Sunteți pe pagina 1din 16
ATMOSFERA  formada por uma mistura de gases em que predomina N e O. Contém
ATMOSFERA  formada por uma mistura de gases em que predomina N e O. Contém
ATMOSFERA  formada por uma mistura de gases em que predomina N e O. Contém

ATMOSFERA

formada por uma mistura de gases em que predomina N e O. Contém ainda outros gases, como vapor d´água, ozônio (O 3 ), CO 2 , constituída por:

É

ozônio (O 3 ), CO 2 , constituída por: É Clima Depende do comportamento da atmosfera

Clima Depende do comportamento da atmosfera ao longo do ano em determinado ponto da superfície terrestre. Para se entender o que é clima, é necessário entender o que significa tempo atmosférico, pois estes dois conceitos, apesar de distintos, são interligados. A diferença é que o tempo de um lugar é algo momentâneo, que varia constantemente, ao passo que o clima é a sucessão habitual dos tipos de tempo de um determinado local da superfície terrestre em vários anos de análise. Ex: se hoje fez sol em João Pessoa e ontem choveu, estamos nos referindo ao tempo, e não ao clima deste lugar.

Fatores condicionantes do clima

-Latitude: quanto maior a latitude, mais frio;

- Altitude: quanto maior a altitude, mais frio;

Continentalidade e maritimidade: lugares próximos ao litoral tem maior umidade e menor amplitude térmica; -

e,

consequentemente, menor a amplitude térmica;

- Correntes marítimas: são enormes massas de água que se

deslocam por milhares de quilômetros através dos oceanos. Elas resultam da ação dos ventos regulares e das diferenças de temperatura e densidade das águas do mar. Elas provocam transferências térmicas entre zonas quentes e frias, interferindo no clima, além de transportar e disseminar espécies vegetais e animais por onde circulam. A principal importância das correntes marítimas está no fato destas amenizarem ou tornarem mais rigorosas o clima de uma região.

Ex: corrente quente do Golfo- ameniza os rigores do inverno na costa européia (Suécia, Noruega, França, ilhas Britânicas). corrente fria do Labrador- acentua o rigor climático do litoral leste do Canadá, fazendo com que a Península do Labrador, situada na mesma latitude das Ilhas Britânicas, seja uma região gelada e inóspita. A capital do Peru é banhada pela corrente fria de Humboldt enquanto a costa oeste da África é banhada pela corrente fria de Benguela. Ambas são regiões áridas com temperatura média de 16 o C, enquanto Salvador, Bahia, que é banhada pela corrente quente brasileira, tem boa pluviosidade e temperatura média de 25 o C. Lima, no Peru, entretanto, é um dos maiores países exportadores de peixes de todo o

-

Vegetação:

quanto

mais

vegetação,

mais

úmido

mundo, graças a proliferação destes animais ocasionado pela corrente de Humboldt.

- Massas de ar: o clima do Brasil é influenciado pela ação de 5

massas de ar: massa equatorial continental, quente e úmida, influencia o clima quente e úmido da Amazônia (equatorial- mais detalhes adiante). A massa tropical continental, quente e seca, atua principalmente no verão da região Sul. Ambas são formadas no continente. A massa tropical Atlântica, quente e úmida, atua sobre o clima do litoral brasileiro. A massa polar atlântica, fria e seca, atua principalmente no Sul, tornando rigoroso seu inverno e podendo penetrar na Amazônia , ocasionando o fenômeno denominado “friagem”. A massa equatorial Atlântica, quente e úmida, atua principalmente no meio Norte e no litoral paraense. Como as massas de ar possuem uma dinâmica própria, elas se movimentam constantemente e uma acaba por empurrar a outra. O encontro de duas massas de ar recebe o nome de frente. Frente fria:

quando uma massa de ar quente é empurrado por uma massa de ar fria, que ocupa seu lugar. Frente quente: quando uma massa de ar quente empurra uma massa de ar fria, ocupando o seu lugar.

- Relevo:

Tipos de chuva

Orográficas (ou de relevo): quando a massa de ar encontra um obstáculo (serra, planalto ou montanha), se eleva e se condensa; Frontais (ou de frente): ocorre quando duas massas de ar, com temperaturas diferentes, se chocam; * de convecção: ocorre quando o ar próximo à superfície se aquece, se eleva e se condensa;

Elementos do clima - Pressão atmosférica: é o peso do ar. Quanto maior a altitude, menor a pressão atmosférica porque o ar se acumula e torna-

se menos denso (rarefeito). Como o calor dilata os corpos, nas regiões quentes (equatoriais), o calor dilata o ar, tornando-o mais leve e fazendo-o subir. Assim, o ar desloca-se de zonas de alta pressão atmosférica (mais firas, médias a altas latitudes) para zonas de baixa pressão atmosférica. O ar em movimento é denominado vento.

d’água

(g/mm 3 ou %) encontrados na atmosfera em um determinado instante. Se

a umidade relativa do ar for 100%, a possibilidade é grande de chuva, pois a umidade é relativa ao ponto de saturação de vapor d’água na atmosfera

(4%).

- Umidade:

corresponde

à

quantidade

de

vapores

Tipos de vento

- Alísios: os ventos alísio sopram das áreas de altas pressões tropicais para as regiões de baixa pressão (equatoriais) São os causadores das precipitações na faixa do Equador.

- Monções: são ventos periódicos que sopram no Sul e Sudeste

da Ásia e que mudam de direção conforme as estações. Na monção de verão, como o continente está mais aquecido que o oceano a pressão atmosférica é baixa. O vento, assim, soprará do mar para o continente, sendo uma época de muita umidade e chuvas constantes. Na monção de inverno, o frio cria zonas de alta pressão. Sopram, então, ventos secos para o oceano, que está mais aquecido e, portanto, com baixa pressão atmosférica.

-Brisas: sopram diariamente no litoral. Durante o dia, sopram do mar (zona de alta pressão) para o continente (baixa pressão). À noite, o sentido se inverte.

alta pressão) para o continente (baixa pressão). À noite, o sentido se inverte. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
alta pressão) para o continente (baixa pressão). À noite, o sentido se inverte. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

43
43

GEOGRAFIA

Exercícios de SALA 2ª coluna 1. (UFPB/97-1)De maneira geral, pode-se dizer que a atmosfera e
Exercícios de SALA 2ª coluna 1. (UFPB/97-1)De maneira geral, pode-se dizer que a atmosfera e
Exercícios de SALA 2ª coluna 1. (UFPB/97-1)De maneira geral, pode-se dizer que a atmosfera e

Exercícios de SALA

2ª coluna

1. (UFPB/97-1)De maneira geral, pode-se dizer que a atmosfera e a

(

) Fator climático

Terra são constituídas por sucessão de camadas concêntricas que

(

) Amplitude térmica

aumentam a densidade de fora para dentro. Assim, a sequência

(

) Tempo

correta das camadas é a seguinte:

(

) Clima

a) núcleo, manto, litosfera, troposfera, estratosfera, mesosfera e ionosfera.

b) Núcleo, manto, litosfera, troposfera, estratosfera, ionosfera e mesosfera.

Exercícios para casa 1. (UEPB/04) Assinale com V ou F:

( ) Os desertos por apresentarem mudanças bruscas das temperaturas

c) Troposfera, estratosfera, litosfera, mesosfera, ionosfera, manto e

 

entre os dias e as noites, apresentam climas muito variáveis.

núcleo.

(

) A altitude é um dos elementos do clima que exerce forte influência na

d) Ionosfera, mesosfera, estratosfera, troposfera, litosfera, manto e núcleo.

temperatura do ar atmosférico, pois quanto maior a altitude, maior a temperatura.

e) Estratosfera, mesosfera, ionosfera, troposfera, litosfera, manto e núcleo.

(

) Os deslocamentos das massas de ar constituem o fator climático mais importante para explicar a ocorrência de chuvas orográficas.

2. (UEPB/99) Com

base no conhecimento sobre as massas de ar que

(

) O clima é uma espécie de síntese dos tipos de tempos que ocorre num

atuam no Brasil, analise as proposições a seguir.

dado local. Apresenta relativa estabilidade pelo conjunto de seus

I-

a região Nordeste está localizada em uma área que representa o ponto final de quatro sistemas atmosféricos, daí se explicar o fenômeno da seca em razão da pouca umidade que estas massas transportam ao chegarem na região.

elementos (temperatura, umidade, pressão atmosférica, massas de ar, etc) os quais sofrem as influências dos vários fatores climáticos (linha mestra do relevo, altitude, latitude, continentalidade, etc). A seqüência correta é:

II-

A umidade da massa Equatorial Continental é proveniente da evaporação dos rios e da transpiração da floresta amazônica.

a) V V V F b) F F F V c) V V V V d) F F F F e) F V V F 2.(UEPB/06-2) “Segundo dados da World Almanac, a freqüência e a

III-

O Sul do país recebe a influência da massa Polar Atlântica, que

intensidade dos ciclones tropicais está aumentado em todo o mundo. No

provoca as chuvas frontais de inverno e da massa Tropical Atlântica, que

provoca as chuvas de verão. Dessa forma, a região tem chuvas bem distribuídas durante todo o ano.

IV- As chuvas no sertão nordestino são provenientes da massa Equatorial

Continental que ocorre no verão; enquanto no litoral oriental as chuvas são de inverno provocadas pela massa Tropical Atlântica.

Assinale a alternativa correta:

a) todas as proposições estão corretas.

b) apenas I, II e III estão corretas.

c) apenas I e III estão corretas.

d) apenas II e IV estão corretas.

E)todas as proposições estão erradas.

3.(UEPB/01) Com base em seus conhecimentos, assinale V ou F conforme

sejam verdadeiras ou falsas, respectivamente, em relação ao clima do Sul

século

intensidade mataram 61 mil pessoas. Na segunda metade do século foram registrados 77 tufões e furacões, matando mais de 1 milhão de pessoas”. (Ricardo Augusto Felício- meteorologista do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, Discutido a Geografia, ano 2, nº 7, 2005)

nos primeiros 50 aos, 12 ciclones tropicais de alta

XX,

[

]

Assinale com V ou F as afirmativas, em relação à temática abordada no fragmento do texto.

( ) Os ciclones tropicais são grandes massas de ar e vapor d’água que se formam nos oceanos tropicais quentes e giram em torno de uma área de baixa pressão.

( ) O aumento crescente dos estragos provocados pelos furacões deve-se tanto a mudanças climáticas globais quanto ao aumento da população vivendo em áreas de risco.

( ) Os estragos provocados pelos furacões e outros fenômenos

e

Sudeste asiático (Tropical Monçônico).

meteorológicos são a prova de que a natureza começa a se vingar das

(

) Os ventos monções se originam de diferentes pressões atmosféricas

agressões sofridas pelo homem.

entre o continente e o Oceano Índico.

( ) Durante o inverno o centro de alta pressão se encontra no continente

devido o mar estar mais aquecido.

( ) No verão, os ventos de monções sopram do oceano com temperatura

mais baixa para o continente mais aquecido, provocando chuvas abundantes e enchentes na Índia,. China, Vietnã, entre outros.

( ) Os ventos de monções têm pouca importância para o clima do Sul e

Sudeste asiático, que têm chuvas bem distribuídas durante todo o ano

devido à massa úmida que se forma sobre o continente e à massa seca oceânica.

A seqüência correta é:

a) VVVV b) FFFF c) FFFV d) VVFF e) VVVF

4.(UEPB/02) Enumere a 2ª coluna, de forma que responda as questões formuladas na 1ª coluna:

1ª coluna

(1)

dia nublado com possibilidade de chuvas ao final da tarde.”, faz referência ao (2) Se um folder sobre turismo nas ilhas gregas divulga: “Além do significado histórico e cultural, das belezas paisagísticas, você encontra verões quentes e invernos amenos”, este enfoque refere- se ao

Quando o serviço de meteorologia anuncia: “A previsão de hoje é

(3) O Kilimanjaro, situado próximo à linha do Equador, apresenta seu pico coberto de neve, o que se deve aos seus quase 6000 metros de altitude. Tal fenômeno em baixa latitude explica-se pelo (4) A Península Arábica apresenta em suas áreas mais interiores e montanhosas variação de temperatura que se aproxima dos 50ºC

de

diurno

e

cai

menos

à

noite.

variação

para

de

0ºC

Esta

temperatura define-se como

( ) Nas grandes catástrofes naturais, é possível perceber também o

conteúdo espacial da (re)produção espacial, pois são geralmente as

camadas sociais mais pobres as maiores vítimas. a) VVFV b) VVVV c) VVVF d) FVVF e) VFFF

(UEPB/09) “AS VARIAÇÕES DO TEMPO ATMOSFÉRICO E O HOMEM”

] com

além de outros transtornos na vida

] O oposto também

a temperatura

Os extremos de pluviosidade

acarretam, da mesma forma, verdadeiras calamidades. Em Cherrapundki

(Bangladesh) [

outro lado [

53 anos [

(ROSS, Jurandi L. Shanches. Geografia do Brasil. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1995. p. 84.) De acordo com o fragmento do texto acima podemos perceber que

a) as recentes alterações climáticas têm provocado catástrofes em várias

partes do mundo.

Por

ocorreu (na) região mediterrânea [

“No dia de ano-novo de 1978 uma onda de frio varreu a Europa [

paralisação de rodovias e ferrovias [

dos habitantes dessa importante região do mundo. [

]

]

em julho de 1987 [

]

subiu a alturas impressionantes. [

]

]

já registrou num só ano, 26 461 mm de chuva [

]

]

]

na região desértica do norte do Chile, houve uma série de

que só foram recolhidos 0,8 mm de chuva

”.

b) o aquecimento global é conseqüência da forma como o homem vem

tratando a natureza.

c) a natureza reage de forma violenta às agressões sofridas pela ação

humana.

d) a sociedade moderna, apesar de todo o avanço tecnológico, não está

imune aos efeitos da natureza.

e) os danos provocados pelo homem ao planeta não são recentes, porém

só agora a população global se dá conta de que é preciso salvar a Terra.

Gabarito

1. B

2. A

3. D

global se dá conta de que é preciso salvar a Terra. Gabarito 1. B 2. A
global se dá conta de que é preciso salvar a Terra. Gabarito 1. B 2. A

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

44
44

GEOGRAFIA

Balança Comercial Brasileira 1. Conceito é o nome d a conta d o Balanço de
Balança Comercial Brasileira 1. Conceito é o nome d a conta d o Balanço de
Balança Comercial Brasileira 1. Conceito é o nome d a conta d o Balanço de

Balança Comercial Brasileira

1. Conceito

é o nome da conta do Balanço de pagamentos onde se registram os valores

2. Saldo da Balança

Exportações > Importações = Superávit (positivo) Importações > Exportações = Déficit (negativo) Pode ser calculado mensalmente, bimestralmente, semestralmente,

anualmente, etc.

3. Evolução do saldo da balança

Durante a década de 1970 até 1983: déficit, em especial às crises do petróleo; De 1983 até 1994: superávits, em face da política de exportação a todo custo; De 1994 a 2002: déficits, devido a supervalorização da moeda (real) que incentiva as importações. A partir desta desvalorização (1998) as exportações vão aumentando; A partir de 2002: superávits, os maiores da história.

A partir de 2002 : superávits, os maiores da história. 4)Parceiros comerciais 5)Produtos da pauta da

4)Parceiros comerciais

superávits, os maiores da história. 4)Parceiros comerciais 5)Produtos da pauta da balança 6)Principais corredores de

5)Produtos da pauta da balança

4)Parceiros comerciais 5)Produtos da pauta da balança 6)Principais corredores de exportação Itaqui (São Luis,
4)Parceiros comerciais 5)Produtos da pauta da balança 6)Principais corredores de exportação Itaqui (São Luis,

6)Principais corredores de exportação Itaqui (São Luis, MA): minério de ferro, manganês e soja; Tubarão (Vitória, ES): minério de ferro, manganês e produtos da indústria siderúrgica; Sepetiba (Rio de Janeiro): carvão mineral; Paranaguá (PR): café e soja; Rio Grande (RS): fumo, óleos vegetais, soja e produtos manufaturados.

ANOTAÇÕES

Rio Grande (RS): fumo, óleos vegetais, soja e produtos manufaturados. ANOTAÇÕES SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 45 GEOGRAFIA
Rio Grande (RS): fumo, óleos vegetais, soja e produtos manufaturados. ANOTAÇÕES SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 45 GEOGRAFIA

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

45
45

GEOGRAFIA

Exercícios de SALA (UFBA/05) “Desde sua formalização, as relações sino -brasileiras apresentam-se marcadas por uma
Exercícios de SALA (UFBA/05) “Desde sua formalização, as relações sino -brasileiras apresentam-se marcadas por uma
Exercícios de SALA (UFBA/05) “Desde sua formalização, as relações sino -brasileiras apresentam-se marcadas por uma

Exercícios de SALA

(UFBA/05) “Desde sua formalização, as relações sino-brasileiras

apresentam-se marcadas por uma característica muito importante no sistema internacional contemporâneo: o fato de aproximar e unir os dois maiores países do mundo em desenvolvimento.” Assinale V ou F:

( ) As relações comerciais do Brasil com a China, firmadas

desde a primeira década do século XX destacam-se o petróleo, o trigo, o

arroz e os brinquedos como os produtos importados daquele país.

( ) O Brasil e a China apresentam pontos em comum, não só

por exibirem grande extensão territorial e superpopulação, como também

por terem similaridade em relação ao PIB, ao IDH e à produção do espaço.

( ) O espetáculo dos grandes números exibidos pelo

crescimento chinês estrutura-se sobre alguns segmentos, nem sempre admiráveis, como a ação descontrolada sobre os recursos naturais degradação do solo, poluição da água e do ar -e a espoliação da mão-de-

obra.

( ) A presença de chineses em território brasileiro remonta ao

inicio do século XX, quando estes imigrantes foram introduzidos no país,

dedicando-se sobretudo às atividades urbanas.

( )A presença da China no cenário econômico mundial

formalizou-se após a extinção do governo de Mao, quando ações de caráter

capitalista exigiram a aproximação daquele país com o mercado ocidental.

( ) A economia chinesa define-se por ser essencialmente liberal,

democratizada após a derrota do socialismo no continente asiático.

( ) O elo que aproxima os “dois maiores países do mundo em

desenvolvimento” é, em outros, o caráter complementar de suas economias, a produção brasileira de alimentos e a produção chinesa de manufaturados

de baixo consumo.

(Unirio/97) A respeito do comércio externo do Brasil, não é correto afirmar que:

a)as importações brasileiras apresentam uma participação marcante de produtos minerais e de produtos das indústrias mecânica e elétrica refletindo, respectivamente, a necessidade de petróleo e de bens de produção. b)Devido à sua situação de subdesenvolvimento, as relações comerciais do Brasil com áreas do mundo subdesenvolvido são mais significativas do que com os países desenvolvidos. c)O balanço de pagamentos do Brasil na década de 80 apresentou o item relativo a capitais altamente deficitário, pois os pagamentos de juros da dívida externa superam a entrada de novos investimentos e empréstimos estrangeiros. d)Apesar dos grandes superávits comerciais obtidos durante a década de 80, a balança comercial atualmente tem apresentado sucessivos déficits como reflexo da iniciativa neoliberalizante por parte do governo. e) Entre nossas exportações de industrializados destacam-se certas indústrias de base tecnológica relativamente moderna, como a metalurgia, a indústria de transporte, a mecânica e a elétrica.

Exercícios para CASA

1.(FGV/02) Especialistas em comércio internacional já analisam as possíveis conseqüências econômicas da guerra contra o terrorismo

anunciado pelo presidente norte-americano George W. Bush. (

expectativa de que os norte-americanos passem a formar estoques de alimentos, temendo a eventualidade de uma guerra. Esse movimento poderá provocar um aumento dos preços das chamadas commodities, que representam 35% das exportações totais brasileiras.

Adaptado da Folha de São Paulo, 16/09/2001, B1, Dinheiro Dentre as commodities que compõem a pauta atual das exportações brasileiras, podemos destacar:

a)aviões, derivados de soja, açúcar e calçados. b)café, automóvel, carne bovina e açúcar. c)derivados de soja, minério de ferro, café e arroz. d)açúcar, café, suco de laranja e derivados de soja. e)madeira, suco de laranja, manganês e carne bovina.

) Existe a

2.(Mackenzie/04) A política protecionista adotada pelos EUA e pela União Européia, contestada junto à OMC, fez o Brasil apostar, recentemente, em novos e promissores mercados, buscando aumentar suas exportações, fazendo acordos comerciais com países de grande potencial de mercado, a

exemplo de a)Japão, Taiwan e Cingapura. b)México, Canadá e Arábia Saudita. c)China, Índia e Rússia. d)Paraguai, Uruguai e Chile. e)Nigéria, Egito e África do Sul

,

e

3.(UFRGS/08) Cada vez mais, países como o Brasil, que buscam se inserir na economia globalizada, empenham-se em atrair investimentos produtivos estrangeiros, que geram riquezas e estimulam o crescimento econômico. Ao mesmo tempo, as economias mais desenvolvidas impõem uma série de barreiras protecionistas aos fluxos de circulação de mercadorias. Assinale a alternativa que identifica a função das barreiras protecionistas. a)aumentar a porcentagem do patrimônio no exterior sobre o patrimônio local. b)Dificultar o investimento em capital produtivo, uma vez que elas impedem a circulação de mercadorias. c)Baixar os impostos de importação, tornando o produto estrangeiro inviável no mercado d)Proteger o mercado interno da concorrência estrangeira. e)Dificultar os fluxos de capitais produtivos, conhecidos como investimentos estrangeiros

4.(UFRGS/96) Quanto ao comércio exterior brasileiro, assinale a alternativa incorreta. a)As exportações brasileiras destinam-se em cerca de 70% para a União Européia, os EUA, Japão e Canadá. Recentemente, entretanto, observa-se aumento da participação dos países do Cone Sul do continente sul-americano (em particular a Argentina) no comércio exterior brasileiro. b)Entre as grandes empresas exportadoras brasileiras estão as ligadas à produção siderúrgica e automobilística, como a Companhia Vale do Rio Doce, Fiat e Volkswagen. c)Tradicionalmente exportador de matérias-primas minerais e agrícolas, o Brasil, nas duas últimas décadas, passou a exportar sobretudo produtos industrializados. d)Um dos fatores que explicam o aumento da exportação de produtos industrializados é a decisão das grandes empresas transnacionais, através de suas filiais brasileiras, de se engajarem politicamente no grande projeto nacional de pagamento da dívida externa e)Os chamados corredores de exportação estão associados aos principais portos de embarque de nossos produtos para o exterior. Os corredores compreendem um grande sistema de escoamento que envolve o porto, a ferrovia ou rodovia de ligação com o interior e a estrutura de armazenamento.

Gabarito:

1-d

2-c

3-d 4-d

ligação com o interior e a estrutura de armazenamento. Gabarito: 1-d 2-c 3-d 4-d SECRETARIA DA
ligação com o interior e a estrutura de armazenamento. Gabarito: 1-d 2-c 3-d 4-d SECRETARIA DA

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

46
46

GEOGRAFIA

1. Os megablocos econômicos 1.1 Tipos de blocos A integração econômica de vários países, culminando
1. Os megablocos econômicos 1.1 Tipos de blocos A integração econômica de vários países, culminando
1. Os megablocos econômicos 1.1 Tipos de blocos A integração econômica de vários países, culminando

1. Os megablocos econômicos

1.1 Tipos de blocos A integração econômica de vários países, culminando com o surgimento dos blocos econômicos supranacionais, responde a uma questão primordial colocada pela lógica capitalista. Em uma economia globalizada e cada vez mais competitiva, a constituição destes blocos visa dar resposta à constante necessidade de lucro, de acumulação de capitais. Procurando diminuir ao máximo as dificuldades de fluxo de mercadorias, capitais, serviços ou mão-de-obra impostas pelas barreiras colocadas pelas fronteiras nacionais, os países integrantes desses blocos fortalecem-se diante de países isolados ou de outros blocos de países. Existem:

· Zonas de livre comércio: o objetivo integracionista é pouco

ambicioso. Busca-se apenas a gradativa liberalização do fluxo de mercadorias e capitais dentro dos limites do bloco, ou seja, nas relações econômicas entre os países membros. Ex: Acordo Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta).

· Uniões aduaneiras: além da abolição das tarifas alfandegárias

nas relações comerciais no interior do bloco, semelhante ao anterior, é definida uma Tarifa Externa Comum aplicada aos países de fora do bloco. Ex: quando o Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, membros do Mercosul,

fizeram comércios com vários países do mundo, têm de cobrar uma tarifa de importação padronizada, igual em todos eles.

· Mercados comuns: busca-se uma padronização da legislação

econômica, fiscal, trabalhista, ambiental, etc. Procura-se a abolição das barreiras alfandegárias internas e a padronização das tarifas de comércio exterior. Objetiva-se, ainda, uma liberalização quanto à circulação de capitais, mercadorias, serviços e pessoas no interior do bloco. O auge da integração seria a implantação de uma moeda única, quando se transformaria em uma união econômica e monetária. Ex: União Européia.

União Européia (UE) A UE foi criada pelo Tratado de Roma, em 1957, com o nome de Comunidade Econômica Européia (CEE), num momento que os europeus estavam enfraquecidos não só econômica, mas também politicamente. Visava, portanto, recuperar a economia dos países-membros, espantando o espectro do comunismo e, ao mesmo tempo, fazendo frente ao crescente avanço da influência econômica norte-americana. Somente em 1994 ela adotaria o nome atual. Seus primeiros países membros foram a França, Alemanha Ocidental, Itália, Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo a Europa dos 6, que começou a funcionar em 1958. Desde 1º de maio de 2004, mais 10 países pertencentes ao antigo bloco soviético (leste europeu) entraram na EU. São eles: Polônia, República Tcheca, Lituânia, Letônia, Estônia, Chipre, Malta, Hungria, Eslováquia e Eslovênia. Em 2007, foram incorporados a Romênia e Bulgária. Macedônia, Turquia e Croácia são países candidatos. Os objetivos da UE, muito abrangentes, foram sendo alcançados gradativamente. Embora date de julho de 1968 a supressão de tarifas aduaneiras, continuou existindo uma série de barreiras que impediam a implantação de um mercado comum propriamente dito. Este só se delineou verdadeiramente com a assinatura do Ato Único, em 1986, que revisou e complementou o Tratado de Roma, ao estabelecer objetivos precisos para a integração. Estabeleceu o ano de 1993 para o fim de todas

as barreiras à livre circulação de mercadorias, serviços, capitais e pessoas. Entretanto, apenas os três primeiros itens foram postos em prática nesta data. Quanto à circulação de pessoas, somente em março de 1995 entrou em vigor o Acordo de Schengen, que previa a supressão de mecanismos de controle fronteiriço entre os países signatários.mesmo assim, somente sete países da UE o colocaram em prática imediatamente: Portugal, Espanha, França, Alemanha, Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo. Para seus habitantes, na prática, é como se os sete formassem um único país. Reunidos na cidade de Maastricht (Países Baixos), em dezembro de 1991, os países membros firmaram um novo tratado, em substituição ao de Roma, definindo os próximos passos da integração. Com a assinatura do Tratado de Maastricht, a CEE mudou seu nome para UE, em 1994 e seus membros estabeleceram o ano de 1999 como prazo final para

o passo mais importante a ser dado para a entidade: a implantação da

moeda única, o Euro. Dinamarca, Reino Unido e Suécia decidiram manter sua moeda. Para tanto, foi necessária a constituição de um banco central

europeu,com sede em Frankfurt, Alemanha. Em junho de 2004, os países- membros chegaram a um acordo, sobre a Constituição da UE, onde um plebiscito popular decidirá por sua instalação, desde que esta decisão seja unânime. Lembre-se, também, que este é o único bloco do mundo que permite a livre circulação de pessoas. Ela possui um órgão de representação política (o Conselho Europeu), um Órgão Executivo (a Comissão Européia) e um Legislativo (o Parlamento Europeu). Metas de políticas fiscal, tecnológica e trabalhista também são estabelecidas em comum.

Romênia, Bulgária e Turquia são os novos pretendentes de inserção na UE, mas para isto terão que se adequar aos seus requisitos. A UE pretende ainda implantar uma carta social definindo os direitos de cidadania em todos os países membros, além de um legislação comum de preservação ambiental.

Acordo Norte-Americano de Livre Comércio (NAFTA) Foi assinado em 1992 pelos Estados Unidos, Canadá e Mexido. Trata-se de um gigantesco mercado de mais de 370 milhões de pessoas e um PNB superior a 7 trilhões de dólares. Tendo como centro polarizador a economia dos Estados Unidos, esta zona de livre comércio deve ser implantada com a gradativa redução das barreiras alfandegárias entre os três países localizados na América do Norte. Mais do que uma simples zona de livre comércio, o Nafta deve ser a reedição, adaptada ao momento atual, da Doutrina Monroe (1823, dizia que toda a América era zona de influência dos Estados Unidos). Isto ficou mais evidente quando, em 1990, o então presidente George Bush lançou uma proposta de criação de uma zona de livre comércio abrangendo todas as Américas – a “Iniciativa para as Américas”. Ficou patente a retomada do interesse norte-americano pela América Latina, região que permaneceu um tanto esquecida durante a Guerra Fria, quando a Europa era o centro de suas atenções. Na atual economia globalizada, é possível que os Estados Unidos estendam a zona de livre comércio a todas as Américas constituindo, assim, a Alca (Associação de Livre Comércio das Américas).

Mercado Comum do Cone Sul (Mercosul) Vigorando desde novembro de 1991, foi constituído através do Tratado de Assunção, com a participação de Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Em outubro de 1996, o Chile assinou um acordo de livre comércio com o Mercosul, sendo repetido o fato com a Bolívia no ano seguinte. O acordo visava, inicialmente, estabelecer uma zona de livre comércio entre os países membros, através da eliminação de taxas alfandegárias e de restrições não-tarifárias (cotas de importações, proibição da importação de determinados produtos, etc.), liberando a circulação de mercadorias. Alcançada esta meta e complementando esta zona de livre comércio, foi fixada uma política comercial conjunta dos países membros em relação a terceiros, o que implicou a definição de uma Tarifa Externa Comum. Atualmente o Mercosul encontra-se no estágio de união aduaneira, mas no futuro estão previstos novos passos rumo a uma integração mais profunda, podendo, quem sabe, chegar a condição de mercado comum, terceira e mais avançada etapa do processo integracionista. São países associados ao Mercosul: desde 1996, Bolívia e Chile; desde 2003, Peru; desde 2004, Colômbia, Equador e Venezuela. Esta última pleiteia a vaga de membro permanente.

Colômbia, Equador e Venezuela. Esta última pleiteia a vaga de membro permanente. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 47
Colômbia, Equador e Venezuela. Esta última pleiteia a vaga de membro permanente. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 47

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

47
47

GEOGRAFIA

Exercícios de aula 1. (PUC/PR-01) Sobre o Tratado de Maastricht, assinado em 1991, é correto
Exercícios de aula 1. (PUC/PR-01) Sobre o Tratado de Maastricht, assinado em 1991, é correto
Exercícios de aula 1. (PUC/PR-01) Sobre o Tratado de Maastricht, assinado em 1991, é correto

Exercícios de aula

1. (PUC/PR-01) Sobre o Tratado de Maastricht, assinado em 1991,

é correto afirmar-se:

I-

influenciou as economias de Portugal e Irlanda.

II-

Foi responsável pela consolidação da União Européia, em 1993.

III-

Em 1999, onze países participaram do lançamento da moeda única, o

Euro. Reino Unido, Suécia, Dinamarca e Grécia não estão incluídos nessa primeira fase do Euro.

IV- Dos 15 países que compõem a União Européia, a Suíça é a que melhor

satisfaz as resoluções contidas no Tratado de Maastricht. Estão corretas, apenas:

d) I, II e III

a) I e II

b) I e IV

c) II e III

e) III e IV

2. (UNESP/03) Mercosul, NAFTA e União Européia são os exemplos mais conhecidos de blocos econômicos ou organizações internacionais definidas por um processo de integração econômica. Para que o processo se concretize, a teoria do comércio internacional define quatro situações clássicas de integração econômica. São elas:

a) União Aduaneira, Mercado Comum, pólos de atração de investimento do mundo e Zonas de Preferência Tarifária b)Zona de Livre Comércio, potencial agrícola, investimentos na área de infra-estrutura física e União Aduaneira. c) União Econômica e Monetária, Zonas de Preferências Tarifárias, Zona de Livre Comércio e investimentos na área de infra-estrutura física. d)Zonas de preferências Tarifárias, Zona de Livre Comércio, União Aduaneira e pólos de atração de investimentos do mundo e)Zona de Livre Comércio, União Aduaneira, Mercado Comum e União Econômica e Monetária.

3.(EFOA/99) A partir do ano 2000, a Europa dará mais um passo em direção à sua unificação econômica. Esse passo será:

a)a eliminação de barreiras comerciais entre os países-membros. b)a implantação da moeda única pela maioria dos países-membros. c)a unificação das taxas alfandegárias e o crescimento do controle dos gastos públicos e de políticas sociais. d)a livre circulação de pessoas, principalmente de mão-de-obra, entre os países-membros. e)A superação das desigualdades sociais e econômicas entre os países mais pobres e os mais ricos do continente europeu.

4.(Unesp-SP) Neste final de milênio, em função das mudanças na geopolítica mundial, o mundo está dividido em vários blocos econômicos. Assinale a alternativa que contém os blocos as quais pertencem exclusivamente países do continente americano. a)Efta, Apec e EEE. b)Nafta, Mercosul e Pacto Andino. c)Apec, G3 e Mercosul. d)Mercosdul, Nafta e Efta. e)Nafta, Mercosul, Apec.

Exercícios para casa

1.(UFRN/99) Sobre o Mercosul, considere as seguintes afirmativas:

1 É o único mercado sub-regional que integra a reestruturação da

economia mundial marcada pela mudança tecno-científica e pela concentração de capitais do continente americano. 2 Seus principais instrumentos são a ampliação da escala dos mercados, visando à livre circulação de bens e serviços e à otimização da alocação de recursos pela mobilidade dos investimentos produtivos.

3 Sob o ponto de vista geopolítico, é produto de um conjunto de

acordos bilaterais entre o Brasil e a Argentina. Esses dois países representam o eixo de aglutinação e o ímã do processo de integração

regional, que recebeu a adesão do Paraguai e do Uruguai, tendo, ainda, em negociação, outras adesões. Assinale a letra que corresponde à(s) afirmativa(s) correta(s):

a) apenas 2 e 3 b) apenas 1 e 2 c) apenas 1 e 3

d) apenas 3

e) 1, 2 e 3

2. (UNIP/99- atualizada) A fim de criar uma zona de estabilidade monetária na Europa, os países da CEE desenvolveram, na década de 80, um sistema monetário europeu, criando a moeda ECU, que em 1995 foi rebatizada como EURO. A partir da reunião em Maastricht, em 1991, na Holanda, ficou aprovado que a moeda Euro começaria a ser usada em 1/1/99. Para aderir à moeda única, 11 países da União Européia foram obrigados a respeitar rígidas normas de disciplina monetária e fiscal, representadas por metas de endividamento máximo de 60% do PIB e déficit orçamentário não superior a 3% do PIB. Dos 15 países da comunidade apenas um não conseguiu cumprir as exigências mínimas e, por essa razão, permanece de fora. E, mais outros três decidiram aderir no futuro, observando os futuros resultados. Os três países que, ainda, não adotaram a política monetária unificada são:

a)Reino Unido, Dinamarca e Suécia. b)Espanha, Itália e Irlanda. c)Finlândia, Holanda e Bélgica. d)Alemanha, França e Itália. e)Noruega, Polônia e Alemanha.

3. (UEPB/08) A Turquia, um dos países candidatos a integrar a União Européia, (tem dividido opiniões quanto ao seu ingresso no bloco. Dentre as polêmicas que dificultam sua entrada destacam-se:

I. A posição estratégica que o país ocupa enquanto nação cristã, no combate ao terrorismo e ao fundamentalismo.

II. O tratamento diferenciado que o país ainda faz para com homens e

mulheres.

III. A prática de violação dos direitos humanos ainda presente no país, sobretudo contra os curdos. IV. A instabilidade econômica que o país ainda não conseguiu solucionar. Estão corretas apenas as assertivas:

a) I e IV b) I, II e III c) II e III d) I, III e IV

e) II, III e IV

Gabarito

1. B

2. A

3.E

IV b) I, II e III c) II e III d) I, III e IV e)
IV b) I, II e III c) II e III d) I, III e IV e)

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

48
48

GEOGRAFIA

1. FUSOS HORÁRIOS 1.1. Conceito Em decorrência do movimento de rotação da Terra, temos os
1. FUSOS HORÁRIOS 1.1. Conceito Em decorrência do movimento de rotação da Terra, temos os
1. FUSOS HORÁRIOS 1.1. Conceito Em decorrência do movimento de rotação da Terra, temos os

1. FUSOS HORÁRIOS

1.1. Conceito

Em decorrência do movimento de rotação da Terra, temos os dias e as noites, além da diferença de horário entre os diversos pontos longitudinais da esfera terrestre.

Ao dividirmos os 360º da esfera terrestre pelas 24 horas de duração do movimento de rotação, o resultado é 15º. A cada 15º que a Terra gira, passa-se uma hora. Assim, cada uma das 24 divisões da Terra corresponde a um fuso horário. O Meridiano de Greenwich é o meridiano de referência, a partir do qual se acertam os relógios em todo o planeta, desde a Conferência Internacional do Meridiano, realizada em Washington, EUA, em 1884.

Para estabelecermos os fusos horários, definiu-se o seguinte procedimento: o limite de um fuso horário estende-se de 7º30’ para leste a 7º30’ para oeste do meridiano central, que varia de 15° em 15º. Assim, por exemplo, o fuso horário 45º W (o fuso de Brasília) tem como limite 37º30’ W e 52º30’ oeste . Todos os pontos que estiverem dentro deste limite, denominado limite teórico, terão o mesmo horário de Brasília. Na prática os países fizeram adaptações para que mantivessem o mesmo fuso horário na maior parte de seu território. No caso do Brasil, por exemplo, parte do litoral oriental do Nordeste (do Rio Grande do Norte a Sergipe, deveria estar em um fuso adiantado em relação a Brasília, mas foram incorporados à Brasília por decisão do Governo.

As horas mudam à medida que nos dirigimos de um fuso ao outro. Para determinarmos a diferença de horário entre duas localidades, basta sabermos a distância longitudinal entre elas e dividirmos por cada fuso.

As horas aumentam para leste e diminuem para oeste, a partir de qualquer referencial adotado. Isso ocorre porque a Terra gira de oeste para leste. A hora oficial do Brasil, por exemplo, está 3 horas atrasada em relação a Greenwich.

1.2. Cálculos de fuso horário

Caso 1:

Consideremos dois lugares no mundo, ambos no hemisfério ocidental (oeste). O ponto A está a 60ºW e o ponto B a 30ºW. Se em A forem 14h, que horas teremos em B? Como os dois locais estão no mesmo hemisfério, subtraia a longitude maior longitude da menor e divida por 15. O resultado será a diferença de horas entre os dois locais, como mostra a figura abaixo

de horas entre os dois locais, como mostra a figura abaixo 30º : 15 = 2,

30º : 15 = 2, ou seja, entre A e B temos 2 horas de diferença. Como B se localiza a leste de A (veja acima), em B é 2h a mais. Assim,

Sendo 14h em A, serão 16h em B.

Uma maneira muito mais fácil de resolver qualquer questão

deste tipo é a maneira maceteada. Com ela, você pode esquecer as fórmulas e simplesmente traçar os fusos horários que lhe interessem, a partir de Greenwich, de 15º em 15º. Se quisermos saber as horas a leste

de um ponto, as horas aumentaram a cada deslocamento de um fuso. Ex:

Sendo 15 horas em A (long 30E), que horas serão neste

instante em B (long 15W)?

(long 30E), que horas serão neste instante em B (long 15W)? Considerando que o ponto B

Considerando que o ponto B está a oeste do ponto A, para cada deslocamento de horário, diminuiremos 1h. Assim, 15 horas 3 horas = 12 horas.

R: 12 horas

Exemplo 2:

Um avião parte de Moscou (45ºE) às 14h com destino a Paris (15ºE). Sabendo-se que a viagem durou 7h, que horas eram em Paris quando o avião pousou?

durou 7h, que horas eram em Paris quando o avião pousou? Resolução: visualizando a figura acima,

Resolução: visualizando a figura acima, nota-se que Paris possui duas horas a menos que Moscou. Se um avião parte de Moscou às 14h, e chegará em Paris 7h depois, basta somar 7h às 14h da saída = 21h e subtrair as 2h de diferença entre as duas cidades.

R: 19 horas

1.3. Horário de Verão

O horário de verão foi pela primeira vez implantado no Brasil em 1931,

mas não permanentemente. Isto vem ocorrendo desde 1985, com o objetivo de economizar energia, sempre a partir da zero hora do terceiro

domingo de outubro até zero hora do terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte, sempre com o adiantamento de uma hora. Os Estados que adotam este horário se localizam em latitudes maiores

de uma hora. Os Estados que adotam este horário se localizam em latitudes maiores SECRETARIA DA
de uma hora. Os Estados que adotam este horário se localizam em latitudes maiores SECRETARIA DA
de uma hora. Os Estados que adotam este horário se localizam em latitudes maiores SECRETARIA DA

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

49
49

GEOGRAFIA

Exercícios de aula 1. (UFRN/05) Um grupo de pesquisadores partiu de Brasília às 08 horas,
Exercícios de aula 1. (UFRN/05) Um grupo de pesquisadores partiu de Brasília às 08 horas,
Exercícios de aula 1. (UFRN/05) Um grupo de pesquisadores partiu de Brasília às 08 horas,

Exercícios de aula

1. (UFRN/05) Um grupo de pesquisadores partiu de Brasília às 08 horas, rumo à cidade de São Francisco, nos Estados Unidos. Sabendo-se que a diferença entre as duas cidades é de 05 fusos horários e que o vôo durou 08 horas, os pesquisadores chegaram a São Francisco às

a)

23 horas.

b) 16 horas.

c) 13 horas. d) 11 horas.

2. (UFRGS/03) A Copa do Mundo de 2002 mudou a rotina dos brasileiros

em virtude da diferença de fuso horário entre o Brasil e os países que a sediaram, a Coréia do Sul e o Japão. O jogo entre Brasil e Inglaterra foi realizado na Coréia do Sul no dia 21 de junho, às 15h30min, horário local. Então, a transmissão direta do jogo no Brasil ocorreu:

a) no dia 21 de junho, às 3h30min.

b) no dia 21 de junho, às 15h30min.

c) no dia 20 de junho, às 3h30min.

d) no dia 22 de junho, às 3h30min.

e) no dia 22 de junho, às 21h30min.

3. (UFPB/04- atualizado) Se, por exemplo, a transmissão de uma partida de futebol para todo o território nacional, realizada na cidade de Rio Branco- AC dia 21 de setembro às 22h00 min, esse jogo será visto, na cidade de Curitiba PR e no Distrito de Fernando de Noronha PE, no momento de seu início, respectivamente, às:

a) 23h00min e 24h00min do outro dia

b) 24h00min do outro dia e 1h00min do outro dia

c) 21h00min e 24h00min do outro dia

d) 21h00min do mesmo dia e 1h00min do dia seguinte

e) 21h00min e 23h00min do outro dia

4. (PUC-PR) Um avião sai de uma localidade no 7º fuso internacional a leste de Greenwich, às 10 horas do dia 20, com destino a Curitiba, localizado no 2º fuso brasileiro e 3º fuso internacional, a oeste de Greenwich. A viagem terá uma duração de 20 horas. Assinale a alternativa que indica o dia e a hora em que o avião chegará a Curitiba. a)dia 21, às 6 horas.

b) dia 20, às 13 horas.

c) dia 20, às 10 horas.

d) dia 21, a 1 hora.

e) dia 20, às 20 horas.

5.(UFRGS/02) No dia 10 de janeiro, às 8h, um navio cargueiro, em sua rota, cruza a Linha Internacional de Data entrando no hemisfério Oeste (Gr). Após ter cruzado a referida linha, que dia e hora local são registrados no navio?

a) 9 de janeiro, 7 horas

b) 9 de janeiro, 8 horas

c) 10 de janeiro, 9 horas

d) 10 de janeiro, 10 horas

e) 11 de janeiro, 8 horas

6. (UFPB/01-1) Ás 9h, um avião decola de Paris, cidade situada no fuso horário de 15 o long. E. Após 8h de vôo, pousa em Brasília, cidade localizada no fuso horário 45 o Long. W. O horário de chegada do avião a Brasília será:

a) 17h

b) 13h

c) 21h

d) 12h

e) 1h

6. (UNESP/03) Que horas devem marcar os relógios de Nova York, que fica no quinto fuso a oeste de Greenwich, quando em São Paulo, que fica no terceiro fuso, também a oeste, são doze horas, no horário de verão?

a) 2 horas

b) 13 horas

c) 19 horas

d) 9 horas

e) 15 horas

Exercícios para casa

1.

Um avião sai de Paris (0 º ) com destino a Moscou (45 º E), onde aterrissa às 19 horas. Sabendo-se que o vôo durou 4 horas, a que horas o avião levantou de Paris?

a) 11 horas

b) 12 horas

c) 13 horas

d) 14 horas

e) 15 horas

2.(UFSC) Sendo 9 horas numa cidade X e 15 horas numa cidade Y, quantos graus de longitude separam as duas cidades?

a)

24º

b) 90º

c) 106º

d) 135º

e) 75º

3.(UFRN/96) Se, no fuso horário 45 o Leste, são 3 horas, nos fusos 75 o Oeste e 90 o Leste, serão, respectivamente,

a) 6 horas e l8 horas.

b) 6 horas e l9 horas.

c) 7 horas e l8 horas.

d) l8 horas e 6 horas l9 horas e 6 horas.

e).

4.(UFRN/99) Considere um avião que saia da cidade A, localizada a 60º de longitude leste, às 21 horas, e faça um vôo de 15 horas até a cidade B, a 90º de longitude oeste. Qual a hora local do pouso desse avião?

a) 22h

b) 12h

c) 11h

d) 7h

e) 2h

5.(UCS/99) Um grupo de geógrafos, em setembro de 1998, partiu do Rio Grande do Sul em direção a Roraima para visitar o Monte Caburaí. Considerando a diferença horária entre os dois estados e o tempo de dez horas de viagem, os geógrafos, para chegar a Roraima às 17 horas, deveriam ter partido de Porto Alegre às

a)3 horas.

b) 5 horas.

c) 7 horas.

d) 8 horas.

e) 9 horas.

6.(FAAPA/00-1) Durante o horário de verão, quando são dez horas em Porto Alegre, que está no 3º fuso a oeste de Greenwich, que horas devem marcar os relógios em Nova York, que fica no 5º fuso, também a oeste?

a) Duas horas.

b) Sete horas.

c) Treze horas.

d) Quinze horas

e) Dezenove horas.

7.(FAAPA/00-2) O mundo esportivo aguarda com vivo interesse as Olimpíadas 2000, que serão realizadas em Sydney, em setembro próximo. Quando uma disputa iniciar-se às 16 horas na sede dos jogos, que fica no décimo fuso a leste de Londres, que horas serão em Porto Alegre, localizada no terceiro fuso a oeste de Greenwich?

a) 02 horas.

b) 03 horas.

c) 05 horas.

d)09horas.

e)23horas.

Gabarito

1. B

2. C

3. E

4. E

5. D

6. B

7. B

e)23horas. Gabarito 1. B 2. C 3. E 4. E 5. D 6. B 7. B
e)23horas. Gabarito 1. B 2. C 3. E 4. E 5. D 6. B 7. B

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

50
50

GEOGRAFIA

Industrialização nos países recent emente industrializados (NIP’s) PARTE 1 Índia e África do Sul Colônias
Industrialização nos países recent emente industrializados (NIP’s) PARTE 1 Índia e África do Sul Colônias
Industrialização nos países recent emente industrializados (NIP’s) PARTE 1 Índia e África do Sul Colônias

Industrialização nos países recentemente industrializados (NIP’s)

PARTE 1

Índia e África do Sul

Colônias britânicas, tornaram-se independentes após a 2ª Guerra Mundial, quando iniciou suas industrializações.

A Índia sofreu intervenção estatal em sua industrialização, assim

como capital britânico, investindo em indústria de base, bélicas e obras em

infraestrutura. Com a abertura ao capital estrangeiro, o Japão é o maior injetor de capital. Em 2009, seu PNB era de US$ 3,55 trilhões e RPC US$

3100.

Possui um parque industrial diversificado (abrangendo 14% da PEA e gera 20% do PNB, dados de 2009). Mas continua um país rural e agrícola.

A África do Sul recebeu incentivos britânicos e norte- americanos em indústrias do mesmo tipo da Índia. A riqueza interna (mão- de-obra barata e farta e mercado interno), assim como na Índia, provém da exportação de minérios e produtos agrícolas, com capitais canalizados para as indústrias. Seu PNB em 2009 era de US$ 489 bilhões e RPC de US$ 10.000. A absorção da PEA na agricultura era de 9%, enquanto nas indústrias era de 29%.

Tigres Asiáticos

Sem recursos minerais, população agrícola e analfabeta, ainda assim a economia destes países (Coréia do Sul, Taiwan, Cingapura e Hong Kong) foi a que mais cresceu na década de 80. Isto porque incorporaram tecnologia, aumentando a produtividade e diminuindo as desigualdades sociais.

A Coréia recebeu investimentos americanos após a 2ª Guerra

(“cordão sanitário”), rapidamente se industrializando, e dividiu-se em dois países: Coréia do Sul (sob domínio americano) e Coréia do Norte (sob domínio chinês).

Governado por ditadores, Coréia e Taiwan foram estimulados à industrialização. Sofreram a influência, ao contrário dos países da América Latina, de um modelo vizinho bem sucedido: o Japão. Fatores: Estado concedeu subsídios às exportações, mantendo uma política de desvalorização cambial, tomando medidas protecionistas contra concorrentes estrangeiros, concedendo bolsas de treinamento no exterior, impondo restrições ao funcionamento de sindicatos, canalizando investimentos para a educação, etc.

A economia da Coréia do Sul é dominada por grandes

conglomerados, diversificados. Em Taiwan, dominam empresas de pequeno e médio porte, especializada em um ou dois setores (ex: informática). Cingapura é um centro financeiro internacional, também investido em

indústria naval, petroquímica, eletrônica, etc.

O destino de Hong Kong é incerto. Agora devolvido à China, é um

grande centro industrial, comercial e financeiro mundial.

China

Possui uma “economia socialista de mercado”, ou seja, realizou,

na década de 70, uma abertura econômica e não política, continuando

unipartidária (Partido Comunista Chinês, PCC)

Foi a economia que mais cresceu, nos anos 90, no mundo. Foi governada por uma série de dinastias na sua história, além de ter sido colonizada pelos britânicos.

Em 1911, o péssimo domínio da dinastia Manchu fez com que ocorresse a proclamação da República, onde o país continuou mergulhando no caos político, econômico e social, além de fragmentado em lideranças

localizadas. Surgiu, daí, uma incipiente industrialização, com a chegada de capital estrangeiro querendo beneficiar-se da mão-de-obra barata e abundante matéria-prima. Com a invasão japonesa e a 1ª Guerra Mundial, a industrialização foi abortada. Insatisfações políticas, empurradas pela Revolução Russa, fizeram surgir, mesmo na ilegalidade, o PCC (fundado por Mao-Tsé Tung).

A unificação completa ocorreu em 1928, iniciando uma rivalidade de

nacionalistas contra comunistas, apaziguada apenas durante a 2ª Guerra

Mundial.

Com a derrota do Japão na 2ª Guerra, a guerra civil chinesa chegou ao seu momento crucial, ocorrendo o desfecho em outubro de 49, coma vitória dos comunistas. Mao-Tsé proclama a República Popular da China, enquanto os nacionalistas, afugentados nas Ilhas Formosas, fundaram a República da China Nacionalista, também conhecida como Taiwan.

Inicialmente, o partido político vigente foi uni partidarista (PCC)

e a economia foi planificada. Predominava um modelo agrário, onde mais

da metade da população era camponesa.

Em 1957, Mao-Tsé lançou o plano “Grande Salto à Frente”, que pretendia priorizar investimentos na criação de indústria de base, bélicas e obras de infraestrutura que sustentasse a industrialização. Apesar da mão-de-obra abundante, assim como de recursos minerais, o plano foi um fracasso pelos mesmos motivos do modelo soviético: baixa produtividade, insuficiente, baixa qualidade, burocratização, etc. Em 1965, Rússia e China romperam, devido a demonstração chinesa de hegemonia nuclear, no bloco socialista. Este rompimento facilitou a aproximação da China aos Estados Unidos. Com a morte de Mao-Tsé Tung, em 1976, o novo presidente, Deng Xiaoping, realizou reformas econômicas no campo e na cidade, com a abertura de sua economia planificada para a de mercado. As reformas no setor agrícola se deram principalmente com relação ao incentivo na produção de grãos, a partir da compra (a preços elevados) e liberação de parte da produção ao Estado. Esta reforma provocou a disseminação da iniciativa privada e do trabalho assalariado no campo.

A abertura de zonas econômicas ocorreu em áreas litorâneas tendo como objetivo atrair empresas estrangeiras (além de capitais, tecnologia e experiência de gestão empresarial). Foi daí então que a economia cresceu a uma taxa média de 9% ao ano na década de 80. A mão-de-obra disciplinada e abundante aumento a produtividade industrial, cuja conseqüência é a venda de seus produtos (diversificados) a preços baratos, fazendo uma concorrência desleal. Do ponto de vista geográfico, esta industrialização foi desigual, assim como seu crescimento (maior nas Zonas Econômicas Especiais).

foi desigual, assim como seu crescimento (maior nas Zonas Econômicas Especiais). SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 51 GEOGRAFIA
foi desigual, assim como seu crescimento (maior nas Zonas Econômicas Especiais). SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 51 GEOGRAFIA

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

51
51

GEOGRAFIA

Exercícios de aula Exercícios de casa 1. (Mackenzie-SP) Julgue as seguintes afirmações referentes à
Exercícios de aula Exercícios de casa 1. (Mackenzie-SP) Julgue as seguintes afirmações referentes à
Exercícios de aula Exercícios de casa 1. (Mackenzie-SP) Julgue as seguintes afirmações referentes à

Exercícios de aula

Exercícios de casa

1.

(Mackenzie-SP) Julgue as seguintes afirmações referentes à

1.(Unificado/97) Entre os países do Terceiro Mundo, a Índia vem sendo

a)fortalecimento de organizações guerrilheiras que pretendem implantar o

República Sul-africana. (01) Sobre a República Sul-africana, podemos falar de uma „regressão branca‟, pois a população branca diminuiu percentualmente em relação à população de cor. (02) O preconceito racial na República Sul-africana só existe em relação ao negro; os descendentes de asiáticos não são discriminados na vida cultural e econômica. (04) A política do apartheid é o meio que a população branca escolheu para que o desenvolvimento separado permitisse que as comunidades de cor se desenvolvessem, material e socialmente, de acordo com suas aspirações e interesse. (08) Os „bantustans‟ independentes, inseridos no território da República Sul-africana, representam o desejo do governo sul-africano de promover a justiça social para o desenvolvimento das comunidades negras. (16) Explica-se, em parte, por razões militares a fragmentação espacial do

considerada um dos mercados emergentes neste final de século. Todavia, este enorme potencial não poderá se efetivar. É que há inúmeros fatores políticos e socioeconômicos que podem frear ou mesmo limitar seriamente o processo indiano de modernização. Um destes fatores é o(a):

socialismo no país. b)controle severo do governo em relação às taxas de crescimento demográfico nos últimos anos, o que já vem repercutindo na redução da oferta de mão-de-obra. c)inexistência de setores industriais avançados, em razão do grande atraso tecnológico. d)Participação pouco expressiva de capitais nacionais em atividades urbanas e industriais como conseqüência do caráter rural da sociedade. e)Permanência de rivalidades etnico-religiosas que representam uma real ameaça de ocorrência de conflitos separatistas.

território de um „bantustan‟. (32) Com as revoltas recentes dos africanos e com as concessões feitas pelo governo sul-africano, o preconceito racial diminuiu rapidamente na

2.(Mackenzie-SP) Caracterizando-se pelas grandes riquezas do subsolo, é o país mais rico e próspero do continente africano:

República Sul-africana.

a)

Nigéria

O somatório das afirmativas corretas resulta em:

b)

Líbia

c)

África do Sul

2. (Fuvest/02)

Relacione

os

itens

apresentados

presentes no baixo vale do rio Ganges.

I- produção de arroz

II-produção de trigo III-meandros IV-floresta equatorial

V-terrenos hidro mórficos

a) I, II e III

b) I, III e V

c) I, IV e V

d) II, III e IV

e) II, IV e V

com

as

características

3. (UFRGS/96) Quanto aos “Tigres Asiáticos”, como por exemplo Taiwan, Coréia do Sul e Cingapura, pode-se afirmar, unicamente que seus processos de industrialização desenvolveram-se com:

a)base no mercado consumidor externo. b)Predomínio de indústrias de bens de produção. c)Forte incremento industrial desde a crise de 1929. d)Base no processo de substituição de importação de manufaturados. e) Predomínio de capitais americanos

Anotações

d)

e) Egito

Gana

3.(Fatec-SP) Relacione os chamados Tigres Asiáticos com os itens abaixo:

I)Indonésia, Índia, Laos, China. II)Área de influência dos capitais japoneses. III)Subdesenvolvimento com base industrial. IV)Área de influência dos capitais norte-americanos. V)Taiwan, Coréia do Sul, Cingapura e Hong Kong. VI)Subdesenvolvimento com base agrária. VII)Área de influência dos capitais ingleses. VIII)Desenvolvimento autocentrado.

IX)Vietnã, Irã, Afeganistão, Paquistão. Na caracterização dos chamados Tigres Asiáticos, os itens pertinentes são:

a)I, VII e VII. b)II, III e V

c) IV, VIII e IX

d) II, III e IX

e)V, VI e VII.

gabarito

1. E

2. C

3.B

b)II, III e V c) IV, VIII e IX d) II, III e IX e)V, VI
b)II, III e V c) IV, VIII e IX d) II, III e IX e)V, VI

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

52
52

GEOGRAFIA

Industrialização nos países recentemente industrializados (NIP’s) - América Latina- parte 1 Brasil, México e
Industrialização nos países recentemente industrializados (NIP’s) - América Latina- parte 1 Brasil, México e
Industrialização nos países recentemente industrializados (NIP’s) - América Latina- parte 1 Brasil, México e

Industrialização nos países recentemente industrializados (NIP’s)- América Latina- parte 1

Brasil, México e Argentina

- América Latina- parte 1 Brasil, México e Argentina São conhecidos como NICS (Newly Industrialized Countries,

São conhecidos como NICS (Newly Industrialized Countries, ou países recentemente industrializados). A

industrialização latino-americana ocorreu através de duas etapas distintas: a primeira se deu juntamente com o crescimento da economia agrária capitalista ( estacieros na Argentina; donos de haciendas no México e barões do café no Brasil), e a Segunda a partir da crise de 1929.

- 1890 1929: crescimento de fábricas e osurto industrial iniciou juntamente com a imigração em massa, a abolição e a instauração da República, tendo seu berço na economia cafeeira paulista, no caso do Brasil Nesse primeiro surto, predominou fábricas de bens de consumo não duráveis (têxteis, vestuário, calçados, alimentos) e as metalúrgicas e químicas. Ainda assim, os países mantinham sua característica agroexportadora.

- A economia cafeeira do oeste paulista tinha gerado um mercado consumidor cada vez mais amplo e também um aumento na força de trabalho. A substituição de trabalho escravo pelo trabalho livre aumentou o consumo, e os imigrantes deixavam as fazendas em épocas de crise para trabalhar em fábricas.

- As ferrovias, muito utilizadas no “Ciclo do Café”, serviam agora para transportar as matérias-primas industriais.

- Surgiram os empresários indústriais, importadores eexportadores, e estrangeiros.

Em 1930, Vargas assume no país, mantendo uma postura de forte centralização do estado na economia (keynesianismo) e a industrialização se encorpa;

- Surge o nacionalismo, com a exploração dos recursos minerais e a industrialização de base (ciração da CSN e Usiminas, no início da década)

- Sindicatos trabalhistas são dissolvidos.

- O crescimento industrial do país foi um dos maiores de sua história, durante a Segunda Guerra.

- Antes da Segunda Guerra, a América Latina, a Ásia e África constituíam mercados consumidores de manufaturados e fornecedores de matérias-primas e produtos agrícolas = D.I.T (Divisão Internacional do Trabalho). Em 3 / 10 /43, em Minas Gerais, advogados, professores, escritores, jornalistas lançam um manifesto pedindo a saída de Vargas (Manifesto dos Mineiros). A pressão estava insuportável.

-Quando retorna ao poder em 1951, funda a Petrobrás (1953), confirmando sua postura nacionalista. -O governo JK (1956-1960) implanta o Plano de Metas, cujos principais objetivos estavam em setores como energia, transporte, indústria, alimentação e educação. Infelizmente, nem todas as metas forma atingidas. Esta política desenvolvimentista baseava-se na utilização do Estado como instrumento coordenador do desenvolvimento,

estimulando o empresariado nacional e criando um clima propício à entrada do capital estrangeiro, na forma de investimentos diretos ou empréstimos. Início da internacionalização do mercado brasileiro.

O setor industrial de maior destaque foi o automobilístico (Volkswagen,

Ford, General Motors), com estas montadoras instalando-se em São Paulo. Esta concentração isolou outras áreas do Brasil, obrigando o governo a criar as Superintendências de Desenvolvimento (SUDENE, SUDAM,

SUDECO, ),

As indústrias se desenvolveram e a economia se diversificou.

Durante a Ditadura Militar (1964-1095), nossa dívida externa se avoluma, e os anos 1980 são terríveis para a economia brasileira (inflação altíssima, moeda desvalorizada, dívida externa absurda) e da América Latina. Nos anos 1990, o países adotam uma postura neoliberal, iniciando uma onda de privatizações. No Brasil, com o Plano Real (1994), a situação econômica se estabiliza e nosso país se torna uma potência regional importante.

Concentração e dispersão das indústrias

Forte concentração no Sudeste (SP), diminuindo no final da década de 80. Esta descentralização é típica de economias industriais modernas. SUDESTE: apesar da descentralização, a região Sudeste não está perdendo indústrias, mas sim crescendo num ritmo mais lento que o das demais regiões. (principalmente a Nordeste). O interior está crescendo mais que a metrópole.

Início da industrialização data da época da exportação cafeeira. Eixo RJ-SP-BH é o grande pólo industrial do país, abrangendo um complexo heterogêneo de atividades secundárias, envolvendo industrias modernas e tradicionais, além da fabricação de bens de consumo e de produção.

Desde o início, o Porto de Santos foi importante para tornar São Paulo um ponto nacional estratégico, além da malha densa de ferrovias que surgia.

SUL: região industrial periférica, onde predomina os ramos industriais e a fabricação de bens de consumo (têxteis e de alimento). Iniciou com a colonização alemã, italiana e eslava. Ex: no Vale do Itajaí (litoral norte catarinense) predomina fábricas têxteis que iniciaram rudimentares e já conquistaram o mercado nacional (ex: Hering). Nas cidades de colonização alemã da Grande Porto Alegre (Novo Hamburgo, São Leopoldo) predominam indústrias calçadistas (ex: Ortopé, Samello). Esta região mostra uma dispersão de suas indústrias para a região Nordeste, atraída por incentivos fiscais e mão-de-obra barata e abundante. Apresenta indústrias tradicionais voltadas para a fabricação de bens de consumo não duráveis (vinho, calçados, frigoríficos, fumo). Indústrias modernas (cerâmicas, carboquímicas e mecânicas) aparecem em Santa Catarina e no paraná. No Rio Grande do Sul, têm-se o principal pólo metalúrgico, químico e de material elétrico do Sul.

NORDESTE: desconcentração industrial na década de 90, no Sudeste e Sul, fez com que ocorresse a implantação de indústrias de bens intermediários e de bens de consumo duráveis (ex: automobilística e calçadista) nas metrópoles nordestinas, principalmente no litoral, em especial Salvador, Recife e Fortaleza. É produto do planejamento governamental, através de incentivos fiscais da SUDENE para trazer transferências de capitais estrangeiros à região.

NORTE: iniciou com a Zona Franca de Manaus, em 1967, cujo objetivo era transformar Manaus em um porto livre para as importações e exportações, através da isenção total de impostos sobre a importação, além do baixo custo da mão-de-obra local

total de impostos sobre a importação, além do baixo custo da mão-de-obra local SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
total de impostos sobre a importação, além do baixo custo da mão-de-obra local SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

53
53

GEOGRAFIA

Exercícios de aula 1.(UEPB/08) Desde o final da década de 90 (séc. XX) a América
Exercícios de aula 1.(UEPB/08) Desde o final da década de 90 (séc. XX) a América
Exercícios de aula 1.(UEPB/08) Desde o final da década de 90 (séc. XX) a América

Exercícios de aula

1.(UEPB/08) Desde o final da década de 90 (séc. XX) a América Latina vem mostrando uma tendência nacionalista e de esquerda, o que em parte se

explica

a) pela política beligerante do governo Bush, que foi colecionando

opositores em todo o mundo, a exemplo de Hugo Chávez na Venezuela e Mahmoud Ahmadinejad no Irã. b) pela liderança que Hugo Chávez passou a ter em toda a América Latina influenciando no resultado das eleições na Bolívia, no Equador, no Brasil,

na Argentina, no Chile, no Uruguai e na Nicarágua.

c) pela ineficiência das políticas neoliberais em resolver os problemas

econômicos e sociais dos países dessa região das Américas.

d) pela perda de influência dos Estados Unidos na região, que, ao se

dedicar à “guerra contra o terror” no Oriente Médio, passou a dar pouca atenção à América Latina. e) pelo caráter populista dos governos de esquerda, que, ao proporem um Estado mínimo, com as privatizações de empresas públicas, priorizaram setores básicos como saúde e educação conquistando os votos das camadas mais pobres.

2.(Unesp/04-2) Considerando o processo de industrialização ocorrido no

país, assinale a alternativa correta:

A industrialização brasileira não agravou as disparidades regionais e gerou

a seguinte organização espacial: a produção concentra-se no Centro-Oeste

do país e as demais áreas são fornecedoras de gêneros agrícolas, matérias-

primas e mão-de-obra.

A industrialização do Brasil agravou as disparidades regionais, porém não

gerou uma organização espacial do tipo “centro-periferia”, pois quase todas as unidades federativas possuem expressiva produção industrial.

A industrialização do Brasil agravou as disparidades regionais e gerou uma

organização espacial do tipo “centro-periferia”, com a produção concentrada na região Centro-Sul do país; as demais áreas são fornecedoras de gêneros agrícolas, matérias-primas e mão-de-obra.

A industrialização do Brasil agravou as disparidades regionais, porém não

gerou uma organização espacial do tipo “centro-periferia”, pois quase todas as unidades federativas possuem expressiva produção industrial, sendo que apenas as do Norte apresentam menor participação neste setor da economia nacional.

A industrialização do Brasil agravou as disparidades regionais, e gerou a

seguinte organização espacial: a produção concentra-se no Centro-Oeste do país e as demais áreas são fornecedoras de gêneros agrícolas, matérias-

primas e mão-de-obra.

3.(UFV-MG) Após 1970, houve uma relativa desconcentração industrial da Grande São Paulo e um crescimento maior em outros estados brasileiros. São causas dessa desconcentração, exceto:

a incapacidade da região de gerar energia suficiente para atender à demanda industrial.

A combatividade dos vários sindicatos do ABCD paulista em termos de

reivindicações salariais e greves.

A promoção de incentivos variados para atrair as empresas por parte das

demais áreas de atração, cidades e estados.

A existência e modernização de outros corredores de exportação.

Os elevados custos com impostos, especulação imobiliária e alto índice de

poluição ambiental

Exercícios para casa

(Fuvest/03) O DIEESE descreveu o perfil de um trabalhador de determinado setor da economia, que oferece cerca de 5.000.000 de empregos.

“Homens; com baixo nível de escolaridade; idade média entre 35 e 38 anos; que não contribuem para a Previdência Social; atuam, com freqüência, por conta própria; cumprem longas jornadas de trabalho; migrantes; com percentual de trabalhadores negros superior ao encontrado na força de trabalho como um todo e com baixo nível de rendimentos.”

Fonte: Estudo Setorial, 2002 1.Identifique o setor de atividade correspondente ao perfil do trabalhador descrito:

a)siderurgia b)produção de veículos automotores c)produção têxtil d)construção civil e)pesca artesanal

2.(UFRGS/04) Na EXPOINTER 2003, a maior feira de agricultura do Rio G. Do Sul, o Presidente do Brasil afirmu que a reforma tributária busca minimizar as distorções resultantes da “guerra fiscal” entre as unidades da federação, característica da política econômica dos naos 1990. A consequencia desta política foi:

a)a distribuição equitativa da produção industrial brasileira, pois os Estados puderam competir em igualdade de condições. b)A interiorização de indústrias de alta tecnologia, como a dos componentes eletrônicos, a exemplo do Vale do Silício, nos Estados Unidos. c)A distribuição equilibrada da produção industrial brasileira, ainda que, na industria automotiva, uma das pricipais, os novos investimentos tenham permanecido no Estado de São Paulo. d)A concentração de investimentos em plantas industriais na Região Nrdeste, principalmente a automotiva, puxada pela política mais agressiva do Estado da Bahia. e)O crescimento da região metropolitana de Curitiba, estimulada pela oferta de empregos que seriam criados pelos investimentos da indústria automotiva que para la se deslocou.

3.(UFPB/97-1) Sobre a colonização européia o Novo Mundo, é correto afirmar que:

a)A colonização portuguesa foi a mais democrática, pois conseguiu um entendimento menos violento entre colonizador e colonizado. b)A existência do trabalho escravo demonstra a violência do sistema colonizador, exceto nas áreas de domínio espanhol. c)As nações européias conseguiram financiar suas economias e acumular riquezas, como a Inglaterra. d)A exploração econômica é um componente que marcou apenas as políticas colonizadoras de Espanha e Portugal. e)A montagem da exploração das riquezas minerais das colônias é semelhante nas experiências inglesa e espanhola.

Gabarito 1. D

2. E

3. C

é semelhante nas experiências inglesa e espanhola. Gabarito 1. D 2. E 3. C SECRETARIA DA
é semelhante nas experiências inglesa e espanhola. Gabarito 1. D 2. E 3. C SECRETARIA DA

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

54
54

GEOGRAFIA

SUBDESENVOLVIMENTO vs DESENVOLVIMENTO Conceitos Com o início da Guerra Fria (pós-II Guerra), o mundo dividie-se
SUBDESENVOLVIMENTO vs DESENVOLVIMENTO Conceitos Com o início da Guerra Fria (pós-II Guerra), o mundo dividie-se
SUBDESENVOLVIMENTO vs DESENVOLVIMENTO Conceitos Com o início da Guerra Fria (pós-II Guerra), o mundo dividie-se

SUBDESENVOLVIMENTO vs DESENVOLVIMENTO

Conceitos Com o início da Guerra Fria (pós-II Guerra), o mundo dividie-se em uma bipolaridade representada pelos EUA (capitalismo) e URSS (socialismo).

países que foram se descolonizando na África e Ásia,

nas décadas seguintes, formaram o Movimento dos Países Não-Alinhados, tentado articular um 3º polo de poder mundial. Este grupo ficou conhecido, através de um demógrafo francês chamado Alfred Sauvy, de Terceiro Mundo. À medida que alguns destes paises, somados outros da América Latina, foram se industrializando, este conceito foi se dissolvendo, surgindo um novo: periféricos, em contraposição aos centrais, aqueles do então „Primeir Mundo‟. Atualmente, com o fim da Guerra Fria e do „Segundo Mundo‟, surgem os países emergentes (ou subdesernvolvidos industrializados ou em desenvolvimento). Assim, podemos dividir o mundo em desenvolvidos, emergentes e subdesenvolvidos (não industrializados).

Principalmente os

Classificação e indicadores dos países subdesenvolvidos

- Após a descolonização das nações africanas e asiáticas (lembrem-se do imperialismo durante o capitalismo industrial) nos anos 50 e 60, o mundo passou a ter consciência das desigualdades sociais (padrão de vida, estrutura econômica e política).

País

Renda per

Expectativa de

Analfabetismo (%)

 
 

capita (US$)

vida (anos)

 

Suíça

29 mil

79

< 5

Japão

27 mil

81

< 5

Brasil

7,5 mil

68

17

China

4 mil

70,5

19

Moçambiq

854

39

60

ue

 

Dados de 2002

- O termo não-desenvolvidos é mais correto, pois existem alguns países que estão se desenvolvendo, além da hibridez interna, resultado do colonialismo e imperialismo.

- A mundialização do desenvolvimento é impossível.

DISTRIBUIÇÃO DE RENDA

 

28% mais

60%

10% mais ricos (%)

pobres (%)

intermediários

(%)

Suíça

5

50

30

Alemanha

7

53

24

Brasil

2

30.5

50

China

6

50

27

Ruanda

10

51

24

- Surge o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano, varia de 0 a 1), que leva em conta:

expectativa de vida (até 85 anos).

Nível educacional (alfabetismo adulto- 2/3, nível primário, secundário e superior- 1/3).

Rendimento (renda per capita). Ex: Sul= 27º lugar (mundial), Nordeste= 113º lugar (mundial).

1º Noruega

0.938

2º Austrália

0.937

46º Argentina

0.775

73º Brasil

0.699

165º Moçambique 0.284

Dados de 2010

- Colonialismo não é a única explicação para fome , miséria e desigualdades sociais dos países. São governados por ditaduras, sob o comando de elites, por vezes indiferentes ao bem-estar social. Satisfazem apenas certa camada da sociedade.

- Nos países subdesenvolvidos industrializados ocorre a concessão de subsídios e incentivos fiscais a grupos ligados ao poder.

- Dívida externa também é problema, contraída por ditadores que desviaram para “paraísos fiscais” ou foi utilizado em obras caras e de interesse social duvidoso. Quem paga o ônus é a sociedade.

- Presença de conflitos étnicos e religiosos: dilaceram a economia e agravam a miséria e fome. Recursos gastos nestas guerras alimentariam países inteiros.

- Nova DIT: após a 2ª Guerra Mundial, empresas mundiais assumiram proporções gigantescas (como já descrito anteriormente), se expandindo pelo mundo, mundializando a produção e o consumo de seus produtos. Construíram filiais e novas fábricas, pois encontraram mão-de-obra barata, incentivos fiscais, matéria-prima a baixo custo e ausência de legislação ambiental. Estes países subdesenvolvidos romperam a tradicional DIT e agora exportam também produtos industrializados.

- Nos países subdesenvolvidos ficam as indústrias poluidoras, que consomem muita matéria prima, enquanto as filiais são consideradas leves.

- Os países recentemente industrializados (ex: Brasil, México, África do Sul) são os que se industrializaram nesta época. Mas a falta de investimentos sociais, econômicos e em tecnologia fazem com que estes países não estejam inseridos no rol dos países desenvolvidos.

Resume-se as principais características dos países subdesenvolvidos:

passaram por um processo de exploração durante o período

colonial (colônia de exploração);

Baixo nível de industrialização, com exceção de alguns países

recentemente industrializados, como o Brasil, Chile, Índia, África do Sul, México, etc;

Dependência econômica, política e cultural em relação às nações desenvolvidas;

Deficiência tecnológica e baixo nível de conhecimento

científico;

Rede de transporte e meios de comunicação deficientes;

Baixa produtividade na agricultura que geralmente emprega

numerosa mão-de-obra;

População ativa empregada principalmente no setor primário

ou no setor terciário em atividades marginais (camelôs, sem carteira assinada, etc);

Cidades com crescimento muito rápido e cercada por bairros pobres e miseráveis;

Baixo nível de vida da maioria da população;

Crescimento populacional elevado;

Elevada taxa de natalidade e mortalidade infantil;

Baixa expectativa de vida.

Lembre-se que os países recentemente industrializados encaixam-se em uma posição intermediária entre o desenvolvimento e o subdesenvolvimento, pois apresentam indicadores socioeconômicos bastante contrastantes. Ex: a população brasileira apresenta expectativa de vida, taxa de natalidade e crescimento vegetativo bem inferiores aos países realmente subdesenvolvidos (como os da África, por exemplo), além de um grau de industrialização às vezes superior a muito países desenvolvidos; entretanto, em outros indicadores, a situação é muito grave, principalmente a distribuição de renda, educação,

a situação é muito grave, principalmente a distribuição de renda, educação, SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 55 GEOGRAFIA
a situação é muito grave, principalmente a distribuição de renda, educação, SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 55 GEOGRAFIA

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

55
55

GEOGRAFIA

Exercícios de aula Exercícios para casa 1.(PUC-SP/04) Uma propaganda da empresa aérea Delta Air Lines
Exercícios de aula Exercícios para casa 1.(PUC-SP/04) Uma propaganda da empresa aérea Delta Air Lines
Exercícios de aula Exercícios para casa 1.(PUC-SP/04) Uma propaganda da empresa aérea Delta Air Lines

Exercícios de aula

Exercícios para casa

1.(PUC-SP/04) Uma propaganda da empresa aérea Delta Air Lines (Veja

1.(UFSM-RS) Participação de alguns países no total do comércio mundial

São Paulo, 15/10/2003, p. 39)trazia uma chamada incomum sobre a

Argentina

0,4%

geografia mundial: “A distância que separa você de qualquer lugar no

Brasil

1,0%

mundo está em apenas uma cidade: Atlanta”. Em Atlanta se localiza o

Canadá

3,5%

aeroporto mais movimento do mundo e não é a cidade que é responsável

Estados Unidos

13,5%

por esta demanda. Esse aeroporto é o primeiro do mundo a operar como

México

1,7%

um centro distribuidor de vôos. Daí uma frase que se criou: “

ao morrer,

Uruguai

0,1%

antes de chegar ao céu,sua alma terá que fazer conexão em Atlanta.”

Tendo em vista a organização do espaço geográfico nas sociedades modernas, é incorreto afirmar que:

a)o espaço geográfico é desigual quanto à densidade e à distribuição dos

transportes, portanto medir os deslocamentos apenas medindo a superfície terrestre entre si, é algo insuficiente. b)As redes de transporte definem a distância do deslocamento que se realiza de acordo com sua organização, o que pode tornar mais próximas as cidades mais distantes. c)Atlanta, independentemente de sua localização tradicional, por ser um nó importante da rede, com conexões múltiplas, transformou-se numa referência para a medição da distância real dos deslocamentos. d)Como as distâncias reais, que devem ser de fato transpostas, dependem das redes, pode-se afirmar que estas redes modelam o espaço geográfico e não apenas se localizam nele. e)As redes de transporte seguem a lógica técnica, mas também a lógica das localizações na superfície, e por isso Atlanta, que está no centro dos Estados Unidos, virou núcleo de conexões

2.(FGV/02) Dentre os 50 países mais pobres do mundo, classificados

Com base em seus conhecimentos sobre a formação de blocos econômicos e analisando-se o quadro acima, é correto afirmar que:

a)as características socioeconômicas do Canadá e sua relação com a economia americana o torna o segundo maior exportador do nafta. b)considerando o agrupamento dos países em blocos econômicos e os dados do quadro, a participação do conjunto dos países da APEC no comércio mundial será superior à participação do Nafta. c)a instalação de empresas americanas em território mexicano com o objetivo de aproveitar o custo da força de trabalho e a presença do México no Nafta são fatores que contribuem para o índice de participação desse país. d)a participação no comércio mundial reflete a expressão das exportações dos países, o que exige setores capazes de atender a economia mundial com preços competitivos. e)Os países com maiores índices de participação, considerando os apresentados, localizam-se na América do Norte e fazem parte do Nafta.

2.(FAAPA/00-1)

“Hoje em dia, nenhum outro Estado chega sequer perto de equiparar-se

segundo o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Programa das

aos Estado Unidos em prestígio e poder global. A Rússia ainda conta com o

arsenal nuclear de uma superpotência

A Alemanha e o Japão detêm

Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), 33 estão situadas nessa região. Desnutrição, pobreza, analfabetismo e condições sanitárias precárias exemplificam o lado perverso da globalização, que amplia o crescimento das desigualdades no mundo. O texto refere-se:

poder econômico, mas não está claro se existe a possibilidade de, em pouco tempo, traduzirem esse poder em força político-militar. A Europa unificada poderia fazê-lo apenas se um grande salto à frente no processo da unificação européia gerasse uma entidade político-militar única.”

a)ao Sudeste asiático

BRZEZINSKI ZBIGNIEW. A desordem. Veja - Reflexões para

b)à

Ásia meridional

o futuro. São Paulo, Abril, 26/04/98.

c)à

África subsaariana

Com base no texto acima, podemos dizer que:

d)à

América Latina

a)o Japão, potência asiática, é o único país em condições concretas de

e)à

África do Norte

alcançar o poder econômico-militar dos Estados Unidos.

3.(Ulbra/01-1) Sobre as principais características dos países subdesenvolvidos, podemos citar:

I) Elevado crescimento vegetativo e baixa expectativa de vida.

II) Economia baseada nos setores secundário e terciário e elevado índice

de população urbana.

III) Elevado índice de mortalidade infantil e grandes desigualdades sociais.

IV) Elevada proporção de idosos e de ativos no setor primário.

São corretas as afirmativas:

a)II

b) I e III

c) III e IV

d) I e II

e) II e IV

e III

b) somente a Rússia, desmembrada da ex-URSS, pode fazer frente ao

poder global dos Estados Unidos.

c) os Estados Unidos são os senhores do mundo, pois seu poder global é

muito superior ao dos demais Estados capitalistas desenvolvidos.

d) a guerra fria abalou o poderio econômico dos Estados Unidos, apesar de

ainda estarem no topo do mundo. e)o Japão, a Alemanha e a Europa unificada estão minando o poder e o prestígio dos Estados Unidos.

1. VVVVV

Gabarito

2. C

estão minando o poder e o prestígio dos Estados Unidos. 1. VVVVV Gabarito 2. C SECRETARIA
estão minando o poder e o prestígio dos Estados Unidos. 1. VVVVV Gabarito 2. C SECRETARIA

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

56
56

GEOGRAFIA

1. AS PAISAGENS NATURAIS 1.1. AS ZONAS TROPICAIS (ou intertropicais) Localizam-se entre os Trópicos, correspondendo,
1. AS PAISAGENS NATURAIS 1.1. AS ZONAS TROPICAIS (ou intertropicais) Localizam-se entre os Trópicos, correspondendo,
1. AS PAISAGENS NATURAIS 1.1. AS ZONAS TROPICAIS (ou intertropicais) Localizam-se entre os Trópicos, correspondendo,

1. AS PAISAGENS NATURAIS

1.1. AS ZONAS TROPICAIS (ou intertropicais) Localizam-se entre os Trópicos, correspondendo, portanto, a regiões de baixa latitude. Entretanto, desertos e montanhas aparecem também nestas posições. Na literatura, considera-se tropical aquele país cuja temperatura é, tanto no verão quanto no inverno, igual ou superior a 18ºC e que apresente um índice de pluviosidade que possibilite a agricultura sem a utilização de técnicas de irrigação. No mapa abaixo podemos visualizar tais áreas.

O clima destas regiões é quente e chuvoso (tropical e

equatorial). As amplitudes térmicas, diária e sazonal, são baixas a inexistentes, mostrando, assim, uma (verão) ou, no máximo, duas estações

do ano (verão e inverno). As massas de ar que dominam estas regiões são equatoriais e tropicais, o que explica as características de seu clima.

A vegetação é bastante heterogênea e densa, apesar de

intensamente devastada, destacando-se as florestas tropicais e equatoriais. O solo é rico, como o terra-roxa, massapê ou de várzea, mas inapropriadamente utilizado pois, como nestas regiões predominam países subdesenvolvidos, as técnicas de utilização do solo são rudimentares (queimadas, monocultura, etc), o que o empobrece com mais facilidade.

1.2 AS ZONAS TEMPERADAS

Localizam-se entre os Trópicos e os Círculos Polares. Assim, podem ser divididas em Zona Temperada do Norte (entre o Trópico de Câncer e o Círculo Polar Ártico) e Zona Temperada do Sul (entre o Trópico de Capricórnio e o Círculo Polar Antártico). O clima das regiões temperadas mostra bem claramente as quatro estações do ano e as maiores amplitudes térmicas sazonais. Pode ser dividido em clima temperado continental, temperado oceânico e temperado mediterrâneo. A caracterização destes climas pode ser visto no capítulo 11, sub-capítulo 11.11. São regiões de confronto de massas de ar e, portanto, de intensa circulação atmosférica, dominado ora por massas quentes, ora por massas frias. Nestas regiões, durante a primavera, ocorre o degelo da neve concentrada durante o inverno, fazendo encher rios, renascer folhas, etc. A vegetação das zonas temperadas (taiga, florestas temperadas, pradarias, mediterrânea e estepes) raramente são encontradas em sua forma original. Como estas regiões são as mais intensamente ocupadas pelo homem (dois terços da população do planeta), estas vegetações foram bastante devastadas, seja por desmatamento, seja por problemas ambientais, como as chuvas ácidas, por exemplo.

1.3 AS ZONAS POLARES Localizam-se acima dos Círculos Polares, ou seja, constituem áreas ao redor dos Pólos. Abrange os países escandinavos da Europa (Noruega, Suécia e Finlândia), extremo norte da Rússia (Sibéria), da América do Norte (Canadá e Alasca), a quase-totalidade da Groelândia, além do Oceano Glacial Ártico e da Antártida. Grande parte de suas águas acha-se coberta de

gelo, denominadas banquisas. As altas pressões atmosféricas promovem o surgimento de massas polares frias e normalmente secas, tornando o clima, assim, frio e seco (as precipitações não atingem 200 mm/ano). Nas proximidades dos pólos ocorrem apenas duas estações: um inverno, com temperaturas oscilando entre 30ºC e 40ºC e seis meses sem sol, e um verão, com os termômetros atingindo 10ºC positivos, e seis meses de fraco sol (dia polar). As altitudes mais elevadas da Antártida fazem com que as temperaturas mais baixas do planeta lá se localizem. Aliás, esta é uma característica das regiões polares: as elevadas altitudes. A Groelândia, por exemplo, apresenta elevações que atingem 4000 metros, assim como a Sibéria.

Os solos das regiões polares caracterizam-se pela pequena

espessura, quando existirem, ou pela sua ausência, em virtude das grossas camadas de gelo. A vegetação é rasteira, apresentando musgos e liquens,

que afloram no curto verão, principalmente no Hemisfério Norte. São denominadas tundras. Na Antártida, a flora é muito pobre. Os rios permanecem congelados dez meses por ano. No Hemisfério Norte, a ocupação humana das regiões polares caracteriza-se pelos esquimós (Alasca), lapões (Escandinávia) e samoiedas (Eurásia). Com a descoberta de inúmeros recursos minerais e energéticos na região, como petróleo, ouro, ferro, entre outros, a densidade demográfica se elevou. A Antártida apresenta uma leva grande de cientistas de todo mundo que buscam estudar sua rica fauna (baleias e inúmeros crustáceos, como o krill, uma espécie de micro-camarão rico em proteínas) ou conhecer melhor suas inúmeras riquezas (as mesmas da Sibéria e do Alasca).

1.4 AS ZONAS DESÉRTICAS Dois tipos:

quentes: ocorrem no interior dos continentes, geralmente próximos ao trópicos (zonas de alta pressão). Ex: Saara, Austrália, Arábia, entre outros.

frios: litorâneos, aparecem nas fachadas ocidentais dos continentes, são associados a passagem de correntes marítimas frias e a barlavento de zonas montanhosas que impedem a passagem de massas de ar úmidas, também ocorrem em zonas de alta pressão. Ex: Deserto da Namíbia (Corrente de Benguela) e Deserto do Atacama, no norte do Chile (Corrente de Humboldt), Colorado (a sotavento das Montanhas Rochosas), Gobi (a barlavento do Himalaia). A principal característica do clima desértico é a fraca pluviosidade (menos de 250 mm/ano), que ocorre concentrada praticamente no verão. As médias térmicas são variáveis: os desertos quentes apresentam temperaturas altas tanto no inverno (média de 22ºC) quanto no verão (média de 28ºC), e altíssimas amplitudes térmicas diárias (50ºC durante o dia e 0ºC à noite), explicadas pela quase inexistência de gases, como o metano e o gás carbônico Nos deserto frios, o verão é muito semelhante aos quentes; os invernos, entretanto, são bem mais rigorosos (média de 0- 5ºC positivos). Como localizam-se em zonas de alta pressão subtropical, o ar está em constante movimento, ocasionando ventos fortíssimos, e o ar é permanentemente seco e descendente. A vegetação, devido à ausência ou irregularidade das chuvas, são pobres, possuem enormes raízes, casca grossa e lenhosa, folhas atrofiadas ou estruturas adaptadas à armazenagem de água, como as cactáceas. Como já referido no capítulo anterior, levam o nome de xerófilas. Apenas nas porções mais planas dos desertos, onde o lençol freático pode aflorar, aparecem os oásis, com uma vegetação mais heterogênea. São verdadeiras ilhas no interior da aridez.

1.5 AS ZONAS MONTANHOSAS p.30 Podem se localizar em qualquer região do planeta, desde que tenha havido colisão de placas tectônicas durante o período Terciário da Era Cenozóica. Apresentam elevadas altitudes (acima de 4000 metros) e baixas pressões atmosféricas. As principais cordilheiras montanhosas localizadas em região tropical são os Andes (América do Sul) e Kilimanjaro (Centro da África), enquanto nas regiões temperadas aparecem os Alpes (norte da Itália), Himalaia (norte da Índia) e Rochosas (oeste dos Estados Unidos). Tanto o clima quanto a vegetação variam com a altitude, conforme a figura abaixo. No sopé destas regiões, o clima é aquele que marca a região (tropical ou temperado, dependendo da localização). Já no topo das montanhas, aparece neves eternas, resultado das baixíssimas temperaturas, e as precipitações são intensas. Com relação à vegetação, a mudança de altitude mostra uma diversificação vegetal, muito semelhante ao que ocorre com a variação de latitude.

vegetal, muito semelhante ao que ocorre com a variação de latitude. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 57 GEOGRAFIA
vegetal, muito semelhante ao que ocorre com a variação de latitude. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 57 GEOGRAFIA

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

57
57

GEOGRAFIA

Exercícios de aula 1. (UEPB/07) Os desertos são ecossistemas cujo aspecto comum são a aridez
Exercícios de aula 1. (UEPB/07) Os desertos são ecossistemas cujo aspecto comum são a aridez
Exercícios de aula 1. (UEPB/07) Os desertos são ecossistemas cujo aspecto comum são a aridez

Exercícios de aula

1. (UEPB/07) Os desertos são ecossistemas cujo aspecto comum são a

aridez e a alta amplitude térmica diária, condições que definem as características da flora, da fauna, mas, também, da cultura dos povos que neles vivem. Enumere a coluna 2 associando-a à coluna 1.

COLUNA 1 (1) Deserto de Atacama. (2) Deserto do Saara (3) Deserto de Gobi (4) Deserto do Colorado

COLUNA 2 ( ) Localizado no oeste dos Estados Unidos, apresenta cenários cinematográficos esculpidos pela natureza, tais como o Grand Canyon e Monument Valley, hoje, muito explorados pelas atividades turísticas. Os

vários povos nativos, tais como o navajos e hopis, que habitam a região, tentam preservar suas tradições, mesmo com todos os apelos capitalistas voltados para o turismo.

( ) É a região mais seca do mundo, porém rica em recursos minerais, com

destaque para o cobre e o sal. Situa-se entre o oceano Pacífico e a cordilheira dos Andes, formando um estreito corredor de altitude média em torno dos 2000 m. A água que sustenta a vida aí existente é proveniente do derretimento da neve. Entre as espécies animais

adaptadas a estas condições extremas estão o guanaco e os flamingos. Há também grupos humanos que habitam a região há milhares de anos e ainda preservam muitas de suas tradições.

( ) Maior deserto do mundo, apresenta temperaturas que atingem os 55 °C

diurno e uma amplitude térmica diária que varia entre 15 e 30 °C. É habitado por povos nômades, dos quais os tuaregues, que percorrem o deserto com suas caravanas de camelos, são os mais conhecidos. É rico em recursos minerais, dentre os quais, o petróleo, em torno do qual começa a

haver mudanças dos costumes milenares, tal como a redução do nomadismo.

( ) Deserto frio e seco da Ásia Central, com altitude superior a 1000 m sobre o planalto da Mongólia, é habitado por reduzida população de nômades que sobrevivem do pastoreio. A sequência correta das assertivas é:

a)

2 4 1 3

b)

4 2 3 1

c)

4 1 2 3

d)

3 1 4 2

e)

1 4 3 2

2.

(UFPB/00-1) O modo de produção capitalista apresenta, entre outras, a

característica social dos extremos de riqueza e de pobreza, tanto em nível individual ( pessoa rica X pessoa pobre) como em nível coletivo (país rico X país pobre). Em nível espacial, o capitalismo produz os países ricos e os países pobres. Nesse sentido, é correto afirmar que os países ricos, ao contrário dos países pobres, são aqueles:

a)possuem muitos recursos naturais. b)Possuem elevada extensão territorial. c)Apresentam numerosa população. d)Historicamente dominaram e se apropriaram de grande parte das riquezas mundiais. e)Se beneficiaram de um clima favorável, a exemplo do tipo temperado.

Exercícios para casa

1. (UFMG) Todas as afirmativas sobre as regiões árticas estão corretas,

exceto:

a) As noites muito longas de inverno, sucedem aos dias muito longos de

verão e, assim, ocorrem as maiores amplitudes de duração entre o dia e

noite.

b) As precipitações são escassas, com valores absolutos que lembram os

das regiões semidesérticas e caem quase sempre na forma de neve.

c) A umidade absoluta do ar é elevada, e os ventos são fracos ou quase

ausentes, o que torna a atmosfera pesada e sufocante.

d) Os longos e rigorosos invernos com meses de médias de algumas

dezenas de graus negativos sucedem aos curtos e fracos verões com meses de temperaturas médias positivas.

e) Os sistemas atmosféricos mais frequentes e geradores dos tipos de

temperatura e de clima são os anticiclones polares e árticos, as depressões

e as frentes polares.

2. (Fuvest/97) A existência de extensas áreas secas localizadas nas costas

ocidentais dos continentes em latitudes vizinhas a ambas os trópicos é

determinada, essencialmente, pela:

a)

dinâmica atmosférica controlada pela zona de convergência intertropical.

b)

presença de áreas de baixa pressão atmosférica.

c)

alternância entre massas polares e equatoriais em tais latitudes.

d)

presença de correntes marítimas quentes ao longo dos litorais.

e)

presença de correntes marítimas frias ao longo dos litorais.

3.

(UEPB/01) Em relação ao estudo dos elementos físicos do espaço, é

correto afirmar que:

a)

O estudo das paisagens naturais teve importância quando a ação humana estava condicionada à força da natureza.

b)

Apesar de todo avanço científico, a humanidade ainda não consegue ter o domínio total sobre a natureza, e o conhecimento de sua dinâmica é um passo importante no sentido de interromper o processo de degradação e destruição do meio natural.

c)

Com os avanços tecnológicos as sociedades mais desenvolvidas impõem seu próprio ritmo à natureza. Os sistemas agrícolas altamente mecanizados e o controle de cheias são exemplos da independência humana aos fenômenos naturais.

d)

A ação humana ainda é condicionada ao meio físico e o clima é capaz de facilitar ou de dificultar o desenvolvimento de uma sociedade.

e)

Os elementos da natureza não interessam à geografia cujo objeto de estudo é a sociedade especializada, e não os aspectos naturais.

4.

(UFPB/95-2) As regiões naturais do globo, em processo de

desertificação, caracterizam-se por:

a) apresentarem baixas precipitações bem distribuídas ao longo do ano.

b) Terem uma vegetação higrófila de baixo porte.

c) Sofrerem regressões ecológicas, tal como: diminuição dos processos erosivos.

d) Diminuírem suas taxas de evapotranspiração.

e)Terem instabilidade climática e solos rasos

GABARITO:

1-C 2-E

3- B

4- D

e)Terem instabilidade climática e solos rasos GABARITO: 1-C 2-E 3- B 4- D SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
e)Terem instabilidade climática e solos rasos GABARITO: 1-C 2-E 3- B 4- D SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

58
58

GEOGRAFIA