Sunteți pe pagina 1din 5

TIPOS DE INTRODUÇÃO DO TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO

A introdução deve ser construída por um ou mais parágrafos. Quando o texto é construído pelo método dedutivo (do modo geral para o particular), é nela que se lança a tese ou ideia principal a ser desenvolvida no texto. Os principais tipos de introdução são os relacionados a seguir:

Formulação de uma tese a partir de uma declaração inicial

de uma tese a partir de uma declaração inicial Nesse parágrafo, a autora primeiramente apresenta a

Nesse parágrafo, a autora primeiramente apresenta a idade da lei que aboliu a escravidão no Brasil para, a partir desse dado, formular a tese em torno da qual o texto será desenvolvido nos parágrafos seguintes: apesar da lei, persiste no país uma mentalidade atrasada e há ações com vistas a retirar diretos de afro-brasileiros. Às vezes, a tese apresenta uma subdivisão. Veja um exemplo:

vezes, a tese apresenta uma subdivisão. Veja um exemplo: Nesse caso, é comum o autor desenvolver

Nesse caso, é comum o autor desenvolver a tese em um número de parágrafos equivalente ao da subdivisão. No texto de que faz parte a introdução acima, por exemplo, o autor criou dois parágrafos no desenvolvimento: um para analisar o argumento da “falta de vontade política dos países desenvolvidos” e outro para desenvolver o argumento do insucesso de movimentos ambientalistas, a “desidratação da chamada economia verde”.

Interrogação

da chamada economia verde”. Interrogação Nesse tipo de introdução, o autor formula uma ou mais

Nesse tipo de introdução, o autor formula uma ou mais perguntas sobre o tema e ele próprio deve dar respostas a elas ao longo do texto. Nenhuma pergunta deve ficar sem resposta.

Exemplo

Exemplo Para introduzir e situar a tese do texto - a harmonia da natureza deve ser

Para introduzir e situar a tese do texto - a harmonia da natureza deve ser o referencial para a busca humana da perfeição – o autor fala de seu gato e toma-o como modelo da sua busca. Essa introdução é ilustrativa e simbólica e pode ser retomada diversas vezes. Nas redações para vestibular, entretanto, é preciso tomar cuidado para que a narrativa do exemplo não seja longa demais e prejudique o desenvolvimento da argumentação. Citação

e prejudique o desenvolvimento da argumentação. Citação Nessa introdução, o autor constrói sua tese a partir

Nessa introdução, o autor constrói sua tese a partir de uma citação, o que confere maior credibilidade ao seu ponto de vista, pois ele se apoia na palavra outrem, que pode ser uma autoridade no assunto, como no texto apresentado, ou em documentos e órgãos de imprensa dignos de crédito, como neste outro texto do mesmo autor:

dignos de crédito, como neste outro texto do mesmo autor: Roteiro Nesse tipo de introdução, o

Roteiro

de crédito, como neste outro texto do mesmo autor: Roteiro Nesse tipo de introdução, o autor

Nesse tipo de introdução, o autor anuncia o que pretende desenvolver e a forma como vai fazê-lo. Na introdução, o roteiro fornecido pelo autor consiste na questão do surgimento do Universo a partir do nada (o que ele pretende desenvolver) e na análise histórica desse conceito (a forma como pretende desenvolver a questão).

Histórica

Esta introdução traça um rápido panorama histórico da questão, servindo muitas vezes de contraponto ao presente.

Às crianças nunca foi dada a importância devida. Em Canudos e em Palmares não foram poupadas. Na Candelária ou na Praça da Sé continuam não sendo.

Deve-se tomar o cuidado de se escolher fatos históricos conhecidos e significativos para

o desenvolvimento que se pretende dar ao texto.

Comparação - por semelhança ou oposição

Procura-se neste tipo de introdução mostrar como o tema, ou aspectos dele, se assemelham - ou se opõem - a outros.

É comum encontrar crianças de dez anos de idade vendendo balas nas esquinas brasileiras. Na França, nos EUA ou na Inglaterra, nessa idade as crianças estão na escola e não submetidas à violência das ruas.

É bastante importante que a comparação seja adequada e sirva a algum propósito bem claro - no caso, mostrar o subdesenvolvimento brasileiro na questão do menor.

UMA BOA INTRODUÇÃO

(Revista Língua Portuguesa, Especial Redação, 2009)

Lucília H. do Carmo Garcez sugere que, para começar uma dissertação sobre o tema “preservação da Amazônia”, por exemplo, é preciso antes de tudo evitar certos cacoetes típicos de aberturas de textos mal-escritos:

1)

O excesso de generalização;

2)

Começar já no meio da questão;

3)

Pressupor que o leitor já sabe do que trata o texto;

4)

Usar clichês como “A Amazônia é o pulmão do mundo”.

Em seguida, ela sugere algumas possibilidades de abertura para o tema:

Colocando e limitando o problema:

“A questão do desmatamento da Amazônia pode se refletir em nossa vida diária, pois

o clima de todo o país, principalmente do Mato Grosso e de São Paulo, sofre influência das

chuvas produzidas pela mata.”

Citando um especialista:

“Um dos mais respeitados cientistas brasileiros, Eneas Salati, concluiu em suas

pesquisas que a Amazônia produz a maior parte de sua própria chuva e que o

desmatamento pode degradar o ciclo hidrológico.”

Desfazendo uma ideia incorreta:

“Pode parecer que o clima da Amazônia não tem nada a ver com o clima do resto do

país, mas não é verdade. Quando a umidade amazônica se desloca para o ocidente, atinge

o paredão dos Andes e parte dela é desviada, influindo no regime de chuvas das regiões ao

Com uma citação:

“O governo e os meios de comunicação anunciaram recentemente que, apesar dos esforços, o desmatamento continua crescendo na região amazônica.”

“Como ligo o início ao fim?”

(Reportagem da revista Língua Portuguesa, Especial Redação, 2009)

INTRODUÇÃO

O parágrafo introdutório pode ter múltiplas possibilidades. Simone Motta, professora

de redação do curso Etapa, aponta três: intertexto, citação e resumo.

A pretexto de estabelecer um ponto de partida para a elaboração de argumentos, o

intertexto pressupõe a citação, reprodução de algum texto-base para com ele dialogar. A segunda possibilidade consiste em estabelecer esse ponto de partida por meio de uma citação. [ ] Já a terceira possibilidade pressupõe um resumo das ideias que serão defendidas no desenvolvimento da redação. Independentemente de qual seja sua escolha, todos os processos citados deverão ser cuidadosamente articulados, sempre respeitando a adequação ao tema e à proposta. Primeiros parágrafos construídos com expressões do tipo “eu penso”, “eu acho” ou “eu acredito” são inserções subjetivas que em nada colaboram para a estruturação de texto dissertativo antenado à realidade. - O aluno entre para o debate olhando para o próprio umbigo. É uma abordagem cega para a realidade e surda para os outros. A inserção objetiva, ou o contrário, traz uma

abordagem com dados estatísticos e outras informações que colaborem para uma análise mais concreta – critica Wella Borges Costa, professor de redação do curso Positivo. NO MEIO DO CAMINHO Se você já passou da

primeira etapa, que é o parágrafo introdutório, agora sua missão será trabalhar essencialmente com a clareza e a coesão. Abra o seu leque de conhecimentos e opiniões dos temas da atualidade e escolha quais deles vão constar nas 30 linhas avaliadas.

A professora Eliete Bindi se lembra das duas possibilidades de abordagem de tema:

pelo método indutivo ou o dedutivo. No primeiro, o vestibulando pode partir da observação

expandir

um texto de forma satisfatória pressupõe algo além de

parafrasear o texto proposto como estímulo ou recorrer a clichês ou

modismos, ou ainda se apropriar do conteúdos já veiculados e do saber

comum, sem nenhuma inovação; expandir um texto de maneira satisfatória

exige um leitor/autor criador, que leia, selecione, planeje e organize seu

texto, que, sobretudo, relacione seu conhecimento num determinado

contato para a redação de seu texto.

(MARQUESI, S. C. A coerência textual como critério para a avaliação de redações.)

de fatos específicos para depois abrir a discussão para o tema central. Ou seja, ele parte do efeito para a causa. Pelo método dedutivo, acontece o contrário: parte-se do geral para o específico. Aí, juntam-se as hipóteses para chegar à conclusão.

FIM DE PAPO A conclusão da redação deve, de preferência, retomar o pretexto inicial da redação. Assim, fica claro que sua relação de argumentos está chegando ao fim. Além disso, esse formato atesta que aquele pretexto usado não foi em vão.Também é interessante que esse parágrafo reúna de forma concisa os principais pontos do desenvolvimento do texto. Nada de argumentos novos, senão dá a entender que a redação prosseguirá. Ainda em relação à forma, o vestibulando precisa escolher se sua conclusão apresentará uma solução para a problemática ou se fará uma previsão, com alerta de como o tema da redação se desenvolverá no futuro. - A conclusão é a última impressão deixada pelo redator, portanto, deve ser primorosa e, para isso, deve ser lida e relida. Sobre ela o estudante deve fazer uma reflexão para que o encerramento encante o leitor – indica Simone, do Etapa. Nesse sentido, justificar o título dado à redação é também um dos aspectos que devem ser ressaltados na conclusão. Nada de reproduzir no título o tema da redação. Senão, todos seriam iguais e sem identidade nenhuma. Jogos de palavras, desde que bem empregados, podem ser uma boa estratégia. Todas as indicações descritas acima só terão resultado com a prática exaustiva da escrita. ]

[

Como ligo o início ao fim?, Revista Língua Portuguesa – especial Redação. Segmento: São Paulo. Ano III, out.2008. pp. 47-49.