Sunteți pe pagina 1din 3

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Centro de Formação Profissional de Bragança

EXPRESSÃO MOTORA

“O corpo que a criança vai progressivamente dominando desde o


crescimento e de cujas potencialidades vai tomando consciência, constitui o
instrumento de relação com o mundo e o fundamenta de todo o processo de
desenvolvimento e aprendizagem.
Ao entrar para a educação pré-escolar a criança já possuiu algumas
aquisições motoras básicas, tais como andar, transpor obstáculos, manipular
objectos de forma mais ou menos precisa. Tendo em conta o
desenvolvimento motor de cada criança, a educação pré-escolar deve
proporcionar ocasião de exercício da motricidade global e também na
motricidade fina, de modo a permitir que todas e cada uma aprendam a
utilizar e a dominar melhor o seu corpo.

A diversificação de formas de utilizar e sentir o corpo – trepar, correr e


outras formas de locomoção, bem como deslizar, baloiçar, rodopiar, saltar a
pé juntos ou num só pé, etc.

A exploração de diferentes formas de movimento permite tomar


consciência dos diferentes segmentos do corpo, das suas possibilidades e
limitações, facilitando a progressiva interiorização do esquema corporal e
também a tomada de consciência do corpo em relação ao exterior –
esquerda, direita, em cima, em baixo, etc. É situando o seu próprio corpo
que a criança aprende as relações no espaço relacionadas com a matemática.

O desenvolvimento da motricidade fina insere-se no quotidiano do jardim-


de-infância, onde as crianças aprendem a manipular diversos objectos.
(Ministérios da Educação, Orientações curriculares para a Educação Pré-
escolar p. 58)

República Portuguesa
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Centro de Formação Profissional de Bragança

DRAMÁTICA

“…é um meio de descoberta de si e do outro, de afirmação de si próprio em


relação com o(s) outro(s) que corresponde a uma forma de se apropriar de
situações sociais. Na interacção com outra ou outras crianças, em
actividades de jogo simbólico, os diferentes parceiros tomam consciência
das suas reacções, do seu poder sobre a realidade, criando situações de
comunicação verbal e não verbal.
…permitindo às crianças recrear experiências da vida quotidiana, situações
imaginárias, etc”.
(Ministérios da Educação, Orientações curriculares para a Educação Pré-
escolar)

EXPRESSÃO PLÁSTICA

“…possibilita à criança mais uma forma de descoberta e comunicação


diferentes de outras.
…constitui uma forma de linguagem.
A criança através da expressão plástica exprime o que não pode confiar à
expressão verbal”.
(Ministérios da Educação, Orientações curriculares para a Educação Pré-
escolar)

“A criança, como artista, Não copia traços ou formas, tonalidades ou


sombras; a criança dá ao que vê a sua interpretação.
Há que deixá-la crescer e afirmar-se para que se sinta que é ela própria
única autora da sua obra…”
(M.E.; Perspectivas de Educação em Jardins de Infância s/d, p. 42)

República Portuguesa
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Centro de Formação Profissional de Bragança

EXPRESSÃO MUSICAL

“Assenta num trabalho de exploração de sons e ritmos, que a criança produz


e explora espontaneamente e que vai aprendendo a identificar e a produzir
com base num trabalho sobre os diversos aspectos que caracterizam os
sons: intensidade, altura, timbre, duração, etc”.
(Ministérios da Educação, Orientações curriculares para a Educação Pré-
escolar)

“A música baseia-se no som e o som é algo que nos rodeia, que nos
influencia desde muito cedo”.
(M.E.; Perspectivas de Educação em Jardins de Infância s/d, p. 39)

“ Cantando, tocando ou quaisquer que sejam as outras formas que ela


utilize, ela está a comunicar, a desenvolver a sua capacidade criativa, a
desenvolver o seu sentido rítmico e auditivo, ela está a ter prazer”.

Formadora:

Vera Cordeiro

República Portuguesa