Sunteți pe pagina 1din 4

Cateterização da veia Periférica

► Definição:
 Consiste nas ações a desenvolver durante a introdução de um cateter
numa veia periférica.
► Objetivo:
 Assegurar o acesso ao sistema venoso com fins terapêuticos e/ou
diagnósticos.
► Recursos:
 Resguardo
 Almofada
 Luvas de procedimento
 Garrote
 Cateter endovenoso
 Seringa (2-5ml soro)
 Antisséptico
 Compressas esterilizadas
 Obturador
 Penso esterilizado (de preferência transparente)
 Contentores cortantes/perfurantes
 Saco de sujos
► Procedimento:
 Levar recursos para junto do doente
 Lavar as mãos (tipo de lavagem: fricção alcoólica)
 Instruir sobre o procedimento
 Abrir todo o material
 Observar a veia a puncionar e a área circundante

 Sem ser em lugar com dobras
 Em mão não dominante
 Mais distal para mais proximal
 Posicionar doente de acordo com o local de inserção
 Aplicar garrote 5-10 cm acima do local de punção (um palmo)
 Posicionar o membro em abdução
 Pedir ao doente para abrir e fechar a mão, várias vezes
 Calçar luvas
 Palpar veia
 Desinfetar a área a puncionar (15-30s)
 Remover capsula do cateter
 Com mão não dominante, comprimir pele no sentido da porção distal do
braço (abaixo da região)
 Puncionar veia com mão dominante (45°-30° agulha - bisel virado para
cima)
 Verificar se sai sangue (aspirar ligeiramente)
 Desfazer angulo para 15°e voltar a verificar se sai sangue
 Fazer progredir cateter e retirar agulha
 Tirar garrote
 Fazer pressão no cateter
 Aplicar obturador (manipular só parte verde, branca – esterilizada)
 Doente não pode mexer
 Fixar cateter com penso esterilizado
 Penso transparente – mais adequado
 É visível o local de inserção
 É esterilizado
 É impermeável
 Penso opaco
 Com compressa e adesivo
 1 por baixo do cateter – dobrado
 2º ppor cima
 adesivo
 Uma tira de adesivo (em forma de gravata) apenas sobre cateter
 Com mefix (não é esterilizado) risco de infeção
 Para se tornar mais confortável, podemos por uma rede para facilitar os
movimentos como vestir e despir
 Marcar dia, hora e nome
 Flush (por soro todo mas 1º verificar se sai sangue)
 Retirar luvas
 Assegurar recolha e lavagem do material
 Lavar as mãos
 Registos
 Data e hora
 Diagnósticos
 Intervenções
 Resultados

NOTA:

 Adulto – 18-22G
 Perfusão contínua – 20G
 Bloco operatório – 18 G
 Mudar de 48-72h a 48-72h
 Face interna do braço é mais doloroso
 Se tiver com flebite – inserir cateter mais acima
 Exógena – fora para dentro
 Endógena – dentro para fora
 Com soro inserido no cateter – por adesivo para a pressão não estar no cateter

COMO RETIRAR:
► Recursos:
 Compressas
 Luvas de procedimento
 Curita
 Saco sujos
 Saco cortantes/perfurantes
 Antisséptico
► Procedimento:
 Lavar as mãos
 Calçar luvas
 Tirar parte do adesivo
 Expor local de inserção
 Desinfetar local
 Com compressa fazer pressão e retirar cateter e resto do adesivo
 Fazer pressão durante 5 min (se doente consciente – pedir-lhe)
 Colocar curita
 Retirar luvas
 Fazer triagem dos lixos
 Lavar as mãos
 Registos

OTIMIZAR CATETER:
 Testar permeabilidade
 Aspirar para ver se está na veia
 Flush (2-5ml de soro)
 Visualizar local de inserção
 Limpar com antissético num movimento único
 Mudar penso
 Hora, data, nome