Sunteți pe pagina 1din 23

Ficha de revisão 5

Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

1. Indique, justificando, quais das correspondências não representam funções.

(I) (II)

(III) (IV)

2. Considere a função g definida pelo diagrama de setas da figura.

2.1. Indique o domínio e o contradomínio da função g.

2.2. Calcule g  3   g  2 .

2.3. Indique x, tal que g  x   2 .

 1
 
3. Considere os pares ordenados  3a ,   e 6 , 18b , onde a, b 
 3
.

Determine o valor real de a e de b de modo que os pares ordenados sejam iguais.


Ficha de revisão 5

4. Considere a função de A em B, sendo A  2 ,  1,1, 3 e B  1, 4 , 9 .

O gráfico da função f é Gf   2 , 4 ,  1,1 , 1,1 , 3 , 9  .

4.1. Represente a função f por um diagrama de setas.


4.2. Represente a função f por um gráfico cartesiano.

5. Considere a função h tal que:


h: AB

1
x1  2x 
2

 3 5 
sendo A   ,  1, , 3 .
 2 2 

5.1. Determine o contradomínio da função h.


5.2. Represente a função h por um gráfico.

6. Considere, definidas em , as funções afins f , g, h e j, tais que:

x x
● f x  ● g x  3 ● hx  2 ● j  x   2x
3 2
6.1. Identifique as funções constantes e as funções lineares.
6.2. Admita que os gráficos cartesianos das funções g e j estão representados no mesmo
referencial cartesiano. Determine o valor de x tal que g  x   j  x  e interprete
geometricamente o valor obtido.

7. Indique, justificando, o valor lógico de cada uma das proposições.

7.1. p : A função f definida por f  x   3x é uma função de proporcionalidade direta.

7.2. q : Numa função, objetos diferentes podem corresponder à mesma imagem.

2
7.3. r : A função g definida por g  x   é uma função de proporcionalidade inversa cuja
x
1
constante de proporcionalidade é .
2

7.4. t : x  
: f  x   2 , sendo f  x   3 x .
Miniteste 1 (20 min)
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

1. Considere os conjuntos A  1, 2 e B   2, 3, 5 .


1.1. O par ordenado  
2 ,1 pertence a A  B ? Justifique.

1.2. Represente em extensão A  B .


1.3. Indique um elemento de A2  B3 e determine o cardinal de A2  B3 .

x 1 x2
2. Considere as funções reais de variável real f e g, definidas por f  x   e g x  .
x  x2 x
Caracterize cada uma das funções.

Questão-aula 1
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

Item de seleção
1. Na figura está representada, num referencial ortonormado, parte do gráfico

de uma função g definida em . Em qual das figuras seguintes poderá
1
estar parte da representação gráfica da função g ?
(A) (B) (C) (D)

Item de construção
2. Considere as funções reais de variável real, f e g, definidas por:
1
f x  x  3 e g x 
x  3
2

2.1. Determine o domínio de cada uma das funções f e g.

2.2. Mostre que a função f é injetiva.

2.3. Calcule  g f   3.


Apresente o valor pedido com denominador racional.
Miniteste 2 (20 min)
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

1. Considere a função definida, em , por f  x   x 3  2x e o respetivo gráfico representado


num plano munido de um referencial cartesiano.
1.1. Mostre que f é uma função ímpar.

1.2. Mostre que os pontos do gráfico de f de abcissas respetivamente iguais a 2 ea  2


são simétricos relativamente à origem do referencial.

1.3. Seja a  Df e P a , f a   um ponto do gráfico de f .

1.3.1. Indique as coordenadas do ponto Q do gráfico de f de abcissa –a.


1.3.2. Prove que o ponto médio do segmento de reta [PQ] é o ponto O, origem do
referencial.

a
1.3.3. Admita que b  .
2

Determine o valor de f  a   f  2b  .

2. Considere uma função g definida em Dg  .

Na figura está representado, num plano munido de um referencial cartesiano, parte do gráfico
da função g.
Complete o gráfico sabendo que g é uma função par.
Questão-aula 2
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

Item de seleção
1. Seja f uma função real de variável real, tal que:
● f é uma função injetiva;  
● f  2  5;

● f 1 é a função inversa de f; ● f é uma função ímpar.


O valor de f 1  5  é:

2
(A) 2 (B)  2 (C) (D) 5 2
5

Item de construção
2. Na figura está representado, num plano munido de um referencial cartesiano, o gráfico da
função f definida em  3 , 4  onde foram assinalados os pontos A e B pertencentes ao
gráfico de f.

2.1. Indique o contradomínio da função f.

2.2. Defina analiticamente o segmento de reta [AB].

2.3. A função f tem exatamente dois zeros, um negativo e outro positivo.

Indique o zero positivo e determine o zero negativo.

2.4. Considere a função g tal que, para todo o x  Dg , g  x   f  x  2   1.

2.4.1. Explique como pode obter o gráfico da função g a partir do gráfico da função f.

2.4.2. Seja Dg   a , b  1 o contradomínio da função g.

Determine o valor real de a e de b.

2.5. Considere a função h, tal que, para todo o x  Dh , h  x   f  x   2b .

Indique os valores reais de b de modo que a função h não tenha zeros.


Miniteste 3 (20 min)
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

1. Na figura está representado, num referencial ortonormado,


o gráfico da função f.
1.1. Indique o domínio e o contradomínio da função f.
1.2. Determine, analiticamente, o zero da função f.
1.3. Indique um intervalo onde a função f seja injetiva.
1.4. Construa uma tabela de variação para a função f.
1.5. Estude a função f quanto à monotonia.
1.6. Indique, se existirem, os extremos absolutos, os extremos relativos, os maximizantes e
os minimizantes da função g.

Questão-aula 3
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

Item de seleção
1. Relativamente a uma função real de variável real f, sabe-se que f  a  não é o mínimo, nem
relativo nem absoluto.
Qual dos gráficos seguintes poderá ser o da função f?
(A) (B) (C) (D)

Itens de construção
2. Considere a função real de variável real, definida em , por f  x   3  6 x .
Prove, recorrendo a processos exclusivamente analíticos, que a função f é decrescente.

3. Esboce o gráfico de uma função f tal que:

● tenha domínio ; ● o contradomínio seja 1, 3 ;

● seja estritamente crescente em .


Miniteste 4 (20 min)
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

1. Considere a função f, de domínio , definida por f  x   2x 2  8x  10 .

1.1. Escreva f  x  na forma a  x  h   k , onde a  \ 0 e h , k 


2
.
1.2. Indique:
● as coordenadas do vértice da parábola que define o gráfico da função f;

● uma equação do eixo de simetria do gráfico da função f;

● o contradomínio da função f.

1.3. Resolva, em , a condição f  x   10 .


Apresente o conjunto-solução usando a notação de intervalos de números reais.
1.4. Relativamente ao gráfico de f sabe-se que A e B são os pontos onde o gráfico interseta
o eixo das abcissas (a abcissa de A é menor que a abcissa de B) e C é o ponto de
interseção do gráfico com o eixo das ordenadas.
Determine a área do triângulo [ABC].

1
2. Considere a função g, de domínio , definida por g  x    x 2  3x 
. Considere, ainda, a
2
função h, também de domínio , definida por h  x   g  x  a   b . Determine o valor real de
a e de b de modo que o gráfico da função h e tenha o vértice na origem do referencial quando
representado num plano munido de um referencial cartesiano.

Questão-aula 4
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

Item de seleção
1. Seja f uma função quadrática, definida em , e cujo contradomínio é  , 4  .
Seja g a função definida em por g  x   f  x   2 . Qual é o contradomínio da função g?
(A)  6 ,    (B)  6 ,   (C)  2 ,    (D) 2 ,  

Item de construção
2. Para cada valor de c a expressão f  x   2x 2  3x  c define uma função f.
2.1. Determine para que valores reais de c:
2.1.1. a equação f  x   0 é impossível em ;

2.1.2. o gráfico de f passa no ponto de coordenadas  2 , 1 .


2.2. Indique, justificando, o valor lógico de cada uma das proposições.
2.2.1. f  5   f  3  2.2.2. Se x  , então f  x   f  3  .
3
4 4 4
1
2.2.3. Se c  , o contradomínio de f é  , 1 .
4
Miniteste 5 (20 min)
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

1. De uma função quadrática f, de domínio , sabe-se que Df   , 2 .

1.1. Indique o contradomínio de cada uma das funções.

1.1.1. g  x   f  x   3

1.1.2. h  x   f  x   1

1.2. Determine os valores reais para os quais a função j, definida por j  x   f  x   a , não
tem zeros.

, por f  x   x  4x  3 .
2
2. Considere a função f, definida em

2.1. Determine os valores de x para os quais f  x   f  3 2 .


2.2. Determine os intervalos em que f é positiva e os intervalos em que f é não positiva.

Questão-aula 5
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

Item de seleção
1. Considere a função g, de domínio , definida por g  x   2x 2  4x  1 .
Qual é o contradomínio da função g?

(A)  ,  3 (B)  1,   (C)  3 ,   (D)  ,  1

Item de construção
2. Considere a função f, de domínio , definida por f  x   6x 2  24x  25 .

2.1. Mostre que f  2  x   f  2  x  , x 

Escreva f  x  na forma a  x  h   k , onde a  \ 0 e h, k 


2
2.2. .

2.3. Estude a função f quanto ao sinal.


Miniteste 6 (20 min)
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

3  x se x  2
1. Considere a função h definida em por h  x    2
x  1 se x  2

1.1. Esboce o gráfico da função h.

1.2. Calcule o valor exato de h  2  h  2   h 2 2  .


1.3. Resolva, em  , 2 , a condição h  x   8 .

Apresente o conjunto-solução usando a notação de intervalos de números reais.

2. Represente sob a forma de intervalos ou uniões de intervalos os conjuntos-solução das


condições seguintes:

2.1. 1  x  3  2 2.2. 3 x  4  2 2.3. 10 x  2x 2  12

Questão-aula 6
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

Item de seleção
1. Considere uma função f de domínio e contradomínio   2 , 3 3  . Seja h a função de
 
domínio definida por h  x   f  x   3 . Qual é o contradomínio da função h?

(A) 0 , 2  3  (B) 0 , 2 3  (C) 0 , 2  4 3  (D) 0 , 4 3 


       

Item de construção
2. Considere a função g definida em por g  x   12  2 4  2x .
2.1. Defina, analiticamente, a função g, sem utilizar módulos.
2.2. Represente sob a forma de intervalos ou uniões de intervalos os conjuntos-solução das
seguintes condições em :
2.2.1. g  x   8 2.2.2. g  x   2
2.3. Determine, analiticamente, os zeros da função g.
2.4. Indique o contradomínio da função g.
Miniteste 7 (20 min)
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

1. Sejam f e g duas funções definidas em por f  x   4  2x  3 e g  x   3x  1  3 .

x
1.1. Seja h a função de domínio definida por h  x   f   .
2
 1
Determine h  4   h   .
2
1.2. Resolva, em , a condição f  x   g  x  .

2. Represente sob a forma de intervalos ou uniões de intervalos os conjunto-solução das


seguintes condições em .

3
2.1. 4  x 2  3 x 2.2. x 2  x 1
2

Questão-aula 7
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

Item de seleção
1. Na figura está representada, num plano munido de um referencial
ortonormado, parte do gráfico da fnção f de domínio .
Considere, ainda, a função h, definida em por h  x   f  x  .
Qual das seguintes equações tem exatamente três soluções?

(A) f  x   3 (B) f  x   0 (C) f  x   2 (D) f  x   1

Item de construção

2. Na figura está representada, num plano munido de um referencial


ortonormado, parte do gráfico de uma função f de domínio .
Considere, ainda, a função g, definida em por g  x   f  x   3 .

2.1. Mostre que a função f pode ser definida por f  x   x 2  6x  8 .

2.2. Resolva a condição g  x   0 .

 
Mostre que g  2   g 3  2    f 1  4  .
2 2
2.3.  
Miniteste 8 (20 min)
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

1. Considere as funções f e g definidas, respetivamente, por f  x   2  x  3 em  3 ,   e

g  x   x 2  3 x em .

1.1. Esboce o gráfico das funções f e g.


1.2. Determine os zeros de f.
1.3. Utilizando a calculadora gráfica, determine valores aproximados às décimas das
soluções da equação f  x   g  x  .

2. Resolva as seguintes equações, simplificando tanto quanto possível as expressões que


representam as respetivas soluções.

2.1. 8x  12  x  3 2.2. 3x  6  x  2 2.3. 3


3  4x  3

Questão-aula 8
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

Item de seleção

1. Considere a função real de variável real g, definida em  3 ,    por g  x    3  x  3 .


 
Qual é o contradomínio da função g?

(A)   , 3  (B)  3 ,    (C)   ,  3  (D)  3 ,   


      

Item de construção
2. Considere as funções f e g definidas por f  x   1  2 x e g  x   x  1.

2.1. Determine o domínio de cada uma das funções f e g.


2.2. Determine o domínio da função h  f  g e determine os zeros de h.

f  f 1
2.3. Determine   12  . Apresente o resultado com denominador racional.
g g 3
Ficha de preparação para o teste de avaliação 5
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

1
1. Considere a função h de domínio definida por h  x   x  b , sendo b é uma constante
2
real.
1.1. Justifique que a função h é bijetiva.

1.2. Caracterize a função h 1 , inversa da função h.

2. Na figura está representada, num referencial ortonormado, parte do gráfico de uma função f.

Seja f 1 a função inversa de f.

f 1  2 
2.1. Calcule o valor exato de .
3  f 1   3 

Apresente o valor pedido com denominador racional.

2.2. Esboce o gráfico da função f 1 .

3. Na figura está representada num plano munido de um referencial cartesiano a função g


definida em .

3.1. Esboce o gráfico da função h definida por h  x   g  x  2  1 .

3.2. Considere a função f tal que, para todo o x  Df , f  x   g  x  a   b .

Indique os valores reais de a e de b, tais que:


3.2.1. a função f tenha exatamente um zero;

3.2.2. o contradomínio da função f seja, Df    , 3  ;



3.2.3. a função f seja par.
Ficha de preparação para o teste de avaliação 5
Ficha de preparação para o teste de avaliação 5

4. O gráfico de uma função afim f interseta o eixo Ox em x  3 e o eixo Oy no ponto de


ordenada –4.
4.1. Determine:
4.1.1. a forma canónica de f;
4.1.2. os zeros da função g definida por g  x   f  x  2 ;

4.1.3. a ordenada do ponto de interseção do eixo Oy com o gráfico da função h definida


por h  x   f   x   3 .

4.2. Esboce o gráfico da função j definida por j  x   2f   x   4 .

5. Relativamente a uma função f, de domínio , sabe-se que:


● f 0  2

● f é estritamente crescente em 0 ,   ;

● f é par.
5.1. Faça um esboço de uma função f compatível com as informações dadas.
5.2. Relativamente à função f, qual das seguintes afirmações é verdadeira?
(A) O contradomínio de f é 0 ,   . (B) f é estritamente crescente em .

(C) f é injetiva. (D) f não tem zeros.

6. Considere uma função h definida em  5 ,   , tal que a sua tabela de variação é:

5
x –5 –1 2 2 
2
hx 2 2 0 4 

6.1. Esboce o gráfico de uma função h que seja compatível com as informações contidas na
tabela.
6.2. Indique o conjunto-solução de cada uma das condições.
6.2.1. h  x   4 6.2.2. h  x   0

7. Represente sob a forma de intervalos ou uniões de intervalos os conjuntos-solução das


seguintes condições em :
7.1. 2x 2  6x 7.2. x 2  4  3 x

7.3. x  x  2  2  6  x   x  2
2
7.4.  2

7.5. x  2  1  2x 7.6.  x 2  x  2  4
Ficha de preparação para o teste de avaliação 5

8. Considere a função g tal que:


g:  3 , 4 
x1 3 x  2  12

8.1. Defina, analiticamente, a função g sem utilizar módulos.


8.2. Indique, justificando, o valor lógico de cada uma das proposições.
8.2.1. A função g tem dois zeros reais distintos.
8.2.2. O contradomínio da função g é  12 ,   .

8.2.3. A função g tem três extremos.


8.3. Resolva a condição g  x   3 .

Apresente o conjunto-solução usando a notação de intervalos de números reais.

9. Na figura está representado um retângulo [ABCD].

Este retângulo é o esboço de um azulejo de 30 cm de comprimento por 18 cm de largura


eque será constituído por uma parte colorida e por uma parte branca.
A parte colorida é formada por quatro quadrados iguais e um retângulo, tal como a figura
sugere.
Cada quadrado tem um vértice num vértice do retângulo [ABCD].
Seja x o lado de cada um destes quadrados, medido em cm  x  0 , 9  .

9.1. Mostre que a área, em cm2, da parte colorida do azulejo é dada, em função de x, por:
A  x   8x 2  96x  540

9.2. Determine o valor de x para o qual a área da parte colorida do azulejo é mínima e calcule
essa área.
9.3. Determine os valores de x para os quais a área da parte colorida do azulejo é inferior à
área da parte branca do azulejo.
Ficha de preparação para o teste de avaliação 5

10. Considere as funções f e g definidas por:

f  x   4  4x 2 e g x  x 1

10.1. Determine o domínio de cada uma das funções f e g.


10.2. Determine o domínio da função h  f  g e determine os zeros de h.

 1
10.3. Mostre que  f g     3 .
2

11. Na figuras estão representadas duas funções f e g.

11.1. Indique o domínio e o contradomínio de cada uma das funções.


11.2. Indique o domínio da função f  g e calcule  f  g  0  .

11.3. Defina analiticamente cada uma das funções.


11.4. Indique o domínio de f  g e calcule  f  g  3  .

12. Considere a função real de variável real f, definida em  , 1 , por:

f  x   4  1 x

( f 1 é a função inversa da função f .)


12.1. Calcule f 1 1  f 1  2 .

12.2. Caracterize a função f 1 .


Teste de avaliação 5 (90 min)
Nome da Escola Ano letivo 20 /20 Matemática A | 10.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor / /20

1. Seja f a função, de domínio  2 ,   , definida por f  x   x  2 .

Qual é o valor de f 1  4  ( f 1 é a função inversa de f )?

(A) 18 (B) 2 (C) 16 (D) 4

2. Seja h a função, de domínio , definida por h  x   x  3 . Seja g a função de domínio \ 1


1 2 2
definida por g  x   . Para um certo número real a, tem-se que  g h  a   .
x 1 2
Qual é o valor de a?

(A) 2  2 (B) 2 2 (C) 2 (D) 2  2 2

3. Dado um plano munido de referencial ortogonal, a translação  do plano que ao ponto


P  x , y  associa o ponto P   x , ay  designa-se por:

(A) contração vertical de coeficiente a se a  1 ;


(B) dilatação vertical de coeficiente a se a  1 ;
(C) contração horizontal de coeficiente a se 0  a  1 ;
(D) dilatação horizontal de coeficiente a se a  1 .

4. Na figura está representado, num plano munido de um referencial


cartesiano, o gráfico da função afim f.
Considere a função h, tal que, para todo x  Dh , h  x   f   x  .

O conjunto-solução da condição f  x   h  x  é:

(A)  , 0 (B) 2 ,   (C)  ,  2 (D) 0 ,  

5. Considere a função j definida por: j:  2 , 5 


x1 2x 2
Qual das seguintes afirmações é verdadeira?
(A) O contradomínio da função j é 8 , 50  .

(B) A função j é par.


(C) A função j tem um mínimo absoluto para x  2 .
(D) A função j não é par nem ímpar.
Teste de avaliação 5 (90 min)

6. De uma função quadrática f, de domínio , sabe-se que 2 e 6 são os seus zeros.


Qual dos seguintes pontos não pode pertencer ao gráfico da função f ?
(A) 0 , 4 (B)  4 , 0 (C)  4 , 1 (D) 1, 4 

7. Na figura está representada, num plano munido de um referencial ortonormado, parte do


gráfico da função f de domínio , definida por f  x   x  a  b  a , b  .

Qual das seguintes afirmações é verdadeira?


(A) a  0  b  0 (B) a  0  b  0
(C) a  0  b  0 (D) a  0  b  0

8. Considere as funções h e j definidas, respetivamente, por h  x  


4
2x
em \  2 e
j  x   3 x  2 em .

Admita que a   h j  10  e b  j 1  1 .

Qual é o valor de a  b ?

(A) 2 2  4 (B) 4 2  12 (C) 2 2  4 (D) 4 2  12

9. Considere a função afim f que, para dados valores reais m  0 e b, é definida por
f  x   mx  b .

Sabe-se, fixado um referencial ortonormado do plano, que:


● o ponto A 1, 2  pertence ao gráfico de f;

● o ponto B  2 , 3  pertence ao gráfico de f.

Caracterize a função f 1 , função inversa de f.

10. Considere a função f definida em por f  x   x 2  2x .

Estude a função f quanto à paridade.


Teste de avaliação 5 (90 min)

11. Na figura está representado, num referencial ortonormado, o gráfico da função g.

11.1. Indique o domínio e o contradomínio da função g.


11.2. Construa uma tabela de variação para a função g.
11.3. Considere a função f definida por f  x   g  x  1  1 .

11.3.1. Esboce o gráfico da função f.


11.3.2. Estude a função f quanto à monotonia.

12. Considere a função h definida em por h  x   6  2x  2 .

12.1. Determine o contradomínio da função h.


12.2. Determine os zeros da função h.
12.3. Resolva, em , a condição h  x   4 .

Apresente o conjunto-solução usando a notação de intervalos de números reais.

13. Resolva as seguintes equações, simplificando tanto quanto possível as expressões que
representam as respetivas soluções.

13.1. 2x  2  1  x 13.2. x 3 3 x

14. Na figura está representada, num referencial ortonormado,


parte do gráfico da função polinomial, do terceiro grau, g,
definida em .

14.1. Determine o domínio da função h tal que h  x   g  x  .

14.2. Prove que a função g pode ser definida por:


x3 x2
g x    4x  6
2 2
Soluções

Ficha de revisão 5 Questão-aula 1


1. I. É função, pois a cada elemento do conjunto A corresponde 1. (C)
um único elemento do conjunto B.
2.1. Df   3 ,    ; Dg 
II. Não é função, pois ao elemento 3 do conjunto A
correspondem dois elementos do conjunto C (ou seja, 2.2. A função f é injetiva se e somente se:
corresponde a mais do que um elemento do conjunto C). x1 , x2  Df , f  x1   f  x2   x1  x2
III. Não é função, pois ao elemento 3 do conjunto A não
corresponde qualquer elemento do conjunto D. f  x1   f  x2   x1  3  x2  3  x1  3  x2  3
IV. É função, pois a cada elemento do conjunto A corresponde  x1  x2
um único elemento do conjunto E. Portanto, a função f é injetiva.
2.1. Dg  3 ,  2 ,  1, 0 e Dg  0 , 2 , 4 , 6
3
2.2. 2 1.3.
3
2.3. x  1 Miniteste 2
2 1.1. Uma função f, real de variável real, é ímpar se para todo o x
3. a  2 3  b  
18 pertencente ao domínio de f, –x também pertence ao
4.1. 4.2. domínio de f e f  x   f  x  . Assim, tem-se que Df  ,
pelo que x  Df ,  x  Df .

f   x     x   2   x   f   x    x 3  2x 
3


 f   x    x 3  2x   f  x   f  x 

Portanto, x  ,  x   f  x   f  x  , pelo que a


função f é ímpar.
1.2. A ordenada do ponto do gráfico de f e abcissa igual a 2 é

 2  . De modo análogo, a ordenada do ponto do gráfico


f

 11 9 5 7  de f de abcissa igual a  2 é f   2  . Assim:


5.1. Dh   ,  , , 
 2 2 2 2
● f  2   2  2 2  f  2  2 2  2 2  f  2  0
3

 3 7   5 5 9  11 
Gh    ,  ,  1,  ,  ,   ,  3 ,   
       
5.2. 3
 2 2   2   2 2   2  ● f  2   2  2  2  f  2  2 2  2 2 

 
6.1. f e j são funções lineares e h é uma função constante
(g é uma função afim não linear e não constante). f  2 0

6.2. x
6
5
Os pontos têm coordenadas    
2 , 0 e  2 , 0 e como

Interpretação: significa que os gráficos cartesianos das têm abcissas e ordenadas simétricas (o simétrico de zero é
o próprio zero), os pontos são simétricos relativamente à
funções g e j, representados no mesmo referencial,
origem do referencial.
1.3.1. Q  a ,  f  a  
6
intersetam-se no ponto de abcissa  .
5
7.1. A proposição p é verdadeira. 1.3.2. P  a , f  a   e Q  a ,  f  a  
Uma função definida por f  x   ax, a  \ 0 é uma Determinemos as coordenadas do ponto médio do
função de proporcionalidade direta. segmento de reta [PQ].
7.2. A proposição q é verdadeira.  a   a  f  a    f  a     a  a f  a   f  a  
Por exemplo, seja f a função definida em por f  x   x 2 . 

,   
  2
,    0 , 0 
 2 2  2 
Os objetos 1 e –1 são diferentes e têm a mesma imagem,
O ponto médio do segmento de reta [PQ] é, de facto, a
pois f 1  1 e f  1  1 . origem do referencial.
7.3. A proposição r é falsa. 1.3.3. 0
De facto, a função g é uma função de proporcionalidade 2.
k
inversa, definida por uma expressão do tipo , k  0 , mas
x
1
a constante de proporcionalidade é 2 e não .
2
7.4. A proposição t é falsa. Ora:
f  x   2   x   2   x  8 e  8 
3 3 
3
x  2  3

Miniteste 1 Questão-aula 2
1.1. O par ordenado  
2 ,1 não pertence a A  B mas sim a 1. (A)
BA . 2.1. Df   2 , 3 2.2.  x , y    3 ,  2  t  4 , 5, t 0 ,1
  
1.2. A  B  1, 2 , 1, 3 , 1, 5 , 2 , 2 , 2 , 3 , 2 , 5     2.3. O zero positivo é x  4 . O zero negativo é x  
7
5
1.3. Por exemplo, 1, 2 ,  3, 2, 5  2.4.1. O gráfico da função g obtém-se a partir do gráfico da
função f pela translação associada ao vetor de

# A B2 2
 #A 2
 # B  2  2  3  3  3  4  27  108
3
coordenadas  2 ,  1 .
2. f : \ 0 ,1  g: 2,   \ 0  2.4.2. a  3 e b  1
x 1 x2  3
x1
x  x2
x1
x 2.5. b    ,    2,  
 2
Soluções

Miniteste 3 3 3 
2.2.2. A proposição é falsa, já que f    f  x  , x  \ .
1.1. Df  5 , 4 e Df  2 , 4
14 4 4
1.2.
5
3 9
 1 2.2.3. O vértice tem coordenadas  , c   e a  0 , pelo que
1.3. Por exemplo,  0 ,  4 8
 2
 9 1 9
1.4. Df    , c   . Se c  , então c  é igual a
 8 4 8
x –5 –4 –2 1 4
f x 1 9 2 9 11  11
3 4 1 3 n.d.     , donde Df    ,  . Assim, a
4 8 8 8 8  8
1.5. f é crescente em  5 ,  4 e em  2 , 1 e f é decrescente proposição é falsa.
em  4 ,  2 e em 1, 4 . Miniteste 5
1.6. Mínimo relativo: 3 (–5 é minimizante) 1.1.1. Dg   , 5 1.1.2. Dh  3 ,  
Máximo absoluto: 4 (–4 é maximizante e máximo relativo)
1.2. a  2
Mínimo relativo: 1 (–2 é minimizante)
Máximo relativo: 3 (1 é maximizante) 2.1. x  2  3  x  2  3
Não tem mínimo absoluto. 2.2. f é positiva em  ,  3  1,   e f é não positiva em

Questão-aula 3
3 ,  1 .
1. (D)
Questão-aula 5
2. Dada uma função real de variável real f e Df  ,fé 1. (C)
decrescente em se para quaisquer dois elementos: 2.1. f  2  x   f  2  x  
x1 e x2 de , se x1  x2 , então f  x1   f  x2  .  6  2  x   24  2  x   25  6  2  x   24  2  x   25 
2 2

f  x1   f  x2   3  6x1  3  6x2  6x1  6x2   


 6 4  4 x  x 2  48  24 x  25 
 x1  x2 , x1 , x2   
 6 4  4 x  x 2  48  24 x  25 
Portanto, f é uma função decrescente em .  24  24x  6x 2  48  24x  25 
3. Por exemplo:
 24  24x  6x 2  48  24x  25 
 6x 2  1  6x 2  1
pelo que f  2  x   f  2  x  , x  .

2.2. f  x   6  x  2  1
2

2.3. A parábola que define graficamente a função f tem a


concavidade voltada para cima, pois a  0 , e tem vértice
no ponto de coordenadas (2 , 1). Logo, Df  1,   . Assim,
Miniteste 4 f é positiva em , pelo que é não negativa em .
1.1. f  x   2  x  2  18
2

Miniteste 6
1.2. ● Vértice da parábola:  2 ,18  1.1.
● Equação do eixo de simetria: x2
● Df   ,18

1.3.  , 0  4 ,   1.4. 30


3 7
2. a   b 
2 4

Questão-aula 4
1. (D)
 9
2.1.1. c    ,   2.1.2. c  3  3 2 1.2. 1  2 2 1.3. 3 , 2
 8
2.1.  , 0  6 ,   2.2.  ,  
 3 
2.2. f  x   2x 2  3x  c  f  x   2  x 2  x   c  2.3.  ,  1  2 , 3  6 ,  
 2 

 3 9  9
 f  x   2  x 2  x    c  2 
Questão-aula 6

 2 16  16 1. (A)
4  4 x se x  2
2.1. g  x   
2
 3 9
 f  x   2  x    c  20  4 x se x  2
 4 8
 1 9 
Logo, a  2  0 , pelo que a parábola que define 2.2.1. 3 , 7 2.2.2.   ,     ,   
 2 2 
graficamente a função f tem concavidade voltada para baixo
2.3. –1 e 5 2.4. Dg   , 12
3 9
e tem vértice no ponto de coordenadas  , c   .
4 8
Miniteste 7
3
Daí que f   é máximo absoluto da função f. 1.1. 
5
1.2. 3 ,1
4 2
 1
3 3
2.2.1. f  5   f   é verdadeira, pois f   é o máximo 2.1.  ,   2.2.  2 , 
4 4  2

absoluto da função f.
Soluções

Questão-aula 7 Portanto, a função h é injetiva.


1. (A) ● A função h é sobrejetiva se para todo o y  existir um
2.1. A parábola tem a concavidade voltada para cima, vértice no
elemento x  Dh tal que y  h  x  .
ponto de coordenadas (3 , –1) e (2 , 0) é um ponto que lhe
1 1
pertence. Assim, f  x   a  x  h   k , onde  h , k   3 ,  1
2
x  b  y  x  y  b  x  2  y  b
2 2
e f  2  0 . Assim: Logo, para todo o y  , existe x  Dh  tal que

0  a  2  3  1  0  a  1  1  0  a  1 1  0  a  1 
2 2 y  f  x  , pelo que a equação h é sobrejetiva.
Como a função h é injetiva e sobrejetiva, então é bijetiva.
 a 1
1.2. h 1 : 
Logo, f  x   1 x  3   1 , ou seja:
2

x1 2x  2b
f  x    x  3   1  f  x   x 2  6x  9  1 
2

82 3
2.1.
 f  x   x2  6x  8 13
2.2.
2.2. x  5  x  1
2.3. g  x   f  x   3  g  x   x 2  6 x  8  3 

 g  x   x 2  6x  5
Assim:
 g  2   22  6  2  5  g  2   4  12  5  g  2   3 

 g  2  3

     
2
 g 3 2  3 2 6 3 2 5 

 9  6 2  2  18  6 2  5  2  2 3.1.

 f 1  12  6  x  8  f 1  1 6  8  f 1  3


Daí que:

 
g  2  g 3  2   f 1  42   3  22   3  4 2 
2

 
 12   1  1  1
2


Logo, g  2  g 2  2   f 1  4 .  3.2.1. a  e b  1
2 2

 
3.2.2. a  e b   3 1
Miniteste 8
1.1. 3.2.3. a  3 e b 
4
4.1.1. f  x   x4
3
4.1.2. x  1
4.1.3. 7
4.2.

5.1.

1.2. 1 é zero da função de f. 1.3. x  0,1 x  2,9


2.1. S  1, 3 2.2. S  2 , 5 2.3. S  6
Questão-aula 8
1. (C)
 1  5.2. (D)
2.1. Df    ,    e Dg  0 ,   6.1. Por exemplo:
 2 
2.2. Dh  0 ,   . Os zeros da função h são: 0 e 4

9 3  23
2.3.
22
Ficha de preparação para o teste de avaliação 5
1.1. A função h é bijetiva se for simultaneamente injetiva e
sobrejetiva.
● A função h é injetiva se e somente se:
x, x2  Dh , h  x1   h  x2   x1  x2
1 1 1 1
h  x1   h  x2   x1  b  x2  b  x1  x2  x1  x2
2 2 2 2
Soluções

5    1 
6.2.2. x   5 ,  3   
2
6.2.1.   1 1   1  1
2
10.3. f g     f  g     f   1  f     4  4   
2   2  2   2  2
7.1.  ,  3  0 ,   7.2.  ,  1  4 ,    1
 4  4   4 1 3
7.3.  ,  6  2 ,   7.4.   2, 2 4
7.5.  1, 1 7.6.  2 , 3 11.1. Df  5 , 4 , Df  1, 4 , Dg   4 , 5 e Dg  5 , 2
3 x  18 se 2  x  4 11.2. Df g   4 , 4 ; f  g 0  5
8.1. g  x   
3 x  6 se  3  x  2
5 22
8.2.1. g  x   0  3  x  4  3 x  2  12  0  3  x  4   3 x  3 se  5  x  2
11.3. f  x   
 x  2  4  3  x  4   1 x  3 se  2  x  4
 2
  x  2  4  x  2  4  3  x  4  5
4 x  2 se  4  x  0
  x  6  x  2  3  x  4  
 7
g  x    x  2 se 0  x  3
 x  2 (Nota: 6   3 , 4 )  3
A função g tem um e um só zero, logo a proposição é falsa. 1 13
 x se 3  x  5
8.2.2. g  3  3 3  2  12  3 5  12  3  5  12  3 2 2

11.4. D f  g   4 , 4 ;
15
g  4  3 4  2  12  3 2  12  3  2  12  6  f  g  3   
2
Gráfico de g : 12.1. –11
12.2. f 1 :  , 4   ,1

x1  x 2  8 x  15
Teste de avaliação 5
1. (A) 2. (C) 3. (B) 4. (A) 5. (D)
6. (B) 7. (B) 8. (D)
9. f 1 : 
x1 x 1
10. A função nem é par nem é ímpar.
11.1. Dg  5 , 4 e Dg  3 , 3
11.2.
x –5 –4 0 4
g x 2 3 –3 1
11.3.1.

Assim, Dg  12, 3 , pelo que a proposição é falsa.


8.2.3. Extremos de g:
11.3.2. f é crescente em  4 ,  3 e em 1, 5 e f é decrescente
g  3  3 é máximo absoluto (e também é relativo);
em  3 ,1
g  2  12 é máximo absoluto (e também é relativo);
12.1. Dh   , 6 12.2. – 4 e 2 12.3.  ,  6  4 ,  
g  4  6 é máximo relativo.
A proposição é verdadeira.
13.1. 1, 3 13.2. 1
8.3. 3 ,  1 14.1. Dh  2  3 ,  
14.2. A função g é polinomial do terceiro grau, sendo –2 um zero
9.1. Área de cada quadrado de lado x : x 2
2
duplo e 3 um zero simples.
Área dos quatro quadrados de lado x : 4x O ponto de coordenadas (0 , –6) pertence ao gráfico de g.
Área do retângulo cinzento:
Assim, g  x   a  x  2  x  3  , a 
2
a  0 .
30  2x 18  2x   540  60x  36x  4x2  540  96x  4x 2
Como g  0  6 , vem que g  0  6 .
Área da parte cinzenta do azulejo =
= Área dos quatro quadrados de lado x + 6  a  0  2   0  3   6  a  4   3  6  12a 
2

+ Área do retângulo cinzento =


6 1
 4x 2  540  96x  4x 2  8x 2  96x  540 a a
12 2
9.2. O valor de x para o qual a área da parte cinzenta do azulejo
é mínima é 6 cm, sendo essa área igual a 252 cm2. g x 
1
2
1

 x  2  x  3   g  x   x 2  4x  4  x  3  
2

2

9.3. x  4,5 ; 7,5

10.1. Df   1,1 ; Dg 
 g x 
2

1 3
x  3x 2  4x 2  12x  4x  12  
3
x2
10.2. Dh  1,1 ; os zeros da função h são 
3
5
e 1 .  g x 
2

1 3
x  x 2  8 x  12  g  x  
x
2

2
 4x  6