Sunteți pe pagina 1din 101

1

Introdução

P assarei para você o que Deus me mostrou em cinco dias de


revelação. Não escreverei mais detalhado porque não caberá em
um só livro, cuido eu que seria uma enciclopédia para caber toda a
revelação, mas com que eu vou lhe passar, dará uma noção
grandiosa do que Deus quer para nós.
Satanás tentará de tudo para desviar a sua atenção na leitura
desta revelação, por isso te peço que ore primeiro antes de ler
expulsando todos os demônios em sua volta para que a sua leitura
tenha um bom entendimento.
Nasci em Minas Gerais na cidade de Belo Horizonte e fui
criado por uma família maravilhosa que Deus me deu. Minha mãe
uma mulher temente a Deus me ensinou os passos para ser um
verdadeiro homem de Deus. Dou graças a Deus por ter uma mãe
tão abençoada que sempre elevou a minha coragem sendo eu, na
minha infância, muito medroso. Meu pai um homem com a
sabedoria fora do comum me educou de forma extraordinária me
dando o prazer de sempre me orgulhar ao vê-lo, infelizmente meu
pai sendo filho de pastor, se considera ateu, diz ele: _ "Sou ateu,
graças a Deus".
Mas isto não muda a minha fé de um dia vê-lo aos pés de
Jesus Cristo. Na casa de meus pais somos três irmãos: Eu (o do
meio) e duas irmãs. Sou casado com uma linda mulher que pela
graça de Deus me sinto um privilegiado, com ela tenho uma
maravilhosa filha e um maravilhoso filho que por sinal é a cara do
pai, minha filha minha ovelha não é porque ela é membro da
igreja porque o seu nome é Raquel que significa Ovelha, meu
filho generoso que tem o seu nome com este significado.
Quando eu era garoto com aproximadamente dezesseis
anos de idade, Deus me falou que traria uma revelação
bombástica, que mudaria todo o conceito existente em nossas
3

igrejas, esta revelação me traria poucos amigos, mas, assim


mesmo estava disposto a fazer a vontade de Deus.

Revelação

Esta revelação vai mudar totalmente sua postura de cristão,


lhe fazendo ter uma visão de águia e enxergará o mundo espiritual
como nunca enxergou.
Em um dia comum como as maiorias dos dias eu trabalhava
em uma construção de servente, e os pedreiros e os serventes que
ali trabalhavam eram cristãos, e estávamos conversando sobre um
assunto muito polêmico, falávamos sobre as diferencias sociais,
riquezas e pobrezas, eu estava em uma escada colocando massa
para reboco quando de repente os meus olhos saíram deste plano
físico como se eu estive vendo um filme e senti os meus olhos se
abrirem como um túnel que à medida que se aproximava.
A luz aumentava e os meus ouvidos se aguçaram comecei a ter
uma visão espiritual algo que eu nunca tinha visto sentido e
ouvido.
Muitas coisas começaram a surgir nesta visão como
lugares, pessoas, seres que eu nunca vi, e tudo que eu estava
vendo parecia ser tão reais e eu tinha muito medo daquilo.
Começava então a ter sentido em tudo e se encaixavam como um
quebra-cabeça e passei a entender o porquê de tanto sofrimento e
divisão entre o povo de Deus. Vi naquela visão um demônio de
alta patente nos púlpitos das igrejas cristãs, encurvado com os
braços abertos em direção a toda igreja, com o aspecto ameaçador
parecendo que estava a ponto de devorar a todos, e notei que o
culto estava amarrado, e as pessoas se sentindo livres e poderosas;
naquela hora da revelação me assustei por ver um demônio nos
4

púlpitos, e achei estranho em vê-lo dentro da igreja sem ser notado


por alguém, mas senti que tinha uma grande porta aberta para ele
pelo fato dele estar ali. Comecei então a ter medo, poderia eu estar
pregando no púlpito com um demônio na minha frente? Com
braços abertos olhando para a igreja, com o seu semblante terrível
de morte?
Como faz para tirar este demônio nos púlpitos? Tu terás
que primeiro aprender como que ele entrou na índole humana, e
como permaneceu implantado na humanidade, e depois aprenderá
como lutar contra este demônio sem que ele tenha êxito em sua
vida.

A pirâmide do sistema

Veja esta pirâmide, repare que há uma seta apontando para


uma pirâmide menor, este é o sistema de satanás; pode achar
estranho agora, mas primeiro, terá que ler na bíblia como a porta
foi aberta para satanás entrar, e implantar na humanidade o seu
sistema.
Gênesis 4.1-15.
"1. E Conheceu Adão a
Eva, sua mulher, e ela
concebeu, e teve a Caim, e
disse: Alcancei do Senhor um
varão.
2. E teve mais a seu irmão
Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi
lavrador da terra.
3. E aconteceu, ao cabo de dias, que Caim trouxe do
fruto da terra uma oferta ao Senhor.
4. E Abel também trouxe dos primogênitos das suas
ovelhas e da sua gordura. E atentou o Senhor para
Abel e para a sua oferta,
5

5. Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E


irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o seu
semblante.
6. E o Senhor disse a Caim: Por que te iraste? E por
que descaiu o teu semblante?
7. Se bem fizeres, não haverá aceitação para ti? E,
se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e para ti
será o seu desejo, e sobre ele dominarás.
8. E falou Caim com o seu irmão Abel; e sucedeu
que, estando eles no campo, se levantou Caim
contra o seu irmão Abel e o matou.
9. E disse o Senhor a Caim: Onde está Abel, teu
irmão? E ele disse: Não sei; sou eu guardador do
meu irmão?
10. E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue do
teu irmão clama a mim desde a terra.
11. E agora maldito és tu desde a terra, que abriu a
sua boca para receber da tua mão o sangue do teu
irmão.
12. Quando lavrares a terra, não te dará mais a sua
força; fugitivo e vagabundo serás na terra.
13. Então disse Caim ao Senhor: É maior a minha
maldade que a que possa ser perdoada.
14. Eis que hoje me lanças da face da terra, e da tua
face me esconderei; e serei fugitivo e vagabundo na
terra, e será que todo aquele que me achar me
matará.
15. O Senhor, porém, disse-lhe: Portanto, qualquer
que matar a Caim, sete vezes será castigado. E pôs
o Senhor um sinal em Caim, para que o não ferisse
qualquer que o achasse. (João Ferreira de Almeida, Revista
e corrigida).
6

No versículo sete veremos a porta que satanás entrou.


Neste versículo satanás sabendo que o pecado jaz a porta, ele
levantou na vida de Caim para que não fizesse o bem, e assim
satanás entraria no mundo físico, era o que ele tanto queria ter, o
poder de dominar, e satanás fez com que Caim abrisse esta porta
para ele. Fez com que Caim selasse esta maldição com o primeiro
sacrifício humano (v8), para que este sistema tivesse uma grande
porta no mundo espiritual para o mundo físico, em que ele
pudesse trabalhar com liberdade.
Houve um desencadear de demônios sobre toda terra nos
versículos 10,11e 12 a maldição se alastrou por toda terra e com
isto Principados, potestades, dominadores das trevas e hostes
espirituais da iniqüidade que se alojaram também nas regiões
celestes (Efésios 6.12).
A voz de Abel clamou a Deus estando já sacrificado. Veja a
porta feita, a voz de Abel clamou depois de morto na terra, a voz
ecoou do mundo físico ao mundo espiritual. Logo depois a terra
abriu a sua boca para receber a maldição(v11), o sangue de Abel
foi engolido pela terra deste aquele dia até os dias de hoje. Por
causa deste sistema se morre Milhões de pessoas.
Veja a pirâmide novamente,
Dominante
agora coloquei o nome dominante na
pequena pirâmide superior, e na
base da grande pirâmide os
dominados. A partir de agora
começarás a entender o sistema
satânico. A seta indica quem serve
quem, o dominado serve o
Dominado
dominante.
Para melhor entender, farei uma cadeia alimentar, aquilo que se
aprende nas escolas, no mundo animal o maior devora o menor, o
mais forte se alimenta do mais fraco. Sendo que no topo da cadeia
alimentar sempre ficava o homem. Exemplo: "O gafanhoto come
7

vegetação, o sapo come o gafanhoto, a cobra come o sapo, o


homem come a cobra".
Nesta cadeia o maior devora o menor, e em todas as cadeias
alimentares que fizermos o maior se alimenta do menor. Em todas
as cadeias alimentares o homem está presente, se alimentando de
quase todos. Por isso Deus estabeleceu que o homem dominaria a
cadeia alimentar, Gênesis 1.26.
"E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem,
conforme a nossa semelhança; e domine sobre os
peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o
gado, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se
move sobre a terra."
Em Eclesiastes 3.18-20
18 Disse eu no meu coração: é por causa dos
filhos dos homens, para que Deus possa prová-los, e
eles possam ver que são em si mesmos como os
animais.
19 Porque o que sucede aos filhos dos homens,
isso mesmo também sucede aos animais; a mesma
coisa lhes sucede: como morre um, assim morre o
outro, todos têm o mesmo fôlego; e a vantagem dos
homens sobre os animais não é nenhuma, porque
todos são vaidade.
20. Todos vão para um lugar; todos são pó, e
todos ao pó tornarão."
Os filhos dos homens (incrédulos) são como os animais, a mesma
morte que acontece aos animais acontece também com os filhos
dos homens, mas uma morte de vaidade. No versículo 20 fala que
todos voltarão para o pó (terra), veja ai à maldição do passado
gerando sangue na terra.
Deus estabeleceu ao homem dominar a terra e os animais;
da vegetação nós alimentamos, dos animais nós alimentamos, dos
homens nós compartilhamos. Satanás viu que o homem tinha o
8

poder de dominar sobre a terra porque Deus dissera; então ele quis
apoderar do homem para ter este domínio sobre o homem e a terra
e daí estabeleceria o seu reino.
O homem perdeu as posses terrenas para satanás, logo que
o homem pecou foi expulso da sua terra (Jardim do Éden) desde
então trabalha para se alimentar da terra, pelo seu erro teve que
pagar de um jeito ou de outro.
Satanás estabeleceu em seu governo que o mais forte se
alimenta do mais fraco, exemplo: O mais forte impõe o mais fraco
a trabalhar para sustentá-lo. Dominados serve os dominantes. Na
economia se aprende sobre a pirâmide social a base estão os
pobres e são eles os que sustentam a elite.
Esta seta para o sistema tem sempre que estar nesta
posição, o menor servindo o maior, pois se tentar mudar é morto
pelo sistema, por que satanás impõe somente esta posição.
Satanás antes de ser condenado, Dominante
tinha uma posição de destaque no
céu pela palavra de Deus em
Ezequiel 28.14-19 que nos diz:
14. Tu eras querubim
ungido para proteger, e te
estabeleci; no monte santo
de Deus estavas, no meio Dominado
das pedras afogueadas
andavas.
15. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em
que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti.
16. Na multiplicação do teu comércio se encheu o
teu interior de violência, e pecaste; pelo que te
lançarei profanado fora do monte de Deus, e te farei
perecer, querubim protetor, entre pedras
afogueadas.
9

17. Elevou-se o teu coração por causa da tua


formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa
do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis
te pus, para que olhem para ti.
18. Pela multidão das tuas iniqüidades, pela
injustiça do teu comércio profanaste os teus
santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo,
que te consumiu a ti, e te tornei em cinza sobre
terra aos olhos de todos os que te vêem.
19. Todos os que te conhecem entre os povos estão
espantados de ti; em grande espanto te tornaste, e
nunca mais serás para sempre.
No versículo 17 nos fala que depois de se corromper, Deus
o lançou por terra e o colocou diante dos reis (dominantes) para
que o olhem como referência de domínio.
No versículo 18 o sistema de satanás é injusto no seu
comércio, sendo que o maior rouba do menor. Ele profanou a ética
de Deus, que do suor do seu rosto comerás.
No versículo 19 nos mostra este espanto nos povos, por
causa do domínio.
Verás que no próximo texto bíblico Deus expressamente
mostra o sistema sendo quebrado pelo dito contra o rei de
Babilônia, satanás teve que ouvir o dito porque neste texto o rei da
Babilônia é ele. Entre versículo vou explicar a passagem, e
colocarei algumas palavras sublinhadas para que possa entender
que Deus mostra o sistema de satanás. Texto Isaias 14.3-20.
3. E acontecerá que no dia em que Deus vier a dar-
te descanso do teu trabalho e do teu tremor, e da
dura servidão com que te fizeram servir,
Quando Deus aparecer no céu, satanás terá que
parar com o sistema.
10

4. Então proferirás este dito contra o rei de


Babilônia, e dirás: Como cessou o opressor! A cidade
dourada acabou!
Cessará o sistema de opressão, e as riquezas do
mundo não terão mais valor.
5. Já quebrantou o Senhor o bastão dos ímpios e o
cetro dos dominadores.
Deus quebrará a autoridade e domínio do sistema
satânico.
6. Aquele que feria os povos com furor, com praga
incessante, o que com ira dominava as nações,
agora é perseguido, sem que alguém o possa
impedir.
Veja mais uma vez que satanás com seu domínio de
morte e furor, terá que sair da seta do sistema,
porque será quebrada.
7. Já descansa, já está sossegada toda a terra!
exclamam com júbilo.
A terra não terá mais sangue humano sobre ela, o
sistema caiu.
8. Até as faias se alegram sobre ti, e os cedros do
Líbano, dizendo: Desde que tu caíste ninguém sobe
contra nós para nos cortar.
Aqueles que eram contra o sistema quando ela cair
não mais serão mortos.
9. O inferno desde o profundo se turbou por ti, para
te sair ao encontro na tua vinda; despertou por ti os
mortos, e todos os príncipes da terra, e fez levantar
dos seus tronos a todos os reis das nações.
Quando o sistema de satanás for derrotado, tentará o
inferno reunir os mortos, príncipes e reis de toda terra para
restaurar o sistema.(Apocalipse 20.7-10).
11

10. Estes todos responderão, e te dirão: Tu também


adoeceste como nós, e foste semelhante a nós.
O sistema já estará doente (com falhas) e todos estarão
desanimados.
11. Já foi derribada no inferno a tua soberba com o
som dos teus alaúdes; os bichinhos debaixo de ti se
estenderão, e os bichos te cobrirão.
O sistema será lançado no inferno.
12. Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da
alva! Como foste lançado por terra, tu que
debilitavas as nações!
Deus lembra a satanás de que forma ele foi lançado fora do
céu para terra.
13. E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu,
acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e
no monte da congregação me assentarei, da banda
dos lados do norte.
14. Subirei acima das mais altas nuvens, e serei
semelhante ao Altíssimo.
15. E contudo levado serás ao inferno, ao mais
profundo do abismo.
Deus mostra que satanás queria estar na posição de todo
poderoso (Dominante), igual a Deus. Da mesma forma que ele foi
lançado fora do céu para terra, ele será lançado da terra para o
inferno sem direito de voltar.
16. Os que te virem te contemplarão, considerar-te-
ão, e dirão: É este o varão que fazia estremecer a
terra, e que fazia tremer os reinos?
17. Que punha o mundo como um deserto, e
assolava as suas cidades? que a seus cativos não
deixava ir soltos para suas casas?
18. Todos os reis das nações, todos eles, jazem com
honra, cada um na sua casa.
12

Aqui mostra mais uma vez que o sistema de satanás será


quebrado e os reinos da terra não terá mais o sistema.
19. Mas tu és lançado da tua sepultura, como um
renovo abominável, como um vestido de mortos
atravessados à espada, como os que descem ao
covil de pedras, como corpo morto e pisado.
20. Com eles não te reunirás na sepultura; porque
destruíste a tua terra e mataste o teu povo, a
descendência dos malignos não será nomeada para
sempre.
Nestes dois versículos nos mostra que satanás na sua
tentativa de restabelecer o sistema ele não terá ajuda porque a terra
não terá a humanidade para o restabelecimento do sistema. Deus
já estabelecera na sua palavra que Ele destruiria o poder
dominante de satanás o cetro do sistema. Isaias 14.5. "Já
quebrantou o Senhor o bastão dos ímpios e o cetro
dos dominadores”.

Suméria a primeira civilização do sistema

A audácia de satanás foi tão grande que quis confrontar a


Deus fazendo nascer o sistema numa civilização que habitava nas
terras onde Deus criara o homem, o homem fora feito no Jardim
do Éden, sua localidade era entre os rios Eufrates e o Tigre.
-4000 a.C. - O marco da Antiguidade é o surgimento da escrita.
O primeiro sistema de escrita, o pictográfico, aparece na
Mesopotâmia (atual Iraque) e utiliza pequenos desenhos
simplificados (pictogramas) para representar a realidade.
-3250 a.C.-1950 a.C. - Os sumérios instalam-se no sul da
Mesopotâmia onde atualmente corresponde à região do Iraque
entre Korna e uma Linha de Kutal-'Amara a Bahr Nedjif, ao norte.
13

Colonizam o vale do rio Eufrates e dão origem às primeiras


cidades-estados do Crescente Fértil: Ur, Uruk, Eridu, Nippur, Kish
e Lagash. Estabelecem técnicas de irrigação e drenagem do solo,
constroem canais, diques e reservatórios.
Criam a escrita cuneiforme - gravação de figuras com
estilete sobre tábua de argila, fazem cerâmica e escultura de pedra
e metal. Utilizam templos de elaborada arquitetura como centro
político, econômico e religioso. Politeístas, cultuam divindades da
natureza e deuses associados aos sentimentos.
Em 2300 a.C. os sumérios são dominados pelos acadianos.
Recuperam o poder em 2050 a.C., mas são derrotados pelos
amoritas (povo semita do norte) e pelos elamitas (originários da
Pérsia).
Ainda pode se dizer que é um mistério a origem e a
extinção dos sumerianos, mas a sua cultura, forma econômica e
governo influenciaram o mundo todo e até hoje temos em nosso
cotidiano o toque dos sumerianos, por exemplo, a escrita que
temos hoje veio da cultura suméria.
A economia tinha por base a agricultura e o comércio e é o
que todos os países hoje têm a sua economia alicerçada. A
Suméria se caracterizou pela formação de uma civilização urbana.
Foi um povo que dominou a forma de cultivar plantações
com irrigações, que para a época era bem avançada, e até hoje
usamos a mesma forma de irrigação, por isso a Suméria tinha
como comercializar com outros povos o seu produto, e era
considerada uma civilização dominante.
Os sumerianos dominaram a arte de fundição de metais
como o ouro, a prata e o bronze, e em regiões longínquas acharam
os trabalhos feitos pelos os sumerianos, também os sumerianos
tinham a arte das cerâmicas e se tem achados a várias regiões estes
trabalhos, em todo o reino havia várias construções de templos e
instalações hidráulicas e também a autora do primeiro código
jurídico conhecido.
14

Por volta de 2800 a.C. a Suméria ficou dividida num


grande número de pequenos reinos, cada qual sob a proteção de
um deus local. Eridu, Ur, Lagash,
Uruk, Umma etc, o mais
interessante é que do reino de Ur é
que nasceu Abrão, e foi de lá que o
Deus todo poderoso o escolheu para
ser um povo diferente do sistema.
Gênesis 11.31
31 E tomou Tera a Abrão, seu filho,
e a Ló, filho de Arã, filho de seu
filho, e a Sarai, sua nora, mulher de
seu filho Abrão, e saiu com eles de
Ur dos caldeus, para ir à terra de
Canaã; e vieram até Harã e
habitaram ali.
Deus sempre faz surgir do pecado a
graça (Romanos 5.20). Na terra de
Ur foi achado um deus que nos mostra o como satanás é
confrontador, um carneiro negro de pé sobre uma árvore
desfolhada, para mim isto significa satanás tendo vitória sobre a
Árvore da Vida, ele sabia que além da árvore da ciência do bem e
do mal, havia também a arvore da vida, Gênesis 2.9 " E o
Senhor Deus fez brotar da terra toda a árvore
agradável à vista e boa para comida, e a árvore da
vida no meio do jardim, e a árvore da ciência do
bem e do mal." Esta árvore com certeza é Jesus Cristo.
Apocalipse 22.14 "Bem-aventurados aqueles que lavam
as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que
tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na
cidade pelas portas". Satanás é conhecedor das coisas do céu
porque ele já esteve lá antes da queda de Adão, e esta afronta de
um carneiro de pé sobre uma árvore é de alguém que já conhecia
15

os significado da árvore da vida, se observamos a árvore tem o


formato de uma cruz.
Mais uma vez satanás se enganou, achando que teria vitória
no confronto com o Filho do Deus vivo; Jesus foi o que teve a
vitória para todo o sempre.
Deus chamou Abrão para dele fazer uma nação diferente do
sistema. Gênesis 12.1-3
1. ORA, o Senhor disse a Abrão: Sai-te da tua terra,
e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a
terra que eu te mostrarei.
2. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e
engrandecerei o teu nome, e tu serás uma bênção.
3. E abençoarei os que te abençoarem e
amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão
benditas todas as famílias da terra.
Deus tirou Abrão da terra do pecado para ser pai de uma grande
nação, que seria diferente das nações do sistema.
16

O sistema no Egito

A revelação não para,


Deus tem pressa em passar
para o seu povo o que satanás
tem feito a milhares de anos e
está fazendo até hoje.
No Egito milhares de
pessoas eram escravizadas
trabalhava em um grande
monumento as pirâmides do Egito, nesta terra ouve o grande
marco na história da humanidade, não foi um marco feliz, mas de
mortes e maldições.
Repare as pirâmides e veja aquilo que eu vi! Escravos,
sofrimento, dor, morte, medo, ao pé da pirâmide, todos os
trabalhadores dominados tinham que trabalhar a força se não era
castigados ou mortos, quantas famílias destruída pelo bel prazer
de um dominante. Veja, a pirâmide tem o mesmo formato
triangular do sistema satânico, e sempre os dominados trabalhão
para o sistema, veja satanás ai nestas construções.
No Egito o povo serviu ao sistema e houve muita dor e
morte, mas para sair livre tiveram que crer no milagre, pois o
milagre foi implantar no sistema alguém que pudesse tirar o povo
da escravidão.
Quando sistema se sentiu ameaçado, veio à ordem do
dominante (Faraó) que as parteiras matassem os meninos recém-
nascidos para que o sistema não fosse desfeito, (Êxodo 1.15,16) as
parteiras não ouviram a voz do sistema (Êxodo 1.17), satanás
sabia que o sistema seria quebrado por um homem, mas não sabia
quando (Gênesis 3.15 "E porei inimizade entre ti e a
mulher e entre atua semente e a sua semente; esta
te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”), mas
17

quem pode impedir plano do Deus Todo Poderoso para libertação


do seu povo?
Deus implanta no sistema um homem chamado Moises que
significa tirado das águas, Moises não foi rei e nem dominante,
mas sim amigo de Deus (Êxodo 33.11), ele conduziu o povo para
a liberdade, e fez a vontade do Senhor. (Êxodo 2.1-10).
1 E FOI-se um varão da casa de Levi e casou com
uma filha de Levi.
2 E a mulher concebeu, e teve um filho, e, vendo
que ele era formoso, escondeu-o três meses.
3 Não podendo, porém, mais escondê-lo, tomou
uma arca de juncos e a betumou com betume e pez;
e, pondo nela o menino, a pôs nos juncos à borda do
rio.
4 E sua irmã postou-se de longe, para saber o que
lhe havia de acontecer.
5 E a filha de Faraó desceu a lavar-se no rio, e as
suas donzelas passeavam pela borda do rio; e ela
viu a arca no meio dos juncos, e enviou a sua criada,
e a tomou.
6 E, abrindo-a, viu ao menino, e eis que o menino
chorava; e moveu-sede compaixão dele, e disse:
Dos meninos dos hebreus é este.
7 Então disse sua irmã à filha de Faraó: Irei eu a
chamar uma ama das hebréias, que crie este
menino para ti?
8 E a filha de Faraó disse-lhe: Vai. E foi-se a moça e
chamou a mãe do menino.
9 Então lhe disse a filha de Faraó: Leva este menino
e cria-lo; eu te darei teu salário. E a mulher tomou o
menino e criou-o.
18

10 E, sendo o menino já grande, ela o trouxe à filha


de Faraó, a qual o adotou; e chamou o seu nome
Moisés, e disse: Porque das águas o tenho tirado.
Deus colocou no meio dos dominantes um homem da
classe dos dominados para desafiar com fé e vencer esta seta
demoníaca e é a única forma que Deus estabeleceu para mostrar
aos dominantes que Ele é Deus todo poderoso, sempre vencer pela
fé.
Deus sempre libertou o seu povo da mão dos dominantes
com milagres e se nós quiséssemos estar livre, é só crermos no seu
milagre, e assim seremos totalmente livre.
O povo terá por Deus o único digno de adoração e
submissão.(Êxodo 6.6,7)
6 Portanto, dize aos filhos de Israel: Eu sou o
Senhor, e vos tirarei de debaixo das cargas dos
egípcios, vos livrarei da sua servidão e vos
resgatarei com braço estendido e com juízos
grandes.
7 E eu vos tomarei por meu povo, e serei vosso
Deus; e sabereis que eu sou o Senhor vosso Deus,
que vos tiro de debaixo das cargas dos egípcios;
No Período Neolítico, tribos nômades indo-européias
instalam-se na região do vale do rio Nilo, onde constroem cidades-
estados, como Tebas, Memphis e Tânis.
Estabelecem um Estado unificado por volta de 3200 a.C. e
introduzem uma monarquia centralizada no faraó, soberano
hereditário, absoluto e considerado a encarnação divina o efeito do
sistema de satanás colocou um homem em um deus.
As cidades-estados são transformadas em nomos, divisões
administrativas da monarquia governadas por nomarcas. Até 2700
a.C., o Egito mantém-se relativamente isolado. Por volta de 2000
a.C. dá os primeiros passos para romper esse isolamento.
19

Realiza incursões contra os beduínos do Sinai e conquista


suas minas de cobre e pedras preciosas.
A invasão dos hicsos, de origem caucasiana, interrompe
essa expansão. O Egito expulsa os hicsos em 1600 a.C. e, em
seguida, conquista Síria, Palestina, Mesopotâmia, Chipre, Creta e
ilhas do mar Egeu. Em 332 a.C. passa a integrar o Império
Macedônico e, a partir de 30 a.C., o Império Romano.
A agricultura e o comércio de produtos naturais são à base
da economia. Desenvolvem técnicas de irrigação e de construção
de barcos tendo o sistema originário dos sumérios.
Com a unificação, a propriedade da terra passa dos clãs ao
faraó, aos nobres e aos sacerdotes.
Os membros dos clãs são transformados em servos, que
trabalham nas minas, na construção de palácios, templos e
monumentais pirâmides de pedra (túmulos dos faraós). Os
egípcios empregam a técnica de mumificação de corpos com idéia
de permanecerem eternos, esta forma é que satanás tentará fazer
ter o seu reino eterno.
Fazem o primeiro calendário lunar e destacam-se na
astronomia, na engenharia e nas artes. Lançam os fundamentos da
geometria e do cálculo e criam a escrita hieroglífica (com
ideogramas).
Politeístas, cultuam o deus Sol e representam as divindades
com formas humanas, foi desta adoração que a igreja Católica se
manteve idolatrando ídolos humanos.

A idolatria pertence ao sistema

Satanás conseguiu implantar o sistema na índole humana,


vemos na história que o homem se tornou necessitado de uma
figura dominante para se sentir protegido e seguro, o homem tem
20

medo daquilo que não se possa ver, por isso precisa de uma
imagem para se assegurar de onde está vindo sua proteção.
Moises tinha subido ao monte para conversar com Deus e
trazer a ordem para povo naquilo que Deus queria, mas o povo se
sentiu desprotegido por não ter a figura de um dominante, tiveram
a necessidade de uma imagem para serem guiados.
Por não verem a Moises em poucos dias o povo passou a
não ver a Deus, por isso o sistema tomou conta do povo os
levando a apostasia, passando a não acreditar em Deus. Êxodo
32.1-8.
"1. MAS, vendo o povo que Moisés tardava em
descer do monte, ajuntou-se o povo a Arão, e
disseram-lhe: Levanta-te, faze-nos deuses, que vão
adiante de nós; porque quanto a este Moisés, a este
homem que nos tirou da terra do Egito, não
sabemos o que lhe sucedeu.
2. E Arão lhes disse: Arrancai os pendentes de ouro,
que estão nas orelhas de vossas mulheres, e de
vossos filhos, e de vossas filhas, e trazei-mos.
3. Então todo o povo arrancou os pendentes de
ouro, que estavam nas suas orelhas, e os trouxeram
a Arão,
4. E ele os tomou das suas mãos, e formou o ouro
com um buril, e fez dele um bezerro de fundição.
Então disseram: Estes são teus deuses, ó Israel, que
te tiraram da terra do Egito.
5. E Arão, vendo isto, edificou um altar diante dele;
e Arão apregoou, e disse: Amanhã será festa ao
Senhor.
6. E no dia seguinte madrugaram, e ofereceram
holocaustos, e trouxeram ofertas pacíficas; e o povo
assentou-se a comer e a beber; depois levantaram-
se a folgar.
21

7. Então disse o Senhor a Moisés: Vai, desce; porque


o teu povo, que fizeste subir do Egito, se tem
corrompido,
8. E depressa se tem desviado do caminho que eu
lhes tinha ordenado; fizeram para si um bezerro de
fundição, e perante ele se inclinaram, e
sacrificaram-lhe, e disseram: Estes são os teus
deuses, ó Israel, que te tiraram da terra do Egito."
(Verso 1) O povo não queria um deus, mas deuses, a
segurança é se um falhar tem o outro que pode ajudar, quanto
maior for o numero de deus melhor, a união faz a força. Que
mentira!
(Verso 2) A imagem foi feita de ouro para que o deus
bezerro fosse poderoso, aí vemos que o sistema dá mais honra o
que tem valor mundano do que valor celestial, o ouro é de difícil
posse e quando se tem, faz com que seja colocado em honra.
Muitos querem deus mundo do que Deus que criou o mundo.
O mundo se pode ver com os olhos carnais, mas Deus não.
(Verso 8) O sistema cresce em mentiras Deus faz o milagre e a
glória vai para outro. Tomemos cuidados para não dar a gloria de
Deus para outros.
Irei usar textos da bíblia católica os livros apócrifos, para
lhe mostrar que até lá Deus condena a idolatria.
Apesar destes livros por não terem sido considerados
canônicos, mas tem muita profundidade de pensamentos que nos
levam a considerá-los inspirados pelo Espírito Santo.
Faça a leitura de todo o texto, não ignore por ser tão
confrontante, porque isto vai te mostrar que o texto apesar de não
serem usados pelos protestantes, não quer dizer que não seja de
Deus, foi Ele que me mandou que mostrasse a verdade em todo o
canto, seja aonde for.

A IDOLATRIA SE IMPÕE PELO MEDO.


22

Judite 2.14-28
Esta passagem dá com maior clareza, que o sistema se vence pela
a imposição. Assim é a idolatria.

CONSEQÜÊNCIAS DA IDOLATRIA.
Baruc 4.5-8
5. Coragem, meu povo, você que leva o nome de
Israel!
6. Vocês foram vendidos às nações, não para serem
destruídos; mas, porque vocês provocaram a ira de
Deus, então foram entregues aos inimigos.
7. Vocês irritaram o seu criador, sacrificando aos
demônios, e não a Deus;
8. vocês esqueceram o Deus eterno que os
alimentou e provocaram a tristeza de Jerusalém que
sustentou vocês.

CONSEQÜÊNCIAS DA IDOLATRIA.
Sabedoria 11.15-26
15. Por causa dos raciocínios insensatos da injustiça
deles, erraram e adoraram répteis privados de razão
e animais desprezíveis. Como castigo, enviaste a
eles multidões de animais irracionais,
16. para aprenderem que cada um é castigado
através daquilo mesmo com que peca.
17. Para a tua mão onipotente, que da matéria
informe criou o mundo, não teria sido difícil mandar
contra eles bandos de ursos e leões ferozes,
18. ou feras desconhecidas e recém-criadas, cheias
de furor, espirando hálito de fogo e expelindo
turbilhões de vapor pestilento, e lançando pelos
olhos relâmpagos terríveis.
23

19. Animais que não só poderiam exterminá-los com


o seu furor, mas aniquilá-los somente com seu
aspecto apavorante.
20. Mesmo sem nada disso, poderiam sucumbir com
um sopro apenas, perseguidos pela justiça e
espalhados pelo sopro do teu poder. Mas tudo
dispuseste com medida, número e peso.
21. Prevalecer com a força é sempre possível para
ti. Quem poderia opor-se ao poder do teu braço?
22. O mundo inteiro diante de ti é como grão de
areia na balança, como gota de orvalho matutino
caindo sobre a terra.
23. Todavia, tu tens compaixão de todos, porque
podes tudo, e não levas em conta os pecados dos
homens, para que eles se arrependam.
24. Tu amas tudo o que existe, e não desprezas
nada do que criaste. Se odiasses alguma coisa, não
a terias criado.
25. De que modo poderia alguma coisa subsistir, se
tu não a quisesses? Como se poderia conservar
alguma coisa se tu não a tivesses chamado à
existência?
26. Tu, porém, poupas todas as coisas, porque todas
pertencem a ti, Senhor, o amigo da vida.

INUTILIDADE DOS ÍDOLOS.


Sabedoria 13.10-19
10. Infelizes também são aqueles que depositam
sua esperança em coisas mortas, e que invocam
como deuses as obras de mãos humanas: coisas de
ouro e prata, trabalhadas com arte, figuras de
24

animais, ou uma pedra sem valor, obra de mão


antiga.
11. Um carpinteiro, por exemplo, serra uma árvore
fácil de manejar. Depois lhe tira cuidadosamente
toda a casca, trabalha a madeira com habilidade e
fabrica um móvel, útil para as necessidades da vida.
12. Terminado o trabalho, ele recolhe as sobras da
madeira, as emprega para preparar a comida, e se
farta.
13. Da sobra de tudo, que não serve para nada,
madeira retorcida e cheia de nós, ele a pega e a
esculpi nos momentos de lazer. Para se distrair,
modela a madeira com capricho, e lhe dá o formato
de um homem,
14. ou então a forma de algum animal desprezível.
Depois pinta o ídolo de vermelho e cobre de massa
todos os seus defeitos.
15. A seguir, prepara-lhe um nicho digno dele, e o
coloca na parede, prendendo-o com um prego.
16. Toma esses cuidados para que não caia,
sabendo que o ídolo não pode cuidar de si mesmo: é
apenas uma imagem, e precisa de ajuda.
17. Entretanto, logo em seguida lhe dirige orações
por seus bens, casamento e filhos, sem se
envergonhar de ficar falando com uma coisa sem
vida. Para a saúde, invoca o que é frágil.
18. Para a vida, faz súplicas àquilo que é morto.
Para um auxílio, pede ajuda àquilo que não tem
experiência. Para uma viagem, dirige-se a quem não
pode dar um passo.
25

19. Para seus negócios, trabalhos e sucesso nos


empreendimentos, pede forças a quem não tem
força nenhuma nas mãos.

Sabedoria 14
1. Outro, lançando-se ao mar para navegar sobre
ondas encrespadas, invoca um ídolo de madeira,
mais frágil do que o barco que o transporta.
2. Ora, o barco foi criado pela ânsia de lucro, e foi a
perícia técnica que o construiu.
3. Mas é a tua providência, ó Pai, que o pilota, pois
também no mar abriste um caminho, uma rota
segura entre as ondas.
4. Isso fizeste para mostrar que tu podes salvar de
tudo, e assim, mesmo sem experiência, qualquer
pessoa possa embarcar.
5. Tu não queres que as obras da tua sabedoria não
sirvam para nada. Por isso os homens confiam suas
próprias vidas a um pequeno pedaço de madeira,
atravessam as ondas numa frágil embarcação, e
chegam a salvo no destino.
6. De fato, no princípio, quando pereciam os
orgulhosos gigantes de outrora, a esperança do
mundo se refugiou num pequeno barco que,
pilotado por tua mão, transmitiu para o mundo a
semente da vida.
7. Bendita seja a madeira pela qual vem a justiça!
8. Contudo, maldito seja o ídolo feito por mãos humanas e aquele
que o fabricou. Este, por tê-lo feito; e o ídolo, porque, sendo
corruptível, foi considerado como deus.
9. Sim, porque Deus odeia tanto o idólatra como a
idolatria.
26

10. A obra será castigada com o seu autor.


11. Por isso, o julgamento atingirá também os ídolos
das nações. Porque, entre as criaturas de Deus, eles
se tornaram abomináveis, escândalo para as almas
dos homens, e armadilha para os pés dos
insensatos.

ORIGEM DO CULTO AOS ÍDOLOS.


12. A invenção dos ídolos foi o começo da
prostituição e a descoberta deles introduziu a
corrupção na vida.
13. Eles não existiam no princípio, e não existirão
para sempre.
14. Entraram no mundo por causa da vaidade dos
homens, e por isso o seu fim rápido já está
decretado.
15. Um pai, atormentado por um luto prematuro,
manda fazer uma imagem do filho tão cedo
arrebatado. Agora honra como deus aquele que
antes era apenas um homem morto, e transmite
para as pessoas de sua casa ritos secretos e
cerimônias.
16. Com o tempo, esse costume ímpio se vai
arraigando, e é observado como lei.
17. Era ainda por ordem dos soberanos que se
prestava culto às estátuas. Como os súditos que
viviam longe não podiam honrá-los pessoalmente,
reproduziram sua figura distante, fazendo uma
imagem visível do rei que veneravam. Desse modo,
adulavam o ausente, como se estivesse presente.
27

18. A ambição do artista promoveu esse culto,


mesmo entre aqueles que não conheciam o
soberano.
19. De fato, querendo talvez agradar ao soberano, o
artista se esforçou, com sua arte, para torná-lo
ainda mais atraente do que na realidade era.
20. A multidão, atraída pelo encanto da obra,
considera agora objeto de adoração aquele a quem
antes honravam apenas como homem.
21. Isso tornou-se cilada para o mundo: homens,
escravizados pela desgraça ou pelo poder,
impuseram à pedra e à madeira o Nome
incomunicável.

A IDOLATRIA É A FONTE DA CORRUPÇÃO.


22. Não bastou a esses homens errar no
conhecimento de Deus. Eles vivem também na
grande guerra da ignorância, e dão ainda a esses
males o nome de paz.
23. Celebram iniciações onde matam crianças ou
realizam mistérios ocultos, ou ainda fazem
banquetes orgiásticos com rituais estranhos.
24. Não conservam pura nem a vida, nem o
casamento, e cada um elimina o outro por traição
ou aflige-o com adultério.
25. Por toda parte há uma grande confusão, sangue
e crime, roubo e fraude, corrupção e deslealdade,
revolta e perjúrio,
26. perseguição contra os bons e esquecimento da
gratidão, impureza das almas e perversão sexual,
desordens no casamento, adultério e libertinagem.
28

27. A adoração de ídolos sem nome é princípio,


causa e fim de todo o mal.
28. De fato, os idólatras entregam-se a
divertimentos até o delírio, ou profetizam a mentira,
ou vivem na injustiça, ou perjuram com facilidade.
29. Colocando sua confiança em ídolos sem vida,
eles não esperam castigo nenhum por terem jurado
falso.
30. A sentença, porém, os atingirá por dois motivos:
porque, seguindo os ídolos, tiveram falsa concepção
de Deus, e porque, desprezando a santidade,
juraram falso.
31. De fato, o que persegue sempre a transgressão
dos injustos não é o poder daqueles por quem se
jura, mas o castigo mesmo, que é reservado aos
pecadores.

O POVO DE DEUS NÃO ADORA ÍDOLOS.


Sabedoria 15.1-6.
1. Tu, porém, nosso Deus, és bom e fiel, és paciente
e governas tudo com misericórdia.
2. Mesmo pecando, nós somos teus e conhecemos o
teu poder. Sabendo que pertencemos a ti, não
pecaremos mais.
3. A justiça perfeita está em conhecer a ti, e
conhecer que o teu poder é a raiz da imortalidade.
4. Não nos extraviamos com a invenção humana de
uma arte pervertida, nem com o trabalho estéril dos
pintores, que pintam suas imagens com várias
cores.
29

5. Elas despertam a paixão dos insensatos, que


ficam entusiasmados com a forma inerte de uma
imagem morta.
6. Aqueles que fazem, desejam e adoram os ídolos,
são amantes do mal e dignos da esperança que os
ídolos trazem.

INSENSATEZ DOS IDÓLATRAS.


Sabedoria 15.14-19.
14. Mas os inimigos que oprimiram o teu povo são
muito mais insensatos e infelizes que a alma de uma
criança.
15. De fato, eles consideraram como deuses todos
os ídolos dos pagãos. Os olhos desses ídolos não os
ajudam a ver, nem o nariz a respirar o ar, nem os
ouvidos a ouvir, nem os dedos das mãos a apalpar,
e seus pés são incapazes de caminhar.
16. Porque foi um homem quem os fez. Quem os
modelou foi um ser que recebeu a respiração por
empréstimo. Nenhum homem pode plasmar um
deus que lhe seja semelhante,
17. pois, sendo mortal, suas mãos ímpias só podem
produzir um cadáver. O homem é melhor do que os
objetos que ele adora. O homem, pelo menos, tem a
vida; mas os ídolos jamais a terão.
18. Eles adoram até os mais repugnantes animais
que, comparados com outros, são mais estúpidos.
19. Esses animais não têm nenhuma beleza que os
torne atraentes, como acontece com os outros
animais, e não tiveram o elogio e a bênção de Deus.
A bíblia católica nos mostra com mais limpidez o sistema
que cega aquilo que é tão claro. Usados por quem são condenados
30

pelas suas idolatrias, usam nas mãos, não nos olhos para que
vejam e nem na boca para que falem a verdade.
Há alguma dúvida católicos? Há alguma dúvida cristãos?
Há alguma dúvida leitores? É incontestável e pronto.
Não para por ai, no livro de Daniel vemos que o rei
Nabucodonozor impôs que todos os babilônicos viessem a
sacramentar um ídolo que ele mesmo vez, ai daquele que não se
prostrasse diante do deus de Nabucodonozor, era lançado na
fornalha. Daniel 3.1-6
1. O REI Nabucodonozor fez uma estátua de ouro, a
altura da qual era de sessenta côvados, e a sua
largura de seis côvados; levantou-a no campo de
Dura, na província de Babilônia.
2. E o rei Nabucodonozor mandou ajuntar os
sátrapas, os prefeitos e presidentes, os juízes, os
tesoureiros, os conselheiros, os oficiais, e todos os
governadores das províncias, para que viessem à
consagração da estátua que o rei Nabucodonozor
tinha levantado.
3. Então se ajuntaram os sátrapas, os prefeitos e
presidentes, os juízes, os tesoureiros, os
conselheiros, os oficiais, e todos os governadores
das províncias, para a consagração da estátua que o
rei Nabucodonozor tinha levantado, e estavam em
pé diante da imagem que Nabucodonozor tinha
levantado.
4. E o arauto apregoava em alta voz: Ordena-se a
vós, ó povos, nações e gente de todas as línguas:
5. Quando ouvirdes o som da buzina, do pífaro, da
harpa, da sambuca, do saltério, da gaita de foles, e
de toda a sorte de música, vos prostrareis, e
adorareis a imagem de ouro que o rei
Nabucodonozor tem levantado.
31

6. E qualquer que se não prostrar e não a adorar,


será na mesma hora lançado dentro do forno de
fogo ardente.
Vemos que o sistema traz medo, o rei impôs a idolatria, se
não idolatrar é morto. Que coincidência! Parece-me que já vi esta
história ser contada desse mesmo jeito, mas com os personagens
diferentes. Vemos isto acontecer com a inquisição imposta pela
Igreja Católica.

INQUISIÇÃO s.f. Ato de inquirir, de pesquisar. / Esforço


empreendido pela Igreja Católica no sentido de identificar e punir
hereges, ou seja, pessoas que professavam crenças diferentes dos
ensinamentos da Igreja. - A Inquisição teve lugar em muitos
países da Europa e em suas colônias, mas a que ficou mais
conhecida foi a espanhola.
A partir do reinado do imperador romano Constantino (306
a 337 d.C.), os ensinamentos da Igreja cristã foram considerados
como a base da lei e da ordem. Dessa forma, a heresia era uma
ofensa não só à Igreja, mas também ao Estado. Por centenas de
anos, os governantes tentaram acabar com todas as heresias.
Nos séc. XII e XIII, certos grupos de católicos se
revoltaram contra sua Igreja. Como alguns governantes se
recusaram a punir esses hereges ou não foram bem sucedidos
nisso, a Igreja assumiu a tarefa.
A Inquisição foi instituída no fim do séc. XII, a partir do
Concílio de Verona, em 1184, quando se estabeleceu que os
bispos deveriam visitar duas vezes por ano as paróquias suspeitas
de heresia. Em 1231, o Papa Gregório IX criou um tribunal
especial para investigar as vidas dos suspeitos e obrigar os hereges
a mudar de convicções. Em 1542, a Congregação do Santo Ofício
passou a controlar a Inquisição. Frades dominicanos e
franciscanos atuavam como juízes.
32

Atualmente, os católicos condenam a Inquisição porque


violava os padrões modernos de justiça. Durante a Idade Média,
porém, poucas pessoas criticaram seus métodos.
Os inquisidores freqüentemente torturavam os suspeitos, o
que havia sido autorizado em 1252 pelo Papa Inocêncio IV e
confirmado em seguida por Urbano IV.
Os hereges, na maioria judeus que se recusavam a mudar de
convicções, eram condenados à morte em fogueiras, prática
instituída desde o fim do séc. XII. No séc. XVI, a Inquisição foi
usada contra os protestantes.
Mais tarde, em Portugal, passou a perseguir os cristãos-
novos, judeus convertidos à fé cristã, e os partidários das idéias
dos enciclopedistas e dos iluministas. Com muita freqüência, os
motivos das perseguições eram mais econômicos do que
religiosos.
Além da Espanha, a Inquisição atuou principalmente na
França, Alemanha, Itália e Portugal. Na Espanha, com o nome de
Santo Ofício, a Inquisição se tornou uma instituição
poderosíssima, que deu triste fama a dois grandes inquisidores:
Torquemada e Jiménez de Cisneros. Foi suprimida por Napoleão
em 1808, mas tornou a vigorar de 1814 a 1834. Em Portugal, onde
foi introduzida por Dom João III (1536), teve tribunais em Lisboa,
Évora, Coimbra e Lamego.
O primeiro auto-de-fé ocorreu em Lisboa (1540). Em 1761,
foi executado na fogueira o último português condenado pela
Inquisição. E, em 1765, realizou-se o último auto-de-fé, isto é,
cerimônia em que se proclamavam e executavam as sentenças.
No Brasil, a Inquisição nunca instalou um tribunal em
caráter oficial. Todos os casos referentes ao país eram tratados
pela Inquisição de Lisboa, que aqui atuava por intermédio de
visitadores, comissários, bispos e vigários.
33

A visitação era integrada por três pessoas: o visitador, um


notário e um meirinho, espécie de oficial de diligências da época,
que recorriam ao segredo e à tortura.
Em geral, a investigação compreendia culpas de bruxaria,
sodomia, blasfêmias contra a Igreja e tendências protestantes e
judaizantes.
Os prisioneiros e respectivos processos eram enviados para
Lisboa, e aos bispos era facultado efetuar prisões e confiscar os
bens dos suspeitos. Os cristãos novos sofreram as maiores
perseguições.
O primeiro visitador para o Brasil, nomeado pela
Inquisição portuguesa, foi Heitor Furtado de Mendonça. Fixou-se
na Bahia (1591-1593) e em Pernambuco (1593-1595).
Deixou em seu lugar o bispo da Bahia, que, realizando
visitações anuais, contou com a colaboração dos padres jesuítas e
vigários locais.
O segundo visitador oficial foi Marcos Teixeira, que
chegou à Bahia em 1618. Sua comissão inquisitorial apurou
numerosas denúncias, instaurando vários processos.
Na época das invasões holandesas, a Inquisição
concentrou-se mais sobre inimigos políticos que religiosos. Em
1646, o provincial dos jesuítas presidia os trabalhos, que tinham
como sede o Colégio da Companhia de Jesus, na Bahia.
Daí saiu a maior parte dos brasileiros entregues à
Inquisição de Lisboa, sobretudo na segunda metade do séc. XVII.
No início do séc. XVIII, fizeram-se prisões em massa, sendo cruel
e dramático o período de 1710 a 1720. Nessa época, os mais
visados eram os brasileiros provenientes do Rio de Janeiro.
De cunho religioso e político, as perseguições e o
conseqüente confisco de propriedades ocasionaram uma
progressiva paralisação na fabricação do açúcar, principal artigo
de exportação do país na época, e sensíveis danos ao comércio.
34

Muitos brasileiros foram condenados ao suplício da


fogueira pela Inquisição de Lisboa, cujo tribunal suspendeu suas
atividades no Brasil somente em 1761.
(c)2002 Enciclopédia Koogan-Houaiss Digital.

A INQUISIÇÃO PROTESTANTE

VEJAMOS ENTÃO, A VERDADE DOCUMENTAL, E A


CRUELDADE SEM PRECEDENTES DOS TRIBUNAIS
PROTESTANTES.

A quantidade de registros literários dos próprios


protestantes é vasta, porém, estranhamente ocultada pelos livros
escolares, pela imprensa e mídia em geral. Muitas vezes vemos o
que é omitido pelo lado protestante sendo por esses veículos,
atribuídos maldosamente à Igreja Católica.

- O próprio Lutero nos legou o relato dessa prática, anos antes de


lançar-se em revolta aberta, dizia: “(...) os hereges não são bem
acolhidos se não pintam a Igreja como má, falsa e mentirosa. Só
eles querem passar por bons: a Igreja há de figurar como ruim em
tudo.” (Franca, Leonel, S.J. A Igreja, a reforma e a
civilização, Ed. Agir, 1952, 6ª ed. Pág. 200).

Uma vez no protestantismo, já ensinava Lutero aos protestantes:


"Que mal pode causar se um homem diz uma boa e grossa mentira
por uma causa meritória e para o bem da igreja (luterana)."
(Grisar, Hartmann, S.J., Martin Luther, His life & work,
The Newman Press, 1960- pág 522).
35

Logo a mentira, a omissão e o falso testemunho se tornaram a


coluna da doutrina dos pseudos “reformadores” protestantes.

A crueldade foi especialmente severa na Alemanha protestante. As


posições de Lutero, contra os anabatistas, causaram a morte de
pelo menos 30.000 camponeses. (4)

Calvino, pai dos presbiterianos, mandou queimar o espanhol


Miguel Servet Grizar, médico descobridor da circulação
sanguínea. Acusado de heresia, Servet foi preso e julgado em
Lyon, na França. Conseguiu evadir-se da prisão e quando se
dirigia para a Itália, através da Suíça, foi novamente preso em
Genebra, julgado e condenado a morrer na fogueira, por decisão
de um tribunal eclesiástico sob direção do próprio Calvino. A
sentença foi cumprida em Champel, nas proximidades de
Genebra, no dia 27 de outubro de 1553. Puseram-lhe na cabeça
uma coroa de juncos impregnada de enxofre e foi queimado vivo
em fogo lento com requintes de sadismo e crueldade. (5)

O luterano Benedict Carpzov, foi legista brilhante e figura


esclarecida, até hoje ocupando lugar destacado na história do
Direito Penal. Mas perdia a compostura contra a bruxaria, que
considerava merecedora de torturas três vezes intensificadas com
respeito a outros crimes, e cinco vezes punível com pena de morte.
Protestante fanático, afirmava, quando velho, ter lido a Bíblia
inteira 53 vezes. Assinou sentença de morte contra 20.000 bruxas,
apoiando-se principalmente na "Lei" do Antigo Testamento. Não
compreendendo o verdadeiro significado da Bíblia, considerava o
Pentateuco como lei promulgada pelo próprio Deus, Supremo
Legislador. Carpzov, para condenar a morte, usava (Lv 19,31;
20,6.27; Dt 12,1-5), citava de preferência o Êxodo (22,18); "Não
deixarás viver a feiticeira".(6)
36

Outro famoso perseguidor de bruxas na Alemanha, foi Nicholas


Romy, considerado grande especialista e que escreveu um longo
tratado sobre bruxaria, teve sobre sua consciência a morte de 900
pessoas. (7)

Já Froehligh, reitor da Universidade de Innsbruck e catedrático de


Direito, que chegou a ser chanceler da Alta Áustria, insistia em
que não só as supostas bruxas fossem condenadas, senão também
seus filhos! E não se precisava muito para ser considerada bruxa,
pois o seria qualquer pessoa que não tivesse um olhar franco.(8)

Naquele ambiente de superstição, crueldade e pânico perante as


bruxas, foi possível o aparecimento de um Franz Buirmann,
pervertido magistrado protestante e degenerado inimigo da
bruxaria. Era um juiz itinerante. Referindo-se a ele dizia seu
contemporâneo Hermann Loher: "Preferiria mil vezes ser julgado
por animais selvagens, cair numa fossa cheia de leões, de lobos e
ursos, do que cair em suas mãos".

Deste impiedoso juiz se afirma que somente em duas incursões


que realizou por pequeninas aldeias ao redor de Bonn, que
perfaziam um total de 300 pessoas contando-se crianças e velhos,
queimou vivas nada menos que 150 pessoas! Consta que ao menos
em duas oportunidades (da viúva Boffgen e do Alcaide de
Rheinbach), o juiz se apoderou de todos os bens dos condenados à
fogueira (o Alcaide de Rheinbach eraseu inimigo político..).(9)

Em Bamberga, sob a administração de um bispo protestante,


queimou-se 600 pessoas. Na Genebra protestante, foram
queimadas 500 pessoas no ano 1515. (10)

Se os protestantes do passado nenhum valor davam a essas


muitíssimas vidas ceifadas no fogo, muito menos valor dão os
37

protestantes de hoje, que por ignorância, orgulho ou omissão, se


escusam de um simples pedido de perdão, para não ter que admitir
as iniqüidades que falaciosamente atribuem aos outros.

A técnica, é a mesma do gatuno que bate uma carteira e grita:


“pega ladrão!!!” Baseados no grito do gatuno, as mal informadas e
ou mal intencionadas editoras de livros didáticos, a imprensa e a
mídia fazem o resto do trabalho sujo. Tudo contribui para a
perdição do que não busca conhecer a verdade.

Dizia Marcus Moreira Lassance Pimenta: “Ao ignorante, basta


uma mentira bem contada para que a tenha como verdade. E ao
sábio, não há mentira que o impeça de buscar a verdade”.

Foram terríveis os genocídios causados pelos protestantes na


Alemanha. A então Alemanha estava dividida em mais de
trezentas circunscrições, cada uma delas com seu próprio Supremo
Tribunal civil e seu Direito particular. A perseguição às bruxas e a
severidade dos castigos, dependiam geralmente dos respectivos
senhores de cada região, que governavam com muita
independência e poder quase absoluto.

Dentro de cada região, havia oscilações pendulares inclusive


extremas, segundo os critérios subjetivos do mesmo senhor e
segundo os conceitos das diversas sucessões no poder através dos
anos e dos séculos. Daí a dificuldade em se calcular o número de
pessoas condenadas à fogueira e à forca na Alemanha. Mas, das
crônicas e processos regionais que chegaram até nós, cabe
deduzir, que as vítimas se contaram por milhares. Gardner calcula
9 milhões (1). Morrow simplesmente diz que foram milhões (2).

W. A. Schoeder, contemporâneo aos fatos, anotou que nas


localidades de Bamberg e Zeil, entre 1625 e 1630, (cinco anos) se
38

realizaram nada menos que 900 processos de bruxaria. Deles


(numa exceção), 236 terminaram com condenação à morte na
fogueira. Só num ano, 1617, em Wurzburgo, foram queimadas
300 bruxas (3); em total nesta região, as atas apresentam l.200
condenações à morte (4).

Em 20 anos, de 1615 à 1635, em Estrasburgo, houve 5.000


queimas de bruxas (5).

Em cidades pequenas como a imperial Offenburg, que só tinha


entre dois e três mil habitantes, se desenvolveram acérrimas
perseguições às bruxas durante três decênios, e em só dois anos,
segundo as atas, foram queimadas 79 pessoas (6).

Segundo o VERITY MURPHY em 16/6/2004, da BBC de


Londres, o novo e mais completo relatório da inquisição, indica
que, no auge da Inquisição, a Alemanha protestante matou mais
bruxas e bruxos que em qualquer outro lugar.

Na Suíça, quando protestante, os casos de condenação de bruxas


descritos nas crônicas conservadas, chegam a 5.417 (7). Nos
Alpes Austríacos, as mortes chegaram ao menos a 5.000 (8).

Era absolutamente falsa a afirmação de muitos autores


protestantes ingleses, de que a Inglaterra foi uma exceção dentro
da bruxomania geral.
Segundo Ewen, (9), que cita documentos oficiais, o número de
condenados à pena de morte por bruxaria, na Inglaterra
protestante, exatamente de 1541 a 1736, teria sido menos de mil.
As condenações à morte teriam sido menos de 30% das acusações.
Mesmo assim, o comportamento inglês não fugiu ao ditado de que
não há regras sem exceções.
39

Na Inglaterra destacava-se o protestante Mathew Hopkins que se


autodenominava "descobridor geral de bruxas". Parece que era um
sádico encoberto. Quando encontrava uma mulher que excitava
seus instintos sexuais anormais, obrigava-a a despir-se na sua
presença e começava a fincar com uma agulha, as diversas partes
do corpo dela (assim se procuravam áreas insensíveis, o que seria
sinal de possessão demoníaca).
Mas... ele mesmo diante de outros protestantes, foi acusado de
possuir estranhos poderes. Submetido às provas de bruxaria que
empregara, foi condenado e morto (10).

Na Inglaterra não era necessário aplicar torturas — às vezes se


deram! — porque a condenação freqüentemente era sentenciada
sem necessidade de confissão por parte do acusado (11).
Em 1562 a rainha Elizabeth, e a versão definitiva do Witch Act ou
“lei contra os bruxos”, de Jacques I em 1604, condenavam à morte
a pessoa que tivesse feito qualquer malefício pretendendo acabar
com a vida ou danar o corpo de alguém. Mesmo que não se
percebesse efeito nenhum do malefício! Esta lei se manteve em
vigor na Constituição até 1736.

Os protestantes do Reino Unido foram lentos. Na Inglaterra do


século XVII, na área da interpretação dos fenômenos misteriosos
ainda grassava a superstição demonológica, e houve várias
condenações. O último juízo por bruxaria foi já entrado o século
XVIII, em 1717, (12). E ainda demorariam mais vinte anos para
abolir o estatuto inglês contra as bruxas, em 1736 (13).

A última morte por condenação como bruxa, na Escócia, foi em


1738. Na Irlanda, a lei contra bruxaria não foi abolida até 1821!
Em 1863, segunda metade do século XIX!, o povo inglês ainda
linchou um velho por considerá-lo bruxo.
40

As perseguições protestantes atravessaram o Atlântico, e


chegaram aos EUA. O primeiro corpo de estatutos — The Body of
Liberties — que houve em Massachusetts, é de 1641 (14). Nele se
diz: "Se algum homem ou mulher é bruxo que manifesta ou
consulta um espírito familiar(?), será enviado à morte" (15).

A revisão de 1649 reiterava a mesma lei com pena capital (16). De


sua vigência é um exemplo famoso, “o processo das bruxas de
Salem,” em 1692. Como resquício, ainda hoje em alguns estados
americanos, a pena de morte é vista com naturalidade, aos
condenados gravemente pela justiça. Mudaram apenas os réus e a
forma de exterminar.

O pânico da população perante as bruxas e a ira contra elas,


refletem-se no caso de Ann Hibbins. Parece que foi acusada por
motivos meramente socioeconômicos. Era irmã de um rico
comerciante e antigo assistente da colônia, Richard Beilingham,
que fora governador da Baía de Massachusetts. O júri a condenou.
Os juizes não aceitaram o veredicto. O caso foi levado à Corte
Geral. Foi fácil incitar a opinião pública. Tanto pressionaram a
Corte que Ann Hibbins foi condenada à morte (17).

ATÉ CRIANÇAS ERAM QUEIMADAS PELOS


PROTESTANTES

No ano 1670, na Suécia, houve um processo deplorável: Como


conseqüência das declarações, arrancadas pelas interrogações
feitas pelos teólogos protestantes, foram queimadas 70 mulheres,
açoitadas mais 56, queimadas 15 crianças que já tinham chegado
aos 16 anos e outras 40 foram açoitadas (18).

Na Alemanha protestante, o poder civil condenou Anna Maria


Schwugelin. Foi decapitada como bruxa em 1759.
41

No dia 18 de junho de 1782, o governo protestante ainda


decapitou uma bruxa na Suíça (19).

Agora os protestantes têem aqui reunidos, grande parte dos


números de mortes, nomes e documentos, para a própria cruel
“inquisição” de seus tribunais, que tanto omitem. E isso não é
tudo.

Atacado por um diabólico ódio racial, Lutero antes de sua morte,


lançou o panfleto “Contra os judeus e as suas mentiras.” onde
pregava aos alemães, toda sorte de desumanidade contra os
judeus, culminando no holocausto nazista. Esta obra, está
reproduzida na “História do anti-semitismo”, de Leon Poliakov.

Dia 6 de maio de 1527, quando saquearam Roma, cerca de


quarenta mil homens espalharam na Cidade Eterna o terror, a
violência e a morte. Eram seis mil espanhóis, quatorze mil
italianos e vinte mil alemães, quase todos luteranos, esses últimos,
indivíduos perversos, gananciosos, desprovidos de qualquer
escrúpulo. Gritavam: ”Viva Lutero, nosso papa!!!” Ávidos,
incansáveis na busca das riquezas, dos despojos do inimigo, os
lanquenetes luteranos e os outros invasores assaltaram,
estupraram, saquearam, incendiaram, trucidaram, arrebentaram as
suas vítimas, jogaram crianças pelas janelas ou as esmagaram
contra as paredes. Grande parte da população foi dizimada.
Conforme disse Maurice Andrieux, esse ataque a Roma "superou
em atrocidade todas as tragédias da História", até mesmo a
destruição de Jerusalém e a tomada de Constantinopla.

Todo esse genocídio com requintes de crueldade, parece encontrar


doce justificativa nas palavras de Lutero, pai do protestantismo do
“somente a fé”:
42

“... Seja um pecador e peque fortemente, mas creia e se alegre em


Cristo mais fortemente ainda...Se estamos aqui (neste mundo)
devemos pecar...Pecado algum nos separará do Cordeiro, mesmo
praticando fornicação e assassinatos milhares de vezes ao dia”.
(Carta a Melanchthon, 1 de agosto de 1521 (American Edition,
Luther's Works, vol. 48, pp. 281-82, editado por H.
Lehmann, Fortress, 1963).

Esta "fé", de Lutero, apesar de dirigida pela vontade, é


um simples ato do intelecto. Apesar de necessária à
salvação, não é suficiente. Tiago diz que até mesmo os
demônios têm esta fé (Tg 2,19). É por este motivo que
ele diz: "Vedes como o homem é justificado pelas obras
e não somente pela fé?" (Tg 2,24). Infelizmente, Lutero
designou esta carta do Apóstolo de [i/"Carta de Palha".
Ele não entendeu o que Tiago esta querendo dizer
(sobre a fé de Abraão): "Vês como a fé cooperava com as
suas obras e era completada por elas" (Tg 2,22). Sob o
erro do pai do protestantismo, as seitas evangélicas
ainda hoje, pregam que seus seguidores já estão
“salvos”, só porque simplesmente “crêem” em Jesus.
Se assim fosse, iriam encontrar Lúcifer no céu.
Extraído:http://caiafarsa.wordpress.com/inquisicao-
catolica-e-a-protestante/

Hitler no sistema demoníaco

A IGREJA PROTESTANTE DE HITLER


COMO CHEGOU A SER NAZISTA NO PROTESTANTISMO
ALEMÃO
43

(foto do Instituto)
O maior sinal cristão é profanado
* Obs. As Bandeiras contendo a Cruz cristã com a Suástica nazista
no centro,símbolo dos Deutsche Christen, protestantes nazistas -
daí as letras D e C na cruz.
“A base da minha apresentação é material de arquivo que faz
poucos anos descobri na Alemanha.

Evidencia a existência dum pseudo-instituto de pesquisa para


teólogos, o qual se assemelha a outros institutos pseudocientíficos
para a”pesquisa dos judeus”, os quais foram instalados em quase
todos os âmbitos acadêmicos da Alemanha durante o “Terceiro
Império”.
No meio dia do sábado de 6 de maio de 1939, um grupo de
teólogos, pastores e freqüentadores de igreja protestantes e reuniu
na Wartburg histórica para, repleto de orgulho luterano e nacional-
socialista, celebrar a abertura oficial do”Institut zur Erforschung
und Beseitigung des jüdischen Einflusses auf das deutsche
kirchliche Leben” [Instituto para a pesquisa e eliminação da
influência judaica na vida eclesial alemã].
44

Os fins do instituto eram tanto políticos como também teológicos.

(Teólogos protestantes em frente do Instituto)


Para conseguir uma Igreja “desjudizada” para uma Alemanha que
estava a “limpar” a Europa de todos os judeus, o instituto
desenvolveu novas interpretações da Bíblia e material novo para a
liturgia.

Nos seis anos da sua existência, durante os quais o regime nazista


cometeu o genocídio nos judeus, o instituto definiu de novo o
Cristianismo como uma religião germânica.

O fundador desta, o ariano Jesus, teria lutado corajosamente para


destruir o Judaísmo e teria caído vítima na luta, assim que os
alemães agora estariam exortados a chegar a serem vencedores na
própria luta de Jesus contra os judeus.Membros do instituto e
muitos outros no Império trabalhavam dedicadamente “para o
Führer [Líder, Dirigente = Adolf Hitler]“, como Ian Kershaw o
formulou, para ganhar a luta contra os judeus.

Na Alemanha nazista, a “higiene de raça” chegou a ser uma


disciplina, na qual era ensinado como o corpo, em que o espírito
45

ariano habita, possa ser protegido; a teologia desse instituto se


dedicava à assistência a esse espírito.A maioria dos membros e
especialmente o diretor acadêmico do instituto, Walter
Grundmann, professor para Novo Testamento em Jena, se via
como vanguarda
teológica, a qual se dedicava a resolver dum problema que já faz
muito tempo atormentava:

Como se pode tirar uma fronteira clara e explícita entre o


Cristianismo primitivo e o Judaísmo, eliminando todos os
vestígios de influência judaica da teologia e prática cristãs?

os membros do instituto se viam em condição para recuperar o


Jesus historicamente genuíno, não judaico, fazendo a mensagem
cristã compatível com identidade alemã contemporânea.

Quiseram limpeza, autencidade e uma revolução teológica — tudo


em nome do método histórico-crítico e da sua dedicação ao
“Deutschtum”.
Alcançar isso eles quiseram pela extinção do judaico do cristão.

Nem uma mensagem cristã que estivesse com judaico poderia ser
útil a alemães,nem uma mensagem judaica poderia ser uma
doutrina exata de Jesus.

Esta era, assim declarou, comparável como aquela da


reformação: Os protestantes precisam hoje superar o Judaísmo
como Lutero superou o catolicismo.

A eliminação da influência judaica à vida alemã seria uma


interpelação à situação religiosa alemã daquele tempo.Como as
pessoas no tempo de Lutero não podiam imaginar um
Cristianismo sem o papa, assim não poderiam hoje em dia —
46

assim Grundmann — os cristãos imaginar uma salvação sem o


Antigo Testamento.
A Bíblia, assim Grundmann continuou, deveria ser limpada, a sua
qualidade não-falsificada restituída, para anunciar ao mundo a
verdade sobre Jesus, a saber que era um ariano, o qual aspirava a
destruição do Judaísmo.

De 1939 a 1945, o instituto funcionou como uma grande


cobertura, sob a qual se podia articular um grande número de
posições teológicas antijudaicas de cientistas e pastores.Alguns,
como o próprio Grundmann, empenhavam-se para o afastamento
do Antigo Testamento da Bíblia cristã., porque é um livro judaico.

Outros, como Johannes Hempel, professor do Antigo Testamento


na Universidade de Berlim, tentavam a manter o Antigo
Testamento para os cristãos, já que era no fundo uma mensagem
sobre o povo de Israel (e não sobre os judeus), a qual seria
importante para o povo alemão ouvir.

O que unia os membros do instituto era a confissão para a


exterminação do judaico como meio para a limpeza do
Cristianismo e da Alemanha.

No público conhecido como “instituto de desjudiação” o instituto


era o instrumento da Igreja Protestante para a propaganda anti-
semita.

Grundmann escreveu em 1941:”Então, porém, o nosso povo que


está na luta, contra os poderes satânicos do judaísmo mundial, por
ordem e vida deste mundo em geral, com direito lhe dá a
despedida, pois não pode lutar contra o judeu e abrir o seu coração
ao rei dos judeus.
47

“Com a prova de que Jesus era, não judeu, mas sim adversário dos
judeus,Grundmann ligou o trabalho do instituto com os esforços
de guerra dos nazistas.A extensão da força de atração do instituto
era notável: professores universitários, docentes e estudantes
evangélicos de teologia em todo o Império chegaram a ser
membros do instituto.

Os membros eram subdivididos em grupos de trabalho,


produzindo dentro de um anouma versão “desjudizada” do Novo
Testamento, um cancioneiro “desjudizado”, um catecismo
nazificado e um grande número de livros e panfletos para leigos e
cientistas, nos quais expuseram os seus argumentos teológicos.

Teoria racista e Teologia A minha pergunta abrangente é porque a


teoria de raça era atrativa para teólogos protestantes da
Alemanha durante a primeira metade do século 20, e porque era
tão fácil interpretar o Cristianismo em categorias racistas.O
racismo que se espalhou na segunda metade do século 19 na
Europa, atraia protestantes alemães, primeiro, como componente
nacionalismo.

Com o século 20, porém, o racismo, especialmente o anti-


48

semitismo, chegou a ser um meio da modernização do


Cristianismo e da legitimização das suas doutrinas.

Jesus foi apresentado, primeiro como adversário do Judaísmo, a


seguir como inimigo deste e, finalmente, como ariano.

Porque um número tão grande de teólogos e pastores protestantes


alemães foi atraído pela teoria de raças e que criou uma autêntica
teologia de raças?

Quais ganhos teológicos alcançaram pelo racismo?

A afinidade entre protestantismo alemão e retórica racista


está, porém, ancorada, ainda mais profundamente do que somente
em comundades, em opiniões de doutrina determinadas sobre os
judeus.http://cristaos-e-judeus.info/1038.htm
ÍNDICE

Se preferir formatar você mesmo acesse
http://www.blogger.com/post-edit.g?
blogID=2439649758131147679&postID=1948920030766882674
HITLER E A IGREJA NAZI-PROTESTANTE
ÍNDICE

A Igreja Nacional do Reich ou Igreja do Reich (em alemão:
Reichskirche) foi uma igreja protestante da Alemanha
nazista, cujo objetivo era abranger e nazificar todos os alemães
protestantes numa única instituição.Foi criada em julho de 1933,
quando os representantes das igrejas protestantes
alemães escreveram uma constituição para uma Igreja do Reich,
criada à partir da fusão das 28 igrejas luteranas e reformistas
alemães, que englobavam em torno de 48 milhões de adeptos.
49

Sua criação foi formalmente reconhecida pelo Reichstag no dia 14


de julho.A ideologia da Igreja do Reich era baseada no
“cristianismo positivo”.
Durante a Segunda Guerra Mundial o regime nazista visava
aplicar um programa de trinta pontos para a Igreja do Reich, no
qual, pretendia-se substituir o cristianismo

pelo paganismo germânico, eles foram apresentados por Alfred


Rosenberg,editor do Völkischer Beobachter, assumidamente
pagão, dentre os pontos mais importantes estão:1. A Igreja
Nacional do Reich da Alemanha afirma categoricamente o direito
e o poder exclusivos de controlar todas as igrejas na jurisdição do
Reich: declara serem elas as igrejas nacionais do Reich alemão.
5. A Igreja Nacional se dispõe a exterminar irrevogavelmente (…)
as crenças cristãs estranhas e estrangeiras trazidas para a
Alemanha no malfadado ano de 800.
7. A Igreja Nacional não tem escribas, pastores, capelães ou
padres, mais oradores do Reich para falar em seu nome.
13. A Igreja Nacional exige a imediata publicação da cessação e
difusão da Bíblia na Alemanha.

Imediatamente após a criação da Igreja do reich, surgiu uma luta


para a eleição de seu Bispo.O Führer Adolf Hitler insistia que ele
devia ser dado à Ludwig Müller, o conselheiro de Hitler em
assuntos da Igreja Protestante e chefe dos “cristãos alemães” (um
grupo protestante neo-pagão).

Os dirigentes da Federação das Igrejas propuseram o pastor


Friedrich von Bodelschwing, porém, o governo nazista interveio,
dissolveu uma quantidade de organizações eclesiásticas
provinciais, suspendeu diversos importantes dignitários das igrejas
protestantes, utilizando a S.A e a Gestapo, aterrorizando os que
apoiavam Bodelschwing.
50

.
Na véspera da eleição dos delegados ao sínodo que escolheria o
bispo do Reich, Hitler pessoalmente ocupou o rádio para exortar à
eleição os cristãos alemães, dos quais Müller era candidato.
Bodelschwing retirou sua candidatura,e a eleição

apresentou uma maioria de cristãos alemães que em setembro, no


sínodo de Wittemberg, local escolhido por ser onde Martinho
Lutero pela primeira vez desafiara a Igreja Católica, Müller foi
eleito bispo do Reich.

No dia seguinte o dr. Reinhard Kraise propôs em uma reunião que


o Antigo Testamento, de origem judaica fosse abandonado e o
Novo Testamento fosserevisto de acordo com as doutrinas
nazistas, mais sua idéia foi considerada exageradamente
extremista e foi abandonada e Kraise suspenso.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Igreja_Nacional_do_Reich

ÍNDICE


O NAZISMO NA IGREJA PROTESTANTE
ÍNDICE
51

26/03/2006 – Igreja vive dilema


histórico
ALEMANHA- O Terceiro Reich caiu há 61 anos, mas quem entra
na Igreja Memorial Martinho Lutero pode achar que voltou no
tempo
Este é o último templo nazista da Alemanha, cujo interior é
decorado com símbolos de exaltação a Adolf Hitler e à
supremacia ariana.

(foto atual) Até um ano atrás, ainda era usado para cultos
protestantes, mas foi fechado depois que um pedaço da fachada
desabou.
Desde então, a paróquia de Tempelhof está mobilizada para
arrecadar fundos para areforma de toda a esrtrutura.
Para Isolde Bohm, decana da paróquia, este é um esforço que vale
a pena:
52

O prédio vai continuar servindo de alerta às futuras gerações, uma


forma de lembrarcomo a sociedade e a Igreja Protestante se
alinharam com os nazistas nos anos 30.

Na Martinho Lutero, símbolos sacros misturam-se aos


políticos,um sínal claro do quanto o Movimento
Cristão Alemão (DC,sigla em alemão= Deutsche Christen) foi
poderoso no regime de Hitler.

(Paradas dos Deutsche Christen-protestantes nazistas)

(Bandeira dos nazi-protestantes )


53

(Marcha dos Deutsche Christen)

(Paramilitares da SA nazista com cartazes dos”Deutsche


Christen”, Julho 1933 - Berlim)
Em 14 de julho de 1933, o governo de Hitler aprova uma nova
Carta para a Igreja Protestante.

Com a intervenção maciça do NSDAP (partido nazista),as eleições


nas igrejas protestantes agendadas apenas em curto período de
tempo mais tarde resultam em uma retumbante vitória para os
“cristãos alemães” (leia-se protestantes nazistas).
54

Hitler apela a todos os cristãos protestantes, em um discurso de


rádio na véspera da eleição para votar a favor dos “cristãos
alemães” Com seu slogan:”Igreja deve continuar a se da
Igreja”***

(Assembléia dos “Deutsche Christen”,em 13 de Novembro de


1933-Berlim)

*como se observa a união da Igreja protestantes com o Estado


nazista !!.
Os “cristãos alemães” desejavam alcançar absoluta conformidade
organizacional e ideológica entre as Igreja Protestantes e o Estado
Nacional Sociliasta.
Após seu sucesso triunfal nas eleições da Igrejas protestantes, em
Julho de 1933 e a eleição de Ludwig Muller para o cargo de Bispo
do Reich, ele sentiram que tinham atingido o auge de seu poder
sobre a política da igreja no Outono (europeu) de 1933.
55

(O Bispo,
luterano,Ludwig Muller, saudando os protestantes nazistas).

Reunião dos protestantes alemães.


Na faixa, os dizeres:“Os cristãos alemães lêem o Evangelho no III
Reich ) !!! ***
56

O Bispo luterano de
Dresden,Friedrich Coch ,é um dos principais lideres dos
“Deutsche Christen”na Saxónia.
Era consultor do NSDAP (partido nazista) para assuntos da Igreja
desde 1932,foi eleito para o cargo de Bispo do estado no ” Sínodo
Marrom “,em Agosto de 1933.

Esta corrente dentro da Igreja Protestante representava 30% dos


fiéis nos anos 30 e pretendia criar uma síntese de cristianismo e do
nazismo.

(foto atual – Igreja Luterana Martinho Lutero - Berlim)


57

(foto da época –similar – Catedral Evangélica Luterana


Landeskirche em Brunswick)
A figura de Jesus, talhada em madeira no púlpito, tem feições
arianas
No rosto, não há expressão de sofrimento, mas de vitória.
58

(Púlpito da Igreja Martinho Lutero)


Púlpito, mostrando Jesus, um soldado nazista e uma família
ariana, numa representação do Sermão da Montanha.
Em vez dos apóstolos, quem acompanha Jesus são homens do
temido esquadrão de defesa Schutzstaffel (SS)

(pia batismal com Jesus, um


soldado, ladeado, por 2 querunbins).
A porta é guardada por um soldado da tropa de assalto SA.
(Sturmabeitlung)
Outros soldados com o tradicional capacete da milícia, aparecem
em todas as paredes do templo.
59

(painel com símbolos cristãos, águia e soldados nazista)


- Os membros da DC queriam uma forma de cristandade que fosse
explicitamente anti-judaica e se adequasse à necessidade de uma
nação “masculina“, poderosa - explica Doris.

(foto ilustrativa)
As suásticas, apropriadas por Hitler como símbolo do Terceiro
Reich ,também apareciam em todas as partes
da construção, mas foram apagadas apos o final da
Segunda Guerra, quando o uso tornou-se proibido na
Alemanha.
60

Na nave, havia também um busto de


Hitler, também retirado. (foto ilustrativa)

O rosto de Hitler, talhado em madeira, foi


substituído pelo de Lutero - conta Isolde. (foto ilustrativa)

(Luminária no hall de entrada com a


Cruz de Ferro).
61

(Sinos da Igreja, com a Cruz e a Suástica)


A DC queria mostrar que religião e nazismo podiam se fundir Mas
não é possível.
O problema que este templo ressalta, e por isso deve ser
preservado, é o perigo da Igreja tender a adaptar-se à cultura
corrente .
É nestas horas que Isolde teme que, se reaberta, a Igreja possa se
tornar um lugar de perigrinação para os neonazistas.
O plano final é que a Martinho Lutero seja declarada patrimônio
histórico da Alemanha e passe a receber fundos federais para
manutenção.
Mesmo que consiga ser reformado , o templo não voltará a abrigar
serviços religiosos regulares.
A nave é grande demais para o tamnaho da comunidade
protestante de Tempelhof
http://www.revistamuseu.com.br/noticias/not.asp?
id=8500&MES=/3/2006&max_por=10&max_ing=5
Também colaborou com a pesquisa das fotos a Maria Carolina.
grato !!
*** Informação adicional vd.
62

OS PROTESTANTES VOTARAM EM HITLER


ÍNDICE

MAPA N ° 1
Votos nos nazistas (parte escura)
Votação na Alemanha, em 1933 .

MAPA N° 2
Áreas católicas (parte escura)
De acordo com o Censo de 1934.
Mostra, claramente, que os católicos não votaram
em Hitler.
63

Ou seja, as áreas protestantes votaram maciçamente em Hitler e


nos nazistas, ao passo que os católicos, não !!.
“Protestantes mentirosos ainda persistem com a lorota que
aBaviera (sul da Alemanha) votou em Hitler.
A verdade é, exatamente o oposto:
A católica Baviera rejeitou Hitler, assim como fêz a Renânia
católica,Vestáflia, Pomerânia e Silésia.
Surpreendentemente, é quase um ajuste exato.
As áreas protestantes , pelo contrário, são exatamente onde
os nazistas ganharam os seus votos.
O único ponto em branco, nos nazi-votos, é Berlim, pelas razões
já mencionadas ( o senso comum e certo humor berlinense
impediram de votar nos nazistas).
Ela, dificilmente poderia ser mais clara.
Encare isso, protestantes, os seus co-religionários alemães
apoiaram Hitler e os nazistas, alguns ardentemente.
Pare de mentir e começe a dizer a verdade, vocês protestantes
que permanecem na negação, reconheçam que
os seus irmãos católicos, como Pio XII, foram líderes anti-nazistas
e que a maioria dos protestantes, com algumas exceções muito
nobres, vendeu-se para o Anticristo nazista“
.http://romanchristendom.blogspot.com/2008/10/face-it-
protestant-areas-voted-for.html
64

Votação nazista :
quanto maior – mais
vermelha quanto menor – mais verde
Na Prússia Oriental (região destacada) havia um pequeno enclave
católico (cor verde) que destaca-se do entorno protestante (cor
vermelha).
O Censo de 1925 na Alemanha revelou que: 63% de Protestantes ;
32% de católicos; 1% de judeus e 4% de outras crenças. Católicos
eram fortes no sul e no noroeste, havia bolsões católicos
na Silésia e Prússia Oriental

Eleição presidencial anterior- 1932


A eleição presidencial na Primavera de 1932 considerou os
partidos democráticos, demasiados fracos para oferecer um
candidato.Por isso, eles apoiaram Hindenburg, a fim de manter
fora Hitler e os comunistas.
Ele ainda estava disposto a trabalhar dentro da constituição
democrática.
Como nenhum candidato ganhou 50% dos votos, uma segunda
votação tinha de ser realizada.
13 March 1932 10 April 1932
Hindenburg (Nationalist) 49.6 % 53.0 %
65

Hitler (Nazi) 30.1 % 36.8 %


Thermann (Communist) 13.2 % 10.2 %
Independent Nationalist 6.8 % —
Independent 0.3 % —
Então 47 % tinham votado para abolir a Democracia. Hitler, um
católico renegado, encontrou o seu principal apoio nas áreas
protestantes, enquanto o protestante Hindenburg encontrou firme
apoio nas áreas católicas.
Por exemplo: --
Hindenburg Hitler Thermann
Áreas predominates
protestantes
East Prussia 48.6 % 43.8 % 7.6 %
Frankfurt on Oder 48.1 % 45.7 % 6.2 %
Pomerania 40.7 % 52.6 % 6.7 %
Schleswig-Holstein 43.6 % 48.8 % 6.6 %
Chemnitz-Zwickau 37.7 % 47.2 % 15.1%
Thuringia 42.2 % 44.3 % 13.5%
Áreas
Mixtas
Wurttemberg 63.1 % 29.3 % 7.6 %
Baden 57.4 % 34.2 % 8.4 %
Áreas predominantes
católicas
Cologne-Aachen 68.4 % 20.3 % 11.1 %
Coblenz-Trier 65.4 % 29.0 % 5.6 %
Upper Bavaria-Swabia 69.1 % 24.9 % 6.0 %
Lower Bavaria 72.3 % 22.8 % 4.9 %
Extraido: http://pioxiicaluniado.blogspot.com/2009/05/como-
jesus-chegou-ser-nazista-no.html
66

Regras do sistema e o seu governo

Ao longo da história vemos que esta idéia de ter e ser


matou e destruíram muitos povos, reinos, nações e tornando a vida
para muitos vulneráveis aos domínios de satanás, as histórias mais
felizes de todos os povos do mundo são quando uma pessoa se
torna rei, rainha, príncipe e princesa fazendo parte da classe
dominante com grande prosperidade financeira, se fosse
perguntado para varias moças em diferentes épocas, qual é o seu
maior sonho?
A maioria delas responderiam que queriam se casar com
um homem lindo, rico e que apareça montado em um cavalo com
uma coroa sobre a cabeça, (príncipe encantado) querendo elas
receber sua carta de liberdade.
As histórias fantasiosas aguçam os pensamentos dos
dominados que para serem livres é preciso ser igual a eles, daí
trocam o nome liberdade por domínio.
Todos os animais inclusive o ser humano tem no seu
instinto o ato de sobrevivência, se é dominado reverencia os
dominantes, pelo contrario é morto, se é dominante impõe
reverência aos seus subordinados, pelo contrario se não houver
imposição o seu domínio será ameaçado.
Nos animais em quase todos, o macho para ser líder de um
grupo da sua mesma espécie luta para se ter o domínio, sendo
vencedor o líder impõe a todos do grupo o respeito para
permanecer o seu domínio por muito tempo, quando o seu
domínio é ameaçado luta para manter o seu domínio.
E aqueles que são dominados e não teen força alguma para
lutar contra o dominante, então para se manter vivo curva diante
do dominante.
67

Por isso que um grupo da mesma espécie tendo um


dominante os filhos gerados serão dele para a sobrevivência da
espécie.
No homem tem no seu instinto a mesma necessidade de
sobrevivência da espécie e por isso para uma sociedade os mais
fortes, bonitos e ricos se sobressaem na busca do acasalamento,
sendo isto demoníaco, por isso que as maiorias das pessoas
sonham com o seu príncipe encantado (haja vista, algumas
exceções).
Gostaria de lhe fazer uma pergunta. Você alguma vez já
sonhou tendo muitas riquezas e podendo fazer o que bem
entender, fazendo parte da classe dominante sendo respeitado não
pelo o que você é, mas sim pelo que você tem? Este sonho lhe
coloca na postura de sobrevivência e não de valor.
Porque quando pertencerem ao sistema (Lei) terás sempre a
morte. Romanos 7.5 Porque, quando estávamos na carne, as
paixões dos pecados, que são pela lei, obravam em nossos
membros para darem fruto para a morte.
Estes sonhos estão presentes em todos os povos, porque
uma pessoa sendo muito rica terá poder e é isto que os dominantes
sempre procuram, poder. Nesta busca de poder (Riqueza) muitos
caem na perdição 1 Timóteo 6.9 “Mas os que querem ser ricos
caem em tentação e em laço, e em muitas concupiscências loucas
e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína”.
Vemos também em muitas pessoas que não tem força para
ser um dominante, idolatrarem uma outra pessoa. O fanático por
alguém perde a sua qualidade de ser um dentre milhares, para ser
parte dos milhares sem qualidade. Deus não te chamou para ser
igual ao mundo, mas para ser diferente do mundo. João 15.19.
“Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas,
porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por
isso é que o mundo vos aborrece”.
68

Paulo nos coloca uma posição de ser cristão no sistema, para


aqueles que estão no sistema não blasfemem contra o
Cristianismo. 1Timóteo 6.1,2
1 TODOS os servos que estão debaixo do jugo
estimem a seus senhores por dignos de toda a
honra, para que o nome de Deus e a doutrina não
sejam blasfemados.
2 E os que têm senhores crentes não os desprezem,
por serem irmãos; antes os sirvam melhor, porque
eles, que participam do benefício, são crentes e
amados. Isto ensina e exorta.
Nesta lição nos mostra uma pessoa que se submeteu ao
sistema e por isso tem que estar nesta posição para que o
cristianismo não seja blasfemado, isto é o mesmo que um
brasileiro que muda para um outro país, ele terá por
obrigatoriedade de respeitar as leis daquele país sendo um
brasileiro por que não está na sua terra, assim entendemos que um
cristão que se submete a ser servo de alguém, então que se cumpra
a sua posição de serviçal, e é desta forma que se dá um verdadeiro
testemunho sendo um cristão que respeita e dá respeito, sabendo
que somos estrangeiros não pertencemos a esta terra, mas sim o
céu.(João 15.19)
Jesus nos fala a respeito disto que enquanto estivermos no
mundo respeitemos a forma do mundo. João 15.20 Lembrai-
vos da palavra que eu vos disse: Não é o servo
maior do que o seu senhor. Se a mim me
perseguiram, também vos perseguirão a vós; se
guardaram a minha palavra, guardarão também a
vossa. Porque o mundo não é nosso o mundo jaz no
maligno.
1 João 5.19 Sabemos que somos de Deus, e que o
mundo inteiro jaz no Maligno. Nesta passagem de João, nos
fala do mundo e não da terra, a palavra "mundo" (gr. Kosmos) nos
69

fala da forma de governo terreno e não das maravilhas terrenas


criadas por Deus. Devemos tomar cuidado nas interpretações de
textos para não menosprezarmos as criações de Deus colocando-as
como pertencente a satanás.
Satanás teve audácia em oferecer para Jesus a sua forma de
governo e o poder, mas o nosso Senhor recusou. Deus quis que
Seu Filho passasse pela mesma sedução satânica em que todo o
mundo passa, Jesus foi conduzido pelo Espírito para ser tentado
nesta cobiça em que a maioria dos homens cai. Lucas 4.1-13
1 E JESUS, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão
e foi levado pelo Espírito ao deserto;
2 E quarenta dias foi tentado pelo diabo, e naqueles
dias não comeu coisa alguma; e, terminados eles,
teve fome.
3 E disse-lhe o diabo: Se tu és o Filho de Deus, dize
a esta pedra que se transforme em pão.
4 E Jesus lhe respondeu, dizendo: Escrito está que
nem só de pão viverá o homem, mas de toda a
palavra de Deus.
5 E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe
num momento de tempo todos os reinos do mundo.
6 E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e
a sua glória, porque a mim me foi entregue, e dou-o
a quem quero:
7 Portanto, se tu me adorares, tudo será teu.
8 E Jesus, respondendo, disse-lhe: Vai-te, Satanás;
porque está escrito: Adorarás o Senhor teu Deus, e
só a Ele servirás.
9 Levou-o também a Jerusalém, e pô-lo sobre o
pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és o Filho de
Deus, lança-te daqui abaixo;
10 Porque está escrito: Mandará aos seus anjos,
acerca de ti, que te guardem,
70

11 E que te sustenham nas mãos, para que nunca


tropeces com o teu pé em alguma pedra.
12 E Jesus, respondendo, disse-lhe: Dito está: Não
tentarás ao Senhor teu Deus.
13 E, acabando o diabo toda a tentação, ausentou-
se dele por algum tempo.
No versículo 5, satanás (diabo) mostra os reinos do mundo para
Jesus e não a terra, mostra a sedução do sistema mundano tais
como, popularidade, honra, glórias, poder, artifícios políticos,
domínio. Nos versículos 6 e 7 satanás declara que o poder e a
glória que ele recebeu de Adão e de Caim, daria para Jesus e para
quem quiser por que é dele. Esta declaração nos mostra que esta
revelação que vos mostro é real e está presente em muitas igrejas
que se dizem ser de Jesus, satanás está no controle de muitas por
ai, que só procuram popularidade, honra, glórias, poder, artifícios
políticos e domínio. E aqueles que estão nesta busca não adoram a
Jesus, mas sim satanás. Mateus 6. 24 Ninguém pode servir a
dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o
outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não
podeis servir a Deus e a Mamom. (Mamom o deus das riquezas)
No versículo 8 Jesus declara que o reino de Deus é diferente do
sistema não se serve a homens mas sim a Deus.
Deus quer estabelecer Seu reino em Seu povo e por isso nós
lideres evangélicos não podemos ter o propósito de divulgar outra
coisa a não ser Jesus o Senhor.
71

A Igreja no laço do Sistema

Hoje em dia vemos a igreja em um laço diabólico; para se


demonstrar que Deus está presente na igreja, tem que mostrar os
lucros, e a quantidade de pessoas que dizima e oferta, deixam bem
claro que a igreja mais se preocupa com dinheiro do que as almas,
e nesta cobiça muitos se desviam da fé em Jesus Cristo. Satanás
induz os lideres religiosos ao mais ridículo das descriminações, a
descriminação socioeconômica, caem na desgraça espiritual de
mostrar a público quem é dizimista e quanto ele dizima, fazendo
então a descriminação dos que tem dos que não tem.
Tiago 2.1-9
1 MEUS irmãos, não tenhais a fé de nosso Senhor
Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de
pessoas.
2 Porque, se no vosso ajuntamento entrar algum
homem com anel de ouro no dedo, com vestidos
preciosos, e entrar também algum pobre com
sórdido vestido,
3 E atentardes para o que traz o vestido precioso, e
lhe disserdes: Assenta-te tu aqui num lugar de
honra, e disserdes ao pobre: Tu, fica aí em pé, ou
assenta-te abaixo do meu estrado,
4 Porventura não fizestes distinção dentro de vós
mesmos, e não vos fizestes juízes de maus
pensamentos?
5 Ouvi, meus amados irmãos: Porventura não
escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem
ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos
que o amam?
6 Mas vós desonrastes o pobre. Porventura não vos
oprimem os ricos, e não vos arrastam aos tribunais?
72

7 Porventura não blasfemam eles o bom nome que


sobre vós foi invocado?
8 Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei
real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem
fazeis.
9 Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis
pecado, e sois redargüidos pela lei como
transgressores.
Fui dirigente de uma congregação em que o nosso líder presidente
da igreja sempre se alegrava quando uma pessoa rica se convertia
e ia para a sua igreja. Uma certa vez ele me disse:
_ Sabe quem esta vindo para nossa igreja, o empresário
mais rico de Belo Horizonte, que benção a nossa igreja vai
crescer.
Deus não está preocupado pelas suas condições financeiras, mas
sim pela sua fé. Muitos acreditam que para fazer a obra de Deus é
preciso de dinheiro, a idéia de ter dinheiro para fazer a obra de
Deus é demoníaca, porque a sua confiança se depositará no
dinheiro e não em Deus. Essa idéia de ser rico para fazer a obra de
Deus, e para demonstrar que Deus está abençoando tem que ser
bem financeiramente, lança por terra toda a base de que Deus é
Deus tantos dos ricos quanto dos pobres. Jesus disse: “E,
levantando ele os olhos para os seus discípulos,
dizia: Bem-aventurados vós, os pobres, porque
vosso é o reino de Deus.” (Lucas 6.20)
Jesus convivia naquela época com a descriminação
socioeconômica, os próprios judeus tinham, por dádiva especial de
Deus e sinal de que estavam no centro da vontade de Deus a
riqueza e se eram pobres demonstrava que a pessoa era pecadora e
não tinha fé em Deus para ser livre da pobreza. Jesus disse duas
parábolas no mesmo dia para mostrar que este conceito de que a
riqueza é só daqueles que estão no centro da vontade de Deus, é
meramente hipocrisia e demoníaca, logo após a primeira parábola
73

Jesus foi zombado pelos fariseus. Em Lucas 16.1-13 Jesus mostra


a infidelidade de um mordomo com o seu senhor e logo nos
mostra no verso 9 a forma que satanás dá para sermos bem quisto
no sistema, que é comprar a amizade, é neste meio que a igreja
está andando, compra e terás Jesus. No verso 13 Jesus nos fala que
não podemos servir a Deus e a Mamom, no original mamom, é um
termo aramaico que significa riquezas ou dinheiro. Jesus deixou
bem claro que uma pessoa não pode ao mesmo tempo servir a
Deus e às riquezas. Quando servimos às riquezas damos mais
valor a ela do que a Deus. Na riqueza depositamos nossa
confiança e fé; e sempre teremos nela nossa segurança máxima e
felicidade; confiaremos que o nosso futuro estará sempre
garantido; e a buscamos mais do que o reino de Deus e sua justiça.
Acumulando-se dela nos dá um trabalho tão envolvente, que logo
passa a controlar a nossa mente e vida, até que a glória de Deus
deixa de ter a primazia em nosso ser. É isso que deseja? Então vai
enfrente e se afunde no sistema de Lúcifer, e estará na eternidade
sem riqueza e sem Paz.
No verso 14 vemos os fariseus zombarem de Jesus pela parábola e
pela sua pobreza.
14 E os fariseus, que eram avarentos, ouviam todas
essas coisas e zombavam dele.
Logo Jesus fala de outra parábola que para mim é a parábola
chave para tudo que eu estou lhe dizendo, se ser cristão tem que
ser rico, Lázaro estava no lugar errado, pois Jesus mostrou na sua
parábola que Lázaro era mendigo, mas mesmo assim foi para o
seio de Abraão. Veja que Jesus é a verdade e creio na sua palavra.
A parábola do rico e Lázaro
19 Ora, havia um homem rico, e vestia-se de
púrpura e de linho finíssimo, e vivia todos os dias
regalada e esplendidamente.
20 Havia também um certo mendigo, chamado
Lázaro, que jazia cheio de chagas à porta daquele.
74

21 E desejava alimentar-se com as migalhas que


caíam da mesa do rico; e os próprios cães vinham
lamber-lhe as chagas.
22 E aconteceu que o mendigo morreu e foi levado
pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu
também o rico e foi sepultado.
23 E, no Hades, ergueu os olhos, estando em
tormentos, e viu ao longe Abraão e Lázaro, no seu
seio.
24 E, clamando, disse: Abraão, meu pai, tem
misericórdia de mim e manda a Lázaro que molhe
na água a ponta do seu dedo e me refresque a
língua, porque estou atormentado nesta chama.
25 Disse, porém, Abraão: Filho ,lembra-te onde que
recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro,
somente males; e, agora, este é consolado, e tu,
atormentado.
26 E, além disso, está posto um grande abismo
entre nós e vós, de sorte que os que quisessem
passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco
os de lá, passar para cá.
27 E disse ele: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à
casa de meu pai,
28 pois tenho cinco irmãos, para que lhes dê
testemunho, a fim de que não venham também para
este lugar de tormento.
29 Disse-lhe Abraão: Eles têm Moisés e os Profetas;
ouçam-nos.
30 E disse ele: Não, Abraão, meu pai; mas, se algum
dos mortos fosse ter com eles, arrepender-se-iam.
75

31 Porém Abraão lhe disse: Se não ouvem a Moisés


e aos Profetas, tampouco acreditarão, ainda que
algum dos mortos ressuscite.
No verso 25 Abraão declara ao rico que recebeu bens em vida e
teve a oportunidade muito mais que Lázaro para estar aos pés de
Deus, mas a riqueza o distanciou da verdade.
Há um fato interessante no antigo testamento no livro de Jó, a
história é muito importante para nos mostrar o que Deus quer
realmente de nós quando somos ricos, a ponto de estarmos no topo
da pirâmide, Deus quer é a sua fidelidade com ou sem riqueza. A
bíblia declara que Jó era um homem temente a Deus, sincero e
fugia do mal (Jó 1.1 Havia um homem na terra de Uz,
cujo nome era Jó; e este era homem sincero, reto e
temente a Deus; e desviava-se do mal.)
Jó era um homem muito rico e estava no topo da pirâmide.
3 E era o seu gado sete mil ovelhas, e três mil
camelos, e quinhentas juntas de bois, e quinhentas
jumentas; era também muitíssima a gente ao seu
serviço, de maneira que
este homem era maior do que todos os do Oriente.
4 E iam seus filhos e faziam banquetes em casa de
cada um no seu dia; e enviavam e convidavam as
suas três irmãs a comerem e beberem com eles.
5 Sucedeu pois que, tendo decorrido o turno de dias
de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se
levantava de madrugada, e oferecia holocaustos
segundo o número de todos eles; porque dizia Jó:
Porventura pecaram meus filhos, e blasfemaram de
Deus no seu coração. Assim o fazia Jó
continuamente.
6 E vindo um dia em que os filhos de Deus vieram
apresentar-se perante o Senhor, veio também
Satanás entre eles.
76

7 Então o Senhor disse a Satanás: Donde vens? E


Satanás respondeu ao Senhor, e disse: De rodear a
terra, e passear por ela.
8 E disse o Senhor a Satanás: Observaste tu a meu
servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a
ele, homem sincero e reto, temente a Deus, e
desviando-se do mal.
9 Então respondeu Satanás ao Senhor, e disse:
Porventura teme Jó a Deus debalde?
10 Porventura não o cercaste tu de bens a ele, e a
sua casa, e a tudo quanto tem? A obra de suas mãos
abençoaste e o seu gado está aumentado na terra.
11 Mas estende a tua mão, e toca-lhe em tudo
quanto tem, e verás se não blasfema de ti na tua
face!
12 E disse o Senhor a Satanás: Eis que tudo quanto
tem está na tua mão; somente contra ele não
estendas a tua mão. E Satanás saiu da presença do
Senhor.
13 E sucedeu um dia, em que seus filhos e suas
filhas comiam, e bebiam vinho na casa de seu irmão
primogênito,
14 Que veio um mensageiro a Jó, e lhe disse: Os
bois lavravam, e as jumentas pasciam junto a eles;
15 E eis que deram sobre eles os sabeus, e os
tomaram, e aos moços feriram ao fio da espada; e
eu somente escapei, para te trazer a nova.
16 Estando este ainda falando, Veio outro e disse:
Fogo de Deus caiu do céu, e queimou as ovelhas e
os moços, e os consumiu, e só eu escapei, para te
trazer a nova.
77

17 Estando ainda este falando, veio outro, e disse:


Ordenando os caldeus três bandos, deram sobre os
camelos, e os tomaram, e aos moços feriram ao fio
da espada; e só eu escapei, para te trazer a nova.
18 Estando ainda este falando, veio outro, e disse:
Estando teus filhos e tuas filhas comendo e bebendo
vinho, em casa de seu irmão primogênito,
19 Eis que um grande vento sobreveio dalém do
deserto, e deu nos quatro cantos da casa, a qual
caiu sobre os mancebos, e morreram; e só eu
escapei, para te trazer a nova.
20 Então Jó se levantou, e rasgou o seu manto, e
rapou a sua cabeça, e se lançou em terra, e adorou;
21 E disse: Nu saí do ventre de minha mãe, e nu
tornarei para lã; o Senhor o deu, e o Senhor o
tomou; bendito seja o nome do Senhor.
22 Em tudo isto Jó não pecou, nem atribuiu a Deus
falta alguma.

A Bíblia identifica a busca insaciável e avarenta pelas riquezas


como idolatria, a qual é demoníaca (cf. 1Co 10.19,20; Cl 3.5). Por
causa da influência demoníaca associada à riqueza, a ambição por
ela e a sua busca freqüentemente escravizam as pessoas (cf. Mt
6.24).
As riquezas são, na perspectiva de Jesus, um obstáculo, tanto à
salvação como ao discipulado (Mt 19.24; 13.22). Transmitem um
falso senso de segurança (12.15ss.), enganam (Mt 13.22) e exigem
total lealdade do coração (Mt 6.21). Quase sempre os ricos vivem
como quem não precisa de Deus. Na sua luta para acumular
riquezas, os ricos sufocam sua vida espiritual (8.14), caem em
tentação e sucumbem aos desejos nocivos (1Tm 6.9), e daí
abandonam a fé (1Tm 6.10). Geralmente os ricos exploram os
78

pobres (Tg 2.5,6). O cristão não deve, pois, ter a ambição de ficar
rico (1Tm 6.9-11).
O amontoar egoísta de bens materiais é uma indicação de que a
vida já não é considerada do ponto de vista da eternidade (Cl 3.1).
O egoísta e cobiçoso já não centraliza em Deus o seu alvo e a sua
realização, mas, sim, em si mesmo e nas suas possessões. O fato
de a esposa de Ló pôr todo seu coração numa cidade terrena e seus
prazeres, e não na cidade celestial, resultou na sua tragédia (Gn
19.16,26; Lc 17.28-33; Hb 11.8-10).
Para o cristão, as verdadeiras riquezas consistem na fé e no amor
que se expressam na abnegação e em seguir fielmente a Jesus
(1Co 13.4-7; Fp 2.3-5).
Quanto à atitude correta em relação a bens e o seu usufruto, o
crente tem a obrigação de ser fiel (16.11). O cristão não deve
apegar-se às riquezas como um tesouro ou garantia pessoal; pelo
contrário, deve abrir mão delas, colocando-as nas mãos de Deus
para uso no seu reino, promoção da causa de Cristo na terra,
salvação dos perdidos e atendimento de necessidades do próximo.
Portanto, quem possui riquezas e bens não deve julgar-se rico em
si, e sim administrador dos bens de Deus (12.31-48). Os tais
devem ser generosos, prontos a ajudar o carente, e serem ricos em
boas obras (Ef 4.28; 1Tm 6.17-19).
Cada cristão deve examinar seu próprio coração e desejos: sou
uma pessoa cobiçosa? Sou egoísta? Aflijo-me para ser rico?
Tenho forte desejo de honrarias, prestígio, poder e posição, o que
muitas vezes depende da posse de muita riqueza?

POBREZA. Uma das atividades que Jesus avocou na sua missão


dirigida pelo Espírito Santo foi "evangelizar os pobres" (4.18; cf.
Is 61.1). Noutras palavras, o evangelho de Cristo pode ser
definido como um evangelho dos pobres (Mt 5.3; 11.5; Lc 7.22;
Tg 2.5).
79

Os "pobres" (gr. ptochos) são os humildes e aflitos deste mundo,


os quais clamam a Deus em grande necessidade, buscando
socorro. Ao mesmo tempo, são fiéis a Deus e aguardam a plena
redenção do povo de Deus, do pecado, sofrimento, fome e ódio,
que prevalecem aqui no mundo. Sua riqueza e sua vida não
consistem em coisas deste mundo (ver Sl 22.26; 72.2, 12,13;
147.6; Is 11.4; 29.19; Lc 6.20; Jo 14.3 nota).
A libertação do sofrimento, da opressão, da injustiça e da pobreza,
com certeza virá aos pobres de Deus (Lc 6.21). "Texto extraído do
estudo Pentecostal CPAD".

No sistema sempre se mede a qualidade de vida pela quantidade,


quando alguém se casa a pergunta sempre vai girar na área
financeira, na quantidade de dinheiro que o casal possui e não se
os dois se amam a ponto de permanecerem casados mesmo na
pobreza, as perguntas são assim: Eles já têm casa? Ele trabalha?
Ela trabalha? O sistema já está na índole humana e é por isso que
muitos não casam se primeiro não tiver a quantidade e não a
intensidade de amor a ponto de suportarem o mundo pelo o amor
mutua. Quando se morre alguém logo se pergunta quantos anos
ele (a) tinha, esta idéia de quantidade de anos vividos nos faz
conformar com a morte, e se morre alguém com a quantidade
pequena de anos vividos nos constrange nos revolta e nos dá uma
visão de que a pessoa viveu pouco, mas a realidade é outra, nós
temos que ver é com que intensidade a pessoa viveu, porque tem
pessoas que morreram com oitenta, noventa, cem anos mas não
viveram a vida conforme deviam viver, mas passaram a vida sem
viver. Conheci um senhor de noventa e dois anos que passou a
vida sem viver, quando ele tinha a idade de vinte e poucos anos
seu pai contraiu uma divida que toda a família pagaria pelo erro,
teriam que vender a fazenda o único meio de sustento familiar
para pagar a divida que seu pai contraiu, mas ele sendo o caçula
dos filhos ele mais seis irmãos, assumiu a divida de seu pai e
80

trabalhou de caixeiro viajante em toda a Minas Gerais vendendo


mercadorias de pequeno e grande porte, para saldar a dívida de
seu pai para se livrar da pobreza, ainda ele não tinha pagado a
dívida de seu pai e uma grande catástrofe aconteceu seu pai
morreu e sua mãe se encamou, os filhos mais velhos invadiram a
fazenda de seu pai e dividiram por sete, mas a pior parte ficou
para ele e disseram os irmãos que não iriam ficar com a mãe, mas
ele teria que sustenta-la porque ele ainda não era casado, e sendo
assim ele cuidou de sua mãe e pagou a divida de seu pai, mas a
idade se passou e ele não casou e não teve herdeiros, e agora com
noventa e dois anos vive de favor na casa da sua sobrinha sendo
ela já com a idade de setenta e oito anos. Esta é uma das histórias
que acontece com alguém que passou a vida sem viver. Mas á
caso de pessoas que morreram novo, mas teve a oportunidade de
vive-la com intensidade. Digo que a melhor maneira de viver é em
Cristo Jesus e é só Ele que dá a verdadeira vida para vivermos
intensamente com Ele.
81

Contraste do governo de Deus com o governo


de satanás

Agora fica muito mais fácil de entender o que Deus está


nos mostrando. O livro de Juízes nos mostra a forma de Deus
reger uma nação, Ele nunca teve a vontade de estabelecer um
sistema de dominantes, a forma de Deus é de libertador. Assim foi
e é a regência de Deus. "Os Juizes não tinham formação oficial
para julgar disputas legais como a palavra juiz dá hoje a entender.
Eles eram líderes dotados pelo Espírito, escolhidos por Deus para
tarefas específicas (cf. Juizes 3.9-10;6.11.29;13.25). Como juízes,
trabalhavam para levar justiça ao povo oprimido de Israel. O
verbo governar na versão Bíblica Linguagem de Hoje é
empregado com maior freqüência pelo autor para descrever a
função dos juízes. Os juízes também salvaram e libertaram Israel
de seus inimigos (por exemplo 3.9,31;4.14;10.1;13.5)" (Texto
extraído do Manual Bíblico Vida Nova pg.242). A palavra
governar do latim é gubernare, que traduzindo significa 'dirigir',
'conduzir', 'guiar'; 'administrar', já no grego a palavra é kybernân,
que traduzindo significa 'conduzir'. Deus estabeleceu, pessoas que
pela orientação Dele pudessem conduzir o povo em constante
liberdade, o governo de Deus é Ele quem governa, é bem diferente
do governo satânico, um homem guiando outros homens.
Vemos que o povo gosta tanto de servir a homens e satanás, que
na palavra de Deus encontramos o povo de Israel sendo livre dos
midianitas por intermédio de Gideão sendo ele um juiz levantado
por Deus para livramento do povo, mas o povo sempre queria a
proteção do sistema e não de Deus, Juizes 8.22-35.
22 Então, os homens de Israel disseram a Gideão:
Domina sobre nós, tanto tu como teu filho e o filho
de teu filho; porquanto nos livraste da mão dos
midianitas.
82

23 Porém Gideão lhes disse: Sobre vós eu não


dominarei, nem tampouco meu filho sobre vós
dominará; o SENHOR sobre vós dominará.
24 E disse-lhes mais Gideão: Uma petição vos farei:
dai-me cada um de vós os pendentes do seu
despojo (porque tinham pendentes de ouro,
porquanto eram ismaelitas).
25 E disseram eles: De boa mente os daremos. E
estenderam uma capa, e cada um deles deitou ali
um pendente do seu despojo.
26 E foi o peso dos pendentes de ouro que pediu mil
e setecentos siclos de ouro, afora as luetas, e as
cadeias, e as vestes de púrpura que traziam os reis
dos midianitas, e afora as coleiras que os camelos
traziam ao pescoço.
27 E fez Gideão disso um éfode te pô-lo na sua
cidade, em Ofra; e todo o Israel se prostituiu ali após
ele; e foi por tropeço a Gideão e à sua casa.
28 Assim foram abatidos os midianitas diante dos
filhos de Israel e nunca mais levantaram a sua
cabeça; e sossegou a terra quarenta anos nos dias
de Gideão.
29 E foi-se Jerubaal, filho de Joás, e habitou em sua
casa.
30 E teve Gideão setenta filhos, que procederam
dele; porque tinha muitas mulheres.
31 E sua concubina, que estava em Siquém, lhe deu
também um filho; e pôs-lhe por nome Abimeleque.
32 E faleceu Gideão, filho de Joás, numa boa velhice
e foi sepultado no sepulcro de seu pai Joás, em Ofra
dos abiezritas.
83

33 E sucedeu que, quando Gideão faleceu, os filhos


de Israel se tornaram, e se prostituíram após os
baalins, e puseram a Baal-Berite por deus.
34 E os filhos de Israel se não lembraram do
SENHOR, seu Deus, que os livrara da mão de todos
os seus inimigos em redor;
35 nem usaram de beneficência com a casa de
Jerubaal, a saber, de Gideão, conforme todo o bem
que ele usara com Israel.
No versículo 27 o éfode que Gideão fez de ouro e pôs no meio da
cidade provavelmente era uma imagem da sua vitória na luta
contra os midianitas, Gideão o fez sem consultar a Deus, trazendo
a idolatria para o povo de Israel e a desgraça se alastrou a todo o
povo a ponto de levantarem outro deus para a adoração no verso
33 satanás assume o posto de dominador diante do povo de Deus.
Êta povinho miserável, só pensa em Deus na hora da angústia
salmos 18.6 Na angústia invoquei ao Senhor, e clamei ao meu
Deus; desde o seu templo ouviu a minha voz, aos seus ouvidos
chegou o meu clamor perante a sua face.
Vemos que logo na frente porque o povo abandonou a Deus e a
sua vontade; Deus fez que Samuel fosse o último juiz de Israel
findando então os Juízes, não que fosse da vontade de Deus. O
povo pediu um rei porque aos olhos do povo o juizado de Samuel
começava a falhar. Ele estava velho; e seus filhos como os de Eli,
eram homens maus que pervertiam a justiça. O povo também
queria ter o que outras nações tinham; ser dominada por um líder
(1 Samuel 8.1-5). Deus permitiu que o povo fosse dominado pelo
sistema porque já não queria a Deus como Senhor, mas sim o
sistema. Deus então disse para Samuel que o povo fosse dominado
pelo sistema, mas que mostrasse para eles que seriam dominados.
Foi à mesma coisa que eu vi no Egito, morte e maldição. 1 Samuel
8.6-22
84

"6 Porém esta palavra pareceu mal aos olhos de


Samuel, quando disseram: Dá-nos um rei, para que
nos julgue. E Samuel orou ao Senhor.
7 E disse o Senhor a Samuel: Ouve a voz do povo
em tudo quanto te disserem, pois não te têm
rejeitado a ti, antes a mim me têm rejeitado, para
eu não reinar sobre eles.
8 Conforme a todas as obras que fizeram desde o
dia em que os tirei do Egito até ao dia de hoje, pois
a mim me deixaram, e a outros deuses serviram,
assim também te fizeram a ti.
9 Agora, pois, ouve a sua voz, porém protesta-lhes
solenemente, e declara-lhes qual será o costume do
rei que houver de reinar sobre eles.
10 E falou Samuel todas as palavras do Senhor ao
povo, que lhe pedia um rei,
11 E disse: Este será o costume do rei que houver
de reinar sobre vós: ele tomará os vossos filhos, e os
empregará para os seus carros, e para seus
cavaleiros, para que corram adiante dos seus
carros;
12 E os porá por príncipes de milhares e por
cinqüentenários, e para que lavrem a sua lavoura, e
seguem a sua sega, e façam as suas armas de
guerra e os petrechos de seus carros.
13 E tomará as vossas filhas para perfumistas,
cozinheiras, e padeiras.
14 E tomará o melhor das vossas terras, e das
vossas vinhas, e dos vossos olivais, e os dará aos
seus criados.
85

15 E as vossas sementes, e as vossas vinhas


dizimará, para dar aos seus eunucos, e aos seus
criados.
16 Também os vossos criados, e as vossas criadas,
e os vossos melhores mancebos, e os vossos
jumentos tomará, e os empregará no seu trabalho.
17 Dizimará o vosso rebanho, e vós lhe servireis de
criados.
18 Então naquele dia clamareis por causa do vosso
rei, que vós houverdes escolhido; mas o Senhor não
vos ouvirá naquele dia.
19 Porém o povo não quis ouvir a voz de Samuel; e
disseram: Não, mas haverá sobre nós um rei.
20 E nós também seremos como todas as outras
nações; e o nosso rei nos julgará, e sairá adiante de
nós, e fará as nossas guerras.
21 Ouvindo, pois, Samuel todas as palavras do povo,
as falou perante os ouvidos do Senhor.
22 Então o Senhor disse a Samuel: Dá ouvidos à sua
voz, e constitui-lhes rei. Então Samuel disse aos
filhos de Israel: Vá-se cada qual à sua cidade."
Saul dominou a Israel e fez segundo a sua vontade e não à vontade
de Deus, trazendo para o povo a desgraça. A partir de então o
sistema estava presente em todo o povo de Israel.
Davi foi um homem que ouvia a Deus e chamado por Deus para
libertação do povo, quando estava na posição de libertador, Deus
abençoou, mas o povo não queria um libertador guiado por Deus,
mas queriam um rei para serem dominados, mas quando Davi foi
consagrado rei foi à ruína para sua vida, estava amarrado pelo
sistema; vemos o seu ar de dominante quando mata Urias o heteu
para se adulterar com a sua mulher (2 Samuel 11) abusou da
posição de dominante para satisfazer a sua concupiscência carnal.
Profeta Natã o repreende por causa da sua posição de dominante
86

(2 Samuel 12) mas Davi tinha uma virtude quando ouvia a voz de
Deus ele se arrependia.
Salomão filho de Davi foi muito sábio para explicar, e ensinar a
viver, mas não viveu aquilo que ensinou, Salomão se tornou um
idólatra e Deus se irou contra ele (1Reis 11.1-13) daí até a sua
morte Deus levantou guerra contra ele, Morreu sabe lá Deus com
ou sem salvação (1Reis 11.41-43), ao contrário de seu pai ele era
um homem de difícil arrependimento. O escritor das Crônicas
escreveu da advertência de Davi a Salomão, se deixasse a Deus
seria rejeitado para sempre, (1 Crônicas 28.9 "E tu, meu filho
Salomão, conhece o Deus de teu pai, e serve-o com um coração
perfeito e com uma alma voluntária; porque esquadrinha o Senhor
todos os corações, e entende todas as imaginações dos
pensamentos. Se o buscares, será achado de ti; porém, se o
deixares, rejeitar-te-á para sempre." e assim aconteceu com
Salomão, deixou a Deus para se curvar diante dos deuses de suas
esposas (1 Reis 11.2-9)
Mais a frente da história veremos que o povo de Israel foi dividido
pelo sistema, reino do norte e reino do sul. A apostasia se tornou
presente em todo o povo, satanás teve êxito com o povo de Israel,
em (1 Reis 12.1-16.34).
Depois destes fatos vemos em todo o povo da promessa, ficar
debaixo do sistema (apostasia e idolatria).
Os povos de Israel e de Judá foram escravos de muitos povos,
Deus permitiu, porque era o que o povo queria.
87

Na contra-mão do sistema

Deus me mostrou mais passagens, que eu já tinha lido várias


vezes, mas nunca tinha visto com tanta profundidade espiritual e
me leva a ver a pirâmide novamente, mas agora estava com duas
setas, um indo de encontro com a outra. A seta de cima mostra a
vontade de Deus, vem direto Dele para nós, a seta de baixo o
sistema de satanás e a sua vontade.
Fui levado na Palavra de Deus até o nascimento de Jesus e ali vi o
nosso salvador indo no sentido contrário do sistema na contra-
mão.Mateus 2
1 E, TENDO nascido Jesus em Belém de Judéia, no
tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do
oriente a Jerusalém,
2 Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos
judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e
viemos a adorá-lo.
3 E o rei Herodes, ouvindo isto, perturbou-se, e toda
Jerusalém com ele.
4 E, congregados todos os príncipes dos sacerdotes,
e os escribas do povo, perguntou-lhes onde havia de
nascer o Cristo.
5 E eles lhe disseram: Em Belém de Judéia; porque
assim está escrito pelo profeta:
6 E tu, Belém, terra de Judá, de modo nenhum és a
menor entre as capitais de Judá; porque de ti sairá o
Guia que há de apascentar o meu povo de Israel.
7 Então Herodes, chamando secretamente os
magos, inquiriu exatamente deles acerca do tempo
em que a estrela lhes aparecera.
88

8 E, enviando-os a Belém, disse: Ide, e perguntai


diligentemente pelo menino, e, quando o achardes,
participai-mo, para que também eu vá e o adore.
9 E, tendo eles ouvido o rei, partiram; e eis que a
estrela, que tinham visto no oriente, ia adiante
deles, até que, chegando, se deteve sobre o lugar
onde estava o menino.
10 E, vendo eles a estrela, alegraram-se muito com
grande alegria.
11 E, entrando na casa, acharam o menino com
Maria sua mãe, e, prostrando-se, o adoraram; e,
abrindo os seus tesouros, lhe ofertaram dádivas:
ouro, incenso e mirra.
12 E, sendo por divina revelação avisados em
sonhos para que não voltassem para junto de
Herodes, partiram para a sua terra por outro
caminho.
13 E, tendo-se eles retirado, eis que o anjo do
Senhor apareceu a José em sonhos, dizendo:
Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para
o Egito, e demora-te lá até que eu te diga; porque
Herodes há de procurar o menino para o matar.
14 E, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe,
de noite, e foi para o Egito.
15 E esteve lá até à morte de Herodes, para que se
cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo
profeta, que diz: Do Egito chamei o meu Filho.
16 Então Herodes, vendo que tinha sido iludido
pelos magos, irritou-se muito, e mandou matar
todos os meninos que havia em Belém, e em todos
os seus contornos, de dois anos para baixo, segundo
o tempo que diligentemente inquirira dos magos.
89

17 Então se cumpriu o que foi dito pelo profeta


Jeremias que diz:
18 Em Ramá se ouviu uma voz, lamentação, choro e
grande pranto: Raquel chorando os seus filhos, e
não querendo ser consolada, porque já não existem.
19 Morto porém Herodes, eis que o anjo do Senhor
apareceu num sonho a José no Egito,
20 Dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua
mãe, e vai para a terra de Israel; porque já estão
mortos os que procuravam a morte do menino.
21 Então ele se levantou, e tomou o menino e sua
mãe, e foi para a terra de Israel.
22 E, ouvindo que Arquelau reinava na Judéia em
lugar de Herodes, seu pai receou ir para lá; mas
avisado em sonhos por divina revelação, foi para as
partes da Galiléia.
23 E chegou, e habitou numa cidade chamada
Nazaré para que se cumprisse o que fora dito pelos
profetas: Ele será chamado Nazareno.
Jesus nasceu Rei para se opor ao sistema mundial de satanás e
parar todo o progresso de maldade e desgraça. Sendo Rei pobre
das riquezas do mundo era que Deus queria mostrar para o
sistema, Deus levanta reis da pobreza do mundo, em toda a
existência humana Deus sempre fez e sempre fará desta forma. E é
assim que Deus quer fazer com você leitor, um rei ou uma rainha
das riquezas do Céu e não da terra. Mateus 6.19,20 "19 Não
ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a
ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam
e roubam;
20 Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça
nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não
minam nem roubam."
90

Mas você pode perguntar e os ricos das riquezas desta terra que
são cristãos o que fará? Te respondo, que coloque suas riquezas
em ultimo lugar em sua vida, e Jesus em primeiro lugar, e sendo
rico não seja dominante mas sim amigo, se for um empresário
coloque seus funcionários como parceiros e amigos, porque
quando se emprega uma pessoa não é este escravo mas sim um
amigo que estará prestando seu serviço para que em troca do
serviço prestado possa se sobreviver neste mundo e assim
romperam em harmonia sendo vitoriosos neste mundo tenebroso 1
Coríntios 7.22,23 "22 Porque o que é chamado pelo
Senhor, sendo servo, é liberto do Senhor; e da
mesma maneira também o que é chamado sendo
livre, servo é de Cristo.
23 Fostes comprados por bom preço; não vos façais
servos dos homens.". Logo assim o empregado presta o seu
serviço para se manter vivo nesta terra dando o seu trabalho sem
reclamar para serem ambos vitoriosos. Não amem as riquezas para
que não sejam deixados com esta terra e toda a suas glórias. 1
Timóteo 6 "1 TODOS os servos que estão debaixo do
jugo estimem a seus senhores por dignos de toda a
honra, para que o nome de Deus e a doutrina não
sejam blasfemados.
2 E os que têm senhores crentes não os desprezem,
por serem irmãos; antes os sirvam melhor, porque
eles, que participam do benefício, são crentes e
amados. Isto ensina e exorta.
3 Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não
conforma com as sãs palavras de nosso Senhor
Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a
piedade,
4 É soberbo, e nada sabe mas delira acerca de
questões e contendas de palavras, das quais
nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas,
91

5 Contendas de homens corruptos de entendimento,


e privados da verdade, cuidando que a piedade seja
causa de ganho; aparta-te dos tais.
6 Mas é grande ganho a piedade com
contentamento.
7 Porque nada trouxemos para este mundo, e
manifesto é que nada podemos levar dele.
8 Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos,
estejamos com isso contentes.
9 Mas os que querem ser ricos caem em tentação e
em laço, e em muitas concupiscências loucas e
nocivas, que submergem os homens na perdição e
ruína.
10 Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda a
espécie de males e nessa cobiça alguns se
desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos
com muitas dores.
11 Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e
segue a justiça, a piedade, a fé, a caridade, a
paciência, a mansidão.
12 Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida
eterna, para a qual também foste chamado, tendo já
feito boa confissão diante de muitas testemunhas.
13 Mando-te diante de Deus, que todas as coisas
vivifica, e de Cristo Jesus, que diante de Pôncio
Pilatos deu o testemunho de boa confissão,
14 Que guardes este mandamento sem mácula e
repreensão, até à aparição de nosso Senhor Jesus
Cristo;
15 A qual a seu tempo mostrará o bem-aventurado,
e único poderoso Senhor, Rei dos reis e Senhor dos
senhores;
92

16 Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita


na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu
nem pode ver: ao qual seja honra e poder
sempiterno. Amém.
17 Manda aos ricos deste mundo que não sejam
altivos, nem ponham a esperança na incerteza das
riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos
dá todas as coisas para delas gozarmos;
18 Que façam bem, enriqueçam em boas obras,
repartam de boa mente, e sejam comunicáveis
19 Que entesourem para si mesmos um bom
fundamento para o futuro, para que possam
alcançar a vida eterna.
20 Ó Timóteo, guarda o depósito que te foi confiado,
tendo horror aos clamores vãos e profanos e às
oposições da falsamente chamada ciência;
21 A qual professando-a alguns, se desviaram da fé.
A graça seja contigo. Amém.

Logo eu vi o que Deus me dissera que todo aquele que tentar


mudar a seta é morto. Mas satanás não sabia com quem estava lhe
dando, porque até então tinha lhe dado com homens e não com
Deus, e ele achava que era só matar que o problema era resolvido
e teria a vitória, mas com Deus é diferente, temos a vida "12
Não és tu desde a eternidade, ó Senhor meu Deus,
meu santo? Nós não morreremos. Ó Senhor, para
juízo puseste este povo; e tu, ó Rocha, o
estabeleceste para correção".Habacuque 1.12
Jesus é a Rocha, porque Isaias 26.4 "Confiai no Senhor
perpetuamente, porque o Senhor Deus é uma rocha
eterna". Ele permanece para sempre, assim como a rocha existe
desde a fundação do mundo Ele também é antes da fundação do
93

mundo e permanecerá para sempre e sempre em eternidade e


eternidade, amém. Nós não morreremos, satanás esqueceu que
Jesus não morreria para vida, mas morreria para morte, e assim a
morte foi vencida por Jesus ao terceiro dia após a sua morte e nos
trouxe a vida eterna. Disse Jesus no evangelho de João 11.25,26
"25 Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a
vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá”;
26 e todo aquele que vive, e crê em mim, jamais
morrerá. Crês isto?
O rei Herodes viu que tinha nascido um outro rei, mas não do
sistema e sim dos Judeus os da promessa. Nasceu um que tinha o
poder de inverter o sistema, foi o que eu entendi. Veja mais uma
vez a pirâmide, mas com a base para cima, a inversão da regra do
sistema muda a base e coloca os Dominantes embaixo, e os
Dominados encima, as bênçãos de vêem de cima para baixo e não
de baixo para cima João 3. 30,31 “É necessário que ele
cresça e que eu diminua, Aquele que vem de cima é
sobre todos; aquele que vem da terra é da terra e
fala da terra. Aquele que vem do céu é sobre todos.”
, daí dá para entender o que Jesus disse que nos livraria do mal,
mas não nos tiraria do mundo, e foi com isto que Ele introduziu a
sua Glória em nós para estarmos na contra-mão do sistema, João
17.14-18 “Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os
aborreceu, porque não são do mundo, assim como
eu não sou do mundo. Não peço que os tires do
mundo, mas que os livres do mal. Não são do
mundo, como eu do mundo não sou. Santifica-os na
verdade; a tua palavra é a verdade. Assim como tu
me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao
mundo..” se estivermos no mundo com a Glória de Deus
estaremos implantados como porta-vozes de Deus no mundo, mas,
Jesus está conosco no mundo. João 17.19-26 “E por eles me
santifico a mim mesmo, para que também eles
94

sejam santificados na verdade. E não rogo somente


por estes, mas também por aqueles que pela sua
palavra hão de crer em mim; Para que todos sejam
um, como tu, o Pai, o és em mim, e eu em ti; que
também eles sejam um em nós, para que o mundo
creia que tu me enviaste. E eu dei-lhes a glória que
a mim me deste, para que sejam um, como nos
somos um. Eu neles, e tu em mim, para que eles
sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo
conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens
amado a eles como me tens amado a mim. Pai,
aqueles que me deste quero que, onde eu estiver,
também eles estejam comigo, para que vejam a
minha glória que me deste; porque tu me hás
amado antes da fundação do mundo. Pai justo, o
mundo não te conheceu, mas eu te conheci; e estes
conheceram que tu me enviaste a mim. E eu lhes fiz
conhecer o teu nome e lho farei conhecer mais, para
que o amor com que me tens amado esteja neles, e
eu neles esteja.”

A história de Paulo nos mostra como o mundo ama os seus


e odeia os que são de Cristo, quando Paulo ainda não tinha
conhecido a Jesus como o seu único e suficiente salvador, o
mundo o amava e apoiava as suas atitudes, mas quando ele teve
um encontro com Jesus e entrou na contra-mão do sistema aqueles
em Atos 9.1-31 nos mostra que todo aquele que impõe contra o
sistema é ameaçado de morte, irei sublinhar algumas palavras para
você melhor entender.
1 Saulo, porém, respirando ainda ameaças e mortes
contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo
sacerdote,
95

2 e pediu-lhe cartas para Damasco, para as


sinagogas, a fim de que, caso encontrasse alguns do
Caminho, quer homens quer mulheres, os
conduzisse presos a Jerusalém.
3 Mas, seguindo ele viagem e aproximando-se de
Damasco, subitamente o cercou um resplendor de
luz do céu;
4 e, caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia:
Saulo, Saulo, por que me persegues?
5 Ele perguntou: Quem és tu, Senhor? Respondeu o
Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues;
6 mas levanta-te e entra na cidade, e lá te será dito
o que te cumpre fazer.
7 Os homens que viajavam com ele quedaram-se
emudecidos, ouvindo, na verdade, a voz, mas não
vendo ninguém.
8 Saulo levantou-se da terra e, abrindo os olhos, não
via coisa alguma; e, guiando-o pela mão,
conduziram-no a Damasco.
9 E esteve três dias sem ver, e não comeu nem
bebeu.
10 Ora, havia em Damasco certo discípulo chamado
Ananias; e disse-lhe o Senhor em visão: Ananias!
Respondeu ele: Eis-me aqui, Senhor.
11 Ordenou-lhe o Senhor: Levanta-te, vai à rua
chamada Direita e procura em casa de Judas um
homem de Tarso chamado Saulo; pois eis que ele
está orando;
12 e viu um homem chamado Ananias entrar e
impor-lhe as mãos, para que recuperasse a vista.
96

13 Respondeu Ananias: Senhor, a muitos ouvi


acerca desse homem, quantos males tem feito aos
teus santos em Jerusalém;
14 e aqui tem poder dos principais sacerdotes para
prender a todos os que invocam o teu nome.
15 Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é
para mim um vaso escolhido, para levar o meu
nome perante os gentios, e os reis, e os filhos de
Israel;
16 pois eu lhe mostrarei quanto lhe cumpre padecer
pelo meu nome.
17 Partiu Ananias e entrou na casa e, impondo-lhe
as mãos, disse: Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que te
apareceu no caminho por onde vinhas, enviou-me
para que tornes a ver e sejas cheio do Espírito
Santo.
18 Logo lhe caíram dos olhos como que umas
escamas, e recuperou a vista: então, levantando-se,
foi batizado.
19 E, tendo tomado alimento, ficou fortalecido.
Depois demorou-se alguns dias com os discípulos
que estavam em Damasco;
20 e logo nas sinagogas pregava a Jesus, que este
era o filho de Deus.
21 Todos os seus ouvintes pasmavam e diziam: Não
é este o que em Jerusalém perseguia os que
invocavam esse nome, e para isso veio aqui, para os
levar presos aos principais sacerdotes?
22 Saulo, porém, se fortalecia cada vez mais e
confundia os judeus que habitavam em Damasco,
provando que Jesus era o Cristo.
97

23 Decorridos muitos dias, os judeus deliberaram


entre si matá-lo.
24 Mas as suas ciladas vieram ao conhecimento de
Saulo. E como eles guardavam as portas de dia e de
noite para tirar-lhe a vida,
25 os discípulos, tomando-o de noite, desceram-no
pelo muro, dentro de um cesto.
26 Tendo Saulo chegado a Jerusalém, procurava
juntar-se aos discípulos; mas todos o temiam, não
crendo que fosse discípulo.
27 Então Barnabé, tomando-o consigo, o levou aos
apóstolos, e lhes contou como no caminho ele vira o
Senhor e que este lhe falara, e como em Damasco
pregara ousadamente em nome de Jesus.
28 Assim andava com eles em Jerusalém, entrando
e saindo,
29 e pregando ousadamente em nome do Senhor.
Falava e disputava também com os helenistas; mas
procuravam matá-lo.
30 Os irmãos, porém, quando o souberam,
acompanharam-no até Cesaréia e o enviaram a
Tarso.
31 Assim, pois, a igreja em toda a Judéia, Galiléia e
Samária, tinha paz, sendo edificada, e andando no
temor do Senhor; e, pelo auxílio do Espírito Santo,
se multiplicava.
98

A Revelação total do sistema de satanás nos


dias da grande tribulação

Satanás terá o prazer de implantar o sistema no mundo todo


inclusive em Israel, satanás levantará um homem segundo a
vontade Humana dotado de qualidades especiais

AS ATIVIDADES DO ANTICRISTO. Ao começar o Dia do


Senhor, "o iníquo" aparecerá neste mundo. Trata-se, nos meios
eruditos da Bíblia, de um governante mundial que fará aliança
com Israel por sete anos, antes do fim da presente era (ver Dn
9.27).
(1) A verdadeira identificação do Anticristo será conhecida três
anos e meio mais tarde, quando ele romper sua aliança com Israel,
tornar-se governante mundial, declarar ser Deus, profanar o
templo de Jerusalém, proibir a adoração a Deus (ver 2.4, 8,9) e
assolar a terra de Israel (ver Dn 9.27 nota; 11.36-45 nota).
(2) O Anticristo declarará ser Deus, e perseguirá severamente
quem permanecer leal a Cristo (Ap 11.6,7; 13.7, 15-18; ver Dn
7.8, 24,25 notas). Exigirá adoração, certamente sediada num
grande templo que será usado como centro de seus
pronunciamentos (cf. Dn 7.8, 25; 8.4; 11.31, 36). O homem aspira
tornar-se divino desde a criação (ver 2.8 nota; Ap 13.8,12 (3) O
“homem do pecado’’ fará mediante poder satânico, grandes sinais,
maravilhas e milagres a fim de propagar o engano (2.9). Prodígios
de mentira e significa que seus milagres são sobrenaturais,
parecendo autênticos, para enganar as pessoas e levá-los a crer na
mentira. (a) Tais demonstrações possivelmente serão vistas no
mundo inteiro pela televisão)”.
Milhões de pessoas ficarão impressionadas, enganadas por esse
líder altamente convincente, por não darem a devida importância à
Palavra de Deus nem ter amor às suas verdades (2.9-12). (b) Tanto
99

as palavras de Paulo (2.9), quanto às de Jesus (Mt 24.24) devem


despertar os crentes para o fato de que nem todo milagre provém
de Deus. Aparentes "manifestações do Espírito" (1Co 12.7-10) ou
fenômenos supostamente vindos da parte de Deus devem ser
provados à base da obediência a Cristo e às Escrituras, por parte
da pessoa atuante.
A DERROTA DO ANTICRISTO. No fim da tribulação, Satanás
congregará muitas nações no Armagedom, sob o comando do
Anticristo, e guerrearão contra Deus e o seu povo numa batalha
que envolverá o mundo inteiro (ver Dn 11.45 nota; Ap 16.16
nota). Quando isso ocorrer, Cristo voltará e intervirá de modo
sobrenatural, destruindo o Anticristo, seus exércitos e todos os que
não obedecem ao evangelho (ver Ap 19.15-21 notas). A seguir,
Cristo prenderá Satanás e estabelecerá seu reino na terra (20.1-6).

Bibliografia:

1. Gerald B. Gardner, Ursprung und Wirklichkeít der Hexen, Weilheim, 1965, pp. 30s.

2. F. Morrow, no prólogo e Montagne Summers, The history of wttchcraft and

demonology, 2a ed., Nova Iorque, 1956.

3. Citado por Merzbacher, Die Hexenprozesse in Franken, Munique, 1975, p. 43.

4. Kurt Baschwitz, Hexen und Hexenprozesse. Die Geschichte eines Massenwalms und

Bekampfung, Munique, 1963; uso a tradução de Ana Grossman, Brujas y proceso de brujeria,

Barcelona, Luiz de Caralt, 1968, p. 261.

5. Cf. Wilhelm Gottieb Soldan, Geschichte der Hexenprozesse aus der Quellen dargestellt,

Stutgard, 1843; 2º edição revisasda: Soldan-Ludwig Julius Heppe, Geschichte der

Hexenprozesse, 2 vols. Stuttgard, 1880; 3º edição revisada: Soldan –Heppe-Max Bauer, com o

mesmo título, Munique, 1012, tomo I, p. 530.


100

6. Idem, Soldan –Heppe-Max Bauer, ibidem, p. 251.

7. Na tese doutoral de G. Bader, Die Hexenprozesse in der Schweiz, Zurique, 1945, p. 219.

8. Fritz Byloff, "Hexenglaube und Hexenverfolgung in der õsterreichischen Alpenlander" in

Quellen zur deutschen Volkskunde, 1934, caderno 6, p. 159.

9. C. L. Ewen, Witccraft and demonianism, Londres, Muller, 1970; Witch hunting witch trial,

Londres, 1062; Nova Iorque, Harper, 1971.t.

10. Ramiro A. Calle, La magia negra y el ocultismo (técnicas para el conocimento de si mismo

y de los demás), Barcelona, Cedel, 1968, p. 271s.

11. Cf. Ronald Seth, Children against witches, Londres, Robert Hale, 1969, p. 14; Davies, Four

centuries…, op. cit.

12. Mair, La brujería..., op. cif, p. 216.

13. Fox, Science..., op. cit., p. 25; sobre a Bruxaria na Inglaterra, Peter Haining, A circie of

witches - An anthology of victorian witchcraft stories, Londres, Robert Hale, 1971; idem, The

anatomy o f witchcraft, Londres, Souvenir, 1972; tradução de René Cárdenas Barrios, La

anatomia de Ia brujería, México, Diana, 1976.

14. The body of liberties é reproduzido por William Witmore (ed.), The Colonial Laws of

Massachusetts. Reprinted from the edition of 1660, with suplements to 1672. Containing also

the Body of Liberties of 1641, Boston, City Council, 1889.

15. Ibidem, Liberty, 94, Capital Lawa, p. 55.

16. Cf. Winfield S. Nevins, Witchcraft in Salem Village in 1692, Salem-Massachusetts, Salem-

Press, 1916, pp. 29s.

. Thomas Hutchinson, History of the Colony of Massachusetts Bay, Londres, Thomas and John

Fleet, 1764, p. 187; William F. Poole, "Witchcraft in Boston" in Justin Windsor (ed.), Memorial

history of Boston, Boston, Tickner, 1881, tomo 2, p. 130.


101

18. B. Bekker, De betoverde wereld, Amsterdã, p. 576-587; trad.: Le monde enchaté, 6 vols.

Paris, 1964.

. Mair, La brujería..., op. cif, p. 216.

. Agência Zenit, Sunday, June 20, 2004 1:17 PM.

. Henry Charles Léa, A History of the inquisition of the Middle Ages, 3 vols. Nova Yorque,

Happer, 1888, principalmente vol. I, pp. 137ss; tradução de Salomon Reinach, Historie de

L’Inquisition au Moyen-Áge. Ouvrage traduit sur l’exemplaire revu et corrigé de l’auter, 3

vols., Paris, 1900-2 vol. 3.

. Daniel-Rops, História da Igreja de Cristo, vol. III, A Igreja das Catedrais e das “Cruzadas”,

Quadrante, pp. 605-606.

. VEIT, Valentim, História Universal, Livraria Martins Editoras, SP, 1961, Tomo II, pp. 248-

249. http://www.adventistas.com/marco2003/miguel_servetus.htm

. Benedict Carpzov, Practica Nova Rerum Criminalium Imperialis Saxonica in Tres Partes

Divisão, Wittenberg, 1635.

. Nichólas Romy, Daemonolatriae Libri Tres, Lião, 1595; Colônia, 1596; Frankfurt, 1597.

. Johan Christopher Froehlich von Froehlichsberg, De sorcelleria, Innsbruck, 1696;

tradução: Animismes, Paris, Orent, 1964, pp. 62ss.

. Cf.. Jacques Finné, Erotismo et sorcellerie, Verviers (Bélgica), Gerard, 1972; tradução de

Charles Marie Antoine Bouéry, Erotismo e feitiçaria, São Paulo, Mundo Musical, 1973, p. 41.

. W. Bommbeg, The mind of man: the history of man’s conquest of mental illness, 2ª ed., Nova

Yorque, Harpel, 1959; tradução: La mente del hombre, Buenos Aires, 1940.