Sunteți pe pagina 1din 43
Recife 17-18/11/2011 UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS
Recife 17-18/11/2011 UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS
Recife 17-18/11/2011
Recife
17-18/11/2011
Recife 17-18/11/2011 UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS
Recife 17-18/11/2011 UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS
Recife 17-18/11/2011 UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS
Recife 17-18/11/2011 UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS
Recife 17-18/11/2011 UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS
Recife 17-18/11/2011 UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS
Recife 17-18/11/2011 UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS
Recife 17-18/11/2011 UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS

UFSC - FLORIANÓPOLIS

UFSC - FLORIANÓPOLIS

Tópicos da Apresentação UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS 1. O Depto de Eng. Mecânica
Tópicos da Apresentação UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS 1. O Depto de Eng. Mecânica

Tópicos da Apresentação

Tópicos da Apresentação UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS 1. O Depto de Eng. Mecânica 2.

UFSC - FLORIANÓPOLIS

UFSC - FLORIANÓPOLIS

Apresentação UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS 1. O Depto de Eng. Mecânica 2. O INPetro
Apresentação UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS 1. O Depto de Eng. Mecânica 2. O INPetro

1. O Depto de Eng. Mecânica

2. O INPetro

3. O Labmetro: inspeção

4. O Labsolda: soldagem e automação

O Departamento de Engenharia Mecânica
O Departamento de Engenharia Mecânica
O Departamento de Engenharia Mecânica

O Departamento de

Engenharia Mecânica

O Departamento de Engenharia Mecânica
O Departamento de Engenharia Mecânica
O Departamento de Engenharia Mecânica
O Departamento de Engenharia Mecânica
O Departamento de Engenharia Mecânica
O Departamento de Engenharia Mecânica
O Departamento de Engenharia Mecânica
O Departamento de Engenharia Mecânica
O Depto de Eng. Mecânica www.emc.ufsc.br o 67 professores da ativa o 24 laboratórios e
O Depto de Eng. Mecânica www.emc.ufsc.br o 67 professores da ativa o 24 laboratórios e

O Depto de Eng. Mecânica

www.emc.ufsc.br

o

67 professores da ativa

o

24 laboratórios e 6 núcleos de pesquisa

o Dois cursos de PG

o

PosMAT (conceito 6)

o

PosMEC (conceito 7)

o

Dois cursos de graduação

 

o

Engenharia Mecânica

o

Engenharia de Materiais

o

Atua em dois PRH/ANP e dois PFRH/Petrobrás em formação

Engenharia Mecânica o Engenharia de Materiais o Atua em dois PRH/ANP e dois PFRH/Petrobrás em formação
Instituto do Petróleo, Gás e Energia Instituto do Petróleo, Gás e Energia UFSC - FLORIANÓPOLIS
Instituto do Petróleo, Gás e Energia Instituto do Petróleo, Gás e Energia UFSC - FLORIANÓPOLIS
Instituto do Petróleo, Gás e Energia Instituto do Petróleo, Gás e Energia UFSC - FLORIANÓPOLIS
Instituto do Petróleo, Gás e Energia Instituto do Petróleo, Gás e Energia UFSC - FLORIANÓPOLIS
Instituto do Petróleo, Gás e Energia Instituto do Petróleo, Gás e Energia UFSC - FLORIANÓPOLIS
Instituto do Petróleo, Gás e Energia Instituto do Petróleo, Gás e Energia UFSC - FLORIANÓPOLIS

Instituto do Petróleo, Gás e Energia

Instituto do Petróleo, Gás e Energia

UFSC - FLORIANÓPOLIS

UFSC - FLORIANÓPOLIS

Universidade Federal de Santa Catarina

Universidade Federal de Santa Catarina

UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS Universidade Federal de Santa Catarina Universidade Federal de Santa Catarina
UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS Universidade Federal de Santa Catarina Universidade Federal de Santa Catarina
UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS Universidade Federal de Santa Catarina Universidade Federal de Santa Catarina
UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS Universidade Federal de Santa Catarina Universidade Federal de Santa Catarina
UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS Universidade Federal de Santa Catarina Universidade Federal de Santa Catarina
UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS Universidade Federal de Santa Catarina Universidade Federal de Santa Catarina
UFSC - FLORIANÓPOLIS UFSC - FLORIANÓPOLIS Universidade Federal de Santa Catarina Universidade Federal de Santa Catarina
Formação UFSC
Formação UFSC

Formação

UFSC

Formação UFSC
Formação UFSC
Formação UFSC
Formação UFSC
Formação UFSC
Formação UFSC
Formação UFSC
Formação UFSC
O que será o INPetro o Instituto de P&D multidisciplinar e multidepartamental da UFSC com
O que será o INPetro o Instituto de P&D multidisciplinar e multidepartamental da UFSC com

O que será o INPetro

o Instituto de P&D multidisciplinar e multidepartamental da UFSC com foco nas áreas do Petróleo, Gás e Energia, com atuação em:

o pesquisa,

o

desenvolvimento de projetos,

o

prestação de serviços e

o

formação de recursos humanos.

pesquisa, o desenvolvimento de projetos, o prestação de serviços e o formação de recursos humanos.
pesquisa, o desenvolvimento de projetos, o prestação de serviços e o formação de recursos humanos.
pesquisa, o desenvolvimento de projetos, o prestação de serviços e o formação de recursos humanos.
Objetivos Gerais o Consolidar na UFSC em SC uma marca forte em P&D em Petróleo,
Objetivos Gerais o Consolidar na UFSC em SC uma marca forte em P&D em Petróleo,

Objetivos Gerais

o

Consolidar na UFSC em SC uma marca forte

em P&D em Petróleo, Gás e Energia com grande visibilidade nacional e internacional.

o

Fomentar a cultura de desenvolvimento de

projetos multidisciplinares e de elevado

impacto.

e internacional. o Fomentar a cultura de desenvolvimento de projetos multidisciplinares e de elevado impacto.
e internacional. o Fomentar a cultura de desenvolvimento de projetos multidisciplinares e de elevado impacto.
e internacional. o Fomentar a cultura de desenvolvimento de projetos multidisciplinares e de elevado impacto.
e internacional. o Fomentar a cultura de desenvolvimento de projetos multidisciplinares e de elevado impacto.
e internacional. o Fomentar a cultura de desenvolvimento de projetos multidisciplinares e de elevado impacto.
e internacional. o Fomentar a cultura de desenvolvimento de projetos multidisciplinares e de elevado impacto.
e internacional. o Fomentar a cultura de desenvolvimento de projetos multidisciplinares e de elevado impacto.
e internacional. o Fomentar a cultura de desenvolvimento de projetos multidisciplinares e de elevado impacto.
e internacional. o Fomentar a cultura de desenvolvimento de projetos multidisciplinares e de elevado impacto.
Redes Temáticas Envolvidas o Investimento de R$ 35 milhões o Rede de Tecnologia de Materiais,
Redes Temáticas Envolvidas o Investimento de R$ 35 milhões o Rede de Tecnologia de Materiais,

Redes Temáticas Envolvidas

o Investimento de R$ 35 milhões

o

Rede de Tecnologia de Materiais, Equipamentos e Controle de Corrosão (TMEC)

o

Rede de CFD em Refino

o Rede de Metrologia

o Rede de Gerenciamento Digital Integrado (GEDIG)

Corrosão (TMEC) o Rede de CFD em Refino o Rede de Metrologia o Rede de Gerenciamento
Corrosão (TMEC) o Rede de CFD em Refino o Rede de Metrologia o Rede de Gerenciamento
Corrosão (TMEC) o Rede de CFD em Refino o Rede de Metrologia o Rede de Gerenciamento
Corrosão (TMEC) o Rede de CFD em Refino o Rede de Metrologia o Rede de Gerenciamento
Corrosão (TMEC) o Rede de CFD em Refino o Rede de Metrologia o Rede de Gerenciamento
Corrosão (TMEC) o Rede de CFD em Refino o Rede de Metrologia o Rede de Gerenciamento
Corrosão (TMEC) o Rede de CFD em Refino o Rede de Metrologia o Rede de Gerenciamento
Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante
Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante

Projeto arquitetônico:

Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante

Prédio “verde”

Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante

Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante
Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante
Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante
Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante
Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante
Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante
Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante
Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante
Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante
Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante
Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante
Projeto arquitetônico: Prédio “verde” Laboratório pesados com pé-direito duplo e ponte rolante
Piscina de testes: robótica, soldagem e visão submarina Corte do Prédio Três poços secos de
Piscina de testes: robótica, soldagem e visão submarina Corte do Prédio Três poços secos de

Piscina de testes:

robótica, soldagem e visão submarina

Piscina de testes: robótica, soldagem e visão submarina Corte do Prédio Três poços secos de 120

Corte do Prédio

Três poços secos

de 120 m: estudo de processos de elevação.

robótica, soldagem e visão submarina Corte do Prédio Três poços secos de 120 m: estudo de
Principais Focos Iniciais o Dutos e Tanques o Soldagem aplicada à construção, revestimento e reparos
Principais Focos Iniciais o Dutos e Tanques o Soldagem aplicada à construção, revestimento e reparos

Principais Focos Iniciais

Principais Focos Iniciais o Dutos e Tanques o Soldagem aplicada à construção, revestimento e reparos de

o Dutos e Tanques

o

Soldagem aplicada à construção, revestimento e reparos de dutos e tanques.

o

Análise da integridade de dutos enterrados e

instrumentação remota.

o

Inspeção de dutos e tanques utilizando tecnologias ópticas.

o Corrosão.

e instrumentação remota. o Inspeção de dutos e tanques utilizando tecnologias ópticas. o Corrosão.
e instrumentação remota. o Inspeção de dutos e tanques utilizando tecnologias ópticas. o Corrosão.
e instrumentação remota. o Inspeção de dutos e tanques utilizando tecnologias ópticas. o Corrosão.
e instrumentação remota. o Inspeção de dutos e tanques utilizando tecnologias ópticas. o Corrosão.
e instrumentação remota. o Inspeção de dutos e tanques utilizando tecnologias ópticas. o Corrosão.
Principais Focos Iniciais o Materiais compósitos o Inspeção com laser de defeitos em uniões de
Principais Focos Iniciais o Materiais compósitos o Inspeção com laser de defeitos em uniões de

Principais Focos Iniciais

Principais Focos Iniciais o Materiais compósitos o Inspeção com laser de defeitos em uniões de tubos
Principais Focos Iniciais o Materiais compósitos o Inspeção com laser de defeitos em uniões de tubos

o Materiais compósitos

o

Inspeção com laser de defeitos em uniões de

tubos de materiais

compósitos

o

Inspeção com laser de defeitos em revestimentos de

materiais compósitos

em tubos e em tanques.

compósitos o Inspeção com laser de defeitos em revestimentos de materiais compósitos em tubos e em
Principais Focos Iniciais Escoamentos multifásicos o o Medições e simulações de escoamentos multifásicos
Principais Focos Iniciais Escoamentos multifásicos o o Medições e simulações de escoamentos multifásicos

Principais Focos Iniciais

Principais Focos Iniciais Escoamentos multifásicos o o Medições e simulações de escoamentos multifásicos

Escoamentos multifásicos

o

o Medições e simulações de escoamentos multifásicos água/óleo e gás ligados à área de

o

refino.

Poços Inteligentes

o Controle e automação aplicados ao gerenciamento de poços e na produção de poços e reservatórios.

Inteligentes o Controle e automação aplicados ao gerenciamento de poços e na produção de poços e
Inteligentes o Controle e automação aplicados ao gerenciamento de poços e na produção de poços e
Inteligentes o Controle e automação aplicados ao gerenciamento de poços e na produção de poços e
Principais Focos Iniciais o FPSO o Reparos robotizados submarinos o Inspeção óptica de revestimentos
Principais Focos Iniciais o FPSO o Reparos robotizados submarinos o Inspeção óptica de revestimentos

Principais Focos Iniciais

Principais Focos Iniciais o FPSO o Reparos robotizados submarinos o Inspeção óptica de revestimentos

o FPSO

o

Reparos robotizados submarinos

o

Inspeção óptica de

revestimentos protetores

de tanques

Iniciais o FPSO o Reparos robotizados submarinos o Inspeção óptica de revestimentos protetores de tanques
Iniciais o FPSO o Reparos robotizados submarinos o Inspeção óptica de revestimentos protetores de tanques
Iniciais o FPSO o Reparos robotizados submarinos o Inspeção óptica de revestimentos protetores de tanques
Iniciais o FPSO o Reparos robotizados submarinos o Inspeção óptica de revestimentos protetores de tanques
Iniciais o FPSO o Reparos robotizados submarinos o Inspeção óptica de revestimentos protetores de tanques
Iniciais o FPSO o Reparos robotizados submarinos o Inspeção óptica de revestimentos protetores de tanques
Iniciais o FPSO o Reparos robotizados submarinos o Inspeção óptica de revestimentos protetores de tanques
Iniciais o FPSO o Reparos robotizados submarinos o Inspeção óptica de revestimentos protetores de tanques
Iniciais o FPSO o Reparos robotizados submarinos o Inspeção óptica de revestimentos protetores de tanques
Iniciais o FPSO o Reparos robotizados submarinos o Inspeção óptica de revestimentos protetores de tanques
o Mecânica dos fluidos computacional o Simulação de poços e reservatórios o Escoamentos multifásicos o
o Mecânica dos fluidos computacional o Simulação de poços e reservatórios o Escoamentos multifásicos o

o Mecânica dos fluidos computacional

o Simulação de poços e reservatórios

o Escoamentos

multifásicos

computacional o Simulação de poços e reservatórios o Escoamentos multifásicos o Estudo do acoplamento sal/poço

o Estudo do acoplamento sal/poço

computacional o Simulação de poços e reservatórios o Escoamentos multifásicos o Estudo do acoplamento sal/poço
computacional o Simulação de poços e reservatórios o Escoamentos multifásicos o Estudo do acoplamento sal/poço
computacional o Simulação de poços e reservatórios o Escoamentos multifásicos o Estudo do acoplamento sal/poço
computacional o Simulação de poços e reservatórios o Escoamentos multifásicos o Estudo do acoplamento sal/poço
computacional o Simulação de poços e reservatórios o Escoamentos multifásicos o Estudo do acoplamento sal/poço
o Metrologia Principais Focos Iniciais o Medição de grandes geometrias com GPS indor . o
o Metrologia Principais Focos Iniciais o Medição de grandes geometrias com GPS indor . o

o Metrologia

Principais Focos Iniciais

o Metrologia Principais Focos Iniciais o Medição de grandes geometrias com GPS indor . o Tomografia

o Medição de grandes geometrias com GPS indor. o Tomografia computadorizada industrial.

o

Confiabilidade de sistemas de medição.

o

Medidores inteligentes integráveis.

computadorizada industrial. o Confiabilidade de sistemas de medição. o Medidores inteligentes integráveis.
computadorizada industrial. o Confiabilidade de sistemas de medição. o Medidores inteligentes integráveis.
computadorizada industrial. o Confiabilidade de sistemas de medição. o Medidores inteligentes integráveis.
computadorizada industrial. o Confiabilidade de sistemas de medição. o Medidores inteligentes integráveis.
computadorizada industrial. o Confiabilidade de sistemas de medição. o Medidores inteligentes integráveis.
computadorizada industrial. o Confiabilidade de sistemas de medição. o Medidores inteligentes integráveis.
computadorizada industrial. o Confiabilidade de sistemas de medição. o Medidores inteligentes integráveis.
computadorizada industrial. o Confiabilidade de sistemas de medição. o Medidores inteligentes integráveis.
computadorizada industrial. o Confiabilidade de sistemas de medição. o Medidores inteligentes integráveis.
computadorizada industrial. o Confiabilidade de sistemas de medição. o Medidores inteligentes integráveis.
Fotos / Plantas

Fotos / Plantas

Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas

Fotos / Plantas

Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
Fotos / Plantas
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012

INPetro

o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012

INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
INPetro o Previsão de início de operações segundo semestre de 2012
Pesquisas e desenvolvimentos na área de inspeção no Labmetro usando laser e processamento de imagens
Pesquisas e desenvolvimentos na área de inspeção no Labmetro usando laser e processamento de imagens
Pesquisas e desenvolvimentos na área de inspeção no Labmetro usando laser e processamento de imagens

Pesquisas e desenvolvimentos na área de inspeção no Labmetro usando laser e processamento de imagens

(em parceria com a PETROBRAS)

desenvolvimentos na área de inspeção no Labmetro usando laser e processamento de imagens (em parceria com

Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos

Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção de defeitos em revestimentos e componentes de materiais compósitos Saiba mais
Inspeção com laser em revestimento polimérico de riser de exportação de gás

Inspeção com laser em revestimento polimérico de riser de exportação de gás

Inspeção com laser em revestimento polimérico de riser de exportação de gás
Inspeção com laser em revestimento polimérico de riser de exportação de gás
Inspeção com laser em revestimento polimérico de riser de exportação de gás
Representação 3D dos resultados

Representação 3D dos resultados

Representação 3D dos resultados
Representação 3D dos resultados
Representação 3D dos resultados
Representação 3D dos resultados
27
27
27
27
27
27
27
27
27
27
27
27
27
27
27
27
27
27
27
27
27
27
Resultados da inspeção de revestimento de fundo e costado de tanque
Resultados da inspeção de revestimento de fundo e costado de tanque

Resultados da inspeção de revestimento de

fundo e costado de tanque

Resultados da inspeção de revestimento de fundo e costado de tanque
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais

Medição da geometria interna de tubos corroídos

Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
Medição da geometria interna de tubos corroídos Saiba mais
O Sistema PEROLA-I PER filometria Ó ptica a LA ser aplicada a dutos 30
O Sistema PEROLA-I PER filometria Ó ptica a LA ser aplicada a dutos 30

O Sistema PEROLA-I

PERfilometria Óptica a LAser aplicada a dutos

O Sistema PEROLA-I PER filometria Ó ptica a LA ser aplicada a dutos 30
O Sistema PEROLA-I PER filometria Ó ptica a LA ser aplicada a dutos 30
O Sistema PEROLA-I PER filometria Ó ptica a LA ser aplicada a dutos 30

30

31 DSC03872.jpg
31 DSC03872.jpg
31
31
31 DSC03872.jpg

DSC03872.jpg

Resultados 1.440.000 pontos/m 32

Resultados

1.440.000 pontos/m

Resultados 1.440.000 pontos/m 32
Resultados 1.440.000 pontos/m 32

32

Placa com artefatos 33

Placa com artefatos

33
33
Placa com artefatos 33
Cordões de solda 34 DSC03834.jpg

Cordões de solda

Cordões de solda 34 DSC03834.jpg
Cordões de solda 34 DSC03834.jpg
Cordões de solda 34 DSC03834.jpg

34

DSC03834.jpg

Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais

Medição de Tensões Residuais com Laser

Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Medição de Tensões Residuais com Laser Saiba mais
Tempos de medição Ext 60 min Óptico 15 min tempo[min] 0 10 20 30 40
Tempos de medição Ext 60 min Óptico 15 min tempo[min] 0 10 20 30 40

Tempos de medição

Ext 60 min Óptico 15 min tempo[min]
Ext
60 min
Óptico
15 min
tempo[min]

0

10

20

30

40

50

60

MediçãoExt 60 min Óptico 15 min tempo[min] 0 10 20 30 40 50 60 Processamento dos

Processamento dos dadosmedição Ext 60 min Óptico 15 min tempo[min] 0 10 20 30 40 50 60 Medição

Preparação da superfíciede medição Ext 60 min Óptico 15 min tempo[min] 0 10 20 30 40 50 60

InstalaçãoExt 60 min Óptico 15 min tempo[min] 0 10 20 30 40 50 60 Medição Processamento

Óptico 15 min tempo[min] 0 10 20 30 40 50 60 Medição Processamento dos dados Preparação
Boldly measuring RS where no men has measured before… 38

Boldly measuring RS where no men

has measured before…

Boldly measuring RS where no men has measured before… 38
Boldly measuring RS where no men has measured before… 38
Boldly measuring RS where no men has measured before… 38
Boldly measuring RS where no men has measured before… 38
Boldly measuring RS where no men has measured before… 38
Boldly measuring RS where no men has measured before… 38
Boldly measuring RS where no men has measured before… 38
Boldly measuring RS where no men has measured before… 38
Boldly measuring RS where no men has measured before… 38
Boldly measuring RS where no men has measured before… 38
Boldly measuring RS where no men has measured before… 38
Boldly measuring RS where no men has measured before… 38
Boldly measuring RS where no men has measured before… 38
Boldly measuring RS where no men has measured before… 38

38

Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)
Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)

Projetos em Topogrametria

Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)
Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)
Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)
Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)
Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)
Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)
Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)
Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)
Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)
Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)
Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)
Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)
Projetos em Topogrametria Saiba mais (ENDORISER) Saiba mais (PEROLA-E)
Configuração básica câmera A câmera B Cilindro a medir projetor de franjas helicoidais
Configuração básica câmera A câmera B Cilindro a medir projetor de franjas helicoidais

Configuração básica

câmera A câmera B
câmera A
câmera B

Cilindro a medir

projetor de franjas helicoidais

Configuração básica câmera A câmera B Cilindro a medir projetor de franjas helicoidais
Configuração básica câmera A câmera B Cilindro a medir projetor de franjas helicoidais
Configuração básica câmera A câmera B Cilindro a medir projetor de franjas helicoidais
Configuração básica câmera A câmera B Cilindro a medir projetor de franjas helicoidais
Configuração básica câmera A câmera B Cilindro a medir projetor de franjas helicoidais
Configuração básica câmera A câmera B Cilindro a medir projetor de franjas helicoidais
Configuração básica câmera A câmera B Cilindro a medir projetor de franjas helicoidais
Weld seam measurement

Weld seam measurement

Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Weld seam measurement
Labsolda
Labsolda
Labsolda

Labsolda

Labsolda
Labsolda
Labsolda
Labsolda
Labsolda
Labsolda
Labsolda
Labsolda
Labsolda
Labsolda
Labsolda
Labsolda
Labsolda
Labsolda