

Disponível

160,00

200,00

Duplicatas a receber (líquidas)

200,00

300,00

Estoques

400,00

630,00

Despesas de exercício seguintes

40,00

70,00

Realizável a Longo Prazo

800,00

1200,00

Ativo Permanente

100,00

50,00

Investimentos

300,00

400,00

Imobilizado

2000,00

3200,00

Diferido

240,00

400,00

Total do Ativo

3240,00

5250,00

 

Passivo

Passivo Circulante

Empréstimos bancários

120,00

180,00

Fornecedores

100,00

150,00

Contas a pagar

80,00

120,00

Provisão p/ Imposto de Renda

60,00

100,00

Exigível a longo Prazo

360,00

550,00

Empréstimos e Financiamentos

1200,00

1550,00

Patrimônio Líquido

1000,00

1400,00

Capital

240,00

550,00

Reservas de Capital

230,00

400,00

Reservas de Lucros

410,00

800,00

Lucros acumulados

1880,00

3150,00

Total do Passivo

3440,00

5250,00

50

de Lucros 410,00 800,00 Lucros acumulados 1880,00 3150,00 Total do Passivo 3440,00 5250,00 50
Contabilidade Empresarial Aula 04 Dessa forma, a tabela inicial de trabalho e a apuração das

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Aula 04 Dessa forma, a tabela inicial de trabalho e a apuração das variações

Aula 04

Dessa forma, a tabela inicial de trabalho e a apuração das variações seriam como segue:

Descrição das contas

31-12-20x0

31-12-20x1

Variação

Ativo circulante

800,00

1200,00

 

Passivo circulante

-360,00

-550,00

 

Capital circulante líquido

440,00

650,00

210,00

Realizável a longo prazo

100,00

50,00

-50,00

Permanente

Investimentos

300,00