Sunteți pe pagina 1din 15
Ética e Cidadania UNIDADE 2
Ética e Cidadania UNIDADE 2
Ética e Cidadania UNIDADE 2
Ética e Cidadania UNIDADE 2
Ética e Cidadania UNIDADE 2
Ética e Cidadania UNIDADE 2
Ética e Cidadania UNIDADE 2
Ética e Cidadania UNIDADE 2
Ética e Cidadania UNIDADE 2
Ética e Cidadania UNIDADE 2
Ética e Cidadania UNIDADE 2
Ética e Cidadania UNIDADE 2

Ética e Cidadania

UNIDADE 2

Ética e Cidadania UNIDADE 2
Ética e Cidadania UNIDADE 2
Ética e Cidadania UNIDADE 2

ética e cidadania Unidade 2

Para início de conversaética e cidadania Unidade 2 Olá querido (a) aluno (a), como vai? Bem-vindo (a) mais uma

Olá querido (a) aluno (a), como vai? Bem-vindo (a) mais uma vez, à disciplina de Ética e Cidadania, Unidade 2.

Esta disciplina conforme você pode ver no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), está dividida em quatro unidades.

Na primeira unidade estudamos a visão básica da Filosofia com seus princípios e funções, através do en- tendimento dos conceitos dos principais filósofos, a construção dos princípios, a construção das teorias e seus principais fundadores no mundo ao longo do tempo e na atualidade. Sendo apresentado também os principais filósofos brasileiros e as suas contribuições para a sociedade brasileira e finalizaremos a uni- dade discutido a Filosofia contemporânea ou filosofia atual e os principais representantes na atualidade.

Na segunda unidade faremos uma Introdução à ética e moral, em que será discutido a interação do ho- mem na sociedade, o conceito de ética e como este conceito se incorpora no comportamento da socieda- de e como está relacionada com a moral.

Vamos falar das principais doutrinas éticas e como adaptá-las na sociedade moderna.

orientações da disciPlinadoutrinas éticas e como adaptá-las na sociedade moderna. Em cada unidade você encontrará links e vídeos

Em cada unidade você encontrará links e vídeos que deverão ser assistidos no momento indicado no Guia de Estudo. Estes irão complementar, além do Guia de Estudo, o livro texto a fim de ampliar ainda mais o seu conhecimento acerca do tema tratado em cada unidade.

Ao final de cada unidade, você deverá realizar as atividades que constam no Ambiente Virtual de Apren- dizagem (AVA), neste caso, o questionário da unidade 2.

Vamos começar?

introdUçÃo À ética e Moral
introdUçÃo À ética e Moral

Você, caro (a) aluno (a), já ouviu no seu cotidiano a palavra Ética?

Já viu na televisão, nos jornais discussões em que se falavam de princípios éticos?

Corrupção, assalto, aborto, briga de condomínio, fofoca no trabalho ou na escola são situações ligadas à Ética?

Para entendermos melhor este assunto, vamos responder o que é Ética? Como ela interage com o homem dentro da sociedade.

Além dos conceitos, vamos entender as interferências que a Ética faz no dia a dia do cidadão e como pode ser melhor aplicada para uma melhoria na qualidade de vida em sociedade.

Vamos lá!

o HoMeM eM sociedade
o HoMeM eM sociedade

Alguém já te perguntou o que é Ética? Ou você já se fez essa pergunta?

A ética é um exemplo de um tema que o conceito é tão amplo e tão antigo que não é tão fácil de explicar, mesmo que vários pensadores de diferentes épocas na história tenham discutido sobre o assunto, como:

Aristóteles, Kant, Espinoza, Nietzsche, Paul Tillich, Platão e etc.

Voltando lá para os anos 500 e 300 a.C., enquanto a Grécia vivia o período áureo do pensamento e das discussões filosóficas surgiram muitas definições e teorias que até hoje nos acompanham sobre Ética.

O princípio do entendimento da Ética estava ligado à análise e reflexão sobre o agir do homem, visto que Sócrates, Platão e Aristóteles deixaram grandes debates sobre o assunto nos dando uma imagem de como os problemas éticos eram formulados naqueles tempos.

Querido (a) estudante, tudo parece ter iniciado com uma pesquisa sobre a natureza do bem moral, na bus- ca de um princípio absoluto da conduta, ou seja, na padronização de como o homem deve se comportar em sociedade. Os princípios mais conhecidos daquela época eram: “nada em excesso” e “conhece-te a

ti mesmo”.

? ? ?
?
?
?

você sabia?

Você sabia que Platão sistematizou as ideias sobre Ética afirmando que as preocupa- ções éticas deviam ter como centro, a busca da felicidade?

Pois bem, para chegar a essa conclusão ele estudava as noções de prazer, sabedoria prática e virtude e sempre se questionava: onde está o Bem?

E assim descrevia que os homens deveriam procurar, durante esta vida a contemplação das ideias do Bem, assim como “o astrônomo contempla os astros”.

Continuando

A Ética ficou conhecida habitualmente como um estudo ou uma reflexão, científica ou filosófica, e até ocasionalmente teológica, sobre as ações humanas, estando relacionada com os costumes e comporta- mentos que são considerados corretos pela sociedade.

Quando analisamos as ações do homem na sociedade em relação à Ética vemos, por exemplo, que os americanos têm um costume bem difundido em sua sociedade de comemorar o Halloween ou o Dia de Ação de Graças, na Índia ou África não se comemoram estas datas, já no Brasil, apesar de existir estas comemorações, os festejos religiosos são mais comemorados, nesse sentido as sociedades se tornam diferentes por possuir diferentes costumes e como consequência possuem diferentes “éticas”.

Assim, podemos compreender que as ações dos homens são um reflexo, na maioria dos casos, de suas crenças e nesse sentido suas ações podem ser de acordo com suas crenças.

Para refletir

Para refletir

Observando-a num contexto científico, reflita sobre esta questão: que tipo de ciência seria a Ética?

Poderíamos chamá-la de Ciência Normativa, ou seja, de ciência que trataria de normas de comportamen-

tos?

Mas, lembre-se que a ética também está relacionada aos costumes do ser humano, então poderia ser chamada de uma Ciência Descritiva?

Não se esqueça que ainda está relacionada com a liberdade do ser humano e suas realizações práticas e, nesse sentido, entrariam também as discussões sobre o bem e o mal, a consciência moral e da lei observe como a Ética é uma ciência ampla!

Estudiosos tentam resolver este problema separando os problemas teóricos da ética em dois campos: o primeiro estaria associado aos problemas gerais e fundamentais do ser humano como liberdade, valores

e a lei entre outros; e no segundo, os problemas específicos ligados à realidade ou a aplicação efetiva-

mente concreta da Ética como os problemas da ética profissional, da ética política, de ética sexual, de ética matrimonial, de bioética, etc.

Agora, vamos conhecer como a ciência é inserida em ramos da ciência ou nos outros estudos de compor- tamentos humanos!

São os seguintes:

Direito,

Teologia,

Estética,

Psicologia,

História,

Economia entre outros.

Na vida real, não dá para dividir a Ética, pois tais problemas não vêm assim separados.

A origem das discussões sobre ética pode ser resolvida, então, quando falamos da origem da palavra:

Ética vem do grego “ethos” que pode significar “hábito”, outros pensadores dizem que significa “modo de ser” ou “caráter” e ainda outros afirmam que significa “morada humana”.

Complexo não?

Ainda tem seu correlato no latim “morale” ou moral, e aí entramos em mais uma confusão, ética e moral são coisas diferentes ou iguais?

Sendo assim querido (a) aluno, você pode concluir que Ética e Moral são palavras sinônimas, etimologi- camente

Segundo o Dicionário Aurélio, Ética é “o estudo dos juízos de apreciação que se referem à conduta hu- mana susceptível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal, seja relativamente à determinada sociedade, seja de modo absoluto”.

Esse conceito é estático?

Não!

Por que?

Porque o ser humano está em constante transformação.

Assim, ser uma pessoa ética significa, ser tudo aquilo que ajuda a tornar melhor o ambiente em que vive, seja a casa, o trabalho, a rua, tornando este ambiente uma moradia saudável, baseada em três eixos principais:

1. Ser um ambiente materialmente sustentável;

2. Ser um local psicologicamente integrado;

3. E ser um espaço espiritualmente fecundo;

Assim, a ética, como expressão única do pensamento correto, como um guia de comportamentos conduz à ideia da universalidade moral, ou ainda, à forma ideal universal do comportamento humano. Essa forma é expressa em diversos princípios válidos para todo pensamento e comportamento humano normal e sadio.

Então vem a reflexão

Roubar, matar, extorquir são comportamentos éticos do homem na sociedade?

Não!

Pois, não são comportamentos normais e sadios quando se convive com outras pessoas.

É chegado o momento de você se aprofundar mais sobre o conceito de Ética.

Vamos lá!

o conceito de ética
o conceito de ética

A reflexão filosófica sobre a ética sempre esteve presente ao longo da construção das sociedades e cultu- ras humanas. Ética em sua completude refere-se ao todo, ao inteiro, ao completo ATO humano, podendo ser entendida também como tudo que gera uma ação genuinamente humana, é como uma referência para os seres humanos em sociedade.

O filósofo Mário Sérgio Cortella (2005) ainda completa que:

Ética é um conjunto de valores, princípios e disposições voltados para a ação que pode e deve ser incor- porada pelos indivíduos para decidir as três grandes questões da vida que são: o que eu quero, o que eu posso e o que eu devo. Têm coisas que eu quero, mas não devo, tem coisas que eu devo, mas não posso

e tem coisas que eu posso, mas não quero.

Complementando o amplo conceito de ética, a professora Fernanda Cintra Lauriano Silva (2010) a Ética é “o estudo dos juízos de apreciação que se referem à conduta humana susceptível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal, seja relativamente à determinada sociedade, seja de modo absoluto”.

Sabemos que Moral vem do latim mores e significa “hábito, costumes” ou “relativo aos costumes”, ou seja, é tudo aquilo que está submetido a um valor, ou mesmo pode ser explicado atualmente como um conjunto de regras de conduta consideradas como corretas, efetivas, validadas pela sociedade e princi- palmente éticas, seja para qualquer tempo ou lugar, grupos ou pessoa determinada, é aquilo que conside- ramos de regras pré-estabelecidas e aceitas pelas comunidades humanas durante determinados períodos de tempo.

GUarde essa ideia!

GUarde essa ideia!

Assim, estimado (a) aluno (a), podemos entender a Ética também como uma ciência que estuda a moral com o objetivo de atualizar constantemente as orientações corretas de como o homem deve agir, ou me- lhor na busca da conduta do que está inserido em uma sociedade que pertence a um estado específico, a um ambiente ou um grupo social religioso que tem leis, costumes e regras, nesse olhar a ética se torna princípio, regra e teoria.

Para esclarecer as confusões entre Ética e Moral, vamos fazer esse bate-rebate:

Ética é permanente X moral é temporal

Ética é normativa, ou seja, determina como o homem deve agir X Moral é uma ciência descriti- va de como os seres humanos de uma determinada cultura de fato agem

Ética é universal X moral é cultural

Ética é a reflexão filosófica sobre a moral (justificar a moral) X moral tem um carácter prático

e imediato.

Ética é teoria X moral é prática.

Ética exerce uma permanente vigilância crítica sobre a moral, para reforçá-la ou transformá-la

X ação moral busca uma compreensão e uma justificação crítica universal.

A ética se mistura com a moral, na medida em que a suporta, ou seja, não existem costumes ou hábitos sociais completamente separados de uma ética individual. Entendendo-se como ética individual a ideia de um valor social, que quando consolidado em uma sociedade transforma-se em lei ou regra, assim po- demos concluir que não existe ética sem moral e não existe lei sem ética.

Quando a Ética está relacionada ao estudo direcionado do comportamento ou normas de conduta no ambiente profissional seja em empresas, no comércio, enfim, nos negócios é conhecida como Ética Pro- fissional. Esse direcionamento serve para regulamentar o relacionamento interpessoal entre profissionais no ambiente de trabalho, devendo, portanto, seguir alguns preceitos, como respeitar os colegas, trabalhar em equipe, evitar fofocas e discussões, seguir diretrizes dos superiores a fim de construir o bem-estar no contexto sociocultural onde exerce sua profissão.

Para refletirno contexto sociocultural onde exerce sua profissão. Vamos refletir mais sobre isso, na conduta ética

Vamos refletir mais sobre isso, na conduta ética profissional, as empresas devem contratar pessoas ex- ternas, contadores ou analistas, para realizar a auditoria de suas contas e comprovar ou não se aquelas contas estão certas ou erradas.

Se um auditor contábil independente for escalado para auditar as contas de uma empresa de auditoria e este é primo do presidente, ao realizar a auditoria, tal profissional estará agindo de forma correta?

Será que ele consegue separar assuntos pessoais dos profissionais?

Ou será tendencioso para com a empresa do primo, ser camarada e aprovar as contas mesmo que verifi- que erro?

Um comportamento ético correto do profissional deveria ser: solicitar sua exclusão da tarefa, comunican- do o grau de parentesco e o comportamento das empresas também à luz da ética profissional, seria pedir

a substituição do auditor escolhido. Foi no sentido de regulamentar os comportamentos éticos profissio-

nais que surgiram os códigos de ética profissional, disseminando os princípios das consequências de cada ação ilícita ou incorreta de cada profissional.

fontes das reGras Morais e coMPortaMento ético
fontes das reGras Morais e coMPortaMento ético

Por que a conduta moral do ser humano deve seguir algum líder, um governante, um religioso ou mesmo

o código de ética no ambiente profissional?

Por que quem está na liderança de um estado, de uma determinada sociedade deve exercer para com esta, a responsabilidade coletiva baseando-se na Ética?

Pois bem, sabemos que nenhum país se destacará, crescerá ou se desenvolverá, se não existir Ética e um líder a frente deste país para seguir os preceitos determinados pelo Estado. Esse governante deve seguir leis e condutas que estejam representando os interesses do grupo social e as oportunidades históricas disponíveis para realizá-los e determinar, com base na lei, os direitos e deveres de cada um em sociedade.

Esses líderes têm uma responsabilidade muito grande para com o seu povo: esta responsabilidade é divi- dida em três esferas: Institucional, Pessoal e Educacional.

Deve ser Institucional, porque este líder deve cumprir fielmente e estritamente os deveres que lhes são atribuídos para estar no cargo, ou seja, se elegemos o presidente do Brasil, utilizamos o voto para isto, e por meio da Constituição Brasileira este cargo tem direitos e deveres dentro do país democrático e que devem ser cumpridos para retribuir ao povo brasileiro o voto que lhe foi dado.

Deve ser Pessoal, porque cada líder deve ser um exemplo de cidadania para com os seus liderados, sendo justo e eticamente íntegro, esse princípio serve para informar que o líder deve ser aquele que segue todas as regras, ou seja, que serve como exemplo para todos o seguirem.

Deve ser Educacional, porque este líder deve dialogar com aqueles que elas lideram, deve ser comuni- cativo de modo a ampliar a sua consciência política e com o diálogo poder saber as necessidades dos liderados para poder resolver os problemas ou conflitos existentes na sociedade.

Em contrapartida, nem tudo são flores, pois existem no mundo diversos casos de líderes que maquiam ou manipulam com falsidades ou incoerências pelo fato de mandar os liderados seguirem as condutas éticas, mas o próprio líder não as segue, a essa atividade denominamos Incoerência Ética.

A vida em sociedade deve seguir regras, condutas, ou seja, deve seguir a moral e a ética, e todas as nos- sas ações devem ser transparentes e objetivas, da mesma forma que todas as ações dos líderes devem ser feitas às claras porque os cidadãos têm o pleno direito de serem informados dos mandos e desmandos do Estado; e se não o forem, devem cobrar a responsabilidade do governo por todos os seus atos e vice-

versa.

Só que pensamos na questão mais ampla de viver em sociedade, mas e a sala de aula?

Se formos refletir sobre as regras morais e o comportamento ético em sala de aula, o que efetivamente deveríamos aprender, trabalhar ou executar como alunos e professores?

Existe alguma regra?

Código?

Lei de conduta dentro e fora da sala?

É claro que sim!

São chamadas de obrigações acadêmicas que temos a oportunidade de aprender a conviver com o outro,

a respeitar as ideias e opiniões de cada um, a saber que somos diferentes e que vamos agir e reagir de

formas diferentes a cada novo aprendizado, que o professor não é o senhor de toda a verdade, mas que está ali para ser respeitado para poder exercer o trabalho de orientar e ensinar seus alunos, consequen- temente essa seria a sala ideal e a boa convivência com todos.

Mas sabemos que existem diversos problemas nessas relações, ou seja, distorções às essas regras, que denominamos de indisciplina!

A professora Helena Viana (2013) já descreve indisciplina como descumprimento às regras de convivên-

cias comuns estabelecidas para um mesmo grupo.

Quer saber mais sobre este assunto?

visite as PáGinas

visite as PáGinas

Acesse o site e baixe o trabalho do Savio Gonçalves sobre “O ambiente em sala de aula e a ética no trabalho docente”. Acesse o link.

Veja também este artigo sobre “Qual é a causa do mau comportamento? Como pais, alunos e professores podem trabalhar juntos para contornar esse entrave da boa Educação” Acesse o link.

As condutas morais são regras de convivência social e estas podem estar associadas a um grupo, a um ambiente, a uma sociedade, enfim são formas de agir para evitar a indisciplina, o mal comportamento, os desvios de condutas.

Tais condutas obedecem a três princípios:

1. A auto obrigação - cada um tem o direito e o dever;

2. A universalidade - válidas para todos;

3. A incondicionalidade- são praticadas independente de alguma condição ou finalidade.

Volto a perguntar, os conceitos dessas condutas morais são estáticos?

Não! Você sabe por quê?

Porque varia com a sociedade, o que significa dizer que é um fenômeno social particular!

Há, portanto, muitas e diversas morais. Estas regras desde que foram criadas permanecem como dire- cionadores das ações do homem, caso não sejam cumpridas sempre vão existir por que independem do tempo e do homem.

É possível que uma conduta moral aceita em uma determinada sociedade não seja aceita em outra?

É claro que sim! Por exemplo: comer carne de cachorro é aceito na China e Coreia, mas é abolido no Brasil.

GUarde essa ideia! Segundo a professora Patrícia Silva (2005) é importante avaliar que uma norma

GUarde essa ideia!

Segundo a professora Patrícia Silva (2005) é importante avaliar que uma norma moral não pode ser considerada uma lei, apesar da semelhança, porque não está escrita, mas sim como base das leis, pois a grande maioria das leis é feita tendo em conta normas morais.

Assim entramos num conceito discutido pelo filósofo Hegel que era em relação à Moralidade, esta dividia:

em moralidade subjetiva e moralidade objetiva. Moralidade subjetiva seria o mesmo que o cumprimento do dever, pelo ato de vontade, já a moralidade objetiva está associada à obediência à lei moral enquanto fixada pelas normas, leis e costumes da sociedade, a qual representa ao mesmo tempo o espírito objetivo. Assim, para o convívio adequado em grupos sociais (trabalho, casa, restaurante, escola) se faz necessário aplicar as moralidades subjetivas e objetivas.

Você já se deparou com a seguinte situação: fez algo de errado e imediatamente sentiu culpa ou arrepen- dimento, com a sensação da “consciência pesada” e para resolver a situação você pratica algo bom, tipo uma boa ação para “recompensar o erro”?

A isso dá-se o nome de Consciência Moral.

Quando temos uma boa educação familiar convivemos em harmonia com a família, vizinhos e amigos em ambientes com pouco estresse ou preocupações, somos estimulados a convivermos bem com a consciên- cia moral. Caso haja alguns conflitos, por qualquer motivo a consciência sinaliza o acerto ou erro dos atos que praticamos.

veja o vídeo! Agora veja um trecho do filme - O Leitor - sobre um
veja o vídeo!
Agora veja um trecho do filme - O Leitor - sobre um julgamento e a discussão em rela-
ção a consciência moral que é capaz de mudar a realidade de muitas pessoas. O vídeo
tem a duração de seis minutos, assista e reflita acessando o link.
alGUMas doUtrinas éticas
alGUMas doUtrinas éticas

As várias discussões sobre a essência humana geraram o que podemos denominar de doutrinas que tinha como objetivo organizar as ideias dos pensadores e orientar a ação dos indivíduos para uma vida voltada para o bem, a virtude e a harmonia com a natureza e ao convívio em sociedade.

Também denominadas de doutrinas éticas fundamentais, estas foram divididas para as diferentes épocas

e

sociedades, ao longo da história da civilização humana dentro de um processo histórico de mudança

e

sucessão de respostas aos problemas que o homem enfrentou e enfrenta. Se existem mudanças na

vida social, existirão mudanças também na vida moral em relação as adaptações e/ou substituições dos princípios, valores ou normas.

Aqui falaremos das principais doutrinas segundo o professor Adolfo S. Vazquez (2002): Grega, Cristã Me- dieval, Moderna e Contemporânea.

Conheça uma a uma. Vamos começar!

ética Grega

O grande pensador desta época foi Sócrates que dividiu a construção da filosofia antes e depois dele.

Antes de Sócrates a preocupação era de se tentar entender o mundo, o universo e seu funcionamento. Depois dele os filósofos passaram a concentrar esforços na compreensão e no estudo do homem, na bus- ca de um saber prático, desenvolvendo a arte da retórica e a abordagem antropológica, reforçando a ideia da busca da felicidade que somente é alcançada através da prática do bem.

Platão contribuiu para a introdução do viés político e na construção da ideia de que a prudência desen- volveria a razão, a fortaleza desenvolveria a vontade e, finalmente, a temperança desenvolveria o apetite. Aristóteles focou seus estudos no desenvolvimento principalmente da teoria do ato e da potência, exem- plificando a virtude justiça como o meio termo entre o egoísmo e o esquecimento.

ética cristã Medieval

O Cristianismo como uma unidade social da sociedade se consolidando como a religião oficial de Roma no séc. IV, e origina a filosofia cristã permanecendo como estrutura que comandou a vida intelectual, econômica e social por mais de dez séculos.

Neste período a escravidão passou para servidão formando a estratificação e hierarquização da socieda- de e consolidando uma profunda fragmentação econômica e política. Consolida-se também o respeito a Deus, caracterizando-o como ser bom, onisciente e todo-poderoso, criador do mundo e do homem, e que era neste ser que todos deveriam buscar a essência da felicidade.

ética Moderna

É a doutrina Ética que se consolidou no século XVI e terminou no XIX, teve como Kant como filósofo mais marcante, devido principalmente à sua tendência antropocêntrica, em que o homem aparece no centro da política, da ciência, da arte e da moral.

Está caracterizada por:

Mudanças econômicas – devido principalmente as mudanças decorridas dos avanços da Revo- lução Industrial e as modificações nas relações capitalistas de produção;

Sociais – crescendo o poder da burguesia que só se importava com o crescimento de seu poder econômico e hegemonia política através de uma série de revoluções;

Estatais – as alterações com o crescimento das cidades e o fortalecimento da criação de gran- des estados modernos, únicos e centralizados;

Religiosas – se torna complementar deixando de ser a forma ideológica dominante. Transfe- rindo o centro de tudo, que antigamente era Deus, para o homem que se apresenta como o absoluto.

ética contemporânea

Esta é a doutrina que atualmente convivemos, por isso também é denominada de atual mesmo que con- tinuam sofrendo a influência de importantes filósofos do século XIX – como as de Kierkegaard, Stirner ou Marx.

Surgiu da necessidade de se adaptar a ética aos progressos científicos e técnicos, com os questionamen- tos da própria existência da humanidade e da criação de um novo sistema social – o socialismo, indo ao contrário dos preceitos de Kant na ética moderna e as teorias absolutistas de Hegel.

As doutrinas fundamentais da ética contemporânea são:

O Existencialismo - De Kierkegaard que confontrou Hegel sendo também chamado de“anti-He- gel”.

O Pragmatismo- Criado por S. Pierce, W. James e J. Dewey conhecida como filosofia anties- peculativa e atenta às questões práticas, marcada pelo egoísmo, e como mais uma versão do

subjetivismo e do irracionalismo.

Psicanálise e Ética- Fundada por Freud, que produziu diversas teses da psicanálise e do com- portamento humano.

O Marxismo- Fundada por Karl Marx, criticava as morais do passado e evidencia as bases teóricas e práticas de uma nova moral. O autor enfatizava que o home é um ser produtor, transformador, criador, social e histórico que merece desenvolver suas forças produtivas e das relações de produção, enfatizando as mudanças da base econômica, que traria consequências com mudanças na moral.

Neopositivismo e Filosofia Analítica - Aqui estão as doutrinas éticas mais recentes que con- centram esforços na análise da linguagem moral, tendo G.E. Moore como um dos principais autores.

a ética perante a modernidade
a ética perante a modernidade

Atuar eticamente diante de uma sociedade que cada vez mais muitos se esquecem ou evitam seguir re- gras e condutas, vai muito além de não roubar ou não fraudar a empresa. A ética em qualquer ambiente inclui as mais diversas “regras de convivência, inclui desde o respeito com que os colegas, amigos, pais, idosos, deficientes até o cuidado, afeto e carinho.

Por que a Ética é necessária e importante?

Porque a Ética é considerada o principal regulador do desenvolvimento evolutivo da humanidade, sem tais referências dos princípios humanitários fundamentais comuns a todos os povos, nações, religiões, etc., a humanidade já teria acabado.

Os seres humanos devem ser capazes de concordar minimamente entre si sobre princípios universais ensinados de geração em geração, como justiça, igualdade de direitos, dignidade da pessoa humana, cidadania plena, solidariedade etc.; sendo eles repassados na família em casa e pelos professores em sala, mas cabe a você, ou a cada ser humano optar por seguir estes princípios.

? ? ?
?
?
?

você sabia?

Caro (a) estudante, você conhece a Declaração universal que assegura tais direitos aos cidadãos?

Pois bem! A Declaração Universal dos Direitos Humanos estabelecida pela ONU (1948) é a prova docu- mental que a ética é necessária e importante, já que discrimina todos os princípios que os países e seus povos devem seguir, mas é preciso que cada cidadão e cidadã incorpore esses princípios como uma ati- tude prática diante da vida cotidiana, de modo a ser o regulador de seus comportamentos e assim tornar a vida em sociedade “civilizada”.

Na sociedade em que vivemos misturam-se raças e culturas diferentes com distintos valores e convicções religiosas em um mesmo espaço, é por via da educação que o homem deve desenvolver suas capacida- des, já que a moral se encontra presente na prática educativa dentro das escolas.

Para refletirencontra presente na prática educativa dentro das escolas. Assim, reflita seu papel no mundo e reflita

Assim, reflita seu papel no mundo e reflita sobre as dicas a seguir:

Seja honesto em qualquer situação;

Tenha coragem para assumir as suas decisões e as consequências destas decisões;

Seja tolerante e flexível;

Seja inovador, mas ouça os mais experientes;

Avalie as situações sem julgá-las antes;

Seja íntegro, ou seja, tente agir de acordo com os seus princípios; e

Seja humilde.

acesse o aMbiente virtUalAgora, você deve ir ao Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) e realizar as atividades referentes

Agora, você deve ir ao Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) e realizar as atividades referentes ao conteúdo aprendido nesta primeira unidade, na unidade um você deve realizar o questionário e o fórum avaliativo, fique atento as datas do cronograma da disciplina!

Caso tenha alguma dúvida você deve entrar em contato com o (a) tutor (a) para que as esclareça.

Encontramo-nos em breve na próxima unidade.

Até lá!

referências biblioGráficas

referências biblioGráficas

CORTELLA, Mário Sergio. A ética e a produção do conhecimento hoje. Disponível em: http://www.sau-

dez.

2016

Acesso

em:

5

SILVA, Patrícia Silva. Moral e Ética. Disponível em: http://www.notapositiva.com/resumos/filosofia/ moraletica.htm Acesso em: 5 dez. 2016.

SILVA, Fernanda Cintra Laureano. Ética: Conduta Ideal e Conduta Real. Disponível em http://www.lfg. com.br Acesso em: 5 dez. 2016.

VAZQUEZ, Adolfo Sánchez. Ética. Trad. João Dell’Anna. 23. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.