Sunteți pe pagina 1din 459

PP

AU
IR
AR
Supremo Tribunal Federal STFOlgl!al

Pet 0007490 - 20/02/201813:11


VaI. 4

L
DE
:36 AN
:46 C
14 E S ,
''--~--
8 - IN
01 OL

\
"-.

PETiÇÃO
0/2 AR
9/1 - C
: 1 30
Em 8579
11
65

PETIÇA0 '/490
PROCl:m DIS';.'RIT.J FED1-.')·'1'í,
r: 0

ORIGBM. : - ::'üOij o Q:) 0"1 '11.S2 o 17J.4 - /l-'iINL31'É:RJ o ':'(;;3~ E:C. :~'.h:DEr-'.A;~
RELATOR (A): lHN. MARCO AURÊLIO
P..."':'~::)TE. (Si
po

PP,:;c. (A/,'~; (ES)


sso
pre
Im


J
MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

PP
~-------

AU
IR
AR
PROCURADORIA GERAL DA REPUBLlCA
CRIMINAL

L
Data de Autuação: 26/01/2017

DE
Procedimento Preparatório - PGR - PP-PGR

:36 AN
"

1.00.000.001718/2017 -14
:46 C
14 E S
Confidencial Supremo Tribunal Federal STFDigilal
8 - IN

Pet 0007490· 20/02/2018 13:11


Volume 111 0016188-522018,1000000
01 OL

,,'
,
Capa: JIIIIII 11 111111 !IIIIIIIIII 111111111111111111111111
0/2 AR

Proposta de colaboração premiada formulada por Alan Ayoud Malouf, no âmbito da Operação Rêmora.
9/1 - C

Distribuição:
PGR - 26/01/2017 - PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA: CRIMINAUSTF
: 1 30

Grupo temático principal:


Administrativo
Em 8579

Tema:
Acompanhamento de Feitos Judiciais/Administrativos (GESTÃO POLlTICA E
I
1'E2, ADMINISTRATIVA/ADMINISTRATIVO DO MP (AREA-MEIO))
11

~o ~.r(
65

)
r: 0
po
sso
pre
Im

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

.i
559

P
MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

UP
PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA
SUBSECRETARIA DE GESTÃO DOCUMENTAL E PROCESSUAL

RA
DIVISÃO DE CONTROLE EXTRAJUDICIAL

RI
LA
DE
:36 AN
TERMO DE ABERTURA DE VOLUME

:46 C
14 E S
8 - IN
01 OL

Aos três dias do mês de outubro do ano de dois mil e dezessete, nesta Divisão
0/2 AR

de Controle Extrajudicial - DCE/SUBGDP/CHEFIAGAB/PGR, procedi à abertura do


presente volume III do Procedimento Preparatório - PGR-PP-PGR - 1.00.000.001718/2017-
9/1 - C

14 à fi. 501.
: 1 30

Para constar, lavrei o presente termo, que vai devidamente assinado.


Em 8579


11

iJ, L
65

Slt'rt:..AS'êti ff'E LIMA


r: 0

C
Técnico Administrativo
po
sso
pre
Im

Termo de Abertura e Encerramento de Volume 099/2017. Versão 2, de 30107120 J 5.


~NISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE ~TO
Contra o Crime

P
QUE sabe dizer que ocorreu uma terceira reunlilo mês (jjna

UP
dezembro do ano de 2015, possivelmente na
de LUIZ FERNANDO, mas que o interrogando não participou,

RA
pois estava viajando, e que houve uma ruptura geral dos
empresários com GIOVANf, visto que a maioria dos

RI
empresários estavam insatisfeitos com o mesmo, o qual

LA
prometia e nada fazia, e somente extorquia; QUE não sabe
dizer se tudo que foi combinado na reunião foi cumprido pelos

DE
demais empresários; QUE deixa consignado que não efetuou
nenhum pagamento para GIOVANI ou qualquer outra pessoa,

:36 AN
ou servidor da SEDUC", ("s, 391/395),


:46 C
14 E S
Assim, ALAN AYOUB MALOUF deve sofrer as
reprimendas impostas ao delito de corrupção passiva previsto no artigo 317 do
8 - IN
Código Penal, uma vez que a conduta de GIOVANI BELADO GUIZARDI foi
propiciada e se deu sob o seu comando,
01 OL
0/2 AR

Ademais, foi ALAN AYOUB MALOUF o responsável pela


tratativa junto a PERMINIO PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educação,
9/1 - C

Esporte e Lazer de Mato Grosso à época do fato, de inserção de GIOVANI como


operador do esquema ilicito em desenvolvimento dentro da SEDUCIMT de
: 1 30

solicitação e recebimento de vantagens indevidas em razão dos cargos públicos


Em 8579

• ocupados por PERMINIO, FÁBIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS REIS e MOISES
DIAS DA SILVA, sendo certo também que ALAN MALOUF seria destinatário de farta
fatia da propina eventualmente recebida, como se viu sObejamente provado no
11

tópico referente á organização criminosa,


65
r: 0

3.11 Empnliteira Clance Maria da Rocha (fato 12)


po

Narra a denúncia que em dia não precisado no ano de


2015, no Municlpio de Cuiabá, Estado de Mato Grosso, PERMINIO PINTO FILHO'!p
á
sso

época ocupante do cargo de Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de IA. t

I
Mato Grosso, FÁBIO FRIGERI, á época ocupante do cargo em comissão q / \
pre

Assessor Especial I, da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC, e WANDER /


Im

LUIZ DOS REIS, à época ocupante do cargo em comissão de uperintendente de


Acompanhamento e Monitoramento d lar, a SEDU T, por
R.. 4, slo', Edin,io A"exo I - Prowradori. a"a) do J,"i", C,iabA-MT ' "" 361 1622 ~
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS !n
Grupo de AtuaçÃo Especial Contra o Crime Organizado _ ,~d~X·~ 02
Crime

P
intermédio do particular GIOVANI BELADO GUIZARDI, em razão do cargofna
. . ~inatura

UP
p úbJicos que ocupavam, previamente ajustados, voluntariamente e tendo o uv' .... uv

funcional do fato, com a concorrência de ALAN AYOUB MALOUF, solicitaram, para

RA
si ou para outrem, vantagem indevida de CLARICE MARIA DA ROCHA.

RI
Ainda de acordo com a denúncia, no ano de 2015 a

LA
empresa CONSTRUTORA ROCHA LTDA., da qual CLARICE é proprietária, possuia

DE
contrato administrativo de obra pública (aqui entendida em sentido amplo) firmado
com o Estado de Mato Grosso e atrelado à Secretaria de Estado de Educação, o

:36 AN
qual se encontrava em fase de execução .


:46 C
14 E S
Conforme já narrado alhures, à época do fato PERMINIO
PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 013/2015, pUblicado no Diário Oficial de Mato

8 - IN
Grosso em 02/0112015 (n. 26447), ocupava o cargo de Secretário de Estado
Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso, ao passo que FABIO FRIGERI, por
01 OL

força do ato n. o 130/2015, publicado no Diàrio Oficial de Mato Grosso em


0/2 AR

12/0112015, ocupava o cargo de Assessor Especial I, da SEDUCIMT, prestando


assessoria direta na Secretaria de Estado de Educação desde 02 de janeiro de 2015
9/1 - C

(vide anexo I, do Decreto n. 2.39812014 e Decreto Estadual n. 233/2015), da mesma


forma que WANDER LUIZ DOS REIS, por força do ato n. 563/2015, publicado no
: 1 30

Diário Oficial de Mato Grosso em 28/0112015, ocupava o cargo em comissão de


Em 8579


Direção Geral e Assessoramento, Nível DGA-4,· de Superintendente de
Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, da Secretaria de Estado
de EducaçãO - SEDU C desde 28 de janeiro de 2015.
11
65

Conforme se faz prova a declaração da empreiteira, a


r: 0

empresa CONSTRUTORA ROCHA LTDA. estava enfrentando dificuldade no


recebimento por parte do Estado de Mato Grosso dos valores a que tinha direito em
po

razão da execução de contrato administrativo de obra pública atrelada à SEDUC/MT,

1/ 1
razão por que CLARICE MARIA DA ROCHA efetuou reiteradas cobranças junt.9f
sso

àquela Secretaria.

~o
pre

A declaração da empresária revela que, em dia '


Im

precisado no ano de 2015, foi contatada por telefone por uma pessoa não
identificada em nome da Secretaria de Es at a qual /
Rua 4, SIn°, EditIcio Anexo I - Procuradoria Geral de Justiça. Cuiabil-MT. 88de 139
MINIS'l'ÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS
ele Contra o Crime

PP
a convocou para uma reunião com FÁBIO FRIGERI na sede da
chamamento que foi atendido.

AU
Como se vê da declaração abaixo transcrita, CLARICE se

IR
reuniu com FÁBIO FRIGERI na sede da SEDUCIMT, oportunidade em que este a

AR
orientou a procurar pela pessoa de GIOVANI BELADO GUIZARDI a fim de resolver
o problema relativo ao recebimento de valores que sua empresa vinha enfrentando

L
DE
junto à Secretaria. Neste rumo, CLARICE e GIOVANI ajustaram um encontro na
sede da empresa deste (DINAMO CONSTRUTORA).

:36 AN

Assim, tendo comparecido no local, no dia e hora

:46 C
marcada, GIOVANI BELADO GUIZARDI solicijou-Ihe o pagamento de propina

14 E S
dizendo que poderia resolver o problema que a empresa dela vinha enfrentando ria
8 - IN
SEDUCIMT, relativo ao atraso nos pagamentos pelo Estado de Mato Grosso,
atinentes à execução do contrato administrativo de obra pública, mas que para tanto
01 OL

ela deveria efetuar o pagamento do valor percentual de 5% (Cinco por cento) sobre o
0/2 AR

valor do crédito que sua empresa possula junto ao Estado, pois, do contrário, os
pagamentos ficariam estagnados na Secretaria.
9/1 - C

A empreiteira Clarice Maria da Rocha não efetuou de


: 1 30

pronto o pagamento da propina e os pagamentos por parte do Estado de Mato


Em 579


Grosso à sua empresa atrasaram por cerca de oitenta dias, perlodo dentro do qual
GIOVANI BELADO GUIZARDI, através de mensagens de texto, por várias vezes
18

tentou entrar em contato com CLARICE. Eis a declaração:


51

"QUE a interroganda confirma ter participado da referida


06

reunião, acompanhada de sua ex-colaboradora Lais e que o


r:

convite teria sido feito ou pela pessoa de Leonardo da JER ou


po

Luiz Femando da Lumen, não sabendo precisar qual dos dois.


Que no dia da reunião se recorda que se encontravam
sso

presentes as pessoas de: Leonardo da JER. Luiz Fernando da


Lumen, Sr. Esper, e os demais, apesar de conhecer alguns
pre

vista não recorda o nome e nem a empresa, salientando


reunião foi conduzida por Leonardo e Luiz Femando;
Im

alualmente possui

Rua 4, sinO, Editlcio Anello J - Procuradoria (lernl de Jusliça. Cuiabâ-MT.


----------

MINISTÉRIO l?úBLICO DO ESTADO DE MATO GROS~:O


.J"=Ã'a,. r--rlme
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - .". 04
dina

P
Zumbi dos Palmares, cujo certame ocorreu na data

UP
30.12.2015, sando homologada no mês de fevereiro ri_ -.AsfiR!'tura
pelo que se recorda, esclarecendo que foi necessária a

RA
utilização de recurso administrativo para a habilitação da
empresa. Que antarior a esta obra a empresa da interroganda

RI
foi vencedora no ano de 2013 de'uma licitação para construção

LA
da escola ZENI VIEIRA no Bairro Ibirapuera em Sinop no valor
aproximado de R$4.000.0oo,00 (quatro milhões de reais),

DE
sendo que a referida obra estava em andamento e que havia
uma medição pendente salientando, que existia à época um

:36 AN
Decreto do Governo suspendendo as medições e pagamentos


por noventa dias, sendo que passado esse prazo mesmo com

:46 C
a etapa da obra pronta e realizada a medição e a consequente

14 E S
emissão da nota a empresa não recebia o valor aproximado de
R$ 300.000,00 (trezentos mil reais), objeto de reiteradas
8 - IN
cobranças por parte da interroganda junto à SEDUC; QUE não
01 OL

se recordando a data, mas, no ano de 2015 recebeu uma


ligação de uma pessoa do sexo feminino que sa identificou
0/2 AR

como servidora da SEDUC e informou a interroganda de que a


9/1 - C

mesma deveria se deslocar até a cidade de Cuiabá, mais


precisamente, à Secrelaria de Educação para conversar com a
: 1 30

pessoa de Fábio Frigeri, lendo a interroganda questionado se o


assunto em pauta era urgenle e como a resposta foi nagaliva
Em 8579


acabou deixando para se reunir com Fábio Frigeri quando
fosse a Cuiabá falo es/e, que ocorreu a mais ou menos uma
semana depois; Oue quando veio e Cuiabá foi até a SEDUC e
11

se enconlrou com Fábio Frigeri, e es/e lhe falou que para


65

resolver os problemas de recebimenlo dos valores devidos pelo


Estado à sua Empresa Construlora Rocha, a inlerroganda
r: 0

deveria entrar em contato com o Sr Giovani Guizardi, pessoa


esta desconhecida da interroganda. Que a interroganda não se
po

recorda se ligou agendando uma reunião no mesmo dia Cdm


sso

Giovani Guizardi ou se recebeu uma ligação dele marcando a 1


reunião; Que a interroganda compareceu na empresa D/nata'.
..1
pre

locelizada no bairro Coxipó e em reunião com Giovani Guiza .


perguntou ao mesmo qual seria o motivo do atraso dos valo :
Im

que tinha que receber da SEDUC, obtendo como resposta de


Giovani a seguinte exp, o: 'POROU OCIÔ IV VEIO /
Rua 4, sinO, Ediflcio Anexo 1- Procuradoria Geral de Jushça, Cuiaba· e139
MINISTÉRIO DO ESTADO DE~TO
de Contra o Crime

FALAR COMIGO' vindo a interroganda a dizer ao m~'smlo qul n ..

P
não tinha ciência de que era preciso conversar CO/n~1ifr-M~~'--.J

UP
poder raceber. tendo Giovani raspondido que havia a
r: "j r")

RA
necessidade de uma contribuição por parte da emprasa da J.t:.
interroganda, no montante de 5% do valor do crédito junto ao

RI
Estado. Que a inte"oganda questionou sobre o que

LA
aconteceria se racusasse a pagar o exigido, vindo Giovani a
dizer que ninguém era obrigado a pagar. mas que '0

DE
PROCESSO FICARIA PARADO NA SEDUC~ Esclarece a
inferroganda que na SEDUC os processos de pagamento

:36 AN
ficavam no setor de rasponsabilidade do seNidor WANDER.

• Que a interroganda não pagou o parcentual exigido por

:46 C
Giovani, apesar da longa demora por mais de oitenta dias B

14 E S
emprasa da inte"oganda teria justificativa pra rascindir
unilateralmente o contrato. Que durante o per/odo que ficou
8 - IN
aguardando o pagamento, recebeu diversas mensagens no
01 OL

seu celular via SMS e WHATSAPP, as quais, continham a


mensagem de Giovani Guizardi dizendo que pracisava falar
0/2 AR

com a interroganda. Que perguntada a interroganda se


9/1 - C

conhece a emprasa MODELO CONSTRUTORA LTDA e seu


proprietário? RESPONDEU QUE ficou conhecendo a empresa
e o proprietário em virtude do processo licitatório que
: 1 30

concorraram na data de 30.12.2015 na cidade de Cuiabá; Que


Em 8579


perguntada a interroganda se conhece a empresa SÃO
BENEDITO CONTRUTORA LTDA? RESPONDEU QUE ficou
conhecendo 8 emprasll e o proprietário em virtude do processo
11

licitatório que conCOff8ram ne data de 30.12.2015 na cidade de


65

Cuiabá". (fis. 4061409).


r: 0

Deste modo, resultou suficientemente provada a


po

solicitação de vantagem indevida por parte do colaborador GIOVANI BELATTO


GUIZARDI à empresária CLARICE MARIA DA ROCHA.
so

, ' I
s

ALAN AYOUB MALOUF deve sofrer a~


Assim,
pre

reprimendas impostas ao delito de corrupção passiva previsto no artigo 317 f...d 7 11


Código Penal, uma vez que a conduta de GUIZARDI V I
Im

propiciada e se deu sob o seu co


Rua 4, sinO, Ediflcio Anexo 1- Procuradoria GeraJ de Justiça, Cu'
,. ,

MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS~:::-::--±-:----J


Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado -

P
Aliado a isso, foi ALAN AYOUB MALOUF o res onsavelna
A inatura

UP
pela tratativa junto a PERM INIO PINTO FILHO, Secretario de Estado de ECItn:aÇãõ;='---'
Esporte e Lazer de Mato Grosso á época do fato, da inserçãO de GIOVANI como

RA
operador do esquema ilícito em desenvolvimento dentro da SEDUCIMT de
solicitação e recebimento de vantagens indevidas emrazilo dos cargos públicos

RI
ocupados por PERMINIO, FABIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS REIS e MOISES

LA
DIAS DA SILVA, sendo certo também que ALAN MALOUF seria destinatario de farta

DE
fatia da propina eventualmente recebida, como se viu sObejamente provado no
tópico referente a organização criminosa.

:36 AN

3.12 Empreiteiro Eder Alberto Francisco Meclano (fato 13)

:46 C
14 E SNarra a denúncia que em data não precisada
8 - IN
compreendida, possivelmente, entre 05 meses de janeiro e agosto do ano de 2015,
no Municfpio de Cuiabá, Estado de Mato Grosso, PERMINIO PINTO FILHO, á época
01 OL

ocupante do cargo de Secretario de Estado de EducaçãO, Esporte e Lazer de Mato


0/2 AR

Grosso, FÁBIO FRIGERI, a época ocupante do cargo em comissão de Assessor


Especial I, da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC, e WANDER LUIZ DOS
9/1 - C

REIS, á época ocupante do cargo em comissão de Superintendente de


Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, da SEDUCIMT, por
: 1 30

intermédio do particular GIOVANI BELATTO GUIZARDI, em razão dos cargos


Em 8579


públiCOS que ocupavam, previamente ajustados, voluntariamente e tendo o dominio
funcional do fato, com a concorrência de ALAN AYOUB MALOUF, solicitaram, para
si ou para outrem, vantagem indevida de EDER ALBERTO FRANCISCO MECIANO.
11
65

Segundo a denúncia, no ano de 2015 a empresa


r: 0

GEOTOP CONSTRUÇCES E TERRAPLANAGEM LTOA., da qual EDER é


proprietàrio, possufa contrato administrativo de obra pública firmado com o Estado
po

de Mato Grosso e atrelado á Secretaria de Estado de Educação, o qual se


encontrava em fase de execução. : /;.
sso

Conforme já narrado alhures, à época


, do fato PERMINI .1
pre

PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 01312015, publicado no Diário Oficial de Mato
Im

Grosso em 02/0112015 (n. 26447), ocupava o cargo de de de


Educação, Esporte e Lazer de Mato
Rua 4, sinO, Editlcio Anexo I - Procuradoria. Geral de Justiça, .
--.'- = ,o.

MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO


de Contra o Crime·
entna

PP
força do ato n. o 13012015, publicado no Diário Oficial de Mato
12/01/2015, ocupava o cargo de Assessor Especial I, da SEDUC/MT,

AU
assessoria direta na Secretaria de Estado de Educação desde 02 de janeiro de 2015
r: '73
(vide anexo I, do Decreto n. 2.39812014 e Decreto Estadual n. 23312015), da mesma .J.

IR
forma que WANDER LUIZ DOS REIS, por força do ato n. 563/2015, publicado no

AR
Diário Oficial de Mato Grosso em 28/01/2015, ocupava o cargo em comissão de
Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, da

L
DE
Secretaria de Estado de Educação - SEOUC desde 28 de janeiro de 2015.

:36 AN
Revela a declaração do empresário EOER ALBERTO


FRANCISCO MECIANO que, em dia não precisado, possivelmente, entre os meses

:46 C
de janeiro e agosto do ano de 2015, se encontrava no prédio da SEOUCIMT onde

14 E S
recebeu das mãos de FÁBIO FRIGERI um bilhete contendo um número de telefone
8 - IN
e o nome de GIOVANI, sendo que FÁBIO pediu que Eder ligasse para GIOVANI.
01 OL

EOER não acatou de pronto o pedido, razão por que


0/2 AR

cerca de quinze dias depois, percebendo que os pagamentos devidos a sua


empresa por parte do Estado de Mato Grosso em decorrência da execução do
9/1 - C

contrato administrativo atrelado à SEOUCIMT começaram a atrasar, efetuou ligação


para o terminal telefônico constante no bilhete, ao que foi atendido por GIOVANI
: 1 30

BELADO GUIZAROI, que o convidou para um encontro na sede da sua empresa .


Em 8579

• Tendo comparecido no local, no dia e hora marcada,


GIOVANI BELADO GUIZARD apresentou a ele uma planilha contendo todas as
11

informações a respeito do contrato administrativo de obra pública da SEDUCIMT que


65

a empresa GEOTOP CONSTRUÇÓES E TERRAPLANAGEM LTDA. mantinha com


r: 0

o Estado de Mato Grosso, inclusive com os valores dos créditos da empresa junto
ao Estado, e solicitou-lhe o pagamento de propina no valor percentual de 5% (cin~
po

por cento) sobre os montantes monetários que EDER viesse a receber, para fins de
agilizar a efetivação dos pagamentos pelo Estado. Sobre isso, segue a transcri
so

da deClaração do empreiteiro:
ti l'
s
pre

"QUE comparece espontaneamente a este Grupo Especia 'de


Im

Combate BO Crime Organizado, após tomar conhecimento da busca e


apreensiJo realiz~~~~~~~~sua resiqén'b(a; QUllrfl~lura

Rua 4, sin°. Ediflcio Ant:xo I - Procuradoria Geral


:
MINIS'l'ÉRIO PúBLICO 00 ESTADO DE MATO GROS 10
.J'!'ya.. ~rime
Grupo às Atu~ção Especi~l Contr~ o Crime Organizado - ,~
08
Ana

P
quadro sociotário da empmsa GEOTOP CONSTR(. ÇOES
. tura

UP
TERRAPLANAGEM LTDA., com percentual de 99% das ,.,1",.
a administraçilo da referida empmsa, sendo que 1% ntstante das

RA
cotas pertence 80 senhor HELIO ADELlNO VIEIRA; QUE a sede da
empmsa esta situada documentalmente na Av. Historiador Rubens de
Mendonça nO 1836, sala 808, Ed. CuiaM Worl< Genter. Bairro Bosque

RI
da Saúde, nesta Capital, com telefone (65) 3642-5588. contudo, a

LA
empresa mudou pam a Av. Gonçalo Antunes de Barros nO 2298, sala
03 e 04. bairro Bela Vista, nesta capital, CXJm telefone (65) 3642-5588,

DE
a cerca de seis meses e que o processo de alteraçao de endereço
está tramitando. RESPONDEU; QUE nao se mcoroa a deta,

:36 AN
ese/antcando que astava na SEDUC a recebeu do servidor FABIO

• FRIGERI, um bilhate com um número de telafone


dizendo para

:46 C
14 E S
e o noma GIOVANI,
o intarrogando que lig.asse para GIOVANI; QUE neste
dia encontrou nos corredoms da SEDUC com OS empresários JOEL
da ampmsa ESTEIO e JOSÉ CARLOS PENA da empmsa BRP; QUE
8 - IN
após quinze ou vinte dias, percebendo que aeus processos de
medição e pagamentos começaram 8 stTlIsar, n>Solveu ligar para
01 OL

GIOVANI; QUE naquela ocasllo GIOVANI pediu que o


0/2 AR

Interrogando fosse até seu escritório situado na empresa


DINAMO, no Parque Ohara; QUE no encontro com GIOVANI, este
9/1 - C

lhe apresentou uma planilha contendo todes as obras e,


execução e saldos de contrato li receber da empresa GEOTOP,
dizendo que pntstarla um serviço de ·assessorla", GIOVANI teria
: 1 30

lhe cobrado 5% do valor que eventualmente recebesse; QUE


Em 8579

inicialmente. o interrogando ficou atá meio CXJnfuso e dissa qua iria


pensar; Que começou a perceber anUlo qua seus processos de
pagamento estavam atrasando ainda mais, ocasilo em que tomou.8
11

deci&ao juntamente com outro ampresários do ramo da oonstruçao


civil, e procuraram o Sindicato da Construçlo CivillSINDUSCON;
65

QUE o SINDUSCON através da asSessoria de impntnsa, começou a


fazer pUblicidade em si/es de jomalismo anunciando que as
r: 0

ampmsas de construçilo civil CXJntratadas pela SEDUC. estariam sem


raceber a mais de meses e qua diante desse cenário, estariam
po

diSpostos 8 parafisar as obras; QUE esse grupo de empresários


chegou a sar munir com o Secretário de Educaçlo, à {Jpoca, o senhor
sso

PERMINIO PINTO, o qual se prontifICOU 8 ntsolver o problema; QU


chegaram, os empmsários do ramo da construção civil.
,!l,
pre

especiflC8mente, os empmsários que tinham obras junto a SED


visto que estavam com dificuldades no mcebimento das mediçOe' I'
Im

aram de
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
de Contra o Crime zado

SINDUSCON, dificuldada no recebimento des mediÇ1~s" sendllnil

P
°valor da vantagem in'le~ida-'lllI!i'j~I!E...~

UP
tratado também naquela ocasitlo,
tal GIOVANI GUlZARDI estava cobrando; QUE grande parte dos

RA
empresários que ali estavam, reclamaram dessa percentual de 5%
que GIOVAN/ estaria cobrando para agilizar os processos de
pagamento, sendo deliberado enUlo que esse grupo tentaria reduzi~ o

RI
percentual de 5% para 3%; QUE tomou conhecimento que esSa

LA
reduçtJo do percentual, teria sido negociada por LUIZ FERNANDO
com GIOVAN/; QUE chegou a ser convidado por LUIZ FERNANDO

DE
para participar de uma reunitJo na sede da empresa LUMA, no dia
09.10.2015. (.. .), a qual LUIZ FERNANDO menciona que o

:36 AN
interrogando tem interesse em uma obra na zona rural do municlpio


de Cláudia, no valor de R$ 2.600.00,00 (dois milhões e seiscentos mil

:46 C
reais); Perguntou-seao interrogando, se confirma tal dec/araçtJo?

14 E S
Tendo respondido que ntJo solicffou esse obra á LUIZ FERNANDO e
nem outra obra, ressaltando que ninguém tinha procuraçtJo para falar
8 - IN
em seu nome; Perguntando ao interrogando, se venceu alguma
licitaçtJo na SEDUC após a reunitJo do dia 09.10.2015?, respondeu
01 OL

que participou de várias licitações, contudo ntJo venceu nenhuma


0/2 AR

delas, sendo por várias vezes Inabilitado e em outras desclassificedo;


QUE conhece FABIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS REIS e
MOIS~S DIAS DA SILVA, pelo fato de trabalharem na SEDUC, mas
9/1 - C

ntJo sabe dizer se eles teriam participaçtJo no crime ora apurado; Que
no mês de novembro ou dezembro do ano de 2015, esteve
: 1 30

informalmente no gabinete do Promotor de Justiça, Dr. Célio FUrio,


Em 8579

ocasitlo em que relatou a ele, uma posslvel fraude em processos

• licitatários na SEDUC, no valor aproximado de R$ 20.000,00 (vinte


milhoos de reais), que tinha por objeto a contraçtlo de reformas e
11

manutenção de escolas públicas; QUE deixa consignado ainda que


toma conhecimento dos editais que participa por meio da empresa
65

CONLlClrAçÃO, a qual envia por amai! ao intarrogando todas as


informações de licitações referente a construçtJo civil no Estado de
r: 0

Mato Grosso". (fls. 416/419).


po

Deste modo, resultou suficientemente provada


sso

SOlicitação de vantagem indevida por parte do colaborador GIOVANI BELATI


GUIZARDI ao empresário EDER ALBERTO FRANCISCO MECIANO.
pre

Assim, ALAN AYOUB MALoUF deve sofrer as


Im

reprimendas impostas ao delito de corru


~NISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS~~-+--~
L~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~-$~7~'~~Wm~crlm~
Grupo de Atuação Espacial Contra o Crime Organizado - 10

PP
código Penal, uma vez que a conduta de GIOVANI BELAITO GUI RDI feJllna
Assinatura
propiciada e se deu sob o seu comando.

AU
Aliado a isso, foi ALAN AYOUB MALOUF o responsável

IR
pela tratativa junto a PERMINIO PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educaçã~:

AR
Esporte e Lazer de Mato Grosso à época do fato, da inserção de GIOVANI como
operador do esquema ilícito em desenvolvimento dentro da SEDUCIMT de

L
DE
solicitação e recebimento de vantagens indevidas em razão dos cargos públiCOS
ocupados por PERMINIO, FÁBIO FRIGERI, WANoER LUIZ DOS REIS e MOISES

:36 AN
DIAS DA SILVA, sendo certo também que ALAN MALOUF seria destinatário de farta
fatia da propina eventualmente recebida, como se viu sobejamente provado no

:46 C
• tópico referente a organização criminosa.

14 E S
8 - IN
3.13 Empreiteiro José Eduardo Nascimento da Silva (fato 14)
01 OL

Narra a denúncia que no meado do ano de 2015, antes,


0/2 AR

porém, de 17 de novembro do mesmo ano, no Municipio de Cuiabá, Estado de Mato


Grosso, PERMINIO PINTO FILHO, à época ocupante do cargo de Secretário de
9/1 - C

Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso, FÁBIO FRIGERI, à época


ocupante do cargo em comissão de Assessor Especial I, da Secretaria de Estado de
: 1 30

Educação - SEoUC, e WANoER LUIZ DOS REIS, à época ocupante do cargo em


Em 579

comissão de Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutu'rá


• Escolar, da SEoUCIMT, por intermédio do particular GIOVANI BELAITO
18

GUIZARol, em razão dos cargos públicos que ocupavam, previamente ajustados,


51

voluntariamente e tendo o dominio funcional do fato, com a concorrência de ALAN


AYOUB MALOUF, solicitaram, para si ou para outrem, vantagem indevida de JOSÉ
06

EDUARDO NASCIMENTO DA SILVA.


r:
po

De acordo com a denúncia, no ano de 2015 a empresa


ÁPICE CONSTRUTORA, INCORPORADORA E iMOBILIÁRIA EIRElI, da qual JOS
sso

EDUARDO é proprietário, possuía contrato administrativo de obra pública firm


com o Estado de Mato Grosso e atrelado à Secretaria de Estado de Educaçã
pre

qual se encontrava em fase de execução e cujos pagamentos estavam suspenso ,


Im

razão pela qual o empresário foi até a SEDUCIMT por várias ve para cobrar os
pagamentos, tratando do assunto com WANDER IZ DOS REI .
Rua 4. sIn", Ediflcio Anexo 1- Procuradoria Geral de Justiça, Cu'
MINI CO DO ESTADO DE MATO
Contra o Crime

EIfIDi!lliJ,º'

P
Conforme já narrado alhures, à época do fato

UP
PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 01312015, publicada no Diário Oficial :;="--'
Grosso em 02/01/2015 (n. 26447), ocupava o cargo de Secretário de Estado de

RA
EducaçãO, Esporte e Lazer de Mato Grosso, ao passo que FABIO FRIGERI, por
força do ato n.· 130/2015, publicado no Diário Oficial de Mato Grosso em

RI
12/0112015, ocupava o cargo de Assessor Especial I, da SEDUCIMT, prestando

LA
assessoria direta na Secretaria de Estado de Educação desde 02 de janeiro de 2015

DE
(vide anexo I, do Decreto n. 2.398/2014 e Decreto Estadual n. 23312015), da mesma
forma que WANDER LUIZ DOS REIS, por força do ato n. 563/2015, publicado no

:36 AN
Diário Oficial de Mato Grosso em 28/0112015, ocupava o cargo em comissão de
Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, da

:46 C
• Secretaria de Estado de Educação - SEDUC desde 28 de janeiro de 2015.

14 E S
8 - IN
Compulsando os autos nota-se que em dia não precisado,
no meado do ano de 2015, antes, porém, de 17 de novembro do mesmo ano, numa
01 OL

das tentativas de cobrança de propina, em reunião com WANDER LUIZ DOS REIS,
0/2 AR

este disse que os pagamentos estariam sendo providenciados, mas que JOSÉ
EDUARDO deveria procurar a pessoa de GIOVANI BELATTO GUIZARDI,
9/1 - C

fornecendo-lhe o número do telefone de GIOVANI.


: 1 30

De acordo com a sua declaraçãO, JOSÉ EDUARDO


Em 8579

entrou em contato com GIOVANI GUIZARDI pelo número telefônico fornecido por
• WANDER, de modo que restou acertada uma reunião na sede da empresa DINAMO
CONSTRUTURA.
11
65

Assim, tendo comparecido ao local, no dia e hora

.1
r: 0

marcada, GIOVANI BELATTO GUIZARDI afirmou que poderia ajudar no recebimento

:.:~: :;:.~, ::7;::~:';:~:::::: ~=:o:,,:,:..,:


po

I
administrativos de obras pÚblicas da SEDUCIMT, mas que precisava fazer um /
Ili
sso

levantamento da situação da empresa junto à aludida Secretaria. i


pre

Conforme consta nos autos, cerca de um mês após o VL


Im

encontro com GIOVANI GUIZARDI, José Eduardo voltou à SEDUC T para tratar de
questões relativas ao recebimento dos crédito
Rua 4, sln", Ediflcio Anexo 1- ProculadorillOeml de Justiça, Cuiabé-MT.
MXNISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE ~TO GROS~~-+~.
8 7 Vara Crime
L-~G~ru~p~o~de~~A~t~u~a~ç!ã~o_E~sp~e!C~1~'a~1~C~o~n~t~r~a~o~c~r~;~m~e~·~o~rq~an~i~za~do~~-~~~~m12
ual I~na

P
que mais uma vez se encontrou com WANDER LUIZ DOS REIS, o
Assinatulõ

UP
determinou que ligasse para GIOVANI GUIZARDI. pois este queria falar i<?<rriihir='----'
determinação acatada por JOSt: EDUARDO, de modo que um novo encontro com

RA
GIOVANI na sede da empresa DINAMO foi marcado,

RI
Neste sentido, tendo JOSt EDUARDO comparecido no

LA
local, no dia e hora marcada, GIOVANI BELATIO GUIZARDI afirmou-lhe que a

DE
situação da empresa dele junto à SEDUC/MT estava regular e que ela teria direito a
receber um reajuste.

:36 AN
Em seguida GIOVANI GUIZARDI solicitou a propina

:46 C
14 E S
• dizendo que, para o recebimento do reajuste, JOSÉ EDUARDO deveria dar entrada
no procedimento administrativo junto a SEDUCIMT e que GIOVANI agilizaria o
8 - IN
andamento do procedimento dentro da Secretaria, bem como o pagamento à sua
empresa, desde que este lhe pagasse o valor percentual de 40% (quarenta por
01 OL

cento) sobre a quantia monetària que fosse recebida,


0/2 AR

Confira a declaração do empreiteiro JOSt: EDUARDO


9/1 - C

NASCIMENTO DA SILVA:
: 1 30

"Que é proprietário da empresa APICE CONSTRUTORA


Em 8579

INCORPORADORA E IMOBILlARtA EIRELLI, com sede na

• Rua Major Otávio Pitaluga rf 692, 6" andar, Sala 602, Bairro
Centro, Rondon6polis IMT com previsllo de mudar de endereço
11

nos próximos 15 dias, com atividade de construção civil; QUE é


e edministredo pelo interrogando; QUE desde a
65

o proprietário
constituição de sua empresa, ou seja, há mais de 23 (vinte e
r: 0

tri!s) anos, participa de licitações públicas em vários 6rgãos !

Municipais, Estaduais e Federais; QUE já participou de várias.·


1
po

licitações no ano de 201512016 tendo vencido a licltaçllo em


relação a Escola Estadual Adolfo Augusto de Moraes, ainda e' ,I
sso

obra, assinou também um contrato de conclusão de um'/ .'


quadra de esportes ne Escola Estedual Artur Ramos em
pre

Jaciare/MT, esclarecendo, que o processo Iicitat6rio se deu no


ano de 2014. Que em virtude da sua e
Im

crédito aprox/í'n,~9-j~~:....:lJ[l!l..rl@,

Rua 4, sln-, Ediflcto Anexo 1- Procutarloria Geral de Jusli!ill. Cui

~~~
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
de Contra o Crime

P
composto por notas de obras referentes ao ano de
ex~~Jt.~~~~c..J

UP
120.000,00) e o restante das que estavam em
2015, por volta de (R$ 180.000,00). Que devido ao decreto r: ') ('
;);0

RA
estadual que suspendeu o pagamento por noventa dias o
interrogando foi diversas vezes na SEDUC cobrar o crédito da

RI
empresa onde procurava a pessoa de WANDER qua era o
chefe do setor de engenharia o qual ara o responsável pela

LA
liberação dos processos para pagamentos. Que em uma das

DE
vezes que foi obter informações de seu crédito na SEDUC
junto a pessoa de WANDER, e ao questioná-lo em ralação a

:36 AN
data do pagamento WANDER lhe disse: "JA ESTAVAMOS
PROVIDENCIANDO MAS QUE SERIA INTERESSANTE


:46 C
PROCURAR A PESSOA DE GIOVANI GUIZARDI", fornecendo

14 E Sao interrogando o número de GIOVANI para que o mesmo


enviasse uma mensagem via WHATSAPP. Que mandou a
8 - IN
mensagem e em virtude de não estar tendo resposta ligou para
01 OL

o mesmo, não sendo atendido, mas, no final do dia recebeu


uma ligação de GIOVANI recebeu uma ligação para
0/2 AR

comparecer em sua empresa no COXIPó em maados de 2015.


9/1 - C

Que no dia em questão na parte da manhã compareceu na


construtora Dinamo e foi atandido por GIOVANI GUIZARDI
onde questionou ao mesmo o porque de ter que reunir com o
: 1 30

mesmo para tratar do assunto do crédito. Que G/OVANI


Em 8579

começou a perguntar ao interrogando sobre a saúde financeira

• da sua empresa e o quanto de crédito e contratos que tinha


junto ao Estado dizendo qua poderia ajudar o intarrogando no
11

seu recebimento. Que diante disso respondeu que precisava


65

fazer um levantamanto para ter a real dimenslio da situação da


sua empresa junto a SEDUC, além disso o interrogando achou ;1
r: 0

muito estranha, apesar de não haver nenhum pedido direto de


contrapartida para resolver os recebimentos da empresa, ma ,
po

i
acredita que GIOVANI nllo atuaria de graça. Que após um s
mais ou menos voltou a SEDUC para resolver problemk d(l
sso

engenharia quando WANDER o avistou e chamou para a .


sala lhe dizendo que o interrogando precisava ligar para
pre

GIOVANI GUIZARDI em virtude "DOS CARAS QUEREREM


Im

FALAR COM diante disso disse que bem e por ter


uma viagem
Rua 4, slnG, Ediflcio Anexo 1- Procuradona Geral de
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS ~o
J!!I: ." rime
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - '-,,'-
14

° retomo. Que quando chegou a Cuiabá na volt

PP
para mandrÀna
A«inatura
uma mensagem para GIOVANI GUlZAROI rec

AU
resposta do interrogando de que poderia comparecer na
empresa DINAMO, o que foi feito na parte da tarde daquele

IR
dia. Que na reunião com GIOVANI o interrogando lhe disse que
a sua situação com a SEDUC estava tudo bem tendo GIOVANI

AR
lhe dito que os contratos da sua empresa teriam direito a
°

L
receber um reafinhamanto de preços (reajuste), vindo

DE
interrogando a estranhar o fato, pois, GIOVANI informações
privifegiadas dos contratos da sua empresa APICE junto a

:36 AN
SEDUC, salienta que estranhou tambám a solicitação de
G/OVANI para que o interrogando deixasse o seu celular na


:46 C
ante sala, acreditando que o mesmo estivesse receoso de uma

14 E S
possivel gravação de conversa. Que em continuidade da
conversa, G/OVANI disse que verificando os contratos, dois
8 - IN
deles tinham condições de se pleitear o realinhamento de
01 OL

preço e que caso o interrogando viesse a dar entrada no


processo, G/OVANI faria o processo andar para ° recebimento
0/2 AR

dos valores. em troca, teria que repassar 40",(, do que fosSe


recebido ao próprio GIOVANI GUlZARDI, vindo o interrogando
9/1 - C

quer in'a providenciar a documentação. Que passado


determinado perlodo racebeu uma mensagem via WHATSAPP
: 1 30

querendo saber sobre a documentaçllo sendo respondido que


Em 8579

estava ainda providenciando a mesma, sendo que antes do

• final do anos de 2015 protocofizou o requerimento de


reafinhamento de preço junto a SEDUC e levou o protocolo
11

para GIOVANI GUlZARO em um escritório localizado na Av.


65

Miguel Sutil junto a Av. Antártica no Bairro Santa Rosa. Que


nesse encontro notou que GIOVANI se encontrava alterado e
r: 0

que reclamou pela demora da documenteçllo nllo dand


garantia de que conseguiria agilizar o processo da recebin:e o '1-
po

de crédito. Que esclarece que depois dessa reu~i{jo tu ca ,


o
so

mais se encontrou com G/OVANI GUIZARDI como também


recebeu qualquer crédito desses processos. QUE sua empresa
s

é representado nos ceifamos públicos pelo interrogando; (.. .)".


pre

(fls. 424/426).
Im

Rua 4. slrf, Edifldo AnexQ 1-


IOOde139
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
da Contra o Crime

P
Nota-se, assim, que ao sOlicitar o percentual de

UP
cima do reajuste do contrato que JOSÉ EDUARDO NASCIMENTO
possuia com a SEDUC, GIOVANI BELATTO GUIZARDI praticou o delito de r:" ,_

RA
.) I ,
corrupçao passiva, previsto no artigo 317 do Código Penal.

RI
Considerando que atuação de GIOVANI BELATTO

LA
GUIZARDI foi propiciada e se deu sob o comando do denunciado ALAN, que foi o

DE
responsável pela tratativa junto a PERMINIO PINTO FILHO, Secretário de Estado de
Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso à época do fato, de inserção de

:36 AN
GIOVANI como operador do esquema iIIcito em desenvolvimento dentro da
SEDUC/MT de solicitação e recebimento de vantagens indevidas em razão dos

:46 C
• cargos públicos ocupados por PERMINIO, FÁBIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS

14 E S
REIS e MOISES DIAS DA SILVA, a condenação de ALAN AYOUB MALOUF,
8 - IN
também é a medida a ser adotada. Além do mais, seria ele destinatário de farta fatia
da propina eventualmente recebida, como vimos suficientemente provado no tópico
01 OL

referente a organização criminosa.


0/2 AR

3.14 Empreiteiro Sylvlo Piva - (fato 15)


9/1 - C

Consta na denúncia que em data não precisada, no inicio


: 1 30

do segundo semestre do ano de 2015. antes. porém, de 17 de novembro do mesmo


Em 8579

ano, no Municipio de Cuiabà, Estado de Mato Grosso, PERMINIO PINTO FILHO, à


época ocupante do cargo de Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de
Mato Grosso, FÁBIO FRIGERI, à época ocupante do cargo em comissão de
11

Assessor Especial I, da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC, e WANDER


65

LUIZ DOS REIS, à época ocupante do cargo em comissão de Superintendente de


r: 0

Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, da SEDUCIMT, por


intermédio do particular GIOVANI BELATTO GUIZARDI, em razão dos cargos
po

públicos Que ocupavam. previamente ajustados. voluntariamente e tendo o domlni


funcional do fato. com a concorrência de ALAN AYSOUB MALOUF, tentaram SOIiC' r.. ,,/1-
sso

para si ou para outrem, vantagem indevida de YLVIO PIVA, não consuman do


crime em razão de circunstâncias alheias às suas vontades,
pre

/1f
Im

~ o~"';~ e~ n~;9!Ed; ; iRl.i'io;An; :; ; ";OI =-:;proç; ;'; ur:; ; 'd; on; -"~G.cro~'~de~J~U~S~'~;'~"!; ;~ ~ ~f~'~':;';~' :'-~F o'~oneIF~:' ' ':; }: :.6i :1};:;'1~-\:J''\-/
. MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO Gaos"";o,,,"=-:-:--t::-:--,
J_a Vara rimê
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - ~ 16

De acordo com a investigação, no ano de 2015 a ~mpregjna I

P
UP
SÃO BENEDITO CONSTRUÇÃO CIVIL LTDA EPP., da qual SYLVIO é pr ~i~aturà
possula contrato administrativo de obra pública firmado com o Estado de Mato

RA
Grosso e atrelado á Secretaria de Estado de Educação, o qual se encontrava em
fase de execução, razão pela qual o empresàrio costumeiramente ia até a

RI
SEDUCIMT para tratar de assuntos relacionados aos contratos.

LA
DE
Conforme já narrado alhures, á época do fato PERMINIO
PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 01312015, publicado no Diário Oficial de Mato

:36 AN
Grosso em 02/01/2015 (n. 26447), ocupava o cargo de Secretário de Estado de
EducaçãO, Esporte e Lazer de Mato Grosso, ao passo que FABIO FRIGERI, por

:46 C
• força do ato n.O 13012015, publicado no Diário Oficial de Mato Grosso em

14 E S
12/0112015, ocupava o cargo de Assessor Especial I, da SEDUCIMT, prestando
8 - IN
assessoria direta na Secretaria de Estado de EducaçãO desde 02 de janeiro de 2015
(vide anexo I, do DE!creto n. 2.39812014 e Decreto Estadual n. 233/2015), da mesma
01 OL

forma que WANDER LUIZ DOS REIS, por força do ato n. 563/2015, publicado no
0/2 AR

Diário Oficial de Mato Grosso em 28/01/2015, ocupava o cargo em comissão de


Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, da
9/1 - C

Secretaria de Estado de Educação - SEDUC desde 28 de janeiro de 2015.


: 1 30

Neste diapasão, revela a investigaçãO que, na


Em 8579

movimentação da engrenagem de cobrança de propina movida, conforme narrado


• alhures, por FÁBIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS REIS e GIOVANI BELATTO
GUIZARDI, sob a coordenação de PERMINIO PINTO FILHO, em dia não precisado,
11

no inicio do segundo semestre do ano de 2015, antes, porém, de 17 de novembro


65

do mesmo ano, num dos comparecimentos á SEDUCIMT acima relatados, em


r: 0

conversa com FÁBIO FRIGERI, SYLVIO PIVA recebeu das mãos deste um bilhete
,
contendo um número de telefone e o nome de GIOVANI BELATTO GUIZARDI, ,I.
!
po

sendo que FÁBIO determinou que SYLVIO ligasse para GIOVANI.


/
l
sso

Todavia, SYLVIO PIVA não acatou a orientaçãO e n


efetuou o contato telefônico.
pre
Im
MXNISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE ~TO
de Contra o Crime

P
Diante da inércia inusitada, dias depois da "nlnv..... R ent~na

,..nr,hJcim.ái~~~

UP
este e FÁBIO FRIGERI, GIOVANI BELATTO GUIZARDI, com o pleno
aprovação e ordem de PERMINIO PINTO FILHO, entrou em contato com SYLVIO

RA
por telefone e o convocou para comparecer em seu escritório, a fim de consumar a
solicitação da propina, conforme sistematicamente vinha fazendo com os demais

RI
empresários da construção civil que tinham contratos administrativos com o Estado

LA
de Mato Grosso relativos a obras pÚblicas da SEDUC/MT.

DE
Entretanto, SYLVIO PIVA nãO compareceu ao encontro

:36 AN
marcado, frustrando, assim, por circunstâncias alheias às vontades de FABIO
FRIGERI, WANDER LUIZ DOS REIS e GIOVANI BELATTO GUIZARDI, a

:46 C
14 E S
consumação da solicitação da propina. Seguem as declarações do empresário:
8 - IN
" (...) QUE o interrogando confirma ter participado da referida
reunião no dia 09.10.2015, esclarecendo que não ficou o
01 OL

perlodo integral na reunião; QUE ressalta que costuma


0/2 AR

frequentar a SEDUC, quase qua semanalmente, a fim de tratar


dos assuntos relacionados a empresa sAo BENEDITO, e que
9/1 - C

certa vaz, provavelmente no inicio do segundo semestre do


ano 2015, recebeu do servidor FABIO FRIGERI, um papel auto
: 1 30

colante de cor amarela, com um número de telefone celular e


com o nome de G/OVANI; QUE FABIO simplesmente disse ao
Em 8579

interrogando: "ligue para esse número"; contato com o tal


G/OVANI; QUE apesar de não menter contato com G/OVANI,
dias após, recebeu uma ligação deste, ocasião em que
11

G/OVANI disse: "venha aqui no meu escritório tomar um café",


65

mas o interrogando acabou não comparecendo pelo fato de


não conhece-lo e achar estranha a conversa; QUE não recorda
r: 0

a data, mas foi inserido também em um grupo de watssap,


po

administrado por EDER da GEOTOP, com o objetivo de


tratarem de assuntos relativos a erros de projetos, questões de
so

aditivos contratuais e fiscalização em relação as obras da


SEDUC; QUE no inicio do mês de outubro de 2015, rece 1
s
pre

uma ligação de LUIZ FERNANDO, proprietário da emp Sf{ -


L UMA, dizendo que iria acontecer uma reunião sobre ob / e
Im

que essa reun a sede da emp~ sa do /


Rua 4, sinO, Ediflcj() Anexo I - Procuradoria GtraJ de Justiça.. C i
103de139
MINIS'l'ÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GRos,n
7 ll Vara Frlme
Grupo de Atuação Especial Contra O Crime Orqanizado - 18
'"
Bai"o Santa Rosa; QUE essa reunião foi marc8<l p para~na

PP
Assinatura
perlodo da manhã, e lá chegando, estavam pre

AU
seguintes empresários: 1) ESPER da empresa
PANAMERICANA; 2) LUIZ FERNANDO da empresa LUMA; 3)

IR
JOEL, representante da empresa ESTEIO; 4) JULIO
YAMAMOTO da empresa APOLUS; 5) CELSO da empresa

AR
AMPLA; 6) CLARICE da empresa ROCHA; 7) SÉRGIO e

L
DILERMANO, da empresa ETAG; 8) PAULO da empresa

DE
GLOBAL; 9) MOISES FELTRIN da empresa TIRANTE; 10)
LEONARDO da empresa-mSAAT CONSTRUTORA LTDA; 11)

:36 AN
LEONARDO da empresa JER; 12) EDER da empresa


GEOTOP. e que haviam outros empresários, mas que não se

:46 C
recorria os nomes e nem as empresas que representavam;

14 E S
QUE a reunião foi conduzida por LEONARDO da empresa JER
e por LUIZ da empresa LUMA; QUE não sabe dizer como
8 - IN
LEONARDO e LUIZ conseguiram a lista das licitações cujos os
01 OL

editais nem haviam sido publicados; QUE confirme que na


reunião foi discutido que o percentual de vantagem indevida
0/2 AR

solicitado por G/OVANI GUIZARDI, foi reduzido de 5% para


9/1 - C

3%; QUE não se recorria de terem mencionado que WANDER


seria o contato que possulam na SEDUC, vez que
constantemente, costumava sair da reunião para atander
: 1 30

telefone; QUE na reunião foi ofertado à empresa do


Em 8579

inte~gando uma obra na zona rural de Cláudia , tendo o

• interrogando demonstrado interesse uma vez que possui um


contrato em andamento na cidade de União do Sul, sendo uma
11

escola com doze salas, em virtude de contrato de prestaçllo de


65

serviços com a SEDUC, no valor de aproximadamente R$


4.000.000,00 (quatro milhões de reais), e que a licitação da
r: 0

referida obra oco~u em 2013; QUE não sabe dizer quais as


empresas que ficaram convencionadas em dar cobartura na
po

Iicit8Çllo de Claudia, visto que houve um impasse na reunião,


pois haveriam três obras em Claudia e cinco empresas
so

interessadas (Empresa Rocha, Empresa JURUENA, Empre.


s

SÁO BENEDITO, Empresa GEOTOP e .'!::l" o


outra
pre

inte~gando não sabe afirmar, se seria a Empresa MyO! LO


Im

ou Empresa TRAÇO), e que diante do imR e o in/e ndo

~~~~~~~~/
~~.4: ~n~. EdlfJcio Anexo 1- ProcuradoriaGcral de Justiça,

I04de139
Cl.liaba-MT, CE 8JI; 361
ff
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
de Contra o Crime

PP
se retirou da reunillo; Que ficou convencionado o pel~.ntu·al
oferta de valores do vencedor e dos demais pa.rtlc'ifmm

AU
variando de 1,5% a menor; QUE confirma ter escutado na
reunillo que a obra de Alta Floresta no valor de R$ 5 79

IR
6.000.000,00 (seis milhões de reais), seria da 'cota do

AR
Secretário': mas que não sabe dizer Se essa assertiva é
verdadeira ou nllo; QUE a empresa sAO BENEDITO participou

L
da Concorrência Pública, abrindo o prazo para recurso; QUE o

DE
interrogando entrou com recurso, visto que havia ocorrido um
erro material, sendo novamente marcada a data pare a

:36 AN
abertura das propostas; Que novamenta a ampresa sAO


BENEDITO participa do certame, em que as empresas foram

:46 C
classificadas pelo menor valor apresentado, sendo: 1" Empresa

14 E S
MODELO; 2" Empresa GEOTOP; 3" Empresa SAO BENEDITO
e 4" Empresa ROCHA, contudo as duas primeiras empresas
8 - IN
foram desclassificadas por divergéncias nas planilhas de custo
01 OL

unitário, sagrando-se vencedora a empresa $AO BENEDITO,


ressaltando que não assinou contrato com a SEDUC até a
0/2 AR

presente data; QUE conhece FABIO FRIGERI, WANDER LUIZ


9/1 - C

DOS REIS e MO/S~S DIAS DA SILVA, pois silo servidores da


SEDUC, mas não sabe informar qual a participação dos
: 1 30

mesmos na fraude criminosa ora apurada; QUE não sabe o


motivo paIo qual WANDER foi substituído por MO/S~S; Que
Em 579


não sabe dizer Se ocorreram outras reuniões para tratar dos
assuntos relacionados a obra da SEDUC; QUE nllo sabe dizer
18

Se tudo que foi combinado na reunião, foi cumprido paios


demais empresários; QUE deixa consignado ainda, que a
51

empresa sAO BENEDITO CONSTRUçAo CIVIL LTOA EPP


06

vem sofrendo atresos nos processos de pagamento, aditivos,


medições, reajustas e fiscalizações em trâmite na SEDUC, e
r:
po

que tais processos, começaram· a a/resar ainda mais, depois


que o interrogando recebeu o telefonema de GIOVANI e não
° mesmo". (fls. 932/935).
sso

procurou
pre

Como se viu provado no tópico referente a organização


criminosa, a atuação de GIOVANI BELATIO GUIZARDI foi propiciada e se
Im

o comando do acusado ALAN AYOUB ALOUF, que f


Rua 4, shf, Ediflc::io AIIclI.o I - Procuradoria Geral de Justiça. Cuiabá-M. P7
IOSdel39
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS'" 7a Vara
!crime
Grupo de Atuação Especial Contra o Crima Organizado - aÉQQs 6 1120

tratativa junto a PERMINIO PINTO FILHO, Secretário de Estado de E ucaçã~na

P
Assinatura

UP
Esporte e lazer de Mato Grosso à época do fato, de inserção de GIOVA como
operador do esquema ilicito em desenvolvimento dentro da SEDUCIMT de

RA
solicitação e recebimento de vantagens indevidas em razão dos cargos públicos
ocupados por PERMINIO, FÁBIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS REIS e MOISES

RI
DIAS DA SILVA, sendo certo também Que ALAN MAlOUF seria destinatário de farta

LA
fatia da propina eventualmente recebida.

DE
Antes de encerrar, é preciso tecer algumas considerações

:36 AN
acerca da tipificação penal, na medida em que a defesa certamente anunciará a


atipicidade do fato, interrompido ainda na fase de preparação .

:46 C
14 E S
A respeito do tema "tentativa", adequado ao caso
8 - IN
concreto a aplicação da teoria objetivo-individual, na qual os atos executórios não
estão caracterizados apenas com o início da ação tlpica, atacando o bem juridico,
01 OL

mas também os praticados imediatamente antes, desde que se tenha prova do


0/2 AR

plano concreto do autor.


9/1 - C

É o que os Professores Zaffaroni e Pierangelli denominam


"10 QUOD PLERUNQUE ACCIDIT", conceito cada vez mais aceito nos tribunais, por
: 1 30

pennitir melhor análise dos casos concretos, garantindo punição a quem está em
Em 8579


vias de atacar o bem juridico .

No caso sub judice, embora a proposta não tenha sido


11

feita por GIOVANI GUIZARDl, em decorrência da conduta omissiva do empresário


65

visado, o conjunto dos fatos, associados aos demais casos em pauta, não deixam
r: 0

dúvidas de que o crime de corrupção passiva seria praticado, não se consumando


por motivos alheios às vontades dos agentes.
po

Em vista disso, impera-se a condenação do acusado


so

AlAN AYOUB MALOUF à pena cominada ao delito de corrupção passiva na fo


s

tentada, previsto no artigo 317 c/c artigo 14, inciso 11, do Código Penal.
pre
Im

RWl4, sIrf'. Edifk.ío Anexo (- Procuradoria Geral deJ


1O6do139 ~;;"':'::::~iF~::::::s;:::'
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
Contra o Crime
Ana

PP
3.15 Empreiteiro Mário Lourenço Saiam (fato 16)

AU
Narra a denúncia que em data nao precisada do mês de
junho do ano de 2015, no Municlpio de Cuiabá, Estado de Mala Grosso, PERMINIO

IR
PINTO FILHO, à época ocupante do cargo de Secretário de Estado de Educação,

AR
Esporte e Lazer de Mato Grosso, FÁBIO FRIGERI, à época ocupante do cargo em
comissao de Assessor Especial I, da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC, e

L
DE
WANDER LUIZ DOS REIS, à época ocupante do cargo em comissao de
Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, da

:36 AN
SEDUCIMT, por intermédio do particular GIOVANI BELADO GUIZARDI e com o


auxilio do também particular LUIS FERNANDO DA COSTA RONDON, em razao dos

:46 C
14 E S
cargos públicos que ocupavam, previamente ajustados, voluntariamente e tendo o
domínio funcional do fato, com a concorrência de ALAN AYOUB MALOUF,
8 - IN
indiretamente solicitaram, para si ou para outrem, vantagem indevida de MÁRIO
LOURENÇO SAlEM.
01 OL
0/2 AR

Ainda de acordo com a denúncia, no ano de 2015 a


empresa SANEPAVI - SANEAMENTO E PAVlMENTACAO EIRElI - EPP, de
9/1 - C

propriedade de MÁRIO LOURENÇO SALEM e da qual JOsi:: HENRIQUE MARINON


STEPAHN era funcionário, possuía contrato administrativo de obra pública (aqui
: 1 30

entendida em sentido amplo) firmado com o Estado de Mato Grosso e atrelado à


Em 579

Secretaria de Estado de Educação, o qual se encontrava em fase de execução.


18

Conforme já narrado alhures, à época do fato PERMfNIO


51

PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 01312015, publicado no Diário Oficial de Mato
Grosso em 02101/2015 (n. 26447). ocupava o cargo de Secretário de Estado <U!
06

Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso, ao passo que FABIO FRIGERI, por
r:

força do ato n. o 130/2015, publicado no Diário Oficial de Mato Grosso em


po

12/0112015, ocupava o cargo de Assessor Especial I, da SEDUCIMT. prestando


assessoria direta na Secretaria de Estado de EducaçãO desde 02 de janeirp de 2015
sso

(vide anexo I, do Decreto n. 2.39812014 e Decreto Estadual n. 23312015), da mesma


forma que WANDER LUIZ DOS REIS, por força do ato n. 56312015, publicado ri /7
pre

Diário Oficial de Mato Grosso em 28/0112015, ocupava o cargo em comissa~ I,


Im

~R~~~4,~~~~:~.;fl'C;.O;;~~;OC'-;~;;U.d;on;'"~':&~d~eJ~.'~liç~~~cu~~~~.~~~~:::;~l3.6n
!07de139 -

----
----

MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS .,.. 7


21 Vara !Crime
Grupo ele Atuação Especial Contra o Crime Organizado - 22 ~QCts.6

Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Es< olar, díi na

PP
Assil1àwra
Secretana de Estado de Educação - SEDUC desde 28 de JaneIro de 2015.

AU
Neste diapasão, revela a investigação que, na

IR
mOl/imentação da engrenagem de cobrança de propina movida, conforme narrado

AR
alhures, por FÁBIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS REIS e GIOVANI BELATTO
GUIZARDI, sob a capitania de PERMINIO PINTO FILHO, em dia não precisado no

L
DE
mês de junho do ano de 2015, LUIZ FERNANDO DA COSTA RONDON, agind'ó
como longa manus de FÁBIO FRIGERI e de WANDER LUIZ DOS REIS, ligou para

:36 AN
Mário Lourenço Salem convocando-o a comparecer na empresa OINAMO, de
GIOVANI BELATTO GUIZAROI, para reunir-se com este', tudo com o conhecimento

:46 C
• e o aval de PERMINIO PINTO FILHO.

14 E S
8 - IN
Segundo consta, na data aprazada, em nome de MÁRIO
LOURENÇO SALEM, JOsl': HENRIQUE MARINON STEPAHN compareceu na sede
01 OL

da empresa olNAMO onde se reuniu com GIOVANI BELATTO GUIZARDI e LUIZ


0/2 AR

FERNANDO DA COSTA RONDON. Na ocasião, GIOVANI BELATTO GUIZARDI


mostrou a José Henrique uma lista contendo informações a respeito do contrato
9/1 - C

administrativo de obra pública da SEDUCIMT que a empresa SANEPAVI -


SANEAMENTO E PAVlMENTACAO EIRELI - EPP mantinha com o Estado de Mato
: 1 30

Grosso, especificamente os valores dos créditos da empresa junto ao Estado. e


Em 579


solicitou o pagamento de propina dizendo que seu patrão, MÁRIO HENRIQUE
SALEM, deveria pagar o valor percentual de 5% (cinco por cento) sobre as quantias
18

monetárias correspondentes a cada medição que a empresa SANEPAVI -


51

SANEAMENTO E PAVIMENTACAO EIRELI - EPP viesse a receber. "


06

As afirmações acima expostas são retiradas da


r:

declaração do empregado do empreiteiro MÁRIO HENRIQUE SALEM, senhor JOSÉ


po

HENRIQUE MARINON STEFHAN, feita ao GAECO em 10 de maio de 2016. Confira:


sso

"Que trabalha na empresa SANEPAVI desde o final de 2013 n


setor de compres; QUE no ano de 2012 e 2013 cheg a

1
pre

constar no quadro societário da SANEPAVI a pedido d /ieú


/ ~
patrão, porém nu a exerceu de fato administ o da·
Im

Rua 4, sln". EdiOcio Anexo 1- Procurod;oria Geral ",,",,-,alro/


IOSd.139

--------
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
Contra o Crime

propini na

P
MARIO LOURENÇO SALEM que ele pagava 3%
arn1J"",~~~'!!'...J

UP
para poder receber as medições des obras em
SEDUC; QUE efeUvamente, sempre que Unha medições para

RA
\ receber, o declarante via que a servidora da SEDUC NUCCIA
MARIA GOMES ALMEIDA SANTOS ia até a sede da empresa

RI
SANEPAVI e segundo seu patrtJo ela ia lá exatamente para

LA
receber a propina; QUE não tem certeza mas acha que ela em
Superintendente 11 época na SEDUC; QUE seu patrão dizia

DE
que esse dinheiro era arrecadado pela SEDUC para patrocinar
a futura campanha eleitoral do 11 época Secretário SAGUAS

:36 AN
MORAES; QUE inclusive, ainda em 2013, o declarante se


dirigiu 11 SEDUC para participar de uma licitação de uma obra

:46 C
14 E S
que seria feita em Rondonópolis e, já dentro do 6ryão, foi
abordado pelo LUIZ FERNANDO da LUMA, que disse que o
declarante não poderia participar daquela lici/ação, sendo que
8 - IN
neste momento recebeu uma ligação do dono da empresa
01 OL

AROEIRA, RICARDO SGUAREZI, que também lhe disse que


não era para participar porque senão "iria bagunçar todo o
0/2 AR

coreto" momento em que o declerante resolveu ir embora; QUE


9/1 - C

segundo seu patrtJo, sempre que a SEDUC lançava um pacote


de obras, já havia direcionamento para que as principais obras
fossem paras as principais empreiteiras, quais sejam, a do
: 1 30

LUIZ FERNANDO da LUMA, o ESPER da PANAMERICANO, a


Em 8579


AROEIRA do SGUAREZI, a ESTEIO do JOEL, a GEOTOP do
EDER; e as demais empresas menores tinham que participar

• naquelas obras que sobrassem; QUE em 2015, já no Governo


11

PEDRO TAQUES, em celta ocasião, no mlls de junho, seu


65

patrlío recebeu uma ligaçilo do LUIZ FERNANDO da empresa


LUMA, dizendo que ele (seu patroo) teria de ir no escritório do
r: 0

G/OVANI GUIZARDI, porém, seu patrlío não pôde ir e mandou


o declarante; que lá chegando, na sede da empresa DINAMO,
po

encontrou o GIOVANI GUIZARDI na companhia do LUIZ


1
so

FERNANDO da empresa L UMA; que logo no inicio


GUIZARDI se mostrou muito a1Togante e ficou irritado ao sa ,'f
s

que o declarante não era o dono da empresa, mas apena úm


pre

funcionário, inclusive ficou todo ,vermelho; QUE ePós explicar


Im

que estava ali a m RDI dis 'olha,

R1.AlI4. slrf, Edificio Ane)(o r- Procuradoria Gt:rat de Justi 804.9-921 - fonefFax.3

l09del39 c::~~§~~~~§~;;::::,
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO Gaos·n
7 a Vara ~rime
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - 24
e 00 ~petr~l1a

P
eu sei mais da empresa SANEPAVI do que voeI!
. As$Inatura

UP
momento em qU(l exibiu na lellil de um monitor um
empresas com valores a serem recebidos pelo Estado; QUé

RA
GUIZARDI disse que seu patrão teria que pagar a propina de
5% de cada medição para que a empresa recebesse, momento

RI
em que o declarante disse que iria passar o recado ao seu

LA
patrão; Que após retomar com o recado, sau patrão ficou
irritado e disse que não ia pagar nada; QUé no dia da reunilJo

DE
que foi filmada pelo GAéCO, o declarante apenas chegou na
ante sala e quando percebeu que ifiam tratar de coises ilfeitas

:36 AN
foi embora, não querendo participar daquilo; QUE 8 empresa


SANEPAVI tem obras apenas na SEDUC, no que coneeme à

:46 C
14 E S
Administração Pública Estadual, mas tem contratos com outras
Prefeituras e ficou sabendo pelo seu patrão que ete pagou
propina em 2014 e 2015 para o prefeito de JACtARA, ADEMIR,
8 - IN
para poder receber as medições. (fls. 9381940).
01 OL
0/2 AR

Ao solicitar o valor percentual de 5% (cinco por cento)


sobre as Quantias monetárias correspondentes a cada medição que a empresa
9/1 - C

SANEPAVI - SANEAMENTO E PAVIMENTACAO EIRELI - EPP viesse a receber,


GIOVANI BELATIO GUIZARDI praticou o delito de corrupção passiva, previsto no
: 1 30

artigo 317 do Código Penal.


Em 8579

• Consequentemente, o acusado ALAN AYOUB MALOUF


deve também sofrer as sançoes criminais previstas a prática do delito de corrupção
11

passiva, uma vez que a atuação de GIOVANI BELATIO GUIZARDI foi propiCiada e
65

se deu sob o comando de ALAN AYOUB MAlOUF, que foi o responsável pela
tratativa junto a PERMINIO PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educação,
r: 0

Esporte e Lazer de Mato Grosso à época do fato, de inserção de GIOVANI como


po

operador do esquema ilicito em desenvolvimento dentro da SEDUCJMT de


solicitação e recebimento de vantagens indevidas em razão dos cargos públicos
so

ocupados por PERMINIO, FÁBIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS REIS e MOISES
/
s

DIAS DA SILVA, sendo certo também que ALAN MAlOUF seria destinatário de
pre

fatia da propina eventualmente recebida, como se viu provado no tópico refer


organização criminosa.
Im

Rua 4. $Itf', Ediflcio Am.m (- Proctnadoria: Geral <lt Jus'


IIOdel39
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE ~TO
de Contra O Crillte

P
3.16 Empreiteiro Leonardo Botelho Leite (fato 17) Ana
Assinatura

UP
Narra a denúncia que em data não precisada,

RA
582
compreendida entre os meses de junho e julho do ano de 2015, no Município d~

Cuiabá, Estado de Mato Grosso, PERMINIO PINTO FILHO, à época ocupante do

RI
cargo de Secretário de Estado de Educaçao, Esporte e Lazer de Mato Grosso,

LA
FÁBIO FRIGERI, à época ocupante do cargo em comiss30 de Assessor Especial I,

DE
da Secretaria de Estado de Educaçao - SEDUC, e WANDER LUIZ DOS REIS, à
época ocupante do cargo em comissão de Superintendente de Acompanhamento e

:36 AN
Monitoramento da Estrutura Escolar, da SEDUC/MT, por intermédio do particular
GIOVANI BELATTO GUIZARDI, em razão dos cargos públicos que ocupavam,


:46 C
14 E S
previamente ajustados, voluntariamente e tendo o dominio funcional do fato, com a
concorrência de ALAN AYOUB MALOUF, solicrtaram, para si ou para outrem,
8 - IN
vantagem indevida de LEONARDO BOTELHO LEITE.
01 OL

Segundo a denúncia, no ano de 2015 a empresa INSAAT


0/2 AR

CONSTRUTORA lTDA., da qual LEONARDO é proprietário, possuía contrato


administrativo de obra pública (aqui entendida em sentido amplo) firmado com o
9/1 - C

Estado de Mato Grosso e atrelado à Secretaria de Estado de Educação, o qual se


encontrava em fase de execução.
: 1 30
Em 8579


Conforme já narrado alhures, à época do fato PERMiNIO
PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 01312015, publicado no Diário Oficial de Mato

• Grosso em 02101/2015 (n. 26447), ocupava o cargo de Secretário de Estado de


11

Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso, ao passo que FABIO FRIGERI, por
65

força do ato n.O 130/2015, publicadO no Diário Oficial de Mato Grosso em


r: 0

1210112015, ocupava o cargo de Assessor Especial I, da SEDUC/MT, prestando


assessoria direta na Secretaria de Estado de Educaçao desde 02 de janeiro de 2015
po

(vide anexo I, do Decreto n. 2.398/2014 e Decreto Estadual n. 23312015), da mesma


forma que WANDER LUIZ DOS REIS, por força do ato n. 563/2015, publicado no
sso

Diário Oficial de Mato Grosso em 28/0112015, ocupava o carg.o em comissão de


Direção Geral e Assessoramento, de Superintendente de Acompanhamento ,(, \
pre

Monitoramento da Estrutura Escolar, da etaria de Estado de Educa ,'-


Im

SEDUC desde 28 de janeiro de 5.

Rua4, siri', EdiftcN) Anexo 1- Procuradoria G\!

jjlde139 <::::::~~=~=~=~§~~~ -/
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS'i""'-=--I:-.,---,
I_~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~·~·~~~rime
LGrupo de AtUAÇÃO Especial Contra o Cr~e Organizado - 26

P
Neste diapasão, revelam os autos que em ata na{jna

UP
precisada compreendida entre os meses de junho e julho do ano
LEONARDO BOTELHO LEITE se encontrava no prédiO da SEDUCIMT, onde

RA
recebeu das mlllos de FABIO FRIGERI um bilhete oontendo um número de telefone
e o nome de GIOVANI, sendo que FÁBIO pediU que o construtor ligasse para

RI
GIOVANI, tudo com.o conhecimento e o aval de PERMINIO PINTO FILHO.

LA
DE
LEONARDO aduziu que efetuou ligaçãO para o terminal
telefônico oonstante no bilhete, ao que foi atendido por GIOVANI GUIZARDI, que o

:36 AN
convidou o para um encontro na sede da sua empresa (DINAMO CONSTRUTORA) .


:46 C
14 E S
Assim, tendo comparecido no local, no dia e hora
marcada, GIOVANI BELATTO GUllARDI se mostrou oomo o "Secretário de fato" ao
8 - IN
dizer que, daquele momento em diante, os assuntos relacionados à execução dos
contratos administrativos de obras públicas com a SEDUC/MT, tais como aditivos,
01 OL

reajustes e, principalmente, pagamentos, seriam tratados oom ele.


0/2 AR

Em continuidade, GIOVANI GUIZARDI solicitou propina a


9/1 - C

LEONARDO dizendo a ele que para a solução de tais assuntos deveria pagar o
valor percentual de 5% (cinco por cento) sobre as quantias monetárias recebidas do
: 1 30

Estado de Mato Grosso, relativos à execução de oontratos administrativos de obras


Em 8579

• públicas relacionados à SEDUC/MT.

Conforme se vê da declaração de LEONARDO, ele nlllo


11

concordou de pronto com o pagamento, ao que GIOVANI o advertiu de que as


65

questões burocráticas dentro da SEDUC/MT tomar-se-iam oomplicadas e que os


r: 0

pagamentos dos créditos a Que a empresa INSAAT CONSTRUTORA LTDA. teria


direito pela execução de contratos administrativos de obras públicas junto à
po

SEDUCIMT não seriam efetuados.


so

Após a negativa de efetuar o pagamento da propina,


s

pagamentos devidos pelo Estado de Mato Grosso à empresa INS


pre

CONSTRUTORA LTDA., em razão da execução de contratos administrar


Im

obras públicas da SEDUC/MT, ce!l~~m-ltiH.ar.-.__

Rua4, sinO, Ediflcio AMxo 1- Procuradoria


1l2del39
~:::::d'::J""~iÇa,===::~~~9-~92~1-~F;oneJF~ f3-:36~162 . ~
'" _ / (/
-
/
/
MINIS'l'ÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GRO"fI'lf'''4±J~
Grupo da Atuação

P
UP
" QUE é sócio na empresa INSAAT CONSTRUTORA LTOA,

RA
tendo como sócios o interrogando e sua mãe ANGELA MARIA
583
BOTELHO LEITE, cujas cotas esMo distribufdas em 75% e

RI
25% respectivamente; QUE a administração e representação

LA
da empresa é exercida pelo inteiTOgando; QUE a última sede
da empresa era na Rua Marechal Floriano Peixoto, rf 1054,

DE
Bairro Quilombo, nesta cidade de Cuiabé-MT, tendo como
objeto a construção civil, sendo que atualmente não possui

:36 AN
sede. (.. ). QUE o inte"ogando confirmar ter participado da


:46 C
referida reunião. QUE entre os meses de junho e julhO do ano

14 E S
de 2015, estava na SEDUC, quando recebeu das mãos FABIO
FRIGERI, um bilhete em papel auto colante contendo um
e o nome de GIOVANI; QUE na ocasião
8 - IN
número de telefone
FABIO pediu para que o inte"ogando ligasse para o GIOVANI,
01 OL

não dizendo o motivo e nem mesmo o assunto; QUE dias após


0/2 AR

ligou para GIOVANI, e marcou um encontro com o mesmo na


sede da empresa DINAMO, situada no Parque Oh ara, nesta
9/1 - C

cidade de CuiaM, para "Iomar um café"; QUE chegando lá,


GIOVANI disse que os assuntos (problemas de aditivOs.
: 1 30

reajustes que estavam demorando para sair, pagamentos.


etc.) referentes ao contrato com a SEDUC eram para ser
Em 8579

• tralados com ele (GIOVANI); QUE inicialmente o interrogando


achou que GIOVANI estava "blefando". já que ele mais

• perguntava do que falava; QUE posteriormente, GIOVANI


11

olhou no seu no/ebook informações da empresa do


65

interrogando e passou a fazer a leitura, aponlando os dados do


conlrato da empresa do interrogando, os valores jé recebidos e
r: 0

os valores que tinha a receber; QUE para resolver todos esses


po

assunlos, especialmenta dar agilidade nos processos, inclusive


recebimentos, GIOVANI solicitou, de forma gesticulada, o
o valor ~cebido n~./
sso

percentual de 5% (cinco) por cento de todo


SEDUC; QUE o interrogando disse que não concordava; 9tfÍ.
pre

mesmo que fosse implementado esse percentual,Isf!f/ '


impraticável; QUE GIOVANI então deu . a entender u /;i
Im

pro ser

~
Rua 4, s/ri" Edifkio Anexo 1- Procutadorüt Ge
I13del39
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS'i""'-=±:-:-t
a ara Crime
Grupo de Atuação Espacial Contra o Crime Organizado - 28
.,
preteridos; QUE a partir dessa recusa, o interrogando ercebmJ.na

P
. tura

UP
realmente que os processos que estavam tramif,·9Rf"/ft.~~P.....J
SEDUC começaram a ficar mais embaraçados, prejudic<lndo-o;

RA
QUE foi inserido por EDER MEC/ANO em um grupo no
whattsapp; QUE esse grupo era composto de diversos

RI
empresários que tinham obras na SEDUC e o objetivo era
simplesmente tratar de assuntos informativos, especialmente

LA
vinculados à SINDUSCON; QUE entre o dia 07 e 08 do más de

DE
outubro do ano de 2015, reoebeu uma ligação de LUIZ
FERNANDO, o qual avisava o interrogando de uma reunião

:36 AN
agendada para o dia 09.10.2015 com lodos os empresárioS do


grupo; QUE essa raunião iniciou por volta das 09 horas da

:46 C
manhã, na sede da empresa LUMA, tendo o interrogando

14 E S
chegado por volta das 09:30 horas; QUE estavam presentes: 1)
SILVIO PIVA da empresa SÃO BENEDITO; 2) ESPER da
8 - IN
empresa PANAMERICANA; 3) LEONARDO da JER; 4) LUIZ
01 OL

FERNANDO da empresa LUMA; 5) JOEL, representante da


empresa ESTEIO; 6) CLARICE e outra pessoa que não sabe
0/2 AR

dizer o nome, da empresa ROCHA; 7) PAULO da empresf!


GLOBAL; 8) MOISES FELTRIN da empresa TIRANTE; e outros
9/1 - C

que não conhece; QUE a reunião foi conduzida por LUIZ


FERNANDO e LEONARDO; QUE não sabe dizer a origem da
: 1 30

lista contendo as licitações da SEDUC que iriam ocorrer nos


Em 8579


meses subsequentes; QUE· foi informado pelo LUIZ
FERNANDO ou LEONARDO que a empresa do Interrogando
iria ficar com a obra de acessibHidade da escola EE João
11

Panarotto, ressaltando o interrogando que sequer buscou o


65

edital para participar desse e de qualquer outro certame; QUE


nas licitações em que mencioneram que a empresa do
r: 0

interrogando daria 'cobertura' o interrogado, pelo falo de não


concordar com a reunião e por não ter interesse em prestar
po

serviços paro a SEDUC, acaoou não participando de nada;


QUE não se recorda de leram falado ne reunião que houve a
sso

redução de vantagem indevida a ser pega para GIOVANI cl~


5% para 3%, como condição do recebimento das parcelas ~.
pre

posteriores; QUE conhece FABIO FRIGERI, WANDER LUI / '


DOS REIS e MOISÉS IAS DA SILVA, po. o servid s de
Im

~R~..~.~.""~'.EcE,m'fi!c;,,,,;';;_;,,,,;;;"j/::-",p;;",;;;,,-,;;;;;;;;;·.GG;,",,;;o;":]J",;;;,~iç;;:~õCui;i;·ahá~-~~~~ -92J - Fon~ax 3613 1622 ···~1/


114dell9
, /r
. '

MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO


de Contra o Crime

PP
SEDUC, mas não sabe infonnar qual a da!na
mesmos na fraude criminosa ora apurade,

AU
FABIO teria alguma participação por ter-lhe entregue um
bilhete com o nome e telefonado GIOVANI, sendo que em 5 ti 4

IR
relação aos demais (WANDER e MOISSS) não sabe dizer da
eventual parlicipação deles; QUE não sabe infonna o motivo

AR
pelo qual WANDER foi substituldo por MOIS~S; QUE não sabe

L
dizer se OCOITeU uma terceira reunião no mês de dezembro do

DE
ano de 2015; QUE não sabe dizer se tudo que foi combinado
na reunião foi cumprido pelos demais empresários; QUE deixa

:36 AN
consignado que não efetuou nenhum pagamento para

• GIOVANI ou qualquer outra pessoa, ou servidor da

:46 C
SEDUC".(f1s. 100511007).

14 E S
Assim agindo, GIOVANI BELATTO GUIZARDI incorreu na
8 - IN
prática do delito de corrupção passiva.
01 OL
0/2 AR

Consequentemente, o acusado ALAN AYOUB MALOúf


deve também sofrer as sanções criminais previstas a prática do delito de corrupção
9/1 - C

passiva, uma vez Que a atuação de GIOVANI BELATTO GUIZARDI foi propiciada e
se deu sob o seu comando, pois foi o responsável pela tratativa junto a PERMINIO
: 1 30

PINTO FILHO. Secretário de Estado de Educação. Esporte e Lazer de Mato Grosso


Em 579


à época do fato. de inserção de GIOVANI como operador do esquema ilícito em
desenvolvimento dentro da SEDUC/MT. sendo certo também que ALAN MALOUF


18

seria destinatário de farta fatia da propina eventualmente recebida. como se viu


51

provado no tópico referente a organização criminosa.


06

3.17 Empreiteiros Luiz Fernando da Costa Rondon e Esper Haddad Neto -


r:

três fatos, doia deles em concurso formal impróprio (fato 18)


po

Narra a denúncia que no periodo compreendido entre o


sso

final do primeiro semestre e o mês de dezembro do ano de 2015, no MuniCfPi0:1de.'


Cuiabá. Estado de Mato Grosso. PERMINIO PINTO FILHO. à época ocupante do '1'
pre

cargo de Secretário de Estado de Educação. Esporte e Lazer de Mato Gro •/ ,


Im

FABIO FRIGERI, à época ocupante do ca comissão de A e or Es ia / '

Rua 4, SIn°, Edificio Anexo 1- Procuradoria {kraJ deJUSli , ,E


115del39 ~
,
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS~ln •
• • . 7ft Vara Crime
Grupo de Atuação Espec~al Contra o Cr1me Or9an~zado - .~
30

P
da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC, WANDER LUIZ DOS REIS,4na

UP
época ocupante do cargo em comissão de Superintendente de Acompanh """,.-.f!:r:tura
Monitoramento da Estrutura Escolar, da SEDUC/MT, e MOISÉS DIAS DA SILVA, à

RA
época ocupante do cargo em comissão de Superintendente de Acompanhamento e
Monitoramento da Estrutura Escolar, da SEDUCIMT, por intermédio do particular

RI
GIOVANI BELATTO GUIZARDI, em razão dos cargos públicos que ocupavam,

LA
previamente ajustados, voluntariamente e tendo o domínio funcional do fato, com a

DE
concorrência de ALAN AYOUB MALOUF, solicitaram de ESPER HADDAD NETO e
de LUIZ FERNANDO DA COSTA RONDON. bem como, posteriormente, receberam

:36 AN
deste último, para si ou para outrem, vantagem indevida .


:46 C
14 E S
Conforme já narrado alhures, à época do fato, PERMINIO
PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 01312015, publicado no Diário Oficial de Mato
8 - IN
Grosso em 02/01/2015 (n. 26447), ocupava o cargo de Secretário de Estado de
Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso, ao passo que FABIO FRIGERI, por
01 OL

força do ato n.O 130/2015, publicado no Diário Oficial de Mato Grosso em


0/2 AR

12101/2015, ocupava o cargo de Assessor Especial I, Nivel OGA-2, da SEDUCIMT,


prestando assessoria direta na Secretaria de Estado de Educação desde 02 de
9/1 - C

janeiro de 2015 (vide anexo I, do Decreto n. 2.39812014 e Decreto Estadual n.


233/2015), da mesma forma que WANDER LUIZ DOS REIS, por força dos atos n.
: 1 30

56312015 e 7.69112015, publicado no Diário Oficial de Mato Grosso,


Em 8579


respectivamente, em 28/01/2015 e 13/1112015, ocupou o cargo em comissão de
Direção Geral e Assessoramento, Nlvel DGA-4, de Superintendente de
Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, da Secretaria de Estado
11

de Educação, Esporte e Lazer - SEDUC desde 28 de janeiro de 2015 até 13 de


65

novembro do mesmo ano.


r: 0

Conforme exposto, por força dos atos n. 7.77812015,


po

publicado em 17/1112015 no Diário Oficial de Mato Grosso, e 9.18612016, publicado


no Diário Oficial de Mato Grosso em 02/0312016, MOISÉS DIAS DA SILVA,OCUpou o
so

cargo em comissão de Superintendente de Acompanhamento e Monitor!õÍmento d~


s

Estrutura Escolar, da Secretaria de Estado de Educação, no período de 17 ;.;/1.


pre

novembro de 2015 a 02 de março de 2016. , ;I


I .
Im

Rua 4. Sln"', Ediflcio AneXo 1- ProcW1!doria Gual de Ju:s1iç


116<10139
MlNISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
da Contra o Crime

P
Foi também descrito que MOISÉS passou a óculpar

UP
cargo em substituição a WANDER LUIZ DOS REIS depois das rec:lan1ac~né
pelo núcleo de empresários da organização criminosa relatada nesta denúncia.

RA
535
Neste contexto, MOISES DIAS DA SILVA recebeu a

RI
incumbência de dar continuidade à atividade espúria de WANDER em sintonia com

LA
FABIO FR!GER!, consistente na garantia de vantagens aos empreiteiros relativas a

DE
obras públicas da SEDUCIMT e, principalmente, de cobrança de propina em
detrimento dos empresários como contraprestação.

:36 AN
• Segundo consta na denúncia, a manobra não afastou

:46 C
WANDER LUIZ DOS REIS das atividades ilfcitas, mas consistiu em mero rearranjo

14 E S
feito pelo núcleo de agentes públicos para satisfazer as reclamações dos
empresários. Isto porque após ter sido substitufdo por MOISES DIAS DA SILVA no
8 - IN
cargo de Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura
01 OL

Escolar, WANDER LUIZ DOS REIS - ocupante do cargo de provimento efetivo de


0/2 AR

Professor da Educação Básica na Secretaria de Estado de Educação de Mato


Grosso, conforme Decreto Estadual n. 1.150, de 07 de fevereiro de 2000, publicado
9/1 - C

em 07/0212000 no Diário Oficial do Estado de Mato Grosso -, pelas Portarias


SEDUC/0005912016 (Diário Oficial n.· 26715, fls. 46 e 52) e SEDUC/00066/2016
: 1 30

(Diário Oficial n.· 26716, fls. 67/68) pUblicadas em 11/0212016 e 12/0212016,


Em 8579

• respectivamente, foi lotado na Superintendência


Monitoramento da Estrutura Escolar da SEDUCIMT, sendo então mantido no circulo
de Acompanhamento e

• de atuação .
11
65

Extrai-se dos autos que no ano de 2015 a empresa LUMA


CONSTRUTORA, de propriedade de LUIZ FERNANDO DA COSTA RONDON,
r: 0

possuia contrato administrativo de obra pública (aqui entendida em sentido amplo)


po

firmado com o Estado de Mato Grosso e atrelado à Secretaria de Estado de


Educação, Esporte e Lazer o qual se encontrava em fase de execução.
sso

No final do primeiro semestre do ano de


pre

FERNANDO se encontrava na sede da SEDUCIMT, onde foi abordado por A


QM2.'t!l~~~ímEt!O..Qde tele~
Im

Rua 4, sin°, Ediflcio Anexo 1- PfocuradoriaGeral óe Jusf


117de139
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GaoS!lO
7 3 Vara Crime
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - ,~
32

PP
papel e o entregou ao empresário pedindo que este ligasse para GIOVANI SELATT0\na
Assinatura
GUIZARDI.

AU
Segundo consta nos autos, após tentativa fracassada de

IR
estabelecer contato telefônico, LUIZ FERNANDO foi contatado por GIOVANI

AR
SELADO GUIZARDI, que o convidou para um encontro na sede da sua empresa
(DINAMO CONSTRUTORA). Tendo comparecido na companhia de seu sogro

L
DE
ESPER HADDAD NETO, proprietário da empresa PANAMERICANA, no local, no dia
e hora marcada, GIOVANI, com o pleno conhecimento, aprovação e por ordem de

:36 AN
PERMINIO PINTO FILHO, entregou a LUIZ FERNANDO um aparelho eletrÔnico do
tipo tab/et em cuja tela estava escrito: "a parfir de agora será cobrada uma taxa de

:46 C
5% sobre todos os valores recebidos da Secretaria".

14 E S
8 - IN
Diante disso, LUIZ FERNANDO perguntou se o Secretário
sabia a respeito da cobrança, ao que GIOVANI GUIZARDI respondeu fazendo sinal
01 OL

positivo com o dedo polegar da mão.


0/2 AR

Em seguida, GIOVANI BELATTO GUIZARDI solicitou o


9/1 - C

pagamento de 5% dos valores já recebidos da SEDUCIMT pela empresa


PANAMERICANA, de propriedade de ESPER HADDAD NETO.
: 1 30
Em 8579

Conforme resta consignado nos autos, LUIZ FERNANDO


não concordou de pronto com o pagamento e, depois da reunião com GIOVANI.
procurou se reunir com o Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer
11

PERMINIO PINTO FILHO, tendo obtido êxito em agendar um encontro apenas cerca
65

de dois meses mais tarde para tratar do assunto "obras".


r: 0

Assim, por volta do inicio do segundo semestre de 2015,


po

Luiz Fernando compareceu na sede da SEDUCIMT a fim de ser atendido por


PERMINIO, todavia não obteve êxito, pois este, através de sua secretária, ordenou
so

que LUIZ FERNANDO tratasse do assunto com FÁBIO FRIGERI.


s
pre

Em ato continuo, LUIZ FERNANDO


Im

FÁBIO FRIGERI" oportunidade em que re u o

Rua 4, sJrf. Ediflcio Anexo 1- Proc"r"doria Geral de Justiça, CuiaWi-MT. CF: 7 ax 3613- 622
118del39
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
Contra o Crime

PP
GUIZARDI, bem como a cobrança de propina por este efetivada,
exposto a dificuldade de ser atendido por PERMINIO após a SOliCiJbrci'~'!!!!!~

AU
vantagem indevida perpetrada por GIOVANI.
586

IR
Neste contexto, LUIZ FERNANDO indagou a FABIO

AR
FRIGERI se era verídica a solicitaçilo de propina realizada por GIOVANI, se era
necessário o pagamento do valor de 5% (cinco por cento) sobre todo valor recebido

L
DE
da SEDUC/MT para que os pagamentos pudessem ocorrer regularmente, ao que
FABIO FRIGERI gesticulou pos~ivamente com a cabeça.

:36 AN

Está registrado na deClaraçilo do empresário LUIZ

:46 C
FERNANDO, depois do encontro com FABIO FRIGERI, voltou a procurar GIOVANI

14 E S
GUIZARDI para discutir o valor da propina, barganha que se estendeu durante
algum tempo e se deu em alguns encontros entre ambos, da qual resultou a reduçilo
8 - IN
do valor da propina para 3% (três por cento).
01 OL
0/2 AR

De acordo com o empresário, no dia 23/1112015 recebeu


um pagamento da SEDUCIMT no valor de R$ 159.321,18 (cento e cinquenta e nove
9/1 - C

mil, trezentos e vinte e um reais e dezoito centavos), relativo ao cumprimento parcial


de uma obra que estava sendo realizada por sua empresa na cidade de
: 1 30

Rondonópolis, de modo que no dia 26/1112015 efetuou o saque de R$ 5.000,00


Em 8579


(cinco mil reais) da sua conta bancária e se encontrou com GIOVANI GUIZARDI na
sala n.o 1602 do Edifício Avant Garden Business, oportunidade em que entregou a
este a quantia de R$ 4.800,00 (quatro mil e oitocentos reais) correspondente a 3%
11

de R$ 159.321,18 (cento e cinquenta e nove mil, trezentos e vinte e um reais e


65

dezo~o centavos).
r: 0

Merece transcriçilo as declarações do empresário LUIZ


po

FERNANDO DA COSTA RONDON:


so

"QUE o interrogando comparece espontaneamente na sede desse


s

Grupo de AtuaçSo Espacial contra o Crime Organizado/GAECO. a fi


pre

de colaborar com as investigaÇlles. esclarecendo os fatos


relatados; QUE é proprietário da empresa CONS~·J,III7h<'.
Im

EIRELE EPp, com a Rua


Rua 4, sinO, Edifieio An~o 1- Procuradoria Geral de Justiça. Cuiabá-MT. CE 7
II9do139
MINISTÉRIO PúBLICO 00 ESTADO DE MATO GROs!n
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado _ J~Y.rn Ftime
34

PP
Egito, nesta capaal, com atividade de constrllçSo cr- ; QUE "na
empresa é individual e administrada pelo interrogando; Q/, '= -"=1=lura

AU
constituiçilo da sua empresa, ou seja, há mais de 05 (cinco) anos,
parVcipa de licitaçOOs públicas em verios órglJos Estaduais e

IR
Federais; QUE jé parocipou de várias IicitaçOes públicas em verios
órgãos Estaduais e Federais; QUE jé parocipou de várias licitaçOOs

AR
na Secretaria de Estado de EducaçIJo - SEDUC; QUE sua empresa é
representada nos certamas públicos atrallás do empregado

L
ALEXANDRE DA COSTA RONDON, seu irmlJo, sendo que o

DE
interrogando participava de alguns celÍames como representante da
empresa; Que em janeiro do ano de 2015, houve um Decreto do

:36 AN
Governador Pedro Taques, suspendendo em todo o Estado de Mato


Grosso, os contratos e os pagamentos referentes as obras de todos

:46 C
os órglJos públicos, inclusive as obras da SEDUC; QUE li época a

14 E S
empresa LUMA niJo tinha nenhum contrato vigente, entretanto o
interrogando estava representando a Empresa CONSTRUTORA
8 - IN
PANAMERICANA, de propriedade de seu sogro, ESPER HADDAD
01 OL

NETO; QUE a CONSTRUTORA PANAMERICANA tinha o contreto de


prestaçIJo de serviços para a constroçIJo de uma escola estadual
0/2 AR

composta por dezoao salas de aula, no baino Sitio Farias, na cidade


de Rondon6polisIMT, cujo o valor total da obra, estava astimado em
9/1 - C

R$ 4.800.000,00 (quatro milhOes e oitocentos mil reais), esclarecendo


que a execução da obra era gerenciada pelo intenogando, inclusive
figurava como preposto da empresa PANAMERICANA; QUE em
: 1 30

janeiro do ano de 2015, a obra em questiJo, estava praticamente com


Em 579

o interrogando recebido proporcionalmante


80% de concluslJo, tendo
esse percentual; QUE esse decreto previa inicialmente a suspensiJo
de todos os pagamentos pelo per/odo de cem dias, e que por Isso, o
18

intenogando foi aM a SEDUC procurer mais informaçOOs a respeito


51

desse decreto, pois nilo sabia se continuava ou nilo a obra; QUE


procurou 8 Superintendência de Estrotura Escolar - SUEE, ocasilJo
06

em que falou pessoalmente com o servidor FABIO FRIGERI disse


para o interrogando, este agendou uma reunilio com o en/lio
r:

Secratário de Estado de EducaçlJo, PERMINlO PINTO, pare tratar do


po

assunto em questáo; QUE nessa nJuniSO, o interrogando soIicftou ao


seu sogro ESPER , lhe acompanhar até o gabinete do SecreMrio
sso

PERMINlO PINTO. tendo este confirmado, as afirmaçOOs de FABIO


FRIGERI, no sentido de dar continuidade a obra, vez que niJo haveri
pre

o interrogando deu continuidade' a realizaçIJ


Im

decorrido os cem dias do

~R;~:4~,Y;n;.':E'd;'&'WCM;;a;O'I-C~;;;md"oo"'"~'~~~:J::~C~ul;~~'MT~~!I~~~~~:~:;J6;IJ:'~I~~;:~~~-:--,/P'~
12Odo139
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
de Contra o Crime

P
nos mês de abril do ano 2015, o interrogando liga ÉDEAna
MACEDO, proprietario da empresa GEOTOp, me'nci,omlndL!lJIL.~"!!!.-.J

UP
fato dele ser associado ao SINDUSCON - Sindicalo da ConstruçlJo

RA
CMI, solicitando que ele (EDER MECIANO) solicitasse o apoio do
SINDUSCON para que os empresários do ramo da construção civil
que possulam obras na SEDUC, agendasse uma reunillo com o

RI
Sacretário PERMINIO PINTO, a fim de tratar do assunto de

LA
racebimento de valores das madiçOes realizadas; QUE ressalta o
interrogando que procurou ÉDER MECIANO pois este ara

DE
sindicalizado, e nessa condição, somente ele poderia acionar o
SINDUSCON; QUE uma ou duas semanas após a reunitlo com o

:36 AN
SINDUSCON foi agendada a reunião com o então Secretário


PERMINIO PINTO, e este garantiu que parte das medições seriam

:46 C
pagas nos próximos quinze dias subsequentes e que o restante, em

14 E S
mais quinze dias; QUE nesse perlodo, EDER MECIANO resolveu
criar um grupo no whatsep, inciuindo todos os empresários que
8 - IN
POSsulam medições para receber da SEDUC; QUE nesse grupo,
foram tratados diversos assuntos relacionados especificamente ao
01 OL

recebimento desses valores e qualquer problemas advindos da


0/2 AR

SEDUC; QUE ainda no mês de maio do ano de 2015, o secretário


PERMINIO PINTO, paga parte das madiçOes já realizadas; QUE no
9/1 - C

final do primeiro semestre do ano de 2015, eslava na recepção da


Engenharia da SEDUC, oportunidade em que FABIO FRIGERI,
chama o interrogando na sua sala, e entraga-Ihe um papel (auto
: 1 30

colante de cor amarela) com o nome G/OVANI e um número dI>


Em 8579

telefone celular, dizendo ao interrogando "procura esse rapaz, liga pra

• ele"; QUE ligou para o número constante no papel, mas que não
atendido, contudo logo após recebeu uma ligaçllo de outro número,
foi
11

de uma pessoa se apresentando como GIOVANI da DINAMO, o qual


informou o endereço e pediu para que o interrogando fosse encontrar
65

com o mesmo pessoalmente; QUE o interrogando Questionou ao seu


sogro ESPER, se conhecia um tal de GlOVANI da DINAMO, tendo o
r: 0

seu sogro dito que se for o G/OVANI GUIZARDI, eu o conheço do


meio social; QUE diante disso, o interrogando pediu para que seu
po

sogro ESPER, lhe acompanhasse até o endereço indicado por


G/OVANI, sendo no Coxip6, na empresa de G/OVANI; QUE
so

chegando na sede da Empresa DINAMO, o interrogando, juntamente


l'
s

com seu sogro ESPER, foram prontamente atendidos por GIOVAN


pre

QUE G/OVANI estava em sua mesa, e após cumpriment 0./


interrogando e seu sogro ESPER, entregou ao interrog u .
Im

aparelho tipo tablete,

Rua 4, sin°, Ediflcio Anexo 1- Procuradoriaúeral de Jus


121de139
~ .. /
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROsc~t\
v." tl36
Grupo de Atuação Especial Contra o Crme Organillado - (~éj;i':'
Crime
t'

P
agora, senl cobrada uma taxa da 5% sob,.. todos o valonJ.na
A«matura

UP
recebidos da Secretaria"; QUE o Interrogando perfi
SecretArio sabe?, tendo GIOVANI tll$pondldo com s/nal positivo

RA
com polegar; QUE após essa gesticulação, GIOVANI tocou no
assunto dOs valores já recebidOs na gestlo 2015, solicitando 5%
do que a emp,..sa PANAMERlCANA tinha acabado de receber em

RI
relaÇlo a medição de obras da SEDUC; QUE de Imediato, o

LA
Interrogando disse que nllo concordava com o valor cobrado,
tendo GIOVANI dito: ''tem que pega"'; QUE indignado com essa

DE
sltuaç/Jo, o Interrogando foI tentar uma agenda com o Secretário
PERMINIO PINTO; QUE inicialmente tentou agendar com

:36 AN
PERMiNIO PINTO, através de secretérla DÉBORA, mas demorou
cerca de um a dois meses para conseguIr, insistentemente, uma

:46 C
o data; QUE na dafa agendade, acreditando ser no Inicio do

14 E S
segundo semestre, no per/odo vespertino, deslocou até o
gabinete do Secretário PERMINIO PINTO, permanecendo na /lnte
8 - IN
sala do gabinete; QUE após esperar por alguns minutos, a
01 OL

secretária DÉBORA, após retomar de dentro do gabinete do


Secretário PERMINIO PINTO, diz para o interrogando que "o
0/2 AR

Sec,..térlo MO poderá etende-/o, e que procurasse FABIO


FRlGERI"; QUE O Interrogando não antecipou o verdadeIro
9/1 - C

assunto, mas disse que se tratava de obras; QUE o Interrogando


esttllnhou essa atitude do Secretário, pois antes do FABIO
FRIGERI ter lhe enttllgue o bilhete amarelo, era muito ftlcll
: 1 30

agender uma reunlilo com o Secretário, em curto espaço de


Em 8579

tempo; QUE quer deixar ressaltado que após esse pedido de

o G/OVANI nllo conseguiu ter acesso com o Secretário PERMINIO


PINTO, somente em uma ocas/lia quando estava junto com o
11

Presidente do e outros empresárIOs; QUE


SINDUSeON
afendendo ao que foi mencionado por DÉBORA, o Interrogando
65

foi até a sala de FABIO FRIGERI, oportunidade em que disse qlli>


foi converssr com G/OVANI GU/ZARDI, conforme Indicação deie
r: 0

(FABIO FRlGERI) e que GIOVANI teria lhe solicitado uma


vantagem Indevfda de 5"-' para trabalhar na SEDUC, e que diante
po

dlsso 7 tentou várias vezes uma agenda com o Secret'rlo


PERMINIO PINTO, nlo sendo atendido até o presente momento;
sso

QUE o Interrogando Indagou 11 FABIO FRIGERI, se aquele


percentllal de 5% cobrado por GIOVANI para trabalher na SEDUe
pre

era ver/dlco, tendo FABIO FRIGERI dito


Im

Rua 4, siri'. EdiflciQ Anexo 1- ProcwadorioGernJ <k Justiça. Cuiab


122del39 •
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
de Contra o Crime
atendido, ocasião em q<HI FÁBIO FRIGERI slnlalt.,o~ com

PP
4ina
cabeça de forma afirmativa; QUE diante d8Ue

AU
interrogando deduziu que esse pércentIHIl de 5% cobrado por
GIOVANI era de conhecimento tanto de FÁBIO FRlSERI, quanto

IR
do SecretArio de Educaç.to PERMINIO PINTO: QUE o
Interrogando então procurou novamente GIOVANI péra discutir o

AR
pércentual de 5"A que deveria ser pégo nas próximas medlçóes,
e ressaltar que não concordava em pégar os 5% sobne os valones

L
que Já tinha recebido nas medições anteriones no ano de 201'5;

DE
QUE essa reunlilo possivelmente, ocorreu no Ediflcio Avant na
sala 1602, situado na Av. Miguel Sutil, próximo ao trevo do Santa

:36 AN
Rosa; QUE GIOVANI foi netlc:ente em manter o percentual de 5%


mas pélo fato do Interrogando ter mencionado que outros

:46 C
empresários também estariam Insatisfeitos e não concondavam

14 E S
com esse percentual, o próprio GIOVANI sugeriu ao Intenrogando
que marcasse uma reunião com esses empresários;
8 - IN
(. ..) QUE dias após, GIOVANI faz contato com o interrogando,
o interrogando comparecesse no escritório da Avant;
01 OL

solicitando que
QUE G/OVANI disse que conseguiu reduzir de 5% para 3% o
0/2 AR

percentual de vantagem indevida a ser cobrado, e que naquela


ocasillo também entregou ao interrogando, de forma espontánea uma
9/1 - C

lista contendo oerca de quinze a vinte obras de construçllo e/ou


reforma de escolas que iriam ocorrer na SEDUC, mencionando a
descrição de cada uma delas, a cidade e o valor; QUE G/OVANE
: 1 30

menciona ainda que nllo teria interesse em ficar com nenhuma


Em 579

dessas obras, mas que teria um 'projeto volante", que seria em tomo

• de R$ 7.000.000,00 (sete milhOes), que seria da empresa dele; (. ..)


QUE embora nllo constasse na lista de obras apresentadas por
18

G/OVANI, o interrogando, através da empresa LUMA, sagrou-se


51

vencedor da licitaçllo para a reforma de piscina e refeitório em u~


escola estadual na cidade de Rondonópo/is, com valor de R$
06

300.000,00 (trezentos mil reais aproximadamente; QUE no dia


23,11.2015 o interrogando recabeu a primeira mediçllo dessa obre de
r:

Rondonópolis, e conforme havia sido imposto por G/OVANI no dia


po

26.11.2015, o interrogendo realiza um saque no valor de R$ 5.000,00


(cinco mil reais), e entrega o percentual de 3% (correspondente a
sso

aproximadamente R$ 4.800,00), á ele (G/OVANlJ; QUE apresenta


nesta opottunidade, o extrato bancário da conta corrente da empresa
pre

LUMA do Banco ItaO agência 1689, conta 32456-2, do mês


novembro de 2015; QUE essa entrega foi real'
Im

escritório no ediflcio 7.
Ru.a4, sinO, Edifkio An~o t - Procuradoria Geral de Justiça, C .
123de139
~NISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE ~TO
de Contra o Crime

LU~na

PP
Contribuindo com a declaraçao do
FERNANDO, na f. 4683 foi juntado o extrato bancário referente ao mês de nhll'êl'i'!

AU
de 2015, constando a entrada de R$ 159.321.18 (cento e cinquenta e nove mil,
trezentos e vinte e um reais e dezoito centavos), bem como o saque de R$ 5.000,00

IR
(cinco mil reais).

AR
De mais a mais, ao ser indagado sobre as declarações do

L
DE
empreiteiro LUIZ FERNANDO a seu respeito, o empreiteiro ESPER HADDAD
confinnou que realmente foi questionado por aquele se conhecia GIOVANI

:36 AN
GUIZARDI, bem como de ter ido na companhia de LUIZ FERNANDO no escritório


de GIOVANI, onde ali o ultimo solicitou vantagem indevida. Vejamos:

:46 C
14 E S
"QUE perguntado em relaçllo ao seguinte trecho do depoimento de
8 - IN
LUtZ FERNANDO DA COSTA RONDON: " QUE o interrogando
01 OL

questionou ao sau sogro ESPER, se conhecia um tal de GIOVANI da


DINAMO, tendo o seu sogro ditO que se for o GIOVAN/ GUIZARDOI,
0/2 AR

eu o conheço do meio social; QUE diante disso, o interrogando pediu


pere que seu sogro ESPER, lhe acompanhasse até o endereço
9/1 - C

indicado por GIOVANI, sendo no Coxipó, na empresa de GIOVAN/;


Que chegando na sede da Empresa DINAMO, o interrogando,
: 1 30

juntamente com seu sogro ESPER, foram prontamente atendidos por


GIOVAN/; QUE GIOVANI estava em sua mesa, e após cumprimentar
Em 579

• o interrogando e seu sogro ESPER, antregou 80 interrogando um


aparelho tipo tablete, contendo os seguintes dizeres: "a pertir de
18

agora, será cobrada uma taxa de 5% sobre todos os vaJotils


,
recebidos da Sacretaria': QUE o interrogando perguntou: " o
51

SecreMrio sabe?, tendo GIOVANI respondido com sinal positivo com


06

polegar; QUE após essas gesticulaÇllo, GIOVANI tocou no assunto


dos valores já recebidos na gestaó 2015, solicitando 5% do que a
r:

empresa PANAMERICANA tinha acabado de receber; QUE ficou


po

evidente para o interrogando que GIOVANI tinha pleno conhecimento


do que a empresa PANAMERICANA tinha acabado de receber em
sso

relaçllo a mediçao de obras da SEDUC; QUE de imediato, o


interrogando disse que nao concordava com o valor cobrado, tendo
pre

GIOVANI dito: "tem qua pegar;', respondeu que confirma as


alegaç6es apresentadas por LUIZ FERNAN
11
Im

Rua4.sln.,.Edif1ciOAfJe,cOI-ProcUradori8GeraldeJUSliça,c"U;iAb6:::::~==:!=~FoneIF~~~;::3;;;6'~_
I24de139 ':: • .
'~'6::22-:r/ ~.
(/
-' /
/'"
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
de Contra o Crime

~na

PP
Assim agindo, GIOVANI BELATTO GUIZARDI
prática do delito de corrupção passiva.

AU
Consequentemente, o acusado ALAN AYOUB MALOUF

IR
deve também sofrer as sanções criminais previstas a prática do delito de corrupçã.o

AR
passiva, uma vez que a atuação de GIOVANI BELATTO GUIZARDI foi propiciada e
se deu sob o comando de ALAN, que foi o responsável pela tratativa junto a

L
DE
PERMINIO PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de
Mato Grosso à época do fato, de inserção de GIOVANI como operador do esquema

:36 AN
illcito em desenvolvimento dentro da SEDUCIMT de solicitação e recebimento de


vantagens indevidas, sendo certo também que ALAN MALOU F seria destinatário de

:46 C
farta fatia da propina eventualmente recebida, como se viu provado no tópico
referente a organização criminosa.
14 E S
8 - IN
3.18 Empreiteiro Luiz Carlos da Silva (fato 19)
01 OL
0/2 AR

Narra a denúncia que em data Mo precisada


compreendida no segundo semestre do ano de 2015, no Municipio de Cuiabá,
9/1 - C

Estado de Mato Grosso, PERMINIO PINTO FILHO, à época ocupante do cargo de


Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso, FÁBIO
: 1 30

FRIGERI, à época ocupante do cargo em comissão de Assessor Especial I, da


Em 579


Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso - SEDUC/M)",
e WANDER LUIZ DOS REIS, à época ocupante do cargo em comissão de
18

Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, da


51

SEDUC/MT, por intermédio do particular GIOVANI BELATTO GUIZARDI, em razão


dos cargos públicos que ocupavam, previamente ajustados, voluntariamente e tendo
06

o dominio funcional do fato, com a concorrência de ALAN AYOUB MALOUF,


r:

solicitaram, para si ou para outrem, vantagem indevida de LUIZ CARLOS DA SILVA.


po

Conforme já narrado alhures, à época do fato, PERMINIO


sso

PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 01312015, publicado no Diário O~cial de Mato
Grosso em 02/01/2015 (n. 26447), ocupava o cargo de Secretário de Estado de /
pre

/~
Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso, ao passo que FABIO FRIGERI, pa ;
(
Im

força do ato n.· 13012015, publicado .. . Ide at Gro

Rua 4, sln", Edillcio Anexo \-I'rocuradoria GeTal de Justiça, Cuiabá· oneIFax )613.\ 22
125de139

~(====~~~a
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS m
.J~Yara rime
Grupo de Atuação Especial Contra o Cr~e Organizado - 40
"
1210112015, ocupava o cargo de Assessor Especial I, Nfvel DGA-2, da SE )uc~n..

P
UP
prestando assessoria direta na Secretaria de Estado de Educação des", u1s;J'g'tura
janeiro de 2015 (vide anexo I, do Decreto n. 2.39812014 e Decreto Estadual n.

RA
233(2015), da mesma forma que WANDER LUIZ DOS REIS, por força do ato n.
56312015, pUblicado no Diário Oficial de Mato Grosso em 2810112015, ocupava (,

RI
cargo em comissão de Direção Geral e Assessoramento, Nfvel DGA-4, de

LA
Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, da

DE
Secretaria de Estado de Educação - SEDUC desde 28 de janeiro de 2015.

:36 AN
De acordo com a denúncia, 1)0 ano de 2015 a empresa

• CONSTRUTORA SANTA IN~S, de propriedade de LUIZ CARLOS, possuia contrato

:46 C
14 E S
administrativo de obra pública (aqui entendida em sentido amplo) firmado com o
Estado de Mato Grosso e atrelado à Secretaria de Estado de Educação, Esporte e
8 - IN
Lazer o qual se encontrava em fase de execução.
01 OL

Assim, em razão da finalização de parte da obra


0/2 AR

contratada, em data indefinida compreendida no segundo semestre do ano de 2015,


LUIZ CARLOS DA SILVA compareceu na sede da SEDUC/MT a fim de tratar a
9/1 - C

respeito do recebimento dos valores a que sua empresa tinha direito, oportunidade
em que foi atendido por WANDER LUIZ DOS REIS, que o encaminhou para FÁBIO
: 1 30

FRIGERI, sendo que este, com o conhecimento e o aval de PERMINIO PINTO


Em 8579


FILHO, determinou que Luiz Carlos procurasse pela pessoa de GIOVANI BELAITO
GUIZARDI para discutir o assunto, tendo entregado a ele um papel contendo um
número de telefone e afirmado que se ele não procurasse por GIOVANI não
11

receberia seus créditos relacionados à SEDUCIMT.


65
r: 0

Segundo consta, seguindo o comando de FÁBIO


FRIGERI, Luiz Carlos da Silva foi até a sede da empresa DINAMO, de propriedade
po

de GIOVANI GUIZARDI, para o fim de reunir-se com este. Na ocasião, exercendo as


prerrogativas de "secretário de fato" que lhe foram por PERMINIO investidas,
sso

GIOVANI entregou a LUIZ CARLOS um dispositivo digitál do tipo tablet em CUja~ela


constava a inscrição "cinco por cento", bem como gesticulou com a mão abe ,
pre

apontando o número cinco, dizendo, em seguida: "lá quem manda é nóis


Im

govemador não manda lá" (sic). .

Rua 4, sina, EdiflcioAncxo 1- ProcuraOOria Gerol de Justiça, Cu'


I 26dcl 39
4/
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
de Contra o Crime

PP
As imputações feitas na denúncia, encontramn .j~:~~~.J
nos autos, sobretudo do depoimento do empreiteiro, que afimnou para os C

AU
de Policia e Promotor de Justiça no dia 28 de julho de 2016, na sede do GAECOIMT
que GIOVANI GUIZARDI solicitou propina consistente no percentual de 5%, como ;) 3O

IR
se vê a seguir:

AR
• é proprietária da 9mpresa Construtora Santa Inês, com sede na Ru
8arao de Malgaço nO 70, ecliflcio ~tica, sala 102, nesta capital, com

L
telefone (65) 3322·6271; QUE o contrato social da 9mpresa ê

DE
formado pelo declarante e sua esposa ALESSANDRA CRISTINA DA
SIL VA BAISER, com peroentual de 50% para cada sócio, sando qua

:36 AN
a administraçAo da empresa, compete ao declarante; QUE possui


contrato em andamento com a SEDUC, sando: 1) contrato n°

:46 C
14412013 em Agua Fria, no municlpio de Chapada dos GuimartJes,

14 E S
com valor aproximado de R$ 668,000,00; 2) contrato nO 047/2014 em
Campo Verde, no valor aproximado de R$ 906,000,00; QUE as obras
8 - IN
mencionadas no item nO 01 já foram 9ntragu9s, contudo ainda nlJo
01 OL

recebeu todos os valores devidos das mediç/jes; QIE as obras


referentes ao contrato item no 02 já astIJo em fase de finalizaçtJo;
0/2 AR

QUE no segundo semestre do ano de 2015, o declarante esteve na


SEDUC, a fim de receber os valores devidos as mediÇ(jes das obras
9/1 - C

dos Contratos vigentes, sendo atendido pelo servidor WANDER; QUE


WANDER orientou o declaranteâ procurar o sarvidor FABIO
FRIGERI, que entao, FABIO orienta o declarente para procurara
: 1 30

senhor GIOVANI GUIZARDI, e para tanto entregou um papel com a


Em 579

sa


anotaçlJo de um número de telefone, dizendo einda que o
nao procurasse GIOVANI GU/ZARDI, nlJo receberia da
declarante
SEDUC; QUE o declarante esteve no escritório de GIOVANI
18

GUIZARDI na empresa DlNAMO no Coxipó, juntamente com sau filho


51

STAN ROGGER BIASER, contudo não foi atendido, pois GIOVANI


GU/ZARDI ntJo estava; QUE em uma segunda oportunidade, não
06

se I'8con/ando a data, o declaranta estave no escritório de


G/OVANI GU/ZARDI, o qual nlio ara de muitas palavras, e nessa
r:

oportunidade G/OVANI apenas entnlgou um tableta ao


po

dec!srtlnte, onde estava escrito 5% gestfculando com a mio 5%~

e dIzendo em seguida, com certa arrogám:la: "lá quem manda é


sso

nóls, o governador nllo manda lá"; QUE o declarante náo aceitou a .4


proposta de GIOVANJ, entIJo voltou ne SEDUC, procurando o / /
pre

servtdor WANDER para fazer a danúncia da cobrança da p r o tj,'


Jin
quando entilo, WANDER lhe disse que ele e FABIO RIG

=,/
Im

estavam Juntos, QUE no la 15, d ran uma visit n s ras

Rua4,sJrf. EdUicioAnexo 1- Procuradoria Gemi de Jusuça, C1.lIobtJ·MT - foneIFax 613.16


127deJJ9 /
,,< ~ '. '.

MtNISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS~~-4--~


L~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~9·Bv~.~~~nm2e
Grupo de Atuação Especial Contra o Cr~ Organizado -

PP
de Agua Fria. no municlpio de Chapada dos Guim8f1jas. o
conversou com o Governador do Estado. PEDRO TAQLJES~~tu!,!r.~-a-.J

AU
tantativa de entregar um oficie. dizendo que estaria com dificuldades
nO recebimento das madiçOes; QUE na ocasiao o Govemador.

IR
PEDRO TAQUES. estava acompanhada de FABIO FRIGERI e
PERMINlO PINTO; QUE O declarante conseguiu falar com o

AR
Governador do Estado. PEDRO TAQUES. dizendo que estaria com
dificuldades em receber suas mediçOes e que precisava dos valores

L
para e conClusao das obras; QUE o Governedor PEDRO TAQUES.

DE
e os pagamentos eram da gestao anterior. e
explicou que as obres
que o documento que o deClarante queria entregar ao Governador.

:36 AN
devaria ser entregue na gabinete de Governadoria; QUE o


Governador, PEDRO TAQUES solicitou ao Secretário de Educaçã<> .

:46 C
PERMINIO PINTO. que efetuasse o pagamento do que é devidO ao

14 E S
declarante; QUE mesmo assim a empresa do declarante nao recebeu
os pagamentos que lhe eram de.vidos; QUE provavelmente em
8 - IN
meados de outubro do ano de 2015. o declarante foi até o gabinete
01 OL

do Governador para tentar uma audiência COm ele. e que lá chegando


foi recebido pelo Secretário Adjunto. WELLlNGTON. ocasiSo em que
0/2 AR

relatou a mesmo que. além da nSo estar recebendo os valores das


mediçOas que lhe eram devidos. estaria sendo pressIOnado ti pagar o
9/1 - C

percentual de 5% sobre os valores à pessoa de GIOVANI GUIZARPI


da empresa DINAMO. e que estavam envolvidos nO esquema. Os
servidores da SEDUC. WANDER e FABIO FRIGERI; QUE o
: 1 30

Secretário Adjunto. WELlNGTON. orientou o deClarante á procurer o


Em 8579

Gabinete de Transparência e Combate à Corrupçao; QUE esteve no

• Gabinete de Transparência. onde formalizou sua denúncia para


ADRIANA VANDONl; QUE dias após. foi intimado pela Delegacia
11

Especializada am Crimes contra a Ordem Tributária e Administraçao


Pública. oportunidade em que prestou deClarações sobre os fatos;
65

QUE nSo pagou qualquer vantagem à GIOVANI GUIZARDI ou outra


pessoa; QUE se afastou dos fatos ora menciOnados para Mo
r: 0

prejudicar as investigações. (fls. 564015642).


po

Assim agindo, GIOVANI BELATTO GUIZARDI incorreu na


so

prática do delito de corrupção passiva.

it
s

/
pre

Consequentemente, o acusado ALAN A YOUB MALOUF (


deve também sofrer as sanções criminais previstas a prática do d lito de co p o
Im

passiva, uma vez que a atuação de GIOVA~ ZA DI i prop . da e /


Rua 4, s/n", EdificlO Anexo J - Procutadmia GerBl de JUStiça, Cuisbá-MT oneIFax 361 J- 22
128de139 '..
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
de Contra o Crime zado -

se deu sob o comando de ALAN AYOUB MALOUF, que foi o r.... nn"..,j'v..1 peii na

P
UP
tratativa junto a PERMINIO PINTO FILHO, Secretário. de Estado de
Esporte e Lazer de Mato Grosso ã época do fato, de inserÇilo de GIOVANI como

RA
operador do esquema ilícito em desenvolvimento dentro da SEDUCIMT de
solicitação e recebimento de vantagens indevidas em razão dos cargos pÚblicos

RI
ocupados por PERMINIO, FÁBIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS REIS e MOISES

LA
DIAS DA SILVA, sendo certo também que ALAN MALOUF seria destinatário de farta

DE
fatia da propina eventualmente recebida, como se viu provado no tópico referente a
organizaÇilo criminosa.

:36 AN

4 - DA FIXAÇÃO DA PENA

:46 C
Muito embora seja funÇilo deste d. Juízo ã análise da

14 E S
culpabilidade, antecedentes, conduta social, personalidade, motivos, circunstâncias
8 - IN
e consequências do crime (art. 59, do Código Penal), este Órgão Ministerial entende
ser necessário tecer algumas considerações sobre elas, tendo em vista a gravidade
01 OL

concreta dos crimes perpetrados pelos réus.


0/2 AR

A priori, cumpre destacar que os verdadeiros prejudicadOi>


9/1 - C

pela aÇilo desse organismo criminoso que se instalou no funcionalismo estadual é a


populaÇilo mato-grossense, Que vem sofrendo há muitos anos com gestões
: 1 30

corruptas e ineficazes, notadamente as criancas mais pobres e carentes ainda em


Em 8579


fase de formação inteleclual .

No caso em tela. esludantes, professores e diretores. se


11

viram diante de uma barbárie e inegável descaso com a educaÇilo pública. Obras
65

foram paralisadas. creches na iminência de serem finalizadas tiveram que ter as


r: 0

obras suspensas, e como consequência. crianças e jovens ficaram sem escola. E.


inexistindo local onde deixar seus filhos. pais/mães liveram que deixar seus
po

empregos para cuidar de sua prole.


sso

Corroborando a afirmação, e fazendo cair por terra


qualquer tese em sentido contrário. colacionamos algumas reportagens colhidas
pre

intemet sobre a precariedade das escolas de


Im

Rua4. s/r!. EdifTcio Anexo 1- Prrn..-uradoria Geral de Just·


129de139 '::::::-=::==~~~~:;:;;;Z~
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS~"",\-=-:-:-+-:-c----'
.... • . 7 a Var; Crime
Grupo de Atuaçao Especl.al Contra o Cr1.llle Organl.zado - 44
I
dezenas de reportagens encontradas, mas apenas algumas poucas estllh sem:ldl na

P
T

UP
Assinatura
colacionadas para não tornar cansativa a exposição. Vejamos:

RA
RI
LA
Doze escolas de MT não iniciam ano

DE
letivo de 2015 por situação precária

:36 AN
SecretâriQ de Educação inrormou que obras deverão ser fui1as nas escolas.
Mais de 300 mil estudentes voltam 8s aules nesta segunda (9) em MT


:46 C
14 E S
Os estudante, ~ r~ estadual de ensino '. :,. ...:. ~ ,
VOltam às auliK nesta segurm.1ei7a (9)
Aproxrnadarnenlr J62 mI alunos es1.kJ
matricuLados NlS 746 escda~ de ensino
8 - IN
l\JncIarnental ~ rt'lédIo da reoo 1'$1õJ(fua1 00
Mo> Grosso e aplOS p;n. o ano lettW de
2Q1!) Porém,12esoo1asn1kldcwm
01 OL

1e\0fTIiW as ate ~ can;tiçl)es preUltias lIndno de a_


mon.
em que se f':flCOO1ram. A contrmaçlkl foi ~., .otIIrr.... por
mIho ... _IIo._
feit.s hoje pelosecmanoestadual de
Educaç30. Pennlnio Pinto
0/2 AR

( http://g1.globo. com/msto-grosso/not ic iai2 O15/02/doze-escolas-de-mt-na~in ici am-ano--Ieti vo-de-20 I 5-por-


situacao-precaria.htm I)
9/1 - C
: 1 30

SóNoticias·
Em 8579


11

Em MT, 80% dos municípios não têm estrutura adequada para


65

esporte na escola
r: 0

'...en::iI ele 80% dos municípIOS ma1o.'9'~~~ Mo t)l'efe(elrl ~tluluril f.l'l'ila prauc.a de e5pQfle~ ~s
..
po

eoscolllls póblttas, Isto ê (I que revela c e5l11ÔO Supt(!~nlo de Espo"~ do Perfi! tkts EstadO$ e Munklplos
f!.A'IIIr.,"" 7016, divul9ltdo~1o In~uto R..-Ilo:"o de Otoogr.tna e f.!'õIIlU:'Illr.a (m~F) Dos 1.1 munlr,lpio:K.

--"'"""'---..... _-...
de Mato Gro$!IO apenas 3D, 00 seja 21,3%, respollderc!m ter algum cqullamento espor1ilfo tMdo fIõI ÚlTimas Notkl8S

_
pesqutsa. São 24 gmáSIOS, 12 tampos de futetlOl. 6 plSclna'j, e uma pISta de aHeTlsmo
sso

~-~-_
A ~Iil ~ M!I1o Gmsso ~ pio!' que a nacion1!I, ih qlle de OC0l110 tom o C:<IIld<:l, <1ft o ano ptl.!oS.lOo. 21%
dOll 5,510 munj!;i(ilOS bnt91telms UOllarT'l csc.oIa!i com flS$CS equiparrn:mo,> eo;.f)Of1lvOS ScglJflOo 0,
presidente dO SirldIC31Q l1O<; Tr3balfHI.00I!'!$ no EnSI1IQ püt«.o de M.110 Gros:;o (Smt~l. [lIl)1essor
HeflI1q\Ie Lopes, o resullaóo ~ sUtpreenc2e Já que a lI.1ea da edtK~.1o 11~ vem Sf!fIdo tr.alada como
"~---_

..
__

.....- --
... _

...
~_IID

. . . &itsoo> _ _ ____

....
pre

prk:KldaoE'. -Aeo:kK~Ao riSk:a faz parte dO CtlHltuto ('..$colal tJos eSlutlanles, P.1a nao ~U ali poi at.8S0 . _-~­
ajuda no <Jesen\lotvlmento (orpaiat e motor aos allmos, além oe f.olaOOrar (om a prAlir:a da torwtvêncla ~~~""

enkeos
Im

i
~. 0de.4 1.d<.JUS.tilÇ8.i~ ~ ~; ;~:~ ~ ~ ~ ~ ~ :~ :~J~ ~:.~/c~.U /
Ed

•••••••• •.".t.;.9.• .flC.i.O.Anex


••O.'.-."'.O."".'ad.on•.a.Geno
••
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE ~TO
de Contra o Crime zado

PP
AU
Alunos estudam em escola em ruínas

IR
em MT após início de demolição
t: .. t<Jla e..,.t;>tou ..... i!'m
G~cer~~,. t.<.>nt.21 com <nal~ f1(o' tu ~--'hm(' ...
~ol...lu(; "d"rrn.c;'u 'lll(" otJr~. 1.8fOI) f!f>ÓlI <::r"J)":.':;;:'I ilD.itn.:I""lõf' tH:Nlç(~.

AR
-.,._ .....
0..0''''" Ms

L
-_

DE
---------
....................

:36 AN
_o f..,. _
.. t,_ • . -_
,·,.1··"'...
. . . . . . . . . . . . , , " ' _ .... _ _
MIJ• . , . .. o..w..

:46 C
Dono. _ . ._ a&o _ _ • • _

14 E S
_ ....... I.,tr _ _ . . . . . . . _ .....
_.tt.oa_ •• _ ...........
8 - IN
E~w;;;"Ob;;; de c:onstr1.Jo;lo de uma Nova Cicents, em Càtems, a
220 ~1Ometr0!l 00 Culat>ã. estj pmaCSa, mais de 70 alunos astuOam em uma uniaaae com
~ em rui!"laS. pareOe$ rachal2as e f~loelélnc:a.~ O 00\10 J)flÍdt:toaEscda
01 OL

ES'taI!u;iI Mino OUflK) E~o HerYy estava ore'Mto para ser entregue em 2011. rna9 a obfa
o&Sti parada. Para a'c~lode9sa esc.oIa.lOI~ oarte da ~ onde as Ibbs
(:Qr1tinuam &IIf1OO minI5trlIda até rlOj&
0/2 AR

fio. obra estava ort;ada f!f1"I RS 1, ~ mIh30

~ cio govemo teder.Il A 5etf'8ta1la 00


Educa.;,êo cXJ Emado ($eckK) inf()'mOU 310 G1
9/1 - C

Que o ~o foi paralltlado ap6s li ~


QOO hõlllIia ...encldo a Ikltaçào lEI" abandonado a
obr.a DOI' P"Oblo'J1as ooorao:Jrtllis

Contocme a Sedui:, foi dadO pnuo p;II'9 Q'.Ie 8 ~ mtomas5a a obra, ma'$ eomo flIo o
: 1 30

tez, o corfr~ roIlnV1'QflIptclo em 201 Z. No entanto. .a ~llJtiIna af'\rTTIDu cwe fOIl!!lla UI'f13
.w-';Io etc Que j/I haVia e.ido cCll"l5truldo e aberto nr;MI processo 'cIbltOrlo. A orevelo fi QUI! 8
otn se$a conclUiOa este ~
Em 579


o pr.aenm aa 8$~àod8 JT'IO!adoresclo di51rItD, ~ WaóOInl, d~ QUe como não
Cabem todOs 00 alunos na parte <oI:xlda da e9tOl.i!I, muJtoo do ~ ao I\tar no reiefltO.

--
"'Chow lá denlTo. o bõJnheirO ~ nonivel. não 1'unt.iona. TUI1Q muiJr) PfO(tKlO~. re1;~. SClo}I.trIdO
EI4e, 16m....-as goIatras nas duas 5atas da aum da escola, QlI9 também rOO tem nenhum
18

As iIUIas na unidade- ~ ~ nos P9Óoctos fllatl.ItIOO e VêSOOItIno. oca ,. série atê o


êMino miIdio. ~ .. ~ goo fammas 00 dI:stJUo, IocHIIdo a a~ 60 QUilômetros
51

de Ckefes, d<J~ "CleSdII.2Il!Xoque- os ~ft1Ud.am Q8Mo JlHto'",a.darnouo


")
r: 06
po
sso
pre
Im

Rua 4, "r<'. Ediflcio Anexo 1- Procuradoria GemI


I3ldeJ39
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO

PP
Nesse contexto, é válido lembrar que a A, é uPi'\.na
direito consagrado pela Const~uição da República Federativa do Brasil, """''''l,j' QUQ

AU
como um direito fundamental/social do individuo, conforme preleciona o arts. 6.0,
205,227, todos da Magna Carta de 1988, in verbis:

IR
AR
Art. 6· SAo direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o
trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência

L
social, a proteção à maternidade e â infancia, a assistência aos

DE
desamparados, na forma desta Constituição.

:36 AN
Art. 205. A educação, direito de todos e dever do Estado e da famllia,


será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade,

:46 C
visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o

14 E S
exerclcio da cidadania e sua qualificação para o trabalho.
8 - IN
Art. 227. E dever da famllia, da sociedade e do Eslado assegurar à
criança, ao adolescente e ao jovem. com absoluta prioridade, o direito
01 OL

á vida, á saúde, â alimentação, á educação, ao lazer, á


0/2 AR

profissionalização, á cultura. à dignidade, ao respeito, à libendade e 11


convivência familiar e comunitária. além de colocá~os a salvo de toda
9/1 - C

forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade


e opressao.
: 1 30

Destaca-se que a Educação, em sentido ampla,


Em 579

• abrangendo a estrutura de escolas, professores, servidores, dentre outros itens que


possibilitam uma educação de qualidade, é custeada por todos os entes federativos,
18

através de valores recebidos em consequência do pagamento de tributos.


51

Desta feita, sem dúvidas, os verdadeiros mantenedores


06

da educação, são os cidadãos brasileiros, que todos os dias saem de suas


r:

residências e vão à luta, trabalham arduamente para conseguir prover o sustento de


po

suas famUias, e "contribuem" com o Estado através do pagamento dos diversos


tributos existentes em nosso país. Isto é, os atos praticados pelos réus atentaram
sso

contra toda a sociedade brasilei ra.


pre

o nobre desembargador Rondon Bass'


Im

Tribunal de Justiça do Estado de Mato cho do

RWl4, slo-, Ediflçio Anexo 1- Procuradoria Geral de Justiça. Cuiabá-.MT

I 32del39 c::::::~~ª~~§~~;;;
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
de Contra o Crime

P
Procurador de Justiça, ao julgar o mérito do habeas corpus n.o
desmlanteIJb~~~~

UP
impetrado em favor de MOISÉS, um dos envolvidos no esquema
a deflagraçiio da operaçiio Rêmora, com maestria afirmou que: 593

RA
·0 fato de o paciente e demais agentes do crime. em tese. terem se organizado

RI
para desviar o dinheiro destinado precisamente à area da EducaÇllo. a mais

LA
transcendente e uma das mais carentes de recursos financeiros cobra reflexQo. A
situaÇllo de nossas escolas. de um lado com crianças privadas de merenda de

DE
qualidade e de transporte. e de outro. professores, com baixos vencimentos e
péssimas condiçOes de trabalho, graças ao histórico descaso dos governantes.

:36 AN
parece nSo ter sido SufICiente para deter OS passlveis criminosos na sua sanha
egolstica. A gravidade desses crimes intelectuais. escusado seria dizer, nSo reside


:46 C
no aspecto exterior, das açOes em si .. nQo violentas. sutis mas especialmente no

14 E S
elemento anlmico, no grau de insensibilidade moral de seus agentes; embriagadOS
pelo vil metal, sem freios inibitórios, parecem nlo medir consequências de seus
8 - IN
atos. contribuindo para a per,petuaçao da miséria da populaÇllo mais carente e
indefesa, ..
01 OL
0/2 AR

Vê-se, portanto, tratar-se de situaçiio que vai muito além


de afronta aos princípios da administraçiio pública, de desvios de verbas públicas e
9/1 - C

fraudes em licitações. É, na verdade, verdadeiro descompromisso, indiferença,


desdém com o povo, principalmente quanto aos mais carentes, e, mais ainda,
: 1 30

descaso com o pr6p'rio ser humano.


Em 8579

• Os crimes praticados pelos acusados e pelo organismo


criminoso do qual fazem parte são graves, pois atingiram toda a coletividade. Foram
11

praticados às escondidas no seio da Administração Pública. É dizer, as


65

circunstâncias e consequências dos crimes praticados pelos réus são deveras


r: 0

desfavoráveis e repugnantes.
po

Foi possível observar que os crimes praticados pela


organizaçiio criminosa em questão têm no polo ativo pessoas de alto prestigio e
so

confiança dos agentes públicos que se utilizaram de uso de informações indevidas,


s

pagamento de propina, favorecímentos ilícitos, subornos e fraudes. São pessoa


pre

inteligentes, instruídas e de pleno conhecimento juridico, que têm se utili


Im

dessas notáveis qualidades para criar voltados dila idação

Rua 4, sinO, Edifkio Anexo 1 - Procuradoria Geral de Justiça, Cuiabâ·MT.


I33de139 ,
------.----------------------------------------------------------,

MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS m


7 a Vara rime
Grupo de Atuáção Especial Contra o Crime Organizado - c6: 48

patrimônio público em seu próprio favor e, decorrentemente, em prejuízo ( a clas~na

PP
Assinatura
..~
que mais precisa da atenção do Poder Publico.

AU
Neste caso específico, temos um engenheiro elétrico-

IR
EDÉZIO e um importante e influente empresário do Estado de Mato Grosso - ALAN

AR
MALOUF. São pessoas que tiveram e tem acesso à informação e oportunidades, as
quais são negadas a uma grande parte da população brasileira. Contudo, ao invés

L
DE
de se utilizarem desse conhecimento para o bem da sociedade, preferiram, por
vontade própria, saquear os cofres públiCOS e retirar dos mais carentes a

:36 AN
oportunidade de ter uma educação e vida de qualidade .

• Assim,

:46 C
14 E S
nota-se que as consequências dos crimE!S
praticados pelos acusados atingiram muito mais do que os direitos fundamentais
individuais. São verdadeiros macrocrimes9, pelo fato de atingirem as estruturas de
8 - IN
produção, circulação e consumo das riquezas do pais, mas acima de tudo afetam a
01 OL

primazia de interesses difusos e coletivos da sociedade.


0/2 AR

Os atos criminosos em pauta não causam impacto


9/1 - C

apenas nas crianças e jovens que estão matriculados nos anos que em que
ocorreram as ações delitivas, mas, também, nas futuras gerações, pois as ações
: 1 30

criminosas causaram uma devastação no Estado de Mato Grosso, espeCialmente na


Em 579


seara educacional relativa a infraestrutura escolar.
18

As consequências dos atos dos réus, ainda que reflexos,


51

ficam clarividente ao observarmos o desempenho das escolas públicas do Estado de


Mato Grosso frente às escolas privadas. Segundo consta em reportagem extraída do
06

sita G1, dentre as 100 (cem) escolas de Mato Grosso com maiores Indicas no Enem
r:

2015, apenas 13 são públicas, sendo que a primeira colocada entre as públicas está
po

na octogésima poSição. demonstrando o total descaso e má qualidade das escolas e


por consequência do ensino público. Veja:
sso

9 A macrocriminalidade ou crimes do ~arinho branco ou ainda as cifras douradas são os famigerados crimes
financeiros, aqueles perpetrados por organizações criminosas. as organizações enraizadas dentro dos 6rgao
pre

públicos principalmente nos autos escalOes, normalmente nao usam da violência para agir, mas as vezes faz
uso de violência principalmente para queimar arquivos. ou seja. aniquilarem aqueles que m (lS delat .
Im

Rua 4. sI~, Edifkio Anexo 1- Procuradoria Geral de Justiça. C . 7 13 622


134del39
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE ~TO
Contra o Crime

PP
Veja as 100 escolas de Mato Grosso ~~~
com maior"es médias no Enell. 2015

AU
IR
AR
OoGI MT

L
o Mínistério da Educação divulgou nesta Iefça-felra (4) os " " " ' _ por escola do Exame

DE
Nacional do Ensino Médio (Enem), de 2015. Veja as 100 escolas do estado de Mato Grosso
com as maiores médias MS provas Objetivas:

:36 AN
(~: nom de meias as escolas brasileiras)

""5 provas objetivas



Nome da escale (dclade' - . - de ensino - média

:46 C
14 E S
I - Cotéoio lsaac Newton (Cuiabá) - prtvada - 619,71
2 - Farina Sistema de EnSino (Cuiabá) - privada - 617,03
3 - Colégio Maló (Cuiabá) - privada - 614,34
8 - IN
4 - Colégio Regina Pacis (Sim>l') - privada - 606.00
5 -lnslillJto Presbilenano Educação Siroonton (Tanga';' da 5ena) - privada - 602,47
01 OL

6 - Centro de Educação Básica São José (Sorriso) - privada - 591,73


7 - Colégio La 5al1e (Lucas do Rio Verde) - privada - 591.3'
8 - Centro Educacional Plaget Ensino de'· e 2" graus (Lucas do RioVerde)- privada - 590.94
0/2 AR

9 - Colégio 5alesiano São Gonçalo (CUiabá) - privada - 589,93


10 - COlégio de Educação Básica Crislhiane Ast_ Dal Bosco (Sinop) - privada - 585,37
I' - Colégio Master (Cuiabá) - privada - 584.52
9/1 - C

12 - COlégio São Gonçalo (Juina) - privada - 579,79


13 - Centro Educacional Kl\aHI Zaher (Ron<loncipolis) - privada - 576.96
14 - COlégio NOIre Darne de Louroes (Cuiabá) - privada - 576,64
: 1 30

15 - Insblulo Madre Marta cerutIi (Barra do


Em 579

16 - Escola Ceneclsta HIIcJa Sbe.'Iger RIbeiro (NoVa Mutum) -po1vada - 575.20

• 17 - Escolinha 8IIy Gancho (NoIIa Xavantina) - po1IIada - 573.87


18 - Escola PresDCefIana oe Ma F10festa (AlIa Floresta) - po1vada - 571.58
19 - Colégio Mae daOMna Ploolóência (Pr1maVera dia~) - po1IIada - 571.56
18

20 - CCl!égio A/tIert e.nsIein (Jaclara) -privada - 566.64


21 - centro Educacional \IInIclus oe Motae& (SorrIso) - p(iv_ - 564.11
51

22 - Escola Dom Bosco (Jaciara) - p(ivada - 563.51


23 - Escola Ceneclsla santa EliSabete (SInop) -1lftvacIa - 563.!M
06

24 - Colégio _ (1lmgará <ta SemI) - P<IYac:\a - 561.48


25 - C8sintIa FeliZ Centro oe Ensino (Roo,dia"Opolls) - po1vada - 558.52
26 - centro ~'l8!Iiadio oe Ensino (elE) (ROlldia.lOpoIls) - prtvada - 557,25
r:

27 - CCl!égio Fato MaIs (CuIabá) - privada - 556.07


po

28 - Escola MoI_o Lobato (GuaranIlI dia Notte) - prtvada - 555.35


29 - centro caeanense de Edu<.açllo (Cáce<eS) - _ _ - 552.97
30 - Escola COrnunI1áfIa Educaçllo BásIca InteratiVa (Sarta <lo oarc;as) - ~ - 552.96
sso

31 - Escola ~ de EnsIno e CUltura (Taputa/l) - p(ivada - 5-'9,01


32 - Escola CoopeIcamp (Campo ve<dIe) - privada - 548, 14
33 -Colégio Ooraçiode.lesus (CUiabá) - priVada - 5-'7,31
pre

34 - Colégio Neo DNA (Cuiabá) - privada - 1>46.00


35 - centro lntegraOO oe EnsInO MêefIO ProgIesso (~Verde) - ~ - 544,77
Im
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROS:;>U-=-:-:-----l:--:----1 7 Vara rime
11

L.!!G~ru~po~~de~~A~t~u~a~ça~-~o~B~S1'pe~c~i!al.~C~o~n~tr~a~o~C:>r:!im~e~O~r:liq[!an~i~z~ad~o~-~~~l:6Jiso
r - ____________________~--------------------~--~--t_---A~na

PP
36 - Colégio AlIa Floresta Eouc:~ InfanIII (AlIa FIofea1a) - ~ - 544.11 Assi tura
37 - ColégIo Talas de MIeto (CtlapacIa CIOS Gulmlries) - I)I1vaGa - 543.46

AU
38 - Escola l.IVIa Porto Cuiaba (CUIabá) - ~ - 542.96
39 - Escola CasIIeIo Branco (MIfa5SOl D'oeste) - prIyada - 542.41

IR
<10 - Escola de EducaçAo Básica RUI BarD06a (Ãgua Boa) - PliYacIa - 542.25
41 - Escola de Educação Bá9lca Padre José de Anchlela~) -privada -542,04
42 - Escola Paftleuiar do lnsIlIuIo Santa MarIa (Cáceres) - privada - 540. n

AR
43 - ColégIo PIaget-8ess El8eIe Lt<Ia (Nova MUIUm) - ~ - 538.78
«- Escola PeQueno Prfnclpe (AltO A/'aglJaIa) - PI1vaGa - 537.20

L
~ - Escola Nova Pedagogia (Cuiabá) - PI1vaGa - 536.98
46 - COIéI\o Sale9lano santo Ant6noo (Cuiabá) - PI1vaGa - 535.54

DE
47 - Iaaaç Newton noturno e no CUIallá) - acIa - 534 36

:36 AN
48 - centro Educ8Ck>nal F'IImawra (PrIrnawm do l _ l - ptjvada • 533.55
49 - centro Educacional de Tangará da SeIra (Tangará da Serra) - privada - 531.88


50-Centro ~ado Educar (Lucas do RioVerdeJ' privada -531.01

:46 C
51 - Cd6gio Imaculada ConceIÇão (Cácefes) • prIVada • 530.22

14 E S
52 - -.to Luterano de Educaçã> do Parecis (~ NO'JO do Parec:is) • ~ ·529,52
53 - CoIêQIo Hal<ágono (~zal) - privada - 529.43
54 - CoIêQIo _ .."lISta de Cãceres (ctocetes) - po\Vada - .528.54
8 - IN
55 . CoIêQIo ~ de Sinop (SinopJ • prIVada. 527.64
56 - Escota cenecisla 13 de Junho (RoI'donópo!is) • Pflvada • 526.95
01 OL

57· SarBa,ota Leonor Barreto Franco (CUiabá) -pnvada - 525.34


58 • COIágIo AdVentista CPA 11 (Cuiabá). privada - 524,38
59 - Centro Educacional Maria Auldliadool (CUiabá) - Pflvada - 521.96
0/2 AR

60 - ColégIo f'IImeIroc Passos ê ê<1Ius (Várzea Grande) - Pflvada - 520.61


61 - Escola I\dventista centro América (CUiabá) -l"'iVada - 520,54
9/1 - C

62 • CoIêQIo InovaçIo (~do NoIte) - po\Vada - 520.39


63 - CdégIo Isaat Newton - maIuIIno Integral (Cuiabá) - privada - 518.90
64 - centro Educa:ionaIlnlegradode MaIupà (MalupáJ - privada - 517.93
: 1 30

66 - CoIêQIo VoIão (CoIider) - Pflvada - 517.41


66 - Escola PIaget de Diamantino (Oiamantino) - Pflvada - 515.94
Em 579

67 • -.to EOuc~ ICE Eirel (CUiabá) - Pflvada • 514.61

• 68 - Centro Educacional Santa Cruz (Barra do Bugre&) - privada - 513.90


18

69 - Cd6gio.-.s Maria José (Água Boa) - privada - 512,77


70 - EdutancImioAl)ertSabin (Sinop)- privaCla - 512,37
71 - SociêClade EduCacIOnal Maringã lida (Sinop) - privada - 512,36
51

73n --
Cdi!gio Fato Ooldsló (Cuiabá) - privada - 510.95
Cdi!gio 'IIlIIe CIo AraguaIa (\IIIa Rital-pnvada -
510.20
06

74 - centro Edueaoiorial (Cácel8S) - privaCla - 509.84

pnvada -
75 - centro E<lUcaciOnal QuaIro Marcos lida (510 José dos Quatro Man:os) - prtvacIa - 5011.10
r:

76 - CoIégIo.Jean PiageI ele SinOp (Sinop) - 5011.59


po

77 - COOpetativa de EnSIno Un~ Ooos Mil (Lucas CIo Rio Verde) - privaCla. 507.91
78 - ColégIo _ _ de RO"_lÓQOIis (RondonópoIs) - privada - 504.82

~~;;~iliC~~g;~;;~~;;;:liia:~-c~~-m73=m==~m=~~
sso
pre
Im

Rua4. sln~. E41Rcio Anexo 1- Procuradoria Geral de J 049-921 -~one/Fax 3613· 622
136de139
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
de Contra o Crime

P
81 - Instituto Várzeagrandense Educação (Várzea Grande) - privada - 501,82
82 - E~oIa de Educacao Básica e Profissional Fundação B<adesco (Cuiabá) - prtvada - ~~~$~~

UP
83 - E~oIa AClvenDsta Natalia de Pauta Arruaa (Cuiabá) -privada - 500,33
84 - Escola ~IC'_ NJza de Oliveira Pipino (SInop) - 1E! JlilllM - 499,47

RA
85 - Inslituto Educacional Nova Geração (Primavera do Leste) -privada - 499,03
86 - COlégio e CUrso Aptus (Cuiabá) - privada - 499,00
595
87 - Escola!Ell QlII Ramiro Bemarllo da Silva (Rondon6t>oIis) -Ol1iiG('íI' - 498,70

RI
88 - COlégio Educandário Jose de Anchieta (Várzea Grande) - privada - 498,57
89 - Colégio Adventistl Várzea Grande (Várzea Grande) - privada- 497,87
61'1"'"

LA
90 - Escola Cluefência (Queréncia) - [11 "'. - 497,86
91 - Escola trriilii' Jardim Unillersitárto (AlIa Floresta) - ~trIt'. - 497.58
92 - Escola FTm.ro A1bert Bnslein {Guarantã do Norte) - (iliifX. - 497.07

DE
93 - Escola Nova Dinâmica de Educação Bãsica (Sorriso) - privada - 496.94
94 - ESCola&í!lfilliál Major otávio Pilaluga (RoncJonópotis) - ii!itii!tt!IIIl- 496.31

:36 AN
95 - Escola MHitar Tiradentes (Cuiabá) - íi"(,JiIill- 495.69
96 - Escola lEítilili. Proll!ssora AIda Gawlinskl Scopel (Prtrnavera do Leste) - 'nli. - 495.11
97 - Escola '$]lIzr w Dom Bosco (Lucas do Rio \o\Hde) ~d! - 494.32


:46 C
1_ -
98 - Escola Jaiilifilij41 BromiIdo Lawisch (Ilanhangá) - Tlifllilliíl- 493.18
e-.'
14 E S
99 - Escola Eiljililil 13 de Maio (Tangará da SemI) - 492,96
100- Escola .~ Oscar soares (Juara)- 492.78
I.
8 - IN
01 OL

Na realidade. os crimes praticados são extremamente


graves, e o fato de não estarem inseridos no rol da L ei nO 8072/9010 não significa
0/2 AR

que não sejam crimes de hediondez latente. Inclusive, espera-se, que num futuro
9/1 - C

próximo o legislador ordinário se conscientize da necessidade de enrijecer ainda


mais o tratamento a ser dispensado àqueles que frustram o futuro das próximas
: 1 30

gerações, subtraindo da sociedade atual a esperança de um país seguro. de


igualdade e de oportunidades para todos .
Em 8579

• Com sorte, hodiemamente a sociedade vem percebendo


11

que o abandono e a falência das pollticas públicas voltadas aos menos favorecidos,
para dar-lhes alguma dignidade (como acesso á saúde básica, ao ensino de
65

qualidade e à segurança) é decorrência lógica dos desmandos dos gestores


r: 0

públicos, face à corrupção generalizada.


po

Aos poucos a sociedade, está se conscientizando de que


so

"coisa pública" não é "coisa de ninguém" e que a desonestidade na gestão dos bens
comuns deve ser exemplarmente sancionada, afinal dos gestores públicos e
s
pre
Im

10 Sobre o tema, vale lembrar Que existe p1:ro~·~~;~~~;o~n~a~~a~ra~d~osj:~~:ít


delito de organlzaçAo criminosa no rol de c~mes hediond /15).
Rua 4, s/rf. Editlc:io Anexo 1- Procuradoria Geral clt Just~ u,,~_~

137de139 .::;:::::::::::~~~f=~~::::=~==-\
MINISTÉRIO PúBLICO DO ESTADO DE MATO GROSse---=-c-+,--,--,
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado -

~na

P
servidores públiCOS deve partir o exemplo de retidllo e comprometimento pois
Assinatura

UP
estes competem zelar pela res publica.

RA
Daí porque nllo se pode conceber que os referidos
acusados reiterem em graves crimes contra a administração pública, praticando atos

RI
atentatórios contra o erário público, contribuindo dolosamente para a perpetuação

LA
das desigualdades sociais e não haja resposta efetiva da Justiça.

DE
Concluindo, a culpabilidade (reprovação) e a

:36 AN
personalidade (perversidade e cobiça) dos réus, bem como, as consequências e os
motivos do crime, delineados acima, indicam a necessidade de fixação da pena

:46 C
14 E S
base significativamente acima do m[nimo legal.
8 - IN
Por outro lado, nllo devemos esquecer que a confissão do
01 OL

réu ALAN AYOUB MALOUF nllo foi decisiva para a sua condenação, merecendo ser
sopesada com cautela.
0/2 AR

Dessa forma, considerando tudo o que foi exposto, o


9/1 - C

Ministério Público requer o aumento da pena base dos crimes praticados pelos réus,
tendo em vista que preponderantemente desfavoráveis.
: 1 30
Em 8579

5 - DO PEDIDO

Ex positis, diante da existência de cabal prova de


11

materialidade e de autoria dos crimes narrados na denúncia, o MINISTÉRIO


65

PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO, requer a CONDENAÇAo de:


r: 0

1. ALAN AYOUB MALOUF, como incurso nas penas do


po

art. 2°. caput, c.c. seu §§ 3° e 4°. 11, ambos da Lei n.o
12.85012013 (fato 1); do art. 317, caput, por quatro vezes
sso

na forma do art. 71, caput, ambos do Código Penal (fato


3); do art. 317, caput, por duas vezes na forma do art. 71,
pre

caput, ambos do Código Penal (fato 7); d art. 317, ca


Im

por duas vezes na forma do art.


Código Pena
RWl4, sIrf. Ediflcio Anexo I - Procuntdoria GcrnI de Justiça, Cu~
Ml:NISTÉlUO PúBLICO DO ESTADO DE MATO
de o

PP
na foona do art. 69, caput, do Códi90 Penal
6, 8, 9, 10, 12, 13, 14, 16, 17); do art. 317, c.c. J.-.,.~~

AU
ambos do Código Penal (fato 15); do art. 317, capuf, por
59G

IR
duas vezes na forma do art. 70, caput, in fine, ambos do
Código Penal (fato 18); do art. 317, caput, por duas vezes

AR
na forma do art. 69, ambos do Código Penal (fatos 18 e
19); todos combinados na forma do art. 69 do Estatuto

L
DE
Penal; nos exatos teonos da denúncia;

:36 AN
2. EDÉZlO FERREIRA DA SILVA, como incurso nas


penas do art. 2°, caput, c.c. seu § 4°, li, ambos da Lei n. o

:46 C
14 E S
12.85012013 (fato 1), c.c art. 29, §1°, do Código Penal;
também nos exatos termos da denúncia.
8 - IN
6 - REQUERIMENTO COMPLEMENTAR
01 OL
0/2 AR

Tendo o réu ALAN AYOUB MALOUF alegado em sua


defesa/confissão que agiu a pedido do Govemador do Estado de Mato Grosso,
9/1 - C

JOSÉ PEDRO GONÇALVES TAQUES, bem como mencionou de forma


comprometedora o Deputado Federal NILSON LEITAO, o Ministério Público requer o
: 1 30

compartilhamento de provas com a Procuradoria-Geral da República, para as


Em 579


providências que entenderem pertinentes.
18

Cuiabá, 03 d~lgos,to d4~i'I"r.~,-:~r---:


51
r: 06

,
po

Promotor de JustiçalGAECO
sso

i Samuel ~r;Yn~if~fV'lv
pro~ Justiica/GAECal
pre
Im

Rua 4, sJn~. Ediftcio Anexo 1- Procwl1doriaGeral de Justiça, Cuiabá-MT. CEP 78049-921-- FonelFax 3613-1622 139de139
GAB/PG!fl
ris 000528 \
,
__::.i

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
EXCELENTÍSSIMA SENHORA DOUTORA JUÍZA DE DIREITO DA 7" VARA
CRIMINAL DA COMARCA DE cUIABÁ/MT

RI
LA
DE
•.-
:36 AN
OPERAÇÃO GRÃO-VIZIR'
(Operação Rêmora,

:46 C
terceira fase)

14 E S
co
Procedirner.to Inves~iga~ório -=co
Criminal n.(> 07/2015/GAECO ~

'"
8 - IN
".
01 OL
0/2 AR
9/1 - C

o MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO, por se'JS ""


Promotores de Just.iça in fine assinados, no uso de suas
: 1 30


atribuições instituctonais, com base no ?rocedimentü
Em 8579

InvestJ.gat6rio Criminal em epígrafe, em razão dos fatos

• delituosos a seguir expostos, vem oferecer DENÚNCIA em face de:


11
65
r: 0

p{,:;~e~lG:·Il,C'n;:.,=, de ..;~ ç-a',;" i,;:_'c,i,~:- r.: ',' rlf,,', ~~;';:·I!fl·:~,l "a-i'Jd;J.r_~_~~".


po

". ! ;:.;<.1";1. '::0 V;;'Zil ti,',;'. !"I>I '):-:",')\'11\ :'" "~I:.:,:_~ "-<'ci:l"l t;- t>< ,·".i":-,,,:L !,,~1'_' c<)I.; ~':,,~c nb t ''''''.Çl'7J
,j" .~(,n·j"ll;'·' do JI\,),>(:,J ','.' :;,,~-.: ;::)~',id;~ ! ("':,,r i1.(;~· ;1;(,,,: ,,~.: r~c· ~,r~é:!!l) './' :-J, NC:",-:s',,~-' rn'l~-k::>i~-,:o" ~_(,,':T
w.,Ji ~r-t=-·,_,C):,-:.'-':· vi'":,·,:o, f·'I.f:' ;;., -'.j~:J:"":.,::,', UIf.i1 ::!""!i'.Ii.ii fC::-:::," :;'.ic:--; :J\r·!\,br---'.<--' for,'IT'.·~::: í·l·;'. :! .., ..:\
';(":11:;, •• [;"ll«1 (., .,dl:.;' i!:1J"dG<;r.. ~; '.li i.,;,t'· ,~.V'.,rr,'" (k>f; ~'r-i:,,(,j,:·,;,:·: ~·d;:'.,:" ,.t'/).J;"j·:"". F';,: .;','.'~
sso
pre
Im
PP
MINISTÉRIO PÚBLICO. IDO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especii:l'i Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
1. ALAN' AYOUB MALOUF, brc.sile:'ro, casadc, fil:-to.

AR
638939

L
expedida pela SSP!MT, inscrito no Cadastro de

DE
Pessoas Físicas do Ministério da Fazenda sob o


:36 AN
n. 458.825.761-72, residente Avenida Antártica,
n° 965, Condominio Japuina, Lote 02, Ribeirao do

:46 C
Lipa, Cuiabá!MT e/ou Rua Zenóbrio da Costa, 109,

14 E S
Bairro: D1Jque de Caxias,Cuiabã-MT;
8 - IN •
2. EDÉZIO FERREIRA DA SILVA, brasileiro, casado,
01 OL

filho de Silvestre Ferreira da Silva Junior e de


0/2 AR

Iza l1ari.a da Silva, natural de Santo Antônio de


Leverger/MT, portador do documento de identidade
9/1 - C

11. 569917 expedido pela SSP/MT, inscrito no


Cadastro de Pessoas Fisicas do l1inistério da
: 1 30

Fazenda sob o n. 544.531.001-91, residente na


Em 8579

Avenida l1ário Palma, n. 657, Bairro Jardim


Mariana, Cuiabá/l1T.


11

ÍNDICE
65

................ _ ... f:'. 2'3


r: 0

"--, ::·1
01
po

' •••••••• "0_' 2~

, .. t:... 3(,
so

Fl·.':'O ~): :::URI~upçr,;:, PI\SSI'iK ETq:.>r:~i. '::('1 L"C! J,:;s6 '.:a :'l,~~; ~e'13 rjij S:. 1 V~{ .. __ . f J.. 31:1
'i:"".::'.':'G >7: C0r~i,'_;p~;Ac 1'-.1'>',-"31'\.(':'" - ~;::?L"",.:.,=-<?il·("' ,:k:;:·~, ~;.l~·l,--,> P'':-r'l'') ,.1 .. Sjl~"~ ......... n. c
s
pre

... 11. 43
... u. 47
Im

. ~.. 50
. . • • • -f i . ;'2

~ , ,',{m IH~/tl·::.!.llrkic} .. \,li}~<.);l~· rl ('J';U(:'4ml:T 0~( 11 (t.) .Jtr:'it!.}'1,/f~lll.1b;l M f ':


" " - ~(;.;,) 1:jf)~1;J;;)2"~'.;'9il,111:)J.~;)I;3dá3~/I:Pà" ~v
Página 2 de 89
GAB/PG1
ris. OOO5 29


1
l~--==---:c.=oi

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 5~8

RA
. :'. ..

RI
:1 .

LA
.••. t I. :; .

DE
. :':1 .

••
. t'!. f'·

:36 AN
~

:46 C
14 E S
8 - IN
01 OL

Como já é de conhecimento deste juízo, o Grupo de Atuação


0/2 AR

Especial contra o Crime Organizado GAECO instaurou o


Procedimento Investigat6rio Criminal PIC n. c 07/201S/GAECO,
9/1 - C

que tem. por obj eto a apuracão da existência, em tese, de urra


organização criminosa composta por particulares e agentes
: 1 30


públicos destinada à obtenção, em razão de função pública, de
Em 8579

vantagens indevidas, a qual atua, a principio, sobre contratos

• da Secretaria àe Estado de Educação de Mato Grosso .... SEDUC/MT,


11

bem como a fraudar licitações, a pri.ncípio, da SEDUC/MT.


65

Ao flnal da primeira etapa das investigações, na data de


r: 0

17/05/2016 Íoi ofrerecida denúncia contra 22 pessoas, na qual


foram nar.-rados 28 fatos criminosos com subsunção nos arttgcs 4°,
po

11, "a" e "CU f da Lei n. 8.137/90 (cartel), art. -)0 , caput, c.c.
sso

seu § 4° , 11, ambos da Lei n.o 12.850/2013 (organiz2ção


criminosa), art. 317, caput, c.c. art:. 327, § 2°, do Código Penal
pre

(corrupção passiva} e art. 90, caput, c.c. art. 84{ § 2°, ambos
da Lei n. 8.666/93 (Íraude ou frustração do caráter competiti.vo
Im

Página 3 de 89
6

P
UP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

RA
Grupo de Atuação Especial! Contra o Crime Organizado - GAECO

RI
dó. l:c:'::s.çàc· peça acusatÓor5a qüe dei.! c~ígem à açãc pe!1c.~

:'293[-82.2016.8:'::". ~2'4:Z ~.c&d::9'c 436618j, q:..:e ~rarr~i1:.a ?erSE::e Este

LA
juizo, na qsal, ap6s ~ encerramento da segu~da fase da

DE
investi.gação, em 29/07/2016 (6"f.) foi ofertado aditamento à
denúncia para inclusão de dois réus e de dois crimes de corrupção

:36 AN
passiva (art. 317, caput, c.c. art. 327, § 2°, do Código Penal) .

•• dando
449660) .
origem ao

:46 C
É de se registrar também que a aludida ação penal foi desmembrada

14 E S
8 - IN
01 OL
processo n. 26715-14.2016.811.0042 (código

Assim, embora apareçam na narrativa a seguir, as pessoas


0/2 AR

de PERMINIO PINTO FILHO, FABIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS REIS,


MOISÉS DIAS DA SILVA, GIOVANI BELATTO GUIZARDI, JULIANO JORGE
9/1 - C

~~DAD, LUIZ FERNANDO DA COSTA RONDON, LEONARDO GUI~AR~S

RODRIGUES, MOISES FELTRIN, JOEL DE BARROS FAGUNDES FILHO, ESPER


: 1 30

l{l,ODAD NETO, JOSE!,:DUAR12_º-.~~\SC IMJ;:i'J"Ig_ OA_:;I~Y'!':, LUI_~ __ C::~LOS I ORI S,


Em 8579

CELSO CUNHA FERRAZ, CLARICE MARIA DA ROCHA, EDER ALBERTO


FRANCISCO MECIANO, DILERMANO SERGIO CHPYES, FLAVIO GERALDO DE

•• AZEVEDO, JULIO HIROCHI Y~~~OTO FILHO, SYLVIO PIVA, MÁRIO


11

LOURENÇO S~.LEM, LEONARDO BOTELHO LEITE, BENEDITO SÉRGIO I'.SSUNÇl\.o


65

SANTOS e ALEXANDRE DA COSTA RONDON não são denunciados na


r: 0

presente peça acusatória por já figurarem corno réus, pelos mesmos


fatos, nas aç6es penais n. 12930-82.2016.811.0042 (código
po

436618) e 26715-14.2016.811.0042 (código 449660).


sso

FATeTl li>' 0RGAN:rZAJçÃOjiielV:EM:1tNOS~


pre

Consta nos autos do incluso procedimento investigatório


Im

criminal que em data não definida, em momento anterior ao mês de

;~I I: I I], !':'tlli'\ t;! ~Hil;:i~)_"!\ il',);<i):'I-. O;) (~)~'~)I;t.l'J ~i":J' ,0'11"1 I 'it'l'Jl:r.1(1,~/:),Vr; 1.Ij;j'i,í;M'j'
;t}~:;} 'l!lIl··l;}~!.:1 ::, rt<lu'lltil:( ~;úJíeJ ',r.;'),'.{>.!:!;l;JJI
Página 4 de 89
GAB/PGRl
"5000530 \


,
1_ _ _---c·:::J

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Cn·me Organizado - GAECO ,-;) 99
'.

RA
setembro do ano de 2015, no Município de Cuiabá, Estado de i'1ato
Grosso, ALAN AYOUB MALOUF, PERMINIO PINTO FILHO, F}\BIO FRIGERI,

RI
WJllmER LUIZ DOS RE1.S-, liºI"&.:"_.DIll".. DA SILVA, GIOVi\NI BELl\.TTO

LA
GUIZl\.RDI, JULIJl.NO JORGE HADDAD, LUIZ FERNANDO DA COSTA RONDON,

DE
LEONl\.RDO GUIMARÃES RODRIGUES, MOISES FELTRIN, JOEL DE Bl\.RROS

• FAGUNDES FILHO, ESPER HADDAD NETO, JOSE EDUl\.RDO NASCIMENTO DA

:36 AN
SILVA, LUIZ C."RLOS IORIS, CELSO CUNHA FERRAZ, CLl\.RICE Ml\.RIA DA
.~

:46 C
ROCHA, EDER ALBERTO FRANC I SCO i'1EC IANO, DI LERMJl.l\lO SERGIO CHJl.VES,

14 E S
FLAVIO GERALDO DE AZEVEDO, JULIO HIROCHI YAMAMOTO FILHO, SYLVIQ
.~}V~, MÁRIO LOURENÇO SALEM, LEONl\.RDO BOTELHO LEITE, BENEDITO
8 - IN
SÉRGIO ASSUNÇÃO SANTOS e ALEXANDRE DA COSTA RONDON,
01 OL

voluntariamente, constituíram e desde entao passaram a integrar


pessoalmente organizaçao criminosa, para a qual concorriam
0/2 AR

funcionários p0blicos, condiçao esta (exercicio da funçào


9/1 - C

pública) de que se valia a organizaçao criminosa para a prjtica


de infrações penais .
: 1 30


Em 8579

O procedimento investigatór1.o criminal revela também que


em data não definida, em momento anterior ao mês de setembro do
ano de 2015, no Município ele Cuiabá, Estaelo ele Mato Grosso,
11

EDÉZIO FERREIRA DA SILVA passou a, voluntariamente, sem integrar


65

a organização cri,minosa acima relatada, auxiliar no desempenho


r: 0

ele atividaeles que propiciaram a prática de crimes pelo grupo.


po

De acorelo com o que restou apurado, PERMíNIO PINTO FILHO,


ante o teor elo ato n. 013/2015, publicado no Diário Oficial de
sso

Mato Grosso em 02/01/2015 (n. 26447), ocupava, à época elos fatos,


pre

o cargo ele Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de


Mato Grosso.
Im

Página 5 de 89

-----------------------------------------------------------------
6

PP
AU
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

IR
?or se:.,;. :::·J.~:-fOf· ;?;"3,=:ü F]{.IGERI, po~ força do ôl:'.) r:.:>

AR
13::;/2015, cc.blic~.C:8 De· [r.i61rio Oficia2. de Mato Sr8sso e~.

L
:2/'2:/2:~J15, OCL:.pS.Vê.,_ à épDC2 dos :a:.cs, :> cõ.rgc de .:;'35<255,::·:;:

DE
Especial I, Nível DGA-2, da SEDUC/MT, prestando assessoria
direta na Secretaria de Estado de Educacâo desde 02 de janeiro

:36 AN
de 2015 (vide anexo I, do Decreto n. 2.398/2014 e Decreto

•• Estadual n. 233/2015) .

563/2015
o
e 7.691/2015,
01 OL
:46 C
14 E S
denunciado WANDER LUIZ DOS REIS, por força dos atos n.
8 - IN
publicados no Diário Oficial de Mato
Grosso em 28/01/2015 e 13/11/2015, à época dos fatos ocupou o
cargo em comissão de Direçâo Geral e Assessoramento, Nível DGA-
0/2 AR

4, de Super intendente de Acompanhamento e Monitoramento da


9/1 - C

Estrutura Escolar, da Secretaria de Estado de Educação, Esporte


e Lazer - SEDUC desde 28 de janeiro de 2015 até 13 de novembro
: 1 30

de 2015.
Em 8579

O mesmo cargo em comlssâo de Direçâo Geral e

•• Assessoramento, Nível DGA-4, de Superintendente de


11

Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, da.


65

Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer - SEDUC foi


r: 0

ocupado também por MOISÉS DIAS DA SILVA, desde 17 de novembro de


2015 até 02 de março de 2016 por força dos atos n. 7.778/2015,
po

publicado em 17/11/2015 no Diário Oficial de Mato Grosso, e


so

9.186/2016, publicado no Diário Oficial de Mato Grosso em


02/03/2016.
s
pre

Segundo consta, após ter sido substituído por MOISÉS no


Im

cargo de Superintenden te de Acompanhamento e Moni toramen to da


Estrutura Escolar, WANDER LUIZ DOS REIS - ocupante do cargo de

TtÜ.l". in~lil·. ,-~.;Jjiti_;l.) -;'Iíí:):(o)'I>.>lt}1{:')'~~fGl; 'Yi _'. ,C):t) ~,'ílit<~:JW1 t ';:" :~}tl i.:il}:\,;, J :,'

~ii;:;' /;!I}::s!j;,:HH _'~ .. 1il)ll~if;.:( ';i:ú;} ':I,;l~:?/ir;r·:(:)


Página 6 de 89
GA8/
fls.
PGR
OOO5 3 1
l

I
\---=:----::,,=---'

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO
coo

RA
provimento efetivo de Professor da Educação Básica na Secretaria
de Estado de Educacão, Esporte e Lazer de Mato Grosso, conforme

RI
Decreto Estadual n. 1.150, de 07 de fevereiro de 2000, publicado

LA
em 07/02/2000 no Diário Oficial do Estado de Mato Grosso -, pelas

DE
Portarias SEDUC/00059/2016 (Diário Oficial n.o 26715, fls. 46 e

• 52) e SEDUC/00066/2016 (Diário Oficial n.o 26716, fls. 67/68)

:36 AN
publicadas em 11/02/2016 e 12/02/2016, respectivamente, foi
.~

:46 C
lotado na Superintendênci,a de Acompanhamento e Monitoramento da

14 E S
Estrutura Escolar da SEDUC/MT, sendo então mantido no circulo de
atuação que a seguir será relatado.
8 - IN
01 OL

}\.penas para fins de esclarecimento, é de se evidenciar


0/2 AR

que, nos termos do Regimento Interno da Secretaria de Estado de


Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso - SEDUC/MT, aprovado e
9/1 - C

corporificado no Decreto Estadual n. 570/2011, a


Superintendência da Acompanhamento e Monitoramento da .::'strutura
: 1 30

Escolar é órgão da SEDUC/MT cuja competência é definida no art .


Em 8579

49 nos seguintes termos:

• AIt. 49 A SupeIintendência de Acompanhamento e


11

Moníto,r.-amento da Estrutura Escolar tem como missão . .9~rir


as acões referentes à alimentação escolar, transporte
65

escolar, obras e manutenção escolar, contribuindo paca a


estruturação escolar na busca da melhoria na qualidade d~
r: 0

ensino relativas à Estrutura, competindo-lhe:


I - ~_.z:..~!":"_._..9_~ . __ yroces sos rela ti vos ao acompanha.!.!.~:=!.~_~?_._._.~
monir.:o!:amento da estrutura escolar no Estado de Mato
po

Grosso;
11 - geriY os processos de adequação dos espaços fi3ico~
atendendo as diversidades dos projetos educacionais;
sso

111 - avaliar as ações das coordenadorias através de


relatórios gerenciais;
IV acompanhar o pL·ocesso das mudanças estruturais e /
pre

cu operacionaj.s definidas pela SEDUC;


V - coordenar a v.igência dos convênios com os ent.es
federados para construção e adequação das estruturas
Im

fisicas das institllições educacionais póblicas;


VI - atestaI a conformidade de seus processos .

•~I.!-:';'*-:."'I-..r ~~; ';"''',;1·!Ii'":·H~~r ";"*."<\ r:-.J-'" ~~f f \ ~ t;~!"r~ ',,- (~11~ ,'I •• ~-
\!1~;J"'l",a!Cy~1 ~!'4'_ ':.. "":;li. t'_ ". " "A
Página 7 de 89
6

PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
Senj: 5rg§o de' ~ivel 6.e exec~çàc prog~a~àtica da

AR
~s:rut'..l:-a em sua est;:-;.;.~u:::-a, der:.:::::-e ::nl:'rcs,

L
órgãos que lhes são hierarquicamente subordinados e que guardam

DE
estreita relação com O fato em questão, a saber, a Coordenadoria
de Obras e Manutenção Escolar, que se desdobra em Gerência de

:36 AN

Proj etos da Rede Física Escolar e Gerência de Fiscalização de

:46 C
Obras, cujas competências são assim definidas no Regimento
Interno da SEDUC/MT:
14 E S
8 - IN
Subseção 111
01 OL

Da Coordenadoria de Obras e Manutenção Escolar


Art. 53 A Coordenadoria de Obras e Manutenção Escolar tem
como missão gerenciar os projetos de construções,
0/2 AR

ampliações, reformas e manutenção da Rede Física Escolar,


competindo-lhe:
r aoompanhar, monitorar e avaliar a elaboração e
9/1 - C

execução do Projeto Básico e Executivo da s Unidade s


Escolares e demais Unidades da SEDUC;
11 - atestar a conclusão das obras em consonância com o
: 1 30

P roj eto Básico I Executivo e Planilha O.rçamentária;


IIr acompanhar, monitorar e avaliar a prestação de


Em 8579

serviço de obras conveniadas junto às Prefeituras


Municipais em consonância com o Projeto Básico, Executivo


e Planilha Orçamentária;
IV - organizar e disponibilizar relatórios gerenciais;
V acompanhar o processo de execução das obras
11

conveniadas ou contr.atadas, em consonância com o Projeto


Básico e Executivo;
65

VI - coordena.r. a vigência dos ccnvênios com os eZ"ltes


federados para construção e adequação das estruturas
r: 0

!isica~ das i~~titui~?es educacionais pública;


VII coordenar. a vigência dos contratos para construção
e adeguação das estruturas físicas das instituições
po

educacionais Dúblicas.

Da Gerência de Projetos da Rede Física Escolar


so

A.rt. ~4 A Gerência de Projetos da Rede Física Escolar tem


como mi~sâo reçeb~L e encaminhar as deman.das de projetos
de const.rução, ampliacões e reformas da rede física
s

escola.r., competindo-lhe;
pre

1 - efetuar levantamento técnico in loco para elaboração


do projeto;
Im

:~ID (H -$/i,','! (IImt;I.) :'-.) ):(.) 1 ··:)(')':H~·1"<)fI1 011"11 oi:} Jlr_'3U,~ 1, f;lIt l:}.\ M I'
, ,l}:!i) I:JI) !;).;):?,I . i;!.w·)Rl,(~·lJ:3 ,J.J83/ íw: ,
Página 8 de 89
GAS/PG"Rl
Fls. O[] fi 5 3 2 I


,

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 601

RA
11 - elaborar projeto básico I executivo considerando o
programa de necessidade escolar obedecendo ~islaçào
pe.r:-.i nente i

RI
111 - elaborar orç:_~.~~.E~...t:9__ . . _c:!.~~_ybra , . . memo!: i aI des c,r.t. ti.vo e
cronograma físico e financeiro;

LA
IV acompanhar e monitora.r os par.eceres técnicos
apresentados pela equipe;

DE
V - elaborar caderno de especificações técnicas;
VI apresentar relatóri.o de andamento dos Projetos à

• Coordenado2:::ia de ObI:as e Manutenção Escolar: .

:36 AN
Da Gerência de Fiscalização de Obras
.~ Art. 55 A Gerência de Fiscalizacão de Obras tem como missão

:46 C
aconpanhar e fiscalizar o andamento das obras em

14 E S
consonância com o projeto e a legislação vigente,
competindo-lhe:
I - fiscalizar o andamento e qualidade das obras de acordo
com o projeto;
8 - IN
11 avaliar e atestar a conformidade das medições
apresentadas pela empresa ou Prefeitura;
01 OL

111 notif,icar as empresas contratadas ou prefeitul:as


quando não e ..:ecutarem a obra de acordo com o projeto
0/2 AR

licitado ou çonveniado;
IV sugerir adequações ao p.rojeto, quando necessário
durant.e a execução dos serviços de acordo com as normas
9/1 - C

t~.:ctücas ;
\l - solicitar aditivo de prazo e de valor de acordo cem a
legislação vigente, conforme alterações de p.!:ojetos;
: 1 30

VI ge,rencia.r: a vigência dos convênios com os enles


feder:ados para construçao e adequação dêS estruturas

• fisicas das ::i.nstituições educacionais públicas;


Em 8579

VII gerenciar a vigência dos contr~_~_~s_._para construção


~_. ___ ?dequação das cstrutu,ras físicas das instituições
educacionais públicas;
VIII atestar a conformidade de seus processos.
11

Nesta linhô de análise importa destacar também as


65

atribuiç6es dos cargos de Superintendente e de Assessor ocupados


r: 0

pelos denunciados, vlll.NDER LUIZ DOS REIS, MOISÉS DIAS DA SILVA e


FÁBIO FRIGERI.
po
sso

Seção 111
Dos Superintendentes
Ar t . 61 c::·,:o:'.n"s,-t~l,,·"t"u"e"m'"-_-'Boc·"c"r.ci".b,,·u"",i"ç"õ"e"s"-_-,b,,,d,,""s",i"c",a"",s___d""o",s
Super:intendentes:
pre

I auxiliar o Secretário de Estado de Educação, bem como


o Secretário Adjunto ao qual está subordinado, na tomada
de decisões, em matéria de competência de sua área J de
Im

acordo com o plano estratégico da Secretaria;

Página 9 de 89
6

PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especiaf Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
- e.p-re·sel1'ta·r", quar:::do solicitado, .::-ei.at6.::';'c eie suas·
a t.i vidade:s i
I:: - p::CfEO\,:i;:":- .Yeuniões periódicas co-:n ::>5 servidores que'

AR
lhe 5·ã-C s·\:l.!:;;c-rdli:r.'adosi
1\- - fo-r::-,,;lilar â' P'ropcsta Orçamentária de forrr,a a aS6E:gl.<.ra-r:
recursoS para atingir suas metasi

L
V - garantir a Gestão Pública no planejamento, exe~:~~~

DE
avaliação das ações;

_e•
VI - planejar, programar, organizar, dirigir, coordenar,
supervisionar ~ c:.<?ntrolar ~_~tividades das áreas que lhe

:36 AN
são subordinadas;
VIr - emitir pareceres, proferir despachos, quando for o
caso, nos processos submetidos à sua ap.t"eciaçãc.

:46 C
14 E S
CAPÍTULO II
DAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE ASSESSORAMENTO SUPERIOR
Seção I
8 - IN
Dos Assessores
01 OL

Art. 62 Os AssessoTes, em dependência de sua área de


fcnnação e experiência profissional, possuem as seguintes
atribuições básicas:
0/2 AR

§ l° Quando nomeado no cargo de Assessor Esoecial:


I - prestar informações e orientações a05 demais órgãos e
às entidades componentes da Administração públ.i ca
9/1 - C

Estadual, no que diz respeito a assuntos de competência


da Secretaria de Estado de Educação - SEDUCi
II elaborar relatórios, a partir das informações
: 1 30

produzidas pelas unidades aàminist.rativas da Secretaria


de Estado de Educação - SEDUCi


Em 8579

II1 - coletar informações, analisar e estruturá-las em


documentos - Relatórios e Informações para outros entes,
poderes, órgãos, entidades e sociedade em geral, visando
atender solicitação da alta administração;
IV - participar de grupos de trabalho e/ou comissôes e
11

mediante designação superior;


V desempenhar outras funções compatíveis com suas
65

atribuições face à determinação superior:.


r: 0

Importa registrar também que tanto os ocupantes do cargo


de Assessor Especial quanto os do cargo de Superintendente de
po

Acompanhamento e Moni toramento da Estrutura Escolar guardam


so

relacão de subordi.nação imediata frente ao titular do cargo de


Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer e, portanto,
s
pre

os relacionamentos profissionais concretos existentes entre os


ocupantes dos cargos su.balternos e o titular do cargo superio:-
Im

são estreitos, muito próximos, já que exigem trato direto.

Página 10 de 89
----------

GAB/PGRl
ris 000533
~
1------::=1

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO 502

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
Neste diapasã,o, o exame das disposicões legais acima
revela que rÁBIO FRIGERI, \vANDER LUIZ DOS REIS e MOISÉS DTAS Dl'.

RI
SILVA ocuparam cargos em comissao estratégicos dentro do Poder

LA
Executi.vo Estadua 1, cujas atribuiç6es permitiam que eles

DE
ttvessem fáci.l acesso e até mesmo o controle de informações
relativas a realizacào de licitações para a formulaçâo de

:36 AN
contratos administrativos çujo objeto sâo obras públicas

:46 C
relacionadas á Secretaria de Estado de Educaçâo, Esporte e Lazer

14 E S
de Ma to Grosso - SEDUC/~lT, bem como que ti 'lessem dominio sobre
a fiscalizacâo da execuçào de contratos administrativos de obras
8 - IN
públicas e sobre a prática de atos adJrünistrativos que
01 OL

condiçionam a efetivaçào de pagamentos decorrentes da execuçào


dos contratos pelo Estado de Mato Grosso a empresas ou pessoas
0/2 AR

físicas contratadas.
9/1 - C

Este acesso pleno, irrestrito, às informações e domínio


: 1 30

sobre atividades cruciais a tinentes ao planej amento I execução,


Em 8579

fiscalj.zação e pagamentos ligados a obras püblicas sob &


responsabilidade da SEDUC/MT era garantido, coordenado,
fiscalizado e comande do por PERMíNIO PINTO FILHO, autoridade
11

máxima dentro da hierarquia da pasta.


65
r: 0

~ de se corlcluir então que em razão das atribuições dos


cargos que ocupavam, ?ERMÍNIO PINTO FILHO, FÁBIQ_IRIGERI, WANDER
po

LUIZ DOS REIS e MOISt:S DIAS DA SILVA eram os próprios agentes


responsáveis pela formulação e implementação de politicas
sso

públicas relacionadas a obras públicas sob a responsabilidade da


pre

Secretaria de Estado de Educação, E:sporte e Lazer de Mato Grosso,


o que lhes garantia o domínio total de todas as atividades
Im

relacionadas a tais políticas, desde o poder de decidir 2

Página 11 de 89
6

PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
~es~eit:J de quais- oh:::-ê:s· seriam ~e2~izadas, onde
exe:::::...:tadas, co~t:role 60S ~ rc cedirr.2:-t ~c s,

L AR
licitaçbes ou a contrataç!o direta para a execuç!o de tais obras,

DE
e, por fim, tendo o controle sobre as atividades relacionadas à
fiscalizac!o do cumprimento dos contratos na execução das obras

:36 AN
e os respetivos pagamentos.

deste
Com efeito,
domínio de
:46 C
14 E S
as
informações
8 - IN investigações
sobre
esclarecem que
as atividades
em razão
materiais

relativas ao planejamento e do absoluto controle sobre a
01 OL

fiscalização e execução de obras públicas relacionadas à


0/2 AR

Secretaria de Estado de Educaç!o de Mato Grosso - SEDUC/MT,


proporcionados pelas atribuições dos cargos que ocuparam,
9/1 - C

PERMÍNIO PINTO FILHO, FABIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS REIS e


MOISES DIAS DlI. SILVA, tendo o domínio funcional do fato, agiam
: 1 30

em ccnluio com empreiteiros numa via de mão dupla.


Em 8579

Apurou-se que o domínio sobre as informaçbes relativas


a proj e;:os de obras públicas da SEDUC/MT propiciava que FABIO

11

.FRIGERI, W.'lt'JDER LUIZ DOS RF,IS e MOISES DIAS DA S I LV.". , sob a


65

regência de PERMÍNIO PINTO FILHO, tivessem acesso direto e


r: 0

privilegiado a informações relativas á cogitação, preparação e


realização de licitações das obras públicas, inforwações essas
po

que ir:..devidamente repassa.vam a C01)strutores em troca de vantagem


so

pecuniária.
s
pre

Além disso, os ocupantes dos cargos de Assessor Especial,


de Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da
Im

Estrutura Escolar, principalmente, e, consequentemente, de

;~II I I} !":-J/lr\';!,Jilki.) ~'I\ ):(t) 1''< fI~'l~!!lffl.ttrt!,l <).::n 11 it:'.i ~lll:)tlil'l, 9-1I!,11}.'f1M r >'''''
, ::; !;.l.,:i>/õJl}U· ~IY.;10J.l.,rr"1 J!JI:},lP~n-) " '"
Página 12 de 89
GA8/P~
ris. 00053~

PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 603

AU
Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer, têm a seu

IR
dispor todo o aparato relacionado ao planejamento J execucão e

AR
fi.scalizacão de obras públicas relacionadas à SEDUC/MT e que,
dentro do sistema burocrático de administração adotado para a

L
DE
Administração Pública no Brasil, dá azo à prática de atos que

• antecedem e se fazem necessários aos pagamentos decorrentes dêl

:36 AN
execucão dos contratos administrativos por parte do Estado de
.~

:46 C
1'1ato Grosso.

Isso dava a 14 E S
f'l':Jl!:1.t!'l.J;,9...p_I!l}:Q...I.!.L.ii9, FABIO FRIGERI, I'jj'.NDER
8 - IN
LUIZ DOS REIS e MOISES DIAS DA SILVA o absoluto controle sobre
01 OL

a fiscalizacão e execução de obras públicas relacionadas à


SEDUC/MT, domínio este que:
0/2 AR
9/1 - C

1. permitia que eles influenciassem nos resultados dô.s


licitações para garantir que elas fossem vencidas pelos
: 1 30

empreiteiros que com eles se mantinham conluiados;


Em 579

• 2. viabilizava um eficaz mecanismo de controle sobre o


18

recebimento da vantagem pecuniária ilícita devida pelos


51

empreiteiros, já que, na fase de execução dos contratos,


os pagamentos às empresas somente ocorriam se a propina
06

fosse regularmente paga aos agentes públicos, caso


r:

contrário eram estagnados os atos necessários à


po

realização dos pagamentos pelo Estado.


sso

A respeito da influência nos resultados dos certames


pre

licitatórios, o grêmio delituoso contava com um funcionár"io


público específico, a saber I ccJ.:;.U",L-=Ic-A=-N-=O_-cJ,-O",R",G=E=.'_._.HAj) DAD,
Im

explicitamente plantado na comissão permanente de licitações da

Página 13 de 89

P
MINISTÉRIO PÚBUGO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação EspeciaI Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
PEP1"'i!NIO ?IN':'8 FIL~8,

RI
de ê.:S quais e::-am cê::J.alizadas at.:-avéE d.:::
~·c.a assessoria. ~f!i. 3.IO rR=GE~T) e da Superin':ê::cia de

LA
Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar (W~~DER LUIZ

DE
DOS REIS e MOISÉS DIAS DA SILVA) .


:36 AN
parentesco
É de se notar que JULIANO JORGE HF.DDAD possui vínculo de
estreito

:46 C
14 E S
empreiteiros que será descrito adiante. Com efeito,
primo da esposa de LUIZ FERNANDO DA COSTA,
8 - IN
com dois dos três líderes

a qual é filha de
do núcleo
JULIANO é
de

ESPER HADDAD NETO.
01 OL
0/2 AR

Uma vez que JULIANO JORGE HADDAD tem conhecimento técnico


na área de engenharia civil, Já que possui. título de curso
9/1 - C

superior na área, e em razão do parentesco e compromisso com os


negócios de LUIZ FERNANDO DA COSTA RONDON c ESPE~ HADDAD NETO,
: 1 30

predicados essenci.ais para o desempenho da função de direcionar


Em 8579

licitaçôes de acordo com os interesses da organização criminosa,


com aval de PERMíNIO PINTO FILHO,
Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso
JULIANO foi contratado pela


11

- SEDUC/MT a título precário em regime de necessidade temporária


65

de excepcional interesse público para exercer a função de


r: 0

Analista de Desenvolvimento Econômico Social na Superintendência


de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar no
po

período de 27/10/2015 a 31/12/2015, vínculo contratual


sso

administrativo formalizado pelo contrato n. 266074/1, cuja


publicidade se deu em 09/11/2015, pela publicação do Diário
pre

Oficial do Estado de Mato Grosso de n. 26655.


Im

~ ié , ;~I, I cJ I ~i/n~, :~']lii'}l\) :'rl.':<" I,*"- ;l rf)'jllr.l' t.,dil {):}( 11 oi.} -1IJ'1H4;.I, t).11f.II)J,M f <, f(
~;';;;) 1.:J!l ~:) ~J.13 ;~.jll'llf:;.M~lN'} 11:}t!lI~2;)
Página 14 de 89
GAB/PGR
Fls. OO053 5
.~

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO
604

RA
t de se ressaltar o termo do efetivo inicio da vigência
do contrato, 27/10/2015, apenas dezoIto dias após a realizaciio

RI
da reunião do núcleo de empreiteiros em que estes distribuíram

LA
as licitações da SEDUC/MT conforme será adiante descrito,

DE
ocorrida em 09/10/2015 .

•.-.
:36 AN
Nesta linha, apenas vinte e dois dias após a data de

:46 C
i.ní.ci.o da vigência do contrato, 27/10/2015, na data de

14 E S
18/11/2015, JUL IAN.,."'O"--_c:.,J:o:0'-'R.:::G.:::E_----=-H~A"'D"':D:.:AD_==:, pela Portaria n.
447/2015/GS/SEDUC/MT, publicada na edição n. 26663 do Diário
8 - IN
Oficial do Estado de Mato Grosso de 19/11/2015, foi designado a
01 OL

compor a Comissão Permanente de Licitaçiio da SEDUC/MT.


0/2 AR

Nos procedimentos lici tatórios JULIANO HADDDAD tinha a


9/1 - C

incumbência de dar subsidio técnico às decisões da comissão,


fosse emitindo pareceres a respeito das propostas e preços
: 1 30

ofertados por cada um dos licitantes, fosse orientarldo


Em 8579

informalmente os demais componentes da comissão sobre tais


objetos .
11

Com efeito, JULIANO HADDAD tinha o pleno controle das


65

questões técnicas sobre as quais se escoravam as decisões da


r: 0

comissão de licitação que habilitavam ou não os licitantes e/ou


suas propostas, de modo que, de fato, era ele quem acabava por
po

direcionar os vencedores das licitaçOes.


sso

Por outro lado, o anunciado controle sobre a fi scalização


pre

e execuçao de obras públicas relacionadas à SEDUC/MT, enquanto


mecanismo de dom1nio sobre o recebimento da vantagem pecuniária
Im

il.1.cita devida. pelos empreiteiros, dava azo a atos de co:::-rupção

- 1~'1i~J'?lil>l~~~;j;;p:~~.(~·~~·!;:.•;r~, ~ll'~1=,..!ii'.r: jíl2.~lt~1P!I'JI".1~ ~r


_'!'5-;-~. _!!:A;:41 ~':"H,·'JL ~)_J .• :,.IN"l _

Página 15 de 89

-------------------------------_.-
PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
pE:ssi Vê. C;:'J.e serão narrados adiar...~e, pcis / COIT.O se \.~e:-Ô I -:;·E

AR
de G:::OV.n...i'JI 3EL..~.Tl·O G:T: ZP=<.D=, em razão dos cargos p6blic,:;,s qt.:e

L
ocupam, solici tavam aos emprej. teiros vantagem pecuniária

DE
indevida como condiçlo para a liberaçlo dos pagamentos relativos
às mediç6es ocorridas na fiscalização da execução dos contratos


..
:36 AN
administrativos de obras públicas da SEDUC/MT que os

:46 C
construtores mantém com o Estado de Mato Grosso.

14 E S
Nesta dinâmica em que os servidores públicos cobravam a
8 - IN
propina por intermédio de GIOVANI BELATTO GUIZARDI se evidencia
01 OL

a concorrência da pessoa de ALAN AYOUB MALOUF para as atividades


0/2 AR

do grêmio criminoso, empresário nlo pertencente ao ramo da


construclo civil que, por integrar o núcleo de lideranca da
9/1 - C

organizaçlo criminosa, também se beneficia diretamente da


propina arrecadada por participar do rateio dela feito entre os
: 1 30

integrantes do grupo delituoso, além de fazer as articulac6es


Em 8579

necessárias para o desenvolvimento dos esquemas criminosos


engenhados para cobrar e receber propina.


11

De acordo com o que se apurou até então, LUIZ FERNANDO


65

Dl\. COSTA RONDON, LEON.ll.RDQ_~<;'.I}1p~,-ES RODRIGUES, MOISES FELTRIN,


r: 0

JOEL DE BARROS F'AGTJNDES FILHO, ESPE" HADDAD NETO, JOSE EDUp.RDO


NASCIMENTO DA SILVA, LUI Z CARLOS IORIS, CELSO CUNHA FERRAZ,
po

CLARICE MARIA DA ROCHA, EDER ALBERTO FRANCISCO MECIANO,


so

DILERMANO SERGIO CH.l\.VES, FLAVIO GERALDO DE AZEVEDO, JULIO


HIROCHI YAI''Ll\.MOTO FILHO, SYLVIO PIVA, MARIO LOURENÇO SALEM,
s
pre

LEONp.RDO BOTELHO LEITE, BENEDITO SÉRGIO ASSUNÇÃO SANTOS,


ALEXANDRE DA COSTA RONDON e outras pessoas ainda não
Im

i.denti ficaàas são empresár ios do ramo da construção ci vi l,

;{I/ 11) ~ !'jlf\~r ~~IIH1.;t,) :.\rl.j;{.) r • ;)(~)':II{;lff.)"·1.9.1(:11 .I·} .JII_iH'l'lj f~lli l:)!'t,M I'
o -7, I):.::) 1:11) W i):J.1 . ;1.)[1.) f, '( H I·} 1~"J.2t I~U~ _~
Página 16 de 89
GAB/PGRl
Fls. 000536 I,
~---".--=l

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 605

RA
representantes ou sócios de empreiteiras que mantém contratos
administrativos com o Estado de Mato Grosso para construção e

RI
reforma de prédios públicos.

LA
DE
Neste sentido, tem-se que LUIZ FERNANDO [JA..c:;QSTl' RONDON

••. integra o quadro societário da empresa LUMA CONSTRUTORJl. JoTDA.;

:36 AN
LEONARDO GUIMARÃES RODRIGUES é procurador da empresa JEF
~

:46 C
ENGENHl\.RIl\. ELETRICA E CIVIL LTDA EPP, que tem em seu quadro

14 E S
societário a esposa e o irmão de Leonardo; MOISES FELTRIN, é o
representante de fato da empresa TIRANTE CONSTRUTORl". E
8 - IN
CONSULTORIA LTDA.; JOEL DE BARROS FAGUNDES FILHO compõe o quadro
01 OL

societár io da empresa ESTEIO CONSTRUÇÕES LTDl\.. ; ESPER HADDAD

NETO faz parte do quadro societário da empresa CONSTRUTORA


0/2 AR

PANAMERICANA EIRELI ME; JOSE EDUl'.RDO NASCIHENTO DA SILVA. integra


9/1 - C

o quadro societário da empresa APICE CONSTRUTORA INCORPORfI.DORT,

E IMOBILIARIA EIRELI; LUIZ CARLOS IORIS compõe o quadJ:o


: 1 30

societário da empresa POLI ENGENHARIA E COM8FCIO LTDA.; CELSO


Em 8579

CUNHA FERRAZ faz parte do quadro societário da empresa ANPLA

• ENGENH&'<IA E CONSTRUCÃO LTDA EPP.; CLARICE MARL", DA ROCILll. compõe

o quadro societário da empresa CONSTRUTORJl. FOCHA LTDA.; EDER


11

.ll.LBERTO FRANCISCO MECIJl.NO faz parte do quadro societário da


65

empresa GEOTOP CONSTRUÇÕES E TERRAPLANAGEI1 LTDA. EPt'; DILERJ'o1llJ-JO


r: 0

SERGIO CHAVES integra o quadro societário da empresa E-TAG

CONSTRUÇOES E COMÉRCIO LTDA. EPP; FLAVIO GERALDO DE AZEVEDO


po

compõe o quadro societário da empresa ANAMIL CONSTRUÇOES LTDA.;

JULIO HIROCHI YAMA.110TO FILHO faz parte do quadro societário dô


sso

empresa APOLUS ENGENHl'.RIA LTDA EPP; SnNIO PIVA integra o quadro


pre

soci.etário da empresa SÃO BENEDITO CONSTRUçíl.O CIVIL LTDA. EPP;

M-ÁRIO LOURENCO SAL EM compõe o quadro societário da err.presa.


Im

SANEPAVI - SANEI\MENTO E PAVIMENTACAO EIRELI - EPP; LEONA2DO

Página 17 de 89
6

PP
MINISTÉRIO PÚBliCO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
3C-TE::r:-rC ~~I~'E :taz pa.::r:e do· qUladro societário da enpresa =NS;'~:'.~

CONSTReTOR.!.. ~T[;A.; .ZJ.LEXj:>.:NDRJL DA COSTp. FOND"JN é o representan-ce

L AR
FERNANDO_DA COS!~~.º!'lDON; ª-E:_N]~:!).~.!-º~ÉB:~~.9 ASSUNÇji,º SANTOS é o

DE
representante de fato da empresa E-TAG CONSTRUÇÕES E COI1ÉRCIO
LTW\. EPP EPP e irmão de DILERMANO SERGIO CHAVES.


:36 AN
assinatura
A investigação demonstra que eles

propina a funcionários públicos,


dos contratos

:46 C
14 E S
8 - IN facilitado em troca
têm o

que se valendo das atribuições


do
acesso para a
pagamento de

de seus cargos vazam aos empresários informações privilegiadas
01 OL

sobre obras públicas, bem como atuam para garantir que eles sejam
0/2 AR

vencedores das licitacões de que tomam parte,


9/1 - C

As provas até aqui colhidas revelam que, com o


conheci.mento privilegiado, proporcionado por FABIO FRIGERI,
: 1 30

WANDER LUIZ DOS REIS e 1100S§.S_ DIA.~_ DA S!..lcVA, sob a regência de


Em 8579

PER."1íNIO PINTO FILHO, com a concorrênci a de GIOVANI BELATTO


GUIZARDI,
Educação,
sobre
Esporte
as
e
licitações
Lazer de
da
Mato
Secretaria
Grosso
de
SEDUC/MT,
Estado de
LUIZ

11

FERNANDO DA COSTA RONDON, LEONARDO GUIMARÃES RODRIGUES, 110ISES


65

FELTRIN, JO~L DE BARROS FAGUNDES FILHO, ESPER HADDAD NETO, JOSE


r: 0

EDUARDO NASCII1ENTO DA SILVA, LUIZ ClI.RLOS IORIS, CELSO CUNHA


FERRAZ, CLARI~E MARIA DA ROÇHA, EDER 0LBERTO FRANCISCO MECIANO,
po

"D",I",L",E",RMAN==O,-..::S",E",R.:.:G",I::.:O"------,C::::HA=V,--,E,,,S,,-, FLAV I° GERALDO DE 1\.Z EVEDO , JUL I O


S YLVI ° P IVA , M.I\.R I °
so

"H-=I=-:R",O",C",H",I,---------"Y-,-,AMAl="-M",O,--,Tc::0,--------"F...Ic=L",H",,O , LOUREN ÇO SALEM ,


LEONARDO BOTELHO LEITE, BENEDITO SÉRGIO ASSUNÇÃO SANTOS,
s

==~~~~~~~~~~=
pre

ALEXANDRE DA COSTA RONDON e outras pessoas ainda não


.identj fi cadas, em momento anter.lor à realização das licitações,
Im

inclusive antes da publicacão dos editais de abertura dos

illll i) l ;J',l>, .;.IiI!,!!" :\,) n.) I ,<:>(.)!;11J;'1<!.)t!.1 t:).)(lf ·1,) JII~tI,;·l, f}nl,):)-,I'OI r
G:;i) (:N {;) -!)~ I ~, ;;I)ll~U M';.},} I } ·J;}J.~/I·H:)

Página 18 de 89
P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 50B

RA
certames, combinam os vencedores de cada uma das licitaçõeE,
distribuindo-as entre si, bem corno pactuam a forma pela qual uns

RI
d80 suporte aos outros! seja apresentando propostas ajustadas,

LA
seja deixando de participar dos procedimentos licitat6rios.

DE
• De acordo com acervo probat6rio constante no

:36 AN
Procedimento Investigatório Criminal n. 07/2015/GAECO, LUIZ
.~

:46 C
FERNANDO DA COSTA RONDON, LEONA..P.DO GUIMARJIES RODRIGUES, MOISES

14 E S
FELTRIN, JOEL DE BARROS FAGUNDES FILHO, ESPER fLADDAD NETO, JOSE
EDUARDO NASCIMENTO DA SILVA, LUIZ CARLOS IORIS, CELSO CUNHl'.
8 - IN
.F:ERRA~, CLAR I CE}11'l\i}'__l21:1:..HOCHA, EDER ALBERTO FRANCISC.Q. ME'<='I!.INO,
01 OL

DILERMlUqO SERGIO CHAVES, FLAVIO GERALDO DE AZEVEDO, JULIO


HIROCHI Yl'.MAMOTO FILHO, SYLVTO PIVA, MÁRIO LOURENÇO SALEI1,
0/2 AR

LEONARDO BOTELHO LEITE, BENEDITO SÉRGIO ASSUNÇAo SANTOS,


9/1 - C

ALEXANDRE DA COSTA RONDON e outras pessoas ainda não


identificadas, com a concorrência de FABIO FRIGERI, Wl'.NDER LUIZ
: 1 30

DOS REIS, MOISES DIAS DA SILVA e JULIl'.NO JORGE HADDAD, sob a


Em 8579

capitania de PERt'1íNIO PINTO FILHO, num jogo de cartas marcadas,


fraudam o carãter competitivo das licitações e as vencem, assinam
os respectivos contratos administrativos e executam as obras
11

contratadas, sendo que na fase de execução das obras, por ocasião


65

dos recebimentos dos pagamentos a serem efetuados pela


r: 0

l'.dministração Pública, pagam propina a PERMÍNIO PINTO FILHO,


FABIO FRIGERI, ~JANDER LUIZ DOS P.EIS e HOISES DIAS DA SILVA em
po

troca do apoio por eles prestado que leva à assinatura dos


contratos, recebimentos j.lícitos que têm parcela destinada a
so

ALAN AYOUB MALOUF, que concorre para a arrecadação da propina


s
pre

pr"olTIovendo as articulacões necessárias para garantia e


desenvolvimento do esquema.
Im

Página 19 de 89
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - _... ---------
PP
MINISTÉRIO PÚBLICO. DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
Consta t.e.:ibér.. no caderno í::ves~içativo ql.:e GI':rv~i:'.l'n

AR
p2rticl:la,: ir:terpos.to p-e<lLo qual ?ERl-:1tN TO PINTO FILHv 1 Fp:B" I O

L
FRIGERI, WANDER LUIZ DOS REIS e MOISES DIAS DA SILVA solicitam

DE
e recebem a vantagem indevida, que tem parcela destinada a ALAN
AYOUB MALOUF, a qual os empreiteiros se dispõem a pagar em troca


:36 AN
das informações
hci tações .
privilegiadas

:46 C
14 E S
As investigações demonstram que GIOVANI BELATTO GUIZARDI
8 - IN
e do apoio para vencerem as


é o "testa de ferro" dos aludidos servidores públicos e de ALAN
01 OL

MALOUF, é a pessoa faz o trabalho sujo a fim de ocultar a


0/2 AR

identidade dos verdadeiros solicitantes/recebedores da propina.


9/1 - C

Conforme se apurou, é GIOVANI BELATTO GUIZARDI quem opera


a cobrança e o recebimento da propina, sendo o responsável por
: 1 30

colher as reclamações dos empresários quanto a questões


Em 579

burocráticas relativas ao acompanhamento e fiscalização da


execução dos contratos adrninistrativos ligados à SEDUC/MT, bem


18

como por, não obstante não fazer parte do staff da Secretaria de


51

Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso, solucioná-


las, mormente no que diz respeito a atos indispensáveis ao
06

desenrolar dos procedimentos administrativos que culminam em


r:

pagamentos por parte do Estado de Mato Grosso a empresas


po

construtoras em decorrência da execução total ou parcial do


sso

objeto dos contratos mantidos entre eles.


pre

NO exercício destas funções de trato direto com os


empreiteiros, GIOVANI BELATTO GUIZARDI solicita e recebe
Im

diretamente destes a propina em nome de PERMÍNIO PINTO FILHO,

;~~I.l ~! ",:/Il') :ldll1l}t.) ;\il:t(,) I~· :)(r,,:llf.).!i){I) (r·li·lI .1,) iJII~U,/.l, ~~q',ll"'·M i"
C;'li) j:JI) !;) ,.:)~ I >, ::')H·)/f:J i. :,t:l lJ I:jJJN;$J;1
Página 20 de 89
- .:J
fls
GASI PGR
!l UU5 3 8

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO
607

RA
F.'IBIO FRIGERI, I'IANDER LUIZ DOS REIS e MOISES DIAS DA SILVA,
prestando contas de suas atividades a estes repassando-lhes as

RI
J

receitas ilícitas, bem como a ALAN MALOUF.

LA
DE
A investigação revela que toda essa engrenagem criminosa

•.- tem sua dinãmica garantida por ALAN AYOUB MALOUF, pessoa que se

:36 AN
encarrega das tratativas necessárias ao funcionamento do esquema

:46 C
ilícito. Neste sentido, ALAN MALOUF articulou junto a PE~'11NIO

14 E S
PINTO FILHO, á época Secretãrio de Estado de Educação, Esporte
e Lazer de Mato Grosso, para inserção de GIOVF~I BELATTO
8 - IN
GLTIZARDI, pessoa de sua confiança com quem guarda parentesco, na
01 OL

condição de operador de cobrança e recebimento de vantagens


ilícitas relacionadas a obras públicas da SEDUC/MT, garantindo
0/2 AR

assim o pleno controle sobre as atividades ilicitas do grupo


9/1 - C

delituoso. Da mesma forma, foram as tratativas de ALAN AYOUB


MALOUF que garantiram a "circunscrição" sobre o cargo de
: 1 30

Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estruturá


Em 8579

Escolar - posto estratégico dentro da SEDUC/MT que garante o

• mecanismo de pressão sobre os emprei.teiros para pagamento da


propina, bem como de contrcle sobre tais pagamento - em relação
11

ás nomeações tanto de WANDER LUIZ DOS REIS quanto de MOISES DIhS


65

DA SILVA.
r: 0

Com efeito, o grupo criminoso se organiza em camadas! de


po

maneira que uma encobre a outra a fim de ocultá-la. Neste


sentido, a primeira camada tem funções de execução e é ocupada
sso

por GIOVANI BELATTO GUIZARDI, que era a pessoa que diretamente


pre

tratava com os empreiteiros eÍetivando a cobrança e o recebimento


da pr.opina. Uma segunda camada, também com funções executivas,
Im

era formada por F~~IO FRIGERI, WP~DER LUIZ DOS REIS, MOTSES DIAS

Página 21 de 89
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - _.. _------------------_._-_ .. _.-
PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especia'[ Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
L AR
os atos materiais necessários a garantir que os licitantes do

DE
núcleo de empreiteiros fossem os vencedores das licitações
fraudadas. A terceira e última camada abarca o centro de comando

:36 AN
da organização criminosa e é ocupada por PERMINIO PINTO FILHO,

para efetuar medidas necessárias


propina, mas também
:46 C
que dá a GIOVANJ GUIZARDI os poderes de "Secretário de fato"

14 E S
8 - IN
para forçar
não apenas à
o seu
solicitacão da
recebimento,

principalmente pelo atraso deliberado de pagamentos aos
01 OL

empreiteiros, bem como por ALAN AYOUB MALOUF, que efetua as


0/2 AR

articulações poli ticas necessár ias ao funci.onamento de toda a


estrutura criminosa.
9/1 - C

Neste sentido, GIOy'~.:r BELATTO GUIZARDI e JULIANO JORGE


: 1 30

H}'\.DDAD encobriam a atuação de Fl'BIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS


Em 579

REIS e de MOISES DIAS DAS SILVA, os quais, por sua vez, cobriam
a atuação de PERMÍNIO PINTO FILHO, que, por seu turno, ocultava


18

a figura de ALAN MALOUF, de modo que os dois últimos remanesciam


51

nas sombras, este em maior grau de obscuridade que aquele,


comandando e agindo por pessoas intorpostas que se encontravam
06

nas demais camadas.


r:
po

Denota a investigação que enquanto GIOVANI BELATTO


sso

GUIZA.R.DI é o executor dos funcionários públicos e de ALAN AYOUB


MALOUF, LUIZ FERNANDO DA COSTA RONDON e LEONARDO GUIMARÃES
pre

RODRIGUES, além de participarem dos rateios das licitações e da


frustração do caráter competitivo dos certames J.icitatórios, são
Im

os operadores dos empreiteiros frente aos servidores públicos.

;~It l!) I 3"/1l J• ::dlif.!to) :',I.}:{.) I . ;)(.Jo:IJ(·l.I.)(fl (}')l.ll oi,) '"~I1,; I, f;lIi li)),M I'
I)~::) J~9:J)-4"J I ~. jr')IH/l.J.t g~ I;] 1;Jj-:3f I!).:.l3

Página 22 de 89
- ------ -----------------------------------------------

,' GABIPGRl

a
... ~
ris, ooo5 3 9
,
l=-----,,:=-----c.:-::o.;

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO 608

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
Segundo consta, LUIZ FEK"I}".NDO DA COSTl\. RONDOl\ e LEONARDO
GUIMfu~ES RODRIGUES são os responsáveis por tratar diretamente

RI
com os funcionários públicos e com o seu operador GIOVP.NI

LA
GUIZARDI, sendo os receptores das informações privilegiadas que

..-
DE
posteriormente são compartilhadas com os demais empreiteiros .

:36 AN
'
Com efeito, os autos revelam que LUIZ FERNP.NDO DA COSTA

:46 C
RO!:!DON, LEONARDO GUIMARÃES RODRIGUES e ESPER HADDAD NETO são

14 E S
verdadeiros líderes dos empresários da construção civil.
8 - IN
Neste cenário, LUIZ FERNANDO DA COSTA RONDON e LEONARDO
01 OL

GUIMARAES RODRIGUES atuam dentro da organização criminosa como


gerentes de um dos departamentos da estrutura organizada, que
0/2 AR

representam seu setor perante o departamento dos funcionários


9/1 - C

públicos, negoc.iando os interesses de sua unidade. Como exemplo


do exercício desta função, cite-se a negociação relatada por que
: 1 30

LUIZ FERNP.NDO DA COSTA RONDON realizada por ele, em nome elos

••
Em 8579

empreiteiros, com servidores públicos da SEDUC/I1T, a qual teve


por objeto a alteração do valor percentual da propina paga por
aqueles a estes, do que resultou a redução de 5 i!. para 31"
11

conforme consta no relatório da gravação ambiental da reunião


65

dos empresários. (Autos Judiciais de Ação Controlada, Relatório


r: 0

de Informações n.o 183/2015/Coord.Op./GAECO)


po

O acervo probatório produzido até então revela também


que, além de falarem em nome elo seu departamento, LUIZ FERNANDO
sso

DA COSTA RONDON e LEONl\RDO GUI~~S RODRIGUES, com a atuação


pre

direta e contundente de ESPER HADD.lill. NETO, o gerenciam,


organizando e presidindo as reuniões, bem como conduzindo a
Im

distribuição das licitações entre os construtores.

';.bt't. tt (f&~ i'.3:.·~·'(i'f(·.I~:py"~;l'r.J"I(f\.!'h)c"l!'1"f; ~- ,te' ~W f~,;;"li ~lJ"_'.<'!' '1'


~~:,. A;'!2;! 1"':y"'-it<!"J.'p. 11_;1-._ ,:.·{fá r_~.:t: I.,! ~

Página 23 de 89
---------------------------------------

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial: Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
t: de se destacar que ~s provas angariadas na inves-tigaç§.,o
. ,.

RI
reve.':..al'1 '-' ca::::áte.::- 01:.:.-radG"drc dla assGc':'ação e:J.tre O'S êer:U::1Clac.os,

LA
do ano de 2015 e se protrai até os dias hodiernos, ou seja, a

DE
associação se mantém por pelo menos seis meses.


:36 AN
vem de
Esta é a projecão mínima que se pode fazer do período de

longa
gravação ambiental da
data, o

:46 C
duração da associação, todavia, não há dúvida de que a sociedade

14 E S
qéle resta
reunião dos
8 - IN evidenciado no
empresários
relatório da
(Autos de Ação

Controlada, Relatório de Informações D.O
01 OL

183/2015/Coord.Op./GAECO), no qual constam revelações a respeito


0/2 AR

de certames licitatórios passados, bem como sobre o caráter


contínuo e antigo dos pagamentos de propina. Neste sentido,
9/1 - C

registre-se, ainda, que há informações nos autos que revelam que


o esquema de pagamento de propina existe dentro da SEDUC/MT desde
: 1 30

o ano de 2014 (vide Termo de Declaração de José Henrique Marinon


Em 8579

Sl:ephan, fls. 881/883/GAECO)

Deveras, a i.nvestigacão aponta para uma organização



11

criminosa estruturalmente organizada em modelo tipicamente


65

gerencj,a.l de administração, já que é formada po::::- quatro núcleos


r: 0

I
, . que ostentam, ao mesmo tempo, autonomia e interdependência
reciproca, cuja soma de atividades proporciona o funcionamento
po

da engrenagem criminosa, haja vista que; ambos os centros se


sso

completam par" manifestar a vontade da organização criminosa


como ocorre, muta tis mutand.Í SI nos atos administrativos
pre

complexos.
Im

Página 24 de 89
GAB/PGRl


Fls000540 \
_ _ _ _---c:=iI

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO ô09

RA
Neste sentido, por ora é possível vislumbrar os segu~nt:es

núcleos:

RI
LA
• NÚCLEO DE LIDERANÇA: é integrado por ALAN AYOUB

DE
MALOUF, PERMÍNIO PINTO FILHO e outras pessoas ainda

•.- nào individualizadas. Sob a responsabilidade deste

:36 AN
núcleo está a formulaçào, aprovação e a garantia de

:46 C
implementacào e desenvolvimento de esquemas

14 E S
criminosos dentro da Secretaria de Estado de
Educação, Esporte e ~azer de Mato Grosso, além deI
8 - IN
possivelmente, outros órgàos, os quais se
01 OL

desenvol vem sob as ordens dos integrantes desta


0/2 AR

cúpula. Para tanto, seus componentes se valem do


poder político-funcional, relacionado às funcões
9/1 - C

legais atribuídas aos cargos públicos em que sào ou


foram investidos, bem como do poder político-
: 1 30

econômico, at i_nente ao financiamento de campanhas


Em 8579

políticas, dívida dos financiados paga pela

• acettação
prerrogativas
da
dos
ingerênc.1.a
cargos/manda1:os
na utilizacào
em que
das
são
11

investidos. Os elementos deste núcleo sào os


65

destinatários da maior porçào da propina arrecadada


r: 0

pelos agentes públiCOS através do operador GIOVANI


BELATTO GUIZARDI;
po
sso

• NÚCLEO DE AGENTES PÚBLICOS: dele fazem parte I1ANDER


LUIZ DOS REI , f1'cE,!:º_ER_IC;_E!<.~, I:l0ISES DIAS DA SILVA
pre

e JUI,IANO JORGE IffiDDAD, funcionários públicos da


Secretaria Estadual de Educaç!o, Esporte e Lazer de
Im

Mato Grosso - SEDUC/MT, e, possivelmente, outros

Página 25 de 89
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - ------ -
P
MINISTÉRIO PÚBLICO IDO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
se:::-v':do~es C:v mesmo órgão- e de outros órgãos air:da
:)à::; ide-<:::tii-icados. Este é o cer:r:ro respc'':1s&vel pe,r

RI
d;:;:"- fáci~ acs·s:s,o aos emp:::ei teiros a CO~1tratos

LA
administrativos com a SEDUC!MT, através da

DE
colocação de in:ormacões sobre licitações cujo
edital de abertura sequer foi publicado ao dispor


:36 AN
deles.
pessoas
Além disso,

:46 C
ainda

14 E S
não
deste grupo também agem internamente interferindo
nos certames licitat6rios a fim de assegurar que os
8 - IN
com a
identi.ficadas,
concorrência de
os componentes
outras


empresários ligados ao grupo se sagrem vencedores.
01 OL

É certo que tais atuacões se dão sob a liderança de


0/2 AR

PERMíNIO PINTO FILHO, que, por de trás das corcinas,


comanda toda a atividade de seus atores. Estas acões
9/1 - C

são remuneradas por propina paga pelo centro de


empresários.
: 1 30


Em 8579

• NÚCLEO DE OPERAÇÃO: é composto por GIOVANI BELATIQ


GUIZARDI, LUIZ FERNANDO DA COSTA RONDON e LEONARDO
GUIMARÃES RODRIGUES. Os integrantes deste núcleo

11

são os grandes executores de todo o esquema. Atuam


65

como "longa manus" de cada um dos núcleos, são os


r: 0

mandatários de cada um dos centros. Neste compasso,


GIOVN~I GUIZARDI, embora não seja servidor, age em
po

nome dos agentes púb1.i.cos e dos integrantes do


sso

núcleo de lideranca para que estes não apareçam nas


cobranças/recebimentos espúrios de vantagens
pre

pecuniárias pagas pelos componentes do núcleo de


empreiteiros, d.ificultando a percepção de que os
Im

destinatários das vantagens indevidas são

ihll .) 1 :~"l\>~j,lHld<1 .·\ft.~ (i) I~· :)j'i).}II(Ol'!')fhl sl:}t 1I !l,} :J!titl,p, p-'lU;}).M'1' < ~>" ,~~4 >< "
"(~:1;) l'ji}!I:),.:)jl_>':;")lll)J(,I;(J:}j:;J~I.;'-J~II;J:J.;l ~~ ~"< <'"
,~.., ~

Página 26 de 89
GABI PGR \
fls. OOO5 4 1

I---cc---:·=i

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 610

RA
servidores públicos que as recebem e/ou solicita!l:1.
em razão dos cargos públicos que exercem. Por sua

RI
VEZ, LUIZ FERNANDO DA COSTA RONDON e LEONA.qDO

LA
GUIMARÃES RODRIGUES são os mandatários do centro

DE
dos empresártos, já que em nome destes negociam com

• o núcleo de agentes públicos as prestacões e

:36 AN
contraprestações ilícitas que beneficiam a ambos os
.~

:46 C
grupos;

• NÚCLEO DE 14 E S
EMPREITEIROS: é integrado por LUIZ
8 - IN
FERNANDO DA COSTA RONDON, LEONARDO GUI~~RF~S
01 OL

RODRIGUES, MOISES FELTRIN, JOEL DE BARROS FAGUNDES


FILHO, ESPER HADDAD NETO, JOSE EDUARDO NASCIMENTO
0/2 AR

DA SILVA, LUIZ C.~LOS IORIS, CELSO CUNHA F'ERgA~,


9/1 - C

CL.~ICE ~IA DA ROCHA, EDER ALBERTO FRANCISCO


MECIlI.NO, DILERMANO SERGIO CHAVES, FLAVIO GER~LDO DE
: 1 30

AZEVEDO, JULIO HIROCHI Y~~OTO FILHO, SYLVIO PIVA,

••
Em 8579

MÁRIO LOURENÇO SAL EM , LEONARDO BOTELHO LEITE,


BENE:PlTº-__ ".&_!{~;Iº ASSUNÇÃO SAl\jTOS, ALEXANDRE DA COSTA
RONDON, além de outras pessoas ainda não
11

identificadas. Os componentes deste grupo são os


65

9ra~des beneficiários do esquema criminoso que


r: 0

::nal1tém viva a organização cri.m.inosa, já que, em


prejuízo do Estado de Mato Grosso, firmam contratos
po

admintstrattvos sem base na proposta mais vantajosa


sso

para a Administração e valendo-se das informações


privilegiadas e com as acões materiais de apoio
pre

efetivadas pelo núcleo de servidores públicos,


distribuem entre si, atendendo os inte~esses
Im

individ,uais dos seus integrantes, as contrataçoes

Página 27 de 89

----------------------------------------

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especia" Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
RI
carãl:e-r C'cTrsp:e.'t.i.tivo das li~itações ,-'," ~stÇ.jçl

Ir:an:e~.t'd:J .;) s·e'!r "-'nicho do mercado de consu:c.o" a salvo

LA
de outros conCOtTentes que poderiam ofertar

DE
propostas mais vantajosas à Administração Pública.
Em troca do apo.io necessário recebido do núcleo de

:36 AN
agentes públicos, pagam propina a estes durante a

:46 C
execução dos contratos administrativos oriundos das

14 E S
lici tações maquiadas, por ocasião dos pagamentos
efetuados pel.o Estado. Com efeito, LUIZ FERNANDO DA
8 - IN •
COSTA RONDON, LEONARDO GUI~~S RODRIGUES e ESPER
01 OL

~~DDAD NETO são os líderes núcleo de empresários,


0/2 AR

pois LUIZ FERNANDO e LEONARDO GUIMARÃES exercem o


papel de mandatários do grupo tomando decisões em
9/1 - C

nome destes, além de, com a atuação categórica de


ESPER, coordenarem os passos do núcleo no
: 1 30

.'•
assentamento dos interesses pessoais de seus
Em 8579

integrantes.

Como se pode ver, os quatro núcl.eos têm ações engrenadas


11

e se alimentam um do outro garantindo a saúde e a atividade do


65

organismo criminoso, cuja estruturação organizacional pode ser


r: 0

representada pelo organograma que segue:


po
sso
pre
Im

Página 28 de 89
GA6/P~
Fls. 000542, l
b-~::---:=,:=J

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO
\311

RA
,------_.

RI
LA
DE
'.•• .. -'
NÚCLEO DE AGENTES PÚBLICOS

:36 AN
f"!

:46 C
14 E S
FÁIllOFRIGERI WA/'DERlUrz
OOSRfIS

I
FR,l,U)f
8 - IN
AS LICITAÇÕEs

I
01 OL
0/2 AR
9/1 - C
: 1 30


Em 8579

NÚCLEO DE EMPRESÁRIOS - FORMAÇÃO DE CARTEL

• •
. . • . • ~
LillZF6U,IAtlOO DA
~

LEONARDO GUl'MARÃES ClOVANl GJJZAA:D.l


11

CC$TA R'XlDC1'l 'tOC:uGtJeS

,. ". ,.,
la la
65

JOEl DE" SARROS JOSe EDUARDO ltnZ CARlOS CE'.SONCLNí.\


~O:SES F=c TP.Hl F...GUI~r:~ I'1ltlQ NASClMEl"ITODA SlLVA !OR~
"""'"
r: 0

la
Q.MUSSfMt.RIA
la • ".
:. la
iuo HllU)S>{!
po

lODER A.!.96nO DlLERlWm !lMiO G8tAlOO


Dt..ROCH!. FRAtJCISCO K-ClANO ~ffiG!O OiA\'ES OE ,l;1EVF-.!Xl '1~OFl,HD
sso
pre
Im

Página 29 de 89
P
MINISTÉRIO PÚBliCO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atua.ção Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
?c~ fire, ins1al :re.Jlat::ar que o conteúdo co p::oceci:r.ento

RI
:"nvestigatóric c:::-iminal 2p·zHQ'ta que/ para au:erir as vantsgens de
rratc.reza àiversi:':'códô. ela buscadas, a orgarli zaçãc

LA
criminosa, formada por mais de vinte e quatro membros, executava

DE
crimes diversos para garantir a saúde do organismo, tais como o
crime de corrupção passiva, cuja pena privativa de liberdade

:36 AN
máxima pode chegar a doze anos de reclusão, como se verá adiante.

:46 C
14 E S
Segundo se apurou, a pessoa de EDÉZIO FERREIRA DA SILVA,
sem integrar a organização criminosa e sem ter o domín:1.o
8 - IN
runcional do rato, auxiliava nas atividades do grupo
01 OL

desempenhando atividades subalternas sob às ordens de GIOVANI


0/2 AR

BELATTO GUIZARDI.
9/1 - C

Neste sentido, EDÉZIO ajudou nas atividades da


organização criminosa ao, a pedido de GIOVANI BELATTO GUIZARDI,
: 1 30

locar a sala comercial n. 1602 no 16° andar do Ed. Avant Gard


Em 8579

Business em nome da empresa EDÉZIO FERREIRA DA SILVA EPP, com a


finalidade
serviu para
de realizacão de
encontros entre
reuniões
integrantes
"reservadas",
da
local
organização
que


11

criminosa, para negociação e recebimento de propina e para


65

entrega ao representante dos empreiteiros de lista de obras


r: 0

públicas que seriam licitadas pela SEDUC/MT, muitas delas antes


mesmo que seus editais fossem publicados, ato necessário aos
po

crimes de fraude ao cô"rótcr competitivo do procedimento


sso

licitatório.
pre

Além disso, apontam os autos que EDÉZIO FERREIRA DA


SILVA, a mando de GIOVANl GUIZ.~qDI, ajudava fazendo composições
Im

individuais de preços da tabela da SEDUC!MT, consu1 tas ao Sistema

"" ;{It 1 lH~:}/I)'), :;.IH1.ji,) :\,l'):{') I!'> ;)(O'~!ln·lOll.l ~.1(,,11 d ~ JII:J,:tl'pl, Dul·\:h\,i'H' ::; (1;, >. ~
, . C::;) I.l!l ~.;) :1,211 :. j;!lfl"/]X<JiJ l~l,W.t?HJ2;) ,"f. ~, ~ ~

Página 30 de 89
----------------------

GA8/ PGR
fls. ODO5 4 3

• -------:::;.""
I

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO
u12

RA
I'ltegrado de PIanejamento, Contabilidade e Finanças - FIPUü~,

que propiciavam a GIOVF.NI saber da ocorrência de pagamentos

RI
feitos pelo Estado de Mato Grosso aos empreiteiros para poder

LA
agilizar o recebimento da proplna, bem como a eventual

DE
distribuição da propina através de depósitos bancários .

•••
:36 AN
FATO 2: CORRUPÇÃO PASSIVA - Empreiteiro José

:46 C
Carlos Pena da Silva
14 E S
8 - IN
Consta nos autos do procedimento investigatório que no
período matutino de dia não precisado, compreendido na primeira
01 OL

quinzena do mês de abri.l do ano de 2015, no Município de Cuiabá,


0/2 AR

Estado de Nato Grosso, PERI'>1ÍNIO PINTO FILHO, à época ocupante do


cargo de Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de
9/1 - C

Mato Grosso, FÁBIO FRJG~RI, à época ocupante do cargo em comissão


: 1 30

de Assessor Especial I, da Secretaria de Estado de Educação -


SEDUC, e I>IJl.NDER LUIZ._PPS__REIS, à época ocupante do cargo em
Em 8579


comissão de Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da
~strutura Escolar, da SEDUC/MT, por intermédio do particular
11

GIOVfu\lI BELATTO GUIZARDI, em razão dos cargos públicos que


65

ocupavam, previamente ajustados, voluntariamente e tendo o


domínio funcional do fato, com a concorrência de ALAN AYOUB
r: 0

MALOUF, Eolicitaram, para si ou para outrem, vantagem indevida


po

de José Carlos Pena da Silva,


sso

Conforme já narrado alhures, à época do fato, PERI1ÍNIO


PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 013/2015, publicado no Diário
pre

Oficial de l1aco Grosso em 02/01/2015 (n. 26447), ocupava o cargo


Im

de Secretá.-c:l.o de E.stado de Educação, Esporte e Lazer àe Mato

Página 31 de 89
P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
ao passe por :':::;-rça de ate ... .::.

RI
12/')::"/2015, OCc.fav::i o ='éJ~~"gD, r1e l'..ssessor Especial :, )J~ve::'" DG~~-

LA
2, da SEDUC/MT, prestando assessoLia direta na Secretaria de

DE
Estado de Educacão desde 02 de janeiro de 2015 (vide anexo I, do
Decreto n. 2.398/2014 e Decreto Estadual n. 233/2015), da mesma

:36 AN
forma que WANDER LUIZ DOS REIS,

DGA-4,
:46 C
publicado no Diário Oficial de Mato Grosso em 28/01/2015, ocupava

14 E S
o cargo em comissão de Direção Geral e Assessoramento,
de Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da
8 - IN
por força do ato n. 563/2015,

Nível

Estrutura Escolar, cia Secretaria de Estado de Educação - SEDUC
01 OL

desde 28 de janeiro de 2015.


0/2 AR

De acordo com a investigação, no ano de 20;5 a empresa


9/1 - C

BRP Construtora Ltàa. I da qual José Carlos Pena da Silva é


proprietário, possuía contrato administrativo de obra pública
: 1 30

(aqui entendida em sentido amplo) firmado com o Estado de Mato


Em 8579

Grosso e atrelado à Secretaria de Estado de Educação, o qual se


encontrava em fase de execução.


11

Segundo se apurou, em dia não precisado compreendido na


65

primeira quinzena do mês de abril do ano de 2015, com o


r: 0

conhecimento e o aval de PERM!NIO PINTO FILHO, José Carlos Pena


da Silva foi contatado por telefone pela secretária de WANDER
po

LUIZ DOS REIS, a qual, em nome de WANDER, o convocou para uma


sso

reunião na sede da SEDUC/MT no dia seguinte, chamamento que foi


atendido por José Carlos.
pre

De acordo com os autos, no dia e hora marcada, ao chegar


Im

na recepção da Superintendência de Acompanhamento e

; ~1 t.l I} I illl~ t~. li ntkic) .'\fl:~:<t),I~·:) (IJ.]1 J(.l' !I)d.l C).lr 11 ,I·) IJ 11:l1";.), <)ll!.lô)., '~Jh' ,
o 'rj:;;) I 'lO·!) .;}'>',I .;bÔ"),J·Jlh.:J:::J;3 J;3 1:12 >lIJ2.:J
Página 32 de 89
GAS/PG"Rl
Fls. OOO5 4 4 \
,
------=.---'

PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO
613

AU
Monitoramento da Estrutura Escolar da SEDUC/MT, José Carlos foi

IR
conduzido pela secretária para conversar, reservadamen~e, com

AR
FÁBIO FRIGERI. Neste diapasão, durante a conversa, COB a plena
ciência, aquiescência e comando de PERMÍNIO PINTO FILHO, FABIO

L
DE
anotou o nome de GIOVANI da DtNAMO CONSTRUTORA e um número de
telefone num pedaço de papel e entregou a anotação a José Carlos,

:36 AN
dizendo que GIOVANI resolveria todos os problemas referentes a

:46 C
medição, projetos e pagamentos dentro da SEDUC/MT, não obstante

14 E S
não fizesse parte do quadro de servidores daquela Secretaria.
8 - IN
Conforme consta nos autos, José Carlos aca~ou a
01 OL

orientação dada por FÁBIO FRIGERI e, imediatamente após a


conversa, contatou GIOVANI BELA~TOGUIZP.RDI, que o convidou para
0/2 AR

um encontre na sede da sua empresa (DÍNAMO CONSTRUTOR.") para,


9/1 - C

segundo ele, tratar de interesses de José Carlos. Tendo este


comparecj_do no local, no dia e hora marcada, com o p.l.e::1o
: 1 30

conhecimento, aprovação e ordem de PERMÍNIO PINTO FILHO, GIOVAl'LI.


Em 8579

BELATTO GUIZARDI começou a sondá-lo afi.rmando que sabia que José

• Carlos tinha algumas mediçOes para receber da SEDUC/M?, citando


inclusive os valores, e que pOderia agilizar o recebimento dos
11

paqamentos, desde que José Carlos pagasse a ele o valor


65

percentual de 5% (cinco por cento) sobre o montante monetário


r: 0

que tinha para receber.


po

Revela a investigacão que atuação de GIOVANI BELATTO


GUIZAF.DI foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB
so

MALOUF, que foi o responsável pela tratativa junto a PERt"lÍNIO


s
pre

PINTO FILHO, Secrer.ário de Estado de Educação, Esporte e Lazer


de Mato Grosso à época do fato, de insercão de GIOVJl..NI como
Im

operador do esquema ilici'to em desenvolvimento dentl'o da

Página 33 de 89

----------------------------_._-_.-
PP
MINISTÉRIO PÚBUCO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
S.sD~jC/NT de sc,.l ~ci t.açào E' ]";'e-cebimento de Va!ltager..s ir..devidas· en
::-azão dos carg':J-s públicos: G·ct.:.1pados por PERMÍNIO, ?ÁBIO ?~IGE'?=,

AR
~N}'.l'~DER LUIZ DOS REIS e t'4F~)I-S,L:S: D1.Zl..S DA SILV}\, sendo certo- també:?fi

L
que ALAN MALOUF seria destinatário de farta fatia da propina

DE
eventualmente recebida.


:36 AN
FATO 3: CORRUPÇÃO PASSIVA - Empreiteiro José

:46 C
Carlos Pena da Silva - quatro fatos em
14 E S
continuidade delitiva
8 - IN
01 OL

Consta nos autos do procedimento investigatório que em
0/2 AR

datas não precisadas compreendidas entre o mês de julho de 2015


e a data de 19 de setembro de 2015, no Município de Cuiabá,
9/1 - C

Estado de Mato Grosso, dentro das mesmas condições de tempo,


lugar e maneira de execução, PERj\1íNIO PINTO FILHO, à época
: 1 30

ocupante do cargo de Secretário de Estado de Educação, Esporte


Em 8579

e Lazer de Mato Grosso, FABIO FRIGERI, á época ocupante do cargo


em comissão de Assessor Especial I, da Secretaria de Estado de
Educação - SEDUC, e WANDER LUIZ DOS REIS, à época ocupante do

11

cargo em comissão de Superintendente de Acompanhamento e


65

Monitoramento da Estrutura Escolar, da SEDUC/MT, por intermédio


r: 0

do particular GIOV.'\NI BELATTO GUIZARDI, em razão dos cargos


públicos que ocupavam, previamente ajustados, voluntariamente e
po

tendo o domtnío funcional do fato, com a concorrência de ALAN


so

AYOUB MALOUF, por quatro vezes solicitaram, para si ou para


outrem, vantagem indevida de José Carlos Pena da Silva.
s
pre

Conforme restou consignado nos autos, na ocasião narrada


Im

no \'fato 2 u , ao receber a solicj,tação de pagamento de vantagem

l{q~\YJ :5J,,\ M;IHíl.]!I) !\I\:),<!> 1~'1i)~.)j:llf \.!.)(I.\ f).J( II.t·)dl,~H';,l, (}'ll.1:)~\,M j'
,,";' 1J9,!;)~),l) _0';'909/f '0\0~ I" °1~'Hllj2g •
Página 34 de 89
GAB/PGRl
fls. 000545.·l

l-----c::.=l

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO 614

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
indevida, José Carlos Pena da Silva não cedeu ao ped2.do Daquela
oportunidade, tendo justificado a GIOVAN:;: BELATTO GUIZl'BD: que

RI
possuía duas medições para receber e que o pagamento atinen-ce Et

LA
elas já estava em andamento, todavia, afirmou que em outra

DE
oportunidade atenderia ao pedido .

•er
:36 AN
Assim, em datas nã.o prec.i.sadas do mês de julho de 201~),

:46 C
José Carlos recebeu pagamentos do Estado de Mato Grosso

14 E S
relacionados à execução parcial de contrato adrnj.nistrati.vo
atinentes a novas mediç6es ulteriores.
8 - IN
01 OL

Segundo consta, logo após a ocorréncla de tais


recebimem:os GIOVANL_.13ELJ\.TTO GUIZARDI ligou para ,Tosé Carlos e
0/2 AR

solici tou o paq-amento da vantagem indevida a qlH? este havia se


9/1 - C

comprometido d.izendo \\ vamos tomar um ca.fez.i.nho'?" I ao que José


Carlos disse que o procurar.ia.
: 1 30

•e
Em 8579

Consta também dos autos que dias depois GIOVANI BELli.TTO


GUIZAT-<.DI LigOl; novamente para José Carlos e solicitou o pagamento
d.a vantagem. .indev ida a que este havia se comprometido dizendo
11

"precisamos cornTersar" f ao que José Carlos disse-lhe que assim


65

que pudesse levaria a propina.


r: 0

Neste diapasão, tendo em vista que ~Tosé Carlos não foi


po

de pronto ao encontro de GTOV.'lliI 3ELATTO GUIZAEDI para entregar-


sso

lhe a propina, este ligou ITl('"d.s uma vez para lJosé Carlos
solicitando-lhe o pagamento da vantagem indevida dizendo "vamos
pre

tomar aqllele cafezinho?U


Im

Página 35 de 89
P
MINISTÉRIO PÚBLICO IDO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especi:al' Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
?egis-::::-ado es-::b :10:3' autos., ai:lda, que em 19 de seterJ>ro.

RI
LA
dizendo "você não vai vir trazer- o combinado?".

DE
Revela a investigação que atuaçao de GIOVANI BELATTO


:36 AN
c:;UI~ARDI"

MALOUF,
PINTO FILHO,
foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB

:46 C
que foi o responsável pela tratativa junto a PERMÍNIO

14 E S
Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer
de Mato Grosso a época do
8 - IN
fato, de inserção de GIOVANT como

operador do esquema ilícito em desenvolvimento dentro da
01 OL

SEDUC/MT de solicitação e recebimento de vantagens indevidas em


0/2 AR

razão dos cargos públicos ocupados por PERMÍNIO, FÁBIO FRIGERI,


WANDER LUIZ DOS REIS e MOISES DIAS DA SILVA, sendo certo também
9/1 - C

que ALAN MALOUF seria destinatário de farta fab.a da propina


eventualmente recebida.
: 1 30


Em 8579

FATO 4: CORRUPÇÃO PASSIVA- Empreiteiro José


Carlos Pena da Silva

11
65

Consta nos autos do procedimento investigat6rio que por


volta do dia 27 de outubro de 2015, no Município de Cuiabá,
r: 0

Estado de Mato Grosso, PERMÍNIO PINTO FILHO, a época ocupante do


po

cargo de Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de


Hato Grosso, FABIO FRIGERI, à época ocupante do cargo em comissão
sso

de Assessor Especial I, da Secretaria de Estado de Educaç!o -


SEDUC, e ~~DE.l:' LUIZ Dº"'-Bp;I~, à época ocupante do cargo em
pre

comissão de Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da


Im

Estrutura Escolar, da SEDUC/MT I por intermédio do particular

Página 36 de 89
GABIPG!fl
FIsOD0546 \
____
,
~:=.i

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO
615

RA
GIOVAl'.JI BELl>3TO GUI ZARDI, em razão dos cargos públicos que
ocupavam t previamente ajustados, voluntariamente e tendo o

RI
domínio funcional do Iato, com a concorrência de ALAN AYOUB

LA
MJl.LOUF, solicitaram, para si ou para outrem, vantagem indevida

DE
de Josê Carlos Pena da Silva .

•e-·
:36 AN
As provas colacionadas ao Procedimento Investigatóri.o

:46 C
Criminal n. 07/2015/GJI.ECO de~lonstram que por volta do dia 27 de

14 E S
outubro de 2015, após as ocorrências narradas acima (convocação
de José Carlos por WANDER LUIZ DOS REIS, encaminhamento de José
8 - IN
Carlos para se encontrar COITo GIOVANI BELATTO GUIZARDI dado por
01 OL

FF~IO FRIGERI e cobrancas de propina por GIOV.~I GUIZARDI - fatos


02 e 03 -, tudo ocorrj.do com o (:onhecirnento e o aval, bem como
0/2 AR

sob o comando de PERMÍNIO PINTO FILHO), José Carlos Pena da Silva


9/1 - C

recebeu uma ligação de GIOVPLI\JI BELATTO GUI}]\,RDI, que o convocou


a encontrá-lo na Secretaria de Estado de Infraestrutura e
: 1 30

Logística de Mato Grosso - SINFR.I\/MT .

•e
Em 8579

Neste sentido, atendendo ao convite, José Carlos


compareceu no aludido órgão, oportunidade em que, após se
11

ider..tificar, foi conduzido por uma recepcionista até uma escada


65

dentro do órgão (SINFRA) onde GIOVANI GUIZA.R.DI o aguardava.


r: 0

Segundo consta, assim que se encon~rarillnf José Carlos


po

foi imediatamente conduzi.do por 0. ~OVANI BELATTO GUIZA.P.DI até o


veículo utilizado por este, que se encontrava estacionado no
sso

estacionamento da SINFRJ~/MT. Então, ao entrarem no carro, após


pre

ter ligado o condicionador de ar do veículo na potência. máxima,


produzindo-se ruído quase no mesmo volume em que ambos mantinham
Im

diálogo € empunhar um aparelho serne lhante a um gravador ou

Página 37 de 89
--------------------_._-_._._------- ------------
PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
.-I -

IR
L AR
a cinco por cento) sobre os montantes monetários recebidos do

DE
Estado de Mato Grosso pela empresa de José Carlos (BRP)
relaci.onados á execução de contrato administrativo de obra


:36 AN
pública da SEDUC/MT outrora combinado,
atraso.

Revela a
:46 C
14 E S
investigação
8 - IN
que
ou seja,

atuação de
da propina em

GIOVANI BELATTO

GUIZARDI foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB
01 OL

MALOUF, que foi o responsável pela tratativa junto a PEfu'11NIO


0/2 AR

PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer


de Mato Grosso á época do fato, de inserção de GIOVANI como
9/1 - C

operador do esquema ilícito em desenvolvimento dentro da


SEDUC/HT de solicitação e recebimento de vantagens indevidas em
: 1 30

razão dos cargos públicos ocupados por PEPMÍNIO, FÁBIO FRIGERI,


Em 579

WAl"DER LUIZ DOS REIS e HOISES DIAS DA SILVA, sendo certo também
que ALAN MALOUF seria destinatário de farta fatia da propina


18

eventualmente recebida.
51

FATO 5: CORRUPÇÃO PASSIVA -Empreiteiro José


06

Carlos Pena da Silva


r:
po

Const.a nos autos do procedimento investigatório que no


sso

dj.ê 30 de novembro de 2ClS, no Nunicípio de Cuiabá, Estado de


Hato Grosso, PERMíNIO PINTO FILHO, à época ocupante do cargo de
pre

Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Hato Grosso,


Im

FÁB}.O FRIGERI, à época ocupante do cargo em comissão de Assessor

Página 38 de 89
GAB/PG1
Fls.000547
. .=1

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO
516

RA
Especial I, da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC, WAl'\jDER
LUI~pOS REIS, à época ocupante do cargo de provimento e:etivo

RI
de Professor da Educação Básica e lotado na Superintendência de

LA
Acompanhamento e Monitoramento da Es::rutura Escolar, e MOISÉS

DE
DIl<_S DA SILVA, à época ocup2nte do cargo em comissão de

•• Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura

:36 AN
Escolar, da SEDUC!MT, por intermédio do particular GIOVl<.NI

:46 C
BELATTO GUIZARDI, em razão dos cargos públicos que ocupavam,

14 E S
previamente aj ustados, voluntariamente e tendo o domini,()
funcional do fato, com a concorrência de ALAN AYOUB MALOUF,
8 - IN
solicitaram, para si ou para ou,trem, vantagem indevida de José
01 OL

Carlos Pena da Silva.


0/2 AR

As provas colacionadas ao Procedimento Investigatório


9/1 - C

Criminal n. 07!2015!GAECO revelam que em 09 de outubro do ano de


2015 o núcleo de empreiteiros da organização criminosa se reuni.u
: 1 30

para distribuir as licitações da SEDUC!MT que ocorreriam naquele

••
Em 8579

ano, bem como para discutir questões do interesse daquele


departamento frente ao núcleo de servidores públicos, sendo que
em meio às conslderações restou revelado o descontentamento com
11

a atuação de W,~NDER LUIZ DOS REIS na defesa dos interesses do


65

grupo dentro da SEDUC/MT, bem como o desejo de substituí-lo no


r: 0

cargo de Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da


Estrutura Escolar, da Secretaria de Estado de Educação.
po

De acordo com os autos, dias mais tarde, por volta do


sso

dia 27 de outubro de 2015, na ocasião do encontro entre José


pre

Carl.os Pena da Silva e GIOVANI BEJoATTO GUIZARDI nas dependências


da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística de Mato
Im

Página 39 de 89

---------------------------------~---
PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
G:::-ossc - SIl'~f:U:ji-1T, c' s.e-g;''u':;"i::'Jo prenunciou. ao pY':'l~_eirc- q:..:e ;;A.t,\l.DE'.R

'7,CTZ ~cs S-EIS se:-ia suc'stit1Wido por ~10ISfS n~~j\S D~l\ SILV?.

L AR
Neste sentido, apurou-se nos autos que a permuta exigida

DE
pelo núcleo de empresários na reunião e predita por GIOVANI
GUIZ-/\RDI de fato ocorreu, pois no dia 13/11/2015 WANDER LUIZ DOS


:36 AN
REIS foi exonerado do cargo de Superintendente de Acompanhamento
e Monitoramento da Estrutura Escolar da SEDUC/MT
controlada, Diário Oficial n.
MOISÉS DIAS DA SILVA
:46 C
14 E S
8 - IN
foi
o
26659), ao passo que em 17/11/2015
nomeado para o cargo,
(Autos de ação

assumindo,

portanto, não apenas as atribuições legais do cargo de
01 OL

Superintendente, mas também e principalmente, as funções de


0/2 AR

WANDER LU~Z DOS REIS frente ao núcleo de empresários, inclusive


no que se refere ao referendo dos atos de GIOVAl'lI BELATTO
9/1 - C

GUIZARDI na solj.ci tação e recebimento de vantagens indevidas dos


empreiteiros.
: 1 30


Em 8579

Segundo consta, a manobra não afastou WANDER LUIZ DOS


REIS das atividades ilícitas,
fei to para satisfazer as
mas consistiu em mero rearranjo
reclamações dos empresários. Isto

11

porque após ter sido substituído por MOISÉS DIAS DA SILVA no


65

cargo de Superintendente de .n.companhamento e Monitoramento da


r: 0

Estrutura Escolar, WJI.NDER LUIZ DOS REIS - ocupante do cargo de


provimento efetivo de Professor da Educação Básica na Secretaria
po

de Estado de Educacão de Mato Grosso, conforme Decreto Estadual


so

n. 1.150, de 07 de fevereiro de 2000, publicado em 07/02/2000 no


Jiário Oficial do Estado de Mato Grosso -, pelas Portarias
s
pre

SEDUc/00059/2016 (Diário Oficial n. o 26715, fls. 46 e 52) e


SEDUC/00066/2016 (DiãLlO Oficial. n. o 26716, fls. 67/68)
Im

publicadas em 11/02/2016 e 12/02/2016, respectivamente, foi

;~tl \ I} I '1h\~J :.:dllfd.) '\,l,!:(.} I:· ;)(')';11(;101,)(11 c.):}(.1I .1-}"hl>lU,; I, C-;1111;}',~,11'


{~:;;) j'J!H;).:):J.'J -" jICJllj/J:t~ :):i"I.) 1:3221 1:j:~N
Página 40 de 89
GAB/P~
Fls. OlllJ 54 8 l
• I-----=.J

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO
517

RA
lotado na Superintendência de Acompanhamento e l"1oni toramento da
Estrutura Escolar da SEDUC/MT, sendo ent§o mantido no circulo de

RI
atuaç§o.

LA
DE
Neste compasso, após as ocorrências narradas alhures

•• (convocaç§o de José Carlos por 1.ANDER LUIZ DOS REIS,

:36 AN
encaminhamento de José Carlos para se encontrar com GIOVAt'l'I

:46 C
BEI..ATTO GUIZARDI dado por FABIO FRIGERI e cobrancas de prop.ina

14 E S
por GIOVANJ GUIZARDI - fatos 02 e 03 -, tudo ocorrido com o
conheci.mento e o aval, bem como sob o comando de PERl"lÍNIO t'INTO
8 - IN
FILHO), na data de 30 de novembro de 2015, após contato
01 OL

telefônico com GIOVANI BELATTO GUIZ.ARDI, José Carlos Pena da


Silva se dirigiu até o escritório deste e expôs a ele
0/2 AR

dificuldades burocráticas internas da SEDlJC/MT que estaria


9/1 - C

enfrentando na execucão do contrato acl.'l\inistrali vo de obra que


mantinha com a aludida Secretaria.
: 1 30


Em 8579

Na ocasião, após ouvir a demanda, com o pleno


conhecimento, aprovação e ordem de PERM!NIO PINTO FILHO, GIOVl\NI
BELl\TTO GlJIZARDI solicitou a José Carlos o pagamento de vantagem
11

indevida dizendo que para a solução dos problemas apresentados


65

ele precisava pagar o combinado.


r: 0

Revela a invesUgação que atuação de GIOVANI BELATTO


po

GlJIZl\RDI foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB


MALOUF, que foi o responsável pela tratativa junto a PERMíNIO
sso

PINTO FILHO. Secretário de Estado de Educac§o, Esporte e Lazer


pre

de Hato Grosso à época do fato, de inserção de GIOVANI como


operador do esquema ilici.to em desenvolvimento dentro da
Im

SEDUC/MT de solicitação e recebimen'to de vantagens ir.:.devidas em

Página 41 de 89
PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
rê.zàc dos cargcs piÍblico3, (;,cDçados por PSRY';lNIO, ?iiliIC F:? I G::::<': f

AR
~--.:e ALAN MALOUF se:-ie. de'stinatá:::-io de fa!"ta fê.t:'ô ,:;'a p~Jp':'r~s.

L
eventualmente recebida.

DE

:36 AN
FATO 6: CORRUPÇÃO PASSIVA - Empreiteiro José
Carlos Pena da Silva

:46 C
14 E S
Consta nos autos do procedimento investigatório que no
8 - IN •
dia 02 de dezembro de 2015, no Município de Cuiabá, Estado de
01 OL

Mato Grosso, PERMíNIO PINTO FILHO, à época ocupante do cargo de


Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso,
0/2 AR

~ÁBIO FRIGERI, à época ocupante do cargo em comissão de Assessor


9/1 - C

Especial I, da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC, WANDER


LUIZ DOS REIS, à época ocupante do cargo de provimento efetivo
: 1 30

de Professor da Educação Básica e lotado na Superintendênci.a de


Em 8579

l'I.companhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, e MOISÉS


DIAS DA SILVA, à época ocupante do cargo em comissão de
Superintendente de Acompanhamento e Moni.toramento da Estrutura
11

Escolar, da SEDUC/MT, por intermédio do particular GIOVANI


65

BF~LATI5).. GUI~ARDI, em razão dos cargos públicos que ocupavam,


r: 0

previamente ajustados, voluntariamente e tendo o domínio


funcional do fato, com a concorrência de ALAN AYOUB MALOUF,
po

receberam, para si ou para outrem, vantagem indevida de José


Carlos Pena da Silva.
s so

De acordo com o que se apurou na investigação, na


pre

circunstãncia narrada no acima (fato 05), após solicitar propina


Im

a José Carlos Pena da Silva, GIOVANI BELATTO GUIZARDI o colocou

'·H 11 I)! ~/,I), : -.U1t.:I,) ,\11 ~;{.) I ~ - ,)r')':l I( l' I<}ftl (J,)ol .1 JJI ;JI t';_I. '(-;11 l-l:1!) Il\/fif
~;j,) 1.J 1}! 421 . ;IJ1\,}f{. , -<:)jJ Bll.;J';)1J. ' : '" ~ ";
Página 42 de 89
GAB/PGR"l
ris. OLI O54 9 l
---c--."".::::.I

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
em sobreaviso dizendo que entraria em contato para informar o
dia, hora e local da entrega vantagem indevida.

RI
LA
Neste sentido, no dia seguinte, 01 de dezembro de 2015,

DE
em contato telefônico restou combinada a data de 02 de dezembro

•• de 2015 para a entrega da vantagem ilícita, dia em que José

:36 AN
Carlos se deslocou até a sede da empresa. DÍNAl'10 CONSTRUTORA LTD!'.

:46 C
onde se encontrou com GIOVANI BELATTO GUIZARDI, que, com o pleno

14 E S
conhecimento, aprovação e ordem de PERMíNIO PINTO FILHO, recebeu
de José Carlos a quantia de R$ 4.000,00 (quatro mil reais) a
8 - IN
título de pagamento da propina outrora solicitada por GIOVANI.
01 OL

Revela a investigação que atuação de GIOVANI BELATTO


0/2 AR

GUIZJl.RDI toi propiciada e Se deu sob o comando de ALAN AYOUB


9/1 - C

MALOUF, que foi o responsável pela tratativa junto a PERNÍNIO


PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer
: 1 30

de Mato Grosso â época do fato, de inserção de GIOVANI como


Em 8579

operador do esquema i.l.ícito em desenvolvimento dentro da

• SEDUC/MT de solicitação e recebimento de vantagens indevidas em


razão dos cargos públicos ocupados por PERMÍNIO, FÁBIO FRIGERI,
11

WANDER LUIZ DOS REIS e MOISES DIAS Dl'. SILV.D., sendo certo também
65

que ALAN MALOUF foi destinatário de farta fatia da propina


r: 0

recebida.
po

FATO 7: CORRUPÇÃO PASSIVA - Empreiteiro Ricardo


so

Augusto Sguarezi - dois fatos em cont:inuidade


s

delitiva
pre
Im

. - ~.~'Fl'~,,'1il~;~.!.i1 ,.,;:. J. ff " .. et,"":,i'·"'l'r<í.. • -'tt:f "'<"i ~H <,"" ... ".Il~l, ..


l.~::' i'- 1- "<li -~-, ".';\ ~, <

Página 43 de 89
PP
MINISTÉRIO PÚBIUCO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especiafi C0ntra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
CC-:1sta :-'!os au~o.s do· ~'rocedimento investigatór':'~ que elí:'
:iãtS. :-lã::· p:::-ecisê.da: en':re" fe'v2'reiro e anril de 20:5, T"l-:) tj':::J~icip'::Q

AR
de Clliabá, ~s::ado de· :::-lato, ;;:rosso, nas mesmas condições de "Cem:;c,

L
lugar e modo de execução, PERM!NIO PINTO FILHO, à época ocupante

DE
do cargo de Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de


:36 AN
Mato Grosso, FÁBIO FRIGERI, à época ocupante do cargo em comlssão
de Assessor Especial I,
SEDUC, e WANDER LUIZ DOS REIS,

:46 C
14 E S
da Secretaria de Estado de Educação -

comissão de Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da


Estrutura Escolar, da SEDUC/MT,
8 - IN à

por
época ocupante do cargo em

intermédio do particular

GIOVANI BELATTO GUIZARDI, em razão dos cargos públicos que
01 OL

ocupavam, previamence ajustados, voluntariamente e tendo o


0/2 AR

domínio funcional do fato, com a concorrência de ALAN AYOUB

MALOUF, por duas vezes solicitaram, para si ou para outrem,


9/1 - C

vantagem indevida de Ricardo Augusto Sguarezi.


: 1 30

De acordo com üwestigação, no ano de 2015 a empresa


Em 8579

l'-.ROEIRA CONSTRUÇÕES LTDA., de propriedade de Ricardo Augusto


Sguarezi, possuía contrato adJünistrativo de obra pública (aqui
entendida em sentido amplo) firmado com o Estado de Mato Grosso

11

e atrelado à Secretaria de Estado de Educação, o qual se


65

encontrava em fase de execução.


r: 0

Assim, em razão da finalização de parte da obra


po

contratada, em data indefinida entre fevereiro e março do ano de


so

2015, Ricardo Augusto Sguarezi se dirigiu a FÁBIO FRIGERI, à


época ocupante do cargo em comissão de Assessor Especial I da
s
pre

SEDuc/MT, a fim de solicitar a este que fosse realizada pela


Secretaria de Educacão a fiscalização da parcela da obra que
Im

havia sido executada para que se pudesse proceder à medicão da

,~1[,1 IH ~J.)'• . :.!illc)j,) ;\'I.};(t) I';;·Yi.}.;III' lof.}(j., C").}(.ll ['.) .}11111'j.l;{)'Ii·lb:, M'I' ~
t;.~.' ('l!) I;).;):), I. ';<lIUH<I,~·):Jt) 1:)'1;'}J 113.:''';}" •
Página 44 de 89
GAB/PGRl
Fls. 000550
,
1--"":"'..,--:::.1

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 619

RA
ob:ca e assim recebe:c a contraprestacão pecuniária do Estado de
Hato Grosso, oportunidade em que FABIO FRIGERI, com C'

RI
conhecimercto e o aval de PERMÍNIO PINTO FILHO, determinou que

LA
ele procurasse pela pessoa de GIOVANI BELATTO GUIZl'>RDI para

DE
tratar do assunto .

••
:36 AN
Segundo constar inconformado, Ricardo Augusto Sguarezi

:46 C
foi até WANDER LUIZ DOS REIS, á época ocupante do cargo em

14 E S
comissão de Superintendente de Acompanhamento e Honitoramento da
Estrutura Escol ar da SEDUC/MT, para conversar sobre aquela
8 - IN
situação, ocasião em que W\.t'\]DER, com a plena ciência,
01 OL

aquiescência e comando de PERMÍNIO PINTO FILHO, confirmou a


determinação de FÁBIO FRIGERI dizendo que o recebimento das
0/2 AR

medi.cões deveria ser tratado com GIOVANI BELATTO GUIZiffiDI.


9/1 - C

Diante de tal direcionamento, Ricardo Augusto Sguarezi


: 1 30

recebeu de FÁBIO FRIGERI o número do te18fone para o qual deveria


Em 8579

ligar para entrar em contato COm GIOVPJH GUIZARDI. Ao estabelecer


o contato telefõnico com i:; I OVAN I , Ricardo P>ugusto Sguarezi foi
convidado por ele a. comparecer na sede da empresa dele, a DÍNT'\MO
11

CONSTRUTORA.
65
r: 0

De acordo com os autos, cerca de um mês após o contat:o


telef6nico, Ricardo Augusto Sguarezi foi até a sede da empresa
po

D1NAMO CONSTRUTORA para conversar com GIOVANI BELATTO GUIZARDI


e foi por ele atendido. Na ocasiào, com o pleno conhecimento.
sso

a.provação e ordem de PERMÍNIO PINTO FILHO, GIOVANI se apresentou


pre

como o "Secretário de Íato U dizendo que era o novo "chefe" para


determinar os pagamentos relativos a obras na SEDUC/!1T e entào
Im

solicitou de Ricardo vantagem pecuniária indevida consistente

Página 45 de 89
6

PP
MINISTÉRIO PÚBtlCO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
n~ma "comissão" de 5~, tc~nco, por cento) sobre o valor da ~ed~ção,

par-a q:J.e a e~presa ·:i:e R:ii.car€h:r pudesse receber seu crédito ~Llr..:o-

L AR
DE
Conforme consignado na investigação, no momento da
solici tação da propina GIOVJ'-.NI ostentava o poder de fato que


:36 AN
tinha dentro da SEDUC/tvrT,

:46 C
relatóri.o contendo todas as medições e contratos que a empresa

14 E S
deste tinha com a Secretaria de Estado de Educação.
8 - IN
mostrando a Ricardo Sguarezi um


Está consignado nos autos do procedimento investigatório
01 OL

que após o encontro com GIOVANI GUIZARDI, Ricardo Augusto


0/2 AR

Sguarezi reclamou da cobrança da propina com WANDER LUIZ DOS


REIS e com FABIO FRIGERI por di versas vezes, todavia, os dois
9/1 - C

últimos, com a plena ciência, aquiescência e comando de PERMÍNIO


PINTO FILHO, mantiveram o direcionamento anteriormente dado
: 1 30

dizendo-lhe que a questão deveria ser tratada GIOVANI GUIZARDI .


Em 8579

Neste contexto,
WANDER, Ricardo novamente foi ao encontro de GIOVANI
diante da Irredutibilidade de FABIO e
GUIZF~DI na -.
11

sede de empresa DíNAMO e, ao ser atendido por ele, GIOVANI


65

B~l,l\TTO_GUIZAP,DI, com o pleno conhecimento, aprovação e ordem de


r: 0

PERMÍNIO PINTO FILHO, novamente solicitou-lhe propina dizendo


que se ele quisesse receber os valores a que tinha direito em
po

razão da execucão de contrat.os administrativos com a SEDUC/MT


so

teria que pagar uma "comissão" de 5% (cinco por cento) .


s
pre

Revela a investigação que atuação de GIOVA})I BELATTO


GUIZARDI foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB
Im

MALOUF, que foi o responsável pela tratativa junto a PERMíNIO

~n.llll) ~ :J/1l~. :ldHh>lf) :\I);~:{'J I . ;)«)'lll(:"I,)'I.l Sl.J(.l).1 ~\Jtl!lH'I'" 1)11[.1:1\ Ml "


'v "x v~~ oN,!' ,,,,·~1~::)/:lI)J:)··O).1 ·;;j]j)9",t.(.}~+.j~I,,.:{~/I,t~~ ,;{,~ ,

Página 46 de 89
GAB/PG~
OD~5 51~


Fls.

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
PINTO fILHO, Secretário de Estado de Educaç~o, Esporte e Lazer
de Mato Gr"osso à época do fato, de insercão de GIOVANT como

RI
operador do esquema ilícito em desenvolvimento dentro

LA
SEDUC/MT de solicitação e recebimento de vantagens indevidas em

DE
razão dos cargos públicos ocupados por PERI1ÍNIO, FÁBIO FRIGERI,

•• WANDER LUIZ DOS REIS e MOISES DIAS DA SILVA, sendo certo também

:36 AN
que ALAN MALOUF seri" destinatário de farta fati3 da propina

:46 C
eventualmente recebida.

14 E S
FATO 8: CORRUPÇÃO PASSIVA - Empreiteiro RICARDO
8 - IN
AUGUSTO SGUAREZI
01 OL
0/2 AR

Consta nos autos do procedimento investigatório que em


data não precisada no segundo semestré) do ano de 2015, no
9/1 - C

Município de Cuiabá, Estado de Mato Grosso, PERMíNIO PINTO FILHO,


: 1 30

à época ocupante do cargo de Secretário de Estado de Educação,


Esporte e Lazer de Mato Grosso, MOISÉS DIAS DA SILVA, à época
Em 8579


ocupante ào cargo em comissão de Super.intendente de
Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar., da
11

SEDUC/MT, com a concorrência de FÁBIO FRIGERI, à época ocupante


65

do cargo em comissao de Assessor Especial I, da Secretaria de


Estado de Educação SEDUC, v/ANDER LUIZ DOS REIS, á época
r: 0

ocupante do cargo eie provimento efetivo de Professo" da Educação


po

Básica e lotado na Superintendência de Acompanhamento e


Moni toramento da Estrutura Escolar, e do particular GIOVlmI
so

BELATTO GTJIZJI.RDI, em razão dos cargos públicos que ocupavam,


s

previamente ajustados, voluntariamente e tendo todos o domínio


pre

funcional do fato, em ra.zão das funcões públicas que


Im

desempenhavam, com a concorréncia de ALAN AYOUB MALOUF,

Página 47 de 89
PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especiô.! Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
s;:<. ici tõ.:ram, para si ou. pa-:!::'E:! o,;~treillf vantagem indevid3 de ?'':ca:-do

L AR
Já foi narrado que no ano de 2015 a empresa AROEIRA

DE
CONSTRUÇÕES LTDA., de propriedade de Ricardo Augusto Sguarezi,
possuía contrato administrativo de obra pública (aqui entendida


:36 AN
em sentido amplo) firmado com o Estado de Mato Grosso e atrelado

:46 C
à Secretaria de Estado de Educação, o qual se encontrava em rase
de execução.
14 E S
8 - IN •
Conforme alhures exposto, por força dos atos n.
01 OL

7.778/2015, publicado em 17 /li /2015 no Diário Oficial de Mato


0/2 AR

Grosso, e 9.186/2016, publicado no Diário Oficial de Mato Grosso


em 02/03/2016, MOISÉS DIAS DA SILVA ocupou o cargo em comi.ssão
9/1 - C

Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura


Escolar, da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC no período
: 1 30

de 17 de novembro de 2015 a 02 de março de 2016.


Em 8579

Foi também descrito que MOISÉS passou a ocupar o cargo


em substi.tuição a WJ1flDER LUIZ DOS .REIS depois das reclamaçoes

11

feitas pelo núcleo de empresários da organização criminosa


65

relatada nesta denúncia.


r: 0

Neste contexto, sob o comando e coordenação de PERMÍNIO


po

PINTO FILHO, MOISÉS DIAS DA SILVi'o recebeu a incumbência de dar


so

continuidade à atividade espúria de WANDER em sintonia com FÁBIO


FRIGERI, consistente na garantia de vantagens aos emprei teiros
s
pre

relativas a obras públicas da SEDUc/MT e, principalmente, de


cobrança de propina em detrimento dos empresários como
Im

contraprestação.

s~ ,~I [,t I): ! ~~J.\ \.; Wlli.;j.) :\I\.);{')


t ",', ['tI;';!] 01~10jr.1 0·1 ( 11 .I.} JIJ ~ll,;,). !)1.1l.1:} '~'I\J111 :.'
'd' "',' ' " l0;:;1IJ1}D42.1:.j"J,~,}/r:lt!?);)J:j'IJJ,2'J1l3 "y , ,

Página 48 de 89
GAB/PGR1
Fls. OOO552
,

• l=,---==---::=l

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
Segundo consta, a manobra não afastou W1UIDSR LUIZ DOS
REIS das atividades ilicitas, mas consistiu em mero rearranjo

RI
fei to pelo núcleo de agentes públicos sob a direcão de PE81-1~NIO

LA
PINTO FILHO para satisfazer as reclamações dos empresãrios. Isto

DE
porque após ter sido subs tituído por MOISÉS DI1'.S DA SILVA no

•.-- cargo de Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da

:36 AN
Estrutura Escolar, \'lANDER LUIZ DOS REIS - ocupante do cargo de

:46 C
provimento efetivo de Professor da Educação Básica na Secretaria

14 E S
de Estado de Educação de Mato Grosso, çonforme Decreto Estadual
n. 1.150, de 07 de fevereiro de 2000, publicado em 07/02/2000 no
8 - IN
Diário Oficial do Estado de Mato Grosso pelas Port.arias
01 OL

SEDUC/00059/2016 (Diário Oficial n. o 26715, fls. 46 e 52) e


SEDUC/00066/2016 (Diário Oficial n.o 26716, fls. 67/68)
0/2 AR

publicadas em 11/02/2016 e 12/02/2016, respectivamente, foi


9/1 - C

lotado na Superintendi'ncia de Acompanhamento e Monitoramento da


Estrutura Escolar da SEDUC/MT, sendo então mantido no circulo de
: 1 30

atuação .

••
Em 8579

Neste enredo, as investigações revelam que ap6s a


substituição de WI-illDER no cargo de Superintendente de
11

Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, surgiram


65

novas medições que deveriam ser feitas para que novos pagamentos
r: 0

por parte do Estado de Mato Grosso fossem efetivados à empresa


de Ricardo Augusto Sguarezi.
po
sso

Assim, no segundo semestre do ano de 2015, Ricardo


Augusto Sguarezi foi até o novo superintendente MOISÉS DIAS DA
pre

gLV1'; para tratar do assunto das medições e do pagamento por


parce do Estado.
Im

Página 49 de 89
----_._- -.-._-------
PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
de P:Sf(~iNIO ?I};TO FI1LtH:O', ~O:ESí,S solicitou de Ricardo o pagane-::lto

L AR
procurar GIOVIL~I BELATTO GUIZARDI e pagar a ele o valor

DE
percentual de 5% (cinco por cento) sobre o montante monetário
das medições que Ricardo já havia recebido, ou seja, propina que


:36 AN
estava "em atraso".

Revela a

:46 C
14 E S
investigação que
GUI_ZAF,DI foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB
8 - IN atuação de GIOVANI BELATTO

MALOUF, que foi o responsável pela tratativa junto a PERMÍNIO
01 OL

PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer


0/2 AR

de Mato Grosso à época do fato, de inserção de GIOVA..l\II como


operador do esquema ilicito em desenvolvimento dentro da
9/1 - C

SEDUC/MT de solicitação e recebimento de vantagens indevidas em


razão dos cargos públicos ocupados por PERMíNIO, FÁBIO FRIGERI,
: 1 30

WANDER LUIZ DOS REIS e ~OI~_E;_~-º;r_!lc~__ DA_:?ILV~, sendo certo também


Em 8579

-.
que ALAN MALOUF seria destinatário de farta fatia da propina
eventualmente recebida.
11

FATO 9: CORRUPÇÃO PASSIVA - Empreiteiro RICARDO


65

AUGUSTO SGUAREZI
r: 0
po

Està nos autos do Procedimento Investigat6rio Criminal


- PIC n. 07/2015/GAECO que em data não precisada no segundo
so

semestre do ano de 2015, no Municipio de CUiaba, Estado de Mato


s

Grosso, PERMÍNIO PINTO FILHO, à época ocupante do cargo de


pre

Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso,


Im

FÁBIO FRIGERI, ã época ocupante do cargo em comissão de Assessor

it'll I) l,i/11', : ',llft!lI<);\1l };<oJ!;- ;),.),:lli.IH.)(H [1:)(:1101:) J113U.;;I, t)lll.l:}.t>M r .


, ,!).J;) J:JI) t)·.j· 11;;-· ;")1)-)1):;- ~~;) I:J '1:~tJ'JH2;}" '" v~ } "

Página 50 de 89
GAS/PGRl
Fls, 000553,

-----,=.]

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Cn'me Organizado - GAECO 622

RA
iCspecial I, da Sec:cetaria de Estado de Educação - SEDUe, :'10ISÉS
DIAS D}\ SILVA, à época ocupante do cargo em c\..Jmlssão de

RI
Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutu:t'0

LA
Escolar, da SEDUC/MT, e WANDER LUIZ DOS REIS, à época ocupante

DE
do cargo de provimento efetivo de Professor da Educação Básica
da SEDUe/NT e lotado na Superint.endência de Acompanhamento e

:36 AN
Monitoramento da Estrutura Escolar, por intermédio do particular

:46 C
GIOVAl'lI BELATTO GUIZARDI, em razão dos cargos públicos que

14 E S
ocupavam, previamente ajustados, voluntariamente e tendo o
dominic funcional do fato, em razão das funções públicas que
8 - IN
desempenhavam, com a concorrência de ALAN AYOUB MALOUF,
01 OL

solicitaram, para si ou para outrem, vantagem indevida de Ricardo


Augusto Sguarezi,
0/2 AR
9/1 - C

De acordo com a investigação, dentro do cenário desc:cito


no "fato 8" acima, em que I~OlSÉS DIAS DA STLVl'., WANDER LUIZ DOS
: 1 30

REIS, Fft~IO FRIGERI e GIOVF~I BELATTO GUIZARDI, sob a batuta de

••
Em 8579

PEru1íNIO PINTO FILHO, somaram esforcas para cobrar propina dos


empresários da construção civi. 1 que mantinham contratos com Co

Secretari,a de Estado de Educacão de Mato Grosso - SEDUC/MT, após


11

MOISÉS DIAS W\ SILVA, com a plena ciência, aquiescência e comando


65

de PEfu"1ÍNIO PINTO FILHO, ter soli.citado a Ricardo Augusto


r: 0

Sguarezi que procurasse por GIOVA!\fI BELhTTO GUIZl'<.RDI e pagasse


a ele o valor percentual de 5'1; (cinco por cento) sobre cs
po

montantes monetários das medições anteriores já recebidas por


Ricardo, no segundo semestre do ano de 2015 Ricardo l'<,1.lgusto
sso

Sguarezi seguiu a determjnacào de MOISÉS e foi ao encontro de


pre

GIOVANl GUIZF.RDI na sede da empresa DÍNAHO de propriedade deste,


Im

h.fiJ,,,;'!.li:'f.ti} ·E~. ~~~('N~~'l..".ffd"';'l'-"~-r T,~. r,"ff. .. >J 'ui ).!<,I l,i! ;;f:~.I. '-I -", ~"
x , (lk~~""ití··"-"~"'-li~'::';i1~t.·;;,,~ .!~" -1'~_ '._ '

Página 51 de 89
6

PP
MINISTÉRIO PÚBLICO D0 ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação EspeciaI Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
Neste di.apasã.o, CvT-,sta que GIOV.F.NI BELAT:'O GtT:::: Zl,.?::=: , erro

L AR
de ?ERMÍNIO_PINTº~ILHO, solicitou vantagem indevida a Ricardo

DE
dizendo que havia autorizado os pagamentos por parte do Estado
efetuados a Ricardo relativos às medições atinentes às obras da

:36 AN
SEDUC/MT ocorridas até aquele momento e que,

cento)

:46 C
Ricardo deveria pagar a ele o valor percentual de S% (cinco por

14 E S
sobre a quantia monetária das medições que Ricardo já
havj.a recebido, ou seja, propina que estava "em atrasou.
8 - IN
01 OL
por esta razão,


Revela a investigação que atuação de GIOVANI BELATTO
0/2 AR

GUIZl'RDI foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB


MALOUF, que foi O responsável pela tratativa junto a PERHíNIO
9/1 - C

PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer


de Mato Grosso à época do fato, de inserção de GIOVANI como
: 1 30

operador do esquema ilícito em desenvolvimento dentro da


Em 579

SEDUC/MT de solicitação e recebimento de vantagens indevidas em


razão dos cargos públicos ocupados por PERMíNIO, FABIO FRIGERI,


18

Wfu~DER LUIZ DOS REIS e MOISES DIAS DA SILVA, sendo certo também
51

que ALAN MALOUF seria destinatário de farta fatia da propina


eventualmente recebida.
r: 06

FATO 10: CORRUPÇÃO PASSIVA- Empreiteiro


po

Dilermano Sérgio Chaves


sso

Consta nos autos do procedimento investigat6rio que em


pre

dia não precisado compreendido entre os meses de abril e maio do


Im

ano de 2015, no Mun.i.cí.pio d.e Cuiabá, Estado de Hato Grosso,

,{lU'} l.i'/Jr',".;'.lIH.;l.) :\,l:}:(') I -vtj)(c)';llf 1,t.}(rJ c) li·ll ,J'~ .JIJ!'ltl'i"l. Gqi·,:}.1·MT


!)dí) f'l1J'~;) ':>:$.J • j";ll.Jli JX"lJ IJd:JtJf !:k:. .
Página 52 de 89
GAB/PG1
Fls. 000554

1=--==---::::.=.J•

PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Cn'me Organizado - GAECO

AU
623

IR
PEPJ:1ÍNIO PINIO FILHO, à época ocupante do cargo de Secretário de
Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso, FÁBIC

AR
FRIGERI, à época ocupante do cargo em comissão de Assessor

L
Especial l, da Secretaria de Estado de Educacão - SEDUC, e WANDER

DE
LUIZ DOS REIS, à época ocupante do cargo em comissão de
Superintendente de Acompanhamento o Monitoramento da Estrutura

:36 AN
Escolar l da SEDUC/MT I por intermédio do particular GIOVP..NI

:46 C
BELATTO GUIZARDI, em razão dos cargos públicos que ocupavam,

14 E S
previamente ajustados, voluntariamente e tendo o domínio
funcional do fato, com a concorrência de ALAN AYOUB MALOUF,
8 - IN
solici taram, para si ou para outrem, vantagem indevida de
01 OL

Dilermano Sérgio Chaves.


0/2 AR

Conforme já narrado alhures, à época do fato ~ERMÍNr()


9/1 - C

PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 013/2015, publicado no Diário


Oficial de Mato Grosso em 02/01/2015 (n. 26447), ocupava o cargo
: 1 30

de Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato


Em 8579

Grosso, ao passo que FABIO FRIGERl, por força do ato n."

• 130/2015, publicado no Diário


l2/01/2015, ocupava o cargo de Assessor Especial I, da SEDUC/MI,
Oficial de Mato Grosso em
11

prestando assessoria direta na Secretaria de Estado de Educação


65

desde 02 de janeiro de 2015 (vide anexo I, do Decreto n.


r: 0

2.398/2014 e Decreto Estadual n. 233/2015), da mesma forma que


WANDER LUIZ DOS REIS, por força do ato n. 563/2015, publicado no
po

Diário Oficial de Mato Grosso em 28/01/2015, ocupava o cargo em


comissão de Direç§o Geral e Assessoramento, de Superintendente
so

de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, da


s
pre

Secretaria de Estado de Educação - SEDUC desde 28 de janej~ro de


2015~
Im

h~",,,," ~,,~ ~ *'~V'.Í:.-';é""- ,:,#,~~"i:14~lL\.,bP~""'" í;':'~'~'JIT,~~~ ~'~Iiti. "';; Ii':.-


1_~r<}'4l ,,:rv1:_ \ . . . ;H' f;y.... ,~t ~

Página 53 de 89
P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
,. Grupo de Atuação Especia'l' Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
Nes':e .:::en-cido! re·vela Livestigação nó

RI
Cç:1Ío~D.e na.::::-:::-ado alhur-e:s·, flX-,r FABIO FRIG2R: 1 1--JAND::::P :"1]1 Z DOS

LA
REIS e GIOVANI BELATTO GUIZARDI, sob a regência de PERMÍNIO PINTO

DE
FILHO, em dia não precisado compreendido entre os meses de abril
e maio do ano de 2015, o empresário Dilermano Sérgio Chaves,


:36 AN
proprietário da empresa ETAG Construções e Comércio LTDA. EPP,

:46 C
que mantinha contrato administrativo com Estado de Mato Grosso

14 E S
relativo a obras públicas da SEDUC/MT, foi contatado por telefone
por uma pessoa não identificada em nome da Secretaria de Estado
8 - IN •
de Educação de 11ato Grosso a qual o convocou para uma reunião na
01 OL

sede da SEDUC/MT, chamamento que foi atendido por Dilermano.


0/2 AR

De acordo com os autos, no dia e hora marcada, ao chegar


9/1 - C

na SEDUC/MT, Dilermano foi atendido por FABIO FRIGERI. Nesta


esteira, durante a conversa, FABIO, agindo com o conhecimento e
: 1 30

o aval de PERMÍNIO PINTO FILHO, anotou um número de telefone num


Em 8579

pedaço de papel e entregou a anotação a Dilermano pedindo que


ele ligasse para aquele terminal telefõnico.


11

Conforme consta, Dilermano acatou o pedi.do de FÁBIO


65

FRIGERI e l.i.gou para o número que deste recebeu, sendo que a


r: 0

ligação foi atendida por GIOVp~I BELATTO GUIZF~DI, que convidou


Dilermano para um encontro na sede da sua empresa (DÍNAMO
po

CONSTRUTOR.'\.) .
sso

Assim, tendo Dilermano comparecido no local, no dia e


pre

hora marcada, GIOVANI BELATTO GUIZARDI, ostentando o poder de


~ato que ti.nha dentro da SEDUc/MT ao deixar claro que tinha
Im

conhecimento de que a empresa de Dilermano tinha créditos a

i~lt 11) l ~!Jl' .. ::dill.;I.) :\tl:)'{') lu j)-(.,,;II(·j.t.!:ul,l t)]r 11 01·) ,JIIljlf'j.l, ()IIl·j;),)·M r
(~:;;) :lI 1;) ';)'1-i1 '"" .;. 1,:ilI~J,t~,).J:J':) "1:3:'lU J: 'lj

Página 54 de 89
GAB/PG-1
Fls. 000555

L-::----==----d

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 624

RA
~eceber daquela Secretaria, atuando com a plena ciência,
aquiescência e comando de PERMÍNIO PINTO FILHO, solicitou

RI
prop.ina a Dilermano dizendo \\E a.i.? Não tem nada?"_

LA
DE
Revela a investigação que atuação de GIOVlI.NI BELATTO

• GUIZARDI foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB

:36 AN
MALOUF, que roi o responsável pela tratativa junto a PERMÍNIO
.~

:46 C
PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educacão, Esporte e Lazer

14 E S
de Mato Grosso à êpoca elo fato, de inserção ele GIOVANI como
operador do esquema ilícito em desenvolvimento dentro da
8 - IN
SEDUC/MT de solicitação e recebimento de vantagens indevidas em
01 OL

razão dos cargos públicos ocupados por PERMíNIO, FÁBIO FRIGERI,


\'IANDER LUIZ DOS REIS e MOISES DIAS DA SILVJI., sendo certo tambêm
0/2 AR

que ALAN MALOUF seria destinatário de farta fatia da propina


9/1 - C

eventualmente recebida.
: 1 30

FATO 11: CORRUPÇÃO PASSIVA Empreiteiro


Em 8579

Leonardo Guimarães Rodrigues dois fatos em

• continuidade delitiva
11
65

Consta nos autos do p~ocedimento investigatório que em


r: 0

data não precisada compreendida entre o final do primeiro


semestre e o início do segundo semestre do ano de 2015, ne
po

Município ele Cuiabá, Estado de Nato Grosso, nas mesmas condições


de tempo, lugar e modo de execução, PERMÍNIO PINTO FILHO, à época
sso

ocupante do ca~go de Secretário ele Estado de Educação, Esporte


pre

e Lazer de Nato Grosso, FÁBIO FRIGERI, à época ocupante do cargo


em comissão de Assessor Espec.i.al I, da Secretaria de Estado de
Im

Educacão - SEDUC, " WANDEI\ LUIZ DOS REIS, á época ocupante do

Página 55 de 89

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
~O:-i:' tora!:\ento d6. ES':rut"il:ca Escolar, da SEDIjC/MT, por i::~e:!:"rr.éd.i:)

RI
cio p.art:"cular GIOVA.NI BEL}:;;']f''F'O GUIZ-ARvI, en razão dos cargos

LA
públj.cos que ocupavam, previamente ajustados, voluntariamente e

DE
tendo O dcrni.nio funcional do fato, com a concorrência de ALAN
AYOUB MALOUF, por duas vezes solicitaram, para si ou para outrem,

:36 AN
vantagem indevida de Leonardo Guimarães Rodrigues.

JER ENGENHP~IA
:46 C
14 E S
De acordo com a investigação,
ELÉTRICA E CIVIL LTDA., da qual Leonardo Guimarães
8 - IN no ano de 2015 a empresa

Rodrigues é procurador, possuía contrato administrativo de obra
01 OL

pública (aqui entendida em sentido amplo) firmado com o Estado


0/2 AR

de Mato Grosso e atrelado à Secretaria de Estado de Educação, o


qual se encontrava em fase de execução.
9/1 - C

Conforme já narrado alhures, à época do fato PERMÍNIO


: 1 30

PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 013/2015, publicado no Diário


Em 8579

Oficial de Mato Grosso em 02/01/2015 (n. 26447), ocupava o cargo


de Secretário de Estado de Educação,
Grosso, ao passo que FABIO FRIGERI,
Esporte e Lazer de Mato
por força do ato n. o

11

130/2D15, publicado no Diário Oficial de Mato Grosso em


65

12/01/2015, ocupava o cargo de Assessor Especial I, da SEDUC/MT,


r: 0

prestando assessoria direta na Secretaria de Estado de Educacão


desde 02 de janeiro de 2015 (vide anexo I, do Decreto n.
po

2.398/2014 e Decreto Estadual n. 233/2015), da mesma forma que


sso

WANDER LUIZ DOS REIS, por força do ato n. 563/2015, publicado no


Diário Oficial de Mato Grosso em 26/01/2015, ocupava o cargo em
pre

comissão de Direção Geral e Assessoramento, de Superintendente


de Acompanhamento e Moni toramento da Estrutura Escolar, da
Im

;~q I !l S "1.l~J':!' filt<,i.) :\.r;):<.) I~~ ;Jr')~lt(.lfl,))'lu i)~( 11 oJ·Jdll;ltr.tl. c;lI! l:}.:r,M f
1;::;1 I.:JI) }~:93 1_' ';'Jll.)It~I.{~. .} .I:}2JII . .)..:)

Página 56 de 89
--.---
GAB/PGR

.. t'" nllD556'l
~

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
Secretaria de Estado de Educação - SEDUC desde 28 de jaY1eiro de

2015.

RI
LA
Neste diapasão, revela a investigação que, na

DE
movimentação da engrenagem de cobrança de propina movida,

•.- conforme narrado alhures, por FÁBIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS

:36 AN
REIS e GIOVJl.NI BELF,Tl'O GUIZAf<-_IJ_I-, sob a condução de PERt'1ÍNIO PINTO

:46 C
FILHO, em dia não precisado compreendido entre os meses de junho

14 E S
e julho do ano de 2015, o empresário Leonardo Guimarães Rodrigues
se encontrava no prédio da SEDUC/MT, onde, conl o conhecimento e
8 - IN
o aval de PERMÍNIO PINTO FILHO, recebeu das mãos de FÁBIO FRIGERI
01 OL

e de WANDER LUIZ DOS REIS um bilhete contendo um número de


telefone e o nome de GTOVANI, sendo que pediram que Leonardo
0/2 AR

liqasse para GIOVN'I.


9/1 - C

De acordo com a investigação, Leonardo não acatou dê


: 1 30

pronto o pediào, razão por que cerca de uma semana depois, com


Em 8579

a plena ciência, aquiescência e comando de PERt'1ÍNIO PINTO FILHO,

• FÁBIO FRIGERI o pressi.onou


qual ele nào havia ligado para GIOVANI.
interpelando-o sobre a razão pela
11
65

Diante da insistência de FÁBIO, Leonardo Guimarães


r: 0

Rodrigues efetuou ligação para o terminal telefônico constante


no bilhete, ao que foi atendido por GIOVANI BELATTO GUIZJl.RDT,
po

que convidou Leonardo para um encontro na sede da sua empresa


(DÍNN10 CONSTRUTOR".) .
sso
pre

Assim, tendo Leonardo comparecido no local, no dia e


hora marcada, GIOVfu\!I BELJl.TTO GUIZARDI se mostrou como o
Im

"Secretário de fato" ao dizer que l daquele momento em diante, 05

Página 57 de 89
P
MINISTÉRIO PÚSU:CO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especia.l' Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
~5Sllr:~D5 relac~:;~:ad:o-s à execlJ.;çbo dos con:.ratos administ:-ativcs

RI
Of: ::,bras púb~icas CC'-:T. a S2J:':OC'/MT I tais cono adi t,::" vcs, reaj 'J.si:es
e I pr íncipalmente/:;::,a'ç;,a3le~l'tos:, deveriam ser

LA
DE
Em continuidade, com O pleno conhecimento, aprovação e
ordem de PERMÍNIO PINTO FI'-'HO, GIOVAl'U GUIZARDI solicitou

:36 AN
propina a Leonardo Guimarães Rodrigues dizendo a ele que para a

:46 C
solução de tais assuntos ele deveria pagar a GIOVANI o valor

14 E S
percentual de 5% (cinco por cento) sobre as quantias monetárias
recebidas, integralmente ou de
8 - IN
forma parcelada, do Estado de

Mato Grosso relativos à execução de contratos administrativos de
01 OL

obras públicas relacionados à SEDUc/HT.


0/2 AR

Segundo consta, Leonardo não concordou com o pagamento,


9/1 - C

ao que GIOVANI, atuando sob o comando de PERMÍNIO PINTO FILHO,


o advertiu de que as questões burocráticas dentro da SEDUc/MT
: 1 30

tornar-se-iam compl.icadas e que os pagamentos dos créditos a que


Em 8579

a empresa ENGENHARIA ELÉTRICA E CIVIL LTDA. teria direito pela


execução de contratos amninistrativos de obras públicas junto à
SEDUC/HT não seriam efetuados.
11
65

De acordo com o que se apurou, após a negativa de


r: 0

Leonardo de efetuar o pagamento da propina, os pagamentos devidos


pelo Estado de Hato Grosso à empresa JER ENGENHARIA ELÉTRICA E
po

CIVIL LTDA. em razão da execução de contratos administrativos de


so

obras públicas da SEDUC/HT começaram a atrasar, sendo que em uma


das ocasiões a documentação ficou retida por WANDER LUIZ DOS
s
pre

REIS por cerca de trinta dias sem qualquer providência.


Im

'RII·1IH .l\IF!:<!) 1, ;)(')')fOdpli,l t'J.ull oIJ;1JII.:3Ii';.l,"(;nj,I;)~í~M I


~hl'.l;:;dHI'JII) ~«
~ 'G,':'1J'H) ,):l'I~, :"l".l/f,· 'Di; J liJ~11J.tli ••
Página 58 de 89
L
[GA8/
PGR
l
oli 055 7_::=1

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO
626

RA
A investigac!o revela que em outra oportunidade houve
novo encontro entre Leonardo Guimar!es Rodrigues e GIOVA1'lI

RI
BELATTO GUIZARDT, circunstância em que este demonstrou .seu poder

LA
de fato dentro da SEDUC/t1T ao apresentar àquele uma planilha em

DE
que constavam todos os val.ores que a empresa JER ENGENHARIA

••. ELÉTRICA E CIVIL LTDA. havia recebido do Estado de Mato Grosso

:36 AN
relativos a contrat.os admi.ni.st.rativos de obras públicas
-

:46 C
atreladas à SEDUC/MT e, em seguida, com a plena ciência,

14 E S
aquiescência e comando de PERMÍNIO PINTO FILHO, solicitou que
Leonardo pagasse a ele o valor percentual de 5'1; (cinco por cento)
8 - IN
sobre o valor total constante na planilha.
01 OL

Revela a investigação que atuaç!o de GIOVAIU BELATTQ.


0/2 AR

GUIZlI.RDI foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB


9/1 - C

MALOUF, que foi o responsável pela tratativa junto a PERNÍNIO


PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer
: 1 30

de Mato Grosso á época do fato, de inserçáo de GIOVANI como


Em 8579

operador do esquema ilícito em desenvolvimento dentro da

• SEDUC/MT de solicitação e recebimento de vantagens i.ndevidas em


razão dos cargos públicos ocupados por PERMÍNIO, FÁBIO FRIGERI,
11

VIANDERLUIZ DOS REIS e MOISES DIAS DA SILVA, sendo certo também


65

que ALAN MALOUF seria destinatário de farta fatia da propina


r: 0

eventualmente recebida.
po

FATO 12: CORRUPÇÃO PASSIVA - Empreiteira


sso

ClariceMaria da Rocha
pre

Consta nos autos do procedimento investigatório que em


Im

dia não precisado no ano de 2015, no Muniei,pio de Cuiabá, Estado

Página 59 de 89
PP
MINISTÉRIO PÚBLICO [)O ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação EspeôaI Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
ds ~-:a'Co Grosso, PERMÍN<:O' PI},f:JO FIL--;-;O, à época ocupar.t:e cio:) cêrgG
de Sec:!:'etá:-ic cie Ss.:ado de I.:clucação , Espo:,:,,~e e :',azer de M·a'tc

AR
GrCSSD/ F?3IO f"R:GS:t:G f à é-po:ca ocupante do cargo e!Tt con':'ssào c.e·

L
Assessor Especial I, da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC,

DE
e WANDER LUIZ DOS REIS, á época ocupante do cargo em comissão de
Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura

:36 AN
Escolar,

previamente
funcional
da
BELATTO GUI ZARDI ,

do
SEDUC/MT,

ajustados,
fato, com a
por

:46 C
intermédio

voluntariamente
8 - IN
do
em razão dos cargos públicos que ocupavam,

14 E S
e
particular

tendo
concorrência de ALAN AYOUB MALOUF,
o
GIOVANI

domínio

sol ici taram, para si ou para outrem, vantagem i.ndevida de Clarice
01 OL

Maria da Rocha.
0/2 AR

De acordo com investigação, no ano de 2015 a empresa


9/1 - C

CONSTRUTORA ROCHA LTDA., da qual Clarice Maria da Rocha é


proprietária, possuía contrato administrativo de obra pública
: 1 30

(aqui entendida em sentido amplo) firmado com o Estado de Mato


Em 579

Grosso e atrelado á Secretaria de Estado de Educação, o qual se


encontrava em fase de execução.


18
51

Conforme j á narrado alhures, à época do fato PERMíNIO


PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 013/2015, publicado no Diário
06

Oficial de Mato Grosso em 02/01/2015 (n. 26447), ocupava o cargo


r:

de Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato


po

Grosso, ao passo que FABIO FRIGE,RI, por força do ato n. o


sso

130/2015, publicado no Diário Oficial de Mato Grosso em


~2/01/2015, ocupava o cargo de Assessor Especial I, da SEDUC/MT,
pre

prestando assessoria direta na Secretaria de Estado de Educacão


desde 02 de janeiro de 2015 (vide anexo I, do Decreto n.
Im

2.398/2014 e Decreto Estadual n. 233/2015), da mesma forma que

Página 60 de 89
[GAB/P~
C 000558 l

... _..=1

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Cn-me Organizado - GAECO
.' .., 7

RA
o~
WANDEE LUIZ DOS REIS, por força do ato n. 563/2015, publicado ;"10

Diário Oficial de Mato Grosso em 28/01/2015, ocupava o cargo em

RI
comissão de Direcdo Geral e Assessoramento, Nível DGA-4, ce

LA
Superintendente de Jl.companhamento e Monitoramento da Estrutura

DE
Escolar, da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC desde 28 de

•. janeiro de 2015 .

:36 AN
--

:46 C
As provas colhidas no procedimento irnrestigatório

14 E S
criminal anexo informam que a empresa CONSTRUTORJI. ROCM LTDJI..
estava enfrentando dificuldade no recebimento por parte do
8 - IN
Estado de Mato Grosso dos valores a que tinha direito em razâc
01 OL

da execução de contrato administrativo de obra pública atrelada


à SEDUC/MT, razão por que Clarice Maria da Rocha efetuou
0/2 AR

reiteradas cobranças junto àquela Secretaria.


9/1 - C

Neste diapasão, revela a investigacão que, na


: 1 30

movimentação da engrenagem de cobrança de propina movida,


Em 8579

conforme narrado alhures, por FABIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS

• REIS e GIOVANI BELl'.TTO GUIZJIBDI, sob J direção de P~RMÍNIO PINTO


FILHO, em dia n2<O precisado no ano de 2015, a empresáriõt Claric8
11

Maria da Eocha, foi contatada por telefone por uma pessoa não
65

jdentificada em nome da Secretaria de Estado de Educacêo de Mate


r: 0

Grosso a qual a convocou pa:::a uma reuniêo com FÁBIO FRTGERI na


sede da SEDUC/MT, chamamento que foi atendido por Clarice.
po

De acorào com os autos J Clarice se reuniu com FÁ.3JO


sso

FRIGERI na sede da SEDUC/MT, oportunidade em que este, com o


pre

conhecimento E) o aval de I'ER,'1ÍNIO PINTO FILHO, a orientou a


procurar pela pessoa de GIOVANI BELl'.'1'TO GUIZARDI a fim de
Im

resol ver o problema relativo ao recebimento de \la lor'es que sua

Página 61 de 89
6

PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
eT:1:;:-,:eesa virü:c. 2nfrent:ã,nd·:) junto à Secre~arió.. Neste ru::-.'::;'/
::~óri.::e Mê.:-ia da. R::-cr.. 2 2: S':O:'lJl.Nl ajustaraí" 1..:1:'. e:-1CO:l.t~:) r.â sede

L AR
DE
Assim, tendo Clarice Maria da Rocha comparecido no local,
no dia e hora marcada, GIOVANI BELATTO GUIZARDI, com a plena

:36 AN
ciência,
solicitou-lhe
aquiescência

resol ver o problema que a


SEDUC/MT,
o

:46 C
pagamento

14 E S
e

relativo ao atraso nos pagamentos pelo Estado de Mato


8 - IN
comando
de
empresa dela
propina
de PERMÍNIO
~~~~~~~--~~

dizendo
vinha enfrentando na
PINTO
que
FILHO,
poderia

Grosso atinentes à execução do contrato administrativo de obra
01 OL

pública, mas que para tanto ela deveria efetuar o pagamento do


0/2 AR

valor percentual de 5% (cinco por cento) sobre o valor do crédito


que sua empresa possu,ída junto ao Estado, pois, do contrário, os
9/1 - C

pagamentos ficariam estagnados na Secretaria.


: 1 30

Consta nos autos que Clarice Maria da Rocha não efetuou


Em 8579

de pronto o pagamento da propina e que os pagamentos por parte


do Estado de Mato Grosso à sua empresa atrasaram por cerca de
oitenta dias, período dentro do qual GIOVANI SELATTO GUIZARDI,

11

com o pleno conhecimento, aprovação e ordem de PERMÍNIO PINTO


65

FILHO, através de mensagens de texto, por vérias vezes tentou


r: 0

entrar em contato com Clarice.


po

Revela a investigação que atuação de GIOVANI BEl,!".TTO


so

GUIZARDI foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB


MALOUF, que foi o responsável pela tratativa junto a PERMíNIO
s
pre

PINTe FILHO, Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer


de Mato Grosso à época do fato, de inserção de GIOVANI como
Im

operador do esquema ilícito em desenvolvimento dentro da

i~ll.l I} t ~/I)"', ;~ II/{,;t,> :"f;":<') I . ;)"),:lJ( "1,)(f,1 t....::t:ll rl } JIt::llt,~ I, GIII.l~),l.MI


v < r;.!i;) I:Nj;) :'hH ~ ;:"IIDIJ~I~(. 13 l:l~1"';H:J .
Página 62 de 89
GAB/PGR"l

6
fls(Jl10559 r

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 628

RA
SEDUC/MT de solicitacão e recebimento de vantagens indevidas em
razão dos cargos públicos ocupados por É't::.!,.HÍNIO, FÁBIO FRIGERI,

RI
V/ANDER LUIZ DOS REIS e HOISES Dlil.S Dl' SILVA, sendo certo também

LA
que ALAN MALOUF seria destinal:ário de farta fati.a da propina

DE
eventualmente recebida .

•.-
:36 AN
FATO 13: CORRUPÇÃO PASSIVA - Empreiteiro Eder

:46 C
Alberto Francisco Meciano

14 E S
8 - IN
Consta nos autos do procedimento investigatório que em
data não precisada compreendida, possivelmente, entre os meses
01 OL

de janeiro e agosr:o do ano de 2015, no Município de Cuiabá,


0/2 AR

Estado de l1ato Grosso, PERNÍNIO PINTO FTLHO, à época ocupante do


cargo de Secretário de Estado de Educacão, Esporte e Lazer de
9/1 - C

Mato Grosso, FÁBIO FHIGERI, à época ocupante do cargo em COTIllSSaO


: 1 30

de Assessor Especial I, da Secretaria de Estado de Educacão -

• SEDUC, e WN-lPER LUIZ DOS REIS, à época ocupante do cargo em


Em 8579


comlssão de Superintendente de Acompanhamento e l1onitoramenLo da
Estru·tura Escolar, da SEDUc/HT, por intermédio do particular
11

GIOVANI BELATTO GUIZARDI, em razão dos cargos públicos que


65

ocupavam, previamente ajustados, voluntariamente e tendo o


àomínio funcional do [ato, com a concorrência de ALAN AYOUB
r: 0

MALOUF, solicitaram, para si ou para outrem, vantagem indevida


po

de Eder Alberto Francisco Meciano.


sso

De acordo com investigação, no a.no de 2015 a empresa


GEOTOP CONSTRUÇÕES E TERAAPLANAGE.l1 LTD1'.. , da qual Eder il.lberto
pre

Francisco Meciano é proprietário, possuía contrato


Im

administrativo de obra pública (aqui entendida em sentido amplo)

- Jw. .<:lJ:'.,.ií'i,..~~r;'?f~~\-;-''\1:'lb""''If-:.{F;-ilio-.0J.!f',"'Jrr·c . . !.\!;.~-'i~;~.:. "1 l'!' lO> •


tJ~-~C r",.0)'n :,t_", r;. Tii; ~t~r}- ~l.tf< . ~ ;;
Página 63 de 89

---------------------------_._--_._----- -
P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
, .
I,.;
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
~s:adc de ~d~cac~o, qua~ se enco~t~ava em fase de exec~c~o.

RI
8

LA
Conforme já narrado alhures, à época do fato PERMÍNIO

DE
PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 013/2015, publicado no Diário
Oficial de Mato Grosso em 02/01/2015 (n. 26447), ocupava o cargo

:36 AN
de Secretário de Estado de Educação,
Grosso,
130/2015,
ao passo
publicado

:46 C
que

14 E S no
FABIO

12/01/2015, ocupava o cargo de Assessor Especial I, da SEDUC/MT,


8 - IN Diário
FRIGERI,
Oficial
Esporte e Lazer de Mato
por
de
força
Mato
do ato
Grosso
n.o
em

prestando assessoria direta na Secretaria de Estado de Educação
01 OL

desde 02 de janeiro de 2015 (vide anexo I, do Decreto n.


0/2 AR

2.398/2014 e Decreto Estadual n. 233/2015), da mesma forma que


('iANDER LUIZ DOS REIS, por força do ato n. 563/2015, publicado no
9/1 - C

Diário Oficial de Mato Grosso em 28/01/2015, ocupava o cargo em


comissão de Suped.ntendente de Acompanhal'lento e Monitoramento da
: 1 30

Estrutura Escolar, da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC


Em 8579

desde 28 de janeiro de 2015.

Neste diapasão, revela a investigação que, na



11

movimentação da engrenagem de cobrança de propina movida,


65

conforme narrado alhures, por FÁBIO FRIGERI, WA."IDER LUIZ DOS


r: 0

REIS e GIOVANI BELATTO GUIZARDI, sob o governo de PERMÍNIO PINTO


FILHO, em dia não precisado, possivelmente, entre os meses de
po

janeiro e agosto do ano de 2015, o empresário Eder Alberto


sso

Francisco Heciano se encontrava no prédio da SEDUC/MT, onde


recebeu das mãos de FABIO FRIGERI um bilhete contendo um número
pre

de telefone e o nome de GIOVANI, sendo que FABIO, com o


conhecimento e o aval de PERMÍNIO PINTO FILHO, pediu que Eder
Im

ligasse para ~IO~ANI.

;~lIl i) ~ .:l1ll''',.::.IU1;;fo) :'tl'y'<t} 1~· :)(.)':tI{.Ht')i'!:l t'i-1i'l1 .l:} J~t::H!'i I, (:1J1.lb.~,M f ~q


~ ~ I):':i) (jl} ~,).;)J. I ~. ;~I)I\JH~I;~il:J f. H:jtzJ\;J.2;J

Página 64 de 89
GAB/PG!fl
Fls. 000560 I
,
--------~

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 629

RA
De acordo com a investigação, Eder não acatou de pronto
o pedido, razão por que cerca de quinz.e di.as depois, percebendo

RI
ql.le os pagamentos devj.dos a sua empresa por pa,r-te do Estado de

LA
Mato Grosso em decorrência da execução do contrato

DE
administrativo atrelado á SEDUC/MT começaram a atrasar, efetuou

• ligação para o terminal telefônico constante no bilhete, ao que

:36 AN
foi atendido por GIOVANI BELATTO GUIZARDI, que convidou Eder
.~

:46 C
Meciano para um encontro na sede da sua empresa (D1N~~O

14 E S
CONSTRUTORA) . 8 - IN
Assim, Lendo Eder Meci.ano comparecido no local, no dia
01 OL

e hora marcada, GIOVANI BELATTO GUIZARDI, com a plena ciência,


aquiescência e comando de PERMíNIO PINTO FILHO, apresentou a ele
0/2 AR

uma planilha contendo todas as informacões a respeito do contrato


9/1 - C

adll1inistrativo de obra pública da SEDUC/MT que a empresa GEOTOP


CONSTRUÇOES E TERKz\PLANACiEM LTD~.. mantinha com o Estado de Hato
: 1 30

Grosso, inclusive com os valores dos créditos da empresa junto


Em 8579

ao Estado, e solicitou-lhe o pagamento de propina no valo;:

• percentual de 5% (cinco por cento) sobre os montantes monetãrios


que Eder viesse a receber, para fins de agilizar a efetivação
11

dos pagamentos pelo Estado.


65
r: 0

Revela a investigacão que atuacão de GIOVIUn BELATTO


GUIZARDI foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB
po

MALOUF, que foi o responsável pela tratativa junto a PERMÍNIO


PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educação, Esporte e _,"azer
sso

de Mato Grosso à época do fato, de .inserção de c; IOVANI como


pre

operador do esqueilla ilícito em desenvolvimento dentro da


SEDUC/HT de solicitação e recebil'lento de vantagens indevidas em
Im

ra zão cios ca rgos públ icas ocupaàos por PER1."~íNIO, FÁBIO r.__RIGERI I

Página 65 de 89

----------------------------- - ------
PP
MINISTÉRIO PÚBLICO no ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especia.l' CDntra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
~~]1..:\j=:SP' LUIZ [iOS REIS e ifl€}IS5S D1F.S D.?. SILVA, s.er:ào cer:o ~a:n:Oém

~-..:e ALA.N MALOUF' se::-:a destinatário de farta ::a,:ia da o:-oc':;r:a

AR
event~alme~te recebida.

L
DE
FATO 14: CORRUPÇÃO PASSIVA - Empreiteiro José


:36 AN
Eduardo Nascimento da Silva

:46 C
14 E S
Consta nos autos do procedimento investigatório que no
meado do ano de 201.5, antes, porém, de 17 de novembro do mesmo
8 - IN •
ano, no Município de Cuiabá, Estado de Mato Grosso, PERMíNIO
01 OL

PINTO FILHO, à época ocupante do cargo de Secretário de Estado


de Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso, FABIO FRIGERI, à
0/2 AR

época ocupante do cargo em comissão de Assessor Especial I, da


9/1 - C

Secretaria de Estado de Educação - SEDUC, e WANDER LUIZ DOS REIS,


à época ocupante do cargo em comissão de Superintendente de
: 1 30

Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura Escolar, da


SEDUC/MT, por intermédio do particular GIOVANI BELATTO GUIZARDI,
Em 8579

em razão dos cargos públicos que ocupavam, previamente


ajustados, voluntariamente e tendo o domínio funcional do fato,
11

com a concorrência de ALAN AYOUB MALOUF, solicitaram, para si ou


65

para outrem, vantagem indevida de José Eduardo Nascimento da


Silva.
r: 0
po

De acordo com investigação, no ano de 2015 a empresa


APICE CONSTRUTORA, INCORPORADORA E IMOBILlAAIA EIRELI, da qual
so

José Eduardo Nascimento da Silva é proprietário, possuia


s

contrato administrativo de obra pública (aqui entendida em


pre

sentido amplo) firmado com o Estado de Mato Grosso e atrelado à


Im

Secretaria de Estado de Educação, o qual se encontrava em fase

;~Il I IH ~-);'l\ :i. llikl.) :\Il·f(.) 1- - :>I')'}lIj\)o!.)(l-l Ç).H .1 ri.) :;.)JHU'jll, (~~II.l:}:·1 M (~
,Ç:;;;) I~W S:l ~l:~ t ~. ;:Im:)j')~ sl-iJ IJ ,I:)'~'l{ I@~

Página 66 de 89
[G:AS I PGRol
t00561
_ o __ =!

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 530

RA
de execução e cujos pagamentos estavam suspensos I razão pela
qU21 José Eduardo foi até a SEDUC/MT por várias vezes para cobrar

RI
os pagamentos r tratando do assunto com Wp~DER LUIZ DOS REIS.

LA
DE
Conforme j á narrado alhures, á época do fato PERMÍNIO
PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 013/2015, publicado no Diário

:36 AN
Oficial de Mato Grosso em 02/01/2015 (no 26447), ocupava o cargo

:46 C
de Secretário de Estado de Educaçao, Esporte e Lazer de Mato

14 E S
Grosso, ao passo que FABIO FRIGERI, por forca do ato n. o

130/2015, publicado no Diário Oficial de Mato Grosso em


8 - IN
12/01/2015, ocupava o cargo de Assessor Especial I, da SEDUC/MT,
01 OL

prestando assessoria dirGta na Secretaria de Estado de Educaçao


desde 02 de janeiro de 2015 (vide anexo I, do Decreto n.
0/2 AR

20398/2014 e Decreto Estadual no 233/2015), da mesma forma que


9/1 - C

\'lAl\lDER LUIZ DOS REIS, por força do ato no 563/2015, publicado no


Diário Oficial de Mato Grosso em 28/01/2015, ocupava o cargo em
: 1 30

comissão de Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da


Em 8579

Estrutura Escolar, da Secretaria de Estado de Eduoação - SEDUC

• desde 28 de janeiro de 2015 .


11

Neste diapasao, revela a investigação que, na


65

movimen\:açao da engrenagem de cobrança de propina movida,


r: 0

conforme narrado alhures, por 1;-:1\3IO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS


REIS e ~IOVANI BELATTO GUIZ.ARDI, sob a administração de PERMÍNIO
po

PINTO FTLHO, em dia não precisado, no meado do ano de 7015,

antes, porém, de 17 de novembro do mesmo ano, numa das tentativas


sso

de cobrança acima relatadas, em reunião com \'IANDER LU~o2: DOS R!ê)S,


pre

este, com o conhecimento e o aval de PERl'líNIO PINTO FILHO, disse


que os pagamentos estariam sGndo providenciados, mas que José
Im

Página 67 de 89
6

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
:C!T.ecel1co-1L2 o de" ze'lefone de GIOVANI.

RI
11t:.Tt"112T'O

LA
De acordo com a investigação, José Eduardo entrou em

DE
contato com GIOVANI GUIZARDI pelo número telefônico fornecido
por WANDER, de modo que restou acertada uma reunião com GIOVANI


:36 AN
na sede da empresa dele

e hora marcada,
Assim,

:46 C
14 E S
(DÍNAMO CONSTRUTORA) .

tendo José Eduardo comparecido no local,


GIOV1I1H
8 - IN
BELATTO GUIZARDI, agindo com a plena
no dia

ciência, aquiescência e comando de PERMÍNIO PINTO FILHO, afirmou
01 OL

que poderia ajudar no recebimento dos créditos que a empresa


0/2 AR

J\.PICE CONSTRUTORA, INCORPORADORA E IMOBILIÁRIA EIRELI, tinha


junto ao Estado relativos à execução de contratos
9/1 - C

administrativos de obras públicas da SEDUC/MT, mas que precisava


fazer um levantamento da situação da empresa junto à aludida
: 1 30

Secretaria.


Em 8579

Conforme
encontro com GIOVANI GUIZARDI,
consta nos autos, cerca
José Eduardo voltou à SEDUC/MT
de um mês após o
-.
11

para tratar de questões relativas ao recebi.mento dos créditos


65

pela sua empresa, oportunidade em que mais uma vez se encontrou


r: 0

com WANDER LUIZ DOS REIS, que, sob a direção de PERMÍNIO PINTO
FILHO, lhe determinou que ligasse para GIOVANI GUIZARDI pois
po

este queria falar com ele, determinação acatada por Josê Eduardo,
so

de modo que um novo encontro com GIOVANI na sede da empresa


DÍNAMO foi marcado.
s
pre

Neste sentido, tendo .José Eduardo comparecido no Jocal,


Im

no dia e hora marcada, GIOVANI BELATTO GUIZARDI afirmou-lhe que

~ ,,,~, ;~II) i)l~"j,,)), :[.lilt,d,) "11 H.) 1;-"·:H)('Jt:~lf.l.ltJ(j.J(J.r(.1I.1.~ 'M::'l\J',-t, (}lllllJ;'t.M,1 " »? e

:0 .~j{;) I:m J~;';).'), I,; ;I')ll.)J(: ,{':'!lliJ ,1;~~->'I·IJ~~.l.


Página 68 de 89
GAB/PGRl
,1'·000562 l
=:J

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 631

RA
a si tuacão da empresa dele junto á SEDUC/MT esta-va regular e que
ela teria direito a receber um reajusce.

RI
LA
Em seguida GIOVANI GUIZ&~DI, com o pleno conhecimento,

DE
aprovação e ordem de PERMÍNIO PINTO FILHO, solicitou a propina

•.-- dizendo que, para o recebimento do reajuste, José Eduardo deveria

:36 AN
dar entrada no proced.i.mento administrativo junto a SEDUC/MT e

:46 C
que GIOVANI agilizaria o andamento do procedimento dentro da

14 E S
Secretaria, bem como o pagamento à empresa de José Eduardo, desde
que este lhe pagasse o valor percentual de 40% (quarenta por
8 - IN
cento I sobre a quantia monetária que fosse recebida.
01 OL

Revela a investigação que atuação de GIOVANI BELI'.TTO


0/2 AR

GUIZARDT foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB


9/1 - C

MALOUF, que foi o responsável pela tratativa junto a PERHÍNIO


PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer
: 1 30

de Mato Grosso á época do faio, de inserção de GIOVfu\lI como


Em 8579

operador do esquema i11cito em desenvolvimento dentro da

• SEDUC/MT de solicitação e recebimento de vantagens indevidas em


razão dos cargos públicos ocupados por ~E.BHÍNIO, FÁBIO FRIGEI!::f.,
11

WANDER LUIZ DOS REIS e HOISES DIAS D]\. SILVA, sendo certo também
65

que ALAN MALOUF seria destinatário de farta fatia da propina


r: 0

eventualmente recebida.
po

FATO 15: CORRUPÇÃO PASSIVA - Empreiteiro Sylvio


sso

Piva - Tentativa
pre

Consta nos autos do procedimento investigat6rio que em


Im

data não precisada, no inicio do segundo semestre do ano de 20l5,

Página 69 de 89

--------------------- -- ------
6

PP
MINISTÉRIO PÚSLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial' C'Qntra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
õr::::.es, porém, do. 1 -; de no,veE'JO.ro cio mesmo ar:c , no M:Jn:"cipio de-

AR
ocupa~te do cargo de. Sec=et~rio de Estado de Educaçac, EEporte

L
e Lazer de Mato Grosso, FÁBIO FRIGERI, à época ocupante do cargo

DE
em comissão de Assessor Especial I, da Secretaria de Estado de
Educação - SEDUC, e WANDER LUIZ DOS REIS, à época ocupante do

:36 AN
cargo

do
em comissão

particular GIOVANI
de

:46 C
Superintendente
Monitoramento da Estrutura Escolar, da SEDUC/MT, por intermédio

14 E S
BELATTO GUIZARDI,
públicos que ocupavam, previamente ajustados, voluntariamente e
8 - IN
de Acompanhamento

em razão dos cargos


e


tendo o dominio funcional do fato, com a concorrência de ALAN
01 OL

AYOUB MALOUF, tentaram solicitar, para si ou para outrem,


0/2 AR

vantagem indevida de Sylvio Piva, não consumando o crime em razão


de circunstâncias alheias às suús vontades.
9/1 - C

De acordo com investigação, no ano de 2015 a empresa SÂO


: 1 30

BENEDITO CONSTRUçilD CIVIL LTDA. EPP., da qual Sylvio Piva é


Em 8579

procurador, possuía contrato adrninistrativo de obra pública


(aqui entendida em sentido amplo)
Grosso e atrelado à Secretaria de Estado de Educação, o qual. se
firmado com o Estado de Mato

••
11

encontrava em fase de execução, razão pela qual Sylvio Piva


65

costumeiramente i.a ilté a SEDUC/MT para tratar de assuntos


r: 0

relacionados aos contratos.


po

Conforme já narrado alhures, à época do fato PERMíNIO


so

PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 013/2015, publicado no Diário


Oficial de Mato Grosso em 02/01/2015 (n. 26447), ocupava o cargo
s
pre

de Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato


Grosso, ao passo que F~~IO FRIGERI, por força do ato n.o
Im

130/2015, publicado no Diário Oficial de Mato Grosso em

;~11,1 i} I ?:Ihr" : :.lHki,) ;\IH.<I"f I ',:J(,).}lh'.,.!.}(.J,l $)1(:11.1,,- }U;:i!i';.I, i)il!.11~,\ .M'I'


1):;:'/:19' :i131~;':Qlu/J;n.;}al;lI!NW·N© '.
Página 70 de 89
---GAB/PGR --1
E
ris. OOD563
J

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
12/01/2015, ocupava o cargo de A.ssessor Especial I, da SEDU::lMT,
prestando assessoria direta na Secretaria de Estado de Educacào

RI
desde 07 de janeiro de 2015 (vide anexo I, do Decreto n.

LA
2.398/2014 e Decreto Estadual n. 233/2015), da mesma forma que

DE
vlANDER LUIZ DOS REIS, po,: força do ato n. 563/2015, publicado no

•.-- Diário Oficial de Mato Grosso em 28/01/2015, ocupava o cargo em

:36 AN
COl1liSSdO de Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento dú

:46 C
Estrutura Escolar, da Secretaria de Estado de Educacão - SEDUC

14 E S
desde 28 de janeiro de 2015. 8 - IN
Neste diapasão t revela a investigação que, na
01 OL

movimentaçào da engrenagem de cobrança de propina movida,


conforme narrado alhures, por FÁBIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS
0/2 AR

REIS e GTOVANI BELATTO GUIZARD~, sob a coordenacão de PERMÍNIO


9/1 - C

_t:}J;lTO FILHO, em di.a não precisado, no inicio do segundo semestre


do ano de 2015, antes, porém, de 17 de novembro do mesmo ano,
: 1 30

num dos comparecimentos à SEDUC/MT acima relatados, em conversa


Em 8579

com FÁBIO FRIGERI, Sylvio Piva recebeu das màos deste um bilhece

• contendo
GUIZARDI,
um número
sendo que
de telefone
FÁB.rg,
e o
com a plena ciência,
nome de GIOVANI BEL1\TTO
aquiescência e
11

comando de PER1I1ÍNIO PINTO FILHO, determinou que Sylvio ligasse


65

para GrOVAi'!I.
r: 0

Todavia, Sy-lvio Piva nâo acatou a orientação e não


po

efetuou o contato telefônico.


sso

Diante da inércia illusitada de Sylvio Piva, dias depois


pre

da conversa entre este e E'Á~J-0 FRIGERI, GIOVi'NI BELATTO GUI Z.ABD I ,


com o pleno conhecimento, aprovação e ordem de PERMÍNIO PINTO
Im

fILP.O, entrou em contato com Sylvio por telefone e O convocou

Página 71 de 89
P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
ca.rõ. c:onpa:::ece1:" em .s-e-u. e-s,critório, é fim oe cc~".su!ê,õ~ õ:

RI
CCH'L os derr.a.l.s empresár..i:c-s da construção ::":'vil que ti:--.:--lam

LA
contratos administrativos com o Estado de Mato Grosso relativos

DE
a obras públicas da Secretaria de Estado de Educação.


:36 AN
marcado,
Entretanto,
frustrando,
Sylvio

:46 C
14 E S
assim,
Piva

vontades de FABIO FRIGERI, WANDER LUIZ DOS REIS e GrOVANI BELATTO


GUIZARDI, a consumação da solicitação da propina.
8 - IN
01 OL por
não compareceu
circunstãncias
ao encontro
alheias às

Revela a investigação que atuação de GI OVAN I BELATTO
0/2 AR

GUIZARDI foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB


MALOUF, que foi o responsável pela tratativa junto a PERMíNIO
9/1 - C

PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer


de Mato Grosso à época do fato, de insercão de GIOVANI como
: 1 30

operador do esquema ilícito em desenvolvimento dentro da


Em 8579

SEDUC/MT de soli,citação e recebi,mento de vantagens indevidas em


razão dos cargos públicos ocupados por PERMíNIO, FÁBIO FRIGERI,
\"iANDER LUIZ DOS REIS e MOISES DIAS DA SILVA, sendo certo também

11

que ALAN MALOUF seria destinatário de farta fatia da propina


65

eventualmente recebida.
r: 0

FATO 16: CORRUPÇÃO PASSIVA - Empreiteiro Mário


po

Lourenço Salem
sso

ConsLa nos autos do procedimento investigatório que em


pre

data não precisada do mês de junho do anO de 2015, no Muni,cipi,o


Im

de Cuiabá, Estado de Mato Grosso, PERMíNIO PINTO FILHO, à época

aq·1 !lI :'Jlll l ) :idl1t!lI.) ~\llln.) I ,jl("'lpt.J!(tU1q () }I.1I .l.} Mi}U'; 1,' r}q! 1:}' ,M I'
<;,:" lj'H~ ;j".I" :"','I"(b,, ~J IJ J J>,-Ji'J~:tJ
Página 72 de 89
~A8/P-GRl
C~[10564 I

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 633

RA
ocupante do cargo de Secretário de Estado de Educaçao, Esporte
e Lazer de Mato Grosso, FÁBIO FRIGERI, à época ocupante do cargo

RI
em comissao de Assessor Especial I, da Secretaria de Estado de

LA
Educacão - SEDUC, e \'l\.NDER LUIZ DOS REIS, à época ocupante do

DE
cargo em comissão de Superintendente de Acompanhamento e

•.-- Monitoramento da Estrutura Escolar, da SEDUC/MT, por intermédio

:36 AN
do particular GIOVANI BELATTO GUIZARDI e com o auxílio do também

:46 C
particular LUIS FERNl\.NDO W'. COSTA RONDON, em razão dos cargos

14 E S
públicos que ocupavam, previamente ajustados, voluntar:lament.e e
tendo o domínio funcional do fato, com a concorrência de ALAN
8 - IN
AYOUB MALOUF, indiretamente solicitaram, para si ou para outrem,
01 OL

vantagem indevida de Hário Lourenco Salem.


0/2 AR

De acordo com investigação, no ano de 2015 a empresa


9/1 - C

SANEPAVI - Sl'.NEAMENTO E PAVIMENTACAO EIRELI - EPP, de propriedade


de Mário Lourenço Salem e da qual José Henrique Harinon Stepahn
: 1 30

era funcionário, possuía contrato administrativo de obra pública


Em 8579

(aqui entendida em senti.do a~lplo) firmado com o Estado de t4ato

• Grosso e a~relado à Secretaria de Estado de Educacêo, o qual se


encontrava em fase de execução.
11
65

Conforme já narrado alhures, à época do fato PERHíNIO


r: 0

PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 013/2015, publicado no Diárj.o


Oficial de Mato Grosso em 02/01/2015 (n. 26447), ocupava o cargo
po

de Secretário de Estado de Educaçêo, Esporte e Lazer de Mato


Grosso, ao passo que FABIO FRIGERI, por força do ato n.
sso

130/2015, publicado no DiArio Oficial de Mato Grosso em


pre

12/01/2015, ocupava o cargo de Assessor Especi.al I, da SEDUC/HT,


prestando assessoria direta na Secretaria de Estado de Educaçào
Im

desde 02 de janeiro de 2015 (vide anexo l, do Decreto n.

Página 73 de 89
P
MINISTÉRIO PÚBUCO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
.:2.392/2(;14 e ~ec:::eto Es.t_ê.duaJi n. 233/2G1::), da IT"esr:>3_ :c:::-rr.ã C!J.e
;';;"-:'\DEF. LUIZ =:OS REIS, por" fc:-ça de ate f:. 563/2015, ~ubl:'cadc :-'::8

RI
:'iá!".lo O:':"c':"al de ~a-:o G-rC·E:S:C' em 28/0:!/2015, ocupava c :::a::-gc erro

LA
comissão de Superi.ntendente de Acompanhamento e Monitoramento da

DE
j';strutura Escolar, da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC
desde 28 de janei.ro de 2015.

:36 AN
Neste
movimentação
conforme narrado alhures,
da

:46 C
diapasão,

14 E S
engrenagem
8 - IN
:!:'evela

por
de
a

cobrança
FABIO FRIGERI,
investigação
de propina
WANDER LUIZ DOS
que,
movida,
na

?EIS e GIOVANI SELATTO GUIZARDI, sob a capitania de PERt'1ÍNIO
01 OL

PINTO FILHO, em dia não precisado no mês de junho do ano de 2015,


0/2 AR

LUIZ FERNANDO DA COSTA RONDON, agindo como longa manus de FÁBIO


FRIGERI e de WANDER LUIZ DOS REIS, ligou para Mário Loure:1ço
9/1 - C

Salem convocando-o a comparecer na empresa DÍNA~O, de GIOVN,I


BELATTO GUIZARDI, para reunir-se com este, tudo com o
: 1 30

conhecimento e o aval de PERMiNIO PINTO FILHO.


Em 8579

Segundo consta, na
Lourenço Sal em, José Henrique Marinon Stepahn compareceu na sede
data aprazada, em nome de Mário


11

da empresa DÍNAMO onde se reuniu com GIOVANI BELATTO GUIZARDI e


65

LUIZ FERNANDO DA COSTA RONDON. Na ocasião, com a. plena ciência,


r: 0

aquiescência e comando de PERMÍNIO PINTO FILHO, GIOVA~I BELATTO


GUIZARDI mostrou a José Henrique uma lista contendo informações
po

a respeito do contrato administrativo de obra pública da SEDUC/MT


sso

que a empresa SANEPAVI - SAN&FMENTO E PAVlMENTACAO EIRELI - EPP


mantinha com o Estado de Mato Grosso, especificamente os valores
pre

dos créditos da empresa junto ao Estado, e solicitou o pagamento


de propina dizendo que o patrlo de José Henrique, senhor Mário
Im

Henrjque Salem, deveria para o valor percentual de 5% (cinco por

, alI-! 1) ~;"'i/ll)1 :1,liilo;f,}"'I1;l'{'T 1-,-· :)~'1.;rll.I.I')i't I t:mf 11 d.) 'JtI~t!,) 1, (~1I1.1:)J4.1 "
, ,;;;;). ;-liH:) 1>, I.· "'l".ll( ti ",fI. l· 0lll~';'J . •
Página 74 de 89
,:------1
GABJ PGR


ri, n00565 I,
\c .. ~

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
centol sobre as quantias monetárias corresponden~es a cada
medição que a empresa S&'JEPAVI - SANEAMENTO E PAVIMENTACAO EIRELI

RI
- EPP viesse a receber.

LA
DE
Revela a Investigação que atuacão de GIOVANI BELATTO

•.-- GUIZARDI foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB

:36 AN
MALOUF, que foi o responsável pela tratativa junto a PERMÍNIO

:46 C
PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer

14 E S
de Mato Grosso à época do fato, de insercão de GIOV/I.NI como
operador do esquema ilícito em desenvolvimento dentro da
8 - IN
SEDUC/MT de solicitação e recebimento de vantagens indevidas em
01 OL

razão dos cargos públicos ocupados por PERMÍNIO, FABIO FRIGERI,


WANDER LUIZ DOS REIS e MOISES DIAS DA SILVA, sendo certo também
0/2 AR

que ALAN MALOUF seria destinatário de farta fatia da propina


9/1 - C

eventualmente recebida.
: 1 30

FATO 17: CORRUPÇÃO PASSIVA - Empreiteiro


Em 8579

Leonardo Botelho Leite


11

Consta nos autos de procedimento investigatório que em


65

data não precisada compreendida entre os meses de junho e julho


do ano de 2015, no Município de Cuiabá, Estado de Mato Grosso,
r: 0

PER.N!ÍNIO PINTO FILHO, à época ocupante do cargo de Secretário de


po

Estado de Educaçao, Esporte e Lazer de Halo Grosso, FÁBIO


FRIGERI, á época ocupante do cargo em comissão de Assessor
sso

Especial I, da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC, e WANDER


LUIZ DOS REIS, à época ocupante do cargo em comissão de
pre

Supc:rintendente de Acompanhamento e .Monitoramento da Estrutura


Im

Escolar, da SEDUC/MT, por intermédio do particular GIOVJI.NI

Página 75 de 89
PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
p~eviãrr~e::.te a:'.1stac:cs, vo.3.untariamente e tencio c dCTnínio

AR
co:n a c001corrência de ALAN AYOUB MALOUF,

L
soliei taram, para si ou para outrem, vantagem indevida de

DE
Leonardo Botelho Leite.


:36 AN
INSAAT
proprietário,
De acordo com a investigação, no ano de 2015 a empresa
CONSTRUTORA

(aqui entendida em sentido amplo)


:46 C
LTDA.,

14 E S
da
possuía contrato administrativo de obra pública
8 - IN
qual Leonardo

Hrmado com o Estado de Mato


Botelho Lei te é

Grosso e atrelado à Secretaria de Estado de Educação, o qual se
01 OL

encontrava em fase de execução.


0/2 AR

Conforme já narrado alhures, à época do fato PERMÍNIO


9/1 - C

PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 013/2015, publicado no Diário


Oficial de Mato Grosso em 02/01/2015 (n. 26447), ocupava o cargo
: 1 30

de Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato


Em 579

Grosso, ao passo que FABIO ~RIGERI, por força do ato n.o


130/2015, publicado no Diário Oficial de Mato Grosso em


18

12/01/2015, ocupava o cargo de .Assessor Especial I, da SEDUC/MT,


51

prestando assessoria direta na Secretaria de Estado de Educação


desde 02 de janeiro de 2015 (vide anexo I, do Decreto n.
06

2.398/2014 e Decreto Estadual n. 233/2015), da mesma forma que


r:

W~~DER.LUIZ DOS REIS, por força do ato n. 563/2015, publicado no


po

Diário Oficial de Mato Grosso em 28/01/2015, ocupava o cargo em


sso

comissão de Direcào Geral e Assessoramento, de Superintendente


·je Acompanhamento e Moni toramento da Estrutura Escolar, da
pre

Secretaria de Estado de Educação - SEDUC desde 28 de janeiro de


2015.
Im

'i~lll 'H :tlll \ __::,Iflf'llc} :\n:l,N I . ;}(fli]llm.f.JtI.l c)q,of .r:)"·J!I:iti.} 1, t;'Jf nn,J'I,t7 '
< 0<' ~ t}:!:) ('I'H').,;}), I~, j ')I):}il'l:~'~}:) I~)lh~' ~/l;N,J . .
Página 76 de 89
GAB/P(;Rl
tis. o[) o5 6 6 l
l,---",------,.::::l

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO ,... 3' ;)
,-
u

RA
Neste diapasão, revela a investigação que, na

movimentação da engrenagem de cobranca de propina l1'.ovidé,

RI
conforme narrado alhures, por FÁBIO FRICERI, WANDER LUI Z DOS

LA
REIS e GIOVJI.NI BELATTO CUIZARDI, sob o controle de PERMÍNIO PINTO

DE
FILHO, em data não precisada compreendida entre os meses de junho

•.- e julho do ano de 2015, o construtor Leonardo Botelho Leite se

:36 AN
encontrava no prédio da SEDUC/MT, onde recebeu das mãos de FÁBIO

:46 C
FRICERI um bilhete contendo um número de telefone e o nome de

14 E S
~IOV.'lliI, sendo que fÁBIO pediu que Leonardo ligasse para GIOVANI,
tudo com o conhecimento e o aval de PERMÍNIO PINTO fILHO.
8 - IN
01 OL

Segundo consta, Leonardo Botelho Leite efetuou ligacão


para o terminal telefônico constante no bilhete, ao que foi
0/2 AR

atendido por GIOVANI BELATTO GUIZJ\RDI, que convidou Leonardo


9/1 - C

para um encontro na sede da sua empresa (DÍNAMO CONSTRUTOR!'.) .


: 1 30

Assi.í!l., tendo Leonardo comparec.i.do no local, no dia e


Em 8579

hora marcada, GIOVANI BELATTO GUIZARDI se mostrou como o

• "Secretário de fato" ao dizer que, daquele momento em diante, os


assuntos relacionados à execução dos contratos administrativos
11

de obras públicas com a SEDUC/MT, tais como aditivos, reajustes


65

e, principalmente, pagamentos, deveriam ser tratados com ele.


r: 0

Em continuidade, com a plena ciência, aqui escência e


po

comando de PERMÍNIO PTNTO fILHO, GIOVJI.NI GUIZARDI solici tou


propina a Leonardo Botelho Leite dizendo a ele que para a solucão
sso

de tais assuntos ele deveria pagar a CIOV!'.NI o valor percentua;"


pre

de 5\\ (cinco por cento) sobre as quantias monetárias recebidas


do Estado de Mato Grosso relativos à execução de contratos
Im

administrativos de obras públicas re.Lac"Lonados à SEDUC/MT.

Página 77 de 89
a

PP
MINISTÉRIO PÚBUCO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organiza.do - GAECO

AU
IR
;;ôga:ne:1to I a:: que GIOV;:.1'>.Q:::' o adver~iu de ~t:e as q'Jes::ões

AR
bLroc:-áticas de:ltro dõ· S.E;I;:UC:/n1T to::-nar se-iam .::or:tpl~caGês e qLe

L
os pagamentos dos crédi tos a que a empresa INSAAT CONSTRUTOR"

DE
LTDA. teria direito pela execução de contratos administrativos
de obras póblicas junto à SEDUC/MT não seriam efetuados.

:36 AN
De acordo com o

:46 C
14 E S
que
Leonardo de efetuar o pagamento da propina, os pagamentos devidos
pelo Estado de Nato Grosso à empresa INSAAT CONSTRUTORA LTDA. em
8 - IN
se apurou, após a negativa de

razão da execução de contratos administrativos de obras póblicas
01 OL

da SEDUC/MT começaram a atrasar.


0/2 AR

Revela a invest.i.gação que atuação de GIOVANI BELATTO


9/1 - C

GUIZARDI foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB


MALOUF, que foi o responsável pela tratati.va junto a PERMÍNIO
: 1 30

PINTO FILHO, Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer


Em 579

de Mato Grosso á época do fato, de inserção de GIOVANI como


operador do esquema ilicito em desenvolvimento dentro da


18

SEDUC/NT de solicitação e recebimento de vantagens indevidas em


51

razão dos cargos públicos ocupados por PERMÍNIO, FÁBIO FRIGERI,


\"lANDER LUIZ DOS REIS e NOISES DIAS DA SILVA, sendo certo também
06

que ALAN MALOUF seria destinatário de farta fatia da propina


r:

eventualmente recebida.
po
sso

FATO 18: CORRUPÇÃO PASSIVA - Empreiteiros Luiz


Fernando da Costa Rondon e Esper Haddad Neto - três
pre

fatos, dois deles em concurso formal impróprio


Im

i{I!ol'} l $/n', ;'..tlfkll) )\11.):<') I . ;)Q).lll( lrlmj ..llj.}{.ll.I.} .Jnjtl';.lr (~!lf.li}.1 M ,"
t}·i;' I;JI) ~~ ,:U I ';·O)Il')/h.(Gl:3J;) ,r3-1.'U 13'ifl ..
Página 78 de 89
r;
ris
----1
GAEl/PGR
000567 ,
... .)

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO
G3G

RA
Consta nos autos do procedimento investigat6rio que no
período compreendido entre o final do primeiro semestre e o mês

RI
de dezembro do ano de 2015, no Município de Cuiabá, Estado 02

LA
Nato Grosso, PERl1ÍNIO PINTO FILHO, à época ocupante do cargo de

DE
Secretério de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso,

•.- FFBIO FRIGERI, á época ocupante do cargo em comissão de Assessor

:36 AN
Especial I, da Secretaria de Estado de E.ducação - SEDUC, WANDEP.

:46 C
LUIZ DOS REIS, à época ocupante do cargo em comissão de

14 E S
Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da E.strutura
Escolar, da SEDUC/MT, e MOISÉS DIAS DA SILVA, à época ocupante
8 - IN
do cargo em comissão de Superintendente de Acompanhamento e
01 OL

Monitoramento da Estrutura Escolar, da SEDUC/MT, por intermédio


do particular GIOVANI BELATTO GUIZAP.DI, em razão dos cargos
0/2 AR

públicos que ocupavam, previamente ajustados, voluntariamente e


9/1 - C

tendo o domínio funcional do fato, com a concorrência de ALAN


AYOUB MALOUF, solicitaram de Esper Haddad Neto e de Luiz Fernando
: 1 30

da Costa Rondon, bem como, posteriormente, receberam deste


Em 8579

último, para si ou para outrem, vantagem indevida .

• Conforme Já narrado alhures, à época do fato, PERMÍNIO


11

PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 013/2015, publicado no Diário


65

Oficial de Mato Grosso em 02/01/2015 (n. 26447), ocupava o cargo


r: 0

de Secretári.o de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato


Grosso, ao passo que FABIO f'RIGERI, por força do ato n. o
po

130/2015, publicado no Diério Oficial de Mato Grosso em


12/01/2015, ocupava o cargo de Assessor Especial r. Nível D(;l,-
sso

2, da SEDUC/MT, prestando assessoria direta na Secretaria de


pre

Estado de Educação desde 02 de janeiro de 2015 (vide anexo I, do


Decreto n. 2.398/2014 e Decreto Estadual n. 233/2015), da mesma
Im

forma que WAl\JDER LUIZ DOS F.EIS, por força dos atos n. 563/2(115

Página 79 de 89

------------------------_._-----------
P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
e ""7. 69:'/2015, ~YJb:":c-ad-o n.:~} Diá~io Oficial de i'1a"':o Gr-o.sso,
~espectivame~te, em 2~/&~f201_5 e 13/11/2015, ocupou c ca~g~ e~

RI
comissão de Di~e;ãa. Ge·xaJ! 8-' 11ssessoramento, N-í vel DG~~~-4 de

LA
I

Supertntendente de }\companhamento e Monitoramento da Estrutura

DE
Escolar, da Secretaria de Estado de Educacão, Esporte e Lazer -
SEDUC desde 28 de janeiro de 2015 até 13 de novembro do mesmo

:36 AN
ano.

7.778/2015,
Conforme

:46 C
14 E S
alhures exposto,
publicado em 17/11/2015 no Diário Oficial de Mato
8 - IN por força dos atos n.

0rosso, e 9.186/2016, publicado no Diário Oficial de Mato Grosso
01 OL

em 02/03/2016, MOISÉS DIAS DA SILVA ocupou o cargo em comissão


0/2 AR

Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da Estrutura


Escolar, da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC no período
9/1 - C

de 17 de novembro de 2015 a 02 de março de 2016.


: 1 30

Foi também descri to que MOISÉS passou a ocupar o cargo


Em 8579

em substituição a ~ANDER LUIZ DOS REIS depoIs das reclamações


feitas pelo
relatada nesta denúncia.
núcleo de empresários da organização criminosa


11
65

Neste contexto, sob o comando e coordenação de PERMíNIO


r: 0

PINTO FILHO, MOISÉS DIAS DA SILVA recebeu a incumbência de dar


continuidade à atividade espúria de WANDER em sintonia com FÁBIO
po

FRIGERI, consistente na garantia de vantagens aos empreiteiros


sso

relativas a obras públicas da SEDUC/MT e, principalmente, de


cobrança de propina em detrimento dos empresários como
pre

contraprestação.
Im

,~II·\ iH $"IIr>, :::tdll!.;lt) ..'\Il.~",{!) 1·- ')'t)!lllf.\oI'Jr!.l t:.)~(.ll ,t.) :J!I:3H'j:1, Ç~I' ,;JbJ\'11 í
.(j.;;' I:!!) ~;) 4:t 1_· ;:'»)I-)Ii~t:<.::):HJ ,J;}-t"9,/ t:i~)..!l
Página 80 de 89
~--~--~.

[
" 000\68
GAB/PGR

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO
ü37

RA
Segundo constaI a manobra não afastou 1'JAl"\JDER LU::::Z DOS

REIS das atividades iLl.citas, mas consistiu em mero rearranje

RI
feito pelo .núcleo de aqentes públicos sob a direção de PERl1)NI'~

LA
PINTO FILHO para satisfazer as reclamações dos empresários. Isto

DE
porque após ter sido substi.tuído por MOISÉS nIl'5 DA SILVA no

•• cargo de Superintendente de Acompanhamento e Moni toramentc da

:36 AN
Estrutura Escolar, Wl'.NDER I,DIZ DOS RE:IS - ocupante do cargo de

:46 C
provimento efetivD de ProfessDr da EducaçãD Básica na Secretaria

14 E S
de EstadD de Educação de MatD CrDssD, cDnfDrme DecretD Estadual
n. 1.150, de 07 de fevereirD de 2000, publicado em 07/02/2000 no
8 - IN
Diário Oficial do Estado de Mato Grosso -~, pelas Portarias
01 OL

SEDUC/00059/2016 (Diário Oficial n. o 267l5, fls. 46 e 52) e


SEDUC/00066/2016 (Diário Oficial n. 26716, fls. 67/68)
0/2 AR

publicadas em 11/02/2016 e 12/02/2016, respectivamente, fei


9/1 - C

lotado na Superintendência de ACDmpanhamentD e MonitDramentD da


Estrutura EscDlar da SEDüC/I"ÍT, sendo entãD mantido no círculo de
: 1 30

atuação .


Em 8579

• CONSTRUTORA,
Extrai-se dDS autDs que nD ano de 2015 a
de propriedade de .Luiz Fernando da Costa RDndD;),
empresa .LUMl'.
11

pDssuía contratD ad..'llÍnistrativD de obra pública (aqui entendida


65

em sentido amplo) firmadD CDm o EstadD de MatD GrDSSO e atreladD


r: 0

à Secretar ta de EsladD de EducaçãD, Esporte e .Lazer lO qual se


encontrava em fase de execucao.
po
sso

Revelam lOS autDs que no final do primeirD semestre do


anD de 2015, Luiz FernandD da CDsta Rondon se encDntrava na sede
pre

da SEDUC/MT, Dnde f Di abDrdadD pDr Ft>.BIO FRTGERI, que, CDm a


plena ciência, aquiescência e sDb lO comando de PERMÍNIO PINTO
Im

F·I::.....HO t anotou o nome de GIOVF..NI e um número de telefone num

Página 81 de 89
PP
MINISTÉRIO PÚBIiJCO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
IR
pe·jcce, de papel e o en':regioU1l a Luiz Fernar~do pedíndc qt:e e.s:e

L AR
Segundo consta nos autos, após tentativa fracassada de

DE
estabelecer contato telefónico, Luiz Fernando foi contatado por
GI OVAN I BELATTO GUIZARDI, que o convidou para um encontro na

:36 AN
sede da sua empresa
comparecido na companhia
proprietário da empresa PANAMER I CANA,
marcada, GIOVANI
(DÍNfu~O

:46 C
14 E S
BELATTO GUIZARDI,
8 - IN de
CONSTRUTORA).
seu sogro

com o
no local,
Tendo Luiz Fernando
Esper

pleno
Haddad
no dia e hora
Ne~o,

conhecimento,

aprovação e por ordem de PERMÍNIO PINTO FILHO, entregou a Luiz
01 OL

Fernando um aparelho eletrônico do tipo tablet em cuj a tela


0/2 AR

estava escr'ito: "a partir de agora será cobrada uma taxa de 5%


sobre todos os valore,; recebidos da Secretaria".
9/1 - C

Diante disso, Luiz Fernando perguntou se o Secretário


: 1 30

sabia a respeito da cobrança, ao que GIOVANI GUIZARDI respondeu


Em 579

fazendo sinal positivo com o dedo polegar da mão.

-.
18

Em seguida, GIOVANI BELATTO GUIZARDI solicitou o


51

pagamento de 5% dos vaIares já recebidos da SEDUC/MT pela empresa


PANAMERICAN.A, de propriedade de Esper Haddad Neto.
r: 06

Conforme resta consignado nos autos, Luiz Fernando não


po

concordou de pronto com o pa.gamento e, depois da reunião com


sso

GIOVANI, procurou se reunir com o Secretário de Estado de


'educação, Esporte e Lazer PERl1íNIO PINTO FILHO, tendo obtido
pre

êxi to em agendar um encontro apenas cerca de dois meses mais


tarde para tratar do assunto ~obras".
Im

;~I('ll)l·~ltl), ;~.liI1.a.)
:\ll'};(') l, ;)('}':'I{.l.I'Hh (')')01 ;1.; .JIl~tl'; li f;lli.l;).~ MI'
Ç:!i) !:ltl J:l,f)j I ... ;~')ll,)IO~ 3J I,} J;l-J.]f l.;}g;J

Página 82 de 89
----..- ·-
F l
GAS/PGR

'" Oni! 569

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 638

RA
Assim, por volta do início do segundo semestre de 2015,
Luiz Fernando cOElpareceu na sede da SEDUC/H'T a fim de ser

RI
atendido por ?ERM~NIOf todavia não obteve êxito pois este,

LA
através de sua secretária, ordenou que Luiz Fernando tratasse do

DE
assunto com FÁBIO FRIGERI .

•.-
:36 AN
Em ato contínuo, Luiz Fernando fot até a sala de Fj'l. .BIO

:46 C
FRIGERI onde foi por ele atendido, oportunidade em que aquele

14 E S
relatou a este o encontro com GIOVANI GUIZARDI, bem como a
cobranca de propina por este efetivada, além de ter exposto a
8 - IN
dificuldade de ser atendido por PERHÍNIO após a solicitacão de
01 OL

vantagem indevida perpetrada por GIOVANI.


0/2 AR

Neste contexto, LUlZ FERi\llI.ND() indagou a FÁBIO FRIGERI se


9/1 - C

era verídica a solicitação de propina realizada por· GIOVANI, se


era necessário o pagamento do valor de 5% (c;.nco por cento) sobre
: 1 30

todo valor recebido da SEDUC/MT para que os pagameCltos pudessem

••
Em 8579

ocorrer regularmente, ao que FÁBIO FRIGERI gesticulou


positivamente com a cabeca .
11

Está registrado nos autos que depois do encontro com


65

FÁBIO FRIGERI, Luiz Fernando voltou a procurar GIOVANI GUIZARDI


r: 0

para discutir o valor da propina, barganha que se estendeu


durante algum tempo e se deu em alguns encontros entre ambos, da
po

qual resultou a reducão do valor da propina para 3' (três por


cento) .
sso
pre

De acordo com a i:lVestigacão, no dia 23/11/2015 l.ui.z


Fernando da Costa RDndDn recebeu um pagamento da SEDUC/HT no
Im

valor de R$ 159.321,18 (cento e cinquenta e nove mil. 1 trezentos

Página 83 de 89
P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
de Educação, Espcrte e Lazer de {VJato Grosso, FÁBIO FRIGERI, á
época ocupante do cargo em comissão de Assessor Especial I, da

RI
Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso

LA
- SEDUC/MT, e W1IJ'JDER LUIZ DOS REIS, à época ocupante do cargo em

DE
comissão de Superi.ntendente de Acompanhamento e Monitoramento da
Estrutura Escolar, da SEDUC/MT, por intermédio do particular


:36 AN
GIOVl\.NI
ocupavam,
domínio
MALOUF,
BELATTO

funcional
GUIZARDI,
previamente
do fato,
em

:46 C
ajustados,

14 E S
razão

com a
solicitaram, para s.i. ou para outrem,
8 - IN
dos cargos
voluntariamente
concorrência
públicos
e
de ALAN AYOUB
vantagem indevida
tendo
que
o

de ~liz Carlos da Silva.
01 OL

Conforme já narrado alhures,


0/2 AR

à época do fato, PERMÍNIO


PINTO FILHO, ante o teor do ato n. 013/2015, publicado no Diário
9/1 - C

Oficial de Mato Grosso em 02/01/2015 in. 26447), ocupava o cargo


de Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato
: 1 30

Grosso, ao passo que FABIO FRIGERI, por força do ato n. o


Em 8579

130/2015, publicado no Diário Oficial de Mato Grosso em


12/01/2015, ocupava o cargo de l\.ssessor Especial I, Nível DGA-
2, da SEDUC/MT, prestando assessoria direta na Secretaria de

11

Estado de Educação desde 02 de janeiro de 2015 (vide anexo I, do


65

Decreto n. 2.398/2014 e Decreto Estadual n. 233/2015), da mesma


r: 0

forma que nANDER LUIZ_p~JS REIS, por força do ato !l. 563/2015,
publicado no DiArio Oficial de Mato Grosso em 28/01/2015, ocupava
po

o cargo em comissão de Direção Geral e Assessoramento, Ni vel


DGA-4, de Superintendente de Acompanhamento e Monitoramento da
so

Estrutura Escolar, da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC


s
pre

desde 28 de janeiro de 2015.


Im

Página 85 de 89
GABI PGR
Fls. O[) O5 7 O
I
)
------,::::J

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 639

RA
no ano de 2C:i.5

RI
co::::.rato 2drrá".:12s"C3.'a.tivo de obra p'.:Íbl:'ca taQ'J.::' er.::end:"da

LA
pOSSl:iô.

em sentido amplo) firmado com o Estado de Mato Grosso e atrelado

DE
à Secretaria de Estado de Educaçao, Esporte e Lazer o qual se

•• encolltrava em fase de execucêo .

:36 AN
:46 C
Assim, em razão da fi.naU.zação de parte da obra

14 E S
contratada, em data indefinida compreendida no segundo semestre
do ano de 2015, Luiz Carlos da Silva compareceu na sede da
8 - IN
SEDUC/MT a fim de tratar a respei,to do recebimento áos valores
01 OL

a que sua empresa tinha direito, oportuniáaáe em que foi atendi.do


0/2 AR

por WANDER LUIZ DOS REIS, que, com a plena ciência e aquiescência
de PEffi.lÍNIO PINTO FILHO, o encaminhou para FÁBIO FRIGERI, sendo
9/1 - C

que este, com o conhecimento e o aval de PERMíNIO PINTO FILHO,


determinou que Luiz Carlos procurasse pela pessoa de GIOVANI
: 1 30

BELATTO GUIZARDI para discutIr o assunto, tendo entregado a ele


Em 8579

um papel contendo um número de telefone e afirmado que se e 1.e

• não procurasse
relacionados à SEDUC/MT.
por GIOVANI não receberia seus créditos
11
65

Segundo consta, seguindo o comando de FABIO FRIGERI,


r: 0

Lui z Carlos da Si1 va foi até a sede da empresa DÍNAMO, de


propriedade de GIOVANI GUIZARDI, para o fim de reunir-se com
po

este. Na ocasião, com o pleno conhecimento, aprovação e ordem de


sso

?Eru1Jl'!,~,Q,..?_It-I_Tg, F:ILHO, exercendo as prerrogativas de "secretário


de fato" que lhe foram por PERMÍNIC investidas, GIOVANI entregou
pre

a Luiz Carlos um dispositivo digital do tipo tablet em cuja tela


constava a inscricão "cinco por cento", bem como gesticulou com
Im

Página 86 de 89
«I

P
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

UP
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

RA
a mão ôberta apontando o número cinco, dizendo, em seguida: \'lá
quem manda é nóis, o governador não mâno'a lá" (sic).

RI
LA
Revela a i.nvestigação que atuação de GIOVANI BELATTº

DE
GUIZARDI foi propiciada e se deu sob o comando de ALAN AYOUB
MALOUF, que foi o responsável pela tratativa junto a PERMíNIO


:36 AN
PINTO FILHO,
de Mato Grosso à
operador do
Secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer

esquema

:46 C
época do

14 E S
ilícito
fato,

SEDUC/MT de solicitação e recebimento de vantagens indevidas em


8 - IN em
de inserção de
desenvolvimento
GIOVANI
dentro
corno
da •
razão dos cargos públicos ocupados por PERMíNIO, FÁBIO FRIGERI,
01 OL

WANDER LUIZ DOS REIS e MOISES DIAS DA SILVA, sendo certo também
que ALAN MALOUF seria destinatário de farta fatia da propina
0/2 AR

eventualmente recebida.
9/1 - C

~ÕNê:LOSÃÕ
: 1 30


Em 8579

Ex positis, diante da existência de cabal prova de


materialidade e de robustos indícios de autoria dos crimes


11

narrados, o MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO, DENUNCIA


a este r. Juízo:
65
r: 0

1. ALAN AYOUB MALOUF, como incurso nas penas do


art. 2°, caput, c.c. seu §§ 3° e 4°,11, ambos
po

da Lei n.o 12.850/2013 (fato 1); do art. 317,


sso

caput, por quatro vezes na forma do art. 71,


caput, ambos do Código Penal (fato 3); do art.
pre

317, caput, por duas vezes na forma do art. 71,


caput, ambos do Código Penal (fato 7); do art.
Im

" {Iill.~tJ~hl~.l1jj.;'~~\j"! ..,,}l ~~.-,wa'·'<(r1(t'<-,...-~ .1(." ):r,-"/'>t-.,'tll ','''' '"


~~~•. Jt, ~ ,~I :'I, ,. ,i-r .", II f~Ê<. ' _

Página 87 de 89
GAB/PG1
ris. 000571
,
,----.,-------c.=:;Í

PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO 640

AU
IR
-51. I c:a;::;t, p"0r dl'::õ.s vezes na :orr.1ê de .s.rt.. 7:,

L AR
caput, do Código Penal (fatos 2, 4, 5, 6, 8, 9,

DE
10, 12, 13, 14, 1.6, 17); do art. 317, c. c. art .

•• 14, II, do Códj.go Pena.1 (fato 15); do art.

:36 AN
3ITL.>-.JOS

31"1, caput, por duas vezes na forma do art. 7C,

:46 C
caput, in fine, ambos do Código Penal (fato 18);

14 E S
00 art. 317, caput, por duas vezes na forma do
art. 69, ambos do Código Penal (fatos 18 e 19);
8 - IN
todos combinados na forma do art. 69 do Estatuto
01 OL

Penal;
0/2 AR

2. EDÉZIO FERREIRA DA SILVA, como incurso nas


9/1 - C

penas do art. 2°, caput, c.c. seu § 4°, 11, ambos


da Lei n.o 12.850/2013 (fato 1), c.c ar;:. 29,
: 1 30


§1°, do Código Penal;
Em 579

• pelo que, requer que, recebida e autuada esta, sejam eles citados
18

para responder ã acusaç§o e notificados para audiência em data


51

a ser designada, sob pena de revelia, processando-se tudo na


forma do art. 396 e seguintes do Estatuto Processual Penal, até
06

final condenação, ouvindo-se ainda os colaboradores e as


r:

testemunhas adiante arroladas.


po
sso

Rol de colaboradores e testemunhas:


pre

• Giovani Belatto Guizardi, brasileiro, natural de Cascavel/PR,


casado, filho de Miguel Guizardi Junior e de l'-1arlene Maria Belat"to,
Im

portador do documento de identidade n. 0909433-4 expedido pela

• nht'l ~H~",). ;1.1111'11." :,,):):(,) ,~;)(.)':IU.l.!.)(i,l c) }(1j ,f-) ,Jl!:,t!~ lf0~II,l~) ~ ,M f í:;1/ ;;( X; ,,#
, ' ~, .0;:,) I:Jl).t};,:}>] I~ í 1')j);j}j 1~(:\J:JI }·1.:J'D11~t.u ~« - ~, f '6Ptl,

Página 88 de 89
PP
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado - GAECO

AU
SSP!MT, inseri ta no CPF /MF sob 798.799.931-87 I residente na Rua

IR
ri.

das Petúnias n. 99, Condomínio Florais, Cuiabâ-MTi

AR
• Luiz Fernando da Costa Rondoll, brasileiro, natural de Várzea
Grande/MT, casado, filho de ,Joelio de Fatima Rondon e de Bernadete

L
DE
da Costa Ribeiro Rondon I portador do documento de identidade n.
13892240 expedido pela SSP/NT, inscr i'ta no CPF /1-1 F sob n.


:36 AN

968.939.581-53, residente na Rua General Irineu de Souza, n. 144,
apto 1303, Ed. Haison Noco1i, Cuiabá-MT;

:46 C
1. Jamille
Cuiabá/MT,
Ayoub
casada, filha
14 E S
Grunwald Guizardi, brasileira,
de Geraldo Xavier Grunwald
natural
e de
de
NeiIi
8 - IN
BumIai Ayoub Grunwald, portadora do documento de identidade n.
01 OL

1198818-5 expedido pela SSP!MT, inscrita no CPF/MF sob n.


695.512.861-20 residente na Rua das Petónias n. 99, Condomínio
0/2 AR

Florais, Cuiabá-MT;
9/1 - C

2. Ricardo Augusto Sguarezi, inscrito no CPF/MF sob n. 962.914.511-15 1


residente na Rua Polônia, n. 777, Santa Rosa, Cuiabá-MT;
3. José Carlos Pena da Si.lva, insct:'to no CPF/NF sob n. 396.528.741-94,
: 1 30


residente na Rua l, Quadra 10, Bloco 05, apto 302, Residencj_al Paiaguás,
Em 579

Cuiabá/MT.


18

Cuiabá!MT, a de dezembro de 2016 a


(2 f.).
51
06

Marco
e - GAECO
r:
po

S amUE> 1 1111<o11N. ,i'--"--,",...J Ma dos Santos


pron\~~ Jllstiça -
sso

Gl\.EC Pr moto - GAECO


pre
Im

Página 89 de 89
;'
..::.~:-~,

. MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MAT


NACO - NÚCLEO DE AÇÓES DE COMPETÊNCIA ORIGINARIA

~r~.··<·<··l~
nun572
ri,.
GROSSO ,

P
GAECO - Grupo de Atuação..,. ,'.,"
Especial Contra o Crime Organizado

UP
... __ •..•. _:,...... '.' '-"- _••••.
,-o .... .--... - ... - ... _ - -.•~... __ "'_"- "_~_'_.""""""~ ",,,:,;-01-' .... ",_ ""-~<." ~.",..., ~ _._.'~ f" ••••• _ •• _~ ." , _• •~._ •• _. _ '"_' . . . . . . . _.~ " . , . " ," •

TERMO DE DECLARACÃQ 641

RA
Ás 12:30 horas do dia dezesseis (16) do mês de novembro (11) do ano de dois mil

RI
e dezesseis (2016), nesta cidade de Cuiabá/MT, na sede do Grupo de Atuação

LA
Especial contra o Crime Organizado· GAECO, onde presente se encontravam os
Promotores de Justiça, Or. Marco Aurélio de Castro, Or. Carlos Roberto Zarour

DE
César, DI'. Samuel Frungilo e Dr. Marcos Bulhões dos Santos, e o Coordenado!, do

•• Núcleo de Atuação de Competência Originária/NACO, DI'. Antonio Sergio Cordeiro

:36 AN
. i; Piedade, comigo Bruna Keiko Hatakeyama, Escrivã de Polícia de seu cargo ao final .
\

:46 C
assinado, compareceu o DECLARANTE abaixo qualificado:

Nome ........................ :
Estado Civil ................ :
14 E S GIOVANI BELATTO GUIZARDI
Casado
8 - IN
Profissão .................... : Administrador de Empresa
01 OL

Naturalidade .............. : Cascavel/PR


Data de Nascimento ... : 01.08.1977
0/2 AR

Idade ......................... : 39 anos


9/1 - C

Carteira de Identidade: 0909433-4 SSP/MT


CPF nO ........................ : 798.799.931.87
: 1 30

Filiação ...................... : Miguel Guizardi Junior e Marlene Maria Belatlo

••
Em 8579

Endereço .................... : Rua das Betúnias na 99, Condomínio Florais,


Cuiabá/MT
Telefone de Contato ... : (65) 3322-6621
11

SABENDO LER E ESCREVER, compromissado em dizer a verdade de tudo o que


65

souber e lhe for perguntado, na presença de seus advogados Dr. George Andrade'
Alves, OAB/5P 250016, Com escritório constituído na SHIS QI 3, Conjunto 03, Glsa
r: 0

25, Brasília/DF, telefone (61) 99184-4302 e Ora. Wládia Bulhões I'errupato


po

Guizardi, OAB/MT na 14557, com escritorio constituído na Av. Historiador RUbens\


de Mendonça nO 2000, Edifício Centro Empresarial Cuiabá, sala 606, Bairro Jardim I
.
, .,
sso

.
. Aclimação, nesta capital, com telefone (65) A)903·3900, DECLARO.!!: QUE. / / I

comparece na sede do GAECO de forma espontân ,/


pre
Im

"c.
,~,/'r.. ,"
.>~'"
'i;<'
,-.r~ ooo9 3
•~ .• . ~
"
1____ -
1.

MINISTÉRlO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO


NACO - NÚCLEO DE AÇÓES DE COMPETÊNCIA ORIGINARIA

P
GAECO - Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado

UP
_ _ _ _ _ ' _ _ . _ . _ . _ _ ' _ _ _ ... _ _ ~_~ .... ,'_, ..... , •• , _ . _ . , .. ' •• _.~_ ..... ~~._ .. , .. _ 'H'" "', _.,._~ ____ •. ., •.•• "' _. _ ...., ..... ~ ',"_

CONSTRUTORA L TDA, cuja sede fica localizada na Rua dos Bem Te Vis, nO

RA
223, Parque Ohara, Cuiabá/MT; QUE confirma que no ano de 2015 foi criado
informalmente uma organização criminosa, na qual o declarante fez parte, e o

RI
intuito dessa organização criminosa era arrecadar "fundos" ilícitos para fins

LA
de saldar pagamentos não declarados em campanhas eleitorais ocorridas , no

DE
ano de 2014; QUE pela visão do declarante não foi ele quem criou a referida
orga~ização, mas que se viu envolvido a participar do que abaixo relatará •

:36 AN
atraves da pessoa de ALAN MALOUF; QUE quando o ALAN o envolveu nesse
negócio ilícito já existia uma organização criminosa operando dentro d a .

:46 C
SEDUC por PERMiNIO PINTO FILHO, FÁBIO FRIGERI, LEONARDO GUIMARÃES

14 E S
RODRIGUES e RICARDO SGUAREZI; QUE conhece ALAN MALOUF desde a sua
infância, sendo que posteriormente casou-se com a senhora JAMILLE
8 - IN
GRUNWALDI GUIZARDI, que vem a ser prima de ALAN MALOUF, e por tal
01 OL

motivo estreitou relações com o mesmo; QUE no final do ano de 2014, ALAN
MALOUF mencionou ao declarante que investiu a quantia de R$ 10.000.000,00
0/2 AR

(dez milhões de reais) na campanha do atual Governador PEDRO TAQUES,


9/1 - C

valor este não declarado, tendo dito também que teria que reCuperar esse
valor investido junto ao Estado; QUE ressalta o declarante que, possivelmente
: 1 30

no segundo semestre do ano de 2014, fez uma doação à campanha do


Governador PEDRO TAQUES, num montante de R$ 300.000,00 (trezentos mil


Em 8579


reais), valor esse que foi entregue em especie nas mãos da pessoa de ALAN
MALOUF; QUE indagado ao declarante por qual motivo fez essa doação de R$
11

300.000,OO? Respondeu que tem o costume de fazer esse tipo de doação para
não ler "dificuldades" nas atividades junto ao Governo e que essa prática e
65

comum entre os empresários, ressaltando que chegou a doar R$ 1.000.000,00


r: 0

(um milhão de reais) na campanha de SILVAL BARBOSA; QUE não sabe


informar se esse valor de R$ 300.000,00 foi declarado; QUE em março do ano
po

de 2015, procurou ALAN MALOUF, ocasião em que solicitou que sua empresa
d~ S~O_Uc.
sso

OiNANO CONSTRUTORA pudesse "trabalhar" em obras POi\


segundo o declarante, este nunca teve obras na construçao CIVIl em tal'~ / :

,7
pre

Secretaria; QUE a que tem mais"')


V
._~. -:';.'.;-:;1;lf."Rua:4" !i!·;~dm9IO;:A" "'" ~.. 'G"br';i;dii.JUiitIÇ.;,C,"i.bélM~(jJfj~,,""/f;~--::-W:::;~
(
Im

;"", .'
" ;·~~':::;:~';':;·~·}f>.;~~}.~r-'~:;,.;n:~·~~"!·::~.;CE~~t8D489~1~f:'ôriaffa.X~a6' ~62~3/162a ,. 'tJ ____ "'i f ,' -, ~~~:.' ptgÚ,ã~ de 2~: 6
o'·.,j'Coo
_~A~~O.\.
,<\

e,~
~1
1
o
, . '.; ~

<;; "J. ,",-

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE


NACO - NÚCLEO DE AÇÕES DE COMPETÊNCIA ORIGINÁRIA

P
GAECO . Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado

UP
o" •••• ~. ' • • •' _ _ " ' • • " __ • _ _ _•••••• '~".' . . . . . . . 0 _ • • _ •• ' . . . . . 0.0 •• 0 ........ ~,', • • • • • •" h ......... ,'~ • • • ' ". •••••••• • o .0 • • • •

recursos para construção de obras civis; QUE na mesma epoca, e tendo

RA
interesse em trabalhar na referida pasta, ALAN MALOUF, marcou um encontro
junto com o declarante com o então Secretário de Educação Estadual,

RI
PERMíNIO PINTO FILHO; QUE tal encontro ocorreu no Suffet Leila Malouf, de

LA
propriedade da família de ALAN MALOUF, localizada na Rodovia de liga

DE
Cuiabá ao Distrito da Guia, logo após o Colegio Plural, sendo que o encontro

••
teria ocorrido em dia de semana, próximo ao horário de almoço, ou seja

:36 AN
horário de almoço de PERMíNIO; QUE neste encontro se faziam presentes
apenas o declarante, ALAN e PERMíNIO; QUE naquela oportunidade, o

:46 C
declarante e a pessoa de PERMíNIO foram apresentados, e o declarante se

14 E S
colocou á disposição da SEDUC em relação a eventuais obras que poderiam
ser licitadas e que tinha interesse em concorrer; QUE PERMíNIO esclareceu
8 - IN
que, naquele momento, os projetos ainda estavam em fase de elaboração e
01 OL

que tinha algumas demandas mais específicas, como por exemplo a questão
de manutenção de predios escolares, perguntado inclusive, se o declarante
0/2 AR

tinha conhecimento acerca do assunto; QUE o declarante asseverou que não


9/1 - C

tinha conhecimento específico, mas que se colocou á disposição para


pesquisar o que havia no mercado; QUE o declarante soube que a "cadeira de
: 1 30

superintendente de estrutura escolar" era indicação do Deputado GUILHERME

•• MALUF; QUE, certo dia, ALAN MALOUF ligou na presença do declarante para o
Em 8579

Deputado Estadual GUILHERME MALUF, questionando ao mesmo quem seria


esse superintendente na SEDUC, ao que lhe foi passado o nome de WANDER;
11

QUE quer deixar registrado que não tem certeza se essa ligação do Ali\N
para o Deputado GUILHERME ocorreu antes ou depois da reunião que teve
65

com ALAN e PERMíNIO; QUE então o declarante foi ao encontro de WANDER,


r: 0

na sede da SEDUC, sendo onde conversaram sobre as dificuldades existentes


no órgão referente a obras e recursos; QUE, naquela ocasião, WANDER, que
po

exercia a função de Superintendente de Estrutura Escolar, já tinha recebido \'


sso

informações sobre o declarante; QUE o declarante manteve vários contatos "\


telefônicos com WANDER, sendo que um mes após, em ~utra visita na sede da )<,'
pre

SEDUC, o declaran~ q"'l~\i NDER sobr a .. ás que seriam licitadas' ( /


Im
. ,OIJ009S
'.~ ,

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

P
NACO - NÚCLEO DE AÇÕES DE COMPETÉNCIA ORIGINARIA

UP
GAECO - Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado
• ••. •.• .. •• - ._._ . . . '" _._._" , _ . _ . _:-.~_ . . ._____ .• __ ... " " • • • • • ~, ..... , ,_" . .,.. 'o.' " . _ •. _._"."." _ . • . , • _", ... _ .• ~.. •••• ,_ •.•••• " . " , . .•

em relação ao citado órgão; QUE WANDER afirmou que estaria tendo

RA
dificuldades com os projetos, ocasião em que o declarante informou ao
WANDER que as pessoas que teriam investido na campanha do Governador

RI
PEDRO TAQUES teriam que receber o dinheiro que haViam investido; QUE

LA
WANDER, no decorrer dessa conversa, teria entendido que a pessoa· que

DE
investiu na citada campanha seria ALAN MALOUF; QUE WANDER então disse:
"não estou entendendo, pois FÁBIO FRIGERI (Servidor da SEDUC) e PERMíNIO •

:36 AN
PINTO (Secretário da SEDUC) já estão recebendo"; QUE o próprio WANDER • .
citou que as empresas AROEIRA CONSTRUTORA LTDA. e RELUMAT, ambas de

:46 C
propriedade de RICARDO SGUAREZI, bem como a empresa JER, de

14 E S
propriedade de LEONARDO GUIMARÃES RODRIGUES, já estavam "operando"
com o Secretário PERMINIO PINTO, sendo entendido pelo declarante que
8 - IN
haviam pagamentos de vantagens indevidas, propina; QUE, naquele mesmo
01 OL

dia, o declarante solicitou á WANDER que verificasse "como estava sendo


0/2 AR

essa operação"; QUE passados alguns dias, possivelmente no mês de março


ou abril de 2015, o declarante encontrou·se novamente com WANDER, na .
9/1 - C

SEDUC, e WANDER afirmou que essa "operação" havia ocorrido da seguinte


forma: solicitaram, de forma antecipada, 5% (cinco por cento) de propina do
: 1 30


valor total, em relação a um dos contratos de prestação de serviços da
Em 8579

empresa AROEIRA e da empresa lER, sendo que essas obras sequer tinham
sido executadas na sua totalidade; QUE WANDER não mencionou quem
solicitou o pagamento da propina antecipada, mas que o declarante entenói::u,

11

pelas circunstâncias, que a solicitação teria sido feita por PERMíNIO, pois o
pessoal da AROEIRA tinha acesso direto ao PERMíNIO; QUE WANDER
65

mencionou ao declarante que, em conversa com FÁBIO FRIGERI, soube que o


r: 0

LEONARDO, da empresa JER, teria pago a propina mediante entrega de cinco


cheques, que teriam sido destinados à uma grâfica situada na Av. Carmindo
po

de Campos para quitar dividas de campanha eleitoral, não fazendo mehção


\1
sso

de qual politico, mas o declarante dedu:liu que seria de campanha de


Deputado Federal NILSON LEITÃO, que era o politico ligado ao PERMíNIOÀ ','
pre

. PINTO; QUE FÃBI RICARDO ..)J'"


,-'-
Im

.;:',' .
J~d*~' \Gffi]/mRIC:~
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE
eoi"
~.
. "
·<1
,~: ,~~,
~
'I'
rli~O OO5 7 4l

AT
,-
.. RDSSO
NACO - NÚCLEO DE AÇÕES DE COMPET~NCIA ORIGINÁRIA 643

P
GAECO - Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado

UP
•••• ___ o • • • _ ••••• " ••• _ , . ' ••• ~._ • • _ _ _ ~~ . . . . . _ •• _._.' "._"_~. ___ ,,,_., .'._.~' ._'~""" • • • • • • • • • • • ~_ • • _ •••• __ ••• , • • • _ • • '

SGUAREZI pagava um percentual de 15% de propina sobre o valor de

RA
contratos de locação de salas de aula com a empresa RELUMAT, sendo que o
valor girava em torno de R$ 27.000,00 (vinte e sete mil reais) a R$ 30.000,00

RI
(trinta mil reais) de propina por més e, segundo FÁBIO, eram entregues

LA
diretamente a ele ou ao PERMíNIO; QUE o declarante quer salientar que,
posteriormente, já durante a operação do esquema criminoso, em uma

DE
••
oportunidade, acredita que no més de agosto do ano de 2015, recebeu na

:36 AN
DíNAMO CONSTRUTORA o empresário HICARDO SGUAREZI e seu irmão,e que
nesta ocasião lhe entregou R$ 29.000,00 (vinte e nove mil reais) em dinheiro

:46 C
referente a este esquema; QUE não se recorda ao certo, .mas acredita que

14 E S
recebeu este valor porque, na época, PERMíNIO estaria viajando; QUE diante
dessa informação, o declarante reuniu·se com ALAN MALOUF, dizendo.ao
8 - IN
meSmo que somente ele (ALAN MALOUF) não estaria recebendo, visto que
01 OL

teve informação de que outros patrocinadores estariam recebendo, através


do então Secretário, PERMíNIO PINTO, ocasião em que mencionou toda a
0/2 AR

conversa que teria travado com WANDEH; QUE o declarante sugestionou para
9/1 - C

ALAN MALOUF que teria uma forma de ampliar a maneira de receber as


vantagens indevidas das empresas que tinham contrato na SEDUC; QUE o
: 1 30

declarante mencionou à ALAN MALOUF que esse "esquema" já vinha sendo

••
realizado pelo proprietário da AROEIRA, senhor RICARDO SGUAREZI, o qual
Em 8579

operou dessa maneira até o més de novembro do ano de 2014, fato esse
mencionado pelo próprio WANDER; QUE, inicialmente, ALAN MALOUF refutou
essa ideia, por entender que "não cheirava bem"; QUE, passados mais alguns
11

dias, o declarante procurou novamente ALAN MALOUF cobrando dele uma


65

decisão para ampliarem o esquema de arrecadação de vantagem indevida;


r: 0

QUE todas as reuniões com ALAN MALOUF ocorreram no Buffet Leila Malouf;
QUE, então, o declarante passou a relatar para ALAN MALOUF como
po

funcionava o esquema anterior e como deveria funcionar o esquema


,
proposto; QUE no esquema anterior, segundo WANDEH, RICARDO SGUAREZI \ . ,
sso

/7
;
recebia o percentual de 3% (trés por cento) de todo valor pago pela SEDUC

p~;t;i~. /~
pre

ã, .m,,",",

~~=-I ,,~Zy~
Im

'.

"~o Rua '4"!~ TInO,"E"<1!flclo


......, ,. .. r-
-':A nexo .
... ProcUr Hor a· erà ,. •
; ....• •
UI81Jt1· " 7,~': /.:"1'//
' , ';'~\;"""'~':"';:::_IIC~P 7804992~ .::Foné/fax;36"1~~1622- 162.l/1628· . , . o" , '. PAgina 5 ri 2,0<""-;/
,\.OOD09'1:Ç,:~)
L,•• :"

MINISTÉRIO PÚBLlCO DO ESTADO DE MATO GROSSO


NACO - NÚCLEO DE AÇÕES DE COMPETÊNCIA ORIGINARIA

PP
.Q~~_c;-º-~C?.!Ut:~~_!:Itl!?Ç~C?_ ~~Pf!~i?J/ 9gntrél. 0, Ç~imEJ qrgélnlzé)do,

AU
,
Superintendente de Estrutura Escolar da época; QUE então sugeriu ao ALAN

IR
MALOUF que aumentasse o percentual dessa vantagem indevida para 5%
(cinco por cento) sobre os valores que seriam recebidos pelas empresas

AR
através da SEDUC; QUE esse percentual de 5% seria dividido da seguinte
forma: a) 2S% (vinte e cinco por cento) para o Deputado Estadual com poder

L
DE
político dentro da SEDUC", GUILHERME MALUF; b) 250/, (vinte e cinco por
cento) para o Secretário de Educação, PERMiNIO PINTO; c) 25% (vinte e cinco •

:36 AN
por cento) para ALAN MALOUF; d) 5% (cinco por cento) para FABIO FRIGERI; e)
50/, (cinco por cento) para WANDER; f) S% (cinco por cento) á título d e .

:46 C
administração do esquema (combustível, telefone celulares, energia, aluguel

14 E S
da sala comercial no Edifício Avant Garden, etc ..); g) 10% (dez por cento) para
o declarante; QUE o declarante utilizou o seguinte critério para divisão da
8 - IN
propina: a entrega de uma maior porcentagem (25%) para aquelas figuras que
01 OL

formalmente eram os responsáveis pela pasta, no caso o PERMiNIO, que era o


Secretário, e GUILHERME MALUF, que era quem detinha real poder político na
0/2 AR

pasta, bem como a mesma 'percentagem para aquele que efetivamente pôs
9/1 - C

dinheiro na campanha de governo do Estado, que era o ALAN MALOUF; QUE, a


última quarta parte seria dividida entre o próprio declarante, WANDER, FABIO
: 1 30

e despesas operacionais do esquema; QUE incluiu o Deputado GUILHERME


,

MALUF na divisão porque, embora ele não tenha lhe feito a solicitação, Ué
Em 8579


assim que funcionava e todo mundo sabe, quando tem ilegalidade",
acrescentando o declarante que para o esquema dar certo "tem que agradar á
11

todos"; QUE a idéia também era reduzir o número de empresários que


participariam das licitações de serviços e obras publicas; QUE inicialmente
65

ALAN MALOUF pediu um tempo para pensar, sendo que dias após concordou
r: 0

com o declarante em iniciarem o esquema de desvio de dinheiro publico; QUE


esclarece o declarante que chegou a adquirir telefones celulares pré.pagos
po

para alguns membros da organização criminosa, dentre os quais FABIO


seus~
so

FRIGERI e WANDER LUIZ DOS REIS; QUE esses aparelhos celulares e


respectivos chips eram trocados a cada quinze ou trinta dias; QUE' o ,\,,)
s

'~,;;
pre

declarante combinou . R e es, os quais"':: ','

:"::":~'~":RU,j~,~~-', ,~P~I
Im

., , __ o
: :de:Úir,' ·ú'iiç.~éÜI.b~:l\I:r.,;,:)AÍ!d".:,;;;/t,;t';· ,ç ,'1/
dlllõlo··Áneio.j;r:.··prac
< • , • e
"h,:.:"'· ·:/.::·;:.-::~·!{':('),::CEP.'18049~21:":':,FÔneJf~x,3613~1622' .162: 8:: :',:.' - '1':,Páglna6<de .:' ','/
·"i' :',.GAB J PGR 00009B
.:'
000575
<.;:~
......"~:1
.. ". , ..
r..--.:
. .=l
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO
NACO - NÚCLEO DE AÇÕES DE COMPETENCIA ORIGINÁRIA .

P
GAECO - Grupo de Atuação Especial Contra o Crime." .-,Organizá do . 644

UP
. ~ •. -",", -•. ,.,'. "'~,'- ' - " - ' - _ ..• ~._- ••. - .......... '.' ....- ... '-."", ........... _ ...• , -~, "" .•. , ""'" "-" ,--•.. , ,.,-.",. .• .. . _.... 0.. .

eram especificados por cores, cidades ou países; QUE o declarante então

RA
esteve na SEOUC, onde se reuniu com WANOER e FÁBIO, passando aos
mesmos uma relação de empresas para cada um deles, solicitando que

RI
mantivessem contato com os respectivos proprietários para que estes

LA
ligassem para o declarante; QUE o declarante acredita que WANOER e FÁBIO
não questionaram a "ordem dada", pois estes tinham conhecimento do poder

DE
••
de influência do declarante face á Secretaria de Educação; QUE. então, 05

:36 AN
empresários passaram a manter contato telefônico com o declarante, e os
encontros se davam na sede da empresa OINAMO CONTRUTORA, na sala

:46 C
comercial do Edifício Avant Garden e as vezes em lojas de conveniência; QUE

14 E S
nas conversas com os empresários o declarante mencionou que o esquema
do Governo anterior, que tinha como operador financeiro, o senhor RICAROO
8 - IN
SGUAREZI, com apoio do senhor LUIZ FERNANDO RONDON, iria continuar,
01 OL

mas agora com o percentual de S% (cinco por cento); QUE os empresários


ficaram de "pensar" sobre a referida proposta e solicitaram um prazo, até que
0/2 AR

hOUvessem alguns pagamentos; QUE de inicio o declarante percebeu certa


9/1 - C

dúvida dos empresários acerca da real possibilidade do declarante conseguir


que as medições fossem pagas pela SEOUC, sendo que isso foi amenizado
: 1 30

quando o empresário ÉSPER, da empresa PANAMERICANA. procurou o

••
Secretário PERMiNIO PINTO, indagando: "qual era o papel do declarante?",
Em 8579

ocasião em que o Secretário de Educação confirmou á ÉSPER que o declarante


exerceria o papel que outrora havia sido exercido por RICARDO SGUAREZI;
11

QUE foi o próprio ÉSPER q.uem posteriormente relatou essa conversa ao


declarante, inclusive ÉSPER levou esta informação aos demais empresários,
65

que a partir de então se sentiram mais motivados ~ procurar o declarante;


r: 0

. QUE os pagamentos começaram a ser liberados pela SEOUC, e o declarante


aguardou os empresários efetuarem o pagamento da vantagem indevida de
po

S% (cinco por cento); QUE, nesta ocasião, os empresários que concordaram


em efetuar o pagamento da vantagem in~evida foram: I) ÉDER MEClANO da ~
sso

empresa GEOTOP; 2) LEONARDO GUIMARAES RODRIGUES da empresa JER; 3)


SÉ-~O /-[;,J, .
pre

CLARlfE da empresa RBEHA, da


<
Im

. '.. ',~'\' ';'; ~·~:\··~·:·,'.·.~~/:·itü8~4HsJn-~;'Ealrldo;'Aflfh:o",,~! Piocu ' ,Gér


. ." . " ... : ,\, ',.i ;~·:':;;,.~''C~':'CEP',t804992:r::' F()ne/faxi.a6:i3~62

/
e
/.~'
,;<' 11. .\.OOOOgg
\:. • ç; I._~'
'#" ...-.;;-

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

P
NACO - NÚCLEO DE AÇÕES DE COMPETÊNCIA ORIGINÁRIA .

UP
GAECO - Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado
~_~ •• ,_.,._,~ .. , , •• _ •• _ ... _ _ • _ _ ._,~ •• _ • • .., •• _ _ y • • • • ~._. _. ... "_" ' " ' '
~',.' _". _,'o' •• '"_"'~" ~ '" •• " •• ',. , • • " •• ,'.. • ••• _- _ •••••••• "' _ ••

empresa ÁPICE; 5) JOEL DE BARROS FAGUNDES da empresa ESTEIO; 6) CELSO

RA
DA CUNHA FERRAZ da empresa AMPLA; e outros que não se recorda no
momento; QUE a partir de então o declarante entendeu que seria necessário

RI
montar o "núcleo de operações" composto pelo próprio declarante, LUIZ

LA
FERNANDO RONDON, ÉSPER HADDAD, RIZARDO SGUAREZI, LEONARDO

a.
DE
GUIMARÃES RODRIGUES, ÉDER ALBERTO MEClANO e EDÉZIO FERREIRA DA
SILVA; QUE a função de LUIZ FERNANDO RONDON era a cobrança de propina •

:36 AN
de medições atrasadas e distribuição de obras; QUE ÉSPER HADDAD tinh~
função de dividir as obras e dar orientações para os demais membros do

:46 C
núcleo de operações; QUE ressalta o declarante que ÉSPER interviu junto ao

14 E S
LUIZ FERNANDO RONDON para que conseguisse a nomeação de seu parente
JUlIANO JORGE HADDAD na SEDUC, com a finalidade de "auxiliar" a
8 - IN
realização dos processos licitatórios; QUE RICARDO SGUAREZI tinha a função
01 OL

de distribuir as obras; QUE LEONARDO GUIMARÃES RODRIGUES era


responsável pela divisão das obras e formatação de preços; QUE ÉDER
0/2 AR

ALBERTO MEClANO tinha como função apenas a distribuição de obras; QUE


9/1 - C

EDÉZIO FERREIRA DA SILVA era responsável pela elaboração dos editais ~ a


alteração dos valores das composições individuais de preços da tabela da
: 1 30

SEDUC; QUE esclarece o declarante que EDÉZIO era funcionário de seu pai na
empresa GUIZARDI na função de engenheiro elétrico, e posteriormente, já no


Em 8579


mês de julho de 20l 5, passou a trabalhar diretamente com o declarante, já
desvinculado da empresa de seu pai e, enquanto prestava serviços ao
11

declarante, tinha um escritório da empresa ROZCO ENGENHARIA L TDA,


localizado no prédio Avant Garden; QUE foi composto também o "núcleo de
65

agente públicos", através dos servidores da SEDUC: PERMINIO PINTO FILHO,


r: 0

WANDER LUIS DOS REIS, FÁBIO FRIGERI, JUlIANO JORGE HADDAD; QUE
PERMINIO PINTO FILHO tinha a função de liderança na organização crimindsa
po

e poder de deCisão nas atividades ilícitas; QUE WANDER LUIS DOS REIS
sso

recebia as informações de FÁBIO FRIGERI e possuià como ferramenta a


suspensão das medições da obra e consequentemente o atraso dos
pre

! es pe ct i vos pa game nl.!O~·.J.llll'f-''''''1'


)
Im

?,. "_.,,. (-:1'1í


" •• >

.' .-': -.; .. ::~ ~~'''~:Rúa 4;-s7iio:Edifltio':An'exo I.':'" Procura eral . lábil.MT' .
. .. ' :'~"'''::"~'";' -:. .. ". ".:. CEP.7.BO"411é.21":' F(meirax 3Sj3:1622 , . Página 8 da 2 /
'~:6~' ··'GAB J~GR1\oO o1 DO
.•... ,OOO~76 1_ ..
~,...;~.~ ~
MINISTÉRIO PÚBLICO DO TADO-DEMATO GROSSO
NACO - NÚCLEO DE AÇÕES DE COMPETÊNCIA ORIGINÁRIA G4 5

P
GAECO - Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado

UP
• ~.,. _ _ • __ •• " ••• 0 •• _ •• ~__• _ _ _. , . . . . . . . . . . . . . . . _ _ • _ _ _ _ _ •• _ . ___ ••• ".' _._ •••• '. _ •••• ' __ ~"" ," • __ • • ,.~ __ • __ .,..., •••• - •••• '"_.&