Sunteți pe pagina 1din 7
GOVERNO DO TOCANTINS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DA ATENÇÃO PRIMÁRIA Praça dos Girassóis-Centro/CEP:

GOVERNO DO TOCANTINS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DA ATENÇÃO PRIMÁRIA

Praça dos Girassóis-Centro/CEP: 77003-020

bucal@saude.to.gov.br-Fone: 63 -32183272/1771/1789

Levantamento Epidemiológico CPO-D Passo a Passo.

I- Definição:

Levantamento epidemiológico é uma pesquisa de campo feita em uma determinada área para identificar os problemas de saúde da população. Através deste estudo é possível propor um plano de tratamento adequado e eficaz diretamente voltado para resolver os problemas diagnosticados neste levantamento. Enfim, o problema de uma comunidade é identificado e as ações de saúde podem ser desenvolvidas diretamente naquele foco de deficiê ncia encontrado, sendo assim um trabalho de extrema importância. Em saúde bucal, o índice mais utilizado para um levantamento epidemiológico é o CPO-D, que é o índice de ataque de cárie, formulado originalmente por Klein e Palmer em 1937. CPO-D: Realizado em dentes permanentes, onde C significa cariados, P para perdidos e O para obturados. ceo: Realizado em dentes decíduos, onde C para cariados, E para extração indicada e O para obturados. (observação: Só anotar no item “e” os decíduos com extração indicada, devido às dificuldades em separar os que o foram por causa de cárie dos perdidos pelo processo natural de esfoliação dentária). Pela notação sempre se deve usar letras maiúsculas para CPO -D e letras minúsculas para ceo. (PINTO, 2000)

II- Amostra:

As idades selecionadas para este levantamento epidemiológico ser ão de 05 anos e 12 anos. A idade de 5 anos é de interesse em relação aos níveis de doenças bucais na dentição decídua, uma vez que podem exibir mudanças em um período de tempo menor que a dentição permanente. Já a idade de 12 anos é especialmente importante, pois foi escolhida como a idade de monitoramento global da cárie para comparações internacionais e o acompanhame nto das tendências da doença. (Min. Saúde, 2003)

ATENÇÃO Participarão do levantamento as crianças que se encontrarem dentro da seguinte condição:

5 anos crianças que na data do exame tenham de 5 anos e 0 dias a 5 anos 11 meses e 29 dias

12 anos - crianças que na data do exame tenham de 12 anos e 0 dias a 12 anos 11 meses e 29 dias

Extratos da Amostra Populacional:

Municípios até 10.000 habitantes - 75% das crianças de 5 e 12 anos.

Municípios até 30.000 habitantes - 60% das crianças de 5 e 12 anos.

Municípios até 100.000 habitantes - 40% das crianças de 5 e 12 anos.

Municípios acima de 100.000 habitantes - 25% das crianças de 5 e 12 anos.

Obs: Deverão participar do exame as crianças das zonas urbanas e rurais.

ATENÇÃO: Os participantes da amostra deve rão ser escolhidos de forma aleatória para que não haja comprometimento da veracidade do exame. Nunca deve rão ser escolhidos por algum motivo em particular.

III- Metodologia

Solicitamos que o índice CPO -D seja realizado através da metodologia preconizada pela OMS, examinando com luz natural e uma espátula de madeira descartável, comumente utilizada para diagnóstico de orofaringe, ou ainda a escova dental do próprio paciente. Não realizamos o exame com a sonda exploradora, pois essa sondagem não é confiável para diagnosticar lesões de superfícies oclusais de esmalte (PENNING e colab., 1992) . A não utilização da sonda convencional evita ainda a transferência de microorganismos de uma superfície para a outra, assim como a possibilidade de danificar a integridade da superfície desmineralizada do esmalte, favorecendo desse modo o aparecimento de lesões (MALTZ, 1994).

Os critérios utilizados na realização do diagnóstico do CPO -D encontram-se em conformidade com o preconizado pelo Ministério da Saúde (Min. Saúde, 1986), os quais são os seguintes:

Dente cariado: com cavidade, opacidade ao longo das faces, ou mancha indicando a presença de cárie subjacente;

Dente perdido: dente extraído;

Dente obturado: dente com restauração de amálgama, resina composta ou similar, ou ainda com restauração metálica fundida;

Dente ausente: dente não erupcionado ou anod ontia;

Dente com cárie crônica de fissura : dente com sulco pigmentado , de marrom claro a negro. Nesse caso consideramos que o processo carioso

deva estar paralisado ou em lenta progressão, devido aos efeitos preventivos da fluorterapia mensal;

Dente com cárie crônica aberta: dente com cavidade pigmentada de marrom claro a negro. Consideramos que o processo de evolução de cárie deva estar paralisado ou em lenta progressão.

Consideramos a possibilidade de inativação de lesões de cárie em dentina na superfície oclusal, desde que não haja presença de esmalte socavado impossibilitando a remoção de acúmulos de microorganismos (Maltz e colab, 1994).

Durante o levantamento epidemiológico, as manchas brancas ativas e inativas não são registradas quando eventualmente diagnosticadas, uma vez que os elementos dentários examinados não são devidamente isolados da saliva, o que não permitiria assegurar a fidedignidade do exame.

IV- Calibração:

Apenas um examinador realiza o exame clínico para a execução do levantamento epidemiológico. Dessa forma evitamos os problemas relativos à calibração entre examinadores diferentes, salvaguardando a integridade dos exames realizados (DAMLE e PATEL - 1994).

é

necessário que os examinadores sejam treinados para apresentar consistência nos julgamentos clínicos. A isso se denomina calibração.

Quando

um

levantamento

epidemiológico

é

realizado

por

uma

equipe,

Os objetivos da calibração são:

Assegurar a uniformidade de interpretação, compreensão e aplicação dos critérios para as várias doenças e condições a serem observadas e registradas; Assegurar que cada profissional possa examinar de maneira uniformemente padronizada; e Minimizar variações entre os diferentes examinadores.

V- Notação utilizada:

A notação segue a seguinte classificação:

0-Espaço vazio

Ausência de dente devido a:

Ausência de dente temporário por qualquer razão;

Dente permanente não irrompido;

Dente decíduo não irrompido;

Dente decíduo extraído;

Dente permanente extraído por outras causas que não cárie dental;

Dente permanente ou decíduo impactado ou ausente congenitamente.

1-Permanente cariado

Cavidade evidente em nível de dentina, cárie secundária, ambas sem envolvimento pulpar.

2-Permanente restaurado

Dente restaurado de forma aceitável, sem levar em conta o tipo de ma terial restaurador; considera-se inaceitável uma restauração quando a mesma apresentar, na interface dente/material restaurador, espaço suficiente para a penetração de sonda exploradora ou evidência clínica de cárie sob a mesma; estão considerados também d entes restaurados por outras causas que não a cárie dental, como, por exemplo, indicações protéticas, fraturas, etc.

3-Permanente extraído

De acordo com a idade do paciente, o dente deveria estar presente e foi extraído devido à cárie.

4-Permanente com extração indicada

O dente apresenta somente raízes ou coroa parcialmente destruída; haverá sempre evidência que a câmara pulpar foi atingida.

5-Permanente hígido

Dente que não apresenta cárie, restaurações, jaquetas ou coroas; outros defeitos, como hipoplasia, fluorese, defeitos de esmalte podem ou não estar presentes.

6-Decíduo cariado

Mesmos critérios que permanentes cariados.

7-Decíduo restaurado

Mesmos critérios que permanentes restaurados.

8-Decíduo com extração indicada

Mesmos critérios que permanente s com extração indicada.

9-Decíduo hígido

Mesmos critérios que permanentes hígidos.

GOVERNO DO TOCANTINS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DA ATENÇÃO PRIMÁRIA Praça dos Girassóis-Centro/CEP:

GOVERNO DO TOCANTINS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DA ATENÇÃO PRIMÁRIA

Praça dos Girassóis-Centro/CEP: 77003-020

bucal@saude.to.gov.br-Fone: 63 -32183272/1771/1789

FICHA PARA LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO (*) ÍNDICES CPO -D E CEO

Nome

Idade

Data:

/

/

Escola

Sexo (

) Fem. (

de

) Masc.

Data

nasc

/

/

Turma

Zona: (

) Rural (

) Urbana

CÓDIGO UTILIZADO

0- ESPAÇO VAZIO 1-DENTE PERMANENTE CARIADO 2-DENTE PERMANENTE OBTURADO 3-DENTE PERMANENTE EXTRAÍDO 4-DENTE PERMANENTE C/ EXTRAÇÃO INDICADA 5-DENTE PERMANENTE HÍGIDO 6-DENTE DECÍDUO CARIADO 7-DENTE DECÍDUO OBTURADO 8-DENTE DEC. C/ EXTRAÇÃO INDICADA 9-DENTE DECÍDUO HÍGIDO

DIREITO

ESQUERDO

 

55

54

53

52

51

61

62

63

64

65

 

17

16

15

14

13

12

11

21

22

23

24

25

26

27

47

46

45

44

43

42

41

31

32

33

34

35

36

37

 

85

84

83

82

81

71

72

73

74

75

 

*Fórmula para cálculo do levantamento epidemiológico

Dentes Cariados + Perdidos + Obturados

= CPO-D

N° de Crianças de 12 anos

Dentes Cariados + Extração indicada + Obturados

N° de Crianças de 5 anos

= ceo

Exemplo:

300 cariados+100 perdidos+350 obturados

150 crianças de 12 anos avaliadas

CPOD= 5,0 para 12 anos.

Classificação do ataque de cárie dentária com base nos valores do CPO aos 12 anos de idade. ( Fonte: OMS, 1994).

Prevalência

Muito

Baixa

Média

Alta

Muito

baixa

alta

Índice CPO

0,0 a 1,1

1,2 a 2,6

2,7 a 4,4

4,5 a 6,5

≥ 6,6

GOVERNO DO TOCANTINS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DA ATENÇÃO PRIMÁRIA Praça dos Girassóis-Centro/CEP:

GOVERNO DO TOCANTINS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DA ATENÇÃO PRIMÁRIA

Praça dos Girassóis-Centro/CEP: 77003-020

bucal@saude.to.gov.br-Fone: 63 -32183272/1771/1789

Município:

Período do levantamento:

Profissional responsável:

Equipe de Saúde Bucal:

 

Crianças

C

Ei

O

Resultado

examinadas

(cariados)

(extração

(obturados)

ceo

 

indicada)

5 anos

       
 

Crianças

C

P

O

Resultado

examinadas

(cariados)

(Perdidos)

(obturados)

CPO-D

12 anos

         

Este levantamento deverá ser enviado para o email bucal@saude.to.gov.br ou por fax para o número (63) 3218-1789.