Sunteți pe pagina 1din 204
Arduino – Módulo 1
Arduino – Módulo 1

Arduino Módulo 1

Arduino – Módulo 1

COORDENADOR:

Prof. Carlos Renato Borges dos Santos

Arduino – Módulo 1 COORDENADOR: Prof. Carlos Renato Borges dos Santos Versão 3.0

Versão 3.0

ETAPAS DO CURSO COMPLETO  Módulo 1 – Programando o Arduino  16 horas 
ETAPAS DO CURSO COMPLETO

ETAPAS DO CURSO COMPLETO

ETAPAS DO CURSO COMPLETO
ETAPAS DO CURSO COMPLETO

Módulo 1 Programando o Arduino

16 horas

Módulo 2 Sistemas de Interface

Mais de 20 horas

2 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Contatos  carlos.renato@ifmg.edu.br  santoscrb@gmail.com  www.santoscrb.com 3 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
Contatos

Contatos

Contatos
Contatos

3 Arduino Módulo 1

26/08/2013

Conteúdo programático

Conteúdo programático Módulo 1 – Programando o Arduino 4 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

Módulo 1 Programando o Arduino

Conteúdo programático Módulo 1 – Programando o Arduino 4 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

4 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Ao final do curso, será capaz de:  Desenvolver aplicações básicas com o Arduino e
Ao final do curso, será capaz de:

Ao final do curso, será capaz de:

Ao final do curso, será capaz de:
Ao final do curso, será capaz de:

Desenvolver aplicações básicas com o Arduino e pequenos

acionamentos;

Ler sinais de sensores que funcionam entre 0 e 5 V;

Gravar dados na memória não-volátil; Desenvolver protocolos de comunicação sem verificações complexas dos dados;

Controlar servomotores, motores de passo e motores de

corrente contínua (apenas o controle, a parte de potência

será ministrada no módulo 2);

Entender o processo de interrupções;

Conhecer alguns componentes eletrônicos.

5 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Conteúdo programático  Aula 1  O que é Arduino  Tipos de Arduino 
Conteúdo programático

Conteúdo programático

Conteúdo programático
Conteúdo programático

Aula 1

O que é Arduino

Tipos de Arduino

A placa eletrônica

Vantagens do Arduino

Apresentação do programa

Notas:

Avaliação: 40% da nota

Projetos: 60% da nota

Aula 2

Conceitos de bit, Byte,Word.

Tipos de variáveis do Arduino.

Manipulação de dados de diversos tipos em C

6 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Conteúdo programático  Aula 3  Revisão sobre programação em C.  Declaração de variáveis
Conteúdo programático

Conteúdo programático

Conteúdo programático
Conteúdo programático

Aula 3

Revisão sobre programação em C.

Declaração de variáveis e ponteiros

Condicionais:

If

While

For

Do

While

Switch

Struct

Union

7 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Conteúdo programático  Aula 4  O IDE do Arduino.  Verificação  Compilação 
Conteúdo programático

Conteúdo programático

Conteúdo programático
Conteúdo programático

Aula 4

O IDE do Arduino.

Verificação

Compilação

Pinos de IO

Exemplo Pisca-Pisca

Exemplo push button

Alimentação do Arduino

Cálculo de potência dos dispositivos

Dimensionamento de corrente de LEDs

Princípio de funcionamento de um motor de passo

PROJETO 1 ACIONAMENTO DE LEDS ATRAVÉS DE PUSH-BUTTONS

PROJETO 2 CONTROLE DE UM MOTOR DE PASSO EM 2 SENTIDOS

8 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Conteúdo programático  Aula 5  VERIFICAÇÃO DOS PROJETOS 1 E 2  Apresentação de
Conteúdo programático

Conteúdo programático

Conteúdo programático
Conteúdo programático

Aula 5

VERIFICAÇÃO DOS PROJETOS 1 E 2

Apresentação de vídeos e links interessantes

Aula 6

Conversão Analógico digital

Exercícios

Aula 7

PWM

Aula 8

PROJETO 3 CONTROLE DE VELOCIDADE DE UM MOTOR CC ATRAVÉS DE UM POTENCIÔMETRO

PROJETO 4 SEGUIDOR SOLAR

9 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Conteúdo programático  Aula 9  Comunicação serial  Aula 10  Desenvolvimento de protocolos
Conteúdo programático

Conteúdo programático

Conteúdo programático
Conteúdo programático

Aula 9

Comunicação serial

Aula 10

Desenvolvimento de protocolos de comunicação serial

Aula 11

PROJETO 5 CONTROLE DE UM MOTOR DE CC E DE MOTOR DE PASSO POR MEIO DA SERIAL

Aula 12

PROJETO 6 ESTAÇÃO DE MEDIÇÃO COM ENVIO DE DADOS PELA SERIAL

10 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Conteúdo programático  Aula 13  Memórias  SRAM  FLASH  EEPROM  Aula
Conteúdo programático

Conteúdo programático

Conteúdo programático
Conteúdo programático

Aula 13

Memórias

SRAM

FLASH

EEPROM

Aula 14

Gravando e recuperando dados na EEPROM

Aula 15

Servomotor

PROJETO 7 SEGUIDOR SOLAR COM ARMAZENAMENTO E

ENVIO DE DADOS DE POSIÇÃO PELA PORTA SERIAL

Aula 16

Avaliação do curso e avaliação teórica

11 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Livros sobre Arduino 12 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
Livros sobre Arduino

Livros sobre Arduino

Livros sobre Arduino
Livros sobre Arduino
Livros sobre Arduino 12 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
Livros sobre Arduino 12 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
Livros sobre Arduino 12 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
Livros sobre Arduino 12 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

12 Arduino Módulo 1

26/08/2013

Bibliografia  1- Site www.arduino.cc  2- McRoberts, Michael. Arduino básico. Editora NovaTec.  3-
Bibliografia

Bibliografia

Bibliografia
Bibliografia

1- Site www.arduino.cc

2- McRoberts, Michael. Arduino básico. Editora NovaTec.

3- Ronald J. Tocci e Neal S. Widmer. Sistemas Digitais:

Princípios e Aplicações.

4- Banz, Massimo. Primeiros passos com o Arduino.

5- 30 Arduino Projects for the evil genius

6- Arduino CookBook, 2nd edition

7-http://renatoaloi.blogspot.com

8- Fábio Pereira. Microcontroladores PIC Programação em C. Editora Érica.

13 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

1-Apresentação
1-Apresentação

1-Apresentação

1-Apresentação

Módulo 1 Programando no Arduino

1-Apresentação Módulo 1 – Programando no Arduino

O que é Arduino

O que é Arduino 16 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

16 IFMG-Campus Formiga

O que é Arduino 16 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

O que é Arduino  É uma plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre, projetada
O que é Arduino

O que é Arduino

O que é Arduino
O que é Arduino

É uma plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre, projetada com um microcontrolador Atmel AVR de

placa única, com suporte de entrada/saída embutido, uma linguagem de programação padrão, na qual é essencialmente

C/C++.

O projeto iniciou-se na Itália, em 2005, com o intuito de interagir em projetos escolares.

17 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

O que é Arduino 18 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
O que é Arduino

O que é Arduino

O que é Arduino
O que é Arduino
O que é Arduino 18 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

18 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

O que é Arduino  O Arduino IDE é uma aplicação multiplataforma escrita em Java.
O que é Arduino

O que é Arduino

O que é Arduino
O que é Arduino

O Arduino IDE é uma aplicação multiplataforma escrita em Java. Inclui um editor de código, compilador e carrega programas para a placa com

um único clique.

Com isso não há a necessidade de editar Makefiles ou rodar programas em ambientes de linha de comando.

19 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

O que é Arduino

O que é Arduino

O que é Arduino
O que é Arduino

Linguagem do Arduino

void setup()

{

//Comandos de

//inicialização

}

void loop()

{

//Instruções repetidas //infinitamente

}

20 Arduino Módulo 1

Linguagem C

void main() {

//void setup

while(1)

{

//void loop

}

}

26/08/2013

Tipos de Arduino

Tipos de Arduino 21 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

21 IFMG-Campus Formiga

Tipos de Arduino 21 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Tipos de Arduino 22 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Tipos de Arduino

Tipos de Arduino

Tipos de Arduino
Tipos de Arduino
Tipos de Arduino 22 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

22 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Tipos de Arduino 23 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Tipos de Arduino

Tipos de Arduino

Tipos de Arduino
Tipos de Arduino
Tipos de Arduino 23 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

23 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Tipos de Arduino 24 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Tipos de Arduino

Tipos de Arduino

Tipos de Arduino
Tipos de Arduino
Tipos de Arduino 24 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

24 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

A placa eletrônica

A placa eletrônica 25 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

25 IFMG-Campus Formiga

A placa eletrônica 25 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

A placa eletrônica 26 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
A placa eletrônica

A placa eletrônica

A placa eletrônica
A placa eletrônica
A placa eletrônica 26 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

A placa eletrônica 27 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
A placa eletrônica

A placa eletrônica

A placa eletrônica
A placa eletrônica
A placa eletrônica 27 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

27 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Vantagens do Arduino

Vantagens do Arduino 28 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

28 IFMG-Campus Formiga

Vantagens do Arduino 28 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Vantagens do Arduino

Vantagens do Arduino

Vantagens do Arduino
Vantagens do Arduino

Vantagens

Alimentação: Pode ser alimentado pela USB

Total compatibilidade entre o IDE e a placa, não sendo necessárias configurações complexas

Não precisa de alimentação externa

Preço, se comparado a um kit com microcontrolador PIC, 8051 ou outro

29 IFMG-Campus Formiga

Desvantagens

Não simula em computador (ainda não

encontrei)

Nem todas as portas possuem um LED

integrado à plataforma.

Ao sair do estado de protótipo deve-se fazer

adequações

26/08/2013

Kit PIC

Kit PIC

Kit PIC
Kit PIC

Kit PIC

Kit PIC Kit PIC 30 IFMG-Campus Formiga  Alimentação externa (127/220V)  Não inclui compilador (MikroC,

30 IFMG-Campus Formiga

Alimentação externa

(127/220V)

Não inclui compilador (MikroC, CCS)

Não inclui simulador

(Proteus)

Utiliza MPLAB

Preço: R$ 600,00

26/08/2013

Comparação

Comparação

Comparação
Comparação

Arduino

Abrir software Arduino

Selecionar o Arduino Abrir arquivo

Cabo USB

Plugar o Arduino

Compilar

31 IFMG-Campus Formiga

PIC / 8051

Abrir software de edição em C

Criar uma pasta e nomear o projeto

Configurar fusíveis

Abrir biblioteca de exemplos, copiar

exemplo

Configurar registradores dos periféricos

Certificar se é o PIC, ex: 18F4550

Kit + Fonte de alimentação + cabo USB + gravador + cabo RJ

Compilar

Abrir o MPLAB para gravação

Encontrar o arquivo .HEX

Clicar em Play

26/08/2013

Apresentação do programa  Notas:  50% - avaliação escrita  50% - projetos 32
Apresentação do programa

Apresentação do programa

Apresentação do programa
Apresentação do programa

Notas:

50% - avaliação escrita 50% - projetos

32 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

2-Conceitos básicas
2-Conceitos básicas

2-Conceitos básicas

2-Conceitos básicas

Módulo 1 Programando no Arduino

2-Conceitos básicas Módulo 1 – Programando no Arduino
PARTE 1 – Noções de software  Conceitos de bit, Byte,Word.  Códigos ASCII, Binário,
PARTE 1 – Noções de software

PARTE 1 Noções de software

PARTE 1 – Noções de software
PARTE 1 – Noções de software

Conceitos de bit, Byte,Word.

Códigos ASCII, Binário, BCD, Hexadecimal.

Revisão sobre programação em C.

Tipos de variáveis.

O IDE do Arduino.

34 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Conceitos de bit, Byte e Word

Conceitos de bit, Byte e Word 35 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

35 IFMG-Campus Formiga

Conceitos de bit, Byte e Word 35 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Conceitos de bit, byte e word  Bit – É um registrador ou variável que
Conceitos de bit, byte e word

Conceitos de bit, byte e word

Conceitos de bit, byte e word
Conceitos de bit, byte e word

Bit É um registrador ou variável que armazena o valor 0 ou

1. Uma variável do tipo bit é usada para testes lógicos dos

tipos: verdadeiro ou falso.

Byte É um conjunto de 8 bits. Usado para armazenar

valores de 0 a 255 (sem sinal) ou de -128 a +127 (com sinal)

Word É um conjunto de 16 bits. Armazena valores de 0 a 65535 ou -32768 a 32767

36 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Sistemas de codificação

Sistemas de codificação 37 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

37 IFMG-Campus Formiga

Sistemas de codificação 37 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

ASCII – 0 a 127 38 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
ASCII – 0 a 127

ASCII 0 a 127

ASCII – 0 a 127
ASCII – 0 a 127
ASCII – 0 a 127 38 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

38 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

ASCII – 128 a 255 39 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
ASCII – 128 a 255

ASCII 128 a 255

ASCII – 128 a 255
ASCII – 128 a 255

39 IFMG-Campus Formiga

ASCII – 128 a 255 39 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Hexadecimal – binário - decimal 40 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Hexadecimal – binário - decimal

Hexadecimal binário - decimal

Hexadecimal – binário - decimal
Hexadecimal – binário - decimal
Hexadecimal – binário - decimal 40 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

40 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Codificação BCD RTC DS1307 Usa codificação BCD 41 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Codificação BCD

Codificação BCD

Codificação BCD
Codificação BCD
Codificação BCD RTC DS1307 Usa codificação BCD 41 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Codificação BCD RTC DS1307 Usa codificação BCD 41 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

RTC DS1307

Usa codificação BCD

41 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Sistemas de codificação Exercício 1  Represente os valores a seguir em registradores de 8
Sistemas de codificação

Sistemas de codificação

Sistemas de codificação
Sistemas de codificação

Exercício 1

Represente os valores a seguir em registradores de 8 bits:

A) 20 (decimal) ->

B) 0 (ASCII) ->

C) 45 (hexadecimal) -> D) 10110 (binário) ->

E) 7E (hexadecimal) ->

F) 64 (bcd) ->

42 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Sistemas de codificação Exercício 2  Dados os bits, o que eles representariam se estivessem
Sistemas de codificação

Sistemas de codificação

Sistemas de codificação
Sistemas de codificação

Exercício 2

Dados os bits, o que eles representariam se estivessem em:ASCII, hexadecimal, BCD e decimal: (

A) 10010100 ->

B) 01010101 ->

C) 11110000 -> D) 10110111 ->

E) 00111010 ->

F) 1101010110101001 ->

43 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Sistemas de codificação Exercício 3  O RTC 1307 armazena a seguinte data: 26/12/13. Como
Sistemas de codificação

Sistemas de codificação

Sistemas de codificação
Sistemas de codificação

Exercício 3 O RTC 1307 armazena a seguinte data: 26/12/13. Como serão preenchidos os seguintes registradores: dia, mês, ano?

26/12/13. Como serão preenchidos os seguintes registradores: dia, mês, ano? 44 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

44 Arduino Módulo 1

26/08/2013

Tipos de variáveis do Arduino

Tipos de variáveis do Arduino 45 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

45 IFMG-Campus Formiga

Tipos de variáveis do Arduino 45 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Tipos de variáveis do Arduino

Tipos de variáveis do Arduino

Tipos de variáveis do Arduino
Tipos de variáveis do Arduino

boolean char (-128 a 127)

unsigned char (0 a 255)

byte (0 a 255)

int (-32.768 a 32.767)

unsigned int (0 a 65535)

word (0 a 65535)

long [32 bits (4 bytes), de -

2.147.483.648 a

2.147.483.647]

unsigned long (0 a

4.294.967.295)

46 IFMG-Campus Formiga

Float (-3.4028235E+38 a

3.4028235E+38 stored as 32

bits)

Double (On the Arduino Due, doubles have 8-byte (64

bit) precision)

string - char array

string - object

array

http://arduino.cc/en/Refer

ence/HomePage

 string - char array  string - object  array  http://arduino.cc/en/Refer ence/HomePage 26/08/2013

26/08/2013

Manipulação de dados de diversos tipos em C

Manipulação de dados de diversos tipos em C 47 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

47 IFMG-Campus Formiga

Manipulação de dados de diversos tipos em C 47 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Manipulação de dados de diversos tipos em C Dicas sobre o uso de variáveis 
Manipulação de dados de diversos tipos em C

Manipulação de dados de diversos tipos em C

Manipulação de dados de diversos tipos em C
Manipulação de dados de diversos tipos em C

Dicas sobre o uso de variáveis

Como o processador é de 8 bits, evite usar variáveis longas, isso poupará memória e aumentará a velocidade de cálculo.

Prefira usar variáveis inteiras de 8 e 16 bits, evitando variáveis com ponto flutuante.

48 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Manipulação de dados de diversos tipos em C char Sinal (+) ( - ) 0
Manipulação de dados de diversos tipos em C

Manipulação de dados de diversos tipos em C

Manipulação de dados de diversos tipos em C
Manipulação de dados de diversos tipos em C

char

Sinal (+) ( - ) 0 1
Sinal
(+)
( - )
0
1

unsigned char

Manipulação de dados de diversos tipos em C char Sinal (+) ( - ) 0 1

49 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Manipulação de dados de diversos tipos em C 50 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Manipulação de dados de diversos tipos em C

Manipulação de dados de diversos tipos em C

Manipulação de dados de diversos tipos em C
Manipulação de dados de diversos tipos em C
Manipulação de dados de diversos tipos em C 50 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

50 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

98 + 78 ---- Manipulação de dados de diversos tipos em C Registrador A (8

98

+

78

----

Manipulação de dados de diversos tipos em C

Manipulação de dados de diversos tipos em C

Manipulação de dados de diversos tipos em C
Manipulação de dados de diversos tipos em C

Registrador A

(8 bits)

Carry

(operação anterior)

Carry (1 bit)

ULA

Resultado (8 bits)

51 IFMG-Campus Formiga

Registrador B ( 8 bits)

26/08/2013

Manipulação de dados de diversos tipos em C  O que acontece com os valores
Manipulação de dados de diversos tipos em C

Manipulação de dados de diversos tipos em C

Manipulação de dados de diversos tipos em C
Manipulação de dados de diversos tipos em C

O que acontece com os valores armazenados quando:

Bit = byte Bit = word Byte = bit Byte = word

Arduino?

Arduino?

Arduino:

recebe 0 ou 1

Arduino:

recebe-se o byte

menos significativo

word = bit word = byte

Arduino: recebe 0 ou 1 Arduino: recebe o valor

52 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Valores em decimal, hexa e binário  X = 0x10; // x recebe o valor
Valores em decimal, hexa e binário

Valores em decimal, hexa e binário

Valores em decimal, hexa e binário
Valores em decimal, hexa e binário

X = 0x10; // x recebe o valor 10h (16 decimal) Y = 10; // y recebe 10 decimal

Z = 0b10; // z recebe 10b (2 decimal)

53 Arduino Módulo 1

26/08/2013

Operações com variáveis  Calcule o resultado das variáveis após as seguintes operações:  unsigned
Operações com variáveis

Operações com variáveis

Operações com variáveis
Operações com variáveis

Calcule o resultado das variáveis após as seguintes operações:

unsigned int calc = 2000;

char x, y, z;

x = calc; //x=208 y = 400; //y=144 z = x + y; //z = 96 Ver Exemplo1

unsigned

54 Arduino Módulo 1

26/08/2013

Ponteiros  unsigned int x[5];  unsigned int *ponteiro;  for(char i = 0;i<5;i++) 
Ponteiros

Ponteiros

Ponteiros
Ponteiros

unsigned int x[5];

unsigned int *ponteiro;

for(char i = 0;i<5;i++) {

x[i] = 2*i+1;

}

ponteiro = &x[0];

ponteiro ++;

(*ponteiro)++;

Ver Exemplo2

55 Arduino Módulo 1

26/08/2013

3-Programação em C
3-Programação em C

3-Programação em C

3-Programação em C

Módulo 1 Programando no Arduino

3-Programação em C Módulo 1 – Programando no Arduino

Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C 57 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

57 IFMG-Campus Formiga

Revisão sobre programação em C 57 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Revisão sobre programação em C  if( teste_condicional )  {  //Caso passe no
Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C
Revisão sobre programação em C

if( teste_condicional ) {

//Caso passe no teste_condicional

}

else

{

//Caso não passe no teste_condicional

}

58 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Revisão sobre programação em C  while( teste_condicional )  {  //expressão  }
Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C
Revisão sobre programação em C

while( teste_condicional ) {

//expressão

}

59 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Revisão sobre programação em C  for( inicialização ; teste_condicional ; incremento )  {
Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C
Revisão sobre programação em C

for( inicialização ; teste_condicional ; incremento ) {

//expressão

}

60 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Revisão sobre programação em C  do  {  //expressão  } while (
Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C
Revisão sobre programação em C

do

{

//expressão

} while ( teste_condicional )

61 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Revisão sobre programação em C  switch( variavel )  {  case valor1 :
Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C
Revisão sobre programação em C

switch(variavel) {

case valor1:

break;

case valor2:

break;

case valor3:

break;

default:

//Caso não tenha encontrado um case

}

62 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C
Revisão sobre programação em C

typedef struct

{

//Declaração de variáveis

//var1;

//Var2;

}Tipo;

Tipo variavel;

variavel.var1 = valor1;

Variavel.var2 = valor2;

63 IFMG-Campus Formiga

Typedef struct

{

int chave;

char matricula[6];

char nome[16]; char senha[4];

}Taluno;

Taluno turma1[40];

For(char i=0;i<40;i++){

Turma1[i].matricula[0] = ‘1’;

}

 For(char i=0;i<40;i++){  Turma1[i].matricula[0] = ‘1’;   } 26/08/2013

26/08/2013

Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C

Revisão sobre programação em C
Revisão sobre programação em C

typedef union {

//Declara_variável_maior

;

//Declara_variáveis_meno res;

} Tipo;

typedef union {

int x;

char y[2];

}Tint16;

Tint16 valor;

valor.x = 0xABCD;

valor.y[0] = ?

64 IFMG-Campus Formiga

  Tint16 valor;  valor.x = 0xABCD;  valor.y[0] = ? 64 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

4-O Arduino
4-O Arduino

4-O Arduino

4-O Arduino

Módulo 1 Programando no Arduino

4-O Arduino Módulo 1 – Programando no Arduino

O IDE do Arduino

O IDE do Arduino 66 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

66 IFMG-Campus Formiga

O IDE do Arduino 66 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

O IDE do Arduino 67 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
O IDE do Arduino

O IDE do Arduino

O IDE do Arduino
O IDE do Arduino
O IDE do Arduino 67 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

67 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

O IDE do Arduino 68 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
O IDE do Arduino

O IDE do Arduino

O IDE do Arduino
O IDE do Arduino
O IDE do Arduino 68 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

68 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

O IDE do Arduino  Última versão: 1.0.5 (até o início do curso)  Escolher
O IDE do Arduino

O IDE do Arduino

O IDE do Arduino
O IDE do Arduino

Última versão: 1.0.5 (até o início do curso)

Escolher o Arduino

Exemplos de programas

Conexão automática

Verificação de sintaxe

Compilação

Gravação

69 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

O IDE do Arduino 70 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
O IDE do Arduino

O IDE do Arduino

O IDE do Arduino
O IDE do Arduino
O IDE do Arduino 70 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

70 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Pinos de IO

Pinos de IO Arduino UNO 71 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

Arduino UNO

71 IFMG-Campus Formiga

Pinos de IO Arduino UNO 71 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Pinos de IO

Pinos de IO

Pinos de IO
Pinos de IO

Arduino UNO

6 Portas de entradas

analógicas (Conversor AD

de 10 bits cada)

14 portas de IO, sendo 6

com saídas PWM

1 saída de alimentação 5 V

1 saída de alimentação de

3,3V

72 IFMG-Campus Formiga

saídas PWM  1 saída de alimentação 5 V  1 saída de alimentação de 3,3V
saídas PWM  1 saída de alimentação 5 V  1 saída de alimentação de 3,3V

26/08/2013

Arduino UNO 73 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Arduino UNO

Arduino UNO

Arduino UNO
Arduino UNO
Arduino UNO 73 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

73 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Arduino UNO 74 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Arduino UNO

Arduino UNO

Arduino UNO
Arduino UNO
Arduino UNO 74 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

74 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Arduino UNO 75 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Arduino UNO

Arduino UNO

Arduino UNO
Arduino UNO
Arduino UNO 75 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

75 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Pinos de IO

Pinos de IO Arduino Mega 2560 76 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

Arduino Mega 2560

76 IFMG-Campus Formiga

Pinos de IO Arduino Mega 2560 76 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Pinos de IO

Pinos de IO

Pinos de IO
Pinos de IO

Arduino MEGA 2560 54 pinos de IO digitais

14 saídas PWM que podem ser configuradas como

entradas digitais

4 terminais de comunicação serial USART

+ 1 I2C

Pinos 22 a 53 de IO digital

16 entradas analógicas (Conversor AD de 10 bits)

Pinos 22 a 53 de IO digital  16 entradas analógicas (Conversor AD de 10 bits)

77 IFMG-Campus Formiga

Pinos 22 a 53 de IO digital  16 entradas analógicas (Conversor AD de 10 bits)

26/08/2013

Arduino Mega 2560 78 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Arduino Mega 2560

Arduino Mega 2560

Arduino Mega 2560
Arduino Mega 2560
Arduino Mega 2560 78 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

78 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Arduino Mega 2560 79 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Arduino Mega 2560

Arduino Mega 2560

Arduino Mega 2560
Arduino Mega 2560
Arduino Mega 2560 79 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

79 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Arduino Mega 2560 80 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Arduino Mega 2560

Arduino Mega 2560

Arduino Mega 2560
Arduino Mega 2560
Arduino Mega 2560 80 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

80 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Exemplos de programação

Exemplos de programação 81 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

81 IFMG-Campus Formiga

Exemplos de programação 81 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Exemplos de programação: Pisca-pisca IFMG-Campus Formiga 82 26/08/2013
Exemplos de programação: Pisca-pisca

Exemplos de programação: Pisca-pisca

Exemplos de programação: Pisca-pisca
Exemplos de programação: Pisca-pisca
Exemplos de programação: Pisca-pisca IFMG-Campus Formiga 82 26/08/2013

IFMG-Campus Formiga
82

26/08/2013

Exemplos  Pasta Laboratorios  Exemplo 1 – operações entre diversos tipos  Exemplo 2
Exemplos

Exemplos

Exemplos
Exemplos

Pasta Laboratorios

Exemplo 1 operações entre diversos tipos

Exemplo 2 Ponteiros

Exemplo 3 Variáveis char, int e float

83 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Pinos de I/O  Entrada de dados  Definir como entrada  pinMode(pino,INPUT);  Leitura
Pinos de I/O

Pinos de I/O

Pinos de I/O
Pinos de I/O

Entrada de dados

Definir como entrada

pinMode(pino,INPUT);

Leitura

boolean x;

x = digitalRead(pino);

Saída de dados

Definir como saída

pinMode(pino,OUTPUT);

Escrever o dado

digitalWrite(pino,HIGH);

digitalWrite(pino,LOW);

84 Arduino Módulo 1

26/08/2013

Exemplo de leitura/escrita 85 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
Exemplo de leitura/escrita

Exemplo de leitura/escrita

Exemplo de leitura/escrita
Exemplo de leitura/escrita
Exemplo de leitura/escrita 85 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

85 Arduino Módulo 1

26/08/2013

Push-Button:

Push-Button:

Push-Button:
Push-Button:

Normalmente: 1

Apertando: 0

Push-Button: Normalmente: 1 Apertando: 0 86 IFMG-Campus Formiga Normalmente: 0 Apertando: 1 26/08/2013

86 IFMG-Campus Formiga

Normalmente: 0

Apertando: 1

Push-Button: Normalmente: 1 Apertando: 0 86 IFMG-Campus Formiga Normalmente: 0 Apertando: 1 26/08/2013

26/08/2013

Push-Button

Push-Button

Push-Button
Push-Button

Saída Normalmente 1

Apertando: 0

Push-Button Saída Normalmente 1 Apertando: 0 87 Arduino – Módulo 1 Saída Normalemente 0 Apertando: 1

87 Arduino Módulo 1

Saída Normalemente 0

Apertando: 1

Push-Button Saída Normalmente 1 Apertando: 0 87 Arduino – Módulo 1 Saída Normalemente 0 Apertando: 1

26/08/2013

Latch

Latch

Latch
Latch
Latch 88 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

88 Arduino Módulo 1

Latch 88 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

26/08/2013

Exemplos de programação: push button  Cada pino deverá ser configurado como entrada;  Para
Exemplos de programação: push button

Exemplos de programação: push button

Exemplos de programação: push button
Exemplos de programação: push button

Cada pino deverá ser configurado como entrada; Para ler o sinal do pino, deverá ser através de um comando; Veja exemplo a seguir.

89 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Exemplo de leitura digital 90 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Exemplo de leitura digital

Exemplo de leitura digital

Exemplo de leitura digital
Exemplo de leitura digital
Exemplo de leitura digital 90 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

90 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Alimentação do Arduino

Alimentação do Arduino 91 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

91 IFMG-Campus Formiga

Alimentação do Arduino 91 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Alimentação do Arduino  Pode-se alimentá-lo através da porta USB  Possui alimentação externa. 92
Alimentação do Arduino

Alimentação do Arduino

Alimentação do Arduino
Alimentação do Arduino

Pode-se alimentá-lo através da porta USB Possui alimentação externa.

 Pode-se alimentá-lo através da porta USB  Possui alimentação externa. 92 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

92 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Alimentação do Arduino Cálculo de Potência  P = U x I  Tensão de
Alimentação do Arduino

Alimentação do Arduino

Alimentação do Arduino
Alimentação do Arduino

Cálculo de Potência

P = U x I

Tensão de alimentação do Arduino (USB) = 5V

Corrente máxima da USB (até 500mA por porta)

Um simples resistor de 1k: I = 5/1000 = 5 mA

Um simples resistor de 100R: I = 5/100 = 50 mA

93 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Código de cores de resistores 94 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
Código de cores de resistores

Código de cores de resistores

Código de cores de resistores
Código de cores de resistores

94 Arduino Módulo 1

Código de cores de resistores 94 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

26/08/2013

LED 95 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
LED

LED

LED
LED
LED 95 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

95 Arduino Módulo 1

26/08/2013

Alimentação de um LED 96 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
Alimentação de um LED

Alimentação de um LED

Alimentação de um LED
Alimentação de um LED
Alimentação de um LED 96 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

96 Arduino Módulo 1

26/08/2013

Alimentação de um LED  Dimensionamento de LEDs  Um LED consome cerca de 5
Alimentação de um LED

Alimentação de um LED

Alimentação de um LED
Alimentação de um LED

Dimensionamento de LEDs Um LED consome cerca de 5 a 30 mA, dependendo do tamanho e tipo de LED. Quando ligado, sua tensão é da ordem de 1,2V. Logo, o resistor que deve ser ligado em série:

de 1,2V. Logo, o resistor que deve ser ligado em série:  Caso de alimentação USB:

Caso de alimentação USB: R = (5 1,2)/5m = 760 Ohms

No caso, é mais prudente arredondar a resistência para cima, logo usa-se 1kohm

Tente agora para ligar um LED em 12V

97 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

USB conector tipo B 98 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
USB conector tipo B

USB conector tipo B

USB conector tipo B
USB conector tipo B
USB conector tipo B 98 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

98 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Alimentação Externa (-) (+) Ideal: 7 a 12V 99 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
Alimentação Externa

Alimentação Externa

Alimentação Externa
Alimentação Externa
Alimentação Externa (-) (+) Ideal: 7 a 12V 99 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

(-)

(+)

Ideal: 7 a 12V

99 Arduino Módulo 1

26/08/2013

PROJETO 1

PROJETO 1 100 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

100 IFMG-Campus Formiga

PROJETO 1 100 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

ACIONAMENTO DE LEDS ATRAVÉS DE PUSH-BUTTONS  DESCRIÇÃO: O projeto deverá acionar um LED que
ACIONAMENTO DE LEDS ATRAVÉS DE PUSH-BUTTONS

ACIONAMENTO DE LEDS ATRAVÉS DE PUSH-BUTTONS

ACIONAMENTO DE LEDS ATRAVÉS DE PUSH-BUTTONS
ACIONAMENTO DE LEDS ATRAVÉS DE PUSH-BUTTONS

DESCRIÇÃO: O projeto deverá acionar um LED que represente um motor de CC. O acionamento se dará por push-button.Ao acionar a chave, o programa deverá verificar o estado do LED e mudá-lo. Não se esqueça de inserir um delay após ler o estado do push-button.

Outros dois botões poderão ser usados para regular o tempo de acionamento do LED.

Aproveite os outros pinos de I/O e use a criatividade para acionar mais de um LED.

101 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

PROJETO 2

PROJETO 2 102 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

102 IFMG-Campus Formiga

PROJETO 2 102 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

CONTROLE DE UM MOTOR DE PASSO EM 2 SENTIDOS  DESCRIÇÃO: Elaborar subrotinas que leiam
CONTROLE DE UM MOTOR DE PASSO EM 2 SENTIDOS

CONTROLE DE UM MOTOR DE PASSO EM 2 SENTIDOS

CONTROLE DE UM MOTOR DE PASSO EM 2 SENTIDOS
CONTROLE DE UM MOTOR DE PASSO EM 2 SENTIDOS

DESCRIÇÃO: Elaborar subrotinas que leiam 2 push-buttons,

um que ao ser acionado chame uma subrotina que gire LEDs

à direita e outro que ao ser acionado chame uma subrotina

que gire LEDs à esquerda.

Tente usar void, funções, variáveis, struct para deixar o código mais elegante e organizado

Insira comentários sempre que possível para explicar as

etapas do código.

103 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Aplicação: Motor de passo

Aplicação: Motor de passo

Aplicação: Motor de passo
Aplicação: Motor de passo

Princípio de

funcionamento;

Lógica de programação;

104 IFMG-Campus Formiga

Motor de passo  Princípio de funcionamento;  Lógica de programação; 104 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Motor de passo  Princípio de funcionamento;  Lógica de programação; 104 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

5-Consulta sobre os projetos
5-Consulta sobre os projetos

5-Consulta sobre os projetos

5-Consulta sobre os projetos

Módulo 1 Programando no Arduino

5-Consulta sobre os projetos Módulo 1 – Programando no Arduino

Verificação dos projetos 1 e 2

Verificação dos projetos 1 e 2 106 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

106 IFMG-Campus Formiga

Verificação dos projetos 1 e 2 106 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Vídeos e links interessantes  Vídeo 1  Vídeo 2  Vídeo 3  Vídeo
Vídeos e links interessantes

Vídeos e links interessantes

Vídeos e links interessantes
Vídeos e links interessantes

Vídeo 1

Vídeo 2

Vídeo 3

Vídeo 4

Vídeo 5

Vídeo 6

Vídeo 7

107 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

6-Hardware interno [1]
6-Hardware interno [1]

6-Hardware interno [1]

6-Hardware interno [1]

Módulo 1 Programando no Arduino

6-Hardware interno [1] Módulo 1 – Programando no Arduino

Conversão analógico-digital (ADC)

Conversão analógico-digital (ADC) 109 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

109 IFMG-Campus Formiga

Conversão analógico-digital (ADC) 109 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Conversor AD 1 bit 110 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Conversor AD 1 bit

Conversor AD 1 bit

Conversor AD 1 bit
Conversor AD 1 bit
Conversor AD 1 bit 110 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Conversor AD 1 bit 110 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Conversor AD 1 bit 110 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Conversor AD 1 bit 110 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Conversor AD 1 bit 110 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Conversor AD 1 bit 110 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Conversor AD 1 bit 110 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Conversor AD 1 bit 110 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Conversor AD 1 bit 110 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

110 IFMG-Campus Formiga

Conversor AD 1 bit 110 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Conversor AD 2 bits 111 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Conversor AD 2 bits

Conversor AD 2 bits

Conversor AD 2 bits
Conversor AD 2 bits
Conversor AD 2 bits 111 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

111 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Conversor AD 3 bits 112 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Conversor AD 3 bits

Conversor AD 3 bits

Conversor AD 3 bits
Conversor AD 3 bits
Conversor AD 3 bits 112 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

112 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Aliasing 113 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Aliasing

Aliasing

Aliasing
Aliasing
Aliasing 113 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

113 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Conversão analógico-digital (ADC) 114 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Conversão analógico-digital (ADC)

Conversão analógico-digital (ADC)

Conversão analógico-digital (ADC)
Conversão analógico-digital (ADC)
Conversão analógico-digital (ADC) 114 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

114 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Conversão analógico-digital (ADC) 115 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Conversão analógico-digital (ADC)

Conversão analógico-digital (ADC)

Conversão analógico-digital (ADC)
Conversão analógico-digital (ADC)
Conversão analógico-digital (ADC) 115 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

115 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Conversor DA 116 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
Conversor DA

Conversor DA

Conversor DA
Conversor DA
Conversor DA 116 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
Conversor DA 116 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

116 Arduino Módulo 1

26/08/2013

Conversão analógico-digital (ADC)  É uma função que retorna um valor de 10 bits. 
Conversão analógico-digital (ADC)

Conversão analógico-digital (ADC)

Conversão analógico-digital (ADC)
Conversão analógico-digital (ADC)

É uma função que retorna um valor de 10 bits. Precisa de um comando específico.

Lembre-se que a execução desse comando necessita de um pequeno intervalo de tempo (de micro a milissegundos).

Os valores lidos pelo ADC podem variar de 0 a 1023.

117 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Conversão analógico-digital (ADC)  Sensor de precisão:  Variavel (16 bits) = analogRead( Canal )
Conversão analógico-digital (ADC)

Conversão analógico-digital (ADC)

Conversão analógico-digital (ADC)
Conversão analógico-digital (ADC)

Sensor de precisão:

Variavel (16 bits) = analogRead(Canal)

Sensor de baixa precisão ou de sinal ruidoso:

Variavel (8 bits) = analogRead(Canal)>>2

Canal:

A0

A1

A2

A3

A4

A5

118 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Exemplo de leitura AD 119 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Exemplo de leitura AD

Exemplo de leitura AD

Exemplo de leitura AD
Exemplo de leitura AD
Exemplo de leitura AD 119 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

119 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Exemplo: seguidor de linha 120 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Exemplo: seguidor de linha

Exemplo: seguidor de linha

Exemplo: seguidor de linha
Exemplo: seguidor de linha
Exemplo: seguidor de linha 120 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

120 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Cuidado!  Nunca ligue diretamente algum dispositivo no canal AD que tenha alguma possibilidade de
Cuidado!

Cuidado!

Cuidado!
Cuidado!

Nunca ligue diretamente algum dispositivo no canal AD que tenha alguma possibilidade de atingir valores acima de 5V

no canal AD que tenha alguma possibilidade de atingir valores acima de 5V 122 Arduino –

122 Arduino Módulo 1

26/08/2013

7-Hardware interno [2]
7-Hardware interno [2]

7-Hardware interno [2]

7-Hardware interno [2]

Módulo 1 Programando no Arduino

7-Hardware interno [2] Módulo 1 – Programando no Arduino

PWM (conversão digital-analógico)

PWM (conversão digital-analógico) 124 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

124 IFMG-Campus Formiga

PWM (conversão digital-analógico) 124 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

PWM  Usado para controle de tensão por chaveamento em alta frequência.  Dentre sua
PWM

PWM

PWM
PWM

Usado para controle de tensão por chaveamento em alta

frequência.

Dentre sua utilização, encontram-se:

Controle de velocidade de motor DC; Servomotores;

Controle de iluminação.

125 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

PWM 126 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
PWM

PWM

PWM
PWM
PWM 126 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

126 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

PWM  analogWrite( Porta , variável );  Porta: configurada como saída.  Variável:Valor 8
PWM

PWM

PWM
PWM

analogWrite(Porta, variável);

Porta: configurada como saída.

Variável:Valor 8 bits sem sinal (0 a 255).

127 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

PWM 128 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
PWM

PWM

PWM
PWM
PWM 128 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

128 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Serial – Parte 1  Comandos básicos:  Void setup()  Serial.begin(9600);  Void loop()
Serial – Parte 1

Serial Parte 1

Serial – Parte 1
Serial – Parte 1

Comandos básicos:

Void setup()

Serial.begin(9600);

Void loop()

Serial.print(“Texto”);

Serial.print(x);

Serial.println(x);

Serial.write(‘a’);

Serial.write(x);//x tipo char

129 Arduino Módulo 1

26/08/2013

8-Projetos
8-Projetos

8-Projetos

8-Projetos

Módulo 1 Programando no Arduino

8-Projetos Módulo 1 – Programando no Arduino

PROJETO 3

PROJETO 3 131 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

131 IFMG-Campus Formiga

PROJETO 3 131 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Potenciômetro 132 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
Potenciômetro

Potenciômetro

Potenciômetro
Potenciômetro
Potenciômetro 132 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
Potenciômetro 132 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

132 Arduino Módulo 1

26/08/2013

CONTROLE DE UM MOTOR CC ATRAVÉS DE UM POTENCIÔMETRO  A) DESCRIÇÃO: Elaborar um algoritmo
CONTROLE DE UM MOTOR CC ATRAVÉS DE UM POTENCIÔMETRO

CONTROLE DE UM MOTOR CC ATRAVÉS DE UM POTENCIÔMETRO

CONTROLE DE UM MOTOR CC ATRAVÉS DE UM POTENCIÔMETRO
CONTROLE DE UM MOTOR CC ATRAVÉS DE UM POTENCIÔMETRO

A) DESCRIÇÃO: Elaborar um algoritmo que leia um canal

AD e envie o sinal lido para o PWM.

B) DESCRIÇÃO: Elaborar um algoritmo que leia um canal AD e varie lentamente o sinal PWM até atingir o valor

configurado. Para isso, é necessário comparar o sinal lido no

AD com o sinal do PWM.

133 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

PROJETO 4

PROJETO 4 134 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

134 IFMG-Campus Formiga

PROJETO 4 134 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

LDR 135 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
LDR

LDR

LDR
LDR
LDR 135 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

135 Arduino Módulo 1

LDR 135 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

26/08/2013

PROJETO DE UM SEGUIDOR SOLAR  Construir um seguidor solar guiado por motor de passo
PROJETO DE UM SEGUIDOR SOLAR

PROJETO DE UM SEGUIDOR SOLAR

PROJETO DE UM SEGUIDOR SOLAR
PROJETO DE UM SEGUIDOR SOLAR

Construir um seguidor solar guiado por motor de passo e

LDR.

O circuito deverá “varrer” um raio de 180 graus, armazenar o ângulo de maior intensidade luminosa e, quando terminar, ir

em direção ao ponto de maior intensidade.

136 Arduino Módulo 1

26/08/2013

9-Noções sobre a Serial
9-Noções sobre a Serial

9-Noções sobre a Serial

9-Noções sobre a Serial

Módulo 1 Programando no Arduino

9-Noções sobre a Serial Módulo 1 – Programando no Arduino

Comunicação serial

Comunicação serial 138 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

138 IFMG-Campus Formiga

Comunicação serial 138 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

26/08/2013

Comunicação serial  O envio de dados  Taxas de transmissão  PadrãoTTL e RS-232
Comunicação serial

Comunicação serial

Comunicação serial
Comunicação serial

O envio de dados Taxas de transmissão

PadrãoTTL e RS-232

Enviando dados

Recebendo dados

Criando um protocolo de transmissão (byte a byte)

139 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

Comunicação serial 140 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Comunicação serial

Comunicação serial

Comunicação serial
Comunicação serial
Comunicação serial 140 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

140 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

141 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
141 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
141 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
141 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
141 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
141 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

141 Arduino Módulo 1

26/08/2013

142 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
142 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
142 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
142 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
142 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
142 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

142 Arduino Módulo 1

26/08/2013

143 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
143 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
143 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
143 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
143 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
143 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

143 Arduino Módulo 1

26/08/2013

Comunicação serial 144 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013
Comunicação serial

Comunicação serial

Comunicação serial
Comunicação serial
Comunicação serial 144 IFMG-Campus Formiga 26/08/2013

144 IFMG-Campus Formiga

26/08/2013

145 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
145 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
145 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
145 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
145 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
145 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

145 Arduino Módulo 1

26/08/2013

146 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
146 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
146 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
146 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
146 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
146 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

146 Arduino Módulo 1

26/08/2013

147 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
147 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
147 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
147 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
147 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
147 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

147 Arduino Módulo 1

26/08/2013

148 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
148 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
148 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
148 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
148 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
148 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

148 Arduino Módulo 1

26/08/2013

149 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
149 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
149 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
149 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
149 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
149 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

149 Arduino Módulo 1

26/08/2013

150 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
150 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
150 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
150 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
150 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
150 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

150 Arduino Módulo 1

26/08/2013

151 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
151 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
151 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
151 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
151 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
151 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

151 Arduino Módulo 1

26/08/2013

152 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
152 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
152 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
152 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
152 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
152 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

152 Arduino Módulo 1

26/08/2013

153 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
153 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
153 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
153 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
153 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
153 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

153 Arduino Módulo 1

26/08/2013

154 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
154 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
154 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
154 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
154 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
154 Arduino – Módulo 1 26/08/2013

154 Arduino Módulo 1

26/08/2013

Padrão TTL  1  0 – – – – – – ( 5V )
Padrão TTL

Padrão TTL

Padrão TTL
Padrão TTL

1

0

– – – – – – ( 5V )

– – – – – – ( 0V )

– – – – – ( 5V ) – – – – – – ( 0V
– – – – – ( 5V ) – – – – – – ( 0V

A IDE do Arduino cria uma COM virtual a partir de uma porta USB.

155 Arduino Módulo 1

26/08/2013

Padrão TTL 156 Arduino – Módulo 1 26/08/2013
Padrão TTL

Padrão TTL

Padrão TTL
Padrão TTL
Padrão TTL 156 Arduino – Módulo 1 26/08/2013