Sunteți pe pagina 1din 29

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Classificação de sinais e sistemas (uma delas

)

1

1. Sinais contínuos e discretos no tempo

2. Sinais analógicos e digitais

3. Sinais reais e complexos

4. Sinais periódicos e não-periódicos

5. Sinais pares e ímpares

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais contínuos e discretos no tempo

Sinais contínuos no tempo A variável independente é contínua e, portanto, tais sinais são definidos a partir de um conjunto contínuo de valores da variável independente.

2

e, portanto, tais sinais são definidos a partir de um conjunto contínuo de valores da variável

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais contínuos e discretos no tempo Sinais contínuos no tempo

Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais contínuos e discretos no tempo Sinais contínuos no

3

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais contínuos e discretos no tempo

4

Sinais discretos no tempo Ao contrário, os sinais são definidos apenas para um conjunto discreto de valores da variável independente.

no tempo Ao contrário, os sinais são definidos apenas para um conjunto discreto de valores da

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais contínuos e discretos no tempo Sinais discretos no tempo

5

Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais contínuos e discretos no tempo Sinais discretos no

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais contínuos e discretos no tempo Sinais discretos no tempo

6

Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais contínuos e discretos no tempo Sinais discretos no

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

7

Sinais contínuos e discretos no tempo Para distinguir os sinais (contínuo e discreto) usa-se a notação:

x(t)

Sinais contínuos e discretos no tempo Para distinguir os sinais ( contínuo e discreto ) usa-se

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

8

Sinais contínuos e discretos no tempo Para distinguir os sinais (contínuo e discreto) usa-se a notação:

x(t)

x[n]

e discretos no tempo Para distinguir os sinais ( contínuo e discreto ) usa-se a notação:

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

9

Sinais contínuos e discretos no tempo Para distinguir os sinais (contínuo e discreto) usa-se a notação:

x(t)

x[n] 
x[n] 
e discreto ) usa-se a notação: x(t)  x[n]  Obs.: É importante notar que o

Obs.: É importante notar que o sinal discreto no tempo x[n] é definido apenas para valores inteiros da variável independente “n”. Já o sinal x(t) pode envolver valores reais da variável independente “t”.

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais analógicos e digitais Normalmente é difundido que

10

Sinal contínuo

=

Sinal analógico

!!!!

e

Sinal discreto

=

Sinal digital

!!!!

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais analógicos e digitais

Normalmente é difundido que

11

Sinal contínuo

=

Sinal analógico

!!!!

e

Sinal discreto

=

Sinal digital

!!!!

!!!! e Sinal discreto = Sinal digital !!!! Qual(is) equivalência(s) está(ão) correta(s)? A primeira,

Qual(is) equivalência(s) está(ão) correta(s)? A primeira, a segunda ou nenhuma?

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais analógicos e digitais

12

Sinal contínuo

=

Sinal analógico

Sinal contínuo = Sinal analógico

Sinal discreto

=

Sinal digital

Sinal discreto = Sinal digital

Os termos contínuo no tempo e discreto no tempo qualificam a natureza do sinal ao longo do eixo de tempo (eixo horizontal).

Os termos analógico e digital, por outro lado, qualificam a natureza da amplitude do sinal (eixo vertical).

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais analógicos e digitais

Assim

13

- A amplitude de um sinal analógico pode assumir infinitos valores.

- Um sinal digital, por outro lado, é aquele cuja amplitude pode assumir apenas alguns números finitos de valores.

Obs.1: Sinais associados com um computador digital são digitais porque eles podem assumir apenas dois valores (sinais binários).

Obs.2: Um sinal digital cuja amplitude pode assumir M valores é um

sinal M-ário no qual o binário (M = 2) é um caso especial.

-

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais analógicos e digitais

14

- Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais analógicos e digitais 14

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais analógicos e digitais

-

contínuo no tempo

discreto no tempo

contínuo no tempo

discreto no tempo

15

-

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais analógicos e digitais

analógico

contínuo no tempo

analógico

discreto no tempo

contínuo no tempo

digital

discreto no tempo

digital

16

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais reais e complexos

17

Um sinal x(t) é dito real se o seu valor for um número real.

x(t) é dito real se o seu valor for um número real. Um sinal x(t) é

Um sinal x(t) é dito complexo se o seu valor for um número complexo.

dito real se o seu valor for um número real. Um sinal x(t) é dito complexo
dito real se o seu valor for um número real. Um sinal x(t) é dito complexo

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

18

Sinais periódicos e não-periódicos Um sinal x(t) é dito periódico se para alguma constante positiva T 0 :

periódico se para alguma constante positiva T 0 : Por definição, um sinal periódico deve começar

Por definição, um sinal periódico deve começar em - e durar até +

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

19

Sinais periódicos e não-periódicos Um sinal x(t) é dito periódico se para alguma constante positiva T 0 :

periódico se para alguma constante positiva T 0 : Por definição, um sinal periódico deve começar

Por definição, um sinal periódico deve começar em - e durar até +

Exemplos:

constante positiva T 0 : Por definição, um sinal periódico deve começar em -  e
constante positiva T 0 : Por definição, um sinal periódico deve começar em -  e

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais periódicos e não-periódicos

Exemplos

(sinais periódicos):

Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais periódicos e não-periódicos Exemplos (sinais periódicos): 20

20

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais periódicos e não-periódicos

21

- O menor valor de T 0 que satisfaz a condição de periodicidade é o período fundamental de x(t).

- Um sinal é não-periódico se ele não possuir um período T 0

(exemplos)

de x(t). - Um sinal é não-periódico se ele não possuir um período T 0 (exemplos)
de x(t). - Um sinal é não-periódico se ele não possuir um período T 0 (exemplos)
de x(t). - Um sinal é não-periódico se ele não possuir um período T 0 (exemplos)

Exemplo: É periódico?

de x(t). - Um sinal é não-periódico se ele não possuir um período T 0 (exemplos)

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais pares e ímpares

22

Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais pares e ímpares 22
Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais pares e ímpares 22

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais pares e ímpares

23

Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais pares e ímpares 23

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais básicos Degrau unitário u(t)

Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais básicos – Degrau unitário u(t) 24

24

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais básicos Degrau unitário u(t)

25

Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais básicos – Degrau unitário u(t) 25

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais básicos Degrau unitário u(t)

26

Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais básicos – Degrau unitário u(t) 26
Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais básicos – Degrau unitário u(t) 26

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais básicos Impulso Unitário (t)

Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais básicos – Impulso Unitário  (t) 27

27

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais básicos Impulso Unitário (t)

28

Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais básicos – Impulso Unitário  (t) 28

Introdução ao estudo de sinais e sistemas

Sinais básicos Impulso Unitário (t)

29

Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais básicos – Impulso Unitário  (t) 29
Introdução ao estudo de sinais e sistemas Sinais básicos – Impulso Unitário  (t) 29