Sunteți pe pagina 1din 40

RETIFICADORES TRIFÁSICOS

CONTROLADO COM TIRISTOR


E N G . º E D E R S O N Z AN C HE T
RETIFICADOR TRIFÁSICO DE PONTO MÉDIO
A estrutura de um retificador trifásico Figura 8.1: Estrutura retificador trifásico controlado de 3 pulsos

de ponto médio pode ser verificada


através da Figura 8.1
Onde as fontes são definidas como:

𝑉1 𝜔𝑡 = 𝑉0 𝑠𝑒𝑛 𝜔𝑡

𝑉2 𝜔𝑡 = 𝑉0 𝑠𝑒𝑛 𝜔𝑡 − 120°

𝑉3 𝜔𝑡 = 𝑉0 𝑠𝑒𝑛 𝜔𝑡 + 120°

Fonte: [1]
FUNCIONAMENTO PARA α=0⁰
Se o ângulo α=0º o circuito irá se Figura 8.2: Tensão na carga para ângulo de disparo α=0⁰

comportar como um retificador com


diodos.

Fonte: [1]
FUNCIONAMENTO PARA 0 < α < π/6
Para valores de α compreendidos Figura 8.3: Tensão na carga para ângulo de disparo α=30º
entre:
𝜋
0<𝛼< → Condução Contínua
6

𝜋
𝛼> → Condução Descontínua
6

Fonte: [1]
FUNCIONAMENTO PARA α =60⁰
Conforme o gráfico da figura 8.4, tem- Figura 8.4 – Tensão na carga para ângulo de disparo α=60º

se a resposta de tensão para α=60º

Fonte: [1]
EQUAÇÕES: REGIÃO CONDUÇÃO CONTÍNUA
Para determinação da tensão média na carga tem-se:
5𝜋
+𝛼
6
𝑛
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = √2𝑉0 𝑆𝑒𝑛 𝜔𝑡 𝑑𝜔𝑡
2𝜋
𝜋
+𝛼
6
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 1,17𝑉0 cos 𝛼
A tensão eficaz é definida pela equação:
5𝜋
+𝛼
6
𝑛 2
𝑉𝐿𝑒𝑓 = √2𝑉0 𝑆𝑒𝑛 𝜔𝑡 𝑑𝜔𝑡
2𝜋
𝜋
+𝛼
6

Para carga resistiva dentro da região contínua com base na tensão de pico a tensão eficaz pode ser expressa
por:
1 3
𝑉𝑟𝑚𝑠 = 3. 𝑉𝑚 + cos 2𝛼
6 8𝜋
EQUAÇÕES: REGIÃO CONDUÇÃO DESCONTÍNUA
Para a tensão média na carga onde α > π/6 têm-se :
𝜋
3
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = √2𝑉0 𝑆𝑒𝑛 𝜔𝑡 𝑑𝜔𝑡
2𝜋
𝜋
+𝛼
6
𝜋
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 0,675𝑉0 1 + cos +𝛼
6
A tensão eficaz é definida pela equação:
𝜋
3 2
𝑉𝐿𝑒𝑓 = √2𝑉0 𝑆𝑒𝑛 𝜔𝑡 𝑑𝜔𝑡
2𝜋
𝜋
+𝛼
6
Para carga resistiva dentro da região descontínua com base na tensão de pico a tensão eficaz pode ser
expressa por:

5 𝛼 1 𝜋
𝑉𝑟𝑚𝑠 = 3. 𝑉𝑚 − + 𝑠𝑒𝑛 + 2𝛼
24 4𝜋 8𝜋 3
EQUAÇÕES: CARGA RESISTIVA
Esforços nos semicondutores
A corrente média na carga é definida por:
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 A tensão reversa sobre os Tiristores é
𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑 = expressa por:
𝑅
A corrente eficaz é definida por: 𝑉𝑇𝑚𝑎𝑥 = 3 2𝑉0
𝑉𝐿𝑒𝑓
𝐼𝐿𝑒𝑓 = A corrente de pico é obtida por:
𝑅
2𝑉0
A corrente média por fase é expressa 𝐼𝑇𝑚𝑎𝑥 =
como: 𝑅
𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑 A corrente média em cada tiristor é
𝐼1𝑚𝑒𝑑 =
3 expressa como:
𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑
A corrente eficaz por fase é: 𝐼𝑇𝑚𝑒𝑑 = 𝐼1𝑚𝑒𝑑 =
3
𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑 A corrente eficaz por fase é:
𝐼1𝑒𝑓 =
3 𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑
𝐼𝑇𝑒𝑓 = 𝐼1𝑒𝑓 =
3
VLMED EM FUNÇÃO α PARA CARGA R
Quando α = 0º Figura 8.5: Comportamento retificador trifásico para cargas resistivas
 VLmed = 1,17 V0
 (Valor máximo da tensão média)

Quando α = 150º
 VLmed = 0.

Fonte: [http://www.dee.feis.unesp.br/docentes/canesin/newpower/curso/capitulo3/figura341.gif]
Comparativo do comportamento com diferentes cargas

Fonte: [http://www.dee.feis.unesp.br/docentes/canesin/newpower/curso/capitulo3/figura342.gif]
OPERAÇÃO COMO RETIFICADOR VLMED > 0

OPERAÇÃO COMO INVERSOR VLMED < 0

Fonte: [http://www.dee.feis.unesp.br/docentes/canesin/newpower/curso/capitulo3/figura343a.gif]
EQUAÇÕES: CARGAS RL E RLE
Para determinação do ângulo de extinção β através do Ábaco de Puschlowki tem-se as equações:

Relação de Fontes:
𝐸
𝑎=
2𝑉0
Relação entre resistência e Impedância:
𝑅
cos 𝜑 = 2 2 ; 𝑋𝐿 = 𝜔𝐿
𝑅 +𝑋

Ângulo de disparo do tiristor:

𝛼
Ângulo de extinção da corrente:

𝛽
Considerando um retificador trifásico de três pulsos, onde a fonte é definida pela função
v1(ωt)=√2.220.sen(ωt) com frequencia de 60Hz alimentando uma carga RE onde R=5Ω e
E=250V onde 𝛼=15⁰: a. Calcular a tensão média; b. Calcular a corrente média na carga.

SOLUÇÃO:
Calcular a tensão média;
Verificar, se a tensão da fase em 𝛼+30⁰ é maior que a tensão da fonte E. Caso contrário o circuito se comporta como um
circuito a diodo.

2. 220𝑠𝑒𝑛 30° + 15° = 220𝑉

Como a tensão em α é menor que a fonte E, deve-se calcular o ângulo de condução


2. 220𝑠𝑒𝑛 𝜃1 = 250𝑉 ∴ 𝜃1 = 53,47°
Calcular também os ângulos limites
𝜃2 = 180° − 53,47° = 126,5°

𝜃3 = 180° + 53,47° = 173,47°

Assim o valor da tensão média é definido por:


126,5 173,47
𝑛
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 2𝑉0 sin 𝜔𝑡 𝑑𝜔𝑡 + 𝐸𝑑𝜔𝑡
2𝜋 53,47 126,5

𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 0,478 577,7 = 276,2𝑉

Calcular a corrente média na carga.

𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 − 𝐸 276,2 − 250


𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑 = = = 5,24𝐴
𝑅 5
Considerando o arranjo do retificador trifásico controlado de meia onda onde a fonte é
definida pela função v1(ωt)=√2.220.sen(ωt) com frequencia de 60Hz alimentando uma carga
RLE onde R=5Ω e L=10mH e E=0V onde α=40⁰ determinar:

a. Ângulo de extinção β e modo de operação;

b. Calcular tensão média na carga;

c. Calcular a corrente média na carga;

d. Corrente média e eficaz em um tiristor;


a. Ângulo de extinção β e modo de operação;
Verificar se a tensão da fase em α+30° é maior que a tensão da fonte E. Caso contrario, o circuito se comporta como um
circuito a diodo
2. 220𝑠𝑒𝑛 30° + 40° = 292,4𝑉

Como a tensão em α é maior que a fonte E tem-se:


𝛼1 = 30° + 40° = 70°
𝐸
𝑎= =0
2𝑉0
2𝜋60.10𝑚
tan 𝜑 = ⋯ 𝜑 = 37°
5
cos 𝜑 = cos 37° = 0,8
Do ábaco de Pushlowky obtêm-se:
𝛽 = 216°

Verificação do modo de operação (m=3 para retificador trifásico com ponto médio)
2𝜋 360
𝛽𝐶 = + 𝛼1 = + 70 = 190°
𝑚 3

𝛽 > 𝛽𝑐 ∴ 𝐶𝑜𝑛𝑑𝑢çã𝑜 𝐶𝑜𝑛𝑡í𝑛𝑢𝑎


Calcular tensão média na carga;
150+40
𝑛
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 2𝑉0 sin 𝜔𝑡 𝑑𝜔𝑡
2𝜋 70

𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 197,1𝑉
Calcular a corrente média na carga;
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 − 𝐸 197,1 − 0
𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑 = = = 39,42𝐴
𝑅 5

Corrente média e eficaz em um tiristor;

𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑 39,42
𝐼𝑇𝑚𝑒𝑑 = 𝐼1𝑚𝑒𝑑 = = = 13,14𝐴
3 3

𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑 39,42
𝐼𝑇𝑒𝑓 = 𝐼1𝑒𝑓 = = = 22,79𝐴
3 1,73
EXERCÍCIO
[8.1] Projetar um retificador trifásico controlado de meia onda alimentando uma carga RLE, sabe-se que a
fonte é definida pela função V1(ωt) = √2.220sen(ωt) com f=60Hz e esse retificador irá alimentar uma carga
RLE, onde a parcela resistiva é de 5Ω e a parcela indutiva é de 80mH e a fonte com 120V, sabe-se que
ângulo de disparo é de 45⁰. Determinar.
a. Ângulo de extinção β;
b. Modo de Operação;
c. Tensão Média na carga;
d. Corrente Média na carga;
e. Corrente Média e Eficaz na Tiristor;
f. Simular o circuito e validar os valores teóricos
RETIFICADOR TRIFÁSICO
CONTROLADO DE ONDA
COMPLETA PONTE DE GRAETZ
E N G . º E D E R S O N Z AN C HE T
Estrutura retificador trifásico onda completa com ponte de Graetz

Fonte: [1]
FORMAS DE ONDA
Figura 8.10 – Formas de onda para ângulo α=0⁰
 Cada tiristor pode conduzir durante
um intervalo máximo de 120°;
 Ocorre uma comutação a cada 60°;
 Na condição de condução, existem
sempre dois Tiristores conduzindo,
um no grupo positivo e outro no
grupo negativo do conversor;
 A frequência da componente
fundamental da tensão é igual a 6
vezes a frequência das tensões de
alimentação (m=6).

Fonte: [1]
Etapas de funcionamento no modo de condução contínua 0 < α < 60⁰

Fonte: [1]
Funcionamento
 Para α = 0°
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 2,34𝑉0
 Para 0 ≤ α < 60°
Condução contínua
 Para 60° ≤ α < 120°
Condução descontínua

 a)Tensões de linha da rede,


 b) Tensões carga para: α = 0,
 c) α = π/3
 d) α > π/3

Fonte: [http://www.dee.feis.unesp.br/docentes/canesin/newpower/curso/capitulo3/figura346.gif]
EQUAÇÕES
Para α = 0º tem-se VLMED = 2,34.V0, ou seja o equivalente do mesmo arranjo utilizando diodos.
Para 0 ≤ α ≤ π/3, a condução é contínua. A tensão média na carga é obtida pela expressão
2𝜋
+𝛼
3
6
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 2 𝑉𝑂𝐿 sin 𝜔𝑡 𝑑 𝜔𝑡
2𝜋
𝜋
+𝛼
3

6 2𝑉𝑂𝐿 2𝜋 𝜋
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = − cos + 𝛼 + cos + 𝛼
2𝜋 3 3
Seja a relação:

cos 𝑎 + 𝑏 = cos 𝑎 . cos 𝑏 − sin 𝑎 + sin 𝑏


Dessa forma,

𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 1,35𝑉𝑂𝐿 cos 𝛼

𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 2,34𝑉𝑂 cos 𝛼


EQUAÇÕES
A Tensão eficaz na carga é definida por:
2𝜋
+𝛼
3
6 2
𝑉𝐿𝑒𝑓 = 3 2𝑉0 𝑆𝑒𝑛 𝜔𝑡 𝑑𝜔𝑡
2𝜋
𝜋
+𝛼
3

Para π/3 ≤ α ≤ 2π/3, a condução é descontínua. A tensão média na carga é obtida pela expressão:

𝜋
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 2,34𝑉0 1 + cos +𝛼
3
A tensão eficaz será expressa como:

𝜋
6 2
𝑉𝐿𝑒𝑓 = 3 2𝑉0 𝑆𝑒𝑛 𝜔𝑡 𝑑𝜔𝑡
2𝜋
𝜋
+𝛼
3
FUNCIONAMENTO COM CARGA INDUTIVA
Considerando o comportamento para região de condução contínua, a tensão média será obtida a partir da
equação:
2𝜋
+𝛼
3
6
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 2 𝑉𝑂𝐿 sin 𝜔𝑡 𝑑 𝜔𝑡
2𝜋
𝜋
+𝛼
3

3 2𝑉𝑂𝐿 2𝜋 𝜋
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = − cos + 𝛼 + cos + 𝛼
𝜋 3 3

Assim a estrutura apresentará:


𝜋
0≤𝛼< ∴ 𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 > 0 ⋯ 𝑂𝑝𝑒𝑟𝑎çã𝑜 𝑐𝑜𝑚𝑜 𝑟𝑒𝑡𝑖𝑓𝑖𝑐𝑎𝑑𝑜𝑟
2
𝜋
< 𝛼 ≤ 𝜋 ∴ 𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 < 0 ⋯ 𝑂𝑝𝑒𝑟𝑎çã𝑜 𝑐𝑜𝑚𝑜 𝑖𝑛𝑣𝑒𝑟𝑠𝑜𝑟 𝑛ã𝑜 − 𝑎𝑢𝑡ô𝑛𝑜𝑚𝑜.
2
𝜋
𝛼 = ∴ 𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 0
2
Tensão na carga para ponte de graetz com carga indutiva 𝛼=60º e 𝛼 =90º

Fonte: [http://200.145.241.31/dee/gradua/elepot/cap3/Image265.gif]
EQUAÇÕES: CARGA RESISTIVA
A corrente média na carga é definida por: Esforços nos semicondutores
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 A tensão reversa sobre os Tiristores é
𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑 = expressa por:
𝑅
A corrente eficaz é definida por: 𝑉𝑇𝑚𝑎𝑥 = 3 2𝑉0
𝑉𝐿𝑒𝑓
𝐼𝐿𝑒𝑓 = A corrente de pico é obtida por:
𝑅
A corrente média por fase é expressa 3 2𝑉0
𝐼𝑇𝑚𝑎𝑥 =
como: 𝑅
𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑 A corrente média em cada tiristor é
𝐼1𝑚𝑒𝑑 =
3 expressa como:
A corrente eficaz por fase é: 𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑
𝐼𝑇𝑚𝑒𝑑 = 𝐼1𝑚𝑒𝑑 =
3
𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑 A corrente eficaz por fase é:
𝐼1𝑒𝑓 =
3 𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑
𝐼𝑇𝑒𝑓 = 𝐼1𝑒𝑓 =
3
ÁBACO PUSCHLOWSKI
Aplicação para cargas RL e RLE tem-se as relações:

Ângulo de disparo do tiristor: α


Ângulo de disparo do tiristor + 60°:
Ângulo de extinção da corrente: β
Ângulo crítico de extinção de corrente:
EQUAÇÕES: CARGAS RL E RLE
Para determinação do ângulo de extinção β através do Ábaco de Puschlowki tem-se as equações:
Aplicação para cargas RL e RLE tem-se as relações:
𝐸
𝑎=
3 2𝑉0
Relação entre resistência e Impedância:
𝑅
cos 𝜑 = 2 2 ; 𝑋𝐿 = 𝜔𝐿
𝑅 +𝑋
Ângulo de disparo do tiristor:

𝛼
Ângulo de extinção da corrente:
𝛽
Ângulo crítico de extinção de corrente:
𝛼1 = 𝛼 + 60°
2𝜋 360
𝛽𝐶 = + 𝛼1 = + 𝛼1 ∴ 𝛽𝐶 = 60° + 𝛼1
𝑚 6
Considerando um retificador trifásico
em ponte alimentando uma carga RLE que
aprenseta um Cosφ = 0,4, sendo o ângulo de
disparo α=30° onde a relação de fontes o
a=0.
Considerando um retificador trifásico de seis pulsos, onde a fonte é definida pela função
V1(ωt)=√2.120.sen(ωt) com frequencia de 60Hz alimentando uma carga RLE onde R=10Ω ,
L=0H e E=120V onde α=30⁰, a) Calcular a tensão média; b) Calcular a corrente média na
carga.

SOLUÇÃO:

Calcular a tensão média;

Verificar se a tensão da fase em α+60° é maior que a tensão da fonte E. Caso contrario, o circuito se comporta como um circuito a diodo.
3 2. 120𝑠𝑒𝑛 60° + 30° = 293,9𝑉
𝛼1 = 60° + 30° = 90°

Fonte: [8]
Como a tensão em α é maior que a fonte E, tem-se:
𝜃1 = 90° + 60° = 150°
Calcular se a tensão final no próximo disparo é maior que E:
3 2. 120𝑠𝑒𝑛 150° = 147𝑉
Como a tensão da senoide em 150° é maior que E, pode-se calcular o valor médio do sinal sem considerar a tensão da fonte:
150
𝑛
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 3 2. 120𝑠𝑒𝑛 𝜔𝑡 𝑑𝜔𝑡
2𝜋
90

𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 243,2𝑉
Calcular a corrente média na carga.
𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 − 𝐸 243,2 − 120
𝐼𝐿𝑚𝑒𝑑 = = = 12,32𝐴
𝑅 10
RETIFICADOR TRIFÁSICO (PONTE MISTA)
Nos casos onde não se torna necessário o funcionamento nos dois quadrantes, a utilização da ponte mista
reduz o custo do conversor. Simplificando a etapa de controle e também há a redução do uso de Tiristores.

Fonte: [1]
EQUAÇÕES
A tensão média para operação na região contínua pode ser expressa por:

𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 0,67𝑉𝑂𝐿 (1 + cos 𝛼)

𝑉𝐿𝑚𝑒𝑑 = 1,17𝑉𝑂 (1 + cos 𝛼)

É importante destacar que, mesmo para operação com carga indutiva, não é possível a obtenção de
valores médios negativos de tensão na carga, uma vez que existirá sempre, para α > 60º, um intervalo de
condução conjunta entre o Tiristor e o Diodo de um mesmo "braço" do retificador que, associados em série,
levarão a tensão instantânea na carga a ser nula.
ÁBACO DE PUSCHLOWSKI
O ângulo crítico de extinção βc é dado pela seguinte expressão geral:
2𝜋
𝛽𝐶 = + 𝛼1
𝑚
Para o emprego correto do ábaco de Pushlowski deve-se observar os pontos:

a. Quando m=1 ou m=2 pulsos, α1 = α, dessa forma α1 é o próprio ângulo de disparo dos tiristores.
b. Quando m=3, considera-se α1= α + 30°.
c. Quando m=6 considera-se α1 = α + 60°.

Deve-se isso pela forma da construção do ábaco onde faz-se referência a passagem da tensão por zero.
EXERCÍCIO
[8.2] Considerando o arranjo do retificador trifásico controlado e operando a partir de uma rede trifásica
com tensão de 230V, 60Hz. Onde a carga é altamente indutiva e a corrente média na carga é 150ª com
conteúdo de ondulação desprezível, se o ângulo de disparo for α=π/3 Determinar:
a. As especificações dos tiristores

[8.3] Considerando o arranjo do retificador trifásico controlado e operando a partir de uma rede trifásica
com tensão de Vab=208V, 60Hz. Sabendo que alimenta uma carga RLE onde R=1,5Ω, L=1,5mH e E=0V, o
ângulo de disparo é α=π/6 Determinar:
a. A tensão média sobre a carga

b. Ângulo de extinção β

c. Corrente Média na Carga


d. Corrente eficaz sobre os tiristores
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
[1] ARRABAÇA, DEVAIR APARECIDO. Eletrônica de Potência - Conversores de Energia CA/CC - Teoria, Prática e
Simulação Editora: Erica, 2011.

[2] MARTINHO, Edson. Distúrbios da Energia Elétrica. Editora: Erica, 2009.

[3] BARBI, Ivo. Projeto de Fontes chaveadas. Editora UFSC, série didática, 2º ed, Edição do Autor, Florianópolis, 2012.

[4] BARBI, Ivo. Conversores CC-CC Básicos Não-Isolados. Editora UFSC, série didática, 4º ed, Edição do Autor,
Florianópolis 2013.

[5] MARTINS. Denizar Cruz. Introdução ao Estudo dos Conversores CC-CA. Edição do Autor, Florianópolis 2013.

[6] POMILIO, José Antenor. Eletrônica de Potência. UNICAMP, Campinas 2002.

[7] BARBI, Ivo. Eletrônica de Potência. Editora UFSC, série didática, 7º ed, Edição do Autor, Florianópolis 2012.

[8] AHMED, Ahmed; Eletrônica de Potência, Prentice Hall, São Paulo, 2000.

[9]RASHID, M.H.; Eletrônica de Potência – Circuitos, Dispositivos e Aplicações, Makron Books, São Paulo, 1999.
40

EDERSON ZANCHET
Especialista em doscencia do ensino superior - FAG
Engenheiro de Controle e Automação - FAG
Departamento de Engenharia – FAG
Docente Disciplina de Eletronica Industrial e de Potência

ederson.zt@gmail.com
ezanchet@fag.edu.br
www.fag.edu/professores/ederson