Sunteți pe pagina 1din 66
600 questões de Noções de Direito - Técnico do TJ Paraná Simulados já disponibilizados no

600 questões de Noções de Direito - Técnico do TJ Paraná

Simulados já disponibilizados no grupo www.facebook.com/groups/ConcursodoTJParana durante o ano de 2017.

Nos itens abaixo marque C para afirmativas corretas e E para afirmativas erradas.

exercício do direito ou benefício que consagram; por

(CESPE - Advogado do IPAJM) No que concerne à classi- ficação das normas constitucionais, à hermenêutica constitucional, às disposições constitucionais transitó- rias e ao preâmbulo da CF.

isso, são normas de aplicação indireta, mediata ou dife- rida.

(CESPE - Técnico Administrativo do MPU) A respeito dos princípios fundamentais, das garantias fundamen- tais e da aplicabilidade das normas constitucionais, julgue o item a seguir.

1.

O art. 5.º, inciso XIII, da CF, que dispõe ser livre o

exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabe- lecer, classifica-se, quanto ao grau de eficácia e aplicabi- lidade, como de eficácia limitada, pois o legislador cons- tituinte regulou os interesses relativos à matéria, mas deixou margem à atuação limitadora do legislador infra- constitucional.

(CESPE - Técnico Judiciário do TRT 21ª Região) Julgue o item a seguir, acerca de noções de direito constitucio- nal. Nesse sentido, considere que a sigla CF se refere à Constituição Federal de 1988.

6.

As normas de eficácia plena não exigem a elaboração

de novas normas legislativas que lhes completem o alcance e o sentido ou lhes fixem o conteúdo; por isso,

sua aplicabilidade é direta, ainda que não integral.

(CESPE - Analista em Arquivologia do MPU) A respeito dos princípios fundamentais, da aplicabilidade das normas constitucionais e dos direitos sociais, julgue o item a seguir.

O livre exercício de qualquer trabalho, ofício ou pro-

fissão, desde que atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer, é norma constitucional de eficácia contida; portanto, o legislador ordinário atua para tor- nar exercitável o direito nela previsto.

7.

(CESPE - Técnico em Comunicação Social da DPU) Com relação à classificação das normas constitucionais.

2.

A jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF)

entende que as normas constitucionais programáticas obrigam os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário a atuar no sentido de concretizar as finalidades nelas contidas.

3.

Para o STF, o preâmbulo da CF não se situa na esfera

8.

A eficácia da norma contida pode ser restringida ou

do direito, mas na da política - refletindo a posição ideo-

suspensa pela incidência de outras normas constitucio- nais, a exemplo da liberdade de reunião, que, mesmo consagrada no art. 5º da Constituição Federal de 1988 (CF), está sujeita a restrição ou suspensão em períodos de estado de defesa ou de sítio.

lógica do constituinte. Não possui, portanto, relevância jurídica, e não constitui norma central da CF, apesar de ser de reprodução obrigatória pelas constituições esta- duais 1 .

(CESPE - Analista Processual do MPU) Considerando a aplicabilidade, a eficácia e a interpretação das normas constitucionais, julgue os itens a seguir.

9.

Normas constitucionais de eficácia limitada são aque-

las por meio das quais o legislador constituinte regulou

suficientemente os interesses relativos a determinada matéria, mas deixou margem à atuação restritiva por parte da competência discricionária do poder público, nos termos em que a lei estabelecer ou nos termos dos conceitos gerais por ele enunciados.

(CESPE - Promotor de Justiça do MPE/RO) Assinale com referência ao conceito e à classificação das constitui- ções.

4.

As normas constitucionais de eficácia limitada são

desprovidas de normatividade, razão pela qual não sur-

tem efeitos nem podem servir de parâmetro para a declaração de inconstitucionalidade.

5.

As normas de eficácia contida permanecem inaplicá-

veis enquanto não advier normatividade para viabilizar o

1 O Supremo Tribunal Federal, no julgamento de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 2.076-AC - Rel. Min. Carlos Velloso, em rela- ção à inexistência dessa referência na Constituição do Estado do Acre), decidiu que o Preâmbulo não tem valor jurídico-normativo, pois não se situa no âmbito do Direito, mas no domínio da Política, refletindo posição ideológica do constituinte, sem relevância jurídica. Daí que, segundo o STF, o Preâmbulo tem natureza política, mas não jurídica. Ou seja, para o STF, o Preâmbulo não é norma jurídica, não é norma constitucional, mas um enunciado de princípios políticos, sem força jurídica para obrigar, proibir ou permitir com uma eventual sanção por seu descumprimento. Segundo o STF, conclui-se, o descumprimento ao contido no Preâmbulo não enseja a aplicação de uma sanção jurídica, porquanto o Preâmbulo não é norma jurídica.

10. De acordo com a classificação quanto à extensão, no Brasil, a Constituição de 1988 é sintética, pois constitu- cionaliza aspectos além do núcleo duro das constitui- ções, estabelecendo matérias que poderiam ser tratadas mediante legislação infraconstitucional.

11. As constituições denominadas rígidas são aquelas que não admitem alteração e que, por isso mesmo, são consideradas permanentes.

(CESPE - Agente Administrativo da AGU) A respeito da Constituição Federal de 1988 (CF), suas emendas e princípios fundamentais, julgue.

12. A CF sofreu, ao longo de sua existência, enorme quantidade de emendas; apesar disso,

12. A CF sofreu, ao longo de sua existência, enorme

quantidade de emendas; apesar disso, ela é classificada pela doutrina como rígida, escrita, democrática, dogmá- tica, eclética, formal, analítica, dirigente, normativa, codificada, social e expansiva.

(CESPE - Advogado da EMBASA) Acerca da classificação das constituições, julgue o item seguinte.

13. A Constituição da República Federativa do Brasil de

1988 (CF) não pode ser classificada como uma constitui- ção popular, uma vez que se originou de um órgão cons- tituinte composto de representantes do povo, e não da aprovação dos cidadãos mediante referendo.

(CESPE - Técnico Administrativo da ANEEL) A respeito dos princípios fundamentais, dos direitos e das garanti- as fundamentais, julgue:

14. De acordo com a Constituição Federal de 1988 (CF),

na hipótese de iminente perigo público, a autoridade competente pode usar propriedade particular, assegu- rando-se ao proprietário, no caso de dano, a indenização ulterior.

(CESPE - Analista Judiciário do TRE/MT) Quanto aos direitos e garantias individuais, assinale.

15. O direito à duração razoável do processo, tanto no

âmbito judicial quanto no âmbito administrativo, é um direito fundamental previsto expressamente na CF.

16. A CF garante a todos o direito de reunir-se pacifica-

mente, sem armas, em locais abertos ao público, inde- pendentemente de autorização ou prévio aviso à autori- dade competente.

17. Segundo a CF, cabe mandado de injunção para asse-

gurar o conhecimento de informações relativas à pessoa

do impetrante, constantes de registros ou bancos de dados de entidades governamentais ou de caráter públi- co.

18. Os direitos e garantias fundamentais estão previstos

de forma taxativa na CF.

19. A CF permite que seja constituído tribunal penal

especial para o julgamento de crimes hediondos que causem grande repercussão na localidade em que foram cometidos.

(CESPE - Analista Técnico Administrativo do MS) No que se refere à supremacia da Constituição, aplicabili- dade, interpretação, vigência e eficácia das normas constitucionais, julgue.

20. Para que se possa identificar uma norma constituci-

onal de eficácia limitada, é suficiente observar a expres- são "nos termos da lei", prevista no texto constitucional.

(CESPE - Engenheiro Civil do INSS) A respeito do direito constitucional, julgue o item a seguir.

21. O Ministério Público pode determinar a violação de

domicílio alheio para a realização de uma busca e apre-

ensão de materiais e equipamentos que possam servir como prova em um processo.

(CESPE - Analista Judiciário do TRT 21ª Região) No que concerne aos direitos e às garantias fundamentais, julgue os itens que se seguem.

22. Certa vez, em discurso no Parlamento britânico, Lord

Chatan afirmou: “O homem mais pobre desafia em sua casa todas as forças da Coroa. Sua cabana pode ser muito frágil, seu teto pode tremer, o vento pode soprar entre as portas mal ajustadas, a tormenta pode nela penetrar, mas o rei da Inglaterra não pode nela entrar”. Essa assertiva desnuda o direito fundamental da inviola- bilidade de domicílio que, no Brasil, somente admite exceção - permitindo que se adentre na casa do indiví- duo, sem seu consentimento - no caso de flagrante deli- to ou desastre ou para prestar socorro, ou, ainda, por determinação judicial durante o dia, e, à noite, na hipó- tese de flagrante delito ou desastre ou para prestar

socorro.

23. Na impetração do habeas data, o interesse de agir

configura-se diante do binômio utilidade-necessidade dessa ação constitucional, independentemente da apre- sentação da prova da negativa da via administrativa.

24. O duplo grau de jurisdição consubstancia garantia

constitucional.

(CESPE - Técnico Judiciário em Segurança Judiciária do TRE/BA) Acerca dos direitos e garantias fundamentais, julgue os próximos itens.

25. A competência do júri é para julgamento dos crimes

contra a vida, sejam eles dolosos ou culposos.

26. Mesmo por emenda constitucional é vedada a insti-

tuição da pena de morte no Brasil em tempos de paz.

(CESPE - Promotor de Justiça do MPE/RO) Acerca dos direitos e garantias fundamentais assegurados na CF, julgue os próximos itens.

27. A garantia constitucional da inviolabilidade do domi-

cílio legal durante o período noturno pode ser afastada

por determinação judicial.

28. As associações podem ser compulsoriamente dissol-

vidas mediante ato normativo editado pelo Poder Legis-

lativo.

(CESPE - Analista Administrativo do TRE/BA) Acerca do conceito e da classificação das constituições, assim como dos direitos e das garantias fundamentais, julgue.

29. Toda constituição é necessariamente escrita e repre-

sentada por um texto solene e codificado.

(CESPE - Oficial Técnico de Inteligência da ABIN) Com relação à ação de descumprimento de preceito funda- mental (ADPF), aos direitos e garantias individuais e ao princípio da legalidade, julgue o item.

30. O preceito constitucional que estabelece que nin-

guém é obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei veicula a noção genérica do

princípio da legalidade.

Solicite suas apostilas de Noções de Direito e Legislação inbox no www.facebook.com/ProfThaisNunes . 1 -

Solicite suas apostilas de Noções de Direito e Legislação inbox no www.facebook.com/ProfThaisNunes.

1 - Apostila de Teoria - Clique aqui e baixe grátis as primeiras páginas do material com 903 páginas. Apostila com todo o programa de Noções de Direito e Legislação. Conteúdo com as atualizações de 2018.

2 - Apostila de Questões - Clique aqui e baixe grátis as primei- ras páginas do material com 610 questões anotadas de todo o programa de Noções de Direito e Legislação. Conteúdo com as atualizações de 2018.

e Legislação. Conteúdo com as atualizações de 2018. (CESPE - Analista - Processual do MPU) Relativamente

(CESPE - Analista - Processual do MPU) Relativamente aos direitos e garantias fundamentais, julgue o item seguinte.

31. O ordenamento constitucional veda o envio compul- sório de brasileiros ao exterior, que caracterizaria a pena de banimento, assim como proíbe a retirada coativa de estrangeiros do território nacional, que caracterizaria a pena de expulsão.

(CESPE - Juiz Federal do TRF 3ª Região) Tendo em vista os dispositivos constitucionais que versam sobre o direito ao trabalho, à saúde, à previdência social e à segurança, assinale:

32. A garantia ao salário mínimo nacionalmente unifica- do, sem diferenciação entre trabalhadores urbanos e rurais, de uma ou de outra região, não se aplica aos trabalhadores que, pela natureza da atividade que exer- cem, recebem remuneração variável.

33. O seguro-desemprego é direito garantido ao traba- lhador que foi demitido sem justa causa, mas não ao que voluntariamente pediu demissão.

(CESPE - Juiz Federal do TRF 2ª Região) No que se refere aos direitos sociais, aos direitos de nacionalidade e aos direitos políticos:

34. O presidente da República, os governadores de esta- do, os prefeitos e quem os suceda ou substitua no curso do mandato podem ser reeleitos para um único período subsequente, mas, para concorrerem a outros cargos,

devem renunciar ao respectivo mandato até seis meses antes do pleito

35. Por ser a licença-paternidade direito constitucional

fundamental, o prazo de cinco dias previsto para o bene-

fício não pode ser objeto de alteração pela legislação infraconstitucional.

36. Diferentemente do previsto para os trabalhadores

urbanos, prescreve em dois anos o prazo para os traba-

lhadores rurais ajuizarem ação para o pagamento de créditos resultantes das relações de trabalho.

37. Aos portugueses com idoneidade moral que com-

provem residência no Brasil durante, pelo menos, um ano ininterrupto devem ser atribuídos os direitos ine- rentes ao brasileiro nato.

38. O brasileiro nato adquire plena capacidade eleitoral

passiva aos trinta anos, idade mínima exigida de candi- dato a presidente e a vice-presidente da República.

(CESPE - Técnico Judiciário do TRE/ES) Acerca dos direi- tos e garantias constitucionais, julgue o item a seguir.

39. Os direitos sociais previstos na Constituição Federal

advêm de normas de ordem pública, que não se reves- tem de imperatividade, podendo ser alteradas pela vontade das partes integrantes da relação trabalhista.

(CESPE - Escrivão de Polícia da PC/ES) Julgue o item a seguir, acerca dos direitos sociais.

40. Os sindicatos têm legitimidade para atuar na defesa

dos direitos coletivos dos integrantes da categoria por eles representada, mas não na defesa dos direitos subje- tivos individuais destes.

(CESPE - Juiz Federal do TRF 3ª Região) Acerca da naci- onalidade, da iniciativa popular de lei, do plebiscito e da disciplina constitucional sobre os partidos políticos, assinale a opção correta.

41. A perda de nacionalidade, em virtude de atividade

nociva ao interesse nacional, é procedimento adminis- trativo cujo trâmite ocorre no Ministério da Justiça.

42. A CF regulamenta a iniciativa popular de lei tanto no

âmbito federal quanto nos âmbitos estadual e munici- pal, fixando as regras e os procedimentos relativos à apresentação do projeto de lei.

43. Os partidos políticos com registro no TSE têm direito

a acesso gratuito ao rádio e à televisão, mas apenas os partidos com representação no Congresso Nacional podem receber recursos do fundo partidário.

44. A nacionalidade secundária é adquirida por meio da

naturalização, que pode ser requerida tanto pelo apátri- da como pelo estrangeiro. Mesmo que eles satisfaçam os requisitos para a obtenção da naturalização, o Poder Executivo dispõe de competência discricionária para concedê-la ou não.

(CESPE - Procurador da AL/ES) Com referência à nacio- nalidade e aos direitos políticos, assinale:

45. O asilo político, princípio fundamental nas relações na República Federativa do Brasil há mais

45.

O asilo político, princípio fundamental nas relações

na República Federativa do Brasil há mais de trinta anos ininterruptos e não tiverem condenação penal.

internacionais do Brasil, impede, em caráter absoluto, a

extradição.

56. O indivíduo que sofrer condenação penal transitada em julgado terá seus direitos políticos suspensos, mas apenas no caso de crimes dolosos, não no de crimes culposos e contravenções penais.

(CESPE - Juiz Federal do TRF 5ª Região) Com relação à defesa do Estado e das instituições democráticas e aos direitos políticos, assinale a opção correta.

A regra constitucional que impõe ao prefeito o dever

de renunciar ao respectivo mandato até seis meses antes do pleito para concorrer a outros cargos não se estende à hipótese em que ele pretenda candidatar-se ao mesmo cargo em outro município.

46.

47.

Os policiais militares, em qualquer nível da carreira,

são alistáveis.

57. As hipóteses de inelegibilidade, por configurarem circunstâncias que impedem o cidadão de exercer total ou parcialmente a capacidade eleitoral passiva, constam de rol taxativo previsto na CF.

48.

O cancelamento da naturalização por decisão admi-

nistrativa transitada em julgado constitui uma das hipó-

teses de perda de direitos políticos.

49.

A CF veda a distinção entre brasileiros natos e natu-

58. A reaquisição de direitos políticos suspensos só se faz possível mediante decisão judicial proferida em ação ajuizada para tal fim.

ralizados, estendendo a ambos a garantia da não extra-

ditabilidade.

(CESPE - Perito Papiloscópico da PC/ES) No que se refe- re aos direitos sociais, julgue o item seguinte.

59. Apesar de a prestação de serviço militar ser obrigató- ria, a recusa em cumpri-la é admitida sob a alegação do direito de escusa de consciência, cabendo, nesse caso, às forças armadas atribuir àquele que exercer esse direi- to serviço alternativo em tempo de paz, cuja recusa enseja como sanção a declaração da perda dos direitos políticos 2 .

50.

Se um embaixador de país estrangeiro, em exercício

no Brasil, e sua esposa, também estrangeira, tiverem um filho nascido em território brasileiro, esse filho será considerado brasileiro nato.

(CESPE - Analista Judiciário em Taquigrafia do TJ/ES) Acerca dos princípios fundamentais e direitos individu- ais, julgue o item a seguir.

(CESPE - Analista Administrativo do TJ/ES) A respeito dos princípios e dos direitos e garantias fundamentais, julgue o item a seguir.

51.

São brasileiros natos os nascidos no estrangeiro, de

pai brasileiro ou de mãe brasileira, desde que sejam

60. Considere a seguinte situação hipotética. José, que jamais exerceu qualquer cargo eletivo, é irmão de Josias, que, por sua vez, é prefeito de determinado município. Nessa situação, caso José pretenda lançar-se candidato a

vereador, sua candidatura não poderá ser apresentada no mesmo município em que seu irmão Josias é prefeito.

registrados em repartição brasileira competente ou venham a residir na República Federativa do Brasil e optem, em qualquer tempo, depois de atingida a maio- ridade, pela nacionalidade brasileira.

(CESPE - Perito Criminal da PC/ES) Em relação à nacio- nalidade e à cidadania, julgue o item:

(CESPE - Professor de Direito do IFB) Julgue o item sub- secutivo com base nos dispositivos constitucionais sobre os direitos de nacionalidade e os direitos políti- cos.

52.

O ato de aquisição de outra nacionalidade não acar-

reta a perda da nacionalidade do brasileiro nato ou na-

turalizado, residente em estado estrangeiro, quando a norma estrangeira, por motivos profissionais ou para o exercício de direitos civis, impor a sua naturalização como condição para a permanência naquele país.

61. A inelegibilidade absoluta constitui excepcional e uma característica da pessoa, e não do cargo, sendo disciplinada somente na CF 3 .

(CESPE - Analista Judiciário do STM) Julgue o item a seguir, acerca dos princípios constitucionais fundamen- tais.

2 Lei n.º 8.239 de 4 de outubro de 1991

Art. 4º Ao final do período de atividade previsto no § 2º do art. 3º desta lei, será conferido Certificado de Prestação Alternativa ao Serviço Mili- tar Obrigatório, com os mesmos efeitos jurídicos do Certificado de Re- servista.

53.

O filho de um embaixador do Brasil em Paris, nascido

na França, cuja mãe seja alemã, será considerado brasi-

leiro nato.

§

1º A recusa ou cumprimento incompleto do Serviço Alternativo, sob

qualquer pretexto, por motivo de responsabilidade pessoal do convoca-

(CESPE - Juiz Federal do TRF 1ª Região) Tendo em vista os direitos de nacionalidade, os direitos políticos, o estado de defesa e o estado de sítio, assinale.

do, implicará o não-fornecimento do certificado correspondente, pelo prazo de dois anos após o vencimento do período estabelecido.

§

2º Findo o prazo previsto no parágrafo anterior, o certificado só será

54.

São requisitos para elegibilidade, entre outros, o

emitido após a decretação, pela autoridade competente, da suspensão dos direitos políticos do inadimplente, que poderá, a qualquer tempo, regularizar sua situação mediante cumprimento das obrigações devi- das. 3 1. Inelegibilidade Absoluta - Proíbe a candidatura às eleições em

geral. São os inalistáveis e os analfabetos.

alistamento eleitoral e o domicílio eleitoral na circuns- crição em que o indivíduo pretenda candidatar-se.

55.

Os estrangeiros de qualquer nacionalidade somente

poderão requerer a nacionalidade brasileira se residirem

(CESPE - Perito Criminal da PC/ES) Em relação à nacio- nalidade e à cidadania, julgue

(CESPE - Perito Criminal da PC/ES) Em relação à nacio- nalidade e à cidadania, julgue o item subsecutivo.

e)

Não pode ser objeto de trancamento pela autoridade

judiciária.

 

62.

Considere que João seja reconhecidamente analfabe-

67. (FCC/2014 - Juiz do TJ Amapá) Em relação ao exercí- cio do direito de defesa no inquérito policial, a autori- dade policial poderá negar ao defensor 4 , no interesse do representado, ter acesso aos:

a) Elementos de prova cobertos pelo sigilo.

to. Nessa situação, por não dispor de capacidade eleito- ral ativa e passiva, João não pode votar ou ser candidato às eleições, salvo quando expressamente autorizado pela justiça eleitoral.

(CESPE - Analista Judiciário do TJ/ES) Considerando as normas constitucionais sobre os direitos e garantias fundamentais, julgue:

b) Termos de depoimentos prestados pela vítimas, se

entender pertinente.

 

63.

Consideram-se direitos políticos negativos as restri-

c) Elementos de prova que entender impertinentes.

ções e os impedimentos ao exercício da capacidade

d) Elementos de prova, caso o investigado já tenha sido

eleitoral ativa e passiva.

formalmente indiciado.

 

(CESPE - Técnico Judiciário do TRE/ES) Acerca dos direi- tos e garantias constitucionais, julgue o item a seguir.

e)

Elementos de provas ainda não documentados em

procedimento investigatório.

 

64.

O status de cidadão tem duas dimensões: a ativa,

68. (FCC/2013 - Técnico Judiciário em Segurança do TRT 15ª Região) O agente policial que comparecer em pri- meiro lugar ao local em que ocorreu crime de homicí- dio doloso deve:

que se traduz pela capacidade de exercício do sufrágio, e a passiva, traduzida pela legitimação para o acesso a cargos públicos.

(CESPE- Analista Judiciário do TRE/ES) Considerando as disposições constantes da Constituição Federal de 1988 (CF) relativas aos direitos políticos e aos partidos políti- cos, julgue o item:

a)

Reunir todos os objetos e instrumentos existentes no

local em recipiente adequado, utilizando luvas para não afetar as eventuais impressões digitais e levá-los ao Instituto Médico Legal juntamente com o cadáver.

65.

Todos os que sofrem condenação criminal com trân-

b)

Remover o cadáver para o Instituto Médico Legal e

sito em julgado estão com seus direitos políticos suspen- sos até que ocorra a extinção da punibilidade, como

delimitar a área com faixas de sinalização para impedir o acesso de terceiros.

consequência automática da sentença condenatória.

c)

Remover o cadáver para um hospital e apreender

Nos itens abaixo marque apenas uma das alternativas de acordo com o comando da questão.

todos os objetos e instrumentos utilizados para a prática

do crime, levando-os ao Instituto Médico Legal para exame.

66. (FCC/2014 - Juiz do TJ Ceará) O inquérito policial:

a) É imprescindível para a propositura da ação penal,

d)

Providenciar para que não se altere o estado e con-

mas não pode subsidiar com exclusividade a prolação de

servação das coisas, até a chegada dos peritos criminais.

sentença condenatória.

e)

Fotografar o cadáver e as imediações do local em que

Não pode ser retomado, se anteriormente arquivado

por decisão judicial que reconheceu a atipicidade do fato, a requerimento do Promotor de Justiça, ainda que obtidas provas novas.

b)

foi encontrado e, em seguida, transportá-lo ao Instituto

Médico Legal, cercando a área com faixas de sinalização para impedir o acesso de terceiros.

69. (FCC/2013 - Analista em Direito do MPE/SE) Em relação ao inquérito policial,

c)

Deve terminar no prazo de 10 (dez) dias, se o indicia-

do estiver preso, prazo que, se excedido, levará a cons-

a)

O ofendido, ou seu representante legal, e o indiciado

trangimento ilegal sanável pela via do habeas corpus, com prejuízo de prosseguimento do procedimento.

poderão requerer qualquer diligência, que será realiza- da, ou não, a juízo da autoridade.

d)

Pode ser instaurado de ofício para apuração de crime

b)

Nos crimes de ação penal de iniciativa pública, so-

de ação penal pública condicionada.

mente pode ser iniciado de ofício.

 

4 Lei n.º 8.906/1994 Art. 7º São direitos do advogado:

2.

Inelegibilidade Relativa - Impossibilita a postulação a determinado

mandato eletivo. São os demais casos listados na CF/1988 e na Lei Complementar n.º 64/1990.

XIV - examinar em qualquer repartição policial, mesmo sem procuração, autos de flagrante e de inquérito, findos ou em andamento, ainda que conclusos à autoridade, podendo copiar peças e tomar apontamentos; Súmula Vinculante do STF n.º 14 É direito do defensor, no interesse do representado, ter acesso amplo aos elementos de prova que, já documentados em procedimento investigató- rio realizado por órgão com competência de polícia judiciária, que digam respeito ao exercício do direito de defesa.

3.

Inelegibilidade Reflexa - Refere-se à inelegibilidade do cônjuge ou

companheiro(a) e dos parentes consanguíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, dos chefes do Poder Executivo Federal, 54 - Estadual e Municipal ou de quem os tenha sucedido ou substituído den- tro dos seis meses anteriores à eleição, prevista no artigo 14 § 7º da

 

CF/88.

c) A autoridade policial poderá mandar arquivar os au- tos de inquérito policial em caso

c) A autoridade policial poderá mandar arquivar os au-

tos de inquérito policial em caso de evidente atipicidade

da conduta investigada.

d) Se o indiciado estiver preso em flagrante, o inquérito

policial deverá terminar no prazo máximo de cinco dias, salvo disposição em contrário.

e) É indispensável à propositura da ação penal de inicia-

tiva pública.

70. (FCC/2013 - Juiz do TJ Pernambuco) Em relação ao

inquérito policial, é correto afirmar que:

a) Uma vez relatado o inquérito policial, não poderá ser

devolvido à autoridade policial, a requerimento do Mi-

nistério Público.

b) O sigilo total do inquérito policial pode ser oposto ao

indiciado, de acordo com entendimento sumulado do

Supremo Tribunal Federal.

c) Depois de ordenado seu arquivamento pela autorida-

de judiciária, por falta de base para a denúncia, a autori-

dade policial poderá proceder a novas pesquisas, se de outras provas tiver notícia.

d) Nos crimes de ação penal privada, a autoridade poli-

cial pode iniciar o inquérito policial mediante notícia de

crime formulada por qualquer do povo.

e) A autoridade policial poderá mandar arquivar autos

de inquérito, quando se convencer acerca da atipicidade da conduta investigada.

71. (FCC/2013 - Titular de Serviços de Notas e de Regis-

tros do TJ Pernambuco) Com relação ao inquérito poli- cial, é correto afirmar que:

a) Poderá ser iniciado de ofício, por ordem da autorida-

de policial, ou mediante requisição da autoridade judici-

ária ou de membro do Ministério Público, ou, ainda, a requerimento do ofendido ou de quem tiver qualidade para representá-lo.

b) Qualquer pessoa do povo que tiver conhecimento da

existência de infração penal em que caiba ação de inicia- tiva pública deverá, verbalmente ou por escrito, comu- nicá-la à autoridade policial e esta, verificada a proce- dência das informações, mandará instaurar inquérito.

c) Deverá, em regra, terminar no prazo de 10 (dez) dias,

se o indiciado estiver preso, ou no prazo de 30 (trinta) dias, se estiver solto, sendo admissível a prorrogação desses prazos, em ambos os casos, quando o fato for de difícil elucidação e houver autorização judicial.

d) O ofendido e o indiciado não podem requerer diligên-

cias à autoridade policial.

e) A autoridade policial poderá mandar arquivar os au-

tos do inquérito policial, se não forem encontrados indí- cios de crime e de sua autoria.

72. (FCC/2012 - Promotor de Justiça do MPE Alagoas)

Em relação ao inquérito policial, é correto afirmar que:

a) É direito do defensor, no interesse do representado,

ter acesso amplo aos elementos de prova que, já docu-

mentados em procedimento investigatório realizado por órgão com competência de polícia judiciária, digam respeito ao exercício do direito de defesa.

b) A autoridade policial poderá requerer a devolução

dos autos do juiz para a realização de ulteriores diligên- cias quando o indiciado estiver preso em flagrante e a diligência for célere.

c) Poderá ser instaurado de ofício nos crimes de ação

penal pública incondicionada, mas apenas mediante requisição do Ministério Público ou do juiz.

d) Poderá ser arquivado pelo Delegado Geral de Polícia

quando reconhecida, pela autoridade policial, a ocorrên-

cia de legítima defesa.

e) Se o investigado já foi identificado civilmente não

deverá ser indiciado.

73. (FCC/2012 - Promotor de Justiça do MPE Amapá) Quanto ao inquérito policial, é incorreto afirmar:

a) Nos crimes processados mediante ação penal de

iniciativa pública condicionada à representação, é ne- cessária a formulação desta para que o inquérito seja instaurado.

b) O indiciado poderá requerer à autoridade policial a

realização de qualquer diligência.

c) O Ministério Público não poderá requerer a devolu-

ção do inquérito à autoridade policial, senão para novas diligências, prescindíveis ao oferecimento da denúncia.

d) A autoridade policial não poderá mandar arquivar

autos de inquérito policial, mesmo se verificada a atipi- cidade do fato investigado.

e) O inquérito policial é dispensável para a propositura

da ação penal.

74. (FCC/2012 - Técnico Ministerial do MPE Pernambu- co) A respeito do inquérito policial, considere:

I - A Guarda Municipal pode instaurar e produzir inquéri- tos policiais.

II - O Prefeito Municipal não pode requisitar a instaura- ção de inquérito policial para apurar fato supostamente delituoso ocorrido no âmbito do município.

III - O indiciado é obrigado a responder, no interrogató- rio, as perguntas da autoridade policial e somente em juízo pode valer-se do direito de permanecer calado.

Está correto o que consta somente em:

a) II e III.

b) I e II.

c) I e III.

d) II.

e) I.

75. (FCC/2012 - Analista Ministerial na Área Jurídica do MPE Pernambuco) Instaurado o inquérito policial

75. (FCC/2012 - Analista Ministerial na Área Jurídica do

MPE Pernambuco) Instaurado o inquérito policial por crime de ação penal pública, a autoridade policial for- mulou pedido de prazo para a sua conclusão. O juiz, no entanto, entendendo que não há prova suficiente da autoria, a requerimento do indiciado, determinou o arquivamento dos autos. Nesse caso, o juiz:

a)

requerimento do Ministério Público nesse sentido.

houvesse

poderia

ordenar

o

arquivamento

se

b) Só poderia ordenar o arquivamento antes do encer-

ramento do inquérito se houvesse representação da

autoridade policial nesse sentido.

c) Poderia mandar arquivar o inquérito independente-

mente do assentimento do Ministério Público e da auto- ridade policial.

d) Só poderia ordenar o arquivamento se o crime fosse

de ação penal privada.

e) Só poderia ordenar o arquivamento se o crime fosse

de ação penal pública condicionada à representação do ofendido.

76. (FCC/2012 - Analista Judiciário do TRF 2ª Região) Na

dinâmica do inquérito policial não se inclui:

a) O reconhecimento de pessoas e coisas.

b) As acareações.

c) O pedido de prisão temporária.

d) A apreensão dos objetos que tiverem relação com o

fato, após liberados pelos peritos criminais.

e) A apresentação, através de advogado, de defesa pre-

liminar por parte do indiciado.

77. (FCC/2012 - Técnico Judiciário do TRF 2ª Região) O

inquérito policial:

a) Será presidido pelo escrivão, sob a orientação do

Delegado de Polícia.

b) Só poderá ser iniciado através de requisição do Minis-

tério Público ou do juiz.

c) Será acompanhado, quando concluído e remetido ao

fórum, dos instrumentos do crime, bem como dos obje-

tos que interessarem à prova.

d) Poderá ser arquivado pela autoridade policial ou pelo

Ministério Público quando o fato não constituir crime.

e) É indispensável para o oferecimento da denúncia, não

podendo o Ministério Público dispensá-lo.

78. (FCC/2014 - Juiz do TJ Amapá) Em relação à ação

penal, o Código de Processo Penal estabelece que:

a) O Ministério Público não pode retomar, como parte

principal, a ação penal de iniciativa privada subsidiária da pública em caso de negligência do querelante.

b) A representação será irretratável depois de oferecida

a denúncia.

c) Apenas a vítima, nos crimes de ação pública incondi-

cionada, poderá provocar a iniciativa do Ministério Pú-

blico.

d) A ação penal de iniciativa privada subsidiária da pú-

blica não se submete a prazo decadencial.

e) O Ministério Público não pode oferecer elementos de

prova na ação penal de iniciativa privada subsidiária da

pública.

79. (FCC/2013 - Técnico Judiciário em Segurança do TRT

15ª Região) A ação penal pública incondicionada é a que pode ser proposta:

a) Pelo ofendido, ou por quem tiver qualidade para

representá-lo, quando houver inércia do Ministério Público.

b) Por qualquer do povo, visando a condenação do autor

de uma infração penal.

c) Pelo Ministério Público de ofício, sem representação

ou requisição de quem quer que seja.

d) Somente pelo ofendido, em razão da gravidade e

especialidade do bem jurídico lesado.

e) Pelo Ministro da Justiça nos casos em que razões de

ordem política prevista em lei tornem obrigatória a sua

iniciativa.

80. (FCC/2013 - Analista em Direito do MPE Sergipe)

Nos casos de crimes processados mediante ação penal de iniciativa exclusivamente privada, o prazo máximo,

em regra, para o oferecimento da queixa-crime é de:

a) Um mês, contado da data do fato.

b) Um mês, contado do dia em que o ofendido ou seu

representante legal vier a saber quem é o autor do cri- me.

c) Seis meses, contados do dia em que o ofendido ou

seu representante legal vier a saber quem é o autor do

crime.

d) Três meses, contados do dia em que o ofendido ou

seu representante legal vier a saber quem é o autor do crime.

e) Seis meses, contados da data do fato.

81. (FCC/2013 - Procurador da AL da Paraíba) Em rela-

ção à ação penal de iniciativa privada, é correto afirmar

que:

a) O perdão não poderá ser aceito por procurador, ainda

que este tenha poderes especiais.

b) Salvo disposição em contrário, o ofendido, ou seu

representante legal, decairá do direito de queixa ou de

representação, se não o exercer dentro do prazo de 6 (seis) meses, contado do dia do fato tido como crimino- so.

c) O querelante não poderá desistir da ação penal.

d) Não se admite a renúncia tácita.

e) As fundações, associações ou sociedades legalmente constituídas poderão exercer a ação penal, devendo ser

e) As fundações, associações ou sociedades legalmente

constituídas poderão exercer a ação penal, devendo ser representadas por quem os respectivos contratos ou estatutos designarem ou, no silêncio destes, pelos seus diretores ou sócios-gerentes.

82. (FCC/2013 - Titular de Serviços de Notas e de Regis-

tros do TJ Pernambuco) Não ocorre perempção da ação

penal de iniciativa privada:

a) Quando o querelado aceitar o perdão.

b) Quando, falecendo o querelante, ou sobrevindo sua

incapacidade, não comparecer em juízo, para prosseguir

no processo, dentro do prazo de 60 (sessenta) dias, qualquer das pessoas a quem couber fazê-lo.

c) Quando, iniciada esta, o querelante deixar de promo-

ver o andamento do processo durante 30 (trinta) dias

seguidos.

d) Quando o querelante deixar de comparecer, sem

motivo justificado, a qualquer ato do processo a que

deva estar presente.

e) Quando, sendo o querelante pessoa jurídica, esta se

extinguir sem deixar sucessor.

83. (FCC/2013 - Juiz do TJ Pernambuco) Nos crimes de

ação penal de iniciativa privada,

a) O perdão do ofendido somente é cabível antes do

exercício do direito de ação.

b) O perdão concedido a um dos querelados aproveitará

a todos, sem que produza, todavia, efeito em relação ao

que o recusar.

c) A renúncia ao exercício do direito de queixa se esten-

derá a todos os querelantes.

d) A renúncia é ato unilateral, voluntário e necessaria-

mente expresso.

e) A perempção pode ocorrer no curso do inquérito

policial.

84. (FCC/2013 - Titular de Serviços de Notas e de Regis-

tros do TJ Pernambuco) Sobre a ação penal, é correto afirmar:

a) É inadmissível propor ação penal de iniciativa privada

em crime de ação penal pública.

b) O Ministério Público poderá desistir da ação penal,

uma vez constatada a falta de prova da autoria e mate-

rialidade da infração penal.

c) A ação penal pública é de iniciativa do Ministério

Público, mas, em alguns casos, depende de prévia requi-

sição do Ministro da Justiça ou de representação do ofendido, ou de quem tiver qualidade para representá- lo.

d) Em caso de ação penal de iniciativa privada, o ofendi-

do pode optar por exercer o direito de queixa contra alguns dos autores já conhecidos do crime.

e) Nas infrações de menor potencial ofensivo, a compo-

sição civil dos danos, homologada judicialmente, gera a

perempção do direito de queixa.

85. (FCC/2012 - Analista Judiciário em Execução de Mandados do TRF 5ª Região) Caberá ação penal priva- da subsidiária nos crimes de ação penal pública quan- do:

a) O Ministério Público requerer o arquivamento do

inquérito policial e o juiz o denegar.

b) O Procurador-Geral insistir no pedido de arquivamen-

to de inquérito policial.

c) Houver legitimidade ativa concorrente entre o Minis-

tério Público e o ofendido em crime de ação penal públi- ca condicionada à representação.

d) O ofendido for pessoa jurídica de direito privado.

e) A ação penal não for intentada no prazo legal.

86. (FCC/2012 - Analista Ministerial em Direito do MPE

Amapá) Renato ajuizou ação penal privada contra Re- nê, imputando-lhe crimes de difamação e injúria. Rece- bida a queixa e designada audiência de instrução, Re- nato vem a óbito após um acidente de trânsito fatal em rodovia. Com o óbito do querelante,

a) Caberá ao Ministério Público prosseguir na ação pe-

nal, assumindo a posição do querelante.

b) O direito de prosseguir na ação penal passará ao

descendente, cônjuge, ascendente, irmão, nessa ordem.

c) O direito de prosseguir na ação penal passará ao

cônjuge, ascendente, descendente ou irmão, nesta or- dem.

d) A ação penal privada será arquivada diante do caráter

personalíssimo desta, com a extinção da punibilidade do

agente.

e) O direito de prosseguir na ação penal passará, exclu-

sivamente, aos descendentes ou ascendentes do ofen- dido.

87. (FCC/2012 - Juiz do TJ Goiás) No tocante à ação

penal,

a) A representação é retratável até o recebimento da

denúncia.

b) O acusador não poderá desistir da ação penal.

c) Em regra, o ofendido ou seu representante tem prazo

de 30 (trinta) dias para oferecimento de queixa.

d) No caso de morte do ofendido, extingue-se imedia-

tamente a punibilidade do autor do fato.

e) As fundações, associações e sociedades legalmente

constituídas poderão exercer ação penal.

88. (FCC/2012 - Técnico Ministerial do MPE Pernambu-

co) Considera-se, dentre outras, condição de procedibi- lidade da ação penal pública:

a) O interrogatório e as informações sobre a vida pre- gressa do autor do fato

a) O interrogatório e as informações sobre a vida pre-

gressa do autor do fato delituoso.

b) A existência de inquérito policial concluído e relatado.

c) O prévio indiciamento do autor do fato delituoso.

d) A existência de pelo menos duas testemunhas pre-

senciais.

e) A representação do ofendido, quando necessária.

89. (FCC/2012 - Analista Judiciário em Execução de

Mandados do TJ/RJ) No tocante à ação penal, é correto afirmar que:

a) É admissível ação privada nos crimes de ação pública,

se arquivado o inquérito, por despacho do juiz, a reque-

rimento do promotor de justiça.

b) É inadmissível o oferecimento de denúncia sem in-

quérito policial que a instrua.

c) Em relação à ação penal privada não vigora o princí-

pio da indivisibilidade.

d) É extensível a todos os autores do crime a renúncia

ao exercício do direito de queixa em relação a um deles.

e) O juiz não poderá declarar de ofício a extinção da

punibilidade.

90. (FCC/2012 - Técnico Judiciário do TRF 2ª Região)

Nos crimes de ação pública, a ação penal será promo-

vida através de:

a) Denúncia do Ministério Público.

b) Queixa-crime formulada pelo ofendido ou por quem

tenha qualidade para representá-lo.

c) Portaria da autoridade policial.

d) Requisição do Ministro da Justiça.

e) Requerimento de qualquer pessoa maior e capaz.

91. (FCC/2012 - Técnico Judiciário do TRF 2ª Região) Na ação penal privada exclusiva, o perdão do ofendido:

a) Depende da aceitação do Ministério Público.

b) Só pode ocorrer após o recebimento da queixa.

c) Não pode ser tácito, exigindo-se que seja sempre

formulado de forma expressa.

d) Implica redução da pena, mas não acarreta a extinção

da punibilidade.

e) Concedido a um dos querelados aproveitará a todos,

mesmo em relação aquele que o recusar.

92. (FCC/2012 - Analista Judiciário em Execução de

Mandados do TRF 2ª Região) A respeito da denúncia e da queixa, é correto afirmar:

a) A renúncia ao exercício do direito de queixa a um dos

autores do crime não impedirá a propositura da ação

penal privada contra os demais.

b) Na ação penal privada, oferecida a queixa, o querela-

do pode apresentar reconvenção.

c) A queixa em ação penal privativa do ofendido não

poderá ser aditada pelo Ministério Público.

d) A exposição do fato criminoso com todas as suas

circunstâncias é um dos elementos tanto da denúncia,

como da queixa.

e) A queixa é ato personalíssimo do ofendido, não po-

dendo ser dada por procurador com poderes gerais,

nem especiais.

93. (FCC/2014 - Técnico Judiciário do TRF 3ª Região)

Aurea, vítima do delito de tráfico internacional de pes- soa, para fim de exploração sexual, foi admitida como assistente de acusação no curso de ação penal. Nesta

qualidade, não poderá.

a)

Recorrer

da

sentença

absolutória

se

o

Ministério

Público não o fizer.

 

b)

Requerer

perguntas às testemunhas,

no

curso

da

instrução processual.

c) Aditar a denúncia formulada pelo Ministério Público.

d) Indicar assistente técnico.

e) Arrazoar os recursos interpostos pelo Ministério Pú-

blico.

94. (FCC/2010 - Analista Judiciário do TRF 4ª Região) O

juiz não poderá exercer função no processo em que:

a) For credor ou devedor, tutor ou curador, de qualquer

das partes.

b) Ele, seu cônjuge, ascendente ou descendente estiver

respondendo a processo por fato análogo, sobre cujo caráter criminoso haja controvérsia.

c) Seu parente, consanguíneo ou afim em linha reta ou

colateral até o terceiro grau, inclusive, for diretamente interessado no feito.

d) Tiver aconselhado qualquer das partes.

e) Ele, seu cônjuge, ou parente, consanguíneo, ou afim,

até o terceiro grau, inclusive, sustentar demanda ou responder a processo que tenha de ser julgado por qualquer das partes.

95. (FCC/2012 - Juiz do TJ Goiás) No tocante ao assis-

tente de acusação, é correto afirmar que:

a) O ofendido poderá intervir como assistente em qual-

quer ação penal.

b) A admissão do assistente fica condicionada à manifes-

tação do Ministério Público.

c) Da decisão que admitir o assistente de acusação ca-

berá recurso em sentido estrito.

d) Ao assistente é proibido arrazoar os recursos inter-

postos pelo Ministério Público.

e) O assistente será admitido até o início da instrução do

processo.

96. (FCC/2012 - Técnico de Atividade Judiciária do TJ/RJ) No que toca à assistência da

96. (FCC/2012 - Técnico de Atividade Judiciária do TJ/RJ) No que toca à assistência da acusação, é correto afirmar que:

a) O ofendido poderá intervir como assistente do Minis-

tério Público enquanto não passar em julgado a senten- ça e receberá a causa no estado em que se achar.

b) O corréu poderá intervir como assistente do Ministé-

rio Público.

c) O Ministério Público não será ouvido previamente

sobre a admissão do assistente.

d) Do despacho que admitir o assistente caberá recurso

de apelação.

e) Não será permitido ao assistente propor meios de

prova ou requerer perguntas às testemunhas.

97. (FCC/2012 - Analista Judiciário em Execução de Mandados do TJ/RJ) O juiz dar-se-á por suspeito se:

a) Tiver funcionado seu cônjuge ou parente, consanguí-

neo ou afim, em linha reta ou colateral até o terceiro grau, inclusive, como defensor ou advogado, órgão do Ministério Público, autoridade policial, auxiliar da justiça ou perito.

b) Ele próprio houver desempenhado qualquer dessas

funções ou servido como testemunha.

c) Tiver funcionado como juiz de outra instância, pro-

nunciando-se, de fato ou de direito, sobre a questão.

d) Ele próprio ou seu cônjuge ou parente, consanguíneo

ou afim em linha reta ou colateral até o terceiro grau, inclusive, for parte ou diretamente interessado no feito.

e) Ele, seu cônjuge, ascendente ou descendente, estiver

respondendo a processo por fato análogo, sobre cujo caráter criminoso haja controvérsia.

98. (FCC/2012 - Técnico Judiciário do TRF 2ª Região) O juiz poderá exercer a jurisdição no processo em que seu cônjuge tiver funcionado como:

a) Perito.

b) Advogado.

c) Autoridade policial.

d) Auxiliar da justiça.

e) Testemunha.

99. (FCC/2012 - Técnico Judiciário do TRF 2ª Região) No que concerne ao acusado e seu defensor,

a) O acusado que não for pobre será obrigado a pagar os

honorários do defensor dativo, arbitrados pelo juiz.

b) A audiência não poderá ser adiada, mesmo se o de-

fensor constituído pelo acusado não puder comparecer por motivo justificado provado até a abertura desta, devendo ser nomeado defensor dativo.

c) A constituição de defensor só poderá ser feita através

de instrumento de mandato outorgado pelo acusado.

d) O acusado só poderá substituir o defensor dativo

nomeado pelo juiz por outro advogado de sua confiança

após a sentença de primeira instância.

e) A impossibilidade de identificação do acusado, com

seu verdadeiro nome ou outros qualificativos, impedirá, mesmo quando certa a identidade física, o ajuizamento da ação penal.

100. (FCC/2012 - Técnico Judiciário do TRF 2ª Região) É

incorreto afirmar que o assistente do Ministério Públi-

co poderá:

a) Arrazoar os recursos interpostos pelo Ministério Pú-

blico.

b) Participar do debate oral.

c) Ser admitido a partir do recebimento da denúncia até

a sentença de primeira instância.

d) Propor meios de prova.

e) Formular perguntas às testemunhas.

101. (FCC/2012 - Técnico Judiciário do TRF 2ª Região) A respeito dos auxiliares da justiça, considere:

I - As partes poderão intervir na nomeação de peritos, indicando nomes para o exercício dessa função.

II - Não poderão ser peritos os que tiverem prestado depoimento no processo.

III - Não poderão ser peritos os que tiverem opinado

anteriormente sobre o objeto da perícia.

IV - Os intérpretes são, para todos os efeitos, equipara-

dos aos peritos.

Está correto o que consta somente em:

a) II e IV.

b) I, II e IV.

c) I e III.

d) II, III e IV.

e) II e III.

102. (FCC/2010 - Assessor Jurídico do TJ Piauí) Não ocorre suspeição nos casos em que o juiz:

a) For devedor de qualquer das partes.

b) For amigo íntimo ou inimigo capital do defensor do

acusado.

c) Estiver respondendo a processo por fato análogo,

sobre cujo caráter criminoso haja controvérsia.

d) Tiver aconselhado qualquer das partes.

e) For administrador de sociedade interessada no pro-

cesso.

Nos itens abaixo marque apenas uma das alternativas de acordo com o comando da questão.

Nos itens abaixo marque apenas uma das alternativas de acordo com o comando da questão.

103. (VUNESP/2014 - Oficial Administrativo da Polícia

Civil de São Paulo) A Constituição Federal estabelece que “ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei.” Esse é o deno- minado princípio constitucional do(a):

a) Moralidade.

b) Legalidade.

c) Isonomia.

d) Lealdade.

e) Igualdade.

104. (VUNESP/2013 - Escrevente Técnico Judiciário do

TJ São Paulo) São princípios constitucionais expressos voltados à administração pública direta e indireta:

a) Celeridade e transparência.

b) Isonomia e pessoalidade.

c) Legalidade e imparcialidade.

d) Moralidade e proporcionalidade.

e) Legalidade e eficiência.

105. (VUNESP/2013 - Atendente de Necrotério da Polí-

cia Civil de São Paulo) A Constituição Federal determi- na, de forma expressa, que a administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedece- rá aos princípios da legalidade, impessoalidade, publi- cidade, eficiência e:

a) Continuidade.

b) Razoabilidade.

c) Proporcionalidade.

d) Moralidade

e) Especialidade.

106. (VUNESP/2014 - Escrivão da Polícia Civil de São

Paulo) Prevê o art. 37 da Constituição Federal, de for- ma expressa, que a administração pública direta e indi- reta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princí-

pios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publi- cidade e:

a) Razoabilidade

b) Eficiência.

c) Proporcionalidade.

d) Unidade.

e) Economicidade.

107. (VUNESP/2013 - Agente da Polícia Civil de São

Paulo) São todos princípios constitucionais da Adminis-

tração Pública:

a)

Fidelidade,

legalidade,

eficiência,

razoabilidade

e

impessoalidade.

 

b)

Moralidade,

eficiência,

legalidade,

razoabilidade

e

arbitrariedade.

c) Legalidade, arbitrariedade, pessoalidade, proporcio-

nalidade e moralidade.

d) Legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade

e eficiência.

e) Lealdade, pessoalidade, moralidade, razoabilidade e

eficiência.

108. (VUNESP/2014 - Assistente Organizacional da PRODEST/ES) A Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 estabelece, em seu artigo 37, que a administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá, entre outros, aos seguintes princípios fundamentais:

a) Liberdade, igualdade e fraternidade.

b) Probidade, qualidade e transparência.

c) Ética, moralidade e cidadania.

d) Impessoalidade, publicidade e eficiência.

e) Justiça, equidade e mobilidade

109. (VUNESP/2014 - Titular de Serviços de Notas e de Registros do TJ São Paulo) O artigo 37, caput, da Consti- tuição Federal, dentre outros, estabelece como princí- pio da Administração Pública a moralidade. Com lastro em tal princípio, é possível o reconhecimento da invali- dade de um ato formalmente aperfeiçoado de acordo com a lei, mas comprovadamente ofensivo à moralida- de administrativa. O raciocínio ora exposto está:

a) Parcialmente correto, na medida em que a anulação

só ocorrerá se caracterizado efetivo prejuízo financeiro ao erário.

b) Totalmente correto.

c) Totalmente incorreto, visto ser impossível a anulação

de ato produzido formalmente de acordo com a lei.

d) Parcialmente correto, na medida em que o princípio

da moralidade administrativa depende de lei comple-

mentar para sua aplicação, a ser elaborada.

110. (VUNESP/2014 - Titular de Serviços de Notas e de Registros do TJ São Paulo) Com relação às disposições gerais atinentes à Administração Pública, sob o enfo- que da Constituição Federal, pode-se afirmar correta- mente que:

a) É possível, na forma da lei, a vinculação ou equipara-

ção de quaisquer espécies remuneratórias para efeito de remuneração de pessoal do serviço público.

b) O prazo de validade do concurso público será de até

dois anos, prorrogável sempre que necessário, no máxi- mo duas vezes, na forma da lei.

c) A investidura em cargo ou emprego público sempre depende de aprovação prévia em concurso

c) A investidura em cargo ou emprego público sempre

depende de aprovação prévia em concurso público ex- clusivamente de provas, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas as nomeações para cargo em comis- são declarado em lei de livre nomeação e exoneração.

d) O direito de greve será exercido nos termos e nos

limites definidos em lei específica.

111. (VUNESP/2012 - Advogado Pleno da SPTrans) As- sinale a alternativa correta.

a) Somente por lei complementar específica poderá ser

criada autarquia e autorizada a instituição de empresa pública, de sociedade de economia mista e de fundação.

b) Os atos de improbidade administrativa importarão a

suspensão dos direitos políticos, a perda da função pú- blica, a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário, na forma e gradação previstas em lei, impedindo a propositura de ação penal.

c) Os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário publica-

rão semestralmente os valores do subsídio e da remune- ração dos cargos e empregos públicos.

d) Ao servidor ocupante, exclusivamente, de cargo em

comissão declarado em lei de livre nomeação e exonera-

ção, aplica-se o regime estatutário.

e) A administração fazendária e seus servidores fiscais

terão, dentro de suas áreas de competência e jurisdição,

precedência sobre os demais setores administrativos, na forma da lei.

Autarquia Criada por lei específica.

Empresa Pública Autorizada por lei específica.

Sociedade de Economia Mista Autorizada por lei específica.

Fundação Pública Autorizada por lei específica + lei complementar para definir as áreas de sua atuação.

112. (VUNESP/2013 - Escrevente Técnico Judiciário do TJ São Paulo) Sobre os cargos e funções públicas, é possível afirmar que a Constituição Federal:

a) Impõe à administração pública indireta as mesmas

regras proibitivas sobre a acumulação remunerada de cargos públicos voltadas à administração pública direta.

b) Veda a definição de critérios de admissão de pessoas

portadoras de deficiência a cargos e empregos públicos.

c) Condiciona a nomeação em cargos em comissão à

aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos.

d) Restringe o exercício das funções de confiança exclu-

sivamente aos servidores ocupantes de cargo efetivo com atribuições de natureza gerencial, orçamentária e financeira.

e) Permite a acumulação remunerada de dois cargos ou

empregos privativos de profissionais de saúde, ainda

que a profissão não esteja regulamentada.

113. (VUNESP/2014 - Oficial Administrativo da Polícia

Civil de São Paulo) Nos termos da Constituição Federal,

os cargos em comissão, a serem preenchidos por servi-

dores de carreira nos casos, condições e percentuais

mínimos previstos em lei, destinam-se, entre outras hipóteses, apenas às atribuições.

a) Políticas.

b) Técnicas.

c) Burocráticas.

d) De direção.

e) Administrativas.

114. (VUNESP/2013 - Escrivão da Polícia Civil de São

Paulo) Assinale a alternativa correta a respeito da Ad- ministração Pública.

a) As pessoas jurídicas de direito público e as de direito

privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causa- rem a terceiros, sendo vedado o regresso contra o agen- te responsável nos casos de dolo ou culpa.

b) Os acréscimos pecuniários percebidos por servidor

público deverão ser computados ou acumulados para fins de concessão de acréscimos ulteriores, na forma da lei.

c) A investidura em cargo ou emprego público depende

de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a com- plexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, incluindo as nomeações para cargo em comissão

declarado em lei de livre nomeação e exoneração.

d) As funções de confiança, exercidas exclusivamente

por servidores ocupantes de cargo efetivo, e os cargos em comissão, a serem preenchidos por servidores de carreira nos casos, condições e percentuais mínimos previstos em lei, destinam-se apenas às atribuições de direção, chefia e assessoramento.

e) O prazo de validade do concurso público será de até

três anos, prorrogável uma vez, por igual período.

115. (VUNESP/2014 - Analista de Sistemas da Câmara

Municipal de São José dos Campos/SP) Conforme esta-

belece a Constituição Federal, ressalvados os casos especificados na legislação, as obras, serviços, compras

e alienações efetivados pela administração pública

direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios serão contratados:

a) Do proponente que primeiro oferecer melhor preço.

b) Do proponente habilitado em registro cadastral que

oferecer condições compatíveis com as de mercado.

c) Mediante processo de licitação pública.

d) Mediante concurso público. e) Mediante pregão eletrônico. 116. (VUNESP/2013 - Agente de Apoio Administrativo

d) Mediante concurso público.

e) Mediante pregão eletrônico.

116. (VUNESP/2013 - Agente de Apoio Administrativo

do MPE/ES) Em relação aos servidores públicos, e nos termos do que dispõe a Constituição Federal, é permi- tida a acumulação remunerada de cargos quando hou- ver compatibilidade de horários, entre outros, no caso de:

a) Dois cargos ou empregos privativos de profissionais

da saúde, com profissões regulamentadas.

b) Dois cargos ou empregos públicos de profissionais da

saúde, com um de professor.

c) Dois cargos de professor com um cargo privativo de

profissional da saúde.

d) Dois cargos de professor com outro de pesquisador

científico.

e) Dois cargos de técnico com outro cargo científico.

117. (VUNESP/2014 - Auxiliar Judiciário do TJ/PA) De

acordo com a Constituição Federal, desde que haja compatibilidade de horários, é permitida a acumulação de dois cargos públicos da mesma categoria para:

a) Enfermeiros e professores.

b) Médicos e policiais.

c) Professores e juízes.

d) Juízes e promotores.

e) Policiais e professores.

118. (VUNESP/2014 - Oficial Administrativo da Polícia

Civil de São Paulo) Assinale a alternativa que contem- pla um tipo de cargo público que admite acumulação com outro do mesmo tipo, quando houver compatibili- dade de horários.

a) Professor.

b) Delegado de Polícia.

c) Defensor público.

d) Procurador público.

e) Oficial administrativo.

119. (VUNESP/2014 - Analista de Sistemas da Câmara

Municipal de São José dos Campos/SP) A Constituição

Federal estabelece expressamente que:

acumulação remunerada de cargos

a) É

públicos.

b) É permitida a acumulação remunerada de cargos

públicos sempre que houver compatibilidade de horá- rios.

c) É permitida a acumulação remunerada de cargos

públicos, exceto se a soma das remunerações exceder o valor do teto constitucional.

permitida

a

d) É vedada a acumulação remunerada de cargos públi-

cos, exceto, quando houver compatibilidade de horários,

a de dois cargos de técnico.

e) É vedada a acumulação remunerada de cargos públi-

cos, exceto, quando houver compatibilidade de horários,

a de um cargo de professor com outro, técnico ou cientí- fico.

120. (VUNESP/2012 - Escrevente Técnico Judiciário do TJ São Paulo) Tércio Romano é empregado na área administrativa de uma sociedade de economia mista e foi convidado para ser assessor de um Vereador do Município onde é domiciliado. Tércio tem dúvida se pode, legalmente, aceitar a indicação para este cargo em comissão remunerado. Nessa situação, com base no que dispõe a Constituição Federal sobre a acumulação de cargos públicos, é correto afirmar que Tércio:

a) Está autorizado a acumular o cargo público com o

emprego, uma vez que, em ambos, Tércio exercerá fun-

ções técnicas, que admitem a acumulação.

b) Poderá acumular o cargo público com o seu emprego,

uma vez que este é vinculado a uma sociedade de eco- nomia mista, o que não impede a acumulação de cargos no serviço público.

c) Não poderá acumular o cargo de assessor de Verea-

dor com o seu emprego, por vedação Constitucional, exceto se for exercer função técnica ou na área da saú-

de.

d)

Não poderá aceitar o cargo de assessor do Vereador,

sob pena de violar a Constituição, que não permite tal

acumulação.

e) Poderá acumular o cargo público com o seu emprego,

apenas se houver compatibilidade de horários.

121. (VUNESP/2014 - Analista Organizacional em Ciên- cias Jurídicas da PRODEST/ES) A Carta Magna brasileira estabelece que são estáveis após três anos de efetivo exercício os servidores nomeados para cargo de provi- mento efetivo em virtude de concurso público. Toda- via, extinto o cargo ou declarada a sua desnecessidade, o servidor estável.

a) Ficará em disponibilidade, com remuneração propor-

cional ao tempo de serviço, até seu adequado aprovei-

tamento em outro cargo.

b) Perderá automaticamente o cargo, mas deverá rece-

ber indenização proporcional ao tempo de serviço públi-

co.

c)

Deverá ser promovido para cargo imediatamente

superior na mesma repartição onde exerce suas fun-

ções.

d) Será aposentado com proventos proporcionais ao

tempo de serviço e em nível imediatamente superior ao cargo que ocupava.

e) Ficará em disponibilidade, com remuneração, até

atingir o tempo necessário para atingir a aposentadoria

proporcional.

122. (VUNESP/2013 - Escrivão da Polícia Civil de São Paulo) Considerando o disposto na Carta

122. (VUNESP/2013 - Escrivão da Polícia Civil de São

Paulo) Considerando o disposto na Carta Magna brasi- leira, é correto afirmar sobre a estabilidade do servidor público:

a) O servidor público estável somente poderá perder o

cargo por sentença judicial.

b) Extinto o cargo ou declarada a sua desnecessidade, o

servidor estável não poderá ser colocado em disponibili-

dade.

c) Como condição para a aquisição da estabilidade, é

obrigatória a avaliação especial de desempenho por

comissão instituída para essa finalidade.

d) Invalidada por sentença judicial a demissão do servi-

dor estável, ele não poderá ser reintegrado se o seu cargo já estiver ocupado.

e) Os servidores nomeados para cargo de provimento

efetivo em virtude de concurso público são estáveis após três anos, contados da sua nomeação.

123. (VUNESP/2013 - Papiloscopista da Polícia Civil de

São Paulo) Considerando o disposto na Constituição Federal, é correto afirmar que o servidor público no- meado para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público adquire estabilidade:

a) Após dois anos contados da sua nomeação para o

cargo e mediante a avaliação especial de desempenho por comissão instituída para essa finalidade.

b) Após três anos de efetivo exercício no cargo e medi-

ante a avaliação técnica da sua chefia imediata que deverá ser ratificada pelo Secretário de Estado da res- pectiva Pasta.

c) Após dois anos de efetivo exercício no cargo e medi-

ante a avaliação especial de desempenho por comissão instituída para essa finalidade.

d) Após três anos contados da sua nomeação para o

cargo e mediante a avaliação técnica da sua chefia ime-

diata que deverá ser ratificada pelo Governador do Es- tado.

e) Após três anos de efetivo exercício no cargo e medi-

ante a avaliação especial de desempenho por comissão instituída para essa finalidade.

124. (VUNESP/2012 - Escrevente Técnico Judiciário do

TJ São Paulo) Os servidores nomeados para cargo de provimento efetivo, em virtude de concurso público, adquirem estabilidade após:

a) 03 (três) anos de efetivo exercício.

b) 03 (três) anos da data da sua nomeação no Diário

Oficial.

c) 02 (dois) anos da data da nomeação no Diário Oficial.

d) 02 (dois) anos da data da posse.

e) 02 (dois) anos de efetivo exercício.

125. (VUNESP/2014 - Delegado da Polícia Civil de São

Paulo) Os atos de improbidade administrativa importa- rão, nos termos da Constituição Federal, dentre outros,

a) A prisão provisória, sem direito à fiança.

b) A indisponibilidade dos bens.

c) A impossibilidade de deixar o país.

d) A suspensão dos direitos civis.

e) O pagamento de multa ao Fundo de Proteção Social.

126. (VUNESP/2014 - Oficial Administrativo da Polícia

Civil de São Paulo) Para quem comete ato de improbi- dade administrativa, a Constituição Federal prevê, entre outras, a seguinte pena:

a) Jubilação

b) Trabalhos forçados.

c) Cassação dos direitos políticos.

d) Indisponibilidade dos bens.

e) Prisão perpétua.

127. (VUNESP/2013 - Papiloscopista da Polícia Civil de

São Paulo) Conforme estabelece a Constituição da República, entre outras consequências, os atos de im- probidade administrativa importarão, ao responsável,

a) O ressarcimento ao Erário.

b) A desapropriação da função pública.

c) O confisco dos bens.

d) A prisão civil.

e) A cassação dos direitos políticos.

128. (VUNESP/2013 - Advogado da CETESB) Baldur Teseu, funcionário estável da Administração Pública estadual, foi eleito para exercer o cargo de Vereador Municipal. Considerando o disposto na Constituição Federal, é correto afirmar que, investido no mandato de Vereador, Baldur:

a) Será obrigado a afastar-se do seu cargo público para

exercer a vereança e não poderá optar pela remunera- ção.

b) Será afastado do cargo, mesmo havendo compatibili-

dade de horários, sendo-lhe facultado optar pela sua

remuneração.

c) Não poderá acumular os cargos, em virtude de proi-

bição expressa da Constituição, mesmo que haja compa-

tibilidade de horários.

d) Terá que pedir demissão do cargo que ocupa na Ad-

ministração para assumir a vereança.

e) Perceberá as vantagens de seu cargo, havendo com-

patibilidade de horários, sem prejuízo da remuneração

do cargo eletivo.

129. (VUNESP/2014 - Auxiliar Judiciário do TJ/PA) Para fins de aposentadoria, segundo a Constituição Federal,

129. (VUNESP/2014 - Auxiliar Judiciário do TJ/PA) Para

fins de aposentadoria, segundo a Constituição Federal,

são exemplos de cargos públicos regidos pelo regime geral da previdência social:

a) De provimento efetivo.

b) Em comissão.

c) De carreira.

d) Estatutários.

e) Do Poder Judiciário.

130. (VUNESP/2014 - Oficial Administrativo da Polícia

Militar de São Paulo) A Constituição Federal determina que os servidores titulares de cargos efetivos abrangi-

dos pelo regime da previdência serão aposentados:

a) Compulsoriamente, aos setenta anos ou setenta e

cinco anos de idade, com proventos proporcionais ao

tempo de contribuição.

b) Compulsoriamente, aos setenta anos de idade, com

proventos integrais.

c) Voluntariamente, aos sessenta e cinco anos de idade,

se homem; e sessenta anos de idade, se mulher, com proventos integrais.

d) Voluntariamente, aos sessenta anos de idade e trinta

de contribuição, se homem; e cinquenta e cinco anos de

idade e vinte e cinco de contribuição, se mulher.

e) Por invalidez permanente decorrente de acidente em

serviço, com proventos proporcionais ao tempo de con-

tribuição.

Prazos

Homem
Homem
60 anos de idade + 35 anos de con- tribuição 65 anos de idade
60
anos de
idade + 35
anos de con-
tribuição
65
anos de
idade

Mulher

Aposentadoria “por tempo de contribuição”.

55

anos de

idade + 30 anos de con-

tribuição

Aposentadoria

60

anos de

“por idade”.

idade

131. (VUNESP/2013 - Analista de Banco de Dados do

MPE/ES) A Constituição Federal veda a adoção de re- quisitos e critérios diferenciados para a concessão de aposentadoria aos abrangidos pelo regime próprio de previdência dos servidores públicos, ressalvados, nos termos definidos em leis complementares, os casos, entre outros, de servidores:

a) Que exerçam o magistério na educação básica e no

ensino superior.

b) Da administração fazendária e seus servidores fiscais.

c) De carreira do Estado.

d) Pertencentes aos quadros do Ministério Público e da

Magistratura.

e) Portadores de deficiência.

132. (VUNESP/2013 - Escrevente Técnico Judiciário do

TJ São Paulo) Os servidores titulares de cargos efetivos

da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Muni- cípios serão aposentados voluntariamente, desde que cumprido tempo mínimo de dez anos de efetivo exercí- cio no serviço público e de cinco anos no cargo efetivo em que se dará a aposentadoria, observadas as seguin- tes condições, conforme estabelecido na Constituição Federal:

a) Setenta anos de idade, com proventos proporcionais

ao tempo de contribuição.

b) Sessenta anos de idade e trinta e cinco de contribui-

ção, se homem.

c) Sessenta e cinco anos de idade, se homem, com pro-

ventos proporcionais ao tempo de serviço.

d) Sessenta anos de idade e trinta e cinco de contribui-

ção, se mulher.

e) Sessenta anos de idade, se mulher, com proventos

proporcionais ao tempo de serviço.

133. (VUNESP/2016 - Procurador do IPSMI) O teto do

funcionalismo tem como base parâmetros distintos a depender do ente federativo e da esfera de Poder. Assim, conforme previsão constitucional,

a) No âmbito do Poder Judiciário Estadual, o teto equi-

vale ao subsídio mensal dos Desembargadores do TJ, limitado a 85,75% do subsídio mensal, em espécie, dos

Ministros do Supremo Tribunal Federal.

b) No âmbito do Município, tanto na esfera legislativa

como na executiva, o teto equivale ao subsídio do Pre-

feito.

c) No âmbito do Poder Legislativo estadual, o teto equi-

vale ao subsídio mensal do Governador de Estado.

d) Os tetos da Magistratura federal e estadual são idên-

ticos, equivalendo a 85,75% do subsídio mensal dos Ministros do Supremo Tribunal Federal.

e) No âmbito do Poder Legislativo Municipal, o teto

equivale ao subsídio mensal dos Vereadores.

134. (VUNESP/2015 - Analista de Políticas Públicas e

Gestão Governamental da Prefeitura de São Paulo) As funções de confiança de qualquer um dos poderes, e que se destinam apenas às atribuições de direção, chefia e assessoramento, devem ser exercidas exclusi- vamente por:

a) Empregados públicos ocupantes de cargo em comis-

são.

b) Servidor público.

c) Servidores ocupantes de cargo em comissão.

d) Servidores ocupantes de cargo efetivo.

e) Servidores ocupantes de cargo de carreira.

Nos itens abaixo marque C para afirmativas corretas e E para afirmativas erradas. 139. De

Nos itens abaixo marque C para afirmativas corretas e E para afirmativas erradas.

139.

De acordo com o estabelecido na CF, o Tribunal de

Contas da União é órgão de natureza técnica que auxilia

(CESPE/2013 - Defensor Público da DPE/RR) Com refe- rência a aspectos pertinentes aos poderes da Repúbli- ca, julgue:

o

Poder Legislativo na atividade de controle e fiscaliza-

ção, cujos ministros são detentores das mesmas garanti-

as, impedimentos, vencimentos e vantagens conferidas aos parlamentares.

135.

Compete privativamente ao Congresso Nacional

permitir que forças estrangeiras transitem pelo território nacional.

(CESPE/2013 - Juiz do Trabalho do TRT 5ª Região) Em relação ao Poder Legislativo, julgue os itens:

136.

Na hipótese de crime comum praticado pelo presi-

140.

Os parlamentares integrantes da Câmara dos De-

dente da República, o recebimento da denúncia pelo STF

putados são eleitos pelo sistema majoritário.

independerá de juízo positivo de admissibilidade da Câmara dos Deputados.

141.

As propostas de emenda à Constituição devem ser

sancionadas pelo presidente da República, ressalvados

137.

Compete privativamente ao Senado Federal pro-

os casos de sua iniciativa exclusiva.

cessar e julgar os membros do Conselho Nacional de Justiça nos crimes de responsabilidade.

142.

Decreto do presidente da República que viole os

limites legais pode ser objeto do controle político re-

(CESPE/2013 - Juiz do TJ/MA) Julgue os itens no que se refere aos poderes da República.

pressivo de constitucionalidade pelo Congresso Nacio- nal.

138.

De acordo com o entendimento do STF, o deputa-

143.

Ao Tribunal de Contas da União, órgão auxiliar e

do ou senador que assumir o cargo de ministro de Esta- do estará sujeito à perda do mandato por quebra de decoro parlamentar caso pratique, na condição de Mi- nistro, ato considerado indecoroso 5 .

integrante do Poder Legislativo, compete julgar as con- tas prestadas anualmente pelo presidente da República.

144.

O presidente da República detém competência

para vetar, por razões de inconstitucionalidade, deter-

 

minada palavra contida em projeto de lei.

5 Tramitação e processamento de representação por quebra de decoro parlamentar. Deputado federal licenciado e investido no cargo de ministro

(CESPE/2013 - Técnico Judiciário do CNJ) No que se refere à administração pública, aos deputados e sena- dores, às atribuições do presidente da República e às funções essenciais à Justiça, julgue o item seguinte.

Quando um deputado federal emite sua opinião no

145.

de Estado. Liminar indeferida. (

)

O membro do Congresso Nacional

que se licencia do mandato para investir-se no cargo de ministro de Estado não perde os laços que o unem, organicamente, ao Parla- mento (CF, art. 56, I). Consequentemente, continua a subsistir em seu favor a garantia constitucional da prerrogativa de foro em matéria penal (Inq 777-3-QO/TO, Rel. Min. Moreira Alves, DJ de 1º/10/1993), bem como a faculdade de optar pela remuneração do mandato (CF, art. 56, § 3º). Da mesma forma, ainda que licenciado, cumpre-lhe guardar estrita observân- cia às vedações e incompatibilidades inerentes ao estatuto constitucional do congressista, assim como às exigências ético-jurídicas que a Consti- tuição (CF, art. 55, § 1º) e os regimentos internos das casas legislativas estabelecem como elementos caracterizadores do decoro parlamentar. Não obstante, o princípio da separação e independência dos Poderes e os mecanismos de interferência recíproca que lhe são inerentes impe- dem, em princípio, que a Câmara a que pertença o parlamentar o subme- ta, quando licenciado nas condições supramencionadas, a processo de perda do mandato, em virtude de atos por ele praticados que tenham estrita vinculação com a função exercida no Poder Executivo (CF, art. 87, parágrafo único, I, II, III e IV), uma vez que a Constituição prevê modali- dade específica de responsabilização política para os membros do Poder Executivo (CF, arts. 85, 86 e 102, I, c). Na hipótese dos autos, contudo, embora afastado do exercício do mandato parlamentar, o impetrante foi acusado de haver usado de sua influência para levantar fundos junto a bancos “com a finalidade de pagar parlamentares para que, na Câmara dos Deputados, votassem projetos em favor do Governo” (Representação 38/2005, formulada pelo PTB). Tal imputação se adequa, em tese, ao que preceituado no art. 4º, IV, do Código de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados que qualifica como suscetíveis de acarretar a perda do mandato os atos e procedimentos levados a efeito no intuito de “fraudar, por qualquer meio ou forma, o regular andamento dos trabalhos legislativos para alterar o resultado de deliberação”. (MS 25.579-MC, Rel. p/ o ac. Min. Joaquim Barbosa, julgamento em 19/10/2005, Plenário, DJ de 24/08/2007)

âmbito do Congresso Nacional, ele estará inviolável, civil

e

penalmente, estando isento de ser enquadrado em

crime de opinião. No entanto, se as palavras forem pro- feridas fora do Congresso Nacional, haverá a necessida- de de se perquirir o vínculo de suas opiniões com a ati- vidade política para que seja mantida a inviolabilidade.

(CESPE/2013 - Analista Administrativo do CNJ) Com base na norma constitucional e na doutrina sobre a matéria, julgue os itens seguintes, relativos aos Pode- res Legislativo e Executivo.

146.

As comissões parlamentares de inquérito, que são

comissões temporárias destinadas a investigar fato certo

determinado, possuem poderes de investigação pró- prios das autoridades judiciais.

e

(CESPE/2013 - Analista Executivo em Direito do SE- GER/ES) Em relação ao Poder Legislativo, julgue as assertivas:

147.

Os tribunais de contas, no âmbito da fiscalização

contábil, financeira e orçamentária, podem sustar con- tratos administrativos ilegais firmados por entidades da administração pública indireta.

148.

O Poder Legislativo estadual é exercido pelas as-

sembleias legislativas, que devem ser organizadas de

forma bicameral.

149. As resoluções elaboradas por órgãos colegiados de autarquias integram o do processo legislativo. (CESPE/2013

149. As resoluções elaboradas por órgãos colegiados de

autarquias integram o do processo legislativo.

(CESPE/2013 - Técnico Judiciário do TRE/MS) No que concerne ao Poder Legislativo, julgue:

150. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso

Nacional, composto pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal, com legislatura anual.

151. Compete exclusivamente ao Congresso Nacional

sustar portaria ministerial que exorbite do poder regu- lamentar.

152. A suspensão da execução de lei declarada inconsti-

tucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF) compete à

Câmara dos Deputados.

153. As imunidades parlamentares serão automatica-

mente suspensas durante o estado de sítio.

154. Os integrantes da Câmara dos Deputados são elei-

tos pelo sistema majoritário.

(CESPE/2013 - Analista Judiciário do TRE/MS) A respei- to dos Poderes Legislativo e Executivo, julgue:

155. É constitucionalmente possível a elaboração de

medida provisória pelo presidente da República para tipificar novos crimes e estabelecer-lhes as respectivas penas.

156. De acordo com a CF, a impossibilidade de os depu-

tados e senadores serem ou permanecerem presos abrange inclusive as prisões em flagrante por cometi-

mento de crimes inafiançáveis.

157. A competência para julgar o presidente da Repúbli-

ca por crimes de responsabilidade é do STF.

158. O Tribunal de Contas da União (TCU) é órgão auxili-

ar do Congresso Nacional no que toca ao controle exter- no e pode fiscalizar as contas de pessoa jurídica de direi- to privado que receba recursos financeiros da União.

159. O foro competente para julgar os deputados e

senadores, a partir da expedição dos respectivos diplo-

mas, será o Superior Tribunal de Justiça (STJ).

(CESPE/2012 - Técnico Legislativo da Câmara dos Depu- tados) Com relação à organização dos Poderes, julgue o item consecutivo.

160. Na Câmara dos Deputados, o número de represen-

tantes dos estados e do Distrito Federal é proporcional à

população dessas localidades, observados o mínimo de oito e o máximo de setenta deputados federais por unidade da federação. Com relação aos territórios fede- rais, o número de representantes eleitos é invariável, independe do número de habitantes, equivalendo a quatro deputados federais.

(CESPE/2012 - Analista Legislativo da Câmara dos De- putados) Acerca da organização dos Poderes da União, julgue o item a seguir.

161. Qualquer cidadão, partido político, associação ou

sindicato pode ser parte legítima para, na forma da lei,

denunciar irregularidades perante o Tribunal de Contas da União.

(CESPE/2012 - Oficial de Justiça do TJ/RO) Atualmente, entende-se a organização dos poderes como a organi- zação das funções do poder, visto que o poder é uno e indivisível. A respeito desse tema, julgue os itens:

162. É competência dos representantes do povo proces-

sar e julgar o presidente e o vice-presidente da Repúbli-

ca nos crimes de responsabilidade.

163. A CF dispõe que os deputados federais e os sena-

dores, desde a expedição do diploma, só poderão ser submetidos a julgamento perante o STF. Assim, é cor- reto afirmar que tanto os deputados federais quanto os senadores gozam de inviolabilidade material.

164. Como regra, as deliberações de cada casa do Con-

gresso Nacional e de suas comissões devem ser tomadas por maioria de três quintos dos seus membros.

165. É competência indelegável do Congresso Nacional

zelar pela preservação de sua competência legislativa em face da atribuição normativa dos outros poderes.

(CESPE/2012 - Instituto Rio Branco - Diplomata) Com relação às características do Estado brasileiro e à orga- nização dos poderes, conforme disposto na CF, julgue o item a seguir.

166. Compete privativamente ao Senado Federal apro-

var previamente, por voto secreto, a escolha dos chefes

de missão diplomática de caráter permanente, bem como autorizar operações externas de natureza finan- ceira, de interesse da União, dos estados, do Distrito Federal (DF), dos territórios e dos municípios.

(CESPE/2012 - Escrivão de Polícia da PC/AL) Com rela- ção aos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, julgue o item a seguir.

167. Compete privativamente ao Senado Federal autori-

zar, por dois terços de seus membros, a instauração de

processo contra presidente e vice-presidente da Repú- blica.

(CESPE/2012 - Analista Legislativo da Câmara dos De- putados) Acerca da organização da Câmara dos Depu- tados e do Congresso Nacional, julgue os itens a seguir.

168. O número de deputados a serem eleitos em cada

estado ou território e no Distrito Federal (DF) é estabe- lecido, proporcionalmente à população de cada ente federado, por lei complementar, não podendo ser infe- rior a oito nem superior a setenta deputados.

169. Depende de prévia autorização da Câmara dos

Deputados, por dois terços de seus membros, a instau- ração, tanto no âmbito do Senado Federal, por crimes de responsabilidade, como no do Supremo Tribunal Federal (STF), por crimes comuns, de processo contra o presidente e o vice-presidente da República, assim como contra ministro de Estado.

(CESPE/2011 - Juiz do TRF 2ª Região) A respeito da fiscalização contábil, financeira e orçamentária

(CESPE/2011 - Juiz do TRF 2ª Região) A respeito da fiscalização contábil, financeira e orçamentária da ad- ministração pública federal e das competências do TCU, julgue os itens:

170. Quando o TCU detectar irregularidades ou abusos

na execução de contratos firmados pela administração pública federal, o Senado Federal poderá determinar- lhes a imediata sustação, além de poder imputar débito

ou multa aos responsáveis.

171. A fiscalização exercida pelo Congresso Nacional

sobre a administração pública federal, no que diz respei-

to aos aspectos financeiros, não alcança as empresas públicas e as sociedades de economia mista, que se sujeitam ao regime jurídico próprio das empresas priva- das.

172. Compete ao TCU aplicar aos responsáveis, em caso

de ilegalidade de despesa ou irregularidade de contas, as sanções previstas em lei, que estabelecerá, entre outras cominações, multa proporcional ao dano causado ao erário.

173. É competência exclusiva do Congresso Nacional

julgar as contas prestadas pelos administradores e de- mais responsáveis por dinheiros, bens e valores públicos

da administração direta e indireta, incluídas as funda- ções e sociedades instituídas e mantidas pelo poder público federal

174. Cabe à comissão mista de deputados e senadores,

com exclusividade, emitir parecer prévio sobre as contas prestadas anualmente pelo presidente da República.

(CESPE/2012 - Promotor de Justiça do MPE/RR) Julgue os itens, com referência ao Poder Legislativo, às CPIs e à fiscalização contábil, financeira e orçamentária.

175. Em caso de ilegalidade de despesa ou irregularida-

de de contas, o TCU possui competência para aplicar aos respectivos responsáveis a condenação ao recolhimento de débitos eventualmente apurados; entretanto, sendo tribunal administrativo, o TCU somente pode aplicar sanções que envolvam o pagamento de multas e o res- sarcimento de prejuízos causados ao erário.

176. De acordo com a CF, o TCU tem competência para

julgar as contas dos administradores e demais responsá- veis por dinheiros, bens e valores públicos, assim como para fiscalizar as contas das empresas supranacionais de cujo capital social a União participe, de forma direta ou indireta, nos termos do tratado constitutivo.

177. O número total de deputados será estabelecido por

lei complementar, e o número de representantes de cada estado e do DF será disciplinado por lei ordinária, proporcionalmente ao número de eleitores.

178. Como regra, as deliberações dos plenários da Câ-

mara dos Deputados e do Senado Federal são tomadas pela maioria absoluta de seus membros; as deliberações de suas comissões, por sua vez, são tomadas por maioria simples, presente a maioria absoluta de seus titulares.

179. As CPIs, quando mistas, só podem ser criadas me-

diante requerimento que contenha assinatura de, no mínimo, dois terços dos membros da Câmara dos Depu- tados e do Senado Federal.

Nos itens abaixo marque apenas uma das alternativas de acordo com o comando da questão.

180. (FCC/2012 - Analista Administrativo do TST) Xisto

é Juiz do Trabalho em uma determinada cidade do

Estado de São Paulo e é acusado de crime de responsa- bilidade. Neste caso, Xisto será processado e julgado,

originariamente,

a) Pelo Tribunal Regional Federal da área de sua jurisdi-

ção.

b) Pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

c) Pelo Tribunal Regional do Trabalho da área de sua

jurisdição.

d) Pelo Superior Tribunal de Justiça.

e) Pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

181. (FCC/2012 - Analista Administrativo do TST) Consi-

dere as seguintes hipóteses:

I - Paulo, com 36 anos de idade, é advogado trabalhista

renomado, de reputação ilibada, e exerce regularmente

a sua atividade laborativa desde o ano de 2000 em escri- tório profissional situado em uma capital brasileira.

II - Ricardo é membro do Ministério Público do Trabalho, com 45 anos de idade e 8 anos de efetivo exercício na carreira.

III - Pedro, com 40 anos de idade, é advogado trabalhista

renomado, de reputação ilibada e exerce regularmente sua atividade laborativa desde o ano de 2004.

É possível recrutar e nomear como Juiz do Tribunal Regional do Trabalho:

a) Ricardo e Pedro.

b) Paulo e Ricardo.

c) Ricardo, apenas.

d) Paulo, apenas.

e) Paulo e Pedro.

182. (FCC/2012 - Analista Judiciário em Taquigrafia do

TST) Considere as seguintes assertivas a respeito do

Poder Judiciário:

I - Todos os julgamentos dos órgãos do Poder Judiciário

serão públicos, podendo a lei limitar a presença, em determinados atos, às próprias partes e a seus advoga- dos, ou somente a estes, em casos nos quais a preserva- ção do direito à intimidade do interessado no sigilo não prejudique o interesse público à informação.

II - As decisões administrativas dos tribunais dispensam

a motivação, sendo as disciplinares tomadas pelo voto da maioria absoluta de seus membros, assegurada a ampla defesa e o contraditório.

III - Nos tribunais com número superior a vinte e cinco II - Se o

III

- Nos tribunais com número superior a vinte e cinco

II

- Se o Procurador-Geral da República cometer crime

julgadores, poderá ser constituído órgão especial, com o mínimo de onze e o máximo de vinte e cinco membros, para o exercício das atribuições administrativas e jurisdi- cionais delegadas da competência do tribunal pleno.

de responsabilidade, será processado e julgado pelo

Supremo Tribunal Federal.

- O Ministro de Estado que cometer crime de respon-

sabilidade conexo com outro crime de responsabilidade cometido pelo Vice-Presidente da República será pro- cessado e julgado pelo Supremo Tribunal Federal.

III

IV

- Pode a lei estabelecer período de férias coletivas nos

juízos e tribunais de segundo grau, desde que determine

a

manutenção de juízes em plantão permanente durante

Está correto o que se afirma apenas em:

o

período.

Está correto o que se afirma apenas em:

a) I.

 

a) I e II.

 

b) II.

b) II e III.

c) I e III.

c) I e III.

 

d) I e II.

d) II e IV.

e) II e III.

e) III e IV.

186. (FCC/2012 - Juiz do Trabalho do TRT 20ª Região) Em 1996, acrescentou-se à Lei de Organização Judiciá- ria do Estado do Ceará um dispositivo por meio do qual “os juízes em exercício nas varas do Juizado Especial da Comarca de Fortaleza ficam automaticamente promo- vidos a Juízes de Entrância Especial”. Referido disposi- tivo legal foi objeto de ação direta de inconstitucionali- dade, cujo pedido foi julgado procedente, para o fim de declarar sua inconstitucionalidade. A decisão do Su- premo Tribunal Federal, no caso em tela, tem funda- mento na norma constitucional segundo a qual,

 

183.

(FCC/2012 - Analista Judiciário em Taquigrafia do

TST) A Constituição Federal permite aos juízes:

a) Dedicarem-se à atividade político-partidária.

b) Receberem custas em processo, desde que haja auto-

rização do respectivo tribunal.

c)

Titulares residirem em comarca distinta daquela onde

exercem sua função, desde que haja autorização do

respectivo tribunal.

a)

A promoção de entrância para entrância dar-se-á,

d)

razões de conveniência do serviço.

Impedirem a imediata distribuição de processos por

alternadamente, por antiguidade e merecimento, aten- didas as normas para tanto estabelecidas na Constitui-

e)

Exercerem a advocacia no juízo ou tribunal do qual se

ção.

 

b)

É obrigatória a promoção do juiz que figure por três

afastaram, independentemente do tempo de afasta- mento do cargo por aposentadoria ou exoneração.

(FCC/2012 - Técnico Judiciário do TST) Determina-

184.

do Tribunal de Justiça estadual possui Órgão Especial composto por seu Presidente e mais 24 membros, pro-

vendo-se:

vezes consecutivas ou alternadas em lista de mereci- mento.

c)

A promoção por merecimento pressupõe dois anos

de exercício na respectiva entrância e integrar o juiz a

primeira terça parte da lista de antiguidade desta.

a)

Metade das vagas por antiguidade e a outra metade

por eleição pelos demais membros do Órgão Especial.

b)

2/3 das vagas por antiguidade e 1/3 por eleição pelo

O acesso aos tribunais de segundo grau far-se-á por

antiguidade e merecimento, alternadamente, apurados na última ou única entrância.

d)

Tribunal Pleno.

e)

O ato de remoção do magistrado, por interesse públi-

c)

Metade das vagas por antiguidade e a outra metade

co, fundar-se-á em decisão por voto da maioria absoluta do respectivo Tribunal, assegurada ampla defesa.

por eleição pelo Tribunal Pleno.

d)

1/3 das vagas por antiguidade e 2/3 por eleição pelo

187. (FCC/2012 - Técnico Judiciário do TRE/SP) Conside- re as seguintes afirmações a respeito dos Tribunais e Juízes do Estado, em conformidade com as disposições normativas constitucionais:

Tribunal Pleno.

e)

2/3 das vagas por antiguidade e 1/3 por eleição pelos

demais membros do Órgão Especial.

as

185.

(FCC/2012 - Analista Judiciário do TST) Considere

seguintes hipóteses:

I

- Os Estados organizarão sua Justiça, observados os

princípios estabelecidos na Constituição da República, sendo a competência dos tribunais definida na Consti- tuição do Estado e a lei de organização judiciária de iniciativa do Tribunal de Justiça.

- A lei estadual poderá criar, mediante proposta do

Tribunal de Justiça, a Justiça eleitoral estadual, constitu-

II

I - Tício é Desembargador de um determinado Tribunal Regional do Trabalho e comete um crime de peculato neste ano de 2012. Neste caso, a competência para

processar e julgar Tício será do Superior Tribunal de Justiça.

ída, em primeiro grau, pelos juízes de direito e pelas juntas eleitorais.

III - O Tribunal de Justiça instalará a justiça itinerante, com a realização de audiências

III - O Tribunal de Justiça instalará a justiça itinerante, com a realização de audiências e demais funções da atividade jurisdicional, nos limites territoriais da respec- tiva jurisdição, servindo-se de equipamentos públicos e comunitários.

Está correto o que consta apenas em:

a) I.

b) II.

c) III.

d) I e II.

e) I e III.

188. (FCC/2012 - Juiz Substituto do TJ de Goiás) No que se refere às garantias e às vedações aplicáveis à magis- tratura brasileira, é correto afirmar que os juízes:

a) Têm vitaliciedade, que, no primeiro grau, só será

adquirida após três anos de exercício, dependendo a perda do cargo, nesse período, de deliberação do tribu- nal a que o juiz estiver vinculado, e, nos demais casos, de sentença judicial transitada em julgado.

b) Têm inamovibilidade, salvo por motivo de interesse

público fundado em decisão por voto de maioria de dois terços do respectivo tribunal ou do Conselho Nacional de Justiça, assegurada ampla defesa.

c) Têm irredutibilidade de subsídio, não se lhes aplican-

do limites constitucionais, nem sequer o teto de remu- neração.

d) Não podem exercer, ainda que em disponibilidade,

outro cargo ou função, salvo uma de magistério.

e) Não podem exercer a advocacia no juízo ou tribunal

de que se afastaram, antes de decorridos dois anos do afastamento do cargo por aposentadoria ou exoneração.

189. (FCC/2012 - Analista Administrativo do TRT 6ª Região) João, brasileiro naturalizado, com 62 anos de idade, é nomeado Ministro do Supremo Tribunal Fede- ral (STF) pelo Presidente da República, depois de apro- vada sua escolha pela maioria absoluta do Congresso Nacional. João não era juiz de carreira, atuava como advogado trabalhista e lecionava em uma Faculdade de Direito. A arguição pública a que fora submetido com- provou que tinha notável saber jurídico e reputação ilibada. Desta hipótese, conclui-se que o processo para a nomeação de João,

a) Cumpriu os requisitos constitucionais exigidos para

essa finalidade.

b) Cumpriu os requisitos constitucionais exigidos para

essa finalidade, exceto quanto ao fato de João não ser juiz de carreira.

c) Não cumpriu os requisitos constitucionais exigidos

para essa finalidade no tocante à condição de nacionali-

dade de João e ao órgão que aprovou sua escolha.

d) Não cumpriu os requisitos constitucionais exigidos

para essa finalidade no tocante à condição de nacionali-

dade, profissão e idade de João, nem ao órgão que aprovou sua escolha.

e) Cumpriu os requisitos constitucionais exigidos para

essa finalidade, exceto quanto ao órgão que aprovou

sua escolha.

190. (FCC/2012 - Analista Judiciário em Execução de

Mandados do TJ/RJ) Nos termos da Constituição da República, é necessária a manifestação de dois terços

dos membros do Tribunal para:

a) A declaração de inconstitucionalidade de lei ou ato

normativo do Poder Público.

b) O ato de remoção, disponibilidade e aposentadoria

do magistrado, por interesse público.

c) A aprovação de súmula de efeito vinculante, pelo

Superior Tribunal de Justiça.

d) A produção de eficácia contra todos e efeito vinculan-

te nas ações diretas de inconstitucionalidade e nas ações declaratórias de constitucionalidade.

e) A recusa ao prosseguimento de recurso extraordiná-

rio, por não demonstração da repercussão geral das questões constitucionais discutidas no caso.

191. (FCC/2012 - Analista Judiciário do TRF 2ª Região) A

Fazenda Pública Federal, em virtude de sentenças judi- ciais transitadas em julgado, deve para Carlos, Plínio, Marcos, Flávio e Pompeu, cujos créditos são respecti- vamente decorrentes de salário, de pensão, de restitui- ção de imposto, de indenização por morte e de indeni-

zação por invalidez. Segundo a Constituição Federal brasileira, no caso, os pagamentos desses débitos serão realizados exclusivamente na ordem cronológica de apresentação dos precatórios e, em tese, não terá pre- ferência, sobre os demais, o crédito de:

a) Pompeu.

b) Carlos.

c) Marcos.

d) Plínio.

e) Flávio.

192. (FCC/2012 - Analista Judiciário do TRE/CE) Tales,

Ministro de Estado, e Igor, chefe de missão diplomática de caráter permanente, cometeram, respectivamente, infração penal comum e crime de responsabilidade. Nesses casos serão processados e julgados,

a) Originariamente pelo Supremo Tribunal Federal.

b) Originariamente pelo Superior Tribunal de Justiça.

c) Por meio de recurso extraordinário pelo Supremo

Tribunal Federal.

d) Por meio de recurso especial pelo Superior Tribunal

de Justiça.

e) Por meio de recurso ordinário pelo Supremo Tribunal

Federal.

193. (FCC/2012 - Analista Judiciário e Administrativo do TJ Pernambuco) Hércules, Presidente do Tribunal de

193. (FCC/2012 - Analista Judiciário e Administrativo do

TJ Pernambuco) Hércules, Presidente do Tribunal de Justiça, visando beneficiar seu filho Abrão, burlou a ordem cronológica e retardou a liquidação regular do precatório de Otávio. Nesse caso, Hércules incorreu em:

a) Ilícito administrativo e responderá perante a Assem-

bleia Legislativa do respectivo Estado.

b) Ilícito administrativo e responderá perante a Corre-

gedoria do respectivo Tribunal.

c) Crime comum e responderá perante o Órgão Especial

do respectivo Tribunal.

d) Crime de responsabilidade e responderá, também,

perante o Conselho Nacional de Justiça.

e) Crime comum e responderá perante a Assembleia

Legislativa do respectivo Estado.

194. (FCC/2012 - Técnico Judiciário do TRF 5ª Região)

Na Faculdade de Direito “W” o professor de Direito Constitucional, Ubaldo, está lecionando aula a respeito do Supremo Tribunal Federal, em especial, sobre a Súmula Vinculante. Em sua aula, Ubaldo afirmou corre- tamente que, de acordo com a Constituição Federal brasileira, a aprovação da referida Súmula poderá

ocorrer,

a) De ofício ou por provocação e deverá ocorrer medi-

ante decisão de, no mínimo, um terço dos seus mem-

bros.

b) Apenas por provocação e deverá ocorrer mediante

decisão de dois terços dos seus membros.

c) De ofício ou por provocação e deverá ocorrer medi-

ante decisão de dois terços dos seus membros.

d) Apenas por provocação e deverá ocorrer mediante

decisão de, no mínimo, um terço dos seus membros.

e) Apenas de ofício e deverá ocorrer mediante decisão

de, no mínimo, um terço dos seus membros.

195. (FCC/2012 - Analista Administrativo do TRE/SP)

Em reconhecimento à internacionalização da matéria relativa a direitos e garantias fundamentais, a Consti-

tuição da República estabelece que:

a) Tratados internacionais, em matéria de direitos hu-

manos, serão equivalentes a emendas constitucionais se forem aprovados, em cada Casa do Congresso Nacional, em dois turnos, por três quintos dos votos dos respecti- vos membros.

b) Compete ao Superior Tribunal de Justiça julgar, medi-

ante recurso especial, as causas decididas em única ou última instância, quando a decisão recorrida declarar a inconstitucionalidade de tratado internacional.

c) O Procurador-Geral da República, com a finalidade de

assegurar o cumprimento de obrigações decorrentes de tratados internacionais de direitos humanos dos quais o Brasil seja parte, poderá suscitar, perante o Supremo

Tribunal Federal, incidente de deslocamento de compe- tência para a Justiça Federal.

d) Competem originariamente aos Tribunais Regionais

Federais processar e julgar as causas relativas a graves

violações de direitos humanos.

e) A República Federativa do Brasil submete-se à jurisdi-

ção de qualquer Tribunal Internacional a cuja criação

tenha manifestado adesão, salvo do Tribunal Penal In- ternacional.

196. (FCC/2012 - Técnico Judiciário do TST) São órgãos

da Justiça do Trabalho:

a) As Juntas de Conciliação e Julgamento.

b) As procuradorias do Ministério Público do Trabalho.

c) O Conselho Nacional de Justiça e o Conselho Superior

da Justiça do Trabalho.

d) O Supremo Tribunal Federal e o Tribunal Superior do

Trabalho.

e) Os Juízes do Trabalho.

197. (FCC/2012 - Técnico Judiciário do TRT 6ª Região)

Sobre a Justiça do Trabalho, de acordo com a Constitui- ção Federal, é correto afirmar que:

a) Os Ministros do Tribunal Superior do Trabalho devem

ser brasileiros natos, nomeados pelo Presidente da Re-

pública, após aprovação pela maioria absoluta do Con- gresso Nacional.

b) Os Tribunais Regionais do Trabalho compõem-se de,

no máximo, sete juízes, recrutados, quando possível, na respectiva região, e nomeados pelo Presidente da Repú- blica dentre brasileiros com mais de trinta e menos de sessenta e cinco anos.

c) A maior parte dos Ministros do Tribunal Superior do

Trabalho é escolhida dentre juízes dos Tribunais Regio- nais do Trabalho, oriundos da magistratura da carreira, indicados pelo próprio Tribunal Superior.

d) Os Tribunais Regionais do Trabalho não podem funci-

onar de forma descentralizada, a fim de assegurar o pleno acesso do jurisdicionado à justiça em todas as fases do processo.

e) As Juntas de Conciliação e Julgamento são órgãos da

Justiça do Trabalho vinculados aos Tribunais Regionais

do Trabalho.

198. (FCC/2012 - Analista Judiciário em Execução de

Mandados do TRT 6ª Região) Em relação à Justiça do Trabalho, analise as seguintes assertivas:

I - São órgãos da Justiça do Trabalho: o Tribunal Superior do Trabalho, os Tribunais Regionais do Trabalho e os Juízes do Trabalho.

II - Funcionará, junto ao Tribunal Superior do Trabalho, o Conselho Superior da Justiça do Trabalho, cabendo-lhe exercer, na forma da lei, a supervisão administrativa, orçamentária, financeira e patrimonial da Justiça do

Trabalho de primeiro e segundo graus, como órgão cen- tral do sistema, cujas decisões terão

Trabalho de primeiro e segundo graus, como órgão cen- tral do sistema, cujas decisões terão efeito vinculante.

III - Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar as ações de indenização por dano moral ou patrimonial, decorrentes da relação de trabalho.

Está correto o que se afirma em:

a) I, apenas.

b) II, apenas.

c) III, apenas.

d) I e II, apenas.

e) I, II e III.

199. (FCC/2011 - Analista Judiciário em Execução de

Mandados do TRT 14ª Região) Quando o Supremo Tribunal Federal apreciar a inconstitucionalidade, em tese, de norma legal ou ato normativo, citará, previa- mente, o:

a) Ministro Chefe da Casa Civil.

b) Procurador-Geral da República.

c) Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil.

d) Presidente da República.

e) Advogado-Geral da União.

200. (FCC/2011 - Técnico Judiciário do TRE/TO) Não

podem propor a ação direta de inconstitucionalidade e

a ação declaratória de constitucionalidade perante o Supremo Tribunal Federal:

a) A Confederação sindical ou entidade de classe de

âmbito nacional.

b) A Mesa do Senado Federal.

c) O Procurador-Geral da República.

d) O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do

Brasil.

e) O partido político sem representação no Congresso

Nacional.

201. (FCC/2011 - Técnico Judiciário do TRE/PE) Aos

Juízes é vedado o exercício da advocacia no:

a) Tribunal do qual se afastou, antes de decorridos três

anos do afastamento do cargo por exoneração.

b) Juízo do qual se afastou, antes de decorridos cinco

anos do afastamento do cargo por exoneração.

c) Tribunal do qual se afastou, antes de decorridos dez

anos do afastamento do cargo por exoneração.

d) Juízo do qual se afastou, antes de decorridos cinco

anos do afastamento do cargo por aposentadoria.

e) Tribunal do qual se afastou, antes de decorridos qua-

tro anos do afastamento do cargo por aposentadoria.

202. (FCC/2011 - Analista Judiciário do TRE/PE) Maximi- liano, Governador de Estado, foi acusado da prática de crime comum e preso, desejando ingressar com habeas

corpus para ser libertado, cujo remédio constitucional será processado e julgado originariamente pelo:

a) Tribunal Regional Eleitoral competente do seu Estado

de origem.

b) Supremo Tribunal Federal.

c) Superior Tribunal de Justiça.

d) Tribunal de Justiça competente do seu Estado de

origem.

e) Tribunal Superior Eleitoral.

203. (FCC/2011 - Analista Judiciário em Análise de Sis- temas do TRE/PE) Ao Poder Judiciário é assegurada autonomia administrativa e financeira. Os tribunais elaborarão suas propostas orçamentárias dentro dos limites estipulados conjuntamente com os demais Po- deres na lei de diretrizes orçamentárias. O encami- nhamento da proposta, ouvidos os outros tribunais interessados, compete, no âmbito da União,

a) Ao Presidente da República, com aprovação do Su-

premo Tribunal Federal.

b) Ao Presidente do Supremo Tribunal Federal com

aprovação do Superior Tribunal de Justiça e do Tribunal Superior Eleitoral.

c) Aos Presidentes do Supremo Tribunal Federal e dos

Tribunais Superiores, com a aprovação dos respectivos tribunais.

d) Aos Presidentes do Supremo Tribunal Federal e dos

Tribunais Superiores, com a aprovação do Presidente da República.

e) Ao Presidente do Supremo

aprovação da Ordem dos Advogados do Brasil.

com

Tribunal Federal,

204. (FCC/2011 - Procurador do TCE/SP) Ao assegurar a autonomia administrativa e financeira do Poder Judici- ário, a Constituição da República prevê que:

a) Os tribunais elaborarão suas propostas orçamentárias

dentro dos limites estipulados pelo Poder Executivo na

lei de diretrizes orçamentárias.

b) O encaminhamento da proposta orçamentária com-

pete, no âmbito dos Estados, aos Presidentes dos Tribu- nais de Justiça, com a aprovação dos respectivos tribu- nais.

c) O encaminhamento da proposta orçamentária com-

pete, no âmbito da União, ao Presidente do Supremo Tribunal Federal, ouvidos os outros tribunais interessa- dos.

d) Se as propostas orçamentárias do Poder Judiciário

forem encaminhadas em desacordo com os limites da lei de diretrizes orçamentárias, o Poder Legislativo proce- derá aos ajustes necessários para fins de consolidação da proposta orçamentária anual.

e) Durante a execução orçamentária do exercício, não

poderá haver a realização de despesas ou a assunção de

obrigações que extrapolem os limites estabelecidos na lei de diretrizes orçamentárias. 205. (FCC/2011 - Procurador