Sunteți pe pagina 1din 3

Autor: Roberto Kleber C. S.

Júnior
<mailto:robertopvt@ibest.com.br
>
Tema: História
Centro Educacional Objetivo
Média: 0,00

Indígenas da América do Norte

Introdução:
Hoje, há diferenças entre os grupos indígenas da América. Nas sociedades indígenas
pré-colombianas (maias, astecas e incas) encontravam-se em um grau de
desenvolvimento material diferente e muito mais complexo, do que os indígenas da
América do Norte e América do Sul.
Os povos pré-colombianos encontravam-se inseridos no modo de produção asiático,
enquanto os outros grupos estavam integrados a comunidade primitiva.
Há muitas diferenças culturais entre os povos da América, mas também
encontraremos muitas semelhanças, no que se diz respeito a produção econômica
para sua sobrevivência e sua organização política-social.

Características:
Economia:
A produção era coletiva, ou seja, tudo era da comunidade, os materiais, as
sementes, as florestas pertenciam a comunidade. O trabalho era coletivo, ou seja,
todos os homens e todas as mulheres trabalhavam em conjunto visando a
sobrevivência do grupo, com uma divisão de tarefas, segundo o sexo e a idade.
O predomínio das atividades agrícolas levou parte dos grupos a sedentarização.
Sociedade:
Nas sociedades indígenas , predominavam as relações de parentesco como
indicadores de organização social.
A unidade social era representada pelo clã, sendo matrilinear (linhagem feminina) ou
patrilinear (linhagem masculina).
Política:
As tribos indígenas tiveram uma organização compatível com seu nível de
desenvolvimento socioeconômico. O poder político tinha uma função mais social do
que coercitiva sobre o grupo. O líder político era escolhido por meio de
hereditariedade ou eletiva.
Religião e Cultura:
A religião era politeísta e animista.
Os abastecimentos de alimentos estavam vinculados a atos mágico-religiosos.
Outra pratica era a realização de ritos funerários. Os mortos possuíam lugares
reservados em cemitérios, cujas construções variam de tribo para tribo.
A cerâmica foi usada para preservar e guardar os alimentos por mais tempo.
Principais grupos Indígenas norte-americanos:
Esquimós:
Os esquimós habitavam a região do litoral do Oceano Ártico (Groelândia, Costa do
Labrador e Alasca).
A economia desse grupo estava diretamente ligada ao que a natureza da região
proporcionava, ou seja, a caça da foca e de aves, e a pesca da baleia e outros
animais de grande porte. Além dos produtos para a alimentação, extraíam desses
animais a pele para o vestuário; com o marfim e com os ossos, confeccionavam
instrumentos para caça ( pontas de lanças e flechas) e esculturas.
A domesticação do cachorro possibilitou aos esquimós o uso de trenós.
Os algonquinos:
Os algonquinos localizavam-se entre a região sul do Ártico e a região de tundras,
denominada Área do Caribu.
Sua economia baseava-se na caça (rena, alce etc.) e na pesca de animais marinhos,
principalmente. As áreas de exploração esram hereditárias para cada grupo.
Em termos sociais, os algonquinos viviam em hordas e bandos.
As tribos da Costa do pacifico:
Vários grupos coletores ocuparam essa região de norte a sul.
A economia era fundamentalmente de caça, pesca e coleta, sendo a organização
social dividida em clãs. A religião era politeísta, ocorrendo a pratica de enterrar os
mortos.
As tribos do deserto:
Sua localização geográfica corresponde a região do rios Colorado e Grande.
Em relação aos demais povos indígenas, notabilizaram-se pela pratica de uma
agricultura intensiva com o desenvolvimento da irrigação, pelo conhecimento da
tecelagem e da cerâmica e pela arquitetura feita em pedra.
A organização social era um pouco mais complexa que a dos demais povos
indígenas.
Os iroqueses:
Esse grupo indígena ocupava originalmente a região oeste inferior do Rio Mississipi;
posteriormente, passou a ocupar a região dos Montes Apalaches, na região de
florestas.
Em termos econômicos, a propriedade de terra era coletiva; além da pratica da
agricultura, sobreviviam da caça e da pesca.
Demais grupos:
Na região da Grande Planície, encontramos os grupos que se dedicavam
principalmente à caça do búfalo, os quais acabaram por constituir sociedades
nômades, lideradas por um chefe, cujo prestigio era dado pelo contingente numérico
de guerreiros no grupo.
O contato com o colonizador:
Não resta duvidas de que o contato com o colonizador branco europeu levou à
dizimação desses grupos indígenas. Quando esta não ocorreu, o branco impôs, pela
força, a expulsão dos grupos indígenas de suas áreas originais de ocupação, em
nome dos interesses econômicos europeus. Tal fato alterou significamente o seu
modo de vida, o que indiretamente contribuiu para seu extermínio.