Sunteți pe pagina 1din 5

Vivendo verdadeiras amizades 1 – Mensagem 2/2

Com Deus: Amizade Verdadeira. (Tg 2:14~24)

Introdução.

Na parte da manhã falamos um pouco da importância da amizade que nutrimos entre nossos irmãos estudando a história de Davi e Jônatas. Nessa noite, gostaria de completar minha participação nesse acampamento falando de um outro tipo de amizade, só que esse, muito mais importante do que todos os outros: amizade com Deus!

Quantas vezes você escutou pregações, pessoas falando, leu em algum lugar, que

devemos ser amigos de Deus? Falar é fácil, mas quando chega a hora de realmente conquistar essa amizade "diferente" é que quebramos a perna. Algumas pessoas poderão dizer: "como posso ser amigo de um Deus que nunca vi, não tenho certeza do que Ele é

e do que Ele quer de mim?". Pensamos que ser amigo de Deus é algo muito subjetivo,

emocional e pouco real. Porém, essa noite, através da palavra que lemos, quero ensinar

a vocês que uma amizade com Deus é a coisa mais real e concreta que alguém pode ter nessa, e na próxima vida.

A bíblia está cheio de pessoas que foram amigos de Deus: Enoque, Noé, Moisés, Davi, Isaías, porém, o texto dá especial destaque a uma pessoa: Abraão. Abraão é um dos principais heróis do Antigo Testamento. Ele, juntamente com Moisés e Davi, talvez sejam as três pessoas mais influentes da velha aliança. Particularmente Abraão ganha destaque por ser considerado o "pai da fé", tanto por judeus como também pelos Cristãos do mundo inteiro. Aqui e em pelo menos mais três trechos do Antigo Testamento, 2Cr 20:7, Is 41:8 e 51:2, ele é lembrado como "o amigo de Deus".

A amizade com Deus nasce de alguns princípios básicos que o apóstolo Tiago nos ensina aqui: Fé e ação. É necessário crer em um Deus que não enxergamos, ma também

é necessário termos ações concretas que confirmem essa fé. Quando Deus deixa de ser mero conhecimento intelectual e passa a ser real e vivo em nossas vidas, aí sim podemos dizer que somos amigos Dele!

Quero que você apague da sua cabeça que ser amigo de Deus é falar sozinho, ou ser louco. Ser amigo de Deus também não é sentir um arrepio quando toca o louvor, e nem tão pouco decorar 500 versículos de cor e salteado. Ser amigo de Deus não é sentir ser amigo Dele, mas é agir como amigo Dele! Esse é o segredo desse texto. A vontade de Deus é que todos nós possamos tornar a nossa fé em algo concreto.

Antes d entrarmos no texto propriamente dito, em último lugar, devemos entender como funcionava a cabeça de um hebreu naquela época. Na mentalidade hebraica antiga, você só é alguma coisa quando as suas ações confirmam isso. Não existe amor sem demonstração de amor, por exemplo. Você só vai saber se uma pessoa é cristã de verdade quando ela tiver ações que confirmem essa identidade. Trocando em miúdos, a sua essência é confirmado pela realidade concreta de seus atos! Com base nisso, podemos entrar no que o texto quer nos ensinar nessa noite!

1 Pregado no Acampamento de jovens da Igreja Presbiteriana do Brasil de Sorocaba, Vargem Grande Paulista, em 17 de julho de 2010.

1

O texto (Tg 2:14~24)

14 De que adianta, meus irmãos, alguém dizer que tem fé, se não tem obras? Acaso

a fé pode salvá-lo? 15 Se um irmão ou irmã estiver necessitando de roupas e do alimento de cada dia 16 e um de vocês lhe disser: “Vá em paz, aqueça-se e alimente-se até

satisfazer-se”, sem porém lhe dar nada, de que adianta isso? 17 Assim também a fé, por

si

18 Mas alguém dirá: “Você tem fé; eu tenho obras”. Mostre-me a sua fé sem obras,

eu lhe mostrarei a minha fé pelas obras. 19 Você crê que existe um só Deus? Muito

bem! Até mesmo os demônios crêem — e tremem!

20 Insensato! Quer certificar-se de que a fé sem obras é inútil 2 ? 21 Não foi Abraão, nosso antepassado, justificado por obras, quando ofereceu seu filho Isaque sobre o altar? 22 Você pode ver que tanto a fé como as obras estavam atuando juntas, e a fé foi aperfeiçoada pelas obras. 23 Cumpriu-se assim a Escritura que diz: “Abraão creu em Deus, e isso lhe foi creditado como justiça” 3 , e ele foi chamado amigo de Deus. 24 Vejam que uma pessoa é justificada por obras, e não apenas pela fé.

e

só, se não for acompanhada de obras, está morta.

Exposição.

1. A sua fé está viva ou morta?

"De que adianta, meus irmãos, alguém dizer que tem fé, se não tem obras? Acaso a fé pode salvá-lo?" (vr. 14). É muito interessante que o texto não começa falando: "De que adianta, meus irmãos, alguém ter fé", mas sim, "alguém dizer que tem fé". É uma diferença muito grande. Uma coisa é você falar que tem fé, outra coisa é ter fé de verdade. Em que time você joga?

Há uma maneira muito fácil de saber em qual time você está. O próprio Tiago continua dizendo o seguinte: "Se um irmão ou irmã estiver necessitando de roupas e do alimento de cada dia e um de vocês lhe disser: “Vá em paz, aqueça-se e alimente-se até satisfazer-se”, sem porém lhe dar nada, de que adianta isso?" (vss. 15,16). Esse exemplo chega a ser engraçado, mas muitas vezes fazemos exatamente a mesma coisa. Pessoas que só dizem ter fé são pessoas que falam muito e agem pouco. O mais interessante é que as pessoas que tem fé de verdade, ao invés de falar muito, fazem muito mais do que falam!

A

diferença entre dizer ter fé e ter fé é a mesma diferença entre ter uma fé morta e uma

viva. "Assim também a fé, por si só, se não for acompanhada de obras, está morta."

(vr. 17). Temos que entender muito bem essa frase. O apostolo Paulo nos ensinou, em Ef 2:8,9 o seguinte: "Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie." Paulo queria nos

dizer que a fé que resulta na salvação vem de Deus e somente por essa fé é que somos justificados e salvos por Jesus Cristo. Assim, todo nosso esforço de fazer algo por merecer a Deus se torna algo totalmente inútil, uma vez que somos salvos pela graça mediante a fé em Cristo.

Mas Tiago não acabou de dizer que "sem obras a fé é morta"? As obras que Tiago está falando não é esse esforço de auto-justificação diante de Deus para a salvação, mas sim,

2 Vários manuscritos antigos dizem morta. 3 Cf. Gn 15:6 e Rm 4:22.

2

o resultado que a fé salvadora gera dentro de uma pessoa que foi salva pela graça.

Calvino diz que "aquele que têm fé precisa provar a realidade de sua fé pelas suas obras" 4 . Ou seja, você mostra que a sua fé vale alguma coisa pelas suas ações.

No momento em que você creu em Jesus, e Ele entrou em seu coração, algo dentro e fora de você mudou drasticamente. As práticas e a vida que você levava antes sofrem uma transformação muito grande com Jesus. É disso que Tiago está falando! Se você

crê em Deus, algo que nasceu dentro do seu coração, deve gerar atitudes concretas dessa

fé para fora do seu coração!

Quem quer ser amigo de Deus, ou quem é amigo de Deus é aquela pessoa que vive e faz de acordo com aquilo que ele crê. São pessoas que não apenas dizem crer, mas que mostram essa fé através de ações concretas! Por isso, nós como Cristãos devemos fazer

o bem a todas as pessoas, ao meio ambiente, ao país, etc. Nós não somos um bando de

fanáticos de Jesus que só pensam em encher igreja e se divertir dentro, mas nós somos

luz e sal nesse mundo tão distante de Deus.

Você é amigo de Deus? Então a sua fé deve ser viva e atuante! Calvino disse que "as obras provam se a fé é verdadeira". A sua fé é verdadeira hoje?

2. A fé não é apenas um exercício de conhecimento mental

"Mas alguém dirá: “Você tem fé; eu tenho obras”. Mostre-me a sua fé sem obras, e eu lhe mostrarei a minha fé pelas obras. Você crê que existe um só Deus? Muito bem! Até mesmo os demônios crêem — e tremem!" (vss 18, 19)

Dois times, um na frente do outro: tête-à-tête. De um lado, aquelas pessoas que tem fé, mas só de cabeça, do outro, um time formado por pessoas que expressam a sua fé todos os dias, desde as mais pequenas atitudes até a mais honrosas. Nessa final de copa do mundo, qual é o time que vai prevalecer e ganhar? O time dos crentes com fé verdadeira desafiam os crentes meia-boca dizendo: "mostre a sua fé intelectual, emocional, que eu lhes mostrarei uma fé real e viva".

Amados irmãos, nós pensamos que fé é acreditar que Deus existe. Calvino disse que "o homem não é justificado apenas pela fé, ou seja, por um mero e simples conhecimento de Deus. Ele é justificado pelas obras, ou seja, sua justiça é conhecida e provada pelos seus frutos". Existem pessoas pensando aqui que por saberem que Deus existe e que criou todas as coisas, está fazendo um favor imenso a Deus. Sabe o que a bíblia tem a dizer sobre você: "Você não faz mais do que a sua obrigação". Isso mesmo. Antigamente, não existia esse negócio de ser ateu, por exemplo, a existência de Deus, ou dos deuses, era pressuposta e nunca era colocada em discussão. Saber que Deus existe é a reação mais normal diante da grandeza da natureza, do universo e da complexidade do homem. Você não tem nenhum mérito em dizer que sabe quem Deus é.

"Você crê que existe um só Deus? Muito bem! Até mesmo os demônios crêem — e tremem!" (vr. 19). É muito interessante que o diabo, muitas vezes, parece conhecer mais Deus do que todos nós. Ele demonstra muito mais respeito por Deus do que nós em muitos momentos. Não consigo entender pessoas que, por exemplo, fazem tudo

4 Calvino, João. Comentário de Tiago. Igual às demais citações de Calvino.

3

direitinho no trabalho, mas que quando chegam na igreja querem fazer tudo "meia- boca". Crer em Deus não é apenas um exercício mental de saber intelectualmente que Ele existe! Crer e ter fé é dar um passo alem em direção a Deus.

Não pense que porque você conhece onde uma pessoa mora, o que ela estuda, os nomes de seus pais e a cor da camisa que ele veste que você será o seu melhor amigo! Amizade pressupõe muito mais do que saber do profile da pessoa, mas sim um relacionamento real e vivo com ela. Amizade não é apenas um exercício de cabeça!

3. A fé verdadeira vai até as últimas conseqüências por Deus

"Insensato! Quer certificar-se de que a fé sem obras é inútil?" (vr. 20). Quer ver como a

fé sem obras não vale nada? É só olhar para o maior exemplo de fé: Abraão: "Não foi

Abraão, nosso antepassado, justificado por obras, quando ofereceu seu filho Isaque sobre o altar?" (vr 21).

Essa história nós conhecemos muito bem. Está em Gn 22. Deus fizera uma promessa a Abraão de que ele teria um filho que seria seu herdeiro. Depois de penosos 25 anos, quando ele tinha 100, nasce o tal filho, Isaque. Um belo dia, quando Isaque era menino, naquela idade, em que talvez, ele tirasse risos de alegria dos seus pais, Deus aparece a Abraão e pede que Isaque seja sacrificado!

Como assim? Um filho que veio por milagre depois de tanto tempo? O Senhor acabou de dar e quer tirar ele de mim? O Senhor só pode estar de sacanagem comigo! Se nós estivéssemos no lugar de Abraão, talvez pensaríamos em coisas piores que essas. Porém, não é a atitude que Abraão teve:

"Na manhã seguinte, Abraão levantou-se e preparou o seu jumento. Levou consigo dois de seus servos e Isaque, seu filho. Depois de cortar lenha para o holocausto, partiu em direção ao lugar que Deus lhe havia indicado. No terceiro dia de viagem, Abraão olhou e viu o lugar ao longe. Disse ele a seus servos:

“Fiquem aqui com o jumento enquanto eu e o rapaz vamos até lá. Depois de adorarmos, voltaremos”." (Gn 22:4~6)

O que Abraão fez? Obedeceu a Deus. Abraão não era um crente que só cria em palavras.

Não! Abraão tinha uma fé tão viva que mesmo a ordem de Deus sendo tão dolorosa de

se cumprir, não perdeu tempo e fazer a vontade Dele! Meus amigos, a fé é algo concreta.

Por isso que a amizade com Deus é também concreta e real! Se Abraão não conhecesse de verdade a Deus, ele nunca teria feito aquilo! Abraão tinha uma fé tão grande que o autor de Hebreus diz que:

"Pela fé, Abraão, quando provado, ofereceu Isaque para ser sacrificado; sim, aquele que havia recebido as promessas estava a ponto de oferecer seu único filho, sobre o qual se havia falado: Em Isaque será contada a tua descendência. Ele considerou que Deus era poderoso até para o ressuscitar dos mortos, e, assim, também, simbolicamente o recuperou!" (Hb 11:17~19 A21).

Muitas vezes a fé que temos é uma fé de brinquedo. Fé sem ações concreta é inútil, sem serventia e por conseqüência, morta! Mas quem deseja ser amigo de Deus, deve ter uma

4

fé que vai até as últimas conseqüências! Qual é a última conseqüência, o limite? Obedecer à Palavra de Deus!

Conclusão: Só é amigo de Deus quem O obedece!

Quero concluir lendo com vocês novamente os versículos 22 e 23: "Você pode ver que tanto a fé como as obras estavam atuando juntas, e a fé foi aperfeiçoada pelas obras. Cumpriu-se assim a Escritura que diz: “Abraão creu em Deus, e isso lhe foi creditado como justiça”, e ele foi chamado amigo de Deus."

Numa leitura superficial da Bíblia, o que nos dá a impressão é que a mera crença, ou seja, o simples fato de Abraão saber da identidade de Deus o justificou e o tornou amigo de Deus! Não! O que está claro é que só é amigo de Deus quem tem uma fé viva Nele. O que é ter uma fé viva? É ter uma fé que é concreta em termos de ação e vida!

"Vejam que uma pessoa é justificada por obras, e não apenas pela fé." (vr. 24). Que obras são essas afinal? Que atitudes que deve ter para que a minha fé seja confirmada e provada ser real? Lendo Tiago por inteiro, podemos chegar à certeza de que não há melhor maneira de expressar concretamente a nossa fé do que obedecer à Palavra de Deus. Assim, quero concluir dizendo que só é amigo de Deus quem tem uma fé viva em Deus. E quem tem uma fé viva em Deus? Somente aqueles que obedecem os seus mandamentos.

Certa vez Jesus falou assim: "Vocês serão meus amigos, se fizerem o que eu lhes ordeno. Já não os chamo servos, porque o servo não sabe o que o seu senhor faz. Em vez disso, eu os tenho chamado amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu lhes tornei conhecido" (Jo 15:14,15). Quem hoje quer ser amigo de Deus? Quem hoje quer ser amigo de Jesus? Tome uma decisão: tenha uma fé para obedecer, uma fé viva. Assim, você desfrutará de uma Amizade Verdadeira Com Deus!

5