Sunteți pe pagina 1din 8

Boletim Informativo da Igreja Evangélica Holiness do Brasil Ano VII Nº22 Nov-Dez/2001

Seguindo a verdade em amor


“...cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” Ef. 4:15

ostaria de comentar uma ou da não pode ser “falar a verdade” (como tendo algo equivalente ou próximo de

G duas cousas sobre “seguindo a


verdade” e “em amor” do nos-
so versículo. Porque “seguindo” e não
eu a vejo) “com” (uma tintura do meu)
“amor” (condescendente, pois eu sei a
verdade e esse cara é tão ignorante, coi-
assassinato. (Mt. 5:22) Ora isto não traz
a paz, nem a edificação do corpo.
Já que mencionamos o orgulho inte-
“falando” a verdade? A maior parte de tado!). Existe um modo grego mais clás- lectual, temos de fazer referência tam-
nossas traduções em português usa a sico, mais filosófico que tendia a en- bém ao orgulho espiritual igualmente
primeira enquanto que a maior parte das tender a verdade como sendo uma ver- nocivo e destrutivo. O orgulho espiritual
versões em japonês usa a segunda ex- dade principalmente proposicional, ou pode produzir cegueira intelectual. O
pressão. Qual será melhor e preferí- verdade racio- orgulho em todas as formas, impede a
vel para nós? unidade entre irmãos. O sentimento de
Em grego é muito interessan- ser superior, impede aceitar de todo
te a palavra usada para coração o irmão como tal. Impe-
“seguir”ou “falar” a verdade: de de praticar o mandamento de
aletheuontes, forma do parti- “Considerar os outros superi-
cípio presente (gerúndio) do ores a si mesmo”(Fp. 2:3).
verbo aletheuein, derivado de “O conhecimento incha,
aletheia = verdade. Essa ex- mas o amor edifi-
pressão que em português e ja- ca” de I Co (8:1,
ponês e em muitas outras línguas cf. 13:2), refere-
se expressa com duas ou três pala- se no contexto da
vras (seguindo a verdade), em gre- carta muito provavelmen-
go se expressa com uma só. Um ver- te ao conhecimento espiritual, e um
bo com a mesma raiz da palavra “ver- orgulho espiritual dos crentes “avivados”,
dade”. Seria algo como “verdadei- mas sem humildade, de Corinto.
rar”? Significaria, “falar” a verda- Seguir a verdade em amor (de Deus)
de, “expressar” a verdade, “defen- é considerar o irmão, seja qual for a sua
der” a verdade “seguir” a verdade, “fa- nal. Isto produzia no passado e produz condição social, intelectual ou espiritu-
zer” a verdade, “construir” a verdade, hoje igualmente um orgulho intelectual. al, infinitamente valioso, e superior a si
“viver” a verdade, “encarnar a verda- O orgulho intelectual deve ser evi- mesmo, pois Deus o ama. E é uma gran-
de”, “ser” a verdade. “Aletheuontes tado em todas as suas formas. Ela pro- de alegria e privilégio compartilhar com
en agape” literalmente seria, com des- duz cegueira espiritual. E muito pior do ele a verdade que nos faz viver. E uma
culpas pelo neologismo, “verdadeiran- que cegueira espiritual, ela produz um alegria e infinito privilégio, poder com-
tes em amor”. desejo de liquidação intelectual do opo- partilhar o amor de Deus.
A outra expressão é também cha- nente. Liquidação intelectual do opo-
mativa: “em amor”, no original é “en nente, pode conter um elemento de fra- Key Yuasa
agape”. Ora “agape” é o amor de tricídio. E isso não é exagerar pois Je-
Deus, muitos o sabem. Se isso é verda- sus nos ensinou que qualquer que cha- O pr. Key Yuasa é presidente da denominação e
de, o significado da expressão estuda- mar seu irmão de “burro” está come- pastor da I.E.Holiness de Campo Grande.
EDITORIAL EDITORIAL EDITORIAL EDITORIAL EDITORIAL EDITORIAL EDITORIAL EDITORIAL EDITORIAL EDITORIAL EDITORIAL

2002 com muitos desafios pela frente


lhar para a frente. “Erguei os convicção de que Deus nos susteve e so de missão.

O vossos olhos...” é a recomen-


dação de nosso mestre. De
fato, quando realizamos um concílio e
nos deu vitórias.
Apesar de muitas crises que en-
frentamos neste ano temos motivos de
Em meio a tudo isso, estamos
olhando para a frente. Olhando os
campos, olhando o futuro da nossa
temos as nomeações, quando fazemos agradecimento. As conversações para denominação. Estamos começando
uma reciclagem de pastores, não uma reformulação burocrática na de- uma campanha por novos obreiros. A
estamos apenas preocupados em “to- nominação têm ocorrido num clima igreja Holiness do Brasil tem crescido
car o dia-a-dia”. Queremos estar nos ameno e isso nos ajudará a estar pre- e ocupado cada vez mais espaço na
preparando para colher mais adiante. parados para enfrentar os desafios do sociedade onde ela está inserida, atra-
Em meio a diversas crises sociais, terceiro milênio. As discussões doutri- vés do testemunho de seus membros.
políticas, econômicas e até teológicas, nárias que têm acontecido na denomi- Precisamos de novos líderes e de no-
a Igreja do Senhor Jesus será sempre nação têm sido saudáveis e nos aju- vos pastores para cuidar das ovelhas,
triunfante. Portanto, é motivo de ale- dam a compreender a nossa identida- para semear ... e para colher também!
gria terminarmos o ano 2001 com a de e fortalecer nossa comunhão e sen- Você está convidado a participar!

OS E NOTAS FATOS E NOTAS FATOS E NOTAS FATOS E NOTAS FATOS E NOTA NDA AGENDA AGENDA AGENDA AGE

Reciclagem e Concílio Anual 2001 IEH Cuiabá 2 – Comunica o encerra- Retiro de Pastores e Obreiros – 8 a
Reciclagem de obreiros: tema: mento das atividades em Cáceres – O 11 de janeiro de 2002, no Acampamento
Hermenêutica, com pr. Luiz Sayão, dias trabalho era dirigido pelo irmão Panorama
05 e 06/09, em Panorama. Concílio Nishimura (83), e os membros muda-
2001: Dias 7 a 9/09/2001, em Panora- ram para Tangará, e os que permane- 3° Congresso de Profissionais
ma. Tema: Cresçamos em tudo, base- ceram na cidade foram transferidos para Holiness – de 09 a 12 / 02 /02, no
ado em Ef. 4:15. Igreja Batista. Acampamento Panorama com o tema:
“Eu e Você Podemos Transformar o
Equipe da JOCUM Acampamento Conte Comigo – 22 a Mundo”. Aguarde maiores informa-
Nos meses de outubro e novembro, uma 23 de setembro, com 31 acampantes de ções. Os Folders e Cartazes seguirão
equipe de oito pessoas de diversas na- 10 a 14 anos 45 voluntários, no em breve para as igrejas.
cionalidades trabalharam em algumas Acampamento Hebrom, em Caucaia do
igrejas da grande São Paulo. Estão no Alto. Veja fotos e detalhes no site http:// 50 anos da Igreja de Curitiba – Igreja
tempo prático do curso DTS da Suíça. sites.uol.com.br/contecomigo. de Ctba completa 50 anos de ministério
e culto de Ação de Graças será realizado
IEH Castanhal 1 – Projeto Sul: A igre- Inter-Holiness de Tênis de Mesa – no dia 24 de fevereiro de 2002.
ja enviará equipe para participar da tem- 29/09/2001, na UCEG em Guarulhos. A
porada em São Paulo para treinar pes- equipe masculina de Curitiba foi a 4º Congresso de Universitários e
soas e montar acampamento local. campeã. Profissionais das Igrejas Orientais
IEH Castanhal 2 – Visita do pr. Saito – 26/01 a 01/03/2002, na Igreja
nos dia 23 a 25 de novembro. A Igreja III Encontro de Universitários – Presbiteriana Formosa em São Paulo
agradece o trabalho e também agrade- Aconteceu nos dias 12 a 14 de outubro, (ISP). Tema: Espiritualidade em um
ce a Deus e os irmãos que oram pela com o tema: “Cristianismo Integral”, no Mundo Conturbado. Palestrantes: Pr.
igreja, que cresce a cada dia. Aca Shalom, com cerca de 60 Ricardo Agreste e Pr. Ariovaldo
participantes. Palestrantes: Norio e Lucy Ramos. Maiores informações em
IEH Cuiabá 1 – Consagração da Casa Yamakami e Yokimi Yuaça. www.servodecristo.org.br/eventos/
Pastoral em 01/10/2001. agenda.htm

Hora H é uma publicação da Igreja Evangélica Holiness do Brasil. Presidente: Key Yuasa. Vice-Presidente: Eduardo Goya. Projeto Editorial e Gráfico:
NACL – Editora e Planejamento de Comunicação Empresarial. Supervisão Geral: Fred Utsunomiya. Coordenação: Jônatas Ayumi Suzuki.
Colaboração: Silas Akira Yamakami. Tiragem desta edição: 1.500 exemplares. Correspondência: R. Berta, 216 - São Paulo - SP - CEP 04120-040.

2 Hora H
LIO CONCÍLIO CONCÍLIO CONCÍLIO CONCÍLIO CONCÍLIO 2001 CONCÍLIO CONCÍLIO CONCÍLIO CONCÍLIO CONCÍ

Concílio anual 2001


O evento anual foi marcado pela reflexão e edificação da liderança máxima da denominação

N os dias 7 a 9 de setembro foi re-


alizado o 70o Concílio Anual da
Igreja Evangélica Holiness do
Brasil, no Acampamento Panorama.
aprovada a des-
centralização.
O Concílio
terminou com o
Segundo o estatuto, “compete ao Culto de Nome-
Concílio Anual deliberar sobre ... rela- ação, com a
tórios da Junta Administrativa, das igre- presença de ir-
jas locais e outras entidades; planos da mãos de algu-
Junta Administrativa; propostas da Junta mas igrejas da
Administrativa; e das igrejas locais e ou- 2a região.
tros assuntos relativos a administração
e orientação da igreja” (Artigo 17o).
Durante o dia, as decisões que afe-
tam todas a denominação são tomadas
pelo Concílio nas plenárias, através de Culto de nomeação no domingo
propostas, enviadas pelas igrejas, e tam-
bém proposições da Junta Administra-
tiva. Á noite, o teor das reuniões é mais
pastoral, com pregações e exposições Destaques do Concílio
bíblicas voltadas para o crescimento
pessoal.
Oficialização da Igreja Holiness de Homenagem ao Pr. Nobuo Omae e
É nas plenárias do Concílio que qua-
São Bernardo do Campo miss. Tamie Kawashima
se tudo é feito, inclusive onde os depar-
tamentos prestam seus relatórios, que
A congregação de São Bernardo O pr. Nobuo Omae, atual pastor
podem ser acessados na secretaria de
do Campo foi oficialmente reconheci- da Igreja de Guarulhos, retornou ao
cada igreja. Há também espaço para
da como Igreja. O trabalho foi inicia- Japão, seu país de origem, com sua
saudação das igrejas, homenagens e
do em 1982 com culto no lar e escola família no dia 12 de dezembro, após
oficializações, como os descritos no qua-
dominical, ficando sob supervisão da 12 anos de trabalho no Brasil.
dro ao lado.
Igreja do Bosque da Saúde. Posteri- Outra homenagem foi para obrei-
Este ano apresentou-se apenas uma
ormente passou a ser ponto de prega- ra Tamie Kawashima, que foi jubilada
proposta, da igreja de Campo Grande.
ção. Após adquirir um local próprio, pela JEMS, mas continuará trabalhan-
A proposta defendia a tese de que se
transformou-se em congregação. Seu do para a evagelização de japoneses
efetuasse a descentralização dos CNPJ
templo foi inaugurado este ano. no Brasil.
das igrejas locais a fim de que os con-
troles fiscais, contábeis e financeiros das
igrejas pudessem ser conduzidas com
Abaixo: representando a igreja de
mais independência. Na proposta essa São Bernardo do Campo, sr. Hissao
descentralização visava exclusivamen- e seu filho Fred Utsunomiya
te a busca de uma maior autonomia bu-
rocrática, sem prejuízo da essencial uni-
dade espiritual e estatutária da denomi-
nação Holiness.
Concluiu-se que esta decisão só po-
derá ser tomada em um Concílio Geral,
por isso uma comissão de estudos, for- Acima: homenagem ao pr. Nobuo
mada por pastores e leigos avaliará as Omae e à missionária Tamie
implicações e os possíveis desdobra- Kawashima
mentos para se por em prática, caso seja

Hora H 3
OMEAÇÃO NOMEAÇÃO NOMEAÇÃO NOMEAÇÃO NOMEAÇÃO 2002 NOMEAÇÃO NOMEAÇÃO NOMEAÇÃO NOMEAÇÃ

Nomeação dos Pastores para 2002


1ª Região IEH Guararapes 5ª Região
IEH Americanópolis Vagner Luiz e Rosana O. U. de Paula Kozo e RosaTanaami (Coordenador)
Norio e Lucy Hiromi Kono Yamakami IEH Paraguaçu Paulista Hitoshi e Alinda Yaeko Watanabe
IEH Belo Horizonte Shoso Hirose e Sanae Hirose Marcio e Elen S. Kamiyama
Osamu e Yaeko Suzuki IEH Pompéia Adriano Kuroki
IEH Bosque Jiro e Hiromi Kikuti Nishimura Edison e Lydia Tomotami de Rosa
Mitsuo e Sizue Hayashi Namba Kosaku e Kioko Kato Sakuma Ricardo e Midori Uchina
Eliane Morishigue IEH Presidente Prudente Tonny e Lourde Akagi
Makoto e Yassuco Shuto Shoso e Sanae Hirose
IEH Casa Verde Minako Suzuki Missão Índia
Jessé Manabu e Marcia H. Y. Kajimura IEH Presidente Venceslau Josué e Isabel Tanaami
IEH Guarulhos Mitsuru e Liliana Yurico Watanabe
Carlos e Miriam Megumi Aoshima Lee IEH Tupã Missão China
Lilian Teruya Marcos Masao e Celina Yumi S. Nomura José e Irene Sadoyama Moreira
IEH Jetuba Acampamento Panorama
Kazunori e Matilde Satiko Fujisaka Marcos Massao e Celina Yumi S. Nomura Missão Sul
IEH Liberdade Milton Lobato e Silvia B. Correa Eduardo e Liana Noriko T. Goya
Sérgio e Katia Abe Yuaça Hitoshi e Rosa Yoshiko T. Saito
IEH Liberdade - Congregação Itaquera 3ª Região
Orlando e Silvia Aiko Higa Nakagawa IEH Curitiba Serviço de apoio à JA
IEH Osasco Eduardo e Liana Noriko Tatsumi Goya Neomi Taeko Sakuma
Hiroshi e Fumiyo Sato Kinji e Rosa Misako Kajimura
IEH Rio de Janeiro IEH Londrina
Trabalhos Evangelísticos
Willian Maki e Katia F. H. M. Suzuki David Yuaça e Raquel Kissimoto Yuaça
Hitoshi e Rosa Yoshiko T. Saito
IEH Santo André IEH Maringá
Ignácio Tadayoshi e Toshie Moriguchi Roberto Shinze e Dilma Higa Yahiro
Ministério de Ação Social
Job Quedevez Vieira Suzu Yuaça Lee
IEH Santos Silvia Letícia Carrelo
Keiko Sakuma (Supervisão Pastoral: 4ª Região
Ignácio T. Moriguchi) Obreiros em Licença
IEH Campo Grande
IEH São Bernardo do Campo Key Yuasa e Teresa Konno Yuasa Tochikazu e Hiroko Okayama Miyazaki
Jônatas Ayumi Suzuki Mirian Yoshie Natume Tomoyuki e Yoshiko Nakada
Hissao e Kioko Utsunomiya Congregação Três Lagoas
IEH São José dos Campos Mirian Yoshie Natume Pastores Jubilados
Augusto e Rosemery Nami U. Umeki IEH Castanhal Nagafumi Yamazaki e Sakae Yamazaki
IEH S. José - Congregação Campinas Elias Tadahiro e Cibele Suga Sugano Fumi Kikuti
Augusto e Rosemery Nami U. Umeki IEH Cuiabá Yoshikatu Nampo e Chieko Nampo
IEH Suzano Joel Tsuyoshi e Soeli Yoshie T. Odaira Kaoru Mizumoto
Luiz Takeshi e Noemi Y. Hashimoto IEH Cuiabá - Congr. Jardim Fortaleza Fujiko Yoshino
IEH Tinga Joel Tsuyoshi e Soeli Yoshie T. Odaira Hisako Sugano
Tereza Noliko Kamiya IEH Dourados Jun Yuaça e Toshiko Goto Yuaça
IEH Vila Sônia Nativa Gaspar Tamie Kawashima
Shinji e Raquel Tanaami Kanno IEH Goiânia
Acampamento Shalom Ezequiel e Débora Yuaça Teruya Obreiros Locais
Augusto Umeki / Jessé Manabu Ken e Massaco O. Yuaça (em fase de regulamentação)
Kajimura IEH Manaus IEH Pompéia
Haroldo e Carla Hiromi Sato Teruya Massao e Regina Suguihara
2ª Região Harutoshi e Chiharu Miura Hermes Batista e Ivone Gomes Lima
IEH Adamantina IEH Tangará da Serra Haroldo e Charlotte da Silva
Tetuma Fujisaka e Eunice Fujisaka Esther Lopes IEH Bastos
IEH Araçatuba Carlos Alberto e Eliza Kazuyo S. Oyama Joaquim Maria e Elizabete Sabino
Yokimi Yuaça Tomé-Açú IEH Campo Grande - Cong. Três Lagoas
IEH Bastos Shigueru Sugano e Teresa Sugano Carlos Magno e Nilza Castilho
Tetuma e Eunice Fujisaka

4 Hora H
LAGEM RECICLAGEM RECICLAGEM RECICLAGEM RECICLAGEM RECICLAGEM RECICLAGEM RECICLAGEM RECICLA

Interpretando a Bíblia
Pastores e obreiros são desafiados a interpretar
a Palavra corretamente com pr. Luís Sayão

Norio Yamakami

A lguns dias antes do Concílio


Anual, foi realizada nos dias 5
e 6 de setembro, no Acampa-
mento Panorama a Reciclagem de
dose, ou melhor, que se aprofunde mais
no assunto. E os obreiros, como mo-
delos do rebanho, não podiam ficar para
trás.
Obreiros. No evento deste ano foi tra-
tado um assunto vital para a igreja: Desafios
Hermenêutica – ciência e arte da in-
terpretação correta. O preletor foi o Os estudos foram de nível elevado,
prof. Luís Sayão, professor do Semi- com o preletor não se esquivando de
nário Servo de Cristo, escritor evan- responder a perguntas difíceis sobre a
gélico e membro da comissão de tra- interpretação do Antigo Testamento e
dução da Nova Versão Internacional de textos bíblicos relacionados com as-
da Bíblia. Quase todos os obreiros da suntos controvertidos no campo da éti-
denominação estiveram presentes, en- ca, dons e manifestações do Espírito,
frentando nos dois dias uma carga ho- profecias, etc. À noite, tivemos men-
rária equivalente a dois meses de au- sagens expositivas mostrando como uti-
las de uma matéria no seminário teo- lizar num sermão as informações téc-
lógico, tentando assimilar um conteú- Prof. Luís Sayão: proporcionando uma nicas obtidas mediante aplicação dos
do que é dado normalmente em um se- reciclagem equivalente a 2 meses de princípios hermenêuticos. Houve vári-
mestre inteiro. aula em 2 dias. os comentários de pessoas encantadas
com a riqueza da parábola do filho pró-
Por que Hermenêutica? desviam: temos igrejas inteiras adotan- digo, base para a última mensagem.
do doutrinas e práticas estranhas à Pa- O desafio para os obreiros agora é
Mas por que tratar novamente de lavra de Deus. utilizar no dia-a-dia os conceitos ad-
um assunto que todos os pastores de- Com tantas pessoas falando e fa- quiridos – relembrados –, manejando
vem ter estudado no seminário, em vez zendo tantas coisas diferentes em corretamente a Palavra em seus estu-
de um tema mais atual e prático? É nome do Senhor e todas afirmando dos e ajudando o povo de Deus a se
por causa da urgente necessidade de basear-se na Palavra, a quem deve- alimentar da Bíblia.
reforçar esse fundamento em vista da mos ouvir? E o que devemos ouvir? Como diretor do Departamento de
tendência preocupante das igrejas Como podemos ter certeza de que a Educação, meu desejo é que nesses
evangélicas. Bíblia realmente ensina o que nós pen- tempos em que pipocam tantos movi-
Hoje, pode-se dizer que temos vá- samos que o texto diz? Como manejar mentos e teologias muitas vezes ex-
rios tipos de Cristos, vários tipos de corretamente a Palavra? Quais os prin- cêntricos (que giram em torno de ou-
evangelhos e vários tipos de igrejas... cípios para interpretar corretamente a tro eixo que não o Cristo crucificado e
E infelizmente as que mais têm cres- Bíblia? ressurrecto), a igreja experimente uma
cido em número, visibilidade e influên- Percebendo essa necessidade, al- revolução – silenciosa, mas genuína –
cia não são as que apresentam o lado gumas ovelhas se anteciparam aos desencadeada por um movimento de
mais saudável, mais fiel à Bíblia e à seus pastores: essa matéria já havia estudo da Palavra.
herança da Reforma Protestante. sido estudada por cerca de 100 jovens
As igrejas e os crentes vivem em este ano em dois retiros de treinamen-
grande parte de moda em moda, “le- to promovidos pela Confederação de
vados ao redor por todo vento de dou- Mocidades, um em São Paulo (para a
trina” (Ef 4.14). E o afastamento em I Região e Curitiba) e outro em Pano- O pr. Norio Yamakami é pastor da I.E.Holiness
de Americanópolis, membro da J.A. e está à
relação ao ensino sadio não se dá mais rama (para II Região), inclusive com frente do Departamento de Educação da deno-
apenas na vida de indivíduos que se pedido expresso para que se repita a minação.

Hora H 5
OCUM JOCUM JOCUM JOCUM JOCUM JOCUM JOCUM JOCUM JOCUM JOCUM JOCUM JOCUM JOCUM JOCUM JOCUM

Missionários estrangeiros visitam


Igrejas Holiness no Brasil
Jovens missionários da Jocum impactaram (e foram impactados por) algumas de nossas igrejas

U ma equipe de oito jovens da


Jocum da Suiça passou três me-
ses em treinamento no Brasil, e
quase todos os finais de semana coope-
desejo de alcançar jovens na
Coréia do Norte, como profes-
sores e alcançando pessoas
através de sua profissão.
raram em igrejas Holiness. Estes oito jo- “Apesar de ser um curso
vens entre 19 a 33 anos fazem parte do dentro de uma escola de mis-
curso DTS (Discipleship and Training sões, o objetivo deste grupo foi
School) bilíngüe inglês/japonês da Jocum, fazê-los viver uma vida em co-
conhecido aqui no Brasil como ETED
munhão com Deus e aprender
(Escola de Treinamento e Discipulado),
a ouvir a voz de Deus, e obe-
um curso de seis meses, dividido em tem-
decê-lo”, diz Yasuko.
po teórico e prático (o qual todos os can-
didatos ao ministério pela Holiness atual- A equipe agradece as igre-
mente são convidados a fazer) e realiza- jas que os receberam, pois sen- Apresentação de uma peça na igreja de Osasco
ram o tempo prático aqui no Brasil, um tem que foram muito aben-
mês em Curitiba e seis semanas em São çoados por cada pessoa
Paulo. A equipe conta com duas líderes: com a qual se relaciona-
Mary Wilbhram (Austrália) e Yasuko (Ja- ram. “Em cada lugar fo-
pão), e de seis alunos do Japão, Coréia mos desafiados e cresce-
do Sul e EUA. mos no contato com cada
Durante a semana a equipe fazim um”, finalizam.
evangelismo na cidade em diversos lu-
gares, como praças, escolas, hospitais,
presídios, Febem e nos finais de sema-
Da esquerda para a
na trabalhavam com alguma igreja. Pas- direita: em pé: Hiro, Rumi,
saram por cinco igrejas Holiness durante Austin, Da Young, Maki,
este período: Curitiba, congregração Mary, Yasuko e Justin
Itaquera, São Bernardo, Vila Sônia e
Osasco, incentivando os jovens a uma
vida diária em intimidade com o Senhor
e fazendo evangelismo em locais públi- Impressões e oportunidades de tes ministérios ainda têm grande pos-
cos em algumas igrejas, até fazendo dis- evangelismo nas Igrejas Holiness sibilidade de expansão, especialmen-
tribuição de folhetos evangelísticos em te o grupo de louvor.
um cemitério, aproveitando o feriado de - Trabalho forte com jovens nas igre-
Finados, junto com jovens da igreja da jas visitadas. Trabalhos de evangelização no
Vila Sônia. - Igreja com unidade em torno da fa- Brasil:
Nem todos tem pretensão de serem mília, comparado com o Japão.
pastores ou missionários transculturais - Ressaltar o potencial individual de - Muita abertura ao evangelho em di-
mas querem desenvolver seus ministé- cada igreja, diferente em cada uma versos lugares, mostrando um grande
rios e ser missionários onde estão. É o delas, como o incentivo da liderança avanço do Evangelho comparado com
caso de jovens como o americano Justin, das igrejas (tanto o pastor quanto a o Japão.
que quer estudar e no futuro evangelizar diretoria) para a evangelização de jo- - Expectativa de que nesses lugares
através da música, e de Austin, que temr vens. (prisões, hospitais etc.) há grande pos-
esperança de continuar estudando e vi- - Por exemplo, em Osasco, viram mui- sibilidade da sociedade ser transfor-
ver uma vida com Deus. Outros, como tas possibilidades, vendo que diferen- mada pelo impacto do evangelho.
Rumi Hosoi e Da Young Lee, têm o

6 Hora H
OS E RETIROS ACAMPAMENTOS E RETIROS ACAMPAMENTOS E RETIROS ACAMPAMENTOS E RETIROS ACAMPAMEN

Informações:

Aca Panorama
Tel: (14) 442-1804
Pr. Marcos Nomura
e-mail:
acapano@terra.com.br

Aca Shalom
Central de Informações:
Márcia Kajimura:
(11) 3951-5181 / 9897-4562
Job Vieira:
(11) 4991-4197 / 9667-2037

Hora H 7
CAMPANHA CAMPANHA CAMPANHA CAMPANHA CAMPANHA CAMPANHA CAMPANHA CAMPANHA CAMPANHA CAMP

Campanha de oração por novos obreiros


“Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.”

Q uando Jesus pregava o evangelho


do Reino, compadeceu-se das mul-
tidões aflitas e desamparadas como
ovelhas sem pastor e disse aos seus discí-
ros leigos. O corpo de Cristo necessita de
membros que trabalhem em equipe com os
pastores de dedicação exclusiva, atuando
como (a) co-pastores ou auxiliares do pas-
conduta ministerial e moral. Precisamos de
sabedoria, disposição para sacrifício e ca-
pacitação para formar esses novos líderes,
pois ainda será definida a forma de treina-
pulos: “A colheita é grande, mas os traba- tor em igrejas maiores; ou (b) dirigentes de mento, local, responsáveis pelo treinamen-
lhadores são poucos. Peçam, pois, ao Se- igrejas menores ou congregações; ou ain- to, avaliação, como preservar a identidade
nhor da colheita que envie trabalhadores da (c) líderes de algum ministério específi- preparando tanta gente em igrejas e cida-
para a sua colheita” (Mt 9.35-38 NVI). Sécu- co. Devemos orar por mais líderes que hoje des diferentes, etc.
los antes, o Pai já havia conclamado a Isaí- sirvam em nossa denominação fazendo o Os obreiros de dedicação exclusiva pre-
as: “A quem enviarei, e quem há de ir por trabalho muitas vezes discreto, mas impres- cisam ser sustentados a partir do momento
nós?” (Is 6.8). cindível, como pastores de dedicação par- em que iniciam seu treinamento. Como da-
Compartilhando a compaixão do Senhor cial, evangelistas ou cooperadores. remos conta dessa responsabilidade finan-
pela humanidade perdida e pelo povo de Precisamos de líderes que sirvam com ceira? Precisamos orar para que cada irmão,
Deus que precisa ser alimentado, e para toda fidelidade sem ser pesado à igreja (At ao mesmo tempo em que pede mais obrei-
cooperarar de modo mais ousado na expan- 18.1-3; 20.33-35; 1Co 9.3-18; 1Ts 2.7-12), ros, seja tocado pelo Espírito Santo de
são do Reino, estamos iniciando uma cam- aproveitando ao mesmo tempo a condição modo que se entregue inteiramente ao Se-
panha de oração por novos obreiros den- de “leigo” para atuar de modo mais eficaz nhor e se prontifique a suprir as necessida-
tro da Igreja Evangélica Holiness do Brasil. na sociedade. des materiais do povo de Deus.
Pedimos a todos os irmãos que, de cora- Ao pedir novos obreiros, precisamos
ções unidos, orem pela consagração de 20 Por que fixar números? estar dispostos a ser parte da resposta de
obreiros de tempo integral e 100 obreiros Deus para essa oração. Como comunidade,
de tempo parcial nos próximos dois anos. Na verdade, os números são apenas uma a exemplo do que aconteceu em Antioquia,
referência. No caso de obreiros de tempo o Espírito Santo pode requisitar os melhores
O que vamos pedir a Deus? integral, o número 20 é apenas um pouco líderes para servir em outros campos (At
maior do que a quantidade de pastores que 13.1-3); é importante que as igrejas locais
1. O primeiro desafio é orar por 20 obreiros não estarão mais na linha de frente nos pró- estejam prontas a enviá-los. E como indiví-
de tempo integral. Isso inclui pastores de ximos cinco anos. Quanto aos obreiros de duos, é necessário que todos estejam pron-
dedicação exclusiva, que se consagram in- tempo parcial, pensamos em um líder para tos a imitar o exemplo de Isaías, responden-
teiramente ao trabalho de orientação espi- cada 25 ou 30 pessoas, a fim de que cada do espontaneamente ao clamor do Senhor:
ritual dos crentes, discipulando-os e capaci- membro da igreja possa receber um cuidado “Eis-me aqui, envia-me a mim”.
tando-os para o serviço (Ef 4.11-12). E inclui pastoral personalizado e mante-
também obreiros de dedicação exclusiva que nha uma qualidade vida em comu-
servem ao Senhor desenvolvendo outros nidade segundo os padrões da Bí-
dons e ministérios, tais como ação social, blia.
liderança, trabalhos específicos de evange- Embora temos este alvo como
lização, etc. O corpo de Cristo precisa de ir- estímulo, devemos lembrar sem-
mãos que, abandonando o serviço secular, pre que nosso Deus “é poderoso
dedicam-se totalmente ao trabalho cristão e para fazer infinitamente mais do
são sustentados pela igreja. São líderes que que tudo quanto pedimos ou
têm mais tempo disponível para os traba- pensamos, conforme o seu poder
lhos ministeriais e maior mobilidade. que opera em nós” (Ef 3:20).
2. O segundo desafio é orar por 100 obrei-
ros de tempo parcial. Este é um dos princi- Quais as implicações
pais gargalos de nossas igrejas em matéria dessa oração?
de liderança: o problema crônico de pasto-
res sobrecarregados, membros sem treina- Orar por novos obreiros sig-
mento satisfatório, falta de mobilização de nifica assumir responsabilidade
leigos e conseqüente falta de novos líde- muito maior como indivíduo e
res. Para romper com esse círculo vicioso como igreja. Todos os candida-
precisamos praticar os conceitos bíblicos tos ao ministério precisam ser dis-
de discipulado, sacerdócio universal dos cipulados de modo que se tornem
crentes e diversidade de dons e ministéri- líderes bem preparados quanto
os, dando prioridade à formação de obrei- ao caráter, o conhecimento e a

8 Hora H