Sunteți pe pagina 1din 8

Exame Físico na Avaliação Sistemática de Enfermagem

Andressa Tavares Parente

“Criança- Alguém que fica conosco por um tempo e desaparece para sempre no mundo dos

adultos

”(Jayme

Murahovschi)

Dados fundamentais do crescimento e desenvolvimento da criança:

 

Idade

Fases

0-28 dias

Recém-Nascido (RN)

29d – 2 anos

Lactente

2 anos-7anos

Pré-escolar

07 anos- 10anos

Escolar

 

Murahovschi, 2006

O que deve ser mensurado (medidas importantes):

 

1- Fundamentais: Peso (P) e estatura (E);

2- Importantes: perímetro cefálico (PC), perímetro torácico (PT) e perímetro abdominal (PA).

Coleta de dados :

1- Identificação do RN (nome da mãe, cor, sexo, procedência, queixa de internação, avaliação geral do quadro);

2- Antecedentes familiares (doenças hereditárias e infecto-contagiosas);

3- mãe: condições de saúde(diabetes, infecções, HAS, nefropatias, cardiopatias, distúrbios metabólicos, neurológicos, glandulares ou uso de droga);

4- história gestacional: número de gravidez, aborto, tipo de parto, natimortos, nascidos vivos (ver peso > 2.500g<), óbitos após nascimento (perguntar causa);

5- gestação atual: DUM, duração da gestação (semanas), núm. De consultas pré-natal, vacina antitetânica, grupo sanguíneo (ABO;RH), exames, infecções, hemorragias ( perguntar trimestre);

6- Parto: cesário, normal, eliminação de mecônio, data de nascimento e intercorrências;

7- Avaliação do RN ao nascimento: Apgar, reanimação, malformações.

O exame físico ambulatorial (que busca anormalidade ou alterações ) diferencia-se do hospitalar, onde a criança encontra-se com alguma alteração no seu padrão de normalidade;

O sucesso do EF está em saber distinguir sinais normais e anormais no organismo avaliado;

Material necessário para EF:

-

Balança

- Balança

-

Estetoscópio

-

Termômetro

-

Fita métrica

-

Lanterna

- Termômetro - Fita métrica - Lanterna ESTRUTURAL: 1- berço ou isolet aquecida; 2- balança; 3-

ESTRUTURAL:

1- berço ou isolet aquecida;

2- balança;

3- fonte de oxigênio + fluxômetro;

4- aspirador;

5- monitor cardíaco;

6- aparelho de pressão adequado;

7- respirador, CPAP nasal ou oxihood

MATERIAL:

1- material para punção venosa;

2- ambú com máscara adaptada;

3- glicosímetro + fita;

4- pulseiras para identificação do paciente e mãe;

5- laringoscópio com lâmina 0, 1 e 2.

6- TOT´s (tubo orotraqueal) e sondas de aspiração num.6, 8 e 10.

(tubo orotraqueal) e sondas de aspiração num.6, 8 e 10. Berço de Calor Irradiante ou Aquecido

Berço de Calor Irradiante ou Aquecido

num.6, 8 e 10. Berço de Calor Irradiante ou Aquecido Fluxômetro de ar comprimido e oxigênio

Fluxômetro de ar comprimido e oxigênio

ou Aquecido Fluxômetro de ar comprimido e oxigênio Isolet Aquecida Exame físico (EF): Incubadora “baiana”

Isolet Aquecida

Exame físico (EF):

Incubadora “baiana”

1- O exame físico tem como objetivo identificar presença de anormalidades, trauma e estresse;

2-Deve ser realizado com a criança despida, mas em condições térmicas satisfatórias;

3- Estatura e peso variam de acordo com a idade gestacional e o tamanho da criança;

4- O estado de consciência é dado pelo conjunto de atividade⁄hipoatividade e reatividade + achados de fácies, postura e reflexos;

5- É necessário que o paciente encontre-se estabilizado, antes de iniciar o EF;

6- Observar o paciente em repouso (avaliação geral) para depois EF minuciosamente, no sentido céfalocaudal;

7- Interromper o exame caso paciente desestabilize.

8- observar aspecto geral de face (sugestivo de anomalia cromossômica) ou lesão traumática;

9- A pele apresenta-se, normalmente, levemente rosada ou avermelhada. Observar palidez, cianose, petéquias, hematomas, aspecto marmóreo (hipotermia), epidermólise bolhosa e ictiose;

10- observar vérnix caseoso (material cremoso esbranquiçado);

11- observar edema mmss, mmii;

12- observar milium em face (pontos brancos);

13- Hemangiomas capilares.

11- observar edema mmss, mmii; 12- observar milium em face (pontos brancos); 13- Hemangiomas capilares. Ictiose

Ictiose

11- observar edema mmss, mmii; 12- observar milium em face (pontos brancos); 13- Hemangiomas capilares. Ictiose
11- observar edema mmss, mmii; 12- observar milium em face (pontos brancos); 13- Hemangiomas capilares. Ictiose

Hemangioma

11- observar edema mmss, mmii; 12- observar milium em face (pontos brancos); 13- Hemangiomas capilares. Ictiose

Vérnix caseoso

Exame físico Especial

1- cabeça e pescoço:

Vérnix caseoso

PC é maior que o PT em 1 a 2 cm, podendo variar em relação a prematuridade. Em média entre 32 a 34 cm;

Fontanelas (deprimidas, abauladas);

Observar hidrocefalia ou microcefalia;

Observar ocorrência de bossa serossanguínea;

Rosto: alinhamento entre olhos e implantação da orelha; cavidade oral (lábios⁄lábio leporino ; palato⁄fenda palatina); língua (tamanho e posição na cavidade oral); cor e integridade de mucosa, salivação, reflexo de sucção,

Olhos: edemas, pupilas reagentes e simétricas, observar secreção;

Nariz: tamanho, permeabilidade, batimento de asas do nariz, atresia cloanal;

Orelhas: posição em relação aos olhos, resposta aos sons.

2- tronco-tórax:

Tipo de respiração (profunda, superficial, elaborada, espontânea, assistida);

presença de retrações, gemidos, ruídos, dreno torácico;

Coração: perfusão periférica e ausculta cardíaca (4 espaço intercostal);

Pulso: femorais, pediais, radiais, checar força.

3- Abdomen:

Protuso, plano, distendido, ruídos hidroaéreos, presença de massa;

Resíduo gástrico: claro, amarelado, borráceo, bilioso, sanguinolento;

Presença de hérnia (umbilical ou inguinal);

Fígado palpável .

sanguinolento; Presença de hérnia (umbilical ou inguinal); Fígado palpável . Local de ausculta cardíaca

Local de ausculta cardíaca

4- Geniturinário⁄reto

Diurese:espontânea ou por sonda (observar cor e aspecto);

Genitália masculina : abertura uretral, prepúcio, posição dos testículos (criptorquidia)

Genitália feminina: anatomia de grandes e pequenos lábios, clitóris, secreção;

Reto: verificar permeabilidade anal, fístulas, anomalias anorretais, fezes.

permeabilidade anal, fístulas, anomalias anorretais, fezes. 5- Extremidades Observar comprimento, movimento e descartar

5- Extremidades

Observar comprimento, movimento e descartar fraturas;

Número de dedos em mãos e pés, pulso e perfusão.

Neurológico:

de dedos em mãos e pés, pulso e perfusão. Neurológico: Atividade (alerta, chorando, sonolento); Irritadiço,

Atividade (alerta, chorando, sonolento);

Irritadiço, choroso.

Pesquisa de reflexo:

Conceito: são reações automáticas desencadeadas por estímulos, favorecendo a adequação da criança ao ambiente;

Reflexo de busca e sucção: estímulo na região perioral com o dedo;

Resultado: espera-se que a criança responda virando a cabeça em direção ao estímulo, abrindo a boca e movimento de sucção;

OBS:A sucção é um reflexo primitivo, inato, observado antes mesmo do nascimento, na 29ª semana de vida intra-uterina. A sucção fisiológica é muito importante para a criança, tanto para fins alimentares e nutricionais quanto para seu desenvolvimento craniofacial e psicológico.

para a criança, tanto para fins alimentares e nutricionais quanto para seu desenvolvimento craniofacial e psicológico.
para a criança, tanto para fins alimentares e nutricionais quanto para seu desenvolvimento craniofacial e psicológico.

Reflexo de Moro: a estimulação se faz com a mudança de equilíbrio e/ou barulho estridente;

Resultado: estende os braços, pernas e joga a cabeça para trás. Cessa por volta dos 6 meses.

Reflexo da preensão palmar: a estimulação se faz com cócegas na palma da mão.

Resultado: agarra fortemente o dedo. Cessa por volta dos 4 meses.

Reflexo da preensão plantar: a estimulação se faz tocando a planta do pé abaixo dos artelhos

Resultado: os artelhos agarram-se fortemente. Cessa por volta dos 4 meses.

artelhos agarram-se fortemente. Cessa por volta dos 4 meses. Reflexo de babinski: a estimulação se faz
artelhos agarram-se fortemente. Cessa por volta dos 4 meses. Reflexo de babinski: a estimulação se faz

Reflexo de babinski: a estimulação se faz com cócegas na planta do pé.

Resultado: os artelhos abrem-se em leque. Cessa por volta dos 9 meses.

Reflexo de marcha: a estimulação se faz segurando o bebê sob o braço, com os pés descalços, tocando uma superfície plana.

Resultado: apresenta um caminhar coordenado. Cessa por volta dos 3meses

Outros: reflexo tônico-cervical, reflexo de galamt,

Pontos de ausculta

um caminhar coordenado. Cessa por volta dos 3meses Outros: reflexo tônico-cervical, reflexo de galamt, Pontos de
um caminhar coordenado. Cessa por volta dos 3meses Outros: reflexo tônico-cervical, reflexo de galamt, Pontos de

Ruídos Adventícios ou Estertores

 

Classificação

Subclassificação

característica

1- Estertores secos:

Estertores secos

Possuem baixa tonalidade, na sua maioria expiratório, podem ser diminuídos pela tosse

sonoros (roncos)

Produzidos pela passagem

do ar pelos brônquios comprometidos

   

Estertores secos

Na sua maioria expiratórios, alta tonalidade, não diminuem com a tosse. Característica de processo inflamatório pulmonar. Pode ocorrer junto com roncos

 

sibilantes

2-

Estertores úmidos:

Estertores úmidos

Finas bolhas, são sons criptantes na porção distal da árvore brônquica, no final da inspiração

produzidos pela passagem de ar pela coleção de fluidos

criptantes

Estertores úmidos

médias bolhas, são sons criptantes na porção distal da árvore brônquica, no final da inspiração, ocorrendo devido edema pulmonar, pneumonia e tuberculose

subcriptantes

Estertores úmidos

Grossas bolhas, são inspiratórios e expiratórios, podendo ter outras subclassificações

da traquéia

Bibliografias consultadas:

1- MARCONDES, E. Pediatria Básica:pediatria geral e neonatal. 9 ed. São Paulo: Sarvier, 2003. v. I

2-TAMEZ, R.N.;SILVA, M.J.Enfermagem na UTI Neonatal: assistência ao recém-nascido de alto risco.3 ed . Rio de Janeiro: Guanabara KOOGAN, 2006.