Sunteți pe pagina 1din 5

CERIMÔNIA DE ORDENAÇÃO E INTALAÇÃO

DE PRESBÍTEROS REGENTES
11 de novembro de 2018

Amada Congregação de nosso SENHOR Jesus Cristo!

Divulgamos por vezes os nomes dos irmãos que foram eleitos para o
ofício de presbítero desta Igreja, para saber se alguém teria objeções contra
suas ordenações. Como ninguém apresentou objeções contra a doutrina ou o
modo de viver destes irmãos, prosseguiremos agora para a ordenação deles
em o nome do SENHOR.

I. - INSTITUIÇÃO DO OFÍCIO

Escutemos agora o que as Sagradas Escrituras ensinam sobre o ofício


de presbítero.

Já na dispensação do Antigo Testamento, o povo de Deus desfrutava


a liderança e a direção de anciãos (presbíteros). O SENHOR disse a Moisés
que reunisse os anciãos de Israel no Egito e que os avisasse de sua
promessa de libertá-los da escravidão. Enquanto estes anciãos estavam com
Moisés no deserto, o SENHOR disse-lhe um dia, que escolhesse do meio
deles setenta homens para carregar o peso do povo juntamente com ele.
Juntos com Moisés, estes anciãos tinham autoridade para governar o povo.

No fim de seu ministério, Moisés deu a todos os anciãos a Lei para


governar o povo de Deus. Tendo chegado na terra prometida, estes anciãos
cumpriam seus ofícios nas cidades onde moravam.

Referências: Êxodo 3.16; 17.5; Números 11.16; Deuteronômio


27.1; 31.9; Josué 20.4 e Juízes 8.16.

O Bom Pastor, em seu cuidado permanente com seu rebanho,


chamou apóstolos para serem o fundamento da sua Igreja. Os apóstolos, por
sua vez, nomearam presbíteros em cada Igreja, com a cooperação das
congregações. Apóstolos e presbíteros se reuniam para tomarem decisões
às quais as Igrejas estavam submissas. O apóstolo Paulo encarregou os

1
bispos ou supervisores para atenderem pelo rebanho sobre o qual o Espírito
Santo os havia constituído guardiões. O apóstolo Pedro advertiu aos
Presbíteros para que pastoreassem o rebanho de Deus que havia entre eles.

Referências: Atos 14.23; 15.6, 22 e 23; 16.4; 20.28; Efésios 2.20 e


1 Pedro 5.2.

O Novo Testamento chama estes oficiais não somente de presbíteros


ou anciãos, mas também de bispos ou supervisores, pastores e guardiões.

Referências: Filipenses 1.1; 1 Timóteo 3.1-13 e Tito 1.5-9.

O ofício de presbítero, portanto, é um ofício que tem sua autoridade


dada por Cristo. Os presbíteros têm que cumprir suas tarefas sempre
lembrando o povo de Deus das ordenanças dEle, exercendo disciplina sobre
os desobedientes, cuidando do rebanho e defendendo as ovelhas contra os
perigos que as ameaçam.

II. - DEVERES DOS PRESBÍTEROS

Art.50 - O Presbítero regente é o representante imediato do povo, por


este eleito e ordenado pelo Conselho, para, juntamente com o pastor,
exercer o governo e a disciplina e zelar pelos interesses da Igreja a que
pertencer, bem como pelos interesses da Igreja a que pertencer, bem
como pelos de toda a comunidade, quando para isso eleito ou designado.

Art.51 - Compete ao Presbítero:


a) levar ao conhecimento do Conselho as faltas que não pu- der
corrigir por meio de admoestações particulares;
b) auxiliar o pastor no trabalho de visitas;
c) instruir os neófitos, consolar os aflitos e cuidar da infância e da
juventude;
d) orar com os crentes e por eles;
e) informar o pastor dos casos de doenças e aflições;
f) distribuir os elementos da Santa Ceia;
g) tomar parte na ordenação de ministros e oficiais; h) representar
o Conselho no Presbitério, este no Sínodo e no Supremo Concílio.

Fonte: Manual Presbiteriano. Igreja Presbiteriana do Brasil. São Paulo: Cultura Cristã, 1999.

III. - VOTOS DE ORDENAÇÃO E INSTALAÇÃO

Seção 3ª - Ordenação e Instalação de Presbíteros e Diáconos

Art.113 - Eleito alguém que aceite o cargo e, não havendo objeção do


Conselho, designará este o lugar, dia e hora da ordenação e instalação,
que serão realizadas perante a Igreja.

2
Art.114 - Só poderá ser ordenado e instalado quem, depois de instruído,
aceitar a doutrina, o governo e a disciplina da Igreja Presbiteriana do
Brasil, devendo a Igreja prometer tributar-lhe honra e obediência no
Senhor, segundo a Palavra de Deus e esta Constituição.

PL/IPB (P.L. = Princípios de Liturgia)


CAPÍTULO XII
ORDENAÇÃO E INSTALAÇÃO DE PRESBÍTEROS E DIÁCONOS

Art.26 - Quando a Igreja eleger alguém para o ofício de presbítero ou


diácono, deverá o Conselho, julgadas a idoneidade do eleito para o cargo
e a regularidade da eleição, fixar dia, hora e local para a ordenação e
investidura.
Art.27 - Em reunião pública, o presidente do Conselho ou o ministro que
suas vezes fizer, realizará a cerimônia solenemente, com leitura da
Palavra de Deus, oração e imposição de mãos dos membros do
Conselho sobre o ordenando, cabendo-lhe também, em momento
oportuno, fazer uma exposição clara e concisa da natureza do ofício, sua
dignidade, privilégios e deveres.
Art.28 - Os presbíteros e diáconos assumirão compromisso na
reafirmação de sua crença nas Sagradas Escrituras como a Palavra de
Deus e na lealdade à Confissão de Fé, aos catecismos e à Constituição
da Igreja Presbiteriana do Brasil.
Art.29 - Prometerão cumprir com zelo e fidelidade o seu ofício e também
manter e promover a paz, unidade, edificação e pureza da Igreja.
Art.30 - A Igreja comprometer-se-á a reconhecer o oficial eleito e
prometerá, diante de Deus, tributar-lhe o respeito e a obediência a que
tem direito, de acordo com as Escrituras Sagradas.
§ 1º - Após a ordenação, os membros do Conselho darão ao
recém-ordenado a destra de fraternidade e, em seguida, o
presidente o declarará solenemente ordenado e investido no ofício
para que foi eleito.
§ 2º - Quando o presbítero ou diácono for reeleito ou vier de outra
Igreja Presbiteriana, omitir-se-á a cerimônia de ordenação.

3.1. – PERGUNTAS AOS PRESBÍTEROS ELEITOS

Seguem as perguntas que devem responder afirmativamente para que se


demonstre o voto que assumirão como presbíteros da igreja:

1. Você crê que as Escrituras do Antigo e Novo Testamento são a


Palavra de Deus, e que esta Palavra é a única regra de fé e
prática?
2. Você recebe e adota sinceramente a Confissão de Fé e os
Catecismos [de Westminster] desta Igreja, como fiel exposição do
sistema de doutrina nas Escrituras Sagradas?
3. Você promete que se, a qualquer momento, encontrar-se em
desacordo com qualquer parte dessa Confissão de fé, de sua

3
própria iniciativa fará saber aos seus colegas de Conselho?
4. Você se submete, sustenta e aprova o Governo e Disciplina da
Igreja Presbiteriana do Brasil?
5. Você cumprirá zelosamente as obrigações do seu ofício em
obediência a Jesus Cristo, deixando-se guiar pelo Espírito Santo
e sob a autoridade da Escritura?
6. Você promete ser mutuamente submisso ao Pastor da igreja e
aos seus colegas de ministério?
7. Você aceita o ofício de Presbítero Regente desta Igreja, e promete
desempenhar fielmente todos os deveres deste cargo?
8. Você promete procurar manter e promover a paz, a unidade, a
edificação e a pureza da Igreja?

3.2. – PERGUNTAS À IGREJA

1. Os irmãos, membros da Primeira Igreja Presbiteriana em


Sobradinho, reconhecem e publicamente recebem
WELLINGTON ROBERTO AMARO DA SILVA como presbítero e
como dádiva de Deus à sua igreja para lidera-los nos
caminhos de Jesus Cristo?

Sim, reconhecemos e recebemos.

2. O amarão e orarão por ele em seu ministério e cooperarão com


ele humilde e alegremente, a fim de que pela graça de Deus
possam cumprir a missão da igreja, dando a ele toda a honra
devida e apoiando-o em sua liderança para a qual Deus os tem
chamando, para a glória e honra de Deus?

Sim, o faremos.

IV. - PARÊNESE

Irmão presbítero, para que sejas um bom pastor do rebanho de Cristo


e fiel vigilante sobre a casa de Deus, seja diligente na tarefa de governar a
Igreja, consolar os aflitos e admoestar os desobedientes. Fique atento para
que a congregação permaneça na doutrina pura e leve uma vida piedosa.
“Pastoreie o rebanho de Deus que está ao seu cuidado, olhando por ele; não
por obrigação, mas de livre vontade, como Deus quer; não por ganância, mas
desejoso de servir; nem como dominador dos que lhes foram confiados, mas
como exemplo para o rebanho. Quando se manifestar o Supremo Pastor,
você receberá a imperecível coroa da glória” (1 Pedro 5.2-4).

Sejam todos fiéis no exercício de seus ofícios, em unanimidade.


“Vocês devem apegarem-se ao mistério da fé com uma consciência limpa” (1
Timóteo 3.9). Se vocês desempenharem bem os seus ofícios, “alcançarão
uma excelente posição e grande determinação na fé em Cristo Jesus” (1

4
Timóteo 3.13) e finalmente participarão “da alegria do seu Senhor” (Mateus
25.21-23).

Por outro lado, amados irmãos da Igreja recebam estes homens como
servos de Deus. Respeitem os supervisores “que esforçam-se no trabalho
entre vocês, que os lideram no SENHOR e os aconselham. Tenham-nos na
mais alta estima em amor, por causa do trabalho deles” (1 Tessalonicenses
5.12-13). “Obedeçam aos seus líderes e submetam-se à autoridade deles.
Eles cuidam de vocês como quem deve prestar contas” (Hebreus 13.17).

VI – ORAÇÃO E IMPOSIÇÃO DE MÃOS

SENHOR Deus e Pai celestial, agradou a Ti ordenar bispos, ao lado


dos ministros da Palavra, para a edificação da tua Igreja. Nós agradecemos-
te porque nos destes homens que estão dotados do teu Espírito Santo.
Concede-lhes mais e mais os dons que precisam, tais como: Sabedoria,
coragem, discrição e misericórdia, para que cada um deles cumpra seu ofício
de tal maneira que seja agradável a Ti.

Concede a tua graça aos presbíteros, para que eles perseverem num
serviço fiel sem que sejam atrapalhados por problemas, aflições ou
perseguição por parte do mundo.

Concede que teu povo, sobre o qual Tu os colocaste, submeta-se, de


boa vontade, à exortação dos bispos e os estime em amor por causa do
trabalho deles. Concede-nos um forte amor fraternal.

Nós suplicamos-te que, mediante o serviço fiel de cada um, venha o


reino de teu Filho o nosso SENHOR Jesus Cristo e teu Nome seja glorificado,
pois teu é o reino e o poder e a glória para sempre. Amém.

Assim vos ordenamos Presbíteros Regentes da Igreja Presbiteriana do


Brasil, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém!

V. – ENTREGA DA CARTEIRA DE PRESBÍTERO (esposas)