Sunteți pe pagina 1din 2

DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO

ATIVIDADE SEMI-PRESENCIAL
PROF. RICARDO KOBOLDT DE ARAUJO

A NORMA SUPRALEGAL

Por meio do presente trabalho, busca-se analisar o papel do Supremo Tribunal Federal, como

guardião da Constituição Federal, diante da problemática que envolve seu posicionamento quando do

julgamento de Recurso Extraordinário que deliberou pela supralegalidade dos tratados internacionais

sobre direitos humanos pactuados pelo Brasil antes do advento do § 3º, do art. 5º da Constituição

Federal, introduzido pela Emenda Constitucional nº. 45 de 2004.

Prezados alunos:

A presente atividade deverá ser objeto de pesquisa através de uma análise da hipótese julgada em
concreto pelo STF, através da qual deverão ser definidos os seguintes parâmetros:

1. A qual decisão se refere a questão julgada (número do Acórdão) pelo STF, qual de seus
órgãos proferiu a decisão, foi a mesma julgada por maioria ou unanimidade.
2. Descreva sumariamente o contexto do voto do relator.
3. Na contextualização dos demais votos proferidos, segundo sua análise, o que se mostrou
digno de nota.
4. Qual a importância desta decisão para nosso sistema jurídico-constitucional.
5. Apresente uma conclusão pessoal acerca da inovação trazida pela referida decisão.

NOTAS IMPORTANTES:

1. Este trabalho fica a disposição dos alunos no “MOODLE” por três semanas, iniciando em 06/04/18
e terminando em 27/04/18, momento em que expira o prazo para apresentação.

2. O trabalho, tão logo concluído, poderá ser anexado ao MOODLE pelo aluno, independente do
termo final de apresentação

3. Não serão aceitos trabalhos senão através do sistema MOODLE é dentro do prazo fixado.

4. Expirado o prazo de apresentação (27/04/18) não mais serão recebidos quaisquer trabalhos,
hipótese em que ao aluno será atribuída a inexistência da atividade extraclasse com repercussão
na nota de G1.

5. A nota de G1 integra este trabalho e a prova regular já fixada.

6. As notas serão pontuadas de acordo com a diligência na elaboração do trabalho e da pesquisa.


7. Qualquer referência a bibliografia auxiliar (manuais de direito internacional, reportagens ou
artigos) ou mesmo consultas à Internet (página e data da consulta) deverão se objeto de
referência específica ao final do trabalho.

Fico a disposição para informações complementares que se fizerem necessárias.

Bom trabalho!

Ricardo Koboldt de Araújo