Sunteți pe pagina 1din 2

--"'"<

Secretar a o Tribunal Pleno

Pti 1c·: Z':::i:, ';:~JD .0. E.

~

_~QkL,i!3.L- P-J?_

.:

P I

.;.

",' "

-t: ~

~,.,,~fj€nG

";::::~::-

""';".ô.-,:,~.~,)

,

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTAD PROCESSO Te 1.690/00

Inspeção Especial realizada na Câmara Municipal

de Patos -

provimento parcial.

Recurso de Revisão - Conhecimento e

ACÓRDÃO APL TC N° /, Lf' /08

Vistos, relatados e discutidos os presentes autos do Processo TC N° 1.690/00, referente ao Recurso de Revisão interposto pelo ex-Presidente da Câmara Municipal de PATOS, Vereador Marcos Eduardo Santos, através de seus procuradores, objetivando a reforma do Acórdão AC1 TC 725/2007 (fls. 521/522), que (a) aplicou-lhe multa pessoal no valor de R$ 2.805,10; e (b); assinou o prazo de 30 (trinta) dias ao atual Presidente daquela Casa para demonstrar a este Tribunal a adoção de providências necessárias a regularizar o seu quadro de pessoal, sob pena de multa, notadamente em relação ao provimento derivado de cargo da servidora Ana Ernestina de Lucena Xavier que ingressou na referida Câmara Municipal através de transposição realizada após a promulgação da Constituição Federal de 1988; pagamento de 13° salário a apenas alguns servidores; e existência de 06 (seis) servidores ocupando o cargo de Assistente Administrativo para um quantitativo legal de apenas 05 (cinco) cargos.

CONSIDERANDO que, mediante o referido recurso, o ex-gestor esperava ver declarada a prescrição do direito ao 13° salário em favor dos servidores da Câmara Municipal de Patos, em função do lapso temporal; bem como que fosse reconhecida como regular a situação da servidora Ana Ernestina de Lucena Xavier.

CONSIDERANDO que o Órgão Técnico desta Corte, após analisar as razões do recurso, opinou pelo conhecimento do recurso apresentado e pelo seu não provimento, por entender que não foram trazidos aos autos qualquer fato ou documento novo que pudesse modificar a decisão recorrida.

CONSIDERANDO que o Ministério Público Especial junto a esta Corte de Contas pugnou, preliminarmente, pelo conhecimento do recurso

apresentado e, no mérito, pelo seu não provimento, ratificando-se os termos da

decisão consubstanciada no Acórdão re~orrido. tVUJ

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO PROCESSO TC 1.690/00

por

transposição só foi declarado inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal em

23 de abril de 1993, tendo

posicionado pela regularidade dos atos de provimento daquela espécie realizados até a referida data;

esta Corte de Contas, em diversos julgados, se

CONSIDERANDO

que

o provimento

de

cargo

realizado

CONSIDERANDO que, no entendimento do Relator, as demais irregularidades identificadas no Acórdão AC1 TC 725/2007 devem ser regularizadas pela atual administração da Câmara Municipal de Patos.

CONSIDERANDO que o recorrente recolheu a multa a ele imposta pelo Acórdão impugnado;

CONSIDERANDO

o Relatório da Auditoria,

o Voto do Relator, o

pronunciamento da Procuradoria, e o mais que dos autos consta;

ACORDAM os membros integrantes do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAíBA, em sessão realizada nesta data, por unanimidade de votos, com o impedimento declarado do Conselheiro Flávio Sátiro Fernandes, em CONHECER DO RECURSO e, no mérito, DAR-LHE PROVIMENTO PARCIAL, no sentido de declarar regular o provimento da servidora Ana Ernestina de Lucena Xavier, devendo os presentes autos retornar a Corregedoria desta Corte para verificação do cumprimento pela atual Presidência da Câmara Municipal de Patos, no tocante às demais irregularidades constantes do Acórdão AC1 TC 725/2007, emitido pela 1a Câmara Deliberativa deste Tribunal.

Presente ao julgamento a Exmo. Senhora Procuradora Geral. Publique-se, registre-se, cumpra-se.

TC - PLENÁRIO MINISTRO JOÃO AGRIPINO

oão Pessoa, JrO de ~.A-O

~

O ALVES VIANA

s Iheiro Presidente

fJ-w. T~RESAN<5BR~

Procuradora-Geral

(/~~

2

de

2008.

r::ZP'/1

A Conselheiro Relator

EfSÉ MARQUES MARIZ