Sunteți pe pagina 1din 8
BOMBAS CENTRÍFUGAS CARLA MAYANA OLIVEIRA LIMA CARLA JOSÉ RAMOS DE OLIVEIRA NETO LENI SANTOS BRITO

BOMBAS

BOMBAS CENTRÍFUGAS CARLA MAYANA OLIVEIRA LIMA CARLA JOSÉ RAMOS DE OLIVEIRA NETO LENI SANTOS BRITO Julho
BOMBAS CENTRÍFUGAS CARLA MAYANA OLIVEIRA LIMA CARLA JOSÉ RAMOS DE OLIVEIRA NETO LENI SANTOS BRITO Julho
BOMBAS CENTRÍFUGAS CARLA MAYANA OLIVEIRA LIMA CARLA JOSÉ RAMOS DE OLIVEIRA NETO LENI SANTOS BRITO Julho
BOMBAS CENTRÍFUGAS CARLA MAYANA OLIVEIRA LIMA CARLA JOSÉ RAMOS DE OLIVEIRA NETO LENI SANTOS BRITO Julho
BOMBAS CENTRÍFUGAS CARLA MAYANA OLIVEIRA LIMA CARLA JOSÉ RAMOS DE OLIVEIRA NETO LENI SANTOS BRITO Julho
BOMBAS CENTRÍFUGAS CARLA MAYANA OLIVEIRA LIMA CARLA JOSÉ RAMOS DE OLIVEIRA NETO LENI SANTOS BRITO Julho

CENTRÍFUGAS

CARLA MAYANA OLIVEIRA LIMA CARLA JOSÉ RAMOS DE OLIVEIRA NETO LENI SANTOS BRITO

Julho de 2010

BOMBASBOMBAS CENTRCENTRÍÍFUGASFUGAS É um tipo de bomba que tem por princípio de funcionamento a transferência
BOMBASBOMBAS CENTRCENTRÍÍFUGASFUGAS
É um tipo de bomba
que tem por princípio
de funcionamento a
transferência de
energia mecânica
para o fluido a ser
bombeado em forma
de energia cinética.
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO Radiais ou Puras: Quando a direção do fluido bombeado é perpendicular ao eixo de
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO
Radiais ou Puras: Quando a direção do fluido bombeado é
perpendicular ao eixo de rotação.
BOMBASBOMBAS São equipamentos destinados a transportar fluidos através do aumento da velocidade, pressão ou energia
BOMBASBOMBAS
São equipamentos destinados a transportar fluidos
através do aumento da velocidade, pressão ou energia
potencial do fluido.
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO QUANTOQUANTO AOAO TIPOTIPO DODO ROTORROTOR
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO
QUANTOQUANTO AOAO
TIPOTIPO DODO ROTORROTOR
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO Fluxo misto ou Semi-Axial: Quando a direção do fluido bombeado é inclinada em
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO
Fluxo misto ou Semi-Axial: Quando a direção do fluido
bombeado é inclinada em relação ao eixo de rotação.
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO Fluxo Axial: Quando a direção do fluido bombeado é paralela em relação ao eixo
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO
Fluxo Axial: Quando a direção do fluido bombeado é paralela
em relação ao eixo de rotação.
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO Com rotor em balanço: neste grupo de bombas o rotor/ rotores são montados na
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO
Com rotor em balanço: neste grupo de bombas o rotor/ rotores
são montados na extremidade posterior do eixo de acionamento
que, por sua vez, é fixado em balanço sobre um suporte de
mancais.
MONOBLOCO OU
MOTOBOMBA
BOMBA/ MOTOR
SEPARADOS
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO Bombas de simples estágio (mono estágio): são bombas que possuem apenas um rotor.
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO
Bombas de simples estágio
(mono estágio): são bombas
que possuem apenas um rotor.
Bombas multi-estágios: são
bombas que possuem mais
de um rotor, com finalidade
aumentar a pressão (AMT).
O número de estágios
depende do número de
rotores.
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO QUANTOQUANTO ÀÀ FORMAFORMA CONSTRUTIVACONSTRUTIVA
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO
QUANTOQUANTO ÀÀ FORMAFORMA
CONSTRUTIVACONSTRUTIVA
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO Com rotor entre mancais: São bombas com rotor, ou rotores, montados no centro do
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO
Com rotor entre mancais: São bombas com rotor, ou rotores,
montados no centro do eixo, apoiados por mancais nas
extremidades.
MULTI -ESTÁGIO
SIMPLES ESTÁGIO
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO QUANTOQUANTO ÀÀ POSIPOSIÇÇÃOÃO DODO EIXOEIXO
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO
QUANTOQUANTO ÀÀ POSIPOSIÇÇÃOÃO
DODO EIXOEIXO
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO Bomba de eixo vertical: utilizada em poços subterrâneos profundos. Bomba de eixo
CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO
Bomba de eixo vertical:
utilizada em poços subterrâneos
profundos.
Bomba de eixo horizontal: é
o tipo construtivo mais usado.
BOMBASBOMBAS SIMPLESSIMPLES ESTESTÁÁGIOGIO
BOMBASBOMBAS SIMPLESSIMPLES ESTESTÁÁGIOGIO
COMPONENTESCOMPONENTES Corpo espiral ou voluta: responsável pela contenção do fluido bombeado. Provê a conversão
COMPONENTESCOMPONENTES
Corpo espiral ou voluta: responsável pela
contenção do fluido bombeado.
Provê a conversão da energia cinética contida no
fluido em energia de pressão.
PRINCIPAISPRINCIPAIS COMPONENTESCOMPONENTES
PRINCIPAISPRINCIPAIS
COMPONENTESCOMPONENTES
COMPONENTESCOMPONENTES Rotor: componente giratório, dotado de pás que tem a função de transformar a energia
COMPONENTESCOMPONENTES
Rotor: componente giratório, dotado de pás que
tem a função de transformar a energia mecânica de
que é dotado em energia de velocidade e energia de
pressão.
COMPONENTESCOMPONENTES Eixo: Tem a função de transmitir o torque do motor para o rotor. Luva
COMPONENTESCOMPONENTES
Eixo: Tem a função
de transmitir o torque
do motor para o
rotor.
Luva protetora do eixo: Tem a função
de proteger o eixo contra corrosão,
erosão e desgaste, causado pelo líquido
bombeado, além de proteger o mesmo
na região do engaxetamento.
COMPONENTESCOMPONENTES Anel cadeado: Tem a função de lubrificar e refrigerar as gaxetas. Anel centrifugador: Tem
COMPONENTESCOMPONENTES
Anel cadeado: Tem a função
de lubrificar e refrigerar as
gaxetas.
Anel centrifugador: Tem
a função de impedir a entrada
de umidade do fluido
bombeado para os mancais e
rolamentos.
Anéis de desgaste: São peças montadas
na carcaça do rotor que mediante pequena
folga, fazem a vedação entre as regiões de
sucção e descarga.
SISTEMASSISTEMAS DEDE BOMBEAMENTOBOMBEAMENTO Bomba de sucção positiva ("afogada"): quando o eixo da bomba
SISTEMASSISTEMAS DEDE BOMBEAMENTOBOMBEAMENTO
Bomba de sucção positiva ("afogada"): quando o
eixo da bomba situa-se acima do nível do
reservatório.
Bomba de sucção negativa
(“não-afogada"): quando o eixo
da bomba situa-se abaixo do
nível do reservatório.
ALTURAALTURA MANOMMANOMÉÉTRICATRICA TOTALTOTAL Perdas de carga: é a perda de energia ou de pressão entre
ALTURAALTURA MANOMMANOMÉÉTRICATRICA TOTALTOTAL
Perdas de carga: é a perda de energia ou de
pressão entre dois pontos de uma tubulação. Podem
ser distribuídas ou localizadas.
Perdas de cargas distribuídas (Hd): São aquelas que
ocorrem em trechos retos de tubulações, sendo em função do
comprimento, material e diâmetro.
Perdas de cargas localizadas (Hi): São perdas de pressão
ocasionadas pelos componentes ao longo da tubulação tais
como válvulas, curvas, reduções, trocadores de calor, etc.
COMPONENTESCOMPONENTES Gaxetas: material deformável, utilizado para prevenir ou controlar a passagem de fluidos entre
COMPONENTESCOMPONENTES
Gaxetas: material deformável, utilizado
para prevenir ou controlar a passagem de
fluidos entre duas superfícies que possuam
movimento, uma com relação à outra.
Confeccionadas em fibras vegetais,
minerais ou sintéticas.
Selo mecânico: Quando o líquido
bombeado não pode vazar para o meio
externo da bomba, por um motivo
qualquer (líquido inflamável, tóxico,
corrosivo, mal cheiroso ou quando não se
deseja vazamentos).
ALTURAALTURA MANOMMANOMÉÉTRICATRICA TOTALTOTAL Altura estática – é composta por: Altura geométrica (Hgeo):
ALTURAALTURA MANOMMANOMÉÉTRICATRICA TOTALTOTAL
Altura estática – é composta por:
Altura geométrica (Hgeo): diferença de cotas entre
o nível de sucção e o nível de descarga do líquido.
Carga de pressão: diferença de pressão entre os
reservatórios de sucção e descarga.
OBS:OBS: casocaso osos reservatreservatóóriosrios estaremestarem abertos,abertos, estaesta parcelaparcela éé nula.nula.
ALTURAALTURA MANOMMANOMÉÉTRICATRICA TOTALTOTAL Altura dinâmica – é composta por: Perda de carga total (Hp):
ALTURAALTURA MANOMMANOMÉÉTRICATRICA TOTALTOTAL
Altura dinâmica – é composta por:
Perda de carga total (Hp): somatório de todas as
perdas de cargas (Hd+Hi) que ocorrem no sistema,
tanto na sucção quanto no recalque.
Carga de velocidade: diferença de velocidade do
fluido no reservatórios de sucção e descarga.
EstaEsta parcela,parcela, geralmente,geralmente, éé desprezada.desprezada.
ALTURAALTURA MANOMMANOMÉÉTRICATRICA TOTALTOTAL também chamada de altura total do sistema, é composta pela altura
ALTURAALTURA MANOMMANOMÉÉTRICATRICA TOTALTOTAL
também chamada de altura total do sistema, é
composta pela altura estática mais a altura
dinâmica.
Matematicamente, temos:
ALGUNSALGUNS TERMOSTERMOS
ALGUNSALGUNS
TERMOSTERMOS
Rendimento: É a relação entre a potência hidráulica e a potência consumida da bomba. η
Rendimento: É a relação entre a potência hidráulica
e a potência consumida da bomba.
η = Pot H / Pot consumo
Vazão do sistema: É definida como sendo o volume
do fluido que passa por uma determinada seção por
unidade de tempo.
Q = V / T
ALTURAALTURA MANOMMANOMÉÉTRICATRICA TOTALTOTAL desprezando a velocidade: para reservatórios abertos:
ALTURAALTURA MANOMMANOMÉÉTRICATRICA TOTALTOTAL
desprezando a velocidade:
para reservatórios abertos:
Potência consumida: é a potência hidráulica menos as perdas no próprio motor, na bomba, etc.
Potência consumida: é a potência hidráulica
menos as perdas no próprio motor, na bomba, etc.
Potência hidráulica: o trabalho feito por
uma bomba centrífuga é o produto do peso
líquido deslocado, pela altura desenvolvida.
Pot H = ρQh t
CURVASCURVAS
CURVASCURVAS
CURVACURVA CARACTERCARACTERÍÍSTICASTICA DODO SISTEMASISTEMA é a curva obtida através da altura manométrica total
CURVACURVA CARACTERCARACTERÍÍSTICASTICA
DODO SISTEMASISTEMA
é a curva obtida através da altura manométrica total
correspondente a cada vazão, dentro de uma
determinada faixa de operação do sistema.
CURVACURVA CARACTERCARACTERÍÍSTICASTICA DADA BOMBABOMBA -- EXEMPLOSEXEMPLOS H x Q P x Q
CURVACURVA CARACTERCARACTERÍÍSTICASTICA DADA
BOMBABOMBA -- EXEMPLOSEXEMPLOS
H x Q
P x Q
CURVACURVA CARACTERCARACTERÍÍSTICASTICA DADA BOMBABOMBA -- EXEMPLOSEXEMPLOS NPSH REQUERIDO x VAZÃO
CURVACURVA CARACTERCARACTERÍÍSTICASTICA DADA
BOMBABOMBA -- EXEMPLOSEXEMPLOS
NPSH REQUERIDO x VAZÃO
CURVACURVA CARACTERCARACTERÍÍSTICASTICA DADA BOMBABOMBA São representações gráficas que traduzem o funcionamento
CURVACURVA CARACTERCARACTERÍÍSTICASTICA DADA
BOMBABOMBA
São representações gráficas que traduzem o
funcionamento da bomba, obtidas através de
experiências do fabricante.
INFORMAM VALORES DE:
VAZÃO
ALTURA MANOMÉTRICA
DIÂMETRO DO ROTOR
POTÊNCIA CONSUMIDA
RENDIMENTO
NPSH, etc
CURVACURVA CARACTERCARACTERÍÍSTICASTICA DADA BOMBABOMBA -- EXEMPLOSEXEMPLOS ALTURA MANOMÉTRICA x VAZÃO
CURVACURVA CARACTERCARACTERÍÍSTICASTICA DADA
BOMBABOMBA -- EXEMPLOSEXEMPLOS
ALTURA MANOMÉTRICA x VAZÃO
CURVACURVA CARACTERCARACTERÍÍSTICASTICA DADA BOMBABOMBA -- EXEMPLOSEXEMPLOS POTÊNCIA CONSUMIDA x VAZÃO
CURVACURVA CARACTERCARACTERÍÍSTICASTICA DADA
BOMBABOMBA -- EXEMPLOSEXEMPLOS
POTÊNCIA CONSUMIDA x VAZÃO
PONTOPONTO DEDE TRABALHOTRABALHO GRAFICAMENTE
PONTOPONTO DEDE TRABALHOTRABALHO
GRAFICAMENTE
CAVITACAVITAÇÇÃOÃO Processo de vaporização do fluido quando a pressão absoluta baixa até alcançar a pressão
CAVITACAVITAÇÇÃOÃO
Processo de vaporização do fluido quando a pressão
absoluta baixa até alcançar a pressão de vapor do líquido,
na temperatura em que se encontra.
CAVITACAVITAÇÇÃOÃO CONDIÇÕES PARA NÃO HAVER CAVITAÇÃO NPSH disponível > NPSH requerido
CAVITACAVITAÇÇÃOÃO
CONDIÇÕES PARA NÃO HAVER CAVITAÇÃO
NPSH disponível > NPSH requerido
PROBLEMASPROBLEMAS COMUNSCOMUNS
PROBLEMASPROBLEMAS
COMUNSCOMUNS
CAVITACAVITAÇÇÃOÃO CONSEQUÊNCIAS: • Barulho e Vibração • Alteração na performance da bomba
CAVITACAVITAÇÇÃOÃO
CONSEQUÊNCIAS:
• Barulho e Vibração
• Alteração na performance da bomba
•“Pitting" das palhetas do rotor
Formação
de bolhas
CAVITACAVITAÇÇÃOÃO NPSH disponível (Altura Positiva Líquida de Sucção Disponível): refere-se à “carga
CAVITACAVITAÇÇÃOÃO
NPSH disponível (Altura Positiva Líquida de Sucção Disponível): refere-se à
“carga energética líquida e disponível na instalação" para permitir a sucção
do fluido, ou seja, diz respeito às grandezas físicas associadas à instalação e
ao fluido.
NPSH disponível - Característica
do sistema
CAVITACAVITAÇÇÃOÃO (Altura NPSH requerido Positiva Líquida de Sucção NPSH requerido - Característica da bomba
CAVITACAVITAÇÇÃOÃO
(Altura
NPSH requerido
Positiva Líquida de Sucção
NPSH requerido - Característica da bomba
Requerida): é a "carga
energética líquida
requerida pela
bomba" para
promover a sucção
É objeto de estudo do
fabricante, sendo
fornecido
graficamente através
de catálogos.
COMPONENTESCOMPONENTES TUBULATUBULAÇÇÃOÃO DEDE SUCSUCÇÇÃOÃO EE RECALQUERECALQUE
COMPONENTESCOMPONENTES TUBULATUBULAÇÇÃOÃO
DEDE SUCSUCÇÇÃOÃO EE RECALQUERECALQUE
COMPONENTESCOMPONENTES TUBULATUBULAÇÇÃOÃO DEDE SUCSUCÇÇÃOÃO EE RECALQUERECALQUE Válvula de retenção:
COMPONENTESCOMPONENTES TUBULATUBULAÇÇÃOÃO
DEDE SUCSUCÇÇÃOÃO EE RECALQUERECALQUE
Válvula de retenção:
Válvula(s) de sentido único,
colocada(s) na tubulação de
recalque para evitar o golpe de
aríete. OBS: Utilizar uma
válvula de retenção a cada 20
mca de AMT (ALTURA
MANOMÉTRICA TOTAL).
Registro: Dispositivo para
controle da vazão de um
sistema hidráulico.
Manômetro: Instrumento
que mede a pressão relativa
positiva do sistema.
GOLPEGOLPE DEDE ARARÍÍETEETE é a variação brusca de pressão, acima ou abaixo do valor normal
GOLPEGOLPE DEDE ARARÍÍETEETE
é a variação brusca de pressão, acima ou abaixo do
valor normal de funcionamento, devido às mudanças bruscas da
velocidade do fluido.
A análise do fenômenos pode evitar:
• Ruptura de tubulações por sobrepressão
(dimensionamento de tubulações com espessuras
reduzidas);
• Avarias em bombas;
• Colapso de junções;
• Avarias em acessórios (válvulas, registros, etc.).
COMPONENTESCOMPONENTES TUBULATUBULAÇÇÃOÃO DEDE SUCSUCÇÇÃOÃO EE RECALQUERECALQUE Válvula de Pé ou de
COMPONENTESCOMPONENTES TUBULATUBULAÇÇÃOÃO
DEDE SUCSUCÇÇÃOÃO EE RECALQUERECALQUE
Válvula
de
ou
de
Crivo:
Grade
ou
Fundo de Poço: Válvula de
filtro
de
sucção,
retenção
colocada
na
normalmente acoplado
extremidade
inferior
da
a
válvula de pé,
que
tubulação
de
sucção
para
impedir
que
a
água
impede
a
entrada
de
succionada
retorne
à
fonte
partículas de diâmetro
quando
da
parada
do
superior
ao
seu
funcionamento
da
bomba,
espaçamento.
evitando que esta trabalhe a
seco (perda da escorva).
FIM!FIM!
FIM!FIM!