Sunteți pe pagina 1din 2

1

A CURA DA ALMA
Texto = Sl 142. 1 – 7
Introdução:
John Stott disse: “os principais perigos para a mente do cristão são a depressão e o desânimo”.
Junto com o desânimo que faz a alma adoecer está o contraste do desânimo que é o desespero e é sobre
isto que Tomas Watison fala: O desespero destrói a capacidade de fazer empreendimentos. Veremos
nesta noite sobre a cura da alma, e o texto rm foco relata a história do rei Davi que em Engedi ou Adulão
– estava fugindo de Saul. Neste salmo Davi faz um pedido a Deus, para que Ele o livrasse de seus
inimigos. Davi reclama que ele não era palco para seus adversários. Ele estava totalmente desesperado.
Nesta noite analisaremos o que faz uma alma adoecer, mas talvez você pergunte o que é estar doente
na alma. Existem várias coisas que revelam quando uma alma está doente. Vejamos algumas
características:
a) solidão  é a consciência de que nos falta um contato significativo com outros. Solidão
envolve um sentimento de vazio que pode ser acompanhado de tristeza;
b) depressão  vem do latim deprimere significando = oprimir-se, abaixar, pressionar para baixo,
levar à profundidade;
c) perda de auto – estima  perder a auto-estima é viver com complexo de inferioridade.
Existem várias outras coisas que mostra uma alma ferida, são muitos os que procuram psicólogos
para se restaurarem, para cura interior e nunca conseguem, mas nesta noite quero mostrar alguém que cura
nosso interior. Seu nome é Jesus.
Vejamos os pressupostos de uma alma enferma:
I – Ninguém terá uma alma sadia se não tiver pensamentos sadios.
Antes de prosseguirmos, vamos definir o que é cura interior. Betty Tapscott define da seguinte
forma: “É a cura do nosso homem interior; da mente, das emoções, das lembranças desagradáveis; dos
sonhos. É o processo em que ficamos libertos de sentimentos de ressentimentos, rejeição, auto piedade,
depressão, culpa, medo, complexo de inferioridade, etc”. voltemos ao pensamento inicial deste ponto.
1- Ninguém terá alma sadia sem ter pensamentos sadios  Pv 23.7: Por que como são os
pensamentos consigo mesmo, assim também é”.
Marco Aurélio disse: “os pensamentos de um homem dão cor à sua alma”.
Um pensamento sadio refletirá numa vida sadia. Por isso Paulo disse em Fp 4.8 “Tudo o que é
verdadeiro, tudo que é de respeito, tudo o que é certo, tudo o que tem pureza, meditai nestas coisas”.
Ficar pensando no que aconteceu na sua infância não vai ajudar em nada, não deixe sua alma
adoecer devido a pensamentos negativos e coisas do passado, é preciso tomar o controle da sua mente.
Rm 12: “mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que comproveis qual seja a boa, a
agradável e perfeita vontade de Deus”.
Só podemos nos deleitar na vontade de Deus se tivermos bons pensamentos, e isto resultará numa
alma sadia, nossos pensamentos devem ser levados cativos a Cristo, ou ele nos fará escravos do tédio.
Para terminarmos este ponto quero citar John Stott: “O segredo de uma vida pura é e ter pensamentos
puros”. E Betty Tapscott “Cura interior não é apenas voltar ao passado e desenterrar de lá os detalhes
mais sórdidos de nossa mente. Não é verificar qual a quantidade de lixo de que nos lembramos, mas é
jogar fora todo o lixo que ali encontramos”. Vejamos agora o segundo ponto:

II – Não há cura na alma sem usufruir paz interior – Jo 14.27 “Deixo-vos a paz a minha paz vos
dou, não vo-la dou como dá o mundo, não se turbe vosso coração, nem se atemorize”.
Definição de paz:
a) um estado da alma e tranqüilidade, livre de agitação e conflito; um estado de harmonia de uma
ordem mantida sem violência;
b) liberdade de espírito
c) heb. = shalon – bem estar, saúde; grego = eirenê – sensação de descanso e satisfação.

Existem três níveis para se gozar uma perfeita paz:


1- Paz com Deus  Rm 5.1: “Justificados pela fé temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus
2
Cristo”. Esta paz adquirida por meio de uma comunhão restaurada com Deus. Não há paz com Deus sem
estar reconciliado com ele.
2- Paz com o próximo  Rm 12.18: “Se possível quando depender de vós tende paz com todos”.
A paz com o próximo é estabelecida pela capacidade que temos de perdoar, a verdadeira paz é manifesta
em tempos conturbados. Erik Hayam disse: “A paz não se torna real enquanto não for provada por uma
tempestade”.
3- Paz consigo mesmo  Gl 5.23: “... mas o fruto do espírito é paz”. A paz consigo mesmo só será
possível se vencermos as seguintes coisas:
a) Complexo de inferioridade (ou baixa estima) É a inconformação com aquilo que somos. O
salmista viveu isto por várias vezes.
Sl 22.6 “mas eu sou verme e não homem, opróbrio dos homens e desprezado do povo”. Nós nos
sentimos às vezes como o pior elemento no meio de uma sociedade corrompida, mas qual é o conceito de
Deus sobre nós: “Vós, porém sois raça eleita, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus... vós
sim que não éreis povo, mas agora sois povo de Deus” I Pd 2.9,10
Pedro aqui está se referindo a nova posição da igreja, a qual foi desprezada pelos judeus. É preciso
assumir nossa nova posição em Cristo.
b) Ansiedade Angústia, incerteza aflitiva; desejo ardente, tensão, temor, fadiga, mal estar, etc.
A ansiedade é inimiga da paz, o que a Bíblia diz para os ansiosos:
- Não estejais ansiosos por coisa alguma; Mt 6.25
- Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade; I Pd 5.7
- Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele e tudo ele fará; Sl 37.5
A ansiedade nos leva a desacreditar da providencia de Deus. Quero terminar este ponto citando os
seguintes pensamentos:
Blanchard  A ansiedade nunca fortalece você para o amanhã, ela apenas enfraquece para o dia de
hoje;
George Muller  o começo da ansiedade é o fim da fé e o começo da verdadeira fé é o fim da
ansiedade.
Tomas Haliburton  Levar preocupações para a cama é dormir com uma carga nas costas.

III – A certeza da restauração da alma


Jo 10.10 “eu vim para que tenham vida em abundancia”. Muitas pessoas preferem se conformar
com a alma doente. Dizendo:
“- Há! Eu nasci para sofrer”.
A promessa de Jesus é vida de abundancia
Ele levou sobre si todas as nossas doenças, dentre isso está o problema da alma.
O objetivo de Cristo vir aqui foi libertar: “O Espírito do Senhor está sobre mim pelo que me ungiu
para evangelizar aos pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vistas aos
cegos, para por em liberdade os oprimidos e apregoar o ano aceitável do Senhor”.Lc 4.18,19

Conclusão
Deus deseja que sua alma seja restaurada, o Espírito Santo quer curar sua vida interior. Peça a ele
para invadir sua vida, pois o Espírito Santo é chamado de Espírito de Alegria. Se faltar alegria em seu ser
é porque lhe falta o Espírito santo também.
Voltando ao salmo que lemos como base para nossa mensagem poderemos identificar alguns
problemas do salmista:
a)Muitas coisas tinham o deixado triste e preocupado (ansioso); v.2
b)Ele estava desanimado, v. 3
c)Ele reclama a falta de amigos e ninguém se interessava por ele (complexo de inferioridade), v.4
d)Ele se sentia fraco, v. 6
e)Sentia medo e pavor (ansiedade e medo), v.7
Mas Davi termina visualizando sua restauração e o resultado é: “Eu darei graças e os homens te
obedeceram, se alegraram comigo pela grande bênção que me deste”.
O homem que estava só, agora tem amigos!