Sunteți pe pagina 1din 4

FÍSICA E QUÍMICA A Ano 2

A IMPORTÂNCIA DO AZOTO PARA OS SERES VIVOS

O crescimento das plantas requer um constante fornecimento de elementos essenciais à


síntese de tecido vivo. De entre esses elementos, os mais importantes são o carbono, o
hidrogénio, o oxigénio e o azoto.

O dióxido de carbono da atmosfera fornece, em parte, o carbono.


A água é o principal fornecedor de hidrogénio.
A água, o dióxido de carbono e o oxigénio da atmosfera fornecem o oxigénio.

Apesar de o azoto ser o principal constituinte da atmosfera terrestre - quase 79% na


forma de gás (N2), de tal modo que se pode dizer que as plantas vivem nele mergulhadas, o seu
fornecimento às plantas apresenta algumas dificuldades.

Poucos organismos são capazes de utilizar o azoto molecular (N2), pois as respectivas
moléculas são muito estáveis. Na molécula, os átomos de azoto estão ligados por uma ligação
tripla muito forte, com uma elevada energia de ligação, sendo por isso muito difíceis de
separar.

O processo através do qual o azoto é capturado da atmosfera no estado gasoso (N2) e


convertido em formas úteis para outros processos químicos, tais como amoníaco (NH 3),
nitrato (NO3-) e nitrito (NO2-) é a fixação. Esta conversão pode ocorrer através de vários
processos:

 Fixação Biológica

Algumas bactérias têm a capacidade de capturar moléculas de azoto (N 2) e transformá-


las em componentes úteis para os restantes seres vivos. Entre estas, existem bactérias que
estabelecem uma relação de simbiose com algumas espécies de plantas (leguminosas) e
bactérias que vivem livres no solo. A simbiose é estabelecida através do consumo de amoníaco
por parte das plantas; amoníaco este que é produzido pelas bactérias que vivem nos caules
das mesmas plantas.

 Fixação Atmosférica

A fixação atmosférica ocorre através dos relâmpagos, cuja elevada energia separa as
moléculas de azoto e permite que os seus átomos se liguem com moléculas de oxigénio
existentes no ar formando monóxido de azoto (NO). Este é posteriormente dissolvido na água
da chuva e depositado no solo.
A fixação atmosférica contribui com cerca de 5-8% de todo o azoto fixado.

 Fixação Industrial

Através de processos industriais (nomeadamente o processo de Haber-Bosch) é


possível produzir amoníaco (NH3) a partir de azoto (N2) e hidrogénio (H2). O amoníaco é
produzido principalmente para uso como fertilizante cuja aplicação sustenta cerca de 40% da
população mundial.
FÍSICA E QUÍMICA A Ano 2

A PRODUÇÃO DE AMONÍACO

Em 1909, o químico alemão Fritz Haber descobriu um processo de produção de


amoníaco que veio revolucionar o desenvolvimento da indústria dos fertilizantes.

O engenheiro químico Carl Bosh transformou o processo piloto de Haber num processo
industrial capaz de produzir milhares de toneladas de amoníaco por ano.

O processo de Haber utiliza a reacção entre o azoto e o hidrogénio:

N2 (g) + 3H2 (g)  2NH3 (g)

Esta reacção de síntese do amoníaco é muito incompleta quando realizada em


condições de pressão e temperatura ambientes. Para ter um rendimento apreciável, tem de se
processar a pressão e temperatura elevadas e na presença de um catalisador (ferro em pó,
com pequenas quantidades de óxido de potássio e óxido de alumínio).
Mas mesmo nestas condições, o rendimento é muito baixo.

AS MATÉRIAS-PRIMAS PARA A PRODUÇÃO DO AMONÍACO

Gás Natural ou petróleo, Água e Ar

 Obtenção do hidrogénio (di-hidrogénio)

Pode ser obtido através da reacção entre o gás natural (CH4), ou outro hidrocarboneto
leve, com o vapor de água. Processa-se em duas fases.

1- CH4 (g) + H2O (g)  CO (g) + 3H2 (g) (altas temperaturas)

2- CO (g) + H2O (g)  CO2 (g) + H2 (g)

Do ponto de vista ambiental, este processo não é considerado sustentável devido às


emissões de CO2 para a atmosfera.

Pode também ser obtido como produto secundário da refinação do petróleo. (Utilização
de energias não renováveis).

A produção a partir de energias renováveis será um passo importante para a resolução


de problemas ambientais e energéticos.

 Obtenção do azoto (di-azoto)

O ar é a principal fonte de azoto.


Outro processo para obter industrialmente o azoto é a destilação fraccionada do ar
líquido.
FÍSICA E QUÍMICA A Ano 2

OBTENÇÃO DO AMONÍACO - PROCESSO DE HABER

O hidrogénio e o azoto, entram num compressor onde são sujeitos a uma pressão
elevada (200 atm).

Em seguida, passam para a câmara de reacção, também chamada conversor, onde, a


temperaturas elevadas (500ºC) e na presença de um catalisador, se processa a reacção entre o
azoto e o hidrogénio.

Como esta reacção não é completa, ficam ainda por reagir grandes quantidades de azoto
(N2) e de hidrogénio (H2).

Assim, da câmara de reacção sai uma mistura de amoníaco (NH3), com azoto (N2) e
hidrogénio (H2). Esta mistura entra no condensador, onde o amoníaco se liquefaz e é
recolhido.

O azoto e o hidrogénio que não reagiram são novamente introduzidos no conversor


através de uma bomba de reciclagem.

AS UTILIZAÇÕES DO AMONÍACO

 Indústria química – síntese de ureia, fertilizantes, produção de ácido nítrico, etc.

 Indústrias do frio, do papel e alimentar – fluído refrigerante.

 Indústria metalúrgica – atmosferas de tratamento térmico.

 Indústria Têxtil – dissolvente.

 Indústria petroquímica – neutralização do petróleo bruto, síntese de catalisadores.


FÍSICA E QUÍMICA A Ano 2

O AMONÍACO, A SAÚDE E O AMBIENTE

Ponto de congelação normal / ºC -75

Ponto de ebulição normal / ºC -33,4

Densidade do vapor em relação ao ar 0,589

Solubilidade em água a 0ºC / gL-1 912,4

Concentração a partir da qual se nota fortemente a sua presença 5 ppm

Concentração a partir da qual produz irritação nos olhos e garganta 20-50 ppm

Concentração a partir da qual é intolerável 35 ppm

Concentração a partir da qual é altamente perigoso 500 ppm

Calor de vaporização / KJ g -1 1,37

 Riscos directos para a saúde

 No estado gasoso é muito irritante para as mucosas. Quando atinge as vias


respiratórias provoca espirros, espasmos brônquicos, queimaduras da mucosa nasal,
laringe e da faringe, quando atinge os olhos fá-los lacrimejar podendo provocar
conjuntivites.

 Em solução aquosa pode provocar queimaduras na pele e se ingerido pode provocar


corrosão do tracto gastrointestinal.

 O contacto de soluções aquosas com a pele pode originar vermelhões e ulcerações da


pele.

 Poluição do meio ambiente

 Quando se liberta para a atmosfera reage com outras substâncias, podendo formar-se
nitrato de amónio e sulfato de amónio – matérias particuladas (pequenas
partículas sólidas ou líquidas dispersas no ar) - cuja inalação é extremamente
prejudicial para a saúde.

 Ao reagir com o oxigénio do ar origina óxidos de azoto, gases poluentes da


atmosfera.