Sunteți pe pagina 1din 16

E-BOOK

PLANEJAMENTO
ESTRATÉGICO:
O GUIA
TO
COMPLE
Se você baixou esse e-book vale a pena saber que esse não é apenas mais
um conteúdo sobre planejamento estratégico. Nessa leitura você terá a
oportunidade de ir além do básico para, definitivamente, refletir sobre o
seu negócio e suas metas.

Reflexão: essa é a palavra-chave para quem vai planejar estrategicamente.


Por que? Pois fazer um planejamento não é apenas transpor ideias no
papel e muito menos perda de tempo. Pelo contrário, fazer um planeja-
mento é abrir um atalho para colher os bons frutos que o seu negócio
reserva.

Ao iniciar esse trabalho todo empreendedor se concentra na organização,


em seu direcionamento, controle, objetivos e deficiências e, muitas vezes,
é isso o que falta na maioria dos casos. São poucos os que reservam esse
momento para pensar profundamente em sua empresa, com calma,
atenção e muita observação.

Nem sempre o objetivo final vale mais do que os esforços feitos para
alcançá-lo. E esse é um exemplo claro de que o caminho para se determi-
nar um plano de gestão e estratégia é infinitamente mais valioso do que
ter esses documentos em mão.

Por isso, não deixe esse trabalho para os outros, mas envolva-se o máximo
que puder, aproxime-se. Se você conhece as raízes do que se propõe fazer
é muito mais simples procurar soluções, propor mudanças, encarar crises
e riscos e, principalmente, definir o papel que a empresa quer assumir no
mercado. O planejamento precisa ser sempre adaptado, enquanto o gestor
evolui e aperfeiçoa o seu tino. É com essa ideia que introduzimos esse
guia, que mostrará as etapas para construir um bom planejamento e outros
tópicos essenciais para uma gestão eficiente como cultura organizacional e
metodologias inteligentes de trabalho.

Prepare-se com esse material para, em seguida, mergulhar nas ideologias


de sua empresa.

Boa leitura!

O planejamento estratégico nada mais é do que a definição de um


direcionamento para a empresa. Nesse processo, muitas definições e
avaliações devem ser feitas.

Separamos algumas etapas simples, mas fundamentais para que esse


momento renda bons frutos em sua empresa.

Parece óbvio, mas não custa lembrar que antes de iniciar qualquer pro-
cesso é preciso delimitar qual é o seu negócio e o significado de suas
atividades.

De forma simples e objetiva, defina o seu segmento, seus serviços e o seu


papel no mercado da forma mais precisa possível.

Por ser um conceito bastante conhecido, muitos encaram como desne-


cessária a definição de visão, missão e valores de uma empresa. Mas a
verdade é que são através deles que todos os outros objetivos irão se
desenrolar.

Por isso, não subestime a importância de definir a “visão” de futuro, que é


o propósito da empresa e o que se deseja atingir em um futuro ambicioso
e ligado à satisfação de clientes.

Em seguida, descreva a razão de existir da sua empresa para ter a sua


“missão” e termine com os princípios que regem as ações e decisões da
empresa. Assim você terá definido os “valores” que permeiam todos os
esforços de sua empresa.

A próxima etapa consiste em analisar de forma consistente as informações


que você possui e enxergá-la dentro do ambiente que irá atuar. Pense em
como ela pode ser impactada por ameaças e oportunidades do ambiente
externo. Tente frisar não apenas a situação presente, mas projetar o
futuro.

Aqui também é preciso delimitar o público e stakeholders, assim como a


demanda de mercado, interesses e políticas de relacionamento.

Aproveite ainda para identificar os fatores de sucesso dos concorrentes e


faça o diagnóstico comparando os seus pontos fortes e fracos. Seja franco,
esse momento é perfeito para o autoconhecimento e abre as portas para o
desenvolvimento e bom posicionamento no mercado.

Não tem segredo, após pensar em toda a parte teórica e embasamento do


negócio vem o momento de pensar em estratégias e resultados.

Para isso, você deve ter bem claro aonde quer chegar e estabelecer os
objetivos. A partir de cada um deles você deve destrinchar quais são as
ferramentas, pessoas envolvidas, investimento necessário e prazo ideal
para a realização.

Agora é só partir para o plano de ação. O que te levará ao objetivo dese-


jado? Quais são os passos a seguir? Como será feita essa organização e
quem será o responsável por isso?

Com as respostas na ponta da língua, queremos apenas deixar algumas


dicas para um plano ainda mais significativo:

Defina objetivos quantitativos;

Defina obstáculos a serem superados;

Estabeleça uma maneira prática de acompanhar o


andamento dos planos;

Monitore e modifique as ações que não trouxeram


bons resultados;

Acompanhe o retorno sobre o investimento.

O seu plano está basicamente pronto, mas como já havíamos anunciado


no início, esse não é apenas mais um material sobre planejamento estra-
tégico. Realmente queremos que o seu plano seja executado e seja um
sucesso.
Justamente por isso, não podemos deixar de falar sobre cultura organiza-
cional. Você também já deve ter visto alguns conteúdos sobre isso em sua
carreira, mas, embora esse não seja um assunto novo, as empresas ainda
insistem em deixar de lado.

Acontece que, querendo ou não, a sua cultura organizacional existe. Com


ou sem controle sobre ela, com ou sem consciência sobre sua importância.

Mas o que, afinal, ela tem a ver com o seu planejamento? Apenas para
lembrar: a cultura organizacional é o conjunto de crenças, valores e hábitos
partilhados por membros de uma organização ou mesmo um conjunto de
normas não escritas que orienta o comportamento de cada um.

Logo, se os seus colaboradores e sua empresa não estão alinhados o sufi-


ciente, como fazê-los esclarecidos quanto aos seus objetivos? Como atingir
os resultados traçados sem que um posicionamento consistente seja
adotado por todos do grupo?

Pois bem, você pode ter um plano aparentemente infalível, mas a execu-
ção está totalmente comprometida se a sua cultura organizacional não
estiver fortalecida.

Vamos conferir alguns pontos importantes?

O administrador, coach e professor Jeronimo Mendes, também autor de


diversos livros, enumerou algumas características básicas que capturam a
essência de uma organização e merecem a sua atenção:

Inovação e assunção de riscos: o grau em que os funcionários são


estimulados a inovar e assumir riscos.

Atenção aos detalhes: o grau em que se espera que os funcionários


demonstrem precisão, análise e atenção aos detalhes.

Orientação para os resultados: o grau em que os dirigentes


focam mais os resultados do que as técnicas e os processos empregados
para seu alcance.
Orientação para as pessoas: o grau em que as decisões dos dirigen-
tes levam em consideração o efeito dos resultados sobre as pessoas dentro
da organização.

Orientação para as equipes: o grau em que as atividades de


trabalho são mais organizadas em termos de equipes do que de indivíduos.

Agressividade: o grau em que as pessoas são competitivas e agres-


sivas em vez de dóceis e acomodadas.

Estabilidade: o grau em que as atividades organizacionais enfatizam


a manutenção do status quo em contraste com o crescimento.

Como falamos anteriormente, toda empresa tem uma cultura, quer ela
seja intencional ou não. Mas por que não tomar as rédeas de um fator tão
importante em sua empresa?

Um gestor pode e deve criar, mudar e transformar sua cultura de acordo


com os objetivos da organização e, nessa busca, é necessário dedicação e
paciência.

Nesse momento, muitos podem se deparar com hábitos e conceitos duros


já introduzidos no ambiente e, por isso, muitas pessoas possuem resis-
tência em mudar.

O importante é alinhar as características percebidas e vivenciadas pelos


colaboradores com a ideologia da empresa e, para ajudar, separamos
algumas dicas do colunista do USA Today, Steve Strauss, para iniciar uma
cultura saudável:

A empresa deve ter valores e objetivos claros e viver por eles

Não basta ter uma declaração visível no escritório, a missão da empresa


deve ser entendida verdadeiramente. Os colaboradores devem acreditar e
comprar a ideia, devem se identificar para correr junto com a empresa.
Comunicação eficaz

Bons líderes envolvem seus colaboradores em tomadas de decisão e os


tornam mais responsáveis pelos resultados gerados, já que eles se apro-
priam das ações. Pense também em apresentar relatórios, podem ser
trimestrais, sobre o estado da empresa, para que cada um entenda o dire-
cionamento das ações e o que é necessário em cada momento. Encoraje a
equipe a dar sugestões, acompanhe a carreira dos seus liderados e esteja
aberto para responder as questões que podem surgir.

Desperte o sentimento de “fazer parte”

Estar em uma equipe é uma coisa. Sentir parte dela é outra. Desperte esse
sentimento, que é um dos principais na hora de reter os talentos e diminuir
a rotatividade.

Recompensas são importantes

Divisão de lucros, benefícios, um almoço ou qualquer outra forma de


recompensa, mesmo as menos evidentes, elevam a moral de sua equipe e
a impulsionam na busca por melhores resultados.

Seja admirado

Os seus colaboradores gostam do seu trabalho e aprendem com você?


Crie uma boa atmosfera, desafie seus liderados e evite censuras. Seja um
líder que as pessoas realmente seguem e desejam ser como você. Esse
ponto é essencial para uma cultura forte.

Exemplos: AmBev, Toyota

Existem algumas empresas que dão show em cultura organizacional. Não


é difícil, por exemplo, encontrar textos que falam sobre a área de gente
e gestão da AmBev (o nosso ainda RH). Isso porque são as pessoas desse
setor que espalham um pouco da gestão invejável com que eles trabalham.
A cultura é total com foco em resultados e conhecimento de negócios.
A empresa forma profissionais e fazem deles cobiçados, tanto quanto se
tivessem estudado em uma escola conceituada. A vivência inclui um
sistema de remuneração variável, ferramentas de gestão, avaliação de
desempenho, programas de treinamento e seleção, metodologias
complexas, meritocráticas e transparentes. Na AmBev todos tem metas.

Para ter uma ideia da força dessa experiência, quem passou por lá é
chamado de ambeviano, um perfil extremamente cobiçado no mercado.
Outro exemplo bastante conhecido é o da Toyota, conhecido como
“Sistema Toyota de Produção” e copiado por muitos. Ele carrega os
seguintes princípios:

Just-in-Time: sincronização do fluxo de produção, dos fornecedores


e dos clientes – produzir apenas o necessário, no momento certo, evitando
acúmulo de estoque e desperdício.

Kanban: sistema de informação visual – onde aciona e controla a


produção.

Muda: eliminação de todo e qualquer tipo de desperdício.

Kaizen: ênfase na qualidade – através da melhoria continuada –


cada indivíduo é responsável pela qualidade e pela resolução dos proble-
mas no seu trabalho.

E sua empresa? Possui valores e princípios? Eles estão apenas na home


do seu site ou são vividos diariamente por sua equipe? Pense sobre isso,
construa uma cultura que faça com que os seus colaboradores incorporem
os objetivos da organização assim que pisarem na empresa.
Se existe um tema que merece um capítulo especial é o de “metas”. Ele
geralmente está espalhado em tudo o que buscamos de conhecimento
e de ações no dia a dia na empresa, mas é preciso parar para pensar em
como elas tem sido definidas e qual é a sua importância.

Seja para acompanhar a evolução da organização em suas práticas, medir


a performance ou simplesmente crescer, as metas e objetivos tem como
principal função de nos impulsionar para algum lugar.

Mas não basta ter metas simples, elas precisam ser inteligentes. E, nesse
sentido, o método cai bem para elaborar metas eficientes em
seu planejamento. São 5 passos:

Específico (specific): Defina valores concretos para os seus


objetivos. Assim fica mais fácil visualizar onde se deseja chegar e
concentrar as ações. Você quer aumentar as vendas, esse é um objetivo.
Mas que número deseja atingir? Quanto quer aumentar?

Mensurável (measurable): Certifique-se de que é possível medir
a sua meta, para poder avaliar o desempenho e acompanhar o
sucesso das ações.

Realizável (attainable): Estabeleça metas dentro da razão, nem


muito ambiciosas e nem pequenas demais.

Realista (realistic): Crie metas de acordo com os recursos que você


já tem.

Tempo (time bound): Não se esqueça de determinar o prazo de
cada objetivo.
Ainda sobre as metas é importante lembrar que a preocupação não deve
vir somente sobre as vendas e lucros, mas sim sobre a qualificação dos
colaboradores, o envolvimento de cada um, a notoriedade da marca,
fidelização de clientes e outros indicadores.

O controle das metas é indispensável para o crescimento das empresas.


Se não for com esse método, procure outros, mas não deixe de acompa-
nhá-los com bastante atenção. Com esta etapa sendo seguida da forma
correta é possível prever e antecipar problemas e se adaptar às mudanças
com mais facilidade.

Pode parecer pouco, mas esse detalhe pode ser o diferencial do seu
negócio.

Agora que o seu planejamento está definido, sua cultura organizacional


sendo alinhada e suas metas bem claras e objetivas, vale a pena conhecer
algumas metodologias de gestão para te ajudar na execução dos planos e
organização de ideias. Existem diversos tipos além desses que vamos
abordar, então, cabe a você analisar e decidir com qual mais se identifica
para colocar em prática.

Método de solução de problemas que consiste em 4 etapas:



Planejar, identificar problemas e analisar processos em curso.
Agir, executar e capacitar pessoas.

Checar e analisar resultados.

Padronizar procedimentos de acordo com resultados obtidos.

Significa Gerenciamento pelas Diretrizes e diz respeito a uma metodologia


que busca uma visão estratégica, elaborada a partir de uma análise dos
sistemas em curso na empresa, aliada às crenças e valores. O objetivo final
é o controle de qualidade das atividades, segundo a visão estratégica da
empresa.

Metodologia adotada pelo Google em 1999, que significa Objectives and


Key Results. Já foi adotado por diversas empresas e consiste em descrever
os objetivos qualitativamente e também de acordo com métricas
predefinidas.

Veja algumas características desse método:



Simples e mensuráveis;

Públicos para toda a empresa;

60% dos OKRs são definidos pelo próprio time e a porcentagem
menor pela diretoria;

Ciclos menores para definição de metas e nada de planejamento
estático;

Metas que forçam o time a repensar e sair da zona de conforto;

Remuneração e avaliação são separadas.

A Balanced Scorecard é uma técnica de medição e de gestão do desem-


penho. Essa metodologia leva em consideração a avaliação de aspectos
financeiros, como a segurança dos investidores; processos internos,
clientes externos e internos, e o aprendizado e o crescimento
organizacional.

Essa metodologia vai além de medidas de curto prazo e promove uma


visão de desempenho integrada.

Escolhe, adapte ou integre essas metodologias para o sucesso de sua


empresa. Muitas ferramentas e informações estão disponíveis para que a
carreira de um gestor seja um sucesso e não apenas mais uma aventura
no mercado.

Por isso, não pense duas vezes na hora de fazer diferente e colocar a mão
na massa, apresentando e experimentando novas formas de organização,
planejamento e definição de metas. O importante é que elas sejas alcan-
çadas da forma mais otimizada possível e isso você só descobrirá testando.

Chegamos ao fim de mais um e-book e, nesse, diferente dos outros que a


Starti lançou, não falamos sobre Segurança da Informação, mas sim, sobre
planejamento estratégico para uma gestão eficiente.

Com os valores de sua empresa alinhados e metas bem definidas fica


muito mais fácil absorver outras questões importantes para sua empresa,
como a inserção de novas tecnologias e a definição de políticas de
segurança. Por isso, não demos um passo para trás abordando esse
assunto, mas sim um avanço para que sua empresa entenda a importância
do planejamento, cultive uma cultura organizacional saudável e aplique
metodologias que facilitem a rotina dos colaboradores e o alcance de
resultados cada vez mais ambiciosos.

Esse é apenas o início de uma gestão estratégica consistente e, ter parado


para refletir sobre sua empresa e os reflexos dela dentro de tudo o que
abordamos até agora, será essencial para sua atuação daqui pra frente.

Faça isso sempre que puder e consulte essas informações sempre que
precisar. Reavalie, repense e transforme sua gestão em um exemplo a ser
seguido no mercado.

Essa metodologia vai além de medidas de curto prazo e promove uma


visão de desempenho integrada.

Escolhe, adapte ou integre essas metodologias para o sucesso de sua


empresa. Muitas ferramentas e informações estão disponíveis para que a
carreira de um gestor seja um sucesso e não apenas mais uma aventura
no mercado.

Por isso, não pense duas vezes na hora de fazer diferente e colocar a mão
na massa, apresentando e experimentando novas formas de organização,
planejamento e definição de metas. O importante é que elas sejas alcan-
çadas da forma mais otimizada possível e isso você só descobrirá testando.
A Starti Soluções em TI é uma empresa especializada no desenvolvimento
de sistemas integrados focada em atender as necessidades do cliente,
fornecendo suporte e gestão à inovação para o mercado brasileiro.

Uma de suas soluções é o AdmFirewall, que começou a ser desenvolvido


após a detecção de grandes deficiências de segurança e controle no
mercado. Além disso, as opções disponíveis eram muito restritas, no valor
e complexidade.

Assim, o AdmFirewall nasceu, justamente, para preencher esta necessi-


dade, sendo um firewall completo, referência de alta tecnologia e baixo
custo para pequenas empresas.

Saiba mais em nossos sites:


www.starti.com.br
www.admfirewall.com.br

Clique aqui e solicite um contato!


(11) 4748-7022
www.admfirewall.com.br