Sunteți pe pagina 1din 3

Universidade Estadual de Feira de Santana

Curso de Odontologia
Estudos Integrados XVII

PLANEJAMENTO DIÁRIO

Discente: Thamires Rios


Paciente: Irineia Ramos

Procedimento: Tratamento Endodôntico da Unidade 2.4

Data do procedimento: 04/12/2017

Radiografia de diagnóstico - Comprimento aparente do dente:

Diagnóstico: Necropulpectomia II

1º Sessão:

Sequência Clínica:

- Checagem de oclusão
- Bochecho com Diguclonato de clorexidina 0,12%

- Anestesia bloqueio regional do nervo alveolar superior médio

 Área de introdução: Altura da prega muco vestibular acima do 2º PMS

 Ponto de referência: prega muco vestibular acima do 2º PMS

- Anestesia infiltrativa local do palato


 Área de introdução: gengiva inserida de 5 a 10 mm da margem livre da
gengiva

- Isolamento absoluto unitário

- Cirurgia de acesso:

 Toma-se como referência a fosseta central no sulco vestíbulo-lingual


realiza-se o acesso com brocas esféricas diamantadas: 1011,1012

 A forma de contorno do pré molar superior deve ser oval ou eliptica

 A direção de trepanação deve ser perpendicular ao longo eixo do


dente.

 Todas as interferências que dificultam a instrumentação do canal devem


ser removidas com as brocas 3082 ou Endo-Z.

- Determinação do CTp:
 CTp = CAD – 3 =

- Instrumentação:
 Realiza-se a penetração desinfectante.
 Remoção mecânica do conteúdo tóxico/séptico do canal radicular com
limas tipo K. A primeira deve possuir diâmetro compatível ao diâmetro do
canal.

 Em seguida é feito o escalonamento progressivo (ordem decrescente)


até atingir o CTp.

 Sempre deve ser feita a irrigação com hipoclorito de sódio a 2,5% com
posterior irrigação a cada troca de instrumento.

 Quando o CTp for alcançado, realiza-se uma radiografia, e mede-se a


distância entre a ponta da lima e o ápice radiográfico (X).

- Odontometria:

CRD = CRI + X = ____

CT = CRD – 1 = ____

- Batente Apical: A instrumentação é feita até o Comprimento de trabalho (CT)


de inicio com a lima que se ajustou ao CT e depois com quatro limas de maior
calibre, até o CT.

- A última lima utilizada será o instrumento memória.

- Será realizado o Escalonamento regressivo sentindo ápice-coroa, sempre


repassando a lima memória até o CT, diminuindo 1 mm a cada troca de
instrumento.

- A irrigação e aspiração mencionadas devem ser feitas a cada troca de


instrumento.

- Inunda-se o canal com EDTA por 3 minutos e usa-se o instrumento memória


para a sua movimentação.

- Faz-se uma nova irrigação com soro fisiológico

- Secagem dos canais com agulha de aspiração e cone absorvente

- Aplicação da medicação intracanal (Calen).

Referências:

Apostila de Endodontia. Disponível em:


http://www.foa.unesp.br/home/pos/apostila-endodontia-foa-2015.pdf. Acesso
em: 07 ago 2016

LEONARDO, Mario Roberto et al. Tratamento de Canais Radiculares:


Atualidades Técnicas. São Paulo: Editorial Premier, 1996.