Sunteți pe pagina 1din 11

Universidade Federal do Ceará - Campus De Russas

Programação Computacional e Introdução ao Cálculo Numérico


Professor: Dr. Markos Oliveira Freitas

CALCULAR A CORRENTE EFICAZ USANDO A QUADRATURA DE GAUSS

Equipe: Dalila Araújo Silva


Elba Mara Paiva Lima
Ilária Raquel da Silva Beserra
Ronaldo Soares do Nascimento
Samuel Alex Moreira Damaceno
Turma: Engenharia de Produção

Russas – CE
Novembro de 2016
Introdução

Em problemas de engenharia nem sempre é possível usar técnicas de integração que resultem no
valor exato da primitiva de uma determinada função. Isto porque, às vezes, pode não ser fácil
expressar a primitiva por meio de combinações finitas de funções elementares. Ou ainda o caso
em que o valor de f(x) é conhecido apenas em alguns pontos, no intervalo [a, b]. Os métodos
numéricos são, portanto, a maneira mais viável de se obter uma aproximação desses resultados.
A ideia básica da integração numérica é a substituição da função f(x) por um polinômio que a
aproxime razoavelmente no intervalo [a, b]. O método utilizado neste trabalho foi a Quadratura
de Gauss, que aproxima a integral de uma função, estabelecendo um somatório com pesos dos
valores assumidos pela função em pontos específicos dentro do domínio de integração. A
𝑏
fórmula a ser deduzida para aproximar a ∫𝑎 𝑓(𝑥) 𝑑𝑥 tem o seguinte formato:

𝑏
∫ 𝑓(𝑥)𝑑𝑥 ≈ 𝐴0 𝑓(𝑥0 ) + 𝐴1 𝑓(𝑥1 ) + ⋯ + 𝐴𝑛 𝑓(𝑥𝑛 )
𝑎

onde x0, x1, ..., xn são n+1 pontos distintos. A Quadratura Gaussiana produz um resultado exato
para polinômios de grau 2n − 1 ou menor para uma escolha adequada dos pontos xi e pesos Ai
para i = 1,...,n. O domínio de integração de tal regra é por convenção tomado como [−1, 1], de
modo que a regra é expressa como:

1 𝑛

∫ 𝑓(𝑥)𝑑𝑥 ≈ ∑ 𝐴𝑖 𝑓(𝑥𝑖 )
−1 𝑖=1
O problema:

O valor médio de uma corrente elétrica oscilatória em um período de tempo pode ser zero. Por
exemplo, suponha que a corrente seja descrita por uma senoide simples: 𝑖(𝑡) = sin(2_𝑡/𝑇),
onde T é o período. O valor médio dessa função pode ser determinado pela seguinte equação:

𝑇 2𝜋𝑡
∫0 sin ( 𝑇 ) 𝑑𝑡 − cos(2𝜋) + cos(0)
𝑖(𝑡) = = =0
𝑇−0 𝑇

Apesar de o resultado ser 0, tal corrente é capaz de realizar trabalho e gerar calor. Portanto,
engenheiros eletricistas geralmente caracterizam tal corrente por

1 𝑇2
𝐼(𝑅𝑀𝑆) = √ ∫ 𝑖 (𝑡)𝑑𝑡
𝑇 0

onde i(t) é a corrente instantânea. Calcule o valor eficaz (do inglês (root mean square, ou RMS))
(Equação 2) da corrente dada pela função a seguir e representada na Figura 1 para T = 1
segundo.
10𝑒 −𝑡/𝑇 𝑠𝑒𝑛(2𝜋𝑡) / 𝑇 ,0 ≤ 𝑡 ≤ 𝑇/2
𝑖(𝑡) = {
0 , 𝑇/2 ≤ 𝑡 ≤ 𝑇

Use a Quadratura de Gauss. O usuário dá como entrada o número de pontos (2, 3, 4 ou 5).

Figura 1 - Corrente elétrica com variação periódica.


Metodologia

A questão abordava um assunto da engenharia elétrica e pedia para calcularmos a correte eficaz
em um determinado período de tempo, baseando-se no fato de que a corrente instantânea, dada
por i(t), é igual zero em determinado instante. Para isso foi nos fornecido a fórmula:

1 𝑇
𝐼(𝑅𝑀𝑆) = √ ∫ 𝑖 2 (𝑡)𝑑𝑡
𝑇 0

O primeiro passo foi calcular a corrente instantânea no intervalo de [0, T]. Como o valor médio
da corrente a ser calculada é zero no intervalo [T/2, T] calculamos apenas para o intervalo [0,
𝑡
2𝜋𝑡
T/2] em que 𝑖 2 (𝑡) = [10𝑒 −𝑇 𝑠𝑒𝑛 ( )]2 . Para 𝑇 = 1 ficamos com a seguinte integral:
𝑇

1/2
∫ [10𝑒 −𝑡 𝑠𝑒𝑛(2𝜋𝑡)]2
0

Aplicando a quadratura de Gauss: Como temos um intervalo genérico [0, 1/2] efetuamos a
mudança de variáveis para 𝑥 ∈ [ −1, 1] correspondente a 𝑡 ∈ [0, 1/2] onde

1 1
[𝑎 + 𝑏 + 𝑥(𝑏 − 𝑎)] [0 + 2 + 𝑥 (2 − 0)] 1 1
𝑡= = = 𝑥+
2 2 4 4

1
(𝑏 − 𝑎) −0 1
𝑑𝑡 = 𝑑𝑥 = 2 𝑑𝑥 = 𝑑𝑥
2 2 4

Dessa forma:

1 2
2 1 1 1 1 1 1 1 1
∫ [10𝑒 −𝑡 𝑠𝑒𝑛(2𝜋𝑡)] = ∫ 𝑓(𝑡(𝑥))𝑑𝑥 = ∫ [10𝑒 −(4𝑥+4) 𝑠𝑒𝑛 (2𝜋 ( 𝑥 + ))]
2
0 4 −1 4 −1 4 4
1
= [𝐴 𝑔(𝑥0 ) + 𝐴1 𝑔(𝑥1 ) + ⋯ + 𝐴𝑛 𝑔(𝑥𝑛 )]
4 0

onde 𝑔(𝑥) = 𝑓(𝑡(𝑥)) e os valores de An e xn dependem da quantidade de pontos utilizados.


Tabela 1 – Valores de xn e An para a Quadratura de Gauss

n xn An
2 -0.5773502692 1.000000000
0.5773502692 1.000000000
3 -0.7745966692 0.5555555556
0.000000000 0.8888888889
0.7745966692 0.5555555556
4 -0.8611363116 0.3478548451
-0.3399810436 0.6521451549
0.3399810436 0.6521451549
0.8611363116 0.3478548451
5 -0.9061798459 0.2369268850
-0.5384693101 0.4786286705
0.000000000 0.5688888889
0.5384693101 0.4786286705
0.9061798459 0.2369268850
Elaboração do programa

Inicialmente utilizamos uma função para calcular g(x).

Em seguida o comando de decisão IF para determinar quais valores de An e Xn seriam


utilizados, de acordo com a quantidade de pontos fornecida pelo usuário.
Após isso, utilizamos o laço FOR para calcular o polinômio usando o somatório de Ang(xn).
𝑇
Multiplicamos então o valor obtido no somatório pela constante de dt = ¼ para obter ∫0 𝑖 2 (𝑡)𝑑𝑡.

Por fim, empregamos o valor encontrado na fórmula:

1 𝑇
𝐼(𝑅𝑀𝑆) = √𝑇 ∫0 𝑖 2 (𝑡)𝑑𝑡 .

Como T=1, acorrente eficaz é dada pela raiz quadrada da integral encontrada anteriormente.
O programa:

#include <stdio.h>
#include <math.h>

float g (float x)
{
int i;
float t, g;

t = (0.25 * x) + 0.25;
g = pow(10*pow(M_E,-t)*(sin(2*M_PI*t)),2);

return g;
}

int main ()
{
int i, n;
float a=0, b=0.5, I=0, S=0, IRMS, x[5]={0,0,0,0,0}, A[5]={0,0,0,0,0};

printf("======== Quadratura de Gauss ========\n\n");


printf("Quantidade de pontos: ");
scanf("%d", &n);

if (n==2)
{
x[0]=-0.5773502692; A[0]=1.0;
x[1]=0.5773502692; A[1]=1.0;
}
if (n==3)
{
x[0]=-0.7745966692; A[0]=0.5555555556;
x[1]=0; A[1]=0.8888888889;
x[2]=0.7745966692; A[2]=0.5555555556;
}
if (n==4)
{
x[0]=-0.8611363116; A[0]=0.3478548451;
x[1]=-0.3399810436; A[1]=0.6521451549;
x[2]=0.3399810436; A[2]=0.6521451549;
x[3]=0.8611363116; A[3]=0.3478548451;
}
if (n==5)
{
x[0]=-0.9061798459; A[0]=0.2369268850;
x[1]=-0.5384693101; A[1]=0.4786286705;
x[2]=0; A[2]=0.5688888889;
x[3]=0.5384693101; A[3]=0.4786286705;
x[4]=0.9061798459; A[4]=0.2369268850;
}

for (i=0; i<5; i++)


{
S += A[i] * g(x[i]);
}

I = S * 0.25;

IRMS = sqrt(I);

printf("\nI = %.4f\nI(RCM) = %.4f", I, IRMS);

return 0;
}
Exemplos do programa compilado:
Conclusão

Em um sistema de geração de energia alternada, os elétrons executam um movimento de vai-e-


vem, mudando seu sentido no decorrer do tempo. Dessa forma a corrente que é gerada se comporta
como uma senoide, e os pontos máximos da crista da onda são chamados de corrente instantânea.

Quando um equipamento é ligado, nem toda essa corrente é absorvida. O que é absorvido é
chamado de corrente eficaz, que é a parte que realmente é absorvida pelos equipamentos.
No presente trabalho utilizamos a Quadratura Gaussiana para calcular o valor eficaz de uma
corrente. Os resultados obtidos estão na seguinte tabela.

Nº DE PONTOS INTEGRAL CORRENTE EFICAZ


2 11.9978 3.4638
3 15.6585 3.9570
4 15.4058 3.9250
5 15.4126 3.9259

Utilizando uma ferramenta online, chegamos ao valor exato da integral, que é 15.4126.
Comparando com os valores encontrados pelo programa, observamos que à medida que se
aumenta a quantidade de pontos a integral se aproxima do valor exato. E com cinco pontos a
Quadratura de Gauss conseguiu chegar ao valor correto. Isso nos prova mais uma vez a
eficiência dos métodos numéricos, e sua importância nas diversas áreas de conhecimento.

Nº DE PONTOS INTEGRAL ERRO


2 11.9978 22,1%
3 15.6585 -1,59%
4 15.4058 0,04%
5 15.4126 0%
Bibliografia

Calculadora Online. Disponível em: http://www.wolframalpha.com

Ruggiero, Marcia A. Gomes. Calculo Numérico: aspectos teóricos e computacionais. 2ª edição.


São Paulo: Pearson Makron Books, 1996.

O que é corrente ou tensão eficaz? Disponível em:


https://www.mundodaeletrica.com.br/o-que-e-corrente-ou-tensao-eficaz/
Acesso em: 31 de outubro de 2016 às 15:46.