Sunteți pe pagina 1din 46
       

DIÁRIO DA JUSTIÇA – JOÃO PESSOA-PB • DISPONIBILIZAÇÃO: SEGUNDA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2018 PUBLICAÇÃO: TERÇA-FEIRA, 27 DE MARÇO DE 2018

 

1

 

João Pessoa-PB • Disponibilização:

segunda-feira, 26 de março de 2018

     

Nº 15.464

Publicação: terça-feira, 27 de março de 2018 – (Lei nº 11.419, de 19 de dezembro de 2006, art. 4)

ANO XLVIII

   

à

matéria criminal; III – dentre a 1ª Vara Mista e o Juizado Especial Misto da Comarca de Cabedelo, no

RESOLUÇÃO DO TRIBUNAL PLENO

 

tocante à matéria criminal; IV – dentre as 1ª e 5ª Varas Mistas e o Juizado Especial Misto da Comarca

unidades judiciárias sorteadas, na forma do inciso V, analisarão as demandas revestidas de caráter de

RESOLUÇÃO Nº 14, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2017. Altera a Resolução nº 56, de 11 de dezembro de 2013, do Tribunal de Justiça do Estado, que disciplina a organização e o funcionamento do plantão judiciário no primeiro grau de jurisdição. O PRESIDENTE O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARAÍBA, no uso de suas atribuições constitucionais, legais e regimentais, CONSIDERANDO a oferta de Parecer pela Comissão de Organização e Divisão Judiciárias do Estado, se posicionando sobre a constitucionalidade e legalidade da medida, bem como sobre a necessidade de ajustar a minuta originária aos princípios da legística (PA 2017216439); CONSIDERANDO a urgência em introduzir mudanças na Resolução nº 56, de 11 de dezembro de 2013, que dispõe sobre a organização e o funcionamento do plantão judiciário no primeiro grau de jurisdição, sobretudo no tocante a realização das audiências de custódia nas comarcas que integram a Região Metropolitana de João Pessoa, a qual fora implantada posteriormente, por meio da Resolução nº 14, de 20 de abril de 2016; CONSIDERANDO

que o prazo máximo para o sorteio das unidades judiciárias, visando a formação da escala de plantão no primeiro grau de juridição, relativa ao primeiro semestre de 2018, expirar-se-á no próximo dia 18 de dezembro do corrente ano. RESOLVE: Art. 1º O art. 4º da Resolução nº 56/2013 passa a vigorar com

de Santa Rita, no tocante à matéria criminal; e V - dentre as demais unidades judiciárias, com competências diversas da criminal. § 1º Os juízes plantonistas das unidades judiciárias sorteadas, na forma dos incisos I a IV deste artigo, analisarão as demandas revestidas de caráter de urgência que versem sobre matéria criminal e realizarão as audiências de custódia. § 2º Os juízes plantonistas das

urgência versando sobre matéria cível, inclusive as medidas protetivas de urgência (art. 167, parágrafo único, da Loje) e aquelas afetas à infância e juventude.(NR). Art. 4º Fica alterada a redação do § 1º do artigo 31 da Resolução nº 56/2013, e lhe acrescentado o § 1º- A, com as seguintes redações: Art. 31. (…) § 1º Os serviços de apoio ao plantão que recaírem sobre as unidades judiciárias integrantes da Região Metropolitana de João Pessoa, nos dias em que não houver expediente forense e no período de recesso judiciário previsto no art. 1º da Resolução nº 244/2016, do Conselho Nacional de Justiça, serão cobertos por veículos dessas unidades com motoristas escalados mediante sorteio realizado pela Gerência de Apoio Operacional, mensalmente, mediante rodízio.(NR) § 1º-A Para o fim do disposto no § 1º, todos os motoristas que servem nas unidades judiciárias integrantes da Região Metropolitana de João Pessoa concorrerão à escala, sendo sorteados dois deles para atuarem durante

a

seguinte redação: Art. 4º. O atendimento ao público durante o plantão presencial ocorrerá nas

o

plantão, um no cível e outro no criminal, limitado o período a dois dias para cada motorista,

dependências do fórum da comarca ou unidade judiciária sorteada. Parágrafo único. Nos dias em que

mantendo-se a escala inalterada, salvo por motivo justificado, devendo neste caso, proceder-se a

ATOS DO GABINETE DA PRESIDÊNCIA

não houver expediente forense nas comarcas que integram a região metropolitana de João Pessoa (art. 324, Loje), o plantão ocorrerá: I – nas dependências do fórum criminal da Capital quando se tratar de feitos de natureza criminal, inclusive, audiência de custódia; II – nas dependências do fórum cível da comarca da Capital, nos feitos de natureza cível, inclusive, as medidas protetivas de urgência (parágrafo único do art. 167 da Loje) e aqueles afetos à infância e juventude, cujo atendimento deverá se dar em salas específicas para tal fim. Art. 2º Fica acrescentado o artigo 4º – A à Resolução nº 56/ 2013: Art. 4º A – O atendimento ao público durante o plantão presencial dar-se-á nos seguintes dias e horários: I – nos dias em que não houver expediente forense: a) nas comarcas que integram a região metropolitana de João Pessoa e na Comarca de Campina Grande, das 13:00 às 17:00 horas; b) nas demais comarcas, das 08:00 às 12: 00 horas. II – nos dias úteis, de segunda a quinta-feira: a) nas comarcas que integram a região metropolitana de João Pessoa e na Comarca de Campina Grande, três horas antes do início do expediente; b) nas demais comarcas, nas três horas seguintes ao encerramento do expediente. III – às sextas-feiras, em todas as comarcas, das 14:00 às 17:00 horas. § 1º Durante

alteração em até dois dias antes do início do plantão. O resultado do sorteio será publicado no sítio do Tribunal, no prazo de 48 horas após a sua realização, sem prejuízo do disposto no § 2º do art. 4º-A, da Resolução nº 56/2013. Art. 5º Os Grupos I e II do Anexo Único da Resolução nº 56/2013 passam a vigorar de acordo com o Anexo Único desta Resolução. Art. 6º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Art. 7º Revogam-se as disposições em contrário, especialmente o § 5º do art. 1º da Resolução nº 14, de 20 de abril de 2016. Desembargador JOÁS DE BRITO PEREIRA FILHO – Presidente. Referendada na Sessão do Egrégio do Tribunal Pleno do dia 07.03.2018. - ANEXO ÚNICO - RESOLUÇÃO Nº 14, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2017. GRUPO I - Bayeux, Cabedelo, João Pessoa e Santa Rita; GRUPO II - Alhandra, Caaporã, Conde, Cruz do Espírito Santo, Gurinhém, Itabaiana, Jacaraú, Lucena, Mamanguape, Pedras de Fogo, Pilar, Rio Tinto e Sapé.

os horários a que faz referência os incisos I, II e III, do caput deste artigo, todos os servidores escalados deverão permanecer no local designado para o serviço. § 2º No início do expediente forense do último dia útil de cada semana, o servidor designado pelo diretor do fórum, entregará ao vigilante que tiver posto na portaria do prédio do fórum e afixará, em lugar visível ao público, a

PORTARIA GAPRE Nº 571/2018 - A PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, no uso de suas atribuições legais, e Considerando o gozo das férias individuais e a compensação do plantão judiciário da Excelentíssima Senhora Desembargadora MARIA DE FÁTIMA MORAIS BEZERRA CAVALCANTI, na

relação de todos os servidores plantonistas escalados para os plantões dos setes dias imediatos, organizada pela ordem cronológica, com endereços e telefones do serviço de plantão. § 3º O juiz

forma do art. 1º da Resolução nº 33/2012 c/c o art. 15, da Resolução nº 24/2011, ambas do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, conforme consta no Processo Administrativo nº 2017.156.303; Considerando os artigos

plantonista em dia útil, deverá receber e despachar as ocorrências da comarca integrante do mesmo

e 7º, § 1º, da Resolução nº 13, de 06 de setembro de 2010, bem como decisão do Egrégio Tribunal Pleno em

grupo em que o horário de plantão não coincidir com o da comarca que o sedia. Art. 3º Fica acrescentado

sessão plenária administrativa realizada no dia 21.03.2018; RESOLVE: Art. 1º Convocar, pelo critério de antiguidade,

o

artigo 5º- A à Resolução nº 56/2013: Art. 5º - A. Nas comarcas que integram a região metropolitana

o

Excelentíssimo Senhor Doutor TÉRCIO CHAVES DE MOURA, Juiz de Direito da 2ª Vara Criminal da Comarca

de João Pessoa (art. 324 da Loje), cada plantão contará com dois juízes, mediante sorteio de uma

da Capital, para integrar o Egrégio Tribunal Pleno, a Primeira Seção Especializada Cível e a Primeira Câmara

unidade judiciária: I – dentre as unidades judiciárias da Comarca da Capital, dotadas de competência

Especializada Cível, no período de 09 de abril a 09 de maio de 2018. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data

criminal, à exceção das Turmas Recursais, cujos membros concorrerão exclusivamente ao plantão

de

sua publicação. Gabinete da Presidência do Tribunal de Justiça da Paraíba, em João Pessoa, 23 de março de

cível; II – dentre as 1ª e 5ª Varas Mistas e o Juizado Especial Misto da Comarca de Bayeux, no tocante

2018. Desembargador JOÁS DE BRITO PEREIRA FILHO - Presidente

 
 

PODER JUDICIÁRIO ESTADUAL

     

MESA DIRETORA

 

Órgãos Julgadores

     

Des. Joás de Brito Pereira Filho (Presidente)

Desª. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti

PRIMEIRA SEÇÃO ESPECIALIZADA CÍVEL

SEGUNDA SEÇÃO ESPECIALIZADA CÍVEL

Des. João Benedito da Silva

SESSÕES QUINZENAIS:

 

SESSÕES QUINZENAIS:

 

(Vice-Presidente)

Quarta-feira, às 08:30h

 

Quarta-feira, às 09:00h

 

Des. José Aurélio da Cruz (Corregedor-Geral de Justiça)

(Ouvidora) Desª. Maria das Graças Morais Guedes (Ouvidora Substituta)

Des. José Ricardo Porto Des. Leandro dos Santos Des. Abraham Lincoln da Cunha Ramos Des. Oswaldo Trigueiro do Valle Filho

Des. Saulo Henrique de Sá e Benevides Des. Romero Marcelo da Fonseca Oliveira Des. João Alves da Silva Des. Frederico Martinho da Nóbrega Coutinho

 

Bel. Márcio Roberto Soares Ferreira Júnior (Diretor Especial)

Desª Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti (Presidente) Des. Luiz Silvio Ramalho Júnior

Desª Maria das Graças Morais Guedes Des. Marcos Cavalcanti de Albuquerque (Presidente)

CONSELHO DA MAGISTRATURA

SESSÕES: 1ª e 3ª Sextas-feiras, às 09:00h

PRIMEIRA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL

SESSÕES: Terça-feira e Quinta-feira, às 08:30h

TERCEIRA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL

SESSÕES: Terça-feira e Quinta-feira, às 08:30h

CÂMARA ESPECIALIZADA CRIMINAL

SESSÕES: Terça-feira e Quinta-Feira, a partir das 09:00h

Des. Joás de Brito Pereira Filho (Presidente) Des. João Benedito da Silva Des. José Aurélio da Cruz

Des. José Ricardo Porto Des. Leandro dos Santos (Presidente) Desª. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti

Des. Saulo Henriques de Sá e Benevides Desª Maria das Graças Morais Guedes Des. Marcos Cavalcanti de Albuquerque (Presidente)

Des. João Benedito da Silva Des. Carlos Martins Beltrão Filho (Presidente)

MEMBROS EFETIVOS Des. Frederico Martinho da Nóbrega Coutinho Des. José Ricardo Porto

SEGUNDA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL

SESSÕES: Segunda-feira e Terça-feira, às 08:30h

QUARTA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL

Des. Márcio Murilo da Cunha Ramos Des. Arnóbio Alves Teodósio

Desª. Maria das Graças Morais Guedes

SESSÕES: Segunda-feira e Terça-feira, às 09:00h

 

TRIBUNAL PLENO

 

SUPLENTES Desª. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti

Des. Romero Marcelo da Fonseca Oliveira

 

SESSÕES QUINZENAIS:

 

(1º suplente) Des. Romero Marcelo da Fonseca Oliveira

Des. Abraham Lincoln da Cunha Ramos Des. Oswaldo Trigueiro do Valle Filho Des. Luiz Silvio Ramalho Júnior (Presidente)

(Presidente) Des. João Alves da Silva Des. Frederico Martinho da Nóbrega Coutinho

Quartas-feiras das 08:30h às 12:00h e das 14:00h às 18:00h

(2º suplente) Oswaldo Trigueiro do Valle Filho (3º suplente)

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA – Praça João Pessoa, s/n - CEP 58.013-902 • João Pessoa-PB - Fone: (83) 3216-1400 • Internet: www.tjpb.jus.br • e-mail: tjpb@tj.pb.gov.br • twitter: @TJPBNoticias

DIÁRIO DA JUSTIÇA – J OÃO P ESSOA -PB • D ISPONIBILIZAÇÃO : SEGUNDA -

DIÁRIO DA JUSTIÇA – JOÃO PESSOA-PB • DISPONIBILIZAÇÃO: SEGUNDA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2018 PUBLICAÇÃO: TERÇA-FEIRA, 27 DE MARÇO DE 2018

2

PORTARIA GAPRE Nº 572/2018 - A PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA,
PORTARIA GAPRE Nº 572/2018 - A PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, no
uso de suas atribuições legais, e Considerando o gozo da compensação de Plantão Judiciário, da Excelentíssima
Senhora Doutora FRANCILENE LUCENA MÉLO JORDÃO, Juiz de Direito, na forma do artigo 27, da Resolução
nº 56/2013, c/c Resolução nº 06/2016 e o constante do Processo Administrativo nº 2018.060.090; RESOLVE:
ATOS DA DIRETORIA ESPECIAL
designar os Excelentíssimos Senhores Juízes de Direito, a seguir relacionados para, sem prejuízo das suas
atividades nas Unidades Judiciárias nas quais estão atuando, responderem, cumulativamente pelo expediente
da unidade, no dia a seguir indicado: COMARCA / UNIDADE / MAGISTRADO(A) / DIAS Campina Grande - Juizado
de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher - Leonardo Sousa de Paiva Oliveira - 26 a 28.03.2018; Campina
Grande - Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher - Iêda Maria Dantas - 02 a 06 e 09 e
10.04.2018. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.Gabinete da Presidência do Tribunal
de Justiça da Paraíba, em João Pessoa, 23 de março de 2018. Desembargador JOÁS DE BRITO PEREIRA
FILHO - Presidente
COMUNICADO - O Diretor Especial do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, tendo em vista o inciso IV
do Ato da Presidência nº 24, de 03 de fevereiro de 2015, editado por força do contido no art. 12, II, da Lei
9.316, de 29 de dezembro de 2010, comunica aos Senhores Advogados, Partes e Pessoas interessadas à
escala do Plantão Judiciário do Primeiro Grau, nos dias e nos Grupos abaixo:
GRUPO – 1 - BAYEUX, CABEDELO, JOÃO PESSOA e SANTA RITA
MARÇO/2018
PLANTÃO CÍVEL
PLANTÃO CRIMINAL
PORTARIA GAPRE Nº 573/2018 - A PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, no
uso de suas atribuições legais, Considerando o parágrafo único do art. 181 da Loje, o juiz titular de Juizado
Auxiliar, excepcionalmente, poderá ser designado para substituir ou auxiliar quaisquer das unidades judiciárias
integrantes das respectivas circunscrições judiciárias, independentemente da especialidade do juizado auxiliar do
qual for titular; RESOLVE: Art. 1º Designar o Excelentíssimo Senhor Doutor LUIZ EDUARDO SOUTO CANTALICE,
Juiz de Direito do 4º Juizado Auxiliar Criminal da 1ª Circunscrição, para, nos dias 26 e 27.03.2018, responder,
conjunto e cumulativamente, pelo expediente da 2ª Vara da Infância e Juventudeda Comarca da Capital. Art. 2º
Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. Gabinete da Presidência do Tribunal de Justiça da
Paraíba, em João Pessoa, 26 de março de 2018. Desembargadr JOÁS DE BRITO PEREIRA FILHO - Presidente
Dias
Comarca/Vara
Comarca/Vara
31/03, 01 e 02/04
4ª VARA MISTA DE BAYEUX
2ª VARA CRIMINAL DA
CAPITAL
GRUPO – 2 - ALHANDRA, CAAPORÃ, CONDE, CRUZ DO ESPÍRITO SANTO, GURINHÉM, ITABAIANA,
JACARAÚ, LUCENA, MAMANGUAPE, PEDRAS DE FOGO, PILAR, RIO TINTO e SAPÉ.
MARÇO/2018
Dias
Comarca/Vara
31/03, 01 e 02/04
3ª VARA MISTA DA COMARCA DE SAPÉ
PORTARIA GAPRE Nº 574/2018 - A PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, no
uso de suas atribuições legais, e Considerando o afastamento do Excelentíssimo Senhor Doutor VLADIMIR
JOSÉ NOBRE DE CARVALHO, Juiz de Direito Auxiliar, para o gozo de licença saúde, na forma do inciso II do art.
127 (Loje); RESOLVE: Art. 1º Designar o Excelentíssimo Senhor Doutor FABRÍCIO MEIRA MACEDO, Juiz de
Direito do 3º Juizado Auxiliar Criminal da 2ª Circunscrição, para, nos dias 27 e 28.03.2018, responder,
cumulativamente, pelos expedientes da 1ª Vara Mista e Diretoria do Fórum da Comarca de Monteiro. Art. 2º Esta
Portaria entra em vigor na data de sua publicação. Gabinete da Presidência do Tribunal de Justiça da Paraíba, em
João Pessoa, 26 de março de 2018. Desembargador JOÁS DE BRITO PEREIRA FILHO - Presidente
GRUPO – 3 - AROEIRAS, BOQUEIRÃO, CABACEIRAS, CAMPINA GRANDE, INGÁ, QUEIMADAS
e UMBUZEIRO
MARÇO/2018
Dias
Comarca/Vara
31/03, 01 e 02/04
JUIZADO DA VIOLÊNCIA DOMESTICA E FAMILIAR DE CAMPINA GRANDE
PORTARIA GAPRE Nº 575/2018 - A PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, no
uso de suas atribuições legais, e Considerando o afastamento do Excelentíssimo Senhor Doutor JOSÉ EMANUEL
DA SILVA E SOUSA, Juiz Substituto, para o gozo de licença saúde, na forma do inciso I do art. 127 (Loje); e o que
consta do processo administrativo nº 2018.061.425; RESOLVE: Art. 1º Designar, excepcionalmente, a
Excelentíssima Senhora Doutora VANESSA MOURA PEREIRA DE CAVALCANTE, Juíza de Direito, para, nos
dias 27 e 28.03.2018, responder, cumulativamente, pelo expediente da Comarca de Coremas. Art. 2º Esta
Portaria entra em vigor na data de sua publicação. Gabinete da Presidência do Tribunal de Justiça da Paraíba, em
João Pessoa, 26 de março de 2018. Desembargador JOÁS DE BRITO PEREIRA FILHO - Presidente
GRUPO – 4 - JUAZEIRINHO, MONTEIRO, POCINHOS, PRATA, SÃO JOÃO DO CARIRI, SERRA
BRANCA, SOLEDADE e SUMÉ.
MARÇO/2018
Dias
Comarca/Vara
31/03, 01 e 02/04
JUAZEIRINHO
GRUPO – 5 - ALAGOA GRANDE, ALAGOA NOVA, AREIA, BARRA DE SANTA ROSA, CUITÉ,
ESPERANÇA, PICUÍ e REMÍGIO
PORTARIA GAPRE Nº 576/2018 - A PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, no
uso de suas atribuições legais, e RESOLVE: Designar, excepcionalmente, o Excelentíssimo Senhor Doutor JOSÉ
MILTON BARROS DE ARAÚJO, Juiz de Direito, para, no período de 26 a 28.03.2018, responder, cumulativamente,
pelos expedientes da Unidade Judiciária de Itaporanga, dispensando o Excelentíssimo Senhor Doutor José
Emanuel da Silva Souza, Juiz Substituto, anteriormente designado. Gabinete da Presidência do Tribunal de
Justiça da Paraíba, em João Pessoa, 26 de março de 2018. Desembargador JOÁS DE BRITO PEREIRA FILHO
- Presidente
MARÇO/2018
Dias
Comarca/Vara
31/03, 01 e 02/04
1ª VARA MISTA DE CUITÉ
GRUPO – 6 - ÁGUA BRANCA, COREMAS, ITAPORANGA, MALTA, PATOS, PIANCÓ, PRINCESA
ISABEL, SANTA LUZIA, SANTANA DOS GARROTES, SÃO MAMEDE, TAPEROÁ e TEIXEIRA
PORTARIA GAPRE Nº 577/2018 - A PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, no
uso de suas atribuições legais, e RESOLVE: designar a Excelentíssima Senhora Doutora VANESSA ANDRADE
DANTAS LIBERALINO DA NÓBREGA, Juíza de Direito do 2º Juizado Auxiliar de Família da 1ª Circunscrição,
para, nos dias 26 e 27.03.2018, responder, conjunta e cumulativamente, pelo expediente da 2ª Vara de Família
da Comarca da Capital. Gabinete da Presidência do Tribunal de Justiça da Paraíba, em João Pessoa, 26 de março
de 2018. Desembargador JOÁS DE BRITO PEREIRA FILHO - Presidente
MARÇO/2018
Dias
Comarca/Vara
31/03, 01 e 02/04
2ª VARA MISTA DE PATOS
PORTARIA GAPRE Nº 578/2018 - O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, no uso
de suas atribuições legais, e Considerando o afastamento da Excelentíssima Senhora Doutora MAYUCE
SANTOS MACEDO, Juíza Substituta, que se encontra em gozo de férias, na forma do art. 124 da LC nº 96/2010
(Loje) e da Resolução nº 33/2012, do Tribunal Pleno; RESOLVE: Designar, o Excelentíssimo Senhor Doutor
VINÍCIUS SILVA COELHO, Juiz Substituto, para, no período de 02 a 17.04.2018, responder, cumulativamente,
pelo expediente da 2ª Vara Mista da Comarca de Piancó, na forma disposta no Anexo XIV – LC nº 96/2010 (Art.
183, parágrafo único da Loje), dispensando o Excelentíssimo Senhor Doutor JOSÉ EMANUEL DA SILVA E
SOUZA, magistrado, anteriormente designado. Gabinete da Presidência do Tribunal de Justiça da Paraíba, em
João Pessoa, 26 de março de 2018. Desembargador JOÁS DE BRITO PEREIRA FILHO - Presidente
GRUPO – 7 - BONITO DE SANTA FÉ, BREJO DO CRUZ, CAJAZEIRAS, CATOLÉ DO ROCHA, CONCEI-
ÇÃO, PAULISTA, POMBAL, SÃO BENTO, SÃO JOSÉ DE PIRANHAS,
SÃO JOÃO DO RIO DO PEIXE, SOUSA E UIRAÚNA.
MARÇO/2018
Dias
Comarca/Vara
31/03, 01 e 02/04
2ª VARA MISTA DE CATOLÉ DO ROCHA
GRUPO – 8 - ALAGOINHA, ARARA, ARARUNA, ARAÇAGI, BANANEIRAS, BELÉM, CAIÇARA,
CACIMBA DE DENTRO, GUARABIRA, MARI, PILÕES, PIRPIRITUBA, SERRARIA e SOLÂNEA.
MARÇO/2018
Dias
Comarca/Vara
PORTARIA GAPRE Nº 579/2018 - O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, no uso
de suas atribuições legais, e Considerando o afastamento da Excelentíssima Senhora Doutora FRANCISCA
BRENA CAMELO BRITO, Juíza Substituta, que se encontra em gozo de licença maternidade, na forma do art.
127, III da Loje; conforme consta no processo administrativo nº 2018.056.270; RESOLVE: Designar,
excepcionalmente, o Excelentíssimo Senhor Doutor JOSÉ MILTON BARROS DE ARAÚJO, Juiz de Direito, para,
no período de 02.04 a 06.09.2018, responder, cumulativamente, pelo expediente da 3ª Vara Mista da Comarca de
31/03, 01 e 02/04
2ª VARA MISTA DE GUARABIRA
Gabinete do Diretor Especial do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, em João Pessoa, segunda-feira,
26 de março de 2018.
Márcio Roberto Soares Ferreira Júnior DIRETOR ESPECIAL
ATOS DA DIRETORIA ESPECIAL
COMUNICADO - O Diretor Especial do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, tendo em vista o disposto no art. 12, II, da Lei 9.316, de 29 de dezembro de 2010 e no art. 4º, § 6º e art. 8º da Resolução nº 24, de 29 de junho
Fonte: Diretoria de Tecnologia da Informação - Gerência de Sistemas.
ND –> Não Disponível
de 2011, com a redação dada pela Resolução nº 73 do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, de 10 de setembro de 2012, comunica aos Senhores Advogados, Partes e Pessoas interessadas, que o Plantão Judiciário do
Tribunal de Justiça do dia 28 de março de 2018, será exercido pelo Excelentíssimo Senhor Desembargador e servidores abaixo nominados:
DIA
DESEMBARGADOR
28/03
ALUÍZIO BEZERRA FILHO
SERVIDORES
GERÊNCIA DE PROTOCOLO
E DISTRIBUIÇÃO
GERÊNCIA DE
DIRETORIA
PROCESSAMENTO
JURÍDICA
DIRETORIA DE TECNOLOGIA
DA INFORMAÇÃO
DIRETORIAADMINISTRATIVA
(MOTORISTA)
3216-1475/1674
3216-1536/1659/1660
3216-1592/1416/1806
3216-1439/1404/1405
3216-1530/1473
28/03
André Nam
Carmen Lúcia Fonseca de Lucena
– José Carlos Novaes
Mário Eugênio Zenaíde Cavalcanti
e Thiago Bruno Nogueira Alves
Hailton Geraldo da Silva
Geraldo Gomes de Oliveira Filho
Gabinete do Diretor Especial do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, em João Pessoa,
26 de março de 2018. MÁRCIO ROBERTO SOARES FERREIRA JÚNIOR - Diretor Especial.
ENDEREÇO DE PLANTÃO
Praça João Pessoa s/n, CEP 58013-902 – João Pessoa (PB)
TELEFONES
TJ - 3216-1400; Portaria do TJ - 3216-1515; Diretoria Judiciária – 3216-1536; Gerência de Protocolo e
Distribuição – 3216-1475; Diretoria Jurídica – 3216-1592; Diretoria de Tecnologia da Informação - 3216-1439
DIRETORIA DE
COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL
Diretora: Cristiane Abreu Serra da Rocha Rodrigues
Gerência de Comunicação
PODER
DIÁRIO DA JUSTIÇA
JUDICIÁRIO
Editor e Supervisor: Martinho José Pereira Sampaio
TRIBUNAL
Endereço: ANEXO ADMINISTRATIVO “DESEMBARGADOR ARCHIMEDES SOUTO MAIOR”
DE JUSTIÇA
Praça Venâncio Neiva, s/n, 7º andar Centro - CEP 58011-020 •
João Pessoa / PB • Contato: (83) 3216-1629 (Supervisão) 3216-1818 e 3216-1420 (Apoio)
DA PARAÍBA
site: www.tjpb.jus.br • e-mail: diajustica@tjpb.jus.br
DIÁRIO DA JUSTIÇA – J OÃO P ESSOA -PB • D ISPONIBILIZAÇÃO : SEGUNDA -

DIÁRIO DA JUSTIÇA – JOÃO PESSOA-PB • DISPONIBILIZAÇÃO: SEGUNDA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2018 PUBLICAÇÃO: TERÇA-FEIRA, 27 DE MARÇO DE 2018

3

Itaporanga, dispensando o Excelentíssimo Senhor Doutor VINÍCIUS SILVA COELHO, magistrado, anteriormente designado. Gabinete da Presidência do Tribunal de Justiça da Paraíba, em João Pessoa, 26 de março de 2018. Desembargador JOÁS DE BRITO PEREIRA FILHO - Presidente

 
DESPACHOS DA PRESIDÊNCIA
DESPACHOS DA PRESIDÊNCIA
 

A

PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA PROFERIU A SEGUINTE

PORTARIA GAPRE Nº 580/2018 - A PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, no uso de suas atribuições legais, e Considerando o gozo da compensação de Plantão Judiciário, do Excelentíssimo Senhor Doutor EDIVAN RODRIGUES ALEXANDRE, Juiz de Direito, na forma do artigo 27, da Resolução nº 56/ 2013, c/c Resolução nº 06/2016 e o constante do Processo Administrativo nº 2018.061.484;RESOLVE:Art. 1º Designar o Excelentíssimo Senhor Doutor FALKANDRE DE SOUSA QUEIROZ, Juiz de Direito do 1º Juizado Auxiliar Criminal da 2ª Circunscrição, para, no dia 27.03.2018, responder, cumulativamente, pelo expediente da Vara de Entorpecentes da Comarca de Campina Grande.Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.Gabinete da Presidência do Tribunal de Justiça da Paraíba, em João Pessoa, 26 de março de 2018.Desembargador JOÁS DE BRITO PEREIRA FILHO - Presidente

 

D

ECISÃO NOS PROCESSOS ABAIXO IDENTIFICADOS: “(…) INADMITO O RECURSO ESPECIAL.”

 

RECURSO ESPECIAL Nº: 0033444-95.2010.815.2001. RECORRENTE: Estado da Paraíba. ADVOGADO: Gilberto Carneiro da Gama (OAB/PB nº 10.631). RECORRIDO: Luís Evaristo da Silva. ADVOGADO (A): Gene Soares Peixoto (OAB/PB nº 4.032).

RECURSO ESPECIAL Nº: 0002810-92.2005.815.2001. RECORRENTE: Estado da Paraíba. ADVOGADO: Gilberto Carneiro da Gama (OAB/PB nº 10.631). RECORRIDA: JEFFERSONIA DA SILVA DUARTE. ADVOGADA: MARIA DE LOURDES ARAÚJO MELO.

PORTARIA GAPRE Nº 581/2018 - A PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, no

RECURSO ESPECIAL Nº 0027125-09.2013.815.2001. RECORRENTE: Paraíba Previdência – PBPREV. PROCURADOR: Jovelino Carolino Delgado Neto (OAB/PB n° 17.281). RECORRIDO: Marinaldo do Nascimento Silva. ADVOGADO: Ênio Silva Nascimento (OAB/PB n° 1 1.946).

RECURSO ESPECIAL – nº 0101772-09.2012.815.2001. RECORRENTE: PBPREV – Paraíba Previdência. PROCURADOR: Jovelino Carolino Delgado Neto (OAB/PB n° 17.281). RECORRIDO: Marcos Dias Trindade. ADVOGADO: Ênio Silva Nascimento (OAB/PB n° 1 1.946).

uso de suas atribuições legais, e, considerando os afastamentos decorrentes das férias regulamentares e convocações, resolve:designar os Excelentíssimos Senhores Juízes de Direito a seguir relacionados para, sem prejuízo das suas atividades nas Unidades Judiciárias das quais são titulares ou substitutos, responderem, cumulativamente, pelos expedientes das varas e comarcas, nos períodos a seguir descritos: COMARCA / UNIDADE / MAGISTRADO(A) / PERÍODO - ALAGOINHA - VARA ÚNICA - José Jackson Guimarães - 02.04 a 01.05.2018; ARAÇAGI - VARA ÚNICA - Silse Maria da Nóbrega Torres - 02.04 a 01.05.2018; GUARABIRA - 1ª VARA MISTA - Candice Queiroga de Castro Gomes Ataíde - 02.04 a 01.05.2018; GUARABIRA - 3ª VARA MISTA

E

DIRETORIA DO FÓRUM - Kátia Daniela de Araújo - 02.04 a 01.05.2018; GUARABIRA - 4ª VARA MISTA -

RECURSO ESPECIAL – nº 0029907-86.2013.815.2001. RECORRENTE: PBPREV – Paraíba Previdência. PROCURADOR: Jovelino Carolino Delgado Neto (OAB/PB n° 17.281). RECORRIDO: Jerry Adriani da Silva. ADVOGADO: Ênio Silva Nascimento (OAB/PB n° 1 1.946).

Gustavo Camacho Meira de Sousa - 25.04 a 01.05.2018; Barbara Bortoluzzi Emmerich - 02 a 24.05.2018;

PIANCÓ - 1ª VARA MISTA - Vinícius Silva Coelho - 02 a 13.04.2018; PAULISTA - VARA ÚNICA - Hermeson Alves Nogueira - 02.04 a 01.05.2018; POMBAL - 3ª VARA MISTA - Natan Figueiredo Oliveira - 02.04 a 01.05.2018; MARI

-

VARA ÚNICA - Renan do Valle Melo Marques - 02.04 a 01.05.2018; PRINCESA ISABEL - 2ª e 3ª VARAS MISTAS

RECURSO ESPECIAL – nº 0046010-42.2011.815.2001. RECORRENTE: PBPREV – Paraíba Previdência. PROCURADOR: Jovelino Carolino Delgado Neto (OAB/PB n° 17.281). RECORRIDO: Severino do Ramo do Santos. ADVOGADO: Roosevelt Delano Guedes Furtado (OAB/PB n° 13.420).

Pedro Davi Alves de Vasconcelos - 16.04 a 15.05.2018; INGÁ - 1ª VARA MISTA - Isabelle Braga Guimarães de Melo - 02.04 a 01.05.2018; SÃO JOSÉ DE PIRANHAS - VARA ÚNICA - Odilson de Moraes - 09.04 a 08.05.2018; CAPITAL - 6ª VARA DE FAMILÍA - Ivanoska Maria Esperia Gomes dos Santos - 09.04 a 08.05.2018; CAPITAL -

-

VARA DA FAZENDA PÚBLICA - Daniela Falcão Azevedo - 12.04 a 11.05.2018; CAPITAL - JUIZADO ESPECIAL

RECURSO ESPECIAL – nº 00399098-58.2013.815.2001. RECORRENTE: PBPREV – Paraíba Previdência. PROCURADOR: Jovelino Carolino Delgado Neto (OAB/PB n° 17.281). RECORRIDO: Josemildo da Silva. ADVOGADO:

CRIMINAL - André Ricardo de Carvalho Costa - 02.04 a 01.05.2018; CAPITAL - 2ª VARA CRIMINAL - Shirley

Abrantes Moreira Régis - 09.04 a 09.05.2018; CAPITAL - 6ª VARA REGIONAL DE MANGABEIRA - Ascione

Kemyson Pierre Dias (OAB/PB n° 16.954).

 

Alencar Linhares - 11.04 a 10.05.2018; CAPITAL - 12ª VARA CÍVEL - Giuliana Madruga Batista de Souza Furtado

 

-

02.04 a 01.05.2018; CAPITAL - 4ª VARA DE FAMÍLIA - Érica Virgínia Pontes da Costa e Silva - 02.04 a

Recurso Especial – nº 0027581-56.2013.815.2001. Recorrente: PBPREV – Paraíba Previdência. Procurador: Jovelino Carolino Delgado Neto (OAB/PB n° 17.281). Recorrido: Edmilson Anastácio Filho. Advogado: Raphael Farias Viana Batista (OAB/PB n° 14.640).

01.05.2018; CAPITAL 6º JUIZADO ESPECIAL CÍVEL - Giuliana Madruga Batista de Souza Furtado - 02 e 03.04.2018; Ailton Nunes Melo - 04 a 30.04.2018; CAPITAL - 5ª VARA CÍVEL - Silvana Carvalho Soares - 10.04

a 09.05.2018; CAMPINA GRANDE - 4ª VARA CRIMINAL - Adriana Maranhão Silva - 16.04 a 15.05.2018; BAYEUX

 

-

JUIZADO ESPECIAL MISTO - Graziela Queiroga Gadelha de Sousa - 11.04 a 10.05.2018; SANTA RITA - 5ª VARA

RECURSO ESPECIAL Nº 003761-08.2013.815.2001. RECORRENTE: Estado da Paraíba. PROCURADOR: Gilberto Carneiro da Gama (OAB/PB n° 10.631). RECORRIDA: Adenilda Lídia de Paula. ADVOGADO: Alexandre Gustavo Cezar Neves (OAB/PB n° 14.640).

MISTA - Ana Flávia de Carvalho Dias - 16.04 a 15.05.2018. Gabinete da Presidência do Tribunal de Justiça da

Paraíba, em João Pessoa, 26 de março de 2018.Desembargador JOÁS DE BRITO PEREIRA FILHO - Presidente

PORTARIA GAPRE Nº 485, DE 13 DE MARÇO DE 2018. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, no uso de suas atribuições legais, e tendo em vista o que consta do Processo Adminis- trativo nº 2018032710, RESOLVE: Designar, GERANEIDE FEITOSA SOARES, matrícula 477.748-4, para exer-

RECURSO ESPECIAL Nº 0056238-76.2011.815.2001. RECORRENTE: PBPREV – Paraíba Previdência. PROCURADOR: Jovelino Carolino Delgado Neto (OAB/PB n° 17.281). RECORRIDO: João Antônio de Moura. ADVOGADO: João Antônio de Moura (OAB/PB n° 13.138).

cer, em substituição, o cargo em comissão de Gerente de Fórum – nível II da Comarca de Itaporanga, no período

de

24/01/2018 a 15/03/2018, em virtude do gozo de férias e licença paternidade do servidor Benício César Lopes

RECURSO ESPECIAL Nº 0002193-08.2013.815.0141. RECORRENTE: Estado da Paraíba. PROCURADOR: Gilberto Carneiro da Gama (OAB/PB nº 10.631). RECORRIDA: Rita de Cacia Freitas de Lima. ADVOGADO: Hildebrando Diniz Araújo (OAB/PB nº 4.593).

Paulino. Gabinete da Presidência do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, em João Pessoa, 13 de março de

2018. Desembargador Joás de Brito Pereira Filho - Presidente.

 

PORTARIA GAPRE Nº 587/2018 - O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA, no uso de suas atribuições legais, resolve exonerar JANAINA LUZIA DE OLIVEIRA ROSSITER, matrícula 478057-4, do cargo em comissão de Supervisor, Símbolo CAE-01, da Gerência de Acervos, do Quadro de Pessoal deste Poder.GABINETE DA PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA, em João Pessoa, 26 de março de 2018.De- sembargador JOÁS DE BRITO PEREIRA FILHO - PRESIDENTE

 

RECURSO ESPECIAL Nº 0007396-88.2013.815.2003. RECORRENTE: Banco Panamericano S/A. ADVOGADA:

Cristiane Belinati Garcia Lopes (OAB/PB nº 19.937-A). RECORRIDA: Eliane Barbosa Dias. ADVOGADO: Hilton Hril Martins Maia (OAB/PB nº 13.442).

A

PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA PROFERIU A SEGUINTE DECISÃO NO

 

PROCESSO ABAIXO IDENTIFICADO: “(…) INADMITO O RECURSO EXTRAORDINÁRIO.”

 

PORTARIA GAPRE Nº 588/2018 - O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA, no uso de suas atribuições legais, resolve nomear TALITA DOS SANTOS ROSA, para exercer o cargo em comissão de Supervi- sor, Símbolo CAE-01, da Gerência de Acervos, do Quadro de Pessoal deste Poder.GABINETE DA PRESIDÊN- CIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA, em João Pessoa, 26 de março de 2018.Desembargador JOÁS DE BRITO PEREIRA FILHO - PRESIDENTE

 

RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 0003532-04.2013.815.0011. RECORRENTE: Estado da Paraíba. PROCURADOR:

Gilberto Carneiro da Gama (OAB/PB nº 10.631). RECORRIDA: Rayla Bezerra Salvino. ADVOGADO: Vital Bezerra Lopes (OAB/PB nº 7.246).

 

A

PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA PROFERIU A SEGUINTE DECISÃO NO

ATOS DA DIRETORIA ESPECIAL
ATOS DA DIRETORIA ESPECIAL
 

PROCESSO ABAIXO IDENTIFICADO: “(…) ADMITO O RECURSO EXTRAORDINÁRIO.”

RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 0003393-79.2011.815.0251. RECORRENTE: INSS – Instituto Nacional de Seguro Social. ADVOGADO: Ricardo Ney de Farias Ximenes (OAB/PB nº 10.931). RECORRIDA: Gláucia Maria Gomes Mendes. ADVOGADO: Heber Tiburtino Leite (OAB/PB nº 13.675).

O

Excelentíssimo Senhor Diretor Especial do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba INDEFERIU o seguinte

processo de DIÁRIAS: Processo/Interessado: 2018.040.494- Rosálio Gomes Sarmento

ATOS DA DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS
ATOS DA DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS

O

Excelentíssimo Senhor Desembargador Joás de Brito Pereira Filho, Presidente do Tribunal de Justiça do

Estado da Paraíba DEFERIU os Seguintes Processos: Processo/Assunto/Interessado: 2018059979 - Compra /

Contratação - Ivna Mozart Bezerra Soares Moura; 2018026310 - Progressão/Promoção Funcional - Leonardo José

PORTARIA DIGEP Nº 35 DE 26 MARÇO DE 2018 - O DIRETOR DE GESTÃO DE PESSOAS DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, no uso de suas atribuições delegadas pelo Ato da Presidência nº 30/2017, e tendo em vista o que consta do processo administrativo nº 2018022559 RESOLVE: designar o servidor ABÍLIO GUILHERME DE ALBUQUERQUE MARINHO, matrícula 478159-7, ora à disposição deste Poder, para prestar serviços junto à Seção de Protocolo do Fórum Criminal da Comarca da Capital. Diretoria de Gestão de Pessoas do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, em João Pessoa, 26 de março de 2018. CARMEM ESTELITA RODRIGUES DE ARRUDA - Diretora em exercício

da

Silva Santos; 2018040592 - Progressão/Promoção Funcional - Lúcia de Souza Rodrigues Bezerra; 2018028686

-

Progressão/Promoção Funcional - Kátia Cristina Leite Alexandria; 2017233510 - Progressão/Promoção Funcional

Leopoldina Maria Filgueiras Dutra de Almeida; 2018031498 - Progressão/Promoção Funcional - Tereza Priscila Pessoa da Rocha; 2018027667 - Progressão/Promoção Funcional - Ítalo Leandro Freire de Albuquerque;

-

2018028081

- Progressão/Promoção Funcional - Daniel de Lima Silva; 2018030542 - Progressão/Promoção

Funcional - Raquel Moreno Santa Cruz; 2017077644 - Progressão/Promoção Funcional - Fernando Antônio de

Freitas Patriota; 2018040138 - Progressão/Promoção Funcional - Alyne Almeida Braz Soares de Oliveira -

 

2017229896

- Progressão/Promoção Funcional - Solange de Oliveira Maia; 2017233384 - Progressão/Promoção

Funcional - Valdilene Ferreira Seixas; 2017241536 - Progressão/Promoção Funcional - Flávio de Sousa Pequeno;

2018052792

- Folga de Plantão - Sérvio Túlio Ramalho Tiburtino; 2018035595 - Licença Acompanhamento Pessoa

ATOS DA GERÊNCIA DE PRIMEIRO GRAU
ATOS DA GERÊNCIA DE PRIMEIRO GRAU
 

da

Família - Salvador de Oliveira Vasconcelos; 2018045255 - Nomeação - Oscar Roberto Silva Miranda;

 

O

Excelentíssimo Senhor Desembargador Joás de Brito Pereira Filho, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado da

Paraíba, DEFERIU os seguintes processos: PROCESSO/ASSUNTO/INTERESSADO: 2018054715 - Férias / Suspensão

 

COMUNICADO - A Gerente de Primeiro Grau do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, considerando o art. 14, da Resolução nº 56, de 11 de Dezembro de 2013, do Tribunal Pleno e o constante do Processo

 

Ana Flávia de Carvalho Dias; 2018054740 - Férias / Suspensão - José Irlando Sobreira Machado; 2018054151- Indicação de Substituto - Ana Flavia Jordão Ramos Fornazari

-

Administrativo nº 2018061255, comunica aos Senhores Advogados, Partes e Pessoas interessadas que a magistrada abaixo irá responder pelo plantão judiciário nos dias, na unidade judiciária a seguir:

O

Excelentíssimo Senhor Desembargador Joás de Brito Pereira Filho, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado da

 

Paraíba, DEFERIU EM PARTE o seguinte processo: PROCESSO/ASSUNTO/INTERESSADO: 2018011299

 
 

GRUPO – 3 - AROEIRAS, BOQUEIRÃO, CABACEIRAS, CAMPINA GRANDE, INGÁ, QUEIMADAS e UMBUZEIRO

 

O

Excelentíssimo Senhor Desembargador Joás de Brito Pereira Filho, Presidente do Tribunal de

 

MARÇO/2018

 

Justiça do Estado da Paraíba, INDEFERIU o seguinte processo: PROCESSO/ASSUNTO/ INTERESSADO: 2017097852 - Diferença de Vencimentos - Rebecca Pessoa Rodrigues Beltrão

 

Dias

Magistrado(a)

 

Comarca/Vara

DESPACHOS DOS(AS) DESEMBARGADORES(AS)
DESPACHOS DOS(AS) DESEMBARGADORES(AS)

31.03 e 01.04.2018

Dra. Rosimeire Ventura Leite

 

JUIZADO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER DE CAMPINA GRANDE

 
     

Des. Saulo Henriques de Sá Benevides

 
 

Gerência de Primeiro Grau do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, em João Pessoa, segunda-feira, 26 de março de 2018. MARIA DOS REMÉDIOS GONÇALVES DOS SANTOS Gerente de Primeiro Grau

APELAÇÃO N° 0000646-79.2016.815.051 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Banco Pan S/a. ADVOGADO: Eduardo Chalfin (oab/pb Nº 22.177-a)

 
ATOS DA DIRETORIA ESPECIAL
ATOS DA DIRETORIA ESPECIAL

O

 

Diretor Especial do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, escudado no inciso I, do Ato da Presidência nº 24, de 03 de fevereiro de 2015, faz publicar abaixo, em estrito cumprimento ao disposto no art. 3º, III, da Resolução

 

34, do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, de 18 de novembro de 2009, c/c o art. 3º, III, da Resolução 73, do Conselho Nacional de Justiça, de 28 de abril de 2009, a relação das diárias concedidas a servidores e

magistrados integrantes do Tribunal:

   
 

Diárias concedidas

 

NOME/INTERESSADO

PROCESSO Nº

 

CARGO/FUNÇÃO

 

DESTINO

PERÍODO DE AFASTAMENTO

ATIVIDADE

 

Fernando Antério Fernandes

2018.060.065

Assessor da Ouvidoria de Justiça

 

São Paulo

04 a 07/04/2018

Participar do Encontro Regional do COJUD - Colégio de Ouvidores de Justiça

 

Gabinete do Diretor Especial do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, em João Pessoa,

26 de março de 2018. MÁRCIO ROBERTO SOARES FERREIRA JÚNIOR - Diretor Especial.

 
DIÁRIO DA JUSTIÇA – J OÃO P ESSOA -PB • D ISPONIBILIZAÇÃO : SEGUNDA -

DIÁRIO DA JUSTIÇA – JOÃO PESSOA-PB • DISPONIBILIZAÇÃO: SEGUNDA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2018 PUBLICAÇÃO: TERÇA-FEIRA, 27 DE MARÇO DE 2018

4

APELADO: Isaias Cardoso. ADVOGADO: Arionaldo Andrade de Oliveira (oab/pb Nº 22.256)

CÍVEL. AÇÃO ANULATÓRIA C/C REPETIÇÃO DE INDÉBITO E INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. SUBSTABELECIMENTO DO SUBSCRITOR DO RECURSO APELATÓRIO COM ASSINATURA OBTIDAATRAVÉS DE SCANNER. IMPOSSIBILIDADE. PRAZO PARA REGULARIZAÇÃO. DESCUMPRIMENTO. RECURSO NÃO CONHECIDO. — “(…) A imagem digitalizada, escaneada ou mesmo reproduzida, da assinatura do causídico, não

- APELAÇÃO

vem sendo admitida pela jurisprudência pátria, na medida em que não garante, de maneira precisa, a autenticidade do documento. — Não sanado o defeito no prazo concedido pelo relator, torna-se impositiva a negativa de

Vistos etc. - DECISÃO: Feitas estas considerações,

seguimento ao recurso, ante a manifesta inadmissibilidade. ( não conheço do presente recurso.

)”

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N° 00071 18-59.2014.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. EMBARGANTE: Irineu Ferreira da Silva. ADVOGADO:

Débora Maria de Galiza F. P. Queiroga (oab/pb 16.518). EMBARGADO: Maria do Socorro Pereira da Costa. ADVOGADO: Almir Fernandes (oab/pb 6.149). - EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. INTERPOSIÇÃO A DESTEMPO. INTEMPESTIVIDADE. INADMISSIBILIDADE. RECONHECIMENTO. PLICAÇÃO DO ART. 932 DO NCPC. NÃO CONHECIMENTO DO RECURSO. — Não se conhece do recurso apresentado em juízo fora do prazo legal. A propósito, o acesso à tutela jurisdicional deve sempre ser pautado por regras procedimentais que têm dentre suas finalidades a de resguardar a segurança jurídica das partes envolvidas. Vistos etc. - DECISÃO: Por tais razões, nos termos do art. 932, III do Código de Processo Civil, NÃO CONHEÇO DOS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO do Estado da Paraíba, ante suas manifesta inadmissibilidade.

Dr(a). João Batista Barbosa

APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO N° 0001430-63.2013.815.0381. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR:Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Antonio Goncalves Cunha Junior. ADVOGADO: Marcos Antônio Inácio da Silva Oab/pb 4.007. APELADO: Municipio de Itabaiana. ADVOGADO: Antoniel Carlos Pereira Segundo Oab/pb 19.527. - APELAÇÃO CÍVEL — COBRANÇA — ADICIONAL DE INSALUBRIDADE — AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE — PROCEDÊNCIA PARCIAL — IRRESIGNAÇÃO — AUSÊNCIA DE PREVISÃO EM LEI LOCAL ABORDANDO OS CRITÉRIOS E ATIVIDADES PARA O RECEBIMENTO DA MENCIONADA GRATIFICAÇÃO — PRINCÍPIO DA LEGALIDADE — SÚMULA Nº 42 DO TJPB — DESPROVIMENTO DO RECURSO. — A Administração Pública está adstrita ao princípio da legalidade, previsto no art. 37, caput, da Constituição Federal, o qual determina a vinculação das atividades administrativas em conformidade com a lei. — “A gratificação por exercício de atividade perigosa depende de previsão na Lei local. Art. 37, ‘caput’, da CF, sendo somente devido a partir do momento em que for editada Lei regulamentando as atividades insalubres ou perigosas.” (Apelação Cível Nº 70031366867, Quarta Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Alexandre Mussoi Moreira, Julgado em 02/12/2009). — De acordo com a súmula nº 42 do TJPB: “O pagamento do adicional de insalubridade aos agentes comunitários de saúde submetidos ao vínculo jurídico administrativo, depende de lei regulamentadora do ente ao qual pertencer. (Súmula editada por força da decisão prolatada nos autos do Incidente de Uniformização de Jurisprudência n°. 2000622-03.2013.815.0000, julgado em 24/03/2014, tendo as conclusões do Acórdão sido publicadas no DJ de 05/05/2014).” Vistos, etc. - DECISÃO: Por tais razões, nos termos do art. 932, IV, “a”, do CPC/15, NEGO PROVIMENTO ao recurso apelatório, mantendo a decisão vergastada em todos os seus termos.

APELAÇÃO N° 0000177-02.2012.815.021 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Banco Original S/a.

ADVOGADO: Paulo Roberto Vigna (oab/sp Nº 173.477)

APELADO: Maria do Socorro Pinto Gomes. ADVOGADO:

- APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO REVISIONAL. RECURSO

Rafael Sarmento Fernandes (oab/pb Nº 17.319)

APÓCRIFO. SUBSTABELECIMENTO COM ASSINATURA OBTIDAATRAVÉS DE SCANNER. IMPOSSIBILIDADE. PRAZO PARA REGULARIZAÇÃO. DESCUMPRIMENTO. RECURSO NÃO CONHECIDO. — Não sanado o

defeito no prazo concedido pelo relator, torna-se impositiva a negativa de seguimento ao recurso, ante a

Vistos etc. - DECISÃO: Feitas estas considerações, não conheço do presente

manifesta inadmissibilidade. ( recurso.

)”

APELAÇÃO N° 0000462-70.2017.815.0000. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Porto Seguro Cia de Seguros Gerais. ADVOGADO: Bruno Novaes Bezerra Cavalcanti (oab/pe - 19.353). APELADO: Nildeberto Pedro de Almeida. ADVOGADO: Romeu Eloy (oab/pb - 6783). - APELAÇÃO CÍVEL. EXECUÇÃO. IMPUGNAÇÃO AOS CÁLCULOS. REJEIÇÃO. IRRESIGNAÇÃO. RECURSO INTERPOSTO POR SUBSCRITOR SEM PROCURAÇÃO NOS AUTOS. PRAZO PARA REGULARIZAR A REPRESENTAÇÃO. INÉRCIA. RECURSO NÃO CONHECIDO — “Não merece conhecimento apelação firmada por advogado que não comprova ter poderes para atuar em juízo em representação do réu/apelante, ainda que para tanto intimado. (TJPB; AC 075.2006.003700-1/001; Primeira Câmara Especializada Cível; Rel. Des. Marcos Cavalcanti de Albuquerque; DJPB 20/08/2013; Pág. 12)” Vistos, etc. - DECISÃO: Assim, não conheço do recurso apelatório

APELAÇÃO N° 0050312-17.201 1.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Maria Thereza de Paiva Carvalho. ADVOGADO: Rafael Targino Falcão Farias (oab/pb 23.658). APELADO: Banco Santander S/a. - AÇÃO REVISIONAL C/C REPETIÇÃO DE INDÉBITO. REVISÃO CONTRATUAL. CONTRATO DE EMPRÉSTIMO. JUROS REMUNERATÓRIOS. LIMITAÇÃO DO PECENTUAL. IMPOSSIBILIDADE. TAXA MÉDIA DE MERCADO. CAPITALIZAÇÃO DE JUROS. PREVISÃO LEGAL. TAXA ANUAL SUPERIOR AO DUODÉCUPLO DA TAXA MENSAL. PACTUAÇÃO. SÚMULA 541 STJ. TABELA PRICE. NÃO CONSTATADA ABUSIVIDADE. IMPROCEDÊNCIA. APELAÇÃO CÍVEL. MANUTENÇÃO. DESPROVIMENTO. —Súmula 541/STJ - “A previsão no contrato bancário de taxa de juros anual superior ao duodécuplo da mensal é suficiente para permitir a cobrança da taxa efetiva anual contratada”. —Súmula 382 do STJ: A estipulação de juros remuneratórios superiores a 12% ao ano, por si só, não indica abusividade. Vistos, etc. - DECISÃO: Com efeito, a simples alegação de que não deveria haver o uso da Tabela Price afigura-se insuficiente para fundamentar a revisão contratual. - Feitas estas considerações, nos termos do art. 932, IV, “b” do CPC, nego provimento ao recurso, mantendo a sentença em todos os seus termos. - Majoro os honorários advocatícios para R$ 2.000,00 (dois mil reais), nos termos do art. 85, § 11 do CPC, observado o disposto no art. 98, § 3º do mesmo diploma legal.

ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista

Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Sergio Batista Marinho. ADVOGADO: Hilton Hril Martins Maia (oab/pb Nº 13.442). APELADO: Banco do Brasil S/a. ADVOGADO: Rafael Sganzerla Durand (oab/sp Nº 211.648). - APELAÇÃO CÍVEL — AÇÃO CAUTELAR DE EXIBIÇÃO DE DOCUMENTOS — REQUERIMENTO ADMINISTRATIVO INVÁLIDO — APRESENTAÇÃO DOS DOCUMENTOS COM A CONTESTAÇÃO — PRETENSÃO RESISTIDA — INOCORRÊNCIA — DESPROVIMENTO. — O Superior Tribunal de Justiça, no julgamento de recurso especial, sob a sistemática do art. 543-C, do CPC de 1973, firmou o entendimento de que para o ajuizamento de ação cautelar de exibição de documentos bancários é necessária a comprovação de prévio requerimento à instituição financeira não atendido em prazo razoável. — “A gratuidade da justiça não isenta o beneficiário do dever de arcar com os ônus da sucumbência, suspendendo-se a condenação pelo prazo de 5 (cinco) anos, na forma do art. 12, da Lei nº 1.060/50, atual art. 98, §§ 2º e 3º, do NCPC.” (Apelação nº 0000900-10.2013.8.05.0261, 3ª Câmara Cível/TJBA, Rel. Rosita Falcão de Almeida Maia. Publ. 25.05.2016). Vistos, etc. - DECISÃO: Por tais razões, NEGO PROVIMENTO AO APELO. - Por fim, considerando a não quantificação da verba honorária na sentença vergastada e, bem assim, a regra do art. 85, § 11 do CPC/2015, condeno o autor/apelante ao pagamento de honorários advocatícios arbitrados em R$ 800,00 (oitocentos reais), observando-se a disposição do art. 98, § 3º do mesmo estatuto, por ser a parte beneficiária da gratuidade judiciária.

APELAÇÃO N° 0065058-79.2014.815.2001.

APELAÇÃO N° 0067255-07.2014.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. REMETENTE: Juízo de Direito da 3ª Vara da Fazenda Pública da Capital. APELANTE: Estado da Paraíba, Representado Por Seu Procurador, Alexandre Magnus F. Freire. APELADO: Normando Barbosa Junior. ADVOGADO: Pamela Cavalcanti de Castro Oab/pb 16.129. - PREJUDICIAL DE MÉRITO. PRESCRIÇÃO. PRESTAÇÃO DE TRATO SUCESSIVO. INOCORRÊNCIA. REJEIÇÃO. — No caso das obrigações de trato sucessivo, a prescrição atingirá as prestações progressivamente, incidindo, apenas, sobre as prestações retroativas ao quinquênio anterior à propositura da ação. É essa a disposição preconizada pelo art. 3º, do Decreto nº 20.910/32 e também pela Súmula nº 85, do Superior Tribunal de Justiça. REMESSA NECESSÁRIA E APELAÇÃO CÍVEL. SENTENÇA ILÍQUIDA. CONHECIMENTO DA REMESSA. AÇÃO DE COBRANÇA. SERVIDOR MILITAR. ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO. PROCEDÊNCIA PARCIAL. IRRESIGNAÇÃO. POSSIBILIDADE DE CONGELAMENTO DO ANUÊNIO A PARTIR DA MP Nº 185/2012 (CONVERTIDA NA LEI Nº 9.703/2012). SÚMULA 51 DO TJPB. MANUTENÇÃO DA SENTENÇA. DESPROVIMENTO DOS RECURSOS. — De acordo com a Súmula nº 51 do TJPB, “Reveste-se de legalidade o pagamento do adicional por tempo de serviço, em seu valor nominal, aos servidores militares do Estado da Paraíba tão somente a partir da Medida Provisória nº 185, de 25.01.2012, convertida na Lei Ordinária nº 9.703, de 14.05.2012”. Vistos, etc. - DECISÃO: Ante o exposto, NEGO PROVIMENTO AOS RECURSOS OFICIAL E APELATÓRIO. - Por força da disposição do art. 85, § 11 do CPC/2015, majoro a verba honorária para 17,5% sobre o valor que for apurado na execução.

ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a).

Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Ministério Público da Paraíba. APELADO: Municipio de Mulungu. ADVOGADO: Marinaldo Bezerra Pontes. - REEXAME NECESSÁRIO. APLICAÇÃO ANALÓGICA DA LEI DE AÇÃO POPULAR À AÇÃO CIVIL PÚBLICA. ENTENDIMENTO PACÍFICO DOS TRIBUNAIS SUPERIORES. REMESSA OBRIGATÓRIA DETERMINADA PELO NORMATIVO APENAS QUANDO RECONHECIDA A CARÊNCIA DA AÇÃO OU IMPROCEDÊNCIA DO PEDIDO.

REEXAME NECESSÁRIO N° 0000918-48.2013.815.0521.

DEMANDA JULGADA PROCEDENTE. INEXIGÊNCIA DO DUPLO GRAU COMPULSÓRIO. NÃO CONHECIMENTO DO RECURSO OFICIAL. - É obrigatório o reexame necessário das Ações Civis Públicas cuja sentença concluir pela carência de ação ou improcedência do pedido inicial, por aplicação analógica da Lei de Ação Popular. Das sentenças que julgam procedente o pleito exordial cabe apenas apelação. Vistos, etc. - DECISÃO: Assim, diante do resultado na presente lide – procedência parcial da pretensão - NÃO CONHEÇO do reexame oficial.

ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a).

Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. AUTOR: Diego Padilha da Cruz Medeiros. REMETENTE: Juízo da 6ª Vara da Fazenda Pública da Capital. DEFENSOR: Benedito de Andrade Santana. RÉU: Gerência Executiva de Educação de Jovens E Adultos ¿ Geeja. - REMESSA OFICIAL. OBRIGAÇÃO DE FAZER. APROVAÇÃO NO ENEM. CERTIFICADO DE CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO. MENOR DE DEZOITO ANOS. DIREITO À EDUCAÇÃO. INTERPRETAÇÃO CONSTITUCIONAL. APTIDÃO INTELECTUAL DEMONSTRADA. JURISPRUDÊNCIA PACÍFICA DESTE TRIBUNAL. NEGADO PROVIMENTO. — “Apesar do art. 1º da resolução do CEE nº 026/2011 exigir o requisito de dezoito anos completos até a data de realização da primeira prova do enem, é sabido que na aplicação da Lei, o julgador deve zelar pelo bom senso e

REEXAME NECESSÁRIO N° 0034079-71.2013.815.2001.

razoabilidade, tomando o cuidado de evitar ficar adstrito ao sentido literal e abstrato do comando legal, aplicando

o dogmatismo jurídico em prejuízo dos princípios constitucionais que norteiam o direito à educação. Os princípios

constitucionais da proporcionalidade, razoabilidade, legalidade e do direito à educação devem ser buscados no intuito de relativizar os requisitos para o ingresso em instituição de ensino superior. O sentido teleológico da norma constitucional deve prevalecer sobre a letra impessoal da resolução.” (TJPB; AI 999.2013.000.105-3/001; Primeira Câmara Especializada Cível; Rel. Des. Leandro dos Santos; DJPB 10/10/2013; Pág. 9) Vistos, etc. - DECISÃO: Assim, à vista das considerações acima ilustradas, NEGO PROVIMENTO AO RECURSO, mantendo

a sentença em todos os seus termos.

Des. Romero Marcelo da Fonseca Oliveira

APELAÇÃO N° 0000785-83.2015.815.031 1. ORIGEM: 3ª Vara da Comarca de Princesa Isabel. RELATOR: Des. Romero Marcelo da Fonseca Oliveira. APELANTE: Joselia Porfirio Carneiro de Oliveira. ADVOGADO: Damião Guimaraes Leite (oab/pb N.º 13.293). APELADO: Municipio de Tavares. ADVOGADO: Manoel Arnóbio de Sousa (oab/pb N.º 10.857). EMENTA: APELAÇÃO. INTERPOSIÇÃO FORA DO PRAZO LEGAL. ART. 1.003, §5º, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. INTEMPESTIVIDADE. NÃO CONHECIMENTO, NA FORMA DO ART. 932, III, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. 1. Na contagem de prazo processual em dias, estabelecido por lei ou pelo Juiz, computar-se-ão somente os dias úteis. Inteligência do art. 219, do Código de Processo Civil. 2. Não deve ser conhecida, por manifesta inadmissibilidade, a apelação interposta após o decurso de quinze dias úteis, contados da data em que houve a intimação da sentença, nos termos dos art. 932, III, e 1.003, §5º, do Código de Processo Civil. Posto isso, considerando que o recurso é intempestivo e, portanto, inadmissível, dele não conheço, com fundamento no art. 932, inciso III, do Código de Processo Civil de 20151. Publique-se. Intimem- se.

APELAÇÃO N° 0000854-18.2016.815.0041. ORIGEM: Vara Única da Comarca de Alagoa Nova. RELATOR: Des. Romero Marcelo da Fonseca Oliveira. APELANTE: Joao Severino dos Santos. ADVOGADO: Joseilson Luis Alves (oab/pb N.º 8.933) E Gildo Leobino de Souza Júnior (oab/pb N.º 22.991-a). APELADO: Banco do Brasil S/ a. ADVOGADO: Sérvio Túlio de Barcelos (oab/pb N.º 20.412-a) E José Arnaldo Janssen Nogueira (oab/pb N.º 20.832-a). EMENTA: APELAÇÃO. INTERPOSIÇÃO FORA DO PRAZO LEGAL. ART. 1.003, §5º, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. INTEMPESTIVIDADE. NÃO CONHECIMENTO, NA FORMA DO ART. 932, III, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. 1. Na contagem de prazo processual em dias, estabelecido por lei ou pelo Juiz, computar- se-ão somente os dias úteis. Inteligência do art. 219, do Código de Processo Civil. 2. Não deve ser conhecida, por manifesta inadmissibilidade, a apelação interposta após o decurso de quinze dias úteis, contados da data em que houve a intimação da sentença, nos termos dos art. 932, III, e 1.003, §5º, do Código de Processo Civil. Posto isso, considerando que o recurso é intempestivo e, portanto, inadmissível, dele não conheço, com fundamento no art. 932, inciso III, do Código de Processo Civil de 20151. Publique-se. Intimem-se.

APELAÇÃO N° 0020955-60.2009.815.2001. ORIGEM: 1ª Vara Cível da Comarca desta Capital. RELATOR: Des. Romero Marcelo da Fonseca Oliveira. APELANTE: Irene Soares Andrade. ADVOGADO: Eduardo Monteiro

Dantas (oab/pb 9.759). APELADO: Banco Santander (brasil) S/a, Sucessor do Banco Abn Amro Real S/a. E

ADVOGADO: Antônio Braz da Silva (oab/pe 12.450) e ADVOGADO: Maurício Lucena

Brito (oab/pb 11.052). EMENTA: AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS E MATERIAIS. SAQUE NÃO RECONHECIDO REALIZADO EM BANCO 24 HORAS. IMPROCEDÊNCIA DO PEDIDO. APELAÇÃO. SENTENÇA PROFERIDA POR JUIZ QUE SE DECLAROU SUSPEITO. NULIDADE ABSOLUTA. RECONHECIMENTO DE OFÍCIO. DEVOLUÇÃO DOS AUTOS À ORIGEM PARA NOVO JULGAMENTO. RECURSO PREJUDICADO. NÃO CONHECIMENTO. 1. “É nula a sentença proferida por juiz que se declarou suspeito para atuar no processo.” (TJPB - ACÓRDÃO/DECISÃO do Processo Nº 00286191620078152001, 2ª Câmara Especializada Cível, Relator DES. MARIA DAS NEVES DO EGITO DE ARAUJO DUDA FERREIRA , j. em 09-05-2017) 2. “Decretada a suspeição do julgador, caso este participe do julgamento da lide, fica violado o princípio da imparcialidade, impondo-se, consequentemente, a nulidade do julgamento.” (TJCE; AC 079408410.2000.8.06.0001; Sétima Câmara Cível; Rel. Des. Francisco Bezerra Cavalcante; DJCE 11/03/2014; Pág. 35). Posto isso, declaro de ofício a nulidade da Sentença para que o substituto legal do Juiz da 1ª Vara Cível da Comarca desta Capital profira novo julgamento, razão pela qual, com arrimo no art. 932, III, do CPC/151, não conheço da Apelação, por estar prejudicada. Publique-se. Intimem-se.

Tecnologia Bancária S/a

Des. João Alves da Silva

APELAÇÃO N° 0001096-36.2014.815.0141. ORIGEM: 3ª Vara da Comarca de Catolé do Rocha. RELATOR: Des. João Alves da Silva. APELANTE: Genilda da Silva Santos. ADVOGADO: Jose Weliton de Melo. APELADO: Jose Almeida Diniz Segundo. APELAÇÃO. AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER C/C INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. CUMPRIMENTO DE ACORDO JUDICIAL HOMOLOGADO EM AÇÃO DE DIVÓRCIO. IMPOSSIBILIDADE DE AÇÃO ORDINÁRIA AUTÔNOMA. EXECUÇÃO DA SENTENÇA NA AÇÃO ORIGINÁRIA. INADEQUAÇÃO DA VIA ELEITA. FALTA DE INTERESSE PROCESSUAL. CARÊNCIA DA AÇÃO. INTELIGÊNCIA DO ART. 557, CAPUT, DO CPC. SEGUIMENTO NEGADO. - O acordo homologado por decisão judicial constitui título executivo judicial (Art. 475-N, III, CPC/73) e, com isso, a parte que se sentir lesada pela não efetivação dos termos do acordo deve exigir do ex-cônjuge o implemento da obrigação, através de cumprimento de sentença, o qual efetuar-se-á perante o juízo que processou a causa no primeiro grau (Art. 475-P, II, CPC/73) - Verifico que, no presente caso, ocorreu a inadequação da via eleita por parte da autora da demanda, já que interpôs ação autônoma de obrigação de fazer, quando deveria ter requerido o cumprimento da sentença nos autos principais. Portanto, a presente lide deve, realmente, ser extinta sem julgamento do mérito, em virtude da falta de interesse processual. - Nos termos do art. 557, caput, do CPC, o relator negará seguimento a recurso manifestamente inadmissível, improcedente, prejudicado ou em confronto com súmula ou com jurisprudência dominante do respectivo tribunal, do Supremo Tribunal Federal, ou de Tribunal Superior. Em razão das considerações tecidas acima, com fulcro no artigo 557, caput, do Código de Processo Civil, nego seguimento ao apelo interposto, mantendo incólumes os exatos termos da decisão objurgada

Des. Frederico Martinho da Nóbrega Coutinho

APELAÇÃO N° 0001796-85.2016.815.0191. ORIGEM: Comarca de Soledade. RELATOR: Des. Frederico Martinho da Nóbrega Coutinho. APELANTE: Seguradora Líder dos Consórcios do Seguro Dpvat S/a. ADVOGADO:

Antônio Eduardo Gonçalves de Rueda ¿ Oab/pb Nº 20.282-a. APELADO: Herivaldo Alves da Silva. ADVOGADO:

Emmanuel Saraiva Ferreira - Oab/pb Nº 16.928. APELAÇÃO. AÇÃO DE COBRANÇA C/C REPARAÇÃO DE DANOS MATERIAIS. SEGURO DPVAT. PROCEDÊNCIA PARCIAL. SUBLEVAÇÃO DA SEGURADORA. RAZÕES RECURSAIS. ARGUMENTOS NÃO ADUZIDOS EM PRIMEIRO GRAU. AUSÊNCIA DE FORÇA MAIOR. IMPOSSIBILIDADE DE ANÁLISE PELO TRIBUNAL AD QUEM. INOVAÇÃO RECURSAL. NÃO CONHECIMENTO DO INCONFORMISMO. APLICAÇÃO DO ART. 932, III, DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. NÃO CONHECIMENTO DO RECURSO. - Não deve ser conhecido o recurso apelatório quando restar demonstrado que a argumentação recursal aduzida para reformar a sentença configura inovação recursal, conduta vedada pelo ordenamento jurídico pátrio. - O art. 932, III, do Novo Código de Processo Civil, autoriza o não conhecimento de recurso inadmissível por decisão monocrática. Vistos. DECIDO: Ante o exposto, NÃO CONHEÇO DA APELAÇÃO, com base no 932, III, do Novo Código de Processo Civil.

Des. José Ricardo Porto

APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO N° 0020130-33.2013.815.001 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR:Des. José Ricardo Porto. APELANTE: Municipio de Campina Grande, Juizo da 2a Vara da Fazenda Publica da E Comarca de Campina Grande. ADVOGADO: Hannelise S.garcia da Costa. APELADO: Lucas Simao de Sousa Rep Por Sua Genitora Edinilda Simão de Sousa. ADVOGADO: Carmem Noujaim Habib. Dado o exposto, considerando que, com a exceção do CLONAZEPAM, o restante dos fármacos pleiteados no presente processo não se encontram relacionados no RENAME 2017 (atualizado), determino, em cumprimento ao decidido no Recurso Especial paradigma, que os autos sejam encaminhados à Gerência de Processamento, onde deverão permanecer sobrestados até ulterior deliberação daquela Corte Superior, ressalvada a validade dos efeitos da liminar proferida nos autos, cujo cumprimento se impõe.

APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO N° 0042248-47.2013.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR:Des. José Ricardo Porto. APELANTE: Josinaldo Gomes dos Santos. ADVOGADO: Valter de Melo Oab/pb 7994. APELADO: Oi Movel S/a. ADVOGADO: Wilson Sales Belchior Oab/pb 17314a. APELAÇÃO CÍVEL.

DIÁRIO DA JUSTIÇA – J OÃO P ESSOA -PB • D ISPONIBILIZAÇÃO : SEGUNDA -

DIÁRIO DA JUSTIÇA – JOÃO PESSOA-PB • DISPONIBILIZAÇÃO: SEGUNDA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2018 PUBLICAÇÃO: TERÇA-FEIRA, 27 DE MARÇO DE 2018

5

REQUISITOS DE ADMISSIBILIDADE. AUSÊNCIA DE IMPUGNAÇÃO AOS PONTOS ESPECÍFICOS DA SENTENÇA. DESRESPEITO AO PRINCÍPIO DA DIALETICIDADE. EXIGÊNCIA DO ART. 1.010, II, DA LEI ADJETIVA CIVIL DE 2015. FALTA DE PRESSUPOSTO DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL. NÃO CONHECIMENTO DA IRRESIGNAÇÃO APELATÓRIA. - Pelo princípio da dialeticidade é necessário que os recursos ataquem especificamente os fundamentos das decisões contra as quais foram interpostos. - Quando

o recurso for manifestamente inadmissível, em virtude de não atender a requisito de admissibilidade, poderá o

relator rejeitar liminarmente a pretensão da parte recorrente, em consonância com os ditames do art. 932, inciso III, do novo Código de Processo Civil. Diante do exposto, não conheço da apelação cível, em conformidade com

o que está prescrito no art. 932, III, do NCPC.

APELAÇÃO N° 0000396-17.2015.815.121 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Des. José Ricardo Porto. APELANTE: Maria de Fatima Pereira. ADVOGADO: Hilton Hril Martins Maia Oab/pb 13442. APELADO:

Banco Bonsucesso Consignado S/a. ADVOGADO: Lourenço Gomes Gadelha de Moura Oab/pb 12360. APELAÇÃO

CÍVEL. PEDIDO EXPRESSO DE DESISTÊNCIA DA IRRESIGNAÇÃO. ART. 998 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL/2015. HOMOLOGAÇÃO. “- Art. 998. O recorrente poderá, a qualquer tempo, sem a anuência do recorrido

(Código de Processo Civil/2015). Por essas razões, homologo o

ou dos litisconsortes, desistir do recurso. (

pedido de desistência formulado nos autos, considerando, em razão disso, prejudicado o julgamento do mérito recursal.

).”

Des. Leandro dos Santos

AGRAVO REGIMENTAL N° 0001 181-56.2016.815.0301. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Des. Leandro dos Santos. AGRAVANTE: Estado da Paraiba,rep.p/seu Procurador Ricardo Sergio Freire de Lucena. AGRAVADO: Janilda Ferreira de Sousa. ADVOGADO: Vladimir Magnus Bezerra Japyassu, Oab/pb 13951. Vistos etc. Determino, novamente, a suspensão da presente Ação por mais 60 (sessenta) dias, a fim de termos uma conclusão acerca da admissibilidade ou não, pelo Tribunal, do Incidente (IRDR nº 0000271-25.2017.815.0000). Intimem-se as partes. Cumpra-se.

AGRAVO REGIMENTAL N° 0064592-85.2014.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Des. Leandro dos Santos. AGRAVANTE: Severina Maria de Medeiros. ADVOGADO: Rinaldo Mouzalas de Souza E Silva, Oab/pb 11589. AGRAVADO: Banco do Brasil S/a. ADVOGADO: Rafael Sganzerla Durand, Oab/pb 211648a. Vistos, etc. Intime-se o Agravado para, querendo, apresentar resposta ao Recurso de Agravo Interno de fls. 271/ 277, no prazo legal. Cumpra-se.

APELAÇÃO N° 0001502-07.2013.815.0751. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Des. Leandro dos Santos. APELANTE: Municipio de Bayeux. ADVOGADO: Aniel Aires do Nascimento, Oab/pb 7772. APELADO:

Josivaldo Junior de Souza. ADVOGADO: Luiz Alberto M Coutinho Neto, Oab/pb 14916. Vistos, etc. Intime-se o Município de Bayeux, observando-se o que determina o que determina o art. 183, § 1.º do CPC, para que indique, em cinco dias, com precisão, quem são os herdeiros do Apelado, sob pena de não conhecimento do seu Recurso. Cumpra-se.

INTIMAÇÃO ÀS PARTES
INTIMAÇÃO ÀS PARTES

RECURSO ESPECIAL – 3ª C – PROCESSO Nº. 0010591-19.2015.815.2001 – Recorrente(s): PBPREV – PARAÍBA PREVIDÊNCIA. Recorrido(s): VANILDO DA SILVA LUIZ. Intimação ao(s) bel(is). ROMEICA TEIXEIRA GONÇALVES, Nº 23.256 OAB/PB, a fim de, no prazo legal, na condição de patrono dos recorrido, apresentar(em) as contrarrazões ao recurso em referência.

RECURSO ESPECIAL – 3ª C – PROCESSO Nº. 0005191-58.2014.815.2001 – Recorrente(s): ESTADO DA PARAÍBA. Recorrido(s): RODOLFO DE MORAIS SANTOS. Intimação ao(s) bel(is). ALEXANDRE GUSTAVO CÉZAR NEVES, Nº 14.640 OAB/PB e UBIRATÃ FERNANDES DE SOUZA, Nº 11.960 OAB/PB a fim de, no prazo legal, na condição de patrono dos recorrido, apresentar(em) as contrarrazões ao recurso em referência.

RECURSO ESPECIAL – 3ª C – PROCESSO Nº. 0016902-94.2013.815.2001 – Recorrente(s): ESTADO DA PARAÍBA. Recorrido(s): EUGÊNIO DE OLIVEIRA JÚNIOR Intimação ao(s) bel(is). ÉRIKA PATRICIA SERAFIM FERREIRA BRUNS, Nº 17.881 OAB/PB, a fim de, no prazo legal, na condição de patrono dos recorrido, apresentar(em) as contrarrazões ao recurso em referência.

RECURSO ESPECIAL – 3ª C – PROCESSO Nº. 0119079-73.2012.815.2001 – Recorrente(s): ESTADO DA PARAÍBA. Recorrido(s): GENIVALDO BARBOSA DE SOUZA. Intimação ao(s) bel(is). ALEXANDRE GUSTAVO CEZAR NEVES, Nº 14.640 OAB/PB e UBIRATÃ FERNANDES DE SOUZA, Nº 11.960 OAB/PB, a fim de, no prazo legal, na condição de patrono dos recorrido, apresentar(em) as contrarrazões ao recurso em referência.

RECURSO ESPECIAL – 3ª C – PROCESSO Nº. 0000133-58.2017.815.0000 – Recorrente(s): TELEMAR NORTE LESTE. Recorrido(s): BETANIA DOMINGOS DE ARAÚJO FREIRE. Intimação ao(s) bel(is). JOSEMÍLIA DE FÁTIMA BATISTA GUERRA, Nº 10.561 OAB/PB, a fim de, no prazo legal, na condição de patrono dos recorrido, apresentar(em) as contrarrazões ao recurso em referência.

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL – 3ª C – PROCESSO Nº. 0114775-31.2012.815.2001 – Agravante(s):

PBPREV PARAIBA PREVIDÊNCIA Agravado(s): LUIZ MARINHO BATISTA JÚNIOR Intimação ao(s) bel(is). JOSÉ FRANCISCO XAVIER, Nº 14.897 OAB/PB, a fim de, no prazo legal, na condição de patrono do agravado, apresentar(em) as contrarrazões ao recurso em referência.

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL – 3ª C – PROCESSO Nº. 0000549-13.2012.815.2001 – Agravante(s):

BANCO DO BRASIL S/A. Agravado(s): MARCELO MARTINS DE SANT’ANA Intimação ao(s) bel(is). MARCELO MARTINS DE SANT’ANA, N° 16.373 OAB/PB e V ANESSA GOUVEIA BELTRÃO, Nº 15.956 OAB/PB, a fim de, no prazo legal, na condição de patrono do agravado, apresentar(em) as contrarrazões ao recurso em referência.

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL – 3ª C – PROCESSO Nº. 0037511-69.2011.815.2001 – Agravante(s):

PBPREV PARAIBA PREVIDÊNCIA. Agravado(s): KASSIUS ROBERTO ANES DE CARVALHO Intimação ao(s) bel(is). FRANCISCO DE ANDRADE CARNEIRO NETO, N° 7.964 OAB/PB, a fim de, no prazo legal, na condição de patrono do agravado, apresentar(em) as contrarrazões ao recurso em referência.

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL – 3ª C – PROCESSO Nº. 0019868-30.2013.815.2001 – Agravante(s):

PBPREV PARAÍBA PREVIDÊNCIA. Agravado(s): ROBÉRIO DA SILVA. Intimação ao(s) bel(is). ALEXANDRE GUSTAVO CEZAR NEVES, N° 14.640 OAB/PB e UBIRA TÃ FERNANDES DE SOUZA, Nº 11.960 OAB/PB, a fim de, no prazo legal, na condição de patrono do agravado, apresentar(em) as contrarrazões ao recurso em referência.

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL E AGRAVO EM RECURSO EXTRAORDINÁRIO – 3ª CC – Processo nº. 0015376-97.2010.815.2001 – Agravante(s): BANCO BRADESCO S/A. Agravado(s): ALAN DAIVES NUNES DE SOUSA Intimação ao(s) bel(is). CARLOS MACHADO LOPES DE MENDONÇA, N° 9.066 OAB/PB, a fim de, no prazo legal, na condição de patrono do agravado, apresentar(em) as contrarrazões ao recurso em referência.

RECURSO ESPECIAL - 2ªC – PROCESSO Nº. 0000881-09.2014.815.2001 – Recorrente (s): ESTADO DA PARAÍBA. Recorrido (s): JAIR ALVES VITORINO E OUTROS. Intimação ao(s) bel(is). ANA CRISTINA DE OLIVEIRA VILARIM, OAB/PB 11.967, a fim de, no prazo legal, na condição de patrono(s) do(s) recorrido(s), apresentar(em) as contrarrazões ao(s) recurso(s) em referência.

RECURSOS ESPECIAL E EXTRAORDINÁRIO - 2ªC – PROCESSO Nº. 0000846-76.2014.815.0731 – Recorrente(s): ZEIZA CASTOR VIANA. Recorrido (1): FUNDAÇÃO PETROBRÁS DE SEGURIDADE SOCIAL - PETROS. Recorrido (2): PETROLEO BRASILEIRO S/A – PETROBRÁS. Intimação ao(s) bel(is). CARLOS ROBERTO SIQUEIRA CASTRO, OAB/PB 20.283-A, patrono do primeiro recorrido e JOÃO EDUARDO SOARES DONATO, OAB/PE 29.291, patrono do segundo recorrido, a fim de, no prazo legal, na condição de patrono(s) do(s) recorrido(s), apresentar(em) as contrarrazões ao(s) recurso(s) em referência.

RECURSO ESPECIAL - 2ªC – PROCESSO Nº. 0008922-28.2015.815.2001 – Recorrente (s): ESTADO DA PARAÍBA. Recorrido (s): JOELSON SILVA DE MACENA. Intimação ao(s) bel(is). ALEXANDRE G. CEZAR NEVES, OAB/PB 14.640, patrono do recorrido, a fim de, no prazo legal, apresentar(em) as contrarrazões ao(s) recurso(s) em referência.

RECURSO ESPECIAL - 2ªC – PROCESSO Nº. 0014758.16.2014.815.2001 – Recorrente(s): ESTADO DA PARAÍBA. Recorrido (s): ISABEL PATRICIA MEDEIROS DE SOUSA. Intimação ao(s) bel(is). ALEXANDRE G. CEZAR NEVES, OAB/PB 14.640, a fim de, no prazo legal, na condição de patrono(s) do(s) recorrido(s), apresentar(em) as contrarrazões ao(s) recurso(s) em referência.

RECURSOS ESPECIAL E EXTRAORDINÁRIO – PROCESSO Nº 0030406-70.2013.815.2001 – 2ª C - Recorrente (1): ESTADO DA PARAÍBA. Recorrente (2): PARAÍBA PREVIDÊNCIA – PBPREV. Recorrido (s): JOSÉ BARAUNA DA SILVA E OUTROS. Intimação ao(s) Bel(eis): ANDREÁ HENRIQUE DE SOUSA E SILVA, OAB/PB 15.155, patrono do recorrido, a fim de, no prazo legal, apresentar(em) as contrarrazões ao(s) recurso(s) em referência.

RECURSO ESPECIAL - 2ªC – PROCESSO Nº. 0036021-12.2011.815.2001 – Recorrente (s): ESTADO DA PARAÍBA. Recorrido (s): JOSÉ ARNALDO DINIZ. Intimação ao(s) bel(is). FRANCISCO DE ANDRADE CARNEIRO NETO, OAB/PB 7.964, patrono do recorrido, a fim de, no prazo legal, apresentar(em) as contrarrazões ao(s) recurso(s) em referência.

RECURSO EXTRAORDINÁRIO - 2ªC – PROCESSO Nº. 0035603-06.2013.815.200 – Recorrente (s): ESTADO DA PARAÍBA. Recorrido (s): ROMÉRIO DE ALMEIDA BORGES. Intimação ao(s) bel(is). HERBERTO SOUSA PALMEIRA JÚNIOR, OAB/PB 11.665, patrono do recorrido, a fim de, no prazo legal, apresentar(em) as contrarrazões ao(s) recurso(s) em referência.

RECURSO ESPECIAL - 2ªC – PROCESSO Nº. 0118941-09.2012.815.2001 – Recorrente (s): ESTADO DA PARAÍBA. Recorrido (s): EDIVALDO LOPES DA SILVA. Intimação ao(s) bel(is). REINALDO PEIXOTO DE MELO FILHO, OAB/PB 9.905, patrono do recorrido, a fim de, no prazo legal, apresentar(em) as contrarrazões ao(s) recurso(s) em referência.

RECURSO ESPECIAL – PROCESSO Nº 0106852-51.2012.815.2001 – 2ª C - Recorrente (s): ESTADO DA PARAÍBA. Recorrido (s): MARCOS SEVERINO DOS SANTOS. Intimação ao(s) Bel(eis): ÊNIO SILVA NASCIMENTO, OAB/PB 11.946, patrono do recorrido, a fim de, no prazo legal, apresentar(em) as contrarrazões ao(s) recurso(s) em referência.

RECURSOS ESPECIAIS – PROCESSO Nº 0001473-71.2016.815.0000 – 2ª C - Recorrente (1): ESTADO DA PARAÍBA. Recorrente (2): PARAÍBA PREVIDÊNCIA – PBPREV. Recorrido (s): DOUGLAS FERREIRA DE ARAÚJO. Intimação ao(s) Bel(eis): JOSÉ CARLOS MAIA GOMES, OAB/PB 15.491, patrono do recorrido, a fim de, no prazo legal, apresentar(em) as contrarrazões ao(s) recurso(s) em referência.

AGRAVO – PROCESSO Nº 0757696-18.2007.815.0000 – 2ª C - agravante (s): BANCO SANTANDER BRASIL S/A. agravado (s): MARPESA PNEUS, PEÇAS E SERVIÇOS LTDA. Intimação ao(s) Bel(eis): ELÍSIA HELENA DE MELO MARTINI, OAB/PB 1.853-A, patrono(s) do agravante, a fim de, no prazo 05 (cinco) dias, manifestar-se sobre a aludida petição e documentos que a instruem (fls. 980/1.296), conforme despacho de fls. 1.301.

JULGADOS DO TRIBUNAL PLENO
JULGADOS DO TRIBUNAL PLENO

Des. João Alves da Silva

PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS N° 0000374-95.2018.815.0000. ORIGEM: Tribunal de Justiça da Paraíba. RELATOR: Des. João Alves da Silva. ASSUNTO: Analise de Proposta de Concessao de Medelha da Ordem do Merito Judiciario. INDICADO: Rogerio de Meneses Fialho Moreira. PROCESSO ADMINISTRATIVO. MEDALHA DA ORDEM DO MÉRITO JUDICIÁRIO. CATEGORIA ALTA DISTINÇÃO. RESOLUÇÃO N. 15/2006. REQUISITOS LEGAIS PREENCHIDOS. CONCESSÃO. - Nos termos do art. 9º da Resolução n. 15/2006 desta Egrégia Corte de Justiça, a Medalha da Ordem do Mérito Judiciário, na categoria Alta Distinção, poderá ser concedida a Desembargadores de Tribunais de Justiça Estaduais e Regionais Federais, Eleitorais e do Trabalho. ACORDA o Plenário do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, por unanimidade, aprovar a concessão de Medalha da Ordem do Mérito Judiciário do Estado da Paraíba e do Diploma respectivo, na categoria Alta Distinção, ao Excelentíssimo Senhor Desembargador Federal Rogério de Meneses Fialho Moreira, integrando a presente decisão a súmula de julgamento de fl. 52.

JULGADOS DO CONSELHO DA MAGISTRATURA
JULGADOS DO CONSELHO DA MAGISTRATURA

Des. José Ricardo Porto

RECURSO ADMINISTRATIVO N° 0001290-41.2015.815.1001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Des. José Ricardo Porto. RECORRENTE: Raimundo Gomes da Silva Junior. ADVOGADO: Yuri Paulino de Miranda Oab/pb 8448. RECORRIDO: Corregedoria Geral de Justica. QUESTÃO DE ORDEM SUSCITADA NA TRIBUNA. PEDIDO DE RETIRADA DE PAUTA. AUSÊNCIA DE CÓPIAS DOS DEPOIMENTOS DAS TESTEMUNHAS DE DEFESA. PEDIDO DE RETIRADA DE PAUTA. IRRELEVÂNCIA DE TAIS PROVAS. ANÁLISE FÁTICA QUE SE RESTRINGE AO CONTEÚDO DA CERTIDÃO EMITIDA PELO RECORRENTE. REJEIÇÃO DA PREFACIAL. - É desnecessária a juntada de cópias dos termos de oitivas das testemunhas arroladas pela defesa, porquanto a análise fática restringe-se ao conteúdo da certidão emitida pelo recorrente, cujo teor é suficiente para o deslinde do feito, conforme também será demostrado no mérito. RECURSO INOMINADO. PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR. OFICIAL DE JUSTIÇA. NÃO CUMPRIMENTO DE DETERMINAÇÃO JUDICIAL. ELABORAÇÃO DE CERTIDÃO JOCOSA E FORA DE CONTEXTO. INFRINGÊNCIA AOS ARTIGOS 106, IV, E 107, I, AMBOS DO ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO ESTADO DA PARAÍBA. APLICAÇÃO DA PENA DE SUSPENSÃO POR 08 (OITO) DIAS. ELEMENTOS PROBATÓRIOS SUFICIENTES A MANUTENÇÃO DO DECISUM. DESPROVIMENTO DO RECURSO. - Não há justificativa para que o oficial de justiça, recebendo determinação de cumprimento de mandado de intimação, recuse-se a fazê-lo, sob o fundamento de que a ordem intimatória encontra-se em desacordo com as normas processuais e de que,

nesses casos, os custos das diligências devem ser providos pelo próprio Magistrado, podendo ser rateado entre o Promotor de Justiça, o Defensor Públicos e os advogados das partes. Infringência ao inciso IV, do art. 106, do Estatuto dos Servidores Públicos do Estado da Paraíba. - “Em que pese serem razoáveis as ponderações do recorrente quanto a forma de expedição dos mandados, as ordens judiciais materializadas em tais peças não podem ser descumpridas, sendo passíveis apenas de representação no órgão censor, a fim de que este oriente, fiscalize e, eventualmente, puna possíveis condutas dos magistrados responsáveis pela expedição dos atos ou condutas que destoem dos normativos editados por este Conselho e pela própria Corregedoria.” (TJPB. Processo nº 00030303020158150000. Conselho da Magistratura. Rel. Des. João Alves da Silva. J. em 18/03/2016) - “Art.

106 - São deveres do servidor: (

IV - Cumprir ordens superiores, exceto quando manifestamente ilegais.”

(Estatuto dos Servidores Públicos do Estado da Paraíba) - Caracteriza-se como ofensiva, desrespeitosa à hierarquia existente, jocosa e fora do contexto, a certidão que realiza um chamamento dos atores processuais (Juiz, Promotor, Defensor e Advogados) a participarem dos custos da ação, para que possam sentir e dividir o peso da atividade de oficial de justiça, supostamente mal remunerada. Transgressão ao inciso I do art. 107 do Estatuto dos Servidores Públicos do Estado da Paraíba. - “Art. 107 - Ao servidor é proibido: I - referir-se de modo depreciativo, em informação parecer ou despacho, às autoridade e aos atos da Administração pública, podendo, entretanto, em trabalho assinado, criticá-los do ponto de vista doutrinário ou de organização de serviço;” (Estatuto dos Servidores Públicos do Estado da Paraíba) ACORDA o Egrégio Conselho da Magistratura do Tribunal de Justiça da Paraíba, à unanimidade de votos, REJEITAR QUESTÃO DE ORDEM. NO MÉRITO, POR IGUAL VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO.

)

JULGADOS DA PRIMEIRA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL
JULGADOS DA PRIMEIRA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL

Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti

APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO N° 0000407-68.2015.815.0751. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR:Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Estado da Paraiba,rep.p/seu Procurador, Delosmar Domingos de Mendonça Junior, Cassio Cicero Ribeiro, Jefferson Aranha de Oliveira E Juizo da 4a Vara da Com.de Bayeux. ADVOGADO: Maria Angelica Figueiredo Camargo. APELADO: Manoel Alves Tavares de Melo. AGRAVO INTERNO – AÇÃO ORDINÁRIA DE COBRANÇA – SERVIDORES DO PODER JUDICIÁRIO ESTADUAL – AUMENTO DA JORNADA ININTERRUPTA DIÁRIA DE TRABALHO SEM O CORRESPONDENTE INCREMENTO NA REMUNERAÇÃO – VIOLAÇÃO AO PRINCÍPIO CONSTITUCIONAL DA IRREDUTIBILIDADE SALARIAL – ORIENTAÇÃO FIRMADA PELO STF NO ARE 660.010/PR, JULGADO SOB A SISTEMÁTICA DA REPERCUSSÃO GERAL – NECESSIDADE DE PAGAMENTO DAS DIFERENÇAS SALARIAIS DECORRENTES DA AUSÊNCIA DE CONTRAPRESTAÇÃO PELA SÉTIMA HORA TRABALHADA DURANTE O PERÍODO EM QUE VIGOROU A ALUDIDA JORNADA LABORAL, RESPEITADA A PRESCRIÇÃO QUINQUENAL – AGRAVO QUE NÃO TRAZ ARGUMENTOS SUFICIENTES A MODIFICAR OS FUNDAMENTOS DA DECISÃO MONOCRÁTICA – DESPROVIMENTO. - No ARE 660.010/PR, o Pretório Excelso, em julgamento submetido à sistemática da repercussão geral, firmou orientação no sentido de que “a ampliação de jornada de trabalho sem alteração da remuneração do servidor consiste em violação da regra constitucional da irredutibilidade de vencimentos”. - Verificando-se que, in casu, os Autores – servidores efetivos do Poder Judiciário Estadual – tiveram a sua jornada de trabalho ininterrupta aumentada de 06 (seis) para 07 (sete) horas, sem o correspondente incremento salarial, deve o Estado/Promovido ser condenado a pagar as diferenças salariais devidas durante o período em que perdurou a aludida jornada laboral, respeitada a prescrição quinquenal. NEGAR PROVIMENTO AO AGRAVO INTERNO.

APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO N° 0010391-12.2015.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR:Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Estado da Paraiba,rep.p/sua Procuradora, Daniele Cristina C.t.de Albuquerque E Juizo da 2a Vara da Faz.pub.da Capital. APELADO: Damiao da Silva Santos. ADVOGADO: Denyson Fabiao de Araujo Braga. AGRAVO INTERNO – CONGELAMENTO DO VALOR PAGO A TÍTULO DE ANUÊNIO DE MILITAR, DESDE A EDIÇÃO DE LEI QUE SÓ TRATOU DE SERVIDORES CIVIS – INSURGÊNCIA APENAS QUANTO À PREJUDICIAL DE PRESCRIÇÃO DO FUNDO DO DIREITO – AFASTAMENTO – RELAÇÃO DE TRATO SUCESSIVO – PRAZO QUE SE RENOVA MÊS A MÊS –

DIÁRIO DA JUSTIÇA – J OÃO P ESSOA -PB • D ISPONIBILIZAÇÃO : SEGUNDA -

DIÁRIO DA JUSTIÇA – JOÃO PESSOA-PB • DISPONIBILIZAÇÃO: SEGUNDA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2018 PUBLICAÇÃO: TERÇA-FEIRA, 27 DE MARÇO DE 2018

6

PRETENSÃO ATINGIDAAPENAS QUANTO AO PERÍODO QUE ULTRAPASSA OS CINCO ANOS ANTERIORES

À PROPOSITURA DA AÇÃO – RECURSO QUE NÃO TRAZ ARGUMENTOS SUFICIENTES A MODIFICAR OS

FUNDAMENTOS DA DECISÃO MONOCRÁTICA – DESPROVIMENTO. Não restou configurada a prescrição do fundo de direito, porquanto o cerne da controvérsia não gravita em torno do direito ao adicional por tempo de serviço, mas sim das vantagens pecuniárias decorrentes do pagamento a menor (congelado) da aludida verba, pretensão última que se renova a cada pagamento considerado indevido, estando prescritas apenas as parcelas que antecederam o quinquênio anterior ao ajuizamento da ação. Nos termos da Súmula 85 do STJ, “nas relações jurídicas de trato sucessivo em que a Fazenda Pública figure como devedora, quando não tiver sido negado o próprio direito reclamado, a prescrição atinge apenas as prestações vencidas antes do quinquênio anterior à propositura da ação”. Ausentes argumentos capazes de infirmar os termos da decisão agravada, deve ser desprovida a insurgência que visa tão somente repisar as teses já examinadas e rechaçadas pelo julgador monocrático. NEGAR PROVIMENTO AO AGRAVO INTERNO.

APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO N° 0010987-30.2014.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR.

RELATOR:Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Estado da Paraiba,rep.p/seu Procurador, Julio Tiago de C.rodrigues, Ministerio Publico do Estado da Paraiba, Representada Por Sua Genitora, Ana Claudia Rodrigues Soares E Juizo da 1a Vara da Faz.pub.da Capital. ADVOGADO: Alexandrino Alves de Freitas. APELADO: Jady Soares Alves. AGRAVO INTERNO. DECISÃO QUE NEGA SEGUIMENTO À REMESSA OFICIAL EM CONFRONTO COM JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO STJ e da Corte Local - POSSIBILIDADE

– MANUTENÇÃO DA SENTENÇA – COMANDO JUDICIAL INCÓLUME - INTELIGÊNCIA DO ART. 557, CAPUT,

DO CPC – MATÉRIA MERITÓRIA – MANDADO DE SEGURANÇA COM PEDIDO DE LIMINAR – SENTENÇA – CONCESSÃO DO MANDAMUS - MENOR DE 18 ANOS APROVADO NO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO - PLEITO DE EMISSÃO DE CERTIFICADO DE CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO. NEGATIVA APENAS COM BASE NO REQUISITO DA IDADE MÍNIMA - IRRAZOABILIDADE. DIREITO DE ACESSO AOS NÍVEIS MAIS ELEVADOS DO ENSINO SEGUNDO A CAPACIDADE DO INDIVÍDUO - PREVALÊNCIA DO ART. 208, V, CF. – LIMITAÇÃO DE IDADE PREVISTA NA LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO – PREVALÊNCIA DAS NORMAS CONSTITUCIONAIS – ART. 208, v DA CF - SUBLEVAÇÃO – ausência de novos argumentos aptos a modificar a decisão atacada – PRECEDENTES DO TJPB sobre a questão - DESPROVIMENTO. -

Mantém-se a decisão monocrática que entendeu negar seguimento à apelação e à remessa oficial, ao declarar haver sido a decisão de primeiro grau prolatada em consonância com a jurisprudência dominante deste Tribunal

e de Tribunal Superior, nos termos do art. 557, caput, do CPC/73. - Considerando que o agravante não trouxe argumentos novos capazes de modificar os fundamentos que embasaram a decisão agravada, o desprovimento do recurso é medida que se impõe. NEGAR PROVIMENTO AO AGRAVO INTERNO.

APELAÇÃO N° 0000035-88.2013.815.0881. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Bv Financeira S/a-credito,financiamento E E Investimento. ADVOGADO: Wilson Sales Belchior. APELADO: Iraci Alves da Silva. ADVOGADO: Alberto da Silva Rodrigues. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO – AÇÃO ANULATÓRIA DE CONTRATO C/C INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS E MATERIAIS – ALEGAÇÃO DE OMISSÃO NO JULGADO – CONSECTÁRIOS LEGAIS – CORREÇÃO MONETÁRIA – DANO MORAL – FIXAÇÃO DO TERMO INICIAL DA ATUALIZAÇÃO DA MOEDA – DATA DO ARBITRAMENTO – SÚMULA 362 DO STJ – ACOLHIMENTO DOS EMBARGOS COM EFEITOS MERAMENTE

INTEGRATIVOS. - Súmula 362 do STJ: A correção monetária do valor da indenização do dano moral incide desde

a data do arbitramento. ACOLHER OS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO COM EFEITOS INTEGRATIVOS.

APELAÇÃO N° 0000049-18.2015.815.0941. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Elisete Maciel de Lima. ADVOGADO: Marcos Antonio Inacio da Silva. APELADO: Municipio de Imaculada. ADVOGADO: Vilson Lacerda Brasileiro. APELAÇÃO CÍVEL – AÇÃO ORDINÁRIA DE COBRANÇA – JULGAMENTO CITRA PETITA – PEDIDO ALUSIVO À INDENIZAÇÃO COMPENSATÓRIA PELA NÃO INSCRIÇÃO NO PASEP – AUSÊNCIA DE APRECIAÇÃO – NULIDADE RECONHECIDA – CONTINUIDADE DO JULGAMENTO – INTELIGÊNCIA DO ART. 1.013, §3º, III, DO CPC – PASEP – INSCRIÇÃO DO SERVIDOR PÚBLICO – NECESSIDADE – ART. 239 DA CF/88 – INDENIZAÇÃO DEVIDA PELA NÃO INSCRIÇÃO DA QUAL DECORREU A PERDA DAS VANTAGENS PECUNIÁRIAS PARA O SERVIDOR – DESÍDIA DO MUNICÍPIO – CONDENAÇÃO DEVIDA – PROVIMENTO DO RECURSO. Em razão da dicção do art. 1.013, § 1º, do CPC/2015, a instância superior está autorizada a apreciar todos os pontos suscitados na instância originária, ainda que não julgados, por se encontrar a causa madura para imediato julgamento. Conforme entendimento assente na jurisprudência pátria, o ente municipal possui a obrigação de efetuar a inscrição do servidor no PIS/PASEP em seu benefício, devendo ser compelido judicialmente a indenizar os abonos não recebimentos em decorrência da sua desídia. ANULAR A SENTENÇA POR SER CITRA PETITA E, NO MÉRITO, DAR PROVIMENTO AO RECURSO.

APELAÇÃO N° 0000064-08.2015.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Gina Quaresma Gomes Carneiro, Marcus Zanon Ventura Queiroga, Representado Por Seu Procurador E Jose Wilson Germano de Figueiredo. ADVOGADO: Andre Castelo Branco Pereira da Silva. APELADO: Inss Instituto Nacional do Seguro Social. APELAÇÃO CÍVEL – BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO – CONCESSÃO INICIAL DE AUXÍLIO-ACIDENTE – PROVA PERICIAL CONCLUSIVA – LAUDO MÉDICO – LIMITAÇÃO – AUSÊNCIA DE INCAPACITAÇÃO FUNCIONAL – PRECEDENTES – DESPROVIMENTO DO APELO. Realizada perícia em Juízo e não verificada a ocorrência de incapacidade laborativa, inexiste base sustentável para se reconhecer o direito ao benefício previdenciário auxílio-acidente. NEGAR PROVIMENTO AO APELO.

APELAÇÃO N° 0000269-84.2010.815.0781. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de

Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Josefa Emilia Ribeiro Mendes. ADVOGADO: Marcos Antonio Inacio da Silva. APELADO: Municipio de Damiao. ADVOGADO: Newton Nobel Sobreira Vitas. AGRAVO INTERNO

– AÇÃO DE COBRANÇA DE VERBAS TRABALHISTAS - SENTENÇA IMPROCEDÊNCIA DO PEDIDO EXORDIAL

– DECISÃO MONOCRÁTICA QUE DEU PROVIMENTO PARCIAL À APELAÇÃO – REGULARIDADE DO VÍNCULO

JURÍDICO DA AGRAVANTE COM O MUNICÍPIO - PRESCRIÇÃO BIENAL PREVISTA NA SÚMULA N.º 363 DO

TST. PREJUDICIAL AFASTADA - PLEITO DE INCLUSÃO, NA CONDENAÇÃO, DO PAGAMENTO DE ADICIONAL DE INSALUBRIDADE - AUSÊNCIA DE LEI LOCAL REGULAMENTANDO A CONCESSÃO DE TAL BENEFÍCIO

- IMPOSSIBILIDADE DE QUITAÇÃO - SÚMULA 42 DO TJPB - SENTENÇA EM SINTONIA COM A

JURISPRUDÊNCIA SOBRE O DIREITO LOCAL – MANUTENÇÃO – RECURSO QUE NÃO TRAZ ARGUMENTOS SUFICIENTES A MODIFICAR OS FUNDAMENTOS DA DECISÃO MONOCRÁTICA – DESPROVIMENTO. - A

sentença recorrida não mereceu reparo nesse aspecto, em razão da impossibilidade de aplicação analógica da Norma Regulamentadora nº 15 do Ministério do Trabalho e Emprego por não se tratar de ato normativo editado pelo ente (município) ao qual pertence a agravante. - Considerando que o agravante não trouxe argumentos novos capazes de modificar os fundamentos que embasaram a decisão agravada, o desprovimento do recurso

é medida que se impõe. NEGAR PROVIMENTO AO AGRAVO INTERNO.

APELAÇÃO N° 0000390-68.2015.815.0351. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Severino dos Santos Silva. ADVOGADO: Marcos Antonio Inacio da Silva. APELADO: Municipio de Sape. ADVOGADO: Fabio Roneli Cavalcante de Souza. APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE COBRANÇA. PAGAMENTO DE “INCENTIVO FINANCEIRO ADICIONAL” A AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE COM BASE EM PORTARIAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE. IMPOSSIBILIDADE. VERBA DESPIDA DE CARÁTER PESSOAL. PRECEDENTES DESTA CORTE DE JUSTIÇA. DESPROVIMENTO AO RECURSO. As Portarias n. 1.350/2002, n. 3.178/2010, n. 1.599/2011, n. 459/2012, n. 260/2013 e n. 314/

2014, ao mencionarem o repasse da rubrica “Incentivo Financeiro Adicional”, destina-a diretamente aos municípios,

a fim de que seja utilizado exclusivamente no financiamento das atividades dos Agentes Comunitários de Saúde

(art. 1º, § 3º, Portaria n. 1.1350/2002), independentemente de qualquer caráter de vantagem pessoal ou repasse tais servidores. NEGAR PROVIMENTO AO APELO.

APELAÇÃO N° 0000506-45.2016.815.051 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de

Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Seguradora Lider dos Consorcios do E Seguro Dpvat S/a. ADVOGADO: Rostand Inacio dos Santos. APELADO: Rivelino Francisco dos Santos. ADVOGADO: Emmanuel Saraiva Ferreira. APELAÇÃO CÍVEL – AÇÃO DE COBRANÇA DE SEGURO DPVAT – PROCEDÊNCIA PARCIAL

– IRRESIGNAÇÃO – AUSÊNCIA DE REGISTRO E LICENCIAMENTO DO VEÍCULO – IRRELEVÂNCIA – NEXO

CAUSAL – BOLETIM DE OCORRÊNCIA – INDENIZAÇÃO DEVIDA – DOCUMENTOS SUFICIENTES PARA COMPROVAÇÃO DO LIAME DE CAUSALIDADE – HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS – FIXAÇÃO COM BASE NO VALOR DA CAUSA – CONDENAÇÃO – ART. 85 DO CPC – NECESSIDADE DE REFORMA NO PONTO – APELO PROVIDO PARCIALMENTE. - A falta de documento comprobatório do seguro obrigatório, ou mesmo a ausência de registro ou licenciamento, é irrelevante no caso, tanto assim que a própria lei reguladora do pagamento do seguro não impõe obrigatoriedade de o beneficiário apresentar o documento reclamado, apontando apenas a necessidade de “simples prova do acidente e do dano decorrente” (artigo 5º da Lei nº 6.194/74). - Os honorários serão fixados entre o mínimo de dez e o máximo de vinte por cento sobre o valor da condenação, do proveito econômico obtido ou, apenas quando não for possível mensurá-lo, será arbitrado sobre o valor da causa. DAR PROVIMENTO PARCIAL AO APELO.

APELAÇÃO N° 0000627-78.2014.815.121 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Maria do Carmo Gomes de Gois. ADVOGADO: Francisco Carlos Meira da Silva. APELADO: Itau Seguros S/a. ADVOGADO: Antonio Eduardo Gonçalves de Rueda. APELAÇÃO CÍVEL. PRELIMINAR DE CERCEAMENTO DE DEFESA. REALIZAÇÃO DE DOIS EXAMES PERICIAIS . AUSÊNCIA DE MANIFESTAÇÃO DA APELANTE SOBRE AS CONCLUSÕES DO ÚLTIMO LAUDO. REJEIÇÃO DA PREFACIAL. MÉRITO. AÇÃO DE COBRANÇA. INDENIZAÇÃO DO SEGURO OBRIGATÓRIO. AUSÊNCIA DE DEMONSTRAÇÃO DO NEXO DE CAUSALIDADE ENTRE O ACIDENTE DE TRÂNSITO E A DEBILIDADE DA VÍTIMA. ÔNUS DA PROVA DO AUTOR. ACERTO NA ORIGEM. DESPROVIMENTO DO RECURSO. Não tendo

a parte autora comprovado o nexo de causalidade entre o acidente de trânsito e a debilidade, ônus que lhe

incumbia, não há como responsabilizar a ré pelo pagamento da indenização securitária, nos termos do art. 373,

I, do CPC. NEGAR PROVIMENTO AO APELO.

APELAÇÃO N° 0000714-48.2014.815.0301. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Seguradora Lider dos Consorcios do E Seguro Dpvat S/a. ADVOGADO: Antonio Eduardo Gonçalves de Rueda. APELADO: Francisca Almeida de Souza E Outros. ADVOGADO: Jaques Ramos Wanderley. APELAÇÃO CÍVEL – AÇÃO DE COBRANÇA DE SEGURO DPVAT – PROCEDÊNCIA DO PEDIDO – IRRESIGNAÇÃO – AUSÊNCIA DE DEMONSTRAÇÃO DO NEXO CAUSAL ENTRE O ACIDENTE E A DEBILIDADE DO AUTOR – DOCUMENTOS SUFICIENTES PARA COMPROVAÇÃO DO LIAME DE CAUSALIDADE –JUROS DE MORA E CORREÇÃO MONETÁRIA – TERMO A QUO – DATA DO EVENTO DANOSO – SÚMULA 580 DO STJ – SENTENÇA ESCORREITA – APELO DESPROVIDO. - Ao contrário da tese aventada pelo Apelante, o nexo de causalidade entre o acidente e a debilidade da vítima está satisfatoriamente comprovado nos autos. - Nos termos da Súmula 580 do STJ, “a correção monetária nas indenizações do seguro DPVAT por morte ou invalidez, prevista no § 7º do art. 5º da Lei n. 6.194/1974, redação dada pela Lei n. 11.482/2007, incide desde a data do evento danoso”. NEGAR PROVIMENTO AO APELO.

APELAÇÃO N° 0000756-59.2016.815.0000. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Estado da Paraiba,rep.p/seu Procurador, Julio Tiago de Carvalho Rodrigues E Candido Artur Matos de Sousa. APELADO: Everaldo de Franca. ADVOGADO: Wallace Alencar Gomes. AGRAVO INTERNO. PREJUDICIAL DE PRESCRIÇÃO DO FUNDO DO DIREITO. AFASTAMENTO. RELAÇÃO DE TRATO SUCESSIVO. RENOVAÇÃO MÊS A MÊS. PRESERVAÇÃO DO PERÍODO EQUIVALENTE OS CINCO ANOS ANTERIORES À PROPOSITURA DAAÇÃO. REJEIÇÃO. MATÉRIA MERITÓRIA. Adicional por tempo de serviço. Congelamento. incidência do ARTIGO 2º DA LC 50/03 a militar. IMPOSSIBILIDADE. EXCEÇÃO. EDIÇÃO DA MP 185/2012. APLICAÇÃO DA Lei AOS MILITARES A PARTIR DA MP 185/2012. Súmula 51 do TJPB. SUBLEVAÇÃO. ausência de novos argumentos aptos a modificar a decisão atacada. DESPROVIMENTO. Nos termos da Súmula 85 do STJ, “nas relações jurídicas de trato sucessivo em que a Fazenda Pública figure como devedora, quando não tiver sido negado o próprio direito reclamado, a prescrição atinge apenas as prestações vencidas antes do quinquênio anterior à propositura da ação”. O congelamento do

valor nominal do Adicional por Tempo de Serviço (anuênio) para os servidores públicos militares, somente é devido a partir da vigência da Medida Provisória nº 185/2012, de 25 de janeiro de 2012, posteriormente convertida na Lei Estadual nº 9.703/2012, de 14/05/2012. Súmula 51 do TJPB - “Reveste-se de legalidade o pagamento do adicional por tempo de serviço, em seu valor nominal, aos servidores militares do Estado da Paraíba tão somente

a partir da Medida Provisória nº 185, de 25.01.2012, convertida na Lei Ordinária nº 9.703, de 14.05.2012” Considerando que o agravante não trouxe argumentos novos capazes de modificar os fundamentos que embasaram a decisão agravada, o desprovimento do recurso é medida que se impõe. NEGAR PROVIMENTO AO AGRAVO INTERNO.

APELAÇÃO N° 0001032-64.2015.815.031 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Ivonete Paiva Louredo. ADVOGADO: Damiao Guimaraes Leite. APELADO: Municipio de Tavares. ADVOGADO: Manoel Arnobio de Sousa. APELAÇÃO – AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER C/C COBRANÇA – SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL – QUINQUÊNIO –– PAGAMENTO RETROATIVO – PERÍODO DEVIDO NÃO DEMONSTRADO - NÃO COMPROVAÇÃO DOS FATOS CONSTITUTIVOS DO DIREITO DA AUTORA – IMPROCEDÊNCIA DO PEDIDO INICIAL – ACERTO NA ORIGEM – DESPROVIMENTO DO RECURSO. Embora a apelante tenha comprovado a condição de servidora pública efetiva e tenha admitido a implantação de quinquênio pela Fazenda Pública, não demonstrou o período a que faria jus ao pagamento retroativo nem tampouco a omissão da Edilidade em proceder ao enquadramento no respectivo nível funcional, após os cinco anos de efetivo exercício. Simples alegações genéricas acerca da ausência de pagamento retroativo dos adicionais atribuída à Fazenda Pública não afasta o ônus da apelante de comprovação dos fatos constitutivos de seu direito. NEGAR PROVIMENTO AO APELO.

APELAÇÃO N° 0001818-35.2013.815.0261. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Juracy Soares Ventura E, Maria de Fatima Batista E Municipio de Pianco. ADVOGADO: Damiao Guimaraes Leite e ADVOGADO: Maurilio Wellington Fernandes Pereira. APELADO:

Helliany Kenia Loureiro Araujo. APELAÇÃO CÍVEL – AÇÃO DE COBRANÇA – SALÁRIO RETIDO RELATIVO AO MÊS DE DEZEMBRO DE 2012 – TERÇO DE FÉRIAS – SERVIDOR EFETIVO – ART. 373, II, DO CPC/15 – NÃO COMPROVAÇÃO DE PAGAMENTO PELA EDILIDADE – NECESSIDADE DE QUITAÇÃO – DESPROVIMENTO. “Em se tratando de ação de cobrança, compete ao autor provar a existência da relação jurídica; se o devedor alega ter pago a dívida cobrada, deve provar o alegado, por se tratar de fato extintivo do direito perseguido”1. Restando demonstrado o vínculo e inexistindo provas desse pagamento, deve o promovido ser compelido ao adimplemento das verbas salariais cobradas. Sendo efetivo o servidor público, as verbas atinentes ao terço constitucional de férias são devidas, independentemente do seu exercício, uma vez que não é o fato de gozar as férias que garante o terço constitucional, mas o simples direito às férias já é suficiente para o recebimento da verba explicitada, conforme entendimento firmado pelo Supremo Tribunal Federal. NEGAR PROVIMENTO AO APELO.

APELAÇÃO N° 0001857-51.2012.815.0751. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de

Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Jose Wellington de Oliveira Santos. ADVOGADO: Daniel de Oliveira Rocha. APELADO: Banco Itaucard S/a. ADVOGADO: Luis Felipe Nunes de Araujo. APELAÇÃO CÍVEL

- AÇÃO REVISIONAL DE CONTRATO – SENTENÇA DE IMPROCEDÊNCIA – APELAÇÃO DO AUTOR –

CERCEAMENTO DO DIREITO DE DEFESA – PROVA PERICIAL – DESNECESSIDADE – LIVRE CONVENCIMENTO MOTIVADO – PRESENÇA DE PROVAS DOCUMENTAIS APTAS AO JULGAMENTO DA CAUSA – MANUTENÇÃO DA SENTENÇA – DESPROVIMENTO DO APELO. A necessidade de realizar a produção de provas deve ser sopesada pelo magistrado de forma prudente. Havendo elementos suficientes para formar o seu convencimento ou envolvendo a matéria apenas questões de direito, não há razão para novas provas, não caracterizando violação ao princípio basilar da ampla defesa (inciso LV do artigo 5º da Constituição Federal) o julgamento do processo no estado em que se encontra. NEGAR PROVIMENTO AO APELO.

APELAÇÃO N° 0002460-90.2015.815.021 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Francisco de Assis Alves. ADVOGADO: Paulo Cesar Conserva. APELADO: Municipio de Itaporanga. ADVOGADO: Francisco Valeriano Ramalho. APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DE COBRANÇA DE DIFERENÇAS DE VENCIMENTOS - LEI REGULAMENTADORA DA CATEGORIA EDITADA PELO MUNICÍPIO DE ITAPORANGA - PRETENSÃO DE INCORPORAÇÃO DO ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO - AUSÊNCIA DE DIREITO ADQUIRIDO AO REGIME JURÍDICO ANTERIOR - GRATIFICAÇÃO COMPLEMENTAR PROVISÓRIA - HIPÓTESE RESTRITA À NECESSIDADE DE INTEGRAÇÃO DO SALÁRIO A FIM DE MANTER A IRREDUTIBILIDADE - SERVIDORA QUE NÃO TEVE DECRÉSCIMO EM SEU VENCIMENTO BASE - REGRAMENTO APLICÁVEL - LEI ESPECÍFICA PARA O MAGISTÉRIO MUNICIPAL - APLICAÇÃO DO ESTATUTO GERAL DOS SERVIDORES PREVISTAAPENAS EM CASO DE LACUNA - SITUAÇÃO PLENAMENTE REGULADA - ARGUMENTOS RECURSAIS FRÁGEIS - SENTENÇA ESCORREITA NA ANÁLISE DO DIREITO MUNICIPAL - MANUTENÇÃO INTEGRAL - DESPROVIMENTO DO RECURSO. A autora, em razão do cargo que ocupa (professora do ensino fundamental, incluída no grupo ocupacional do magistério público municipal de Itaporanga, art. 2º, fl. 31) submete-se ao regramento específico da categoria, o qual, no caso, é a Lei Complementar Municipal nº. 18/2015, aplicando-se o Estatuto Geral dos servidores apenas em caso de lacuna normativa, o que não se verifica na hipótese discutida. “É da jurisprudência do Supremo Tribunal que não pode o agente público opor, à guisa de direito adquirido, a pretensão de manter determinada fórmula de composição de sua remuneração total, se, da alteração, não decorre a redução dela”.1 Observado que, in casu, a servidora não teve decréscimo em seu vencimento básico, descabe falar em implantação ou restituição da Gratificação Complementar Provisória- GCP, instituída pelo novo Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do magistério municipal de Itaporanga-PB apenas para abarcar a situação em que houver diferença a menor entre a remuneração do enquadramento anterior e a nova remuneração. NEGAR PROVIMENTO AO APELO.

APELAÇÃO N° 0002922-83.2013.815.0351. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria

de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Municipio de Sape, Representado Por Seu Procurador

E Fabio Roneli Cavalcante de Souza. APELADO: Manoel Francisco da Silva. ADVOGADO: Jose Alves da

Silva Neto. APELAÇÃO CÍVEL – AÇÃO DE COBRANÇA – PROCEDÊNCIA PARCIAL – VÍNCULO DEMONSTRADO – NULIDADE DA CONTRATAÇÃO POR AUSÊNCIA DE APROVAÇÃO EM CONCURSO PÚBLICO – PRECEDENTE DO STF JULGADO SOB A SISTEMÁTICA DE REPERCUSSÃO GERAL – RE 705.140/RS – DIREITO AOS DEPÓSITOS DE FGTS, OBSERVADO O PERÍODO TRABALHADO E NÃO PRESCRITO – DECAIMENTO DE SIGNIFICATIVA PARTE DA PRETENSÃO EXORDIAL – HIPÓTESE DE SUCUMBÊNCIA RECÍPROCA – COMPENSAÇÃO DA VERBA ADVOCATÍCIA – POSSIBILIDADE – CONSECTÁRIOS LEGAIS – RE 870.947 – PROVIMENTO PARCIAL DO RECURSO. - É nula a admissão de servidor sem a prévia aprovação em concurso público para função cujo exercício se prolongou ao longo de anos, descaracterizando justificativa de excepcional interesse público (art. 37, IX da CF). - Consoante orientação proclamada pelo STF em sede de repercussão geral (RE 705.140/RS), a contratação declarada nula não gera quaisquer efeitos jurídicos, a não ser o pagamento do saldo de salários (verba não pleiteada) pelo período laborado e dos valores correspondentes aos depósitos de FGTS. - Art. 86 do CPC/15. Se cada litigante for, em parte, vencedor e vencido, serão proporcionalmente distribuídas entre eles as despesas. - Nas condenações impostas à Fazenda Pública, em se tratando de matéria não tributária, os juros de mora correrão, a partir da citação, com índices previstos no art. 1º-F da Lei n. 9.494/97 (observando-se as suas alterações pela MP 2.180-35, de 24.08.2001 e pela Lei n. 11.960, de 30.6.2009). No que pertine à correção monetária, a contar de cada parcela devida, pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E) ao tempo do efetivo pagamento, em razão da decisão do STF no RE 870.947. DAR PROVIMENTO PARCIAL AO APELO.

DIÁRIO DA JUSTIÇA – J OÃO P ESSOA -PB • D ISPONIBILIZAÇÃO : SEGUNDA -

DIÁRIO DA JUSTIÇA – JOÃO PESSOA-PB • DISPONIBILIZAÇÃO: SEGUNDA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2018 PUBLICAÇÃO: TERÇA-FEIRA, 27 DE MARÇO DE 2018

7

APELAÇÃO N° 0003391-95.2014.815.0351. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Lydiane Maria Franca de Sousa. ADVOGADO: Marcos Antonio Inacio da Silva. APELADO: Municipio de Sape. ADVOGADO: Fabio Roneli Cavalcanti de Sousa. APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE COBRANÇA. PAGAMENTO DE “INCENTIVO FINANCEIRO ADICIONAL” A AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE COM BASE EM PORTARIAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE. IMPOSSIBILIDADE. VERBA DESPIDA DE CARÁTER PESSOAL. PRECEDENTES DESTA CORTE DE JUSTIÇA. DESPROVIMENTO

DO RECURSO. As Portarias n. 1.350/2002, n. 3.178/2010, n. 1.599/2011, n. 459/2012, n. 260/2013 e n. 314/ 2014, ao mencionarem o repasse da rubrica “Incentivo Financeiro Adicional”, destina-a diretamente aos municípios,

a fim de que seja utilizada exclusivamente no financiamento das atividades dos Agentes Comunitários de Saúde

(art. 1º, § 3º, Portaria n. 1.1350/2002), independentemente de qualquer caráter de vantagem pessoal ou repasse

a tais servidores. NEGAR PROVIMENTO AO APELO.

APELAÇÃO N° 0004061-65.201 1.815.0731. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Jacare Marina Clube E Renata de Albuquerque Lacerda. ADVOGADO: Sancha Maria F.c.r.alencar. APELADO: Valdeci Moreira Fernandes. ADVOGADO: Marcio Maranhao Brasilino da Silva. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO - ALEGAÇÃO DE OMISSÃO E CONTRADIÇÃO - ACÓRDÃO QUE NEGOU PROVIMENTO AO AGRAVO INTERNO, REJEITOU AS PRELIMINARES DE ILEGITIMIDADE ATIVA E PASSIVA E NEGOU PROVIMENTO AO APELO DA PROMOVIDA - PROVA PERICIAL - APRECIAÇÃO PELO ACÓRDÃO - IMPRATICABILIDADE PELA DESTRUIÇÃO DA EMBARCAÇÃO E PRESENÇA DE OUTROS DOCUMENTOS NOS AUTOS - ILEGITIMIDADES - PROVA DA TITULARIDADE DO AUTOR E RÉ COMO DEPOSITÁRIA DA LANCHA - MÉRITO - RESPONSABILIDADE CIVIL PELO FATO DO SERVIÇO (DEFEITO) - APLICAÇÃO DAS REGRAS DO CDC - RESPONSABILIDADE OBJETIVA DO PRESTADOR DE SERVIÇOS - INDENIZAÇÃO PELOS DANOS MATERIAIS - CRITÉRIO DE FIXAÇÃO POR MEIO DA AVALIAÇÃO - VALOR CONDIZENTE - DECISÃO QUE NÃO APRESENTA QUALQUER FALHA - PREQUESTIONAMENTO - NECESSIDADE DA OCORRÊNCIA DE CONTRADIÇÃO, OMISSÃO OU OBSCURIDADE NA DECISÃO - REDISCUSSÃO DA MATÉRIA JÁ DECIDIDA - REJEIÇÃO. Os Embargos de Declaração, via de regra, prestam- se para o aperfeiçoamento das decisões judiciais, aclarando obscuridades que comprometam a adequada compreensão do julgado, desfazendo contradições entre as proposições que se encontram dentro da decisão ou suprindo omissões que, de fato, tornem incompleta a prestação jurisdicional. São incabíveis os Embargos de Declaração objetivando exclusivamente trazer à rediscussão questões já analisadas no mérito do acórdão. Com efeito, ainda que para efeito de prequestionamento, devem estar presentes um dos três requisitos ensejadores do acolhimento dos embargos de declaração. REJEITAR OS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO.

APELAÇÃO N° 0005020-86.2016.815.001 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Lg Electronics do Brasil Ltda. ADVOGADO: Arabela de Cassia Silva. APELADO: Municipio de Campina Grande. ADVOGADO: Germana Pires de Sa Nobrega Coutinho. APELAÇÃO CÍVEL - EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - DEMANDA EXECUTIVA AJUIZADA PELA FAZENDA PÚBLICA – CONSTITUIÇÃO DE CDA ORIUNDA DE MULTA DO PROCON - SENTENÇA DE REJEIÇÃO DOS EMBARGOS

- NULIDADE DA SANÇÃO E DO PROCESSO ADMINISTRATIVO - PROBLEMAAPRESENTADO EM APARELHO CELULAR – VIOLAÇÃO AO ART. 18 DO CDC – PRODUTO DEFEITUOSO – AUSÊNCIA DE PEÇAS DO PRODUTO - SOLUÇÃO NEGADA – VIOLAÇÃO DE DIREITO FUNDAMENTAL DO CONSUMIDOR –

PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO QUE PERCORREU REGULARMENTE AS DISPOSIÇÕES LEGAIS SOBRE

A MATÉRIA – CONTRADITÓRIO E AMPLA DEFESA ASSEGURADOS – SANÇÃO IMPOSTA COM BASE NO

ART. 57 DO CDC – LEGITIMIDADE - DESPROVIMENTO DO RECURSO APELATÓRIO – MANUTENÇÃO DA SENTENÇA. O Município, através do PROCON, que é órgão integrante do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor, tem atribuição, autonomia e competência para processar, julgar e impor sanções administrativas, inclusive multa, ao fornecedor que cometer conduta infracional às normas de defesa do consumidor. Verifica- se que foi atendido o art. 57 do CDC1, que estabelece os critérios a serem observados pela autoridade administrativa no momento da cominação da multa, destacando-se a gravidade da infração, a vantagem auferida e a condição econômica do fornecedor, legitimando a aplicação da penalidade em montante não inferior a duzentas e não superior a três milhões de vezes o valor da Unidade Fiscal de Referência (Ufir), ou índice equivalente que venha a substituí-lo. NEGAR PROVIMENTO AO APELO.

APELAÇÃO N° 0008223-37.2015.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Banco do Brasil S/a. ADVOGADO: Rafael Sganzerla Durand. APELADO: Jose Alberto Filho. ADVOGADO: Ilza Cilma de Lima. APELAÇÃO. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO. DANOS MORAIS. ABERTURA DE CONTA CORRENTE E EMPRÉSTIMOS BANCÁRIOS. REVELIA DO CORRENTISTA. SERVIÇO BANCÁRIO PRESTADO COM DEFICIÊNCIA. INSTITUIÇÃO BANCÁRIA. CASO FORTUITO INTERNO. RESPONSABILIDADE TRANSMUDADA PARA OBJETIVA. SÚMULA 479 DO STJ. DANO MORAL. REQUISITOS AUTORIZADORES. INDENIZAÇÃO CABÍVEL. QUANTUM INDENIZATÓRIO EQUÂNIME. AUSÊNCIA DE RAZÃO PARAALTERAÇÃO. DESPROVIMENTO DO APELO. Responde a instituição bancária pela reparação do dano moral ao consumidor resultante da abertura de conta-corrente e aquisição de empréstimo, efetivada com a assinatura aposta por terceira pessoa, sem que o correntista tenha dado causa aos serviços, somado ao fato da inscrição da vítima nos cadastros de dados de proteção ao crédito. As

instituições financeiras respondem objetivamente pelos danos gerados por fortuito interno relativo a fraudes

e delitos praticados por terceiros no âmbito de operações bancárias. (STJ - Súmula 479) NEGAR PROVIMENTO AO APELO.

APELAÇÃO N° 0009694-15.2013.815.001 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de

Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Metalurgica Trapp Ltda, Representado Por Seu Procurador

E Alessandro Farias Leite. ADVOGADO: Alberto Campos Catao. APELADO: Municipio de Campina Grande. APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DECLARATÓRIA DE NULIDADE – PROCON - APLICAÇÃO DE MULTA – SENTENÇA DE IMPROCEDÊNCIA - NULIDADE DA SANÇÃO E DO PROCESSO ADMINISTRATIVO - PROBLEMA APRESENTADO EM APARELHO CORTADOR DE GRAMA ELÉTRICO – VIOLAÇÃO AO ART. 18 DO CDC – PRODUTO DEFEITUOSO – COBERTURA DA GARANTIA NEGADA – VIOLAÇÃO DE DIREITO FUNDAMENTAL DO CONSUMIDOR – PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO QUE PERCORREU REGULARMENTE AS DISPOSIÇÕES LEGAIS SOBRE A MATÉRIA – CONTRADITÓRIO E AMPLA DEFESA ASSEGURADOS – SANÇÃO IMPOSTA COM BASE NO ART. 57 DO CDC – LEGITIMIDADE - DESPROVIMENTO DO RECURSO APELATÓRIO – MANUTENÇÃO DA SENTENÇA. O Município, através do PROCON, que é órgão integrante do

Sistema Nacional de Defesa do Consumidor, tem atribuição, autonomia e competência para processar, julgar

e impor sanções administrativas, inclusive multa, ao fornecedor que cometer conduta infracional às normas

de defesa do consumidor. Verifica-se que foi atendido o art. 57 do CDC1, que estabelece os critérios a serem observados pela autoridade administrativa no momento da cominação da multa, destacando-se a gravidade da infração, a vantagem auferida e a condição econômica do fornecedor, legitimando a aplicação da penalidade em montante não inferior a duzentas e não superior a três milhões de vezes o valor da Unidade Fiscal de Referência (Ufir), ou índice equivalente que venha a substituí-lo. Negar provimento ao apelo.

APELAÇÃO N° 0030893-40.2013.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de

Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Seguradora Lider dos Consorcios do E Seguro Dpvat S/a. ADVOGADO: Rostand Inacio dos Santos. APELADO: Luiz Cesar Goncalves de Paiva. ADVOGADO: Wamberto Balbino Sales. APELAÇÃO CÍVEL – AÇÃO DE COBRANÇA DE SEGURO DPVAT – PROCEDÊNCIA PARCIAL

– IRRESIGNAÇÃO – AUSÊNCIA DE DEMONSTRAÇÃO DO NEXO CAUSAL ENTRE O ACIDENTE E A

DEBILIDADE DO AUTOR – DOCUMENTOS SUFICIENTES PARA COMPROVAÇÃO DO LIAME DE CAUSALIDADE – CORREÇÃO MONETÁRIA – TERMO A QUO – DATA DO EVENTO DANOSO – SÚMULA 580 DO STJ – JUROS DE MORA DEVIDOS DESDE A CITAÇÃO - SENTENÇA PARCIALMENTE REFORMADA – APELO PROVIDO EM PARTE. - Ao contrário da tese aventada pelo Apelante, o nexo de causalidade entre o acidente e a debilidade da vítima está satisfatoriamente comprovado nos autos. - Nos termos da Súmula 580 do STJ, “a correção monetária nas indenizações do seguro DPVAT por morte ou invalidez, prevista no § 7º do art. 5º da Lei n. 6.194/1974, redação dada pela Lei n. 11.482/2007, incide desde a data do evento danoso”. DAR PROVIMENTO PARCIAL AO APELO.

APELAÇÃO N° 0059340-04.2014.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Desa. Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti. APELANTE: Estado da Paraiba,rep.p/seu Procurador E Pablo Dayan

Targino Braga. APELADO: Frederick Leonardo dos Santos. ADVOGADO: Dinarte Paulino de Araujo Segundo. AGRAVO INTERNO - DECISÃO QUE DEU PARCIAL PROVIMENTO À REMESSA NECESSÁRIA E À APELAÇÃO

- AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER - CONGELAMENTO DE VALOR PAGO A TÍTULO DE ANUÊNIO DE

MILITAR - PREJUDICIAL DE MÉRITO - PRESCRIÇÃO - RELAÇÃO DE TRATO SUCESSIVO - MATÉRIA SUMULADA PELO STJ - PRAZO PRESCRICIONAL QUE SE RENOVA A CADA MÊS - REJEIÇÃO. Nos termos da Súmula 85 do STJ, “nas relações jurídicas de trato sucessivo em que a Fazenda Pública figure como

devedora, quando não tiver sido negado o próprio direito reclamado, a prescrição atinge apenas as prestações vencidas antes do quinquênio anterior à propositura da ação”. MÉRITO - IMPLANTAÇÃO E PAGAMENTO DO ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO AO SERVIDOR MILITAR SEM O INDEVIDO CONGELAMENTO ALUSIVO APENAS AOS SERVIDORES CIVIS - ART. 12 DA LEI Nº 5.701/93 - CONGELAMENTO POSSÍVEL APENAS A PARTIR DA VIGÊNCIA DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 185/2012, CONVERTIDA NA LEI 9.703/2012 - ALUSÃO AOS MILITARES - SÚMULA 51 DO TJPB - AGRAVO QUE NÃO TRAZ ARGUMENTOS SUFICIENTES

A MODIFICAR OS FUNDAMENTOS DA DECISÃO MONOCRÁTICA - DESPROVIMENTO DO RECURSO. Na

esteira de precedentes desta Corte, os adicionais recebidos pelos militares não poderiam ter sido “congelados”

(transformado em valor nominal fixo) a partir da edição da Lei nº 50/03, como procedido pelo Estado, mas somente a partir da MP 185 de 2012, sendo devida a atualização - para que a referida verba seja paga e “congelada” no valor proporcional ao soldo recebido pelo autor em 25.01.2012, quando da entrada em vigor da Medida Provisória 185/2012 - com a quitação da diferença entre a importância correta e o que foi pago a menor nesse interregno, excluídas as verbas atingidas pela prescrição quinquenal. NEGAR PROVIMENTO AO AGRAVO INTERNO.

Des. Leandro dos Santos

APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO N° 0015496-38.2013.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR:Des. Leandro dos Santos. APELANTE: Estado da Paraiba,rep.p/sua Procuradora Adlany Alves Xavier (01), APELANTE: Wolgrand de Oliveira Pontes (02). ADVOGADO: Erika Patricia Serafim Ferreira Bruns, Oab/pb 17881. APELADO: Os Mesmos. PREJUDICIAL DE MÉRITO. SUSCITADA PELO ESTADO DA PARAÍBA. PRESCRIÇÃO DO FUNDO DE DIREITO. RELAÇÃO DE TRATO SUCESSIVO. REJEIÇÃO. - Concentrando-se a pretensão autoral em receber as diferenças remuneratórias decorrentes de pagamento realizado a menor,

caracterizada está a relação de natureza sucessiva, de modo que a prescrição somente atinge as prestações periódicas, mas não o fundo de direito. REMESSA NECESSÁRIA E APELAÇÕES CÍVEIS. AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER CUMULADA COM COBRANÇA. POLICIAL MILITAR. IMPLANTAÇÃO. ATUALIZAÇÃO DO VALOR DO ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO. PAGAMENTO RETROATIVO. CONTINUIDADE DO RECEBIMENTO. POSSIBILIDADES. SERVIDOR NÃO ALCANÇADO PELO ART. 2º DA LC Nº 50/2003. CONGELAMENTO APENAS

A PARTIR DA VIGÊNCIA DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 185/2012, CONVERTIDA NA LEI Nº 9.703/2012.

UNIFORMIZAÇÃO DE JURISPRUDÊNCIA DESTA CORTE. JUROS DE MORA E CORREÇÃO MONETÁRIA. REFORMA QUE SE IMPÕE. HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS. REDUÇÃO. IMPOSSIBILIDADE. RESPEITO AO PRINCÍPIO DA PROPORCIONALIDADE E DA RAZOABILIDADE. SUCUMBÊNCIA RECÍPROCA POSSIBILIDADE. PROVIMENTO PARCIAL DA REMESSA. PROVIMENTO DA SEGUNDA APELAÇÃO. DESPROVIMENTO DA PRIMEIRA APELAÇÃO. - Diante da ausência de previsão expressa no art. 2º da LC nº 50/ 2003 em relação aos militares, entendo como indevido o congelamento do Adicional por Tempo de Serviço percebido pela Promovente, o qual integra uma categoria diferenciada de servidores. - Após edição da Medida Provisória nº 185/2012, de 25/01/2012, posteriormente convertida na Lei nº 9.703/2012, concebo que a referida

norma, a partir da mencionada data, estendeu o congelamento dos Adicionais e Gratificações para os policiais militares. - “julgou-se procedente o incidente, pela uniformização dos julgamentos, no sentido de que o congelamento

do adicional por tempo de serviço dos militares do Estado da Paraíba, somente passou a ser aplicável a partir da

data da publicação da Medida Provisória nº 185/2012, que ocorreu em 25/01/2012, posteriormente convertida na Lei nº 9.703/2012”. Incidente de Uniformização de Jurisprudência nº 2000728.62.2013.815.0000, julgado em 29.10.2014. - “os juros de mora nas ações contra a Fazenda Pública devem ser calculados com base no índice oficial de remuneração básica e juros aplicados à caderneta de poupança, nos termos da regra do art. 1º-F da Lei 9.494/97, com redação da Lei 11.960/09. Já a correção monetária, por força da declaração de inconstitucionalidade parcial do art. 5º da Lei 11.960/09, deverá ser calculada com base no IPCA, índice que melhor reflete a inflação acumulada do período.” ACORDA a Primeira Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba, por unanimidade, REJEITAR a prejudicial de prescrição. PROVER PARCIALMENTE a Remessa Necessária, PROVER o segundo Apelo; e DESPROVER a primeira Apelação, nos termos do voto do Relator e da certidão de julgamento de fl.100.

APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO N° 0064520-98.2014.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR:Des. Leandro dos Santos. APELANTE: Estado da Paraiba,rep.p/seu Procurador Geral Gilberto

Carneiro da Gama. APELADO: Teogenes Araujo Lima. ADVOGADO: Marcio Henrique Carvalho Garcia, Oab/pb 10200. AÇÃO ORDINÁRIA. POLICIAL MILITAR. RESSARCIMENTO POR PRETERIÇÃO EM PROMOÇÃO. ERRO ADMINISTRATIVO. PROVA DE PREJUÍZO. INCLUSÃO NO QUADRO DE ACESSO EM DATA POSTERIOR

À LISTA LANÇADA. IMPOSSIBILIDADE DE PROMOÇÃO TEMPESTIVA. PROCEDÊNCIA DO PEDIDO.

PROMOÇÃO DO MILITAR PRETERIDO. DEVER DO ESTADO. MANUTENÇÃO DA SENTENÇA. DESPROVIMENTO

DA REMESSA E DO APELO. - (…) Art. 17. O oficial será ressarcido da preterição, desde que seja reconhecido

e) tiver sido prejudicado por erro administrativo. (TJPB; Ap-RN 0075050-

35.2012.815.2001; Terceira Câmara Especializada Cível; Rel. Des. Ricardo Vital de Almeida; DJPB 05/09/2014; Pág. 12 ACORDAM os integrantes da Primeira Câmara Cível do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, por unanimidade, DESPROVER à Remessa Necessária e a Apelação Cível, nos termos do voto do relator e da certidão de julgamento de fls. 145.

o seu direito à promoção, quando: (

)

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N° 0038824-65.201 1.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Des. Leandro dos Santos. EMBARGANTE: Banco Bradesco Financiamentos S/a. ADVOGADO:

Wilson Sales Belchior, Oab/pb 17314-a. EMBARGADO: Sandra Cristina Cardoso Oliveira. ADVOGADO: Helmiton Pereira da Costa, Oab/pb 17314-a. EMBARGOS DECLARATÓRIOS. OMISSÃO, CONTRADIÇÃO, OBSCURIDADE OU ERRO MATERIAL. INOCORRÊNCIA. PREQUESTIONAMENTO. IMPOSSIBILIDADE. REJEIÇÃO. Os Embargos Declaratórios têm por escopo suprir obscuridade, omissão ou contradição no Acórdão, cumprindo ao Embargante apontar, no decisum, onde se apresentam tais defeitos. Não configuradas nenhuma das hipóteses do art. 1.022 do NCPC, os Embargos opostos não merecem acolhimento, pois a Decisão Embargada apenas colide com as

teses apresentadas pela Recorrente. “Esta c. Corte já tem entendimento pacífico de que os embargos declaratórios, mesmo para fins de prequestionamento, só serão admissíveis se a decisão embargada ostentar algum dos vícios que ensejariam o seu manejo – omissão, obscuridade ou contradição” ACORDA a Primeira Câmara Cível

do Tribunal de Justiça da Paraíba, por unanimidade, REJEITAR os Embargos, nos termos do voto do Relator e

da certidão de julgamento de fl. 238.

JULGADOS DA SEGUNDA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL
JULGADOS DA SEGUNDA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL

Des. Luiz Silvio Ramalho Júnior

APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO N° 0029579-15.2013.815.001 1. RELATOR: Des. Luiz Silvio Ramalho Júnior. APELANTE: Municipio de Campina Grande. ADVOGADO: Sylvia Rosado de Sá Nóbrega (oab/pb 12.612). APELADO: Sinelandia Pereira Santos. ADVOGADO: Joseilson Luís Alves (oab/pb 8.933). CONSTITUCIONAL E PROCESSUAL CIVIL. Apelação cível e remessa necessária. Preliminar. Nulidade da sentença recorrida. Julgamento ultra petita. Rejeição. Contrato de Trabalho temporário. Renovação sucessiva. Nulidade. Caráter temporário descaracterizado. Direito ao recolhimento e pagamento de FGTS e saldo de salário. Matéria pacificada. Pronunciamento do STF em sede de repercussão geral. Indevido o pagamento de férias e décimo terceiro salário. Apelação desprovida. Juros de mora e correção monetária. Remessa parcialmente provida, apenas para ajustar os consectários legais. - Considerando que a sentença recorrida foi proferida de acordo com os pedidos constantes na peça de ingresso, não há que se falar em julgamento ultra petita, e por conseguinte, em nulidade do decisum. - A contratação de servidor público após a Constituição Federal de 1988, sem prévia aprovação em concurso público, encontra óbice em seu art. 37, inciso II e §2º, salvo quando se tratar de cargo comissionado criado por lei ou de temporário, para atender à necessidade temporária de excepcional interesse público. - O Supremo Tribunal Federal firmou a orientação jurisprudencial no sentido de que “essas contratações ilegítimas não geram quaisquer efeitos jurídicos válidos, a não ser o direito à percepção dos salários referentes ao período trabalhado e, nos termos do art. 19-A da Lei nº 8.036/90, ao levantamento dos depósitos efetuados no Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS”; -Conforme decidido pelo STF nas ADIs ns. 4.357 e 4.425, bem como no RE n. 870947, apreciado sob o regime de repercussão geral, as verbas devidas pela Fazenda Pública, oriundas de relação jurídica não tributária, devem sofrer a incidência de juros de mora, observado o disposto no art. 1o-F da Lei n. 9.494/97, com os índices estabelecidos pela MP n. 2.180-35,

de 24/08/01, e posteriormente pela Lei n. 11.960/09, de 30/06/09, além de correção monetária, a partir de cada parcela devida, aplicando-se a TR, prevista no art. 1o-F da Lei n. 9.494/97, até 25/03/15, a partir de quando deve incidir o IPCA-E; -Apelação desprovida e remessa parcialmente provida. ACORDA a 2a Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba, à unanimidade, em negar provimento ao recurso apelatório e em dar parcial provimento

à remessa necessária, nos termos do voto do Relator.

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N° 0039831-63.2009.815.2001. RELATOR: Des. Luiz Silvio Ramalho Júnior. EMBARGANTE: Marcela Aragao de Carvalho Costa. ADVOGADO: Marcela Aragão de Carvalho Costa (oab-pb Nº 13.549). EMBARGADO: Sky Brasil Servicos Ltda. ADVOGADO: Alessandra Francisco de Melo Franco (oab-pb Nº 179.209a). EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. OMISSÃO, CONTRADIÇÃO, OBSCURIDADE OU ERRO MATERIAL. INOCORRÊNCIA. INOVAÇÃO RECURSAL. IMPOSSIBILIDADE. MANUTENÇÃO DO DECISUM. REJEIÇÃO DOS EMBARGOS. - Verificando-se que o acórdão embargado solucionou o recurso interposto, apreciando as questões suscitadas no caderno processual de forma devidamente fundamentada, após pormenorizada análise fática e jurídica dos dados constantes nos autos, não há que se cogitar em falha que possa ser sanada por meio de embargos de declaração; - É incabível a inovação recursal em sede de embargos

aclaratórios, quando a questão que se tenta aqui discutir não foi ventilada quando da propositura do recurso de apelação; - A contradição que autoriza os embargos de declaração é do julgado com ele mesmo, jamais a contradição com a lei ou com o entendimento da parte; - Uma vez observado que a parte recorrente se resume

a discutir matéria já abordada e devidamente analisada pelo acórdão impugnado, revela-se inadmissível, na via

do recurso de integração, a modificação do decisum; - Rejeição dos embargos. ACORDA a Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba, rejeitar os embargos de declaração, à unanimidade, nos termos do voto do relator.

JULGADOS DA TERCEIRA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL
JULGADOS DA TERCEIRA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL

Dr(a). João Batista Barbosa

AGRAVO REGIMENTAL N° 0002350-90.2013.815.0331. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. AGRAVANTE: Jose Roberto Gomes da Silva. ADVOGADO: Pollyana Karla Teixeira Almeida (oab/pb 13.767), Luciana Ribeiro Fernandes (oab/pb Nº 14.574) E Outros. AGRAVADO: Bv Financeira S/a. ADVOGADO: Moisés Batista de Souza (oab/sp Nº 149.225), Luis Felipe Nunes Araujo (oab/pb Nº 16.678) E Fernando Luz Pereira (oab/sp Nº 147.020). - AGRAVO INTERNO NA APELAÇÃO - AÇÃO DE REVISÃO CONTRATUAL C/C REPETIÇÃO DE INDÉBITO -

DIÁRIO DA JUSTIÇA – J OÃO P ESSOA -PB • D ISPONIBILIZAÇÃO : SEGUNDA -

DIÁRIO DA JUSTIÇA – JOÃO PESSOA-PB • DISPONIBILIZAÇÃO: SEGUNDA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2018 PUBLICAÇÃO: TERÇA-FEIRA, 27 DE MARÇO DE 2018

8

IMPROCEDÊNCIA - IRRESIGNAÇÃO - CAPITALIZAÇÃO DE JUROS - EXPRESSA PREVISÃO - JUROS SUPERIORES A 12% (DOZE POR CENTO) AO ANO - NÃO CONSTATADA ABUSIVIDADE - POSSIBILIDADE DE UTILIZAÇÃO DA TABELA PRICE - DESPROVIMENTO. “A divergência entre as taxas de juros anual e o duodécuplo da taxa mensal, previstas numericamente no contrato, é suficiente para caracterizar a expressa contratação de capitalização.” (AgRg no AREsp 357.980/DF, Rel. Ministra NANCY ANDRIGHI, TERCEIRA TURMA, julgado em 24/09/2013, DJe 27/09/2013) VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDAM os integrantes da Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, por unanimidade, em negar provimento ao recurso.

AGRAVO REGIMENTAL N° 0003263-82.2001.815.001 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. AGRAVANTE: Estado

da Paraíba, Representado Por Sua Procuradora, Mônica Figueiredo. AGRAVADO: Transcef Rodoviario Ltda. DEFENSOR: Alberto Jorge Dantas Sales. - AGRAVO INTERNO NA APELAÇÃO CÍVEL — EXECUÇÃO FISCAL

— PRESCRIÇÃO INTERCORRENTE — SÚMULA 314 DO STJ E ART. 40 DA LEI Nº 8.630/80 — PROCEDIMENTO

ADOTADO EM OBSERVÂNCIA AOS DITAMES LEGAIS — DESPROVIMENTO. — “Em execução fiscal, não localizados bens penhoráveis, suspende-se o processo por um ano, findo o qual se inicia o prazo da prescrição quinquenal intercorrente.” (Súmula 314, PRIMEIRA SEÇÃO, julgado em 12/12/2005, DJ 08/02/2006, p. 258) VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado, à unanimidade, em negar provimento ao agravo.

AGRAVO REGIMENTAL N° 0013396-13.2013.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. AGRAVANTE: Estado da Paraíba, Representado Por Sua Procuradora, Maria Clara Carvalho. AGRAVADO: Fernando Correia de Melo Filho. ADVOGADO: Alexandre Gustavo Cezar Neves (oab/pb ¿ 14.640) E Outros. - AGRAVO INTERNO NA APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO ORDINÁRIA DE COBRANÇA - CONGELAMENTO DE ANUÊNIOS DE MILITARES ATRAVÉS DA LC Nº 50/2003 - IMPOSSIBILIDADE - CATEGORIA ESPECIAL REGIDA POR ESTATUTO PRÓPRIO - MP Nº 185/12 - ABRANGÊNCIA DOS MILITARES À MESMA FORMA DE PAGAMENTO DO ADICIONAL DOS SERVIDORES CIVIS - MATÉRIA DECIDIDA POR INCIDENTE DE UNIFORMIZAÇÃO DE JURISPRUDÊNCIA NO TJPB - MANUTENÇÃO DA DECISÃO MONOCRÁTICA - DESPROVIMENTO. - Os policiais militares, servidores de regime especial com estatuto próprio, não são abrangidos pelas normas direcionadas aos servidores públicos

civis. - A matéria foi alvo de incidente de uniformização de jurisprudência (processo nº 2000728-62.2013.815.0000, de relatoria do Des. José Aurélio da Cruz, julgado em 10/09/14), no qual “julgou-se procedente o incidente, pela uniformização dos julgamentos, no sentido de que o congelamento do adicional por tempo de serviço dos militares do Estado da Paraíba somente passou a ser aplicável a partir da data da publicação da Medida

Provisória, nº 185/2012, que ocorreu em 25/01/2012, posteriormente convertida na lei nº 9.703/2012

”. VISTOS,

RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado, à unanimidade, em rejeitar a prejudicial de prescrição e negar provimento ao agravo.

AGRAVO REGIMENTAL N° 0021318-27.2014.815.001 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. AGRAVANTE: Estado da Paraíba Por Sua Procuradora Daniele Cristina C. T. de Albuquerque. AGRAVADO: V. R. S. R. Representada Por Sua Genitora Suenia Silva Leite, Representada Por Seu Defensor Alberto Jorge Dantas Sales. - AGRAVO INTERNO NA APELAÇÃO CÍVEL E NA REMESSA NECESSÁRIA. AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER. FORNECIMENTO DE MEDICAMENTO. OBRIGAÇÃO DO PODER PÚBLICO. PROVIMENTO MONOCRÁTICO DO PEDIDO. DIREITO FUNDAMENTAL À SAÚDE. ART. 196 DA CARTA MAGNA. MANUTENÇÃO DA DECISÃO AGRAVADA. DESPROVIMENTO DO AGRAVO INTERNO. -Não há vedação para a concessão de tutelas de

urgência para evitar o perecimento do direito, principalmente, tendo em vista o risco de morte do requerente. - Salta à evidência a necessidade de provimento urgente para a disposição do medicamento à parte autora, como bem consignou o Juízo a quo na decisão que deferiu a tutela antecipada, garantindo o núcleo essencial do direito

à saúde, dignidade e vida da mesma, sendo a medida a menos restritiva da liberdade de conformação da

Administração Pública, dentro das possibilidades fáticas e jurídicas. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos antes identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado, por unanimidade, em negar provimento ao Agravo Interno, nos termos do voto relator.

AGRAVO REGIMENTAL N° 0044169-46.2010.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. AGRAVANTE: Fernando Barbosa de Lima. ADVOGADO: Pollyana Karla Teixeira Almeida (oab/pb 13.767), Luciana Ribeiro Fernandes (oab/ pb Nº 14.574) E Outros. AGRAVADO: Banco Finasa Bmc S/a. ADVOGADO: Ricardo Leite de Melo (oab/pb Nº 14.250). - AGRAVO INTERNO EM APELAÇÃO - AÇÃO DE REVISÃO CONTRATUAL C/C REPETIÇÃO DE INDÉBITO - IMPROCEDÊNCIA - IRRESIGNAÇÃO - CAPITALIZAÇÃO DE JUROS - EXPRESSA PREVISÃO - JUROS SUPERIORES A 12% (DOZE POR CENTO) AO ANO - NÃO CONSTATADA ABUSIVIDADE - POSSIBILIDADE DE UTILIZAÇÃO DA TABELA PRICE E DA COBRANÇA DE IOF - DESPROVIMENTO. “A

divergência entre as taxas de juros anual e o duodécuplo da taxa mensal, previstas numericamente no contrato,

é suficiente para caracterizar a expressa contratação de capitalização.” (AgRg no AREsp 357.980/DF, Rel. Ministra NANCY ANDRIGHI, TERCEIRA TURMA, julgado em 24/09/2013, DJe 27/09/2013) VISTOS, RELATADOS

E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDAM os integrantes da Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, por unanimidade, em negar provimento ao recurso.

AGRAVO REGIMENTAL N° 0045739-33.201 1.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. AGRAVANTE: Luiz Alberto Silva de Sena. ADVOGADO: Júlio Cezar da Silva Batista (oab/pb 14.716). AGRAVADO: Estado da Paraíba Por Seu Procurador Renan de Vasconcelos Neves. - AGRAVO INTERNO NA APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER. MILITAR. PRETERIÇÃO DE PROMOÇÃO. PROCESSO CRIMINAL EM CURSO. SENTENÇA DE IMPROCEDÊNCIA. IRRESIGNAÇÃO. ALEGAÇÃO DE MATÉRIA ESTRANHA AOS AUTOS. OFENSA AO PRINCÍPIO DA DIALETICIDADE. REGULARIDADE FORMAL DO RECURSO NÃO ATENDIDA. REQUISITO DE ADMISSIBILIDADE. INTELIGÊNCIA DO ART. 514, II, DO CPC DE 1973/ART. 932, III DO NCPC. NÃO CONHECIMENTO DO APELO. MANUTENÇÃO DA DECISÃO AGRAVADA. DESPROVIMENTO DO AGRAVO INTERNO. Cabe ao recorrente demonstrar em sua peça recursal, o desacerto das razões de decidir expostas na sentença recorrida, pressuposto indispensável à regularidade formal do recurso de apelação. Desatendido, pois, tal requisito intrínseco, impõe-se o não conhecimento do recurso. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos antes identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado, por unanimidade, em negar provimento ao Agravo Interno, nos termos do voto relator.

AGRAVO REGIMENTAL N° 0063364-75.2014.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. AGRAVANTE: Estado da Paraíba, Representado Por Seu Procurador, Delosmar Domingos de Mendonça Júnior. AGRAVADO: Alberto

Siqueira Cavalcante Filho. ADVOGADO: Ubiratã Fernandes de Souza (oab/pb Nº 11.960) E Outros. - AGRAVO INTERNO NA APELAÇÃO CÍVEL — ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO — CONGELAMENTO — POSSIBILIDADE A PARTIR DA MP Nº 185/2012 (CONVERTIDA NA LEI Nº 9.703/2012) — SÚMULA 51 DO TJPB

— DESPROVIMENTO. — Reveste-se de legalidade o pagamento do adicional por tempo de serviço, em seu

valor nominal, aos servidores militares do Estado da Paraíba tão somente a partir da Medida Provisória nº 185, de 25.01.2012, convertida na Lei Ordinária nº 9.703, de 14.05.2012. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado, à unanimidade, em negar provimento ao agravo.

AGRAVO REGIMENTAL N° 0078032-22.2012.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. AGRAVANTE: Estado da Paraiba,rep.p/seu Procurador Roberto Mizuki. AGRAVADO: Augusta Emilia Alexandre de Brito. ADVOGADO:

Francisco de Andrade Carneiro Neto. - AGRAVO INTERNO NA APELAÇÃO CÍVEL. COBRANÇA. DESVIO DE FUNÇÃO. TÉCNICO EXERCENDO A FUNÇÃO DE AGENTE PENITENCIÁRIO. PAGAMENTO DAS DIFERENÇAS SALARIAIS DEVIDO. SÚMULA 378 DO STJ. JUROS E CORREÇÃO MONETÁRIA. MODIFICAÇÃO. MANUTENÇÃO. DESPROVIMENTO. - “Em que pesem as alegações da edilidade quanto à inexistência de provas do desvio de função, estas não devem prosperar, pois, em momento algum, o estado questionou, com precisão, a existência

do desvio de função, o que se tornou fato incontroverso, nos termos do art. 302, in fine, c/c art. 334, III, ambos do CPC. Ademais, o recorrido trouxe aos autos documentos que comprovaram a sua atuação como agente penitenciário, mas com vencimentos de simples prestador de serviços, com ganhos em valores bem inferiores. Segundo a Súmula nº 378 do STJ, “reconhecido o desvio de função, o servidor faz jus às diferenças salariais decorrentes”. O servidor prejudicado pelo desvio de função será indenizado nos valores correspondentes às diferenças salariais, não importando a decisão em reenquadramento funcional. O desvio de função é ato ilícito, não podendo o judiciário reconhecê-lo para gerar efeitos para o futuro. Caso o desvio persista, deverá o servidor buscar os mecanismos legais para a correção da ilegalidade. A implantação das diferenças salariais, enquanto perdurar o desvio de função, consiste em indenizar fato ainda não ocorrido, o que se revela indevido. O art. 1ºf da Lei nº 9.494/97, alterado pela Lei nº 11.960/09, estabelece que “nas condenações impostas à Fazenda Pública, independentemente de sua natureza e para fins de atualização monetária, remuneração do capital e compensação da mora, haverá a incidência uma única vez, até o efetivo pagamento, dos índices oficiais de remuneração básica e juros aplicados à caderneta de poupança.” logo, após a entrada em vigor da Lei, não podem mais incidir

os juros de 0,5% ao mês, devendo os juros moratórios serem aplicados com base na caderneta de poupança.”

(TJPB; AC 0047135-79.2010.815.2001; Segunda Câmara Especializada Cível; Rel. Des. Oswaldo Trigueiro do Valle Filho; DJPB 14/07/2014; Pág. 12) - Considerando que o agravante não trouxe argumentos novos capazes de modificar os fundamentos que embasaram a decisão agravada, o desprovimento do recurso é medida que se

impõe. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos antes identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado, por unanimidade, em negar provimento ao Agravo Interno, nos termos do voto relator.

AGRAVO REGIMENTAL N° 0107440-58.2012.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. AGRAVANTE: Estado da Paraíba, Representado Por Seu Procurador Felipe de Moraes Andrade. AGRAVADO: Valerio Macedo Duarte. ADVOGADO: Enio Silva Nascimento (oab/pb Nº 11.946) E Outros. - AGRAVO INTERNO EM APELAÇÃO CÍVEL - APELAÇÃO CÍVEL - MILITAR - ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO - PROCEDÊNCIA NA ORIGEM - CONGELAMENTO A PARTIR DA EDIÇÃO DA LEI 9.703/2012 - IRRESIGNAÇÃO - CONGELAMENTO DO ANUÊNIO - POSSIBILIDADE A PARTIR DA MP Nº 185/2012 (CONVERTIDA NA LEI Nº 9.703/2012) - SÚMULA 51 DO TJPB - PROVIMENTO DO AGRAVO INTERNO. - Reveste-se de legalidade o pagamento do adicional por tempo de serviço, em seu valor nominal, aos servidores militares do Estado da Paraíba tão somente a partir da

Medida Provisória nº 185, de 25.01.2012, convertida na Lei Ordinária nº 9.703, de 14.05.2012. VISTOS, RELATADOS

E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDAM os integrantes da Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, por unanimidade, em dar provimento ao recurso.

APELAÇÃO N° 0000667-24.2015.815.0371. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Departamento de Água, Esgotos E Saneamento Ambiental ¿ Daesa. ADVOGADO: Stanley Figueiredo de Lima Holdrado (oab/pb Nº 16.389). APELADO: Joao A Oliveira. ADVOGADO: Giovanni de Oliveira E Abrantes (oab/pb Nº 19.071). - Ação de cobrança. Fornecimento de água, esgoto e saneamento ambiental. Departamento de água e esgoto do Município de Sousa. COBRANÇA DE FATURAS NÃO PAGAS. Exclusão das faturas calculadas por estimativa de consumo. PROCEDÊNCIA PARCIAL. APELAÇÃO CÍVEL. RECONHECIMENTO DE POSSIBILIDADE DE ERRO NA MEDIÇÃO. PEDIDO DE COBRANÇA DAS FATURAS PELA TARIFA MÍNIMA. POSSIBILIDADE. PROVIMENTO. De acordo com entendimento do Superior Tribunal de Justiça, a cobrança de fatura de água deve ser realizada

de acordo com o consumo real, para evitar enriquecimento indevido. No caso em tela, a apelante visa reformar

a sentença que excluiu da condenação as faturas cobradas com base na média de consumo, para que posa

efetuar a cobrança de acordo com a tarifa mínima. Assim, é de se prover o recurso, a fim de evitar que o apelado, beneficiário do serviço, não ofereça a contraprestação devida. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS

os presentes autos acima nominados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado, à unanimidade, em dar provimento ao recurso.

APELAÇÃO N° 0000942-73.2013.815.1201. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista

Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Orlinaldo Vicente de

Lima. ADVOGADO: Humberto de Souza Felix (oab/pb 5.069)

- AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL. PRESCRIÇÃO

QUINQUENAL RECONHECIDA EM SENTENÇA. IRRESIGNAÇÃO. APLICABILIDADE DO CDC. PRAZO PRESCRICIONAL DE CINCO ANOS. INTELIGÊNCIA DO ART. 27 DO CDC. DESPROVIMENTO DO APELO. “Art. 27 – Prescreve em 5 (cinco) anos a pretensão à reparação pelos danos caudados por fato do produto ou do

serviço prevista na Seção 11 deste Capítulo, iniciando-se a contagem do prazo a partir do conhecimento do dano

e de sua autoria”. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDA a

APELADO: Banco Bmg S/a. ADVOGADO: Antonio

de Moraes Dourado Neto (oab/pe 23.255)

Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, a unanimidade, NEGAR PROVIMENTO AO APELO, nos termos do voto do relator.

APELAÇÃO N° 0001020-21.2013.815.031 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Maria das Dores Ramos Leite Silva. ADVOGADO: Damião Guimarães Leite (oab/pb Nº 13.293). APELADO: Municipio de Tavares. ADVOGADO: Manoel Arnóbio de Sousa (oab/pb Nº 10.857). - AÇÃO DE COBRANÇA. SERVIDOR PÚBLICO. PROFESSOR. ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO (QUINQUÊNIO). PAGAMENTO RETROATIVO. PERÍODO DEVIDO NÃO DEMONSTRADO. NÃO COMPROVAÇÃO DOS FATOS CONSTITUTIVOS DO DIREITO. IMPROCEDÊNCIA. APELAÇÃO CÍVEL. MANUTENÇÃO. DESPROVIMENTO. — Embora a apelante tenha comprovado a condição de servidora pública efetiva e tenha admitido a implantação de quinquênio pela Fazenda Pública; não demonstrou o período a que faria jus ao pagamento retroativo nem tampouco a omissão da edilidade em proceder ao enquadramento no respectivo nível funcional, após os cinco anos de efetivo exercício. Simples

alegações genéricas acerca da ausência de pagamento retroativo dos adicionais atribuída à Fazenda Pública, não afasta o ônus da apelante de comprovação dos fatos constitutivos de seu direito.(TJPB - ACÓRDÃO/DECISÃO do Processo Nº 00010360420158150311, 1ª Câmara Especializada Cível, j. em 15-08-2017) VISTOS, RELATADOS

E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, em negar provimento ao recurso.

APELAÇÃO N° 0001790-17.2015.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Banco Aymoré Crédito,

Financiamento E Investimento S/a. ADVOGADO: Wilson Sales Belchior (oab/pb 17.314-a). APELADO: Jose Erick

Candido Gomes. ADVOGADO: Gizelle Alves de Medeiros Vasconcelos (oab/pb 14.708)

APELAÇÃO CÍVEL – AÇÃO DECLARATÓRIA – APELAÇÃO CÍVEL – PRELIMINAR DE INÉPCIA DA INICIAL –

SILOGISMO DOS FATOS NARRADOS – IDENTIDADE – POSSIBILIDADE JURÍDICA DO PEDIDO – CONFIGURAÇÃO

– REJEIÇÃO – PRELIMINAR DE COISA JULGADA – INOCORRÊNCIA – PRELIMINAR DE AUSÊNCIA DE INTERESSE DE AGIR – BINÔMIO UTILIDADE/NECESSIDADE DEMONSTRADO – REJEIÇÃO – PREJUDICIAL DE PRESCRIÇÃO

– PRAZO PRESCRICIONAL DECENAL – PRECEDENTES DO STJ – REJEIÇÃO – COBRANÇA DE JUROS RELATIVOS

À TARIFAS ABUSIVAS – PROCESSO ANTERIOR QUE AS DECLAROU ILEGAIS – NOVO PROCESSO – PLEITO DE

RESTITUIÇÃO DOS JUROS REFLEXOS SOBRE TAIS VALORES – CABIMENTO – ENCARGOSACESSÓRIOS QUE SEGUEM A OBRIGAÇÃO PRINCIPAL – MÁ-FÉ NÃO DEMONSTRADA – DEVOLUÇÃO – FORMA SIMPLES – SENTENÇA MANTIDA – DESPROVIMENTO DO APELO. — Ocorrida a declaração de nulidade de tarifas, em demanda anteriormente proposta, cujo trânsito em julgado já houve, cabível a restituição dos juros sobre elas incidentes, por ocasião da acessoriedade de tais encargos em relação às obrigações principais. VISTOS , relatados e discutidos estes autos da apelação cível em que figuram como partes as acima mencionadas. - ACORDAM , em Terceira Câmara Cível do Egrégio Tribunal de Justiça da Paraíba, à unanimidade, rejeitar as preliminares e a prejudicial de prescrição, e no mérito, negar provimento ao recurso apelatório, nos termos do voto do relator.

- PROCESSUAL CIVIL –

APELAÇÃO N° 0002890-07.2015.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Manoel Severino de Souza. ADVOGADO: Ronaldo Rodrigues Jordão (oab/pb 34.782). APELADO: Município de João Pessoa, Representado Por Sua Procuradora, Marcelle Guedes Brito. - APELAÇÃO CÍVEL — AÇÃO DECLARATÓRIA C/C INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS — ALEGADO EQUÍVOCO NA INDICAÇÃO DO NOME DO AUTOR NA INSCRIÇÃO DA DÍVIDA ATIVA — PRESUNÇÃO DE LEGITIMIDADE DA CDA — AUSÊNCIA DE PROVA DO FATO CONSTITUTIVO DO DIREITO ALEGADO — DESPROVIMENTO. — “A Certidão de Dívida Ativa é título

executivo extrajudicial, dotado de certeza, liquidez e exigibilidade, além da presunção de legalidade, a qual só pode ser afastada por robusta prova em sentido contrário. Não elidida a presunção de veracidade da CDA que lastreou o protesto, incabível a declaração de ilegalidade do protesto e a condenação do Município ao pagamento de danos morais.” (Apelação Cível nº 5004629-64.2016.8.13.0702 (1), 7ª Câmara Cível do TJMG, Rel. Wilson Benevides. j. 25.04.2017, Publ. 04.05.2017). VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba,

à unanimidade, em negar provimento ao recurso apelatório.

APELAÇÃO N° 0003041-98.2014.815.2003. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista

Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Banco Pan S/a. ADVOGADO:

APELADO: Maria Rosa Pereira da Silva. ADVOGADO: Manoel Lopes

- APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE DÉBITO

C/C INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. FRAUDE. FINANCIAMENTO DE VEÍCULO. INSCRIÇÃO EM CADASTRO DE RESTRIÇÃO AO CRÉDITO. PROCEDÊNCIA. IRRESIGNAÇÃO. DEVER DE ZELO DA INSTITUIÇÃO FINANCEIRA. ENDEREÇO DIVERGENTE. DANO MORAL CONFIGURADO. QUANTUM FIXADO COM EQUIDADE. REDUÇÃO INJUSTIFICADA. JUROS DE MORA. MANUTENÇÃO DA SENTENÇA. DESPROVIMENTO. — Apesar de o contrato ter sido feito por terceiro, mediante fraude, é bem de ver que esse fato não tem o condão de afastar a responsabilidade da instituição financeira perante os danos indevidamente causados a pessoas alheias ao negócio. (Apelação Cível nº 20150110543227 (916359), 6ª Turma Cível do TJDFT, Rel. Ana Maria Duarte Amarante Brito. j. 27.01.2016, DJe 02.02.2016) VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, em negar provimento à Apelação Cível, nos termos do voto do relator.

de Macêdo Neto ¿ Oab/pb 7.429

Feliciano Lyra Moura ¿ Oab/pb 21.714-a

APELAÇÃO N° 0013347-59.2012.815.001 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista

Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Elvira de Vasconcelos da

Rocha. ADVOGADO: Marcos Firmino de Queiroz ¿ Oab/pb 10.044

Carlos Eduardo Ferreira Teixeira ¿ Oab/sp 327.026

INEXISTÊNCIA DE DÉBITO C/C INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS E MATERIAIS. EMPRÉSTIMO CONSIGNADO. DESCONTOS INDEVIDOS. PROCEDÊNCIA PARCIAL. IRRESIGNAÇÃO. INCIDÊNCIA DE HONORÁRIOS SOBRE O VALOR DO CONTRATO. IMPOSSIBILIDADE. CONDENAÇÃO EXISTENTE. FIXAÇÃO DE HONORÁRIOS RECURSAIS. REJEIÇÃO. TERMO INICIAL DOS JUROS DE MORA. DATA DO EVENTO DANOSO. SÚMULA 54 DO STJ. PROVIMENTO PARCIAL. — OS JUROS MORATORIOS FLUEM A PARTIR DO EVENTO DANOSO, EM CASO DE RESPONSABILIDADE EXTRACONTRATUAL. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, em dar provimento parcial à Apelação Cível, nos termos do voto do relator.

- APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DECLARATÓRIA DE

APELADO: Banco Bmg S/a. ADVOGADO:

DIÁRIO DA JUSTIÇA – J OÃO P ESSOA -PB • D ISPONIBILIZAÇÃO : SEGUNDA -

DIÁRIO DA JUSTIÇA – JOÃO PESSOA-PB • DISPONIBILIZAÇÃO: SEGUNDA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2018 PUBLICAÇÃO: TERÇA-FEIRA, 27 DE MARÇO DE 2018

9

APELAÇÃO N° 0013837-67.2008.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. RECORRENTE: Iara Sanny Grangeiro de Freitas Remigio. APELANTE: Stefanete de Fatima Ferreira Patricio, APELANTE: Lindberg Borges Guedes. ADVOGADO: José Di Lorenzo Serpa Filho (oab/pb 14.909), ADVOGADO: Ênio Saraiva Leão (oab/pb 15.454) e ADVOGADO: Jocélio Jairo Vieira (oab/pb 5.672). RECORRIDO: Lindberg Borges Guedes, RECORRIDO: Stefanete de Fátima Ferreira Patrício. APELADO: Iara Sanny Grangeiro de Freitas Remigio. ADVOGADO: Ênio Saraiva Leão (oab/pb 15.454), ADVOGADO: Jocélio Jairo Vieira (oab/pb 5.672) e ADVOGADO: José Di Lorenzo Serpa Filho (oab/pb 14.909). - APELAÇÕES CÍVEIS E RECURSO ADESIVO — AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS — OFENSAS NO AMBIENTE DE TRABALHO — CONFIGURAÇÃO DO DANO — PROCEDÊNCIA — IRRESIGNAÇÃO — PRELIMINAR DE ILEGITIMIDADE PASSIVA — REJEIÇÃO — MÉRITO — MANUTENÇÃO — DESPROVIMENTO DOS RECURSOS. - “Art. 186. Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito”. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima relatados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado, por unanimidade, rejeitar a preliminar e, no mérito, negar provimento aos recursos apelatórios e ao recurso adesivo, nos termos do voto do relator.

APELAÇÃO N° 0026145-62.2013.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Heronildo da Silva

Apolinario. ADVOGADO: Hilton Hril Martins Maia. (oab/pb 13.442)

Rafael Sganzerla Durand (oab/pb 211.648-a). - APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO CAUTELAR DE EXIBIÇÃO DE DOCU- MENTOS. EXTINÇÃO DO PROCESSO SEM RESOLUÇÃO DE MÉRITO. IRRESIGNAÇÃO. NECESSIDADE DE PRÉVIO REQUERIMENTO ADMINISTRATIVO. PRESCINDÍVEL. DEMANDA PROPOSTA EM DATA ANTERIOR AO ENTENDIMENTO ATUAL. CAUSA MADURA. JULGAMENTO. PRETENSÃO RESISTIDA. COMPROVAÇÃO. DOCUMENTO COMUM ÀS PARTES. DEVER DE EXIBIÇÃO. REFORMA DA SENTENÇA. PROVIMENTO. – O Superior Tribunal de Justiça, em decisão datada de 02/02/2015 no Recurso Especial nº 1.349.453/MS, Relator Ministro Luis Felipe Salomão, julgado sob a sistemática de Recursos Repetitivos (art. 543-C do Código de Processo Civil de 1973/correspondente art. 1.036 do NCPC), firmou o entendimento de que nas ações cautelares de exibição de documentos, para se configurar a presença do interesse de agir, é necessária a demonstração de

APELADO: Banco do Brasil S/a. ADVOGADO:

relação jurídica entre as partes, a comprovação de prévio pedido à instituição financeira - não atendido em prazo razoável - e o pagamento do custo do serviço, conforme previsão contratual e normatização da autoridade monetária. – Tendo a presente demanda sido ajuizada em data anterior à referida decisão (18/08/2014), o requerimento administrativo era prescindível, conforme dito alhures. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os autos acima identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado,

à unanimidade, em dar provimento à apelação cível.

APELAÇÃO N° 0029416-35.2013.815.001 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Banco Itau S/a. ADVOGADO:

APELADO: Pedro Antonio dos Santos. ADVOGADO: Luiz Bruno

- APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE DÉBITO

C/C INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. EMPRÉSTIMO CONSIGNADO. DESCONTOS INDEVIDOS. PROCEDÊNCIA. IRRESIGNAÇÃO. AUSÊNCIA DE PROVA DA MÁ-FÉ. RESTITUIÇÃO DE FORMA SIMPLES.

CABIMENTO. DANO MORAL CONFIGURADO. QUANTUM FIXADO COM EQUIDADE. REDUÇÃO INJUSTIFICADA. JUROS DE MORA. TERMO INICIAL. RESPONSABILIDADE EXTRACONTRATUAL. SÚMULA 54 DO STJ. PROVIMENTO PARCIAL. — A repetição em dobro somente ocorre se constatada a má-fé na

cobrança, pela instituição financeira, de valores indevidos, inocorrentes na espécie. (

18.2013.8.06.0140, 3ª Câmara Direito Privado do TJCE, Rel. Maria Vilauba Fausto Lopes. j. 26.04.2017) VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, em dar provimento parcial à Apelação Cível, nos termos do voto do relator.

) (Apelação nº 0005746-

Veloso Lucena ¿ Oab/pb 9.821

Wilson Sales Belchior ¿ Oab/pb 17.314-a

APELAÇÃO N° 0042675-44.2013.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Jose Flavio Fonseca. ADVOGADO: Américo Gomes de Almeida (oab/pb Nº 8.424). APELADO: Tim Celular S/a. ADVOGADO: Christianne Gomes da Rocha (oab/pb Nº 17.314-a). - APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO INDENIZATÓRIA. — IRREGULARIDADE REPRESENTAÇÃO PROCESSUAL DO APELADO. CÓPIA DO INSTRUMENTO PROCURATÓRIO. INTIMAÇÃO PARA SANAR A IRREGULARIDADE. INÉRCIA. NÃO CONHECIMENTO DAS CONTRARRAZÕES. MÉRITO. TELEFONIA MÓVEL. PERDA MOMENTÂNEA DE SINAL. FALHA NA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO. MERO

DISSABOR. NÃO CONFIGURAÇÃO DE DANO MORAL. DESPROVIMENTO DO APELO. — “A insuficiência de sinal no serviço de telefonia, embora possa configurar falha na prestação dos serviços por parte da operadora, não caracteriza dano moral indenizável, porque os eventuais transtornos advindos deste problema não possuem

o condão de atingir a esfera psíquica do consumidor, tampouco ocasionar lesão à sua imagem perante a

sociedade.” (TJSC; AC 2015.054546-9; Criciúma; Quarta Câmara de Direito Público; Rel. Des. Jaime Ramos; Julg. 01/10/2015; DJSC 06/10/2015; Pág. 373) VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima

identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba,

à unanimidade, em negar provimento ao apelo.

APELAÇÃO N° 0056708-05.2014.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista

Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Banco do Brasil S/a.

APELADO: Rafael Gomes Feitosa E Silva. ADVOGADO:

- APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE NÃO

FAZER C/C INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. EMPRÉSTIMOS CONSIGNADOS. DESCONTOS EM FOLHA DE PAGAMENTO. DESCUMPRIMENTO. DÉBITOS NA CONTA BANCÁRIA EM VALORES ALEATÓRIOS SUPERIORES AO QUE FOI ACORDADO. IMPOSSIBILIDADE. AUSÊNCIA DE PREVISÃO CONTRATUAL. PROCEDÊNCIA PARCIAL. FALHA NA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO. DEVER DE INDENIZAR CONFIGURADO. DANO MORAL ARBITRADO EM VALOR ELEVADO. NECESSIDADE DE REDUÇÃO. PROVIMENTO PARCIAL. — O fornecedor de serviços responde, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos relativos à prestação dos serviços, bem como por informações insuficientes ou inadequadas sobre sua fruição e riscos. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, em dar provimento parcial à Apelação Cível, nos termos do voto do relator.

ADVOGADO: Rafael Sganzerla Durand ¿ Oab/sp 211.648 Giordanno Loureiro Cavalcanti Grilo ¿ Oab/pb 11.134

APELAÇÃO N° 0061 118-58.2004.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. APELANTE: Município de João

Pessoa, Representado Por Sua Procuradora, Marcele Guedes Brito. APELADO: Boa Ideia Representacoes Ltda.

- EXECUÇÃO FISCAL - PRESCRIÇÃO INTERCORRENTE NÃO CONFIGURADA - PROCESSO ARQUIVADO

PROVISORIAMENTE NOS MOLDES DO ART. 40, § 2º DA LEF - AUSÊNCIA DE INTIMAÇÃO PESSOAL DA FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL - ANULAÇÃO DA SENTENÇA - PROVIMENTO DA APELAÇÃO. - O STJ, por intermédio de sua Primeira Seção, assentou o entendimento de que é indispensável a prévia intimação da Fazenda Pública, credora naquelas demandas, para os fins de reconhecimento da prescrição intercorrente (EREsp 699.016/PE, Primeira Seção, DJe 17/3/2008; RMS 39.241/SP, Segunda Turma, DJe 19/6/2013). VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDA a Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, por unanimidade, dar provimento ao apelo.

CONFLITO DE COMPETÊNCIA N° 0000169-03.2017.815.0000. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides.

SUSCITANTE: Juízo da 1ª Vara de Sucessões da Capital. AUTOR: Tházia Caroline de Medeiros B. Oliveira E

ADVOGADO: Odon Bezerra Cavalcanti Sobrinho (oab/pb N. 5.481). SUSCITADO: Juízo da 2ª Vara Cível

RÉU: Celeide Maria de Araújo E Outros. ADVOGADO: Djânio Antônio Oliveira Dias (oab/pb N. 8.737).

- CONFLITO NEGATIVO DE COMPETÊNCIA. AÇÃO DE NULIDADE DE DOAÇÃO. REMESSA DO FEITO PARA

A VARA DE SUCESSÕES. CONFLITO DE COMPETÊNCIA SUSCITADO. ART. 170 DA LOJE. ROL TAXATIVO.

DOAÇÃO DE PARTE INOFICIOSA. NECESSIDADE DE DILAÇÃO PROBATÓRIA. COMPETÊNCIA DA VARA CÍVEL. CONHECIMENTO DO CONFLITO PARA DECLARAR COMPETENTE O JUÍZO DA 2ª VARA CÍVEL DA CAPITAL. — As matérias não incluídas no rol de competências da respectiva Vara de Sucessões serão processadas e julgadas pelas Varas Cíveis, que possuem competência de caráter residual e geral. Assim, tratando-se o caso dos autos de matéria não afeta à sucessão em si, clarividente a competência do juízo cível. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima identificados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, a unanimidade, em conhecer do conflito, para declarar competente o juízo suscitado (2ª Vara Cível da Capital).

da Capital

Outra

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N° 0004487-61.2009.815.0371. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides.

EMBARGANTE: Município de Sousa. ADVOGADO: Theofilo Danilo Pereira Vieira. EMBARGADO: Eudelia Soares

de Oliveira. ADVOGADO: Aelito Messias Formiga (oab/pb - 5769). - EMBARGOS DE DECLARAÇÃO — ALEGAÇÃO

DE OMISSÃO E CONTRADIÇÃO – PRETENSÃO DE REDISCUSSÃO DE MATÉRIA JÁ ANALISADA — IMPOSSIBILIDADE — AUSÊNCIA DOS PRESSUPOSTOS DO ART. 1.022 DO CPC — REJEIÇÃO. — Tendo o Tribunal apreciado amplamente os temas levantados no recurso e considerados pertinentes ao deslinde da causa, descabe a oposição de Embargos Declaratórios por inexistir a alegada omissão na espécie. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima nominados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado, por unanimidade, em rejeitar os Embargos Declaratórios, nos termos do voto do relator.

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N° 0005472-09.2010.815.001 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides.

EMBARGANTE: Município de Campina Grande, Representado Por Sua Procuradora, Fernanda A. Baltar de

Abreu

DE DECLARAÇÃO. OMISSÕES APONTADAS. INEXISTÊNCIA. PRETENSÃO DE REDISCUSSÃO DE MATÉRIA JÁ ANALISADA. IMPOSSIBILIDADE. AUSÊNCIA DOS PRESSUPOSTOS DO ART. 1022 DO CPC. REJEIÇÃO. Tendo o Tribunal apreciado amplamente os temas levantados no recurso e considerados pertinentes ao deslinde da causa, descabe a oposição de Embargos Declaratórios por inexistir a alegada omissão na espécie. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima nominados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado, por unanimidade, em rejeitar os embargos de declaração.

- EMBARGOS

EMBARGADO: Vera Lucia de Sousa Rocha. ADVOGADO: Vanda de Lima (oab/pb 8.134)

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N° 0008347-10.2014.815.001 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. EMBARGANTE: Praiamar Empreendimentos Turísticos Ltda. ADVOGADO: Grace Christhine de Oliveira Gosson (oab/rn 3.780), Ana Paula Melo do Nascimento (oab/rn 10.736), Gustavo Dias Oliveira (oab/rn 5.800) E Leonardo Bruno Avelino (oab/rn 8.016). EMBARGADO: Vandeilton de Sousa Braz. ADVOGADO: Francisco Pedro da Silva (oab/pb Nº 3.898). - EMBARGOS DE DECLARAÇÃO — OMISSÃO — INOCORRÊNCIA — PRETENSÃO DE REDISCUSSÃO DA MATÉRIA ANALISADA NO ACÓRDÃO — AUSÊNCIA DE VÍCIOS — REJEIÇÃO. — Os embargos de declaração não se prestam à rediscussão das questões debatidas no corpo do édito judicial pelejado. Não servem para a substituição do decisório primitivo. Apenas se destinam a suprir eventuais omissões, contradições ou obscuridades. Inocorrendo tais hipóteses, os declaratórios devem ser rejeitados. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS estes autos antes identificados, - ACORDAM os integrantes da Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, por unanimidade, em rejeitar os Embargos de Declaração.

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N° 0016006-41.2012.815.001 1. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides.

EMBARGANTE: Banco Cruzeiro do Sul S/a. ADVOGADO: Benedicto Celso Benício Júnior ¿ Oab/sp 131896.

EMBARGADO: Jose Serafim da Silva Filho. ADVOGADO: Mário Felix de Menezes ¿ Oab/pb 10.416

DE DECLARAÇÃO. OMISSÃO. PREQUESTIONAMENTO. DESNECESSIDADE DE MENÇÃO A TODOS OS DISPOSITIVOS LEGAIS. REJEIÇÃO. — Os embargos de declaração não se prestam à rediscussão das questões debatidas no corpo do édito judicial pelejado. Não servem para a substituição do decisório primitivo. Apenas se destinam a suprir eventuais omissões, contradições ou obscuridades. Inocorrendo, tais hipóteses, os declaratórios devem ser rejeitados. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS estes autos antes identificados, - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, por unanimidade, rejeitar os embargos de declaração.

- EMBARGOS

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N° 0034476-14.2005.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. EMBARGANTE: Estado da Paraíba, Representado Por Sua Procuradora Mônica Figueiredo. EMBARGADO:

Joubert Guedes da Cunha. - EMBARGOS DE DECLARAÇÃO — PRETENSÃO DE REDISCUSSÃO DE MATÉRIA JÁ ANALISADA — IMPOSSIBILIDADE — AUSÊNCIA DOS PRESSUPOSTOS DO ART. 1.022 DO CPC — REJEIÇÃO. Tendo o Tribunal apreciado amplamente os temas levantados no recurso e considerados pertinentes ao deslinde da causa, descabe a oposição de Embargos Declaratórios por inexistir a alegada omissão na espécie. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima nominados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado, por unanimidade, rejeitar os Embargos, nos termos do voto do relator.

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N° 0042210-35.2013.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides.

EMBARGADO:

- EMBARGOS DE

DECLARAÇÃO. CONTRADIÇÕES APONTADAS. INEXISTÊNCIA. PRETENSÃO DE REDISCUSSÃO DE MATÉRIA JÁ ANALISADA. IMPOSSIBILIDADE. AUSÊNCIA DOS PRESSUPOSTOS DO ART. 1022 DO CPC. REJEIÇÃO. Tendo o Tribunal apreciado amplamente os temas levantados no recurso e considerados pertinentes ao deslinde da causa, descabe a oposição de Embargos Declaratórios por inexistir a alegada omissão na espécie. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima nominados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado, por unanimidade, em rejeitar os embargos de declaração.

José Luciano Sobrinho

EMBARGANTE: Banco Itaucard S/a

ADVOGADO: Antônio Braz da Silva (oab/pb Nº 12.450-a)

ADVOGADO: Danilo Caze Braga da Costa Silva (oab/pb Nº 12.236)

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N° 0055144-88.2014.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. EMBARGANTE: Unimed João Pessoa ¿ Cooperativa de Trabalho Médico. ADVOGADO: Hermano Gadelha de Sá (oab/pb Nº 8463) E Leidson Flamarion Torres (oab/pb Nº 13.040). EMBARGADO: Espolio de Arquimedes Vilar

Souto Maior Representado Por Seus Herdeiros. ADVOGADO: Marcos Antonio Inácio da Silva (oab/pb Nº 4.007).

- EMBARGOS DE DECLARAÇÃO - OMISSÃO - INOCORRÊNCIA - PRETENSÃO DE REDISCUSSÃO DA

MATÉRIA ANALISADA NO ACÓRDÃO - AUSÊNCIA DE VÍCIOS - REJEIÇÃO. - Os embargos de declaração não se prestam à rediscussão das questões debatidas no corpo do édito judicial pelejado. Não servem para a substituição do decisório primitivo. Apenas se destinam a suprir eventuais omissões, contradições ou obscuridades. Inocorrendo tais hipóteses, os declaratórios devem ser rejeitados. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS estes autos antes identificados, - ACORDAM os integrantes da Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, por unanimidade, em rejeitar os Embargos de Declaração.

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N° 0099239-77.2012.815.2001. ORIGEM: GAB. DO DES. RELATOR. RELATOR: Dr(a). Joao Batista Barbosa, em substituição a(o) Des. Saulo Henriques de Sá Benevides. EMBARGANTE: Agecef ¿ Associação dos Gerentes da Caixa Econômica Federal. ADVOGADO: Clóvis Souto Guimarães Júnior(oab/pb 16.354). EMBARGADO: Claro S/a. ADVOGADO: Cícero Pereira de Lacerda Neto (oab/ pb 15.401). - EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. OMISSÃO NO ACÓRDÃO ANÁLISE DE DOCUMENTOS DOS AUTOS. PROVA DO DANO MORAL. PRETENSÃO DE REDISCUSSÃO DE MATÉRIA JÁ ANALISADA. IMPOSSIBILIDADE. AUSÊNCIA DE OMISSÃO NESTA PARTE. APRECIAÇÃO DE CAMPO ESPECÍFICO NA FATURA. OMISSÃO OCORRIDA. ANÁLISE NOS EMBARGOS. NÃO COMPROVAÇÃO DO PAGAMENTO A MAIOR. ACOLHIMENTO PARCIAL DOS EMBARGOS SEM EFEITOS INFRINGENTES. Pois bem. Numa análise detida das faturas, verifica-se que de fato, em algumas constam o valor pago referente a fatura do mês anterior, todavia somando o débito total cobrado pela operadora de telefonia e aquele efetivamente pago pelo promovente não se verifica excesso, pelo que é indevida a restituição. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos acima nominados. - ACORDA a Egrégia Terceira Câmara Cível do Colendo Tribunal de Justiça do Estado, por unanimidade, em acolher parcialmente os embargos, sem efeitos infringentes, nos termos do voto do relator.

JULGADOS DA QUARTA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL
JULGADOS DA QUARTA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL

Des. João Alves da Silva

APELAÇÃO N° 0003506-28.2014.815.0251. ORIGEM: 5ª VARA DA COMARCA DE PATOS. RELATOR: Des.

João Alves da Silva. APELANTE: Estado da Paraíba, Pelo Procurador Renan de Vasconcelos Neves. APELADO:

Deonisia Leonisia de Assis Neta. ADVOGADO: Francisco de Assis Camboim 3998. JUÍZO DE RETRATAÇÃO. INVOCAÇÃO DO RECURSO EXTRAORDINÁRIO N. 765.320/MG. CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA NULA. DIREITO

A SALDO DE SALÁRIO E FGTS, APENAS. NÃO INCIDÊNCIA DO PRECEDENTE NO CASO. PECULIARIDADE.

RENOVAÇÃO SUCESSIVA DO CONTRATO, O QUE RECLAMA ADOÇÃO DE SOLUÇÃO DIVERSA. GARANTIA

DE DIREITOS SOCIAIS, SOB PENA DE ENRIQUECIMENTO SEM CAUSA DO ESTADO. JULGADOS DA CORTE SUPREMA. MANUTENÇÃO DO DECISUM. NECESSÁRIO DISTINGUISHING. - Ainda consagrada, no STF, a tese de que “A contratação por tempo determinado para atendimento de necessidade temporária de excepcional interesse público realizada em desconformidade com os preceitos do art. 37, IX, da Constituição

]

ao levantamento dos depósitos efetuados no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS”, a mesma

resulta inaplicável quando se trata de caso de contrato nulo renovado sucessivamente, em que o STF já referendou a extensão dos direitos sociais, sob pena de enriquecimento sem causa. - Destarte, o raciocínio incidente in casu reclama a invocação do entendimento do STF segundo o qual “é devida a extensão dos direitos sociais previstos no art. 7º da Constituição Federal a servidor contratado temporariamente, nos moldes do art. 37, inciso IX, da referida Carta da República, notadamente quando o contrato é sucessivamente renovado” (AI 767.024-AgR, Rel. Min. DIAS TOFFOLI, Primeira Turma, 24.4.2012). ACORDA a 4ª Câmara Especializada Cível do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, por unanimidade, manter o Acórdão, nos termos do voto do relator, integrando a decisão a súmula de julgamento de fl. 229.

e

Federal não gera quaisquer efeitos jurídicos válidos [

],

com exceção do direito à percepção dos salários [

[

]

RECURSO ADMINISTRATIVO N° 0001035-45.2016.815.0000. ORIGEM: TRIBUNAL DE JUSTIÇA. RELATOR: Des. João Alves da Silva. RECORRENTE: Alberto da Silva Higino. ADVOGADO: Theles Bustorff Feodrippe de O. Martins ¿ Oab/pb Nº19.532. RECORRIDO: Corregedoria Geral de Justica. RECURSO ADMINISTRATIVO. RECLAMAÇÃO DISCIPLINAR. VIOLAÇÃO AOS DEVERES FUNCIONAIS DA MAGISTRATURA. PROCEDIMENTOS INCOMPATÍVEL COM A DIGNIDADE, HONRA E DECORO DE SUAS FUNÇÕES. SUPOSTA INFLUÊNCIA EM SINDICÂNCIA INSTAURADA NA POLÍCIA MILITAR CONTRA O RECLAMANTE. NÃO DEMONSTRAÇÃO. AMEAÇAS PROFERIDAS CONTRA O REPRESENTANTE. DESENTENDIMENTO ENTRE OS DEMANDANTES. AMEAÇAS MÚTUAS TOMADAS EM MOMENTO DE EXALTAÇÃO, SOB O CALOR DA DISCUSSÃO. AUSÊNCIA DE ÂNIMO CALMO E REFLETIVO. CONJUNTO PROBATÓRIO INCAPAZ DE DEMONSTRAR A PRÁTICA DE CONDUTA TÍPICA DE ORDEM DISCIPLINAR. MANUTENÇÃO DO ARQUIVAMENTO DETERMINADO PELO ÓRGÃO CENSOR. DESPROVIMENTO DO RECURSO. - Para que seja considerada a existência de uma ameaça, necessário que o mal seja certo, verossímil e iminente, não

DIÁRIO DA JUSTIÇA – J OÃO P ESSOA -PB • D ISPONIBILIZAÇÃO : SEGUNDA -

DIÁRIO DA JUSTIÇA – JOÃO PESSOA-PB • DISPONIBILIZAÇÃO: SEGUNDA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2018 PUBLICAÇÃO: TERÇA-FEIRA, 27 DE MARÇO DE 2018

10

devendo ser levada em consideração a formulada com bravo ânimo, em meio a discussão, sob o domínio de cólera passageira, desabafo ou bravata, sequer causando temor ao representante. - Por mais que pareça ser legítima a atuação da corregedoria na aplicação de sanções sobre atos praticados fora do exercício funcional, não se pode perder de vista que o magistrado, como qualquer um, é livre para manifestar seu pensamento, consciência, crença, expressão da atividade intelectual e inviolabilidade de sua intimidade, vida privada e honra, assim como disposto no art. 5º da Constituição Federal. Nesse panorama, não se pode tolher a vida privada dos magistrados e sua independência, sujeitando-se todos seus atos à apreciação dos órgãos censores, notadamente quando não praticados no exercício do dever funcional ou com reflexos na sua atividade. ACORDA o Plenário do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, por unanimidade, negar provimento ao recurso, mantendo-se o arquivamento, nos termos do voto do Relator, integrando a presente decisão a súmula de julgamento de fl. 623.

JULGADOS DA CÂMARA ESPECIALIZADA CRIMINAL
JULGADOS DA CÂMARA ESPECIALIZADA CRIMINAL

Des. Arnóbio Alves Teodósio

APELAÇÃO N° 0000791-75.2013.815.0371. RELATOR: Des. Arnóbio Alves Teodósio. APELANTE: Francisco Jailson de Oliveira. ADVOGADO: João Paulo Estrela E José Rijalma de Oliveira Júnior. APELADO: Justica Publica Estadual. APELAÇÃO CRIMINAL. Violência doméstica. Art. 129, § 9º, do Código Penal. Materialidade e autoria constatadas. Condenação. Irresignação. Ausência de provas suficientes para imputação delituosa. In dubio pro reo. Absolvição. Impossibilidade. Cotejo probatório firme, coeso e extreme de dúvidas Manutenção da sentença. Desprovimento do apelo. – Apesar de minimizar os danos físicos sofridos, a vítima demonstrou ter sido de alguma forma substancialmente agredida pelo seu cônjuge, sendo a reconciliação do casal em momento posterior ao fato criminoso mero evento que não retira o caráter de ilicitude do que se constatou, inclusive, atestado através de laudo de constatação de ferimento/ofensa física, no qual se registrou “presença de edema em face lateral direita da testa e em ombro”. – O tipo penal do art. 129, § 9º, do CP, resta plenamente configurado, pois sobejam provas não só da materialidade como também da autoria delitiva, desmerecendo a tese de absolvição com aplicação do princípio do in dubio pro reo, pois não pairam dúvidas acerca da condenação objeto do presente recurso. Vistos, relatados e discutidos estes autos acima identificados. Acorda a Câmara Criminal do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO APELO, em harmonia com o parecer ministerial.

APELAÇÃO N° 0000943-66.2015.815.0141. RELATOR: Des. Arnóbio Alves Teodósio. APELANTE: Jonathan Conceição Santos. DEFENSOR: Teresinha de Jesus Medeiros Ugulino Severo. APELADO: Justica Publica Estadual. APELAÇÃO CRIMINAL. TRÁFICO ILÍCITO DE DROGAS. Art. 33, caput, da Lei nº 11.343/2006. Irresignação com a dosimetria fixada na sentença. Pretendidas a exclusão da agravante da reincidência e a aplicação da atenuante da menoridade. Necessidade. Inexistência de condenação com o trânsito em julgado e

réu menor de 21 anos na data do fato. Reconhecimento da causa de diminuição prevista no § 4º da Lei de Entorpecentes. Possibilidade. Abrandamento do regime prisional e substituição por restritivas de direitos. Viabilidade. Recurso conhecido e provido parcialmente. – No caso faz-se necessária a exclusão da agravante da reincidência, tendo em vista que inexiste condenação transitada em julgado anteriormente ao crime, bem como forçosa a aplicação da atenuante da menoridade, já que o apelante, na data do fato, era menor de 21 (vinte e um) anos. – Outrossim, a valoração negativa das circunstâncias do crime e a vida pregressa do sentenciado, impede a aplicação da causa especial de diminuição de pena prevista no § 4º do art. 33 da Lei 11.343/2006. – O condenado não reincidente, cuja pena seja superior a 4 (quatro) anos e não exceda a 8 (oito), poderá, desde o princípio, cumpri-la em regime semiaberto, a teor do disposto no art. 33, § 2º, “b”, do Código Penal. Vistos, relatados e discutidos os estes autos acima identificados. Acorda a Câmara Criminal do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, em conhecer e DAR PARCIAL PROVIMENTO AO APELO, para redimensionar

a pena de Joanathan Conceição Santos ao patamar de 06 (SEIS) anos E 06 (SEIS) meses de reclusão, no regime inicial SEMIaberto, em harmonia em parte com o parecer ministerial.

APELAÇÃO N° 0001595-84.2013.815.0131. RELATOR: Des. Arnóbio Alves Teodósio. APELANTE: Francisco Felipe da Silva. ADVOGADO: Francisco Pereira Bezerra. APELADO: Justica Publica Estadual. APELAÇÃO

CRIMINAL. ROUBO MAJORADO E CORRUPÇÃO DE MENOR. Art. 157, §2º, incisos I e II do CP e art. 244-B da Lei 8.069/90. Condenação. Autoria e materialidade comprovadas. Condenação mantida. Concorrência para a infração penal. Relevância da conduta. Participação de menor importância. Inocorrência. Pleito de desclassificação para constrangimento ilegal. Incabível. Pedido de desclassificação para sua forma tentada. Inadmissibilidade. Recurso desprovido. - Mantém-se a condenação do réu pelo delito de roubo majorado, quando restar comprovado pelas declarações firmes e coesas dos policiais militares e de testemunhas de que ele concorreu para a sua execução. - Provado que o réu contribuiu de modo relevante para a consumação do crime de roubo, anunciando

o assalto, com uma arma de fogo em punho, enquanto que o menor, com uma faca, pegava o dinheiro do caixa

do supermercado e o celular da vítima, tendo estes, após a subtração, subido na moto e partido em fuga, não há que se falar em participação de menor importância. - Incabível a desclassificação do crime de roubo majorado para o de constrangimento ilegal, uma vez que o apelante, após grave ameaça, subtraiu determinada quantia em dinheiro e o telefone da vítima. - A consumação do crime de roubo se dá pela simples inversão da posse material da coisa, ainda que por breve tempo, pouco importando se tranquila, podendo haver, inclusive, retomada da coisa em virtude de perseguição imediata, o que ocorreu in casu. Vistos, relatados e discutidos estes autos acima identificados. ACORDA a Câmara Criminal do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, em conhecer e NEGAR PROVIMENTO AO APELO, em harmonia com o parecer ministerial.

APELAÇÃO N° 0002503-60.2002.815.0121. RELATOR: Des. Arnóbio Alves Teodósio. APELANTE: Jose Dier Bezerra. ADVOGADO: Ana Erika Magalhaes Gomes. APELADO: Justica Publica. APELAÇÃO CRIMINAL. PRESCRIÇÃO RETROATIVA. Ocorrência. Prazo prescricional regulado pela pena aplicada na sentença. Transcurso do lapso temporal previsto no art. 109, III, do CP. Extinção da punibilidade. Provimento do recurso. – Após o trânsito em julgado da sentença penal condenatória para a acusação, a prescrição é regulada pela pena efetivamente aplicada. – Ocorrida a prescrição da pretensão punitiva, resta extinta a punibilidade do agente, nos termos do art. 107, IV, do CP. Vistos, relatados e discutidos estes autos acima identificados. Acorda a Câmara Criminal do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, em DAR PROVIMENTO À APELAÇÃO PARA DECLARAR EXTINTA A PUNIBILIDADE DE JOSÉ DIER BEZERRA, EM DECORRÊNCIA DA PRESCRIÇÃO RETROATIVA.

RELATOR: Des. Arnóbio Alves Teodósio. APELANTE: Lucas Gomes

de Oliveira. ADVOGADO: Thiago Santos Barboza. APELADO: Justica Publica Estadual. APELAÇÃO CRIMINAL. ROUBO QUALIFICADO EM CONCURSO FORMAL. arts. 157, § 2°, inciso II, c/c 70 do CP. Pleito absolutório. Inadmissibilidade. Autoria e materialidade evidenciadas. Conjunto probatório harmônico. Redução da pena-base. Impossibilidade. Quantum aplicado no mínimo cominado ao tipo. Alteração de regime inicial de cumprimento de pena. Descabimento. Pena superior a quatro anos. Dosimetria em obediência ao critério trifásico. Desprovimento do apelo. - Descabe o pedido de absolvição, fundado em insuficiência de provas de participação do réu no delito, se comprovadas a materialidade e autoria, através dos Autos de Prisão em Flagrante, de Apresentação e Apreensão, corroborado com a oitiva das vítimas e depoimentos testemunhais. - Não há que se falar em desfundamentação da sentença, vez que in casu, encontra-se lastreada no conteúdo probatório, tendo as penas sido dosadas de modo correto, - dentro do critério da discricionariedade juridicamente vinculada - observando-se

o critério trifásico estipulado no artigo 68 do Código Penal pátrio, respeitando o art. 93, IX, do Missal Maior Pátrio.

APELAÇÃO N° 0002627-03.2014.815.2003.

- Fixada a reprimenda final do sentenciado em patamar superior a quatro (quatro) anos de reclusão, descabida alteração do regime inicial de cumprimento de pena para o aberto. Vistos, relatados e discutidos os autos acima identificados. Acorda a Câmara Criminal do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, NEGAR PROVIMENTO AO APELO, em harmonia com o parecer ministerial.

APELAÇÃO N° 0016519-04.2015.815.001 1. RELATOR: Des. Arnóbio Alves Teodósio. APELANTE: Pablo Silva Costa. ADVOGADO: Rafael Siqueira Lima Rabelo. APELADO: Justica Publica. APELAÇÃO CRIMINAL. PORTE ILEGAL DE ARMA DE FOGO DE USO PERMITIDO EM CONCURSO MATERIAL. Art. 14 da Lei 10.826/03

(“adquirir” e “portar”) c/c o art. 69 do Código Penal. Irresignação defensiva. Pleito de reconhecimento de crime único. Possibilidade. Pena readequada. Recurso provido. - Sendo induvidoso o porte da arma por parte do acusado, a manutenção da condenação é a medida que se impõe. - Todavia, embora o agente possa ter praticado uma ou mais condutas previstas no art. 14, caput, da Lei nº 10.826/03, por se tratar de tipo penal misto alternativo, comete apenas um único crime. Ademais, não restou demonstrado nos autos que o acusado adquiriu

a arma em momento anterior. Vistos, relatados e discutidos estes autos acima identificados. ACORDA a Câmara

Criminal do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, em conhecer e DAR PROVIMENTO AO RECURSO, para reconhecer a hipótese de crime único, afastando a condenação pela conduta de “adquirir” arma de fogo narrada na denúncia, resultando o apelante Pablo Silva Costa condenado como incurso, por uma vez, no art. 14, caput, da Lei nº 10.826/03, à pena de 02 (dois) anos de reclusão, em regime aberto, além do pagamento de 10 dias-multa, à razão unitária de 1/30 do salário mínimo vigente à época do fato, substituída a

pena privativa de liberdade por duas restritivas de direitos, consistentes em prestação de serviços à comunidade

e limitação de fim de semana.

APELAÇÃO N° 0027083-23.2007.815.001 1. RELATOR: Des. Arnóbio Alves Teodósio. APELANTE: Daniel Alison Marinho de Macena. DEFENSOR: Odinaldo Espínola. ADVOGADO: Márcio Sarmento Cavalcanti. APELADO:

Justica Publica Estadual. APELAÇÃO CRIMINAL. ROUBO QUALIFICADO EM CONCURSO FORMAL. Arts. 157, § 2º, incisos I e II c/c 70, caput, todos do CP. Pleito absolutório. Inadmissibilidade. Autoria e materialidade evidenciadas. Conjunto probatório harmônico. Alegada exacerbação da reprimenda. Inviabilidade. Quantum ajustado ao caso concreto. Regime inicial fechado para o semiaberto. Impossibilidade. Circunstância judicial desfavorável. Apelo conhecido e desprovido. - Descabe o pedido de absolvição, fundado em insuficiência de provas de participação do réu no delito, se comprovadas a materialidade e autoria, através dos Autos de Prisão

em Flagrante, de Apresentação e Apreensão, corroborado com a oitiva das vítimas e depoimentos testemunhais.

- Não se vislumbra na pena cominada para o apelante exacerbação injustificada a merecer retificação nesta

instância, uma vez que o quantum, fixado abaixo da média aritmética prevista para o crime de roubo qualificado,

foi

dosado após escorreita análise das circunstâncias judiciais e em obediência ao sistema trifásico, apresentando-

se

ajustado à reprovação e à prevenção delituosas. - Descabida a mudança de regime fechado para o semiaberto

diante das particularidades do caso e da circunstância judicial desfavorável, a teor do art. 33, § 3° do CP. Vistos, relatados e discutidos os autos acima identificados. Acorda a Câmara Criminal do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, NEGAR PROVIMENTO AO APELO, em harmonia com o parecer ministerial.

Des. Carlos Martins Beltrão Filho

APELAÇÃO N° 0000137-92.2015.815.0541. ORIGEM: Vara Única da Comarca de Pocinhos/PB. RELATOR: Des. Carlos Martins Beltrão Filho. APELANTE: Jose Carlos Tome de Araujo. ADVOGADO: Bismarck Martins de Oliveira. APELADO: Justica Publica. APELAÇÃO CRIMINAL. COMÉRCIO ILEGAL DE ARMAS DE FOGO (AR T. 17 DA LEI Nº 10.826/2003). CONDENAÇÃO. ABSOLVIÇÃO PLEITEADA. NÃO CABIMENTO. AUTORIA CERTA. MATERIALIDADE COMPROVADA. TESTEMUNHOS DE POLICIAIS. VALIDADE. PEDIDO ALTERNATIVO DA DEFESA NO SENTIDO DE DESCLASSIFICAR A CONDUTA PARA AQUELA PREVISTA NO ART. 12 DA LEI Nº 10.826/2003. DESPROVIMENTO DO RECURSO. 1. Não há que se falar em absolvição se comprovadas a

autoria e a materialidade do delito, mormente quando a condenação se apoia em provas firmes apuradas durante

a instrução e sob o manto do contraditório. 2. Os depoimentos dos policiais que participaram da prisão em flagrante do acusado têm valor probatório, porquanto coesos, harmônicos e consonantes com os demais

elementos carreados aos autos, aptos, portanto, para lastrear a condenação. 3. O delito de comércio ilegal de armas se aperfeiçoa com a prática de qualquer dos núcleos do tipo penal. 4. Restando provado nos autos que

o apelante exercia comércio de munições, inclusive, com confissão, ainda que extrajudicial, não cabe falar em desclassificação para o delito de posse de munição, previsto no art. 12 da Lei nº 10.826/2003. ACORDA a Egrégia Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, em negar provimento ao recurso, em harmonia com o parecer.

APELAÇÃO N° 0000472-02.2016.815.0081. ORIGEM: Comarca de Bananeiras/PB. RELATOR: Des. Carlos Martins Beltrão Filho. APELANTE: Jose Batista Soares. ADVOGADO: Fernando Macedo de Araujo. APELADO: Justica Publica. APELAÇÃO. CRIME DE AMEAÇA. VIOLÊNCIA DOMÉSTICA. LEI MARIA DA PENHA. PROVA TESTEMUNHAL. AUTORIA E MATERIALIDADE COMPROVADAS. SENTENÇA CONDENATÓRIA. RECURSO. PEDIDO DE ABSOLVIÇÃO. PROVA PRECÁRIA. ACERVO SUFICIENTE. PALAVRA DA VÍTIMA. NARRAÇÃO

SEGURA DOS FATOS. MANUTENÇÃO. DESPROVIMENTO. Havendo nos autos provas suficientes das ameaças proferidas pelo acusado, consubstanciado na palavra da vítima, que constitui elemento suficiente para demonstrar

a autoria delitiva, inexiste outro caminho senão impor a condenação, com o rigor necessário que a lei exige.

Apesar de não haver confissão por parte do recorrente, o crime disposto no art. 147 do CP encontra-se devidamente demonstrado no caderno processual, de modo a afastar a tese sustentada pela defesa, em suas razões recursais. Tratando-se de violência doméstica em âmbito familiar contra a mulher, a palavra da vítima ganha especial relevo, porquanto tais delitos são praticados, comumente, na esfera da convivência íntima e em situação de vulnerabilidade, sem que sejam presenciados por outras pessoas. ACORDA a Egrégia Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, a unanimidade, NEGAR PROVIMENTO ao apelo, em harmonia com o parecer da Procuradoria de Justiça.

APELAÇÃO N° 0000741-07.2004.815.0681. ORIGEM: Comarca de Prata/PB. RELATOR: Des. Carlos Martins Beltrão Filho. APELANTE: Claudeni da Silva Morais, Conhecido Como ¿deni¿. ADVOGADO: Henrique Marcula Lima. APELADO: Justica Publica. APELAÇÃO CRIMINAL. DOS CRIMES CONTRA A VIDA. JÚRI. TENTATIVA DE HOMICÍDIO E HOMICÍDIO CONSUMADO. DUAS VÍTIMAS. DECISÃO DESCLASSIFICATÓRIA PELO CONSELHO DE SENTENÇA. IRRESIGNAÇÃO DEFENSIVA. SENTENÇA DO JUIZ-PRESIDENTE CONTRÁRIA

À LEI EXPRESSA OU À DECISÃO DOS JURADOS. INOCORRÊNCIA. ERRO NO TOCANTE A APLICAÇÃO DA

PENA. INEXISTÊNCIA. CORRETA FUNDAMENTAÇÃO E APLICAÇÃO DA REPRIMENDA. DESPROVIMENTO DO RECURSO. 1. Não há que se falar em sentença do juiz-presidente contrária à lei expressa ou à decisão dos jurados se a decisão está compatível com a resposta dos juízes naturais aos quesitos formulados. 2. Não existe erro ou injustiça na aplicação da pena, quando o magistrado fundamenta as razões do quantum aplicado. ACORDA a Egrégia Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, em negar provimento ao apelo. Expeça-se mandado de prisão, após o decurso do prazo de Embargos de Declaração, sem manifestação.

APELAÇÃO N° 0007323-10.2015.815.0011. ORIGEM: 1º Tribunal do Júri da Comarca de Campina Grande/PB. RELATOR: Des. Carlos Martins Beltrão Filho. APELANTE: Jose Matheus Almeida dos Santos Bruno. DEFENSOR: Francisca de Fatima Pereira A.diniz E Wilmar Carlos de Paiva Leite. APELADO: Justiça Publica. APELAÇÃO CRIMINAL. HOMICÍDIO QUALIFICADO. CONCURSO DE PESSOAS. AUTORIA E MATERIALIDADE COMPROVADA. PRONÚNCIA. JÚRI. CONDENAÇÃO. RECURSO. DECISÃO DISSOCIADA DAS PROVAS DOS AUTOS. PEDIDO DE NOVO JULGAMENTO. INOCORRÊNCIA. SOBERANIA DO SINÉDRIO POPULAR. EXCLUSÃO DAS QUALIFICADORAS. DESCABIMENTO. CRIME HEDIONDO. PENA RAZOÁVEL. DESPROVIMENTO. Havendo nos presentes autos indícios suficientes acerca da autoria e materialidade delitiva, não há que se falar em decisão contrária a prova dos autos, sobretudo, quando o Corpo de Jurados entendeu por condenar o acusado, imputando-lhe pena razoável a sua participação no crime de caráter hediondo. Desse modo, inexistindo qualquer causa que possibilite acolher a tese sustentada pela defesa, nesta fase recursal, impõe-se manter a sentença em sua integralidade, por coerente com o delito praticado. ACORDA a Egrégia Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, a unanimidade, NEGAR PROVIMENTO ao recurso, em harmonia com o parecer da douta Procuradoria de Justiça, mantendo-se inalterada a sentença guerreada.

APELAÇÃO N° 0007602-30.2014.815.001 1. ORIGEM: 5ª Vara Criminal da Comarca de Campina Grande/PB. RELATOR:Des. Carlos Martins Beltrão Filho. APELANTE: João de Assis da Silva E Alexandra de Souza. DEFENSOR: Gizelda Gonzaga de Morais. APELADO: Justica Publica. APELAÇÃO CRIMINAL. LESÃO CORPORAL

E MAUS TRATOS. SENTENÇAABSOLUTÓRIA EM RELAÇÃO A LESÃO CORPORAL. DOSIMETRIA FORA DOS

PADRÕES LEGAIS PARA PENA APLICADA AOS MAUS TRATOS. Ausência de fundamentação. Violação ao art. 93, IX, da CF e ao art. 381, III, do CPP. Ocorrência. ANULAÇÃO DA SENTENÇA. - É nula a sentença desprovida de fundamentação de fato e de direito, ante a flagrante violação ao art. 93, IX, da CF e ao art. 381, III, do CPP. Acorda a Câmara Criminal do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, em DAR PROVIMENTO AO RECURSO DE OFÍCIO, para anular a sentença, em desarmonia com o parecer ministerial.

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N° 0000979-63.2013.815.021 1. ORIGEM: 3ª Vara da Comarca de Itaporanga. RELATOR:Des. Carlos Martins Beltrão Filho. EMBARGANTE: José Pinto Neto, Ex-prefeito do Município de Boa Ventura/pb. ADVOGADO: Paulo Italo de Oliveira Vilar. EMBARGADO: Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. PRETENSÃO A REEXAME DE QUESTÕES JÁ DECIDIDAS. ALEGADA OMISSÃO NO TOCANTE À ANÁLISE DAS CONDUTAS PERPETRADAS PELO DENUNCIANTE/ EMBARGANTE, BEM COMO, OMISSÃO QUANTO À APLICAÇÃO DA PENA E PREQUESTIONAMENTO DE DISPOSITIVOS LEGAIS, REQUERENDO MODIFICAÇÃO DO ACÓRDÃO. INSUBSISTÊNCIA. MEIO PROCESSUAL INIDÔNEO. REJEIÇÃO. 1. Visando os embargos declaratórios a sanar ambiguidade, obscuridade, contradição ou omissão existentes em acórdão, serão eles rejeitados, quando não vierem, aquelas, a se configurar. 2. “Os embargos de declaração constituem meio inidôneo para reexame de questões já decididas, destinando-se, tão-somente, a sanar omissões e a esclarecer contradições ou obscuridades”. 3. Somente em caráter excepcional, quando manifesto o erro de julgamento, dar-se-á efeito modificativo aos embargos declaratórios. 4. Os embargos declaratórios só têm aceitação para emprestar efeito modificativo à decisão em raríssima excepcionalidade, não se prestando para rediscutir a controvérsia debatida no aresto embargado. ACORDA a egrégia Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, à unanimidade, em rejeitar os embargos.

PAUTA DE JULGAMENTO DA PRIMEIRA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL
PAUTA DE JULGAMENTO DA PRIMEIRA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL

08ª SESSÃO ORDINÁRIA. DIA 10 DE ABRIL DE 2018. 08:30 HORAS

PJE

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 01) Agravo Interno nº 0804429-90.2017.8.15.0000. Oriundo da 1ª Vara Cível da Comarca da Capital. Agravante(s): Unimed João Pessoa – Cooperativa de Trabalho Médico. Advogado(s): Hermano Gadelha de Sá -OAB/PB 8.463 e Leidson Flamarion Torres Matos -OAB/PB 13.040. Agravado(s): Zélia Maria Santiago Silva. Advogado(s): George Maia da Silva – OAB/PB 21.689.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 02) Agravo Interno nº 0804385-71.2017.8.15.0000. Oriundo da 4ª Vara da Comarca de Bayeux. Agravante(s): Município de Bayeux. Advogado(s): Johnson Gonçalves de Abrantes - OAB/PB 1.663. Agravado(s): Ministério Público do Estado da Paraíba.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO 03) Agravo Interno nº 0805976-68.2017.8.15.0000. Oriundo da 9ª Vara Cível da Comarca de Campina Grande. Agravante: Antônio Pereira de Almeida Filho. Advogado(s): Marx Alves de Oliveira Lima – OAB/PB 13.389 e outros. Agravado: Eduardo Sérgio Sousa Medeiros. Advogado: em causa própria – OAB/PB 9.599.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO 04) Agravo Interno Nº 0806388-96.2017.815.0000. Oriundo da Comarca 5ª vara Cível da Capital Agravante: Gilzenir Albuquerque da Nóbrega. Advogado: André Castelo Branco

DIÁRIO DA JUSTIÇA – J OÃO P ESSOA -PB • D ISPONIBILIZAÇÃO : SEGUNDA -

DIÁRIO DA JUSTIÇA – JOÃO PESSOA-PB • DISPONIBILIZAÇÃO: SEGUNDA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2018 PUBLICAÇÃO: TERÇA-FEIRA, 27 DE MARÇO DE 2018

11

Pereira da Silva – OAB/PB 18.788. Apelado: Banco do Brasil. Advogada: Melissa Abramovici Pilotto – OAB/PB 14.617 A.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 30) Apelação Cível nº 0801485-20.2014.8.15.0001. Oriundo

da 8ª Vara Cível da Comarca de Campina Grande. Apelante(s): Flora Alexandre Meira. Advogado(s): Thélio Farias

 

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO 05) Agravo Interno nº 0800017-82.2018.8.15.0000. Oriundo da

OAB/PB 9.162. 1ºApelante(s): Aliança Administradora de Benefícios de Saúde S/A. Advogado(s): Renata Sousa de Castro Vita – OAB/BA 24.308. 2ºApelado(s): Unimed Seguros Saúde S/A. Advogado(s): Antônio Eduardo Gonçalves de Rueda - OAB/PE 16.983.

Vara Cível de Cabedelo. Agravante: BV – Financeira S/A., Crédito, Financiamento e Investimento.Advogada:

Cristiane Balinati Garcia Lopes – OAB/PB 19.937-A Agravado: José Ricardo Helmonte Castelo Branco.

 

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO 06) Agravo Interno nº 0804634-22.2017.8.15.0000. Oriundo da

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 31) Apelação Cível nº 0802787-57.2016.8.15.0731. Oriundo da 2ª Vara da Comarca de Cabedelo. 1ºApelante(s): Afrafep - Associação dos Auditores Fiscais do Estado da Paraíba. Advogado(s): Nildeval Chianca Rodrigues Jr. – OAB/PB 12.765. 2ºApelante(s): Eliza Ferreira de Vasconcelos. Advogado(s): Ravi Vasconcelos da Silva Matos – OAB/PB 17.148. Apelado(s): Os mesmos.

Vara da Comarca de Cabedelo. Agravante: Banco Itaucard S/A. Advogado: Antônio Braz da Silva – OAB/PB

12.450-A Agravado: Maria Carolina Duarte de Jesus.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO 07) Embargos de Declaração nº 0804782- 67.2016.8.15.0000.Oriundo da Comarca de Areia. Embargante: Estado da Paraíba, representado por sua Procuradora Alessandra Ferreira Aragão. Embargado: Erivelton de Azevedo Silva. Advogado: Edinaldo José Diniz – OAB/PB

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 32) Apelação Cível nº 0804432-13.2015.8.15.0001. Oriundo da 3ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Campina Grande. Apelante(s): Município de Campina Grande, representado por sua Procuradora Hannelise S. Garcia da Costa – OAB/PB 11.468. Apelado(s): Maria do Carmo Pereira, representada por sua curadora Jailma Pereira. Defensor: Álvaro Gaudêncio Neto – OAB/PB 2.269.

 

8.583.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 08) Embargos de Declaração nº 0800433-38.2017.8.15.0371. Oriundo da 5ª Vara Mista da Comarca de Sousa. Embargante(s): Alexsandro Batista Cesar da Silva. Advogado(s):

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 33) Apelação Cível nº 0800224-25.2017.8.15.0321. Oriundo

Higor Vasconcelos de Almeida - OAB/PB 19.503. Embargado(s): Município de Sousa. Advogado(s): Pâmela Monique Abrantes Dantas – OAB/PB 20.183.

da Comarca de Santa Luzia. Apelante(s): Henrique Francisco da Silva. Advogado(s): Luzia Darc de Medeiros Lucena – OAB/PB 23.554. Apelado(s): Banco Bradesco S/A. Advogado(s): Andréa Formiga D. de Rangel Moreira

OAB/PE 26.687.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 09) Embargos de Declaração nº 0800491-41.2017.8.15.0371. Oriundo da 5ª Vara Mista da Comarca de Sousa. Embargante(s): Vicente Vitoriano Sobrinho Neto. Advogado(s):

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 34) Apelação Cível nº 0836295-64.2016.8.15.2001. Oriundo da 3ª Vara Cível da Comarca da Capital. Apelante(s): Estevam Luiz de Souza. Advogado(s): Érika de Fátima Souza Durand – OAB/PB 12.234. Apelado(s): Unimed João Pessoa – Cooperativa de Trabalho Médico. Advogado(s):

Higor Vasconcelos de Almeida - OAB/PB 19.503. Embargado(s): Município de Sousa. Advogado(s): Vilayana Lopes Vieira Leite – OAB/PB 18.657.

Hermano Gadelha de Sá -OAB/PB 8.463 e Leidson Flamarion Torres Matos - OAB/PB 13.040.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 10) Embargos de Declaração nº 0800480-58.2017.8.15.0000 Oriundo da 2ª Vara de Executivos Fiscais da Comarca da Capital. Embargante(s): Wanderley Salvino de Maria. Advogado(s): Daniela Ronconi – OAB/PB 9.684. Embargado(s): Estado da Paraíba, representado por sua Procuradora Adlany Alves Xavier.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 35) Apelação Cível nº 0804263-26.2015.8.15.0001. Oriundo da 3ª Vara de Fazenda Pública da Comarca de Campina Grande. Apelante(s): Irenilton Augusto Mota Ribeiro. Advogado(s): Lívia de Sousa Sales – OAB/PB 17.492 e Wellington Luiz de Souza Ribeiro – OAB/PB 19.780-A. Apelado(s): Estado da Paraíba.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO 11) Agravo de Instrumento nº 0806060-69.2017.815.0000.Oriundo

da

Comarca de Rio Tinto. Agravante 01: Município de Baia da Traição.Advogado: Antônio Eudes Nunes da Costa

 

Físicos

Filho – 16.683. Agravante 02: SAAE- Serviço Autônomo de Água e Esgoto da Baía da Traição. Advogado: Fábio Meireles Fernandes da Costa – 9.273. Agravada: Energisa Paraíba- Distribuidora de Energia S/A. Advogado:

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 01) Embargos de Declaração nº 00022736820078150371. Oriundo da 4ª Vara de Sousa. Embargante(s): Município de Sousa. Advogado(s): Iáscara R. Ferreira Tavares – OAB/PB 14.564. Embargado(s): Ministério Público do Estado da Paraíba.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 02) Embargos de Declaração nº 00060259520138152001.

Jaldemiro Rodrigues de Ataíde Júnior – OAB/PB 11.591.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO 12) Agravo de Instrumento nº 0805433-02.2016.8.15.0000. Oriundo da 3ª Vara Cível de Campina Grande. Agravante: Olinda Karina Araújo Aguiar. Advogada: Olinda Sammara de Lima Aguiar – OAB/PB 9.361. Agravada: Unimed João Pessoa – Cooperativa de Trabalho Médico Advogado(s): Hermano Gadelha de Sá – OAB/PB 8.463 e outros.

Oriundo da 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Embargante(s): Maria do Socorro Melo Andrade

outros. Advogado(s): Orlando Gonçalves Lima – OAB/PB 1.303. Embargado(s): PbPrev – Paraíba Previdência, representado por seu Procurador Jovelino Carolino Delgado Neto - OAB/PB 17.281.

e

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO 13) Agravo de Instrumento nº 0806579-44.2017.8.15.0000. Oriundo da 3ª Vara da Fazenda Pública da Capital. Agravantes: Livia Mara Guerra Diniz e outros. Advogado(s):

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 03) Remessa Oficial e Apelação Cível nº

Giuseppe Fabiano do Monte Costa – OAB/PB 9.861 e outros. Agravada: Energisa Boborema Distribuidora de Energia S/A.

00052114920148152001.

Oriundo da 5ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Apelante(s): Estado da

Paraíba, representado por sua Procuradora Maria Clara Carvalho Lujan. Apelado(s): Ednaldo Luiz do Carmo. Advogado(s): Alexandre Gustavo Cezar Neves – OAB/PB 14.640 e Ubiratã Fernandes de Souza – OAB/PB

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO 14) Agravo de Instrumento nº 0806737-02.2017.8.15.0000. Oriundo da 8ª Vara Cível da Capital. Agravante: Banco Safra S/A. Advogado: Bruno Henrique de Oliveira Vanderlei – OAB/PB 21.678. Agravada: Marpesa Pneus Peças e Serviços Ltda. Advogada: Marília Medeiros Marques M. Dardene – OAB/PB 16.107.

11.960.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 04) Remessa Oficial e Apelação Cível nº

00010985920148150091.

Oriundo da Comarca de Taperoá. Apelante(s): Município de Taperoá. Advogado(s):

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 15) Agravo de Instrumento nº 0806340-40.2017.8.15.0000. Oriundo da 4ª Vara da Comarca de Sousa. Agravante: Município de Sousa. Advogado(s): Raul Gonçalves Holanda Silva – OAB/PB 17.315. Agravado: Ministério Público da Paraíba.

Marcos Dantas Vilar– OAB/PB. Apelado(s): Ailton Paulo de Souza. Advogado(s): Alberto Jorge Santos Lima Carvalho – OAB/PB 11.106 e outro.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 05) Remessa Oficial e Apelação Cível nº

 

00013141320128150601.

Oriundo da Comarca de Belém. Apelante(s): Estado da Paraíba, representado por seu

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 16) Agravo de Instrumento nº 0804417-76.2017.8.15.0000. Oriundo da 15ª Vara Cível da Comarca da Capital. Agravante(s): Maria de Lourdes Alves de Amorim. Advogado(s):

Procurador Pablo Dayan Targino Braga. Apelado(s): Adriano Cardoso da Silva. Advogado(s): Marcos Edson de

Aquino – OAB/PB 15.222 e Cláudio Galdino Cunha -OAB/PB 10.751.

Kehilton Cristiano Gondim de Carvalho – OAB/PB 22.899. Agravado(s): BV Financeira S/A – Crédito, Financiamento

e

Investimento.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 06) Remessa Oficial e Apelação Cível nº

 

00281029820138152001.

Oriundo da 3ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. 1ºApelante(s): PbPrev

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 17) Agravo de Instrumento nº 0803538-06.2016.8.15.0000. Oriundo da 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Agravante(s): Maria José Veríssimo Marques. Advogado(s): Bruna de Freitas Mathieson – OAB/PB 15.443. Agravado(s): Município de João Pessoa, representado por seu Procurador Geral Adelmar Azevedo Régis.

Paraíba Previdência, representado por seu Procurador Jovelino Carolino Delgado Neto - OAB/PB 17.281.

Advogado(s): Emanuella Maria de Almeida Medeiros – OAB/PB 18.808, Euclides Dias de Sá Filho – OAB/PB 6.126

e

outros. 2ºApelante(s): Estado da Paraíba, representado por sua Procuradora Lilyane Fernandes Bandeira de

Oliveira. Apelado(s): João Batista Baldino de Souza e outros. Advogado(s): Ana Cristina Henrique de Sousa e Silva -OAB/PB 15.729.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 18) Agravo de Instrumento nº 0805460-48.2017.8.15.0000. Oriundo da 1ª Vara da Comarca de Piancó. Agravante(s): Antônio Macedo Rodrigues. Advogado(s): Amilton Pires de Almeida Ramalho – OAB/PB 17.102. Agravado(s): João Ferreira e Macedo.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 07) Remessa Oficial e Apelação Cível nº

00005364520128150471.

Oriundo da Comarca de Aroeiras. Apelante(s): Município de Gado Bravo. Advogado(s):

 

Antônio Costa de Oliveira – OAB/PB 2.781. Apelado(s): Ministério Público do Estado da Paraíba.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 19) Agravo de Instrumento nº 0806524-93.2017.8.15.0000. Oriundo da 2ª Vara da Comarca de São João do Rio do Peixe. Agravante(s): Juvêncio Pinheiro Neto. Advogado(s):

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 08) Remessa Oficial e Apelação Cível nº

Gildo Leobino de Souza Júnior – OAB/CE 28.669. Agravado(s): Banco Bradesco Financiamentos S/A. Advogado(s):

00019504620108150181.

Oriundo da 4ª Vara da Comarca de Guarabira. Apelante(s): Estado da Paraíba, representado

Wilson Sales Belchior -OAB/PB 17.314-A.

por seu Procurador Roberto Mizuki. Apelado(s): Benjamim Ricardo Gomes. Advogado(s): Dorivaldo Ferreira Gomes – OAB/PB 11.124.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 20) Agravo de Instrumento nº 0804931-29.2017.8.15.0000. Oriundo da 4ª Vara Mista da Comarca de Patos. Agravante(s): Banco Bradesco S/A. Advogado(s): Wilson Sales Belchior - OAB/PB 17.314-A. Agravado(s): Albalucia de Medeiros. Advogado(s): Taciano Fontes de Freitas – OAB/ PB 9.366.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 09) Remessa Oficial e Apelação Cível nº

00009860220138150261.

Oriundo da 1ª Vara da Comarca de Piancó. Apelante(s): Município de Igaracy. Advogado(s):

Francisco de Assis Remígio II - OAB/PB 9.464. Apelado(s): José de Arimatéia Cavalcante Martins. Advogado(s):

 

Paulo César Conserva - OAB/PB 11.874 e Christian Jefferson de Sousa Lima – OAB/PB 18.186.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 21) Agravo de Instrumento nº 0805716-88.2017.8.15.0000. Oriundo da 17ª Vara Cível da Comarca da Capital. Agravante(s): Ivan Y Pla Trevas, Laécio Bernardo da Silva, Margarida Maria de Oliveira Monteiro . Advogado(s): Fabiano Barcia de Andrade – OAB/PB 6.840. Agravado(s):

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 10) Apelação Cível e Remessa Oficial nº

00070784320158152001.

Oriundo da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Apelante(s): Estado da

Funasa - Fundação Saelpa de Seguridade Social. Advogado(s): Érika Cassinelli Palma – OAB/SP 189.994, Vicktor José Brito da Silva – OAB/PB 19.456 e outros.

Paraíba, representado por seu Procurador Pablo Dayan Targino Braga. Apelado(s): Josenildo da Silva Ferreira. Advogado(s): Alexandre Gustavo Cezar Neves – OAB/PB 14.640 .

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS.22) Agravo de Instrumento nº 0805371-25.2017.8.15.0000. Oriundo da 17ª Vara Cível da Comarca da Capital. Agravante(s): EMBRACON Administradora de Consórcio Ltda. Advogado(s): Amandio Ferreira Tereso Júnior – OAB/PB 19.738-A. Agravado(s): Danilo Wanderley da Costa Lins. Advogado(s): Helen Gleice Lopes Guedes – OAB/PB 13.903.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 11) Apelação Cível e Remessa Oficial nº

00002161120168150000.

Oriundo da 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. 1ºApelante(s): PbPrev

Paraíba Previdência, representado por seu Procurador Jovelino Carolino Delgado Neto - OAB/PB 17.281.

Advogado(s): Emanuella Maria de Almeida Medeiros – OAB/PB 18.808, Euclides Dias de Sá Filho – OAB/PB 6.126

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 23) Agravo de Instrumento nº 0804014-10.2017.8.15.0000. Oriundo da Comarca de Teixeira. Agravante(s): Banco do Brasil S/A. Advogado(s): Rafael Sganzerla Durand – OAB/PB 211.648-A Agravado(s): Iolanda Silva Graça. Advogado(s): Lucas Alves de Vasconcelos – OAB/PB

outros. 2ºApelante(s): José Gomes da Silva. Advogado(s): Ênio Silva Nascimento - OAB/PB 11.946 e Thaíse Gomes Ferreira – OAB/PB 20.883 Apelado(s): Os mesmos.

e

 

19.794.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 12) Apelação Cível e Remessa Oficial nº

 

00920140620128152001.

Oriundo da 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Apelante(s): Estado da

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 24) Agravo de Instrumento nº 0805033-51.2017.8.15.0000. Oriundo da 3ª Vara Cível da Comarca da Capital. Agravante(s): Josimar Moura de Andrade. Advogado(s): José Haran de Brito Veiga Pessoa – OAB/PB 13.028. 1ºAgravado(s): Claro S/A. Advogado(s): Cícero Pereira de Lacerda Neto - OAB/PB 15.401. 2ºAgravado(s): Energisa Paraíba – Distribuidora de Energia S/A.

Paraíba, representado por seu Procurador Felipe de Moraes Andrade. Apelado(s): Oscar Bezerra dos Santos Neto. Advogado(s): Willamack Jorge da Silva Mangueira – OAB/PB 10.396.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 13) Remessa Oficial e Apelação Cível nº

 

00324116520138152001.

Oriundo da 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Apelante(s): PbPrev –

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 25) Agravo de Instrumento nº 0805126-14.2017.8.15.0000. Oriundo da 5ª Vara de Família da Comarca de Campina Grande. Agravante(s): Carlos Alberto Duarte. Advogado(s):

Paraíba Previdência, representado por seu Procurador Jovelino Carolino Delgado Neto - OAB/PB 17.281.

Advogado(s): Emanuella Maria de Almeida Medeiros – OAB/PB 18.808, Euclides Dias de Sá Filho – OAB/PB 6.126

Wanderlan Waldez de Sousa Figueredo – OAB/PB 18.417. Agravado(s): Antônia Maria Cordeiro Duarte, representada por sua genitora Nancy Elma Pontes Cordeiro. Advogado(s): Saulo de Almeida Cavalcanti – OAB/PB 7.640.

e

outros. Apelado(s): Ivair Rodrigues de Barros. Advogado(s): Ênio Silva Nascimento - OAB/PB 11.946.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 14) Remessa Oficial e Apelação Cível nº

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO 26) Remessa Oficial nº 0813766-37.2016.8.15.0001. Oriundo da 3ª Vara da Fazenda Pública de Campina Grande. Promovente: Raimunda Aires de Gouveia. Advogado(s):

Rosângela Maria de Medeiros Brito – OAB/PB 4.438.Promovido: Município de Campina Grande.

00042755820138152001.

Oriundo da 3ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Apelante(s): Estado da

Paraíba, representado por seu Procurador Wladimir Romaniuc Neto. Apelado(s): Alberto Avelino Barros. Advogado(s): Ênio Silva Nascimento - OAB/PB 11.946.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO 27) Apelação Cível Recurso Oficial nº 0812819-31.2015.8.15.200. Oriundo da 6ª Vara da Fazenda Pública da Capital. Apelante: PBPREV – Paraíba Previdência, representada por seu Procurador, Jovelino Carolino Delgado Neto – OAB/PB 17.281.Apelado: José da Cruz Bessa. Advogado:

Alberto Costa dos Santos – OAB/PB 14.823.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 15) Remessa Oficial e Apelação Cível nº

00556108220148152001.

Oriundo da 3ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Apelante(s): PbPrev –

Paraíba Previdência, representado por seu Procurador Jovelino Carolino Delgado Neto - OAB/PB 17.281. Advogado(s): Emanuella Maria de Almeida Medeiros – OAB/PB 18.808, Euclides Dias de Sá Filho – OAB/PB 6.126

 

e

outros. Apelado(s): Luiz Gonzaga de Oliveira. Advogado(s): Alexandre Gustavo Cezar Neves – OAB/PB 14.640

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 28) Remessa Oficial e Apelação Cível nº 0800360- 88.2016.8.15.0181. Oriundo da 5ª Vara da Comarca de Guarabira. Apelante(s): Município de Guarabira. Advogado(s):

e

Ubiratã Fernandes de Souza – OAB/PB 11.960.

José Gouveia Lima Neto - OAB/PB 16.548. Apelado(s): Marize Félix Azevedo. Advogado(s): Cláudio Galdino da Cunha -OAB/PB 10.751.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 16) Remessa Oficial e Apelação Cível nº

00017520520158152001.

Oriundo da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Apelante(s): Estado da

 

Paraíba, representado por sua Procuradora Maria Clara Carvalho Lujan. Apelado(s): Suedes Rodrigues da Silva.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO 29) Apelação Cível nº 0800020-22.2017.8.15.0081. Oriundo da Comarca de Bananeiras.Apelante: Terezinha Campos Coutinho. Advogado(s): Davi Rosal Coutinho – OAB/PB 17.578.Apelado: Banco BMG S/A. Advogada: Ana Tereza de Aguiar Valença – OAB/PE 33.980.

Advogado(s): Bianca Diniz de Castilho Santos – OAB/PB 11.898.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 17) Apelação Cível, Remessa Oficial e Recurso Adesivo nº

DIÁRIO DA JUSTIÇA – J OÃO P ESSOA -PB • D ISPONIBILIZAÇÃO : SEGUNDA -

DIÁRIO DA JUSTIÇA – JOÃO PESSOA-PB • DISPONIBILIZAÇÃO: SEGUNDA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2018 PUBLICAÇÃO: TERÇA-FEIRA, 27 DE MARÇO DE 2018

12

00043214720138152001. Oriundo da 6ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. 1ºApelante(s): Francisco de Assis Amorim. Advogado(s): Ênio Silva Nascimento - OAB/PB 11.946. 2ºApelante(s): PbPrev – Paraíba Previdência, representado por seu Procurador Jovelino Carolino Delgado Neto - OAB/PB 17.281. Advogado(s):

Emanuella Maria de Almeida Medeiros – OAB/PB 18.808, Euclides Dias de Sá Filho – OAB/PB 6.126 e outros. Apelado(s): Os mesmos.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 18) Apelação Cível e Recurso Adesivo nº 01140902420128152001. Oriundo da 17ª Vara Cível da Comarca da Capital. Apelante(s): Itaú Seguros S/A. Advogado(s): Bruno Novaes Bezerra Cavalcanti – OAB/PE 19.353. Apelado(s): Adelaide Pereira Henrique de Almeida. Advogado(s): Bruno Barsi de S. Lemos – OAB/PB 11.974. Recorrente: Adelaide Pereira Henrique de Almeida. Advogado(s): Bruno Barsi de S. Lemos – OAB/PB 11.974. Recorrido: Itaú Seguros S/A. Advogado(s):

Bruno Novaes Bezerra Cavalcanti – OAB/PE 19.353.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 19) Apelação Cível nº 00003336520178150000. Oriundo da 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Apelante(s): Frederico Brandão Sousa. Advogado(s): Ana Cristina Henrique de Sousa e Silva - OAB/PB 15.729. Apelado(s): Estado da Paraíba, repr. por seu Procurador Felipe de Moraes Andrade.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 20) Apelação Cível nº 01213964420128152001. Oriundo da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Apelante(s): João Penedo da Silva Neto. Advogado(s): Andréa Henrique de Sousa e Silva – OAB/PB 15.155. Apelado(s): Estado da Paraíba, representado por seu Procurador Delosmar Domingos de Mendonça Júnior.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 21) Apelação Cível nº 00014026720128150531. Oriundo da Comarca de Malta. Apelante(s): Ruth Guimarães Sousa. Advogado(s): Heber Tiburtino Leite- OAB/PB 13.675 e Delmiro Gomes da Silva Neto – OAB/PB 12.362. 1ºApelado(s): Banco Volkswagen S/A. Advogado(s): Manuela Motta Moura da Fonte - OAB/PE 20.397. 2ºApelado(s): Comercial Santana Veículos e Peças Ltda. Advogado(s):

Raimundo Nóbrega – OAB/PB 4.755.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 22) Apelação Cível nº 00002947820148152003. Oriundo da 1ª Vara Regional de Mangabeira da Comarca da Capital. Apelante(s): Banco Itaucard S/A. Advogado(s): Antônio Braz da Silva - OAB/PB 12.450-A. Apelado(s): Francilene Fernandes dos Santos. Advogado(s): Luciana Ribeiro Fernandes - OAB/PB 14.574.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 23) Apelação Cível nº 00406721920138152001. Oriundo da 14ª Vara Cível da Comarca da Capital. Apelante(s): Francklin Lima dos Santos. Advogado(s): Flaviano Sales Cunha Medeiros – OAB/PB. Apelado(s): Vera Cruz Seguradora S/A e Seguradora Líder dos Consórcios do Seguro Dpvat S/A. Advogado(s): João Alves Barbosa Filho – OAB/PB 4.246-A.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 24) Apelação Cível nº 00338667020108152001. Oriundo da 11ª Vara Cível da Comarca da Capital. Apelante(s): Edgar Saeger Filho. Advogado(s): Rinaldo Mouzalas de Souza

e Silva - OAB/PB 11.589. Apelado(s): Maurício da Silva Lima. Advogado(s): Carla Constância Freitas de Carvalho

– OAB/PE 28.022 e Juliana Freitas de Carvalho Lacerda - OAB/PB13.371.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 25) Apelação Cível nº 00162489220158150011. Oriundo da 1ª Vara Cível da Comarca de Campina Grande. Apelante(s): Fiori Veicolo Ltda. Advogado(s): Luís Felipe de Souza Rebêlo – OAB/PE 17.593 e Marisa Tavares Barros Paiva de Moura – OAB/PE 23.647. Apelado(s): Amanda de Lima Souza. Advogado(s): Osmário Medeiros Ferreira - OAB/PB 14.149.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 26) Apelação Cível nº 00452846820118152001. Oriundo da

13ª Vara Cível da Comarca da Capital. Apelante(s): Telemar Norte Leste S/A. Advogado(s): Wilson Sales Belchior -OAB/PB 17.314-A. Apelado(s): Maria da Luz da Silva. Advogado(s): Caio César Torres Cavalcanti – OAB/PB

16.186.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 27) Apelação Cível nº 00017001020148150751. Oriundo da 2ª Vara da Comarca de Bayeux. Apelante(s): Banco Itaucard S/A. Advogado(s): Antônio Braz da Silva - OAB/PB 12.450-A. Apelado(s): Adenilza da Silva Moura. Advogado(s): Sávio Soares de Sarmento Vieira – OAB/PB 17.679.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 28) Apelação Cível nº 00013378620148150051. Oriundo da 2ª Vara da Comarca de São João do Rio do Peixe. Apelante(s): Terezinha Oliveira da Silva. Advogado(s): Marcos Antônio Inácio da Silva - OAB/PB 4.007. Apelado(s): Suzuki Motos Administradora e Consórcio Ltda. Advogado(s):

Gilberto Badaró de Almeida Souza – OAB/BA 22.772 e Valéria Bagnatori Denardi – OAB/SP 201.516.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 29) Apelação Cível nº 00009340620138150261. Oriundo da 1ª Vara da Comarca de Piancó. Apelante(s): Município de Igaracy. Advogado(s): Francisco de Assis Remígio II - OAB/PB 9.464. Apelado(s): Maria Israelda Costa de Araújo. Advogado(s): Paulo César Conserva - OAB/PB 11.874 e Christian Jefferson de Sousa Lima – OAB/PB 18.186.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 30) Apelação Cível nº 00028730520148152001. Oriundo da 7ª Vara Cível da Comarca da Capital. Apelante(s): Aymoré Crédito, Financiamento e Investimentos S/A. Advogado(s):

Carlo André de Mello Queiroz - OAB/PB 6.047-A. Apelado(s): Euzeni Pereira de Souza. Advogado(s): Lucas Freire Almeida – OAB/PB 15.764 e Walmírio José de Sousa – OAB/PB 15.551.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 31) Apelação Cível nº 00007252520168151201. Oriundo da Comarca de Araçagi. 1ºApelante(s): Manoel José de Souza. Advogado(s): Humberto de Sousa Félix – OAB/RN 5.069. 2ºApelante(s): Banco BMG S/A. Advogado(s): Carlos Eduardo Pereira Teixeira - OAB/SP 327.026. Apelado(s):

Os mesmos.

RELATOR: EXMO. DES. JOSÉ RICARDO PORTO. 32) Apelação Cível nº 00014844720148150881. Oriundo da Comarca de São Bento. Apelante(s): Banco Bradesco Cartões S/A. Advogado(s): André Nieto Moya - OAB/SP 235.738. Apelado(s): José Zenildo do Vale. Advogado(s): Vladimir Magnus Bezerra Japyassu – OAB/PB 13.951.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 33) Apelação Cível nº 00002591220148150551. Oriundo da Comarca de Remígio. Apelante(s): Diego Estefhany Carneiro Pinheiro Dantas. Advogado(s): Wildma Micheline da Câmara Ribeiro – OAB/RN 11.908. Apelado(s): Hilton Pinheiro Dantas. Advogado(s): João Barboza Meira Júnior – OAB/PB 11.823 e Lucélia Dias de Medeiros – OAB/PB 11.845.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 34) Apelação Cível nº 00007471920168150511. Oriundo da Comarca de Pirpirituba. Apelante(s): Banco Bradesco S/A. Advogado(s): Andréa Formiga Dantas de Rangel Moreira – OAB/PB 21.740-A. Apelado(s): Maria Serafim da Silva. Advogado(s): Gleysianne Kelly Souza Lira – OAB/PB 15.844.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 35) Apelação Cível nº 00008741520148151161. Oriundo da Comarca de Santana dos Garrotes. Apelante(s): Município de Nova Olinda. Advogado(s): Carlos Cícero de Sousa – OAB/PB 19.896. Apelado(s): Cynthia Suely de Azevedo Lopes. Advogado(s): Andreaze Bonifácio de Sousa – OAB/PB 12.110.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 36) Apelação Cível nº 00004439520148150541. Oriundo da Comarca de Pocinhos. Apelante(s): Município de Pocinhos, representado por seu Procurador André Gustavo Santos Lima Carvalho – OAB/PB 20.073. Apelado(s): Clodomício Soares Henriques. Advogado(s): Moisés Tavares de Morais – OAB/PB 14.022.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 37) Apelação Cível nº 01235312920128152001. Oriundo da 2ª Vara Cível da Comarca da Capital. Apelante(s): Luciano do Nascimento Rodrigues. Defensor: José Adamastor Morais de Queiroz Melo – OAB/PB 2.677. Apelado(s): Energisa Paraíba – Distribuidora de Energia S/A . Advogado(s):

Geraldez Tomaz Filho – OAB/PB 11.401.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 38) Apelação Cível nº 00006090420058150781. Oriundo da Comarca de Barra de Santa Rosa. Apelante(s): Ivanilza da Silva Gomes. Advogado(s): Fernando Fagner de Sousa Santos – OAB/PB 14.490. Apelado(s): Município de Barra de Santa Rosa. Advogado(s): Lucélia Dias de Medeiros – OAB/PB 11.845.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 39) Apelação Cível nº 00039802620098150331. Oriundo da 4ª Vara da Comarca de Santa Rita. Apelante(s): Banco Triângulo S/A. Advogado(s): Fabiano Miranda Gomes – OAB/PB 13.003. Apelado(s): Pedro Paulo da Silva e Ivanildo da Silva Barbosa. Defensora: Fernanda Pedrosa Tavares Coelho – OAB/PB.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 40) Apelação Cível nº 00012174220148150601. Oriundo da

Comarca de Belém. Apelante(s): Estado da Paraíba, representado por seu Procurador Paulo Renato Guedes Bezerra. Apelado(s): Severina Maia Pedrosa e outros. Advogado(s): Robesmar Oliveira da Silva – OAB/PB

18.334.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 41) Apelação Cível nº 00020509520148150751. Oriundo da

2ª Vara da Comarca de Bayeux. Apelante(s): Dibens Leasing S/A. Advogado(s): Antônio Braz da Silva - OAB/PB 12.450-A. Apelado(s): Euzébio Carneiro Filho. Advogado(s): Sávio Soares de Sarmento Vieira – OAB/PB 17.679.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 42) Apelação Cível nº 00398388420118152001. Oriundo da 3ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Apelante(s): Estado da Paraíba, representado por seu Procurador Alexandre Magnus Ferreira Freire. Apelado(s): Jeová Luiz dos Santos. Advogado(s): Renan Aversari Câmara – OAB/PB 15.470.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 43) Apelação Cível nº 00286728420138152001. Oriundo da 6ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Apelante(s): PbPrev – Paraíba Previdência, representado por seu Procurador Jovelino Carolino Delgado Neto - OAB/PB 17.281. Advogado(s): Emanuella Maria de Almeida Medeiros – OAB/PB 18.808, Euclides Dias de Sá Filho – OAB/PB 6.126 e outros. Apelado(s): Maria Jerusalém Mendes de Oliveira. Advogado(s): Rafael Santiago Alves – OAB/PB 15.925.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 44) Apelação Cível nº 00009042620128150351. Oriundo da 3ª Vara da Comarca de Sapé. Apelante(s): Massa Falida do Banco Cruzeiro do Sul S/A. Advogado(s): Nelson Wilians Fratoni Rodrigues - OAB/PB 128.341-A. Apelado(s): Lígia Maria de Lima Lira e Paulo Germano de Lima. Advogado(s): Natanael Gomes de Arruda – OAB/PB 6.903.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 45) Apelação Cível nº 00005078120148150161. Oriundo da 1ª Vara da Comarca de Cuité. Apelante(s): Alexandre Magno Souza da Silva. Advogado(s): Genivando da Costa Alves – OAB/PB 9.005. Apelado(s): Município de Cuité. Advogado(s): Pedro Filype Pessoa – OAB/PB 22.033.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 46) Apelação Cível nº 00178035720098150011. Oriundo da 3ª Vara Cível da Comarca de Campina Grande. Apelante(s): Pamesa do Brasil S/A. Advogado(s): Joaquim Pereira da Silva Neto – OAB/PB 15.759. Apelado(s): Rita de Cássia Caldeira Bezerra. Advogado(s): Lívia Campos Lucas – OAB/PB 13.980.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 47) Apelação Cível nº 00044339820158150011. Oriundo da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Campina Grande. Apelante(s): Município de Campina Grande, representado por sua Procuradora Fernanda A. Baltar de Abreu - OAB/PB 11.551. Apelado(s): Joana Dark Ferreira Rocha Silva. Advogado(s): José Erivan Tavares Granjeiro – OAB/PB 3.830.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 48) Apelação Cível nº 00018492320178150000. Oriundo da

1ª Vara Cível da Comarca da Capital. Apelante(s): Miguel Dirceu Tortorello Filho. Advogado(s): Lucas Henriques de Queiroz Melo – OAB/PB 16.228 e Alessandro Figueiredo Valadares Filho – OAB/PB 21.049. Apelado(s): Brasil França Agência de Turismo. Advogado(s): Hércio Leite Nóbrega Filho – OAB/PB 7.455 e Gilvan Pereira Fernandes

– OAB/PB 9.915.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 49) Apelação Cível nº 00011550520168150351. Oriundo da 1ª Vara da Comarca de Sapé. Apelante(s): Maria da Guia Nascimento dos Santos. Advogado(s): Alberto Jorge

Souto Ferreira – OAB/PB 14.457. Apelado(s): Claro S/A. Advogado(s): Cícero Pereira de Lacerda Neto - OAB/PB

15.401.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 50) Apelação Cível nº 00002051120188150000. Oriundo da 4ª Vara da Comarca de Cabedelo. Apelante(s): Edgley Rocha Delgado. Advogado(s): Wilson Furtado Roberto - OAB/PB 12.189. Apelado(s): Quatro Cantos Câmbio e Turismo DLF 3 Viagens e Turismo Ltda. Advogado(s):

Ulysses Veríssimo Belém – OAB/RJ 107.344.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 51) Apelação Cível nº 00010103520138150421. Oriundo da Comarca de Bonito de Santa Fé. Apelante(s): Luzia Pereira da Silva. Advogado(s): Joaquim Daniel – OAB/PB 7.048 e Daniel Alves – OAB/PB 18.330. 1ºApelado(s): Município de Bonito de Santa Fé. Advogado(s): Ricardo Francisco Palitot dos Santos – OAB/PB 9.639. 2ºApelado(s): IPASB – Instituto de Previdência e Assistência do Servidor Municipal Bonitense. Advogado(s): Ananias Synesio da Cruz – OAB/PB 5.566.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 52) Apelação Cível nº 00045215920098150331. Oriundo da 5ª Vara da Comarca de Santa Luzia. Apelante(s): DER/PB – Departamento de Estradas e Rodagem do Estado da Paraíba. Advogado(s): Antônio Alves de Araújo – OAB/PB 7.621. Apelado(s): Rodoviária Santa Rita. Advogado(s):

Lindinalva Pontes Lima – OAB/PB 11.493.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 53) Apelação Cível nº 00018518620148150391. Oriundo da

Comarca de Teixeira. 1ºApelante(s): Maria Neuma Leite. Advogado(s): Daniele Dantas Lopes – OAB/PB 17.911

e Marcelo Dantas Lopes – OAB/PB 18.446. 2ºApelante(s): Município de Cacimbas. Advogado(s): Maria Madalena Santos Sousa Amorim – OAB/PB 18.145. Apelado(s): Os mesmos.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 54) Apelação Cível nº 00372391220108152001. Oriundo da 11ª Vara Cível da Comarca da Capital. Apelante(s): Marly Lacerda Di Pace e Kadja Alessandra Maroja Di Pace. Advogado(s): José Marcelo Dias – OAB/PB 8.962. Apelado(s): CIGA – Construções e Incorporações Ltda e outros.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 55) Apelação Cível nº 00015509620128150331. Oriundo da 5ª Vara da Comarca de Santa Rita. Apelante(s): Município de Santa Rita. Advogado(s): Marcos Evangelista Soares da Silva – OAB/PB 11.202. Apelado(s): Fabiana Andrade de Sousa. Advogado(s): Marcos Antônio Inácio da Silva - OAB/PB 4.007.

RELATOR: EXMO. DES. LEANDRO DOS SANTOS. 56) Apelação Cível nº 00176583520158152001. Oriundo da 6ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Apelante(s): Ailton Gomes de Oliveira. Advogado(s): Maria de Fátima de Sá Fontes – OAB/PB 2.696 e Cybelle Fontes Eloy – OAB/PB 19.919. Apelado(s): Estado da Paraíba, representado por seu Procurador Renan de Vasconcelos Neves -OAB/PB 5.124.

PAUTA DE JULGAMENTO DA SEGUNDA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL
PAUTA DE JULGAMENTO DA SEGUNDA CÂMARA ESPECIALIZADA CÍVEL

8ª SESSÃO ORDINÁRIA. DIA 10 DE ABRIL 2018. INÍCIO ÀS 8:30H (TERÇA-FEIRA)

PROCESSOS ELETRÔNICOS

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS- 01 - APELAÇÃO CIVEL Nº 0800002- 63.2016.8.15.1171. ORIGEM: Vara Única da Comarca de Paulista. APELANTE: Kalina Dantas de Oliveira. ADVOGADO: Vigolvino Calixto Terceiro OAB/PB 18.682. APELADO: Energisa Paraíba- Distribuidora de Energia S/A. ADVOGADO: Paulo Gustavo de Mello e Silva Soares OAB/PB 11.268, Leonardo Giovanni Dias Arruda OAB/PB 11.002, Kallyl Palmeira Maia OAB/PB 18.032. Cota da sessão 20.03.18-“Adiado julgamento para republicação”.

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS- 02 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0803760- 71.2016.8.15.0000. ORIGEM:1º¨ Vara de Sucessões da Comarca da Capital. AGRAVANTE: Espólio de Fernando Carneiro da Cunha, Maria de Fátima Carneiro da Cunha Modesto, Anna Catharina Magliano Carneiro da Cunha Florencio, Fernando Carneiro da Cunha Filho. ADVOGADO: Walter de Agua Júnior OAB/PB 8682. AGRAVADO:

Paulo Roberto Magliano Carneiro da Cunha. ADVOGADO: Zelio Furtado da Silva OAB/PB 5263-A. AGRAVADO:

Cathariina Magliano Carneiro da Cunha. ADVOGADO: José Mário Porto Júnior OAB/PB 3045. Cota da sessão 20.03.18-“Adiado julgamento por indicação do relator”.

RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO). 03 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0803526-55.2017.8.15.0000. ORIGEM: 6º Vara de Família da Capital. AGRAVANTE: Esteban Alberto Mieszkowski ADVOGADO: Alyne Silva de Morais OAB/PB- 22.455 Tereza Herminia Freitas de Oliveira OAB/PB 22.789. AGRAVADO: Nicolas Mieszkowski, Augustin Mieszkowski, e Frederico Mieszkowski, representado por Gloria Mabel Vota. ADVOGADO: Lilian Sena Cavalcanti OAB/PB 10.779, Raissa Almeida Bonfim OAB/PB 18.155. Cota da sessão 20.03.18-“Adiado julgamento a pedido do agravado”.

RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO. 04 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0805950-70.2017.8.15.0000. ORIGEM 12ª Vara Cível da Capital. AGRAVANTE: Severino Lopes de Souza Filho. ADVOGADO: Rogério Coutinho Beltrão (OAB/PB nº 21.290) e outro. AGRAVADO: Condomínio do Edifício Residencial Victory Tower.

RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO. 05 – AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0805972-31.2017.8.15.0000. ORIGEM: Vara Única da Comarca de Teixeira. AGRAVANTE: BV Financeira S/A. ADVOGADO: Cristiane Bellinati Garcia Lopes – OAB/PB nº 19.937-A. AGRAVADO: Margarida Maria Ventura Canuto. ADVOGADO: Luis Carlos Monteiro Laurenço – OAB/BA nº 16.780.

RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO. 06 – AGRAVO DE INSTRUMENTO 0806208-80.2017.8.15.0000. ORIGEM: 5ª Vara da Comarca de Sousa. AGRAVANTE: Edjailson Vieira Araújo

DIÁRIO DA JUSTIÇA – J OÃO P ESSOA -PB • D ISPONIBILIZAÇÃO : SEGUNDA -

DIÁRIO DA JUSTIÇA – JOÃO PESSOA-PB • DISPONIBILIZAÇÃO: SEGUNDA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2018 PUBLICAÇÃO: TERÇA-FEIRA, 27 DE MARÇO DE 2018

13

Lunguinho. ADVOGADO: Kaline Lima Moreira OAB/PB 10.770. AGRAVADO: Estado da Paraíba. PROCURADOR:

Gilberto Carneiro da Gama OAB/PB 10.631.

RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO. 07 – AGRAVO DE INSTRUMENTO 0805583-46.2017.8.15.0000. ORIGEM: 3ª Vara da Fazenda Pública da Capital. AGRAVANTE: Município de João Pessoa. ADVOGADO: Adelmar Azevedo Régis OAB/PB 10237.AGRAVADO: Sayonara Mary Vieira de Sá. ADVOGADO: Márcio Philippe de Albuquerque Maranhão OAB/PB 16877.

RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO. 08 – AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0804545-96.2017.8.15.0000. ORIGEM: 1ª Vara da Fazenda Pública da Capital. AGRAVANTE: Rafael Barcia de Andrade Sá. ADVOGADO: Fabiano Barcia de Andrade (OAB/PB nº 6.840). 01 AGRAVADO:

Diretor Geral do Detran/PB. ADVOGADO: Simão Pedro do Ó Porfírio OAB/PB 17.208. 02 AGRAVADO:

Superintendente da SEMOB - Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana. ADVOGADO: Ravi de Medeiros Peixoto OAB/PE 33055 , Lucas Fernandes Franca Torres OAB/PB 11.478, Alysson Correia Maciel OAB/PB 11.841.

RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO. 09 – APELAÇÃO CIVEL E REMESSA NECESSÁRIA Nº 0833548-44.2016.8.15.2001. ORIGEM: 5ª Vara de Fazenda Pública da Capital. APELANTE:

PBPREV – Paraíba Previdência. PROCURADOR: Jovelino Carolino Delgado Neto OAB/PB 17.281. APELADO:

Jose Alberico Guerra. ADVOGADO: Ana Cristina de Oliveira Vilarim – OAB/PB Nº 11.967 e outra.

RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO. 10 – APELAÇÃO CIVEL Nº 0808642-

73.2016.8.15.0001. ORIGEM: 8ª Vara Cível da Comarca de Campina Grande. APELANTE: Fábio Fernando

Lampreia Azevêdo. ADVOGADO: Paulo Edson de Souza Góis OAB/PB 9939, Demétrio da Silva Medeiros OAB/

PB 20.171. APELADO: Telemar Norte Leste S/A. ADVOGADO: Wilson Sales Belchior – OAB/PB 17.314-A.

RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO. 11 – APELAÇÃO CIVEL Nº 0802257-

20.2016.8.15.2003. ORIGEM: 1ª Vara Regional de Mangabeira. APELANTE: Robson Bruno Pequeno da Costa.

ADVOGADO: Luciana Ribeiro Fernandes – OAB/PB Nº 14.574. APELADO: Banco Panamericano S/A. ADVOGADO:

Cristiane Belinati Garcia Lopes – OAB/PB Nº 19937-A.

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS-12 – EMBARGOS DE DECLARAÇÃO: 0801637-

12.2014.8.15.0731. ORIGEM: 3 Vara Mista de Cabedelo. EMBARGANTE: Petróleo Brasileiro S/A- PETROBRAS.

ADVOGADO: João Eduardo Soares Donato OAB/PE 29.291 e outros. EMBARGADO: José Ferreira da Silva. ADVOGADOS: Ricardo Leite de Melo OAB/PB, Aleksandro de Almeida Cavalcanti OAB/PB 13.311.

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS- 13 – AGRAVO INTERNO Nº 0800476-21.2017.8.15.0000 ORIGEM: 4ª Vara mista da Comarca de Bayeux REQUERENTE: Itaú Unibanco S/A. ADVOGADO: Teresa Arruda Alvim OAB/PR 22.129- A), Maria Lúcia Lins Conceição (OAB/PR 15.348). REQUERIDO: Ministério Público de Bayeux.

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS- 14 – AGRAVO INTERNO- 0802652-38.2015.8.15.0001. ORIGEM: 2º Vara Cível da Comarca de Campina Grande. AGRAVANTE: Seguradora Lider dos Consorcios S/A. ADVOGADO: Antônio Eduardo Gonçalves de Rueda OAB/PE 16.983 AGRAVADO: João Paulo Silva Ferreira. ADVOGADO: Patricio Candido Pereira OAB/ PB 13.863

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS- 15 – AGRAVO DE INSTRUMENTO: 0803934-

46.2017.8.15.0000. ORIGEM: 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Campina Grande AGRAVANTE:

Fazenda Pública do Estado da Paraíba. AGRAVADO: Edmilson Nunes Pereira. DEFENSORIA PUBLICA:

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS 16 – AGRAVO DE INSTRUMENTO N 0800054-

56.2016.8.15.9999. ORIGEM: Vara Única da Comarca de Coremas. AGRAVANTE: Laercio Silva de Lacerda.

ADVOGADO: José Laedson de Lacerda OAB/PB 10.842. AGRAVADO: Energisa Paraíba- Distribuidora de Energia S/A ADVOGADO: Valdomiro de Siqueira Figueiredo Sobrinho OAB/PB 10735, Paulo Gustavo de Mello e Silva OAB/PB 11268.

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS 17– APELAÇÃO CIVEL Nº 0801592-22.2016.8.15.0251. ORIGEM: 5º Vara Mista da Comarca de Patos. APELANTE: Município de Patos. PROCURADOR: Kaio Alves Coelho OAB/PB 22530. APELADO: Ministério Público do Estado da Paraíba. INTERESSADO: Francileudo Gomes de Lira.

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS 18 – APELAÇÃO CIVEL Nº 0838445-18.2016.8.15.2001 ORIGEM: 7ª Vara Cível da Comarca da Capital. APELANTE: Maria Inês Duarte Sales. ADVOGADO: Kelly Caldas Vilarim OAB/PB 17.687. APELADO: Unimed João Pessoa- Cooperativa de Trabalho Médico. ADVOGADOS:

Hermano Gadelha de Sá OAB/PB 8463, Leidson Flamarion Torres Matos OAB/PB 13.040.

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS 19 – APELAÇÃO CIVEL N 0806618-72.2016.8.15.0001. ORIGEM: 8ª Vara Cível da Comarca de Campina Grande. APELANTE:MAPFRE Seguros Gerais S/A. ADVOGADO:

Janaina Melo Ribeito Tomaz OAB/PB 10.412 e outros. APELADO: José China Filho. ADVOGADOS: Luara Gabrielle Alves dos Santos Fidelis OAB/PB 15216, Francisco Assis Fidelis de Oliveira Filho OAB/PB 14839.

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS 20 – APELAÇÃO CIVEL: 0825255-22.2015.8.15.2001. ORIGEM: 7ª Vara Cível da Comarca da Capital. APELANTE: Josenildo Bastos de Oliveira. ADVOGADO: Rafael de Andrade Thiamer OAB/PB 16.237. APELADO: Banco Panamericano S/A. ADVOGADOS: João Victor Chaves Marques Dias OAB/CE 30.348.

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS 21 – APELAÇÃO CIVEL: 0801789-63.2015.8.15.0751. ORIGEM: 4ª Vara Mista da Comarca de Bayeux. APELANTE: Laurismar Ribeiro Cordeiro. ADVOGADO:Maria Angelica Figueiredo Carmargo OAB/PB 15.516. APELADO: Unimed João Pessoa Cooperativa de Trabalho Médico. ADVOGADOS: Leidson Flamrion Torres Matos OAB/PB 13.040, Hermano Gadelha de Sá OAB/PB 8463.

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS 22 - APELAÇÃO CÍVEL N: 0812658-70.2016.8.15.0001. ORIGEM: 3ª Vara de Família da Comarca de Campina Grande. APELANTE: Frederico Steinmuller de Almeida . ADVOGADO: Luciano Araújo Ramos OAB/PB9294, Eric Silva de Oliveira OAB/PB 16.275. APELADO: A.C.F.A representada por sua genitora Priscila Gomes Figueiredo. ADVOGADO: Heriberto Melo de Lima OAB/PB 19.986.

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS 23 – APELAÇÃO CIVEL Nº 0807456-92.2017.8.15.2001. ORIGEM: 15ª Vara Cível da Comarca da Capital. APELANTE: Edinaldo Alves de Meireles. ADVOGADO: Kehilton Cristinao Gondim de Carvalho OAB/PB 22.899. APELADO: Banco Santander S/A. ADVOGADO: Wilson Sales Belchior OAB/PB 17.314-A.

RELATOR(A): EXMO. DR ALUIZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado com jurisdição plena, em substituição ao EXMO. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS24 - REEXAME NECESSÁRIO N: 0801925-

60.2015.8.15.0751. ORIGEM: 4ª Vara Mista da Comarca de Bayeux. RECORRENTE: Wender Cardoso dos

Santos. ADVOGADO: Gustavo Cabral de Moura OAB/PB 17681. RECORRIDO: Prefeitura Municipal de Bayeux. PROCURADORIA: Poliana de Oliveira Ferreira OAB/SP 264366.

RELATOR(A): EXMO. DES. LUIZ SILVIO RAMALHO JÚNIOR 25 – AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0805178-

10.2017.8.15.0000. ORIGEM: 4º Vara Civel da Comarca da Capital. AGRAVANTE: Maria Narni Franco Dias.

ADVOGADO: Thaise Clara Ribeiro Siqueira Ferreira OAB/PB 20.478. AGRAVADO: Banco Panamericano SA.

RELATOR(A): EXMO. DES. LUIZ SILVIO RAMALHO JÚNIOR 26 – AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0804645-

85.2016.8.15.0000. ORIGEM: 6º Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. AGRAVANTE: Município de

João Pessoa. PROCURADORIA: Leonardo Teles de Oliveira OAB/PB 18998-B, Aldemar Azevedo Regis OAB/PB 10237. AGRAVADO: Carla Juliana Barbosa de Lima. ADVOGADO: Marcio Philippe de Albuquerque Maranhão OAB/PB 16877.

RELATOR(A): EXMO. DES. LUIZ SILVIO RAMALHO JÚNIOR 27 – APELAÇÃO CIVEL Nº 0800000-

72.2016.8.15.0111. ORIGEM: Vara Única de Cabaceiras. APELANTE: Leonia Farias Lima. ADVOGADO:Tulio

Farias Lima OAB/PB 14.430. 01 APELADO: Prefeitura de Cabaceiras. PROCURADOR: 02 APELADO: Luiz Aires Cavalcante.

RELATOR(A): EXMO. DES. LUIZ SILVIO RAMALHO JÚNIOR 28 – AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0802360- 85.2017.8.15.0000. ORIGEM: 3ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. AGRAVANTE: Município de João Pessoa. PROCURADOR: Adelmar Azevedo Regis OAB/PB 10237. AGRAVADO: Amanda Maria Floriano Paiva. ADVOGADO: Ubiratan de Albuquerque Maranhão OAB/PB 8445, Marcio Phillippe de Albuquerque Maranhão OAB/PB 16877.

PROCESSOS FÍSICOS

RELATOR: EXMO. DES LUÍZ SILVIO RAMALHO JUNIOR. 01– EMBARGOS DE DECLARAÇÃO Nº 2011712-

71.2014.815.0000. ORIGEM 1ª Vara Cível da Comarca de Campina Grande. EMBARGANTE: Espólio de Maria

Marlene Aires Urquiza. ADVOGADO: Alan Richers de Sousa OAB/PB 19.942.01 EMBARGADO Sul América Seguros de Pessoas e Previdência S/A. ADVOGADOS: Hermano Gadelha de Sá OAB/PB 8463 Weber do Amaral Chaves OAB/SP 349.177 , Leidson Framarion OAB/PB 13.040. 02 EMBARGADO: José Aires Arcoverde, Nilma Vieira Arcoverde e outros( espolio de Inaldo Ayres Vieira c/c Maria Aires Arcoverde). ADVOGADO: Valdisio Vasconcelos de Lacerda Filho OAB/PB 11.435, José Augusto Meireles Neto OAB/PB 9.427. Cota da sessão dia 14.11.17- “Adiado julgamento para republicação, sessão marcada para dia 28.11.17. Cota da sessão dia 28.11.17- “Adiado por falta de quorum em face da suspeição do Des. Abraham Lincoln da Cunha Ramos, para inclusão na pauta extraordinária do dia 14.12.17, próximo às 09:00” Cota da sessão dia 18.12.17- “Após o voto do relator que não conhecia dos embargos, pediu vista por antecipação o Dr. Carlos Eduardo Leite Lisboa. O Des. Saulo Benevides, aguarda. Cota da sessao dia 27.02.18- ‘Adiado julgamento por falta de quorum em face a ausência justificada do Exmo Des. Saulo Benevides”. Cota da sessão 20.03.18-“Adiado julgamento em face a ausência justificada do Exmo. Dr. Carlos Eduardo Leite Lisboa e do Exmo. Des; Saulo Benevides.

RELATOR(A): DR. CARLOS EDUARDO LEITE LISBOA (Juiz convocado com jurisdição limitada substituindo o EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO). 02 – APELAÇÃO CÍVEL Nº 0001840-93.2013.815.0261. ORIGEM: 1ª Vara da Comarca de Piancó. APELANTE: Município de Piancó. ADVOGADO: Maurílio Wellington Fernandes Pereira OAB/PB 13.399. APELADO: Maria Silva dos Santos Andrade e outros. ADVOGADO: Damião Guimarães OAB/PB 13.293. Resultado da sessão dia 27.02.18- “Adiado por indicação do relator’ Cota da sessão 20.03.18-“Adiado julgamento em face ausência justificada do relator, Dr. Carlos Eduardo Leite Lisboa”.

RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO). 03 – APELAÇÃO CÍVEL Nº 0048737-

03.2013.815.2001. ORIGEM: 6ª Vara da Fazenda Pública da Capital. APELANTE: Eleci do Nascimento. ADVOGADO:

Carlos Alberto Pinto Mangueira OAB/PB 6.003. APELADO: Estado da Paraíba. PROCURADOR: Gilberto Carneiro OAB/PB 10631; Renan de Vasconcelos Neves OAB/PB 5.124. Cota da sessão 06.03.18- “Adiado por falta de quorum. Impedido Dr. Aluzio Bezerra Filho ”. Cota da sessão 20.03.18-“Adiado julgamento a requerimento do apelante.

RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO). 04 – APELAÇÃO CÍVEL Nº 0753366- 86.2007.815.2001. ORIGEM: 6ª Vara da Fazenda Pública da Capital. APELANTE: Estado da Paraíba. PROCURADOR: Gilberto Carneiro OAB/PB 10631; Flávio José Costa de Lacerda OAB/PB 13528. APELADO:

Isabella Ramos de Aguiar.Cota da sessão 20.03.18-“Adiado por falta de quorum. Impedido Dr. Aluizio Bezerra Filho.

RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO). 05 – APELAÇÃO CÍVEL Nº 0000635-

13.2014.815.2001. ORIGEM: 6ª Vara da Fazenda Pública da Capital. APELANTE: AMBEV S/A. ADVOGADO:

Bruno Novaes de Bezerra Cavalcanti OAB/PE 19.353. APELADO: Gerente de Fiscalização de Mercadorias e

Trânsito. INTERESSADO: Estado da Paraíba. PROCURADOR: Gilberto Carneiro OAB/PB 10631, Sérgio Roberto Félix Lima OAB/PE 29242. Cota da sessão 20.03.18-“Adiado julgamento por falta de quorum. Impedido Dr. Aluizio Bezerra Filho” RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO). 06 – APELAÇÃO CÍVEL Nº 0007636-

39.2013.815.0011. ORIGEM: 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Campina Grande. APELANTE: Flávio

Romero Guimarães. ADVOGADO: Jolbeer Cristhian Barbosa Amorim OAB/PB 13.971. APELADO: Ministério Público do Estado da Paraíba. Cota da sessão 20.03.18-“Adiado julgamento a requerimento do apelante.

RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO). 07 – APELAÇÃO CÍVEL Nº 0000813-

17.2013.815.0151. ORIGEM: 1ª Vara da Comarca de Conceição APELANTE: Fabiano de Moura Ribeiro e

Rubinaldo Ferreira Lima . ADVOGADO: Ítalo Oliveira OAB/PB16.004 e Rafael Vilhena Coutinho OAB/PB 19.947.

APELADO: Ministério Público do Estado da Paraíba. INTERESSADA: Seguradora Líder dos Consórcios do Seguro DPVAT S/A. ADVOGADO: Gilberto Fernandes OAB/CE 27.722, Rodrigo Martins OAB/CE 24.855 e outros . Cota da sessão 20.03.18-“Adiado Julgamento para republicação”.

RELATOR(A): EXMO. DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO). 08 – APELAÇÃO CÍVEL Nº 0002586-

42.2014.815.2001. ORIGEM: 15ª Vara da Comarca da Capital. APELANTE: Bradesco Cia de Seguros LTDA .

ADVOGADO: Rostand Inácio dos Santos OAB/PB 18.125-A. OAB/PE 22718. APELADO: João Ferreira de Medeiros Neto. ADVOGADO: Abraão Costa Florêncio de Carvalho OAB/PB 12.904 . Cota da sessão 20.03.18- “Adiado julgamento a pedido do relator”.

RELATOR: EXMO. DES LUÍZ SILVIO RAMALHO JUNIOR. 09 – APELAÇÃO CÍVEL Nº 0008820-34.2014.815.2003. ORIGEM: 4ª Vara Regional de Mangabeira na Capital. APELANTE: Walter de Lucena Seixas. ADVOGADO:

Deorge Aragão de Almeida OAB/PB 10.902. APELADO: Edna Eustáquio de Oliveira Bandeira. ADVOGADO:

Heratóstenes Santos de Oliveira OAB/PB 11.140.

RELATOR: EXMO. DES LUÍZ SILVIO RAMALHO JUNIOR. 10 – APELAÇÃO CÍVEL Nº 0024414-60.2008.815.0011 ORIGEM: 3ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Campina Grande. APELANTE: Estado da Paraíba. ADVOGADO: Gilberto Carneiro OAB/PB 10631, Paulo de Tarso Cirne Nepomuceno. APELADO: Júnior Comércio de Produtos Químicos e Veterinários Ltda. DEFENSORIA PÚBLICA: Marise Pimentel Figueiredo Luna OAB/PB .

RELATOR: EXMO. DES LUÍZ SILVIO RAMALHO JUNIOR. 11 – APELAÇÃO CÍVEL Nº 0009650-18.2014.815.0251. ORIGEM: 4ª Vara da Comarca de Patos. APELANTE 01: Banco Bradesco S/A. ADVOGADOS: Maria Eduarda Ferreira Lefki OAB/PE 29.820, Wiliam Rodrigues de Oliveira OAB/PE 14.713, Rafael Augusto Silva de Carvalho OAB/PE 21.128, José de Castro Neto OAB/PE 29.467, Luciana Maria Firmo Lacerda OAB/PE 1.357-B. APELANTE 02: Banco do Brasil S/A. ADVOGADO: Severino do Ramo Chaves de Lima OAB/PB 8301. APELADO: Ministério Público do Estado da Paraíba.

RELATOR: EXMO. DES LUÍZ SILVIO RAMALHO JUNIOR. 12 –REMESSA NECESSÁRIA E APELAÇÃO CÍVEL Nº 0001350-14.2014.815.0301. ORIGEM: 2ª Vara da Comarca de Pombal. APELANTE: INSS – Instituo Nacional do Seguro Social. PROCURADORA: Marcília Soares Melquíades de Araújo. APELADO: Erivandro Fernandes de Souza. ADVOGADO: Aristóteles Lacerda da Nóbrega OAB/PB 16.876.

RELATOR(A): EXMO. Dr. ALUÍZIO BEZERRA FILHO, juiz convocado, com jurisdição plena, para substituir o Exmo Des. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS. 13 – EMBARGOS DE DECLARAÇÃO Nº 0021850-

98.2014.815.0011. ORIGEM: 5ª Vara Cível da Comarca de Campina Grande. EMBARGANTE: Banco Itaú Veículos