Sunteți pe pagina 1din 10

22/03/2011

Introdução à Farmacologia São Luís-2011
Introdução à
Farmacologia
São Luís-2011
22/03/2011 Introdução à Farmacologia São Luís-2011 1

22/03/2011

Farmacologia Fitoterapia Até por volta de 1920 predominou o uso de produtos naturais principalmente originados
Farmacologia
Fitoterapia
Até por volta de 1920 predominou o
uso de produtos naturais
principalmente originados de plantas.
Farmacologia Palavra de origem grega. FARMAKON LOGOS Droga Estudo Classicamente é definida como qualquer droga
Farmacologia
Palavra de origem grega.
FARMAKON
LOGOS
Droga
Estudo
Classicamente é definida como qualquer droga
que interage com os sistemas biológicos, produz
alterações funcionais e não induz ao aparecimento
de novas funções. A terapia gênica é uma exceção a
definição clássica.

22/03/2011

Farmacologia Ciência que estuda a interação entre uma substância química e um organismo vivo ou
Farmacologia
Ciência que estuda a interação entre uma substância
química e um organismo vivo ou sistema biológico,
resultando em um efeito maléfico (tóxico) ou benéfico
(medicamento).
“A Farmacologia pode ser definida como o estudo dos
efeitos das substâncias químicas sobre a função dos
sistemas biológicos.”
“A Farmacologia pode ser definida como o estudo das
substâncias que interagem com sistemas vivos através de
processos químicos, particularmente através de sua
ligação a moléculas reguladoras e ativação ou inibição dos
processos orgânicos normais.”
Conceitos Básicos Fármaco – Uma substância química definida, com propriedades ativas, produzindo efeito
Conceitos Básicos
Fármaco – Uma substância química definida, com propriedades ativas, produzindo
efeito terapêutico e que é o princípio ativo do medicamento (Portaria Nº
3916/98).
Droga – Qualquer substância capaz de produzir alteração em uma determinada
função biológica através de suas ações químicas (KATZUNG, 2005).
Medicamento – produto farmacêutico, tecnicamente obtido ou elaborado, com
finalidade profilática, curativa, paliativa ou para fins de diagnósticos. É uma
forma farmacêutica terminada que contém o fármaco, geralmente, em associação
com adjuvantes farmacotécnicos. (Resolução – RDC nº 84/02).
Remédio - são cuidados que se utiliza para curar ou aliviar os sintomas das
doenças, como um banho morno, uma bolsa de água quente, uma massagem, um
medicamento,entre outras coisas (Cuidado com os medicamentos. Eloir Paulo
Schenkel, 4 ed., UFSC, 2004).
Tóxico (VENENO): É a substância química que ingerida ou aplicada externamente, e
que sendo absorvida, determina a morte do indivíduo, ou coloca sua vida em risco.

22/03/2011

Conceitos Básicos Placebo: Placere (latim): “eu vou agradar” Preparação inativa administrada para satisfazer a
Conceitos Básicos
Placebo: Placere (latim): “eu vou agradar”
Preparação inativa administrada para satisfazer a necessidade psicológica do
paciente de tomar um medicamento. Usado em ensaios clínicos controlados.
Posologia: Estuda a dosagem dos medicamentos, e a freqüência com que estes
devem ser administrados.
Formas Farmacêuticas: Forma de apresentação do medicamento: xarope,
comprimido, cápsula, drágea, drágea, etc.
Especialidade Farmacêutica
Ramos da Farmacologia  Cronofarmacologia: Estuda o horário em que o remédio deve ser administrado;
Ramos da Farmacologia
 Cronofarmacologia: Estuda o horário em que o remédio
deve ser administrado;
 Farmacogenética: Estuda a ação dos fármacos sobre os
genes;
 Imunofarmacologia: Estuda a ação dos fármacos sobre o
sistema imune;
 Farmacoepidemiologia: Estuda o comportamento dos
fármacos em uma comunidade;
 Farmacoterapia: Estuda a aplicação dos fármacos nas
doenças (Farmacologia Clínica).

22/03/2011

Divisões da Farmacologia Farmacodinâmica Estuda os efeitos bioquímicos, fisiológicos e o mecanismo de ação dos
Divisões da Farmacologia
Farmacodinâmica
Estuda os efeitos bioquímicos, fisiológicos e o
mecanismo de ação dos fámacos.
“Estuda o que a droga faz com o organismo”.
Mecanismo de ação
Divisões da Farmacologia Farmacocinética Estuda a absorção, distribuição, metabolismo e excreção dos fármacos.
Divisões da Farmacologia
Farmacocinética
Estuda a absorção, distribuição, metabolismo e excreção
dos fármacos.
“Estuda o que o organismo faz com a droga”.
Uma vez estabelecida a farmacocinética de um fármaco,
pode-se elaborar esquemas racionais de posologia.

22/03/2011

Divisões da Farmacologia Farmacologia Clínica Avalia a segurança e eficácia dos fármacos no homem Fase
Divisões da Farmacologia
Farmacologia Clínica
Avalia a segurança e eficácia dos fármacos no homem
Fase I: farmacologia clínica
definir a segurança
Fase II: investigação clínica
Definir a eficácia e a dose
Fase III: ensaios clínicos
Verificar a eficácia e detectar efeitos adversos
Fase IV: pós-comercialização
Obter dados adicionais após a aprovação
Desenvolvimento de Novas Drogas Fase Pré-clinica Fase Clínica Índice terapêutico (IT) = DL50 DE50
Desenvolvimento de Novas Drogas
Fase Pré-clinica
Fase Clínica
Índice terapêutico (IT) = DL50
DE50

22/03/2011

ÍNDICE TERAPÊUTICO (IT) É a relação entre a dose letal (ou tóxica) e a dose
ÍNDICE TERAPÊUTICO (IT)
É a relação entre a dose letal (ou tóxica) e a
dose efetiva do fármaco.
 Dose letal: É a
população.
 Dose efetiva: É a
dose capaz de
matar 50% de
uma
dose capaz de produzir o efeito
farmacológico.
 Nível plasmático efetivo: É a quantidade mínima de
droga capaz de provocar resposta farmacológica.
 Concentração máxima tolerada: É a quantidade máxima
de droga tolerada pelo organismo. Se essa concentração
for ultrapassada, provoca efeito tóxico.
Fase Pré-clínica Síntese ou Extração 10.000 Substâncias Homogenatos de tecidos Cuktura de Células Órgãos
Fase Pré-clínica
Síntese ou Extração
10.000 Substâncias
Homogenatos de tecidos
Cuktura de Células
Órgãos Isolados
Efeitos na função do organismo vivo, mecanismo de ação e toxicidade
Testes em Animais

22/03/2011

Fase Clínica Fase I: voluntários sadios (toxicologia clínica, definição da dose e farmacocinética) Fase II:
Fase Clínica
Fase I: voluntários sadios
(toxicologia clínica, definição da
dose e farmacocinética)
Fase II: pacientes selecionados
(eficácia, segurança, dose, farmacocinética)
Fase III: grupos de pacientes
(comparação com terapêutica padrão)
Aprovação
(de 10.000 apenas 1)
Fase IV: grandes grupos de pacientes
(avaliação do risco/benefício a longo prazo)
Divisões da Farmacologia Toxicologia Estuda os efeitos adversos dos fármacos e dos agentes tóxicos.
Divisões da Farmacologia
Toxicologia
Estuda os efeitos adversos dos fármacos e dos
agentes tóxicos.

22/03/2011

Divisões da Farmacologia Farmacognosia É o estudo das materias primas naturais (vegetais, animais e minerais)
Divisões da Farmacologia
Farmacognosia
É o estudo das materias primas naturais (vegetais, animais e minerais)
quanto a obtenção, identificação e isolamento de princípiuos ativos
“O termo equivale ao antigo Matéria Médica”.
DROGA
Farmacotécnica É o estudo do preparo, purificação e conservação dos fámacos, as suas compatibilidades físicas
Farmacotécnica
É o estudo do preparo, purificação e conservação dos fámacos, as suas
compatibilidades físicas e químicas, e as formas farmacêuticas mais
adequadas para o uso.

22/03/2011

Propriedades da Droga Ideal  Efetividade  Segurança  Propriedades da droga ideal  Seletividade
Propriedades da Droga Ideal
 Efetividade
 Segurança
 Propriedades da droga ideal
 Seletividade
 Reversibilidade
 Fácil Administração
 Mínimas Interações
 Isenta de Reações Adversas
Referências Bibliográficas GOODMAN & GILMAN. The pharmacological basis of therapeutics. McGraw-Hill. New York;
Referências Bibliográficas
GOODMAN & GILMAN. The pharmacological basis of therapeutics.
McGraw-Hill. New York; 11ª ed. 2005.
SILVA, P. Farmacologia. Guanabara Koogan. Rio de janeiro; 7ª ed.
2006.
KATZUNG, B.G. Basic and clinical pharmacology. 8ª ed. Appleton
and Lange. Connecticut; 2002.
FUCHS,F D;WANNMACHER,L.Farmacologia Clínica. Guanabara
Koogan. Rio de janeiro; 3ª ed. 2004.
RANG,DALE,RITTER.Farmacologia. Ed.Elsevier 5ª Ed. 2004