Sunteți pe pagina 1din 22

Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí

CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:


Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431

Eixo Temático: Inclusão Social e Cidadania

INCLUSÃO EDUCACIONAL: UM OLHAR SOBRE A RELAÇÃO


FAMÍLIA E ESCOLA

Stahnke,1 Claudete Dallabrida


Dores2, Eliane Dallabrida das
Lopes 3Natalina Francisca Mezzari

Trata-se de um estudo bibliográfico e de campo (entrevistas) com abordagem qualitativa que se


caracteriza como estudo do retrato familiar na formação de crianças com necessidades especiais e
a relação com a escola de ensino regular. Observou-se que o sentimento do medo e a incerteza
são presenças constantes nessas famílias. Os desafios se alteram em diferentes fases da vida
dessas crianças e, dado as exigências de atendimento e acompanhamento ao filho, não encontram
tempo para buscar respostas aos problemas apresentados. A relação com a família e a escola tem
se caracterizado pela obrigatoriedade e como resultado tem-se o distanciamento, dificuldades de
ensino e de desenvolvimento desses estudantes. A escola necessita voltar-se para as relações com
o aluno e com a família sendo de comprometimento, troca, amizade, solidariedade, respeito
mútuo, enfim, para a inclusão efetiva implica na aprendizagem que, por sua vez, se desenvolve
em um ambiente que envolve conhecimentos, compromisso e afeto. É preciso valorizar tanto o
desenvolvimento cognitivo, como afetivo-social; este caracteriza-se como elemento fundamental
no desenvolvimento integral da criança com necessidades especiais.

Palavras-chave: Educação especial. Relação família-escola. Afetividade.

1
Pedagoga e Pós-Graduanda em Educação Especial, UNIPAN/UNIBAN/PR, dezembro, 2009.
2
Pedagoga e Pós-Graduanda em Educação Especial, UNIPAN/UNIBAN/PR, dezembro, 2009.
3
Professora Orientadora, Pedagoga e Mestre em Educação – UNICAMP; Docente do Curso de Pós-Graduação em
Educação Especial e do Curso de Pedagogia da FACIAP/UNIPAN/Cascavel/PR e Pedagoga do Ensino Fundamental
e Médio – SEED/PR.

1
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431

Eixo Temático: Inclusão Social e Cidadania

EDUCAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL: OS OBJETIVOS DO PROJOVEM


URBANO SERIAM SOMENTE OS ÍNDICES?

Visú,1 Gilson Carlos.

O Projovem Urbano, programa de inclusão sócio-educacional do governo federal, tem por


finalidade possibilitar ao aluno a conclusão do Ensino Fundamental. A idéia do projeto é positiva,
no entanto a execução do programa em Naviraí falhou, deixando que se fechasse um núcleo,
desperdiçando a chance de incluir 150 jovens. Desta forma pretendemos analisar e provocar a
reflexão sobre a importância da educação inclusiva e principalmente o envolvimento, o
engajamento e o apoio de profissionais da educação em iniciativas desta natureza. Existem
evidências de que estes tipos de programas sociais visam basicamente elevar os índices
estatísticos para lapidar uma boa imagem ao governo, por outro lado, o papel social dos
profissionais da educação foi tímido e omisso diante desta nobre causa de incluir cidadãos.

Palavras-chaves: Educação. Inclusão Social. Projovem Urbano.

1
Acadêmico do Curso de Ciências Sociais da UFMS – Campus de Naviraí. Bolsista do Projeto de Extensão
Formação de Professores em Gênero e Sexualidade (PREAE-PAEXT 2010). Atuou como educador de qualificação
profissional no Projovem Urbano em Naviraí - MS.

2
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431
Eixo Temático: Inclusão Social e Cidadania

ESTUDO DE CASO: BULLYING E O COMPORTAMENTO


AGRESSIVO ENTRE ESTUDANTES NA
ESCOLA ESTADUAL ANTONIO FERNANDES – NAVIRAÍ/MS

Wingeter,1 Otacilia Matulaitis.

Este Projeto de pesquisa tem por objetivo sensibilizar aluno, educador, família e sociedade para a
existência do bullying e suas consequências na Escola Estadual Antonio Fernandes em Naviraí-
MS, despertando para o reconhecimento do direito de toda criança e adolescente a frequentar uma
escola segura e solidária, capaz de gerar cidadãos conscientes do respeito à pessoa humana e suas
diferenças. A captação dos dados2 para a pesquisa foi realizada com 311 alunos do 6º ao 9º ano,
representando, assim, 82,05% da população por meio de aplicação de questionário sobre Bullying
- Modelo TMR, a partir do questionário original de Dan Olweus (1989). Os resultados dessa
aplicação determinaram a prevalência, incidência e consequências do Bullying na Escola Estadual
Antonio Fernandes. Seus dados caracterizam a percepção espontânea dos alunos sobre a
existência de Bullying e seus sentimentos sobre isso.

Palavras-chave: Consequências. Bullying. Respeito.

1
Pedagoga, Geógrafa, Mestre em Engenharia de Produção – Gestão da Qualidade Ambiental, Professora da UFMS e
FINAV, Naviraí-MS.
2
Obs.: A aplicação, tabulação e análise do questionário foram realizadas pelos Acadêmicos da UFMS-Universidade
Federal de Mato Grosso do Sul do 3º semestre do Curso de Ciências Sociais.

3
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431

Eixo Temático: Formação de Professores

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: ampliação do Ensino


Fundamental de 8 para 9 anos e as dificuldades de aprendizagem

BISPO, Silvana Alves da Silva1


CUNHA, Fátima Cristina Duarte Fereira2
FRANGNAN, Daniela Silveira de Souza3
FEREIRA, Elenir4
NEVES, Bruna Fernanda dos Santos5
MORAES, Letícia Pascoal de 6
SOUZA, Thaynara Toral de7
SOUZA, Jaqueline Rosales de8
SAUCEDO, Carleymara Volk9

O objetivo do trabalho e apresentar as razões que motivaram os professores/cursistas a


participarem do Projeto de Extensão “FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES:
reflexão e ação a respeito da ampliação do Ensino Fundamental de 8 para 9 anos e as dificuldades
de aprendizagem”, oferecido pela UFMS/CPNV. O projeto é uma ação do PAEXT/2010 (UFMS)
e, tem duração de 140 horas. O limite de 50 vagas, estabelecido previamente, estendeu-se para 90
devido à procura por cursos de capacitação envolvendo a temática. O principal motivo que levou
os cursistas a participarem do curso foi a busca por maiores conhecimentos para identificar e
trabalhar com alunos que apresentam dificuldades e distúrbios de aprendizagem, aliado a esse
fator também manifestaram: aprender novas propostas, trabalhar com a inclusão, preparo
profissional, manterem-se atualizados, trocar experiências, desempenhar melhor a prática
pedagógica, estudar novas teorias que venham ao encontro da prática.
Palavras-chave: Formação Docente. Dificuldade/Distúrbio de Aprendizagem. Distúrbio de
Aprendizagem.

1
Professora Assistente – CPNV, Coordenadora do Projeto de Extensão
2
Voluntária - Acadêmica do curso de Pedagogia - 4º semestre
3
Bolsista do PAEXT - Acadêmica do curso de Pedagogia - 4º semestre
4
Voluntária - Acadêmica do curso de Pedagogia - 4º semestre
5
Bolsista do PAEXT - Acadêmica do curso de Pedagogia - 4º semestre
6
Bolsista - Acadêmica do curso de Pedagogia - 4º semestre
7
Bolsista - Acadêmica do curso de Pedagogia - 4º semestre
8
Bolsista - Acadêmica do curso de Pedagogia - 4º semestre
9
Bolsista - Acadêmica do curso de Pedagogia - 2º semestre

4
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431
Eixo Temático: Formação de Professores

OS MOTIVOS QUE LEVAM DOCENTES DO ENSINO SUPERIOR A SER


PROFESSOR E PERMANECER NA PROFISSÃO

Gonçalves,1 Josiane Peres.

Muitos são os fatores que exercem influências no processo motivacional dos profissionais da
educação, fazendo com que muitos se sintam desmotivados. Ao mesmo tempo, existem outros
que continuam a atuar com competência e sentem-se realizados com a profissão docente, nos
instigando a compreender sobre os fatores que contribuem para tal satisfação. Esta pesquisa, que
tem por objetivo investigar os motivos que levam os professores do ensino superior a ser
professor e permanecer na profissão, de abordagem qualitativa, foi realizada com 14 professores
do curso de Pedagogia em uma instituição particular de Cascavel – PR. Os dados indicaram que
os fatores que mais motivam os professores referem-se às relações humanas estabelecidas no
ambiente profissional e a possibilidade de contribuir com a transformação da sociedade através
do papel que desempenham no espaço acadêmico.

Palavras-chave: Processo motivacional. Relações humanas. Trabalho docente.

1
Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS. Diretora e Professora
Adjunta da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Câmpus de Naviraí – UFMS – CPNV.

5
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431

Eixo Temático: Formação de Professores

A CONSTRUÇÃO DO ESTADO DE CONHECIMENTO DA TEMÁTICA


RELACIONADA AO BEM-ESTAR DOS PROFESSORES

Gonçalves,1 Josiane Peres.

O propósito deste estudo é investigar como foi construído o estado de conhecimento do tema de
pesquisa relativo ao bem-estar dos professores, através das publicações de artigos da ANPED e
do banco de Teses e Dissertações da CAPES, além de buscar a opinião de um pesquisador da
área, que no caso deste estudo foi escolhido o Professor Doutor Saul Neves de Jesus da
Universidade de Algarve em Portugal. A metodologia utilizada foi uma leitura flutuante dos
trabalhos publicados na internet, identificação das produções relacionadas ao tema,
sistematização das informações e apresentação dos dados ao pesquisador mencionado. Os
resultados evidenciaram que, diferentemente de Portugal, no Brasil a construção do estado de
conhecimento relativo ao bem-estar docente é recente e que é necessário haver mais produções na
área para que se possa contribuir com o bem-estar dos profissionais da educação.

Palavras-chave: Bem-estar docente. Estado de conhecimento. Formação de Professores.

EIXO TEMÁTICO: Formação de Professores


1
Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS. Diretora e Professora
Adjunta da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Câmpus de Naviraí – UFMS – CPNV.

6
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431

A ESCOLA COMO ESPAÇO DEMOCRATIZADOR: UMA LEITURA A


PARTIR DE DEMERVAL SAVIANI

Rio1, Sinomar Ferreira do

A escola, na perspectiva de Demerval Saviani, tem por papel fundamental inserir o homem na
organização simbólica do saber sistematizado. Essa inserção, segundo o autor, constitui-se
mediante a criação de uma segunda natureza, firmada mediante um trabalho educativo. O
educador tem um papel fundamental, pois mediante sua ação comprometida com o processo de
alfabetização, mune o educando das ferramentas lingüísticas que permitirá o acesso direto ao
saber sacramento na letra. Nosso objetivo é discutir o quanto o trabalho educacional bem
realizado viabiliza o processo democrático ao democratizar a capacidade de acesso ao saber
sistematizado, fonte de poder organizacional. Com esse debate discutiremos a que fins servem
uma educação, conduzida pelo educador, que não efetiva no educando as capacidades de ler e
escrever.

Palavras-chave: Demerval Saviani. Saber Sistematizado. Democratização da Educação.

1
Mestre em Filosofia pela Universidade Estadual Paulista - Campus de Marília
Prof Faculdades Integradas de Nova Andradina
Prof Instituto Federal de Mato Grosso do Sul

7
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431
EIXO TEMÁTICO: Ensino e Aprendizagem

REFLEXÕES SOBRE A AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO


APRENDIZAGEM NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Reis1, Maria das Graças Fernandes de Amorim dos.


Scherma2, Fátima de Lourdes Rosin.

O trabalho aborda a problemática da avaliação do processo de ensino-aprendizagem nas séries


iniciais do Ensino Fundamental, tendo como questão norteadora: as formas de avaliação
comumente praticadas contribuem para o processo de ensino-aprendizagem nas séries iniciais do
Ensino Fundamental? O objetivo principal foi discutir a avaliação enquanto acompanhamento do
processo de ensino aprendizagem de qualidade. O estudo foi realizado por meio de pesquisa
bibliográfica e da pesquisa de campo com realização de entrevistas com seis professores das
séries iniciais do Ensino Fundamental de escola pública. De modo geral, verificou-se que os
professores visualizam o processo de avaliação para colaborar para o processo educacional de
qualidade e que o processo de avaliação e de aprendizagem são indissociáveis, pressuposto
básico para o sentido da educação e formação do aluno.

Palavras-chave: Avaliação. Processo ensino-aprendizagem. Práticas.

1
Docente Adjunta da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Câmpus de Naviraí/MS.
2
Acadêmica do curso de Pedagogia da Escola Superior de Tecnologia e Educação de Porto Ferreira/SP - 2009.

8
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431
Eixo Temático: Ensino e Aprendizagem

A MÔNADA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL:


UMA ABORDAGEM BASEADA NO ESTÍMULO DA PERCEPÇÃO

Wingeter,1 Otacilia Matulaitis.

Esta pesquisa estuda uma abordagem de Educação Ambiental, baseado no estímulo da percepção
com alunos do Ensino Fundamental de 1º ao 9º ano, de sete escolas pública do Município de
Iguatemi -MS, tendo como objetivo levar o leitor a uma reflexão crítica sobre o tema transversal,
meio ambiente, educadores e a educação atual. A pesquisa realizada numa perspectiva
fenomenológica, estudando a percepção ambiental dos alunos em uma área natural. Num
primeiro momento apenas para observar o que os alunos revelam dos seus valores em relação ao
meio ambiente. Num segundo momento, coletou-se os dados, onde foram utilizados as
representações gráficas de 1º ao 5º ano e dissertações de 6º ao 9º ano. Os resultados se
apresentaram como problemática as práticas fragmentárias nas escolas, onde surgem muitas
lacunas e muito a ser realizado.

Palavras-chave: Educação. Meio ambiente. Percepção ambiental.

Eixo Temático: Ciências Sociais e Educação

1
Pedagoga, Geógrafa, Mestre em Engenharia de Produção – Gestão da Qualidade Ambiental, Professora da UFMS e
FINAV, Naviraí-MS.

9
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431
A DIVERSIDADE CULTURAL BRASILEIRA

Ferreira1, Katiane.
Passamani,2 Guilherme

Este trabalho tem como objetivo a abordagem das principais influencias que nosso país obteve,
originando a cultura brasileira que conhecemos hoje e em quais situações nós conseguimos
enxergar os aspectos dessa herança cultural miscigenada. Para isso, será desenvolvida a análise
dos hábitos, valores e conceitos adquiridos pela população brasileira com o passar dos séculos, e
também, a diferença que encontramos entre as regiões do país quanto a esses elementos, assim
como, no aspecto de relacionamento entre as chamadas classes sociais existentes que demonstra
uma sociedade hierarquizada que faz com que haja a desigualdade social. E para entendermos
essa imensa diversidade sociocultural existente no país, será feita uma análise antropológica
sobre o assunto, com certa ênfase nos aspectos sociopolíticos que, consequentemente,
influenciam na cultura de um país.

Palavras-chave: Cultural. Brasileira. Análise.

Eixo Temático: Ciências Sociais e Educação


1
Acadêmica 2° semestre Ciências Sociais UFMS Naviraí – MS
2
Professor Orientador. Professor do Curso de Ciências Sociais UFMS-CPNV. Mestre em História Latino-Americana
(UFSM). Bacharel e Licenciado em História e Ciências Sociais (UFSM). Coordenador do Projeto de Extensão
Formação de Professores em Gênero e Sexualidade. Líder do Grupo de Pesquisa em Inclusão e Diversidade (GPIDI-
UFMS).

10
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431

MASCULINIDADES HEGEMÔNICAS: UM PRIMEIRO ENSAIO

Macedo,1Julio Cesar Kosloski de


Passamani,2Guilherme Rodrigues

A discussão acerca das masculinidades hegemônicas ganha destaque no universo das Ciências
Sociais. Trata-se de uma problemática que envolve as subjetividades de homens das mais
diversas culturas. Nosso estudo volta sua atenção para as peculiaridades regionais na construção
destas masculinidades tão específicas. As masculinidades estão em constante vigilância de uma
moralidade normativa que detém os principais espaços de poder na sociedade, cobrando atitudes
e posturas dos homens, que representem um ideal de masculinidade capaz de representar, mesmo
que de maneira artificial, um consenso. Assim, o que percebemos a partir de um levantamento
bibliográfico preliminar, é que se constrói um modelo padrão. Logo, aquele que não se encaixa
nesse perfil estabelecido, não será bem visto dentro de seu grupo, ficando sujeito à discriminação.
Assim, embora nosso estudo esteja em fase inicial, podemos dizer que vivemos em uma
sociedade marcadamente machista que coloca em posição subalterna todos aqueles modelos de
masculinidade que fogem aos pressupostos hegemônicos.

Palavras-chaves: Masculinidades. Machismo. Homem.

Eixo temático: Inclusão Social e Cidadania


1
Acadêmico do Curso de Ciências Sociais da UFMS-CPNV. Bolsista do Projeto de Extensão Formação de
Professores em Gênero e Sexualidade.
2
Professor Orientador. Professor do Curso de Ciências Sociais UFMS-CPNV. Mestre em História Latino-Americana
(UFSM). Bacharel e Licenciado em História e Ciências Sociais (UFSM). Coordenador do Projeto de Extensão
Formação de Professores em Gênero e Sexualidade. Líder do Grupo de Pesquisa em Inclusão e Diversidade (GPIDI-
UFMS).

11
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431

PERFIL DO ESTUDANTE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DA UFMS - CAMPUS


DE NAVIRAÍ

Mauro1, Victor Ferri

Visando compreender o perfil do acadêmico de Ciências Sociais da UFMS/CPNV, analisamos


informações obtidas através da aplicação de um questionário semi-estruturado. Detectamos que a
maioria desses alunos reside em Naviraí e cidades vizinhas, pertencem às classes C e D, são
egressos de escolas públicas, trabalham em período integral e, por conseqüência, dispõem de
pouco tempo para acompanhar as leituras. Muitos apresentam defasagem de aprendizado de
conteúdos do Ensino Básico e, por isso, enfrentam dificuldades em se familiarizar com a
dinâmica, a exigência e as regras do ensino universitário. A combinação destes fatores explica em
partes a significativa evasão que o curso apresenta desde que iniciou em 2009. Tais informações
servirão ao planejamento de ações que minimizem os problemas constatados.

Palavras-chave: Perfil. Acadêmico. Ciências Sociais.

Eixo temático: Inclusão Social e Cidadania

1
Mestrando em História na UFGD.
Docente da UFMS/Câmpus de Naviraí

12
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431
A SOCIOLOGIA NO ENSINO MÉDIO: UMA REFLEXÃO DA
IMPORTÂNCIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS NA EDUCAÇÃO.

Prates,1 Geisiane Batista


Visú,2 Gilson Carlos
Prates,3 Gislaine Batista

A inclusão da Sociologia como disciplina obrigatória a partir de 2010 em todas as séries do


ensino médio, desperta a reflexão para a importância de áreas que eram proibidas no período de
ditadura, isto porque o conteúdo dessas disciplinas estimularia a contestação do regime
autoritário. Assim, pretendemos provocar uma reflexão do quanto é importante uma boa
formação de professores no âmbito das Ciências Sociais em especial da Sociologia para
enriquecer o corpo docente no contexto da crítica social e estimulação de debates que envolvam
cidadania nas escolas.

Palavras-chaves: Educação. Crítica Social. Sociologia.

Eixo temático: Políticas e Gestão da Educação

1
Acadêmica do curso de Ciências Sociais da UFMS – campus de Naviraí.
2
Acadêmico do Curso de Ciências Sociais da UFMS – Campus de Naviraí. Bolsista do Projeto de Extensão
Formação de Professores em Gênero e Sexualidade (PREAE-PAEXT 2010).
3
Acadêmica do curso de Ciências Sociais da UFMS – campus de Naviraí.

13
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431
PROJETO VIVA O VERDE: UMA PROPOSTA DE EDUCAÇÃO
AMBIENTAL NA UFMS CÂMPUS DE NAVIRAÍ

Almino1, José Luiz

Em época de eleição os discursos dos candidatos realçam a importância de investimento público


em educação. A proposta governamental já vem sendo implementada no âmbito de expansão e
interiorização da universidade com cursos voltados para formação de professores, além de
diversas modalidades de ensino capacitando profissionais que atuam nesta área. Nesse sentido,
objetivamos discutir mediante a apresentação do projeto Viva o Verde, desenvolvido na UFMS
Câmpus de Naviraí, como uma forma de construção de uma proposta educacional pautada nos
valores sociais e humanísticos, nos quais é trabalhada a responsabilidade pelas vidas existentes
em todas as formas, estimulando os estudantes a cuidar da natureza, ou seja, plantando árvores!
Viva o verde, viva a vida!

Palavras chave: Educação Ambiental. Políticas Ambientais. Projeto Viva o Verde.

Eixo temático: Políticas e Gestão da Educação.

1
Graduado em Administração – UNIGRAN
Assistente em Administração da UFMS/CPNV

14
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431
A GESTÃO DAS CRECHES MUNICIPAIS DE SÃO CARLOS NA VISÃO
DAS DIRETORAS: DA ASSISTÊNCIA À EDUCAÇÃO (1999-2004)

Reis1, Maria das Graças Fernandes de Amorim dos.

O trabalho aborda a gestão da educação infantil nas Creches, apresentando-se como um estudo
diagnóstico sobre o município de São Carlos/SP, a partir da questão: qual a configuração e a
especificidade da gestão da educação infantil nas Creches após sua passagem do âmbito da
Assistência e Promoção Social para a esfera da Educação, indicada pela LDB, Lei nº 9.394/96.
Problematizou os elementos que a gestão traz para a discussão do trabalho na Creche. Para o
desenvolvimento do estudo combinou-se a pesquisa bibliográfica, a pesquisa documental e a
pesquisa de campo com a realização de entrevistas com diretoras das Creches. Na conclusão,
aponta-se a necessidade de reflexão sobre o possível processo de escolarização precoce das
crianças pequenas, bem como a proposição de outros estudos na área da gestão das instituições e
a formação de profissionais que atendem à faixa etária de 0 a 3 anos.

Palavras-chave: Educação Infantil. Creches. Gestão Educacional.

Eixo temático: Políticas e Gestão da Educação.

1
Docente Adjunta da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Câmpus de Naviraí/MS.

15
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR


(SINAES): UM ESTUDO ACERCA DAS CONTRIBUIÇÕES PARA A
FORMAÇÃO DO ACADÊMICO.

Sanches1, Gisele A. Ribeiro

Com o aumento da oferta de cursos de graduação e pós-graduação no Brasil, devido ao incentivo


e facilidade de criação de Instituições de Ensino Superior, o Ministério da Educação formulou
formas de avaliação desses cursos estabelecendo critérios e padrões visando fornecer informações
à sociedade e aos gestores educacionais de como estão estruturadas as Instituições de Ensino
Superior. Em 2004, com a lei 10.861 de 14 de abril, criou-se o Sistema Nacional de Avaliação da
Educação Superior (SINAES) como um novo instrumento de avaliação do ensino superior com o
objetivo de avaliar, por meio de indicadores, as Instituições de Ensino Superior. Dessa maneira,
este estudo tem por objetivo mostrar os componentes desse instrumento avaliativo de forma a
ressaltar sua contribuição para a formação do acadêmico.

Palavras-chave: Avaliação Institucional. Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior


(SINAES).

Eixo temático: Políticas e Gestão da Educação.

1
Bibliotecária da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – Campus Naviraí
Aluna do curso de Especialização em Gestão de Bibliotecas Universitárias
da Universidade Estadual de Londrina - UEL

16
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431

A EDUCAÇÃO INFANTIL NA ÚLTIMA DÉCADA: UM ESTUDO DOS


IMPACTOS DAS POLITICAS EDUCACIONAIS APÓS LDB NA REDE
MUNICIPAL DE ENSINO DE NAVIRAÍ-MS.

Silva1, Cleonice Rodrigues da.

O trabalho visa analisar as políticas educacionais para educação infantil implantadas na última
década, considerando a realidade dos municípios e padrões mínimos de qualidade. Sabe-se que as
políticas nacionais servem como marco norteador das políticas municipais sendo essas que
respondem a comunidade em geral sobre sua qualidade, nesse sentido deve haver articulação,
elaboração e execução envolvendo as duas esferas governamentais, e a participação dos outros
segmentos da sociedade. Pretende-se resgatar a historia para avaliar as ações dos gestores
educacionais, educadores e a concepção dos pais em relação à importância do atendimento na
educação infantil. Enveredar-se neste estudo pretende-se verificar quais os impactos das políticas
educacionais após LDB para a educação infantil no município de Navirai.

Palavras-chave: Gestão educacional. Políticas Públicas. Educação Infantil

1
Pedagoga, Professora Faculdades Integradas de Naviraí-FINAV, Coordenadora Geral da Educação Infantil da
REME, Naviraí, MS.

17
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431
Eixo temático: Educação e Religião

UM OLHAR SOBRE O CRISTIANISMO EM NIETZSCHE

Amaral,1 Ingrid Silva do

Pretende-se abordar o cristianismo em Nietzsche a partir de sua observação do mesmo, qual seja,
o oposto do estabelecido pela Igreja, acerca do legado religioso do Nazareno, difundido pelo
mundo segundo uma moral institucionalizada e entendendo que a vontade de potência está
contida na compreensão legada pelo Nazareno. Compreensão esta que esclarece a psicologia do
mesmo, destituída de traços alheios e propagada originariamente pela moral institucionalizada.
Com isso, Nietzsche parece enaltecer uma certa singularidade do Nazareno, denominando-o de
“Espírito Livre”, sendo sua existência contrária à moral da ordem estabelecida, já que a sua
prática de vida estava pautada nas verdades interiores e não naquelas estabelecidas socialmente.
Havendo necessidade, portanto, de uma rescisão com as doutrinas normativas da vida para que o
instinto exercesse toda a potencialidade do espírito.

Palavras chave: Moral. “Espírito Livre”. Cristianismo.

Eixo temático: Educação e Religião


1
Graduanda do curso de Ciências Sociais da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - Campus de Naviraí .

18
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431

OS SOCIÓLOGOS IMPURAMENTE ACADÊMICOS


Quando a sociologia da religião transforma-se em messianismo moderno

Oliveira,1Arilson

O renomado sociólogo da USP, Flávio Pierucci, argumenta que a Sociologia da Religião é


“impuramente acadêmica”. Mas o que seria impuro? A polarização, tanto de religiosos
praticantes como de profissionais da religião e afins, com uma visão unilateral e voltada ao
messianismo desencantado dos novos tempos, os quais comprometem a autonomia da
Sociologia, em especial da Religião. Nessa conjuntura, os pretextos de se fazer Sociologia
realizaria uma “falsa experiência” no sentido sócio-histórico, com o intuito não de analisá-la ou
questioná-la, senão de apenas valorizá-la. Com isso, decai-se à incredibilidade científica. Mais
ainda, para Pierucci, há não apenas uma impureza intelectual, mas uma avantajada representação
de pseudo-intelectualidade cristã na academia, toda ela envolta de um circuito institucionalizado
que se pretende esfera intelectiva autônoma.

Palavras-chave: Sociologia. Religião. Impuramente Acadêmica.

Eixo temático: Educação e Religião

A EDUCAÇÃO E A RELIGIÃO DA MULHER NA ÍNDIA ANTIGA E SEUS REFLEXOS


NO HINDUÍSMO

Oliveira2, Gisele Pereira


1
Prof. de Ciências Sociais da UFMS e Doutorando em História Social da USP.
2
Doutoranda em Letras pela UNESP

19
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431

Pretendemos apresentar um panorama da formação da mulher na Índia antiga com vistas a sua
inserção efetiva no sistema social vigente e discorrer sobre quais aspectos, expectativas e teorias
ainda sobrevivem na Índia hinduísta tradicional. O acesso a essas informações é geralmente
dificultado pelo obstáculo linguístico, pois os textos normativos foram originalmente compostos
em sânscrito. Nesse presente trabalho, trataremos desses textos aos quais temos acesso e sobre os
quais já desenvolvemos pesquisa em pós-graduação. Uma das principais premissas, aqui, é a de
que a mulher indiana tem, de acordo com os textos sagrados, acesso (senão, o direito) à educação
teórico-ritual (filosófica) de acordo com seu pertencimento a uma posição social hereditária –
diferentemente do senso-comum ocidental (orientalista) que privilegia a visão imaginada (criada)
de privação à educação imposta à mulher indiana.

Palavras-chave: Mulher indiana. Educação Indiana. Religião

Eixo temático: Educação e Religião

O TEATRO JESUÍTICO COMO METODOLOGIA


PARA A “EDUCAÇÃO” DOS NATIVOS
20
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431
Prates,1Gislaine Batista

Considerando-se que teatro é a arte de representar, a educação jesuítica usou desse artifício para a
catequização dos índios no Brasil colônia, uma vez que se usando dessa arte, o teatro anchietano
buscava “educar” os índios da maneira a torná-los dóceis, tocando-os com sentimentos de fé,
amor e dogmas religiosos, tentando fazer com que esquecessem completamente de suas origens e
sua real cultura, uma vez que as missões consideravam esses hábitos como “maus-costumes”.
Dessa forma, era realizada uma “lavagem na alma” dos nativos, utilizando de peças teatrais,
danças e música, as quais representavam uma simbologia bem entendida pelos nativos. Outro
ponto importante é a inclusão (principalmente) das crianças nesse processo, pois se acreditava
que as mesmas poderiam influenciar na educação dos adultos. Assim, o principal objetivo dessas
missões era de persuadir e aculturar os nativos pagãos a se comportarem eurocentricamente e a
utilizarem hábitos que para os jesuítas seriam adequados tanto para a coroa quanto para a igreja,
em união perfeita entre religião e poder.

Palavras Chaves: Educação. Teatro. Nativos

Eixo temático: Educação e Religião

PROTESTANTISMO E O MONOPÓLIO DA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XVI

1
Acadêmica do Curso de Ciências Sociais UFMS – Campus de Naviraí

21
Anais da II Jornada Nacional de Educação de Naviraí
CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL:
Desafios para a Educação do Século XXI
ISSN 2178-2431
Prates,2 Geisiane Batista

O presente trabalho procura entender a relação existente entre a educação escolar e o


protestantismo, tendo como base principal a educação no período da Reforma, protagonizada por
Lutero, na Alemanha do séc. XVI, a qual teve influência em toda a Europa. Embora o movimento
protestante em si tenha suas raízes mais fundadas em Calvino do que em Lutero, foram as idéias
de Lutero, com o apoio de príncipes, cavaleiros e mercadores europeus, o que caracterizou a
educação européia. Fato que impulsionou uma notável mudança no sistema de ensino da época,
que até então era de total responsabilidade dos católicos. Sob aspectos de uma nova política
educacional, portanto, procura-se perceber as relações entre educação e religião e as
conseqüentes mudanças ocorridas nesse período, atentando-se especificamente ao contexto
histórico social.

Palavras-chave: Protestantismo. Catolicismo. Educação.

2
Acadêmica do curso de Ciências Sociais da UFMS – Câmpus de Naviraí.

22