Sunteți pe pagina 1din 20

www.jornalac.

com

BOA INFORMAÇÃO NÃO TEM PREÇO!


QUINTA-FEIRA, 12 de Janeiro de 2009 | e-mail: acritica@jornalac.com | Redação: (48) 9115 2825 | Comercial: (48) 9974 4294

FROTA BATISTENSE CRESCE 106%


Nos últimos quatro anos São João Batista ganhou 6.498 novos veículos. PÁGINA 10
Ano I - Edição 01 | São João Batista e Canelinha | Distribuição Gratuíta

Realidade EDUCAÇÃO
< Crescimento no
Timbézinho número de pessoas
infectadas com o vírus
longe de uma da Aids preocupa
autoridades
solução municipais.

< Regularização do
Loteamento Morada do Sol
está longe de acontecer.
Enquanto isso moradores
continuam sem infra-
estrutura. PG 03 A qualidade do ensino
e do aprendizado
CANELINHA
segue como meta

De quem primordial da
educação para 2009
é a água? < 'Aprender'. Um verbo difícil de
ser conjugado no presente da
educação brasileira. Os indica-
< Canelinha pretende dores das avaliações seja do
municipalizar a água. Ensino Fundamental ou Médio,
Primeiros passos já estão até crescem, mas, em sala de
sendo dados . PG 09 aula, o que se tem são alunos
que pouco sabem ler, escrever ou
realizar operações matemáticas
e professores sobrecarregados
ARTESANATO com três turnos de trabalho ou
ainda desestimulados e aquém

De hobby à
das necessidades do ensino na
FOTO | JONAS HAMES | A CRÍTICA

atualidade.
As diferenças entre a Rede de

fonte de renda
Ensino em Canelinha e São João
Batista são marcadas por um
abismo de diferenças. A média de
alunos por sala em Canelinha é
< Fazer peças em crochê, de 25 enquanto em São João
com bijuterias, biscuit, velas
ou de arranjos florais pode A multiplicação do mal: Aids Batista esse número é 40 crianças
por sala. Estão matriculados na

se espalha em São João


servir de hobby, terapia e Capital Catarinense do Calçado
até gerar renda. PG 16 2.700 estudantes enquanto na
PGS 4 e 5 terra das cerâmicas 1.011. PG 06

BÓCA MAFRA
AUTOMÓVEIS
48 | 3265-0708
www.bocamafra.com.br
pg02 acrítica

opinião
O nascimento de um jornal conversa séria
A tradição recomen-
da abrir a primei-
ra edição de um
jornal com um editorial,
desta nova história, pois
ele é quem será o principal
responsável pela continui-
dade do novo projeto.
invés de contratar jorna-
listas e colunistas de ou-
tros jornais, o que em na-
da contribuiria para a me- A crise é do tamanho da nossa crença
Nelson Zunino Neto

uma espécie de compro- O nascimento de al- lhoria da imprensa local,


misso público onde se vão guém ou de algo sempre estamos abrindo novas costume da gente e baixos dependem mui- mal. Não precisamos
listando resoluções que se
pretende seguir tal como
muita gente costuma fa-
zer a cada novo ano. No
desperta a curiosidade de
todos nós. E o surgimento
de uma empresa em qua-
se nada difere do nasci-
oportunidades de traba-
lho. Lançamos novos co-
lunistas, e trouxemos para
a mídia impressa aqueles
É reclamar da vida.
Tudo é tão difícil,
tudo é caro, tudo é
to dos humores do mer-
cado, e especialmente da
nossa disposição em
aderir a essa onda ne-
gativa. Vamos acredi-
tar na força do nosso
entanto, nos dois casos é mento de uma criança. que estavam injustamente complicado, e por aí enfrentar as dificuldades trabalho. Houve uma
comum, com o passar dos Cada novo bebê traz con- esquecidos por ela. vai a lamúria. Nesse do cotidiano. Qualquer desaceleração, é certo,
dias e mesmo sem se no- sigo as melhores expec- São pessoas que têm compasso vamos enve- pessoa tem que lutar mas não chegamos a
tar, ir se distanciando dos tativas. É uma nova his- um nome a zelar, e só acei- lhecendo e deixando de para chegar a algum parar. O reaquecimen-
objetivos, até se chegar ao tória, única, cercada de taram veicular suas colu- perceber o quanto re- lugar. E todo mundo tem to do mercado é um
ponto do completo esque- sonhos e projetos. Talvez a nas no Jornal A Crítica clamamos injustamen- seus desafios. Sabemos acontecimento certo,
cimento dessas promessas maior diferença é que o porque viram o projeto e te. E não é pouco. Só a bem que nos momentos que já em abril ou maio
solenes. nascimento de um jornal acreditaram nele. São pa- difíceis a força de von- ganha velocidade e no
vida já é o bastante,
No caso de jornais, requer muitos pais e drinhos, que presentea-
mas se quisermos mais tade é fundamental. Nu- segundo semestre deve
costuma-se prometer coi- muitas mães. ram o caçula da imprensa
sas que são fundamentais Uma decisão impor- do Vale com o que há de por agradecer, então ma doença, num mo- colocar o Brasil de volta
para a sua própria sobre- tante que surge com o mais importante para um basta a vida saudável, mento financeiro com- nos trilhos do progres-
vivência, como buscar a nascimento é a definição jornal: a credibilidade. ou a vida com amor, plicado, num emprego so. Por isso não é tempo
imparcialidade, a isen- do nome. No nosso caso, A Crítica tem um dos bastam os amigos, ou novo, no começo de um de desespero ou lamen-
ção, a correção das maté- temos orgulho de estam- mais bonitos projetos grá- um amigo. Tão pouco novo negócio, a vontade tação. É tempo de tra-
rias, como se na lista de re- par “Crítica” no próprio ficos entre os jornais do para valer a pena e de vencer conta muito. balho, de luta, de cria-
soluções de ano novo fosse nome do jornal. Vale. A diagramação valo- nem nos damos conta. Quando a gente quer, a tividade. A crise é do ta-
normal incluir coisas que Por coincidência, A riza as fotos e infografias, o Assim é na família, na gente consegue, a não manho de nossa cren-
são vitais, como comer, Crítica levou exatos nove que o torna de leitura fácil
casa, na cidade. Agora ser que Deus não queira, ça. Eu não creio na for-
dormir ou respirar. meses de gestação, desde e agradável.
Fujamos, então, des- a concepção da idéia até Mesmo assim, é im- tem essa tal crise. É mas aí por razões diver- ça da crise. Não creio.
se modelo ultrapassado. este dia de seu lançamen- portante terminar essas verdade que a eco- sas. Na crise não é dife- Eu creio na força de
Falemos, nesse momento, to. E hoje ele nasce com a considerações com as pa- nomia tem seus movi- rente. Metade da crise vontade das pessoas.
do jornal que nasce, e não proposta de crescer com a lavras de Guimarães Rosa, mentos, sempre foi está no desânimo conta- Na fé. Na esperança.
de suas aspirações, que é região. Para aqueles que se em trecho de Grande Ser- assim. Mas também é gioso das pessoas, na No trabalho honesto.
algo que só o tempo se en- perguntam se há espaço tão Veredas: “O mais im- verdade que esses altos crença de que tudo vai Na luta de cada dia.
carregará de fazê-lo. para mais um jornal na portante e bonito, do mun-
Um novo jornal está cidade, é importante dizer do, é isto: que as pessoas
nascendo hoje. Sem pom- que quanto mais jornais não estão sempre iguais, FATOS
pa nem festas, mas com a houver, e jornais indepen- ainda não foram termi-
humildade própria dos re- dentes, melhor contribui- nadas - mas que elas vão
cém nascidos, que che- ção estará sendo dada à sempre mudando”. É o que VEREADORES BATISTENSES CDL SOB NOVA
gam desamparados e pre- pluralidade de opiniões, irá acontecer também com < Os vereadores de São João Batista, empossados
cisam de apoio até poder vital para o fortalecimento a Crítica, que, com o tem- neste ano, têm demonstrado, nas primeiras sessões, DIREÇÃO
seguir seu próprio cami- das instituições democrá- po, irá crescer, lançar que estão dispostos a defender os interesses coletivos, O advogado Reginal-
nho. Esse começar do zero ticas, já que a ninguém novos cadernos, ganhar acima dos individuais ou partidários. Os discursos do Cardoso assume a
não é algo que nos enver- interessa uma única ver- mais páginas. Como todos apontam para um pensamento voltado às questões presidência da Câma-
gonha, pelo contrário, só são para um mesmo fato. nós, irá aprimorar-se. públicas. Excelente. Vamos ver até quando continua ra dos Dirigentes Lojis-
aumenta o nosso desafio e O que orientou o pro- Esperamos que você leitor assim. tas de São João Batis-
a nossa responsabilidade. jeto editorial de A Crítica participe da construção ta. Sucede Vilmar Du-
arte Gomes, que pres-
E permite ao leitor do novo
jornal também fazer parte
foi a busca pelo novo, pe-
lo caminho diferente. Ao
desse projeto através do e-
mail, telefone ou carta.
LOTEAMENTO MARQUINHOS: SONHO REALIZADO tou contas de sua bri-
< Depois de vinte e três estrutura concluída e a lhante gestão no últi-
anos desde que Marcos documentação registrada. mo dia 5 de fevereiro.
Egídio Azevedo vendeu Está pronto o Loteamento Boa sorte!
EXPEDIENTE

o primeiro lote de seu Marquinhos, e agora cada


loteamento, no bairro morador terá o seu lote
Krecker, o empreendi- documentado. O trabalho
mento foi finalmente teve um esforço especial
regularizado. Com o do então presidente da FUNDAÇÃO DA
trabalho de diversas associação, Natalino
pessoas, incluindo a Silveira, que agora integra JUVENTUDE
HAMES & MICHELI PUBLICAÇÕES LTDA - ME
Prefeitura e a Associa-
ção de Moradores, os
projetos foram sendo
realizados, a infra-
a equipe que organiza a
distribuição dos documen-
tos aos moradores. Era um
sonho de muitos anos.
< Já está pronto o pro-
jeto de lei que cria a
Fundação da Juven-
tude, uma entidade
que substitui o Depar-
Rua Wander Collioni, 510 - Bairro Jardim São Paulo Colaboradores: tamento de Cultura e
São João Batista - Santa Catarina - CEP: 88.240-000 Fernando Souza
= NOVAS OPORTUNIDADES DE MORADIA Entretenimento da
Ilse Maria Paulino Gomes
= < Apesar da tão falada crise, diversos novos edifícios Prefeitura Municipal.
Fones: 48 | 9115 2825 | 9974 4294 João José Melim
= estão em plena construção na cidade. Belos, A intenção é dar auto-
E-mail: acritica@jornalac.com Juliana Helena Nunes
= confortáveis, seguros, os novos condomínios trazem nomia ao segmento e
Nelson Zunino Neto
=
Website: www.jornalac.com opções interessantes e econômicas para os padrões ampliar a possibi-
locais. É o reflexo do crescimento do município. São lidade de captação de
Impressão: Gráfica Rio Sul Todos os direitos reservados a
João Batista não para de crescer. A propósito, há recursos para a cidade
Hames&Micheli Publicações LTDA -
Diretor: JONAS HAMES ME. É expressamente proibida a espaço para muitas novas alternativas de negócio. na área da cultura e
Dep. Comercial: LEANDRO MICHELI reprodução sem autorização prévia. Alguém se habilita? do entretenimento.
12 de fevereiro de 2009 pg03 acrítica

realidade
Timbézinho: longe de uma solução
Regularização do Loteamento Morada do Sol esta longe de acontecer. Enquanto isso moradores continuam sem infra-estrutura
Jonas Hames tar concluídos. O prazo na justiça para solucio- ção de 744 lotes. Em tro-
acrítica@jornalac.com venceu em fevereiro de nar o impasse”, afirma. ca de uma dívida, a Em-
2008. Nada foi feito. Os problemas no braenco passou as terras
Segundo o assessor Loteamento Morada do para Dani Zalcberg.

O
sonho de todo o de gabinete, Gilberto Sol iniciaram bem antes Em seguida come-
casal é ter uma Adriano Goedert, a de ocorrer as primeiras çaram as invasões e de lá
“Faz anos que esperamos
casa onde possa prefeitura ainda não invasões. Nos anos 90 para cá a regularização
a regularização, que
morar, viver e criar seus sabe quais os caminhos aquele espaço pertencia do loteamento fica so-
resolvam o problema.
filhos. Livrar-se do alu- que serão adotados. “Ou à empresa Embraenco mente nas audiências e Caso aconteça a
guel, segundo a maioria a prefeitura ou os mo- que já possuía um proje- reuniões. Nada con- regularização ficaremos
“um dinheiro que vai e radores terão que entrar to para a disponibiliza- creto.< mais seguros e
não tem volta”, está na poderemos dormir
mente de todos. O pro- tranquilos”.
blema é quando este so-
nho, prestes a ser concre- Vilson Moura
tizado, acaba se trans- 31 anos | Comerciante
formando num pesa- Mora no Bairro a 10 anos
delo.
A cidade de São João
Batista apresentou nos “Estão para autorizar. E
últimos tempos um cres- isso é bom para os
moradores pois com os
cimento muito acima da
documentos fica mais
média de outras cidades
fácil. A criminalidade
da região. Isso fez com vem baixando e ficará
que mais de uma dezena bem melhor”.
de novos loteamentos
surgissem, expandindo Roseli de Jesus
em muito o perímetro 54 anos | Dona de Casa
urbano da cidade. Mora no Bairro a 13 anos
A maioria dos lotea-
mentos está devi-
damente regularizada,
mas muitos deles ainda “Não sei se vai acontecer
apresentam problemas a regularização. Mas é
que impedem os mora- preciso resolver o
dores de se tornarem os problema de esgoto a céu
aberto, limpeza das valas
verdadeiros donos. Isso
e os buracos na estrada”.
acontece no Loteamento
Morado do Sol, o Timbé- Jovelino Crispim
zinho. Os problemas no 40 anos | Sapateiro
Timbézinho são antigos, Mora no Bairro a 18 anos
assim como o drama de
quem mora ali. Moradores do Timbezinho ainda aguardam uma definição sobre a regularização do Loteamento
Sem a regularização
que foi acordada entre a
“Regularizando os
prefeitura municipal e o
proprietário do lotea-
mento, Dani Zalcberg, o
Famílias esperam definições terrenos ficará bom. Pois
se um dia querermos
bairro continua sem a Um acordo judicial com valor baixo e parcelas invasão de novas áreas. vender o terreno terá
firmado entre o proprie- pequenas. Mas até o mo- O medo é que voltem a documento. Já esperamos
mínima infra-estrutura.
tário do loteamento e mento nenhuma provi- acontecer invasões co- a dois anos, mas
No dia 15 de fevereiro de
moradores garante que dência a esse respeito foi mo em 2006, quando de- sabemos que pode
2007, a prefeitura enca- demorar”.
minhou ofício exigindo 180 famílias que estão tomada. Para suavizar o zenas de famílias come-
que em 300 dias todo o morando de forma irre- drama, a prefeitura vem çaram a erguer barracos
gular na localidade po- fazem uma fiscalização ro- e foi necessário a uso da Liliane Lopes
projeto de infra-estru- 24 anos
derão adquirir os lotes tineira para impedir a força polícial . <
tura e a regularização do Mora no Bairro a 4 anos
loteamento deveriam es-

NOVOS E SEMI-NOVOS
veículos
Av. Bayer Filho, 200 - Centro - Tijucas FONE: 48 | 3263 1042
pg04 acrítica

“É o momento que vale


depois que você descobre a
doença. Nada mais”
A
lberto é heterossexual, tem 40 anos e,
desde 2000, está afastado do emprego
pelo médico da empresa onde
trabalhava. “Ele disse que, enquanto
fosse médico da firma, eu não voltaria ao
serviço”. Trabalhando em uma indústria de
calçados, ele estava prestes a conseguir uma
promoção, Alberto foi afastado quando passou
a se sentir fraco, passar noites inteiras com febre
e acordar com o travesseiro molhado pelo suor.
Um teste de Aids foi a exigência da mulher,
desconfiada de traições com garotas de
programa. Os dois estavam casados havia 20
anos. Por mais que ele tentasse, o
relacionamento esfriou, a esposa perdeu a
confiança, ficou cada vez mais distante.
Jonas Hames de registros subiu para “Quando mostrei o resultado, ela se revoltou.
80. Outro dado alar- Apesar de, por um milagre, não ter se
jornalacritica@yahoo.com.br
mante no município é contaminado, minha mulher me abandonou
em seguida. Se não fosse a doença, meu

N a casa de Fáti- que a contaminação não


ma, de 42 anos, vem ocorrendo por meio casamento não teria terminando”, diz.
Aids e HIV são da atividade sexual, e Atualmente, Alberto não toma nenhum
palavras impronunciá- não mais pelo uso de medicamento. Está bem, sem sintomas. Só se
veis. Os três filhos dela drogas injetáveis. São incomoda com o preconceito. “Algumas pessoas
sabem da doença que a histórias como a de ficaram sabendo e começaram a fazer fofoca. Se
mãe tem, mas nunca Fátima, que, com medo tem uma coisa boa nisso tudo, é que o vírus me
comentam nada sobre o de prejuízos no trabalho permitiu descobrir quem são meus verdadeiros
assunto. No máximo, se ou na convivência com amigos, aqueles que não se afastaram nem me
referem ao fato como os amigos, matem silên- olham de um jeito diferente”.
'aquele problema'. A cio sobre a doença.
realidade na casa dessa A história de dona
ex-atendente, obrigada Maria, de 52 anos, é a
a pedir demissão por ser
portadora do vírus, ex-
prova de que o vírus pode
estar em quem menos
Se não fosse a
pressa o que a doença
ainda significa. Por mais
aparenta: ela descobriu o
HIV em 2001, depois de doença, meu
que a Aids tenha deixa- uma única relação sexu-
do de representar uma al sem preservativo. O casamento não teria
sentença de morte ime- medo do preconceito faz
diata, como foi durante com que muitos portado- terminando”.
a década de 80 e o prin- res evitem assumir sua
cípio dos anos 90, ainda condição publicamente.
hoje a doença é sinôni- Todos os entrevistados
mo de preconceito, me- para esta reportagem
dos e uma mudança aceitaram falar desde
radical na forma de que fossem usados
levar a vida. nomes fictícios e as
O crescimento no
número de pessoas
fotos não revelas-
sem a identidade. Pesquisa
infectadas pelo vírus em As histórias mos-
São João Batista vem tram que a pre- 4Quando perguntados qual a primeira coisa que lhes vem à
alarmando as autorida- venção ainda cabeça quando ouvem a palavra Aids cerca de 30% afirma que
des municipais. Nos faz todo o pensam em doença incurável e 25,2% têm sentimentos negativos
últimos anos o número sentido. como medo, tristeza e preocupação. Na opinião do público a forma mais
provável de infecção com o vírus HIV é a relação sexual (80,2%), segundo os
entrevistados o uso do preservativo é a melhor forma de prevenção (96,6%).
Saiba Mais
4O uso do preservativo é habitual para 57% dos entrevistados. As maiores razões
4A epidemia da Aids no Estado de Santa Catarina teve o seu primeiro apontadas para a não utilização estão no fato de serem casados(as) e confiam no(a)
registro em 1984, na região oeste, atualmente estão notificados 8.344 entre parceiro(a), indicador este a ser bastante estudado na concepção de políticas públicas de
adultos e crianças. esclarecimento.

4A incidência de casos do ano 2000 foi de 11,92 para cada 100.000 4Cerca de 41% do público já realizou alguma vez o teste de HIV/Aids, sendo que metade
habitantes, dos 293 municípios do Estado 165 notificaram casos de Aids o destes o fez apenas uma vez. Dos que já realizaram o teste cerca de 36% o fez nos últimos 12
que corresponde a 56,31%. meses sendo que cerca de 53% utilizou a Rede Pública de Saúde e 29,9% utilizou
estabelecimentos particulares. O exame pré-natal, a indicação médica e a curiosidade são as
4A interiorização da epidemia destaca-se pela participação dos municípios principais razões da realização do exame. Boa parte do público (39,1%) não conhece locais,
com menos de 15.000 habitantes, de 1984 a 1985 36 municípios fora os casos de doação de sangue, onde o teste de HIV é realizado gratuitamente, fator este a
notificaram casos de Aids, 1984 a 1995 foram 105 e de 1984 a 2000 165. ser bastante estudado.
FONTE: “Estudo do Comportamento Sexual e Percepções da População de Santa Catarina em Relação ao HIV AIDS” - Secretaria de Estado da Saúde
pg05 acrítica

capa
12 de fevereiro de 2009

“Tenho medo de ser rejeitada”


A vida de Fátima
se transformou
quando ela
conseguiu estender o
nóstico, mas não se
lembra bem de como isso
aconteceu. Percebeu, no
início de 1998, um ema-
peso de palavras proi-
bidas: não são ditas em
casa, em contexto al-
gum. Dia desses, ouviu
braço e segurar um co- grecimento repentino, um comentário que a fez
pinho deixado pela en- queda de cabelo anor- pensar na falta de infor-
fermeira ao lado da ca- mal, uma paralisia leve mação que leva ao pre-
ma do hospital onde no braço direito, causa- conceito. A namorada do
estava internada. No da, saberia depois, pela filho contou não freqüen-
recipiente, conseguiu neurotoxoplasmose, do- tar piscinas, com medo
ler três palavras: AZT, o ença oportunista que afe- de se contaminar com o
remédio que, durante ta o sistema nervoso dos HIV. Mas o estigma do ví-
quase 10 anos, foi à portadores de HIV. rus é apenas um dos de-
única medicação ca- Atualmente, ela vive safios que ela tem de en-
paz de oferecer alguma apenas de bicos e da carar. Nunca mais conse-
esperança a quem vi- ajuda dos três filhos, já gui se relacionar com
via com Aids. Ela já adultos. Apesar do apoio, ninguém. “Tenho medo
havia recebido o diag- Aids e HIV ganharam de ser rejeitada”. A vida de Fátima se transformou após descobrir a doença

São João registra 80 casos de AIDS


10 novos casos da doença são registrados todos os anos. Duas crianças, dois idosos e uma gestante são portadores da doença

A
epidemia do medicamentos. A faixa o assunto em sala de
HIV/AIDS é uma de idade das pessoas aula. São realizadas pa- O que é AIDS
realidade e se contaminadas é de 40 a lestras e atividades edu- A Aids é uma doença que
alastra de modo expres- 50 anos. cativas. “As pessoas co-

B
se manifesta após a runo tem 39 anos e trabalha com
sivo em São João Batista. Além disso, o muni- nhecem os riscos, mas infecção do organismo consultoria de recursos humanos. Só duas
De acordo com informa- cípio registra dois casos acham que não vão se colegas de trabalho sabem que ele tem o
ções do Programa DST/ de AIDS em crianças, em contaminar. Temos inú-
humano pelo Vírus da
vírus, descoberto em 2005. Toda vez que
AIDS, até meados de uma gestante e dois ido- meros casos de marido e Imunodeficiência Humana, precisa tomar um remédio, tem de disfarçar para
2008 a cidade já havia sos com mais de 60 anos. mulher que são porta- mais conhecido como HIV. pegar o frasco na bolsa sem ser notado por
registrado 80 casos da Já a quantidade de pes- dores do vírus. O HIV está Esta sigla é proveniente do ninguém. “Acho que eu teria problemas se
doença. Desde 1988, soas com HIV é difícil de se instalando em famí- inglês - Human soubessem”, diz. Diariamente, toma quatro
quando foi registrado o identificar. Mas segundo lias”, afirma Aline. comprimidos e está começando a sentir os
Immunodeficiency Virus.
primeiro caso no muni- os cálculos passados pelo Todos os meses são primeiros efeitos colaterais: sente que a massa
cípio 35 óbitos ocorre- Programa DST/AIDS de realizados no Sistema Também do inglês deriva a
muscular em várias partes do corpo não é mais a
ram ocasionados pela São João Batista, o Municipal de Saúde 40 sigla AIDS, Acquired mesma.
doença. município deve compor- exames. Todo o atendi- Immune Deficiency Em três anos com o HIV, tudo mudou. Os
De acordo com a tar uma população de mento aos portadores da Syndrome, que em relacionamentos, por exem-
responsável pelo Progra- 240 pessoas com HIV. doença é sigiloso. “Forne- português quer dizer plo, parecem mais difíceis de
ma DST/AIDS, Aline Para tentar afastar as cemos toda assistência se concretizarem. Quando
Maria Paulista, 10 novos sombras dessas estatís- necessária. Quando é
Síndrome da
começa o envolvimento, lo-
casos da doença são ticas, o município vem detectada a necessidade Imunodeficiência Adquirida. go vem à dúvida de como
registrados todos os anos fornecendo orientações encaminhamos também abrir o jogo ao parceiro e o
em São João Batista. Em nas escolas. Os profes- os portadores da AIDS
grande parte dos infecta- sores estão trabalhando para especialistas”.
O que é HIV medo sobre a reação. “O difí-
cil é que não dá para deixar
dos, o vírus foi transmiti- O Vírus da a revelação para muito
do pela atividade sexual. Imunodeficiência Humana, tarde. Você conhece a pes-
O município é considera- conhecido como HIV (sigla soa, começa a se apaixonar e
do prioridade para os originada do inglês: Human precisa entregar uma bomba
programas de DST/AIDS nas mãos dela”, compara. O
do Governo Federal e do
Immunodeficiency Virus), é
vírus foi descoberto depois
Estado. Proporcional- um vírus pertencente à que o namorado teve sífilis e
mente ao número de ha- classe dos retrovírus e os dois foram aconselhados a fazer um teste.
bitantes, São João possuí causador da aids. Ao entrar “Quando descobri, foi como se estivessem cortan-
o maior índice de porta- no organismo humano, do as minhas duas pernas. Saí na rua e sequer
dores do vírus em Santa sabia para onde deveria ir para chegar à minha
esse vírus pode ficar
Catarina. casa”. Não considera que foi traído. “Não existem
Para se ter idéia do silencioso e incubado por
culpados, mas há um responsável pela doença,
problema, o Programa muitos anos. Esta fase que sou eu”, afirma.
DST/AIDS somente é denomina-se assintomática Se no trabalho ele tem medo do preconceito, a
disponibilizado para e relaciona-se ao quadro Aids serviu para aproximá-lo da família. Estão
municípios onde a con- em que uma pessoa mais próximos, mais envolvidos. Aos poucos, foi
taminação é considera- contando a todos sobre a doença. Para a mãe, a
da epidêmica. Segundo a
infectada não apresenta
princípio, disse que estava com um câncer. Deu a
enfermeira Aline, todos nenhum sintoma ou sinal ela um livro sobre HIV e só depois lhe revelou a
os meses 21 portadores da doença. verdade.
da AIDS fazem uso de Enfermeira Aline M. Paulista responsável pelo Programa DST/AIDS
pg06 acrítica

educação
Desafio é melhorar
a qualidade da educação
Um Sistema de Educação sobrecarregado. De 16 mil habitantes em 2000, São João Batista saltou para 22.089 habitantes
em 2008. O crescimento da cidade não acompanhou a oferta de vagas nas escolas.
Jonas Hames
acritica@jornalac.com São João Batista
U
m Sistema de cação batistense, avaliar

A
prender. Um verbo difícil de ser Educação sobre- individualmente as difi-
conjugado no presente da educação carregado. De culdades de cada aluno é o
brasileira. Os indicadores das avaliações 16 mil habitantes em princípio de uma educa-
seja do Ensino Fundamental ou Médio, até 2000, São João Batista ção bem sucedida. Para
saltou para 22.089 isso as unidades escolares
crescem, mas, em sala de aula, o que se tem são
habitantes em 2007. O de São João Batista rece-
alunos que pouco sabem ler, escrever ou realizar
crescimento da cidade beram profissionais que
operações matemáticas e professores não acompanhou a fornecem apoio peda-
sobrecarregados com três turnos de trabalho ou oferta de vagas nas es- gógico. No primeiro passo
ainda desestimulados e aquém das necessidades colas. Resultado disso a criança é avaliada, a
do ensino na atualidade. são salas com 40 família é convidada a
As diferenças entre a Rede de Ensino em alunos, dificultando o conhecer os resultados das
Canelinha e São João Batista são marcadas por tratamento individual. avaliações e a situação do
um abismo de diferenças. A média de alunos por Em 2007 estavam aluno é discutida. Em
sala em Canelinha é de 25 enquanto em São João matriculados nas esco- seguida o estudante é
Batista são 40 crianças por sala. Estão las municipais 2.700 encaminhado para um
matriculados na Capital Catarinense do crianças, mas segundo profissional que poderá
Calçado 2.700 estudantes enquanto na terra das a Secretária, Maria trabalhar a dificuldade.
cerâmicas 1.011. Elizabeth Booz, esse “Vamos melhor desde
Portanto, o grande desafio de municípios número deverá chegar a base, que é a educação
como São João Batista e Canelinha não é mais a três mil em 2009. infantil. Esperamos num
universalizar o acesso à educação ou melhorar a Mas essa saturação futuro bem próximo não
infra-estrutura da rede pública de ensino com estrutural não impede o Secretária de Educação Maria Elizabeth Booz necessitar mais de profes-
planejamento. A meta é sores de apoio”, entusias-
novas escolas, mas fazer com que os estudantes
atingir 6.2 no IDEB em patamar ideal de educa- beth. Outra forma de ma-se Elizabeth. Na visão
realmente aprendam. O ano de 2008 não foi
2009. Em 2007 a média ção a fórmula parece bem melhorar o aprendizado dela, melhorando a base
marcado por realizações espetaculares na área da Educação Funda- simples. Valorização dos dos alunos é a elaboração de ensino, com os me-
educacional, mas também não deixou de ter mental no município professores e de todos os de projetos que atendam lhores professores sendo
fatos relevantes para os rumos do ensino público. no Índice de Desenvol- profissionais da educação. as diferenças. “Estamos deslocados para a educa-
Um Mapa fornecido pelo Ministério da vimento da Educação Fornecer condições para integrando a grade escolar ção infantil e as séries
Educação mostra dados que indicam Básica foi 5.1. Esse é o que os educadores se ca- à disciplina de Arte que iniciais será possível aper-
importantes avanços. Em São João Batista a melhor índice entre os pacitem. “Já iniciamos o visa trabalhar as potencia- feiçoar todo o sistema edu-
meta do Índice de Desenvolvimento da Educação municípios da Grande ano com palestra sobre as lidades de cada aluno”, cacional, impedindo a
Básica (IDEB) trouxe certo alento para os gestores Florianópolis. mudanças nas regras da garante. formação de analfabetos
da educação. No entanto, a superação da meta Para chegar ao ortografia”, afirma Eliza- Para a gestora da edu- funcionais. <
do IDEB prevista para o ano de 2007 foi vista
como um desafio pela Secretária de Educação,
Maria Elizabeth Booz, que pretende chegar em
2010 com média 6,2.
Canelinha
A titular da Educação batistense é enfática
ao afirmar que o foco dos investimentos na rede
para este ano visam a melhoria na
aprendizagem. “O grande desafio da gestão é
I nvestir no aperfei-
çoamento dos pro-
fessores com cursos e
seminários. Para Maria
fabetos funcionais. “Os
pais ainda não abriram
mão. Eles sabem como
seus filhos estão sendo
las de Tempo Integral. Mas
mesmo antes da ativação
do projeto, as escolas já
vem oferecendo reforço
colocar a escola e seu produto no centro. Salete Montibeller, um educados. E cobram”. aos estudantes. “Estamos
Queremos que o resultado da escola seja dos agravantes da edu- Segundo Salete, a intera- percebendo resultados po-
realmente considerado a prestação de contas de cação é que os mestres ção entre as famílias e a sitivos”, afirma.
deixam as universida- escola é fundamental. Se em São João Batis-
todos nós”, destaca.
des somente com a teo- Para aumentar essa ta a Rede Municipal
Apesar dos investimentos de Canelinha
ria. “Não existe a prá- aproximação, esse ano já está saturada, em
estarem focados para implementação de tica da educação. E isso será reativado o projeto Canelinha o proble-
metodologias que buscam a melhoria da conta muito para a qua- “Roda de Conversa”, que ma ainda não aparece. De
qualidade do aprendizado dos alunos, a infra- lidade do ensino”, afir- leva para o ambiente acordo com a Secretária
estrutura da rede não será esquecida, assim ma. escolar as famílias. Nessas Municipal de Educação, o
como a qualificação dos professores. Segundo A participação da rodas de conversa são crescimento da rede tem si-
Maria Salete Montibeller, a valorização do família na educação discutidos desde temas do lento, mas o município
magistério, uma boa infra-estrutura e novos das crianças é outro educacionais a problemas já vem ampliando a oferta colar já estão matricula-
projetos, são formas que a gestão está ponto primordial para de ordem social. de salas de aula para das na Educação Infantil.
encontrando para colocar os mestres mais em melhorar a aprendiza- Vem sendo analisada evitar a superlotação. A oferta de vagas nas cre-
sintonia com a rede e o sistema de educação gem e impedir que as também em Canelinha a Em Canelinha, 90% ches aumentou 400% nos
como um todo. < escolas formem anal- disponibilização de Esco- das crianças com idade es- últimos quatro anos. <
12 de fevereiro de 2009 pg07 acrítica

diálogo
Aterro Sanitário no limite
Licença do aterro sanitário termina em março. São João Batista pode ficar sem local para depositar resíduos
Jonas Hames município, o aterro sanitário
acritica@jornalac.com também recebe o lixo do mu-
nicípio vizinho de Canelinha.
Nas últimas semanas a

O
aterro sanitário de Administração Municipal de
São João Batista pos- Canelinha foi notificada: São
sui licença para ope- João Batista não poderá mais
rar até março. Com a vida útil receber os resíduos.
do aterro se esgotando, a pre- Para a engenheira am-
feitura tenta conseguir uma biental Denize Tavares, o
autorização para funcionar aterro sanitário batistense
até o final do ano. Um das está em um ponto crítico e
soluções estudadas pela corre o risco de não ter a
administração é a criação de licença renovada. Caso a
um consórcio com os muni- Fundação do Meio Ambiente –
cípios vizinhos para cons- FATMA –, se negue a fornecer
trução de um aterro sanitário. autorização à solução será a
Os primeiros passos já foram terceirização, o que honeraria
dados. O prefeito de Cane- os cofres públicos já que um
linha já sinalizou favorável- aterro sanitário particular
mente com uma área de terra. cobra R$ 98 a tonelada de lixo.
A construção do aterro A cidade emprega todas as
sanitário batistense foi base- técnicas de tratamento dos
ada em projeções de uma vida resíduos. “Temos até um pro-
útil de 20 anos. Mas á época o jeto de recuperação ambien-
município possuía somente 15 tal”, afirma Denize. E a preo-
Autoridades estudam a criação de um consórcio entre os município para dar destino correto ao lixo
mil habitantes, hoje, segundo cupação das autoridades am-
o Censo, 22.089. Em 2002
quando o aterro entrou em
bientais vai além da licença.
São João não possui outras Entre aspas | Denize Tavares
funcionamento a cidade pro- áreas disponíveis para a cons-
duzia seis toneladas de lixo trução de um novo aterro. Por “Queremos evitar uma “Para diminuir a quantidade de
por dia, atualmente o volume esse motivo o consórcio entre terceirização, pois os custos lixo e ampliar a vida do aterro é
saltou para 20 toneladas. os municípios da região está são altos. Estamos tentando importante que a comunidade
Além de comportar toda a sendo encarado como uma renovar a licença do aterro recicle seu lixo”.
produção de resíduos do prioridade. sanitário”.
“Não poderemos mais receber
“O aterro está com sua os resíduos de Canelinha.
capacidade esgotada. Foi Estamos sobrecarregados”.
construído para durar 20
anos, mas a cidade cresceu “O prefeito de Canelinha já
em ritmo acelerado”. marcou para que possamos
Coleta seletiva reduz produção do lixo “É difícil encontrar um local
verificar um local no município
vizinho para a construção do
< Governo, ambientalistas. cada casa, em cada apropriado para instalação do aterro. Canelinha é um ponto
Todos concordam num trabalho. "Cada um deve aterro em São João Batista. estratégico”.
ponto: toda pessoa deve fazer fazer o possível para reduzir Por isso estamos tentando
a sua parte - o processo de a produção de lixo", afirma viabilizar um consórcio entre “É preciso um novo aterro. A
reciclagem e diminuição dos a engenheira ambiental os municípios”. vida útil desse está acabando”.
dejetos deve começar em Denize Tavares.

Tijolos em geral, capas para laje


Serviços de Terraplanagem
ADVOCACIA CANELINHA
48 |
3263 3205
3263 3119

Fone: 48 | 3264 0279 - 9937 4934


pg08 acrítica

são joão batista


Sisam mapeia pontos críticos de São João
Autarquia municipal vai investir R$ 46.900 mil para conhecer os pontos com maiores problemas no abastecimento
Da Redação abastecimento de água. primeira etapa da adu-
acrítica@jornalac.com Estão sendo inves-tidos tora estão sendo gastos
no mapeamento R$ mais de R$ 400 mil. A

O
Sistema de A- 46.900 mil. Apesar de segunda parte da obra,
bastecimento de todos os investimentos, a que vai até próximo a
Água de São autarquia municipal captação deverão ser
João Batista vai passar ainda não tem noção de investidos mais R$ 600
por um Raio-X. O Siste- quais são os pontos mais mil. Essa já está em fase
ma de Infra-Estrutura, críticos na cidade. de licitação.
Saneamento e Água Um dos graves pro- Diferente da antiga,
Municipal – SISAM –, blemas no Sistema de a nova adutora está A conta da água vai
contratou a empresa Co- Abastecimento de Água sendo construída junto ficar mais cara em
nesan que irá elaborar em São João Batista já às estradas e não pelos São João Batista, é o
um projeto básico de está sendo solucionado. morros, o que vai melho- que informa a Se-
engenharia para am- A primeira fase da nova rar a pressão da água. cretaria de Adminis-
pliação e melhoria na adutora, que trás água “Com todo esse inves- tração. Isso porque
rede. O objetivo é en- da captação no Fernan- timento o Sisam estará a taxa de lixo antes
tender os problemas, as des para a Estação de preparado para atender cobrado no IPTU
será incorporada a
necessidades e onde se- Tratamento, deve ficar a demanda batistense
fatura do Sisam. Pa-
rão necessários inves- pronta em 20 dias. São por muito tempo”, argu-
ra quem tem coleta
timentos. 530 tubos em 3.100 mil menta o diretor.
três vezes por se-
Segundo o diretor do quilômetros. Zilton que assumiu o mana vai pagar R$
Sisam, Zilton Vila Nova, “Com a nova adu- Sisam no início desse ano 9, e para quem a co-
a empresa tem 60 dias tora, o Sisam terá capa- ainda está conhecendo a leta acontece duas
para elaborar o projeto e cidade de abastecer a autarquia e analisando vezes será R$ 6. <
apontar os locais com cidade por mais 20 os investimentos futuros
maior deficiência no anos”, afirma Zilton. Na Diretor do Sisam, Zilton Vila Nova para São João Batista.<

AUTO POSTO

T equinho
24h

By Maria Duda Combustível de Qualidade.


T Conveniência anexo ao Auto Posto Tequinho

48 | 3264 0266

48 | 3264 0049
9989 0161
e-mail: mecanicagomes@terra.com.br

GILSON GOMES - EPP


Um espaço para pessoas de estilo MECÂNICA GOMES
12 de fevereiro de 2009 pg09 acrítica

canelinha
A nova empresa
Edson Flores acredita que até
meados de março o Serviço
Municipal de Água, Infra-
estrutura e Saneamento já esteja
plenamente nas mãos do
município. O objetivo agora é
entrar na justiça com uma ação
contra a Casan e reintegrar o
sistema. “Dada à urgência na
prestação do serviço, acredito que
a decisão vai sair rapidamente”,
fala.
O projeto de criação da
autarquia municipal foi à
votação a pedido da equipe de
transição do Governo Antônio em
15 de dezembro de 2008. Na
próxima semana toda a parte
contábil da nova empresa
começará a ser montada, dando
uma forma jurídica a SEMAIS.

O que o SEMAIS
vai fazer
A autarquia municipal vai
coordenar o planejamento,
executar, operar e explorar os
Prefeitura de Canelinha vai entrar na justiça para retormar o sistema de abastecimento e saneamento do município. Projeto que cria empresa municipal já foi aprovado na Câmara
serviços públicos de esgotos e
abastecimento de água potável,

De quem é a água?
bem como realizar obras de
saneamento básico e prestar
serviços de infra-estrutura, em
convênio com municípios da
região.
SEMAIS também será respon-
Canelinha entra com ação na justiça para retomar Sistema de água do município sável pela coleta, transporte e
tratamento do lixo produzido no
município. A partir de 2010 a
Jonas Hames blico. A Casan pegou um Sistema empresa também poderá cobrar
acritica@jornalac.com O que pensa o cidadão já pronto, mas não trouxe
contrapartida ao município.
na fatura de água a tarifa de
coleta do lixo.

O
primeiro ato do prefeito Nesses 30 anos de contrato,
mesmo com a Casan gerindo o
de Canelinha, Antonio da
Silva, no dia primeiro de Sistema, a prefeitura continuou a
conceder privilégios à empresa.
O que diz a Casan
janeiro, foi sancionar uma lei de Segundo o diretor da Casan,
15 de dezembro de 2008 que cria o Isso porque, a arrecadação da Antônio Carlos Flores, a empresa
Serviço Municipal de Água, Infra- Casan não permanece no já apresentou uma contra-
estrutura e Saneamento – SEMAIS. município o que dificulta proposta para a prefeitura. A
Operando sem convênio, a Casan investimentos na localidade que Casan ofereceu participação de
ainda não se mostrou disposta e está explorando. De acordo com o 5% no lucro e obras de infra-es-
entregar o Sistema. Por isso, a Pre- assessor jurídico, Edson Flores, trutura como a construção de um
feitura vai entrar com uma ação prefeitos em diversas gestões reservatório de um milhão de li-
contra a empresa. cooperaram com máquinas e tros, mudança na captação do
“Acho uma boa idéia. São tarifas “Vai ficar bom, pois o custo vai cair. A
A municipalização da água pessoal. “Recuperaram calça- Rolador e melhoria em três mil
mais baratas. O município que tem qualidade da água vai ficar melhor e o
em Canelinha foi uma das ban- mento e abriram valas. Inclusive metros de rede na área do autó-
sistema próprio, tem condições de abastecimento também”.
deiras de campanha dos dois prin- com doações de material para dromo. Em resposta a proposta a
regular suas próprias tarifas, de
cipais candidatos a prefeitura em acordo com a própria realidade”.
ampliação da Rede de Distri- prefeitura pediu participação de
Cleidiane Laguna
2008. Com um contrato prestes a Fabiana Reis buição”, afirma Edson. 30% nos lucros e mais R$ 3 mi-
22 anos
vencer via-se na plataforma da 28 anos | assistente contábil Desempregada
Em contraposição aos lhões para investimentos em
água forte argumento de campa- privilégios que a Casan teve com pavimentações.
nha. A Casan atua em Canelinha as administrações do município a Para Antônio, a prefeitura
desde 1979, quando recebeu a “Tenho receito que se houver empresa ampliou uma pequena desconhece o terreno em que está
concessão para operar os serviços uma baixa no custo do parte da rede já existente, pisando. Todos os meses são
de abastecimento e saneamento. fornecimento, isso venha gerar construiu um reservatório e uma efetuados de 80 a 90 cortes. A
Quando assumiu a gestão dos um consumo desenfreado. A nova captação no Rolador. diminuição da tarifa de água é
recursos hídricos, a empresa rece- municipalidade precisa conter os Quanto à implantação da inviável, já que aumentaria o
beu parte do Sistema implantado. rede de esgoto, que constava no consumo e sobrecarregaria a rede
abusos inclusive aplicando
A Represa do Salto, que serve como contrato, não foi realizado nem de abastecimento. “Não concordo
multas, se necessário for”.
ponto de captação, ainda está nas um projeto. Com faturamento de com a maneira que está, mas
mãos do município e vem sendo aproximadamente R$ 90 mil por também não aceito a maneira
Túlio José Dalsasso
explorada pela Casan. Em 1979 a mês, a Casan de Canelinha possui que querem fazer”, diz. Segundo
Farmacista
cidade já possuía também um somente um funcionário, os ele, a melhor solução para
reservatório. E esse é um dos prin- demais foram transferidos de Canelinha seria uma gestão
cipais argumentos do Poder Pú- outros municípios. compartilhada com a Casan.
acrítica pg10 12 de fevereiro de 2009

atualidades
IPTU batistense sofre aumento de 6,41%
O aumento será correspondente a inflação do ano passado. A taxa de recolhimento do lixo também deixará de ser cobrada no imposto
Da Redação mento imobiliário da ci-
acrítica@jornalac.com dade. Dados fornecidos
pela Secretaria de Admi- Badesc financia R$ 3,8 milhões para São João Batista
O
Imposto Terri- nistração mostram um

O
torial e Predial crescimento no número secretário de de Brusque, Jair Nonga sexta-feira (6), o prefeito Santos, para a assinatu-
Urbano – IPTU – de moradias registradas. Desenvolvime de Amorim, recebeu em de São João Batista, ra de dois convênios, to-
de São João Batista vai Antes do levantamento a nto Regional seu gabinete, na tarde de Aderbal Manoel dos talizando R$ 3.857.142.
aumentar 6,41% em cidade contava com a- O primeiro, para
2009, é o que informa a proximadamente seis obtenção de um finan-
Secretaria de Adminis- mil moradias e saltou pa- ciamento por parte da
tração e Finanças do mu- ra quase 10 mil. Esse cres- municipalidade, junto
nicípio. O aumento será cimento também deverá ao Badesc no valor de R$
correspondente a infla- corresponder em aumen- 3.571.428,00, será para
ção do ano passado. Tra- to de arrecadação para drenagem, pavimen-
ta-se do maior valor re- os cofres municipais. tação de ruas, aquisição
gistrado desde o ano de A partir de abril o de máquina e equi-
2004, quando a acele- cidadão batistense já po- pamento, reurbanização
ração de preços foi de derá acessar no site da de praça e construção de
7,6%. prefeitura todos os dados uma ponte.
Um das novidades de sua propriedade. Para O segundo, no valor
no IPTU de 2009 é que a garantir confiabilidade de R$ 285.714, também
taxa de lixo que deixará nas informações sobre a junto ao Badesc, será
de ser cobrada junto com situação dos imóveis, as destinado à aquisição de
o tributo. Essa taxa será áreas ocupadas do mu- um veículo para o
anexada à fatura de á- nicípio foram fotografa- transporte escolar. A
gua do Sisam. A Prefei- das. O último recadastra- contrapartida total do
tura Municipal também mento aconteceu em município será de R$
concluiu o recadastra- 2005. Secretário da SDR Jair Sebastião Nonga de Amorim e prefeito Aderbal Manoel dos Santos 1.157.142.

E ERGY
Tecnologia em Informática
MERCADO E PADARIA Vendas de equipamentos

PEDRINHO Assitência Técnica



Suprimentos

Rede Cabeadas e Wireless

Desenvolvimento de Softwares

Oferecendo sempre o melhor para você!


*IMAGENS MERAMENTE ILUSTRATIVAS.

PLACA MÃE SOM/VIDEO/REDE PCI-E


MEMÓRIA DDR2 1GB
HD 160GB 7200RPM SATA
GRAVADOR DE DVD E CD
R$
70,00
GABINETE 4 BAIAS COM USB FRONTAL
(KIT: GAB+TEC+MOU+CXSOM)
TUDO EM MATERIAIS MONITOR LCD 19"
ESTABILIZADOR 300VA BIVOLT

PARA A SUA CONSTRUÇÃO


1
R$ .670,00

INSTALADORA BATISTENSE
Construcard
Vá na loja com a senha 4350 e
ganhe desconto de 8% na compra
Fones:
3265 0326
de qualquer produto!
R$
45,00
3265 2580 Rua Marcolino Duarte, 34 - São João Batista
e-mail: contato@energytecnologia.com 48 | 3265 4350
acrítica pg11

saúde

O município de São João Batista registrou dois casos de hanseníase desde 2005
Da Redação informativo no muni- ficar exposta ao sol. lepra sempre foi uma
acrítica@jornalac.com cípio. Segundo a enfer- “A pessoa não sente doença estigmatizada
meira Aline Maria dor nessas manchas. Esse pela sociedade. Os pa-

D
e 2005 a 2008 Paulista, o material que é o primeiro sintoma que cientes eram isolados em
São João Batista está disponível no Posto se deve observar e isso se colônias porque não
registrou dois ca- de Saúde deverá ser dis- faz através do toque. havia tratamento. As de-
sos de Hanseníase, que é tribuído em fevereiro. Não podemos abaixar a formações ou perda de
conhecida popular- Aline afirma que os guarda contra essa doen- membros assustavam as
mente como lepra. O dois casos de hanseníase ça”, alerta a enfermeira pessoas. Era a própria le-
número parece pequeno, registrados no município Aline. Se não for tratada gislação sanitária que
mas mesmo assim é foram acompanhados e a lepra passa da pele determinava que os do-
preocupante. Para aler- tratados pelo sistema de para o sistema nervoso. entes fossem internados
tar a população foi saúde do município. Os O paciente sente dores em leprosários. <
realizada em janeiro primeiros sintomas da em nervos periféricos dos
uma campanha de

Guinchodo
doença é a falta de sensi- cotovelos, punhos e per-
combate à moléstia em bilidade em partes do nas. Sem tratamento, a
todo o país. Como as corpo, que apresentam lepra pode levar a defor-
atividades da Saúde não manchas esbranquiça- mações pelo corpo, ce-

Vale
haviam iniciado ple- das. Outro sinal é que gueira e o paciente fica
namente em janeiro, nessas manchas a completamente incapa-
não foi realizada distri- pessoa não sua, mesmo citado.
buição de material se praticar exercícios ou A hanseníase ou Atendimento

24
horas
48 | 3265 4020
9911 3514
TELE-VENDAS: 3265 2993
9117 7164 PLANTÃO:
3265 2565
SERVIMOS CAPUCCINO E MILK SHEIK

Impressão com alta definição!

FONE: 48 | 9124 2280 - 3265 4003


pg12 acrítica 12 de fevereiro de 2009

automóveis
CIA. DO CARRO
João José Melim

Precauções antes de viajar!


O
s motoristas de-
vem adotar pre-
cauções para ter
uma viagem segura e
confortável. A primeira
providência é fazer uma
vistoria geral no veículo.
A cada 500 km
rodados aconselha-se a
verificar o nível do óleo
do motor, através da va-
Cidade ganhou mais de 6.498 mil novos veículos em quatro anos
reta de controle. Para Infografia | A Crítica

melhor aferição o carro


Jonas Hames
deve estar em locais pla- acritica@jornalac.com
nos e com o motor frio.
As crianças devem

A
ficar sempre no banco pós atingir a mar-
traseiro. As com idade de tação leve, à base de car- ca histórica de
até 4 anos devem ser nes brancas, saladas, 10.086 veículos
transportadas em cadei- frutas.Em locais com in-
em fevereiro de 2007, a
ras especiais, com cintos cidência direta de sol, a-
frota de São João Batista
próprios. Dos quatro aos bra mão de legumes e
10 anos é recomendado verduras já temperados e
cresceu acima da média
transportá-las sobre muita atenção com fru- em 2008: dados divulga-
uma almofada para o tos do mar. E não se es- dos pelo Departamento
cinto não encostar no queça de tomar muito lí- Estadual de Trânsito
pescoço. Bebês, mesmo quido. (Detran/SC) mostram
recém-nascidos, não de- Evite sobrecarregar o que 1.157 novos veículos
vem viajar no colo da veículo ou levar objetos foram emplacados na
mãe, pois em caso de pesados e soltos dentro Capital Catarinense do
colisão a criança pode do habitáculo. Além de Calçado de dezembro de
ser usada como amorte- prejudicar o desempe- 2007 a dezembro de
cedor no impacto com o nho do motor, excesso de 2008. Em quatro anos o
painel ou banco da bagagem pode compro- número de veículos em
frente. O ideal é trans- meter a segurança dos circulação no município
portá-las em cadeirinhas ocupantes. Em uma fre- cresceu 106% indo de
fixadas de costas do nagem mais brusca, 6.146 em dezembro de Comparando-se os pri- nha cerca de 152 veícu- em dezembro de 2007 a
sentido do carro. qualquer objeto colocado 2004 para 12.644 no meiros trimestres de los por mês, de acordo agosto de 2008, parado-
O motorista também sobre o tampão atrás do
mesmo mês de 2008. 2007 e 2008, o cresci- com o Detran/SC. Existe, xalmente contribuiu pa-
precisa estar descansado banco traseiro, por
O maior crescimento mento da frota também hoje, aproximadamente ra a piora do problema
e com a saúde em dia. O exemplo, é projetado pa-
cansaço e a fadiga ra a frente e pode atingir
de veículos na frota já mostra-se elevado. O um veículo para cada urbano enfrentado por
diminuem os reflexos e a cabeça dos passageiros. registrado em um ano foi número total de veículos dois habitantes do mu- São João Batista: carro
aumentam a probabili- O cinto de segurança não em 2007. De dezembro de emplacados nos três nicípio. Em 2004, São demais para ruas de
dade de acidentes. Antes pode ficar sobre o pes- 2006 ao fim de 2007, primeiros meses de 2008 João Batista possuia menos. Nos últimos
de viagens e passeios, coço. A parte superior do 1.666 novos veículos foi de 11.829, o que re- 3.303 carros e 2.139 mo- quatro anos, o número
dormir de 6 a 8 horas é encosto de cabeça deve entraram em circulação presenta um aumento de tos. Em 2008 o número de veículos cresceu
indispensável. ficar na altura dos olhos no município. A média é 16% em relação ao subiu para 6.135 e 4.793 106%, enquanto a infra-
É importante usar do ocupante do banco de 152 novos veículos mesmo período de 2007, respectivamente. estrutura urbana, com a
roupas adequadas às para ser protegido contra circulando pelas ruas da quando 10.221 veículos O bom momento quantidade de ruas e
condições climáticas. lesões na coluna cervical cidade por mês. circulavam em São João econômico do país, com avenidas, não
Prefira uma alimen- e no pescoço.

m
A frota cresce em Batista. os expressivos resultados aumentou no mesmo
ritmo impressionante. São João Batista ga- de vendas apresentados ritmo.

1º Emplacamento Licenciamento Cel.: 48 | 9997 0054


Transferência 2a Via Fone: 48 | 3264 1427
Mecânica Melim multimarcas
DESPACHANTE

e-mail: mecanicamelim@hotmail.com
CALBUCH
e-mail: despachantecalbuch@bol.com.br

3264 1084
1764
Rod. SC 411, Km 10, nº 1523 - Centro - Canelinha
12 de fevereiro de 2009 pg13 acrítica

calçado

A
s indústrias calçadistas de São João
Batista (SC) irão conhecer as inspi-
rações em design e materiais do setor de
componentes para o Verão 2010 no
Fórum de Inspirações para Calçados e Arte-
Projeto de internacionalização está no fatos, que ocorrerá no dia 17 de fevereiro, às 19
horas, no Centro Empresarial (Av. Egídio Ma-
quarto mês e visa à inserção das marcas noel Cordeiro, Centro). O projeto é uma ini-
ciativa da Associação Brasileira de Empresas de
em países da União Europeia Componentes para Couro, Calçados e Artefatos
da (Assintecal), do Serviço Nacional de Apren-
dizagem Industrial (SENAI) e do Sindicato das

N o dia 25 de
março, 20
empresas de São
João Batista estarão
por mais onze meses,
dispõe, de acordo com o
diretor executivo do
Sincasjb, Rosenildo de
Indústrias de Calçados de São João Batista (SIN-
CASJB) em parceria com o Serviço de Apoio às
Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) e Agência
Brasileira de Promoção e Exportações e
realizando um viajem de Amorim, de R$ 2,4
fazer com que todas Investimentos (Apex-Brasil).
negócios através do milhões para colocar em
estejam muito bem Os visitantes poderão conferir a exposição
Projeto de Internaciona- prática atividades volta-
preparadas (em termos dos componentes e materiais desenvolvidos por
lização das empresas do da a internacionalização
de qualidade, design, 108 empresas de todo o país, que percorrerá os
APL. Essa é uma parceria das marcas.
produção, etc.) para ex- 24 pólos calçadistas do Brasil até o dia 19 de
entre o Sindicato da Das empresas parti-
portar para os europeus. março e duas feiras internacionais.
Indústria de Calçados de cipantes do projeto, 12
Para isso, o sindicato Nesta terça-feira, a partir das 19h, será
São João Batista (Sin- são classificadas como
providenciou a contrata- proferida palestra sobre a pesquisa realizada
casjb) e a Agência Brasi- pequenas e as outras oito
ção de uma consultora pelo Núcleo de Design da Assintecal e pelos
leira de Desenvolvimen- como médias ou gran-
na área internacional do Núcleos de Apoio ao Design do SENAI, com a
to Industrial (ABDI) e des. Parte delas já expor-
ramo (Virgínia Ahag, da participação da consultora de moda Tatiana
visa à inserção das ta para Europa, mas a
Global Compass), que Ritzel. A pesquisa de inspirações é orientada
marcas da região no maioria ainda vende
irá preparar um diag- pelo estilista e coordenador do Núcleo de
mercado europeu. O apenas para países
nóstico do nível em que Design da Associação Brasileira de Empresas
projeto, que teve início vizinhos ao Brasil. Amo-
elas se encontram de Componentes para Couro, Calçados e
em novembro passado e rim explica que o objeti-
quanto à capacidade Artefatos (Assintecal), Walter Rodrigues.
deve se estender ainda vo do sindicato agora é
para exportar e aten-
der à demanda de
compradores euro- INSPIRAÇÕES E DESIGN
peus. Emocionar, Humanizar, Surpreen-
No próximo dia 25 der e Satisfazer sãos os temas do Fórum
de março, 20 empresá- de Inspirações Verão 2010, que apresen-
rios devem viajar à tará materiais desenvolvidos a partir da
Europa com o objetivo pesquisa de inspirações realizada pela
de conhecer as tendênci- Assintecal e SENAI. O trabalho para a
as e coleções expostas criação dos materiais teve início em
nas vitrines neste período setembro de 2008, quando as empresas
do ano. As empresas se participantes receberam a pesquisa de
preparam para, em temas, ponto de partida para o desenvol-
setembro - quando vimento das coleções de componentes.
acontece a MICAM, Com a proposta de preparar as empresas
importante feira de fornecedoras da cadeia coureiro-calça-
Milão, apresentar ao dista a atender da maneira mais rápida e
público italiano as eficiente a demanda de seus clientes em
produções brasileiras em termos de moda e design, o Fórum de
sapatos. Na MICAM Inspirações oferece alternativas em matérias-
estão às empresas Rap- primas, oportuniza parcerias com empresas de
haella Booz, Ana Paula diferentes áreas, o desenvolvimento e a
Calçados e Século XXX. divulgação de novos produtos.
O orçamento dispo-
nível para o projeto é
oriundo de duas fontes. A OFICINA DE CRIAÇÃO
primeira é a própria UE, Além da apresentação, em São João
que repassou uma quan- Batista, o Fórum de Inspirações oferece também
tia equivalente R$ 977 a oportunidade de desenvolver o potencial
mil a ABDI, e a outra, criativo de profissionais e empresários, através
segundo Amorim, são as da Oficina de Criação, que ocorre no dia 18 de
próprias empresas fevereiro, das 9h às 12h, no mesmo local da
calçadistas, que investi- exposição do Fórum.
ram mais de dois
milhões na empreitada.
acrítica pg14

valor
Empresa pretende expandir 30%
Metais Mondelli planeja aumentar em 30% a capacidade de produção com construção de parque fabril em Nova Trento
Da Redação
acrítica@jornalac.com
COLEÇÃO
A construção de A Couromoda (Fei- Inverno/2009 é Fashion E a Metais Mon-
um novo parque ra Internacional de Travel e foi dividida em delli já está preparan-
fabril em Nova Calçados, Artigos Es- três temas: Folk, Mini- do uma nova coleção,
Trento vai elevar em portivos e Artefatos de malista e Glamour. A a do Verão/2010, com
30% a capacidade pro- Couro) é um dos mais coleção Folk é inspirada a cartela de cores de-
dutiva da Metais Mon- importantes eventos do no cowntry americano. finida e várias peças
delli, que hoje é de oito setor no Brasil. As pe- “As peças foram banha- em fase final. Todo o
milhões de peças por ças da coleção inver- das em ouro velho e con- material será apresen-
mês. Fabricante de five- no/2009 da Mondelli – tam com texturas, es- tado aos clientes no
las, enfeites e acessórios lançada em outubro de tampas e cores que reme- mês de março e
em metal para calçados, 2008 – foram utilizadas tem ao xadrez e ao tie também em um stand
Coleção Inverno/2009: por clientes que estive- dye”, explica Izolete. Na na Feira Internacio-
confecções, cintos e
Peças da Metais Mondelli foram utilizadas por clientes no Couromoda ram presentes na feira Minimalista foram apre- nal de Couros, Quími-
bolsas, a empresa possui
em sua cartela aproxi- Hoje, a matriz da sa possui uma loja na no mês de janeiro em sentadas peças lisas, cle- cos, Componentes e
madamente quatro mil Mondelli está localizada cidade de São João Batis- São Paulo. O evento, an, revestidas de Neon e Acessórios, Equipa-
itens. “Além de nossa na cidade de Nova Tren- ta e outra unidade com na opinião de Izolete, Onix (niquel brilhante e mentos e Máquinas
coleção, desenvolvemos to. O novo parque fabril fábrica e loja em Juazeiro funciona como um ter- grafite). Já na Glamour para Calçados e Cur-
peças exclusivas e per- terá 4,5 mil metros qua- do Norte (CE), respon- mômetro para calcular foi explorado o exagero e tumes (Fimec).<
sonalizadas atendendo drados e seu projeto in- sável pela fabricação de o número de vendas a exuberância das pe-
as necessidades especí- clui a parte produtiva, dois milhões de peças dos produtos que são dras, strass e o brilho dos
ficas de cada cliente”, as- showroom e a associação mensais. No total são cer- expostos no evento. banhos ouro light e
sinala a sócia-diretora, dos funcionários. Além ca de 150 colaboradores O tema da coleção dourado.
Izolete Cadorin Marchi. dessa unidade, a empre- diretos e 80 indiretos.<

RH E MEIO AMBIENTE
Em 2000, a Mondelli Uma outra propriedade,
adquiriu uma área de 820 hectares,
devastada no bairro localizada na divisa de
Vigolo, em Nova Trento, Santa Catarina com o
recuperou a mata e Paraná, foi adquirida em
efetuou o plantio de 2003. A área serve
várias espécies de exclusivamente para
árvores como palmito, preservação ambiental.
araucária, pinus e A empresa é
eucaliptus. No local patrocinadora do time
encontra-se a sede Metais Mondelli de
campestre da empresa, Futsal SUB-20, formada
onde todos os por jovens da região e de
colaboradores podem Santa Catarina e que
usufruir para lazer e há tem como objetivo
mesas de jogos e cancha incentivar a prática do
de bocha. A fauna e esporte. “Recentemente
flora mantêm-se dois jovens foram atuar
preservadas. na Itália”, conta Izolete.

ESC
SERVIÇOS CONTÁBEIS
Adalgisa Duarte CORRETORA DE IMÓVEIS
CRECI 13838

48 | 9937 5676
48 | 3264 0009 www.adalgisaimoveis.com.br

esccontabilidade@terra.com.br
pg15 acrítica

casa

N
esse novo mercado as pessoas não são
estimuladas a comprar flores fora das datas
comemorativas, ou programadas para
enviar flores a amigos ou parentes, simplesmente
com o intuito de lhes desejar “uma coisa boa”. Como fazer um bom projeto de iluminação. Veja as dicas:
As flores não são capazes de influenciar nada

M
sozinhas. É preciso que haja uma intenção, para que esmo quem é
elas possam agir a seu favor. do ramo preci-
sa de uma luz
na hora de escolher lâm-
padas. São muitas op-
<
A beleza das flores ções de marcas, modelos
enche os olhos, mas o e promessas nas prate-
que muitas pessoas leiras das lojas. O me-
não sabem é que elas lhor, recomendam os en-
tendidos, é saber direi-
podem interferir
tinho o que você está
também no bom procurando.
humor, alegria e No jargão lumino-
tranqüilidade. Estas técnico, há vários nomes
são só algumas das complicados que mos-
tram a quantidade e a
sensações que elas
qualidade da luz pro-
podem transmitir. duzida pela lâmpada.
Um deles é o IRC, sigla nas embalagens. apenas para o chuveiro e
<
As flores têm impacto <
As flores têm um para Índice de Reprodu- O problema é que a geladeira. Nesse
imediato no estado de efeito positivo ção de Cor. Quanto mais nem sempre os rótulos quesito, as fluorescentes
próximo de 100 é o IRC, trazem o rol de infor- largam mesmo na
felicidade das pessoas. duradouro no humor.
menos distorção nas mações para apagar frente. Elas são mais
Toda pessoa que recebe As pessoas que cores essa luz vai pro- todas as dúvidas. Aí vale caras, mas, segundo
flores expressam sorrisos apresentam quadros de duzir. Onde a cor certa apelar para regras gerais uma pesquisa do
verdadeiros e de depressão, sentem-se for fundamental, o ín- e básicas. As incandes- Instituto de Defesa do
dice deve ser no mínimo centes têm bom IRC, Consumidor o consumo
excitação, demonstrando melhores, menos
de 80%. ganham disparado em sai até 79% mais em
surpresa e gratidão. agressivas, ansiosas e preço, mas perdem em conta que o das incan-
agitadas após terem Dinheiro no bolso vida útil e eficiência para descentes. Outra artima-
recebido flores... Se a preocupação for as fluorescentes, que, por nha para baixar a conta
economia, a informação sua vez, têm evoluído de luz é usar o dimmer.
<
As flores têm preciosa é o de eficiência cada vez mais em Esse equipamento, que
impacto positivo no luminosa - quanto me- qualidade de luz. Anti- permite graduações con-
nos energia medida em gamente, elas deixavam forme o gosto do freguês,
ambiente de trabalho
watts o equipamento tudo meio azulado. Pois requer uma adaptação
<
A presença de flores melhora o aumentando inovação
gastar para produzir hoje estão conquistando tão fácil quanto instalar
relacionamento das pessoas e estreita os laços e criatividade. maior fluxo luminoso, as casas que prezam a um interruptor comum.
entre familiares, amigos, colaborando para a melhor. Outra carac- conta bancária. Para ter Ele costuma fazer su-
recuperação do individuo para o convívio social. Quer fazê-lo abrir-se? terística importante para uma idéia, as lâmpadas cesso especialmente no
avaliar o custo-benefício ocupam o terceiro lugar quarto das crianças e no
<
Flores causam
é a durabilidade da lâm- no ranking de consumo living. Sua utilização, no
impacto também em pada, geralmente iden- de energia numa resid- entanto, está restrita às
homens. tificada como "vida útil" ência comum, perdendo incandescentes.
Homens que recebem
flores demonstram uma
melhora do
relacionamento e
interação social e na
sua atitude perante as
outras pessoas.
Produtos Cerâmicos
48 | 9613 4290
9959 3784
9909 8315

Rua Geral do Moura, s/n - Canelinha


acrítica pg16

panorama
12 de fevereiro de 2009

Faz seis anos que Zelita Fagundes começou a se dedicar ao artesanato


Da Redação amiga. Comprou uma revista espe- Ela conta que as amigas começaram
acritica@jornalac.com cializada e começou a praticar a incentivar a venda dos produtos.
sozinha. “Foi por brincadeira, mas hoje “Coloquei algumas peças em uma cesta
levo a sério e me especializei fazendo e sai vendendo pela vizinhança. Deu
Serviço:
F
azer peças em crochê, bijuterias, cursos”, diz. certo”. Nessa época Zelita conciliava o
biscuit, velas ou de arranjos florais As dificuldades – os gastos com artesanato com outro emprego.
pode servir de hobby, terapia e até material e a preocupação com a O artesanato entrou definitiva-
gerar renda. Em São João Batista, a aprovação dos produtos pelos clientes – mente na vida de Zelita Fagundes,
criatividade envolve pessoas, que são facilmente superadas com o apoio quando uma amiga de Canelinha pediu
aumentam a qualidade de vida ao se da família e o prazer em tentar peças para que decorasse a parede de um
dedicarem ao que gostam. novas. Para comprar o material para quarto de bebê com biscuit. O trabalho
A paixão de Zelita Fagundes pelo confeccionar os primeiros vidros foi um sucesso. Depois disso trans-
artesanato nasceu observando uma enfeitados com biscuit, Zelita teve que formou o hobby em fonte de renda para
pegar R$ 50, emprestado do a família.
marido. As primeiras peças foram Além do biscuit ela fez um curso
feitas para presentear. para trabalhar com madeira no NEP, e
oferecer uma gama diversificada de
produtos. “Fiz o curso que ensinou
bastante. Mas o resto foi obser-
vando revistas e programas de
TV para aperfeiçoar as
técnicas”, fala.
Definido como a arte
de transformar matérias
brutas em peças utili-
tárias e artísticas, o arte-
sanato necessita de pa-
ciência, dedicação e bas-
tante trabalho manual. “É
uma higiene mental, tenho
prazer em construir peda-
cinho por pedacinho da peça e
faço como um hobby, um hábito”,
revela Zelita Fagundes.<

Faz seis anos que Zelita Há cerca de um ano e três Zelita Fagundes
Fagundes começou a se dedicar ao meses ela descobriu que o Cartório
artesanato. Há cerca de dois anos estava deixando uma sala vaga transformou um hobby
decidiu abrir uma pequena loja em ao lado da prefeitura. Alugou o em fonte de renda
casa. Pediu R$ 2 mil emprestado do espaço e o sucesso foi garantido.
marido e colocou o projeto em Hoje além de vender as peças que
prática. Não deu certo. O local produz, Zelita ministra cursos de
De hobby a empresa

ficava muito escondido e não biscuit e madeira.


atraia novos clientes. Zelita tira um salário da loja.
Para tentar resolver esse Conseguiu montar um estoque de
problema, ela e o marido material e oferecer uma
resolveram construir uma sala diversidade de opções em produtos
pequena. Fez divulgação da loja, para os consumidores. “Como
mas como ficava retirado do centro estamos em um ponto bem
da cidade não tinha rotatividade centralizado nossa clientela
de pessoas. melhorou bastante”, afirma. <
acrítica pg17

atualidades
CONFIDENCIAL
Juliana Helena Nunes (OAB/SC 26.202)

Infrações Administrativas Ambientais


A s infrações admi-
nistrativas deri-
vadas de condu-
tas e atividades lesivas
do auto de infração an-
terior, acarretará aplica-
ção da multa em triplo,
caso de cometimento da
ao meio ambiente são mesma infração ou em
regidas pela Lei aplicação da multa em
9.605/98, porém o pro- dobro quando se tratar
cesso administrativo pa- de infração distinta.
ra a apuração destas in- Uma das alterações
frações é regulamentado que se pontua bastante
Agora moradores do Loteamento poderão receber a escritura de seus terrenos pelo Decreto 6.514/2008,
publicado em 22 de julho
positiva, para os INFRA-
TORES, é o fato do agen-
de 2008. te autuante do auto de
O Decreto 6.514/08 infração ter que estabe-
veio para alterar consi- lecer de forma OBJETIVA
deravelmente alguns as- critérios complementa-
pectos previstos nas res para o agravamento

O
s moradores do legislações ambientais das sanções administra-
Loteamento que tratavam dos proce- tivas no momento em
Marquinhos, em dimentos administrati- que estiver lavrando o
São João Batista, estão vos, e revogou os seguin- auto de infração.
comemorando a regu- tes decretos: nº 3.179, de A questão do critério
larização dos lotes. A en- 21 de setembro de 1999; objetivo acima mencio-
trega da documentação nº 3.919 de 14 de setem- nado, tende a diminuir
aconteceu na noite de bro de 2001; nº 4.592, de um ponto muito sensível
sexta-feira (6). A partir 11 de fevereiro de 2003; na esfera administrati-
de agora os moradores 5.523, de 25 de agosto de va, que é o critério utili-
2005; os arts. 26 e 27 do zado para definir o valor
poderão fazer a escritura
Decreto nº 5.975, de 30 da multa, por exemplo
de seus terrenos.
de novembro de 2006; e individuo “A” foi autu-
Um dos moradores os arts. 12 e 13 do ado por “pescar em pe-
que lutou pela regulari- Decreto nº 6.321, de 21 ríodo ou local no qual a
zação do Loteamento foi de dezembro de 2007. pesca seja proibida”,
Natalino, popular Duca. Diversas modifica- sendo apreendido 20 kg
Segundo ele, essa é a ções foram inseridas pelo de peixe e a multa resul-
concretização de um Decreto 6.514/08, entre tou em R$700,00 (sete-
sonho de muitos anos. elas estão a ampliação centos reais); Já no se-
“Foi promessa política de do rol de ações que pode- gundo caso hipotético o
muitos prefeitos, mas rão ser consideradas individuo “B” foi autu-
somente agora se concre- infrações administra- ado pelo mesmo motivo
tizou”, fala. O Lotea- tivas. do individuo “A” e teve
mento Marquinhos é um Destacamos a pre- igual quantidade de pei-
dos maiores de São João visão contida no art. 55 xes apreendidos daque-
Batista e sofria com a do aludido Decreto, que le, porém teve uma mul-
falta de infra-estrutura, prevê penalidade de ta estipulada em
pois não estava regu- advertência ou multa R$100.000,00, e agora?
diária para aquele que É por estes e outros
larizado.
deixar de averbar reser- tantos casos que o direito
Arlete dos Santos,
va legal em imóvel rural, de resposta é protegido
moradora do Loteamen- mencionada multa pode pelo ordenamento
to, espera a escritura de variar de R$50,00 (cin- Constitucional, tanto na
seu terreno há 20 anos. qüenta reais) a R$500,00 esfera administrativa
“Só tínhamos o contrato (quinhentos reais) por quanto na judicial.
de compra e venda, mas hectare ou fração da Os recursos das pe-
não tínhamos a escritu- área de reserva legal. nalidades aplicadas pe-
ra”, afirma. Já para Ade- A fixação das pena- los agentes fiscais po-
Regularização do Loteamento Marquinhos foi concretizado. Prefeito entregou documentação na sexta-feira
mir Quevedo, a docu- lidades de multas pode dem ser interpostos ime-
mentação dos lotes é de sexta-feira, 248 famí- variar de R$500,00 (cin- diatamente a esfera su-
muito importante para lias receberam a docu- qüenta reais) a R$ perior, totalizando 3,
os moradores. “Aqui era mentação da Prefeitura 10.000.000,00, como por sendo que o julgamento
um loteamento clandes-
tino. Quando cheguei
Municipal.
“Estamos felizes não Concretização de um sonho exemplo, um estabele-
cimento que funcione
sem a Licença ou Auto-
definitivo será proferido
pelo CONAMA – (Con-
selho Nacional do Meio
tinha somente 30 casas e por cumprir uma pro- Vinte e três anos após a construção do
agora está bastante po- messa política, mas por Loteamento Marquinhos aconteceu sua rização dos órgãos ambi- Ambiente).
puloso”, diz. entais, art. 66 do Decreto Para finalizar, desta-
cumprir um compromis- regularização. Isso dá a cada morador a
6.514/08. camos uma novidade no
Para o prefeito Ader- so como administrador possibilidade de ter os terrenos em seu
É preciso ficar atento processo administrativo,
bal Manoel dos Santos, público”, fala. Segundo nome. De acordo com o advogado Nelson
para a previsão do art. qual seja a previsão da
esse foi um compromisso Aderbal, as dificuldades Zunino Neto, esse é fruto de um sonho. Os 11 do Decreto 6.514/08, prescrição intercorrente,
firmando com os mora- para chegar à regulariza- trabalhos para a regularização do pois este artigo estabe- isto é, a prescrição no
dores em 2004. “Estive- ção foram muitas e pas- Loteamento começaram no início de 2005. lece que o cometimento procedimento de apura-
mos durante esses anos sou de um ajuste de con- “Lutamos muitos. Passamos por várias de nova infração am- ção do auto de infração
tentando encontrar uma duta junto às autoridades etapas até chegar a esse momento”, afirma biental pelo mesmo in- paralisado (pendente de
forma de regularizar o ambientais até a contra- Neto. frator, no período de 5 julgamento ou despa-
Loteamento Marqui- tação de uma empresa (cinco) anos, contados cho) por mais de 3 anos.
nhos”, afirma. Na noite para elaborar um mapa.
pg18 acrítica

diversão e arte
AO PÉ DA LETRA
Ilse Maria Paulino Gomes

O Monstro
E m décadas passa- coberta, construção feia e
das, era comum sinistra.
contarem-se his- Ambas vinham numa
tórias de assombração correria desenfreada. Só
com o objetivo de domi- pararam para contar o que
nar as pessoas, espe- haviam visto e convo-
cialmente as crianças, caram minha mãe e meu
através do medo. tio a correrem também ou
O Distrito de Cane- a se esconderem em algum
linha não fugia à regra. lugar para fugirem do
Aqui também se ouviam monstro terrível de tama-
muitos causos de apari- nho descomunal, olhos
ções e de monstros que enormes, expelindo gran-
circulavam pelas matas de quantidade de fumaça
que rodeavam as casas, pelo nariz, além de roncar
muitas vezes, adentrando assustadoramente.
as residências, segundo Era inevitável que a
relatos de seus mora- lembrança das histórias
dores. ouvidas em casa viessem à
Meus avós maternos, tona, contribuindo para
Joaquina e Valentim, com que o medo se transfor-
sua numerosa família masse em pavor.
residiam no Moura, onde Os quatro esconde-
os causos ouvidos eram de ram-se até que o monstro
arrepiar os mais valentes. sumisse pela estradinha e
Esses mesmos causos eram seguiram para o trabalho,
contados às crianças para onde os esperava o gerente
fazer com que elas fossem Joca Soares, preocupado,
dormir mais cedo. pois mesmo morando lon-
Depois que minhas ge, os mesmos nunca se
tias casaram, a única filha atrasavam.
solteira era minha mãe, Meu tio relatou o
que trabalhava na Tecela- acontecido. Como era de se Hercolis Marcos na apresentação do Paradão do Sucesso pela Rádio Clube de São João Batista
gem Sávio, localizada nas esperar, os demais funcio-
proximidades de onde nários juntaram-se para

“Boa Tarde”
está o Restaurante Tropi- ouvir a história. Houve
cana. quem duvidasse de tudo e
Ela e meu tio, Lula também quem acreditasse
percorriam a picada que e dissesse já ter visto tal
saía de sua residência, no monstro.
Moura, circulavam o Mor- O alvoroço na Vila foi
ro da Igrejinha, cami-
nhavam mais alguns
grande. Cogitava-se recor-
rer ao destacamento poli- Paradão do Sucesso está a 18 anos no ar pela Rádio Clube de São João Batista
quilômetros até chegar ao cial de Tijucas para uma
local de trabalho. Sempre iniciar uma caçada que só Jonas Hames assim o programa con-
com muita dificuldade. terminaria com a captura acritica@jornalac.com tinua a cativar os ou-
Especialmente no in- do animal. vintes.
Vinte e seis anos de rádio
O
verno ou nas madru- Por uma semana as estilo é incon- Um dos diferenciais
gadas de chuva e tem- crianças deixaram de fre- fundível. Seu do “Paradão do Sucesso” Hercolis Marcos iniciou no rádio aos 12 anos
pestade. qüentar a escola da dona de idade, auxiliando seu pai Tininho Marcos no
“Boa Tarde” ecoa é incorporar novos qua-
É importante sali- Julieta Reis que ficava na extinto programa “Rancho do Tininho”. “Eu
entar que relógio era um outra margem do rio, para nas centenas de lares, co- dros e atrações o que
mércios e empresas sin- mantém a audiência fiel. saia da escola e ia direto para a emissora”,
luxo para poucos, na- onde se dirigiam, usando
quela época, por isso não canoas, cujo atracadouro tonizadas na Rádio Clu- Ele lembra que um dos relembra. Aos 17 anos de idade passou a
foram poucas as vezes em ficava perto da "venda" do be de São João Batista. sucessos do programa foi apresentar o “Nossa Terra, Nossa Gente”, nas
que minha mãe e meu tio, senhor Ângelo Silva, nas Toda tarde, a partir das o quadro “O aniversário tardes de sábados da Rádio Clube.
sem saber as horas, proximidades da ponte 13 horas, Hercolis Mar- que sonhei”, que era “Quando comecei a trabalhar em Rádio, só
chegaram no trabalho às coberta. cos entra no ar com seu apresentado por J. existia a Clube aqui na região. Hoje a
três horas da manhã. A vida na Vila só não “Paradão do Sucesso”, Angêli. A produção do concorrência é grande e cativar a audiência é
Não havia ilumi- entrou em colapso porque uma tarefa difícil”, afirma Hercolis.
que completa 18 anos no “Paradão” ia à casa de
nação pública e a então tudo se esclareceu no do-
Rua Geral era apenas mingo seguinte. O mons- ar. um ouvinte que estava
uma estrada com rarís- tro de olhos de fogo, ronco Com um misto de aniversariando e reali-
simas casas às suas de trovão e que soltava fu- sucessos musicais, infor- zava seus sonhos.
margens. maça pelas narinas, pas- mação e descontração o Outro quadro de
Numa destas madru- seava pela estradinha programa de três horas grande audiência é o
gadas em que saíram de esburacada, tendo a bordo de duração é um dos “Jogo do Saber”, onde
casa cedo demais, ao o senhor Lucas Santana e campeões de audiência alunos das escolas mu-
contornarem o Morro da sua família.
da emissora. Perguntado nicipais disputam em
Igrejinha, local por si só O tal do monstro era
assustador pela presença um automóvel que havia sobre o sucesso da quizz de conhecimento.
do Cemitério, minha mãe sido entregue naquela atração, Hercolis não O quadro já está in-
e meu tio viram duas madrugada fatídica em consegue responder. corporado ao programa
jovens que vinham da que foi confundindo com Segundo ele, hoje a há 11 anos e é uma
localidade da Índia, um animal pré-histó- concorrência da internet parceria entre a emissora
atravessando a ponte rico.< e de outras emissoras é e a Secretaria de Edu-
grande, mas mesmo cação.
12 de fevereiro de 2009 pg19 acrítica

informe

D
ando prosseguimento à estudantes da Rede Pública Muni-
parceria entre o Governo cipal de ensino, da Estadual, além das
Federal e Municipal, a faculdades e cursos técnicos que se
Prefeitura Municipal de Canelinha, deslocam ao município vizinho de
através da Secretaria de Educação, Tijucas. “Temos uma demanda
Cultura, Esporte e Turismo, adquiriu grande de estudantes que farão o
um ônibus de 44 lugares, zero bom uso do mesmo já que tínhamos
quilômetro, que chegou ao município. uma frota já ultrapassada”, analisa a
O veículo tem motor Volkswagen secretária Salete.
e carroceria da Caio/Induscar, da Se em breve outro veículo for
cidade de Botucatu/SP. O valor é de adquirido pela Prefeitura de Cane-
R$ 172 mil e 700, aquisição feita linha, o município vai ficar com quatro
através do programa Caminhos da novos ônibus. Com isso, um dos
Escola. “Esse é o terceiro veiculo antigos deverá ser leiloado, enquanto
escolar que chega ao município e já que um outro poderá ser utilizado
estamos pensando na aquisição de para um projeto de biblioteca
mais um” revela Maria Salete itinerante. “É um pensamento de o
Montibeller, secretária municipal de prefeito Antônio fazer um projeto
Educação. assim para incentivar a leitura nos Novo ônibus dará mais conforto e segurança aos estudantes
Esse ônibus vai beneficiar os bairros”, finaliza Salete.

N TA Ç Õ E S , A Q U IS IÇ Õ E S , PONTE...
PAVIME

Canelinha e m o b r a s milhão
fa se de lic ita çã o pa ss am dos R$ 1,2
Obras em anda mento ou em

A
Prefeitura Municipal de Canelinha iniciou o ano com obras.
São três ruas sendo pavimentadas e outros trechos em
licitação como mostra a tabela abaixo. De acordo com o
chefe de gabinete, Carlos Alberto Voltolini, a administração está
também contratando uma empresa através do Deinfra para a
recuperação da Estrada do Papagaios. Também deve ocorrer nas
próximas semanas a recuperação da Ponte próximo a Igreja
Imaculada. Também está em fase de projeto a pavimentação da Av.
Prefeito Silvestre no Areião e da Rua Júlio Pedro Steil.

Av. Cantório Florentino da Silva, 1683 - Centro - E-mail: prefeitura@canelinha.sc.gov.br - (48) 3264 0102
A Crítica | Ano I - Edição 01
pg20 São João Batista | Canelinha
Distribuição Gratuita

Casa na localidade de Vila Rica Casa de alvenaria, com 63m² no Casa com 112m² no bairro Krequer Lote com 1350m² no bairro Índia.
com 224m² | Valor: R$ 240.000.00 bairro Galera. Valor: R$ 35.000.00 SJB. Valor: R$ 60.000.00 Valor: R$ 45.000.00

Sítio com 18.000m², casa com Sítio com área de 2200m², com casa Galpão com 360m² no bairro Galera. Sítio com 4.300m² no bairro Rolador
219m² na localidade de Rolador. mobiliada na localidade de Rolador. Valor: R$ 60.000.00 em Canelinha | Valor: R$ 32.000.00
Valor: R$ 160.000.00 Valor: R$ 65.000,00

Sempre um bom negócio para você!


www.zulmarimoveis.com.br
(48)
3264 1327 / 9967 6691
ROD. SC 411 - KM 11 - CENTRO - CANELINHA

você é a moda
www.calcadosala.com.br

CALÇADOS

48 | 3265 0087
São João Batista
ALA

Interese conexe