Sunteți pe pagina 1din 1

a doutrina e jurisprudência não são pacíficas.

Há quem
entenda que norma complementar não é lei , portanto, a lei
nova benéfica não retroage para beneficiar o réu
Norma Penal em Branco

Segundo o disposto no art. 2º do CPP: " a lei processual penal aplicar-se-á desde
logo, sem prejuízo da validade dos atos realizados sob a vigência da lei anterior". Não se
submete ao princípio da extra-atividade da lei penal mais benéfica (ultra-atividade e
retroatividade). Em qualquer caso em que uma lei dita processual, posterior à prática do
crime, determine a diminuição de garantias ou de direitos fundamentais ou implique
qualquer forma de restrição da liberdade, não terá vigência o princípio tempus regit
actum, aplicando-se, nessas hipóteses, a legislação vigente na época do crime
Norma Processual

(conjugação de leis) é quando ao julgador é conferida a possibilidade de extrair de dois


diplomas os dispositivos que atendam aos interesses do agente, desprezando aqueles outros
Casos que o prejudiquem. Há quem sustene que o juiz estaria criando um terceiro gênero de lei. O
Especiais STF decidiu pela possibilidade da conjugação de leis para beneficiar o acusado.
Lex tertia

se houver dúvidas quanto à aplicação da lei que melhor atenda aos interesses do agente,
o réu, por intermédio de seu advogado, deverá ser consultado a fim de que faça
escolha daquela que, segundo a sua particular situação, seja tida como a mais favorável.
15. Lei Penal no Tempo - II Apuração da maior
benignidade da lei
(Princípios: Retroatividade,
Irretroatividade, Ultratividade) embora tal posicionamento não seja unânime, a maior parte de nossos doutrinadores entende
ser possível a aplicação da lex mitior mesmo durante o período de vacatio legis .
Vacatio legis

a pessoa não poderá ser prejudicada pela nova interpretação ,


uma vez que acreditava, em decorrência de decisões anteriores,
ser lícito o seu comportamento, devendo ser beneficiado.
Retroatividade da Jurisprudência

quando esta traz expressamente em seu texto o dia do início, bem como o do término da vigência.
Temporária

aquela editada em virtude de situações também excepcionais (anormais), cuja vigência é


limitada pela própria duração da aludida situação que levou à edição do diploma legal.
Excepcional
Leis intermitentes
Pode ocorrer a hipótese em que a lei a ser aplicada não seja nem aquela vigente à época dos fatos,
tampouco aquele em vigor quando da prolação da sentença. É o caso da chamada lei intermediária.
A regra da ultra-atividade e da retroatividade são absolutas no sentido de, sempre, ser aplicada ao
agente a lei que mais lhe favoreça, não importando, na verdade, o momento de sua vigência, isto
é, se na data do fato, na data da sentença ou mesmo entre esses dois marcos.
Intermediária