Sunteți pe pagina 1din 6
1. PETIÇÃO INICIAL  REQUISITOS DA PETIÇÃO INICIAL:  Art. 840, § 1º, CLT 

1. PETIÇÃO INICIAL

REQUISITOS DA PETIÇÃO INICIAL:

Art. 840, § 1º, CLT

Arts. 282 e 283, CPC/73 e 319 e 320,

NCPC

CLT  Arts. 282 e 283, CPC/73 e 319 e 320, NCPC  INDEFERIMENTO DA PETIÇÃO
CLT  Arts. 282 e 283, CPC/73 e 319 e 320, NCPC  INDEFERIMENTO DA PETIÇÃO
CLT  Arts. 282 e 283, CPC/73 e 319 e 320, NCPC  INDEFERIMENTO DA PETIÇÃO
CLT  Arts. 282 e 283, CPC/73 e 319 e 320, NCPC  INDEFERIMENTO DA PETIÇÃO

INDEFERIMENTO DA PETIÇÃO

INICIAL

Art. 295, CPC/73

Art. 330, NCPC

FÓRUM TEMÁTICO Alguns aspectos do novo CPC no Processo do Trabalho Aryanna Manfredini

do novo CPC no Processo do Trabalho Aryanna Manfredini SUM-263, TST. PETIÇÃO INICIAL. INDEFERIMENTO. INSTRUÇÃO
do novo CPC no Processo do Trabalho Aryanna Manfredini SUM-263, TST. PETIÇÃO INICIAL. INDEFERIMENTO. INSTRUÇÃO
do novo CPC no Processo do Trabalho Aryanna Manfredini SUM-263, TST. PETIÇÃO INICIAL. INDEFERIMENTO. INSTRUÇÃO

SUM-263, TST. PETIÇÃO INICIAL. INDEFERIMENTO. INSTRUÇÃO OBRIGATÓRIA DEFICIENTE (nova redação) - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003

Salvo nas hipóteses do art. 295 do CPC, o indeferimento da petição inicial, por encontrar- se desacompanhada de documento indispensável à propositura da ação ou não preencher outro requisito legal, somente é cabível se, após intimada para suprir a irregularidade em 10 (dez) dias, a parte não o fizer. RECURSO NO CASO DE INDEFERIMENTO DA PETIÇÃO INICIAL

Art. 331, NCPC

Indeferida a petição inicial RO em

8 dias o juiz poderá retratar-se em 5 dias (CPC/73 48 horas);

se o juiz não se tratar: citará a parte ex- adversa para apresentar CRRO;

• Se o tribunal reformar a decisão: retorno dos autos ao juiz para designação da

Se o tribunal reformar a decisão:

retorno dos autos ao juiz para designação

da audiência .

2. IMPROCEDÊNCIA LIMINAR DO PEDIDO

FÓRUM TEMÁTICO Alguns aspectos do novo CPC no Processo do Trabalho Aryanna Manfredini

Interposto o RO

retratar-se em 5 dias;

Se não houver retratação o réu

será citado para apresentar CRRO, no prazo de 8 dias;

poderá

o juiz

Se houver retratação o juiz

2.1.

CPC/73

derterminará o prosseguimento do

Art.

285-A,

CPC

Quando a matéria

processo.

controvertida for unicamente de direito e no

juízo já houver sido proferida sentença de

total improcedência em outros casos

idênticos, poderá ser dispensada a citação

e proferida sentença, reproduzindo-se o

teor da anteriormente prolatada.

Em síntese:

Matéria controvertida

exclusivamente de direito;

3.

MEDIAÇÃO

AUDIÊNCIA

DE

CONCILIAÇÃO

E

NCPC PREVISÃO LEGAL

Art. 334, NCPC. Se a petição inicial preencher os requisitos essenciais (ou seja, não for o caso de indeferimento) e não for o caso de improcedência liminar do

Julgamento de total improcedência;

pedido, o juiz designará audiência de

Julgamento similar em diversos

conciliação ou de mediação com

casos

idênticos;

antecedência mínima de 30 (trinta) dias,

Valorização das decisões dos

devendo ser citado o réu com pelo menos

magistrados da 1ª instância

20 (vinte) dias de antecedência.

2.2. NCPC

Art. 332. Nas causas que dispensem

a fase instrutória, o juiz,

independentemente da citação do réu, julgará liminarmente improcedente o

pedido que contrariar:

I - enunciado de súmula do Supremo

Tribunal Federal ou do Superior Tribunal de Justiça (também súmula TST encarregado da pacificação das legislações constitucional e Federal no âmbito trabalhista .

II - acórdão proferido pelo Supremo

Tribunal

Federal ou pelo Superior Tribunal de Justiça em julgamento de recursos repetitivos (também pelo TST em recursos

repetitivos);

III - entendimento firmado em incidente de

resolução de demandas repetitivas ou de assunção de competência;

IV - enunciado de súmula de tribunal de

Trata-se de uma audiência

preliminar.

AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO OU

DE MEDIAÇÃO

Conciliação (art. 165, § 2º, NCPC): se

houver vínculo anterior entre as partes;

Mediação (art. 165, § 2º, NCPC): se

não houver vínculo anterior entre as partes.

Obs: se não houver conciliador

poderá ser realizada pelo juiz (art. 334, § 1º,

NCPC).

CONCILIADOR E MEDIADOR

Art. 166. A conciliação e a mediação são informadas pelos princípios da independência, da imparcialidade, da autonomia da vontade, da confidencialidade, da oralidade, da

informalidade e da decisão informada.

Art. 167, NCPC Os conciliadores, os

mediadores e as câmaras privadas de conciliação e mediação serão inscritos em cadastro nacional e em cadastro de tribunal

justiça sobre direito local. (também enunciado de súmula do TRT sobre direito local)

de justiça ou de tribunal regional federal, que manterá registro de profissionais habilitados, com indicação de sua área

Valorização dos precedentes;

profissional.

2.3.

Recurso art. 332, NCPC adaptado ao

§ 1 o Preenchendo o requisito da

Processo do Trabalho.

capacitação mínima, por meio de curso

realizado por entidade credenciada, conforme parâmetro curricular definido pelo Conselho Nacional de Justiça em conjunto

realizado por entidade credenciada, conforme parâmetro curricular definido pelo Conselho Nacional de Justiça em conjunto com o Ministério da Justiça, o conciliador ou o mediador, com o

respectivo certificado, poderá requerer sua inscrição no cadastro nacional e no cadastro de tribunal de justiça ou de tribunal regional federal.

§ 2 o Efetivado o registro, que poderá

ser precedido de concurso público, o tribunal remeterá ao diretor do foro da

comarca, seção ou subseção judiciária onde atuará o conciliador ou o mediador os dados necessários para que seu nome passe a constar da respectiva lista, a ser observada na distribuição alternada e aleatória, respeitado o princípio da igualdade dentro da mesma área de atuação profissional.

§ 3 o Do credenciamento das

câmaras e do cadastro de conciliadores e mediadores constarão todos os dados relevantes para a sua atuação, tais como o número de processos de que participou, o sucesso ou insucesso da atividade, a matéria sobre a qual versou a controvérsia, bem como outros dados que o tribunal julgar relevantes.

§ 6 o O tribunal poderá optar pela

FÓRUM TEMÁTICO Alguns aspectos do novo CPC no Processo do Trabalho Aryanna Manfredini

Art. 169. Ressalvada a hipótese do

art. 167, § 6 o , o conciliador e o mediador

receberão pelo seu trabalho remuneração prevista em tabela fixada pelo tribunal, conforme parâmetros estabelecidos pelo Conselho Nacional de Justiça.

§ 1 o A mediação e a conciliação

podem ser realizadas como trabalho voluntário, observada a legislação pertinente e a regulamentação do tribunal.

§ 2 o Os tribunais determinarão o

percentual de audiências não remuneradas

que deverão ser suportadas pelas câmaras

privadas de conciliação e mediação, com o

fim de atender aos processos em que

deferida gratuidade da justiça, como contrapartida de seu credenciamento.

LOCAL DA AUDIÊNCIA:

Centro judiciário de solução

consensual de conflitos;

Somente me casos excepcionais

deverá ocorrer na sede do juízo;

AUDIÊNCIA NÃO SERÁ REALIZADA

ART. 334, § 4º, NCPC

I ambas as parte manifestarem

desinteresse: o autor manifesta o desinteresse na petição inicial em petição

protocolada com antecedência de 10 dias

da data designada para a audiência.

OBS: no caso de litisconsórcio todos

criação de quadro próprio de conciliadores

devem manifestar desinteresse (art. 334, §

e mediadores, a ser preenchido por

6º,

NCPC);

II

- quando não se admitir a

concurso público de provas e títulos, observadas as disposições deste Capítulo.

Art. 168. As partes podem escolher, de comum acordo, o conciliador, o mediador ou a câmara privada de conciliação e de mediação.

autocomposição. OBS: autocomposição consiste em transação, renúncia ou reconhecimento do pedido. OBS: Não admitir autocomposição não se

§ 1 o O conciliador ou mediador

confunde com direito indisponível. Em

escolhido pelas partes poderá ou não estar cadastrado no tribunal.

§ 2 o Inexistindo acordo quanto à

escolha do mediador ou conciliador, haverá

distribuição entre aqueles cadastrados no

registro do tribunal, observada a respectiva formação.

§ 3 o Sempre que recomendável,

haverá a designação de mais de um

mediador ou conciliador.

muitos casos o direito é indisponível, mas admite-se a autocomposição.

II - quando não se admitir a

autocomposição. OBS: autocomposição consiste em transação, renúncia ou reconhecimento do pedido. OBS: Não admitir autocomposição não se confunde com direito indisponível. Em muitos casos o direito é indisponível, mas

admite-se a autocomposição.

COMPARECIMENTO INJUSTIFICADO • Ato atentatório a dignidade da justiça: multa de até 2% da vantagem

COMPARECIMENTO

INJUSTIFICADO

Ato atentatório a dignidade da

justiça: multa de até 2% da vantagem econômica pretendida ou do valor da

NÃO

FÓRUM TEMÁTICO Alguns aspectos do novo CPC no Processo do Trabalho Aryanna Manfredini

as testemunhas, não poderão os advogados e o Ministério Público intervir ou apartear, sem licença do juiz. Art. 848, CLT. Terminada a defesa, seguir- se-á a instrução do processo, podendo o

causa;

presidente, ex officio ou a requerimento de

Revertida em favor da União;

qualquer juiz temporário, interrogar os

REPRESENTANTE: PROCURAÇÃO

litigantes.

COM PODERES ESPECÍFICOS PARA NEGOCIAR E TRANSIGIR

1º - Findo o interrogatório, poderá qualquer dos litigantes retirar-se,

§

Art. 334, § 10º, NCPC. A parte poderá

prosseguindo a instrução com o seu

constituir representante, por meio de

representante.

procuração específica, com poderes para negociar e transigir.

OBS: o o advogado não pode figurar

como advogado e preposto em um mesmo processo (art, 23, Código de Ética da OAB).

HOMOLOGAÇÃO PELO JUIZ

Art. 334, § 11, NCPC. A autocomposição

obtida será reduzida a termo e homologada por sentença. Art. 487, NCPC. Haverá resolução de mérito quando o juiz:

§ 2º - Serão, a seguir, ouvidas as

testemunhas, os peritos e os técnicos, se

houver.

5.RESPOSTAS DO RÉU

não há mais exceções de suspeição,

impedimento ou incompetência relativa;

art. 146, NCPC: suspeição e

impedimento serão arguidas em petição

específica dirigida ao juiz a causa;

III - homologar:

Serão tratadas em preliminar de

a) o reconhecimento da procedência do

contestacão: a incompetência relativa (art.

pedido formulado na ação ou na

337, II, NCPC) e a impugnação ao valor da

reconvenção;

(art. 337, III, NCPC);

b) a transação;

Será tratado na contestação o

c) a renúncia à pretensão formulada na

ação ou na reconvenção.

4.

AUDIÊNCIA

DE

INSTRUÇÃO

E

contra-ataque do réu ao autor

(reconvenção) - art. 343, NCPC;

Quanto à incompetência relativa: o

juiz não poderá conhecer de ofício (art. 337,

JULGAMENTO

 

§ 5º, NCPC);

 

Os tribunais já admitem pelo

ORDEM

DA

AUDIÊNCIA

NOVO

princípio da instrumentalidade das formas

CPC

Art. 361, NCPC. As provas orais serão

a alegação da incompetência relativa em preliminar de contestação;

produzidas em audiência, ouvindo-se nesta

permanece inaplicável o atual

ordem, preferencialmente:

parágrafo único do art. 305, parágrafo único

I - o perito e os assistentes técnicos, que responderão aos quesitos de esclarecimentos requeridos no prazo e na forma do art. 477, caso não respondidos anteriormente por escrito;

II - o autor e, em seguida, o réu, que prestarão depoimentos pessoais;

III - as testemunhas arroladas pelo autor e

pelo réu, que serão inquiridas. Parágrafo único. Enquanto depuserem o perito, os assistentes técnicos, as partes e

(art. 340, NCPC), no Processo do Trabalho:

possibilidade de apresentação da contestação em que se argua a incompetência relativa no domicílio do réu, em razão do art. 847 da CLT;

em preliminar, na contestação o réu

poderá arguir a ilegitimidade e deverá

indicar o réu legítimo, se souber;

O autor poderá:

a) poderá manter-se inerte (entendendo que não tem fundamento);

b) promover a substituição: • Determina o NCPC que o autor pagará honorários a favor

b) promover a substituição:

Determina o NCPC que o autor

pagará honorários a favor do reclamado fixados pelo juiz entre 3% e 5% e, se irrisórios, o juiz adotará oa parâmetro

fixados pelo art. 85, § 8º, CLT.

c) poderá ainda incluir o réu indicado como

um litisconsorte passivo. O novo código prima por um julgamento de mérito já que evita ou reduz as chances do processo ser extinto por ilegitimidade das partes.

reconvenção na contestação

art. 343, NCPC. Os tribunais já

vinham admitindo a reconvenção na contestação. O réu deve indicar o valor da pretensão econômica da reconvenção (art. 292, NCPC). Ademais o

pedido deve ser determinado (art. 324, NCPC).

mantém seus requisitos: a)

competência da Justiça do Trabalho para as duas reclamações; b) mesmo procedimento; c) conexão com a inicial ou fundamentos da defesa.

Art. 343, § 6º, NCPC: O réu pode

propor reconvenção independentemente de oferecer contestação

As novidades estão no art. 343, §§ 3º, 4º e 5º, NCPC:

§ 3 o A reconvenção pode ser

proposta contra o autor e terceiro. (havia divergência o código tomou partido pela

possibilidade da ampliação subjetiva ex.

solidariedade)

§ 4 o A reconvenção pode ser

proposta pelo réu em litisconsórcio com

terceiro.

§ 5 o Se o autor for substituto

processual, o reconvinte deverá afirmar ser titular de direito em face do substituído, e a reconvenção deverá ser proposta em face do autor, também na qualidade de substituto processual (o juiz deve intimar o substituído para integrar a lide, se quiser)

PRELIMINARES DE CONTESTAÇÃO

Art. 301, CPC

Art. 337, NCPC

FÓRUM TEMÁTICO Alguns aspectos do novo CPC no Processo do Trabalho Aryanna Manfredini

do novo CPC no Processo do Trabalho Aryanna Manfredini 6. JULGAMENTO ANTECIPADO PARCIAL DO MÉRITO 
do novo CPC no Processo do Trabalho Aryanna Manfredini 6. JULGAMENTO ANTECIPADO PARCIAL DO MÉRITO 
do novo CPC no Processo do Trabalho Aryanna Manfredini 6. JULGAMENTO ANTECIPADO PARCIAL DO MÉRITO 

6. JULGAMENTO ANTECIPADO PARCIAL DO MÉRITO

O art. 273, § 6º, NCPC deu lugar ao

art. 356 do NCPC atendendo a doutina que sustentava, com razão, que a tutela antecipada da parte introversa era julgamento de mérito e não caso de tutela antecipada.

Art. 273, CPC/73. O juiz poderá, a

requerimento da parte, antecipar, total ou parcialmente, os efeitos da tutela pretendida no pedido inicial, desde que, existindo prova inequívoca, se convença da

verossimilhança da alegação e:

§ 6 o A tutela antecipada também

poderá ser concedida quando um ou mais dos pedidos cumulados, ou parcela deles, mostrar-se incontroverso.

Art. 356, NCPC. O juiz decidirá

parcialmente o mérito quando um ou mais

dos pedidos formulados ou parcela deles:

I - mostrar-se incontroverso;

II - estiver em condições de imediato

julgamento, nos termos do art. 355.

 § 1 o A decisão que julgar parcialmente o mérito poderá reconhecer a existência

§ 1 o A decisão que julgar

parcialmente o mérito poderá reconhecer a

existência de obrigação líquida ou ilíquida.

§ 2 o A parte poderá liquidar ou

executar, desde logo, a obrigação

reconhecida na decisão que julgar parcialmente o mérito, independentemente de caução, ainda que haja recurso contra essa interposto.

§ 3 o Na hipótese do § 2 o , se houver

trânsito em julgado da decisão, a execução será definitiva.

§ 4 o A liquidação e o cumprimento da

decisão que julgar parcialmente o mérito poderão ser processados em autos suplementares, a requerimento da parte ou a critério do juiz.

§ 5 o A decisão proferida com base

neste artigo é impugnável por agravo de

instrumento.

Art. 355, NCPC. O juiz julgará

antecipadamente o pedido, proferindo

sentença com resolução de mérito, quando:

I - não houver necessidade de

produção de outras provas;

II - o réu for revel, ocorrer o efeito

previsto no art. 344 e não houver requerimento de prova, na forma do art.

349.

FÓRUM TEMÁTICO Alguns aspectos do novo CPC no Processo do Trabalho Aryanna Manfredini