Sunteți pe pagina 1din 10

Vinícius Silva Fernandes Pereira

Currículo resumido
& pequeno portfólio

Florianópolis (SC) UDESC-CEART


Nascido em 1995 e natural de Santo André (SP), Vinícius Pereira
tem suas primeiras experiências artísticas ainda na escola
fundamental. Aos dez anos, quando se muda para a cidade de
Maringá (PR), promove e desenvolve projetos artístico-culturais
como presidente do Grêmio Estudantil do Instituto de Educação
Estadual de Maringá (IEEM).

Florescerro (2015)
Em dado momento de sua juventude, Vinícius começa assinar
com o sobrenome artístico: Huggy. E a partir deste gesto de
identidade como artista, muitas experimentações em poemas,

foto: Ivan Amorin


performances, danças e peças teatrais com a presença do ator
levaram este sobrenome.
Atualmente soma participações em projetos como ator,
performer, bailarino, figurinista e dramaturgo. Seus
primeiros trabalhos autorais são Pintar Minhas Paredes
(2014) e XXIPHOBIA (2015), ambos na linguagem da
performance art.

Em 2015 e 2016 se dedica ao trabalho com atuação


esotérica e figurinos alegóricos no teatro pós-dramático
"Florescerro - Um Erro Que Vive”, do Grupo de Pesquisa
Teatral AJNA, incubado pelo Núcleo de Dramaturgia do

Florescerro (2015)
Sesi-PR (Maringá), vencedor do prêmio Viapar Cultural de
2014, com circulação pelo Estado do Paraná.
Em 2016, inicia o curso de Licenciatura em Teatro do Centro de Artes (CEART) da Universidade do Estado de
Santa Catarina (UDESC). Neste curso, desenvolve e aprofunda seus conhecimentos em pedagogias, práticas e
teorias do teatro e da performance. Nas últimas fases, mergulha intensamente nos estudos teórico-práticos
do corpo e da dança.

Em 2018 participa de uma Montagem Teatral em dança da obra


musical e coreográfica “A Sagração da Primavera”, sob direção do
professor Dr. Milton de Andrade e da professora Dra. Bianca Scliar.
Além de dançar, dirigir e ensinar em outros pequenos projetos
paralelos no mesmo ano.
co

foto: Ana Sotoriva. Pintar minhas paredes (2014)


No principal projeto atual, “A Sagração da Primavera - cenas de um Brasil profano em dois
atos”, Vinícius atua nas noções de bailarino e performer, com base nos estudos práticos das
disciplinas de Técnicas Corporais e Técnicas da Dança.

O espetáculo que ainda encontra-se em fase de montagem (com estréia prevista em


Setembro de 2018), tem como referência diversos autores(as), compositores e
coreógrafos(as), dentre os quais não poderia deixar de citar: Vaslav Nijinsky, Igor Stravinsky,
Maurice Béjart, Pina Bausch, Sasha Waltz, Angelin Preljocaj e Romeo Castelucci.
co

fotos: Bianca Scliar. A Sagração da Primavera (2018)


Vinícius sempre alimentou a paixão pela educação em arte. E o
curso em licenciatura em Teatro do Centro de Artes da Udesc
impulsiona esse interesse, somando na formação do artista, diversas
técnicas e filosofias da educação.

Pequenos projetos dedicados à apropriação dos clássicos da


literatura teatral foram desenvolvidos ao longo dos anos dedicados
à essa universidade, dentre alguns, cito os mais relevantes:

Electra ao Mangue (2016)


(leitura-encenada da obra de Sófocles)

Proto-Fausto e A Tragédia de Margarida (2017)


(dança-teatro a partir da obra de Goethe)

A Menina da Chinela (2017)


(uma versão das versões que lemos de Cinderela)

fotos: Bianca Scliar. A Menina da Chinela (2017) foto: arquivo pessoal


O Sonho de Fugir com o Circo (2018)
Em 2017, o artista propõe seu primeiro projeto de estágio, intitulado “A Fábrica de
Estudantes ou A Escola do Proletariado - Drama didático multimídia para moças e
rapazes sobre a alienação”, com aulas de Teatro como opção da disciplina de Artes
do currículo de alunos do ensino médio técnico em Eletrônica e Eletrotécnica, no
Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). O projeto resulta no elogiado relatório:
O pós-drama como método de ensino ou Relatório sobre aquilo que não foi
alcançado (artigo inédito), orientado pela Dra. Heloise Baurich Vidor.

Em 2018, no segundo projeto de estágio, como prática de Teatro na comunidade,


co propõe “O Sonho de Fugir com o Circo - aulas públicas de teatro na rua, inspiradas
em poéticas circenses”, incubado pelo Laboratório de Ensaios e Imprevistos -
Núcleo de Estudos em Improvisação e Filosofia Processual (LabEI), com orientação
da Dra. Bianca Scliar. Neste ousado projeto, pesquisa as relações entre as diversas
linguagens das artes do espetáculo, a rua como escola nova e as pedagogias
radicais. Tem como referência diversos autores(as) de educação e arte
contemporânea, dentre alguns: Rubem Alves, José Gil, Jorge Larrosa, Marina
Marcondes Machado, Alfred Whitehead, Gilberto Icre, Erin Manning e Giorgio
Agamben.
fotos: Bianca Scliar.foto: arquivo pessoal
co

fotos:
fotos:arquivo
Biancapessoal
Scliar.
Desde 2013, Huggy alimenta um blog pessoal
onde compartilha textos, entre contos, poemas,
dramaturgias e outros gêneros poético-literários.

A dedicação do artista à arte escrita já rendeu


diversos convites de colaboração em plataformas
alternativas de escrita criativa, crítica e de
jornalismo independente, dentre os quais, o mais
importante é a coluna “give me a huggy” do
co
jornal de cultura O Duque, da cidade de Maringá
(PR).

Atualmente o maior interesse do autor em


literatura é a intersecção entre a poética e a
pedagogia. Outras experimentações textuais
podem ser encontradas no endereço eletrônico:
www.apereiradepoeticaspedagogicas.blogspot.com
foto:
foto: Bianca
NastajaScliar
Brehsan
CONTATO
(48) 98433-9848

e-mail:
viniciushuggy@gmail.com
co

INSTAGRAM:
@saoviniciushuggy
@teatroludico

foto: Bianca Scliar