Sunteți pe pagina 1din 22
Prof. Msc. Fernando Ernesto Ucker 27 de fevereiro de 2013

Prof. Msc. Fernando Ernesto Ucker

27 de fevereiro de 2013

Tópicos abordados na aula  Viscosidade;  Tipos de escoamento;  Cálculo do número de
Tópicos abordados na aula  Viscosidade;  Tipos de escoamento;  Cálculo do número de
Tópicos abordados na aula  Viscosidade;  Tipos de escoamento;  Cálculo do número de
Tópicos abordados na aula  Viscosidade;  Tipos de escoamento;  Cálculo do número de

Tópicos abordados na aula

Viscosidade; Tipos de escoamento;

Cálculo do número de reynolds;

Exercícios

VISCOSIDADE ABSOLUTA OU DINÂMICA  É a propriedade que determina o grau de resistência do

VISCOSIDADE ABSOLUTA OU DINÂMICA

É a propriedade que determina o grau de resistência

do fluido à força de cisalhamento, ou seja, a

dificuldade do fluido em escoar.

É uma das principais propriedades de fenômenos de

transporte e hidráulica.

Vamos considerar duas placas paralelas, com um fluido entre elas. Aplicamos uma força F em
Vamos considerar duas placas paralelas, com um fluido entre elas. Aplicamos uma força F em
Vamos considerar duas placas paralelas, com um fluido entre elas. Aplicamos uma força F em
Vamos considerar duas placas paralelas, com um fluido entre elas. Aplicamos uma força F em
Vamos considerar duas placas paralelas, com um fluido entre elas. Aplicamos uma força F em

Vamos considerar duas placas paralelas, com um fluido entre elas.

Aplicamos uma força F em uma das placas.

Esta placa vai se mover com velocidade constante VT.

A lâmina superior de fluido se moverá junto com a placa superior,

portanto, com velocidade VT;

A segunda lâmina, com velocidade menor que a primeira

A terceira, com velocidade menor que a segunda

A última lâmina ficará aderida na placa inferior, portanto, com

velocidade nula.

  Definimos τ, a tensão de cisalhamento, pelo cociente do módulo da força aplicada
  Definimos τ, a tensão de cisalhamento, pelo cociente do módulo da força aplicada
  Definimos τ, a tensão de cisalhamento, pelo cociente do módulo da força aplicada
  Definimos τ, a tensão de cisalhamento, pelo cociente do módulo da força aplicada

Definimos τ, a tensão de cisalhamento, pelo

cociente do módulo da força aplicada à placa móvel

pela sua área.

módulo da força aplicada à placa móvel pela sua área. Unidade: Pa  e, com isso,

Unidade: Pa

e,

com

isso,

a

expressão

acima,

coeficiente de viscosidade, fica:

que

define

o

móvel pela sua área. Unidade: Pa  e, com isso, a expressão acima, coeficiente de viscosidade,
 Fluidos Newtonianos: são aqueles que respeitam matematicamente a fórmula anterior.  EX: água, álcool.
 Fluidos Newtonianos: são aqueles que respeitam matematicamente a fórmula anterior.  EX: água, álcool.
 Fluidos Newtonianos: são aqueles que respeitam matematicamente a fórmula anterior.  EX: água, álcool.
 Fluidos Newtonianos: são aqueles que respeitam matematicamente a fórmula anterior.  EX: água, álcool.

Fluidos Newtonianos: são aqueles que respeitam

matematicamente a fórmula anterior.

EX: água, álcool.

Fluidos Não-Newtonianos: aqueles fluidos que não

seguem a lei de Newton para a viscosidade.

EX:

Sangue,

lamas.

ketchup,

tintas,

petróleo

cru,

lodos,

Tabela de viscosidade dinâmica
Tabela de viscosidade dinâmica
Tabela de viscosidade dinâmica
Tabela de viscosidade dinâmica
VISCOSIDADE CINEMÁTICA  É a razão entre a viscosidade dinâmica e a massa específica. Unidades:

VISCOSIDADE CINEMÁTICA

É a razão entre a viscosidade dinâmica e a massa específica.

razão entre a viscosidade dinâmica e a massa específica. Unidades: (m2/s; cm2/s; ft2/s) Uma unidade comum
razão entre a viscosidade dinâmica e a massa específica. Unidades: (m2/s; cm2/s; ft2/s) Uma unidade comum

Unidades: (m2/s; cm2/s; ft2/s)

Uma unidade comum para a viscosidade cinemática é o Stokes,

sendo 1 Stokes = 1cm2/s.

Escoamento Laminar  Ocorre quando as partículas de um fluido movem- se ao longo de
Escoamento Laminar  Ocorre quando as partículas de um fluido movem- se ao longo de
Escoamento Laminar  Ocorre quando as partículas de um fluido movem- se ao longo de
Escoamento Laminar  Ocorre quando as partículas de um fluido movem- se ao longo de

Escoamento Laminar

Ocorre quando as partículas de um fluido movem-

se ao longo de trajetórias bem definidas, apresentando

lâminas ou camadas (daí o nome laminar).

Este escoamento ocorre geralmente a baixas

velocidades e em fluídos que apresentem grande

viscosidade.

laminar).  Este escoamento ocorre geralmente a baixas velocidades e em fluídos que apresentem grande viscosidade.
Escoamento Turbulento  Ocorre quando as partículas de um fluido não movem-se ao longo de
Escoamento Turbulento  Ocorre quando as partículas de um fluido não movem-se ao longo de
Escoamento Turbulento  Ocorre quando as partículas de um fluido não movem-se ao longo de
Escoamento Turbulento  Ocorre quando as partículas de um fluido não movem-se ao longo de

Escoamento Turbulento

Ocorre quando as partículas de um fluido não

movem-se ao longo de trajetórias bem definidas, ou

seja as partículas descrevem trajetórias irregulares,

com movimento aleatório, produzindo uma

transferência de quantidade de movimento entre regiões de massa líquida. Este escoamento é comum na

água, cuja a viscosidade e relativamente baixa.

Visualização de escoamentos laminar e turbulentos em tubos fechados
Visualização de escoamentos laminar e turbulentos em tubos fechados

Visualização de escoamentos laminar e turbulentos em tubos fechados

Visualização de escoamentos laminar e turbulentos em tubos fechados
Número de Reynolds  O número de Reynolds (abreviado como Re) é um número adimensional
Número de Reynolds  O número de Reynolds (abreviado como Re) é um número adimensional
Número de Reynolds  O número de Reynolds (abreviado como Re) é um número adimensional
Número de Reynolds  O número de Reynolds (abreviado como Re) é um número adimensional

Número de Reynolds

O número de Reynolds (abreviado como Re) é um

número adimensional usado em mecânica dos fluídos

para o cálculo do regime de escoamento de

determinado fluido dentro de um tubo ou sobre uma

superfície. É utilizado, por exemplo, em projetos de

tubulações industriais e asas de aviões. O seu nome

vem de Osborne Reynolds, um físico e engenheiro

irlandês. O seu significado físico é um quociente entre

as forças de inércia e as forças de viscosidade.

Exemplo de Escoamento laminar e Turbulento em um Ensaio de Túnel de Vento
Exemplo de Escoamento laminar e Turbulento em um Ensaio de Túnel de Vento
Exemplo de Escoamento laminar e Turbulento em um Ensaio de Túnel de Vento
Exemplo de Escoamento laminar e Turbulento em um Ensaio de Túnel de Vento

Exemplo de Escoamento laminar e Turbulento em um Ensaio de Túnel de Vento

Exemplo de Escoamento laminar e Turbulento em um Ensaio de Túnel de Vento
Exercício 1  Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar
Exercício 1  Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar
Exercício 1  Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar
Exercício 1  Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar

Exercício 1

Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar ou turbulento sabendo-se que

em uma tubulação com diâmetro de 4 cm escoa água

com uma velocidade de 0,05 m/s.

laminar ou turbulento sabendo-se que em uma tubulação com diâmetro de 4 cm escoa água com
Exercício 1  Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar
Exercício 1  Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar
Exercício 1  Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar
Exercício 1  Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar

Exercício 1

Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar ou turbulento sabendo-se que

em uma tubulação com diâmetro de 4 cm escoa água

com uma velocidade de 0,05 m/s.

laminar ou turbulento sabendo-se que em uma tubulação com diâmetro de 4 cm escoa água com
laminar ou turbulento sabendo-se que em uma tubulação com diâmetro de 4 cm escoa água com
Exercício 1  Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar
Exercício 1  Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar
Exercício 1  Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar
Exercício 1  Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar

Exercício 1

Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar ou turbulento sabendo-se que

em uma tubulação com diâmetro de 4 cm escoa água

com uma velocidade de 0,05 m/s.

laminar ou turbulento sabendo-se que em uma tubulação com diâmetro de 4 cm escoa água com
laminar ou turbulento sabendo-se que em uma tubulação com diâmetro de 4 cm escoa água com
laminar ou turbulento sabendo-se que em uma tubulação com diâmetro de 4 cm escoa água com
Exercícios para casa  1) Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento
Exercícios para casa  1) Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento
Exercícios para casa  1) Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento
Exercícios para casa  1) Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento

Exercícios para casa

1) Calcular o número de Reynolds e identificar se o escoamento é laminar ou turbulento sabendo-se que

em uma tubulação com diâmetro de 4cm escoa água

com uma velocidade de 0,2m/s.

2) Um determinado líquido, com massa específica de 1000 kg/m³, escoa por uma tubulação de diâmetro 3cm

com uma velocidade de 0,1m/s, sabendo se que o

número de Reynolds é 9544,35. Determine qual a

viscosidade dinâmica do líquido.

 3) Acetona (massa específica de 791 kg/m³) escoa por uma tubulação em regime laminar
 3) Acetona (massa específica de 791 kg/m³) escoa por uma tubulação em regime laminar
 3) Acetona (massa específica de 791 kg/m³) escoa por uma tubulação em regime laminar
 3) Acetona (massa específica de 791 kg/m³) escoa por uma tubulação em regime laminar

3) Acetona (massa específica de 791 kg/m³) escoa por uma tubulação em regime laminar com um número de Reynolds

de 1800. Determine a máxima velocidade do escoamento

permissível em um tubo com 2cm de diâmetro de forma

que esse número de Reynolds não seja ultrapassado.

4) Benzeno (massa específica de 879 kg/m³) escoa por uma tubulação em regime turbulento com um número de

Reynolds de 5000. Determine o diâmetro do tubo em mm

sabendo-se que a velocidade do escoamento é de 0,2m/s.

Próxima aula  Entrega dos exercícios;  Pressão  Empuxo
Próxima aula  Entrega dos exercícios;  Pressão  Empuxo
Próxima aula  Entrega dos exercícios;  Pressão  Empuxo
Próxima aula  Entrega dos exercícios;  Pressão  Empuxo

Próxima aula

Entrega dos exercícios; Pressão

Empuxo