Sunteți pe pagina 1din 4

CADEIA DE UNIÃO

10.11.2007 – 19:56

Caro Ir.
cumpra o que está previsto no ritual de vossa Obediência. Isto é o que vale até a próxima
revisão. O importante é formar a Cadeia. A questão de retirar as colunas e o tapete é um
trabalho a mais que não há necessidade, mas tudo depende do ritual.
Contudo a nossa orientação é a seguinte:
No encerramento, a Cadeia deve ser formada ao redor do Altar. Ou seja, o V.M. fica atrás do
Altar, o Tapete já dobrado permanece em seu lugar, as colunas das 3 grandes velas ficam em
seus lugares, e os Irmãos simplesmente ficam de mãos dadas, sem cruzar os braços e sem
tocar as pontas dos pés. Se o número de Irmãos for pequeno, eles se aproximarão do Altar
pois o V.M. deve ficar atrás do Altar, para onde retornou logo após apagar a vela da Sabedoria.
Este é o modo orientado pela Loja Absalom da Alemanha.
Sds do Gouveia

10.11.2007 - 20:18

Faço minhas as palavras do Ir. Rui com relação à Cadeia. Não devemos adotar
procedimentos de outros ritos que não o nosso. A Cadeia de União é simbólica
naquilo em que ela se propõe: manter unidos os IIr.. Ela não é um ato de
religiosidade e as mãos dadas, fortemente unidas, representam os elos de
uma corrente que não deve se quebrar. TORNA-SE NECESSÁRIO, EM
BENEFÍCIO DA UNIFORMIDADE DO RITO, ALERTAR ÀS LOJAS QUE O PRATICAM
QUANTO A INCONVENIÊNCIA DE INOVAÇÕES; daí a importância da realização
periódica de seminários. Temos visto em outros ritos, numa mesma semana,
diferentes modos de celebração das sessões até com a alegação de "usos e
costumes". Não vamos incidir nos mesmos erros. Se julgarmos ser necessária
qualquer alteração, que ela seja feita somente após o exame e a autorização da
competente Comissão de Liturgia que, certamente, saberá se pronunciar após
ouvir os seus pares e as suas congêneres.Lutemos pela pureza do Rito
Schröder.CAM. Guilherme VIctor M de Lima Camara-VM e Membro da
Subcomissão de Liturgia do Rito Schröder da GLMERJ

11.11.2007 – 11:50

Irmãos, vivemos na pele profunda ingerência do escocismo em nossa Loja, com a velha
intenção de que tudo é maçonaria. Percebemos com o tempo que todos estavam com a maior
das boas intenções e vontade de ajudar a Loja. Também notamos que os irmãos escoceses
tinham a maior dificuldade de entender que as Potências reconhecem o Rito Schröder e suas
peculiaridades, portanto, devem seguir o que orientam os nossos rituais. Percebe-se isso nos
comentários de que o nosso Rito é muito "light..."
Com o tempo, juntamente aos irmãos, Rui Jung, Sailer, Vitor Hugo, Gouveia e muitos outros que
colaboraram, corrigimos ponto a ponto os detalhes e colocamos 100% da cultura do Rito
Schröder em nossa Loja. Convém dizer aos irmãos que nossos primeiros lideres, foram
maravilhosos irmãos e com origem no REAA, mas acreditem, a "parada" foi dura!
Recomendamos que não invistam em nada que esteja fora dos rituais meus irmãos. Não criem!
Não inventem e principalmente perguntem aos Diretores do Colégio Schröder sobre os
procedimentos. Assim que receberem as respostas corrigindo a ritualística, enviem copias dos
procedimentos recebidos aos irmãos que resistem as peculiaridades do Rito Schröder. Tenho
absoluta certeza que com o tempo, tudo estará de acordo com nossos costumes.
Nossas Lojas não possuem colunas, mas lados da Loja. Trabalhamos em Templos com um
plano só. Somente os VV.MM. determinam quem deve levantar ou falar e não se fala jamais à
Ordem. O Oriente fica localizado atrás da mesa do V.M. e não nos lados da Loja. Em nossas
Lojas não adotamos Estandartes!!!. O Tronco de Solidariedade em nosso Rito chama-se
"ATO DE AMOR" e inicia sua coleta no primeiro irmão a esquerda do Tesoureiro e não
precisa ser o V.M. o primeiro depositante e segue até retornar a mesa do Tesoureiro.
Recomendamos que façam Seminários em seus Orientes convidando os Diretores do Colégio
Schröder para levar os procedimentos até suas Lojas. Gostaria muito de enviar meus parabéns
aos irmãos que estão com a maçonaria em seus corações.
C.A.M.

Ronaldo Luis F. Siqueira - V. M.


11.11.2007 – 15:55

Caro Irmão Wanderley Vargas

Gostaria de fazer alguns comentários e esclarecimentos quanto a sua


resposta, abaixo aos meus questionamentos:

1. Não posso falar e nem sei se existem ou não grupos de discussão de


Rituais de outros Ritos, pois fui iniciado em 1998 no Rito Schroder e
até hoje sou obreiro deste, portanto nunca participei de fóruns de
outrem;
2. Entendo que, se existe um grupo de estudo para o Rito Schroder,
acho perfeitamente viável e correto que discutamos e ajudemos uns aos
outros à dirimir dúvidas, obviamente preservando sempre nossos
segredos e mistérios (tenho certeza que em nenhum momento eu os
profanei);
3. Quando o Irmão afirma que nosso Rito é diferente, concordo, mas não
no sentido pejorativo que o Irmão coloca e sim porque ele é diferente
mesmo dos outros Ritos, praticado por muito menos Irmãos e portanto
muito mais suscetível ao desconhecimento e dúvidas;
4. Pergunto ao Irmão será que todos os Rituais das Grandes Lojas e
demais potências são iguais? Pelo pouco que conheço, posso te
responder que não, pois o da Grande Loja do Pará é bem diferente do da
Grande Loja de São Paulo, pois já os confrontei, assim sendo, tenho a
impressão que também é bem diferente do seu Oriente;
5. Outra pergunta: Todas as Grandes Lojas se submetem ao Colegiado que
o Irmão cita? Se sim, não deveríamos ter um único Ritual? Isso ocorre?
Acho que não;
6. Indo por sua linha de raciocínio, caro Irmão Wanderley, vamos
cumprir então o Ritual que temos neste Oriente e quem sabe surgirá um
novo Rito, diretamente das bandas do norte;
7. Essa sua analogia em afirmar que Ritual é igual a manual de carro,
é um tanto quanto estranha para mim, pois leva por água abaixo tudo
que aprendi durante estes poucos, mas intensamente vividos, anos de
maçônaria. Vamos tratar tudo como uma simples troca de pneu!
8. Por fim gostaria de informar ao Irmão Wanderley que nunca faltou
leitura e estudo a este que vós escreve, mas se o Irmão se propuser a
encaminhar a sua literatura do Rito Schroder para este eterno
aprendiz, ela será muito bem vinda, aliás terá muito mais valia do que
este tipo de comentário que o Irmão fizeste, que além de dispensável é
extremamente indelicado e em nada ajuda!

Quero deixar claro mais uma vez que participo do grupo para discutir,
aperfeiçoar e poder ajudar à construir algo de bom para o Rito
Schroder, se isso não é possível, ou se tenho ferido as regras,
humildemente peço ao moderador a minha retirada do grupo, pois, sem
querer ofender ou melindrar meus diletos Irmãos (que em sua grande
maioria tem feito um grande trabalho no grupo), é para mim de pouca
valia participar para ter somente informações de datas festivas e que
tais.

Peço desculpas aos Irmãos pelo desabafo, pois sei que este não é o
fórum adequado para este ato, mas não poderia me furtar de tal
manifesto, pois me senti diretamente atacado, sem justo motivo.

Agop Tchilian Neto MM


ARLS Os Templários nº 77

11.11.2007 – 17:32

Caros Irmãos,
Quando nós formulamos nossas perguntas aos nossos Irmãos na Alemanha, eles nos
tem atendido com muita satisfação e afimam que o unico modo de nos entendermos é
através das perguntas. E ainda afirmam que não existem perguntas tolas, mas sim
respostas tolas. Nós só mantemos o grupo para fazermos perguntas e cada Irmão se
puder deve dar a sua resposta. As respostas são dirigidas ao grupo. Se são boas
servirão para aumentar o nosso cabedal de conhecimento. Se for ruim serve como
participação e interesse do membro pelo grupo.
Agora se não existirem perguntas como vamos pesquisar. Quem poderá nos deixar
em dúvida? Apenas os Irmãos participantes. Este é um grupo que consta de mais de
250 Irmãos de 12 Obediências brasileiras e uma Alemã, por isto é importante a
participação, para mantermos o pensamento do Seminário de Porto Alegre de 1998:
um rito com um só ritual. Sabemos das dificuldades que passamos devido a
influências dos ritos maiores e do seus interesses de unificar o pensamento de acordo
com a sua ritualística. Contudo isto não acontece apenas no Brasil.
Assim precisamos de todos.
Sds do Gouveia

11.11.2007 – 18:23

Irmão Gouveia, demais irmãos.

Nos brasileiros, todos, somos os culpados por tantas diferenças ritualísticas.


Tenho por diversas vezes solicitado que o Colégio do Rito Schröder assuma
definitivamente a posição que lhe pertence, de direito, por haver iniciado os
trabalhos de estudos do Rito no Brasil.
Acredito até que os irmãos de Joinville-SC é quem deveriam trazer para si essa
responsabilidade, a de unificar em todas as Potências Regulares Brasileiras, o
Rito Schröder.
Hoje o que vemos é exatamente o que estamos presenciando, diferenças e
mais diferenças, embora o Rito seja o mesmo.
Bom final de domingo.
RL

11.11.2007 – 22:58

Caro Irmão Neto, longe de ferir o Irmão com sua indagação, mais como no sul, temos os mais
estudiosos e conhecedores do Rito os Irmãos (Belli, Jung e Gouvea). E achando que o Ritual
deva ser unificado entre as obediências e ainda conhecendo o Rito Alemão, tomei a liberdade,
pensando que estava enriquecendo nossos objetivos.
- Minha opinião: Como o Rito ainda e novo no "Brasil", em comparação aos outros Ritos, devem
os Aprendizes visitar a outros Ritos, quando na qualidade de Companheiros acompanhados de
seus garantes, com certeza certos questionamento não vão aparecer.
Ceto do entendimento e compreensão.
Wanderley Vargas Filho