Sunteți pe pagina 1din 21

Jacir. Jacir. J. J. Venturi Venturi

O
O

NA ERA DA INFORMÁTICA

No século XX, surge a informática. Como se a busca pelo valor do constituísse uma herança genética bendita, desde os antigos babilônios, adivinhe qual foi um dos primeiros trabalhos realizados pelo legendário computador ENIAC? Sim, em 1949, suas 17.468 válvulas e 30 toneladas de peso calcularam 2037 casas decimais em apenas 70h. Em 1959, o computador IBM 704 calculou 10.000 casas decimais em apenas 1h e 40min. Uma experiência notável foi efetivada em 1999 por dois matemáticos japoneses: Takahashi e Kanada. Eles calcularam o com 206.158.430.000 dígitos. Estes cálculos foram desenvolvidos na Universidade de Tóquio e foi utilizado um supercomputador Hitachi. O tempo gasto foi de

37h21min4s.

O curioso é que os matemáticos japoneses utilizaram dois algoritmos distintos (de Gauss-Legendre e de Borwein). Os dois métodos só apresentaram diferença nos 45 últimos algarismos. Parecia ser a pá de cal para o cálculo do . Mas não! Em 2003, o pertinaz Kanada e sua equipe chegaram a 1.241.100.000.000 casas decimais. Único intuito: marketing do fabricante de computadores. Já se definiu a Matemática como uma “Ciência melancólica”. Este modesto texto, mostra o quanto ela é pujante, criativa e engenhosa! Inútil e melancólica foi a notícia dada pela Gazeta do Povo (3/10/00): “Em 1995, um japonês recitou de memória 42.000 primeiros dígitos do n.º em apenas 9h”.

Quer uma forma mnemônica para decorar o algarismos?

com 11

Assim

= 3,1415926535

A frase a seguir representa um artifício para memorizá-lo: SOU O MEDO E TEMOR CONSTANTE DO MENINO VADIO, BEM VADIO, em que cada palavra encerra um número de letras que coincide com cada algarismo de . Você sabia que há o dia internacional dedicado ao Adivinhe qual é!? Resposta: 3/14, ou seja, 14 de março.

?

186 186
186
186

(Do autor)

ÁLGEBRA VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA

CAPÍTULO

A Reta no E 3

1. EQUAÇÕES DA RETA

Qualquer representação cartesiana de uma reta no espaço tridi- mensional se faz com pelo menos duas equações.

a) Equações paramétricas da reta

z S eja r uma reta passante por P O = (x , y ,z)e
z
S eja r uma reta passante por
P O
= (x , y ,z)e paralela ao não
OOO
r
Æ
P
nulo vetor r =
l i + mj + nk .
P
O
O vetorré denominado ve-
Æ r
tor diretor da reta r.
Um pontoP= (x, y, z) perten-
O
y
ce à reta r se, e somente se, os
vetores (P - P )er forem parale-
O
los:
x
(P - P ) = tr
(t ΠR)
O

ou

P = P O + tr
P = P
O + tr

(1)

Estaéa equação mado parâmetro).

vetorial paramétrica

tr (t Œ R) O ou P = P O + tr (1) Estaéa equação mado

da reta r no E

3

(t é cha-

Jacir. J. Venturi

Jacir. J. Venturi lntroduzindo as coordenadas de P, P e r em(1 ), obtém-se: O x=

lntroduzindo as coordenadas de P, P e r em(1 ), obtém-se:

O

x= x+t

y = y

z = z

O

O

O

l

+ mt

+ nt

cognominadas

equações paramétricas

da reta.

b) Equações simétricas da reta

lsolando-se o parâmetro t em cada uma das equações paramétri- cas e igualando as expressões, obtém-se:

x - x

O

=

y - y

O

=

z - z

O

(= t)

l

m n

que são denominadas

equações simétricas

da reta r.

Casos particulares das equações simétricas:

CONVENÇÃO: A nulidade de um denominador implica na nulida- de do correspondente numerador.

l) Um dos denominadores é nulo.

Se, por exemplo,n= 0 fi z - z = 0 fi z = z .
Se, por exemplo,n= 0
z - z
= 0
z = z .
O
O
z
Neste caso a reta é paralela
ao plano cartesiano xy, pois o seu
z O
vetor diretor r
= (l, m, 0)
é parale-
r
lo a tal plano. Por conseguinte:
a
x - x
y - y
z - z
O
O
O
r :
=
=
O
y
l
m 0
ou
x

r:

z = z x - x O = y - y O O l m
z
= z
x - x
O
= y - y
O
O
l
m

(onde l . m 0)

x - x y - y z - z O O O r : = =

ÁLGEBRA VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA

II) Dois denominadores são concomitantemente nulos.

Se, por exemplo, l =m=0e n z r y O O y x O x
Se, por exemplo,
l
=m=0e n
z
r
y O
O
y
x
O
x

0 se infere que a reta é paralela ao

eixo das cotas, uma vez que o

seu vetor diretorér= (0, 0, n). Assim: x - x O y - y z
seu vetor diretorér= (0, 0, n).
Assim:
x - x O
y - y
z - z
O
O
r:
=
=
0 0
n
ou
x x
=
O
y y
=
O
r:
z - z
O
= t
n

c) Equações simétricas da reta por dois pontos

z

P 2 P r

P 2

P

r

P 2 P r

y

P 1
P 1
O x
O
x

Considere a reta r indivi- dualizada por dois pontos

P

= (x ,y,z)e P = (x ,y,z)e

sejaP= (x, y, z) um ponto ge- nérico de tal reta.

1

1

1

1

2

222

Por conseguinte, a reta r passa pelo ponto P e tem

o vetor

como (P - P ):

1

vetor

1

diretor,

2

x 2

- x

1

y 2

- y

1

z 2

- z

1

x - x

1 =

y - y

1 =

z - z

1

que representam as equações simétricas da reta individualizada pelos pontos P eP.

1

2

y - y 1 = z - z 1 que representam as equações simétricas da reta

Jacir. J. Venturi

d) Equações da reta determinada pela interseção de dois

planos

Cumpre lembrar o já exposto no capítulo de plano que uma reta no espaço E 3 pode ser determinada pela interseção de dois planos.

r Ï a r : a Ì Ó a 2 a 1
r
Ï a
r :
a
Ì Ó a
2
a
1

e) Equações reduzidas da reta

1

2

: a x : a x

1

2

+

+

b y

1

b y

2

+

+

c z

c

1

2

z

+

+

d

1

d

2

=

=

0

0

Das equações simétricas de uma reta r

x - x

o

l

=

y - y

o

m

=

z - z

o

n

temos duas igualdades independentes entre si:

Ï y

Ô

Ô

Ì

Ô

Ô

Ó

- y

o

m

z - z

o

n

=

=

x

- x

o

x

l

- x

o

l

(1)

(2)

Isolando-se a variável y em(1):

y

= px+q

1

1

lsolando-se a variável z em(2) :

z

= px+q

2

2

Destarte, as

equações reduzidas

independente x, são representadas por:

r :

Ï y

z

Ó

Ì

=

=

p x

1

p x

2

+

+

q

q

1

2

reduzidas independente x, são representadas por: r : Ï y z Ó Ì = = p

de uma reta, com variável

ÁLGEBRA VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA

Geometricamente, a reta

r :

Ï y

Ì intercepta o plano yz

Ó

z

=

=

p x

1

p

2

x

+

+

q

q

1

2

é o seu vetor diretor. Ademais, cada

uma das equações reduzidas da reta representa um planoea reta é portanto determinada pela interseção de dois planos, cada um dos quais paralelo a um eixo coordenado. Dependendo da posição da reta r, poder-se-à usar como variável independente não só o x, como tambémoy ou então o z. Exemplo:

no ponto P = (0,q,q)ev= (1,p,p)

Æ

O

1

2

1

2

Achar as equações reduzidas da reta

(com variável independente x).

r :

x

=

y - 3 - 3

=

z - 2 - 2

2

RESOLUÇÃO:

x y -3 z- 2 a) = = fi r : 2 -3 - 2
x y -3
z- 2
a)
=
=
r :
2 -3
- 2

Ï

Ô

Ô

Ì

Ô

Ô

Ó

y -3

x

=

-3

z- 2

2

x

=

- 2

2

(1)

(2)

b) lsolando-se y em (1)ez em(2):

r :

Ï 3x

Ô Ì (Resposta)

Ô

Ó

-

z

=

2

- x

+

2

y =

+ 3

A reta r representada por suas equações reduzidas é fruto da

interseção dos planos

a

1

: y

=

-3x

+

3

e

a

2 2

: z

=

- x

+

2.

z a 1 r 2 P O O 3 y a 2 2 x
z
a 1
r
2
P O
O
3 y
a 2
2
x

Observe que os planos a

1

são paralelos aos eixosze y respectivamente.

e a

2

A reta r "fura" o plano yz no ponto P = (0, 3, 2) e tem como

O

vetor diretor o

Æ

v

Ê

= Á

3

1,-

Ë 2

,-1

ˆ

.

¯

˜

Jacir. J. Venturi

Exercícios

"A Matemáticaéa única linguagem que temos em comum com a natureza."

STEPHEN HAWKING. (n. 1942), doutor em Cambridge, considerado o mais brilhante, físico teórico desde Einstein.

01. Achar as equações simétricas da reta que passa pelo ponto

Achar as equações simétricas da reta que passa pelo ponto A = (1, 3, 0)eé paralela

A = (1, 3, 0)eé paralela ao vetor v = (3, 4, -1).

Resp.:

x - 1 =

y - 3

z

=

3

4

-1

02. Obter as equações simétricas da reta individualizada pelos

pontosA= (1, 3, 2)eB= (5, 2, 2).

Resp.:

x -1 =

4

y - 3

-1

= z - 2

0

03. A reta r passa pelo pontoP= (1, 2, 0) e tem a direção do vetor

Determinar as equações reduzidas de r (com variável indepen-

as equações reduzidas de r (com variável indepen- Æ v = 3i+j- k. dente x). Resp.:

Æ

v = 3i+j- k. dente x).

Resp.:

y

=

x

+

5

3

;

z =

- x

+

1

3

04. Estabelecer as equações reduzidas da reta que passa pelos

pontosP= (0, - 4, - 5)eQ= (1, - 2, - 2).

Resp.: y = 2x - 4;z= 3x-5

05. São dadas as equações paramétricas de

r :

Ï x

y

Ó

Ô

Ì

Ô

z

=

=

=

1

- 2

- 5t

+

2t

+

3t

Obter as equações simétricas de r.

Ï x y Ó Ô Ì Ô z = = = 1 - 2 - 5t

Resp.:

x - 1

=

y

+ 2

z

=

2

3

- 5

ÁLGEBRA VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA

06. Verificar se os pontos P = (4, 2, 0) e Q = (1, 0, -1) pertencem à

reta

r :

x -1

=

y

=

z

+

1

3

2

1

.

Resp.: P

r e Q

Œ

Œ

r

07. Determinar o ponto da reta

r:

Ï x

Ô

Ì y

z

Ô

Ó

Pede-se também o vetor diretor de r.

= 3

+

t

= que tenha ordenada 5.

1

+

t

=

4-t

Resp.:

+ t = que tenha ordenada 5. 1 + t = 4-t Resp.: P = (7,

P = (7, 5, 0)er= (1, 1, - 1)

08. O pontoA= (0, x, y) pertence à reta determinada pelos pontos

P= (1, 2, 0) e Q= (2, 3, 1). Achar A.

Resp.: A = (0, 1, -1)

09. Complete:

a)

b)

d)

d)

A reta

x -1

=

y - 3

=

z

+

1

é paralela ao plano:

0

 

2

-1

A reta

x

+

1

=

y

+

1

=

z - 2

é paralela ao eixo:

3

0

0

A reta

x +

1 =

y -1

, z

=

2

é paralela ao plano:

 

2

1

 
 

Ï x

=

2

 

Ô

 

A reta

r :

Ì

y 2

=

+

3t

é paralela ao eixo:

 
 

Ô

Ó

z - 3

=

   

Resp.: a) yz; b) x; c) xy; d) y

+ 3t é paralela ao eixo:     Ô Ó z - 3 =    

Jacir. J. Venturi

10. Dada a reta r como interseção de dois planos, obter a sua

z - 2

Ï x

x

Ì

Ó

+

+

equação simétrica. Dada

y

3y - z - 2

+

=

0

=

0

r :

Resp.:

x - 2

r :

- 2

=

y - 0

1

z - 0

=

1

SUGESTÃO: Obtenha dois pontos P e P de r: 1 2 P 1 P 2
SUGESTÃO:
Obtenha dois pontos P e P de r:
1
2
P 1
P 2
r
1) fazendo por exemploy=0 em r,
resulta o sistema:
Ï x
+ z-2
=
0
x
=
2
z
=
0
P
=
(2,0,0)
1
Ì Ó x- z- 2
= 0
2) fazendo por exemploy=1 em r, resulta o sistema:
Ï x
+ z -1
=
0
Ì
x
=
0
z
=
1
P
=
(0,1,1)
2
Ó x - z
+
1
=
0
- x
- y
- z
x 2
y 2
z 2
1
1
1
N.B.: Cumpre destacar que para subtraendo de cada membro do
x - 2
= y - 0
z - 0 ˆ
numerador da resposta
Á Ê r :
=
˜
adotou-se o ponto
Ë - 2
1 1
¯
P
= (2, 0, 0). No entanto, poder-se-ia adotar o ponto
1
x-0
= y-1
z-1 ˆ
P
= (0, 1, 1)
Á Ê r :
=
˜
ou qualquer outro ponto da reta r.
2
Ë -2
1
1
¯

3)

r :

x - x

1 =

y - y

1 =

z - z

1

11. Pede-se a equação simétrica de

1 = z - z 1 11. Pede-se a equação simétrica de Ï Ì Ó x

Ï

Ì

Ó

x - 2y

4x

+

z

y - 5z

x - 0

+

s :

1

s:

Resp.:

+

+

=

3

3

y - 2

0

=

=

0

1

z -1

=

1

ÁLGEBRA VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA

12. Equação do plano que contém a reta reo ponto A. Dados A = (1, 0, 2) e r:x-1=y+3= z.

Resp.: x + 2y - 3z+5=0

SUGESTÃO: 1) Equação de r como interseção de 2 planos Ï a : x -
SUGESTÃO:
1)
Equação de r como interseção de 2 planos
Ï a
: x - z -1
0
1 =
r :
Ì
: y - z
+
=
0
Ó a
2 3
2)
Equação do feixe de planos que
… r
a
+
la
=0
1
1
2
3)A
Œ
1

13. Obter a equação do plano determinado pelo ponto

A = (0, 1, 1) e pela reta

r :

Ï x

x

Ó

Ì

+

+

y - 3 2z -1

=

0

=

0

Resp.: 3x+y+ 4z-5=0

14. Achar a equação do plano

a e que concomitantemente:

a) passe pelo pontoA= (0, 1, 2);

b) seja paralelo à

r :

x

=

y -1

=

z

+

1

2

0

1

c) seja perpendicular ao plano

b : 2x+y-z+2= 0.

Resp.: x - 4y - 2z+8=0

r SUGESTÃO: a A figura mostra que o plano a A contém o pontoA= (0,
r SUGESTÃO:
a
A figura mostra que o plano a
A
contém o pontoA= (0, 1, 2)eé
paralelo aos vetoresr= (2, 0, 1) e
n = (2, 1, -1). Então:
n
x
y-1
z-2
b
a:
2
0 = 0
1
2
1 - 1

Jacir. J. Venturi

15. Encontrar a projeção ortogonal da reta r:x=y-1=z-2 sobre o

plano coordenado xy.

x y - 1 z Resp.: r' : = = 1 1 0 z SUGESTÃO:
x
y - 1
z
Resp.:
r'
:
=
=
1
1
0
z
SUGESTÃO:
P
1
Sejam
P
2
P
= (0, 1, 2) e P
= (1, 2, 3)
1
2
r
pontos da
reta r,
e
P'
= (0, 1, 0)
O
1
y
e P' = (1, 2, 0) as respectivas pro-
2
P
´
jeções ortogonais sobre o plano
1
P
´
xy.
2
X
Série B
"Qualquer professor, que possa ser substituído por um
computador deve ser substituído."
Arthur Clarke (n. 1918), escritor inglês e autor de "2001 - Uma odisséia no espaço"
x - 5
y - 3
z
16. Calcule as medidas dos ângulos que a reta
r :
=
=
2
3 6
forma com os eixos coordenados.
2
Resp.:
cos a =
(
a
@
73º);
7
3
cos b =
(
b
@
65º) e
7
6
cos g =
(
g @
31º)
7

SUGESTÃO:

Calcule os co-senos diretores do vetorr= 2i + 3j + 6k.

Calcule os co-senos diretores do vetorr= 2i + 3j + 6k. Por ex.: cos a =
Calcule os co-senos diretores do vetorr= 2i + 3j + 6k. Por ex.: cos a =
Calcule os co-senos diretores do vetorr= 2i + 3j + 6k. Por ex.: cos a =
Calcule os co-senos diretores do vetorr= 2i + 3j + 6k. Por ex.: cos a =

Por ex.:

cos a =

x 2 2 = = 2 2 2 x + + z + 9 +
x 2
2
=
=
2
2
2
x
+
+
z
+
9
+
7
y
4
36
diretores do vetorr= 2i + 3j + 6k. Por ex.: cos a = x 2 2

ÁLGEBRA VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA

17. A reta r passa pelo pontoA= (1, - 2, - 3) e forma com os eixos x,

yez respectivamente ângulos de 60º, 90º e 30º.

Resp.:

x -1 + 2 z + 3 = y = 1 0 3
x -1
+ 2
z
+
3
= y
=
1
0 3

18. Achar a reta r obtida pela interseção do plano

a : 2x + 3y + 4z - 12=0 com o plano xy. z r
a : 2x + 3y + 4z - 12=0 com o plano xy.
z
r
Q
4
y
P
6
x

Resp.:

x - 6 =

- 6

y

=

z

4

0

SUGESTÃO:

1) Equação segmentária de

6 4

3

a :

2) Cálculo dos pontosPe Q:

P = (6, 0, 0)eQ= (0, 4, 0)

3) Obter a reta PQ.

x +

y

+

z

= 1

19. Equação do plano que contém o pontoA= (2, 1, 3)eé paralelo

às retas:

r :

Ï x

y

Ì

Ô

Ó

Ô

z

=

=

=

2

-1

2

+

+

t

3t

e

s :

Ï x

y

Ó

Ì

=

=

2z -1

+

3

z

Resp.: 3x-y- 5z + 10=0

P

2

r :

20.

Num cubo são conhecidos 4 de seus vértices: P = (2, 2, 0),

1

= (2, 4, 0), P = (0, 4, 0) e P = (2, 2, 2). Determine os pontos onde a reta

3

4

x -1

0

=

y - 2

2

z - 2

=

-1

"fura" o cubo.

Resp.:

P= (1, 2, 2) e P'= (1, 4, 1)

os pontos onde a reta 3 4 x -1 0 = y - 2 2 z

Jacir. J. Venturi

21. Achar o ponto P em que a reta

o plano coordenado xy.

r :

Ï 2x

Ì

Ó

x

+

+

y

+

z -3

=

0

y - 2z -1

=

0

Resp.: P = (2, -1, 0)

intercepta

plano

b

22. Dada a figura abaixo, onde o plano

a é paralelo ao eixozeo

é paralelo ao plano xy. A retaréa interseção de

a

e

b

. Pede-se:

z a r 4 b O 3 y 2 x
z
a
r
4
b
O
3
y
2
x

a) equações simétricas de r;

b) equação do feixe de planos por r.

Resp.: a)

r :

x - 2

=

y

z - 4

=

- 2

3

0

b)3x + 2y-6+ (z-4)=0

ou z-4 +

l

l

(3x + 2y - 6)=0

2. POSIÇÕES RELATIVAS DE DUAS RETAS

3

No espaçoE, duas reta r e r podem ser:

1

2

a) Coplanares e paralelas

r 1 r 2
r 1
r 2

As retas r e r jazem no mes-

a e têm a mesma dire-

ção. Como caso particular as re-

tas r

mo plano

1

2

1

e r podem ser coincidentes.

2

Jacir. J. Venturi

8. DISTÂNCIA DE UM PONTO A UMA RETA

r

Jacir. J. Venturi 8. DISTÂNCIA DE UM PONTO A UMA RETA r d (A, r) Considere

d (A, r)Jacir. J. Venturi 8. DISTÂNCIA DE UM PONTO A UMA RETA r Considere r uma reta

Considere r uma reta passan-

te por P

direção do vetor r = i + mj + nk. Em tais condições a reta r tem a forma:

O

= (x , y , z ) e que tem a

OOO

a reta r tem a forma: O = (x , y , z ) e que

Æ

l

a reta r tem a forma: O = (x , y , z ) e que

x

-

x

O

l

=

y

-

y

O

m

=

z

-

z

O

n

r :

r :

P

O

Na página 137 demonstrou-se a fórmula que permite calcular a distância de um pontoAà reta r:

d(A, r) = |(A - P ) x versr| O

d(A, r) = |(A - P ) x versr|

O

Exercícios

"Se minha Teoria da Relatividade estiver correta, a Alemanha dirá que sou alemãoea França me declarará cidadão do mundo. Mas, se não estiver, a França dirá que sou alemão e os alemães dirão que sou judeu."

Albert Einstein (1879-1955), Prêmio Nobel de Física em 1921

01. Calcular a distância do pontoA= (1, 2, 0) à reta

r :

Ï x

x

Ì

Ó

+

+

+

y

3y

z

-

-

z

2

-

0

=

=

2

0

Resp.:

21
21

3

02. Achar a distância do pontoA= (1, 1, 3) à reta determinada pe-

los pontosP= (4, 3, - 2)eQ= (2, 2, 0).

21 3 02. Achar a distância do pontoA= (1, 1, 3) à reta determinada pe- los

Resp.:

2
2

ÁLGEBRA VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA

03. As retas r e r são paralelas. Determinar a distância entre elas. 1 2
03. As retas r e r são paralelas. Determinar a distância entre elas.
1
2
x z
y
-
2
x
+
1
y
-
1
z
Dadas:
r
:
=
=
e r
:
=
=
1
1 2
1
2
2
2
4
30
Resp.:
3
SUGESTÃO:
A
r
d(r , r ) = d(A, r )
1
1
2
2
ondeAé ponto qualquer de r .
1
r
2

Série B

"Na boca de quem não presta, quem é bom não tem valia."

Chico Anysio (n. 1931), humorista.

04. Obter as equações simétricas das retas que passem pelo

ponto A = (0, 0, 1), distem

2
2

2

paralelas ao planox-y+2= 0.

da origem do sistema cartesiano e sejam

0, 1), distem 2 2 paralelas ao planox-y+2= 0. da origem do sistema cartesiano e sejam

Resp.:

x z - 1 = y = 1 1 ± 2
x
z
- 1
=
y =
1 1
± 2

Jacir. J. Venturi

9. DISTÂNCIA ENTRE DUAS RETAS REVERSAS E EQUAÇÕES DA NORMAL COMUM

n P 2 r 2 P 1 r 1 a 1 a 2
n
P 2
r 2
P 1
r 1
a 1
a 2

A figura ao lado mostra duas

retas reversas r e r . Pretende-se a fórmula da distância entre elas, bem como o cálculo das equações da normal comum (n).

1

2

a) Fórmula da distância entre duas retas reversas

r

1

r 2

n N 2 P 2
n
N 2
P 2
da distância entre duas retas reversas r 1 r 2 n N 2 P 2 1

1

d (r,r)

2

N 1 P 1
N 1
P 1

P 1

reta r é passante por

= (x,y,z) e é paralela ao vetor

A

1

111

r é passante por = (x,y,z) e é paralela ao vetor A 1 111 r 1
r é passante por = (x,y,z) e é paralela ao vetor A 1 111 r 1

r 1

ponto P

do vetor r =

=

l 1

i+mj+n k. A reta r contém o

, z ) e tem a direção

Æ

1

1 i+mj+n k. A reta r contém o , z ) e tem a direção Æ

1

i+mj+n k. A reta r contém o , z ) e tem a direção Æ 1

2

2

= (x ,

y

r contém o , z ) e tem a direção Æ 1 1 2 2 =

2

222

Æ

l 2

i + m j + n k.

2

2

Isto posto:

r 1

r

2

:

:

x -

x

1

l

1

x x

-

2

l

2

= y

- y

1

=

m

-

y

1

y

2

m

2

z

=

z

=

- z

1

n

1

- z

2

n

2

Deduziu-se na página 140 do presente manual, que a distância d(r,r) entre as retas reversas r er, estas reversas entre si, é obtida pela fórmula:

1

2

1

2

(P 2 - P ).r r x r r 1 1 2 d(r ,r )
(P 2
-
P ).r
r
x r
r
1
1
2
d(r ,r ) =

1

2

|r r |r

1

x r r 2

x r

r 2

|

é obtida pela fórmula: 1 2 1 2 (P 2 - P ).r r x r

ÁLGEBRA VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA

b) Equações da normal comum

A reta n, normal comum às retas r er, será individualizada pelas equações da reta que passa pelos pontos N eN. Corroboramos que os pontos N e N são os pés da normal comum às retas r er.A determinação de tais pontos ficou demonstrada à página

140:

1

1

2

2

2

1

1

2

(N

(N

1

2

-

demonstrada à página 140: 1 1 2 2 2 1 1 2 (N (N 1 2

P)=k r

1

1

1

à página 140: 1 1 2 2 2 1 1 2 (N (N 1 2 -

- P)=k r

2

2

2

N

N

1

2

= P

= P

1

2

+ k r 1 1 1 + k r 2 2 2
+ k r
1
1
1
+ k r
2
2
2

Subtraindomembro a membro

(N

2

k r 1 1 1 + k r 2 2 2 Subtraindomembro a membro (N 2

---

2

N)= (P

1

P)+k r

1

2

2

2 Subtraindomembro a membro (N 2 --- 2 N)= (P 1 P)+k r 1 2 2

k r

1

1

1
1

de

2
2

tem-se:

Os valores de k e k são obtidos multiplicando-se escalarmente esta última equação por r e r .

1

escalarmente esta última equação por r e r . 1 1 2 2 Exercícios "Nunca na

1

escalarmente esta última equação por r e r . 1 1 2 2 Exercícios "Nunca na

2

2

Exercícios

"Nunca na minha vida aprendi fosse o que fosse daqueles que sempre concordaram comigo."

Dudley F. Malone

01. Dadas as retas

r

1

r

2

:

:

x

=

y

-

1

=

z

-

1

1

x

-

1

1

0

=

y

-

2

1

1

=

z

-

1

2

calcular :

a) a distância entre as retas r e r ; b) a reta n, perpendicular comum às retas r e r .

1

2

1

2

Resp.:

2 3 a) d(r ,r ) = 1 2 3 x y - 1 z
2
3
a)
d(r ,r ) =
1
2
3
x y
-
1
z
- 1
b) n :
=
=
1 - 1
1
comum às retas r e r . 1 2 1 2 Resp.: 2 3 a) d(r

Jacir. J. Venturi

Ï x + z - 2 = 0 Ï x - 2y - 1 =
Ï x
+
z
-
2
=
0
Ï x
-
2y
-
1
=
0
2. Sendo
r
:
Ì
e
r
:
Ì
calcular:
1
2
-
1
=
0
-
1
=
0
Ó y
Ó z
a) a distância entre as retas r e r ;
1
2
b) os pés da normal comum;
c) a normal comum às retas r e r .
1
2
6
Resp.:
a) d(r ,r )
=
1
2
3
1
ˆ
b) ,1,
N
= Ê Á 4
2 ˜ ˆ ; N
= Ê Á 5
,1 ˜
1
2
Ë 3
3
¯
Ë 3
,
3
¯
x - 4 3
- 1
z
- 2 3
c) n:
= y
=
1 - 2
- 1
10. ÂNGULO DE DUAS RETAS
z
Dadas as retas r
e r
por
1
2
suas equações simétricas:
r 2
q
x -
x
y
-
z
- z
1
1
1
r
:
= y
=
r 1
1
l
m
n
1
1
1
x -
x
y
-
z
-
z
2
2
2
y r
:
= y
=
2
l
m
2 n
2
2
x

O ângulo

Obtêmo-lo pela aplicação do produto escalar entre os vetores dire-

q

é o

menor ângulo

formado pelas retas r e r .

1

2

dire- q é o menor ângulo formado pelas retas r e r . 1 2 tores
dire- q é o menor ângulo formado pelas retas r e r . 1 2 tores

tores r er :

1

2

|r . r | 1 2 cos q = |r ||r | 1 2
|r . r
|
1
2
cos q =
|r ||r
|
1
2

Á Ê 0 £ q £

Ë

p ˆ

˜

2 ¯

ÁLGEBRA VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA

11. ÂNGULO DE UMA RETA COM UM PLANO

r

Æ n
Æ
n

Dados:

a :ax + by+cz+d=0

r :

x

- x

O

l

= y

- y

O

m

- z

= O

z

n

:ax + by+cz+d=0 r : x - x O l = y - y O m

r =

Onde r

r : x - x O l = y - y O m - z =

l

r : x - x O l = y - y O m - z =

Æ

tem a direção do vetor

i + mj + nk. Consideren= ai + bj + ck um ve-

Æ

do vetor i + mj + nk. Consideren= ai + bj + ck um ve- Æ
do vetor i + mj + nk. Consideren= ai + bj + ck um ve- Æ
do vetor i + mj + nk. Consideren= ai + bj + ck um ve- Æ

tor normal ao plano

a

.

O ângulo agudo nição de produto escalar:

ao plano a . O ângulo agudo nição de produto escalar: q entre os vetoresner calculado
ao plano a . O ângulo agudo nição de produto escalar: q entre os vetoresner calculado

q entre os vetoresner calculado através da defi-

cos q =

|

Æ

os vetoresner calculado através da defi- cos q = | Æ n.r | Æ |n||r |

n.r |

Æ

calculado através da defi- cos q = | Æ n.r | Æ |n||r | Procura-se no

|n||r |

Procura-se no entanto, o ângulo

q = | Æ n.r | Æ |n||r | Procura-se no entanto, o ângulo q e

q

e

(agudo) entre a reta r (que tem

,

a direção do vetorr)eo plano

haja visto que os ângulos

a . Depreende-se da figura que cos

q

são complementares.

= sen

Face ao exposto:

sen q =

Æ

q são complementares. = sen Face ao exposto: sen q = Æ | n.r | Æ

| n.r |

Æ

= sen Face ao exposto: sen q = Æ | n.r | Æ |n||r | Á

|n||r |

Á Ê 0

Ë

£

p

£ 2

ˆ

˜

¯

“Duas coisas indicam a fraqueza: calar-se quando é preciso falar; e falar quando é preciso calar-se.”

Adágio árabe

coisas indicam a fraqueza: calar-se quando é preciso falar; e falar quando é preciso calar-se.” Adágio

Jacir. J. Venturi

Exercícios

"Se não houver frutos, valeu a beleza das flores; Se não houver flores, valeu a sombra das folhas; Se não houver folhas, valeu a intenção da semente."

Henfil (1944 - 1988), escritor e humorista mineiro.

01. Achar o ângulo entre as retas

r :

x

-

1

= y

=

z

+

1

7

- 1

0

e

s :

x

+

3

=

y

+ 2

- 2

1

=

z

-

1

- 2

-

-

p

4

x

p

3

1

5

q =

r :

=

-

+

Resp.:

rad.

+ 2

=

z

+

2

02. Pede-se o ângulo entre

a :-x+y+3= 0 e

= y

1

1 - 2

rad.

Resp.:

Ï 2x

Ó Ì 2x

+ 3y

+ 4y

2z

3z

=

=

0

0

2

3

03. Achar o ângulo que a reta

r :

forma com

o eixo das cotas.

Resp.:

arc cos

04. Achar as equações simétricas da reta que passe pelo ponto

a :x-z+2=0e forme um ângulo de

A = (1, 0, 2), seja paralela ao plano

p

6

rad.

com o plano

b

:x+y-z+4= 0.

Resp.:

x - 1 z - 2 = y = 1 ± 6 1
x
- 1
z
-
2
= y
=
1
± 6
1
de A = (1, 0, 2), seja paralela ao plano p 6 rad. com o plano