Sunteți pe pagina 1din 16

Assunto abordado:

_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________

Texto Bíblico:
_______________________________________________________________________

Pontos Importantes:
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________

O que devo fazer? O que preciso mudar na minha vida cristã?


_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
Culto Matutino
Ordem Litúrgica: 10h30
 Saudação
 Cântico Congregacional – Hino 3 HNC “A Igreja em Adoração”
 Leitura Bíblica – João 1

1 No começo aquele que é a Palavra já existia. Ele estava com Deus e era
Deus. 2 Desde o princípio, a Palavra estava com Deus. 3 Por meio da Palavra,
Deus fez todas as coisas, e nada do que existe foi feito sem ela. 4 A Palavra era
a fonte da vida, e essa vida trouxe a luz para todas as pessoas. [...] 14 A Palavra
se tornou um ser humano e morou entre nós, cheia de amor e de verdade. E
nós vimos a revelação da sua natureza divina, natureza que ele recebeu como
Filho único do Pai. [...] 16 Porque todos nós temos sido abençoados com as
riquezas do seu amor, com bênçãos e mais bênçãos. 17 A lei foi dada por meio
de Moisés, mas o amor e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo. 18
Ninguém nunca viu Deus. Somente o Filho único, que é Deus e está ao lado do
Pai, foi quem nos mostrou quem é Deus.

 Cântico Congregacional – Hino 64 HCC “Glorioso És Tu, Senhor”


 Oração Silenciosa
 Oração por Iluminação
 Leitura Bíblica e Mensagem
Rev. Junio Cesar Rodrigues Lima
 Dedicação dos Dízimos e Ofertas – Hino 269 HNC “Pureza no Sangue de
Cristo”
 Oração Diaconal de Dedicação
 Benção Apostólica
 Amém Tríplice
Dirigente: Presb. Nelsei
ANIVERSÁRIO DA UMP - ORDEM LITÚRGICA, 18H30

 Prelúdio
Equipe de Louvor

 Saudação
 Oração de Adoração
 Leitura Bíblica – Salmo 29
 Cântico Congregacional – Hino 26 HNC “Ao Deus Grandioso”
 Leitura Bíblica – Romanos 5.1-11
 Oração Silenciosa
 Oração de Confissão
 Cânticos Espirituais
Equipe de Louvor

 Leitura Bíblica e Mensagem


Rev. Junio Cesar Rodrigues Lima
 Leitura Bíblica – 2 Coríntios 9.7
 Dedicação dos Dízimos e Ofertas – Hino 63HNC “As Muitas Bênçãos”
 Oração Diaconal de Dedicação
 Acolhida aos Visitantes
 Momento UMP
 Agradecimentos
 Cântico Congregacional – Hino 382 HNC “Mocidade Presbiteriana”
 Moto da UMP
 Benção Apostólica
 Amém Quíntuplo
 Poslúdio
Equipe de Louvor

Dirigente: UMP
Presbíteros e Diáconos Pastores

 Presb. Edson Matos de Oliveira


 Presb. Flávio Barcelos de Souza
 Presb. José Nascimento da Silva
 Presb. Lesseir Ramos de Sousa
 Presb. Nelsei dos Santos Lima
 Presb. Vinícius Rodrigues Abrantes
 Presb. Wallace Fortini Antonio

 Diác. Bruno Leonardo Alves Garcia


 Diác. Cleiton Amaral de Faria
 Diác. Kleber Fortini Antonio
 Diác. Luciano Góes de Amorim
 Diác. Marcelo Pereira Basílio Rev. Junio Cesar Rodrigues Lima
 Diác. Maurício Moreira Argemiro Tel. (21) 3016-7927 Cel. (21) 98004-4026
 Diác. Thiago Fortini Araújo Email: revjuniocesar@yahoo.com.br

Presidentes das Sociedades Internas Atendimento Pastoral:


Quarta e sexta-feira (com hora marcada)

 UCP – Thuane M. Matos de Oliveira Colaboradores:


 UPA – Júlia Miranda da Fonseca Sem. Rodrigo de Almeida Fernandes – JMC;
 UMP – Douglas Correia Teixeira Sem. Anderson Marné - STPRAGS
 SAF – Jeane de Araújo Miranda
 UPH - Lesseir Ramos de Souza

Rev. Wendel da Silva Ribeiro


Tel. (21) 3451-5334 Cel. (21) 99632-4141
Email:wendels@furnas.com.br

“Na verdade o Senhor está neste lugar”... (Gênesis 28.16)


IGREJA PRESBITERIANA DE COELHO NETO

BOLETIM INFORMATIVO SEMANAL NÚMERO 2720


Rio de Janeiro, 29 de abril de 2018
Visite nossa página: www.coelhoneto.org
Email: presbiterianadecoelhoneto@gmail.com

Editorial
E SERÁ QUE PODE SAIR ALGUMA COISA BOA DE
NAZARÉ?
ATIVIDADES
SEMANAIS Quem vai ao templo na alta madrugada está acostumado a
perder o sono, vive atormentado pela culpa e tem dúvidas se
Domingo: realmente há espaço para a aceitação de homens e mulheres
Escola Dominical, 9h socialmente desprezíveis em um Deus que promete retribuir a
Culto Matutino, 10h30
Culto Noturno, 18h30 cada segundo o seus atos, mas, também, diz que é um abrigo
para o cansado, uma fonte inesgotável ao sedento, é dignidade
Terça-feira para os humilhados e perdão para todo aquele que apresentar
Mulheres que Oram, 8h a ele um coração despedaçado. Jesus foi ao templo na alta
Grupo de Oração, 19h30 madrugada para encontrar esse tipo de gente.

Quarta-feira Rua Taquarichim, 67, Rocha Miranda, Rio de Janeiro/RJ


Comissão de Visitas
CEP 21510-240 - Tel. (21) 3014-4723
Quinta-feira CNPJ 30.290.852/0001-21
Estudo Bíblico, 19h30
Uma igreja composta por famílias sólidas que adotam Jesus como estilo de vida
E SERÁ QUE PODE SAIR ALGUMA COISA BOA DE NAZARÉ?
Rev. Junio Cesar Rodrigues Lima
Perguntem para uma mulher que esteve
prestes a receber o pagamento por sua
infidelidade, pela busca desenfreada e
insana por prazer: um momento de
felicidade temporário, impulsivo, carnal e
vazio.
Ela morava em uma grande cidade, mais
especificamente em Jerusalém: uma
cidade sagrada que historicamente deveria servir como cenário para a reconciliação
entre o Deus Santo e Justo e seres humanos pecadores e corruptos que viviam o auge
de sua degradação espiritual e moral. O ambiente era propício para isso. Aliás, o
encontro entre Jesus e essa mulher aconteceu em plena madrugada. Eu fico me
perguntando: que tipo de pessoa frequentaria o templo em plena madrugada, quando
a maioria da população estaria sujeita as ações de ladrões, estupradores e homicidas
durante um percurso marcado pela escuridão e instabilidade do trajeto até lá.
Quando o templo foi inaugurado, Salomão fez uso da escala sonhada pelo seu pai Davi.
O segundo rei de Isarel entendia que o templo deveria funcionar 24h por dia. Todas as
vezes que alguém chegasse até lá abatido, sem esperança e vazio de sua vitalidade
deveria se renovar através da música e adoração contínua ministrada por levitas,
cantores e sacerdotes responsáveis pela condução do pecador até Deus, a fim de
obter uma reconciliação com ele sem muitas complicações.
O templo, acima de tudo, seria um lugar de arrependimento, conversão, perdão e
amor. Esse deveria ser o clima. Por isso, até de madrugada havia culto: um encontro
entre Deus e seu povo. No entanto, geralmente quem ia ao templo de madrugada não
queria ser visto, mas, sim, fugir dos olhares de acusação, do julgamento de pessoas que
se consideravam mais santas e dignas que as outras por causa do nome de família ou pelos
ritos que praticavam. Os adoradores da madrugada não tinham nome, rosto ou dignidade.
Era gente que ninguém queria ver e sofria uma dor silenciosa causada pelas correntes dos
maiores pecados que seres humanos poderiam cometer: aqueles que se tem vergonha
suficiente para confessar em plena luz do dia, quando todos estiverem olhando.
Quem vai ao templo na alta madrugada está acostumado a perder o sono, vive
atormentado pela culpa e tem dúvidas se realmente há espaço para a aceitação de
homens e mulheres socialmente desprezíveis no templo de um Deus que promete retribuir
a cada segundo o seus atos, mas, diz também que é um abrigo para o cansado, uma
fonte inesgotável ao sedento, dignidade para os humilhados e perdão a todo aquele
que apresentar a ele um coração despedaçado. Jesus foi ao templo na alta
madrugada para encontrar esse tipo de gente. Se existe alguém que compreende gente
excluída, perdida, doente, enlutada, sofrida, cansada e oprimida é Jesus de Nazaré.
Acredite!
Aniversariantes do Mês Comissão de Integração
Primeira Semana Agradecemos a presença de todos
30/04 - Karoliny dos Santos Argemiro; aqueles que nos visitam hoje e
30/04 - Nizete Fortini Ferreira; participam das nossas atividades.
01/05 – Ionara Ferreira da Silva Garcia; Essa é a casa de Deus, um lugar de
01/05 – Giovanna R. Fortini Antonio; refúgio e segurança para sua família.
02/05 – Léa Silva de Abreu; Sejam bem-vindos!
03/05 – Noeme Cunha de Oliveira; Escala:
07/05 – Ana Carolina Aguiar S. Campos;
29/04 – Manhã: Débora; Noite: Vânia.
Segunda Semana Mulheres que oram
08/05 – Márcio Ribeiro de Araújo;
09/05 – Ivânia Maria Vieira de Souza; Toda terça-feira, às 8h00, temos um
11/05 – Adelita Costa Samo; grupo de oração para você começar
bem o seu dia. Venha orar conosco!
Terceira Semana As irmãs da sociedade feminina
16/05 – Maria Eduarda M. dos Santos; esperam você e sua família.
16/05 – Diác. Maurício Moreira Argemiro; Escala para direção da reunião:
16/05 – Meri Jane Araújo da Costa;  08/05 – Aparecida;
18/05 – André de Oliveira;  15/05 – Marilene;
21/05 – Kátia Cristina M. V. de Oliveira;  22/05 – Jeane;
22/05 – Leiliane Pereira Beneditino.  29/05 – Augusta Júnia.

Quarta Semana Culto nos Lares


23/05 – Geralda Divina de Oliveira Lima; A Sociedade Feminina se reúne nos
24/05 – Isabel Christina R. Abrantes; lares toda segunda-feira, às 15h00, a
26/05 – Keli Faria da Silva Ribeiro; fim de compartilhar o que Deus tem
26/05 – Maurinei dos Santos Grillo; feito em sua vida través da oração e
27/05 – Patrícia Rangel Lima; meditação na Palavra. Participe
28/05 – Maria do Socorro Silva; destes encontros!
30/05 – Vitória Moreira Oliveira.  30/04 – Casa da irmã Neusa
(Direção: Mere Jane).
Nossa comunidade se alegra com todos  07/05 – Casa da irmã
os irmãos e irmãs que completam mais Marilene (Direção: Celma
um ano de vida e roga ao Senhor que Matos);
derrame muitas bênçãos sobre cada um  14/05 – Casa da irmã Adelita
de vocês. Parabéns! (Direção: Mere Jane);
 21/05 – Casa da irmã Dinah
(Direção: Leila);
 28/05 – Colégio Coelho Neto
(Direção: Marilene).

Igreja Presbiteriana de Coelho Neto: Seguindo o Cristo, Fortalecendo Famílias.


Escola Bíblica Dominical, domingo, às 9h00

Classe para Jovens e Adultos: Revitalizar


para Frutificar
Você está satisfeito com a frutificação apresentada pela
sua Igreja?Atualmente há uma discussão necessária e
crescente sobre o tema da revitalização da igreja. Sem
revitalização é impossível haver vigor e crescimento.Os
estudos contidos nessa revista apresentam a base bíblica
da revitalização da igreja e as implicações práticas desse
processo.Você e sua liderança precisam conhecer essa
revista.

Classe para Formação Espiritual:


A Maravilhosa e Boa Vida
Jamais encontrei uma pessoa cujo objetivo fosse arruinar a
própria vida. Todos nós queremos ser felizes, e queremos
isso o tempo todo. O problema é que somos levados a
falsas noções de felicidade e sucesso. Decisões
autocentradas levam-nos muito além dos maus hábitos
que nos causam ruína: raiva, luxúria, mentira,
preocupações e julgamentos. No final das contas
acabamos vivendo uma vida de autodestruição adornada numa linda embalagem.
Seguindo o Sermão do Monte, este livro nos leva a olhar por
trás das nossa falhas de caráter e a rever as falsas crenças
que nos têm dominado, segundo o padrão dos valores de
Jesus sobre a vida no Reino de Deus.

Classe para Adolescentes: Ouvindo Deus na


Tormenta
Com ilustração e parábolas do dia-dia, Max Lucado lava-nos
a ter uma vida mais rica com Deus. A confiar inteiramente no
Pai Celeste, cujo alvo é nos conduzir com segurança ao lar.
Ele fará o que for preciso para que estejamos seguros. Sua
benignidade não tem fim. Ao abrir este livro, ouça a
mensagem de esperança. A luta de hoje pode ser a benção
de amanhã.
Enquanto Jesus saía, na alta madrugada, de um momento de solitude no Monte das
Oliveiras para garimpar pessoas solitárias e excluídas no templo de Jerusalém, uma
mulher premeditadamente se tornava um dos temas principais do livro de Provérbios: um
modelo de insensatez, perdição, tolice e morte segundo o discurso dos sábios de Israel.
Não faltariam adjetivos para ela: mulher imoral, que esquece os votos sagrados do
casamento, infiel ao seu marido, chegada ao mundo dos mortos, caminho para
perdição, devoradora, encantadora, ardilosa, pior que uma prostituta, sem vergonha,
cheia de malícia. Todo homem sábio deveria se afastar desse tipo de mulher. Será que é
essa gente que Deus procura? O livro de Provérbios nos ajuda a compreender o cenário
da narrativa de João sobre a “Mulher Adúltera”, o sábio diz:
Uma vez eu estava olhando pela janela da minha casa e vi vários rapazes sem experiência; mas
notei que um deles era mesmo sem juízo. Esse rapaz estava andando pela rua, perto da esquina
onde morava certa mulher. Ele passava por perto da casa dela, ao anoitecer, quando já
estava escuro. E aconteceu que essa mulher foi encontrar-se com ele, vestida como uma
prostituta e cheia de malícia. Ela era espalhafatosa e sem-vergonha e estava sempre andando
pelas ruas. Ficava esperando em alguma esquina, às vezes numa rua, outras vezes na praça. Ela
chegou perto do rapaz, e o abraçou, e beijou. Então, com um olhar atrevido, disse: — Paguei
hoje os meus votos, e a carne da oferta de paz está comigo. Por isso saí procurando você. Eu
queria encontrá-lo, e você está aqui! Já forrei a minha cama com lençóis de linho colorido do
Egito. Eu a perfumei com mirra, aloés e flor de canela. Venha, vamos amar a noite toda.
Passaremos momentos felizes nos braços um do outro. O meu marido não está em casa; ele foi
fazer uma longa viagem. Levou bastante dinheiro e só voltará daqui a alguns dias. Assim, ela o
tentou com os seus encantos, e ele caiu na sua conversa. E, num instante, lá foi ele com ela,
como um boi que vai para o matadouro, como um animal que corre para a armadilha, onde
uma flecha atravessará o seu coração. Era como um pássaro que entra num alçapão, sem
saber que a sua vida está em perigo (Provérbios 7.6-23).
Está claro que, embora a Lei de Moisés dissesse que tanto o homem quanto a mulher
pegos em adultério deveriam ser mortos (Levítico 20.10), para as pessoas de Jerusalém,
o adultério masculino era uma reação à sedução feminina. O homem adúltero seria a
vítima de uma mulher ardilosa, sedutora e perspicaz que com seus encantos premeditou
a queda de um homem fraco, inexperiente e insensato. Socialmente, não havia dor na
punição do homem. Homens e mulheres foram sentenciados a morte. Ambos
trabalhavam para retirar o sustento da terra e juntos enfrentavam a escassez. Mas,
apenas a mulher teria que conviver com dores ao gerar a vida. O desejo dela foi
submetido ao seu marido e, ela só existiria socialmente a partir da representação de um
homem, ainda que ele fosse mau.
Nesse contexto sociocultural, uma mulher sem nome foi flagrada em adultério em sua
casa, ao anoitecer, quando já estava escuro, na cidade que deveria servir como lugar
de reconciliação entre Deus e os seres humanos perdidos. Enquanto a mulher satisfazia
os desejos mais ocultos do seu coração, procurando preencher o vazio da sua alma
através da submissão da sua vida a outro homem igualmente vazio, Jesus estava no
pátio do templo ensinando. Todos sabiam que ele estava lá. A ralé subia ao templo de
madrugada e, era ela que andava com Jesus durante o dia. Logo a roda de sabedoria
se fez. Jesus e seus curiosos seguidores.
Fico pensando no tema do sermão daquela noite: seria algo sobre amor, perdão,
restauração, proximidade do reino? Não sei. O fato é que a roda de ensino foi invadida
por mestres da lei e fariseus que tinham um caso mais importante e urgente que o ensino
de Jesus: um julgamento cuja sentença era óbvia, a condenação. Simples assim.
Não sabemos se o marido estava presente. Jamais desvendaremos como aqueles homens
conseguiram flagrar o adultério. Não conhecemos os métodos; se foi armação dos
mestres da lei e dos fariseus; se o marido encomendou o flagrante; como eles
conseguiram entrar na casa da mulher; ou se algum judeu zeloso ficou observando pela
sua janela como foi o caso de Provérbios. Mas o fato é que o ensino de Jesus foi
interrompido e todos estavam curiosos sobre como ele resolveria o problema. E, aos olhos
de todos, aquela mulher era um problema, um grande e incômodo problema.
Eles disseram: — Mestre, esta mulher foi apanhada no ato de adultério. De acordo com a Lei
que Moisés nos deu, as mulheres adúlteras devem ser mortas a pedradas. Mas o senhor, o que é
que diz sobre isso? (João 8.4-5)
Diante de Jesus estava uma mulher apanhada em adultério. Ela era culpada, esse é um
fato. A condenação seria justa, ninguém duvidaria disso, nem ela. Porém, Jesus parece
ignorar a animosidade e sede de sangue dos mestres da lei e dos fariseus. Ele
simplesmente se abaixa e continua focado no que estava fazendo. Mas a vontade de
condenar os outros sempre grita mais alto que a misericórdia, um momento de silêncio e
a reflexão. Os ruídos da nossa alma nos impedem de ouvir o doce som da graça e
misericórdia, nos fazem até mesmo ignorar que o solo que estamos pisando pertence ao
lugar de reconciliação entre um Deus Santo e Justo e seres humanos perdidos.
A mulher foi obrigada a ficar de pé, embora sua alma estivesse encurvada, humilhada.
Então, depois de muita insistência dos mestres da lei e expectativa dos adoradores da
madrugada, Jesus proferiu a sentença:
— Quem de vocês estiver sem pecado, que seja o primeiro a atirar uma pedra nesta
mulher! (João 8.7)
A mulher ouviu. Quando anoiteceu, ela não pensava noutra coisa a não ser satisfazer o
vazio da sua alma, buscando prazer, sedução e submissão. Durante o flagrante, a
vergonha de sua nudez a impediu de pensar sobriamente. Ao longo da caminhada,
arrastada rumo ao templo, havia apenas a certeza da morte, justa morte. A sua vida seria
exterminada pelas mãos de seus algozes ou pela santidade de um Deus que parecia
sempre tão rígido e irado quanto os mestres da lei e fariseus da sua cidade. E o que era
mais deseperador: a sua alma sabia que a condenação seria merecida. No entanto, em
vez disso, ela viu um homem que parecia se preocupar menos com o adultério e mais com
a sua alma. Ela foi usada e abandonada pelo seu companheiro e estava servindo aos propósitos
dos mestres da lei e fariseus. Até mesmo os adoradores da madugada usaram o caso dela para se
sentirem menos pecadores. No entanto, aquele homem famoso por andar com gente
errante parecia estar mais preocupado com as motivações do coração dela que o ato
de adultério em si.
Todos foram embora: os mestres da lei, os fariseus e aqueles adoradores da madrugada
que ouviam Jesus. Pessoas que se consideravam tão pecadoras que não podiam
frequentar o templo a luz do dia foram embora para casa porque não podiam suportar
um Deus que perdoaria um pecado tão grave quanto um adultério. Mas, para o
Nazareno, não existem trevas suficientes para impedir a reconciliação entre Deus e os
homens.
Então Jesus endireitou o corpo e disse: — Mulher, onde estão eles? Não ficou
ninguém para condenar você? — Ninguém, senhor! — respondeu ela. Jesus disse: —
Pois eu também não condeno você. Vá e não peque mais!
A esperança veio de Nazaré. Jesus sempre disse que veio para buscar e salvar o
perdido. Não há poço profundo o suficiente. Jamais existirão trevas tão espessas. Nunca
haverá vazio tão grande que ele não possa preencher com graça, misericórdia e amor.
Para mim, Jesus foi ao Monte das Oliveiras esperar a madrugada chegar e depois foi ao
templo para encontrar uma mulher que, se fosse por sua intervenção, estaria morta
estraçalhada no chão de um lugar sagrado que , em vez de trazer reconciliação, vida e
paz, traria vingança e morte. Então, será que pode sair alguma coisa boa de Nazaré?
Sim. Jesus. Ele é o melhor de nós.
Como ajudar financeiramente a Igreja Presbiteriana
de Coelho Neto

Nossa comunidade se mantém a partir das contribuições de seus membros e parceiros.

Compreendemos que o principal objetivo de uma igreja cristã é servir a comunidade,


por isso, não estamos preocupados em armazenar bens materiais ou desenvolver
atividades que visem o lucro, acumulo de capital ou enriquecimento pessoal de líderes
através da exploração da fé.

Os dízimos e ofertas entregues por pessoas que compreendem e se comprometem com


manutenção das nossas atividades não são obtidos mediante apelação ou
constrangimento. Por isso, evitamos falar excessivamente sobre dinheiro em nossas
programações. Entendemos que o comprometimento com o serviço eclesiástico brota
de um coração generoso e consciente das necessidades da igreja, realidade social da
comunidade e condição do próprio ofertante, como está escrito:

"Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação,
pois Deus ama quem dá com alegria. E Deus é poderoso para fazer que lhes seja
acrescentada toda a graça, para que em todas as coisas, em todo o tempo, tendo
tudo o que é necessário, vocês transbordem em toda boa obra. Como está escrito:
"Distribuiu, deu os seus bens aos necessitados; a sua justiça dura para sempre".

2 Coríntios 9:7-9

Nossos membros já compreenderam que o sustento financeiro é importante para o bom


andamento dos trabalhos e exercício da espiritualidade e fé.

Se você deseja contribuir, faça isso com seriedade, reflita e coloque sua vida diante de
Deus. A contribuição pode ser feita através de depósito em favor da IGREJA
PRESBITERIANA DE COELHO NETO (CNPJ: 30.290.852/0001-21):

Banco Itaú
Agência: 1246
Conta Corrente: 39459-5

Desde já agradecemos sua parceria.

Igreja Presbiteriana de Coelho Neto: Seguindo o Cristo, Fortalecendo Famílias.