Sunteți pe pagina 1din 270

Curso de Matemática Nível Médio

Objetivo

O curso objetiva a vivência da matemática no dia-a-dia, através de exemplos do cotidiano,

colocando o aluno em situações desafiadoras e interessantes da matemática aplicada, buscando complementar e colaborar com os estudos para a participação em concursos. Os conteúdos serão abordados com uma linguagem bem simples e detalhados, sem, contudo, comprometer a qualidade do trabalho, o qual, para a maioria dos alunos, é de grande ajuda, pois envolve conceitos matemáticos já esquecidos.

Metodologia

A metodologia utilizada contempla a transmissão das aulas on line.

Nível do Curso

Preparatório para concursos e Curso de Extensão

PÚBLICO-ALVO Alunos interessados em prestar concursos: tribunais, bancários ou fiscais, assim como polícia federal de nível médio e superior. O curso pode ser administrado também para professores da rede pública e particular, alunos dos cursos da área de Ciências Exatas e demais interessados.

Carga horária

O curso terá a carga horária dividida em 11 Unidades Temáticas.

PROGRAMA

Conjuntos: simbologiacarga horária dividida em 11 Unidades Temáticas. PROGRAMA Noções e conceitos básicos o Triângulo de Pascal

Noções e conceitos básicosem 11 Unidades Temáticas. PROGRAMA Conjuntos: simbologia o Triângulo de Pascal o Seqüência de Fibonacci

o

Triângulo de Pascal

o

Seqüência de Fibonacci

o

Outras aplicações e seqüências

01. Conjuntos: Operação com conjuntos, simbologia, problemas.

02. Conjuntos numéricos. Relações.

Aritmética.simbologia, problemas. 02. Conjuntos numéricos. Relações. 03. Sistema Métrico Decimal (MKS) 04. Matemática Comercial

03. Sistema Métrico Decimal (MKS)

04. Matemática Comercial Razão: conceitos e aplicações Problemas envolvendo velocidade, usando o conceito de velocidade relativa da Física.

usando o conceito de velocidade relativa da Física. Escalas: o uso de escala para comprimento, área

Escalas: o uso de escala para comprimento, área e volume.Razão: conceitos e aplicações Problemas envolvendo velocidade, usando o conceito de velocidade relativa da Física.

Problemas envolvendo números fracionários na forma de razão. ProporçãoGrandezas diretas e inversamente proporcionais usando as propriedades básicas de proporção. o Aplicações do uso

Grandezas diretas e inversamente proporcionais usando as propriedades básicas de proporção.

o Aplicações do uso de cotas em problemas de regra da sociedade.

Regra de Trêsdo uso de cotas em problemas de regra da sociedade. o Simples o Composta Média Harmônica

o

Simples

o

Composta

Média Harmônica : uso e aplicações Porcentagemda sociedade. Regra de Três o Simples o Composta o Cálculo o Uso da taxa unitária

o

Cálculo

o

Uso da taxa unitária como melhor alternativa para matemática financeira.

o

Definições e conceitos básicos

o

Operações com mercadorias

o

Descontos e aumentos sucessivos

o

Aplicação no dia-a-dia

Juros Simples: fórmula e problemas Compostos: dedução da fórmula e aplicações. Esboço do gráfico comparativo dos dois sistemas: simples e composto Problemas envolvendo situações de juros do nosso dia a dia Taxas real, efetiva, proporcional, equivalentes e aparentes usadas no sistema financeiro.

Situações polêmicas aplicando o uso dessas taxas e interpretação das mesmas.equivalentes e aparentes usadas no sistema financeiro. 05. Função; conceito, domínio e eimagem Análise

05. Função; conceito, domínio e eimagem

Análise degráficosdas mesmas. 05. Função; conceito, domínio e eimagem Valor numérico Função composta Função inversa Função

Valor numéricoFunção; conceito, domínio e eimagem Análise degráficos Função composta Função inversa Função do 1º grau

Função compostadomínio e eimagem Análise degráficos Valor numérico Função inversa Função do 1º grau Função do 2º

Função inversaAnálise degráficos Valor numérico Função composta Função do 1º grau Função do 2º grau Inequações

Função do 1º grauValor numérico Função composta Função inversa Função do 2º grau Inequações Gráfico de exponenciais e

Função do 2º grauFunção composta Função inversa Função do 1º grau Inequações Gráfico de exponenciais e logarítmica

InequaçõesFunção inversa Função do 1º grau Função do 2º grau Gráfico de exponenciais e logarítmica Translação

Gráfico de exponenciais e logarítmicaFunção do 1º grau Função do 2º grau Inequações Translação e rotação de eixos Análise de

Translação e rotação de eixosgrau Inequações Gráfico de exponenciais e logarítmica Análise de gráficos através datranslação e rotação

Análise de gráficos através datranslação e rotaçãoe logarítmica Translação e rotação de eixos Questões diversas 06. Equações exponenciais 07. Logaritmo

Questões diversasAnálise de gráficos através datranslação e rotação 06. Equações exponenciais 07. Logaritmo 08. Sequências

06. Equações exponenciais

07. Logaritmo

08. Sequências

Progressões aritméticase rotação Questões diversas 06. Equações exponenciais 07. Logaritmo 08. Sequências Progressões geométricas

Progressões geométricase rotação Questões diversas 06. Equações exponenciais 07. Logaritmo 08. Sequências Progressões aritméticas

09.

Análise Combinatória

10. Probabilidades

11. Estatística

ConceitosAnálise Combinatória 10. Probabilidades 11. Estatística Freqüências absoluta e relativas Tabelas e gráficos Moda,

Freqüências absoluta e relativasCombinatória 10. Probabilidades 11. Estatística Conceitos Tabelas e gráficos Moda, mediana e média Medidas de

Tabelas e gráficosEstatística Conceitos Freqüências absoluta e relativas Moda, mediana e média Medidas de dispersão Questões

Moda, mediana e médiaFreqüências absoluta e relativas Tabelas e gráficos Medidas de dispersão Questões envolvendo médias

Medidas de dispersãoe relativas Tabelas e gráficos Moda, mediana e média Questões envolvendo médias Variância Desvio padrão

Questões envolvendo médiase gráficos Moda, mediana e média Medidas de dispersão Variância Desvio padrão Família: Nível Médio

Variânciae média Medidas de dispersão Questões envolvendo médias Desvio padrão Família: Nível Médio Disciplina:

Desvio padrãode dispersão Questões envolvendo médias Variância Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista:

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos UE 01: Introdução e Simbologia: Considerações iniciais; Símbolo de pertinência e inclusão; Bloco de conteúdo: 01

Resumo: Daremos início ao estudo de Matemática

A idéia de conjunto e seus subconjuntos devem estar diretamente relacionados com a lógica e toda sua simbologia:

Simbologia:

relacionados com a lógica e toda sua simbologia: Simbologia: pertence não pertence está contido não está

pertence não pertence está contido não está contido

contém não contém união (ou) interseção(e) diferença(exceto) Dica: A ou B é o mesmo que

contém não contém união (ou) interseção(e) diferença(exceto)

Dica:

A ou B é o mesmo que A

A e B é o mesmo que A

Exceto B é o mesmo que

A B ; Não B

B
B

B

B.

Jamais

SUBCONJUNTOS OU PARTES DE UM CONJUNTO

; Não B B B B. Jamais SUBCONJUNTOS OU PARTES DE UM CONJUNTO Sejam os conjuntos

Sejam os conjuntos A e B, onde os elementos de B estão contidos em A, então dizemos que B

(B está contido em A) ou que A

conjunto. Obs.: Número de Subconjuntos é dado por 2 n , onde n é número de elementos do conjunto.

A
A
por 2 n , onde n é número de elementos do conjunto. A B (A contém

B (A contém B). O conjunto vazio está contido em qualquer

Ex.: A = { 1,2,3} o número de subconjuntos será 2 3 = 8 subconjuntos, ou seja,

P(A)={

subconjuntos será 2 3 = 8 subconjuntos, ou seja, P(A)={ , {1},{2},{3},{1,2},{1,3},{2,3},{1,2,3}} Família: Nível

, {1},{2},{3},{1,2},{1,3},{2,3},{1,2,3}}

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos UE 02: Subconjuntos / Triângulo de Pascal Bloco de conteúdo: 02

Na última unidade de estudos vimos que : Número de Subconjuntos é dado por 2 n , onde n é número de elementos do conjunto.

Resumo: Questão de subconjuntos e construção do Triângulo de Pascal.

Questão: Um conjunto passa a possuir 512 subconjuntos depois de retirarmos 3 elementos de um outro conjunto. Quantos subconjuntos tinha o primeiro conjunto?

Resolução:

512 = 2 n , logo ao fatorarmos 512 = 2 9 , ou seja, o novo conjunto tem n = 9, mais 03 elementos

teremos 12 elementos. Então o primeiro conjunto ficará com 2 12 = 4.096 subconjuntos.

O Triângulo de Pascal assim como o conhecemos, na verdade não foi descoberto por Pascal,

ou por Tartaglia, como é conhecido na Itália; na verdade o cálculo de combinações e arranjos, data 200 a.c. com Pingala, na Índia.

Na China, 1700 antes de Pascal, mas em 1.654 um famoso jogador denominado “O Cavaleiro de Méré” escreveu uma carta ao famoso matemático Blaise Pascal, propondo-lhe resolver alguns problemas matemáticos como jogos de dados e probabilidades.

Triângulo de Pascal

N=0

1

               

N=1

1

 

1

             

N=2

1

N=2 1 2   1            

2

 

1

           

N=3

1

 

3

N=3 1   3   3   1          
 

3

 

1

         

N=4

1

 

4

 

6

N=4 1   4   6   4   1        
 

4

 

1

       

N=5

1

 

5

10

   

10

N=5 1   5 10     10   5   1      
 

5

 

1

     

N=6

1

 

6

15

   

20

 

15

N=6 1   6 15     20   15   6   1    
 

6

 

1

   

N=7

1

 

7

21

   

35

 

35

 

21

N=7 1   7 21     35   35   21   7 1  
 

7

1

 

N=8

1

 

8

28

   

56

 

70

 

56

 

28

N=8 1   8 28     56   70   56   28 9 1

9

1

 

P=0

P=1

P=2

P=3

 

P=4

 

P=5

 

P=6

 

P=7

P=8

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos UE 03: Triângulo de Pascal e suas propriedades / descobertas Bloco de conteúdo: 03 CURIOSODADE Cor da pele humana

No caso da cor da pele humana, considerando apenas 5 fenótipos, envolvendo dois pares de genes N e B, que teriam a mesma função, ou seja, acrescentar uma certa quantidade de melanina à pele, se efetivos (N ou B) ou não acrescentar nada, se não efetivos (n ou b). Se acontecer um cruzamento entre dihíbridos, quais serão as proporções fenotípicas da descendência? Usando a Genética: (quais são os gametas e os tipos possíveis de filhos gerados?)

Apresentação: Propriedades do Triângulo de Pascal Toda linha começa e termina com o número 1. Relação de Stifel: Cada número do triângulo de Pascal é igual à soma do número imediatamente acima e do antecessor do número de cima. Simetria: O triângulo de Pascal apresenta simetria em relação à altura. A soma das linhas é sempre 2 n , onde n é o número da linha. Os números naturais aparecem na segunda diagonal.

da linha. Os números naturais aparecem na segunda diagonal. Aplicação matemática do Triângulo de Pascal (a+b)²
da linha. Os números naturais aparecem na segunda diagonal. Aplicação matemática do Triângulo de Pascal (a+b)²

Aplicação matemática do Triângulo de Pascal (a+b)² = 1a² + 2ab + 1b² (n=2) (a+b)³ = 1a³ + 3a²b + 3ab² + 1b³ (n=3)

do Triângulo de Pascal (a+b)² = 1 a² + 2 ab + 1 b² (n=2) (a+b)³
(a+b) 4 = 1 a 4 + 4 a 3 b 1 + 6 a

(a+b) 4 = 1a 4 + 4a 3 b 1 + 6a 2 b 2 + 4a 1 b 3 + 1b 4 (n=4)

Método

· em cada monômio da expressão algébrica há um produto do termo a pelo termo b, isto é a.b ;

· a partir do primeiro monômio os expoentes de a vão “decrescendo” e os de b vão “crescendo”;

· a soma dos expoentes de cada monômio da expressão algébrica é igual ao expoente do binômio;

· o primeiro expoente de a é igual ao expoente do binômio e o último é zero;

· o primeiro expoente de b é zero e o último é igual ao expoente do binômio;

· a expressão algébrica possuirá 1 termo a mais que o expoente do binômio.

· em todos os termos aparece o produto a.b (lembre-se que a 0 = b 0 = 1, a 1 = a , b 1 = b)

· expoentes de a: 5, 4, 3, 2, 1, 0 (ordem decrescente)

· expoentes de b: 0, 1, 2, 3, 4, 5 (ordem crescente)

· soma do expoentes de a e de b em cada monômio:5 (expoente do binômio)

· a expressão algébrica obtida possui 6 termos (5 + 1)

Qual é o desenvolvimento do binômio ( a + b ) 6

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos UE 04: Triângulo de Pascal : Problemas de Combinatória Bloco de conteúdo: 04

O triângulo de pascal também pode ser usado como ferramenta nos problemas de análise

combinatória, onde teremos a linha representando os elementos disponíveis e a coluna representando os elementos “pedidos”.

Questão 01 (ESAF) 1.Formam-se comissões de três professores escolhidos entre os sete de uma escola.

O número de comissões distintas que podem, assim, ser formadas é:

a)35

b)45

c)210

d)7 3

Comentário: N=7 e P=3

35 (Vide triângulo). (Vide triângulo).

Questão 02 (CESPE) Julgue os itens seguintes quanto aos princípios de contagem.

2. (UNB/Téc. Ad./ANCINE/2006) Suponha que uma distribuidora de filmes tenha 6 filmes de animação e 5 comédias para distribuição. Nesse caso, é superior a 140 e inferior a 160 o número de formas distintas pelas quais 4 desses filmes podem ser distribuídos de modo que 2 sejam comédias e 2 sejam de animação.

Comentário:

- Comédia: N=05 e P=02

- Animação: N06 e P=02

10 15
10
15

10 x 15 = 150. O item está correo.

Questão 03 (CESPE) Considere que 7 tarefas devam ser distribuídas entre 3 funcionários de uma repartição de modo que o funcionário mais recentemente contratado receba 3 tarefas, e os demais, 2 tarefas cada um. Nessa situação, sabendo-se que a mesma tarefa não será atribuída a mais de um funcionário, é correto concluir que o chefe da repartição dispõe de menos de 120 maneiras diferentes para distribuir essas tarefas.

Comentário:

- 3 em 7 (N=07 e P=03) = 35

- 2 em 4 (N=04 e P=02) = 6

- 2 em 2 (N=02 e P=02) = 1

= 35 - 2 em 4 (N=04 e P=02) = 6 - 2 em 2 (N=02

35 x 6 x 1 = 210.

4.(TRT/9ª) Em um tribunal, os julgamentos dos processos são feitos em comissões compostas por 3 desembargadores de uma turma de 5 desembargadores. Nessa situação, a quantidade de maneiras diferentes de se constituírem essas comissões é superior a 12.

5. (FUNIVERSA - 2010 - CEB Advogado) A cela da delegacia D1 tem capacidade para abrigar, em caráter provisório, 6 detentos. Na noite em que foram capturados 4 homens e 5

mulheres, 3 dessas pessoas tiveram que ser transportadas para a cela de outra delegacia. De quantas maneiras distintas puderam ser selecionados os 6 que ficariam na se, de acordo com as normas dessa delegacia, o número de homens não pode exceder o número de mulheres naquela cela?

a) 44

b) 54

c) 64

d) 74

e) 84

6. Se M = { 1, 2, 3, … 7}; o número de subconjuntos de M, com 3 elementos, é igual a:

a) 6

b) 21

c) 35

d) 49

e) 210

7. Uma empresa é formada por 6 sócios brasileiros e 4 japoneses. De quantos modos podemos formar uma diretoria de 5 sócios, sendo 3 brasileiros e 2 japoneses?

brasileiros e 4 japoneses. De quantos modos podemos formar uma diretoria de 5 sócios, sendo 3

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos UE 05: Números Triangulares Bloco de conteúdo: 05 Apresentação: Estudaremos os Números Triangulares.

05 Apresentação: Estudaremos os Números Triangulares. Números Triangulares, também chamados de números

Números Triangulares, também chamados de números figurados, é um número que pode ser representado na forma de um triângulo eqüilátero. Tais números são calculados através de duas fórmulas:

T(n) = 1+2+3+

+n

que é o mesmo que: T n = [n(n+1)]/2

Ou como no teorema: O quadrado de todo número inteiro maior que um é a soma de dois números triangulares consecutivos. T(1) = 1 T(n+1) = T(n)+(n+1)

Questão de prova: (FCC)Um número que pode ser representado pelo padrão abaixo é chamado número triangular.

pelo padrão abaixo é chamado número triangular. A soma dos oito primeiros números triangulares é a)

A soma dos oito primeiros números triangulares é

a) 110

b) 120 d) 140

Comentário: Resposta: 120. 1+2 = 3+3 = 6+4 = 10+5 = 15+6 = 21+7 = 28+8 = 36. 1+3+6+10+15+ 21+28+36 = 120.

Questão de Prova (FUNDEP)

“No meio do caminho tinha uma pedra tinha uma pedra no meio do caminho.” Carlos Drummond de Andrade Suponha que Ronando passa por esse caminho todo dia. Suponha, ainda, que, no caminho de Ronando, uma nova pedra se soma às anteriores, a cada dia. Assim sendo, é CORRETO afirmar que, no final de 100 dias, Ronando terá tido em seu caminho a)100 pedras. b)5.050 pedras. c)6.250 pedras. d)8.850 pedras

Comentário: Fórmula:

n

n(n 1)
n(n
1)

2

= (100 x 101):2 = 5050.

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos UE 06: Números figurados, Sequência de Fibonacci e suas aplicações Bloco de conteúdo: 06

de Fibonacci e suas aplicações Bloco de conteúdo: 06 (FCC) Números figurados são assim chamados por

(FCC) Números figurados são assim chamados por estarem associados a padrões geométricos. Veja dois exemplos de números figurados.

geométricos. Veja dois exemplos de números figurados. A tabela abaixo traz algumas seqüências de números

A tabela abaixo traz algumas seqüências de números figurados. Questão:

traz algumas seqüências de números figurados. Questão: Observando os padrões, os elementos da quinta coluna,

Observando os padrões, os elementos da quinta coluna, respeitando a ordem da tabela, devem ser

a) 20, 30, 40, 50

b) 18, 28, 45, 50

c) 16, 36, 46, 56

d) 15, 25, 40, 50

e) 15, 25, 35, 45

Gabarito: E

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática

Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos UE 07: Fibonacci Bloco de conteúdo: 07 Muitos estudantes de matemática , ciências ou artes ouviram falar de Fibonacci somente por causa do seguinte problema do Liber abaci: um homem pôs um par de coelhos num lugar cercado por todos os lados por um muro. Quantos pares de coelhos podem ser gerados a partir deste par em um ano se, supostamente, todo mês cada par dá à luz a um novo par que é fértil a partir do segundo mês? Logo a sequência fica: 1,1,2,3,5,8,13,21,34,55,89,

"as somas dos números dispostos ao longo das diagonais do triângulo geram a Sucessão de Fibonacci".Na tentativa de visualizar melhor as diagonais em questão, façamos uma reorganização dos elementos do Triângulo de Pascal:

uma reorganização dos elementos do Triângulo de Pascal: Se dividirmos cada termo desta sequência, a partir

Se dividirmos cada termo desta sequência, a partir do 21, pelo seu precedente obteremos aproximadamente o número 1,618, o “número de ouro” dos gregos:

21:13=1,61538;

Razão Áurea pode ser escrita como:

34:21=1,61904; 55:34=1,61764; 89:55=1,61818

Existem várias aplicações da sucessão de Fibonacci, ou mesmo da razão áurea, tais como O Nautilus, a razão entre as diversas configurações de uma borboleta, a razão entre os ossos de cada membro do nosso corpo, as simetrias dos animais e plantas, a simetria do nosso rosto, em odontologia a Peri ontologia é baseada na razão áurea, movimentos de freqüência na física, etc.

do nosso rosto, em odontologia a Peri ontologia é baseada na razão áurea, movimentos de freqüência

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos UE 08: Diagramas de Venn Bloco de conteúdo: 08

INTERSEÇÃO: Se dois conjuntos quaisquer possuem elementos em comum, estes

 

formam a INTERSEÇÃO destes conjuntos. A B}

formam a INTERSEÇÃO destes conjuntos. A B}
B = {x

B = {x

/

x

A
A

e

x

 

Exemplos:

Propriedades

 
  1) A 2) A 3) A A = A = B = B A
  1) A 2) A 3) A A = A = B = B A
  1) A 2) A 3) A A = A = B = B A
 

1) A

2) A

3) A

A = A = B = B A
A = A
=
B = B
A

UNIÃO:

Dados dois conjuntos quaisquer, a UNIÃO destes conjuntos é agrupar em um

só conjunto os elementos de ambos os conjuntos. A B}

só conjunto os elementos de ambos os conjuntos. A B}
B

B

=

{ x / x

= { x / x A ou x

A ou x

Exemplos:

Propriedades

    1) A 2) A 3) A A = A = A B =
    1) A 2) A 3) A A = A = A B =
   

1) A

2) A

3) A

A = A = A B = B A
A = A
= A
B = B
A

DIFERENÇA: Dados dois conjuntos quaisquer, a DIFERENÇA entre eles é tirar do

 
 

primeiro os elementos comuns aos dois.

A

-

B

=

{ x / x

A
A

e

x

B }

B }

Exemplos:

Observação

 
  B A então (A – B) é
  B A então (A – B) é
 

B

A
A

então (A B) é

o conjunto complementar

de B em relação a A.

C

A B = A A -B, com

A B = A A -B, com

B

Ques

tão:

11.(F

-

SJC

te

rio )

Em

relaç

ão às

pesso

as

prese

ntes em uma festa, foi feito o diagrama abaixo, no qual temos:

em uma festa, foi feito o diagrama abaixo, no qual temos: P: conjunto das pessoas presentes

P: conjunto das pessoas presentes nessa festa; M: conjunto dos presentes nessa festa que são do sexo masculino; C: conjunto das crianças presentes nessa festa.

Assinale o diagrama em que o conjunto dos presentes na festa que são do sexo feminino está representado em cinza.

Assinale o diagrama em que o conjunto dos presentes na festa que são do sexo feminino

a)

Assinale o diagrama em que o conjunto dos presentes na festa que são do sexo feminino

b)

c)

d)

b) c) d) e) A alternativa ( A ) é a resposta. 12.(Prova: FCC - 2010

e)

b) c) d) e) A alternativa ( A ) é a resposta. 12.(Prova: FCC - 2010
b) c) d) e) A alternativa ( A ) é a resposta. 12.(Prova: FCC - 2010
b) c) d) e) A alternativa ( A ) é a resposta. 12.(Prova: FCC - 2010
b) c) d) e) A alternativa ( A ) é a resposta. 12.(Prova: FCC - 2010

A alternativa (A) é a resposta.

12.(Prova: FCC - 2010 - BAHIAGÁS Téc.Processos Organizacionais Adm) Admita as frases seguintes como verdadeiras. I. Existem futebolistas (F) que surfam (S) e alguns desses futebolistas também são tenistas (T).

II. Alguns tenistas e futebolistas também jogam vôlei (V).

III. Nenhum jogador de vôlei surfa.

A representação que admite a veracidade das frases é:

também jogam vôlei (V). III. Nenhum jogador de vôlei surfa. A representação que admite a veracidade

a)

também jogam vôlei (V). III. Nenhum jogador de vôlei surfa. A representação que admite a veracidade

b)

c)

d)

e)

b) c) d) e) A alternativa ( A ) é a resposta. Questão 13: Em uma
b) c) d) e) A alternativa ( A ) é a resposta. Questão 13: Em uma
b) c) d) e) A alternativa ( A ) é a resposta. Questão 13: Em uma
b) c) d) e) A alternativa ( A ) é a resposta. Questão 13: Em uma

A alternativa (A) é a resposta.

Questão 13: Em uma universidade são lidos dois jornais, A e B; exatamente 80% dos alunos lêem o jornal A e 60%, o jornal B. Sabendo que todo aluno é leitor de pelo menos um dos jornais, determine o percentual de alunos que lêem ambos? Resposta : 40%

Uma pesquisa de opinião envolvendo, apenas, dois candidatos (A e B) determinou que 57% das pessoas eram favoráveis ao candidato A e que 61% eram favoráveis ao candidato B. Sabendose que 23% eram favoráveis tanto ao candidato A quanto ao B, é CORRETO afirmar que

a) a pesquisa não é válida, pois o total das preferências, considerando o candidato A
a)

a)

a pesquisa não é válida, pois o total das preferências, considerando o candidato A e o candidato B, é

de 118%, o que não é, logicamente, possível.

exatamente 5% das pessoas entrevistadas não são favoráveis a nenhum dos dois candidatos. b)

exatamente 5% das pessoas entrevistadas não são favoráveis a nenhum dos dois candidatos.b)

b)

exatamente 4% das pessoas entrevistadas são favoráveis ao candidato A, mas não, ao candidato B.

exatamente 4% das pessoas entrevistadas são favoráveis ao candidato A, mas não, ao candidato B.c)

c)

exatamente 4% das pessoas entrevistadas são favoráveis ao candidato B, mas não, ao candidato A.

exatamente 4% das pessoas entrevistadas são favoráveis ao candidato B, mas não, ao candidato A.d)

d)

exatamente 38% das pessoas entrevistadas são favoráveis ao candidato A e indiferentes ao candidato e)

exatamente 38% das pessoas entrevistadas são favoráveis ao candidato A e indiferentes ao candidatoe)

e)

B.

A alternativa (B) é a resposta.

Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos UE 09: Dica de resolução Bloco de conteúdo: 09

Para resolvermos as questões de conjunto devemos antes demais nada ler atentamente o enunciado e iniciarmos a solução pelas interseções, para depois computarmos os outros dados do problema. Veja as questões e acompanhe a solução:

1. Numa escola de 870 alunos, 450 deles estudam Finanças, 320 estudam Lógica e 110 deles estudam as duas matérias (Finanças e Lógica). Pergunta-se:

a) quantos alunos estudam APENAS Finanças?

b) quantos alunos estudam APENAS Lógica?

c) quantos alunos estudam Finanças ou Lógica?

d) quantos alunos estudam nenhuma das duas disciplinas?

RESPOSTAS:

340

estudam apenas Finanças

210

estudam apenas Lógica

660

(340 + 210 + 110) estudam Finanças ou Lógica

210

não estudam nem Finanças e nem Lógica, pois estão fora dos diagramas.

(FUNDEP) Numa pesquisa de mercado, foram entrevistadas várias pessoas acerca de suas preferências em relação a 3 produtos: A, B e C. Os resultados das pesquisas indicaram que:

210

pessoas compram o produto A

210

pessoas compram o produto B

250

pessoas compram o produto C

20 pessoas compram os 3 produtos

100 pessoas não compram nenhum dos 3

60

pessoas compram os produtos A e B

70

pessoas compram os produtos A e C

50

pessoas compram os produtos B e C

Quantas pessoas foram entrevistadas?

a) 670

b) 970

c) 870

d) 610

Solução: Primeiramente, vamos solucionar o problema usando o Diagrama de Venn:

Somando tudo 100 + 40 + 20 + 50 + 120 + 30 + 150

Somando tudo 100 + 40 + 20 + 50 + 120 + 30 + 150 + 100 = 610 entrevistados ( letra d). E se perguntássemos o seguinte:

Qual a probabilidade de que ao sortearmos uma pessoa aleatoriamente, ela seja:

a) Consumidora de apenas um dos produtos?

P

1

ela seja: a) Consumidora de apenas um dos produtos? P 1 370 61 37 610 b)

370

ela seja: a) Consumidora de apenas um dos produtos? P 1 370 61 37 610 b)

61

37

610

b) Consumidora de no mínimo 02 produtos?

P

2

370 61 37 610 b) Consumidora de no mínimo 02 produtos? P 2 140 61 14

140

61 37 610 b) Consumidora de no mínimo 02 produtos? P 2 140 61 14 610

61

14

610

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos

UE 10: Problema da Pizza Bloco de conteúdo: 10

Neste bloco trabalharemos com a primeira lei da lógica que é a Lei da Exclusão, ou seja, só existem dois valores : certo ou errado; gosto ou não gosto; verdade ou mentira, etc. Na questão a seguir podemos resolvê-la usando esta idéia:

Questão: (FUNDEP)Uma escola realizou uma pesquisa sobre os hábitos alimentares de seus alunos. Alguns resultados dessa pesquisa foram:

• 82% do total de entrevistados gostam de chocolate;

• 78% do total de entrevistados gostam de pizza; e

• 75% do total de entrevistados gostam de batata frita.

Então, é CORRETO afirmar que, no total de alunos entrevistados, a porcentagem dos que gostam,

ao mesmo tempo, de chocolate, de pizza e de batata frita é, pelo menos, de

A) 25%.

B) 30%.

C) 35%.

D) 40%.

Solução:

Quando somamos 82% + 78% + 75% = 235%, ou seja passam 135% de um todo( 100%) que é o equivalente às interseções de choc. com pizza e com batata( a flor do centro); porém ao somarmos dois a dois como se os alunos sempre consumissem no mínimo dois tipos de alimento, teremos:

82

+ 75 = 157%, passou 57%

82

+ 78 = 160%, passou 60%

75

+ 78 = 153%, passou 53%

Somando agora o que passou obtemos 170% e deveria ser 135%, como achamos acima, logo 35% “estão repetidos”, ou seja, consomem os três alimentos, no mínimo.

Ou ainda usando a lei da exclusão, acompanhe a explicação.

18. (DESAFIO) Uma pesquisa foi feita no melhor curso do Brasil, IOB , contando-se 1000 alunos, 800 dos quais são mulheres, 850 prestarão prova em Campinas, 750 usarão caneta azul e 700 levarão garrafinha de água. Qual o número mínimo de alunos que apresentam, ao mesmo tempo, todas as características citadas?

a) 50

b) 100

c) 150

d) 200

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos 1 UE 11: Férias em Cabo Frio Bloco de conteúdo: 11

Questão das Férias do Prof. Délio em Cabo Frio

No último verão, o professor Délio passou com sua família alguns dias na praia. Houve sol pela manhã em 7 dias e sol à tarde em 12 dias. Em 11 dias houve chuva e se chovia pela manhã, não chovia à tarde. Quantos dias o professor Délio passou na praia?

a) 11

b) 12

c) 13

d) 14

e) 15

Ma7ˆ :Esta dica serve apenas para este estilo de problema:

É só somarmos tudo e o resultado dividirmos por 2:

7 + 12 + 11 = 30

tudo e o resultado dividirmos por 2: 7 + 12 + 11 = 30 30 :

30 : 2 = 15 dias

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos UE 12: Questões envolvendo sistemas lineares Bloco de conteúdo: 12

Neste bloco vamos resolver questões importantes de conjuntos que utilizam álgebra linear na solução, ou seja, o problema requer um pré-requisito de álgebra para a solução. Na resolução de problemas deste tipo devemos utilizar apenas operações aritméticas simples, para não alterar a dimensão do problema, ou seja, apenas operações lineares, como soma , subtração e multiplicação por uma constante, não alterando assim a grandeza em questão.

Veja a solução das questões abaixo:

Questão 01:Uma pesquisa foi feita com um grupo de pessoas que freqüentam, pelo menos, uma das três livrarias, A , B e C. Foram obtidos os seguintes dados:

das 90 pessoas que freqüentam a Livraria A, 28 não freqüentam as demais; das 84 pessoas que freqüentam a Livraria B, 26 não freqüentam as demais; das 86 pessoas que freqüentam a Livraria C, 24 não freqüentam as demais; oito pessoas freqüentam as três livrarias.

a) Determine o número de pessoas que freqüentam apenas uma das livrarias.

b) Determine o número de pessoas que freqüentam, pelo menos, duas livrarias.

c) Determine o número total de pessoas ouvidas.

Solução:

A 28 X 26 8 Y Z 24 C
A
28
X
26
8
Y
Z
24
C

B

De acordo com diagrama acima teremos:

28 8 x y 26 8 x z 24 8 y z
28
8
x
y
26
8
x
z
24
8
y
z

90

84

86

efetuandoas operações teremos

x y x z y z
x
y
x
z
y
z

54

50

54

se somarmos todas as

03 equações teremos :

2 x 2 y 2 z 158 54 z x y z 79 50 y
2
x
2
y
2
z
158
54
z
x
y
z
79
50
y
54
x

79

79

79

R1) 28 + 26 + 24 = 78 pessoas

R2) x + y + z

R3) 78 + 87 = 165 pessoas

+ 8 = 79 + 8 = 87 pessoas

Resp.: a) 78

b) 87

c) 165

logo

z y x
z
y
x

25

29

25

Questão 02:.Na compra de equipamentos para um grupo de técnicos, foram gastos R$ 1.040,00 em 4 arquivos, 3 cavaletes e 2 walkie talkie; logo depois foram gastos R$ 1.000,00 na compra de 2 arquivos, 3 cavaletes e 4 walkie talkie. Para adquirir um objeto de cada, ou seja, uma arquivo, um cavalete e um walkie talkie serão necessários:

a)R$ 324,00

b)R$ 360,00

c)R$ 280,00

d)R$ 340,00

e)R$ 420,00 Resposta: Letra D

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos UE 13: Questões Bloco de conteúdo: 13

Questão 03.(ESAF/Tec.M.Faz/2009) Em um determinado curso de pós-graduação, 1/4 dos participantes são graduados em matemática, 2/5 dos participantes são graduados em geologia, 1/3 dos participantes são graduados em economia, 1/4 dos participantes são graduados em biologia e 1/3 dos participantes são graduados em química. Sabe-se que não há participantes do curso com outras graduações além dessas, e que não há participantes com três ou mais graduações. Assim, qual é o número mais próximo da porcentagem de participantes com duas graduações?

a) 40%

b) 33%

c) 57%

d) 50%

e) 25%

Questão 04: Na seqüência de números 1, 2, 3, nem de 4 ?

a) 50

b) 48

c) 46

d) 44

e) 42

, 100, quantos números não são múltiplos de 3 e

SOLUÇÃO:

Múltiplos de 3 de 1 até 100 , é só dividir por 3 Múltiplos de 4 de 1 até 100 , é só dividir por 4 Múltiplos de 12 de 1 até 100 , é só dividir por 12

por 4 Múltiplos de 12 de 1 até 100 , é só dividir por 12 100

100 ÷ 3 = 33 e resto 1 100 ÷ 4 = 25

100 ÷ 12 = 8

e resto 4

O resto não é importante , mas sabemos que os divisores de 3 e 4, são divisíveis por 12, logo:

M(3) M(4) 33 – 8 = 8 25 – 8 = 25 17 100 –
M(3)
M(4)
33 – 8 =
8
25 – 8 =
25
17
100 – (25 + 8 + 17 ) = 50

Logo temos 50 números que não múltiplos nem de 2 e nem de 4,ok!

Questão 05:

Num grupo de 99 esportistas, 40 jogam vôlei; 20 jogam vôlei e xadrez; 22 jogam xadrez e tênis; 18 jogam vôlei e tênis, 11 jogam as três modalidades. O número de pessoas que jogam xadrez é igual ao número de pessoas que jogam tênis.

a) Quantos esportistas jogam tênis e não jogam vôlei?

b) Quantos jogam xadrez ou tênis e não jogam vôlei?

c) Quantos jogam vôlei e não jogam xadrez?

Respostas

a) 36

b) 59

c) 20

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos UE 14: Questão do Delegado Federal Bloco de conteúdo: 14

Questão da cespe: delegado federal. Em exames de sangue realizados em 500 moradores de uma região com péssimas condições

sanitárias, foi constatada a presença de três tipos de vírus A, B e C. O resultado dos exames revelou que o vírus A estava presente em 210 moradores; o vírus B, em 230; os vírus A e B, em 80; os vírus A e C, em 90; e os vírus B e C, em 70. Além disso, em 5 moradores não foi detectado nenhum dos três vírus e o número de moradores infectados pelo vírus C era igual ao dobro dos infectados apenas pelo vírus B. Com base nessa situação, julgue os itens abaixo. I. O número de pessoas contaminadas pelos três vírus simultaneamente representa 9% do total de pessoas examinadas.

II. O número de moradores que apresentaram o vírus C é igual a 230.

III. 345 moradores apresentaram somente um dos vírus.

IV. Mais de 140 moradores apresentaram, pelo menos, dois vírus.

V. O número de moradores que não foram contaminados pelos vírus B e C representa de 16% do

total de pessoas examinadas.

Solução:

A B 40 + x 80 + x 80 - x x 90 – x
A
B
40 + x
80 + x
80 - x
x
90 – x
70 - x
y
C
5

40 + x + 80 x + 80 + x + x + 70 x + 90 x + y + 5 = 500

365 + y = 500

y

= 135

C

= 2 de apenas B

90 x + x + 70 x + y = 2(80 + x)

160

x + 135 = 160 + 2x

135

= 3x

x = 45

I )45/500 = 9%( item certo)

II

) C = 90 x + x + 70 x + y = 90 + 70 45 + 135 = 250 ( item errado)

III

) 40 + x + 80 + x + y = 120 + 45 + 45 + 135 = 345 ( item correto)

IV ) 80 x + 90 x + 70 x + x = 240 - 90 = 150 ( item correto)

V) B e C = 70; restante = 430 Logo : 430/500 > 16% ( item errado)

(UnB/Téc./STF/2008) Uma pesquisa envolvendo 85 juízes de diversos tribunais revelou que 40 possuíam o título de doutor, 50 possuíam o título de mestre, 20 possuíam somente o título de mestre e não eram professores universitários, 10 possuíam os títulos de doutor e mestre e eram professores universitários, 15 possuíam somente o título de doutor e não eram professores universitários e 10 possuíam os títulos de mestre e doutor e não eram professores universitários. Com base nessas informações, julgue os itens seguintes. ( ) (UnB/Téc./STF/2008) Menos de 50 desses juízes possuem o título de doutor ou de mestre mas não são professores universitários.

( ) (UnB/Téc./STF/2008) Mais de 3 desses juízes possuem somente o título de doutor e são professores universitários.

Solução:

Doutores

15 10

5

Prof.Univ.

10

15

Mestres

20

10

15 10 5 Prof.Univ. 10 15 Mestres 20 10 Com base nessas informações, julgue os itens

Com base nessas informações, julgue os itens seguintes. ( ) (UnB/Téc./STF/2008) Menos de 50 desses juízes possuem o título de doutor ou de mestre mas não são professores universitários. CERTO = 15 + 10 + 20 = 45 ( ) (UnB/Téc./STF/2008) Mais de 3 desses juízes possuem somente o título de doutor e são professores universitários. CERTO = 5

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 01: Conjuntos UE 15: Princípio das Gavetas de Dirichlet Bloco de conteúdo: 15

Exemplo 1 Quantas pessoas são necessárias para se ter certeza que haverá pelo menos duas delas fazendo aniversário no mesmo mês? Resposta: 13 pessoas. Pelo princípio da casa dos pombos se houver mais pessoas (13) do que meses (12) é certo que pelos menos duas pessoas terão nascido no mesmo mês. O argumento empregado acima é conhecido como Princípio das Gavetas de Dirichlet ou Princípio das Casas do Pombos. Um possível enunciado para este princípio é o seguinte:

Se n objetos forem colocados em, no máximo, n 1 gavetas, então pelo menos uma delas conterá pelo menos dois objetos. (Uma maneira um pouco mais formal de dizer o mesmo é: se o número de elementos de um conjunto finito A é maior do que o número de elementos de um outro conjunto B, então uma função de A em B não pode ser injetiva.)

Exemplo 2. Uma prova de concurso possui 10 questões de múltipla escolha, com cinco alternativas cada. Qual é o menor número de candidatos para o qual podemos garantir que pelo menos dois deles deram exatamente as mesmas respostas para todas as questões?

Solução: Neste caso, os objetos são os alunos e as gavetas são as possíveis seqüências de respostas .

Como cada questão pode ser respondida de 5 modos, a prova pode ser preenchida de 5

5 = 5 10 = 9 765 625 modos. Logo, só se pode ter a certeza de que dois candidatos fornecem

exatamente as mesmas respostas se houver pelo menos

5 5
5
5
de que dois candidatos fornecem exatamente as mesmas respostas se houver pelo menos 5 5 …

Ricardo Erse veste-se apressadamente para um encontro muito importante. Pouco antes de pegar as meias na gaveta, falta luz. Ele calcula que tenha 13 pares de meias brancas, 11 pares de meias cinzas, 17 pares de meias azuis e 7 pares de meias pretas. Como elas estão todas misturadas ele

resolve pegar certo número de meias no escuro e, chegando no carro, escolher duas que tenham cor igual para calçar. Qual é o menor número de meias que Ricardo Erse poderá pegar para ter certeza de que pelo menos duas são da mesma cor?

a) 12

b) 10

c) 8

d) 6

e) 5

Questão de Prova

O enunciado abaixo refere-se às questões de nos 29 e 30. Em uma urna, há 18 esferas: 5 azuis, 6 brancas e 7 amarelas. Não é possível saber a cor de uma esfera sem que ela seja retirada. Também não é possível distingui-las a não ser pela cor. N esferas serão retiradas simultaneamente dessa urna.

29. Qual o menor valor de N para que se possa garantir que, entre as esferas retiradas, haverá 2 da

mesma cor?

(A) 2 (B) 3 (C) 4 (D) 7 (E) 8

Resposta: alternativa C

30. Qual o menor valor de N para que se possa garantir que, entre as esferas retiradas, haverá 2 com

cores diferentes?

(A)

(B)

(C)

(D)

(E)

2

3

4

7

8

Resposta: alternativa E

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 02: Conjuntos Numéricos UE 01: conhecimentos básicos Bloco de conteúdo: 16

Testando seus conhecimentos

Apenas com seus conhecimentos básicos julgue os itens a seguir, v se verdadeiro ou f, se falso:

01. ) Se x < y , então

(

02. )

(

x 2
x
2
ou f, se falso: 01. ) Se x < y , então ( 02. ) (

x

,

x
x
x 2 y 2 . R
x
2
y
2
.
R

03. ) Todo número natural é divisível por ele mesmo.

(

04. ) O conjunto dos múltiplos de um número natural é infinito.

(

05. )

(

( 3) ( 27) ( 3) ( 27) 81 9
(
3)
(
27)
(
3) (
27)
81
9

06. ) Se x 2 = 25

(

5, assim( ( 3) ( 27) ( 3) ( 27) 81 9 06. ) Se x 2

25 5
25
5

07. ) Se o que já passou são 3/5 do que falta, então agora são 14 horas e 24 min.

(

08. ) Pai e filho moram juntos e trabalham na mesma fábrica. O filho vai de casa à fábrica em 20

minutos, e o pai, em 30 minutos. Então, se o pai sair de casa 5 minutos antes do filho, este levará 10 minutos para alcançar o pai.

(

09. ) Número primo é todo número que divide apenas por um e ele mesmo.

(

10. ) Se Amanda recebe 50% a mais que Carla e Beatriz recebe 25% a mais que Carla, então

(

Amanda ganha 20% a mais que Beatriz.

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 02: Conjuntos Numéricos UE 02: conhecimentos básicos: resolução continuação Bloco de conteúdo: 17

05. )

(

( 3) ( 27) ( 3) ( 27) 81
(
3)
(
27)
(
3) (
27)
81
9
9

06. ) Se x 2 = 25

(

x =
x =

5, assim

25
25
5
5

07. ) Se o que já passou são 3/5 do que falta, então agora são 14 horas e 24 min.

(

08. ) Pai e filho moram juntos e trabalham na mesma fábrica. O filho vai de casa à fábrica em 20

(

minutos, e o pai, em 30 minutos. Então, se o pai sair de casa 5 minutos antes do filho, este levará 10 minutos para alcançar o pai.

09. ) Número primo é todo número que divide apenas por um e ele mesmo.

(

10. ) Se Amanda recebe 50% a mais que Carla e Beatriz recebe 25% a mais que Carla, então

(

Amanda ganha 20% a mais que Beatriz.

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 02: Conjuntos Numéricos UE 03: números naturais Bloco de conteúdo: 18

Números Naturais

N= { 0,1,2,3,

N= { 0,1,2,3,

}

* ={1,2,3,4,

}

01.(FUNDEP)Em relação aos números naturais, a única afirmativa falsa é:

a) Todo número divisível pelo produto de dois outros é divisível por qualquer um deles.

b) Se um número divide o produto de dois outros, ele divide um deles.

c) Um divisor comum de dois números divide a soma deles.

d) Se um número divide dois outros, ele divide o máximo divisor comum deles.

e) Se um número é múltiplo de dois outros, ele é múltiplo do mínimo múltiplo comum deles.

Resposta: Alternativa B

Para escrevermos um número, usamos o sistema de numeração decimal. Esse sistema utiliza dez símbolos: 0,1,2,3,4,5,6,7,8 e 9. Dependendo das posições que ocupam, esses símbolos (algarismos) tem um valor. Ex.: a) 547 = 500 + 40 + 7

b) 1234 = 1000 + 200 + 30 + 4

c) XYZ = 100X + 10Y + 1Z

Questão01. Considere um número de dois algarismos tal que a soma desses algarismos seja 13.

Adicionando-se 9 ao número, obteremos outro nº formado com os algarismos dispostos em ordem inversa. O novo número é

A) menor que 49

B) maior que 50 e menor que 60

C) maior que 61 e menor que 77

D) maior que 78 e menor que 86

Solução:

Sejam a e b os algarismos das dezenas e das unidades do número

10a + b tais que a + b = 13

(1)

O número formado com os mesmos algarismos na ordem inversa é 10b + a .

Da hipótese, temos:

(10a + b ) + 9 = 10b + a , ou seja, a b = -1 (2) Das equações (1) e (2), obtemos o sistema:

Cuja solução é a = 6 e b= 7 Portanto , o novo número obtido com os algarismos em ordem inversa é 76. Resposta:Alternativa C

CURIOSIDADE

SISTEMA DE NUMERAÇÃO ROMANA

Os romanos usavam um sistema interessante para representar os números. Eles usavam sete letras do alfabeto e a cada uma delas atribuíam valores:

 

I V

X

L

C

D

M

 

1 5

10

50

100

500

1.000

 

Os numerais I, X, C, M só podem ser repetidos até três vezes.

 

I = 1

 

II = 2

III =3

X

= 10

XX = 20

XXX = 30

C

= 100

CC = 200

CCC = 300

M

= 1.000

MM = 2.000

MMM = 3.000

Vamos aprender alguns numerais romanos.

I = 1

XX

= 20

CCC

= 300

II = 2

XXX

= 30

CD

= 400

III = 3

XL

= 40

D = 500

IV = 4

L = 50

DC

= 600

V = 5

LX

= 60

DCC

= 700

VI = 6

LXX

= 70

DCCC = 800

VII = 7

LXXX = 80

CM

= 900

VIII = 8

XC

= 90

M = 1.000

IX

= 9

C = 100

MM = 2.000

X =

10

CC = 200

MMM = 3.000

ATENÇÃO!

Os numerais I, X e C, escritos à direita de numerais maiores, somam-se seus valores aos desses numerais.

Exemplos:

VII

= 7 ( 5 + 2 )

LX = 60 ( 50 + 10 )

LXXIII = 73 (50+20+3)

CX

= 110 (100+10)

CXXX = 130 (100+30)

MCC = 1.200 (1.000+200)

Os numerais I, X e C, escritos à esquerda de numerais maiores, subtraem-se seus valores aos desses numerais.

Exemplos:

IV = 4 (5-1) XC = 90 (100-10)

IX = 9 (10-1) CD = 400 (500-100)

XL = 40 (50-10) CM = 900 (1.000-100)

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 02: Conjuntos Numéricos UE 04: Números naturais:Contagem de algarismos Bloco de conteúdo: 19

Questão 02 (UFRJ/TEC./MAPA/2005) Sabemos que o número 4 é escrito com um algarismo, o número 27 com dois algarismos e o número 123 com três algarismos. O total de algarismos escritos para enumerar as páginas de um livro com 150 páginas é um número:

a) Menor que 300

b) Entre 300 e 349

c) Entre 350 e 399

d) Entre 400 e 449

e) Maior que 450

Resposta:Alternativa B

Questão 03. (TRT) Um técnico responsável pela montagem de um livro, observou que na numeração de suas páginas, haviam sido usados 321 algarismos. O número de páginas desse livro era

a) 137

b) 139

c) 141

d) 143

e) 146

Resposta:Alternativa D

Quantas vezes o numero 1 aparece ou repete entre 1 e 1111?

Antes vamos recordar o QVL ou QI de hoje, vejamos:

1234 = 1000 + 200 + 30 + 4 = 123 dezenas + 4 unidades = 12 centenas + 34 unidades = 1 milhar +

234 unidades.

Quando representamos no QVL, cada vez que contamos

casa das dezenas ; a cada 10 dezenas diante.

10 unidades , amarramos e ela vai para

amarramos e ela vai para casa das centenas e assim por

Assim cada vez que amarramos 10 unidades cada algarismo aparece uma única vez por serem unidades; Cada vez que amarramos 10 dezenas, o algarismo em questão aparece 10 vezes por serem dezenas; cada vez que amarramos 10 centenas o algarismo parece 100 vezes por serem centenas e assim por diante

Por exemplo quantas vezes escrevemos o algarismo 5 quando escrevemos de 1 até 1234?

1234

= são 123 dezenas mais 4 unidades;

1234

= 12 centenas mais 34 unidades;

1234

= 1 milhar mais 234 unidades.

Milhar

Centenas

Dezenas

Unidades

0.1000 + 0

1. 100 + 0

12 . 10 + 0

123 . 1 + 0

0

100

120

123

Total: 100 + 120 + 123 = 343 vezes

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 02: Conjuntos Numéricos UE 05: Números naturais:quantas aparece o algarismo 1 quando escrevemos de 1 até 1000? Bloco de conteúdo: 20

Quantas vezes escrevemos o algarismo 2 quando escrevemos de 1 até 789? Unidades: 78.1 + 1 = 79 Dezenas: 7.10 + 10 = 80 Centenas: 0.100 + 100 = 100 Total : 259 vezes

Na unidade de estudo anterior vimos o método da questão:

Quantas vezes o numero 1 aparece ou repete entre 1 e 1111?

1111

= 110 + 2

1111

= 100 + 12

1111

= 112

Total = 448

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 02: Conjuntos Numéricos UE 06: Números naturais:Operações e propriedades Bloco de conteúdo: 21

Questão 04. Considere a seqüência de operações aritméticas na qual cada uma atua sobre o resultado anterior: Comece com um número X, subtraia 2; multiplique por 3/5; some 1; multiplique por 2; subtraia 1 e finalmente multiplique por 3 para obter o número 21. O número x pertence ao conjunto

a) {1, 2, 3, 4}

b) {-3, -2, -1, 0}

c) {5, 6, 7, 8}

d) {-7, -6, -5, -4}

Resposta:Alternativa D

05.José decidiu nadar, regularmente, de quatro em quatro dias. Começou a fazê-lo em um sábado; nadou pela segunda vez na quarta-feira seguinte e assim por diante. Nesse caso, na centésima vez em que José for nadar será

a)

terça-feira

b)

quarta-feira

c) quinta-feira

d) sexta-feira

e) sábado

Resposta:Alternativa B

Extras

Questão 01. Sabe-se que os meses de janeiro, março, maio, julho, agosto, outubro e dezembro têm 31 dias. O dia 31 de março de um certo ano, ocorreu numa quarta-feira. Então, 15 de outubro do mesmo ano foi

a) quinta-feira

b) terça-feira

c) quarta-feira

d) sexta-feira

Resposta:Alternativa D

Questão 02.Sejam N um número natural de dois algarismos não-nulos e M o número obtido

invertendo-se a ordem dos algarismos de N. Sabe-se que N - M = 45. Então, quantos são os possíveis valores de N ?

A) 7

B) 4

C) 5

D) 6

Resposta:Alternativa B

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 02: Conjuntos Numéricos UE 07: Números naturais:Quadro posicional Bloco de conteúdo: 22

SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL

Como o nome diz, é o sistema de base 10. Utiliza os algarismos 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9. Baseia-se na propriedade a seguir:

“Se um algarismo está escrito à esquerda de outro, seu valor é 10 vezes mais que esse outro.” Desse modo, no número 352, o algarismo 2 vale 2 unidades, pois não está escrito à esquerda de nenhum outro, o algarismo 5 vale 50 unidades e o 3 vale 300 unidades. Como o valor do algarismo depende da posição que ele ocupa no numeral, dizemos que esse é um sistema posicional.

SISTEMAS DE NUMERAÇÃO EM OUTRAS BASES A base de um sistema de numeração não precisa ser necessariamente 10. O fato de usarmos o sistema decimal é uma “fatalidade” anatômica: temos 10 dedos nas mãos. Mas nada impede de usarmos outras bases. Assim, por exemplo, no sistema binário, ou seja, de base 2, usaríamos apenas os algarismos 0 e 1, e a propriedade:

”Se um algarismo está escrito à esquerda de outro, seu valor é 2 vezes mais que esse outro.”

Portanto, no sistema binário, no número (111)2, o primeiro 1 representa 1 unidade, o segundo 1 x 2 ou seja 2 unidades e o terceiro 1 representa 1 x 2 x 2 = 4 unidades, representando portanto no sistema decimal o valor 7. De um modo geral, se b é a base do sistema e pqr representa um número desse sistema, temos:

(pqr)b = r + q . b + p . b 2

06.Se m é um número de três algarismos e n é obtido de m, permutando-se os algarismos das unidades e das centenas, então m n é sempre um múltiplo de :

a) 2

b) 7

c) 11

d) 13

e) 15

Resposta:Alternativa C

07. Um número inteiro, de dois dígitos, é k vezes a soma dos seus dois dígitos. Trocando-se a

posição desses dígitos, a soma dos dígitos desse novo número fica multiplicada por

a) 9 k

b) 9 + k

c) 11 + k

d) 11 k

Resposta:Alternativa D

08. Qual o menor valor do algarismo a para que o número natural

M

.
.

310

4

a.
a.

10

3

.
.

710

2

.
.

610

5
5

seja divisível por 15?

a) 0

b) 1

c) 2

d) 3

e) 4

Resposta:Alternativa A

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 02: Conjuntos Numéricos UE 08: Números naturais:Sudoku Bloco de conteúdo: 23

SUDOKU

Sudoku é um jogo de raciocínio e lógica. Apesar de ser bastante simples, é divertido e viciante. Basta completar cada linha, coluna e quadrado 3x3 com números de 1 a 9. Não há nenhum tipo de matemática envolvida.

de 1 a 9. Não há nenhum tipo de matemática envolvida. Cada jogo dura de 10

Cada jogo dura de 10 a 40 minutos, dependendo do nível de dificuldade e da experìência do jogador.

Solução:

Julgue o item a seguir: 09.(UnB/Escrit./BB-NE/2007) O quadro abaixo pode ser completamente preenchido com algarismos

Julgue o item a seguir:

09.(UnB/Escrit./BB-NE/2007) O quadro abaixo pode ser completamente preenchido com algarismos de 1 a 6, de modo que cada linha e cada coluna tenham sempre algarismos diferentes.

linha e cada coluna tenham sempre algarismos diferentes. Resposta: Certo A B C D E F

Resposta:

Certo

A

B

C

D

E

F

G

H

I

1 3

9

8

6

7

1

2 8

2

1

3

4

6

3 6

7

4

9

8

2

4 3

7

5

6

1

4

5 9

4

8

1

2

5

6 8

5

3

2

6

9

7 1

2

4

8

6

7

8 7

9

6

2

5

3

8

9 8

 

7

3

9

2

Um quebra-cabeças que se tornou bastante popular é o chamado SUDOKU. Para preenchê- lo, basta um pouco de raciocínio lógico. Na tabela anterior, que ilustra esse jogo, cada célula é identificada por uma letra, que se refere à coluna, e por um algarismo, que se refere à respectiva linha. Após preencher as células em branco com os algarismos de 1 a 9, de modo que cada algarismo apareça uma única vez em cada linha e em cada coluna, julgue os itens a seguir.

10. ( ) (UnB/Analista/SEGER/ES/2006)Está correto preencher com o algarismo 4 a célula B6. Desenvolvendo teremos:

A

B

C

D

E

F

G

H

I

1 3

4

9

8

6

2

5

7

1

2 5

8

2

1

3

7

4

9

6

3 6

7

1

4

5

9

8

2

3

4 2

3

7

5

9

6

1

4

8

5 9

6

4

7

8

1

2

3

5

6 8

1

5

3

2

4

7

6

9

7 1

2

3

9

4

8

6

5

7

8 7

9

6

2

1

5

3

8

4

9 4

5

8

6

7

3

9

1

2

Resposta:ERRADO

11.(UnB/Analista/ PRODEST /ES/2006) Os algarismos 5 e 6 são os que preenchem as células B9 e D9, respectivamente. Resposta:

Certo

12.(UnB/Analista/ PRODEST /ES/2006) As três células vazias do cruzamento das linhas 1, 2 e 3 com as colunas G, H e I devem ser preenchidas 5, 9 e 3, respectivamente. Resposta:

Certo

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 02: Conjuntos Numéricos UE 09: Números números Inteiros: Introdução Bloco de conteúdo: 24

Números Inteiros (Z)

Introdução Bloco de conteúdo: 24 Números Inteiros (Z) = { * = { ,-3 ,-2 ,-1

Introdução Bloco de conteúdo: 24 Números Inteiros (Z) = { * = { ,-3 ,-2 ,-1

= {

* = {

,-3

,-2 ,-1 ,0 ,1 ,2, 3 ,

,-3

,-2 ,-1,1 ,2, 3 ,

}

}

+ = { 0 ,1 ,2, 3 , + = { 0 ,1 ,2, 3 ,

} → Inteiros não negativos

3 , } } + = { 0 ,1 ,2, 3 , } → Inteiros não

3 , } } + = { 0 ,1 ,2, 3 , } → Inteiros não

3 , } } + = { 0 ,1 ,2, 3 , } → Inteiros não

-

*

= {

,-3 ,-2 ,-1 ,0} → Inteiros não positivos

} → Inteiros positivos

+ = { 1 ,2, 3 ,

*

-

= {

,-3 ,-2 ,-1 } → Inteiros negativos

Neste capítulo será feita uma revisão dos aspectos mais importantes sobre as operações de adição, subtração, multiplicação e divisão com números inteiros.

Questão 09. Se a,b

a) a + b, a b , a/b

b) a + b, a/b, ab

c) ab, a b , a + b

d) a + b,

e) a + b, a b , ab

,ab

ab, a b , a + b d) a + b, e) a + b, a

Z * , então certamente serão

números inteiros:

ADIÇÃO Os termos da adição são chamados parcelas e o resultado da operação de adição é denominado soma ou total. 1ª parcela + 2ª parcela = soma ou total

soma ou total . 1ª parcela + 2ª parcela = soma ou total a + b

a + b

ou total . 1ª parcela + 2ª parcela = soma ou total a + b 0

0 + a

A ordem das parcelas nunca altera o resultado de uma adição:

=

b + a

O zero é elemento neutro da adição:

= a + 0

=

a

SUBTRAÇÃO O primeiro termo de uma subtração é chamado minuendo, o segundo, subtraendo e o resultado da operação de subtração é denominado resto ou diferença. Minuendo subtraendo = resto ou diferença

. Minuendo – subtraendo = resto ou diferença A ordem dos termos pode alterar o resultado

A ordem dos termos pode alterar o resultado de uma subtração:

a – b b – a Se adicionarmos uma constante k ao minuendo , o

a

b

b a

Se

adicionarmos uma constante k ao minuendo, o resto será adicionado de k.

Se

adicionarmos uma constante k ao subtraendo, o resto será subtraído de k.

A subtração é a operação inversa da adição:

de k . A subtração é a operação inversa da adição: R + S = M

R + S = M

M S = R

é a operação inversa da adição: R + S = M M – S = R

A soma do minuendo com o subtraendo e o resto é sempre igual ao dobro do

minuendo.

M + S + R

=

2 x M

Valor absoluto O valor absoluto de um número inteiro indica a distância deste número até o zero quando consideramos a representação dele na reta numérica.

Atenção:

O valor absoluto de um número nunca é negativo, pois representa uma distância. A representação do valor absoluto de um número n é |n|. (Lê-se “valor absoluto de n” ou ”módulo de n”.)

do valor absoluto de um número n é | n |. (Lê-se “valor absoluto de n
do valor absoluto de um número n é | n |. (Lê-se “valor absoluto de n

Definição

Chamamos de módulo o número:

Questão 10.

O valor de

2

a )

5

- 2

5 5
5
5

b

)

5

+ 2

c

)

5

d

)

1

5 3 5
5
3
5

é:

Resposta:Alternativa D

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna

UT 02: Conjuntos Numéricos UE 10: Números números Inteiros: operações Bloco de conteúdo: 25

Números simétricos Dois números a e b são ditos simétricos ou opostos quando:

a + b = 0

Exemplos:

-3 e 3 são simétricos (ou opostos) pois (-3) + (3) = 0.

4 e -4 são simétricos (ou opostos) pois (4) + (-4) = 0.

O

oposto de 5 é 5.

O

simétrico de 6 é 6.

O

oposto de zero é o próprio zero.

Dois números simétricos sempre têm o mesmo módulo.

Exemplo:

|-3| = 3

e

|3|

=

3

Operações com números inteiros (z) Qualquer adição, subtração ou multiplicação de dois números inteiros sempre resulta também um número inteiro. Dizemos então que estas três operações estão bem definidas em Z ou, equivalentemente, que o conjunto Z é fechado para qualquer uma destas três operações.

Adições e subtrações com números inteiros Existe um processo que simplifica o cálculo de adições e subtrações com números inteiros. Observe os exemplos seguintes:

Exemplo 1:

Calcular o valor da seguinte expressão:

10 7 9 + 15 3 + 4

Solução:

Faremos duas somas separadas

uma só com os números positivos:

10 + 15 + 4 = +29

outra só com os números negativos:

(-7) + (-9) + (-3) = -19 Agora calcularemos a diferença entre os dois totais encontrados. +29 19 = +10

Atenção:

É preciso dar sempre ao resultado o sinal do número que tiver o maior valor absoluto!

Atenção: É preciso dar sempre ao resultado o sinal do número que tiver o maior valor

Exemplo 2:

Calcular o valor da seguinte expressão:

10 + 4 7 8 + 3 2 1º passo: Achar os totais (+) e ():

(+): +4 +3 = +7 ():10 7 8 2 = 27 2º passo: Calcular a diferença dando a ela o sinal do total que tiver o maior módulo:

27 + 7 = 20

14.Questões de Prova(CESGRANRIO)

14.Questões de Prova (CESGRANRIO) MULTIPLICAÇÃO Os termos de uma multiplicação são chamados fatores e o resultado

MULTIPLICAÇÃO Os termos de uma multiplicação são chamados fatores e o resultado da operação de multiplicação é denominado produto.

1 º fator x 2 º fator = produto

O primeiro fator também pode ser chamado multiplicando enquanto o segundo fator pode ser

chamado multiplicador,

enquanto o segundo fator pode ser chamado multiplicador , A ordem dos fatores nunca altera o
enquanto o segundo fator pode ser chamado multiplicador , A ordem dos fatores nunca altera o

A ordem dos fatores nunca altera o resultado de uma multiplicação:

a x b = b x a

altera o resultado de uma multiplicação: a x b = b x a O número 1

O número 1 é elemento neutro da multiplicação:

1 x a = a x 1 = a

Se adicionarmos uma constante k a um dos fatores, o produto será adicionado de k vezes adicionarmos uma constante k a um dos fatores, o produto será adicionado de k vezes o outro fator:

a x b = c

(a + k) x b = c + (k x b)será adicionado de k vezes o outro fator : a x b = c Se multiplicarmos

Se multiplicarmos um dos fatores por uma constante k , o produto será multiplicado por k multiplicarmos um dos fatores por uma constante k, o produto será multiplicado por k.

a x b = c

Podemos distribuir um fator pelos termos de uma adição ou subtração qualquer: distribuir um fator pelos termos de uma adição ou subtração qualquer:

a x (b

termos de uma adição ou subtração qualquer: a x (b (a x k) x b =

(a x k) x b = k x c

(a x c)ou subtração qualquer: a x (b (a x k) x b = k x c c)

subtração qualquer: a x (b (a x k) x b = k x c (a x

c) = (a x b)

Divisão inteira

Na divisão inteira de N por D

= (a x b) Divisão inteira Na divisão inteira de N por D 0, existirá um

0, existirá um único par de inteiros, Q e R, tais que:

Q x D + R = N

e

0

de inteiros , Q e R , tais que: Q x D + R = N

R

|D|de inteiros , Q e R , tais que: Q x D + R = N

(onde | D | é o valor absoluto de D)

A segunda condição significa que R (o resto) nunca pode ser negativo. Os quatro números envolvidos na divisão inteira são assim denominados:

N

é o dividendo; D é o divisor (sempre diferente de zero);

Q

é o quociente; R é o resto (nunca negativo).

Exemplos:

1)

Na divisão inteira de 60 por 7 o dividendo é 60, o divisor é 7, o quociente é 8 e o resto é 4.

8 x 7 + 4 = 60

e o

resto é 3. 9 x 7 + 3 = 60

Quando ocorrer R = 0 na divisão de N por D , teremos Q x D = R = 0 na divisão de N por D, teremos Q x D = N e diremos que a

divisão é exata indicando-a como N

Quando a divisão de N por D for exata diremos que N é divisível por D e D é divisor de N ou, equivalentemente, que N é múltiplo de D e D é fator de N. O zero é divisível por qualquer número não nulo:

2)

0

4
4

7 |O zero é divisível por qualquer número não nulo: 2) 0 4 e Na divisão inteira

e

Na divisão inteira de 60 por 7 o dividendo é 60, o divisor é 7, o quociente é

e

0

3
3
é – 60 , o divisor é 7 , o quociente é e 0 3 |

| 7

|

– 60 , o divisor é 7 , o quociente é e 0 3 | 7

D = Q;

9

divisor é 7 , o quociente é e 0 3 | 7 | D = Q;
divisor é 7 , o quociente é e 0 3 | 7 | D = Q;

D

Todo número inteiro é divisível por 1:

Se multiplicarmos o dividendo (N) e o divisor (D) de uma divisão por uma constante k

0 0
0
0

D = 0;

( D ) de uma divisão por uma constante k 0 0 D = 0; N
( D ) de uma divisão por uma constante k 0 0 D = 0; N

N, N

D ) de uma divisão por uma constante k 0 0 D = 0; N ,

1 = N;

uma divisão por uma constante k 0 0 D = 0; N , N 1 =

D.

divisão por uma constante k 0 0 D = 0; N , N 1 = N

0,

o quociente (Q) não será alterado mas o resto (R) ficará multiplicado por k, se R x k

igual ao resto da divisão de R x k por D, se R x k

( R ) ficará multiplicado por k , se R x k igual ao resto da

D, ou será

Questão 11.Sejam x e y dois números inteiros positivos. Dividindo-se x por y, o quociente é 5 e o

resto o maior possível. Dividindo-se x pelo dobro de y, o quociente é 2 e o resto 45. O valor de x+y é:

a) 160

b) 170

c) 172

d) 178

e) 179

Resposta:

Alternativa A

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

01. Numa adição com duas parcelas, se somarmos 8 à primeira parcela, e subtrairmos 5 da

segunda parcela, o que ocorrerá com o total? Solução:

Seja t o total da adição inicial. Ao somarmos 8 a uma parcela qualquer, o total é acrescido de 8 unidades: t + 8 Ao subtrairmos 5 de uma parcela qualquer, o total é reduzido de 5 unidades: t + 8 5 = t

+ 3

Portanto o total ficará acrescido de 3 unidades.

02. Numa subtração, a soma do minuendo com o subtraendo e o resto é igual a 264. Qual é o

valor do minuendo? Solução:

Sejam m o minuendo, o s o subtraendo e o r o resto de uma subtração qualquer, é sempre verdade que:

o resto de uma subtração qualquer, é sempre verdade que: m – s = r s

m s = r s + r = m (a soma de s com r nos dá m) Ao somarmos os três termos da subtração, m + s + r, observamos que a adição das duas últimas parcelas, s + r, resulta sempre igual a m. Assim poderemos escrever:

m + (s + r) = m + m = 2m O total será sempre o dobro do minuendo. Deste modo, temos:

m + s + r = 264 2m = 264

m = 264

Deste modo, temos: m + s + r = 264 2 m = 264 m =

2 = 132

Resp.: O minuendo será 132.

03. Numa divisão inteira, o divisor é 12, o quociente é 5 e o resto é o maior possível. Qual é o

dividendo?

Solução:

Se o divisor é 12, então o maior resto possível é 11, pois o resto não pode superar nem igualar-se ao divisor. Assim, chamando de n o dividendo procurado, teremos. n = (quociente) x (divisor) + (resto) n = 5 x 12 + 11 n = 60 + 11 n =71

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 02: Conjuntos Numéricos UE 11: múltiplo e divisor de um número Bloco de conteúdo: 26

Múltiplo de um número

Múltiplo de um número inteiro é o produto deste número por um inteiro qualquer.

Todo número inteiro não nulo tem infinitos múltiplos. Assim, sendo n um número inteiro positivo qualquer, podemos indicar o conjunto dos múltiplos de m por:

podemos indicar o conjunto dos múltiplos de m por: M(n) = {0, 1n, 2n, 3n, 4n,
podemos indicar o conjunto dos múltiplos de m por: M(n) = {0, 1n, 2n, 3n, 4n,
podemos indicar o conjunto dos múltiplos de m por: M(n) = {0, 1n, 2n, 3n, 4n,
podemos indicar o conjunto dos múltiplos de m por: M(n) = {0, 1n, 2n, 3n, 4n,
podemos indicar o conjunto dos múltiplos de m por: M(n) = {0, 1n, 2n, 3n, 4n,
podemos indicar o conjunto dos múltiplos de m por: M(n) = {0, 1n, 2n, 3n, 4n,
podemos indicar o conjunto dos múltiplos de m por: M(n) = {0, 1n, 2n, 3n, 4n,
podemos indicar o conjunto dos múltiplos de m por: M(n) = {0, 1n, 2n, 3n, 4n,

M(n) = {0, 1n, 2n, 3n, 4n, 5n, 6n, 7n, 8n,

Qualquer número inteiro é um múltiplo de 1:de m por: M(n) = {0, 1n, 2n, 3n, 4n, 5n, 6n, 7n, 8n, M(n) =

M(n) = {0,

1,
1,
2,
2,
3,
3,
4,
4,
5,
5,

}

}

Somente o próprio zero é múltiplo de zero: M(0) = {0} O zero é múltiplo de todos os números inteiros (zero é o múltiplo universal).inteiro é um múltiplo de 1: M(n) = {0, 1, 2, 3, 4, 5, } }

DIVISOR DE UM NÚMERO

Divisor de um número inteiro a é qualquer inteiro d tal que a = d x n para algum inteiro n. Deste modo, podemos indicar o conjunto dos divisores de um inteiro a por:

D(a) = {d

Z / /

n
n
dos divisores de um inteiro a por: D( a ) = { d Z / n

Z, d x

n = a}

Quando d é um divisor de n diz-se que n é divisível por d.

O

menor divisor positivo de um inteiro n qualquer é 1.

O

maior divisor de um inteiro n qualquer é |n|.

O

número 1 é divisor de todos os números inteiros (1 é o divisor universal).

O zero não pode ser divisor de qualquer número inteiro. OBS: NÚMERO DE DIVISORES: O

O zero não pode ser divisor de qualquer número inteiro.

OBS: NÚMERO DE DIVISORES:

O conjunto dos divisores de um número natural x é o conjunto D(x) formado por todos os números naturais que são divisores de x. Exemplo: o conjunto dos divisores de 36. D(36) = { 1, 2, 3, 4, 6, 9, 12, 18, 36} Roteiro para obter todos os divisores naturais de um número:

( vamos utilizar o 36 como exemplo). 1º) fatoramos o número

36

18

9

3

1

2

2

3

3

2º) colocamos um traço vertical ao lado dos fatores primos

1

36

2

18

2

9

3

3

3

1

3º) na linha de cada fator primo vamos colocando os produtos dele pelos números já colocados nas

linhas de cima.

 

1

36

2

2

18

2

4

9

3

3

3

3

9,

6,

12,

18, 36

D(36) = { 1, 2 , 3, 4, 6,

9, 12, 18, 36 }

1

Roteiro para obtermos o número de divisores naturais de um número: nD(x)

( vamos utilizar o 36 como exemplo). 1º) fatorar o número

36 2 19 2 9 3 3 3 1 2 2 . 3 2 36
36
2
19
2
9
3
3
3
1
2 2 . 3 2
36 = 2 2 . 3 2

2º) a cada expoente acrescentamos uma unidade e a seguir efetuamos o produto, resultando assim o

número de divisores naturais do número 36 = 2 2 . 3 2

número de divisores naturais do número 36 = 2 2 . 3 2 ( 2 +
número de divisores naturais do número 36 = 2 2 . 3 2 ( 2 +

( 2 + 1 ) . ( 2 + 1 )

=

3 . 3 = 9

então 36 possui 9 divisores naturais

OBS: De um modo geral, o número de divisores naturais do número natural

x =

a n . b m . c p

nD(x) = ( n + 1 ) . ( m + 1 ) . ( p + 1 )

16.( TRE/Cargo: Técnico Judiciário Administrativa) Considere que

A = {1, 2, 3, 4, 5} e B = {(x, y)

ou seja, B é o subconjunto de pares ordenados (x, y)

Nessa situação, a quantidade de elementos do conjunto B é igual a

A 0.

B 2.

C 5.

D 13.

E 25.

Resposta:Alternativa D

é igual a A 0. B 2. C 5. D 13. E 25. Resposta:Alternativa D A

A × A : 2|(x - y)},

C 5. D 13. E 25. Resposta:Alternativa D A × A : 2|(x - y)}, A

A × A tais que x - y seja múltiplo de 2.

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 02: Conjuntos Numéricos UE 12: Divisibilidade Bloco de conteúdo: 27

CRITÉRIOS DE DIVISIBILIDADE Um critério de divisibilidade é uma regra que permite decidir se uma divisão é exata ou não, sem que seja preciso executar a divisão.

DIVISIBILIDADE POR 2 Um número é divisível por 2 sempre que o algarismo das unidades for 0, 2, 4, 6 ou 8. Assim, 91.956 é divisível por 2, pois seu algarismo das unidades é 6.

Divisibilidade por 5 Um número é divisível por 5 sempre que o algarismo das unidades for 0 ou 5. Então 74.380 é divisível por 5, pois seu algarismo das unidades é zero.

Divisibilidade por 10, 100, 1000, etc Um número é divisível por 10, 100, 1.000, etc, quando termina, respectivamente, com 1, 2, 3, etc zeros à direita. Então 1.900, 14.000, e 780 são divisíveis, respectivamente, por 100, por 1.000 e por 10.

Divisibilidade por 4 Um número é divisível por 4 quando os seus dois últimos algarismos formam um número divisível por 4. Deste modo, 7.996, que termina em 96, é divisível por 4, pois o próprio 96 é divisível por 4.

Divisibilidade por 8 Um número é divisível por 8 quando os seus três últimos algarismos formarem um número divisível por 8. Assim, 158.960 é divisível por 8 porque os seus três últimos algarismos formam o número 960 que é divisível por 8.

Divisibilidade por 25 Um número é divisível por 25 quando os seus dois últimos algarismos formam 25, 50, 75 ou 00. Portanto, os números 17.475, 854.325, 79.000 e 123.450 são todos divisíveis por 25.

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 02: Conjuntos Numéricos UE 13: Divisibilidade e aplicações Bloco de conteúdo: 28

Divisibilidade por 3 Um número é divisível por 3 quando a soma dos valores absolutos dos algarismos do número é divisível por 3.

O número 74.022 é divisível por 3 pois 7 + 4 + 0 + 2 = 15 que é divisível por 3.

Divisibilidade por 9 Um número é divisível por 9 quando a soma dos valores absolutos dos algarismos do número é divisível por 9. O número 8.514 é divisível por 9 pois 8 + 5 + 1 + 4 = 18 que é divisível por 9.

DIVISIBILIDADE POR 6

Um número é divisível por 6 quando for divisível por 2 e também por 3.

O número 317.100 é divisível por 2 porque é par e também é divisível por 3 pois 3 + 1 + 7 + 1 + 0 +

0 = 12. Logo o número 317.100 é divisível por 6.

DIVISIBILIDADE POR 12

Um número é divisível por 12 quando for divisível por 3 e também por 4.

O número 231.456, por exemplo, é divisível por 3 pois 2 + 3 + 1 + 4 + 5 + 6 = 21 e também é

divisível por 4 pois os dois últimos algarismos formam o número 56 que é divisível por 4. Logo 231.456 é divisível por 12.

DIVISIBILIDADE POR 7 Um número é divisível por 7 quando a diferença entre as suas dezenas e o dobro do valor do seu algarismo das unidades é divisível por 7. Assim, em 819 temos 81 dezenas e 9 unidades. Como 81 (9 x 2)m= 81 18 = 63 é divisível por 7, então o número 819 também é divisível por 7.

17.(BACEN/2010) Existe uma regra prática de divisibilidade por 7 com o seguinte procedimento:

Separa-se o último algarismo da direita. Multiplica-se esse algarismo por 2 e tal resultado é subtraído do número que restou sem o algarismo à direita. Procede-se assim, sucessivamente, até se ficar com um número múltiplo de 7, mesmo que seja zero. Veja os exemplos a seguir:

Seja a um algarismo no número a13.477.307. O valor de a para que este número
Seja a um algarismo no número a13.477.307. O valor de a para que este número

Seja a um algarismo no número a13.477.307. O valor de a para que este número seja divisível por 7

é

1

3

(C) 5

(D) 7

(E) 9

Resposta:

Alternativa C

(A)

(B)

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 02: Conjuntos Numéricos

UE 14: Divisibilidade por 11 e por 13 Bloco de conteúdo: 29

DIVISIBILIDADE POR 11 Um número é divisível por 11 quando a diferença entre a soma dos valores absolutos dos algarismos de ordem ímpar (a partir das unidades) e a soma dos valores absolutos dos algarismos de ordem par é um múltiplo de 11. No número 23.859, os algarismos de ordem ímpar, a partir das unidades, são 9, 8 e 2 cuja soma resulta 9 + 8 + 2 = 19. Os algarismos de ordem par são 5 e 3 cuja soma nos dá 5 + 3 = 8. Como a diferença entre estas duas somas é 19 8 = 11, o número 23.859 será divisível por 11.

18.(Cesgranrio/Cef)Quantos números múltiplos de 7 ou de 11 há entre 1 e 1000?

(A)

90

(B)

142

(C)

220

(D)

229

(E)

232

Resposta:

Alternativa C

DIVISIBILIDADE POR 13 Um número é divisível por 13 quando a soma das suas dezenas com o quádruplo do valor do seu algarismo das unidades é divisível por 13. O número 351 é divisível por 13 pois 35 + (1 x 4) = 35 + 4 = 39 que é divisível por 13.

REGRA GERAL DE DIVISIBILIDADE Sejam a e b dois números, decompostos em seus fatores primos. O número a será divisível por b se ele contiver todos os fatores primos de b, com expoentes maiores ou iguais. Exemplo.:

a) O número 23 . 32 . 7 é divisível por 3 . 7.

b) O número 34 . 52 . 7 é divisível por 32 . 52

c) O número 25 . 32 . 5 não é divisível por 23 . 35.

d) O número 32 . 5 . 73 não é divisível por 2 . 3 . 72.

Família: Nível Médio Disciplina: Matemática Conteudista: Valéria Lanna UT 02: Conjuntos Numéricos UE 15: Divisibilidade :questões de prova Bloco de conteúdo: 30

19.Considere um número N com exatamente dois algarismos diferentes de zero, e seja P o conjunto de todos os números distintos de dois algarismos formados com os algarismos de N, incluindo o próprio N. A soma de todos os números do conjunto P, qualquer que seja N, é divisível por

(A)

2

(B)

3

(C)

5

(D)

7

(E)

11

Resposta:

Alternativa E

20.Seja n = 235ab um número natural , cujos 5 algarismos são 2,3,5,a e b. Sabe-se que n é ímpar e que n é divisível por 5 e por 9. A diferença b a é igual a:

a)

2

b) 3

c) 5

d) 7

e) 8

Resposta:

Alternativa A

21.O algarismo da unidade da potência 3 1475 é:

a)

1

b) 3

c) 7

d) 9

Resposta:

Alternativa C

22. (BACEN/2010) Considerando-se N um número inteiro e positivo, analise

as afirmações seguintes, qualquer que seja o valor de N:

I - N 2 + N + 1 é um número ímpar;

II - N(N + 1) (N + 2) é um número múltiplo de 3;

III - N 2 tem uma quantidade par de divisores;

IV - N + (N + 1) + (N + 2) é um número múltiplo de 6.

A quantidade de afirmações verdadeiras é

 

(A)

1

(B)

2

(C)

3

(D)

4