Sunteți pe pagina 1din 75

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

AULA 05

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO.

BALANÇO

PATRIMONIAL:

OBRIGATORIEDADE

E

APRESENTAÇÃO;

CONTEÚDO

DOS

GRUPOS

E

SUBGRUPOS;

CLASSIFICAÇÃO DAS CONTAS E LEVANTAMENTO DO BALANÇO DE ACORDO COM A LEI Nº 6.404/76 (LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES); CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ATIVO E DO PASSIVO.

Observação: Esta aula terá exercícios comentados de várias bancas, pois fornecem uma melhor base teórica dos temas estudados. Na última aula (a sétima), além de estudarmos o assunto previsto, acrescentaremos um tópico somente de questões recentes comentadas da ESAF de todos os temas constantes do edital.

Vamos, então à aula de hoje!!

os temas constantes do edital. Vamos, então à aula de hoje!! Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 1
os temas constantes do edital. Vamos, então à aula de hoje!! Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 1

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

BALANCETE
BALANCETE

Balancete é uma relação de contas extraídas do Livro Razão (ou dos Razonetes), com seus respectivos saldos devedores e credores.

Os Balancetes podem diferir uns dos outros com relação ao número de colunas utilizadas: uns poderão conter apenas duas colunas, sendo uma destinada aos saldos devedores e outra aos saldos credores; outros poderão conter colunas destinadas ao movimento (total do débito e do crédito de cada conta) ou até mesmo para se lançar valores dos lançamentos de ajustes conforme o interesse do contabilista.

A soma da coluna do saldo devedor tem que ser igual à soma da coluna do saldo credor, porque os fatos contábeis são registrados no Livro Diário pelo método das partidas dobradas, cujo princípio fundamental estabelece que, na escrituração, a cada débito deve corresponder um crédito de igual valor. Assim, ao relacionarmos em seus respectivos saldos devedores a credores, a soma da coluna débito terá de ser igual à soma da coluna crédito.

Na coluna do saldo devedor deverão estar todas as contas que tenham esta natureza, ou seja, as contas de ativo, as redutoras de Passivo e de Patrimônio Líquido e as de despesas; e na coluna do saldo credor, todas as contas que tenham esta natureza, ou seja, as contas de Passivo, de Patrimônio Líquido, redutoras de Ativo e de Receitas.

Veja exemplo:

Líquido, redutoras de Ativo e de Receitas. Veja exemplo: Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 2
Líquido, redutoras de Ativo e de Receitas. Veja exemplo: Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 2

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

 

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO

 

CONTAS

SALDO

DEVEDOR

CREDOR

1

Imóveis

24.000

-

2

Veículos

15.000

-

3

Móveis e Utensílios

5.000

-

4

Promissórias a pagar

-

1.000

5

Estoque de Mercadorias

3.000

-

6

Caixa

4.500

-

7

Duplicatas a pagar

-

6.500

8

Capital

-

30.000

9

Fornecedores

-

4.000

10

Receitas de Vendas

-

25.000

11

Despesas Operacionais

5.000

-

12

Custo das Mercadorias Vendidas

10.000

-

 

TOTAIS

66.500

66.500

Vendidas 10.000 -   TOTAIS 66.500 66.500 Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 3
Vendidas 10.000 -   TOTAIS 66.500 66.500 Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 3

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

Veja como cai em prova!!!
Veja como cai em prova!!!

01. (ESAF – Fiscal de Rendas – ISS-RJ – 2010)

A seguinte relação de contas e saldos foi extraída do livro Razão de determinada empresa, no dia do encerramento do exercício social:

CONTAS

SALDOS

Caixa

100,00

Capital Social

300,00

Clientes

140,00

Aluguéis a Receber

40,00

Aluguéis Ativos

65,00

Duplicatas a Receber

160,00

Mercadorias

180,00

ICMS a Recuperar

30,00

IPI a Recolher

15,00

Despesas a Pagar

35,00

Móveis e Utensílios

200,00

Receitas de Vendas

220,00

Veículos

350,00

Despesas a Vencer

60,00

Receitas a Receber

80,00

Aluguéis Passivos

50,00

Salários

70,00

Fornecedores

280,00

Provisão p/Ajuste de Estoques

18,00

Provisão p/Imposto de Renda

62,00

Duplicatas a Pagar

230,00

Duplicatas Descontadas

70,00

Aluguéis a Pagar

25,00

Depreciação Acumulada

110,00

Custo das Mercadorias Vendidas

120,00

Reserva Legal

50,00

Somatório

3.060,00

Ao elaborar um balancete de verificação com as contas acima, podemos ver que:

a) o balancete está fechado com o saldo de R$ 1.530,00.

b) o balancete não fecha, pois o saldo devedor é R$ 200,00, a maior.

c) o saldo credor é de apenas R$ 1.465,00.

é R$ 200,00, a maior. c) o saldo credor é de apenas R$ 1.465,00. Prof. Otávio
é R$ 200,00, a maior. c) o saldo credor é de apenas R$ 1.465,00. Prof. Otávio

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

d) o saldo devedor é de apenas R$ 1.382,00.

e) para fechar o balancete, faltam R$ 100,00 no crédito.

COMENTÁRIOS:

Montando o balancete temos:

 

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO

 
   

SALDO

CONTAS

DEVEDOR

CREDOR

01

Caixa

100,00

-

02

Capital Social

-

300,00

03

Clientes

140,00

-

04

Aluguéis a Receber

40,00

-

05

Aluguéis Ativos

-

65,00

06

Duplicatas a Receber

160,00

-

07

Mercadorias

180,00

-

08

ICMS a Recuperar

30,00

-

09

IPI a recolher

-

15,00

10

Despesas a Pagar

-

35,00

11

Móveis e Utensílios

200,00

-

12

Receitas de Vendas

-

220,00

200,00 - 12 Receitas de Vendas - 220,00 Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 5
200,00 - 12 Receitas de Vendas - 220,00 Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 5

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

13

Veículos

350,00

-

14

Despesas a Vencer

60,00

-

15

Receitas a Receber

80,00

-

16

Aluguéis Passivos

50,00

-

17

Salários

70,00

-

18

Fornecedores

-

280,00

19

Provisão para Ajuste de Estoques

-

18,00

20

Provisão para Imposto de Renda

-

62,00

21

Duplicatas a Pagar

-

230,00

22

Duplicatas Descontadas

-

70,00

23

Aluguéis a Pagar

-

25,00

24

Depreciação Acumulada

-

110,00

25

Custo das Mercadorias Vendidas

120,00

-

26

Reserva Legal

-

50,00

 

Total

1.580,00

1.480,00

Analisando as alternativas:

“A” – Incorreta – O balancete não está fechado em R$ 1.530,00, pois o valor total dos saldos devedores é de R$ 1.580,00 e o total dos saldos credores é de R$ 1.480,00.

”B” – Incorreta – O balancete realmente não fecha, mas não em R$ 200,00 de saldo devedor a maior e sim em R$ 100,00.

”C” – Incorreta – O saldo credor é de R$ 1.480,00.

”C” – Incorreta – O saldo credor é de R$ 1.480,00. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 6
”C” – Incorreta – O saldo credor é de R$ 1.480,00. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 6

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

”D” – Incorreta – O saldo devedor é de R$ 1.580,00.

”E” – Correta. Saldo devedor de R$ 1.580,00 e saldo credor de R$ 1.480,00. Diferença de R$ 100,00 a menos no saldo credor.

Pessoal, como no Balancete o total do saldo devedor deverá ser igual ao total do saldo credor, em muitas questões basta somar o saldo de todas as contas e dividir por dois. Neste caso não poderíamos fazer isso, pois, propositalmente, o balancete não fecha e a alternativa “E” afirma isso. Para resolver a próxima questão basta fazer este procedimento.

Gabarito: E

02. (ESAF – Analista da CVM - 2010)

A empresa Comercial de Bolas e Balas Ltda. mandou elaborar um balancete de verificação com as seguintes contas e saldos constantes do livro Razão Geral:

Contas

Saldos

Caixa

13.000,00

Depreciação Acumulada

2.000,00

Títulos a Pagar

80.000,00

Salários e Ordenados

1.600,00

Bancos – Conta Movimento

74.000,00

Receitas de Serviços

14.400,00

Computadores e Periféricos

16.000,00

Despesas de Transporte

700,00

Salários a Pagar

1.000,00

Capital Social

160.000,00

Provisão p/Créditos de Liquidação Duvidosa

600,00

Capital a Realizar

18.000,00

Duplicatas Descontadas

10.000,00

Provisão p/FGTS

800,00

Aluguéis Passivos a Vencer

1.500,00

Imóveis

110.000,00

Clientes

34.000,00

1.500,00 Imóveis 110.000,00 Clientes 34.000,00 Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 7
1.500,00 Imóveis 110.000,00 Clientes 34.000,00 Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 7

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

Elaborada referida peça contábil de acordo com a solicitação, foi constatado o fechamento do balancete com o seguinte saldo total:

a) R$ 537.600,00

b) R$ 268.800,00

c) R$ 223.300,00

d) R$ 233.300,00

e) R$ 134.400,00

COMENTÁRIOS:

Montando o balancete temos:

Contas

Saldo devedor

Saldo Credor

Caixa (ativo)

13.000,00

-

Depreciação Acumulada (redutora de ativo)

-

2.000,00

Títulos a Pagar (passivo)

-

80.000,00

Salários e Ordenados (despesa - DRE)

1.600,00

-

Bancos – Conta Movimento (ativo)

74.000,00

 

Receitas de Serviços (Receita - DRE)

-

14.400,00

Computadores e Periféricos (ativo)

16.000,00

-

Despesas de Transporte (despesa – DRE)

700,00

-

Salários a Pagar (passivo)

-

1.000,00

Capital Social (PL)

-

160.000,00

Provisão Créditos Liquidação Duvidosa (redutora de ativo)

-

600,00

Capital a Realizar (redutora de PL)

18.000,00

-

Duplicatas Descontadas (passivo)

-

10.000,00

Provisão p/FGTS (passivo)

-

800,00

Aluguéis Passivos a Vencer (ativo)

1.500,00

-

Imóveis (ativo)

110.000,00

-

Clientes (ativo)

34.000,00

-

Total

268.800,00

268.800,00

Para acertar esta questão, bastava somar o saldo de todas as contas e dividir por dois: 537.600/2 = 268.800

Gabarito: B

todas as contas e dividir por dois: 537.600/2 = 268.800 Gabarito: B Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br
todas as contas e dividir por dois: 537.600/2 = 268.800 Gabarito: B Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

03. (CESPE – ICMS – AL)

Acerca do balancete de verificação, julgue o item subsequente.

O balancete de verificação é uma relação de todas as contas com a movimentação devedora e credora, sem conter saldos.

COMENTÁRIOS:

Balancete é uma relação de contas extraídas do Livro Razão (ou dos Razonetes), com seus respectivos saldos devedores e credores.

Os Balancetes podem diferir uns dos outros com relação ao número de colunas utilizadas: uns poderão conter apenas duas colunas, sendo uma destinada aos saldos devedores e outra aos saldos credores; outros poderão conter colunas destinadas ao movimento (total do débito e do crédito de cada conta) ou até mesmo para se lançar valores dos lançamentos de ajustes conforme o interesse do contabilista.

A soma da coluna do saldo devedor tem que ser igual à soma da coluna do saldo credor, porque os fatos contábeis são registrados no Livro Diário pelo método das partidas dobradas, cujo princípio fundamental estabelece que, na escrituração, a cada débito deve corresponder um crédito de igual valor. Assim, ao relacionarmos em seus respectivos saldos devedores a credores, a soma da coluna débito terá de ser igual à soma da coluna crédito.

Gabarito: Errado.

(CESPE – Agente da Polícia Federal – 2004)

Acerca do balancete de verificação, julgue os itens subsequentes.

04. O balancete de verificação apurado após os lançamentos de ajustes mensais apresentará todas as contas patrimoniais e integrais que apresentarem saldo no final do período.

COMENTÁRIOS:

O balancete apresentará todas as contas patrimoniais (ativo, passivo e patrimônio líquido) e de resultado (receitas e despesas). As contas de resultado serão encerradas na apuração do resultado do exercício, só indo ao balanço as contas patrimoniais.

do exercício, só indo ao balanço as contas patrimoniais. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 9
do exercício, só indo ao balanço as contas patrimoniais. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 9

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

As contas integrais, pela teoria materialista, são aquelas que representam bens e direitos (ativo) e obrigações com terceiros da entidade (passivo exigível).

Gabarito: Errado.

05. Se, no balancete de verificação, a soma dos débitos (ou saldos devedores) não for igual à soma dos créditos (ou saldos credores), é possível que os registros contábeis estejam incorretos. Porém, a igualdade dos débitos e créditos não garante a correção dos lançamentos contábeis.

COMENTÁRIOS:

A igualdade entre débitos e créditos no balancete de verificação evidencia que o método das partidas dobradas foi aplicado corretamente. Mesmo assim não garante que algum lançamento tenha sido feito indevidamente. Um exemplo disso é um lançamento em contas erradas (Caixa ao invés de Bancos).

Gabarito: Certo.

OBSERVAÇÃO: No que tange à classificação correta das contas, use o modelo de plano de contas constante na aula 01, páginas 05 a 08 e nesta aula, páginas 30 a 32.

Deixo, aqui também, uma lista das contas mais cobradas em provas, principalmente pela ESAF, com sua respectiva classificação, para auxiliá-los em seus estudos.

CONTAS PARA TREINAR PARA A PROVA DE CONTABILIDADE GERAL

CONTA

CLASSIFICACAO

ABATIMENTO S/VENDAS

DESPESA / DRE

AÇÕES DE COLIGADAS

INVESTIMENTO

AÇÕES DE CONTROLADAS

INVESTIMENTO

AÇÕES EM TESOURARIA

PL - RETIFICADORA

ADIANTAMENTO A EMPREGADOS

AC

ADIANTAMENTO A FORNECEDORES

AC

ADIANTAMENTO DE CLIENTES

PC

ALUGUÉIS A PAGAR

PC

ALUGUÉIS A RECEBER

AC

ALUGUÉIS A VENCER = DESPESAS ANTECIPADAS

AC

ALUGUÉIS ATIVOS

RECEITA / DRE

= DESPESAS ANTECIPADAS AC ALUGUÉIS ATIVOS RECEITA / DRE Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 10
= DESPESAS ANTECIPADAS AC ALUGUÉIS ATIVOS RECEITA / DRE Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 10

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

ALUGUÉIS

ATIVOS

A

VENCER

=

RECEITAS

A

 

VENCER/RECEITAS DIFERIDAS/RECEITAS

ANTECIPADAS

- MENCIONAR/INFORMAR COMO CURTO PRAZO

PNC

EXCETO

SE

O

ENUNCIADO

ALUGUÉIS PASSIVOS A VENCER= DESPESAS ANTECIPADAS

 

AC

ALUGUÉIS PASSIVOS

 

DESPESA / DRE

 

AMORTIZACAO

 

DESPESA / DRE

 

AMORTIZACAO ACUMULADA

 

ANC - RETIFICADORA DE IMOBILIZADO E INTANGÍVEL

ATIVO IMOBILIZADO

 

ANC

BANCO CONTA MOVIMENTO

 

AC

BANCOS

AC

BENS DE RENDA = INVESTIMENTO

 

ANC

BENS DE VENDA = ESTOQUE

 

AC

BENS FIXOS = IMOBILIZADO

 

ANC

BENS NUMERARIOS = CAIXA

 

AC

CAIXA

AC

CAPITAL A INTEGRALIZAR= CAPITAL A REALIZAR

 

PL – RETIFICADORA

 

CAPITAL ALHEIO

 

SINÔNIMO DE PASSIVO EXIGIVEL/CAPITAL DE TERCEIROS

CAPITAL DE GIRO

 

SINONIMO AC

CAPITAL FIXO = IMOBILIZADO

 

ANC

CAPITAL INTEGRALIZADO

 

PL - CAPITAL SOCIAL REALIZADO

 

CAPITAL SOCIAL

 

PL

CLIENTES

AC

COFINS SOBRE FATURAMENTO

 

DESPESA/ DRE

 

COMISSOES A PAGAR

 

PC

COMISSOES ATIVAS

 

RECEITA / DRE

 

COMISSOES ATIVAS A RECEBER

 

AC

COMISSOES ATIVAS A VENCER = RECEITAS A VENCER / RECEITA DIFERIDA/RECEITA ANTECIPADA

 

PNC - EXCETO SE O ENUNCIADO MENCIONAR/INFORMAR COMO CURTO PRAZO

COMISSOES PASSIVAS

 

DESPESA / DRE

 

COMISSOES PASSIVAS A VENCER = DESPESAS ANTECIPADAS

 

AC

CONTAS A PAGAR

 

PC

CONTAS A RECEBER

 

AC

CONTRIBUICOES A RECOLHER

 

PC

CONTRIBUICOES PREVIDENCIARIAS

 

DESPESA / DRE

 

CREDITOS DE FINANCIAMENTO

 

AC

CREDITOS DE FUNCIONAMENTO

 

AC

CUSTO DAS MERCADORIAS VENDIDAS (CMV)

 

DESPESA / DRE

 

CUSTO DAS VENDAS

 

CMV/ DRE

CUSTO DOS SERVICOS PRESTADOS

 

CUSTO / DRE

DEBITOS DE FINANCIAMENTO

 

PC

DEBITOS DE FUNCIONAMENTO

 

PC

DEPRECIACAO

 

DESPESA / DRE

 
  PC DEPRECIACAO   DESPESA / DRE   Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 11
  PC DEPRECIACAO   DESPESA / DRE   Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 11

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

DEPRECIACAO ACUMULADA

ANC - RETFICADORA DE INVESTIMENTO E IMOBILIZADO

DEPRECIACAO E AMORTIZACAO

DESPESA / DRE

DEPRECIACAO ENCARGOS

DESPESA / DRE

DESPESA DE ALUGUÉIS

DESPESA / DRE

DESPESA DE DEPRECIACAO

DESPESA / DRE

DESPESA DE JUROS

DESPESA / DRE

DESPESA DE ORGANIZACAO

DESPESA / DRE

DESPESA DE SALARIOS

DESPESA / DRE

DESPESA FINANCEIRAS

DESPESA / DRE

DESPESA GERAIS

DESPESA / DRE

DESPESAS ANTECIPADAS

AC/ANC

DESPESAS EFETUADAS NO PERIODO

DESPESA / DRE

DESPESAS GERAIS

DESPESA / DRE

DINHEIRO EM CAIXA

AC

DISPONIBILIDADES

AC

DIVIDA COM FORNECEDORES

PC

DIVIDENDOS A PAGAR

PC

DIVIDENDOS A RECEBER

AC

DUPLICATAS A PAGAR = FORNECEDOR

PC

DUPLICATAS A RECEBER = CLIENTES

AC

DUPLICATAS A RECEBER DE TERCEIROS

AC

DUPLICATAS ACEITAS

PC

DUPLICATAS DESCONTADAS

PC

DUPLICATAS EMITIDAS = CLIENTES

AC

EDIFICIOS DE USO

ANC IMOBILIZADO

EMPRESTIMOS = EMPRÉSTIMO OBTIDO

PC

EMPRESTIMOS A PAGAR

PC

EMPRESTIMOS BANCARIOS

PC

EMPRESTIMOS CONCEDIDOS LP

ANC - ARLP

EMPRESTIMOS OBTIDOS

PC

EMPRESTIMOS OBTIDOS LP

PNC

ENCARGOS DE DEPRECICAO

DESPESA / DRE

EQUIPAMENTOS

ANC / IMOBILIZADO

ESTOQUE DE BENS

AC

ESTOQUES

AC

FGTS

DESPESA / DRE

FGTS A RECOLHER

PC

FINANCIAMENTO BANCARIOS

PC

FORNECEDORES

PC

FRETES E CARRETOS

DESPESA / DRE

GASTOS DE INSTALACAO

DESPESA / DRE

DESPESA / DRE GASTOS DE INSTALACAO DESPESA / DRE Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 12
DESPESA / DRE GASTOS DE INSTALACAO DESPESA / DRE Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 12

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

HONORARIOS A PAGAR

PC

ICMS A RECOLHER

PC

ICMS A RECUPERAR

AC

ICMS SOBRE VENDAS

DESPESA / DRE - REDUTORA DE RECEITAS BRUTAS DE VENDAS

IMOVEIS

ANC - IMOBILIZADO

IMPOSTOS

DESPESA / DRE

IMPOSTOS A PAGAR

PC

IMPOSTOS A RECOLHER

PC

IMPOSTOS A RECUPERAR

AC

IMPOSTOS A VENCER

AC

IMPOSTOS E TAXAS

DESPESA / DRE

IMPOSTOS FEDERAIS

DESPESA / DRE

INSS A RECOLHER

PC

INSTALACOES

ANC / IMOBILIZADO

INVESTIMENTOS

ANC / INVESTIMENTO

JUROS A PAGAR

PC

JUROS A RECEBER

AC

JUROS ATIVOS

RECEITA / DRE

JUROS PASSIVOS

DESPESA / DRE

JUROS PASSIVOS A VENCER = DESPESA ANTECIPADA

AC

LUCROS ACUMULADOS

PL

MAQUINAS E EQUIPAMENTOS

ANC / IMOBILIZADO

MARCA E PATENTES

ANC / INTANGIVEL

MATERIAIS

AC

MATERIAL CONSUMIDO

DESPESA / DRE

MATERIAL DE CONSUMO

AC

MERCADORIAS = ESTOQUE

AC

MOVEIS E UTENSILIOS

ANC / IMOBILIZADO

NOTAS PROMISSORIAS EMITIDAS

PC

NOTAS PROMISSORIAS ACEITAS

AC

PATENTES

ANC / INTANGIVEL

PIS / COFINS A RECOLHER

PC

PIS SOBRE FATURAMENTO

DESPESA / DRE

PREJUIZO ANTERIORES

PL - RETIFICADORA

PREJUIZOS ACUMULADOS

PL - RETIFICADORA

PREMIOS DE SEGUROS

DESPESA / DRE

PREVIDENCIA SOCIAL

DESPESA / DRE

PROVISAO PARA CREDITO DE LIQUIDACAO DUVIDOSA

AC - RETIFICADORA

PROVISAO PARA DEVEDORES DUVIDOSOS

AC - RETIFICADORA

PROVISAO PARA FÉRIAS

PC

PROVISAO PARA FÉRIAS E FGTS

PC

PROVISAO PARA FÉRIAS PC PROVISAO PARA FÉRIAS E FGTS PC Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 13
PROVISAO PARA FÉRIAS PC PROVISAO PARA FÉRIAS E FGTS PC Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 13

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

PROVISAO PARA FGTS

PC

PROVISAO PARA IMPOSTO DE RENDA

PC

PROVISAO PARA PERDAS EM INVESTIMENTOS

ANC / INVESTIMENTO - RETIFICADORA

RECEITA BRUTA DE VENDAS

RECEITA / DRE

RECEITA DE JUROS

RECEITA / DRE

RECEITA DE SERVICOS

RECEITA / DRE

RECEITA DE VENDAS

RECEITA / DRE

RECEITAS A RECEBER

AC

RECEITAS ANTECIPADAS = RECEITAS A VENCER /RECEITAS DIFERIDAS

PNC

RECEITAS AUFERIDAS NO PERIODO

RECEITA / DRE

RECEITAS FINANCEIRAS

RECEITA / DRE

RESERVA DE LUCROS

PL

RESERVA ESTATUTARIA

PL

RESERVA LEGAL

PL

RESERVAS DE CAPITAL

PL

SALARIOS

DESPESA / DRE

SALARIOS A PAGAR

PC

SALARIOS E ORDENADOS

DESPESA / DRE

SALARIOS NÃO QUITADOS

PC

SEGUROS A VENCER = DESPESA ANTECIPADA

AC

TITULOS A PAGAR

PC

TITULOS A PAGAR A LP

PNC

TITULOS A RECEBER

AC

VALORES MOBILIARIOS

AC

VEICULOS

ANC - IMOBILIZADO

VENDAS

RECEITA / DRE

Legenda:

AC = Ativo Circulante

ANC = Ativo Não Circulante

PC = Passivo Circulante

PNC = Passivo Não Circulante

PL = Patrimônio Líquido

DRE = Demonstração do Resultado do Exercício

Líquido DRE = Demonstração do Resultado do Exercício Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 14
Líquido DRE = Demonstração do Resultado do Exercício Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 14

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS) OBRIGATÓRIAS
DEMONSTRAÇÕES
CONTÁBEIS
(FINANCEIRAS)
OBRIGATÓRIAS

Conforme disposto no artigo 176 da Lei nº 6.404/76, as demonstrações financeiras obrigatórias são: balanço patrimonial, demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados, demonstração do resultado do exercício, demonstração dos fluxos de caixa e demonstração do valor adicionado, senão vejamos:

Art. 176. Ao fim de cada exercício social, a diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as seguintes demonstrações financeiras, que deverão exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações ocorridas no exercício:

I - balanço patrimonial;

II - demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados;

III - demonstração do resultado do exercício; e

IV – demonstração dos fluxos de caixa; e

V –

se

adicionado.

companhia

aberta,

demonstração

do

valor

e V – se adicionado. companhia aberta, demonstração do valor Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 15
e V – se adicionado. companhia aberta, demonstração do valor Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 15

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

Veja como cai em prova!!!
Veja como cai em prova!!!

06. (ESAF – Auditor Fiscal Receita Federal do Brasil – 2009)

A Lei nº 6.404/76, com suas diversas atualizações, determina que, ao fim de cada exercício social, com base na escrituração mercantil da companhia, exprimindo com clareza a situação do patrimônio e as mutações ocorridas no exercício, a diretoria fará elaborar as seguintes demonstrações financeiras:

a) balanço patrimonial; demonstração dos lucros ou prejuízos

acumulados; demonstração do resultado do exercício; demonstração

das origens e aplicações de recursos; demonstração dos fluxos de caixa; e, se companhia aberta, demonstração do valor adicionado.

b) balanço patrimonial; demonstração dos lucros ou prejuízos

acumulados; demonstração do resultado do exercício; demonstração

dos fluxos de caixa; e demonstração do valor adicionado.

c) balanço patrimonial; demonstração dos lucros ou prejuízos

acumulados; demonstração do resultado do exercício; demonstração das origens e aplicações de recursos; e demonstração das mutações do patrimônio líquido.

d) balanço patrimonial; demonstração dos lucros ou prejuízos

acumulados; demonstração do resultado do exercício; demonstração

das origens e aplicações de recursos; e, se companhia aberta, demonstração das mutações do patrimônio líquido.

e) balanço patrimonial; demonstração dos lucros ou prejuízos

acumulados; demonstração do resultado do exercício; demonstração dos fluxos de caixa; e, se companhia aberta, demonstração do valor adicionado.

COMENTÁRIOS:

A alternativa “E” reproduz a literalidade do artigo 176 da Lei nº 6.404/76.

Gabarito: E

07. (ESAF – Analista de Comércio Exterior – MDIC – 2012)

As demonstrações financeiras obrigatórias são as seguintes:

a) Balanço Patrimonial, Demonstração do Resultado do Exercício, Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados, Demonstração do Fluxo de Caixa e Demonstração do Valor Adicionado, em alguns casos.

de Caixa e Demonstração do Valor Adicionado, em alguns casos. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 16
de Caixa e Demonstração do Valor Adicionado, em alguns casos. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 16

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

b) Balanço Patrimonial, Demonstração do Resultado do Exercício,

Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados, Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos.

c) Balanço Patrimonial, Demonstração do Resultado do Exercício,

Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados, Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido e Demonstração do Valor Adicionado, em alguns casos.

d) Balanço Patrimonial, Demonstração do Resultado do Exercício,

Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados, Demonstração do

Fluxo de Caixa.

e) Balanço Patrimonial, Demonstração do Resultado do Exercício,

Demonstração do Fluxo de Caixa e Demonstração do Valor Adicionado, em alguns casos.

COMENTÁRIOS:

Mais uma questão sobre o art. 176 da Lei nº 6.404/76.

Art. 176. Ao fim de cada exercício social, a diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as seguintes demonstrações financeiras, que deverão exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações ocorridas no exercício:

I - balanço patrimonial;

II - demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados;

III - demonstração do resultado do exercício; e

IV – demonstração dos fluxos de caixa; e

V –

se

adicionado.

companhia

Gabarito: A

aberta,

demonstração

do

valor

08. (FCC – ACE – TCM – CE – 2010 - adaptada)

Considere as demonstrações a seguir:

I. Balanço Patrimonial

II. Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos.

III. Demonstração do Valor Adicionado, se companhia aberta.

III. Demonstração do Valor Adicionado, se companhia aberta. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 17
III. Demonstração do Valor Adicionado, se companhia aberta. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 17

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

IV. Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido.

V. Demonstração do Resultado do Exercício.

VI. Demonstração dos Lucros ou Prejuízos acumulados.

Dentre as demonstrações contábeis, são de apresentação obrigatória de acordo com o artigo 176 da Lei 6.404/76 as demonstrações constantes APENAS em

(A)

I, II e III.

(B)

I, II e IV.

(C)

II, IV e VI.

(D)

II, III e V.

(E)

I, III, V e VI.

COMENTÁRIOS:

Dentre as demonstrações apresentadas, conforme o artigo 176 da Lei nº 6.404/76, são obrigatórias: balanço patrimonial, demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados, demonstração do resultado do exercício, demonstração dos fluxos de caixa e demonstração do valor adicionado, se companhia aberta.

Gabarito: E

do valor adicionado, se companhia aberta. Gabarito: E Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 18
do valor adicionado, se companhia aberta. Gabarito: E Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 18

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

BALANÇO PATRIMONIAL
BALANÇO PATRIMONIAL

O balanço patrimonial tem por finalidade apresentar a posição financeira e patrimonial da empresa em determinada data, representando, portanto, uma posição estática.

Conforme artigo 178 da Lei nº 6.404/76, “No balanço, as contas serão classificadas segundo os elementos do patrimônio que registrem, e agrupadas de modo a facilitar o conhecimento e a análise da situação financeira da companhia”.

O balanço é composto por três elementos básicos: Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido. Sendo constituído por duas colunas: a coluna do lado esquerdo é denominada ativo e a do lado direito, passivo e patrimônio líquido. Atribui-se o lado esquerdo para o ativo e o direito ao passivo e patrimônio líquido por mera convenção.

BALANÇO PATRIMONIAL

líquido por mera convenção. BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO PATRIMÔNIO LÍQUIDO – São todos os bens e

ATIVO

PASSIVOlíquido por mera convenção. BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PATRIMÔNIO LÍQUIDO – São todos os bens e direitos

PATRIMÔNIO LÍQUIDOpor mera convenção. BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO – São todos os bens e direitos de propriedade

– São todos os bens e direitos de propriedade e

controle da empresa, resultado de eventos passados, que são avaliáveis em dinheiro e que representam benefícios presentes ou futuros para a empresa.

ATIVO
ATIVO

Bens: máquinas, terrenos, estoques, dinheiro (moeda), ferramentas, veículos, instalações, marcas e patentes, direitos autorais, etc.

Direitos: contas a receber, duplicatas a receber, títulos a receber, ações, aluguéis ativos a receber, adiantamentos a fornecedores, etc.

aluguéis ativos a receber, adiantamentos a fornecedores, etc. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 19
aluguéis ativos a receber, adiantamentos a fornecedores, etc. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 19

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

– evidencia toda a obrigação (dívida) que a

empresa tem com terceiros: contas a pagar, fornecedores, impostos a pagar, comissões a pagar, salários a pagar, financiamentos e empréstimos, etc.

PASSIVO

OBSERVAÇÃO: O termo PASSIVO, segundo a Lei nº 6.404/76 possui um conceito amplo, pois abrange todo o lado direito do Balanço Patrimonial. Assim, nas Demonstrações Financeiras publicadas em jornais, observa-se que o balanço Patrimonial evidencia no seu cabeçalho os termos Ativo e Passivo.

Entretanto, o Passivo tem conotação de obrigações exigíveis, representando exigibilidade com terceiros, posição adotada pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC). Por isso seria mais adequado denominá-lo Passivo Exigível. Já o patrimônio líquido tem a conotação de obrigações não exigíveis, pois são recursos dos sócios/acionistas.

Atenção: Em provas, o termo passivo, ora aparece de uma forma, ora de outra, portanto a resolução de muitas questões de provas anteriores ajuda bastante a identificar isso.

– demonstra os recursos dos

proprietários (sócios e acionistas) aplicados no empreendimento. O investimento inicial é denominado capital. O patrimônio líquido não é só acrescido com novos investimentos dos proprietários, mas, principalmente, com os rendimentos resultantes do capital aplicado, ou seja, o lucro.

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

O patrimônio líquido é dividido em: capital social, reservas de capital, ajustes de avaliação patrimonial, reservas de lucros, ações em tesouraria e prejuízos acumulados (Lei nº 6.404/76, art. 178, § 2º, III).

Composição do Balanço Patrimonial segundo o art. 178 da Lei 6.404/76.

do Balanço Patrimonial segundo o art. 178 da Lei 6.404/76. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 20
do Balanço Patrimonial segundo o art. 178 da Lei 6.404/76. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 20

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

BALANÇO PATRIMONIAL

ATIVO

PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO

ATIVO CIRCULANTEBALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO ATIVO NÃO CIRCULANTE • REALIZÁVEL PRAZO A LONGO •

ATIVO NÃO CIRCULANTEATIVO PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO ATIVO CIRCULANTE • REALIZÁVEL PRAZO A LONGO • INVESTIMENTOS •

REALIZÁVEL

PRAZO

A

LONGO

INVESTIMENTOS

IMOBILIZADO

INTANGÍVEL

PASSIVO CIRCULANTEA LONGO • INVESTIMENTOS • IMOBILIZADO • INTANGÍVEL PASSIVO NÃO CIRCULANTE PATRIMÔNIO LÍQUIDO • CAPITAL

PASSIVO NÃO CIRCULANTE• IMOBILIZADO • INTANGÍVEL PASSIVO CIRCULANTE PATRIMÔNIO LÍQUIDO • CAPITAL SOCIAL • RESERVAS DE

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

CAPITAL SOCIAL

RESERVAS DE CAPITAL

(+/-)

AJUSTES

DE

AVALIAÇÃO PATRIMONIAL

RESERVAS DE LUCROS

(-) AÇÕES EM TESOURARIA

(-)

PREJUÍZOS

ACUMULADOS

ATIVO

O ativo compreende todos os bens e direitos integrantes do patrimônio da empresa, na data do balanço, os quais serão demonstrados no balanço patrimonial, segundo critérios de avaliação estabelecidos e obedecendo a ordem decrescente de liquidez.

A classificação e a disposição das contas em ordem decrescente de liquidez estão previstas no § 1º do artigo 178 da Lei

6.404/76.

Ativo

Circulante e Ativo Não Circulante.

O

Ativo

é

dividido

em

dois

grandes

grupos:

ATIVO CIRCULANTE

Como Ativo Circulante são classificados todos os bens e direitos existentes na data do balanço, disponíveis ou que irão se realizar até o término do exercício social seguinte.

Para melhor explicitação da liquidez, o ativo circulante está subdividido em quatro subgrupos, que serão apresentados na seguinte ordem:

em quatro subgrupos, que serão apresentados na seguinte ordem: Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 21
em quatro subgrupos, que serão apresentados na seguinte ordem: Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 21

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

DISPONÍVEL – neste grupo são classificados todos os recursos de livre movimentação pela empresa, como dinheiro em caixa, depósitos bancários, aplicações financeiras de curto prazo, numerário em transito, etc.

financeiras de curto prazo, numerário em transito, etc. DIREITOS REALIZÁVEIS – compreendem os créditos

DIREITOS REALIZÁVEIS – compreendem os créditos concedidos a terceiros, com expectativa de realização em dinheiro no decorrer – compreendem os créditos concedidos a terceiros, com expectativa de realização em dinheiro no decorrer do exercício seguinte, exceto os direitos derivados de vendas, adiantamentos, ou empréstimos efetuados a sociedades coligadas ou controladas, diretores, acionistas ou participantes nos lucros da empresa, que não constituírem negócios usuais na exploração do objeto social. São classificadas neste subgrupo as contas representativas de duplicatas a receber, de títulos a receber, adiantamentos a fornecedores, empréstimos a empregados etc. Aparecem, ainda, as contas redutoras de ativo.

ESTOQUES – incluem os bens de venda, como as mercadorias e os produtos acabados, os bens utilizados na produção, como as matérias primas e os produtos em elaboração, e os materiais de consumo não apropriados como despesas.

e os materiais de consumo não apropriados como despesas. DESPESAS DO EXERCÍCIO SEGUINTE – são classificados

DESPESAS DO EXERCÍCIO SEGUINTE – são classificados neste subgrupo os gastos realizados com despesas ainda não incorridas, mas que permanecerão no ativo aguardando a sua apropriação como despesa na medida em que forem ocorrendo os respectivos fatos geradores. São exemplos clássicos as contas representativas de seguros a vencer, juros a vencer, aluguéis a vencer, etc.

seguros a vencer, juros a vencer, aluguéis a vencer, etc. ATIVO NÃO CIRCULANTE Classificam-se como ativo

ATIVO NÃO CIRCULANTE

Classificam-se como ativo não circulante todos os bens e direitos utilizados, de forma permanente na manutenção das atividades produtivas da empresa, quer sejam nas atividade principais, quer nas atividades acessórias e os créditos concedidos a terceiros com expectativa de realização em dinheiro após o término do exercício seguinte.

realização em dinheiro após o término do exercício seguinte. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 22
realização em dinheiro após o término do exercício seguinte. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 22

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

Aqui ainda são classificadas as despesas que, embora já incorridas, irão beneficiar a empresa em mais de um exercício social.

Em atendimento a esses preceitos, os bens e direitos do

Ativo

Realizável a Longo Prazo, Investimentos, Imobilizado e Intangível.

REALIZÁVEL A LONGO PRAZO – são classificados todos os bens e direitos existentes na data do balanço com expectativa de realização após o término do exercício social seguinte. Portanto, vamos encontrar aqui classificadas as contas representativas de créditos concedidos com vencimentos após o encerramento do exercício social subsequente àquele que estiver sendo encerrado. Independente de prazo de vencimento, são classificados neste grupo os direitos oriundos de vendas, adiantamentos ou empréstimos concedidos a empresas controladas ou coligadas, diretores, acionistas ou sócios ou participantes nos lucros da empresa, que não constituírem negócios usuais na exploração do objetivo social. Dessa forma, se uma empresa tem como política a venda de mercadorias a prazo e dentre os seus clientes estiver uma empresa coligada, a classificação deste segue a regra geral. Porém, se esta mesma empresa conceder um empréstimo à sua coligada, independente do prazo de vencimento, a classificação deste crédito será sempre no Ativo Não Circulante – Realizável a Longo Prazo.

Não

Circulante

Circulante – Realizável a Longo Prazo. Não Circulante estão classificados em quatro subgrupos: INVESTIMENTOS –

estão

classificados

em

quatro

subgrupos:

INVESTIMENTOS – neste subgrupo são classificados os recursos aplicados de forma permanente, na aquisição de bens – neste subgrupo são classificados os recursos aplicados de forma permanente, na aquisição de bens e direitos destinados a proporcionar rendas ou valorização. Ao aplicar recursos em investimentos, a empresa estará desenvolvendo atividades acessórias, cujos rendimentos irão integrar o resultado operacional da empresa. São, portanto, classificados como investimentos os imóveis alugados, as obras de arte, as participações societárias permanentes, etc.

IMOBILIZADO – neste subgrupo são classificados todos os bens corpóreos utilizados na manutenção das atividades produtivas principais da empresa, inclusive os direitos de propriedade industrial e comercial, inclusive os bens decorrentes de operações em

e comercial, inclusive os bens decorrentes de operações em Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 23
e comercial, inclusive os bens decorrentes de operações em Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 23
e comercial, inclusive os bens decorrentes de operações em Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 23

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

que há transferência de benefícios,

independentemente de haver transferência de propriedades.

O Ativo Imobilizado compreende a infraestrutura da atividade principal da empresa, responsável pela geração das receitas operacionais principais, quais sejam as receitas provenientes das vendas de mercadorias, produtos ou serviços.

Aqui são classificadas as contas representativas de imóveis, máquinas, equipamentos, veículos, instalações, recursos naturais, etc., inclusive as respectivas contas retificadoras de depreciação, amortização e exaustão acumuladas.

Ressalte-se que são classificados como imobilizado os bens utilizados pela empresa na manutenção de suas atividades, ainda que não sejam de sua propriedade, como os bens objeto de arrendamento mercantil.

INTANGÍVEL – classifica-se como Ativo Intangível os bens incorpóreos, tais como os direitos de marcas, patentes, fundo de comércio, etc.

controle

de

risco,

patentes, fundo de comércio, etc. controle de risco, PASSIVO As obrigações da empresa devem ser demonstradas

PASSIVO

As obrigações da empresa devem ser demonstradas no Balanço Patrimonial, segundo critérios de avaliação estabelecidos e obedecendo a ordem decrescente de exigibilidades. Portanto, em primeiro plano devem aparecer as obrigações da empresa para com terceiros, subdivididas em Passivo Circulante e Passivo Não Circulante.

PASSIVO CIRCULANTE

Classificam-se no Passivo Circulante as obrigações da empresa, para com terceiros, com vencimento no curso do exercício seguinte, inclusive as oriundas de financiamento para aquisição de bens do Ativo Não Circulante. A legislação em vigência não estabeleceu a divisão do Passivo Circulante em subgrupos, sendo classificadas neste grupo as contas representativas de Salários a Pagar, Duplicatas a Pagar, Fornecedores, Impostos a Recolher,

a Pagar, Duplicatas a Pagar, Fornecedores, Impostos a Recolher, Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 24
a Pagar, Duplicatas a Pagar, Fornecedores, Impostos a Recolher, Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 24

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

Empréstimos e Financiamentos a Pagar, Provisões Passivas, Dividendos a Pagar, etc.

PASSIVO NÃO CIRCULANTE

São classificadas neste grupo as obrigações da empresa para com terceiros, cujo prazo de vencimento ultrapasse o exercício social seguinte.

Neste grupo devem ser classificadas ainda as receitas diferidas e o respectivo custo diferido (artigo 299-B, lei 6.404/76).

Receitas diferidas são receitas recebidas (receitas antecipadas) que efetivamente devem ser reconhecidas como resultado à medida que forem ocorrendo os fatos geradores. Devem englobar tais receitas menos as respectivas despesas.

A principal característica dessa conta é que não haja qualquer tipo de obrigação para a empresa da devolução do valor recebido.

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

O Patrimônio Líquido corresponde aos recursos que os proprietários, sócios ou acionistas, colocaram ou deixaram à disposição da empresa. Dependendo das origens dos recursos integrantes do capital próprio, o Patrimônio Líquido está dividido nos seguintes subgrupos: capital social, reserva de capital, ajuste de avaliação patrimonial, reservas de lucros ou prejuízos acumulados.

As ações em tesouraria, que são ações da própria empresa adquiridas de acionistas, após a subscrição e integralização, são classificadas no patrimônio líquido como conta retificadora da conta que registre a origem dos recursos aplicados na sua aquisição.

CAPITAL SOCIAL – representa recursos investidos pelos acionistas e os aumentos oriundos principalmente de incorporações de reservas – representa recursos investidos pelos acionistas e os aumentos oriundos principalmente de incorporações de reservas e de lucros.

RESERVAS DE CAPITAL – são as parcelas do patrimônio líquido originárias do próprio capital social, como as – são as parcelas do patrimônio líquido originárias do próprio capital social, como as

líquido originárias do próprio capital social, como as Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 25
líquido originárias do próprio capital social, como as Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 25

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

reservas de ágio na emissão de ações, o produto da alienação de partes beneficiárias e os bônus de subscrição. As reservas de capital somente poderão ser utilizadas

para:

Absorção de prejuízos que ultrapassarem os lucros acumulados e as reservas de lucros; Resgate, reembolso ou compra de ações; Resgate de partes beneficiárias; Incorporação ao capital social; Pagamento de dividendos a ações preferenciais.

AJUSTE DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL –como ajuste de avaliação patrimonial, são classificados as contrapartidas de aumentos ou diminuições de elementos –como ajuste de avaliação patrimonial, são classificados as contrapartidas de aumentos ou diminuições de elementos do ativo e do passivo, em decorrência de sua avaliação ao preço de mercado, segundo os critérios de avaliação do ativo e do passivo. Este subgrupo do patrimônio líquido poderá apresentar saldo devedor ou credor, como consequência dos ajustes dos elementos patrimoniais, ativo e passivo, ao valor de marcado. Esses ajustes serão apropriados ao resultado do exercício, segundo o regime de competência, à medida que forem realizados os elementos patrimoniais que lhe deram origem.

RESERVAS DE LUCROS – as reservas de lucro são constituídas com a retenção de lucros auferidos pela empresa. – as reservas de lucro são constituídas com a retenção de lucros auferidos pela empresa. São classificadas neste subgrupo do patrimônio líquido as contas representativas da Reserva Legal, Reservas Estatutárias, Reservas para Contingências, Reservas de Incentivos Fiscais, Retenção de Lucros e Reservas de Lucros a Realizar. O saldo das reservas de lucros, exceto as para contingências, de incentivos fiscais e lucros a realizar, não poderá ultrapassar o capital social; atingido esse limite, o excesso será aplicado no aumento ou integralização do capital social, ou na distribuição de dividendos.

de

assegurar a integridade do capital social. É constituída com a destinação de 5% (cinco por cento) do lucro líquido do exercício, antes de qualquer destinação, até alcançar o valor correspondente a 20% (vinte por cento) do capital social.

Reserva

Legal

é

constituída

com

a

finalidade

Poderá deixar de ser constituída a reserva legal quando o saldo dessa reserva, acrescido do montante das reservas de capital exceder a 30% (trinta por cento) do capital social. A reserva legal

a 30% (trinta por cento) do capital social. A reserva legal Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 26
a 30% (trinta por cento) do capital social. A reserva legal Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 26

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

somente poderá ser utilizada para aumentar o capital social ou para compensar prejuízos.

Reservas Estatutárias – são constituídas com parcelas do lucro do exercício social, segundo deliberação do estatuto, desde que sejam observadas, cumulativamente, as seguintes condições:

sua

finalidade; Fixe os critérios para determinar a parcela anual dos

serão destinados à sua

Indique, de

modo

preciso

e

completo,

a

lucros

líquidos

que

constituição; Estabeleça o limite máximo da reserva.

Reservas para Contingências – são constituídas com a finalidade de compensar, em exercício futuro, a diminuição do lucro decorrente de perda julgada provável, cujo valor possa ser estimado. A proposta dos órgãos da administração deverá indicar a causa da perda prevista, de forma a justificar a constituição da reserva.

No exercício social em que deixarem de existir as razões que justifiquem a constituição da reserva de contingências ou em que ocorrer a perda, a reserva anteriormente constituída deverá ser revertida à conta de lucros ou prejuízos acumulados.

Reserva de Incentivos Fiscais – esta reserva é constituída com a parcela do lucro líquido decorrente de doações e subvenções governamentais para investimentos, que poderá ser excluída da base de cálculo do dividendo obrigatório.

Reserva de Retenção de Lucros – ocorre a retenção de lucros por deliberação dos sócios ou acionistas, com base em orçamento de capital.

Reserva de Lucros a Realizar A legislação societária define como lucros a realizar:

O resultado líquido positivo da avaliação de investimentos pela equivalência patrimonial; O lucro, rendimento ou ganho líquidos, auferidos em operações, ou resultantes da contabilização dos ajustes do ativo e do passivo ao valor de mercado, cuja realização financeira ocorrerá após o término do exercício social seguinte.

ocorrerá após o término do exercício social seguinte. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 27
ocorrerá após o término do exercício social seguinte. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 27

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

No exercício social em que o montante do dividendo obrigatório ultrapassar a parcela realizada do lucro líquido do exercício, a assembleia geral poderá, por proposta dos órgãos da administração, destinar o excesso para a constituição de reservas de lucros a realizar.

ser

utilizada para compensar prejuízos ou para o pagamento do dividendo obrigatório. Se não tiverem sido absorvidos por prejuízos em exercícios subseqüentes, os lucros a realizar deverão ser acrescidos ao primeiro dividendo declarado após a sua realização.

A reserva

de

lucros

a

realizar

somente

poderá

AÇÕES EM TESOURARIA - são aquelas adquiridas pela própria entidade e correspondem a uma das exceções em que a companhia pode negociar com as próprias ações (art. 30 da lei nº 6.404/76). As ações em tesouraria serão demonstradas no balanço patrimonial como dedução da conta do patrimônio líquido que registrar a origem dos recursos aplicados na sua aquisição.

As ações em tesouraria podem ser alienadas com lucro ou

prejuízo.

Exemplo: Determinada sociedade adquiriu ações de sua própria emissão mantendo-as em tesouraria no valor de R$ 2.000,00.

emissão mantendo-as em tesouraria no valor de R$ 2.000,00. Lançamento: D: Ações em Tesouraria C:

Lançamento:

D:

Ações em Tesouraria

C:

Disponibilidades

R$ 2.000,00

Classificação no Balanço Patrimonial

Na aquisição das ações em tesouraria, a companhia deverá escolher uma reserva, a qual poderá ser de lucros ou de capital, que representará a origem dos recursos utilizados na operação. Neste caso, exemplificaremos como que os recursos utilizados fossem das reservas de lucros. No balanço patrimonial, o patrimônio líquido teria a seguinte composição:

patrimonial, o patrimônio líquido teria a seguinte composição: Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 28
patrimonial, o patrimônio líquido teria a seguinte composição: Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 28

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

PL – Patrimônio Líquido

Capital Social

Reservas de Lucros

(-) Ações em Tesouraria

Supondo

que

essas

ações

sejam

alienadas

por

R$ 2.200,00. Neste caso, o lucro obtido será representado por uma reserva de capital e teríamos o seguinte lançamento:

D: Disponibilidades

R$ 2.200,00

C: Ações em Tesouraria

R$ 2.000,00

C: Reserva de Capital (*).

R$

200,00

(*) Essa reserva de capital decorre do lucro na alienação de ações em tesouraria.

Caso a venda fosse efetuada com prejuízo, este seria computado na reserva vinculada às ações em tesouraria. Supondo venda das ações em tesouraria no valor de R$ 1.800,00

D: Disponibilidades

D: Reservas de Lucros

C: Ações em Tesouraria

R$ 1.800,00

R$

R$ 2.000,00

200,00

PREJUÍZOS ACUMULADOS – essa conta absorve os prejuízos, em excesso aos lucros, apurados ao final de cada exercício social pela Sociedade.

Observação: A lei societária não faz menção à conta Lucros Acumulados, pois todo o lucro apurado no exercício deverá ser destinado. Portanto, a conta Lucros Acumulados deverá constar no Plano de Contas da companhia, no entanto, no fechamento do balanço, o seu saldo será zerado.

no entanto, no fechamento do balanço, o seu saldo será zerado. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 29
no entanto, no fechamento do balanço, o seu saldo será zerado. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 29
no entanto, no fechamento do balanço, o seu saldo será zerado. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 29

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

O desdobramento dos principais grupos de um balanço patrimonial pode ser demonstrado em uma estrutura básica (modelo de um plano de contas) conforme segue:

 

BALANÇO PATRIMONIAL

ATIVO

PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO

1 - ATIVO CIRCULANTE

1 - PASSIVO CIRCULANTE

1.1

- DISPONÍVEL

1.1

- FORNECEDOR

Caixa Bancos Conta Movimento Aplicações Financeiras - Liquidez Imediata Numerários em Trânsito

Fornecedor Nacional Fornecedor Estrangeiro Duplicatas a Pagar Terceiros Duplicatas a Pagar a Pessoas Ligadas

1.2

- CLIENTES

1.2

- EMPRÉSTIMOS/FINANCIAMENTO

Duplicatas a Receber de Terceiros Duplicatas a Receber de Pessoas Ligadas (Coligadas/Controladas) (-) Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa

1.3

- OUTROS CRÉDITOS

Bancos conta Empréstimos Duplicatas Descontadas

1.3

- OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS

Taxas a recolher/pagar ICMS a Recolher PIS/COFINS a recolher Provisão para Imposto de Renda/CSLL Contribuições Previdenciárias a Recolher

1.4

– OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS

Adiantamento a Empregados Adiantamento a Fornecedores Títulos a Receber Aluguéis Ativos a Receber Bancos - Contas Vinculadas Dividendos a Receber Tributos a Compensar e Recuperar (ICMS, IPI, PIS/COFINS não cumulativo, etc.) Investimentos Temporários (Títulos e Valor Mobiliários, Aplicações Financeiras de curto prazo – pós e pré-fixadas, aplicações em ouro, aplicações em bolsas, etc.) (-) Provisão para redução ao valor de mercado (-) Provisão para perdas

Comissões a Pagar Honorários a pagar Salários a Pagar

1.5

– PROVISÕES

Provisão para Férias Provisão para 13º Salário Provisão para Contingências

1.6

– OUTRAS OBRIGAÇÕES

Adiantamentos Recebidos de Clientes

 

Contas a Pagar

1.4

- ESTOQUES

 

1.7

– PARTICIPAÇÕES E DESTINAÇÕES

Mercadorias/Mercadorias para Revenda Material de Consumo/Almoxarifado Matéria-Prima Produtos em Elaboração Produtos Acabados Importações em Andamento (-) Provisão para Ajuste ao Valor de Mercado (-) Provisão para Perdas

DO LLE Dividendos a Pagar Participações de Debêntures a Pagar Participações de Empregados a Pagar Participações de Administradores a Pagar

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

- SEGUINTE (DESPESAS ANTECIPADAS) Prêmios de Seguros a Vencer (apropriar) Aluguéis a Vencer (apropriar) – Aluguéis Pagos Antecipadamente Juros a Vencer (apropriar). Assinaturas e Anuidades a Apropriar

1.5

DESPESAS

DO

EXERCÍCIO

2 - PASSIVO NÃO CIRCULANTE

2.1

- FORNECEDOR

Fornecedor Nacional Fornecedor Estrangeiro Duplicatas a Pagar Terceiros Duplicatas a Pagar a Pessoas Ligadas

 

2.2

- EMPRÉSTIMOS/FINANCIAMENTO

2 - ATIVO NÃO CIRCULANTE

 

Bancos conta Empréstimos

2.1 - ATIVO REALIZÁVEL A LONGO PRAZO Bancos – contas vinculadas Duplicatas a Receber – Clientes Títulos a Receber Créditos de Acionistas – transações não operacionais (Empréstimos, Adiantamentos, Venda de Ativo do Imobilizado, etc.) Créditos de Diretores – transações não operacionais (Empréstimos, Adiantamentos, Venda do Ativo do Imobilizado, etc.) Créditos de Coligadas e Controladas – transações não operacionais (Empréstimos, Adiantamentos, Venda do Ativo Imobilizado, etc.). Adiantamento a Terceiros Tributos a Compensar e Recuperar Aplicações Financeiras – Títulos e Valores Mobiliários (-) Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa (-) Provisão para Perdas Despesas Antecipadas

2.2

– INVESTIMENTOS

2.3

- RECEITAS DIFERIDAS

Aluguéis Ativos a Vencer (-) Custos Vinculados à Receita

3 - PATRIMÔNIO LÍQUIDO

3.1 - CAPITAL SOCIAL

3.2 - RESERVAS DE CAPITAL

Ágio na Emissão de Ações Produto da Alienação de Partes Beneficiárias Produto da Alienação de Bônus de Subscrição

3.3

- RESERVAS DE LUCROS

Reserva Legal Reservas Estatutárias Reservas para Contingências Reservas de Incentivos Fiscais Reserva de Retenção Lucros (Lucros Retidos) Reservas de Lucros a Realizar Reserva Especial para dividendos obrigatórios não distribuídos

Participações Permanentes em Outras Sociedades Participações em Fundos de Investimentos (Finor, Finam, Funres) Obras de Arte Imóveis não de uso (para renda) (-) Provisão para Perdas Permanentes (-) Depreciação Acumulada

3.4 – AÇÕES EM TESOURARIA

3.5 – AJUSTE DE AVALIAÇÃO

PATRIMONIAL

3.5

– PREJUÍZO ACUMULADO

2.3

– IMOBILIZADO

   

Terrenos Imóveis de uso Instalações Máquinas, aparelhos e equipamentos Equipamentos de processamento

aparelhos e equipamentos Equipamentos de processamento Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 31
aparelhos e equipamentos Equipamentos de processamento Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 31

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

eletrônico Sistemas Aplicativos (software) Móveis e Utensílios Veículos Ferramentas Florestamento e Reflorestamento Benfeitorias em propriedades de terceiros (-) Depreciação Acumulada/(-) Amortização Acumulada/Exaustão Acumulada

2.4 – INTANGÍVEL Marcas Patentes Concessões Direitos Autorais Direitos sobre Recursos Minerais (-) Amortização Acumulada/Exaustão Acumulada

Concessões Direitos Autorais Direitos sobre Recursos Minerais (-) Amortização Acumulada/Exaustão Acumulada
Concessões Direitos Autorais Direitos sobre Recursos Minerais (-) Amortização Acumulada/Exaustão Acumulada
Minerais (-) Amortização Acumulada/Exaustão Acumulada Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 32
Minerais (-) Amortização Acumulada/Exaustão Acumulada Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 32

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

Veja como cai em prova!!!
Veja como cai em prova!!!

09. (ESAF - Analista Tributário Receita Federal Brasil– 2009) No balanço de encerramento do exercício social, as contas serão classificadas segundo os elementos do patrimônio que registrem e

agrupadas de modo a facilitar o conhecimento e a análise da situação financeira da companhia. No ativo patrimonial, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos nelas registrados, compondo os seguintes grupos:

a) ativo circulante; ativo realizável a longo prazo; investimentos;

ativo imobilizado; e intangível. b) ativo circulante; ativo realizável a longo prazo; e ativo

permanente, dividido em investimentos, ativo imobilizado e ativo diferido.

c) ativo circulante; e ativo não circulante, composto por ativo

realizável a longo prazo, investimentos, imobilizado e intangível.

d) ativo circulante; ativo realizável a longo prazo; investimentos;

ativo imobilizado; e ativo diferido. e) ativo circulante; e ativo não circulante, composto por ativo realizável a longo prazo, investimentos, imobilizado e diferido.

COMENTÁRIOS:

Conforme art. 178, § 1º da Lei 6.404/76, no ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos nelas registrados, nos seguintes grupos:

Ativo Circulantedos elementos nelas registrados, nos seguintes grupos: Ativo Não Circulante Ativo Realizável a Longo Prazo

Ativo Não Circulante Ativo Realizável a Longo Prazo Investimentos Imobilizado Intangível. Ativo Realizável a Longo Prazo Investimentos Imobilizado Intangível.

Gabarito: C

Prazo Investimentos Imobilizado Intangível. Gabarito: C Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 33
Prazo Investimentos Imobilizado Intangível. Gabarito: C Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 33

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

10. (FGV – Analista de Controle Interno – SEAD – PE – 2008)

De acordo com a legislação societária, no Passivo as contas serão classificadas no:

(A)

passivo

circulante,

passivo

não

circulante,

resultados

de

exercícios futuros e patrimônio líquido.

 

(B)

passivo

não

circulante,

resultados

de

exercícios

futuros

e

patrimônio líquido.

(C) passivo circulante, passivo exigível e patrimônio líquido.

(D) passivo circulante, passivo não circulante, patrimônio líquido e passivo exigível a longo prazo.

(E) passivo circulante, passivo não circulante e patrimônio líquido.

COMENTÁRIOS:

Segundo o art. 178, § 2º, no balanço, as contas serão classificadas segundo os elementos do patrimônio que registrem, e agrupadas de modo a facilitar o conhecimento e a análise da situação financeira da companhia.

No passivo, as contas serão classificadas nos seguintes

grupos:

as contas serão classificadas nos seguintes grupos: passivo circulante passivo não circulante patrimônio

passivo circulante passivo não circulante patrimônio líquido:

capital social

reservas de capital

ajustes de avaliação patrimonial

reservas de lucros

ações em tesouraria

prejuízos acumulados

Gabarito: E

em tesouraria • prejuízos acumulados Gabarito: E Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 34
em tesouraria • prejuízos acumulados Gabarito: E Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 34

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

11. (CESGRANRIO – BNDES - 2008 - adaptada)

A Comercial de Papéis S/A, em dezembro de 2006, praticou os seguintes atos:

1) Venda de veiculo do Imobilizado, para acionistas, por R$

80.000,00, vencimento 30/06/2007;

2) Venda de condicionador de ar do Imobilizado, para empregado,

por R$ 50.000,00, vencimento 30/06/2007;

3) Venda de mercadoria, para sociedade controlada, por R$

120.000,00, vencimento 30/06/2007;

4) Adiantamento de R$ 60.000,00 a empregados, a titulo de 13º

salário, vencimento 20/11/2007;

5) Adiantamento de R$ 40.000,00 a diretores, vencimento

20/11/2007;

6) Venda de imóvel do Ativo Não circulante/Investimentos, para

sociedade coligada, para pagamento em 4 parcelas de R$ 250.000,00, com vencimento para 30/06/2007; 30/12/2007; 30/06/2008 e 30/12/2008.

Considerando, exclusivamente, as informações recebidas e as determinações da Lei das Sociedades por Ações, no balanço de 31/12/2006, os direitos a receber, classificados no grupo Ativo Não Circulante, subgrupo Ativo Realizável a Longo Prazo, atingiram , em reais, o montante de:

a) 500.000,00;

b) 620.000,00;

c) 1.120.000,00;

d) 1.240.000,00;

e) 1.290.000,00.

COMENTÁRIOS:

De acordo com o art. 179, II, da Lei 6.404/76, as contas que serão classificadas no ativo não circulante (ANC), subgrupo

realizável a longo prazo são: os direitos realizáveis após o término do exercício seguinte, assim como os derivados de vendas,

adiantamentos

ou

empréstimos

a

sociedades

coligadas

ou

controladas,

diretores,

acionistas

ou

participantes

no

lucro

da

companhia, que não constituírem negócios usuais na exploração do objeto da companhia.

negócios usuais na exploração do objeto da companhia. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 35
negócios usuais na exploração do objeto da companhia. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 35

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

Portanto fazem parte do ativo realizável a longo prazo, do grupo ativo não circulante:

Ato

Valor em R$

Venda de veiculo do Imobilizado, para acionistas

80.000,00

Adiantamento a diretores

40.000,00

Venda de imóvel do ativo não circulante para sociedade coligada (4 parcelas de R$

1.000.000,00

250.000)

TOTAL

1.120.000,00

Gabarito: C

12. (FCC – Agente Fiscal de Rendas-ICMS-SP-2009)

A empresa Solidária S.A. emprestou para quatro diretores do grupo R$ 1.000.000,00. O evento foi formalizado por meio de contrato de mútuo, com juros de mercado, para pagamento em doze meses. Em conformidade com a lei societária vigente, esse fato deve ser registrado como

a) empréstimos a diretores – passivo circulante.

b) adiantamento a diretores – passivo circulante.

c) adiantamento a diretores – ativo não circulante.

d) empréstimos a diretores – ativo circulante.

e) empréstimos a diretores – ativo não circulante.

COMENTÁRIOS:

De acordo com o art. 179, II, da Lei 6.404/76, as contas que serão classificadas no ativo não circulante (ANC), subgrupo

realizável a longo prazo são: os direitos realizáveis após o término do exercício seguinte, assim como os derivados de vendas,

adiantamentos

ou

empréstimos

a

sociedades

coligadas

ou

controladas,

diretores,

acionistas

ou

participantes

no

lucro

da

companhia, que não constituírem negócios usuais na exploração do objeto da companhia.

Gabarito: E

usuais na exploração do objeto da companhia. Gabarito: E Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 36
usuais na exploração do objeto da companhia. Gabarito: E Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 36

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

13. (FGV – Auditor Receita Estadual – SEAD – AP 2010)

Segundo a Lei nº 6.404/76, os direitos que têm por objeto bens corpóreos destinados à manutenção das atividades da companhia ou da empresa ou exercidos com essa finalidade, inclusive os decorrentes de operações que transfiram à companhia os benefícios, riscos e controle desses bens estão classificados no:

(A)

ativo circulante.

(B)

ativo realizável.

(C)

ativo investido.

(D)

ativo intangível.

(E)

ativo imobilizado.

COMENTÁRIOS:

Este enunciado reproduz o art. 179, IV da Lei nº

6.404/76.

Ativo

Art. 179. As contas serão classificadas do seguinte modo:

[

]

IV – no ativo imobilizado: os direitos que tenham por objeto bens corpóreos destinados à manutenção das atividades da companhia ou da empresa ou exercidos com essa finalidade, inclusive os decorrentes de operações que transfiram à companhia os benefícios, riscos e controle desses bens;

Gabarito: E

14. (FGV – Analista Legislativo – Senado Federal – 2008)

A Companhia Z apresentava os seguintes saldos das contas patrimoniais em 31/12/X0:

Caixa: 50.000;

Provisão para Riscos de Contingências: 10.000;

Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa: 15.000;

Contas a Receber 80.000; Reserva de Lucros: 45.000;

Contas a pagar: 18.000;

Estoques: 100.000;

Despesas Antecipadas: 20.000.

18.000; • Estoques: 100.000; • Despesas Antecipadas: 20.000. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 37
18.000; • Estoques: 100.000; • Despesas Antecipadas: 20.000. Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 37

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

Considerando que todas as contas serão realizadas dentro de um ano, o valor do Ativo Circulante, em 31/12/X0, é de:

(A)

235.000.

(B)

250.000.

(C)

245.000.

(D)

225.000.

(E)

260.000.

COMENTÁRIOS:

Fazem parte do ativo circulante as seguintes contas com seus respectivos valores:

Contas

Valores

Caixa

50.000,00

Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa

(15.000,00)

Contas a Receber

80.000,00

Estoques

100.000,00

Despesas Antecipadas

20.000,00

TOTAL

235.000,00

Gabarito: A

Antecipadas 20.000,00 TOTAL 235.000,00 Gabarito: A Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 38
Antecipadas 20.000,00 TOTAL 235.000,00 Gabarito: A Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 38

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

15. (FGV – Fiscal de Rendas – SEFAZ – RJ – 2010)

O Balancete de 31.12.2009 da Cia Volta Redonda, que atua exclusivamente no comércio varejista, apresentava os seguintes saldos (em R$):

Caixa e Equivalentes de Caixa

20.000,00

Estoques previstos para serem vendidos em 100 dias

30.000,00

Clientes, com vencimento em 120 dias

140.000,00

Contas de Ajuste a Valor Presente a apropriar sobre clientes

1.000,00

Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa sobre clientes

2.000,00

Provisão para Contingências Tributárias

5.000,00

Provisão para Perdas nos Estoques

3.000,00

Seguros Pagos Antecipadamente, a serem apropriados

2.400,00

mensalmente de forma linear por dois anos

Aplicação Financeira para ser realizada em um prazo de 180 dias

32.000,00

Empréstimo a acionistas a ser recebido em 60 dias

5.000,00

Assinale a alternativa que indique o total do Ativo Circulante a ser evidenciado no Balanço Patrimonial de 31.12.2009.

(A)

R$ 218.000,00.

(B)

R$ 221.000,00.

(C)

R$ 217.200,00.

(D)

R$ 222.200,00.

(E)

R$ 221.200,00.

COMENTÁRIOS:

Fazem parte do ativo circulante as seguintes contas com seus respectivos valores:

ativo circulante as seguintes contas com seus respectivos valores: Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 39
ativo circulante as seguintes contas com seus respectivos valores: Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 39

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

Contas

Valores

Caixa e Equivalentes de Caixa

20.000,00

Estoques previstos para serem vendidos em 100 dias

30.000,00

Clientes, com vencimento em 120 dias

140.000,00

Contas de Ajuste a Valor Presente a apropriar sobre clientes

(1.000,00)

Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa sobre clientes

(2.000,00)

Provisão para Perdas nos Estoques

(3.000,00)

Seguros Pagos Antecipadamente, apropriação de 01 ano

1.200,00

Aplicação Financeira para ser realizada em um prazo de 180 dias

32.000,00

TOTAL

217.000,00

Gabarito: C

16. (FCC - Analista Judiciário/TRT-20ª/2006/adaptada) São classificáveis como patrimônio líquido:

A) O capital de giro e o capital subscrito

B) O ágio na emissão de ações e o produto da alienação de bônus de

subscrição

C) As debêntures conversíveis em ações

D) As ações em tesouraria e receitas diferidas

E) Os dividendos propostos e as retenções contratuais

COMENTÁRIOS:

COMPOSIÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO

CAPITAL SOCIAL

RESERVAS DE CAPITAL

Ágio na Emissão de Ações Produto da Alienação de Partes Beneficiárias Produto da Alienação de Bônus de Subscrição RESERVAS DE LUCROS

da Alienação de Bônus de Subscrição RESERVAS DE LUCROS Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 40
da Alienação de Bônus de Subscrição RESERVAS DE LUCROS Prof. Otávio Souza www.pontodosconcursos.com.br 40

CURSO DE TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS CONCURSO: ANALISTA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

Reserva Legal Reservas Estatutárias Reservas para Contingências Reservas de Incentivos Fiscais Reserva de Retenção Lucros (Lucros Retidos) Reservas de Lucros a Realizar Reserva Especial para dividendos obrigatórios não Distribuídos (-) AÇÕES EM TESOURARIA AJUSTE DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL PREJUÍZO ACUMULADO

Diante do exposto, a alternativa que atende ao comando do enunciado é a “B” – Ágio na emissão de Ações e Produto da alienação de Bônus de Subscrição.

Gabarito: B

17. (FCC – Analista de Controle Externo – TCE-CE-2008) São contas integrantes do grupo Patrimônio Líquido

a) os prêmios na emissão de debêntures e as ações em tesouraria.

b) os bônus de subscrição e as doações recebidas pela entidade.

c) as reservas de capital e os ajustes de avaliação patrimonial.

d) as subvenções para investimentos e os prejuízos do exercício.

e) as doações recebidas e os lucros acumulados.

COMENTÁRIOS:

COMPOSIÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO

CAPITAL SOCIAL

RESERVAS DE CAPITAL Ágio na Emissão de Ações Produto da Alienação de Partes Beneficiárias Produto da Alienação de Bônus de Subscrição

RESERVAS DE LUCROS Reserva Legal Reservas Estatutárias Reservas para Contingências Reservas de Incentivos Fiscais Reserva de Retenção Lucros (Lucros Retidos) Reservas de Lucros a Realizar