Sunteți pe pagina 1din 5

Questão 1) Qual a diferença entre o deslocamento da curva e o deslocamento ao longo da curva?

Quais os fatores que afetam cada um?

Questão 2) Construa o gráfico da demanda com base nos dados abaixo:

Preço do chocolate Quantidade do chocolate


R$ 1,00 30
R$ 1,50 25
R$ 2,00 20
R$ 2,50 15

Questão 3) Construa o gráfico de oferta com base nos dados abaixo ;

Preço do chocolate Quantidade do chocolate


R$ 1,00 10
R$ 1,50 15
R$ 2,00 20
R$ 2,50 25

Questão 4) Com base na questão 2 e 1, construa o preço de equilíbrio:

Questão 5) Em 30 meses, o preço da gasolina subiu 43%, alinhada ao valor do petróleo no mercado
internacional, fez o preço do combustível oscilar muito em curto espaço de tempo. Nesse contexto,
como fica a demanda pelo etanol? Caracterize esse bem.

Questão 6) Caso ocorra uma diminuição da renda, deveremos assistir a uma alteração na demanda
de um produto qualquer. Nesse caso, o que ocorre com o preço de equilíbrio deste produto? (Utilize
a forma gráfica e discursiva em sua resposta).

Questão 7) om base nos dados abaixo, complete a tabela de custos.

PRODUÇÃO CUSTO CUSTO FIXO CUSTO CUSTO CUSTO


(quantidade) TOTAL VARIÁVEL TOTAL MARGINAL
MÉDIO
0 20 0 - -
10 20 30
20 20 40
x 65 20 45 0,5

Questão 8) Por que a produtividade marginal é decrescente?


GABARITO

Questão 1) a) O deslocamento ao longo da curva é em relação a quantidade (relacionada ao


preço). E não em relação as outras variáveis da curva da demanda.

25
20
15
10 Quantidade
5
0
0,5 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 4,5

b) Agora, o deslocamento da curva é dada pela interferência de determinada variável da função


da demanda: Qdi= f (pi , ps , pc , R, G)
 Q d i é a quantidade procurada (demandada) de determinado bem i/t (t significa num dado
período)
 pi = preço do bem i/t
 ps = preço de bens substitutos ou concorrentes /t
 pc = preço dos bens complementares /t
 R = renda do consumidor /
 t G = gostos, hábitos e preferências do consumidor /t

Questão 2: Na demanda, quanto menor o preço maior a demanda, a relação é inversa, por isso,
curva é decrescente:
35
30
25
20
15
10
5
0
R$ 0,80R$ 1,00R$ 1,20R$ 1,40R$ 1,60R$ 1,80R$ 2,00R$ 2,20R$ 2,40R$ 2,60

Questão 3: Na oferta, os produtores são estimulados a produzir quanto maior o preço e não o
contrário, por isso, a curva é crescente:

30

25

20

15

10

0
R$ 0,80R$ 1,00R$ 1,20R$ 1,40R$ 1,60R$ 1,80R$ 2,00R$ 2,20R$ 2,40R$ 2,60

Questão 4) O preço de equilíbrio, com base nas duas questões anteriores, é:

O preço de equilíbrio é R$20,00


35
30
25
20
15
10
5
0
R$ 0,80R$ 1,00R$ 1,20R$ 1,40R$ 1,60R$ 1,80R$ 2,00R$ 2,20R$ 2,40R$ 2,60

Ponto de
Equilíbrio

Questão 5) Os produtos citados são substitutos, por isso, quando há o aumento do preço de um,
como forma de substituição, há o aumento de demanda de outro. E, nesse caso, com o aumento do
preço da gasolina, houve a troca o combunstível etanol.

Questão 6) Caso ocorra a diminuição da Renda de um consumidor, entende-se que diminuirá o


consumo de determinado bem superior e aumentará o consumo de determinado bem. Em relação ao
bem superior, como diminui a demanda (deslocamento da curva) o preço de equilíbrio será
modificado.
7)Resolvendo:

PRODUÇÃO CUSTO CUSTO FIXO CUSTO CUSTO CUSTO


(quantidade) TOTAL VARIÁVEL TOTAL MARGINAL
MÉDIO
0 20 20 0 - -
10 50 20 30 50/10=5 3
20 60 20 40 60/20=3 1
30 65 20 45 65/30=2,16 5/10=0,5

OBSERVAÇÕES:

1) Mas quando a produção é 0 (zero) apenas se suportam os custos fixos. Logo, nesse caso CV = 0
e CT = CF = 20

2) Se o Custo Total Médio = Custo Total / Quantidade Produzida, na linha n.º 2 = 50 / 10 = 5

3) Se o Custo Total Médio = Custo Total / Quantidade Produzida, na linha n.º 3: Custo Total Médio
= 60/30=3
4) Custo Marginal = ∆Custo Total / ∆Quantidade Produzida
Nesse caso, temos:
Na segunda linha (50-20)/(10-0)= 30/10= 3
Na terceira linha (60-50)/(20-10)=10/10=1

5) Na quarta linha, não sabemos a quantidade, mas sabemos o custo marginal e o custo total. Nesse
sentido, (5/x-20) / (0,5/1) = 30

8)Também conhecida por Lei das Produtividades Marginais Decrescentes, a Lei dos
Rendimentos Marginais Decrescentes significa que os acréscimos de produção de um bem se vão
tornando cada vez menores à medida que vamos acrescentando mais unidades de determinado
factor produtivo, mantendo a quantidade dos restantes factores produtivos constante.