Sunteți pe pagina 1din 25
Profa. Flávia Tavares
Profa. Flávia Tavares
Profa. Flávia Tavares

Profa. Flávia Tavares

 Behaviorismo (Behaviorism em inglês, de behavior: comportamento, conduta), também designado de comportamentalismo,

Behaviorismo (Behaviorism em inglês, de behavior:

comportamento, conduta), também designado de comportamentalismo, ou às vezes comportamentismo, é o conjunto das teorias psicológicas que postulam o comportamento como o

mais adequado objeto de estudo da Psicologia.

Também chamado de Psicologia Científica (Séc. XIX XX) :

Tinha o objetivo de afirmar a posição da Psicologia enquanto ciência;

Para isso deveria basear-se na experimentação.

O trabalho de Watson - A psicologia do ponto de vista de um behaviorista (1913) -, às vezes mencionado como “manifesto behaviorista”, tem sido apontado

como marco do behaviorismo.

WATSON PAVLOV SKINNE R

WATSON

PAVLOV

SKINNE

R

 Fisiologista, que estudava os mecanismos da digestão. Através de pesquisas com um cão, em
 Fisiologista, que estudava os mecanismos da digestão. Através de pesquisas com um cão, em

Fisiologista, que estudava os mecanismos da digestão. Através de

pesquisas com um cão, em situação

de laboratório, chegou à definição de reflexo condicionado.

Forneceu a base para a definição do Condicionamento Respondente. Também chamado de condicionamento reflexo, clássico ou

Pavloviano.

para a definição do Condicionamento Respondente. Também chamado de condicionamento reflexo, clássico ou Pavloviano.
 RESPONDENTE: atos desencadeados por eventos que imediatamente os precedem (estímulos eliciadores ou eventos

RESPONDENTE: atos desencadeados por eventos que imediatamente os precedem (estímulos

eliciadores ou eventos desencadeantes). Os respondentes:

Surgem involuntariamente;

São controlados pelos estímulos eliciadores;

Não são aprendidos e são universais.

1. Estímulo incondicionado (comida) gera um reflexo incondicionado (salivação- respondente). 2.

1.

Estímulo incondicionado (comida) gera um

reflexo incondicionado (salivação- respondente).

2.

Associação do estímulo neutro (som da campainha) ao estímulo incondicionado (comida) cria o reflexo condicionado (salivação-resposta aprendida).

3.

O estímulo condicionado (som da campainha)

provoca o reflexo condicionado (salivação).

 Ênfase no método experimental e pesquisas com animais.  Considera a Psicologia como a

Ênfase no método experimental e pesquisas com animais.

Considera a Psicologia como a “ciência do comportamento”.

O comportamento é determinado por um conjunto complexo de estímulos provenientes do meio físico ou social em que o organismo se insere que se designa por situação.

E R Isto é, para o mesmo estímulo obtemos sempre a mesma resposta.

Sofreu influência de Ivan Pavlov, de quem aceitou o

condicionamento clássico para explicar a aprendizagem.

 Não se opõe ao estudo dos fenômenos que ocorrem no mundo “interno” do ser

Não se opõe ao estudo dos fenômenos que ocorrem no mundo “interno” do ser humano, "Uma pequena parte do universo está contida dentro da pele de cada um de nós”.

Entretanto, tal mundo não é, em suas palavras, um mundo imaterial da mente, da consciência ou da vida mental. Para Skinner, os eventos que ocorrem no mundo dentro da pele são tão físicos quanto os que ocorrem publicamente.

A diferença entre eles não é uma questão de localização (interno/externo), mas de acessibilidade (observável ou não pelo outro).

Também parte das descobertas de Pavlov: um estímulo antecedente produz confiavelmente uma resposta, devido à dotação genética ou a

uma história particular de condicionamento.

Porém, suas descobertas levaram-no muito além. Observou algumas relações comportamentais nas quais os estímulos conseqüentes - e não os antecedentes - interferiam preponderantemente no comportamento.

Portanto, uma relação R-S e não S-R.

 Operantes  respostas voluntárias.  Condicionamento operante  ocorre quando os efeitos

Operantes respostas voluntárias.

Condicionamento operante ocorre quando os efeitos

(conseqüências) que se seguem às respostas (operantes)

aumentam ou diminuem a probabilidade de o operante voltar a ocorrer em uma situação similar.

No comportamento reflexo (ou respondente), os estímulos antecedentes produzem as ações do organismo, na relação operante os estímulos conseqüentes (conseqüências produzidas, no passado e no presente) é que determinarão a maior ou menor probabilidade de ocorrer um dado comportamento.

Dadas determinadas condições, há maior ou menor probabilidade de ocorrer um dado comportamento. E como o comportamento operante é multideterminado, sua ocorrência depende da interação de múltiplas variáveis presentes na situação.

 REFORÇAMENTO: o aumento da probabilidade de emissão do comportamento, em função de determinadas conseqüências.
 REFORÇAMENTO: o aumento da probabilidade de emissão do comportamento, em função de determinadas conseqüências.
 REFORÇAMENTO: o aumento da probabilidade de emissão do comportamento, em função de determinadas conseqüências.

REFORÇAMENTO: o aumento da probabilidade de emissão do comportamento, em função de determinadas conseqüências.

Não sabemos em princípio o que é ou será reforçador para alguém; para sabê-lo é preciso observar o efeito da conseqüência sobre o comportamento.

Reforçamento positivo: o comportamento é fortalecido pela apresentação de um evento que o sucede (recompensa).

Frequentemente os pais e professores extinguem operantes desejáveis (por ausência de reforçamento positivo) e reforçam outros indesejáveis ao dar atenção às ações que pretendia desestimular.

Reforçamento negativo: o comportamento é fortalecido pela retirada de conseqüências negativas

(estímulos aversivos)após o mesmo.

 É a diminuição da freqüência de emissão de um comportamento quando este é seguido
 É a diminuição da freqüência de emissão de um comportamento quando este é seguido
 É a diminuição da freqüência de emissão de um comportamento quando este é seguido

É a diminuição da freqüência de emissão de um comportamento quando este é seguido pela apresentação de um estímulo aversivo e/ou pela retirada de um estímulo positivo. É freqüentemente utilizado por pais, professores, instituições educativas,

governamentais, religiosas etc

que é um meio eficiente no enfraquecimento ou

eliminação dos comportamentos inadequados. Ex.: Se a criança não termina a atividade fica sem o recreio, ou se a criança não faz a tarefa

de casa leva uma bronca.

na crença de

,

Em alguns casos a punição é exagerada e pode levar a sérias conseqüências.

Em alguns casos a punição é exagerada e pode levar a sérias conseqüências.

Em alguns casos a punição é exagerada e pode levar a sérias conseqüências.
Em alguns casos a punição é exagerada e pode levar a sérias conseqüências.
Em alguns casos a punição é exagerada e pode levar a sérias conseqüências.
Em alguns casos a punição é exagerada e pode levar a sérias conseqüências.
 Concepção de ensino: “ ensinar é planejar contingências de reforçamento (eventos antecedentes e conseqüentes)
 Concepção de ensino: “ ensinar é planejar contingências de reforçamento (eventos antecedentes e conseqüentes)
 Concepção de ensino: “ ensinar é planejar contingências de reforçamento (eventos antecedentes e conseqüentes)

Concepção de ensino: “ensinar é planejar contingências de

reforçamento (eventos antecedentes e conseqüentes) de modo a possibilitar que a aprendizagem ocorra de modo mais eficiente”.

O processo de ensino deve se dar por pequenos passos possibilitando que cada aluno, a seu tempo, consiga apresentar os comportamentos

esperados em relação aos objetivos propostos.

aprendizagem é um processo que se dá com características, ritmos

A

e

resultados muito diferenciados para cada indivíduo e essa

individualidade precisa ser respeitada por aquele que ensina.

Cada aluno tem uma história de vida diferente (história social,

familiar, escolar) e o que pode ser reforçador para um pode não o ser

para outro.

Também o que é reforçador para o mesmo indivíduo em algum momento de sua vida pode não ser reforçador em outro momento. Daí a importância de o professor ser um cuidadoso observador da

relação comportamento-conseqüência.

 Ênfase no comportamento do professor. A atuação do professor é condição fundamental para a
 Ênfase no comportamento do professor. A atuação do professor é condição fundamental para a
 Ênfase no comportamento do professor. A atuação do professor é condição fundamental para a

Ênfase no comportamento do professor. A atuação do professor é condição fundamental para a aprendizagem do aluno.

Fazer de modo lento e comentando aquilo que espera que o aluno faça, atuando inicialmente como modelo e aos poucos ir deixando o aluno fazer por si só;

Dar instruções bem detalhadas e ir, aos poucos, dando instruções mais gerais e planejar atividades interessantes são exemplos de ações do professor que funcionam como condição antecedente para levar o aluno a fazer o que é esperado.

Cabe ao professor se comportar em função do comportamento

que quer que seu aluno apresente, de modo a que sua atuação

sirva como condição (quer como modelo, quer escolhendo atividades) para o aluno aprender.

E tendo o aluno se comportado do modo esperado, cabe ao professor apresentar conseqüências que possibilitem que tais

comportamentos voltem a ocorrer.

modo esperado, cabe ao professor apresentar conseqüências que possibilitem que tais comportamentos voltem a ocorrer.
 Deve tomar como ponto de partida o aluno a quem o professor pretende ensinar
 Deve tomar como ponto de partida o aluno a quem o professor pretende ensinar

Deve tomar como ponto de partida o aluno a quem o professor

pretende ensinar e o(s) objetivo(s) que se pretende que esse aluno alcance, isto é, qual(ais) o(s) comportamento(s) que o professor deseja ensinar.

A formulação de objetivos de ensino em termos de comportamentos esperados do aluno possibilita maior clareza quanto ao que é esperado que o professor ensine e melhores condições para acompanhar, avaliar e alterar os rumos do processo de ensino-aprendizagem em curso.

Exige o estabelecimento de dois tipos de metas:

Amplas: Características do indivíduo/cidadão que se pretende formar;

Específicas: Definidas a partir de diretrizes curriculares que explicitam as habilidades e conceitos a serem dominados pelo aluno.

 Planejamento individualizado: baseado no que cada aluno já sabe, suas dificuldades e facilidades, do
 Planejamento individualizado: baseado no que cada aluno já sabe, suas dificuldades e facilidades, do

Planejamento individualizado: baseado no que cada aluno já sabe, suas dificuldades e facilidades, do que esse aluno gosta e do que não gosta, o que ele deveria saber para conseguir aprender aquilo que o professor pretende ensinar.

Deve ser revisto e refeito continuamente a partir da observação dos comportamentos dos alunos.

Crítica à “Semana de Planejamento” não leva em conta o perfil do aluno, só é utilizado no início do ano e não como um instrumento de trabalho do professor.

leva em conta o perfil do aluno, só é utilizado no início do ano e não
 O professor deve planejar condições e conseqüências arbitrárias que estarão disponíveis na sala de
 O professor deve planejar condições e conseqüências arbitrárias que estarão disponíveis na sala de

O professor deve planejar condições e conseqüências arbitrárias que estarão disponíveis na sala de aula.

Planejar também, como substituí-las, aos poucos, por condições e conseqüências naturais que possibilitem ao aluno continuar apresentando o comportamento esperado quando não estiver mais na

escola.

Exemplo: O ensino da leitura fluente e com compreensão devem sempre procurar garantir as condições mais favoráveis para que o aluno apresente o comportamento esperado com boas chances de ser positivamente reforçado, evitando que ele fracasse e acabe por se

desinteressar.

Um texto inicial mais curto pode ser uma condição mais propícia para o aluno se sair bem, diminuindo a possibilidade de erro e aumentando, assim, a chance do ler ser positivamente reforçado.

Algumas conseqüências arbitrárias um comentário elogioso do professor, um ponto para a equipe e até mesmo uma boa nota, por que não? são necessárias e cabe ao professor disponibilizá-las ao aluno.

 Há situações educacionais, porém, que exigem do professor atuação no sentido de enfraquecer determinados
 Há situações educacionais, porém, que exigem do professor atuação no sentido de enfraquecer determinados

Há situações educacionais, porém, que exigem do professor atuação no sentido de enfraquecer

determinados comportamentos do aluno: dispersão,

apatia, “indisciplina” em sala de aula - e, para tanto, julgam que broncas e castigos são eficientes.

Na escola, há muitos exemplos de uso de práticas

punitivas: Broncas, críticas, pequenos castigos,

ameaças e cobranças, recurso a notas baixas; ou retirar o período de recreio a que os alunos teriam direito ou os impedir de ir jogar/brincar no pátio (retirada de um estímulo reforçador positivo).

que os alunos teriam direito ou os impedir de ir jogar/brincar no pátio (retirada de um
 Os resultados da punição são muito complexos e bastante prejudiciais ao indivíduo. Se o
 Os resultados da punição são muito complexos e bastante prejudiciais ao indivíduo. Se o

Os resultados da punição são muito complexos e bastante prejudiciais ao indivíduo. Se o recurso à punição for muito freqüente, estaremos ensinando os alunos a fazer qualquer coisa para escapar da punição, e não necessariamente a estudar.

Um subproduto da punição é de ordem emocional: a ameaça iminente de punição, ou a punição em si, gera respostas emocionais de medo, culpa, vergonha, ansiedade.

Um professor que pune muito seus alunos torna-se, ele

próprio, um estímulo aversivo; aos poucos, seu jeito de falar,

as atividades que propõe, sua aula, a disciplina que leciona tornam-se aversivas.

Até a própria escola pode adquirir o caráter de um estímulo

aversivo, acabando por “empurrar” o aluno para fora dela.

 Os comportamentos não desejados do estudante na aula, podem ser modificados usando-se princípios de
 Os comportamentos não desejados do estudante na aula, podem ser modificados usando-se princípios de

Os comportamentos não desejados do estudante na aula, podem ser modificados usando-se princípios de modificação de comportamento. Algumas recomendações são:

Reforçar o comportamento desejado que seja oposto e que eventualmente substitua os padrões do comportamento indesejado;

Enfraquecer o comportamento indesejado removendo

os eventos de reforço que mantém aquele

comportamento;

Mudando as condições de estímulo que influenciam aquele comportamento.

 O comportamento dos estudantes é dominado por estimulação que provoca aversão (fuga do desgosto
 O comportamento dos estudantes é dominado por estimulação que provoca aversão (fuga do desgosto

O comportamento dos estudantes é dominado por estimulação que provoca aversão (fuga do desgosto do professor, da crítica dos colegas, das notas baixas, etc.);

Skinner considerava o sistema escolar um fracasso por se basear na presença obrigatória, sob pena de punição. Ele

defendia que se dessem aos alunos "razões positivas" para

estudar, ou seja, o próprio processo de aprendizagem deveria ser prazeroso e reforçador para o aluno.

Para Skinner, o ensino deve ser planejado para levar o aluno a emitir comportamentos progressivamente próximos do objetivo final, sem que para isso precise cometer erros.

Existe um lapso de tempo muito grande entre o comportamento e seu reforço. A escola utiliza reforçador generalizado (notas, diplomas) e raramente reforça os elementos da própria matéria;

O reforço do comportamento desejado ocorre pouco freqüentemente devido à grande quantidade de alunos.

 É importante que o professor possa usar os conhecimentos sobre planejamento de contingências para
 É importante que o professor possa usar os conhecimentos sobre planejamento de contingências para

É importante que o professor possa usar os conhecimentos sobre planejamento de contingências para tornar o aprender um ato prazeroso para o aluno e o ensinar um trabalho

mais gratificante para o professor. Só assim

conseguiremos fazer da escola uma verdadeira instituição educativa para a qual afluem com alegria, e da qual não fogem e nem são

excluídos, os educandos.

instituição educativa para a qual afluem com alegria, e da qual não fogem e nem são
instituição educativa para a qual afluem com alegria, e da qual não fogem e nem são
 Modelagem : Reforçamento por aproximações sucessivas.  Extinção : pela retirada do reforçamento o

Modelagem: Reforçamento por aproximações sucessivas.

Extinção: pela retirada do reforçamento o comportamento declina gradativamente em freqüência.

Recuperação espontânea: operantes extintos

podem reaparecer após um descanso.

Generalização de estímulo: Respostas fortalecidas por procedimentos operantes tendem a se generalizar por situações similares.

Discriminação de estímulo: respostas reforçadas em um ambiente não se propagam por todas as situações similares porque não são reforçadas em todas as situações similares.

 Instrução programada:  É um sistema de ensino e aprendizagem, no qual a matéria
 Instrução programada:  É um sistema de ensino e aprendizagem, no qual a matéria
 Instrução programada:  É um sistema de ensino e aprendizagem, no qual a matéria

Instrução programada:

É um sistema de ensino e aprendizagem, no qual

a matéria preestabelecida é subdividida em

etapas reduzidas, discretas e cuidadosamente organizadas em uma seqüência lógica, que pode ser prontamente aprendida pelos estudantes.

Cada etapa organiza-se baseada na que a

precedeu. O aprendiz pode evoluir através da seqüência de etapas, em seu próprio ritmo e é reforçado, imediatamente, depois de cada etapa. Ou se lhe oferece a resposta correta ou se

lhe permite avançar para a etapa seguinte após

registrar a resposta correta. Ex.: Aula de inglês, digitação.

 Máquinas de aprendizagem: A organização de material didático de maneira que o aluno pudesse
 Máquinas de aprendizagem: A organização de material didático de maneira que o aluno pudesse
 Máquinas de aprendizagem: A organização de material didático de maneira que o aluno pudesse

Máquinas de aprendizagem: A organização de material didático de maneira que o aluno pudesse utilizar sozinho, recebendo estímulos à medida que avançava no conhecimento. Grande parte dos estímulos se baseava na satisfação de dar respostas corretas aos exercícios propostos. A idéia nunca chegou a ser aplicada de modo sistemático, mas influenciou procedimentos da educação norte-americana.